PREFÁCIO. Porto, Julho de José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFÁCIO. Porto, Julho de 2009. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação"

Transcrição

1

2 GUIA2/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos de autor, encontrando-se registado na Inspecção Geral das Actividades Culturais com o nº 4870/2009, e depositado na Biblioteca Nacional sob o nº /09.

3 PREFÁCIO Num Mundo em constante e rápida mudança, os desafios para o desenvolvimento sustentável são cada vez mais importantes, sendo a protecção ambiental e a prevenção da poluição preocupações actuais para qualquer Organização. A certificação de sistemas de gestão ambiental destina-se às organizações que estão preocupadas com os seus impactes ambientais e que pretendem contribuir de forma positiva para a sustentabilidade. Assim, a certificação de acordo com a NP EN ISO 14001: Emenda 1:2006 constitui-se uma ferramenta inquestionável para a melhoria do sistema de gestão ambiental de uma Organização, permitindo definir soluções estruturadas que funcionam e que permitem melhorar o seu desempenho ambiental, alcançando uma confiança acrescida pelas partes interessadas. A APCER, como entidade líder do mercado nacional na actividade de certificação, está permanentemente disponível para colaborar com os seus clientes promovendo melhorias de desempenho distintivas, duradouras e substanciais. Mantendo o nosso compromisso, publicamos a nova edição do Guia Interpretativo NP EN ISO 14001: Emenda 1:2006, tendo como principal objectivo disponibilizar informação técnica actualizada sobre a nossa perspectiva relativamente a esta norma como referencial de certificação. Por fim, é ainda devida uma palavra de agradecimento a todos os elementos que participaram neste projecto, pela sua motivação, interesse e disponibilidade. Porto, Julho de 2009 José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 3

4 A EQUIPA coordenação Maria Tyssen Segurado e Rui Oliveira redacção André Ramos Inês Filipe Viegas Joana Freitas Joana dos Guimarães Sá Maria Tyssen Segurado Rita Batista Sofia Meister revisão Ana Dahlin Ana Roque António Aragão Frutuoso Cristina Effertz Cristina Rocha Cristina Rothes Barbosa Helena Ferreira João Vila Lobos Jorge Castanheira Alves José Sales Grade José Saraiva Ramos Luís Oliveira Manuel Salgado Silva Maria Helena Pereira Rui Oliveira 4

5 ÍNDICE INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS COMO UTILIZAR ESTE GUIA ABREVIATURAS DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PARTE A: A NP EN ISO 14001:2004 ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÕES GERAIS A NP EN ISO 14001:2004 NA FAMÍLIA DE NORMAS ISO O ANEXO A (INFORMATIVO) DA NP EN ISO 14001:2004 E A ISO 14004:2004 A NORMA NP EN ISO 14001:2004 E OUTROS REFERENCIAIS A NORMA NP EN ISO COMO REFERENCIAL DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO NP EN ISO 14001:2004 E A CONFORMIDADE LEGAL PARTE B: NP EN ISO 14001:2004 GUIA INTERPRETATIVO INTRODUÇÃO 1. OBJECTIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS 3. TERMOS E DEFINIÇÕES 4. REQUISITOS DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 4.1 REQUISITOS GERAIS 4.2 POLÍTICA AMBIENTAL 4.3 PLANEAMENTO ASPECTOS AMBIENTAIS REQUISITOS LEGAIS E OUTROS REQUISITOS OBJECTIVOS, METAS E PROGRAMA(S) 4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO RECURSOS, ATRIBUIÇÕES, RESPONSABILIDADES E AUTORIDADE COMPETÊNCIA, FORMAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO COMUNICAÇÃO DOCUMENTAÇÃO CONTROLO DOS DOCUMENTOS CONTROLO OPERACIONAL PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGÊNCIAS 4.5 VERIFICAÇÃO MONITORIZAÇÃO E MEDIÇÃO AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE NÃO CONFORMIDADES, ACÇÕES CORRECTIVAS E PREVENTIVAS CONTROLO DOS REGISTOS AUDITORIA INTERNA 4.6 REVISÃO PELA GESTÃO

6 6

7 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS COMO UTILIZAR ESTE GUIA ABREVIATURAS DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 7

8 Guia Interpretativo NP EN ISO 14001:2004 O presente guia interpretativo tem como objectivo partilhar a perspectiva e experiência da APCER na actividade de certificação de sistemas de gestão ambiental, segundo a norma NP EN ISO 14001: Emenda 1:2006. A 2ª edição deste guia tem como objectivo a inclusão das disposições definidas no documento da European Cooperation for Accreditation, relativo à conformidade legal como parte da certificação NP EN ISO 14001:2004 acreditada. Este documento é directamente aplicável à actividade da APCER, pelo que se decidiu clarificar o capítulo A Certificação NP EN ISO 14001:2004 e a Conformidade Legal. Em 2006 foi publicada uma Emenda de carácter editorial à NP EN ISO 14001:2004, não tendo sido alterados ou acrescentados quaisquer requisitos à norma de referência. Para facilitar a utilização do Guia Interpretativo, o referencial NP EN ISO 14001: Emenda 1:2006 é mencionado como NP EN ISO 14001:2004. A actividade de certificação de sistemas de gestão ambiental tem sido desenvolvida pela APCER desde 1997, inicialmente com a versão ISO 14001:1996, num conjunto alargado de organizações dos vários sectores económicos - primário; industrial, de comércio e serviços - e em grandes, médias e pequenas organizações públicas ou privadas. Este guia tem como objectivos Providenciar uma base de entendimento comum e partilhada entre a APCER e as partes interessadas, relativamente à norma NP EN ISO 14001:2004 como referencial de certificação; Partilhar a experiência da APCER na certificação segundo este referencial, informando sobre as não conformidades mais frequentes e exemplos práticos; Comunicar as expectativas da APCER no processo de avaliação do sistema e na procura de evidências; Informar sobre aspectos relevantes do processo de certificação, guias relevantes para a acreditação e normas relacionadas (ex: outros sistemas de gestão, NP EN ISO 19011:2003); Comunicar a posição da APCER sobre as orientações definidas no Anexo A da NP EN ISO 14001:2004 e na ISO 14004:2004. Este guia não define orientações sobre a forma de implementação de um sistema de gestão ambiental. Esse objectivo é assegurado pela ISO 14004:2004 e em parte pelas linhas de orientação definidas no Anexo A (Informativo) da NP EN ISO 14001:2004. A norma NP EN ISO 14001:2004 é aplicável a qualquer Organização, permitindo que o cumprimento dos requisitos possa ser assegurado mediante a adopção de diferentes metodologias, práticas, ferramentas, etc. A competência da APCER, enquanto organismo de certificação, não é decidir qual a melhor solução, mas avaliar se as práticas observadas na Organização são eficazes para cumprir os seus objectivos e assegurar o cumprimento dos requisitos normativos. Enquanto 8

