Revista CONTEC. Ano I - nº 1 - setembro/2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Revista CONTEC. Ano I - nº 1 - setembro/2008"

Transcrição

1 Revista CONTEC Ano I - nº 1 - setembro/2008 Uma publicação da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito

2 Carta aberta TEMOS MUITAS VITÓRIAS PARA COMEMORAR, SEM NOS ESQUECERMOS QUE AINDA HÁ MUITA BATALHA PELA FRENTE... Ao completar 50 anos, a CONTEC vivencia um momento singular da sua história que é cercado de simbolismos e emoções e, também, invoca um momento de reflexão sobre como devemos enfrentar a difícil batalha em nome sindicalismo combativo e de resultados. Simbolismo e emoção brotam da constatação que nada chega a meio século de existência, impunemente. Para milhares de trabalhadores e trabalhadoras do ramo financeiro, a CONTEC tem sido e continuará sendo a defensora de seus direitos e interesses de modo firme, independente e autônomo. Desde 1958, quando foi fundada, a entidade coleciona uma consagrada história de lutas por melhores condições de vida, de trabalho e melhores e mais justos salários. A sua historiografia registra inúmeras mobilizações nacionais pela redemocratização do Brasil e em defesa de bandeiras, que ampliaram a participação política, trabalhista e socioeconômica dos trabalhadores. Sempre independente de governos, de patrões e com autonomia quanto aos partidos políticos, embora isto tenha nos custado muito caro. Sofremos intervenções do Ministério do Trabalho em 1964 e Tempos difíceis, em que tivemos companheiros perseguidos, presos, torturados, e até mesmo assassinados, como no caso do presidente da CONTEC, Aluízio Palhano. Ainda que tenhamos chegado aos 50 com muitas realizações, temos que olhar para o futuro sabendo que ainda há muito que fazer. Temos de lutar para manter um sindicalismo forte e independente do governo. Por isto, defendemos a unicidade sindical; somos contra a contribuição negocial, da maneira como quer impor as centrais e o governo; e queremos garantia de permanência do sistema confederativo. Estar à frente da CONTEC neste momento é motivo de muita honra e orgulho pessoal, mas tenho certeza que toda a diretoria da entidade compartilha comigo a mesma satisfação de vivenciar esta data. Na verdade, este é um orgulho que transcende esta ou aquela administração, e deve estar sendo vivenciado por cada trabalhador bancário e securitário. Rendemos nossas homenagens às diretorias e presidentes que nos antecederam: Huberto de Azevedo Pinheiro (1º presidente); Aluízio Palhano (2º presidente); Ruy Brito de Oliveira Pedroza (3º presidente); Wilson Gomes de Moura (4º presidente). Este número comemorativo da Revista CONTEC 50 ANOS precisa ser visto não só como o coroamento do trabalho e do esforço dos inúmeros profissionais que contribuíram para que nossa entidade pudesse se tornar o que ela é hoje, mas como um desafio para que nossa confederação continue se aperfeiçoando e comemorando aniversários por muitas outras décadas. Sempre com muito sucesso. Parabéns, CONTEC! Lourenço Ferreira do Prado Presidente da CONTEC Expediente CONTEC - Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito Entidade sindical de grau ruperior reconhecida pelo Dec de 1959 do presidente da República Avenida W4 Sul SEP EQ 707/907 - Conj. A/B - Brasília-DF. CEP Tel.: 55 (61) Fax: 55 (61) / Conselho diretor da contec Lourenço Ferreira do Prado - Presidente Gladir Antônio Basso - 1º Vice-Presidente Lúcio César Pires - 2º vice-presidente João Barbosa - 3º Vice-presidente José Jesus Trabulo de Sousa - 4º vice-presidente Gilberto AntOnio Vieira - Secretário-Geral Rumiko Tanaka - Diretora de Finanças Luiz Gustavo de Pádua Walfrido - Diretor de Assuntos Legislativos Isaú Joaquim Chacon - Diretor de Previdência Social Complementar Conselho Fiscal Sérgio Roberto Pio José Henrique da Costa Mendes Heiler Alves da Rocha Jornalista Responsável Renata Moura (DF02527JP) Colaboradores Fernando Brito, Desirreê Senger e Teixeira Cruz Designer Gráfico Eron de Castro Revisão???????????????????????????? Impressão????????????????????? Tiragem Revista CONTEC

3 Editorial Completar cinqüenta anos é um momento muito especial. Tempo de rever a história e de analisar as perspectivas para o futuro. Nesta edição comemorativa da Revista da CONTEC, vamos relembrar a fundação da única entidade de grau superior, legítima e legalmente instituída para representar os trabalhadores do ramo financeiro. Acompanharemos, ao longo dos tempos, suas posições firme, independente e ética sempre em defesa dos interesses dos trabalhadores. Ainda conheceremos um pouco da importância da CONTEC no contexto histórico do nosso país. A presença dos bancários e securitários organizados em movimentos pelas Diretas Já, pelo FORA COLLOR, e ainda a greve histórica de 1985, que parou todo o país por três dias consecutivos. Nesta publicação, você conhecerá também um pouco da história de Aluízio Palhano, o ex-presidente da CONTEC que foi perseguido pela Ditadura Militar, preso, torturado e assassinado em Veremos como a entidade enfrentou duas intervenções do Ministério do Trabalho. E, como, agora já no século XXI, enfrenta a ditadura disfarçada de democracia, que desrespeita a estrutura sindical vigente assegurada pela Constituição da República. Também disponibilizamos para o leitor dicas de moda trabalhistas, cultura e ainda as novidades do mundo da internet. Entram também no índice desta publicação, matérias sobre saúde, e é claro, boa alimentação. Boa leitura! Sumário MEMÓRIA Contec: 50 anos de lutas e vitórias Quem foi Aluízio Palhano A histórica greve de ANIVERSÁRIO 50 ANOS Contec lança selo e carimbo comemorativos Declarações daqueles que acompanharam a trajetória de lutas da CONTEC MESAS DE NEGOCIAÇÕES Saiba quem negocia em nome dos bancários e securitários brasileiros ENTREVISTA Senador Paulo Paim (PT-RS) GERAL Constituição Brasileira completa 20 anos PRL ainda é muito injusta Piores Formas de Trabalho Infantil Mulheres menos satisfeitas com bancos MODA Para ela Cuidado com a roupa que você veste no trabalho Para ele Tire suas dúvidas na hora de se vestir SAÚDE Bancários são prejudicados por excesso de trabalho Assédio Moral prejudica a saúde Melhore seus hábitos alimentares CINEMA Dicas de filmes que têm o mundo do trabalho como tema ARTIGOS Juntos em defesa da Previdência Por Robson de Souza Bittencourt Fator Previdenciário, crime contra os trabalhadores Por Trajano Jardim Lei Maria da Penha: Justiça precisa ser feita Por Rumiko Tanaka Educação: Resposta certa contra o trabalho infantil Por Renato Mendes FST: Sindicalismo forte, responsável e de resultados Por José Augusto da Silva Filho Voip, telefone de graça Por Waldir Fonseca Amadurecimento tributário Por Deputado Edinho Bez Revista CONTEC 3

4 7º Convenção Nacional dos Bancários, em Belo Horizonte (MG), em º Congresso Nacional dos Bancários e Securitários, realizado de 25 a 30 de julho de 1966 Memória CONTEC 50 anos de lutas e vitórias Bancários em frente ao banco Banrisul, em Caxias do Sul (RS), durante a greve de 1986 Movimento de rua em Caxias do Sul (RS), durante a greve de Revista CONTEC

