LÍDER SEGURADORA E SINCOR/CE JUNTOS NA AÇÃO GLOBAL 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LÍDER SEGURADORA E SINCOR/CE JUNTOS NA AÇÃO GLOBAL 2014"

Transcrição

1 Nº ABRIL DE 2014 LÍDER SEGURADORA E SINCOR/CE JUNTOS NA AÇÃO GLOBAL 2014 Sábado, dia 26 de Abril de 2013, foi do Ceará, foram os moradores de receber atendimento jurídico, cuidar anos. O programa concentrou, em um dia de Ação Global em todo o Brasil. O Aquiraz que receberam os serviços. da saúde e obter informações sobre o único dia, um grande número de Ação Global é uma parceria da Rede Muita gente chegou cedo à Praça da Seguro DPVAT, tudo de graça. serviços, especialmente nas áreas de Globo com o Serviço Social da Igreja São José de Ribamar, em Com o tema "A Importância da educação, saúde, lazer e cidadania. O Indústria, o SESI. Durante todo o dia, Aquiraz, onde realizou-se um grande Mulher na Qualidade de Vida da objetivo foi mobilizar os segmentos das 08:30 às 17:00 h, milhares de c a s a m e n t o c o l e t i v o, c o m a Família", a 20ª edição do Ação Global mais carentes da população, pessoas aproveitaram os serviços que participação de 73 casais que ofereceu vacinas contra a Influenza A, promovendo a inclusão social e o estavam sendo prestados por oficializaram o matrimônio. O dia ou H1N1, hepatite B, e também HPV, reconhecimento da cidadania. profissionais habilitados. No Estado serviu para a retirada de documentos, para meninas na faixa etária de 11 a 13 (Página 05) PALESTRA: A ARTE DE NEGOCIAR Na sexta-feira, 04 de abril, o Sincor-CE recebeu em Fortaleza a palestra A ARTE DE NEGOCIAR. As atividades foram ministradas com inegáveis conhecimento e técnica pelo Sr. Bernardo Wolak. Engenheiro de produção pela Fundação Educacional Inaciana Padre Saboia de Medeiros, a FEI, e administrador de empresas pela fundação Getúlio Vargas, o palestrante, demonstrou com entusiasmo e vivacidade que a prosperidade dos corretores de seguros será atingida por meio de sua capacidade de aprendizado e rápida aplicação dos conhecimentos adquiridos. Palestrante: Sr. Bernardo Wolak. ROSSI APONTA SEGUROS PESSOAIS COMO RAMO MAIS PROMISSOR DE EXPANSÃO (Página 03) (Página 10) Roberto Westenberger assume a superintendência da Susep SINCOR-CEARÁ 25 ANOS NO MERCADO DE SEGUROS (Página 04) Página 06 MINISTRO AFIF DOMINGOS (PSD)

2 2 Abril 2014 O MERCADO DE SEGUROS SACODE O NORDESTE FRANQUEZA E ATENÇÃO PARA SE CONTRATAR UM SEGURO Escolher o melhor seguro para o carro não é uma tarefa tão simples. Falta de informação, más indicações e desatenção ou esperteza ao preencher o questionário das seguradoras Manoel Nésio podem render muitos prejuízos. O primeiro passo para não assinar o contrato de uma grande dor de cabeça é procurar mais de um corretor que preste este tipo de serviço e pesquisar bem os produtos oferecidos no concorrido mercado de seguros. Com as referências, o interessado deve pesquisar os diversos planos das seguradoras com mais de um corretor de seguros, de preferência. É importante comparar pelo menos quatro planos diferentes e, assim, escolher o seguro que seja mais adequado a seu perfil. A presença de um corretor é indispensável, em especial, para o esclarecimento do questionário das seguradoras, usado para traçar o perfil dos clientes e calcular o valor da apólice. É preciso ser claro e exato nas respostas. A veracidade garante a cobertura, afinal, trata-se de um contrato. Daí, a importância da lisura tanto do cliente quanto do corretor de seguros. Porém, mesmo que todas as precauções sejam tomadas para que não se faça um contrato ruim, às vezes é preciso que segurado e corretor descubram juntos quando não vale a pena fazer o seguro. Os valores do seguro variam de acordo com a idade dos usuários do veículo, o sexo, a frequência da utilização e o nível de segurança do local onde o segurado mora ou trabalha. Outro fator que influencia é o modelo do veículo. O recomendável é comparar o valor de mercado. O seguro de Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V) deve ser acima de cem mil reais. Se o prejuízo do terceiro for maior, o causador do sinistro fica responsável pela diferença. O seguro é uma divisão do risco, o qual o segurado passa para a seguradora. O importante é ver até que ponto a pessoa pode absorver o risco daquela perda sozinha ou transferir o risco para a seguradora. Não podemos também deixar de frisar que, embora algumas vezes o custo pareça alto, se o carro não tem seguro nem está protegido de acidentes que envolvam terceiros, o prejuízo no carro será somado aos danos causados ao outro ou aos outros veículos envolvidos em um acidente. DIRETORIA EFETIVOS SUPLENTES PRESIDENTE: MANOEL NÉSIO SOUSA MARIA ALICE FERNANDES PIMENTEL SECRETÁRIA: SILVIA HELENA PEREIRA DE SOUSA DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À FENACOR TESOUREIRO: FRANCISCO PEREIRA DE SOUSA EFETIVOS SUPLENTES 1 DELEGADO - MANOEL NÉSIO SOUSA ALEXANDRE AKSAKOF PEREIRA DE SOUSA 2 DELEGADO - CICERO GUARACI PEREIRA DE SOUSA CICERO GUARACI PEREIRA DE SOUSA SUPLENTES LÍSIAS BARBOSA PEREIRA DE SOUSA 1ª SUPLENTE - SILVIA HELENA PEREIRA DE SOUSA CONSELHO FISCAL EFETIVOS 2 SUPLENTE - ALEXANDRE AKSAKOF PEREIRA DE SOUSA MARIA RAIMUNDA LOPES FERNANDES SIRLANE ABREU DE ARAÚJO CARLOS ALBERTO PONTES DE ARAÚJO Seguro é um investimento, não um gasto supérfluo. Pense bem antes de optar por não fazer o seguro de seu veículo.

3 Abril 2014 ROSSI APONTA SEGUROS PESSOAIS COMO RAMO MAIS PROMISSOR DE EXPANSÃO Presidente da CNseg faz palestra Perspectivas e oportunidades do patrimônio, justifica Rossi. se contrata um seguro hoje e as sobre perspectivas do mercado mercado segurador frente aos novos Ele acrescenta ainda que essa meta de expectativas dos contratantes não são segurador a convite do CVG-RJ consumidores. aquisição de um seguro já alcança a mais as mesmas de décadas atrás. É Na palestra, Rossi disse que a boa fase O presidente da CNseg, Marco classe C. Nos últimos anos, a renda preciso entender como elas do mercado de seguros se deve Antonio Rossi, reafirmou que o nas periferias avançou mais que a funcionam agora, explica. e s p e c i a l m e n t e à s m u d a n ç a s panorama do mercado segurador média nacional. Hoje, 53% dos O executivo encerrou a palestra socioeconômicas, que aumentam o que já corresponde a 5,8% do PIB moradores de favela em todo País são afirmando que o cenário é de alta poder de compra da nova classe brasileiro é cada vez mais favorável, bancarizados, possuem conta rentabilidade para todos os setores de m é d i a h o j e e s t i m a d a e m apontando os seguros pessoais como corrente, poupança ou os dois. É para seguros, devido ao mercado muito aproximadamente 108 milhões de o r a m o m a i s p r o m i s s o r d e esse público que as seguradoras vasto ainda a explorar e finalizou: brasileiros, ou 54% da população. crescimento nos próximos anos. devem falar agora porque é aí que País rico é país que tem seguro. Fatores como a ampliação do crédito, Para provar isto, ele comparou dados estão as melhores oportunidades. O encerramento do discurso de Marco o aumento do emprego com carteira de 2003, quando a receita acumulada Depois de identificar quem são esses Antonio Rossi foi marcado com a assinada e a elevação do rendimento foi de R$ 73 bilhões, com 2012 novos consumidores, o presidente da e n t r e g a d e u m a p l a c a e m dos brasileiros têm interferido (último ano consolidado até agora), CNseg avaliou os desafios de se agradecimento a participação do proporcionalmente no aumento da que contabiliza R$ 253 bilhões de comunicar com esse público. Para executivo no almoço-palestra venda de seguros pessoais, segundo arrecadação entre prêmios e Rossi, o grande segredo do negócio promovido pela diretoria do Clube ele. Diante do cenário em que contribuições. Desse valor, R$ 149,1 está no entendimento das seguradoras Vida em Grupo. É uma honra para vivemos, de aumento do poder bilhões foram devolvidos à sociedade de que precisam se adaptar a esses nós e para o CVG-RJ prestar essa aquisitivo das pessoas, eu afirmo que por meio de indenizações, resgates, novos tempos. Independentemente homenagem a uma personalidade tão o potencial de seguros é gigantesco. benefícios e sorteios. da classe social, as pessoas têm acesso importante no mercado de seguros Todo mundo sonha com a casa A convite do CVG-RJ, Rossi cada vez mais facilitado à informação brasileiro, afirmou o presidente do própria, um automóvel e seguros que participou do almoço-palestra por meio de inúmeras plataformas de Clube, Marcello Hollanda. promovido pela entidade, avaliando protejam a si, a sua família e o seu comunicação. Portanto, a forma como Fonte: CNSeg O envelhecimento da população brasileira Há cerca de vinte anos, a prestigiosa tanto das taxas de fertilidade como as longo. Segundo as tábuas do IBGE, garantia da expansão da produção revista The Economist publicou de mortalidade. nos dias atuais, em boas condições de pelo aumento de produtividade, ou matéria de capa com o título Rugas A queda dessas duas taxas leva ao higidez, a mulher, ao completar 60 seja, da relação trabalho/produto. na Face da Europa, metáfora sobre o fenômeno que os demógrafos anos, tem uma expectativa de Em suma, as formas de demanda por processo de envelhecimento da chamam de transição demográfica, s o b r e v i d a d e 2 3, 3 a n o s. c o n s u m o m u d a m c o m o população do Velho Continente. Nos fruto da passagem de um nível de alto Analogamente, para o homem, ao envelhecimento da população, dias de hoje, forma-se uma tomada de crescimento populacional para um cruzar os 65, essa expectativa alcança induzindo o surgimento de novas consciência sobre o fato de a dinâmica nível de baixo crescimento ou mesmo 16,3 anos. Esses números frios atividades e profissões e até mesmo do envelhecimento da população ter estabilidade no volume da população. sugerem que, cedo ou tarde, no m o d i f i c a n d o o p e r f i l d o s chegado ao Brasil. De um crescimento de tipo Sistema Geral da Seguridade Social, o investimentos em capital social. No espaço de tempo que separa os exponencial chega-se, com o passar tempo limite para a aposentadoria terá Assim, o bônus demográfico censos demográficos de 1950 e 2010, do tempo, a um patamar logístico que de ser estendido, retardando o contém, em si, um sinal de alerta para a configuração da pirâmide das idades reflete uma dinâmica populacional de momento da aquisição do direito. um despertar consciente nos mudou radicalmente. No transcurso equilíbrio. Em termos mais gerais, a modificação governantes e no empresariado, sobre desses sessenta anos, a taxa Na evolução da curva logística, há um das faixas etárias na pirâmide das a dinâmica da nossa demografia. intercensitária de crescimento da s e g m e n t o d a p o p u l a ç ã o idades aponta para um novo Mapa Como o problema do envelhecimento população baixou de 3,5% para 1,4% economicamente ativa que continua, Global de Consumo da Nação de nossa população já está posto, a anuais. A queda drástica observada no durante certo tempo, décadas talvez, Brasileira. Alcançado o patamar demandar nova configuração das ritmo do crescimento populacional numericamente preponderante no logístico, a menor demanda por políticas públicas, a Nação não pode, tem sua raiz no fato do Brasil passar a conjunto da população. É assim que ensino em grau fundamental nem deve ser, mais uma vez, vítima da ser, desde meados da década de 1960, surge o conceito de bônus permitirá, pela folga que surgirá nas imprevisão. O longo prazo já está na um país cuja população deixa de ser demográfico do qual se deve tirar o necessidades de investimento, virada da esquina. predominantemente habitante das máximo proveito antes que o futuro deslocá-lo para melhorar a qualidade Antonio Oliveira Santos - Presidente áreas rurais para inserir-se, de modo venha a validar o título deste artigo. do que é ministrado e garantir da Confederação Nacional do crescente, na vida do quadro urbano. No olhar sobre o futuro, há de se levar abrangência total para os alunos. E dar Comércio de Bens, Serviços e Essa migração, modificando em conta que a expectativa de vida mais atenção ao ensino de tecnologias Turismo comportamentos, teve como alargou-se extraordinariamente, o que de processo que permitam a uma força Fonte: Jornal do Commercio, 24 de consequência a redução simultânea pressupõe um período laboral mais de trabalho menos numerosa a janeiro de Dúvida sobre atuação do BC traz pressão para câmbio A decisão do Banco Central de início do mês que vem. O BC já havia operações de rolagem não serão como de juros nos Estados Unidos começar interromper a rolagem do lote de US$ substituído US$ 6,5 bilhões desse lote antes, porque o cenário mudou, as a subir no ano que vem", afirma 8,733 bilhões em contratos de swap e o mercado esperava que a autoridade moedas emergentes estão se Freitas, da CNC. cambial, que tinha vencimento renovasse pelo menos mais US$ 1,5 valorizando em relação ao dólar, o Só em abril, até o dia 23, o fluxo previsto para 2 de maio, trouxe bilhão até o fim do mês, deixando mercado está menos volátil e os cambial estava positivo em US$ 2,719 dúvidas sobre a estratégia de atuação vencer cerca de US$ 733 milhões. bilhões, e é esperada a entrada de pelo da autoridade monetária no mercado Estados Unidos não devem subir a Caso o BC não realize mais operações menos mais US$ 1,5 bilhão de de câmbio e levou o dólar a fechar em taxa básica de juros tão cedo", diz investidores estrangeiros para a oferta alta de 1,26% na sexta-feira, a R$ de rolagem desses papéis, o efeito Carlos Thadeu de Freitas, economista- da empresa de telefonia Oi, cujo preço 2,2430, acumulando valorização de prático será de uma compra de dólares chefe da Confederação Nacional do será definido hoje. Segundo nota 0,31% na semana. no mercado futuro em valor Comércio (CNC) e ex-diretor do BC. publicada no Valor Pro, serviço em O gatilho para o movimento de alta foi equivalente a US$ 2,233 bilhões. A interpretação dos analistas é que a tempo real do Valor, a parte da oferta dado pelo fato de a autoridade Isso provocou uma busca por dólares que foi a mercado deverá somar cerca autoridade monetária resolveu monetária não ter realizado o leilão de no mercado local para cobertura de de US$ 2,2 bilhões. Descontando aproveitar o momento de fluxo r o l a g e m n a s e x t a - f e i r a, desse total US$ 500 milhões da oferta posições compradas na moeda positivo para reduzir a posição em interrompendo a renovação do lote de prioritária, cerca de US$ 1,7 bilhão americana, uma vez que o mercado swaps cambiais, que já soma US$ d e v e r á s e r a b s o r v i d o p e l o s US$ 8,733 bilhões em contratos de dava como certa uma rolagem maior. 88,156 bilhões. "O BC deveria investidores swap com vencimento previsto para o "O BC fez bem ao sinalizar que as guardar munição para quando a taxa Fonte: fenabrave 3