9 01 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS COMO UTILIZAR ESTE GUIA ABREVIATURAS DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA certificadores e auditores de terceira parte é fundamental, para o exercício credível da nossa actividade, mantermos a independência, a imparcialidade e a abertura de espírito que nos permita avaliar cada sistema de gestão ambiental no contexto específico da Organização. De modo a constituir uma visão partilhada, este guia foi elaborado e revisto por um conjunto alargado de pessoas, abrangendo colaboradores internos e auditores da APCER, que lidam regularmente com processos de análise, auditoria e decisão de certificação segundo a NP EN ISO 14001:2004. As não conformidades aqui identificadas correspondem a um levantamento exaustivo das situações mais frequentes detectadas em processos de certificação NP EN ISO 14001:2004, tendo sido retiradas todas as referências que pudessem pôr em causa a sua confidencialidade. COMO UTILIZAR ESTE GUIA Este guia é constituído por duas partes (A e B), sendo na parte A feito, a título informativo, um enquadramento da NP EN ISO 14001:2004 face a outras normas e respectivo processo de certificação. A interpretação da NP EN ISO 14001:2004 é apresentada na Parte B deste Guia. Relativamente à Introdução e às secções 1, 2 e 3 da NP EN ISO 14001:2004 é feita uma breve explicação sob a informação nelas contida e o modo como se articulam com a secção 4. A interpretação centra-se na secção 4 da norma, Requisitos do Sistema de Gestão Ambiental, que é utilizada em auditoria para avaliar o sistema de gestão. A interpretação é feita por subsecção, tendo sempre em perspectiva que uma abordagem sistemática implica a existência de inter-relações entre subsecções, pelo que a interpretação de uma subsecção não pode ser efectuada isoladamente. A interpretação divide-se em quatro aspectos fundamentais: Finalidade Qual o propósito que a subsecção visa alcançar; Interpretação A interpretação da APCER, definida na perspectiva da avaliação e certificação de sistemas de gestão. Esta interpretação pode ser suportada em exemplos, quando oportunos, e complementada com recomendações. Os exemplos e recomendações não são vinculativos, pretendendo apenas referir eventuais boas práticas ou outras situações relevantes; Evidências Requeridas, necessárias ou expectáveis da implementação, realização, actualização e controlo das actividades/processos associados ao cumprimento dos requisitos em análise, segundo as metodologias de auditoria definidas na NP EN ISO 19011:2003; Não conformidades mais frequentes Situações constatadas com mais frequência em auditoria. Para efeitos de generalização e salvaguarda da confidencialidade foram feitas adaptações. 9

10 Guia Interpretativo NP EN ISO 14001:2004 ABREVIATURAS EMM Equipamento(s) de medição e monitorização EA Equipa auditora ISO International Organization for Standardization NP EN ISO 14001:2004 Norma NP EN ISO 14001: Emenda 1:2006 PDCA Planear-Executar-Verificar-Actuar (Plan-Do-Check-Act) SGA Sistema de Gestão Ambiental DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Para a elaboração do presente guia foram consultados os seguintes documentos: NP EN ISO 9000:2005 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e vocabulário; NP EN ISO 14001:2004 Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização; ISO 14004:2004 Environmental management systems General guidelines on principles, systems and support techniques; Guia Interpretativo NP EN ISO 9001 da APCER; NP EN ISO/IEC 17021: 2006 Avaliação da conformidade - Requisitos para organismos que procedem à auditoria e à certificação de Sistemas de Gestão (ISO/IEC 17021:2006); NP EN ISO 19011:2003 Linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão da qualidade e/ou de gestão ambiental; Clarification of Intent of ISO 14001:2004. U.S Technical Advisory Group to ISO/Technical Committee 207. American Society for Quality; EA-7/04 Legal Compliance as part of Accredited ISO Certification. European Co-operation for Accreditation. 10

11 A natureza é o único livro que oferece um conteúdo valioso em todas as suas folhas. Johann Goethe 11

12 12

13 PARTE A A NP EN ISO 14001:2004 ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÕES GERAIS A NP EN ISO 14001:2004 NA FAMÍLIA DE NORMAS ISO O ANEXO A (INFORMATIVO) DA NP EN ISO 14001:2004 E A ISO 14004:2004 A NORMA NP EN ISO 14001:2004 E OUTROS REFERENCIAIS A NORMA NP EN ISO COMO REFERENCIAL DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO NP EN ISO 14001:2004 E A CONFORMIDADE LEGAL 13

14 Guia Interpretativo NP EN ISO 14001:2004 A NP EN ISO 14001:2004 NA FAMÍLIA DE NORMAS ISO A ISO 14001:2004 foi elaborada pelo Comité Técnico ISO/TC 207 Environmental Management, criado pela ISO em O âmbito de actividade deste comité é a normalização na área das ferramentas e SGA, baseando-se no pressuposto de que melhorando as práticas de gestão se obtém a melhoria do desempenho ambiental das organizações. A visão do ISO/TC 207 é a aceitação e o uso mundial da série de normas da família ISO 14000, providenciando meios eficazes de melhoria do desempenho das organizações e dos seus produtos, facilitando o comércio mundial e contribuindo para o desenvolvimento sustentável. O ISO/TC 207 é responsável pelo desenvolvimento das normas da série ISO 14000, estando organizado em subcomités (SC) e grupos de trabalho (WG) que produzem normas e guias em diferentes áreas. Em Portugal, o Instituto Português da Qualidade (IPQ) é o Organismo Nacional de Normalização (ONN), que coordena esta actividade. A normalização pode ser desenvolvida com a colaboração de Organismos de Normalização Sectorial (ONS), reconhecidos pelo IPQ para o efeito. No domínio do ambiente, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) é o Organismo de Normalização Sectorial (ONS), constituindo a interface entre as Comissões Técnicas (CT) e o IPQ. A CT 150 (Comissão Técnica Gestão Ambiental) é responsável pelo acompanhamento dos trabalhos do ISO/TC 207, consistindo os seus trabalhos na elaboração de normas relativas a instrumentos e SGA. A CT 150 está organizada em sete subcomissões, indicadas no quadro abaixo: Subcomissão SC 1 SC1 Sistemas de gestão ambiental (1) SC 2 Auditorias ambientais (1) SC 3 Rotulagem ecológica (2) SC 4 Avaliação de desempenho ambiental (1) SC 5 Avaliação do ciclo de vida (2) SC 6 Termos e definições (3) SC 7 Gestão de gases com efeito de estufa e actividades relacionadas (1) (1) Referenciais para actuação a nível da Organização (2) Referenciais para actuação a nível do produto (3) Referenciais de carácter geral 14