5 Fotos: Arquivo Seeb de Caxias do Sul e Região Bancários participam do Desfile da Independência em 1937, na cidade de Caxias do Sul (RS) Comemoração do Dia do Bancário, durante a 7º Convenção Nacional dos Bancários, realizada em Belo Horizonte, em 1952 A CONTEC Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito representa todos os trabalhadores em bancos, seguradoras, e demais instituições financeiras do Brasil. Em 28 de julho de 2008, completou 50 anos de uma consagrada história de vitoriosas lutas em prol dos seus representados, na busca constante de melhores condições de vida, de trabalho e melhores e mais justos salários Embora reconhecida oficialmente somente em 4 de agosto de 1959, por meio do Decreto nº , do Presidente da República do Brasil, Juscelino Kubitschek de Oliveira, àquela época, a CONTEC já sustentava um processo engajado de reivindicações do sindicalismo brasileiro, sendo a primeira experiência nacionalmente articulada de organização vertical representativa da classe trabalhadora. Na sua historiografia, a CONTEC registra inúmeras mobilizações nacionais pela redemocratização do Brasil e em defesa de bandeiras, que ampliam a participação política, trabalhista e socioeconômica dos trabalhadores nos eventos mais relevantes da sociedade brasileira, mesmo quando esteve sob intervenções do Ministério do Trabalho. A entidade sempre apoiou a conquista e ampliação dos direitos previdenciários. Seus primeiros dirigentes participaram da criação do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Bancários IAPB, que foi extinto em 1967, pelos governos militares, que preferiram fazer sua fusão com o Instituto Nacional de Previdência Social, hoje, INSS. Bancários em frente à agência do banco Bradesco, em Vacaria, durante a greve de 1986, que iniciou no dia 24 de abril Bancários em frente à agência Centro do Bradesco, em Caxias do Sul (RS), durante a greve de 1987 Revista CONTEC 5

6 Foto: SEEB Campinas Arbitrariedade na intervenção A independência de governos, de patrões e autonomia quanto aos partidos políticos custou caro a CONTEC, que sofreu intervenção do governo em 1964 e Durante a primeira delas, o então presidente da CONTEC, Aluysio Palhano Pedreira Ferreira foi preso, torturado e exilado. Em 1971, foi assassinado quando retornava clandestinamente pela segunda vez ao Brasil para auxiliar na luta pela redemocratização do País. Diretas Já Treze anos após o assassinato do companheiro Palhano, a sociedade brasileira pós-golpe começou se rearticular e, com ajuda de várias entidades sindicais, entre elas a CONTEC, se engajou no grande movimento pelas Diretas-Já. Os bancários de todo o país foram às ruas lutar pelo direito ao voto, com a organização de comitês pró-diretas nos bancos e o vitorioso movimento por eleições diretas para o Corep e Direp do Banespa. Em 1985, os sindicalistas participam da formação do Plenário Pró- Participação Popular na Constituinte, fundamental para a elaboração de emendas de iniciativa popular, que resultaram em grandes colaborações para a elaboração da Constituição Cidadã de Atuação no Legislativo A atuação destemida e independente foi e ainda é marca registrada da CONTEC. Em seus 50 anos de vida, não descuidou de oferecer Posse da diretoria do Seeb de Caxias do Sul e Região em Sentado à direita, Rômulo Segalla, preso em 1964, pelos militares, quando então era presidente do Seeb Bancários em frente ao banco Banrisul, em Caxias do Sul (RS), durante a greve de Revista CONTEC

7 Fotos: Ernesto de Souza/Seeb Campinas Da esquerda para direita: Lourenço Prado (CONTEC), Eriberto Manuel Reino (FEEB SP/MT/MS), André Luiz Von Zuben (Seeb Campinas), Roberto Pinto Ribeiro (FEEB PR) sugestões e alternativas para o aperfeiçoamento das instituições financeiras brasileiras. Elaborou um projeto de lei destinado à limitação da especulação financeira em defesa do caráter social e seletivo do crédito. A proposta apresentada ao Congresso Nacional também defendia a nacionalização dos bancos estrangeiros, o monopólio e centralização do câmbio, bem como a transformação do Banco do Brasil em Banco Central, cuja gestão seria conduzida de forma tripartite com a participação de representantes dos empregadores, dos trabalhadores ao lado do próprio governo central. Já sob a atuação direção, a CON- TEC apresentou, novamente, em 1992, projeto de lei que defendia a reestruturação do Sistema Financeiro Nacional. No documento, a confederação sugeriu que a diretoria do Banco Central do Brasil fosse constituída por meio de mandatos, para que houvesse mais independência na gestão. Propôs penalidades mais rígidas no caso de fraudes e desvios de conduta na administração de instituições financeiras; e estabeleceu a extinção de todos os conselhos e comissões consultivas no âmbito do Sistema Financeiro Nacional. Também buscou com aquele projeto de lei proteger os trabalhadores. Para tanto, no projeto de lei estabeleceu que todos os fundos compulsórios de poupança social e a poupança depositada em cadernetas teriam garantia contra a desvalorização inflacionária da moeda nacional. Presidente da SEEB Brasília, Augusto Carvalho discursa durante Encontro de 1985 Em 2000/2001, a FEEB-PR e seus Sindicatos filiados travaram uma luta intensa para conquistar a lei que estabelece o tempo máximo de espera nas filas nos bancos Revista CONTEC 7

8 Da esquerda para direita: Olívio Dutra (RS), Luis Gushiken (SP), Sérgio Hey (PR), André Luiz Von Zuben (Seeb Campinas), Gelson Marcon (RS), Jarbas Quintino dos Santos (RS), Roberto Pinto Ribeiro (FEEB PR) Negociações coletivas Na década de 1980, a CONTEC contribuiu com sugestões tempestivas à Constituinte, que gerou a atual Constituição da República, promulgada em 5 de outubro de Ainda na mesma década, recebeu do Poder Judiciário, por meio do Tribunal Superior do Trabalho, o reconhecimento de ser a única entidade sindical legítima para representar os empregados do Banco do Brasil S.A. e demais instituições financeiras. Situação que prossegue ainda hoje e que é de suma importância para o bancário brasileiro. Com as negociações salariais em nível nacional, a CONTEC conseguiu evitar o esfacelamento dos quadros de carreira, além de 8 Revista CONTEC