4 4 Abril 2014 Sincor-Ceará 25 anos no mercado de seguros 25 anos de Sincor-Ceará é uma benefícios financeiros, seja na seguros atuantes no Ceará. inicialmente. Sem a união de todos jornada que tem o seu valor prestação assistencial nos momentos Nesse ano de 2014 consagrado aos 25 não alcançaríamos o nosso objetivo, representado por uma categoria de sinistros. anos de fundação do Sincor do Ceará, alimentados com a participação e o profissional que, no Ceará e no resto Nessas duas últimas décadas, o estamos festejando esse importante esforço que os corretores cearenses do Brasil, tem dado a sua forte Sincor-Ceará realizou inúmeros marco dos corretores cearenses com têm prestado ao sindicato. contribuição para o desenvolvimento eventos e iniciativas de promoção do vários eventos. Nossas saudações aos corretores do Brasil. mercado de seguros, valorizando as O Sincor-Ceará foi fundado no dia 4 a t u a n t e s n o C e a r á e o s agradecimentos da nossa diretoria às Os profissionais corretores de empresas seguradoras e qualificando de maio de 1989, logo após a entidades, às empresas seguradoras e seguros são agentes sociais com o profissional para o pleno promulgação da Constituição a o m e r c a d o e m g e r a l q u e contribuíram para esse momento de larga atuação para a estabilidade atendimento aos clientes. Democrática de Desde o início satisfação. econômica das pessoas, das famílias Esse trabalho é executado sempre dessa década, a categoria tinha esse Seguro...Só com Corretor de e das empresas, atuando na garantia com participação da Fenacor e sonho e os corretores se esforçaram Seguros. dos bens materiais e na assistência à Funenseg, CNseg, SindsegNNE e para criar a sua entidade, com a Manoel Nésio Sousa vida, seja no pagamento de com o apoio das companhias de f u n d a ç ã o d a A s s o c i a ç ã o, Presidente do SINCOR/CE. MERCADO DEBATE RISCOS EMERGENTES E MATRIZ DE MATERIALIDADE Primeiro encontro com com o Mercado da CNseg, elogiou a de temas, como, por exemplo, receber suas contribuições para a profissionais de seguros visa a mobilização do mercado para discutir mudanças climáticas, envelhecimento construção da matriz, informou a identificar riscos intangíveis que o t e m a, l e m b r a n d o q u e, da população, risco regulatório, consultora Maria Eugeia Buasi, da afetam atividade mundialmente, a indústria de seguros, inclusão financeira e compliance, Resultante Consultoria Estratégica. Cumprida esta etapa de encontros, principalmente as resseguradoras, já explicou a presidente da Comissão de A primeira reunião com executivos do haverá a seleção dos temas-chave de promovem estudos para identificar Sustentabilidade da CNseg, Adriana um esboço de matriz, cujo projeto será setor para tratar da construção da riscos emergentes e traçar estratégias Boscov, destacando que os chamados submetido à audiência pública antes matriz de materialidade do mercado para gerenciá-los, gerando benefícios riscos intangíveis afetam as da formatação final. Depois, ocorrerá de seguros superou as expectativas para toda sociedade. s e g u r a d o r a s, g e r a m p e r d a s a elaboração do plano de ação, sua dos organizadores, atraindo mais de Mostrando-se ávidos em contribuir patrimoniais e financeiras e precisam apresentação e validação pelo 60 participantes ao encontro com a construção da matriz de ser incluídos no modelo de negócios, mercado. A previsão é que o plano promovido pela CNseg, em São materialidade e da elaboração de um em busca do crescimento sustentável. comece a ser adotado no segundo Paulo. plano de engajamento do mercado Os dados coletados nesta primeira semestre do ano. Entre os presentes, profissionais das segurador com seus stakeholders, os sondagem não são conclusivos, já que, A matriz de materialidade servirá para mais diversas áreas de 36 grupos executivos de seguros gerais, além de um segundo encontro com mitigar riscos, identificar novas seguradores e quatro resseguradores, previdência privada aberta e vida, outro grupo de executivos de seguros, o p o r t u n i d a d e s d e n e g ó c i o s, a l é m d e r e p r e s e n t a n t e s d a s previdência, saúde suplementar e capitalização e saúde suplementar aperfeiçoar o compliance, devendo capitalização, desta vez no Rio de Federações associadas à CNseg listaram os temas ambientais, sociais e este conjunto de ações impulsionar Janeiro, ainda este mês, haverá (FenSeg, FenaPrevi, FenaSaúde e de governança (ASG) mais relevantes consultas a diversos stakeholders, grandes práticas sustentáveis, com FenaCap). e estratégicos para os respectivos como prestadores de serviços, benefícios diretos e indiretos para toda Na abertura do encontro, Maria Elena setores. acionistas, entidades setoriais, a sociedade. Bidino, superintendente de Relações A sigla ASG abriga uma diversidade governo, especialistas, mídia, para Fonte: FENACOR

5 Abril 2014 LÍDER SEGURADORA E SINCOR/CE JUNTOS NA AÇÃO GLOBAL objetivo foi mobilizar os segmentos palavras de incentivo de seu serviços prestados pelo sindicato em ábado, dia 26 de Abril de mais carentes da população, presidente, Sr. Manoel Nésio Sousa: nome da Líder Seguradora. 2013, foi dia de Ação promovendo a inclusão social e o Quero que todo cidadão saia daqui SGlobal em todo o Brasil. O O Ação Global, que ocorreu reconhecimento da cidadania. hoje sabendo o que é o Seguro DPVAT Ação Global é uma parceria da Rede simultaneamente em todo o País, já e que cada um deles tem o direito de Globo com o Serviço Social da No Ceará, ao todo, cerca de 950 realizou mais de 43,2 milhões de recebê-lo, em caso de acidente de Indústria, o SESI. Durante todo o dia, voluntários participaram do evento, atendimentos, beneficiando 20,3 trânsito. Conversem com as pessoas, das 08:30 às 17:00 h, milhares de dentre colaboradores do SESI e de milhões de pessoas. O programa é de tirem as dúvidas, informem sobre os pessoas aproveitaram os serviços que instituições parceiras participantes, suma importância para as cidades p o n t o s d e a t e n d i m e n t o e, estavam sendo prestados por como a Líder Seguradora. Durante principalmente, não deixem de dizer onde é realizado já que cerca de 66,4% profissionais habilitados. No Estado todo o dia, foram realizados, que a abertura do processo dispensa dos beneficiados têm renda salarial do Ceará, foram os moradores de aproximadamente, quarenta mil terceiros e é totalmente gratuita. inferior a dois salários mínimos. Aquiraz que receberam os serviços. atendimentos. Nésio Sousa não se conteve Muita gente chegou cedo à Praça da Com o objetivo de oferecer inclusão Igreja São José de Ribamar, em As ações na área de saúde, como em apenas coordenar os trabalhos de social e resgatar a cidadania, centenas Aquiraz, onde realizou-se um grande exames de acuidade visual e glicemia, sua equipe e partiu para o corpo-ade voluntários se mobilizam em um c a s a m e n t o c o l e t i v o, c o m a avaliação física, clínica médica, corpo com a população de Aquiraz, mutirão de solidariedade para participação de 73 casais que pediatria, ginecologia, dermatologia, escutando os apelos e os dramas de contribuir com o desenvolvimento oficializaram o matrimônio. O dia prevenção do câncer bucal, exodontia, muitas pessoas que sequer sabiam da pessoal e transformar a realidade de serviu para a retirada de documentos, oftalmologia, foram ofertados a todos existência do seguro e que já haviam milhares de pessoas. receber atendimento jurídico, cuidar que procuraram pelos serviços. sofrido algum acidente ou perdido da saúde e obter informações sobre o Também foram desenvolvidas parentes em sinistros envolvendo Seguro DPVAT, tudo de graça. atividades culturais, esportivas e de veículos automotores. Estamos lazer, como jogos, torneios, dança, todos satisfeitos com o resultado dos Com o tema "A Importância canto, contação de histórias, recreação trabalhos, pois atingimos um número da Mulher na Qualidade de Vida da e festival de atletismo. significativo de pessoas, através do Família", a 20ª edição do Ação Global A Seguradora Líder dos a t e n d i m e n t o p e s s o a l e d a ofereceu vacinas contra a Influenza A, Consórcios do Seguro DPVAT foi panfletagem que realizamos no local ou H1N1, hepatite B, e também HPV, representada por uma equipe do do evento. Foi um prazer, uma para meninas na faixa etária de 11 a 13 S I N C O R / C E m o t i v a d a e realização, esclarecer as dúvidas anos. O programa concentrou, em um determinada em prestar o melhor daquela gente simpática e humilde, único dia, um grande número de serviço possível. Antes do início dos salientou Lísias Barbosa, Diretor do serviços, especialmente nas áreas de trabalhos, os funcionários do SINCOR/CE e organizador dos educação, saúde, lazer e cidadania. O SINCOR/CE contaram com as Emerson Braga - Assessor de imprensa do Sincor/Ce.

6 6 Abril 2014 Roberto Westenberger assume a superintendência da Susep Cerimônia de posse no Rio reuniu as reservas apenas, mas ser reconhecido principais lideranças do mercado como um instrumento efetivo de segurador adoção de melhores práticas de gestão. "O programa Solvência II é um o assumir o posto máximo paradigma regulatório que privilegia a da Superintendência de gestão da seguradora. Se suas AS e g u r o s P r i v a d o s diretrizes forem adotadas de forma (Susep), em solenidade ocorrida um eficiente, os quantitativos de capitais e mês após sua nomeação, Roberto de reservas podem até ficar abaixo das Westenberger conclamou o mercado recomendações do órgão de segurador a materializar seis pilares supervisão. A Solvência II é uma conceituais que podem levar o setor a homeopatia, uma técnica regulatória ter uma densidade mais proporcional p a r a a f e r i r, f i e l m e n t e, s e ao tamanho da economia do País. A FenaCap, Marco Barros. do mercado segurador, por meio da administração dos recursos está em valorização dos quadros da Susep, Encarregado de representar o ministro oferta de mais produtos visando a linha com os riscos assumidos. E as "porque não se pode administrar sem da Fazenda, Guido Mantega, e de dar p r o t e ç ã o d e p e s s o a s e d o s companhias que adotam modelos um time motivado"; o compromisso de posse ao novo titular da Susep, o empreendimentos de construção internos, atuam em nichos em que tem adotar decisões na autarquia sempre secretário-executivo do Ministério da pesada. expertise na subscrição podem ser em prol do interesse público; a adoção Fazenda, Paulo Caffarelli disse que Em linha com o secretário, o novo favorecidas", destacou ele. d e v i é s m a i s i n d u t o r d o Roberto Westenberger assume o cargo titular do órgão de supervisão do setor Ainda no discurso de posse, d e s e n v o l v i m e n t o ( e m e n o s em um momento especial do mercado deixou claro que planeja dar mais Westenberger disse que a Susep não policialesco) da autarquia; a aderência de seguros, tendo como missão mais liberdade de criação de produtos, já às práticas internacionais, porque o relevante fazer o setor ter uma terá o foco policialesco em sua gestão, que este é um caminho para crescer a Brasil não pode continua dissociado participação mais proporcional ao PIB ainda que mantenha o talão de multa d e m o d e l o s r e g u l a t ó r i o s no bolso para os casos necessários. reconhecidamente eficientes, como é "Nosso foco serão as ações em prol do o caso do programa Solvência II; a desenvolmento. O papel de indutor do capacitação contínua do mercado, crescimento tem o objetivo de colocar tendo em vista os novos paradimas regulatórios; e ações no campo da o mercado de seguros mais educação financeira, para que o proporcional ao tamanho o PIB. consumidor realize compra de Olhando para países mais similares ao coberturas mais adequadas. Brasil, como é o caso do Chile, cuja A solenidade de posse, ocorrida em 28 participação da indústria de seguros Roberto Westenberger fala ao Roberto Westenberger e a de março, reuniu cerca de 400 pessoas O presidente da CNseg, Marco público, observado pelo diretora-executiva da CNseg, equivale a 9% ou 10% do PIB, Antônio Rossi, felicitando o no auditório da sede no Rio do secretário-executivo do Solange Beatriz Palheiro novo superintendente Ministério da Fazenda, à mesa Mendes podemos antever o que nossa mercado Ministério da Fazenda. Inclusive as brasileiro. Segundo ele, o mercado oferta de coberturas e a concorrência. ainda pode crescer, com a adoção de principais lideranças do mercado fechou o ano passado com receitas de "O segurador sabe que produtos medidas adequadas." segurador, como os presidentes da R$ 212 bilhões, algo equivalente a 5% CNseg, Marco Antonio Rossi, da precisa criar para o mercado crescer, e Na condição de professor, lembrou a do PIB, e deve atingir um faturamento Fenaber, Paulo Pereira, e da Fenacor, a Susep não vai atrapalhar suas ações importância da capacitação. "E aqui de R$ 250 bilhões em Embora nesse campo. Pelo contrário, estão incluídas não só a educação mais Armando Vergílio, que foram estas somas já tornem o mercado poderemos até pensar juntos produtos técnica dos quadros das seguradoras, parabenizar o novo superintendente da segurador bastante relevante, que ainda não existem em nosso corretores e resseguradoras, mas Susep e também conheceram um Caffarelli vê nos 50 milhões de também a educação do consumidor", pouco do perfil da nova gestão. mercado", disse ele. b r a s i l e i r o s q u e a s c e n d e r a m disse ele, declarando-se honrado com Também estiveram presentes a socialmente nos últimos anos, Mas quer manter a solidez do a indicação e prometendo gastar o diretora-executiva da CNseg, Solange formando a nova classe média, e nos mercado, razão pela qual sua intenção melhor de sua energia no projeto de Beatriz Palheiro Mendes e os projetos de infraestrutura, que deverão é adotar as melhores práticas do expansão sustentável do mercado. demandar aportes de R$ 1,5 trilhão nos programa Solvência II, que não pode presidentes da FenaSaúde, Marcio próximos oito anos, como duas continuar a ser visto com uma questão Fonte: Viver Seguro - CNseg Coriolano; FenSeg, Paulo Marraccini; importantes frentes para o crescimento de quantitativos de capitais e de FenaPrev, Osvaldo do Nascimento e Validação de contrato de seguro não depende de apólice O contrato de seguro é consensual e pagamento, negado pela empresa sob contratantes. Se isso ocorrer, aplica-se ao caso em questão o artigo aperfeiçoa-se com manifestação de a argumentação de sinistro continuou, há risco de a parte ter uma 432 do Código Civil, segundo o qual vontade, mesmo se não houve a preexistente, o que motivou a ação conduta puramente potestativa, o que se o negócio for daqueles em que não emissão da apólice. Com base nesse judicial. Tanto a sentença como o é vedado pelo artigo 122 do Código seja costume a aceitação expressa, ou entendimento, a 4ª Turma do Superior recurso ao Tribunal de Justiça de São Civil de Como informou o o proponente a tiver dispensado, Tribunal de Justiça negou provimento Paulo resultaram em procedência do ministro citando como base o artigo reputar-se-á concluído o contrato, não ao Recurso Especial de uma pedido de indenização, mas a 758 do Código Civil, a emissão da chegando a tempo a recusa. Ele citou empresa recorreu ao STJ, afirmando s e g u r a d o r a e d e t e r m i n o u a apólice não é requisito para que o a falta de indicação de fraude e o fato que só seria obrigada a pagar o indenização de um cliente que teve o contrato seja considerado existente, e de o acidente ocorrer após a sinistro com a formalização do carro roubado antes de receber a a apólice tampouco é a única prova contratação como justificativas para o contrato, o que é ligado à emissão da apólice em sua casa. O segurado teve capaz de atestar a celebração do dever de a empresa pagar a a p ó l i c e o u d e d o c u m e n t o o carro roubado apenas 13 dias após acordo. indenização, sendo que aceitar a comprovando o pagamento do A matéria foi regulamentada pela contratação, permanecer inerte e só firmar o contrato, mas, ao pedir o prêmio. Susep por meio do artigo 2º, caput, depois recusar o acordo vai contra a pagamento, foi informado de que o Relator do caso, o ministro Luis parágrafo 6º, da Circular 251/04, pois boa-fé contratual, concluiu. Com acordo não foi consolidado por conta Felipe Salomão negou a necessidade há aceitação tácita da cobertura de informações da Assessoria de de irregularidades no CPF de um de emissão da apólice, pois a risco se a seguradora não se manifesta Imprensa do STJ. condutor. existência do acordo não pode em até 15 dias. Segundo Salomão, Ele regularizou a situação e pediu o depender apenas de um dos Fonte: Consultor Jurídico