15 02 ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÕES GERAIS A NP EN ISO 14001:2004 NA FAMÍLIA DE NORMAS ISO O ANEXO A (INFORMATIVO) DA NP EN ISO 14001:2004 E A ISO 14004:2004 A NORMA NP EN ISO 14001:2004 E OUTROS REFERENCIAIS A NORMA NP EN ISO COMO REFERENCIAL DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO NP EN ISO 14001:2004 E A CONFORMIDADE LEGAL A maioria das normas ISO são específicas para um dado produto, material ou processo. No entanto, as famílias ISO e ISO 9000, são genéricas para sistemas de gestão, o que significa que são aplicáveis a organizações de todos os tipos e dimensões, quaisquer que sejam os seus produtos e sectores de actividade e em qualquer ponto do globo. A família ISO concerne à gestão ambiental, isto é, ao modo como a Organização gere os impactes ambientais decorrentes das suas actividades, produtos e serviços. A família ISO inclui normas relacionadas com o desenvolvimento de SGA e normas sobre actividades e ferramentas de suporte à gestão ambiental, tais como avaliação de desempenho ambiental ou avaliação do ciclo de vida. O ANEXO A (INFORMATIVO) DA NP EN ISO 14001:2004 E A ISO 14004:2004 A NP EN ISO 14001:2004 define na secção 4 os requisitos que devem ser objectivamente auditados para efeitos de certificação, constituindo-se estes como os critérios de auditoria estabelecidos pela APCER, em conjunto com a política, procedimentos e requisitos determinados pela Organização como necessários para a implementação de um SGA de acordo com a norma de referência. O Anexo A da norma NP EN ISO 14001:2004, define as linhas de orientação para a sua utilização, sendo de carácter informativo e não tendo a finalidade de adicionar, retirar ou de qualquer forma alterar os requisitos estabelecidos na secção 4. Como tal, as suas orientações não são critérios de auditoria em processos de certificação. Contudo, a finalidade deste anexo é evitar interpretações erróneas dos requisitos contidos na secção 4 da norma, pelo que as suas orientações são tomadas em consideração nos processos de certificação da APCER, quando existem dúvidas sob o modo de interpretação de um requisito face a uma situação específica. Estas orientações também foram consideradas na elaboração do presente guia. A ISO 14004:2004 Environmental management systems General guidelines on principles, systems and support techniques tem como finalidade apoiar as organizações que pretendem implementar ou melhorar um SGA e consequentemente melhorar o seu desempenho ambiental. A norma contém exemplos, descrições e opções que ajudam a Organização a implementar e melhorar o SGA e não pretende interpretar os requisitos da NP EN ISO 14001:2004. A APCER recomenda a sua análise e eventual adopção. Existem também outras normas da família ISO 14000, tais como a avaliação do desempenho ambiental ou avaliação do ciclo de vida que podem contribuir para a melhoria. A Organização é livre de utilizar estes ou outros documentos ou estabelecer o seu próprio caminho. 15

16 Guia Interpretativo NP EN ISO 14001:2004 A NORMA NP EN ISO 14001:2004 E OUTROS REFERENCIAIS O processo de revisão da ISO conducente à versão de 2004 teve como objectivos a clarificação e a melhoria da compatibilidade com a NP EN ISO 9001:2008. Ambos os referenciais se baseiam na metodologia PDCA e são muitos os elementos comuns dos sistemas de gestão. É entendimento da ISO a não criação de uma norma única de sistemas de gestão da qualidade e ambiente, assegurando a liberdade de decisão na adopção de cada um dos referenciais, mas facilitando, tanto quanto possível, a adopção integrada de referenciais. De acordo com a ISO/TC176/SC2 e a ISO/TC207/SC2, compatibilidade significa que as organizações podem implementar de maneira partilhada elementos comuns dos referenciais, no todo ou em parte, sem duplicações desnecessárias ou imposição de requisitos conflituosos. Compatibilidade não significa que o texto para os elementos comuns das normas tenha de ser idêntico, embora o deva, sempre que tal seja possível na prática. Também não representam conflitos à compatibilidade: numeração diferente das cláusulas, diferentes modelos e estrutura e inclusão de orientações, notas ou anexos. São assim criadas condições para a existência de um sistema de gestão único que integra as disposições relativas a cada uma das normas ou disposições de outros subsistemas de gestão da Organização. Esta é livre de decidir sobre a integração de sistemas e o nível de profundidade dessa integração. Um dos benefícios mais óbvios da integração encontra-se ao nível da documentação que não necessita de ser duplicada. Contudo, a integração é mais do que a simples criação de um sistema documental comum, podendo reflectir-se, por exemplo: na estrutura organizacional, na existência de procedimentos comuns ou na inclusão de critérios ambientais em processos associados à qualidade, como o desenvolvimento de novos produtos ou avaliação de fornecedores. Para efeitos do presente guia foram também consideradas versões existentes de guias interpretativos da APCER sobre a NP EN ISO 9001:2008 de modo a assegurar, sempre que possível a compatibilização entre os mesmos. O acima referido em relação à NP EN ISO 9001:2008 é também aplicável à integração com a norma a OHSAS 18001:2007/NP 4397:2008 e com o Regulamento EMAS. A primeira porque segue o modelo de gestão e estrutura da ISO e o segundo porque adopta formalmente como sistema de gestão a NP EN ISO 14001:2004. A ISO reconhece a necessidade dos utilizadores das normas poderem auditar os dois ou mais referenciais em conjunto, seja nos processos de auditoria interna, seja nos processos de auditoria de terceira parte. A norma ISO 19011:2002 Guidelines for quality and/or environmental systems auditing foi preparada em conjunto pelos Comités Técnicos ISO/TC 207 Gestão Ambiental e ISO/TC 176 Gestão da Qualidade. 16 A NP EN ISO 19011:2003 Linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão da qualidade e/ou de gestão ambiental (ISO 19011:2002) estabelece orientações sobre a gestão de programas de auditoria, a condução de auditorias

17 02 ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÕES GERAIS A NP EN ISO 14001:2004 NA FAMÍLIA DE NORMAS ISO O ANEXO A (INFORMATIVO) DA NP EN ISO 14001:2004 E A ISO 14004:2004 A NORMA NP EN ISO 14001:2004 E OUTROS REFERENCIAIS A NORMA NP EN ISO COMO REFERENCIAL DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO NP EN ISO 14001:2004 E A CONFORMIDADE LEGAL internas ou externas a sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental, assim como as competências e avaliação dos auditores. A APCER recomenda a utilização desta norma na programação e realização de auditorias internas nas organizações que pretendem ir para além dos requisitos definidos pela NP EN ISO 14001:2004 na subsecção 4.5.5, com vista a melhorar o processo de auditorias internas, aumentando a sua eficácia. A adopção desta norma pelos organismos de certificação é requerida pelos acreditadores, sendo as suas metodologias adoptadas nos processos de certificação, permitindo a realização de auditorias conjuntas a vários sistemas de gestão, desde que asseguradas as competências necessárias para a sua realização. As auditorias aos SGA segundo a NP EN ISO 14001:2004 pela APCER são disponibilizadas isoladamente ou combinadas com outros referenciais. A NORMA NP EN ISO COMO REFERENCIAL DE CERTIFICAÇÃO A certificação de SGA suportados na norma NP EN ISO 14001:2004, constitui uma ferramenta essencial para as organizações que pretendem alcançar uma confiança acrescida por parte dos clientes, colaboradores, comunidade envolvente e sociedade, através da demonstração do compromisso voluntário com a melhoria contínua do seu desempenho ambiental. A acreditação é um reconhecimento formal por um organismo de acreditação, em como um organismo de certificação é competente para certificar organizações de determinados sectores, para referenciais específicos. A APCER encontra-se acreditada para a certificação de SGA (NP EN ISO 14001:2004) pelo IPAC (Instituto Português de Acreditação) e pela ENAC (Entidad Nacional de Acreditación) para os sectores definidos nos certificados de acreditação, de acordo com a NP EN ISO/IEC 17021: Esta norma define os requisitos para a actividade de certificação, garantindo a competência, isenção e independência necessárias ao exercício de uma actividade credível. Anualmente, a APCER é auditada pelos organismos acreditadores, sendo este um processo de avaliação que compreende a auditoria ao sistema de gestão e o testemunho de auditorias ambientais. O processo de certificação envolve as seguintes etapas 1 - Pedido de certificação; 2 - Instrução do Processo; 3 - Visita Prévia (Opcional); 4 - Auditoria de Concessão 1ª fase; 5 - Auditoria de Concessão 2ª fase; 6 - Resposta da Organização Plano de acções correctivas; 7 - Análise do Relatório e Resposta; 8 - Decisão de Certificação; 9 - Manutenção da Certificação (Auditorias anuais de Acompanhamento e Auditoria de Renovação ao fim de 3 anos). 17

18 Guia Interpretativo NP EN ISO 14001:2004 A visita prévia é de carácter facultativo e destina-se a avaliar a adequabilidade do SGA e informar a Organização sobre o estado de preparação da mesma para a auditoria de concessão. Esta avaliação é efectuada de acordo com as metodologias aplicáveis de auditoria, sendo o seu resultado independente do processo e decisão de certificação. A auditoria de concessão de SGA ocorre em duas fases. Na 1ª fase é realizada uma auditoria ao sistema documental da Organização e verificada a adequabilidade do sistema à actividade da empresa. O enfoque da 1ª fase da auditoria é a avaliação da capacidade do sistema criado em gerir todos os aspectos ambientais relacionados com as actividades, produtos e/ou serviços da Organização, na confirmação do âmbito da auditoria e no levantamento da legislação aplicável, sendo relevante uma visita aos locais de actividade. A 2ª fase da auditoria de concessão decorre no(s) local(ais) de actividade da Organização, sendo auditados todos os requisitos da norma de referência e avaliado o modo como a Organização estabeleceu e implementou o SGA. Qualquer auditoria realizada pela APCER dá origem a um relatório que formaliza as principais conclusões sobre o sistema de gestão da Organização auditada, em particular sobre a implementação, conformidade face aos requisitos normativos e ao âmbito de certificação, relatando eventuais não conformidades, oportunidades de melhoria e áreas sensíveis. As não conformidades devem ser motivo de acções correctivas apropriadas por parte da Organização auditada. Após recepção do relatório de auditoria e do plano de acções correctivas elaborado pela Organização auditada, a APCER procede à análise desses documentos. Caso estejam reunidas as condições necessárias, a APCER procede à emissão do Certificado de Conformidade (Concessões e Renovações), que tem uma validade de três anos. Durante o período de validade do Certificado de Conformidade, a APCER realiza auditorias de acompanhamento com periodicidade anual ao SGA da Organização certificada, com vista à verificação da manutenção das condições que deram lugar à concessão do referido certificado. Antes do final do ciclo de três anos é realizada uma auditoria de renovação reiniciando novo ciclo de certificação. As auditorias da APCER são realizadas por auditores qualificados e de acordo com as metodologias de auditoria definidas na norma NP EN ISO 19011:

19 02 ENQUADRAMENTO E INFORMAÇÕES GERAIS A NP EN ISO 14001:2004 NA FAMÍLIA DE NORMAS ISO O ANEXO A (INFORMATIVO) DA NP EN ISO 14001:2004 E A ISO 14004:2004 A NORMA NP EN ISO 14001:2004 E OUTROS REFERENCIAIS A NORMA NP EN ISO COMO REFERENCIAL DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO NP EN ISO 14001:2004 E A CONFORMIDADE LEGAL Os principais benefícios da certificação de um SGA relacionam-se com: Redução de custos, devida a uma melhoria da eficiência dos processos e, consequentemente, a redução de consumos (matérias-primas, água, energia); minimização do tratamento de resíduos e efluentes; diminuição dos prémios de seguro e minimização de multas e coimas; Redução de riscos, tais como, emissões, derrames e acidentes; Vantagens competitivas, decorrentes de uma melhoria da imagem da Organização e sua aceitação pela sociedade e pelo mercado; Evidência, de uma forma credível, da qualidade dos processos tecnológicos de uma Organização, de um ponto de vista de protecção ambiental e de prevenção da poluição; Uma nova dinâmica de melhoria, nomeadamente através da avaliação independente efectuada por auditores externos. A CERTIFICAÇÃO NP EN ISO 14001:2004 E A CONFORMIDADE LEGAL Uma das questões associadas à norma e ao seu processo de certificação é a necessidade de cumprir a legislação e outros requisitos que a Organização subscreva relativos aos seus aspectos ambientais. Esta questão será tratada de forma individualizada neste ponto, atendendo ao aparecimento de legislação cada vez mais restritiva, ao desenvolvimento de políticas económicas e de outras medidas que fomentam cada vez mais a protecção ambiental, e a um crescimento generalizado das partes interessadas sobre questões ambientais e de desenvolvimento sustentável. Contudo, é importante relembrar que, apesar da importância da questão, a conformidade legal não é por si só a finalidade da norma e nunca é demais referir que a legislação aplicável é de cumprimento obrigatório. Portanto, não se coloca a questão se a Organização tem de cumprir a legislação aplicável, mas sim, se o seu cumprimento na íntegra é requisito da NP EN ISO 14001:2004 e o que deve ser exigido na sua certificação. Reconhece-se assim, que a conformidade com os requisitos legais aplicáveis não é o único factor determinante para a eficácia de um SGA. Um SGA é uma ferramenta importante para controlar riscos ambientais, enquanto que as consequências/ impactes legais do não cumprimento é apenas uma das quatro potenciais consequências/impactes, sendo os outros: 1. Consequências ambientais (ex: danos ecológicos), 2. Consequências para partes interessadas (ex: reputação da Organização) e 3. Consequências para o negócio (ex: financeiras, posição competitiva). O objectivo de uma Organização com um SGA certificado para um determinado âmbito, é demonstrar que gere as interacções com o ambiente bem como o seu compromisso em: 19