9 Fotos: Ernesto de Souza/SEEB Campinas Encontro de 85 conseguiu reunir sindicalistas de todo o Brasil Saiba mais... ampliar a relação entre trabalhadores e patrões. A união da categoria em âmbito nacional também foi importante para enfrentar do atual processo de globalização, fusão e organização dos bancos de todo o mundo. Fundada em 28 de julho de 1958, a CONTEC - Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito - é uma entidade sindical de grau superior que coordena as entidades sindicais dos bancários e securitários brasileiros. Também defende os direitos e interesses desses junto aos empregadores e poderes judiciário, executivo e legislativo. A CONTEC representa os trabalhadores das instituições financeiras como bancos, bancos de investimentos, seguradoras, corretoras, distribuidoras, fundos de previdência fechada e aberta, entre outras. A entidade atua junto ao Congresso Nacional, acompanhando e apresentando projetos e emendas de interesse dos trabalhadores. Outro foco de atuação é o judiciário. A partir de 1983, passou a assinar acordos coletivos de trabalho, em nível nacional, com o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia, Banco do Nordeste, BNDES, BNDESPAR, FINAME e BRB - Banco de Brasília. A CONTEC também coordena as negociações salariais dos empregados dos bancos privados junto à Federação Nacional dos Bancos e à Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e Capitalização. As pautas de reivindicações dos trabalhadores são discutidas e aprovadas nas assembléias gerais dos sindicatos que as submetem ao Encontro Nacional dos Bancários e Securitários para Planificação da Campanha Salarial. Por seu histórico de lutas e por ser autônoma e independente de governos e partidos políticos, a entidade sofreu duas intervenções, em 1964 e O presidente à época da primeira intervenção, Aluysio Palhano, foi assassinado pela repressão dos governos militares. Palhano foi o 2º presidente da CONTEC, e substituiu o fundador Huberto de Azevedo Pinheiro. Os demais presidentes foram Ruy Brito de Oliveira Pedroza, Wilson Gomes de Moura e Lourenço Ferreira do Prado. Este último preside a entidade até Revista CONTEC 9

10 Memória Quem foi Aluízio Palhano? Militante da VANGUARDA POPULAR REVOLUCIONÁRIA (VPR), Aluízio Palhano nasceu em 5 de setembro de 1922, em Pirajuí/SP, filho de João Alves Pedreira Ferreira e Henise Palhano Pedreira Ferreira. Aos 49 anos foi dado como desaparecido por familiares. Trechos de um texto escrito por Branca Heloysa, sua cunhada Em 1929, Aluízio e seu irmão Honésio, com 7 e 8 anos respectivamente, foram internados no Colégio Mackenzie, em São Paulo. Três meses depois, Aluízio apareceu sozinho em Pirajuí, a 350 km de São Paulo. Não havia se conformado com o regime do internato. Em 1932, com a morte de seu pai, a família mudouse para Niterói. Mais uma vez foi internado, desta vez no Colégio Salesiano, em Santa Rosa/Niterói. Uma vez mais Aluízio se rebelou contra o internato. Terminou o curso secundário no Colégio Plínio Leite e trabalhou como bilheteiro no Cine Royal, em Niterói. Aos 21 anos ingressou no Banco do Brasil onde trabalhou até ser cassado pelo Ato Institucional n.1 (AI-1) em Formou-se advogado pela Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense. Por duas vezes foi presidente do Sindicato dos Bancários. Em 1947, casou-se com Leda Pimenta e tiveram dois filhos, Márcia e Honésio. Em 1963 foi eleito presidente da CONTEC (Confederação dos Trabalhadores dos Estabelecimentos de Crédito) e vice-presidente da antiga CGT. Com o golpe de 1964, Aluízio teve seus direitos políticos cassados e passou a ser literalmente caçado pelos órgãos de repressão. Em fins de maio de 1964 asilou-se na Embaixada do México, indo posteriormente para Cuba. Em 1969, representou o Brasil na OLAS (Organização Latino- Americana de Solidariedade), em Havana, Cuba. Em 1970, regressou clandestino ao Brasil. Manteve contato com familiares por ocasião do casamento de sua filha. Em 24 de abril desse mesmo ano ainda fez contato com a família. Depois desse dia, o silêncio. Em 1976 correram os primeiros boatos de sua morte, confirmados em 1978 através de carta de Altino Dantas Jr., seu companheiro de prisão, encaminhada ao Ministro do Superior Tribunal Militar, General Rodrigo Otavio Jordão Ramos, denunciando o assassinato de Aluízio Palhano nas dependências do DOI- CODI da Rua Tutóia, em São Paulo, na madrugada de 21 de maio de Segundo esse relato, Aluízio esteve prisioneiro durante 11 dias, sofrendo as piores torturas. A Anistia Internacional confirmou esse depoimento. O preso político Nelson Rodrigues Filho também denunciou que esteve no DOI-CODI/ RJ com Aluízio Palhano. Apesar de todos estes testemunhos, os órgãos de segurança não reconheceram, até hoje, a prisão e a morte de Aluízio. Segundo os relatos, Aluízio foi preso no dia 9 de maio de 1971 e assassinado pelo torturador Dirceu Gravina no dia 21 de maio de Inês Etienne Romeu, em seu Relatório, afirmou que Aluízio foi levado 10 Revista CONTEC

11 Dados pessoais Nome de batismo: Aluysio Palhano Pedreira Ferreira Naturalidade: Pirajuí-SP Data de Nascimento: 5 de setembro de 1922 Profissão: Advogado, formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF) Dados da Militância Organização: Vanguarda Popular Revolucionária VPR Codinome: João Alves Pedreira Ferreira Prisão: 9/5/1971 Cidade: São Paulo-SP Brasil Situação: Desaparecido em 21/5/1971 em São Paulo-SP Suposta autoria: DOI-CODI/SP Observações: Segundo carta de Altino Dantas Jr., companheiro de prisão, foi assassinado para a Casa da Morte, em Petrópolis, em 13 de maio de Informou que quem o viu pessoalmente naquele aparelho clandestino da repressão foi Mariano Joaquim da Silva, também desaparecido desde aquela época, que presenciou sua chegada, narrando o seu estado físico deplorável. Inês ouviu a voz de Aluízio várias vezes, quando interrogado na Casa da Morte. Os relatórios dos Ministérios da Marinha, Exército e Aeronaútica não fazem referências à sua morte. O nome de Aluízio Palhano foi encontrado, em 1991, no arquivo do DOPS/PR numa gaveta com a identificação falecidos. Em 21 de maio de 1986, em homenagem a Aluízio Palhano, foi inaugurada rua com seu nome no bairro Campo Grande, no Rio de Janeiro, pelo Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro. Em 1994, Aluízio Palhano recebeu a Medalha Pedro Ernesto, da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, proposta pelo vereador Adilson Pires. E, em 2000, recebeu a Medalha Chico Mendes de Resistência outorgada pelo Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro, por indicação do Sindicato dos Bancários. Texto retirado do site desaparecidospoliticos.org.br, cuja organização é do Centro de Documentação Eremias Delizoicov e da Comissão de Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos. Dados da repressão Envolvido no assassinato: Departamento de Operações Internas - Centro de Operações de Defesa Interna/RJ DOI-CODI/RJ Departamento de Operações Internas - Centro de Operações de Defesa Interna/SP -CODI/SP Agente da repressão: Dirceu Gravina JC Revista CONTEC 11

12 Manifestação em defesa dos funcionários do Sulbrasileiro, no início daquele ano, já demonstrava tensão e a insatisfação dos bancários em relação aos rumos da economia brasileira Memória Greve de 1985 Em 1985, o Brasil sentia aos poucos a nova república. Os patrões se recusavam a negociar, mas a sede por justiça, liberdade e democracia, fez com que a opinião pública ficasse ao lado dos trabalhadores, que saiam em massa às ruas em busca de melhorias nas condições de trabalho Em 28 de agosto, Dia Nacional de Luta, o Brasil inteiro viu os bancos fecharem suas portas e os bancários nas ruas, em protesto. Em São Paulo, 30 mil bancários saíram em passeata, na maior manifestação realizada pela categoria. Outras cidades como Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte também fizeram fortes manifestações. No dia 10 de setembro, os bancários decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Era a quinta greve nacional da categoria e a primeira depois de Três dias depois do início da paralisação, o TST instaurou um dissídio e a maioria das capitais voltou ao trabalho. Greve Geral dos Trabalhadores Revista CONTEC

13 Bancários estavam preocupados com a defasagem dos salários e com os anúncios de privatizações Um ano depois Embora a proposta aprovada não tenha contemplado os anseios dos bancários, a greve de 1985 foi um marco para o movimento sindical. Ela materializou várias teses defendidas desde 1979, sobretudo a importância da identidade nacional. Um ano depois, em meio ao Plano Cruzado, os banqueiros recusavam atender as reivindicações dos empregados. No dia 11 de setembro de 1986, 500 mil bancários cruzam os braços em todo o país. Um dia depois o TRT do Rio julgou a greve ilegal. No dia 13 a greve acaba sem acordo, após uma violenta repressão da Polícia Federal. Em 1987, a inflação acelera e os bancários vêem seu poder aquisitivo no chão. O resultado foi a primeira grande greve nacional fora da Campanha Salarial. Conhecida como bola de neve, devido ao crescimento diário de adesões, a greve atinge 80% da categoria. Sem perspectiva de acordo, A greve em setembro de 1985 não parou só a Grande S.Paulo. Cascavel, no oeste do Paraná, também viveu esta paralisação o movimento dura nove dias, mas mostra o estágio de organização da categoria. Em 1988, os bancários também precisam entrar em greve para ampliar as conquistas. Depois de uma década de luta pelas eleições diretas para presidência da República, em que os bancários foram linha de frente nas manifestações, o primeiro presidente eleito decepciona os trabalhadores. Em 1990, os 300 mil bancários respondem ao arrocho do Plano Collor com uma greve nacional de sete dias, pela reposição das perdas e estabilidade no emprego. Fotos: FEEB-PR Revista CONTEC 13

14 Conselho diretor da contec Lourenço Ferreira do Prado - Presidente Gladir Antônio Basso - 1º Vice-Presidente Lúcio César Pires - 2º vice-presidente João Barbosa - 3º Vice-presidente José Jesus Trabulo de Sousa - 4º vice-presidente Gilberto Antonio Vieira - Secretário-Geral Rumiko Tanaka - Diretora de Finanças Luiz Gustavo de Pádua Walfrido - Diretor de Assuntos Legislativos Isaú Joaquim Chacon - Diretor de Previdência Social Complementar Conselho Fiscal da CONTEC Sérgio Roberto Pio José Henrique da Costa Mendes Heiler Alves da Rocha 14 Revista CONTEC

15 Federações José Jesus Trabulo de Sousa Presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Norte e Nordeste Gladir Antonio Basso Presidente da Federação dos Bancários no Estado do Paraná Serafim Gianocaro Presidente da Federação Nacional dos Securitários Alfredo Brandão Horsth Presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e DF João Barbosa Presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Santa Catarina Fernando Vilar Presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários da Paraíba João José Bandeira Presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte Luiz Carlos dos Santos Barbosa Diretor Jurídico da Federação dos Bancários do RS e delegado da CONTEC/RS Funcionários da CONTEC Uptatem quisisci bla am dolor irillam consequ issent alisi tio coreriure corerci blamconsed del utet, quate faciliquat. Ut aci te voloborem dolortis niamet utpat nullamet, veliscin hent ad modit, vel exerat er acil il ulla Revista CONTEC 15

16 Diretoria da CONTEC, presidentes de federações e de sindicatos prestigiaram a cerimônia ANIVERSÁRIO CONTEC comemora 50 anos Cerimônia abriu as comemorações do aniversário da entidade, que completou em 2008, meio século de vida. Diretor regional dos Correios esteve presente e elogiou o trabalho da CONTEC e, sua história de lutas Prado lembrou os tempos difíceis de intervenção No dia 28 de julho, a CONTEC comemorou 50 anos de existência com o lançamento oficial do selo e carimbo comemorativos dos Correios. Com a presença de várias autoridades, entre elas presidentes de federações e sindicatos, representantes de confederações nacionais, de instituições financeiras, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), a solenidade reuniu pouco mais de 100 pessoas para o ato de obliteração do mais novo registro postal brasileiro. Na oportunidade, o presidente da CONTEC, Lourenço Prado, lembrou um pouco da história da confederação e de sua importância para a democracia brasileira. Ganhamos nosso espaço no sindicalismo brasileiro. Conquistamos grandes vitórias. Também tivemos tempos difíceis como à época das intervenções do Ministério do Trabalho em 1964 e Em 1971, ainda dentro deste regime opressor, tivemos um dos presidentes da CONTEC, Aluysio Palhano, perseguido e assassinado. Mas com a força de Deus, enfrentamos tudo isto sempre com um posicionamento forte, autônomo e independente. E é assim que pretendemos enfrentar os próximos 50 anos, avisou. As peças filatélicas ficarão expostas até o final do ano, no Museu da ECT e farão parte do acervo nacional da empresa. Para o diretor regional dos Correios em Brasília, José Luis Martins Chinchilla, a CONTEC é uma confederação de grande importância na história do país, o que vai enriquecer ainda mais o acervo dos Correios. Também estiveram presentes representantes da ANABB e FENABAN. 16 Revista CONTEC

17 Carimbo da CONTEC vai para museu dos Correios Diretor dos Correios elogiou o novo registro postal pela importância histórica Presidentes das federações e de alguns sindicatos estiveram presentes Um pouco da história dos selos Os selos postais representam fonte inesgotável de e cultura. De simples comprovantes de franqueamento dos Correios, transformaram-se em expressivos retratos do país, importante meio de comunicação e pequenas obras de arte, incentivando uma forma saudável de colecionamento e intercâmbio entre os povos. Nossos selos levam os encantos do Brasil aos mais remotos pontos do planeta. Reproduzem, nos traços e nas cores dos artistas que os idealizam, toda a riqueza, beleza e exuberância de nosso meio ambiente; perpetuam o rosto, os ideais e os valores dos personagens que escreveram nossa História; divulgam as metas e as conquistas de cada governo; ressaltam a criatividade que resulta de um país formado de diferentes etnias, mas único na expressividade das artes; promovem o folclore, os sons, os ritmos, as danças, os adereços, a literatura, os temperos e os sabores. Formam uma bela coleção, que mostra ao mundo, com muito estilo, a perseverança e a simpatia do brasileiro. Mais do que produto e peça de coleção, os selos desempenham o papel de disseminadores do conhecimento. Invadem as salas de aula para interagir com professores e alunos na construção de um Brasil cada vez mais brasileiro e cidadão. Vale ainda ressaltar que, entre as diversas modalidades de colecionismo, a filatelia é, talvez, a mais difundida em todo o mundo. O selo postal e o prazer de colecioná-lo envolvem a atenção de gente de todas as idades e culturas. Mas o futuro da tradição está hoje parcialmente ameaçado pela tecnologia de comunicação disponível neste terceiro milênio. Se o telégrafo e o telefone não chegaram a restringir a difusão do costume de escrever cartas e enviá-las pelos correios mundo afora, o mesmo não se pode dizer da obstinação das telecomunicações e, principalmente, da internet em tornar o hábito de escrever manualmente uma carta, ou cartão-postal, e despachá-la selada, um ato cada vez mais raro. A filatelia certamente sobreviverá aos novos tempos, mesmo progressivamente mais rápidos. Além disso, o valor dos selos para a história da humanidade é intransferível. Por meio desses estimáveis e coloridos papeizinhos, se expande uma vasta cultura e uma fina educação, que, continuada e transmitida, faz permanecer entre os colecionadores o gosto pelo estudo tranqüilo, pela investigação exata e pela classificação sistemática, entusiasmando a saber mais e mais sobre os motivos impressos e, principalmente, entre os novos colecionadores entra em jogo, o fator primordial: a investigação. Nos selos, há motivos de estudo e cultura para todos os gostos: arte, história, geografia, política, história natural, religião, ciência aplicada, biografia dos grandes vultos da humanidade, etc, e com todos esses incentivos, o colecionador se educa e se torna culto, lendo, estudando, investigando os motivos que coleciona e, assim fazendo, adquire pelos selos sólida cultura geral e se educa artisticamente a si mesmo, compulsando tratados e enciclopédias, e bebendo nessas fontes vastas somas de conhecimentos gerais e especializados, em todos os ramos das atividades humanas. Portanto, o selo que é um elo pacífico de união e de compreensão entre os povos, leva em seus motivos mensagens de amor e de paz entre os homens e, também, elementos de educação e cultura, que de povo a povo transmite, na mudez de seus desenhos, na sugestão de seus fundamentos e na razão de suas finalidades. *Texto extraído dos livros: Selos Postais no Mundo - Filatelia: Sua História, Hobby, Cultura e Investimento, de Sergio Marques da Silva; Selos Postais do Brasil - Cícero Antônio de Almeida, Pedro Karp Vasquez e Ronaldo Graça Couto; Compêndio da Filatelia - compilado e editado por Adalberto Marcus D Antonio Olivé Leite Revista CONTEC 17

Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes.

Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes. Ditadura: É uma forma de governo em que o governante (presidente, rei, primeiro ministro) exerce seu poder sem respeitar a democracia, ou seja, governa de acordo com suas vontades ou com as do grupo político

Leia mais

Lançamento do livro Coragem reúne principais advogados de presos e perseguidos políticos

Lançamento do livro Coragem reúne principais advogados de presos e perseguidos políticos Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de São Paulo Lançamento do livro Coragem reúne principais advogados de presos e perseguidos políticos 31/03/2014 Os 50 anos do golpe militar fazem parte da história

Leia mais

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas BANCÁRIOS Uma História marcada por lutas e conquistas 1 932 18/04/1932 1ª Greve dos Bancários Iniciada em Santos, formada por funcionários do Banco Banespa que reivindicavam melhorias salariais e das condições

Leia mais

MOÇÃO DE PESAR. Pesar pelo falecimento de ANTONIO CABEÇA FILHO

MOÇÃO DE PESAR. Pesar pelo falecimento de ANTONIO CABEÇA FILHO Sr. Presidente: Sra. Vereadora: Srs. Vereadores: MOÇÃO DE PESAR Pesar pelo falecimento de ANTONIO CABEÇA FILHO Considerando que faleceu nesta quinta-feira, 26, o fundador do Sindicato dos Metalúrgicos

Leia mais

FENEIS FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS SURDOS

FENEIS FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS SURDOS FENEIS FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS SURDOS Dia dos Surdos 2009 Apresentação No dia 26 de setembro, a Comunidade Surda Brasileira comemora o Dia Nacional do Surdo, data em que são relembradas

Leia mais

país. Ele quer educação, saúde e lazer. Surge então o sindicato cidadão que pensa o trabalhador como um ser integrado à sociedade.

país. Ele quer educação, saúde e lazer. Surge então o sindicato cidadão que pensa o trabalhador como um ser integrado à sociedade. Olá, sou Rita Berlofa dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Brasil, filiado à Contraf e à CUT. Quero saudar a todos os trabalhadores presentes e também àqueles que, por algum motivo, não puderam

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 82 28 de Abril de 2010 1461

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diário da República, 1.ª série N.º 82 28 de Abril de 2010 1461 Diário da República, 1.ª série N.º 82 28 de Abril de 2010 1461 Através do Decreto -Lei n.º 212/2006, de 27 de Outubro (Lei Orgânica do Ministério da Saúde), e do Decreto -Lei n.º 221/2007, de 29 de Maio,

Leia mais

3. Autonomia frente aos partidos e parlamentares e Independência em relação aos patrões e governos

3. Autonomia frente aos partidos e parlamentares e Independência em relação aos patrões e governos Eixo III: Programa de trabalho para a direção do SISMMAC Continuar avançando na reorganização do magistério municipal com trabalho de base, organização por local de trabalho, formação política e independência

Leia mais

Em Foco CCENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES. Jornal do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Setembro de 2012 - ano XII - nº 05

Em Foco CCENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES. Jornal do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Setembro de 2012 - ano XII - nº 05 R Em Foco UT BRASIL CCENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES CUT Jornal do Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, Setembro de 2012 - ano XII - nº 05 Em Foco 02 setembro/2012 Greve surte efeito Chega

Leia mais

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO HQ se lga! i CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO Defender a CONSTITUINTE é um erro! Erro, por que? A direita vai aproveitar uma Constituinte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. A realização de um sonho

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. A realização de um sonho 1 de 5 A realização de um sonho Natalino Salgado Filho É do poeta Paulo Leminski a frase: Haja hoje para tanto ontem. Ela se encaixa com perfeição na realização de um sonho embalado por tantos anos e agora

Leia mais

Presidente da CBF participa de reunião na Câmara dos Deputados

Presidente da CBF participa de reunião na Câmara dos Deputados Frente Parlamentar em Defesa dos Conselheiros Tutelares é reinstalada na Câmara dos Deputados Com o objetivo de discutir e acompanhar as demandas dos Conselhos Tutelares na Câmara dos Deputados, foi reinstalada

Leia mais

Inspeção do Trabalho: uma questão de ideal ao longo de 120 anos

Inspeção do Trabalho: uma questão de ideal ao longo de 120 anos Inspeção do Trabalho: uma questão de ideal ao longo de 120 anos Antônio Alves Mendonça Júnior Auditor Fiscal do Trabalho Em um contexto capitalista, em que o lucro é entendido como essência da busca de

Leia mais

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS

PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS PLENÁRIA NACIONAL EXTRAORDINÁRIA DA FENASPS Data: 14/11/2014 Local: Sede da Fenasps Estados presentes: MG- SP- PR- RS- ES- SC- RN- CE e Oposição da BA e do DF. Nº de participantes: 65 Delegados e 10 Observadores

Leia mais

III Reunión, Lima, octubre 2010 A AUTOREFORMA SINDICAL E A HISTÓRIA DOS BANCÁRIOS DA CUT BRASIL. William Mendes,

III Reunión, Lima, octubre 2010 A AUTOREFORMA SINDICAL E A HISTÓRIA DOS BANCÁRIOS DA CUT BRASIL. William Mendes, III Reunión, Lima, octubre 2010 A AUTOREFORMA SINDICAL E A HISTÓRIA DOS BANCÁRIOS DA CUT BRASIL William Mendes, Secretário de Formação da CONTRAFCUT-CUT 1. INTRODUÇÃO No final dos anos setenta e início

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral Abril 2013 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Presidente Desembargadora Letícia De Faria Sardas Corregedor

Leia mais

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ

Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ Dpto. Jurídico do Direito Administrativo da ANSEF/RJ É bom saber... LEI Nº 12.618, DE 30 DE ABRIL DE 2012. Institui o regime de previdência complementar para os servidores públicos federais titulares de

Leia mais

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica Rogério Reis Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica CRESCIMENTO ECONÔMICO DA REGIÃO SUL IMPULSIONA MERCADO PARANAENSE POR ADRIANE DO VALE redacao@cipanet.com.br FOTOS

Leia mais

1 de 5 16/11/2011 08:20

1 de 5 16/11/2011 08:20 1 de 5 16/11/2011 08:20 Nome E-mail OK Quarta-Feira, 16 de Novembro de 2011 Palavra chave 2 de 5 16/11/2011 08:20 Home Artigos Biblioteca Revista Notícias Informativo Galeria de Fotos Humor Livro de Visitas

Leia mais

Cartilha de princípios

Cartilha de princípios Cartilha de princípios 2 MTST - Cartilha de princípios AS LINHAS POLÍTICAS DO MTST O MTST é um movimento que organiza trabalhadores urbanos a partir do local em que vivem: os bairros periféricos. Não é

Leia mais

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do

introdução Trecho final da Carta da Terra 1. O projeto contou com a colaboração da Rede Nossa São Paulo e Instituto de Fomento à Tecnologia do sumário Introdução 9 Educação e sustentabilidade 12 Afinal, o que é sustentabilidade? 13 Práticas educativas 28 Conexões culturais e saberes populares 36 Almanaque 39 Diálogos com o território 42 Conhecimentos

Leia mais

Por que defender o Sistema Único de Saúde?

Por que defender o Sistema Único de Saúde? Por que defender o Sistema Único de Saúde? Diferenças entre Direito Universal e Cobertura Universal de Saúde Cebes 1 Direito universal à saúde diz respeito à possibilidade de todos os brasileiros homens

Leia mais

Delegada à frente da Coordenação de Localização de Desaparecidos

Delegada à frente da Coordenação de Localização de Desaparecidos De 23 a 30 de outubro de 2015 - Edição nº 019 Delegada à frente da Coordenação de Localização de Desaparecidos Será publicada nos próximos dias no Diário Oficial do Distrito Federal a portaria que cria

Leia mais

DADOS. Histórico de lutas

DADOS. Histórico de lutas MULHERES O partido Solidariedade estabeleceu políticas participativas da mulher. Isso se traduz pela criação da Secretaria Nacional da Mulher e por oferecer a esta Secretaria completa autonomia. Acreditamos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 65 Discurso na solenidade do Dia

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo II: Conselhos dos Direitos no Brasil

Leia mais

Alfredo de Almeida Russell

Alfredo de Almeida Russell Diretoria-Geral de Comunicação e de Difusão do Conhecimento Acervo do Museu da Justiça Alfredo de Almeida Russell Natural da cidade do Rio de Janeiro, nasceu em 3 de agosto de 1875. Estudou no Colégio

Leia mais

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org/ sintetel@sintetel.org.

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org/ sintetel@sintetel.org. Mundo Sindical SÃO PAULO (SP): TRABALHADORES DO TELEATENDIMENTO COMPÕEM PAUTA DE REIVINDICAÇÕES Os trabalhadores do setor de teleatendimento compuseram a Pauta de Reivindicações para a Convenção Coletiva

Leia mais

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER Área Temática: Saúde Adriane de Castro Martinez Martins 1 (Coordenadora) Claudecir Delfino Verli 2 Aline Maria de Almeida Lara 3 Modalidade: Comunicação

Leia mais

Rodada de negociação na educação básica é transferida

Rodada de negociação na educação básica é transferida Edição 10 Março de 2012 Professores do Sesi/Senai têm assembleia com falta abonada em 16/3 (sexta-feira) às 10 horas no SINPRO-SANTOS localizado na Av. Ana Costa, 145 Santos, SP. A falta abonada para comparecimento

Leia mais

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não Por que esta cartilha? Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não foram concessões patronais ou de governos, como os patrões tentam nos fazer parecer. A história da classe trabalhadora

Leia mais

CARTA DE FOZ DO IGUAÇU

CARTA DE FOZ DO IGUAÇU CARTA DE FOZ DO IGUAÇU Reunidos em Foz do Iguaçu, Paraná, no dia 2 de outubro de 2015, no II Encontro dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Região Sul, 566 representantes de 215 sindicatos, 23 federações,

Leia mais

Capítulo. A ditadura militar no Brasil

Capítulo. A ditadura militar no Brasil Capítulo A ditadura militar no Brasil ARQUIVO/O GLOBO 1 Do golpe militar ao AI-5 O golpe militar de 1964 João Goulart é derrubado pelos militares, em 31 de março de 1964, por meio de um golpe, apoiado

Leia mais

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI

Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional SAI Secretaria de Articulação Institucional SAI O Processo de Construção do SNC Teresina-PI 04/Dez/2012 A Importância Estratégica do SNC Após os inúmeros avanços ocorridos nos últimos anos no campo da cultura

Leia mais

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO A CUT e as centrais sindicais negociaram com o governo

Leia mais

Mais uma vitória rumo ao reconhecimento: Dilma sanciona Lei que institui o Dia Nacional do Vigilante

Mais uma vitória rumo ao reconhecimento: Dilma sanciona Lei que institui o Dia Nacional do Vigilante Confederação Nacional dos Vigilantes - Brasília - DF 19/06/2015 - Edição 1295 Mais uma vitória rumo ao reconhecimento: Dilma sanciona Lei que institui o Dia Nacional do Vigilante Aprovado em maio pela

Leia mais

DOSSIE SOBRE A LUTA DOS MORADORES DO ASSENTAMENTO CANAÃ (MT)

DOSSIE SOBRE A LUTA DOS MORADORES DO ASSENTAMENTO CANAÃ (MT) DOSSIE SOBRE A LUTA DOS MORADORES DO ASSENTAMENTO CANAÃ (MT) Há dois anos, um grupo de trabalhadores ocupou um local abandonado próximo ao bairro Parque Cuiabá (Mato Grosso). O local era ponto de usuários

Leia mais

Acredito ter sido escolhido para recebê-lo porque os senhores também queriam homenagear o Brasil e o povo brasileiro.

Acredito ter sido escolhido para recebê-lo porque os senhores também queriam homenagear o Brasil e o povo brasileiro. Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Prêmio Lech Walesa Gdansk, Polônia 29 de setembro de 2011 É uma grande honra, para mim, receber este prêmio da fundação que leva o nome do companheiro Lech Walesa,

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 79 Memória Institucional - Documentação 17 de abril de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE OUTUBRO. Dia Mundial da Erradicação da Miséria

CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE OUTUBRO. Dia Mundial da Erradicação da Miséria CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE OUTUBRO Dia Mundial da Erradicação da Miséria reconhecido pelas Nações Unidas como Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza Junho de 2013 CARTA INTERNACIONAL DO 17 DE

Leia mais

PDE não é discutido com Servidores da Educação

PDE não é discutido com Servidores da Educação EDITORIAL PDE não é discutido com Servidores da Educação O Governo lançou seu novo Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) com muito alarde na mídia, falando sobre os milhões que vai gastar para a melhoria

Leia mais

Getúlio Vargas e a Era Vargas

Getúlio Vargas e a Era Vargas Getúlio Vargas e a Era Vargas http://www.suapesquisa.com/vargas/ AGOSTO RUBEM FONSECA Getúlio Vargas e a Era Vargas: ASPECTOS A RESSALTAR Vida de Getúlio Vargas; Revolução

Leia mais

Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964

Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964 Reportagem do portal Terra sobre o Golpe de 1964 http://noticias.terra.com.br/brasil/golpe-comecou-invisivel-diz-sobrinho-de-substitutode-jango,bc0747a8bf005410vgnvcm4000009bcceb0arcrd.html acesso em 31-03-2014

Leia mais

REFORMA SINDICAL: PORTA PRINCIPAL PARA A TÃO FALADA REFORMA TRABALHISTA.