7 Abril DE OLHO NA SEMANA SANTA SINCOR/CE PROMOVE AÇÕES DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO E CONSCIENTIZAÇÃO DA POPULAÇÃO QUANTO A EXISTÊNCIA DO SEGURO DPVAT O Seguro de Danos Pessoais fim de despertar na população uma m u l t i p l i c a d o r e s p r e s t a r a m fatais. São números alarmantes e que Causados por Veículos Automotores consciência voltada para o trânsito. esclarecimentos e distribuíram precisam ser contidos em todos os de Via Terrestre (DPVAT) foi criado Com a proximidade do feriado da material educativo a motoristas e estados da Federação. Além da para indenizar vítimas de acidentes Semana Santa, o SINCOR/CE pedestres no Posto da P.R.E., em campanha preventiva que realizamos causados por veículos automotores. O intensificou suas ações a fim de que o A q u i r a z ; c o m o t a m b é m a na Semana Santa, desenvolveremos seguro veio como resposta às feriado transcorresse com maior funcionários e pacientes do Hospital outras tantas, no decorrer do ano de condições de insegurança que tranquilidade, tanto para motoristas e Municipal Abelardo Gadelha, em 2014, a fim de que estes números envolvem a sociedade e o ser humano transportados, como para pedestres. Caucaia. A divulgação ainda se Os feriados da Semana Santa são sejam abrandados", disse o Sr. Lísias nas mais variadas situações, diante estendeu pelas praias dos litorais dos interesses da vida e do patrimônio. sempre muito agitados, pois, ao Leste e Oeste, por meio de panfletos e Barbosa, Diretor do SINCOR/CE. contrário de outras épocas, como o Entre as principais vítimas de Diante de tantos tipos de seguro temos também através do diálogo de nossos Carnaval, em que os deslocamentos acidentes de trânsito indenizados pelo o DPVAT, cuja divulgação de sua colaboradores com a população, que são em direção a regiões litorâneas, na Seguro DPVAT foram homens, existência e quanto à simplicidade da foi bastante receptiva e não perdeu Semana Santa o trânsito é mais difuso. somando 76%. Quando observada a obtenção do direito por parte do tempo em tirar suas dúvidas. O serviço Além das viagens para praias, há faixa etária, a maior incidência de beneficiário é de suma importância desenvolvido pelo SINCOR/CE ainda deslocamentos para regiões serranas, pagamentos foi para vítimas entre 18 e para nossa sociedade. se empenhou em despertar nas O D P VAT é u m s e g u r o d e visitas a familiares e festas religiosas, 34 anos (50,9%) predominantemente pessoas a consciência do que responsabilidade civil, com cunho que acontecem em todo o Brasil. O para o sexo masculino (40%). realmente seja o Seguro DPVAT e Segundo Lísias, a campanha de social e propósito de reparar danos e cenário fica mais complicado ao se p o r q u e s e u p a g a m e n t o é conscientização foi muito produtiva. transferir para o segurador os efeitos levar em conta os dados da Polícia indispensável. Ao contrário do que a Os agentes do SINCOR/CE tiveram e c o n ô m i c o s d o r i s c o d a Rodoviária Federal, que apontam o maior parte dos motoristas pensa, o um contato direto com o povo. Além responsabilidade civil do proprietário, excesso de velocidade e as colisões seguro obrigatório é mais do que de esclarecer a população, tomaram independente de culpa, a vítimas de f r o n t a i s, o c a s i o n a d a s p o r apenas uma taxa a ser paga para poder conhecimento das maiores dúvidas e trânsito. A falta de informação acerca ultrapassagens imprudentes, como as licenciar o veículo. Como o próprio deficiências do serviço, o que do DPVAT é o fator principal para que principais causas de mortes no trânsito nome diz, trata-se de um seguro, possibilitará ao sindicato uma as pessoas menos favorecidas e durante a Semana Santa de criado em 1974, para amparar as No segundo dia de atuação da Blitz sensível melhora no funcionamento culturalmente carentes se tornem vítimas de acidentes envolvendo DPVAT, em 15 de abril de 2014, a de seu setor voltado para o DPVAT. vítimas de fraudes. Por isto, torna-se veículos em todo território nacional. E O SINCOR/CE está empenhado em indispensável o implemento de ações equipe do SINCOR/CE esteve g r a n d e p a r t e d a s p e s s o a s mudar os números do Ceará no que que visem divulgação do direito em presente no município de Aquiraz, no simplesmente desconhece esse litoral Leste do Ceará. Lá, contamos toca a questão de acidentes causados questão. direito. por veículos automotores. Trata-se de Atento ao constante crescimento do com o apoio dos policiais presentes no "A Blitz DPVAT é uma das ações do número de indenizações do Seguro posto da Polícia Rodoviária uma meta que o sindicato e seus SINCOR/CE que visa reduzir o DPVAT pagas a vítimas de acidentes Estadual (P.R.E.). Os trabalhos parceiros desejam atingir o quanto número de acidentes de trânsito no de trânsito, principalmente durante os voltados para a divulgação do Seguro antes, através de muito trabalho e estado do Ceará por meio da feriados, o SINCOR/CE, em parceria DPVAT no segundo trimestre de 2014 dedicação ao povo cearense. conscientização. Apenas em 2013, em com a Seguradora Líder DPVAT, vem tiveram início no dia 10 de abril de desenvolvendo uma série de ações nas , q u a n d o a e q u i p e d o todo o país, foram pagos mais de 633 e s t r a d a s e r o d o v i a s m a i s SINCOR/CE se dirigiu para o mil indenizações do Seguro DPVAT, Emerson Braga - Assessor de movimentadas do estado do Ceará a município de Caucaia. Nossos sendo mais de 54 mil por acidentes A proposta no Congresso que reduz as Agência Nacional de Saúde procedimento pode pagar uma multa brasileiras no exterior. O Senado multas dos planos de saúde que Suplementar. Hoje, as multas pagas de R$ 80 mil. Se a negativa de manteve o texto com a justificativa de atendem mal o consumidor foi pelas operadoras variam de R$ 5 mil a cobertura ocorrer 50 vezes, teria que que a retirada do artigo sobre as multas aprovada, mas o governo deixou claro R$ 1 milhão, por infração cometida. O pagar R$ 4 milhões. Com a nova regra, faria com que toda a medida que pretende vetar. A medida foi valor é multiplicado pelo número de a multa cairá para R$ 160 mil. provisória tivesse que voltar para a aprovada, na Câmara há dez dias e o ocorrências. O Ministério da Saúde já havia se Câmara e perdesse a validade, já que Ministro da Saúde, Arthur Chioro, A nova medida cria uma tabela. Se o posicionado contra a medida. Estima precisava ser votada até 21 de abril, disse que o governo vetará essa anistia plano de saúde cometer de duas a 50 que seriam perdoados mais de R$ 2 feriado. às multas das empresas de plano de infrações do mesmo tipo como negar bilhões em multas já aplicadas. O acordo foi feito graças a garantia um exame ou uma cirurgia pagará Quando a mudança foi aprovada na dada, no plenário, pelo líder do saúde. O prejuízo, só com as punições já multa por apenas duas infrações, Câmara, o relator, líder do PMDB, governo, Eduardo Braga, de que a aplicadas, pode chegar a R$ 2 bilhões. considerando a de maior valor. Se deputado Eduardo Cunha, disse que o presidente Dilma vetará essa parte do O líder do governo também afirmou cometer acima de mil infrações, objetivo é evitar abusos na texto. Há um compromisso do que a presidente Dilma vai vetar o pagará como se tivesse cometido fiscalização das empresas. governo com determinados temas O benefício foi embutido em uma perdão aos planos. apenas 20, também considerando a de para que sejam vetados, afirmou. O texto aprovado diminui as punições aplicadas aos planos de saúde pela PLANOS DE SAÚDE PODEM SER BENEFICIADOS COM REDUÇÃO DE MULTAS maior valor. Hoje, se uma operadora negar um medida provisória que trata de outro tema: tributação de empresas Fonte: G1

8 8 Abril 2014 Notícias do Mercado de Seguros Evolução do mercado de seguros brasileiro é reconhecida com nomeação de Vergílio na COPAPROSE Pela segunda vez um brasileiro saber especificamente o que cada personalidade jurídica. CNseg, Marco Antonio Rossi, o a s s u m e a p r e s i d ê n c i a d a região precisa para atuar em conjunto Armando acredita que ter o selo presidente da FenaSaúde, Márcio Confederação Panamericana de com a Federação Interamericana de o f i c i a l p e r m i t e u m a Coriolano, o presidente da FenaPrevi, P r o d u t o r e s d e S e g u r o s Seguros (FIDES). representatividade política muito Oswaldo nascimento, o presidente do (COPAPROSE). A partir de agora fica Temos essa feliz coincidência de mais adequada. Principalmente na Conselho da SulAmérica, Patrick a cargo de Armando Vergílio, que é dois brasileiros estarem no comando busca dos contatos que devam ser Larragoiti, o presidente da Escola também presidente da Fenacor e das duas entidades latino americanas. feitos com os diversos governos dos Nacional de Seguros, Robert Bittar, o deputado federal, levar a cultura do E u c o m o p r e s i d e n t e d a países da América Latina. Tentando vice-presidente da Fenacor, Celso Seguro para toda a América Latina, COPAPROSE, e Marco Antonio obviamente levar as sugestões de Marini, a diretora executiva da Portugal e Espanha. Rossi (presidente da CNseg), no melhor adequação ao marco CNseg, Solange Beatriz, exc o m a n d o d a F I D E S, p a r a regulatório local. p r e s i d e n t e d a C N s e g, J o ã o Segundo Armando Vergílio, a estruturarmos ações sinérgicas que Além disso, o contato com as Elísio,além do presidentes de nomeação significa muito para Brasil, visem o desenvolvimento do mercado entidades de supervisão e de sindicatos do Distrito Federal, Mato para Fenacor, e, principalmente, para de seguros na América Latina, regulação, e os próprios poderes Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio ele, pois este é o reconhecimento de afirma Vergílio. executivos e legislativos desses Grande do Sul, Goiás, Tocantins e todo o mercado da América Latina da Reconhecimento internacional países será mais facilitada, com a Minas Gerais. evolução do corretor de seguros A sede da COPAPROSE fica no intenção de melhorar todo o ambiente Contar com a presença de todos brasileiro e da sua efetiva importância Panamá e havia um processo em regulatório das leis do arcabouço a u m e n t a m u i t o a n o s s a tanto pros consumidores, quanto para andamento para o reconhecimento legal que rege o setor de seguros e de r e s p o n s a b i l i d a d e. É o a relação de intermediação dentro do como entidade oficial internacional previdência privada desses países, reconhecimento ao trabalho que tem mercado de seguros. Teremos foco representativa dos produtores de acrescenta Vergílio. sido realizado pela FENACOR e na formação, qualificação e seguros, agentes, intermediários, Prova de união prova também a integração e atualização profissional, ressalta. corretores de seguros, brokers em Cerca de 55 personalidade do harmonia que existe hoje entre as Vergílio aponta que a COPAPROSE é toda América Latina, somado a mercado brasileiro de seguros entidades representativas do mercado uma entidade que precisa agora Portugal e Espanha. O processo foi marcam presença no evento da de seguros brasileiro, aponta ocupar um espaço e, para isso, é concluído e, hoje, a Confederação COPAPROSE para homenagear a Armando Vergílio. necessário identificar os distintos dota de registro e reconhecimento posse de Armando Vergilio. Entre eles problemas de cada país. Além de internacional em relação a sua estão o presidente da FIDES e da Fonte: CQCS Crislaine Cambuí Superintendente quer autarquia pró-ativa O 3 Encontro de Resseguros do Rio tudo é mais difícil. porque ela é função da Susep. Mas vai produtos se presta a uma avaliação da de Janeiro, promovido pela CNSeg Há também a questão de capacitação mudar o direcionamento, para o saúde financeira da seguradora, aconteceu entre os dias 08 e 09 de de mercado, no sentido mais amplo. fomento do mercado de seguros, sem existem outros meios de olhar essa abril no Softel Copacabana. Internacionalização, atuação da esquecer o talão de multas em um saúde financeira que são os A Revista Apólice realizou a Susep nas interações obrigatórias e bolso e o lacre, no outro, para os casos quantitativos de reserva e capital, cobertura do evento através do não obrigatórias com os órgãos em que será mandatória essa ação. com a atuação no provimento de twitter. No dia 08. pela manhã, reguladores internacionais. Com os O mercado reclama muito sobre a informações para o mercado. Isso vai Roberto Westenberger, recém órgãos reguladores regionais se aprovação de coisas que dependem da gerar uma adequação do papel da empossado superintendente da submetendo e discutindo em linha Susep. Como vocês pretendem agir Susep que é de garantidor da Susep, falou com exclusividade à com o que o órgão regulador para resolver essas questões? solvência, muito mais que da ação revista sobre os planos que estão internacional determina. Esse é o sexto pilar. É o que eu chamo varejista produto a produto, que acaba sendo traçados para sua gestão frente A melhoria da gestão com aceleração da atuação da Susep mais no atacado t r a v a n d o o m e r c a d o. E m à autarquia. da implementação de uma supervisão do que no varejo. O papel do órgão contrapartida, a Susep vai pensar e Quais são as suas expectativas ao baseada em risco, com filosofia de regulador é garantir a solvência do ajudar o mercado a visualizar os assumir o cargo, o que pode mudar a regulação baseada em riscos, para que sistema. Isso passa por análise nossos produtos que são necessários partir de agora? a Susep efetivamente possa contribuir individualizada do produto, mas não para preencher as demandas daquele Os planos já estão sendo elaborados para a melhoria da gestão das na intensidade que a Susep está que é o objetivos do mercado, que é o para nortear a ação a curto prazo. Mas seguradoras. adotando hoje. Ela vai, efetivamente, consumidor de seguros. as ideias e os conceitos que vão Uma atuação desenvolvimentista, ou continuar ano seu processo de análise É uma mudança de foco, procurando orientar nossa gestão já estão seja, a Susep atuando muito mais de produtos, mas para produtos em atuar no desenvolvimento dos nichos definidos. São seis pilares: como órgão fomentador do mercado que essa ação seja necessária, com a onde o produto de seguros ainda não valorização do servidor da Susep, brasileiro do que propriamente na r a p i d e z q u e n ã o t r a v e o está de forma adequada, do que porque sem a superintendência s i t u a ç ã o p o l i c i a l e s c a. desenvolvimento do mercado. propriamente no garimpo dos motivada, aparelhada e capacitada Evidentemente, não exclui essa ação Se a análise individualizada de detalhes de produtos já existentes. O BRASIL CRESCEU E ISSO TEM CONSEQUÊNCIAS ENORMES NO MERCADO DE SEGUROS, AFIRMA HENRIQUE MEIRELLES A 3ª edição do Lloyd's Meet Market década, lembrando que a classe média realizados no país, sobretudo, através O presidente da Lloyd's no Brasil, foi realizado na manhã do dia 10 de brasileira dobrou de tamanho no das Parcerias Público-Privadas Marco Castro, ressaltou que a chegada abril, no Hotel Sofitel, em período, alcançando 120 milhões de (PPPs). Ele também destacou a ao Brasil este ano do 11º sindicato da Copacabana, no Rio de Janeiro, e brasileiros e que, junto com a classe importância da avaliação do cenário Lloyd's (Hiscox) fortalece a estratégia reuniu cerca de 250 profissionais e alta representam cerca de 70% da macroeconômico, dizendo não de ampliar escritórios no país e a especialistas do setor convidados. população do país. acreditar em um estouro da inflação. realização do evento visa estreitar o Durante o evento, foi recriado o De acordo com o ex-presidente do BC, Este crescimento tem consequências relacionamento entre os integrantes tradicional salão de subscrição do esse novo cenário permitiu o institucionais. A inflação baixa é uma d o m e r c a d o e f a c i l i t a r o Lloyd's (Underwriting Room), crescimento dos setores de seguros e conquista. Ela não vai aumentar d e s e n v o l v i m e n t o d e n o v a s localizado em Londres, com a resseguros e que, para os próximos porque a população não permitirá. oportunidades de negócio. Este presença de boxes dos 11 sindicatos da anos, a tendência deve se manter. O O diretor de Mercados Internacionais encontro é mais importante porque o Lloyd's com operação no Brasil, mais B r a s i l c r e s c e u e i s s o t e m do Lloyd's, Vincent Vandendael, Brasil está a 11 horas de Londres e 4 sindicatos londrinos que enviaram consequências enormes no mercado também salientou a importância dos nem sempre os profissionais têm a representantes para participar do de seguros, que cresce acima da média investimentos em infraestrutura no oportunidade de conhecer como evento. do mercado. E isso é normal, porque a país. O Brasil está em boa forma. É funciona o mercado em Londres. Essa O ex-presidente do Banco Central complexidade das operações na nossa muito importante que o governo negociação pessoal é uma tradição. É (BC), Henrique Mereilles, primeiro e c o n o m i a a u m e n t o u o s brasileiro gaste o dinheiro em lógico que temos a parte tecnológica, não-anglo-saxão indicado a membro investimentos. infraestrutura. Participaram do salão mas nada substitui o relacionamento nomeado do Conselho Lloyd's em 30 Meirelles salientou que o mercado os seguintes sindicatos: ACE, ANV, pessoal. A decisão pode ser tomada na anos, ministrou a palestra de abertura segurador também se beneficiará nos Argo, Catlin, Klin, Liberty, Markel, hora e o negócio se realiza. do evento. Ele destacou o crescimento próximos anos dos investimentos em Navigators, Starr, Beazley, Hiscox, da economia brasileira na última infraestrutura que devem ser Aegis, Aspen, Allied World e Talbot. Fonte: CNSeg

9 Abril 2014 Evolução do mercado de seguros brasileiro é reconhecida com nomeação de Vergílio na COPAPROSE Armando Vergílio Pela segunda vez um brasileiro assume a p r e s i d ê n c i a d a Confederação Panamericana de P r o d u t o r e s d e S e g u r o s (COPAPROSE). A partir de agora fica a cargo de Armando Vergílio, que é também presidente da Fenacor e deputado federal, levar a cultura do Seguro para toda a América Latina, Portugal e Espanha. Segundo Armando Vergílio, a nomeação significa muito para Brasil, para Fenacor, e, principalmente, para ele, pois este é o reconhecimento de todo o mercado da América Latina da evolução do corretor de seguros brasileiro e da sua efetiva importância tanto pros consumidores, quanto para a relação de intermediação dentro do mercado de seguros. Teremos foco na formação, qualificação e atualização profissional, ressalta. Vergílio aponta que a COPAPROSE é uma entidade que precisa agora ocupar um espaço e, para isso, é necessário identificar os distintos problemas de cada país. Além de saber especificamente o que cada região CNseg, Solange Beatriz, exprecisa para atuar em conjunto com a Federação Interamericana de Seguros (FIDES). Temos essa feliz coincidência de dois brasileiros estarem no comando das duas entidades latino americanas. Eu como presidente da COPAPROSE, e Marco Antonio Rossi (presidente da CNseg), no comando da FIDES, para estruturarmos ações sinérgicas que visem o desenvolvimento do mercado de seguros na América Latina, afirma Vergílio. Reconhecimento internacional A sede da COPAPROSE fica no Panamá e havia um processo em andamento para o reconhecimento como entidade oficial internacional representativa dos produtores de seguros, agentes, intermediários, corretores de seguros, brokers em toda América Latina, somado a Portugal e Espanha. O processo foi concluído e, hoje, a Confederação dota de registro e reconhecimento internacional em relação a sua personalidade jurídica. Armando acredita que ter o selo o f i c i a l p e r m i t e u m a representatividade política muito mais adequada. Principalmente na busca dos contatos que devam ser feitos com os diversos governos dos países da América Latina. Tentando obviamente levar as sugestões de melhor adequação ao marco regulatório local. Além disso, o contato com as entidades de supervisão e de regulação, e os próprios poderes executivos e legislativos desses países será mais facilitada, com a intenção de melhorar todo o ambiente regulatório das leis do arcabouço legal que rege o setor de seguros e de previdência privada desses países, acrescenta Vergílio. Prova de união Cerca de 55 personalidade do mercado brasileiro de seguros marcam presença no evento da COPAPROSE para homenagear a posse de Armando Vergilio. Entre eles estão o presidente da FIDES e da CNseg, Marco Antonio Rossi, o presidente da FenaSaúde, Márcio Coriolano, o presidente da FenaPrevi, Oswaldo nascimento, o presidente do Conselho da SulAmérica, Patrick Larragoiti, o presidente da Escola Nacional de Seguros, Robert Bittar, o vice-presidente da Fenacor, Celso Marini, a diretora executiva da p r e s i d e n t e d a C N s e g, J o ã o Elísio,além do presidentes de sindicatos do Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Goiás, Tocantins e Minas Gerais. Contar com a presença de todos a u m e n t a m u i t o a n o s s a responsabilidade. É o reconhecimento ao trabalho que tem sido realizado pela FENACOR e prova também a integração e harmonia que existe hoje entre as entidades representativas do mercado de seguros brasileiro, aponta Armando Vergílio. Fonte: CQCS Crislaine Cambuí Seja sócio do Sincor-Ceará 9 O Sindicato dos Corretores de Seguros, Capitalização, Previdência Privada e de Empresas Corretoras de Seguros no Estado do Ceará SINCOR/CE é a entidade representativa da categoria no Estado do Ceará. A nossa entidade completará, no mês de maio de 2014, 25 anos de fundação. O Sincor/Ce faz parte, juntamente com os demais sindicatos de todo o Brasil, da Fenacor Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados, de Capitalização, de Previdência Privada e das Empresas Corretoras de Seguros. O Sincor/Ce é o representante oficial dos Corretores de Seguros e das Empresas Corretoras de Seguros do Ceará, e a nível estadual, tem um papel importante no mercado de seguros. Aos corretores, empresas corretoras, seus dependentes/funcionários, a nossa entidade oferece uma série de serviços e benefícios oriundos de convênios e acordos com entidades de classe e empresas seguradoras. Para usufruir desses benefícios, o corretor deve filiar-se ao Sincor/Ce. Para nós que fazemos a diretoria do Sincor-Ce é uma honra recebê-lo como sócio do sindicato e assim podermos beneficiá-lo com toda a estrutura que a entidade dispõe e oferecer-lhe nosso esforço e solidariedade corporativista. Sendo sócio do Sindicato você estará fortalecendo a categoria e ajudando a diretoria a combater as irregularidades do mercado e a conquistar novos benefícios para a classe. Filiando-se ao sindicato, você ganha a legitimidade básica para pleitear, no futuro, funções executivas na sua diretoria, inclusive Presidente da entidade, no próximo pleito. Não perca tempo! Seja associado do Sindicato dos Corretores de Seguros, Capitalização, Previdência Privada e de Empresas Corretoras de Seguros do Estado do Ceará. Venha ao SINCOR/CE., solicitar sua Filiação Pessoa Física ou Jurídica. Maiores informações pelo número: (85) no horário de funcionamento 08:00h às 15:00h, ou pelo site Atenciosamente, Manoel Nésio Sousa Presidente do SINCOR/CE. A Susep informa a publicação dos seguintes normativos: Tipo: RESOLUÇÃO CNSP Número: 306 Data da Publicação: 04/04/2014 Ementa: Disciplina o pagamento de prêmios de seguros de garantia estendida e de seguros contratados junto a representantes de seguros, e dá outras providências. Link:http://www2.susep.gov.br/bibliotecaweb/docOriginal.aspx?tipo=1&codig o=32768 Tipo: RESOLUÇÃO CNSP Número: 307 Data da Publicação: 25/04/2014 Ementa: Altera dispositivos da Resolução CNSP nº 295, de 25 de outubro de Link:http://www2.susep.gov.br/bibliotecaweb/docOriginal.aspx?tipo=1&codig o=32854 Tipo: RESOLUÇÃO CNSP Número: 308 Data da Publicação: 25/04/2014 Ementa: Altera o inciso VIII do artigo 2º, artigos 18 e 21 da Resolução CNSP nº 297, de 25 de outubro de Link:http://www2.susep.gov.br/bibliotecaweb/docOriginal.aspx?tipo=1&codig o=32863

10 10 Abril 2014 PALESTRA: A ARTE DE NEGOCIAR Srs. Bernardo Wolak e Manoel Nésio. Palestrante: Sr. Bernardo Wolak. O MODO MAIS IMPORTANTE seguros tiveram a oportunidade de porquê da importância de uma E m d u a s h o r a s m u i t o b e m DE GARANTIR SUCESSO EM entender os mecanismos, o passo a comunicação bem estabelecida. aproveitadas pelos corretores de Q U A L Q U E R passo, para transformar-se, modificar O foco da palestra foi mostrar técnicas seguros que se fizeram presentes à R E L A C I O N A M E N T O É comportamentos e buscar os valores valiosa aula, Bernardo Wolak de como criar um diálogo de duas C O M U N I C A R - S E C O M demonstrou que a arte de negociar é mais básicos das comunidades a que m ã o s, o q u e e n r i q u e c e o CLAREZA O TEMPO TODO um processo estruturado, com pertencem e se espelharem nos relacionamento, estabelece a atividades, objetivos e metas Na sexta-feira, 04 de abril, o Sincor- princípios mais elementares de confiança e faz com que o cliente se previamente definidos pelo próprio CE recebeu em Fortaleza a palestra pessoas bem sucedidas. Tudo isto sinta confortável para falar com seu profissional que deseja vender mais e sem demandar grandes custos, tendo corretor. É importante que o corretor A ARTE DE NEGOCIAR. As melhor. sempre estabeleça uma imagem atividades foram ministradas com como elemento indispensável para o profissional, demonstre uma atitude De maneira prática e de fácil inegáveis conhecimento e técnica sucesso a força de vontade do próprio positiva e dê o melhor de si mesmo, assimilação, os participantes da p e l o S r. B e r n a r d o Wo l a k. c o r r e t o r. B e r n a r d o Wo l a k disse o palestrante. palestra entenderam as principais Engenheiro de produção pela demonstrou com clareza que, com um Bernanrdo Wolak fez questão de características que ilustram os Fundação Educacional Inaciana bom planejamento, é possível tornardestacar para todos os presentes que possíveis quadros de uma negociação Padre Saboia de Medeiros, a FEI, e se um mestre na arte de negociar. um corretor de seguros que faz seu eficaz e como colocá-la em prática. administrador de empresas pela É importante que o corretor pesquise trabalho de maneira ética e com Corretores de seguros de fundação Getúlio Vargas, o antes quem afinal é seu potencial dedicação, potencializará os efeitos sucesso são aqueles que, com um palestrante, demonstrou com cliente, suas preferências, sua de seus negócios. Também destacou o apelo inteligente, conseguem entusiasmo e vivacidade que a experiência de mundo, assim você quanto é importante para o estabelecer uma comunicação bem prosperidade dos corretores de deixará seu cliente mais à vontade e profissional de seguros perceber sucedida e, desta forma, colher os seguros será atingida por meio de sua aberto à negociação, pois você quando é a hora de cair fora, resultados e benefícios. Esta foi a capacidade de aprendizado e rápida demonstrou interesse por ele. valendo-se de sua intuição para maior lição que os corretores do Quando você se prepara, você realiza perceber quando algum projeto não Estado do Ceará ganharam com a aplicação dos conhecimentos o primeiro e efetivo passo em direção se desenvolve e parece estagnado, palestra. adquiridos. à parte mais importante de sua venda: sem futuro algum, ao menos não Emerson Braga - Assessor de Durante o evento, os corretores de a confiança, esclareceu Wolak o naquele determinado momento. Imprensa do SINCOR/CE.

11 Abril Em caso de veículo adquirido com isenção fiscal como fica a indenização por perda total? m taxista ou portador de necessidades especiais tem o Udireito de pleitear a aquisição do seu veículo com o benefício de isenção fiscal. Nesse sentido, um automóvel que custaria em torno de R$ 50 mil, pode ser adquirido por apenas R$ 35 mil, respeitando legislação pertinente ao assunto. Ao fazer o seguro total desse veículo, o proprietário paga à seguradora um prêmio com base no valor de mercado (R$ 50 mil), respeitando a Tabela FIPE. A dúvida é a seguinte: ao ter o seu veículo roubado, furtado ou sofrer um acidente, caracterizando perda total, a seguradora deve indenizar o segurado levando em consideração o valor do veículo adquirido com a isenção fiscal, ou seja, R$ 35 mil, ou de acordo com o valor do bem, respeitando o prêmio pago, com base na Tabela FIPE, ou seja, em R$ 50 mil? Como não existe uma regulamentação a respeito desse assunto, em muitos casos, a seguradora pode criar um imbróglio para pagar a indenização devida ao segurado. Recentemente, houve um julgamento em última instância administrativa recursal do seguinte caso: um veículo foi adquirido com isenção fiscal (e segurado em 110% da Tabela FIPE), e, após sinistro, a seguradora somente aceitava indenizar a segurada em 90% da Tabela FIPE, além de condicionar a indenização com o pagamento da multa referente ao incentivo fiscal contida na Instrução Normativa da SRF, diante de quebra de contrato. A segurada, indignada com o posicionamento da seguradora, recorreu à Justiça e registrou reclamação junto à SUSEP. Na autarquia, foi instaurado, então, processo administrativo sob a alegação da demora na indenização e discordância da segurada quanto à exigência da seguradora do pagamento de impostos, por envolver veículo adquirido com benefício de isenção fiscal. A SUSEP julgou a defesa da seguradora inconsistente e procedente a denúncia apresentada pela segurada. Ressalta-se, ainda, em relatório da SUSEP, que no momento da contratação do seguro foi garantida a cobertura de acordo com o valor de mercado referenciado (110% da Tabela FIPE), sem desconto dos impostos dos quais a segurada foi isenta no momento da aquisição do veículo, tendo o cálculo do respectivo prêmio incidido sobre a quantia determinada pela Tabela FIPE, infringido desta forma, o artigo 88 do Decreto Lei 73/66 e com sanção prevista na alínea g, inciso IV do artigo 5 da Resolução CNSP n 60/01. A seguradora interpôs recurso objetivando a reforma da decisão proferida pela SUSEP em 1ª Instância administrativa. O processo em grau de recurso foi assim julgado: Descumprimento de obrigações contratuais. Seguro de veículo. Demora quanto ao pagamento do seguro de veículo automotor em razão da exigência do pagamento de tributos relativos ao veículo, que fora adquirido com isenção fiscal, Alegação descabida. Dever de indenizar. Ilícito configurado. Não provimento do recurso. No que tange à Ação Judicial proposta pela segurada em desfavor da seguradora, o Ilustre Juiz julgou procedente a ação e condenou a seguradora a pagar à segurada a indenização com base em 110% da Tabela FIPE, sem a necessidade de recolhimento, por parte da segurada, do ICMS e do IPI, bem como do contido no Acórdão proferido pela Câmara Cível, negando provimento ao apelo da seguradora. Em grau de recurso administrativo foi m a n t i d a p o r u n a n i m i d a d e a condenação à seguradora imposta pela SUSEP. No dia a dia surgem várias interpretações e procedimentos por parte das seguradoras. Quando o veículo segurado é caracterizado como Perda Total, a companhia exige que o carro seja transferido para a própria seguradora. Desta forma, cada companhia aplica na ponta da linha o seu critério de indenização. Em pesquisas realizadas, deparei com decisão do Superior Tribunal da Justiça STJ, que isenta o segurado do pagamento do benefício fiscal. O propósito é simples, a reposição do bem sinistrado. Se a seguradora recebeu o prêmio, ela tem que indenizar com base no prêmio recebido. E n q u a n t o n ã o e x i s t i r u m a regulamentação por parte do órgão regulador, ou as seguradoras não criam condições especiais para contratação de apólices de seguros para os segurados motoristas de taxis ou portadores de necessidades especiais que adquirem os seus veículos com base no incentivo fiscal, o assunto continuará exigir demandas judiciais e denúncias junto à SUSEP. Autor: Dorival Alves de Sousa, Presidente do SINCOR-DF. 10º Ciclo de palestras para corretores Prezados(as) Senhores(as), O Sindicato dos Corretores de Seguros, Capitalização, Previdência Privada e de Empresas Corretoras de Seguros no Estado do Ceará Sincor-Ceará, com o apoio da Funenseg e Fenacor, irá promover durante o ano de 2014, 06(seis) palestras dentro do 10º Ciclo de Palestras para corretores de seguros, no período de abril a novembro do corrente ano. A exemplo das palestras realizadas no ano passado, o certame deverá, atrair a atenção dos interessados em torno de temas importantes para a categoria, todos previamente escolhidos, ouvindo a opinião dos corretores cearenses. Cada palestra, a cargo de autoridades do mercado e/ou professores do quadro da Funenseg, é destinada a 150 corretores devidamente inscritos, podendo também contar com a presença de dirigentes e funcionários de seguradoras parceiras atuantes no estado. Como no ano anterior, a presença de várias Companhias Seguradoras, reforçaram ainda mais a parceria existente entre corretores e seguradores, fortalecendo a nossa iniciativa de promover eventos em nível regional buscando sempre a melhoria da qualificação do corretor e a sua sintonia com o mercado e as instituições de seguros. Importante: 1. As palestras são realizadas sempre no SENAC da Av. Tristão Gonçalves, 1245 ou em um hotel de Fortaleza com auditório com total infra-estrutura; 2. No evento haverá coffee-break; 3. (podendo haver alterações de data/palestrante/tema); 4. Informações: Tel: (85) Inscrições gratuitas. Temas: 04 abril 'A arte de negociar' - Palestrante: Bernardo Wolak 09 maio 'Canais de distribuição aprendendo a enxergar novas oportunidades' - Palestrante: Bruno Kelly 01 agosto 'Plano de Marketing para Corretores satisfação e fidelização' - Palestrante: Maurício Tadeu 05 setembro 'Análise de carteira e venda cruzada' - Palestrante: Rodrigo Maia 03 outubro 'Desbravando novas possibilidades' - Palestrante: Andresa Pugliesi 07 novembro 'Gestão de Vendas e Gestão Empresarial para corretores' - Palestrante: Guilherme Contrucci Lísias Barbosa Diretor 0**(85) **(85) E contem sempre com o SINCOR/CE.

12 12 Abril INTENSO E 2014 NO MESMO RITMO, COM MUITAS CONQUISTAS Veja a entrevista com o presidente 2013 foi um ano intenso para o nosso que é feita a alteração. também o GT de reavaliação de da Comissão de Administração e grupo. Tivemos debates sobre a Quais os desafios da CAF em 2014? imóveis e o GT custos de aquisição Finanças da CNseg acontabilização das operações do Com certeza apresentar à Susep um diferido, além uma pré-agenda para A Comissão de Administração e c o n s ó r c i o D P VAT, q u e t e m novo plano de contas padronizado. No 2014 desenhada em conjunto com a Finanças da CNseg (CAF) tem, entre características singulares por ser ano passado, a autarquia aceitou que o autarquia. Outro assunto poderá ser suas funções, acompanhar, por meio operado por uma única seguradora em mercado montasse um plano de contas discutido em 2014 são os novos de seus prepresentantes, os temas forma de pool, no grupo de trabalho padrão. Como a uniformização é um registros oficiais (RO). debatidos na Comissão Contábil da formado por representantes da trabalho imenso, que exige muita O que vem a ser isso? S u s e p ( C C S ), l e v a n d o o SUSEP, Ibracom e CNSEG, além de dedicação, optamos por contratar uma Trata-se de um arquivo analítico que posicionamento da Comissão da temas que afetam a todas as consultoria para construir o plano de compõe o que está contabilizado em CNseg e trazendo para o debate seguradoras no dia-a-dia, como interno as informações do érgão contas a ser apresentada ao órgão algumas linhas das demonstrações regulador. modificações do Formulário de regulador. O plano atual está muito financeiras. Caso venha a ser alterado, Informações Periódicas (FIP) e IRFS Presidida por Laênio Pereira dos alterado e desalinhado, que acaba irá demandar investimentos em 4 - Fase II. Podemos dizer que foi um Santos, diretor da Sul América Cia. tecnologia. gerando dúvidas para os usuários. A ano de muito trabalho e muitas Nacional de Seguros, a CAF pretende meta é buscar ter um plano mais Como os cenários econômico e conquistas. manter um forte ritmo de trabalho em estável e um alinhamento das contas, financeiro do Brasil podem afetar o Segundo ele, 2013 foi intenso Qual exigiu maior dedicação da trabalho da CAF neste ano? com a descrição da função e do Comissão? para o grupo e 2014 não será diferente. funcionamento de cada uma delas. A A nossa comissão contábil é pouco A reformulação dos quadros do FIP Temos muitos desafios e com certeza afetada pelo cenário econômico e consultoria vai apresentar o primeiro que, dentre outras alterações, foram financeiro. A CNSeg tem comissões teremos também muitas conquistas, resultado do trabalho em meados do incluios quadros de resseguros. O e s p e c í f i c a s p a r a c u i d a r d e afirma ele nesta entrevista concedida primeiro semestre. Geralmente a Grupo de Trabalho avaliou a proposta investimentos e de solvência. com exclusividade para o Portal da Susep submete o novo plano ao de alteração dos quadros do FIP E o cenário internacional, com os CNseg. elaborada pela SUSEP e encaminhou mercado. Dessa vez acontecerá ao reguladores prometendo um aperto Qual o principal assunto no radar duvidas e sugestões para a Autarquia. contrário. Nós vamos apresentar o nas instituições financeiras, da comissão da CNseg? O orgão regulador estabeleceu que os nosso produto para a autarquia e ter preocupa a Comissão? O IFRS 4 - Fase II, contabilização de novos quadros devem ser informados sucesso nesse processo é um dos O mercado de seguros é acompanhado seguros, previsto para Tivemos a partir de janeiro de Os grandes desafios da comissão para bem de perto pelos órgãos reguladores uma audiência pública em 2013, na r e p r e s e n t a n t e s d o m e r c a d o em todo o mundo e o mesmo acontece qual a CNseg e a Susep, em parceria ponderaram sobre as dificuldades para Além desse, tem outro? no Brasil. A Susep acompanha de com o Ibracom, emitiram sugestões. A atender os novos quadros do FIP no Sim. Temos na agenda a classificação p e r t o t o d o s o s m o v i m e n t o s Susep tem sinalizado que seguirá o p r a z o e s t a b e l e c i d o, o n d e a do sinistro judicial. A Susep internacionais na busca de regras que prazo determinado e isso nos faz ficar Confederação solicitou ao regulador apresentou uma proposta que visa preservem o consumidor. Quando muito atentos, pois se assim for, para alteração do prazo de envio dos novos padronizar os critérios para uma regra é aprovada por um órgão f i n s d e c o m p a r a ç ã o n a s quadros. A solicitação foi atendida e o classificação de eventos entre sinistros internacional vem rápido para o Brasil demonstrações financeiras, teremos prazo foi alterado para abril de judiciais e contingência cível. A e temos de correr para adequar as que nos adequar as normas já para E como ficou a discussão sobre a uniformização terá impacto no risco exigências dentro das regras , o q u e e x i g i r á u m troca de empresa de auditoria? operacional, garantia das provisões brasileiras. posicionamento muito rápido do mercado diante de mudanças Nos dedicamos neste tema também. A técnicas, tributos e nas fiscalizações contábeis e atuariais, que serão Susep sugeriu a volta do rodízio de realizadas pela autarquia. Temos Fonte: CNSeg relevantes. Acompanhar a evolução empresas a cada cinco anos. Após as dessa norma é um ponto de atenção da discussões, ficou decidido que poderia comissão nos próximos anos. O ser mantida a empresa, mas seria mercado terá muito trabalho pela obrigatória a troca de sócio e do frente, com custo bastante elevado, gerente responsável pelo trabalho a pois muda radicalmente a forma de cada cinco anos. Tal medida nos ajuda, registrar a operação de seguros. Quais os principais temas debatidos dentro da comissão em 2013? pois a troca de empresa gera um elevado custo para as seguradoras e uma sobrecarga de trabalho no ano em JORNAL DO SINCORCE Brasil! Queremos educação, saúde, transporte, segurança e infraestrutura. Nós fazemos o Congresso Nacional! FEDERAÇÃO NACIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS PRIVADOS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA E DAS EMPRESAS CORRETORAS DE SEGUROS SINCOR - CE

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania PROJETO DE LEI N o 6.332, DE 2005 Dá nova redação aos arts. 20 e 123 do Decreto-Lei nº 73, de 21 de novembro de 1966, que dispõe sobre o Sistema Nacional

Leia mais

Empresas de. 5 Capitalização. Melhores Práticas das. 2 Apresentação 4 Introdução 5 Composição do Sistema de Capitalização.

Empresas de. 5 Capitalização. Melhores Práticas das. 2 Apresentação 4 Introdução 5 Composição do Sistema de Capitalização. Melhores Práticas das Empresas de Capitalização 2 Apresentação 4 Introdução 5 Composição do Sistema de Capitalização 5 Capitalização 6 Missão da Capitalização 7 Valores da Capitalização 7 Melhores Práticas

Leia mais

WEBINAR SEGURO DPVAT O SEGURO DO TRÂNSITO. Palestrante Vera Cataldo

WEBINAR SEGURO DPVAT O SEGURO DO TRÂNSITO. Palestrante Vera Cataldo 1 WEBINAR SEGURO DPVAT O SEGURO DO TRÂNSITO Palestrante Vera Cataldo Seguro DPVAT Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre ou por sua carga, a pessoas transportadas

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA VENDA DE SEGUROS EM ORGANIZAÇÕES VAREJISTAS

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA VENDA DE SEGUROS EM ORGANIZAÇÕES VAREJISTAS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA VENDA DE SEGUROS EM ORGANIZAÇÕES VAREJISTAS 18/03/2014 Manual de Boas Práticas para Venda de Seguro em Organizações Varejistas 1. Introdução A estabilização da economia nacional,

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 96, DE 2009

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 96, DE 2009 PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 96, DE 2009 Propõe que a Comissão de Defesa do Consumidor fiscalize os atos de gestão praticados pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP em relação à conduta

Leia mais

Todo início de ano é a mesma coisa: fazemos a

Todo início de ano é a mesma coisa: fazemos a Entre nós www.marinhodespachantes.com Novas oportunidades! de todos nossos clientes, parceiros, amigos e colaboradores em 2012 e renovar nosso contrato de amizade para 2013 Elza Aguiar Presidente Todo

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência 1 Brasil Entre as Maiores Economias do Mundo Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência O Mundo do Seguro e Previdência Desafios

Leia mais

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br Fachesf de Você está em nossos planos Criada em 10 de abril de 1972, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), sua patrocinadora, a Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social é uma

Leia mais

Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento

Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Longo Prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Longo prazo, Poupança das Famílias e os Fundos de Investimento Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de

Leia mais

Manual de Boas Práticas para Venda de Seguro em Organizações Varejistas

Manual de Boas Práticas para Venda de Seguro em Organizações Varejistas Manual de Boas Práticas para Venda de Seguro em Organizações Varejistas 1. Introdução A estabilização da economia nacional, a facilidade de acesso ao crédito e as ações do governo para incentivar o consumo

Leia mais

Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das. Pronunciamento do Presidente do Banco Central do Brasil, Ministro Alexandre

Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das. Pronunciamento do Presidente do Banco Central do Brasil, Ministro Alexandre São Paulo, 24 de novembro de 2011. Jantar Anual dos Dirigentes de Bancos Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF) Pronunciamento do Presidente

Leia mais

ESECS-PJ. Estudo Socioeconômico das

ESECS-PJ. Estudo Socioeconômico das ESECS-PJ Estudo Socioeconômico das Empresas Corretoras de Seguros A G O S T O / 2 0 1 3 O Estudo Socioeconômico das Empresas Corretoras de Seguros Pessoa Jurídica (ESECS-PJ) é fruto de um trabalho de

Leia mais

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social As Entidades Fechadas de participantes desta pesquisa, conhecidas como Fundos de Pensão, fazem parte do Sistema de. Os Fundos de Pensão desenvolveram-se e modernizaram-se ao longo dos últimos anos graças

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Brasília, 9 de maio de 2012

Brasília, 9 de maio de 2012 Brasília, 9 de maio de 2012 Discurso do presidente Alexandre Tombini em evento no Sebrae para lançamento do Plano de Ação para Fortalecimento do Ambiente Institucional para a Adequada Inclusão Financeira

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

O surgimento de associações de agricultores ocorre em função de três movimentos sociais importante:

O surgimento de associações de agricultores ocorre em função de três movimentos sociais importante: 1. ASSOCIATIVISMO 1.1. Introdução As formas associativas de trabalho no campo já eram encontradas há muito tempo atrás entre os primitivos povos indígenas da América. As grandes culturas précolombianas

Leia mais

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006 Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA Comunicação de Progresso - 2006 Quem somos: Número de funcionários: 781 Número de empresas listadas: 391 Volume financeiro diário: R$ 2,4 bilhões Market Cap: R$

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR Seja bem-vindo à Blue Service Assistance, a opção mais vantajosa em assistência e clube de vantagens. É uma enorme satisfação ter você como nosso associado. A Blue Service Assistance está cada vez mais

Leia mais

Boletim de Proteção do Consumidor/Investidor CVM/DPDC. Investimentos Irregulares

Boletim de Proteção do Consumidor/Investidor CVM/DPDC. Investimentos Irregulares Boletim de Proteção do Consumidor/Investidor CVM/DPDC Investimentos Irregulares Apresentação A Comissão de Valores Mobiliários ( CVM ) tem recebido, ao longo dos anos, um grande número de consultas e reclamações

Leia mais

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br Fachesf de Você está em nossos planos Criada em 10 de abril de 1972, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), sua patrocinadora, a Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social é uma

Leia mais

A palavra é eficiência

A palavra é eficiência A palavra é eficiência A redução de juros está no radar da indústria global de seguros. Compensar negócios mal precificados com ganhos financeiros já não é mais possível em um cenário de taxas em queda.

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

Uma Breve análise da FUNPRESP e a PL 1992/2007: mais uma vitória do capital financeiro

Uma Breve análise da FUNPRESP e a PL 1992/2007: mais uma vitória do capital financeiro Uma Breve análise da FUNPRESP e a PL 1992/2007: mais uma vitória do capital financeiro * Fernando Marcelino A mundialização financeira, desde meados da década de 1960, em conjunto com uma série de medidas

Leia mais

entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil

entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil 10 Brasil-Portugal no Ceará ABRINDO PORTAS PARA O BRASIL PRESIDENTE DA ADIT BRASIL, FELIPE CAVALCANTE DESTACA O ATUAL PANORAMA DOS INVESTIMENTOS

Leia mais

SEGUROS, RESSEGUROS E PREVIDÊNCIA. Resoluções CNSP de fevereiro de 2013. 1. Resolução CNSP nº. 276, de 30 de janeiro de 2013

SEGUROS, RESSEGUROS E PREVIDÊNCIA. Resoluções CNSP de fevereiro de 2013. 1. Resolução CNSP nº. 276, de 30 de janeiro de 2013 SEGUROS, RESSEGUROS E PREVIDÊNCIA 08/03/2013 Resoluções CNSP de fevereiro de 2013 1. Resolução CNSP nº. 276, de 30 de janeiro de 2013 A Resolução CNSP nº. 276, publicada em 18 de fevereiro de 2013 no Diário

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T06 Porto Seguro 14 de Agosto de 2006

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T06 Porto Seguro 14 de Agosto de 2006 Operadora: Bom dia a todos. Sejam Bem Vindos à Teleconferência da S.A. para a discussão dos resultados referentes ao segundo trimestre de 2006. Estão presentes no evento os Srs. Casimiro Blanco Gómez,

Leia mais

Novas vantagens do Supersimples poderão ser aprovadas ainda este ano

Novas vantagens do Supersimples poderão ser aprovadas ainda este ano Novas vantagens do Supersimples poderão ser aprovadas ainda este ano Ainda durante este ano, o Congresso Nacional poderá aprovar novas vantagens para as micro e pequenas empresas optantes do Simples Nacional,

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015.

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, na abertura do X Seminário Anual sobre Riscos, Estabilidade Financeira e Economia Bancária.

Leia mais

8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária. Rio de Janeiro Agosto - 2010

8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária. Rio de Janeiro Agosto - 2010 Normas Internacionais de Supervisão 8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária Rio de Janeiro Agosto - 2010 Sumário: 1. Solvência II 2. International Association of Insurance Supervisors IAIS 3.

Leia mais

5ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros

5ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros 5ª Conferência de Proteção do Consumidor de Seguros Meios de solução de controvérsias na relação de consumo de seguro Silas Rivelle Junior Ouvidor da Unimed Seguradora e Presidente da Comissão de Ouvidoria

Leia mais

A legitimidade da CNseg

A legitimidade da CNseg 18 A legitimidade da CNseg Para provocar o controle abstrato de constitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal FELIPE MONNERAT 19 A Constituição Federal de 1988 prevê mecanismos de controle da compatibilidade

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL?

EM PAUTA O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? O QUE É PRECISO FAZER PARA VIABILIZAR O ACESSO DE PEQUENAS & MÉDIAS EMPRESAS AO MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL? 8 REVISTA RI Setembro 2013 É o mercado de capitais brasileiro que precisa das pequenas e médias

Leia mais

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição Contratos 245 Conceito A A Lei de Licitações considera contrato todo e qualquer ajuste celebrado entre órgãos ou entidades da Administração Pública e particulares, por meio do qual se estabelece acordo

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2015 (do Sr. Lucas Vergílio)

PROJETO DE LEI N o, DE 2015 (do Sr. Lucas Vergílio) PROJETO DE LEI N o, DE 2015 (do Sr. Lucas Vergílio) Altera e revoga dispositivos da Lei nº 4.594, de 29 de dezembro de 1964, que Regula a profissão do corretor de seguros. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

Guia Geral - Corretores

Guia Geral - Corretores Guia Geral - Corretores Seguro de Pessoas Individual Nova Regulamentação Janeiro/2006 sulamerica.com.br 0 Falando de Seguros Antes de conhecer os detalhes da Nova Regulamentação de Seguro de Pessoas,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 259, de 2010 Complementar, que altera a Lei Complementar nº 126, de 15 de janeiro de 2007, que dispõe sobre a

Leia mais

Entrevista CADERNOS DE SEGURO

Entrevista CADERNOS DE SEGURO Entrevista 6 Marco Antonio Rossi Presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) POR Vera de Souza e Lauro Faria

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. Felipe Bornier) Regulamenta o exercício do Profissional de Marketing, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1 0 - Quem é o que faz o profissional

Leia mais

Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007

Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007 Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007 1) Introdução Nos últimos dias úteis de 2006, o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP)

Leia mais

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Por Paulo Botti, presidente da Terra Brasis, resseguradora local Nascido em 2008 após árduo trabalho e amplo diálogo entre

Leia mais

Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades

Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades 13 de novembro, 2013 Gabriel Portella O mercado está em constante mudança... Desenvolvimento tecnológico Mudança

Leia mais

EDIÇÃO 06 NOVEMBRO 2014 ANO 2. Uso consciente do crédito: PROPAGUE ESSA IDEIA!

EDIÇÃO 06 NOVEMBRO 2014 ANO 2. Uso consciente do crédito: PROPAGUE ESSA IDEIA! Uso consciente do crédito: PROPAGUE ESSA IDEIA! EDUCAÇÃO FINANCEIRA USO CONSCIENTE DO CRÉDITO: PROPAGUE ESSA IDEIA! Ele está tão integrado ao nosso dia a dia, que alguns consumidores acabam usando o recurso

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

LEI 4594 de 1964 - Seguros - Regulamentação da Profissão de Corretor

LEI 4594 de 1964 - Seguros - Regulamentação da Profissão de Corretor LEI 4594 de 1964 - Seguros - Regulamentação da Profissão de Corretor LEI Nº 4.594, DE 29 DEZEMBRO DE 1964 (DOU 05.01.1965) Regula a Profissão de Corretor de Seguros. Nota: Ver Resolução SUSEP nº 81, de

Leia mais

Objetivo: Nosso negócio:

Objetivo: Nosso negócio: Informações sobre o Programa Nome do Programa Bob s Melhor Idade Início do Programa: 20 de Abril de 2003 Setor responsável: Responsabilidade Social Contato: Vinitius Fernandes Cargo: Coordenador de Responsabilidade

Leia mais

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários;

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários; O QUE É A CVM? A CVM - Comissão de Valores Mobiliários é uma entidade autárquica em regime especial, vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade

Leia mais

FenSeg. Guia de Boas Práticas. Seguro Automóvel

FenSeg. Guia de Boas Práticas. Seguro Automóvel FenSeg Guia de Boas Práticas Seguro Automóvel Sumário 1. Introdução 2. Objetivo 3. O Seguro Automóvel 3.1 Coberturas 3.2 Abrangência Geográfica 4. Recomendações 4.1 Relações com Segurados 4.2 Relações

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers)

Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers) Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers) O ônus de liderar.... Construí um patrimônio sólido depois de muitos anos de trabalho. Infelizmente não posso usufruir de nada com tranquilidade...

Leia mais

SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÔES

SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÔES MECANISMO DE ACOMPANHAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÔES A. PRIMEIRA RODADA DE ANÁLISE 1.1. (a) Levando em consideração

Leia mais

Resolução CNSP Nº 315 DE 26/09/2014 Publicado no DO em 29 set 2014

Resolução CNSP Nº 315 DE 26/09/2014 Publicado no DO em 29 set 2014 Resolução CNSP Nº 315 DE 26/09/2014 Publicado no DO em 29 set 2014 Dispõe sobre as regras e os critérios para operação do seguro viagem. A Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, no uso da atribuição

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ ORIGEM e COMPOSIÇÃO O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) foi idealizado a partir da união de esforços e comunhão de objetivos das seguintes entidades: -ABRASCA: Presidente - ANTONIO DUARTE CARVALHO

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

DESAFIOS PARA O CRESCIMENTO

DESAFIOS PARA O CRESCIMENTO educação para o trabalho Equipe Linha Direta DESAFIOS PARA O CRESCIMENTO Evento realizado na CNI apresentou as demandas da indústria brasileira aos principais candidatos à Presidência da República Historicamente

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 374, de 2008 SUBSTITUTIVO DO RELATOR

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 374, de 2008 SUBSTITUTIVO DO RELATOR COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 374, de 2008 SUBSTITUTIVO DO RELATOR Dispõe sobre o aperfeiçoamento dos instrumentos de seguro rural

Leia mais

guia prático volume I finanças

guia prático volume I finanças guia prático volume I finanças Manter-se bem informado para gerenciar seu consultório ou clínica da melhor maneira possível é fundamental para o sucesso. Dessa forma, além de obter um resultado final mais

Leia mais

GRUPO CGSC INVESTE FORTE NO BRASIL

GRUPO CGSC INVESTE FORTE NO BRASIL Ano XVI Nº 157 2015 R$ 20,00 GRUPO CGSC INVESTE FORTE NO BRASIL Fábio Basilone Presidente da CGSC para o Brasil Especial: saiba tudo sobre o 4º Encontro de Resseguro do Rio de Janeiro reuniu mais de 500

Leia mais

A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar. Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes

A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar. Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPLEMENTAR Evitamos conversar sobre morte e dinheiro. A previdência cuida de ambos. Ivan

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

Marcas do profissionalismo e eficiência

Marcas do profissionalismo e eficiência Marcas do profissionalismo e eficiência Advogados gaúchos possuem expertise em serviços prestados às seguradoras Escritório Müller & Moreira, que agora completa 20 O anos de fundação, iniciou suas atividades

Leia mais

Perspectivas & Oportunidades do Mercado Segurador frente aos Novos Consumidores. Marco Antonio Rossi Presidente

Perspectivas & Oportunidades do Mercado Segurador frente aos Novos Consumidores. Marco Antonio Rossi Presidente Perspectivas & Oportunidades do Mercado Segurador frente aos Novos Consumidores Marco Antonio Rossi Presidente AGENDA I O Universo dos Novos Consumidores 2 O Mundo do Seguros 3- Perspectivas e Oportunidades

Leia mais

Brasilia (DF), 16 de dezembro de 2014.

Brasilia (DF), 16 de dezembro de 2014. Brasilia (DF), 16 de dezembro de 2014. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil na Comissão de Assuntos Econômicos, no Senado Federal Página 1 de 8 Exmo. Sr. Presidente

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MPH0813 PLANO NACIONAL DE TURISMO: UM CAMINHO PARA A BUSCA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades

#ElesPorElas. Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades #ElesPorElas Movimento ElesPorElas (HeForShe) de Solidariedade da ONU Mulheres pela Igualdade de Gênero Impactando Universidades ElesPorElas Criado pela ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para

Leia mais

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Boa tarde. É com satisfação que estamos aqui hoje para anunciar o lançamento das novas cédulas de 10 e 20 reais, dando sequência ao projeto

Leia mais

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Indicadores de Desenvolvimento 4. Cenários 5. O Agregado de Oportunidades 6. Seguros

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 31, DE 2004. RELATÓRIO PRÉVIO (reformulado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 31, DE 2004. RELATÓRIO PRÉVIO (reformulado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 31, DE 2004. RELATÓRIO PRÉVIO (reformulado) Propõe que a Comissão de Finanças e Tributação realize ato de fiscalização e controle, por meio de órgão competente, acerca

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei Nº 4.769, de 09 de setembro de 1965 O Presidente da República Dispõe sobre o exercício da profissão de Administrador e dá outras providências (*) (**). Faço saber que o Congresso Nacional decreta e

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 Altera o art. 2º do Decreto-Lei nº 2.296, de 21 de novembro de 1986, a alínea p do 9º do art. 28 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 e o art. 63 da Medida Provisória nº

Leia mais

PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010.

PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010. PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010 Eugênio Velasques 2020 2030 2040 2050 2010 Evolução da População 300 250 200 150 5 vezes

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país.

Elas formam um dos polos mais dinâmicos da economia brasileira, e são o principal sustentáculo do emprego e da distribuição de renda no país. Fonte: http://www.portaldaindustria.org.br 25/02/2015 PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO NACIONAL (CDN) DO SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE), NA SOLENIDADE

Leia mais

Gestão de Riscos. Glossário de seguros

Gestão de Riscos. Glossário de seguros Gestão de Riscos Glossário de seguros A ADESÃO - Termo utilizado para definir características do contrato de seguro; contrato de adesão; ato ou efeito de aderir. ADITIVO - Termo utilizado para definir

Leia mais

O Brasil Sem Miséria é um Plano de metas para viabilizar o compromisso ético ousado do Governo da presidenta

O Brasil Sem Miséria é um Plano de metas para viabilizar o compromisso ético ousado do Governo da presidenta O Brasil Sem Miséria é um Plano de metas para viabilizar o compromisso ético ousado do Governo da presidenta Dilma Rousseff. É também um desafio administrativo e de gestão ao impor ao setor público metas

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Produção de bens e serviços de saúde A origem dos bens e serviços ofertados em qualquer setor da economia (oferta ou recursos) pode ser a produção no próprio país ou a importação.

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

Sumário. Apresentação 2. Identidade Corporativa 3. Serviços 4

Sumário. Apresentação 2. Identidade Corporativa 3. Serviços 4 Sumário Apresentação 2 Identidade Corporativa 3 Serviços 4 2 Apresentação Aproximam-se as comemorações dos 350 anos das atividades postais no Brasil. Desde o dia 25 de janeiro de 1663, os Correios vêm

Leia mais

Mongeral Aegon. Princípio para Sustentabilidade em Seguros. Relatório 2013 2014

Mongeral Aegon. Princípio para Sustentabilidade em Seguros. Relatório 2013 2014 Mongeral Aegon Princípio para Sustentabilidade em Seguros Relatório 2013 2014 Durante os anos de 2013 e 2014, a Mongeral Aegon realizou uma significativa reestruturação, com impacto em toda sua estrutura

Leia mais

SANÇÕES ADMINISTRATIVAS E PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR NO ÂMBITO DA SUSEP

SANÇÕES ADMINISTRATIVAS E PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR NO ÂMBITO DA SUSEP SANÇÕES ADMINISTRATIVAS E PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR NO ÂMBITO DA SUSEP MARÇO 2011 DE Sanções Administrativas e PAS O Poder de Polícia do Estado (Regulação e Supervisão) O Processo Administrativo

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Este documento objetiva a apresentação de nosso voto relativamente ao assunto em epígrafe, acompanhado da respectiva justificativa.

Este documento objetiva a apresentação de nosso voto relativamente ao assunto em epígrafe, acompanhado da respectiva justificativa. VOTO ASSUNTO: AUDIÊNCIA PÚBLICA DA MINUTA DE CIRCULAR QUE DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA A CONTRATAÇÃO DE SEGURO EM MOEDA ESTRANGEIRA, A CONTRATAÇÃO DE SEGURO NO EXTERIOR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

Leia mais

PORTARIA Nº 519, DE 24 DE AGOSTO DE 2011

PORTARIA Nº 519, DE 24 DE AGOSTO DE 2011 PORTARIA Nº 519, DE 24 DE AGOSTO DE 2011 (Publicada no DOU de 25/08/2011 e retificada no DOU de 26/08/2011) Atualizada em 02/05/2012 Dispõe sobre as aplicações dos recursos financeiros dos Regimes Próprios

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção)

PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.554, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) Dispõe sobre a profissão do profissional de coaching (coach), e dá outras providências. DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: TRABALHO,

Leia mais

12 dicas para baixar o preço do seguro do carro

12 dicas para baixar o preço do seguro do carro 12 dicas para baixar o preço do seguro do carro Especialistas ensinam a pagar mais barato sem assumir riscos demais cortando coberturas necessárias Carros antigos: seguros mais caros devido aos custos

Leia mais

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa Manual de Governança Corporativa Sumário 1. Definição.... Objetivo... 3. Da Contextualização da PREVIMINAS... 3.1. Arcabouço Legal e Regulatório... 3.. A Identidade da PREVIMINAS... A Filosofia Empresarial

Leia mais