20 Guia Interpretativo NP EN ISO 14001: Prevenir a poluição; Cumprir os requisitos legais aplicáveis e outros requisitos que a Organização subscreva relativos aos seus aspectos ambientais; Melhorar continuamente o seu SGA, de forma a alcançar melhorias no seu desempenho ambiental. Não existindo, de facto, um requisito explícito de obrigatoriedade de cumprir com toda a legislação aplicável, é necessário analisar a norma como um todo e compreender as relações entre os diferentes requisitos. Será aqui transmitida a análise proposta pelo U.S. Technical Advisory Group to ISO/TC 207, na Clarification of Intent of ISO 14001:2004 e pela European Cooperation for Accreditation no Legal Compliance as part of Accredited ISO Certification, por serem análises claras e que reflectem o posicionamento da APCER sobre esta matéria. A subsecção 4.2 (c) requer que a Gestão de topo, defina e documente uma política que inclua o compromisso de cumprimento dos requisitos legais aplicáveis e de outros requisitos que a Organização subscreva relativos aos seus aspectos ambientais. Este compromisso deve reflectir-se no processo de planeamento (subsecção 4.3) e deve ser implementado (subsecção 4.4), verificado (subsecção 4.5) e mantido através do SGA. Deste modo, a Organização deve: Estabelecer, implementar e manter um procedimento para identificar e ter acesso aos requisitos legais aplicáveis, e determinar o modo como esses requisitos se aplicam aos seus aspectos ambientais (subsecção 4.3.2); Estabelecer, implementar e manter objectivos e metas que tenham em consideração os seus requisitos legais e que sejam consistentes com o compromisso de cumprir o estabelecido na política (subsecção 4.3.3). A conformidade deve ser considerada quando se estabelecem os objectivos e metas, embora estes não necessitem de incluir todos os requisitos de conformidade; Estabelecer, implementar e manter programas para alcançar os objectivos e metas, incluindo os que se relacionam com a conformidade legal (subsecção 4.3.3), desde que o objectivo não seja o de cumprir a legislação, uma vez que, para a certificação a Organização tem de demonstrar que cumpre os requisitos legais aplicáveis. Os programas devem descrever quem é responsável por alcançar os objectivos e metas e como e quando vão ser alcançados; Consciencializar as pessoas que trabalham para ou em nome da Organização relativamente aos procedimentos que lhes são aplicáveis, que incluem eventuais procedimentos relacionados com o alcance da conformidade estabelecidos no controlo operacional (subsecção 4.4.2). As pessoas cujo trabalho pode causar impactes ambientais significativos devem ser competentes, com base em formação, qualificações, educação ou experiência. A Organização deve identificar necessidades de formação associadas aos seus aspectos ambientais significativos e providenciar a formação ou outras acções que satisfaçam essas

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 18001 - GUIA3/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

PREFÁCIO. Porto, Janeiro 2011. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

PREFÁCIO. Porto, Janeiro 2011. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 22000 - GUIA4/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos

Leia mais

Plano de implementação da ISO 9001:2008 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ISO 9001:2008

Plano de implementação da ISO 9001:2008 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ISO 9001:2008 PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ISO 9001:2008 A APCER vem por este documento transmitir as disposições tomadas para a emissão de certificados acreditados durante o período de implementação definido pela IAF,

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade e Auditorias (Mestrado em Engenharia Alimentar) Gestão da Qualidade (Mestrado em Biocombustívies) ESAC/João Noronha Novembro

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

Controlo da Qualidade Aula 05

Controlo da Qualidade Aula 05 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da qualidade:. evolução do conceito. gestão pela qualidade total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9001:2000 Evolução do conceito 2 gestão pela qualidade

Leia mais

PREFÁCIO. Leça da Palmeira, Dezembro de 2003. Luís Fonseca Director Geral. 3 de 80

PREFÁCIO. Leça da Palmeira, Dezembro de 2003. Luís Fonseca Director Geral. 3 de 80 PREFÁCIO Como entidade líder de mercado na certificação de Sistemas de Gestão em Portugal e representante Portuguesa na rede IQNet, uma rede internacional de entidades certificadoras líder mundial da actividade,

Leia mais

Últimos desenvolvimentos na série de normas ISO 9000 INTRODUÇÃO

Últimos desenvolvimentos na série de normas ISO 9000 INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A série de normas ISO 9000 foi inicialmente publicada em 1987, e desde então já sofreu dois ciclos de melhoria, incluindo uma revisão menor em 1994 e uma modificação mais profunda em 2000. A

Leia mais

Guia Interpretativo da NP EN ISO 9001:2000 na Administração Pública Local GUIA005

Guia Interpretativo da NP EN ISO 9001:2000 na Administração Pública Local GUIA005 Guia Interpretativo da NP EN ISO 9001:2000 na Administração Pública Local GUIA005 Outubro 2007 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE

XXVIII. Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE XXVIII Qualidade do Novo Edifício Hospitalar ÍNDICE 1. Sistema de gestão de qualidade... 2 1.1 Objectivos do sistema... 2 1.2 Estrutura organizativa... 4 1.2.1 Organização interna... 4 1.2.2 Estrutura

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública. www.apcer.pt

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública. www.apcer.pt Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade na Administração Pública www.apcer.pt Hélder Estradas 4 de Novembro de 2005 QUEM SOMOS Constituída em Abril de 1996 (IPQ, AIPortuguesa AIPortuense, actual

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA RELATÓRIO DE AUDITORIA MUNICÍPIO DE SÁTÃO Nº EXPEDIENTE: 2008/0132/ER/01 NORMA DE APLICAÇÃO: ISO9001:2008 Nº RELATÓRIO: 08 TIPO DE AUDITORIA: AS1 Requer envio de PAC à LUSAENOR: SIM X NÃO o Data de realização

Leia mais

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Qualidade e Certificação Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação Qualidade e Certificação 27 de Outubro de 2007 Gabriela Lopes Direcção de Certificação e de Auditores www.apcer.pt Agenda O que é a certificação?

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO Pág. 2 de 16 Se está a receber este documento, isto já significa que é alguém especial para a UEM Unidade de Estruturas Metálicas SA. Convidamo-lo

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

Vital para a Competitividade da sua Organização

Vital para a Competitividade da sua Organização ISO 27001 Segurança da Informação Vital para a Competitividade da sua Organização Quem Somos? Apresentação do Grupo DECSIS Perfil da Empresa Com origem na DECSIS, Sistemas de Informação, Lda., fundada

Leia mais

NP EN ISO 9001:2008. 06 de Maio de 2008. Dulce Pacheco. Orador: Carla Pinto

NP EN ISO 9001:2008. 06 de Maio de 2008. Dulce Pacheco. Orador: Carla Pinto NP EN ISO 9001:2008 Principais alterações 06 de Maio de 2008 Dulce Pacheco Orador: Carla Pinto Local e Data: Coimbra, 30 Janeiro 2008 ISO 9001:2008 Principais alterações ç Motivações e processo de desenvolvimento

Leia mais

Referenciais da Qualidade

Referenciais da Qualidade 2008 Universidade da Madeira Grupo de Trabalho nº 4 Controlo da Qualidade Referenciais da Qualidade Raquel Sousa Vânia Joaquim Daniel Teixeira António Pedro Nunes 1 Índice 2 Introdução... 3 3 Referenciais

Leia mais

ISO 9001:2008. A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000:

ISO 9001:2008. A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000: A International Organization for Standardization (ISO) publicou em 2008-11- 14 a nova edição da Norma ISO 9000: ISO 9001:2008 Esta nova edição decorre do compromisso da ISO em rever e actualizar as Normas,

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIB Associação Comercial e Industrial de Barcelos Barcelos, 29 de Novembro de 2010

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIB Associação Comercial e Industrial de Barcelos Barcelos, 29 de Novembro de 2010 Certificação de Sistemas de Gestão ACIB Associação Comercial e Industrial de Barcelos Barcelos, 29 de Novembro de 2010 Sumário 1. Certificação de Sistemas de Gestão Qualidade (ISO 9001:2008); 2. Certificação

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

APCER. Associação Portuguesa de Certificação. www.apcer.pt

APCER. Associação Portuguesa de Certificação. www.apcer.pt APCER Associação Portuguesa de Certificação www.apcer.pt CERTIFICAÇÃO UM PASSO PARA A EXCELÊNCIA VANTAGENS: Cultura Organizacional; Confiança; Reconhecimento; Valor Acrescentado. QUEM SOMOS Constituída

Leia mais

Carta de Segurança da Informação

Carta de Segurança da Informação Estrutura Nacional de Segurança da Informação (ENSI) Fevereiro 2005 Versão 1.0 Público Confidencial O PRESENTE DOCUMENTO NÃO PRESTA QUALQUER GARANTIA, SEJA QUAL FOR A SUA NATUREZA. Todo e qualquer produto

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena

Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena E1819 V6 Reabilitação do Sistema de Abastecimento de Água de Luena REHABILITATION OF LUENA WATER SUPPLY SYSTEM PGA PLANO DE GESTÃO AMBIENTAL (PGA) ENVIRONMENTAL MANAGEMENT PLAN (EMP) Adjudicante: Financial

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE TRABALHO

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE TRABALHO SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA A E SAÚDE NO TRABALHO Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) Implementação do SGA e do SGSST ao nível das grandes empresas da R.A.A. Mestranda Cristina

Leia mais

Capítulo Descrição Página

Capítulo Descrição Página MANUAL DA QUALIIDADE ÍNDICE Capítulo Descrição Página 1 Apresentação da ILC Instrumentos de Laboratório e Científicos, Lda Dados sobre a ILC, sua história, sua organização e modo de funcionamento 2 Política

Leia mais

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER ISO 9001:2015 Rui Oliveira APCER Agenda Enquadramento do Processo de Revisão Principais Mudanças Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade Próximos Passos Cronograma para

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição)

SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) SISTEMAS DE GESTÃO: - AMBIENTE - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Mestrado de Ambiente, Saúde e Segurança (III Edição) Implementação do SGA e do SGSST ao nível das grandes empresas da R.A.A. Mestranda Cristina

Leia mais

Certificação ISO 9001:2008

Certificação ISO 9001:2008 Certificação ISO 9001:2008 10 de Novembro 2008 Hélder Estradas helder.estradas@apcer.pt Agenda 1.Organismo Certificador APCER 2.A revisão ISO 9001:2008 (motivações e principais alterações) 3.Ciclo de Certificação:

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA Entidade Auditada: BIBLIOTECA MUNICIPAL SANTA MARIA DA FEIRA Tipo de Auditoria: Auditoria Interna Data da Auditoria: 09.12.2014 Duração: 1 dia Locais Auditados: Av. Dr. Belchior Cardoso da Costa / 4520-606

Leia mais

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação.

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação. Objectivos Gerais Definir o que é a Qualidade; Determinar a evolução da qualidade. Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens

Leia mais

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP 4397 2008

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP 4397 2008 Norma Portuguesa NP 4397 Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos Systèmes de gestion de la sécurité et santé du travail Exigences Occupational health and safety management systems

Leia mais

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR Princípios aplicáveis ao desenvolvimento dos Sistemas de Gestão de Riscos e de Controlo Interno das Empresas de Seguros As melhores práticas internacionais na regulamentação

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade

Manual de Gestão da Qualidade Manual de Gestão da Qualidade A Índice A Índice... 2 B Manual da Qualidade... 3 C A nossa Organização... 4 1 Identificação... 4 2 O que somos e o que fazemos... 4 3 Como nos organizamos internamente -

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR

MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR RELATÓRIO DE AUDITORIA MUNICÍPIO DE VILA POUCA DE AGUIAR Nº EXPEDIENTE: 2012/1106/ER/01 Nº RELATÓRIO: 05 TIPO DE AUDITORIA: AR com extensão de âmbito NORMA DE APLICAÇÃO: ISO9001:2008 Requer envio de PAC

Leia mais

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação

PREFÁCIO. Porto, Abril de 2010. José Leitão CEO APCER Associação Portuguesa de Certificação 9001 - GUIA1/1 Nos termos e para os efeitos do disposto, designadamente, nos artigos 9º, 12º e 196º do Código dos Direitos de Autor e Direitos Conexos, informa-se que este texto está protegido por direitos

Leia mais

AS AUDITORIAS INTERNAS

AS AUDITORIAS INTERNAS AS AUDITORIAS INTERNAS Objectivos Gerais Reconhecer o papel das auditorias internas Objectivos Específicos Reconhecer os diferentes tipos de Auditorias Identificar os intervenientes Auditor e Auditado

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008

Certificação de Sistemas de Gestão. ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008 Certificação de Sistemas de Gestão ACIF_SGS Funchal, 4 de Junho de 2008 Sumário 1. Certificação de Sistemas de Gestão Qualidade (ISO 9001:2000); 2. Certificação de Sistemas de Gestão Ambiental (ISO 14001:2004);

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Certificação das Entidades de Acção Social. Soluções e Desafios. rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro. Orador: www.apcer.pt.

Certificação das Entidades de Acção Social. Soluções e Desafios. rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro. Orador: www.apcer.pt. Certificação das Entidades de Acção Social Soluções e Desafios rita.porto@apcer.pt Lisboa, 11 de Dezembro www.apcer.pt AGENDA 0. Apresentação da actividade da APCER 1. Actuais exigências e necessidades

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

Vantagens e dificuldades da implementação de um Sistema da Qualidade num laboratório de ensaio e /ou calibração

Vantagens e dificuldades da implementação de um Sistema da Qualidade num laboratório de ensaio e /ou calibração 34 Artigo Acreditação: Vantagens e dificuldades da implementação de um Sistema da Qualidade num laboratório de ensaio e /ou calibração J O Ã O A. S. D E A L M E I D A *, Â N G E L A D E C A R V A L H O

Leia mais

Material para os Discentes da Universidade da Madeira. NP EN ISO 9000, 9001 e 9004. Elaborado em 2005 por. Herlander Mata-Lima

Material para os Discentes da Universidade da Madeira. NP EN ISO 9000, 9001 e 9004. Elaborado em 2005 por. Herlander Mata-Lima Material para os Discentes da Universidade da Madeira NP EN ISO 9000, 9001 e 9004 Elaborado em 2005 por Herlander Mata-Lima 1 NORMAS ISO 9000 As normas ISO 9000 servem de base para as organizações, independentemente

Leia mais

Certificação NP EN ISO 50001:2012 Lisboa, 6 de novembro de 2014

Certificação NP EN ISO 50001:2012 Lisboa, 6 de novembro de 2014 Certificação NP EN ISO 50001:2012 APCER VISÃO Ser reconhecida como uma empresa de auditoria e certificação global. MISSÃO Auditar e certificar em todo o mundo, com competência e confiança, para benefício

Leia mais

Auditorias da Qualidade

Auditorias da Qualidade 10 páginas sobre s da Qualidade "Não olhes para longe, despreocupando-se do que tens perto." [ Eurípedes ] VERSÃO: DATA de EMISSÃO: 9-10-2009 AUTOR: José Costa APROVAÇÃO: Maria Merino DESCRIÇÃO: Constitui

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

plano de gestão de riscos de corrupção e infracções conexas

plano de gestão de riscos de corrupção e infracções conexas PORTUGUESE ACCREDITATION INSTITUTE Rua António Gião, 2-5º 2829-513 CAPARICA Portugal Tel +351.212 948 201 Fax +351.212 948 202 acredita@ipac.pt www.ipac.pt plano de gestão de riscos de corrupção e infracções

Leia mais

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt PERSPETIVA APCER André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt Tópicos Perspetiva APCER Avaliação Preliminar ISO DIS 9001:2014 Transição ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 - disposições IAF e APCER

Leia mais

a LRQA Desenvolvimento Sustentável

a LRQA Desenvolvimento Sustentável ISO 14001:2004 e Responsabilidade Ambiental Engº Vítor Gonçalves CONFERÊNCIA RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Eficiência e Eficácia na redução de Riscos Ambientais Lisboa, 15 de Maio de 2007 ISO 14001:2004 e

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação Câmara Municipal do Funchal Divisão de Atendimento e Informação INDICE Promulgação Âmbito Exclusões Hierarquia da documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Política da Qualidade Missão e Visão Apresentação

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU E CONSELHO

PARLAMENTO EUROPEU E CONSELHO 27.4.2001 PT Jornal Oficial das Comunidades Europeias L 118/41 II (Actos cuja publicação não é uma condição da sua aplicabilidade) PARLAMENTO EUROPEU E CONSELHO RECOMENDAÇÃO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO

Leia mais

A ISO 50001. Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013

A ISO 50001. Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013 Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013 Agenda Introdução aos Sistemas de Gestão de Energia Princípios da ISO 50001 Relação entre a ISO 50001 e outras normas como a ISO 14001 ou a ISO 9001 2 O problema económico

Leia mais

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente;

ISO 9000. Padronização de todos os processos que afectam o produto e consequentemente o cliente; ISO 9000 A série ISO 9000 é uma concentração de normas que formam um modelo de gestão da Qualidade para organizações que podem, se desejarem, certificar seus sistemas de gestão através de organismos de

Leia mais

A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO

A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO A CERTIFICAÇÃO E O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO www.apcer.pt CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (NP EN ISO 9001:2000) A norma ISO 9001:2000, incentiva as organizações a adoptarem o modelo da Abordagem

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680 Rio

Leia mais

Gestão de Instalações Desportivas

Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Instalações Desportivas Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Módulo 10 sessão 3 Gestão de Instalações Desportivas 1.3. Sistemas integrados de qualidade, ambiente e segurança Ambiente,

Leia mais

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando?

ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? ISO 9001:2015 Nova versão porque e quando? A publicação prevista para Novembro de 2015 tem como propósito refletir as mudanças no ambiente em que a norma é usada e garantir que a mesma mantenha-se adequada

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt

ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração. www.apcer.pt ERS 3002 - Qualidade e Segurança Alimentar na Restauração www.apcer.pt AGENDA Apresentação APCER Desenvolvimento ERS3002 Conteúdo da ERS3002 Metodologias de auditorias Associação constituída em Abril 1996

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental SGA

Sistema de Gestão Ambiental SGA SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL 1. INTRODUÇÃO Um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) constitui uma parte do sistema global de gestão de uma organização que visa o controlo dos seus aspectos ambientais, através

Leia mais

Documento SGS. PLANO DE TRANSIÇÃO da SGS ICS ISO 9001:2008. PTD3065 - v010-2008-11 Pág 1 de 6

Documento SGS. PLANO DE TRANSIÇÃO da SGS ICS ISO 9001:2008. PTD3065 - v010-2008-11 Pág 1 de 6 PLANO DE TRANSIÇÃO da SGS ICS ISO 9001:2008 PTD3065 - v010-2008-11 Pág 1 de 6 1 Introdução A ISO 9001:2008 e o Processo de Transição da SGS ICS A International Organization for Standardization (ISO) publicou,

Leia mais

Auditorias. Termos e definições. Termos e definições. Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2006. Critérios da auditoria. Evidências da auditoria

Auditorias. Termos e definições. Termos e definições. Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2006. Critérios da auditoria. Evidências da auditoria Auditorias Gestão da Qualidade João Noronha ESAC 2006 Termos e definições Auditoria Processo sistemático, independente e documentado para obter evidências de auditoria e respectiva avaliação objectiva

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA

SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA SISTEMA GESTÃO AMBIENTAL - SGA Ciclo de melhoria contínua conhecido como Ciclo PDCA (Plan-Do-Check-Act) EMAS METODOLOGIA FASEADA DE IMPLEMENTAÇÃO FASEADA DO EMAS In, APA,

Leia mais

ção o de Sistemas de Qualidade no Sector da Cartografia com base nas Normas ISO 9000:2000 Implementaçã

ção o de Sistemas de Qualidade no Sector da Cartografia com base nas Normas ISO 9000:2000 Implementaçã Implementaçã ção o de Sistemas de Qualidade no Sector da Cartografia com base nas Normas ISO 9000:2000 Carlos Antunes Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (http://correio.cc.fc.ul.pt pt/~ /~mcarlos)

Leia mais

Curso de Auditorias da Qualidade Internas Metodologias e Práticas NP EN ISO 19011:2003

Curso de Auditorias da Qualidade Internas Metodologias e Práticas NP EN ISO 19011:2003 Curso de Metodologias e Práticas NP EN ISO 19011:2003 Objectivos: Os formandos no fim do curso devem: Dispor de conhecimentos técnicos e metodológicos sobre o modo de desenvolvimento de uma Auditoria da

Leia mais

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Sistemas de Gestão

Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação. Sistemas de Gestão Seminário CNIS - APCER QUALIDADE - Pressuposto de Diferenciação Sistemas de Gestão 27 de Outubro de 2007 Dora Gonçalo Directora de Certificação e de Auditores www.apcer.pt Agenda Desafios e Organizações

Leia mais

Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG)

Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG) Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG) Política de Prevenção de Acidentes Graves Revisão Revisão Identificação e avaliação dos riscos de acidentes graves

Leia mais

Uso Exclusivo em Treinamento

Uso Exclusivo em Treinamento Web Site: www.simplessolucoes.com.br ABNT NBR ISO 9001:2008 Uso Exclusivo em Treinamento SUMÁRIO 0. Introdução 2 0.1 Generalidades 2 0.2 Abordagem de processo 3 0.3 Relação com a norma NBR ISO 9004 5 0.4

Leia mais

1 Conceitos da qualidade

1 Conceitos da qualidade 1 Conceitos da qualidade Introdução aos SGQ (norma ISO 9001:2008) Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa ONG fundada em 1947 em Genebra Actualmente esta organização encontra se em 120 países. promover

Leia mais

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES A nova norma ISO 9001, na versão de 2008, não incorpora novos requisitos, mas apenas alterações para esclarecer os requisitos

Leia mais

a qualidade em suas mãos www.iso4all.com.br

a qualidade em suas mãos www.iso4all.com.br a qualidade em suas mãos www.iso4all.com.br ISO/DIS 9001:2015 Tradução livre* Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Sumário Prefácio... 5 Introdução... 6 0.1 Generalidades... 6 0.2 A Norma ISO para

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos DEZ 2000 NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos Sumário Prefácio 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referência normativa 3 Termos e definições 4 Sistema de gestão da qualidade 5 Responsabilidade

Leia mais

ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR ISO 22000 SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR INTRODUÇÃO Os sistemas de segurança alimentar devem ser desenhados de forma a controlar o processo de produção e basearem-se em princípios e conceitos

Leia mais

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos

Sistemas de gestão da qualidade Requisitos SET/2000 PROJETO NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade Requisitos ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Norma ISO 9000 Norma ISO 9001 Norma ISO 9004 FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO REQUISITOS LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA MELHORIA DE DESEMPENHO 1. CAMPO

Leia mais

Benefícios da Certificação no Sector do Turismo. Orador: Carla Pinto

Benefícios da Certificação no Sector do Turismo. Orador: Carla Pinto Benefícios da Certificação no Sector do Turismo I. Apresentação da APCER II. Serviços e Benefícios no Sector do Turismo III. Certificação no Sector do Turismo I. APRESENTAÇÃO DA APCER 1. Quem Somos Início

Leia mais

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS I. Objetivo ATUALIZAÇÕES As Declarações Ambientais (DA) elaboradas no âmbito do Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria, devem

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. AUDIÊNCIA 3 3. VALOR DA INFORMAÇÃO 4 4. IMPORTÂNCIA DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 5 5. MODELO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 6 6. RESPONSABILIDADES NA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 7 7. MANUTENÇÃO

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Carolina Nogueira Gestora de Cliente carolina.nogueira@apcer.pt Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação

Leia mais

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:2004) NP EN ISO 14001 2004

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:2004) NP EN ISO 14001 2004 Norma Portuguesa NP Sistemas de gestão ambiental Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização (ISO 14001:) Systèmes de management environnemental Exigences et lignes directrices pour son utilisation

Leia mais

TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS

TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS TEKTÓNICA, 20 MAIO 2008 GESTÃO AMBIENTAL DE OBRAS www.tterra.pt tp@tterra.pt «Os sistemas de gestão baseiam-se em senso comum (...) os que funcionam melhor são os mais simples.» S.L.Jackson Gestão Ambiental

Leia mais

O CONTROLO DA QUALIDADE NAS FIRMAS DE AUDITORIA NO ACTUAL CONTEXTO ECONÓMICO E SITUAÇÃO DA PROFISSÃO

O CONTROLO DA QUALIDADE NAS FIRMAS DE AUDITORIA NO ACTUAL CONTEXTO ECONÓMICO E SITUAÇÃO DA PROFISSÃO 10 O CONTROLO DA QUALIDADE NAS FIRMAS DE AUDITORIA NO ACTUAL CONTEXTO ECONÓMICO E SITUAÇÃO DA PROFISSÃO António Gonçalves REVISOR OFICIAL DE CONTAS 1. Introdução O presente artigo procura reflectir o entendimento

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos

Sistema de Gestão da Qualidade -Requisitos MB Consultoria Av. Constantino Nery, Nº 2789, Edifício Empire Center, Sala 1005 a 1008 Manaus - Amazonas - Brasil CEP: 69050-002 Telefones: (92) 3656.2452 Fax: (92) 3656.1695 e-mail: mb@netmb.com.br Site:

Leia mais

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001

O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 O PROCESSO DE REVISÃO ISO 9001 Ana Francisco Gestora de Cliente Tópicos Enquadramento do Processo de Revisão Principais Alterações Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade

Leia mais

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos (ISO 9001:2008) NP EN ISO 9001 2008

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da qualidade Requisitos (ISO 9001:2008) NP EN ISO 9001 2008 Norma Portuguesa NP Sistemas de gestão da qualidade Requisitos (ISO 9001:) Systèmes de management de la qualité Exigences (ISO 9001:) Quality management systems Requirements (ISO 9001:) ICS 03.120.10 DESCRITORES

Leia mais