REFORMA SINDICAL: PORTA PRINCIPAL PARA A TÃO FALADA REFORMA TRABALHISTA. REFORMA SINDICAL: PORTA PRINCIPAL PARA A TÃO FALADA REFORMA TRABALHISTA. INTRODUÇÃO Recentemente o Governo Federal, por seu Ministro do Trabalho e Emprego, Ricardo Berzoini, um mineiro de Juiz de Fora

Leia mais

contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas, e a PEC 63, que resgata o ATS.

contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas, e a PEC 63, que resgata o ATS. Neste ano histórico em que completa 60 anos de vitoriosa trajetória associativa, a Amagis é agraciada ao ser escolhida para sediar, novamente, onze anos depois, outro importante encontro integrativo como

Leia mais

PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES

PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES INTRODUÇÃO Período governado por GENERAIS do exército brasileiro. Adoção do modelo desenvolvimento dependente, principalmente dos EUA, que subordinava a

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

DISCURSO DO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS, NELSON P

DISCURSO DO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS, NELSON P DISCURSO DO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS, NELSON P. SIROTSKY, NO 3º ENCONTRO DAS CORTES SUPREMAS DO MERCOSUL BRASÍLIA, 21 DE NOVEMBRO DE 2005 A Associação Nacional de Jornais, que tenho

Leia mais

FILACAP ON LINE Nº 019

FILACAP ON LINE Nº 019 FILACAP ON LINE Nº 019 NORDEX 2009 - De 18 a 23 de agosto de 2009 acontecerá no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza/CE, a NORDEX 2009 IX Exposição Filatélica Regional Norte e Nordeste.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 13 Discurso em jantar oferecido ao

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 88 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria.

Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. 1 Abrasa - Ponto de Cultura, Internacional Brasileiros na Áustria. Quem somos: A Abrasa Associação Brasileiro-Afro-Brasileira para o Desenvolvimento da Dança, Cultura Educação e Arte, é uma Instituição

Leia mais

COMISSÃO DE CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3388, DE 2012

COMISSÃO DE CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3388, DE 2012 COMISSÃO DE CULTURA PROJETO DE LEI Nº 3388, DE 2012 Dá o nome de Ponte Herbert de Souza Betinho, à atual Ponte Presidente Costa e Silva, localizada do km 321 ao 334, na BR 101/RJ. Autor: Deputado Chico

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor Dados da empresa Razão Social: Visa do Brasil Empreendimentos Ltda. Nome Fantasia:

Leia mais

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde Caro colega Nesta Cartilha estão as principais perguntas sobre LER, CAT e Direitos, que os bancários fazem seja por telefone ou contato direto no local de trabalho. É um verdadeiro guia rápido e contou

Leia mais

Faça viver! 1. Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2. Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5

Faça viver! 1. Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2. Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5 Faça viver! 1 Johnny William Mendonça de OLIVEIRA 2 Rodrigo Mendonça de OLIVEIRA 3 Ramon Moisés de SOUSA 4 Gustavo Henrique Ferreira BITTENCOURT 5 Universidade Potiguar - UnP, Natal, RN RESUMO O outdoor

Leia mais

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento.

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento. DISCURSO DE POSSE Boa Noite a todos! Cumprimento o ex-diretor presidente Sebastião Calais, o Prefeito Leris Braga, o vice-prefeito Alcemir Moreira, o presidente da Câmara de Vereadores Juarez Camilo, o

Leia mais

Companheiros e companheiras,

Companheiros e companheiras, Companheiros e companheiras, Utilizada sob o falso argumento de modernizar as relações de trabalho e garantir a especialização no serviço, a terceirização representa na realidade uma forma de reduzir o

Leia mais

4. Intensificar as visitas e reuniões com os colegas das unidades descentralizadas, nas capitais e no interior.

4. Intensificar as visitas e reuniões com os colegas das unidades descentralizadas, nas capitais e no interior. APRESENTAÇÃO A chapa Experiência e trabalho: a luta continua" tem como marca principal a soma. Policiais e dirigentes sindicais experientes juntam esforços com os colegas mais novos, para trabalhar por

Leia mais

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES RESOLUÇÕES A Direção Nacional da CUT, reunida em Brasília no dia 05 de março de 2015, após avaliar a gravidade conjuntura nacional por ocasião da abertura do 12º CONCUT, aprovou como resolução o chamamento

Leia mais

2 Encontro do GT Psicossocial/SITRAEMFA Seg, 13 de Abril de 2015 18:39

2 Encontro do GT Psicossocial/SITRAEMFA Seg, 13 de Abril de 2015 18:39 No dia 11 de abril de 2015, aconteceu o 2 encontro do GT Psicossocial (Grupo de Trabalho), estiveram presentes à reunião:o conselheiro Gustavo de Lima Bernardes Sales, representante do Conselho Regional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. 1 de 5 Turismo e Hotelaria no contexto das cidades criativas Natalino Salgado Filho A Universidade Federal do Maranhão teve o privilégio de abrigar nesta semana o I Seminário Patrimônio Cultural & Cidades

Leia mais

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO...

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... CADÊ O BRASIL RICO? FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO.... E AQUI, DINHEIRO SOBRANDO NO FIM DO MÊS. DESTE

Leia mais

Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça!

Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça! Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça! Tânia Miranda * A memória histórica constitui uma das mais fortes e sutis formas de dominação. A institucionalização da memória oficial

Leia mais

CECUT JORNAL DA. Construindo a nossa história. petroquímicos COMERCIÁRIAS. Pedreiros JORNALISTAS. Jornal da COMPANHEIRISMO.

CECUT JORNAL DA. Construindo a nossa história. petroquímicos COMERCIÁRIAS. Pedreiros JORNALISTAS. Jornal da COMPANHEIRISMO. JORNAL DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES Informativo da Central Única dos Trabalhadores do Paraná - Ano VIII - nº 32- Maio de 2012 Construindo a nossa história Edição nº 31 - Novembro de 2011 Jornal da

Leia mais

Brasília, janeiro de 2015 EXPRESSO. Ano 1 Nº 1. Caixa 100% PÚBLICA. Manifestação marca o início das ações de 2015 SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA

Brasília, janeiro de 2015 EXPRESSO. Ano 1 Nº 1. Caixa 100% PÚBLICA. Manifestação marca o início das ações de 2015 SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA Brasília, janeiro de 2015 Ano 1 Nº 1 EXPRESSO Caixa 100% PÚBLICA Manifestação marca o início das ações de 2015 A comunicação como instrumento da luta EXPEDIENTE EXPRESSO

Leia mais

Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final

Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final www.aciaanapolis.com.br Nova sede Documento de doação do terreno entra para a fase final De 1º a 07 de Fevereiro de 2014 - Ano 09 - Nº 224 - Diretoria 2013/2015 Diretoria da Associação Comercial e Industrial

Leia mais

MPPA PARTICIPA DAS CONFERÊNCIAS DE POLITICAS PUBLICAS DE BELÉM E ANANINDEUA.

MPPA PARTICIPA DAS CONFERÊNCIAS DE POLITICAS PUBLICAS DE BELÉM E ANANINDEUA. MPPA PARTICIPA DAS CONFERÊNCIAS DE POLITICAS PUBLICAS DE BELÉM E ANANINDEUA. A promotora de justiça LUCINERY HELENA RESENDE DO NASCIMENTO participou das Conferências Municipais de Políticas para as Mulheres

Leia mais

De sindicalização, tendo como foco principal a juventude trabalhadora; Pela inclusão da Filosofia e da Sociologia no currículo do ensino básico;

De sindicalização, tendo como foco principal a juventude trabalhadora; Pela inclusão da Filosofia e da Sociologia no currículo do ensino básico; PLANO DE LUTAS DA CUT/SP CALENDÁRIO DE ATOS PÚBLICOS 24/05 Ato em Brasília pela estabilidade do serviço público. Dia Nacional de lutas em defesa do funcionário público admitido em caráter temporário. Estabilidade

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

Daniel Nunes Pereira

Daniel Nunes Pereira -Excelentíssimos vereadores e vereadoras -Excelentíssimos comendadores e comendadeiras -Excelentíssimos secretários e demais autoridades presentes -Imprensa que democraticamente acompanha diariamente os

Leia mais

UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL

UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL março de 2013 UM PROJETO A FAVOR DA EXCELÊNCIA TRIBUTÁRIA TENDO COMO PONTO DE PARTIDA O SABER DO AUDITOR-FISCAL os três eixos balizadores de nossa plataforma Vamos mudar: vote a favor de uma UNAFISCO comprometida

Leia mais

Conselho Nacional de Controle Interno

Conselho Nacional de Controle Interno Veículo: Site Congresso em Foco Data: 13/07/2012 Editoria: Lei de Acesso Coluna: - Página: - Só 12% das prefeituras dão atenção a transparência Uma mesma pergunta foi feita às administrações de 133 cidades

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 79 Discurso no lançamento do programa

Leia mais

Período Populista (1945/64)

Período Populista (1945/64) Período Populista (1945/64) INTRODUÇÃO Período de Democracia, sem censura e eleições direta (o( o povo vota) para presidente. O mundo encontrava-se no Período de Guerra Fria : Capitalistas (EUA) X Socialistas

Leia mais

Lutas, Vitórias, Avanços e Novos Desafios

Lutas, Vitórias, Avanços e Novos Desafios Lutas, Vitórias, Avanços e Novos Desafios 10 Anos de ProUni A Educafro parabeniza o Congresso Nacional (Deputados e Senadores) e todos os protagonistas desta conquista, por transformar o Programa Universidade

Leia mais

MPPA PARTICIPA DA CAMPANHA 16 DIAS DE ATIVISMO PELO FIM DA VIOLENCIA DOMESTICA.

MPPA PARTICIPA DA CAMPANHA 16 DIAS DE ATIVISMO PELO FIM DA VIOLENCIA DOMESTICA. MPPA PARTICIPA DA CAMPANHA 16 DIAS DE ATIVISMO PELO FIM DA VIOLENCIA DOMESTICA. A convite da Coordenadora Estadual de Politicas para Mulheres Presidenta do Conselho Estadual de Promoção e Defesa dos Direitos

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

A VERDADE SOBRE AS FUNERÁRIAS NO MUNICÍPIO DO RJ:

A VERDADE SOBRE AS FUNERÁRIAS NO MUNICÍPIO DO RJ: A VERDADE SOBRE AS FUNERÁRIAS NO MUNICÍPIO DO RJ: Quando Sérgio Arouca assumiu a Secretaria Municipal de Saúde do RJ, publicou um decreto colocando o sistema funerário para controle dos assistentes sociais.

Leia mais

PROC. N. 5673/05 P.L.L. N. 0266/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROC. N. 5673/05 P.L.L. N. 0266/05 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Trazemos à consideração dos nobres Vereadores o presente Projeto de Lei para, com o apoio desta Casa, conceder o título honorífico de Cidadão Emérito de Porto Alegre ao Ministro Luiz

Leia mais

Pimenta no olho, e nada de reajuste salarial

Pimenta no olho, e nada de reajuste salarial Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal do Estado de Mato Grosso BOLETIM SEMANAL De 20 a 24 de outubro de 2014 Pimenta no olho, e nada de reajuste salarial O diretor do SINDIJUFE-MT Pedro

Leia mais

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA Memorial da Resistência de São Paulo PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA Cemitério de Areia Branca Endereço: Avenida Nossa Senhora de Fátima, 854 Areia Branca, Santos, SP. Classificação: Cemitério Identificação

Leia mais

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. Saí da prisão volto coleção Conversas #26 - setembro 2015 - e estou ou não desempregado, para o crime? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS, da

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 83 Papo Reto com José Junior 12 de junho de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

CONHEÇA O NOVO CENTAURO-ON NEWS. MAIS MODERNO E VERSÁTIL, PARA VOCÊ.

CONHEÇA O NOVO CENTAURO-ON NEWS. MAIS MODERNO E VERSÁTIL, PARA VOCÊ. Ano VII Nº 37 Outubro/Dezembro 2015 CONHEÇA O NOVO CENTAURO-ON NEWS. MAIS MODERNO E VERSÁTIL, PARA VOCÊ. LEIA TAMBÉM 2015: Ano de grandes realizações Pág. 02 Seguro Vida Individual: Tranquilidade para

Leia mais

Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos

Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O DIÁLOGO SOCIAL NO BRASIL: O MODELO SINDICAL BRASILEIRO E A REFORMA SINDICAL Zilmara Davi de Alencar * Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos

Leia mais

Meta dos servidores para 2011 é aprovar PCS

Meta dos servidores para 2011 é aprovar PCS Jornal Sintrajuf-PE Recife, Janeiro 2011 1 Recife, janeiro de 2011 Meta dos servidores para 2011 é aprovar PCS Os servidores do Judiciário Federal lutaram em 2010 para conseguir a aprovação o Plano de

Leia mais

A atuação da Anistia Internacional durante o regime militar brasileiro

A atuação da Anistia Internacional durante o regime militar brasileiro A atuação da Anistia Internacional durante o regime militar brasileiro Durante o regime militar brasileiro, a organização Anistia Internacional (AI), trabalhou na defesa de presos políticos e na divulgação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 77 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Brasília,12 de Dezembro de 2012. O Comitê Brasileiro de Defensoras/es

Leia mais

Enquete. Dia dos Professores

Enquete. Dia dos Professores Enquete Dia dos Professores No dia 15 de outubro será comemorado o dia do professor. Muito se fala que a profissão, apesar de muito importante, perdeu seu glamour e prestígio, sendo incapaz de atrair a

Leia mais

Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste

Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste 1. Estrutura: a) Identificação do Órgão/Unidade: Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região /

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 36 Discurso por ocasião do jantar

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários ASSESSORIA PARLAMENTAR INFORMATIVO 14 DE NOVEMBRO DE 2014 CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários A intenção é evitar que condenados usem essas contas para

Leia mais

Diretriz 5: A função das entidades de grau superior é de coordenar os interesses das suas filiadas.

Diretriz 5: A função das entidades de grau superior é de coordenar os interesses das suas filiadas. DIRETRIZES NORMATIVAS ELABORADAS PELO GRUPO DE TRABALHO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SOBRE ORGANIZAÇÃO SINDICAL, NEGOCIAÇÃO COLETIVA, APLICAÇÃO DO DIREITO DE GREVE, CUSTEIO E LIBERAÇÃO DE DIRIGENTE

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais