LOCAL AIR QUALITY STATUS AND ACTION PLANS: THE CASE OF LISBON AND TAGUS VALLEY REGION

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LOCAL AIR QUALITY STATUS AND ACTION PLANS: THE CASE OF LISBON AND TAGUS VALLEY REGION"

Transcrição

1 LOCAL AIR QUALITY STATUS AND ACTION PLANS: THE CASE OF LISBON AND TAGUS VALLEY REGION Fernando Sousa Ferreira CCDR LVT

2 Competências da CCDR LVT (D. L. n.º 102/2010, de 23 de setembro) 1. Efetuar a gestão e avaliação da qualidade do ar ambiente, na RLVT, garantindo a sua qualidade. 2. Divulgar informação sobre qualidade do ar. 3. Elaborar, promover a aplicação e acompanhar a execução dos Planos e Programas de melhoria da qualidade do ar. A execução das medidas definidas nos Programas de Execução é da responsabilidade das entidades com competência em cada matéria específica.

3 Zonas e Aglomerações e Rede de Monitorização da RLVT

4 Fontes de poluição atmosférica na RLVT PM 10 : Tráfego rodoviário (emissões diretas e ressuspensão), mas também fontes naturais (transporte de partículas dos desertos do norte de África, aerossóis marinhos, incêndios florestais ) e indústria (apenas alguns locais da AML Sul). NO 2 : Tráfego rodoviário

5 Qualidade do ar na RLVT PM 10 ( )

6 Qualidade do ar na RLVT NO 2 ( )

7 Planos e programas para melhoria da qualidade do ar

8 Programa de Execução do PMQA-LVT Tipologia de medidas

9 Programa de Execução do PMQA-LVT Medidas supra municipais Das medidas supramunicipais assinalam-se as que se consideravam de maior impacte e para as quais foram criados grupos de trabalho sectoriais: Incentivo à instalação de FILTROS DE PARTÍCULAS em veículos pesados de mercadorias Criação de uma ZONA DE EMISSÕES REDUZIDAS (ZER) na cidade de Lisboa Criação DE VAO+BUS+E nos principais corredores de acesso a Lisboa

10 Monitorização do Programa de Execução do PMQA-LVT Medidas municipais Medidas supra municipais

11 Monitorização do Programa de Execução do PMQA-LVT CONTRIBUTO DAS MEDIDAS SUPRA MUNICIPAIS PARA A REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE POLUENTES Medidas com impacte positivo: Implementação de uma ZER na cidade de Lisboa, Otimização e melhoria do desempenho ambiental da frota da Carris, Introdução de critérios ambientais na reformulação do modelo de gestão e regime jurídico do parque de veículos do Estado e Simplificação do procedimento de concessão do incentivo fiscal ao abate a veículos ligeiros em fim de vida. Para as restantes medidas não foi possível aferir de forma inequívoca acerca do seu impacte na redução de emissões (devido à ausência de informação para cálculo dos indicadores ou por parte deles se ter revelado inconclusiva) ou tiveram um impacte nulo ou não chegaram a ser implementadas.

12 Situação atual e perspetivas futuras Após a aplicação das medidas do Pexec PMQA-LVT (2012) verificou-se uma melhoria substancial da qualidade do ar, com a redução das áreas em incumprimento e da população exposta, subsistindo no entanto 2 situações de preocupação: Centro de lisboa (NO 2 e PM 10 ) e zona industrial de Paio Pires (PM 10 ) Está a decorrer um novo processo de infração comunitário pelo incumprimento dos VL de PM 10 na AML Norte. A CE solicitou também esclarecimentos sobre o incumprimento do VL anual de NO 2 na AML Norte e poderá futuramente dar início a um processo de infração. A CCDR LVT está neste momento a trabalhar no sentido de estudar e implementar novas medidas que permitam continuar a melhorar a qualidade do ar na região.

13 Qualidade do ar na RLVT NO 2 ( )

14 Qualidade do ar na RLVT NO 2 ( )

15 Qualidade do ar na RLVT PM 10 ( )

16 Qualidade do ar na RLVT PM

17 Obrigado pela vossa atenção!

Planos de qualidade do ar em Portugal A Cidade e o Ar integrar e planear

Planos de qualidade do ar em Portugal A Cidade e o Ar integrar e planear Planos de qualidade do ar em Portugal A Cidade e o Ar integrar e planear Dília Jardim, CCDR Norte, 05 junho 2014 MODELO DPSIR Qualidade do ar Redução de Emissões Recuperação do vapor da gasolina, FasesI,

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E A REGIÃO NORTE

A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E A REGIÃO NORTE A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E A REGIÃO NORTE Autores: 1 Gabriela Azevedo e Rita Ramos Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS No âmbito dos procedimentos da Avaliação

Leia mais

GEOTA A A Política Ambiental na Fiscalidade Sobre Transportes

GEOTA A A Política Ambiental na Fiscalidade Sobre Transportes GEOTA Seminário A A Política Ambiental na Fiscalidade Sobre Transportes Principais desafios ambientais legais e fiscais para os transportadores Rodoviários de Mercadorias António Mousinho Lisboa, 17 de

Leia mais

Enquadramento da rede de monitorização da qualidade do ar na Região Centro e sua monitorização

Enquadramento da rede de monitorização da qualidade do ar na Região Centro e sua monitorização Enquadramento da rede de monitorização da qualidade do ar na Região Centro e sua monitorização Cristina Taliscas Novembro 2011 Poluentes atmosféricos e seus efeitos Legislação da qualidade do ar ambiente

Leia mais

MUNICIPAL RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL. Deliberações. Reunião Pública de Câmara realizada em 29 de outubro de 2014

MUNICIPAL RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL. Deliberações. Reunião Pública de Câmara realizada em 29 de outubro de 2014 RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL Deliberações Reunião Pública de Câmara realizada em 29 de outubro de 2014 A Câmara Municipal de Lisboa, reunida no dia 29 de outubro de 2014, deliberou

Leia mais

Mobilidade e Transportes

Mobilidade e Transportes Sistema de mobilidade e transportes no Município do Seixal MODO FERROVIÁRIO REDE CONVENCIONAL - 15,8 km eixo ferroviário norte/sul transportes de passageiros ramal da siderurgia nacional transporte de

Leia mais

Poluição atmosférica Avaliação local integrada

Poluição atmosférica Avaliação local integrada Ana Isabel Miranda Poluição atmosférica Avaliação local integrada Diretiva Quadro da Qualidade do Ar Where... the levels of pollutants in ambient air exceed any limit value or target value... Member States

Leia mais

A Reforma Fiscal Ambiental

A Reforma Fiscal Ambiental A Reforma Fiscal Ambiental Sérgio Vasques GEOTA Outubro de 2008 O Estado da Fiscalidade Ambiental Portuguesa Para que servem os impostos portugueses? O desenvolvimento económico e a redistribuição de riqueza

Leia mais

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR)

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres Objectivos

Leia mais

Índice Anual de Qualidade do Ar para a Região LVT

Índice Anual de Qualidade do Ar para a Região LVT Índice Anual de Qualidade do Ar para a Região LVT A avaliação da qualidade do ar num determinado local e ano obriga à análise de um conjunto de indicadores, para um conjunto de poluentes, cuja compreensão,

Leia mais

PARTE C PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PARTE C PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS 37766 Diário da República, 2.ª série N.º 180 16 de Setembro de 2009 PARTE C PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Instituto do Desporto de Portugal, I. P. Despacho (extracto) n.º 20761/2009 Nos termos constantes

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Exposição de motivos Existiam 216 milhões de passageiros de carros na UE a 25 em 2004, tendo o número

Leia mais

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015 2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra Lisboa, 13 de Junho de 2015 EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão

Leia mais

ANA Aeroportos de Portugal Aeroportos e Ruído: Uma Gestão de Compromisso

ANA Aeroportos de Portugal Aeroportos e Ruído: Uma Gestão de Compromisso ANA Aeroportos de Portugal Aeroportos e Ruído: Uma Gestão de Compromisso O ruído tem vindo a assumir um lugar de destaque no conjunto de preocupações dos cidadãos em matéria ambiental. De acordo com informação

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 180 16 de Setembro de 2009 37809

Diário da República, 2.ª série N.º 180 16 de Setembro de 2009 37809 Diário da República, 2.ª série N.º 180 16 de Setembro de 2009 37809 Apêndice D3 Informação adicional sobre a medida S10 Incentivo à instalação de filtros de partículas em veículos pesados de mercadorias

Leia mais

EVOLUÇÃO DA QUALIDADE DO AR NA REGIÃO NORTE E APLICAÇÃO DE MEDIDAS DE MELHORIA (2005 2010) SÍNTESE

EVOLUÇÃO DA QUALIDADE DO AR NA REGIÃO NORTE E APLICAÇÃO DE MEDIDAS DE MELHORIA (2005 2010) SÍNTESE EVOLUÇÃO DA QUALIDADE DO AR NA REGIÃO NORTE E APLICAÇÃO DE MEDIDAS DE MELHORIA (2005 2010) SÍNTESE Setembro de 2011 1. Avaliação da Qualidade do Ar entre 2005 e 2010 Da análise efectuada aos resultados

Leia mais

O impacto das questões ambientais nos sistemas de transporte

O impacto das questões ambientais nos sistemas de transporte O impacto das questões ambientais nos sistemas de transporte Carlos Borrego Jorge H. Amorim, Helena Martins, Oxana Tchepel As primeiras cidades As primeiras cidades eram autosuficientes, com a sua produção

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Quem somos TIS A TIS tem como missão a geração de valor na área da mobilidade e transportes para os seus clientes e acionistas, baseado em soluções sustentáveis do ponto de vista

Leia mais

RELATÓRIO DO ESTADO DO AMBIENTE 2008 INDICADORES

RELATÓRIO DO ESTADO DO AMBIENTE 2008 INDICADORES RELATÓRIO DO ESTADO DO AMBIENTE 28 1 INDICADORES ÁGUA 8 Evolução do número de análises em cumprimento do valor paramétrico 1, Análises (n.º) 7 6 5 4 3 2 1 591 65 64 278 97,48% 97,53% Fonte: ERSAR, 29 623

Leia mais

ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL

ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.12.2013 COM(2013) 913 final ANNEX 1 ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL da COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ

Leia mais

Aplicação de filtros de partículas em veículos pesados

Aplicação de filtros de partículas em veículos pesados Resultados dos testes realizados Francisco Ferreira, Hugo Tente, Pedro Gomes FCT-UNL Luísa Nogueira CCDR-LVT Carlos Borrego, Ana Isabel Miranda, Jorge H. Amorim, Pedro Cascão, Anabela Carvalho UAVR-CESAM

Leia mais

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 ECONOMIA DIGITAL E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO - ENTRADA EM VIGOR

Leia mais

Programa Estratégico 2020 Oeste Portugal

Programa Estratégico 2020 Oeste Portugal Programa Estratégico 2020 Oeste Portugal Debate Regional "Crescimento Inclusivo/ Oeste Inclusivo - A Região Oeste Portugal e as Metas 2020 Apresentação da reflexão do subgrupo Crescimento Inclusivo sobre

Leia mais

D.R. DO AMBIENTE Despacho n.º 1059/2012 de 25 de Julho de 2012

D.R. DO AMBIENTE Despacho n.º 1059/2012 de 25 de Julho de 2012 D.R. DO AMBIENTE Despacho n.º 1059/2012 de 25 de Julho de 2012 Nos termos e para efeitos do disposto no n.º 2 do artigo 110.º do Decreto Legislativo Regional n.º 30/2010/A, de 15 de novembro, que estabelece

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

TRANSPORTE MARÍTIMO: REGRAS DE TRÁFEGO E DE SEGURANÇA

TRANSPORTE MARÍTIMO: REGRAS DE TRÁFEGO E DE SEGURANÇA TRANSPORTE MARÍTIMO: REGRAS DE TRÁFEGO E DE SEGURANÇA Ao longo dos últimos anos, as diretivas e regulamentos da UE, em particular os três pacotes legislativos adotados no seguimento dos desastres que envolveram

Leia mais

CALENDÁRIO E PROGRAMA DE TRABALHOS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE GESTÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA 2016-2021. Documento de apoio à participação pública

CALENDÁRIO E PROGRAMA DE TRABALHOS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE GESTÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA 2016-2021. Documento de apoio à participação pública CALENDÁRIO E PROGRAMA DE TRABALHOS PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS DE GESTÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA 2016-2021 Documento de apoio à participação pública 22 de dezembro 2012 Atualização maio 2013 Departamento

Leia mais

Impacto das emissões dos nossos automóveis no quotidiano

Impacto das emissões dos nossos automóveis no quotidiano Dia Mundial da Metrologia Medições na Vida Quotidiana Impacto das emissões dos nossos automóveis no quotidiano Alexandra Costa e André Ramalho ISQ Visão geral Fundado em 1965. Empresa privada, sendo uma

Leia mais

Importância de Moçambique em termos ambientais. Situação de pobreza em que vive a maioria da população moçambicana. Corrida aos recursos naturais

Importância de Moçambique em termos ambientais. Situação de pobreza em que vive a maioria da população moçambicana. Corrida aos recursos naturais Carlos Manuel Serra Importância de Moçambique em termos ambientais. Situação de pobreza em que vive a maioria da população moçambicana. Corrida aos recursos naturais destaque para os petrolíferos e mineiros

Leia mais

Gestão da mobilidade urbana

Gestão da mobilidade urbana Fernando Nunes da Silva Vereador da Mobilidade C. M. Lisboa Fernando Nunes da Silva OE Coimbra JAN 2013 JAN 13 Gestão da mobilidade urbana - dificuldades e soluções uma política de mobilidade para Lisboa:

Leia mais

A experiência Portuguesa na Incineradora de RH do Parque da Saúde de Lisboa

A experiência Portuguesa na Incineradora de RH do Parque da Saúde de Lisboa A experiência Portuguesa na Incineradora de RH do Parque da Saúde de Lisboa M. Fátima Reis Unidade de Saúde Ambiental 1 ESTRUTURA 1. Enquadramento 2. Vigilância Epidemiológica Fundamentação Componentes

Leia mais

Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano. Promoção da Mobilidade Urbana. Aviso para apresentação de candidaturas CIMC/MT/02/2010 -

Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano. Promoção da Mobilidade Urbana. Aviso para apresentação de candidaturas CIMC/MT/02/2010 - Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano Promoção da Mobilidade Urbana Aviso para apresentação de candidaturas - Eixo Prioritário IV Qualificação do Sistema Urbano Promoção da Mobilidade Urbana

Leia mais

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02

Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental. Acções de Valorização e Qualificação Ambiental. Aviso - ALG-31-2010-02 Eixo Prioritário 2 Protecção e Qualificação Ambiental Acções de Valorização e Qualificação Ambiental Aviso - ALG-31-2010-02 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

Leia mais

MTFG Breves. Legislação novembro de 2012

MTFG Breves. Legislação novembro de 2012 MTFG Breves Legislação novembro de 2012 No corrente mês apresentamos uma seleção dos principais diplomas publicados, dos quais deixamos um sumário breve. Alteração ao Regime Jurídico da Reserva Ecológica

Leia mais

Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF

Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Palestra Conheça o Natural.PT por João Carlos Farinha (DGACPPF/DVAC) 16 de abril 2015 Ciclo de Palestras ENCONTROS COM O ICNF Sede do ICNF, Lisboa, às quintas (14H-14H30) Foto: Pedro Soares O objetivo

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO 21-4-2015 UNIÃO EUROPEIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Fundos Europeus Estruturais e de Investimento Índice A. Madeira 14-20 Instrumentos de Apoio ao tecido empresarial.

Leia mais

VGNs, a solução necessária e urgente para Portugal

VGNs, a solução necessária e urgente para Portugal VGNs, a solução necessária e urgente para Portugal 11/Dezembro/2015 Jorge Figueiredo, Vice-Presidente da APVGN Visite http://www.apvgn.pt https://www.facebook.com/apvgn 1 Em Portugal o sector dos transportes

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo Estadual decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS. Faço saber que o Poder Legislativo Estadual decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 6.656, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2005. Cria o Programa Estadual de Inspeção e Manutenção de Veículos em uso, destinado a promover a redução da poluição do Meio Ambiente através do controle da emissão

Leia mais

Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente. 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015

Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente. 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015 Gás Natural Veicular alternativa para uma mobilidade mais inteligente 9º Encontro Transportes em Revista Lisboa, 25 Junho 2015 Índice 1. Grupo Dourogás 2. O Gás Natural 3. UE: mobilidade sustentável 4.

Leia mais

Inventário de Emissões

Inventário de Emissões . Betina Alcobia, nº 15822 Carlos Netto, nº 15441 Luís Mendes, nº 14386 Pedro Baptista, nº 15493 Poluição e Gestão do Ar (Prof. Dr. Francisco Ferreira) Inventário de Emissões.......... Contabilização de

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS 1.OBJETO O presente programa tem como objeto a alienação de prédios e/ou frações municipais para reabilitação 2. OBJECTIVOS O Programa Reabilita Primeiro

Leia mais

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Aviso 10 Edifício Eficiente 2015 LNEC - LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL DIREÇÃO EXECUTIVA DO PNAEE LISBOA, 29/06/2015 O que é? Fundo de Eficiência Energética (FEE):

Leia mais

II - QUALIDADE DO AR JANEIRO 2009

II - QUALIDADE DO AR JANEIRO 2009 JANEIRO 2009 II - QUALIDADE DO AR FICHA TÉCNICA O Plano Municipal de Odivelas foi elaborado por iniciativa do Município de Odivelas, em resultado da deliberação, de 2001, da então Comissão Instaladora

Leia mais

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial COMPETIR + O Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável da economia regional,

Leia mais

PPROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO E PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE

PPROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO E PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE PPROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO E PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE Deliberações CMC POVT: 15/10/07, 14/04/2009, 31/08/2009, 11/04/2011, 6/02/2012 e 20/03/2012 Deliberações

Leia mais

Estratégia Nacional para a Habitação

Estratégia Nacional para a Habitação Estratégia Nacional para a Habitação 8 de maio de 2015 Estrutura do Documento O diagnóstico As oportunidades A articulação com outras políticas A visão, os pilares e os desafios As medidas e iniciativas

Leia mais

Energia 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO. Aviso - ALG-48-2011-01. Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano

Energia 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO. Aviso - ALG-48-2011-01. Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano 2ª ALTERAÇÃO AO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 3 Valorização Territorial e Desenvolvimento Urbano Energia Aviso - ALG-48-2011-01 Página 1 de 2 A Autoridade de Gestão do POAlgarve 21, comunica

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A

Leia mais

Relatório OP Outros Sectores Agrícolas e Pecuários

Relatório OP Outros Sectores Agrícolas e Pecuários Relatório OP Outros Sectores Agrícolas e Pecuários DRAPLVT Triénio 2010-2012 Agricultura Presente, um Projeto com Futuro Ficha técnica Ficha técnica Edição: DRAP LVT DADR Quinta das Oliveiras, Estrada

Leia mais

Cidade sem Carros & Fiscalidade Verde Novembro 2014

Cidade sem Carros & Fiscalidade Verde Novembro 2014 Oradores: Cidade sem Carros & Fiscalidade Verde Novembro 2014 - Sousa Campos, diretor da divisão de marketing e vendas da Toyota Caetano Portugal - Mafalda Sousa, da associação ambientalista Quercus -

Leia mais

Reforma da Fiscalidade Verde. 16 de outubro 2014

Reforma da Fiscalidade Verde. 16 de outubro 2014 Reforma da Fiscalidade Verde 16 de outubro 2014 OBJETIVOS: Reduzir a dependência energética do exterior Induzir padrões de produção e de consumo mais sustentáveis, reforçando a liberdade e responsabilidade

Leia mais

COSEC e APICCAPS desenvolvem estudo sobre sector do Calçado

COSEC e APICCAPS desenvolvem estudo sobre sector do Calçado COSEC e APICCAPS desenvolvem estudo sobre sector do Calçado O Sector do Calçado dispõe de uma situação de tesouraria mais favorável que a média nacional. Sector do Calçado com tensão de tesouraria reduzida

Leia mais

Recomenda ao Governo a análise e adoção de medidas de apoio ao sector automóvel nacional

Recomenda ao Governo a análise e adoção de medidas de apoio ao sector automóvel nacional Projeto de Resolução n.º 781/XII/2ª Recomenda ao Governo a análise e adoção de medidas de apoio ao sector automóvel nacional A produção e venda de automóveis registam uma queda continuada nos últimos anos

Leia mais

Perguntas e Respostas. Aviso 06 - Enchimento de Pneus a Nitrogénio 2014

Perguntas e Respostas. Aviso 06 - Enchimento de Pneus a Nitrogénio 2014 ÂMBITO GERAL Perguntas e Respostas Aviso 6 - Enchimento de Pneus a Nitrogénio 14 1. O que é o FEE Fundo de Eficiência Energética? O Fundo de Eficiência Energética (FEE) é um instrumento financeiro que

Leia mais

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS I. Objetivo ATUALIZAÇÕES As Declarações Ambientais (DA) elaboradas no âmbito do Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria, devem

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: SI Inovação e SI Qualificação PME Abertura de concursos para apresentação de candidaturas

CIRCULAR. Assunto: SI Inovação e SI Qualificação PME Abertura de concursos para apresentação de candidaturas CIRCULAR N/ REFª: 62/09 DATA: 15/07/2009 Assunto: SI Inovação e SI Qualificação PME Abertura de concursos para apresentação de candidaturas Exmos. Senhores, Vimos informar que estão abertos concursos para

Leia mais

VIII SIMPÓSIO LUSO ALEMÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS FOTOVOLTAICO Energia solar nos edifícios

VIII SIMPÓSIO LUSO ALEMÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS FOTOVOLTAICO Energia solar nos edifícios VIII SIMPÓSIO LUSO ALEMÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS FOTOVOLTAICO Energia solar nos edifícios Sheraton Lisboa Hotel & Spa, na sala White Plains Lisboa, 25 de Outubro de 2011 ADENE Agência para a Energia Rui

Leia mais

A perspectiva das Organizações Não- Governamentais sobre a política de biocombustíveis

A perspectiva das Organizações Não- Governamentais sobre a política de biocombustíveis Seminário Internacional sobre Politicas e Impactes dos Biocombustíveis em Portugal e na Europa 20 de Junho de 2011 FLAD Lisboa Portugal A perspectiva das Organizações Não- Governamentais sobre a política

Leia mais

Sistema SpeedTAXI. Diminuir o tempo de despacho dos veículos realizando o processo de forma automática.

Sistema SpeedTAXI. Diminuir o tempo de despacho dos veículos realizando o processo de forma automática. OBJETIVO: Diminuir o tempo de despacho dos veículos realizando o processo de forma automática. REQUISITOS: Utilização da plataforma de comunicação MOTOTRBO (rádio digital Motorola DGM4100 com GPS); Instalação

Leia mais

NOTA JURÍDICA. corresponde a 343,28. Consequentemente, o valor referido no artigo em apreço equivale a mil vezes o dito índice 100, ou seja, 343.280.

NOTA JURÍDICA. corresponde a 343,28. Consequentemente, o valor referido no artigo em apreço equivale a mil vezes o dito índice 100, ou seja, 343.280. NOTA JURÍDICA 1) A MULTICENCO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS, S.A., ora CONSULENTE, solicitou esclarecimentos sobre a seguinte questão: a celebração, entre a CONSULENTE e o MUNICÍPIO DE SETÚBAL, de contrato

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

PROJECTO TER TOTAL ENERGY ROCKS

PROJECTO TER TOTAL ENERGY ROCKS PROJECTO TER 15 DE DEZEMBRO DE 2009 Projecto desenvolvido por: Professora Ana Mafalda Henriques Alunos Adriano Félix Ana Filipa Gonçalves Ana Rita Castelão André Gomes Lady Burrell Lauro Espanhol Marta

Leia mais

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS (Aberto a todos os Cidadãos) 1. O QUE É: O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014 Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014 Indice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores de

Leia mais

As potencialidades do cluster Português da água ao serviço do desenvolvimento sustentável

As potencialidades do cluster Português da água ao serviço do desenvolvimento sustentável As potencialidades do cluster Português da água ao serviço do desenvolvimento sustentável PAULO LEMOS, Secretário de Estado Ambiente e do Ordenamento do Território Missão da Parceria Portuguesa para a

Leia mais

Parque de habitação social aumentou 2% entre 2009 e 2011

Parque de habitação social aumentou 2% entre 2009 e 2011 Caracterização da Habitação Social em Portugal 2011 18 de julho de 2012 Parque de habitação social aumentou 2% entre 2009 e 2011 O número de fogos de habitação social em Portugal registou um aumento de

Leia mais

ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL PARA O FORTALECIMENTO DAS RPPNs

ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL PARA O FORTALECIMENTO DAS RPPNs ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL PARA O FORTALECIMENTO DAS RPPNs Laércio Machado de Sousa Associação de Proprietários de Reservas Particulares do Patrimônio Natural do Mato Grosso do Sul (REPAMS) e Confederação

Leia mais

GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 SPAIN - FRANCE - PORTUGAL - BELGIUM - BRAZIL - CHILE - CANADA

GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 SPAIN - FRANCE - PORTUGAL - BELGIUM - BRAZIL - CHILE - CANADA GUIA PORTUGAL 2020 NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? www.f-iniciativas.com GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? 1. O que é Portugal 2020 2. Metas para o Portugal

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa O Município de Mirandela tem entendido como de interesse municipal as iniciativas empresariais de natureza

Leia mais

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Opções da União Europeia e posição de Portugal 1 I Parte - O Plano de Acção da EU Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Publicado pela Comissão Europeia

Leia mais

Normas de registo e controlo da pontualidade e assiduidade dos trabalhadores da Câmara Municipal de Espinho

Normas de registo e controlo da pontualidade e assiduidade dos trabalhadores da Câmara Municipal de Espinho Normas de registo e controlo da pontualidade e assiduidade dos trabalhadores da Câmara Municipal de Espinho Aprovadas por Despacho nº 33/2012, de 19 de março do Senhor Presidente da Câmara, Dr. Pinto Moreira

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS

ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS ESPOSENDE PACTO DE AUTARCAS Novembro de 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE ESPOSENDE AMBIENTE, EEM OBJECTIVOS DE COMBATE ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Até ao ano de 2020, Aumentar em 20% a eficiência energética

Leia mais

Consulta Pública. Florestas de Alto Valor de Conservação da Unidade de Gestão Florestal do Grupo Unifloresta. Às Partes Interessadas do Grupo

Consulta Pública. Florestas de Alto Valor de Conservação da Unidade de Gestão Florestal do Grupo Unifloresta. Às Partes Interessadas do Grupo Florestas de Alto Valor de Conservação da Unidade de Gestão Florestal do Grupo Unifloresta Consulta Pública Às Partes Interessadas do Grupo Unifloresta Unimadeiras, S.A. O Grupo Unifloresta foi formalmente

Leia mais

Enquadramento legal para a contratualização e concessão de serviços de transporte Panorama Nacional

Enquadramento legal para a contratualização e concessão de serviços de transporte Panorama Nacional Enquadramento legal para a contratualização e concessão de serviços de transporte Panorama Nacional Workshop CONTRATUALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE: COMPETÊNCIAS, MODELOS DE CONCESSÃO E EXEMPLOS Almada,

Leia mais

Integração de veículos eléctricos no mercado nacional

Integração de veículos eléctricos no mercado nacional Integração de veículos eléctricos no mercado nacional Jorge Batista e Silva Mobilidade Eléctrica Funchal 19 Set 2010 1 Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Atribuições relativas a - condutores

Leia mais

MOB CARSHARING PROTOCOLOS

MOB CARSHARING PROTOCOLOS O QUE É O MOB CARSHARING A QUEM SE DESTINA VANTAGENS ECONÓMICAS VANTAGENS AMBIENTAIS MOB CARSHARING PARTICULARES MOB CARSHARING EMPRESAS MOB CARSHARING PROTOCOLOS COMO FUNCIONA A FROTA CONTACTOS 01 02

Leia mais

Mobilidade Sustentável - Melhores Práticas em Lisboa

Mobilidade Sustentável - Melhores Práticas em Lisboa Mobilidade Sustentável - Melhores Práticas em Lisboa OUT. 2011 Fonte: terrasdeportugal.wikidot.com Fórum Transnacional - Projecto START Mobilidade - Câmara Municipal de Lisboa Mobilidade Sustentável Melhores

Leia mais

CEDÊNCIA DE PASSAGEM

CEDÊNCIA DE PASSAGEM FICHA TÉCNICA CEDÊNCIA DE PASSAGEM Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 3 Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito Princípio

Leia mais

Fonte: CML Fonte: CML, Américo Simas Seminário Internacional sobre Serviços de Táxi Mobilidade: os novos desafios para Lisboa CML, Novembro de 2008 Carta Europeia de Segurança Rodoviária Data de adesão

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16 Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu desenvolver o Plano Intermunicipal de

Leia mais

A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças

A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças Margarida Roxo mroxo@imt-ip.pt Águeda, Seminário Os novos desafios dos Transportes e Mobilidade e a Mobilidade Suave

Leia mais

Seminário GISA. Uma saudação às equipas que trabalham para estudar, apresentar resultados e discuti-los com os presentes.

Seminário GISA. Uma saudação às equipas que trabalham para estudar, apresentar resultados e discuti-los com os presentes. Câmara Municipal Gabinete da Presidência Seminário GISA Exmºs Senhores: Quero cumprimentar todos os participantes e saudar a vossa presença nesta sala pelo interesse que manifestam pelas questões do ambiente,

Leia mais

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011 Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar Ano lectivo 2010/2011 Apreciação Geral A aplicação do Regime de Fruta Escolar (RFE) em Portugal tem os seguintes objectivos gerais: Saúde Pública:

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES

IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES OS TRANSPORTES IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES Contribui para a correcção das assimetrias espaciais e ordenamento do território; rio; Permite uma maior equidade territorial no acesso, aos equipamentos não

Leia mais

Mobilidade e Sistema Metropolitano de Transportes Direito à Mobilidade com Transportes Públicos Sustentáveis

Mobilidade e Sistema Metropolitano de Transportes Direito à Mobilidade com Transportes Públicos Sustentáveis Mobilidade e Sistema Metropolitano de Transportes Direito à Mobilidade com Transportes Públicos Sustentáveis Auditório Professor Adriano Moreira 03.03.2016 Lei 52/2015 e RJSPTP alguns aspectos jurídicos

Leia mais

Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana. Andrea Mallmann Couto Juliana Baum Vivian

Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana. Andrea Mallmann Couto Juliana Baum Vivian Planos Municipais de Mobilidade Urbana e Acessibilidade e o papel do TCE-RS na sua implementação Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana Andrea Mallmann Couto Juliana Baum Vivian SUPORTE

Leia mais

APOIO ESPECIALIZADO ÀS EMPRESAS DO SETOR DO TURISMO UMA NOVA PERSPETIVA UMA NOVA ABORDAGEM

APOIO ESPECIALIZADO ÀS EMPRESAS DO SETOR DO TURISMO UMA NOVA PERSPETIVA UMA NOVA ABORDAGEM DO SETOR DO TURISMO UMA NOVA PERSPETIVA UMA NOVA ABORDAGEM PORQUÊ A CRIAÇÃO DESTA EQUIPA? Necessidade de prestar ao empresário expertise em todas as vertentes da cadeia de valor Melhor adequação dos projetos/produtos

Leia mais

Valor médio anual da densidade de poluentes atmosféricos com base na rede de monitorização do Ar na Região do Delta do Rio das Pérolas entre 2006-2014

Valor médio anual da densidade de poluentes atmosféricos com base na rede de monitorização do Ar na Região do Delta do Rio das Pérolas entre 2006-2014 O Relatório sobre a Qualidade do Ar de 2014 foi publicado hoje com base na rede de monitorização do Ar de Guangdong-Hong Kong-Macau para a Região do Delta do Rio das Pérolas O Relatório sobre o Resultado

Leia mais

MEDIDA 1.1 DO PRODER INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL

MEDIDA 1.1 DO PRODER INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL MEDIDA 1.1 DO PRODER INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL ANÁLISE DO IMPACTO POTENCIAL DAS CANDIDATURAS CONTRATADAS SOBRE O SECTOR AGRÍCOLA E AGRO-INDUSTRIAL NOVEMBRO DE 2011 1 ÍNDICE 0. INTRODUÇÃO...

Leia mais

MODELO DE GESTÃO DAS ZONAS COMUNS

MODELO DE GESTÃO DAS ZONAS COMUNS MODELO DE GESTÃO A política ativa de gestão e preservação dos empreendimentos passa, em primeira instância, pela sensibilização dos inquilinos, para o bom uso e fruição das habitações, assegurando o cumprimento

Leia mais

Implementação da Directiva Quadro da Água (DQA)

Implementação da Directiva Quadro da Água (DQA) WORKSHOP Análise e Monitorização Química do Estado da Água Perspectivas para os Laboratórios Implementação da Directiva Quadro da Água (DQA) Directiva das Águas Subterrâneas Decreto Lei nº 208/2008 Implementação

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA - EIV. Mário Barreiros

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA - EIV. Mário Barreiros ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA - EIV Mário Barreiros Arquiteto Mestre em Engenharia Civil e Urbana Flektor Engenharia e Consultoria Ltda. Palestra realizada para o Instituto de Desenvolvimento Urbano

Leia mais

Divisão de Formação e Segurança Rodoviária

Divisão de Formação e Segurança Rodoviária Divisão de Formação e Segurança Rodoviária Câmara Municipal de Lisboa Departamento de Segurança Rodoviária e Tráfego. Divisão de Formação e Segurança Rodoviária A Divisão de Formação e Segurança Rodoviária

Leia mais

COMO MONTAR UMA PADARIA

COMO MONTAR UMA PADARIA COMO MONTAR UMA PADARIA COMO MONTAR UMA PADARIA Abrir um negócio, seja ele qual for, é sempre um desafio, principalmente para quem está a iniciar no mundo empresarial. Montar uma padaria ou pastelaria,

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 29 de dezembro de 2014 GASTOS TURÍSTICOS INTERNACIONAIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ANO DE 2013 Nota introdutória O Inquérito aos Gastos Turísticos Internacionais (IGTI) foi uma operação estatística

Leia mais

Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado

Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado Construção: Obras licenciadas e concluídas 4º Trimestre de 2015 - Dados preliminares 15 de março de 2016 Obras concluídas e licenciadas com decréscimo menos acentuado No 4º trimestre de 2015 os edifícios

Leia mais

manual de correção de erros centrais da declaração modelo 22 Classificação: 205.0 5. 02 Segurança: Pú bl ic a MOD. 12.2

manual de correção de erros centrais da declaração modelo 22 Classificação: 205.0 5. 02 Segurança: Pú bl ic a MOD. 12.2 Classificação: 205.0 5. 02 Segurança: Pú bl ic a manual de correção de erros centrais da declaração modelo 22 MOD. 12.2 Av. Eng. Duarte Pacheco, 28-7.º, Lisboa 1099-013 Tel: (+351) 21 383 42 00 Fax: (+351)

Leia mais