Uma Investigação Sobre a Evolução dos Certificados ISO 9000 e ISO Resumo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma Investigação Sobre a Evolução dos Certificados ISO 9000 e ISO 14000. Resumo"

Transcrição

1 Resumo Uma Investigação Sobre a Evolução dos Certificados ISO 9000 e ISO O objetivo desta investigação é identificar e analisar a evolução dos certificados ISO 9000 e ISO Esta pesquisa se justifica pelo fato de promover discussões acerca do sistema de gestão da qualidade e ambiental. Os procedimentos metodológicos usados nesta investigação foram: leitura sinóptica, análise textual dos elementos, uso da publicação The ISO Survey of ISO 9001:2000 and ISO Certificates 2003, estabelecimento de períodos de estudo para as referidas normas, comparar o número de certificados ISO 9000 e ISO na América do Sul. A evolução do número de certificados ISO 9000 tomou uma postura crescente, passando de 20000, em janeiro de 2003, para , em dezembro de 2003 com destaque para a China com certificados ISO 9001:2000 em O número de certificados ISO registrou a marca de 66070, em 2003, com destaque para o Japão com Na América do Sul, três países se destacam em números de certificados ISO 9000 e ISO 14000: Brasil, Colômbia e Argentina. Concluiu-se que no mundo inteiro a busca da qualidade com gerenciamento ecológico apresenta uma tendência crescente dada a conjuntura internacional. Introdução O certificado reconhecido internacionalmente de um sistema de gestão sugere que as organizações estão se comprometendo com princípios básicos de normas com a finalidade de atender determinadas conformidades e avaliar a sua manutenção para que possibilite uma vantagem competitiva que diferencie dos concorrentes através de um planejamento tático-operacional. O sistema de gestão da qualidade ISO 9000 propicia uma melhoria do desempenho das unidades econômicas através de oito políticas orientadoras: enfoque no cliente, estabelecimento de uma liderança para implementar metas e objetivos a serem alcançados, envolvimento das pessoas para desenvolverem habilidades, abordagem do processo com uso efetivo dos recursos, gerenciamento de processos inter-relacionados, busca de melhoria contínua, decisões com base em análise econômica de dados e informações e relações de fornecimento mutuamente proveitosas. (LEITE, 2005) O sistema de gestão ambiental com certificado ISO constitui uma série de requisitos que uma empresa desenvolve e implanta as políticas estratégicas ambientais partindo da premissa de que se deve manter o meio ambiente saudável para atender necessidades humanas sem comprometer as gerações futuras. Nesse sentido, abre um espaço para o monitoramento das atividades operacionais com prioridades previamente definidas. (PEREIRA E TOCCHETO, 2005) A certificação de um sistema de gestão pela International Organization for Standardization (ISO) significa que determinada entidade tem uma preocupação constante em melhorar a parte operacional através de um parâmetro universal reconhecido dentro de um processo sistemático de auditoria de terceira parte. (ABNT, 2002, p. 3; ROBBINS, 2000, p.147) 1

2 De acordo com McNAMEE (2005), a organização cresce com o aumento do valor agregado de suas trocas possibilitando uma vantagem competitiva no que tange aos ganhos auferidos por meio de uma tática empreendedora que orienta os fluxos de entradas e saídas de recursos e, principalmente, o oferecimento de bens e serviços de qualidade. Assim, a partir dos estudos do referido autor uma empresa certificada na área da qualidade com a ISO 9000 faz com que ela estreite as relações com os consumidores atendendo determinadas exigências que podem ser observadas através de um criterioso estudo de mercado. Para JURAN (1998) citado por IDROGO (2005, p. 12), o desejo de produzir com qualidade acompanha os gerentes desde o tempo dos artesãos que eram também os responsáveis pela garantia da qualidade de seus produtos e serviços. O autor acima presume que os primeiros movimentos no que concerne às estratégias empresariais para a padronização surgiram da necessidade de haver uma confiabilidade na produção através de vistorias. Conforme KRAEMER (2005, p. 4), a ISO é o único padrão na série inteira a que uma organização pode ser registrada, ou seja, a norma certificável. O original do guia é consultado como ISO (sistema de gerência ambiental guias gerais em princípios, sistemas e técnicas) como forma de melhoria contínua do sistema de gestão ambiental. PEREIRA e TOCCHETO (2005) chamam a atenção para o planejamento ambiental surgido nos anos 90 e que colocou em debate os problemas ecológicos que atingem as pessoas independentemente de classes sociais a que pertençam. Nesse momento, as operações industriais experimentaram mudanças radicais com implicações significativas como a busca de alternativas que equilibram a atividade econômica, principalmente com a introdução das normas de gestão pela qualidade ambiental, a exemplo da série ISO Para explorar o estudo proposto, são estabelecidos os seguintes objetivos: Geral Investigar e analisar a evolução dos certificados ISO 9000 e ISO no mundo. Específicos Analisar a conjuntura pela qual leva as organizações a adotarem uma norma internacional de sistema de gestão (qualidade e / ou ambiental); Sul; Comparar o número de certificados ISO 9000 e ISO nos países da América do Fazer um ranking dos dez países que mais receberam certificados ISO 9000 e ISO no mundo em 2003; O presente tema Uma Investigação Sobre a Evolução dos Certificados ISO 9000 e ISO no Mundo justifica-se pelo fato de se conhecer melhor a distribuição do reconhecimento dos sistemas de gestão da qualidade e / ou ambiental com padrão mundial em 2

3 alguns países, incluindo o Brasil, apontando para o caráter estratégico das organizações no sentido de aprimorar processos gerenciais. Esta pesquisa enfatiza a importância da obtenção de atestados públicos no que condiz ao monitoramento da eficácia da implementação de políticas essenciais para agregar valor a uma organização tendo a auditoria como ferramenta de gestão criando sinergia suficiente para aprovar as conformidades existentes. Abre a oportunidade para discutir a questão dos benefícios de implementar tais sistemas de gestão. O estudo foi realizado com base no relatório The ISO Survey of ISO 9001:2000 and ISO Certificates 2003, em versão condensada, com divulgação em 2004 na Internet (http://www.qsp.org.br/pdf/survey2003.pdf), envolvendo vários organismos certificadores, institutos de acreditação e bases de dados nacionais cadastrados na ISO referentes às certificações das normas supracitadas. Principais Marcos Teóricos Para IDROGO (2005, p. 65), o processo de certificação consiste em um conjunto de atividades por um organismo independente da relação comercial com o objetivo de atestar publicamente, por escrito, que determinado produto, processo ou serviço está em conformidade com os requisitos especificados podendo estes serem nacionais ou estrangeiros. Assim, de acordo com a referida autora, a certificação baseia-se em métodos geralmente aceitáveis que começa na necessidade de implementar um sistema de gestão reconhecido tendo-se com paradigma os seguintes alicerces: a difusão dos conceitos, mudanças de aspectos operacionais internos e a relação da empresa com o ambiente. Segundo JACKEL (2005), a certificação do sistema de gestão da qualidade da empresa em relação à norma ISO 9000 visa dar ao cliente a garantia de que seus requisitos da qualidade podem ser atendidos pela empresa certificada. Na concepção de BAER (2005), o cliente apresenta cada vez mais uma tendência em solicitar mercadorias e serviços que atenda as suas necessidades e que apresentem uma ótima margem de custo e benefícios. Satisfazer o cliente pode ser um fator importante para o sucesso. Oliveira (1996) citado por IDROGO (2005, p. 65), enumera uma série de etapas para a certificação de empresas que desejam implantar a ISO 9000: a) Comprometimento da Alta Administração; b) Seleção e designação formal de um Coordenador; c) Formação do comitê de coordenação; d) Planejar um treinamento adequado; e) Elaboração e divulgação da política da qualidade; f) Palestra sobre qualidade para todos os funcionários; g) Divulgação constante do assunto qualidade; h) Estudo de cada um dos requisitos da norma e realização do diagnóstico da empresa em relação ao requisito; i)formação de grupos de trabalho coma participação dos funcionários para elaborar as instruções de trabalho; j)elaboração do manual interno da qualidade; 3

4 k) Treinamento dos funcionários na documentação da qualidade; l)formação dos auditores internos da qualidade; m) Realização de auditorias internas; n) Implantação das ações corretivas para as não-conformidades; o) Seleção da entidade certificadora; p) Realização da pré-auditoria e da auditoria de certificação. O autor supracitado entende que as atividades de certificação primam pelo detalhe havendo uma harmonia entre a obediência aos requisitos da norma ISO 9000 e a adequação do sistema de gestão a que o solicitante está se submetendo. Conforme KRAEMER (2005, p. 4), a nova consciência ambiental surgida no conjunto das transformações culturais que ocorreram nas décadas de 60 e 70, ganhou dimensão e situou o cuidado com o meio ambiente como um dos princípios fundamentais do homem moderno. Nos anos 80, os gastos com proteção ambiental começaram a ser vistos pelas empresas líderes não primordialmente como custos, mas como investimentos no futuro e, paradoxalmente, como vantagem competitiva. Nos escritos de PEREIRA e TOCCHETO (2005), a implantação de um sistema de gestão ambiental é a resposta dada pelas empresas para controlar os impactos causados representando uma mudança organizacional motivada pela internalização ambiental e externalização de práticas que integram o meio ambiente e a produção. Segundo KROETZ (2005), o gerenciamento ecológico representa uma forte intenção das organizações em adquirir uma visão estratégica em relação ao meio ambiente passando a percebê-lo como oportunidade de desenvolvimento e crescimento desde que haja proteção ambiental no local de trabalho. Os autores concordam no tocante a preocupação da harmonia entre a estrutura física das entidades e o meio ambiente que elas operam caracterizando um forte indício para reduzir os custos ambientais e aumentar a produtividade sem agredir a natureza. Para GIL (2000, p.15), uma certificação de uma norma internacional se exige uma auditoria na qual verifica os procedimentos das atividades operacionais, financeiras e contábeis do solicitante. De acordo com ROBBINS (2000, p.148), existem basicamente dois tipos de auditorias: a externa (verificação de demonstrativos por um escritório independente de contabilidade cadastrado por um Órgão Governamental de Fiscalização de Finanças Corporativas ou pela ISO) e a interna (verificação formal das normas internas realizada pelos próprios membros da organização). A figura 1 fornece uma visão geral das atividades típicas de auditoria quando definidas a abrangência e os objetivos. O retângulo com as linhas pontilhadas indicam que normalmente quaisquer ações de acompanhamento de auditoria não são consideradas parte do processo da auditoria. Fig. 1 Visão geral das atividades típicas de auditoria 4

5 Iniciando Preparando a auditoria as atividades de auditoria no local Designando Preparando o plano líder da de equipe auditoria de auditoria Definindo Designando objetivos, trabalho escopo para a equipe e critério de auditoria da auditoria Determinando Preparando documentos a viabilidade de trabalho da auditoria Preparando, Selecionando aprovando a e equipe distribuindo de auditoria o relatório da auditoria Preparando o relatório da auditoria Aprovando e distribuindo o relatório da auditoria Realizando a análise crítica de documentos Analisando criticamente os documentos pertinentes ao sistema de gestão Concluindo a auditoria Conduzindo ações de acompanhamento de auditoria Fonte: ABNT (2002) Conforme CERERQUEIRA e MARTINS (1998, p. 36), para a execução de uma a u d i t o r i a Conduzindo atividades da auditoria no local faz-se necessário e n t e n d e r Conduzindo a reunião de abertura todas as fases do p r o c e s s o Comunicação durante a auditoria através da metodologia P D C A Funções e responsabilidades de guias e observadores (Plan, Do, Check, Act), Coletando e verificando informações ou seja, Gerando constatações da auditoria Planejar, Fazer, Checar e Agir e Preparando conclusões da auditoria que se visualiza na figura 2 Conduzindo a reunião de encerramento que mostra o ciclo de vida da auditoria. Fig. 2 PDCA da auditoria P (Planejar) Preparar e planejar a Auditoria D (Do ou fazer) Conduzir a auditoria e realizar constatações A (Agir) Agir corretivamente no sistema C (Checar) Realização da análise crítica sobre o resultado da auditoria 5

6 Fonte: Cerqueira e Martins (1998) Assim, a figura 2 mostra também que a auditoria consiste num processo cíclico de aperfeiçoamento contínuo onde as ações de qualidade criam um suporte gerencial respeitando a estrutura organizacional e que se materializa em um círculo virtuoso. A revisão bibliográfica mostrou neste capítulo a importância de se obter um certificado do sistema de gestão da qualidade (ISO 9000) e / ou do sistema de gestão ambiental (ISO 14000). Procedimentos Metodológicos Os procedimentos metodológicos que foram utilizados nesta pesquisa estão estruturados da seguinte forma: a) Primeiramente, fez-se uma leitura sinóptica com a incumbência de explorar e localizar as informações sobre alguns aspectos das séries de normas ISO 9000 (Sistema de Gestão da Qualidade) e ISO (Sistema de Gestão Ambiental), e isso se justifica pelo fato de se familiarizar com o assunto proposto; b) Houve a realização de um amplo levantamento bibliográfico com a finalidade de construir um marco teórico utilizando-se livros-texto, monografias, dissertações, artigos científicos, material jornalístico, mini-textos da Internet relacionados às normas ISO 9000 e ISO 14000; c) A seguir, foi feita uma análise textual dos elementos, que consiste no levantamento de todos os elementos que constituem o texto, a fim de se compreender as idéias-chave relacionadas ao tema tendo-se um encadeamento lógico para se entender a certificação das normas objeto de estudo; d) Houve uso da publicação The ISO Survey of ISO 9001:2000 and ISO Certificates 2003, que esteve disponibilizado no dia quinze de setembro de 2005 na Internet (http://www.qsp.org.br/pdf/survey2003.pdf) em versão condensada pois algumas páginas (18-21 / 28-34) não estavam disponíveis; e) Para efeitos de simplificação o período escolhido para verificar a evolução da norma ISO 9000 no mundo foi entre 1993 e 2003 (entre novas e velhas versões), para a norma ISO 9001:2000 foi escolhido o período e para a norma ISO foi escolhido o período ; f) Nesta monografia foi escolhida a opção metodológica de comparar o número de certificados da ISO 9001:2000 e da ISO 14001:1996 dos países da América do Sul visto que a apresentação ocorre em território brasileiro; g) Neste trabalho monográfico não foi possível mostrar uma tabela referente a evolução dos certificados ISO 9000 (entre velhas e novas versões) nos países da América do Sul por falta de dados entre 1993 e 2000; h) Houve a utilização do método dedutivo, uma vez que a partir de eixos teóricos já constituídos caminhou-se geralmente para planos cada vez mais específicos indo das 6

7 constatações mais generalistas sobre a certificação das normas ISO 9000 e ISO às constatações feitas minuciosamente a distribuição e evolução das mesmas. Todas as informações e os recursos visuais auxiliares (figuras, ilustrações, tabelas e gráficos) foram tratados e organizados para se entender o tema e atingir os objetivos propostos pelo trabalho mostrando a evolução dos certificados ISO 9000 e ISO no mundo e comparando o número dos certificados supracitados no Brasil com outros países da América do Sul. A Evolução dos Certificados ISO 9000 no Mundo Em uma economia globalizada, a ISO 9000 torna-se um padrão mundial para a gestão da qualidade e as organizações recorrem a este certificado para demonstrar consistência dos processos, respeito ao cliente, empenho na implementação de uma política da qualidade e comprometimento da Alta Direção conforme exibido na figura 3. Fig. 3 Componentes básicos de um Sistema de Gestão da Qualidade Política da qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Consistência dos processos Comprometimento da Alta Direção Fonte: Adaptado de Robbins (2000) Respeito ao cliente As entidades tiveram até o dia 15 de dezembro de 2003 para fazerem a transição da versão de 1994 das normas ISO 9001, ISO 9002, ISO 9003 para as normas da versão A norma certificável é somente a ISO 9001:2000 enquanto a ISO 9004:2000 sugere diretrizes para melhoria contínua da qualidade. A ISO 9002:1994 e a ISO 9003:1994 foram invalidadas a partir de janeiro de A evolução do número de certificados ISO 9000 tomou uma tendência crescente passando de 20000, em janeiro de 1993, para , em dezembro de Isso mostra que foram acrescidas certificações em um período de dez anos. Além disso, mostra-se uma grande procura para atestar o sistema de gestão da qualidade conforme a tabela 1. Tabela 1 Número de certificados ISO 9000 no mundo / Período Número de certificados ISO 9000 Janeiro de Setembro de Junho de

8 Março de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Dezembro de Pelos números observados na tabela 1, houve um grande crescimento em termos relativos entre janeiro e setembro de 1993 (+ 135%) na comparação entre esses dois períodos. A menor taxa de crescimento do número de certificados foi observada na comparação entre 2003 sobre 2002 que registrou 1,1%. Este indicador pode ser explicado pelos estudos que as entidades fizeram ao redor do mundo na transição das versões da norma. Segundo Jackel (2005), dependendo do tamanho, atividades e recursos que o patrimônio possui o processo de certificação pode variar de aproximadamente seis a dezoito meses e quem certificará será uma empresa especializada e acreditada por um instituto central como Organismo Certificador e o certificado tem validade de três anos. A mudança da versão ISO 9000:1994 para a ISO 9000:2000 consistiu na necessidade de agilizar o processo de certificação através da auditoria do sistema de gestão da qualidade reduzindo assim a burocracia que pode comprometer a política empresarial. Observando a tabela 2, nota-se que o número de certificados emitidos (somente da versão 2000 da ISO 9001) até dezembro de 2003 foi de em 149 países. Tabela 2 Número de certificados ISO 9001: 2000 no mundo e de países certificados / Período Número de certificados Número de países Dezembro de Dezembro de Dezembro de Em 2003, houve um acréscimo de certificados da ISO 9001:2000 em relação a 2002 quando este ano teve um total de certificações em 134 países. Em termos matemáticos, o ano de 2003 representou um incremento de novos certificados comparado ao ano de 2001 onde teve certificações em 98 países. O gráfico 1 visualiza a tendência acelerada de atestados públicos na área da qualidade ao longo do período pesquisado sugerindo uma grande demanda pela qualidade comprovada. 8

9 Gráfico 1 Número de certificados ISO 9001:2000 no mundo / A tabela 3 faz um ranking dos dez países que mais receberam certificados no mundo destaca-se a República Popular da China que recebeu e em segundo lugar vem a Itália com premiações. 9

10 Tabela 3 Ranking dos dez países que mais receberam certificados ISO 9001: 2000 em 2003 Nome do país Números de certificados ISO 9001:2000 China Itália Reino Unido Japão Espanha Estados Unidos Alemanha Austrália França Coréia do Sul Os números da tabela 3 revelam que as instituições chinesas preocuparam-se com a qualidade dos bens e serviços oferecidos no mercado mundial visto que a China possui um número significativo de certificados ISO 9001:2000 comparado com economias de grande porte. Contudo, o desempenho das certificações da norma ISO evidenciou a preocupação que as empresas tem de atingir um padrão universal no que concerne à qualidade entre 1993 e A Evolução dos Certificados ISO no Mundo Nos escritos de Porto (2005), a ISO refere-se a implantação de um sistema de gestão ambiental e é a única norma certificável da série que organizou, padronizou o gerenciamento ambiental trazendo resultados positivos. O autor acima também presume que a estratégia administrativa concernente ao meio ambiente pode ser exposta em três cortes analíticos: a) Atendimento à legislação ambiental: respeito às normas nacionais e estrangeiras via compromisso firmado com a autoridade competente (normalmente o órgão ambiental); b) Minimizar não-conformidades: isto ocorre quando situações anormais surjam eventualmente e geralmente adotam-se políticas emergenciais; c) Respeitabilidade total com o meio ambiente: seria a peça fundamental de formação do elo entre estrutura de negócios e localização. Sendo assim, as organizações do mundo inteiro têm buscado a certificação ISO para implementarem um modelo de gestão que minimize o impacto ambiental como alternativa econômica. A evolução do número de certificados ISO 14001:1996 apresentou uma tendência crescente. Até dezembro de 1998, tinham sido registrados 7887 certificados passando para 66070, em dezembro de Utilizando um pouco de cálculo, os números acima representam uma majoração de certificações em um período de seis anos. Contudo, fica evidenciado uma grande demanda para comprovar o sistema de gestão ambiental embora a um ritmo menor conforme mostrado na tabela 4. 10

11 Tabela 4 Número de certificados ISO 14001:1996 no mundo e sua taxa de crescimento / Ano Número de certificados ISO 14001: 1996 Taxa de crescimento ,85% ,32% ,56% ,50% ,61% A tabela 4 mostra também que houve uma grande taxa de crescimento das certificações do ano de 1999 sobre o ano de 1998 (+ 78,65%). A menor taxa de crescimento do número de certificados foi observada na comparação de 2003 sobre 2002 que registrou 33,61%. O número de países certificados com o sistema de gestão ambiental ISO 14001: 1996 expandiu consideravelmente no período estudado. O gráfico 2 exibe essa evolução. Gráfico 2 Evolução do número de países certificados no mundo com a ISO 14001: 1996 / Conforme observa-se o gráfico 2 exatamente 72 países que receberam pelo menos uma certificação, em 1998, passando para 113, em 2003, havendo uma redução do ano de 2003 em relação ao ano de A tabela 5 demonstra um ranking dos dez países que obtiveram certificados ISO 14001: 1996 no mundo, em 2003, destacando-se o Japão com certificações. Logo atrás vem o Reino Unido com 5460 certificados. Tabela 5 Ranking dos dez países que mais receberam certificados ISO 14001: 1996 em 2003 Países Número de certificados ISO 14001:

12 Japão Reino Unido 5460 China 5064 Espanha 4860 Alemanha 4144 Estados Unidos 3553 Suécia 3404 Itália 3066 França 2344 Coréia do Sul 1495 Dentre os dez mais que receberam certificados, seis países eram do continente europeu, três eram da Ásia e apenas os Estados Unidos representou as Américas. Os países da África e da Oceania não tiveram representantes entre os dez mais. Avaliando os Certificados ISO 9000 e ISO na América do Sul O continente sul-americano apresenta indicadores de que cada vez mais participa com um volume significativo no comércio internacional, dada a forte integração econômica na região a partir da constituição de um bloco denominado Mercado Comum do Cone Sul (MERCOSUL), inicialmente formado em 1991 por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai presumindo uma melhoria dos sistemas de gestão da qualidade e ambiental. (Garcia e Garavello, 2000, p. 87; Kraemer, 2005, p. 5; Pochmann, 2003) A figura 4 mostra possíveis intenções da América do Sul para adequar os sistemas de gestão da qualidade e ambiental. Conquistar novos mercados Ganhar competitividade Intenções da América do Sul Melhorar a imagem Garantir credibilidade Fonte: Elaboração própria Fig. 4 Intenções da América do Sul para adequar os sistemas de gestão 12

13 A tabela 6 evidencia o desempenho dos certificados ISO 9000 (entre velhas e novas versões) nos países da América do Sul entre 2001 e Tabela 6 Evolução dos certificados ISO 9000 (entre velhas e novas versões) nos países da América do Sul / País / Anos Argentina Bolívia Brasil Chile Colômbia Equador Guiana Paraguai Peru Suriname Uruguai Venezuela Quanto aos números da tabela 6, podem-se destacar três países: Brasil, Argentina e Colômbia. O Brasil apresentou o maior número de certificados referentes ao sistema de gestão de qualidade que eram 9489, em 2001, e passou para 4012, em Isto pode ser um forte indicativo que houve lentidão por parte das entidades brasileiras no estudo da transição das versões da norma. Apesar da conjuntura sócio-econômica desfavorável, a Colômbia manteve uma aceleração do número de certificados ISO 9000, passando de 1117, em 2001, para 2659, em 2003, desbancando a Argentina neste último ano, conquistando assim o segundo lugar. A Argentina mostrou uma certa estagnação do número de certificações referentes ao sistema de gestão da qualidade porque em 2001, eram 2324, passando para 2257, em Vale a pena salientar também que os outros países da América do Sul não passaram de 500 certificações no referente período. A partir de 2001, começou a vigorar a norma certificável ISO 9001: 2000 e a performance dos países sul-americanos estão exibidas na tabela 7. Tabela 7 Evolução do número de certificados ISO 9001: 2000 nos países da América do Sul / Países / Anos Argentina Bolívia Brasil Chile Colômbia

14 Equador Guiana Paraguai Peru Suriname Uruguai Venezuela A tabela 7 mostra também que o Brasil liderou o número de certificados ISO 9001: 2000, em 2003, com 4012 reconhecimentos sendo seguido pela Colômbia (2222) e pela Argentina (1790). A partir dos anos 90, iniciaram-se algumas preocupações acerca do gerenciamento do meio ambiente e por isso foram realizados alguns congressos como, por exemplo, o Rio-92 e a reunião sobre o Protocolo de Kioto. A América do Sul, o número de certificados ISO 14001: 1996 tomou uma postura crescente sugerindo uma preocupação com as políticas ambientais conforme gráfico 3. Gráfico 3 Número de certificados ISO 14001: 1996 na América do Sul / Em 1998, havia apenas 138 certificados ISO 14001: 1996 na América do Sul. Em 2003, o número de emissões foi para 1626, registrando um crescimento de quase doze vezes ou 1078,3%. 14

15 A tabela 8 evidencia uma contabilização do número de certificados nos países da América do Sul entre 1998 e 2003 no que concerne à corrida aos certificados de sistema de gestão ambiental ISO 14001:1996. Tabela 8 Número de certificados ISO 14001: 1996 nos países da América do Sul / Anos Países / Argentina Bolívia Brasil Chile Colômbia Equador Guiana Paraguai Peru Uruguai Venezuela Pelos números apresentados na tabela 8, o Brasil foi o país que mais recebeu certificados ISO 14001: 1996 na América do Sul chegando a 1008 no ano de 2003 sendo seguido pela Argentina e pela Colômbia. O Suriname não recebeu nenhuma certificação no período considerado. Além disso, o Brasil tem um grau de participação de 60% no continente sul-americano em 2003, ou seja, de cada dez certificados seis estão no território brasileiro. Conclusão O objetivo desta investigação foi o de estabelecer um estudo sobre a evolução da emissão de certificados ISO 9000 e ISO no mundo entre velhas e novas versões, entre 1993 e 2003 para o sistema de gestão da qualidade, e 1998 e 2003 para o sistema de gestão ambiental partindo do material bibliográfico disponível. Neste trabalho, constatou-se que o número de certificados referentes ao sistema de gestão da qualidade ISO 9000 apresentou uma tendência crescente mostrando uma grande procura pela qualidade total reconhecida internacionalmente mesmo com um ritmo menor de crescimento. A China foi o país que mais recebeu certificados ISO 9001:2000 no ano de 2003 tendo mais do que o triplo do nível dos Estados Unidos. O número de certificados ISO no mundo também apresentou uma tendência crescente evidenciando uma vontade de atestar publicamente o sistema de gestão ambiental mesmo a um ritmo de crescimento menor, destacando-se em 2003, o Japão com certificações. Na América do Sul, o número de certificados ISO 9000 (entre velhas e novas versões) mostrou-se significativo em três países: Brasil, Argentina e Colômbia. Os outros países não 15

16 ultrapassaram a marca de 500 certificações. Já os certificados ISO 14001:1996 apresentaram uma tendência de aceleração visto que, em 1998, haviam 138 certificados passando para 1626, em Mais uma vez, Brasil, Argentina e Colômbia se destacam em número de certificações referentes ao sistema de gestão ambiental. Após um estudo aprofundado da certificação dos sistemas de gestão da qualidade e / ou ambiental no mundo, concluiu-se que à busca da qualidade com gerenciamento ecológico envolve esforços e conhecimento para satisfazer a clientela cada vez mais exigente e que para isso as organizações necessitam de certificados ISO para comprovar a eficiência e a eficácia de seus procedimentos. Referências ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 19011:2002: Diretrizes para auditorias de sistemas de gestão da qualidade e / ou ambiental. Rio de Janeiro: BAER, Alexander. Cliente: o rei do mercado. Disponível em: Acesso em: 15 set CERQUEIRA, Jorge Pedreira de; MARTINS, Márcia Copello. Formação de auditores internos da qualidade. 3. ed. São Paulo: Pioneira, GARCIA, Hélio Carlos; GARAVELLO, Tito Marcio. Geografia geral. São Paulo: Scipione, (Coleção Novos Tempos) GIL, Antônio de Loureiro. Auditoria operacional e de gestão: auditoria do e-business e do e-commerce B2B e B2C e dos serviços financeiros digitais (SFD), fundamentos e tecnologia para a auditoria, qualidade da auditoria, técnicas de auditoria. 5. ed. São Paulo: Atlas, IDROGO, Aurélia Altemira Acuña. Auditoria da qualidade. João Pessoa: UFPB, (Notas de aula) INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. The ISO Survey of ISO 9001:2000 and ISO Certificates Disponível em: Acesso em: 15 set JACKEL, Dieter Claus Josef. Implantação das normas ISO 9001: para quê? Disponível em: Acesso em: 15 set LEITE, Nildo. Gerenciamento estratégico da qualidade. Disponível em: Acesso em: 15 set KRAEMER, Maria Elizabeth Pereira. Gestão ambiental: um enfoque no desenvolvimento sustentável. Disponível em: Acesso em: 09 set KROETZ, César Eduardo Stevens. Auditoria do balanço social. Disponível em: Acesso em: 12 jun

17 MCNAMEE, David. Para uma teoria geral da auditoria interna. Disponível em: Acesso em: 05 jun PEREIRA, Lauro Charlet; TOCCHETO, Marta Regina Lopes. Sistema de gestão e proteção ambiental. Disponível em: Acesso em: 09 set POCHMANN, Márcio. A epidemia de desemprego no Brasil: atualidade e perspectiva. Disponível em: Acesso em: 15 jun PORTO, Luiz Carlos. ISO e o desempenho ambiental. Disponível em: Acesso em: 09 set ROBBINS, Stephen P. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva,

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. Introdução Segundo as informações disponíveis no site do

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 2 Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 Para a gestão da qualidade na realização do produto a ISO 9001: 2000 estabelece requisitos de gestão que dependem da liderança da direção, do envolvimento

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DOS PROCESSOS DE AUDITORIA AMBIENTAL TIPOS DE AUDITORIA

CARACTERÍSTICAS DOS PROCESSOS DE AUDITORIA AMBIENTAL TIPOS DE AUDITORIA CARACTERÍSTICAS DOS PROCESSOS DE AUDITORIA AMBIENTAL A auditoria ambiental pode ser restrita a um determinado campo de trabalho ou pode ser ampla, inclusive, abrangendo aspectos operacionais, de decisão

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 Leonardo Rospi (UNIP Universidade Paulista) lrospi@terra.com.br Oduvaldo Vendrametto (UNIP Universidade Paulista)

Leia mais

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1

Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias. www.quality.eng.br 1 Bom-dia a todos! Prof. Oceano Zacharias www.quality.eng.br 1 1 ISO 9001 Sistema de Gestão da Qualidade RUMO À RECERTIFICAÇÃO Módulo 0 www.quality.eng.br 2 2 Oceano Zacharias Físico, Matemático e Engenheiro

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

A INTERAÇÃO DA AUDITORIA AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

A INTERAÇÃO DA AUDITORIA AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 1 A INTERAÇÃO DA AUDITORIA AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL UHLMANN, V. O. 1 CRUZ, L. S. da 2 RESKE FILHO, A. 3 RESUMO Em detrimento da crescente sensibilização pela

Leia mais

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com

ISO 14000. Prof. William da Cruz Sinotti sinottiw@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO SISTEMA DE SELEÇÃO USINICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA ISO 14000

Leia mais

DESIGN DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO

DESIGN DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO DISCIPLINAS QUE PODEM SER OFERECIDAS PARA OUTROS CURSOS CURSO DE ORIGEM DA DISCIPLINA DESIGN NOME DA DISCIPLINA EMENTA C.H. OBSERVAÇÕES PREVISÃO Raciocínio Lógico Matemática Financeira A disciplina trata

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1

Prof. Adilson Spim Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 1 Certificação NBR Requisitos A partir da versão 1994, a série ISO 9000 passou a ser conhecida como família ISO 9000 ; leva em conta duas situações, a contratual e não contratual; Para a situação não contratual

Leia mais

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 2 Prefácio 3 A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normatização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL ENG-1530 Administração e Finanças para Engenharia Professor: Luis Guilherme Gestão de Qualidade Alunos: Bruna Bastos Bruno Avelar Giacomini

Leia mais

Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão

Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão III SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão Breno Barros Telles do Carmo Marcos Ronaldo Albertin Francisco José do Rêgo Coelho

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS

VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS VIII-003 PREPARO DE RECURSOS HUMANOS PARA A IMPLANTAÇÃO DA ISO 14001 EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS Andréia Guaracho Ramos (1) Bacharel em Química e Pós Graduada em Química Industrial pela Fundação

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO

PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO Alisson Oliveira da Silva (FAHOR) as000699@fahor.com.br Matheus Weizenman (FAHOR) mw000944@fahor.com.br

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME Felipe Barbetta Soares da Silva 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA.

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA AUMENTO DA PRODUTIVIDADE EM EMPRESA DO SEGMENTO METAL MECÂNICA. Elton Dias Paz Aluno de administração das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS. Elton.paz@fibria.com.br

Leia mais

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação

ISO/IEC 20000. Curso e-learning. Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Curso e-learning ISO/IEC 20000 Sistema de Gerenciamento de Serviços da Tecnologia da Informação Este é um curso independente desenvolvido pelo TI.exames em parceria com a CONÊXITO CONSULTORIA que tem grande

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO

INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO NBR ISO 9001:2008 INTERPRETAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO 8 Princípios para gestão da qualidade Foco no cliente Liderança Envolvimento das pessoas Abordagem de processos Abordagem sistêmica para a gestão Melhoria

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO

APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO MODELO INTEGRADO DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& APLICABILIDADE DA ESPECIFICAÇÃO PAS 99:2006 COMO

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE 546 A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE Irene Caires da Silva 1, Ana Carlina Toni Pereira 2, Carlile Serafim Pestana 2, Fernando Henrique Grigoletto dos Santos 2, Henrique

Leia mais

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES Eng. ZULMAR TEIXEIRA Rio, 19/10/2010 PRINCÍPIOS DA GESTÃO MODERNA III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES SUCESSO DO EMPREENDIMENTO ABORDAGEM DE PROCESSO SÉCULO XXI O SÉCULO DO DESAFIO O

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL VERSUS A CULTURA ORGANIZACIONAL

O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL VERSUS A CULTURA ORGANIZACIONAL MINIARTIGO TEORIA DA AGÊNCIA O COMPORTAMENTO PROFISSIONAL VERSUS A CULTURA ORGANIZACIONAL -- A PROVA E A LÓGICA DO ARGUMENTO (FERRAMENTAS E INSTRUMENTOS) AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO DE LOUREIRO GIL

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

200 4 Anuário Estatístico

200 4 Anuário Estatístico 2004 Anuário Estatístico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Presidente MINISTÉRIO DO TURISMO WALFRIDO SILVINO DOS MARES GUIA Ministro INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO EMBRATUR EDUARDO

Leia mais

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança?

P 2: Quais os limites entre aspectos relativos ao meio ambiente e à segurança? INTERPRETAÇÃO NBR ISO 14001 (1996), JULHO 2001 CB-38/SC-01/GRUPO DE INTERPRETAÇÃO INTRODUÇÃO O CB-38, Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental, da ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas, decidiu criar

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5. OG Procedimento de Gestão PG.SMS.014 Denominação: Auditoria Interna do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento estabelece premissas básicas sobre os critérios de planejamento e princípios a

Leia mais

GEOGRAFIA, MEIO AMBIENTE E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Henrique Elias Pessoa Gutierres

GEOGRAFIA, MEIO AMBIENTE E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Henrique Elias Pessoa Gutierres GEOGRAFIA, MEIO AMBIENTE E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Henrique Elias Pessoa Gutierres Nas últimas décadas, o mundo tem testemunhado o desenvolvimento da consciência ambiental em diferentes setores da sociedade,

Leia mais

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003

Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 4: ISO 9001 e ISO 90003 Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI Capítulo 6: PSP Capítulo

Leia mais

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 1 REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 2 1. CARACTERIZAÇÃO DO SETOR 1.1. Definição do Gerenciamento A definição do gerenciamento pode ser dada sob diversos enfoques, dentre os quais destacamos o texto escrito por

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MOIRA CAROLINE COSTA ROSA COMPARATIVO ENTRE OS REQUISITOS DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO E AS NORMAS ISO :2008 E ISO :2004, APLICADO À INDÚSTRIA DE PRODUTOS PARA A SAÚDE

Leia mais

FLAVIO RENATO DA COSTA ABAID MÉDICO VETERINÁRIO

FLAVIO RENATO DA COSTA ABAID MÉDICO VETERINÁRIO FLAVIO RENATO DA COSTA ABAID MÉDICO VETERINÁRIO GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR CONSUMIDOR FERRAMENTA DE CONTROLE DO PROCESSO GOVERNO COMPROMISSO CONSCIÊNCIA CONHECIMENTO HACCP MEDIDAS GERAIS HIGIENE INDUSTRIAL

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

CASE TICKET: DESENVOLVIMENTO DA LIDERANÇA PARA SUSTENTABILIDADE DO NEGÓCIO

CASE TICKET: DESENVOLVIMENTO DA LIDERANÇA PARA SUSTENTABILIDADE DO NEGÓCIO CASE TICKET: DESENVOLVIMENTO DA LIDERANÇA PARA SUSTENTABILIDADE DO NEGÓCIO Edna Bedani Abril 2013 MUITO PRAZER, SOMOS A EDENRED! Uma empresa internacional, líder em cartões e vouchers de serviços pré-pagos.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE ALESSANDRA TEDORO BARBARA LIMA GABRIELA SPOLAVORI LEANDRO MARTINIANO MARCUS LOURENÇO RICARDO HISTÓRICO 1990 Mudanças no Pais e no Setor da Construção Civil - Abertura do

Leia mais

PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011

PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011 CENTRO DA QUALIDADE, SEGURANÇA E PRODUTIVIDADE PARA O BRASIL E AMÉRICA LATINA PREVIEW DAS PRINCIPAIS SEÇÕES DA NBR ISO 19011 Diretrizes para auditorias de sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado

Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado Etapas Necessárias para Implantação de um Sistema de Gestão Integrado Jonathan Lucas Schwambach Fernandes (FAHOR) jf000554@fahor.com.br Fernando Busanello (FAHOR) fb000982@fahor.com.br Magnus Luis Beilke

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL, SUSTENTABILIDADE E SUAS NORMAS

RESPONSABILIDADE SOCIAL, SUSTENTABILIDADE E SUAS NORMAS RESPONSABILIDADE SOCIAL, SUSTENTABILIDADE E SUAS NORMAS Alessandra Cabral Nogueira Lima Ariadne Cedraz Léa Monteiro Rocha Luciana Cristina Andrade Costa Franco Tássia Luana Alves Andrade Silva Os primeiros

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos Geografia Econômica Mundial Aula 4 Prof. Me. Diogo Labiak Neves Organização da Aula Tipologias de blocos econômicos Exemplos de blocos econômicos Algumas características básicas Blocos Econômicos Contextualização

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica 27 de Janeiro, 2010 13ª edição Anual do CEO Survey da PricewaterhouseCoopers em Davos Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica Cerca de 40% dos CEOs prevê aumentar o número de colaboradores

Leia mais

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Redução da jornada de trabalho - Mitos e verdades Apresentação Jornada menor não cria emprego Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição 231/95 que reduz a jornada de trabalho de

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Conteúdo Programático

Conteúdo Programático Sistemas de Qualidade Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Conteúdo Programático Introdução aos sistemas de garantia da qualidade. Normas de qualidade e certificação. Sistemas ISO 9000, ISO 14000, QS

Leia mais

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005):

Surgimento da ISO 9000 Introdução ISO 9000 ISO 9001 serviços 1. ABNT NBR ISO 9000:2000 (já na versão 2005): Surgimento da ISO 9000 Com o final do conflito, em 1946 representantes de 25 países reuniram-se em Londres e decidiram criar uma nova organização internacional, com o objetivo de "facilitar a coordenação

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

Sustentabilidade aplicada aos negócios: um estudo de caso da empresa Natura S.A.

Sustentabilidade aplicada aos negócios: um estudo de caso da empresa Natura S.A. Sustentabilidade aplicada aos negócios: um estudo de caso da empresa Natura S.A. Autoria: Silas Dias Mendes Costa 1 e Antônio Oscar Santos Góes 2 1 UESC, E-mail: silas.mendes@hotmail.com 2 UESC, E-mail:

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP ÁREA INDUSTRIAL. Disciplina: Gestão da Qualidade 1 de 13 Sumário 1 Normalização... 2 1.1 Normas... 2 1.2 Objetivos... 2 1.3 Benefícios de Normalização... 2 1.4 A Importância da Normalização Internacional... 3 1.5 Necessidades de Normalização Internacional...

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM.

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM. Gerson Luís Russo Moysés, M. Sc. SENAC-SP, Av. Frei Orestes Girardi-3549,

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

Organização Perry Johnson Registrars, Inc.

Organização Perry Johnson Registrars, Inc. 1 Organização A (PJR), é uma empresa norte-americana de certificação, que atua de acordo com as normas Internacionais da Qualidade. Fundada por Perry L. Johnson em 1994, a (PJR), é especialista na área

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

IX EPCT Encontro de Produção Científica e Tecnológica Campo Mourão, 27 a 31 de Outubro de 2014 ISSN 1981-6480

IX EPCT Encontro de Produção Científica e Tecnológica Campo Mourão, 27 a 31 de Outubro de 2014 ISSN 1981-6480 A PRODUÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS SOBRE AUDITORIA CONTÁBIL: UM ESTUDO BIBLIOMÉTRICO A PARTIR DA BASE DE DADOS DA CAPES NO PERIODO DE 2008 A 2013. Aline dos Santos Perbelin(G), Unespar Câmpus de Campo

Leia mais

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana.

Data Revisão Página Código. Referência TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE EMISSÃO. Márcio Oliveira. Cargo. Gestor do SGQ APROVAÇÃO. Egidio Fontana. Data Revisão Página Código 11/04/2014 03 1 / 22 MQ-01 Referência MANUAL DA QUALIDADE TÍTULO MANUAL DA QUALIDADE Escrital Contabilidade Rua Capitão Otávio Machado, 405 São Paulo/SP Tel: (11) 5186-5961 Site:

Leia mais

Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO. Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy

Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO. Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy Ferramentas da Qualidade Sistemas ISO Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Metrologia Prof. Ricardo Vitoy NORMA Documento que formaliza certo nível de consenso a respeito do que foi discutido. Aquilo

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CAPITAL HUMANO E TECNOLÓGICO; A VARIÁVEL RISCO E O CICLO DE VIDA PROFISSIONAL. A TEORIA DA AGÊNCIA COMO PRIORIDADE PARA AÇÃO.

DESENVOLVIMENTO DE CAPITAL HUMANO E TECNOLÓGICO; A VARIÁVEL RISCO E O CICLO DE VIDA PROFISSIONAL. A TEORIA DA AGÊNCIA COMO PRIORIDADE PARA AÇÃO. Antonio de Loureiro Gil DESENVOLVIMENTO DE CAPITAL HUMANO E TECNOLÓGICO; A VARIÁVEL RISCO E O CICLO DE VIDA PROFISSIONAL. A TEORIA DA AGÊNCIA COMO PRIORIDADE PARA AÇÃO. AUTOR: PROFESSOR DOUTOR ANTONIO

Leia mais

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento

Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br N786-1 ISO CD 9001 Tradução livre Uso Exclusivo em Treinamento N786-1 ISO CD 9001 para treinamento - Rev0 SUMÁRIO Página Introdução 4 0.1 Generalidades 4 0.2 Abordagem

Leia mais

ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação

ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação ISO 9001:2008 Roteiro prático para implantação Marcel Menezes Fortes 1- Introdução: Em 28 de dezembro de 2008, a ABNT NBR ISO-9001:2008 entrou em vigor em substituição à Norma ABNT NBR ISO-9001:2000. Pretendemos

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: CUMPRIMENTO ÀS NORMAS OU DIFERENCIAL DE MERCADO. Ariane Mendes, Danielle Rodrigues, Débora Bianco 1, Ana Cabanas n

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: CUMPRIMENTO ÀS NORMAS OU DIFERENCIAL DE MERCADO. Ariane Mendes, Danielle Rodrigues, Débora Bianco 1, Ana Cabanas n RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: CUMPRIMENTO ÀS NORMAS OU DIFERENCIAL DE MERCADO Ariane Mendes, Danielle Rodrigues, Débora Bianco 1, Ana Cabanas n 1,n Faculdade Anhanguera de São José/ Pós-graduação em

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula

Plano de Aula - Sistema de Gestão da Qualidade - cód. 5325. 56 Horas/Aula Plano de Aula - Sistema de Gestão da - cód. 5325 Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos e Fundamentos da Aula 2 1 - Aula 3 1 - Aula 4 1 - Aula 5 Capítulo 2 - Ferramentas da Aula 6 2 - Ferramentas da Aula 7 2 -

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Apresentação Em uma economia globalizada e extremamente competitiva, torna-se cada vez mais imprescindível a visão estratégica

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais