O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E O DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DA AGRICULTURA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E O DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DA AGRICULTURA"

Transcrição

1 O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E O DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DA AGRICULTURA EVARISTO EDUARDO DE MIRANDA

2 CÓDIGO FLORESTAL : O QUE É E ONDE SE APLICA? NÃO SE APLICA ÀS ÁREAS PROTEGIDAS: UNIDADES DE CONSERVAÇÃO + TERRAS INDÍGENAS

3 TOTAL DE ÁREAS PROTEGIDAS NO BRASIL

4 TOTAL DE ÁREAS PROTEGIDAS NA AMAZÔNIA

5 ALCANCE TERRITORIAL DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO E TERRAS INDÍGENAS BIOMA Área UCE/UCF/TI Área Disponível C1 (km²) (km²) % (km²) % AMAZÔNIA , ,57 CAATINGA , ,02 CERRADO ,52 MATA ATLÂNTICA , ,68 PAMPA , ,47 PANTANAL , ,23 8, ,98 95,93 TOTAL , ,

6 CÁLCULO NÃO INCLUIU Unidades de Conservação Municipais (Naviraí, Mindú, Conceição do Mato Dentro, 5 SC...) As 1917 áreas do Exército > Um Sergipe As Bases Aéreas da Aeronáutica, áreas da Marinha, bases navais e fluviais.. Outras ocupações irreversíveis (Monumentos...)

7 ÁREAS PROTEGIDAS BRASIL & MUNDO Ordem País Área do país (km2) Áreas terrestres (2009) Área protegida (km2) % de área protegida (países com mais de 2 M km²) 1 Brasil ,03 2 China ,6 3 Est. Unidos ,81 4 Austrália ,5 5 Congo ,45 6 Rússia ,02 7 Canadá ,03 8 Argélia ,32 9 Argentina ,43 10 Índia ,33 11 Sudão ,9 12 Cazaquistão ,52 Média 10,08 Fonte: IUCN - International Union for Conservation of Nature (2009)

8 ÁREAS PROTEGIDAS BRASIL & MUNDO 30 % de área protegida (países com mais de 2 M km²) Fonte: IUCN - International Union for Conservation of Nature (2009)

9 CÓDIGO FLORESTAL: ALCANCE TERRITORIAL EM 70% DO TERRITORIO SE APLICA O CÓDIGO FLORESTAL INCLUSÃO DAS CIDADES DAS ÁREAS INDUSTRIAIS- URBANAS DAS INFRAESTRUTURAS ENERGÉTICO-MINERADORAS ALÉM DOS 30% DE ÁREAS PROTEGIDAS, CÓDIGO FLORESTAL VISA O INTERIOR DA PROPRIEDADE RURAL SÓ COMO RESERVA LEGAL, ELE DEMANDAVA POTENCIALMENTE: KM2 > 32% DO BRASIL ATUALMENTE: KM2 (APP +RL) > 14% DO BRASIL (IBGE 2006)

10 CÓDIGO FLORESTAL : RÁPIDO HISTÓRICO Coroa Portuguesa, Brasil Império, 1934, 1965 Alterações via Poder Executivo, MMA, CONAMA...(1990 a 2010) Tramitação Final do Projeto de Lei no E de 1999 (2010 a 2012) Lei sancionada nº , de 25 de maio de 2012 Participação legislativa do Executivo Medida Provisória nº 571, de 25 de maio de 2012 Decreto Presidencial nº 7.830, de 17 de outubro de 2012 (Dispõe sobre o CAR)

11 CÓDIGO FLORESTAL ALTERAÇÕES E CONSEQUÊNCIAS INSTITUÍDO PELA LEI Nº 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965 DO GENERAL CASTELLO BRANCO DURANTE O GOVERNO MILITAR E O ANTERIOR 1934, A DITADURA VARGAS

12 O CÓDIGO DESFIGURADO PELO EXECUTIVO

13

14 FORAM CERCA DE ALTERAÇÕES E REGULAMENTAÇÕES E VIROU LEI, SEM NUNCA TER SIDO VOTADO

15

16 NOVO CÓDIGO FLORESTAL RESULTADOS

17 O NOVO CÓDIGO DE AMBIENTALISTA PARA AMBIENTAL INCORPOROU E MANTEVE SEM ALTERAÇÕES AS FIGURAS LEGAIS DA RL E DA APP CRIOU O CADASTRO AMBIENTAL RURAL ESTABELECEU REGRAS E LIMITES PARA O USO DOS RECURSOS DE ÁGUA, SOLO E VEGETAÇÃO NAS PROPRIEDADES RURAIS

18 NOVO CÓDIGO FLORESTAL RESERVA LEGAL

19 MEDIDA PROVISÓRIA DE 24 DE AGOSTO DE 2001 Art III - Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, excetuada a de preservação permanente, necessária ao uso sustentável dos recursos naturais, à conservação e reabilitação dos processos ecológicos, à conservação da biodiversidade e ao abrigo e proteção de fauna e flora nativas; Art. 16 > indicações das % de reserva legal

20 RESERVA LEGAL NO NOVO CÓDIGO Art. 3º Para os efeitos desta Lei, entende-se por: III Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos do art. 12, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos recursos naturais do imóvel rural, auxiliar a conservação e a reabilitação dos processos ecológicos e promover a conservação da biodiversidade, bem como o abrigo e a proteção de fauna silvestre e da flora nativa;

21 DEFINIÇÃO RL - 80% para imóvel em área de florestas na Amazônia Legal -35% para imóvel em área de cerrado - 20% para imóvel em área nos demais biomas UNIDADE DA FEDERAÇÃO RL (%) RONDÔNIA 80% ACRE 80% AMAZONAS 80% RORAIMA 80% PARÁ 80% AMAPÁ 80% TOCANTINS BIOMA AMAZÔNIA 80% TOCANTINS BIOMA CERRADO 35% REGIÃO NORTE MARANHÃO - BIOMA AMAZÔNIA 80% MARANHÃO - BIOMA CERRADO E DENTRO DA AML 35% MARANHÃO - BIOMA CERRADO E FORA DA AML 20% PIAUÍ 20% CEARÁ 20% RIO GRANDE DO NORTE 20% PARAÍBA 20% PERNAMBUCO 20% ALAGOAS 20% SERGIPE 20% BAHIA 20% REGIÃO NORDESTE MINAS GERAIS 20% ESPÍRITO SANTO 20% RIO DE JANEIRO 20% SÃO PAULO 20% REGIÃO SUDESTE PARANÁ 20% SANTA CATARINA 20% RIO GRANDE DO SUL 20% REGIÃO SUL MATO GROSSO BIOMA AMAZÔNIA 80% MATO GROSSO BIOMA CERRADO 35% MATO GROSSO BIOMA PANTANAL 20% MATO GROSSO DO SUL 20% GOIÁS 20% DISTRITO FEDERAL 20% REGIÃO CENTRO-OESTE

22 RESERVA LEGAL MANTEVE O CONCEITO E AS EXIGÊNCIAS PERCENTUAIS DISPENSA DE RECOMPOSIÇÃO, COMPENSAÇÃO OU REGENERAÇÃO QUEM RESPEITOU A LEI DO SEU TEMPO OS PEQUENOS (4 MFs.) ESTÃO DISPENSADOS, FICA O QUE EXISTIR DE VEGETAÇÃO NATIVA, ABAIXO DO EXIGIDO ÁREAS DE APP PODEM ENTRAR NO CÔMPUTO DA RL CRIADA A COTA DE RESERVA AMBIENTAL (CRA) E A SERVIDÃO AMBIENTAL (FLORESTA = ATIVO) VARIOS MECANISMOS PARA RECOMPOR (COM 50% EXÓTICAS) OU COMPENSAR (REGULARIZAÇÃO) NENHUMA ANISTIA PARA QUEM ESTIVER FORA DAS REGRAS AUTORIZADA ALGUMA EXPLORAÇÃO ECONÔMICA POTENCIAL REMUNERAÇÃO FUTURO SERVIÇOS AMBIENTAIS

23 NOVO CÓDIGO FLORESTAL APPs

24 APPs MANTEVE O CONCEITO E AS EXIGÊNCIAS DEFINIU MELHOR TOPO DE MORRO E LEITO REGULAR INCLUIU NOVAS SITUAÇÕES POSSIBILIDADE DE AMPLIAR A APLICAÇÃO DEFINIU SITUAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL, UTILIDADE PÚBLICA, ATIVIDADES EVENTUAIS E DE BAIXO IMPACTO EXIGIU COMPOSIÇÃO RETROATIVA EM QUANTITATIVOS DEFINIDOS POR DECRETO

25 NOVO CÓDIGO FLORESTAL ÁREAS CONSOLIDADAS

26 APPs CONSOLIDOU AS ATIVIDADES DE CICLO LONGO E PERENES EM RELEVO (REFLORESTAMENTO, FRUTICULTURA, PASTAGENS...) DEIXOU FORA CULTURAS ANUAIS (FUMO, FEIJÃO, MILHO, FLORICULTURA, HORTICULTURA...) PROIBIU NOVAS EXPANSÕES (CONGELAMENTO) REGRAS PARA A AQUICULTURA (15MF.) E CARCINOCULTURA (APICUNS E SALGADOS) DEIXOU FORA AS ÁREAS IRRIGADAS

27 NOVO CÓDIGO FLORESTAL PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

28 NOVO CÓDIGO FLORESTAL REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL

29 PRA PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL

30 PRA o novo código cria o Cadastro Ambiental Rural (CAR), obrigatório para todos os imóveis rurais e destinado a integrar informações sobre a localização das reservas legais e das APPs;. a inscrição deverá ser feita no prazo de um ano, prorrogável por mais um;. a União, os estados e o Distrito Federal terão até dois anos de prazo, contados da publicação da futura lei, para implantar programa de regularização ambiental (PRA);. a União terá 180 dias para estabelecer regras gerais;. a inscrição no CAR é condição obrigatória para adesão ao PRA;. as multas por infrações ambientais cometidas até 22 de julho de 2008 serão suspensas desde a publicação da lei e enquanto o proprietário que aderiu ao PRA estiver cumprindo o termo de compromisso ajustado;. quando cumpridas as exigências do termo de compromisso ou do programa de regularização as multas serão convertidas em serviços de preservação do meio ambiente;. os PRAs deverão ter mecanismos que permitam acompanhar sua implementação, considerando as metas nacionais para florestas.

31 NOVO CÓDIGO FLORESTAL EXIGÊNCIA RETROATIVA DE RECOMPOSIÇÃO DE APPs PARA PEQUENOS E MÉDIOS AGRICULTORES

32 A OCUPAÇÃO E O USO DAS TERRAS PODE SER AMPLIADO NAS PROPRIEDADES? ÁREA LEGALMENTE DISPONÍVEL NO INTERIOR DAS PROPRIEDADES

33 POSSIBILIDADE DE EXPANSÃO HORIZONTAL DA PRODUÇÃO NO INTERIOR DOS IMÓVEIS CÓDIGO FLORESTAL VISA O INTERIOR DA PROPRIEDADE RURAL O Censo Agropecuário de 2006, pela primeira vez, perguntou qual a área de mata do estabelecimento agrícola estava dedicada à atender as exigências de reserva legal e APPs, consideradas em conjunto. A tabulação desses dados indica que 77,7% dos estabelecimentos agrícolas do Brasil declararam não possuir nenhuma área de mata destinada à reserva legal e/ou APPs. Apenas 22,3% dos estabelecimentos agrícolas, ou imóveis em termos absolutos, declararam possuir alguma área de mata destinada à reserva legal e/ou APPs, cuja totalização alcançou cerca de 50 milhões de hectares.

34 O ALCANCE TERRITORIAL DA EXIGÊNCIA DE RL/APPS NOS ESTABELECIMENTOS AGRÍCOLAS No conjunto dos estabelecimentos agrícolas do Brasil deveria existir uma área de cerca de 115 milhões de hectares dedicada a atender as APPs e RL. Existe cerca de 50 milhões de hectares de matas declaradas em imóveis rurais destinados a essa função de caráter não produtivo. Sem a consolidação das áreas historicamente ocupadas no interior dos estabelecimentos agrícolas, a área a ser retirada das atividades agrossilvopastoris para reflorestamento no Brasil será da ordem de 65 milhões de hectares.

35 BRASIL (IBGE ) Região Quantidade de estabelecimentos % do total % Acumulada Área total (ha) % do total % Acumulada Norte ,19% 9,19% ,61% 16,61% Nordeste ,42% 56,61% ,91% 39,52% Centro-Oeste ,13% 62,74% ,46% 70,98% Sudeste ,82% 80,56% ,44% 87,41% Sul ,44% 100,00% ,59% 100,00% Total do Brasil % % - Região Área total de APP/RL que deveria existir (ha) Área total de APP/RL existente (ha) % de área de APP/RL existente relativa a que deveria existir Área que falta de RL (ha) % área de RL que falta relativa a que deveria existir Norte ,2% ,8% Nordeste ,0% ,0% Centro-Oeste ,0% ,0% Sudeste ,6% ,4% Sul ,1% ,9% Total do Brasil ,74% ,26%

36 BRASIL (IBGE ) Brasil Grupos de áreas totais (ha) Quantidade de estabelecimentos % do total % Acumulada Área total (ha) % do total % Acumulada Maior de 0 a menos de 5 ha ,57% 35,57% ,00% 1,00% De 5 a menos de 20 ha ,53% 62,10% ,48% 5,48% De 20 a menos de 100 ha ,86% 85,96% ,94% 21,43% De 100 a menos de 500 ha ,17% 93,13% ,96% 44,38% De 500 a menos de 1000 ha ,04% 94,17% ,20% 55,58% De 1000 ha e mais ,91% 95,07% ,42% 100,00% Produtor sem área ,93% 100,00% Total ,00% ,00% - Brasil Grupos de áreas totais (ha) Área total de APP/RL que deveria existir (ha) Área total de APP/RL existente (ha) % de área de APP/RL existente relativa a que deveria existir Área que falta de RL (ha) % área de RL que falta relativa a que deveria existir Maior de 0 a menos de 5 ha ,0% ,0% De 5 a menos de 20 ha ,2% ,8% De 20 a menos de 100 ha ,5% ,5% De 100 a menos de 500 ha ,3% ,7% De 500 a menos de 1000 ha ,3% ,7% De 1000 ha e mais ,5% ,5% Produtor sem área Total ,74% ,26%

37 O ALCANCE TERRITORIAL DA EXIGÊNCIA DE RL/APPS NOS ESTABELECIMENTOS AGRÍCOLAS Nos estabelecimentos agrícolas com até 100 hectares, a área a ser retirada das atividades produtivas ou a porcentagem que falta para atender as exigências de RL é da ordem de 70 a 90%. Em termos proporcionais, quanto menor o estabelecimento agrícola, maior será a necessidade de amputar áreas das atividades produtivas para atender as exigências de RL/APPs. Os critérios de APPs exigidos pela legislação atual aplicam-se com os mesmos quantitativos independentemente do estabelecimento agrícola situar-se na caatinga, na Amazônia ou na pampa ou ainda, tanto no caso de imóveis com 5 ou com 500 ou ainda hectares. O mesmo ocorre com as exigências de reserva legal no interior de cada bioma.

38 SANTA CATARINA (2006) 20,0% 15,0% 11,7% 8,0% 7,0% 4,5% 10,0% 15,8% 20,8% 5,0% 8,3% 12,0% 13,0% 15,5% 4,2% 0,0% Maior de 0 a menos de 5 ha De 5 a menos de 20 ha De 20 a menos de 100 ha De 100 a menos de 500 ha De 500 a menos de 1000 ha De 1000 ha e mais % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

39 PARANÁ (2006) 20,0% 0,7% 4,9% 15,0% 10,1% 8,4% 9,1% 13,7% 10,0% 19,3% 15,1% 5,0% 9,9% 11,6% 10,9% 6,3% 0,0% Maior de 0 a menos de 5 ha De 5 a menos de 20 ha De 20 a menos de 100 ha De 100 a menos de 500 ha De 500 a menos de De 1000 ha e mais 1000 ha % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

40 MINAS GERAIS (2006) 20,0% 2,8% 15,0% 13,2% 10,5% 8,1% 6,3% 16,6% 10,0% 17,2% 5,0% 6,8% 9,5% 11,9% 13,7% 3,4% 0,0% Maior de 0 a menos de 5 ha De 5 a menos de 20 ha De 20 a menos de 100 ha De 100 a menos de 500 ha De 500 a menos de De 1000 ha e mais 1000 ha % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

41 RIO DE JANEIRO (2006) 20,0% 4,9% 15,0% 10,0% 17,4% 15,0% 13,0% 12,0% 9,2% 15,1% 5,0% 0,0% 2,6% Maior de 0 a menos de 5 ha 5,0% De 5 a menos de 20 ha 7,0% De 20 a menos de 100 ha 8,0% De 100 a menos de 500 ha 10,8% De 500 a menos de De 1000 ha e mais 1000 ha % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

42 BAHIA (2006) 20,0% 3,6% 15,0% 10,0% 19,0% 17,0% 14,3% 12,2% 9,4% 16,4% 5,0% 0,0% 1,0% Maior de 0 a menos de 5 ha 3,0% 5,7% De 5 a menos de 20 ha De 20 a menos de 100 ha 7,8% De 100 a menos de 500 ha 10,6% De 500 a menos de 1000 ha De 1000 ha e mais % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

43 PERNAMBUCO (2006) 20,0% 15,0% 14,2% 12,6% 11,6% 13,9% 10,0% 19,4% 17,5% 5,0% 5,8% 7,4% 8,4% 6,1% 0,0% 0,6% Maior de 0 a menos de 5 ha 2,5% De 5 a menos de 20 ha De 20 a menos de 100 ha De 100 a menos de 500 ha De 500 a menos de 1000 ha De 1000 ha e mais % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

44 ALAGOAS (2006) 20,0% 15,0% 9,9% 10,0% 19,7% 18,6% 17,7% 16,0% 13,9% 5,0% 10,1% 0,0% 0,3% Maior de 0 a menos de 5 ha 1,4% 2,3% De 5 a menos de 20 ha De 20 a menos de 100 ha 4,0% De 100 a menos de 500 ha 6,1% De 500 a menos de 1000 ha De 1000 ha e mais % de área de APP/RL existente em 2006 por tamanho de estab. Falta para RL

45 O ALCANCE TERRITORIAL DA EXIGÊNCIA DE RL/APPS NOS ESTABELECIMENTOS AGRÍCOLAS Nos estabelecimentos agrícolas com até 100 hectares, a área a ser retirada das atividades produtivas ou a porcentagem que falta para atender as exigências de RL é da ordem de 70 a 90%. Em termos proporcionais, quanto menor o estabelecimento agrícola, maior será a necessidade de amputar áreas das atividades produtivas para atender as exigências de RL/APPs. Os critérios de APPs exigidos pela legislação atual aplicam-se com os mesmos quantitativos independentemente do estabelecimento agrícola situar-se na caatinga, na Amazônia ou na pampa ou ainda, tanto no caso de imóveis com 5 ou com 500 ou ainda hectares. O mesmo ocorre com as exigências de reserva legal no interior de cada bioma.

46 DEFINIÇÃO DE MF MÓDULO FISCAL VERSUS AGRICULTURA FAMILIAR Módulo Fiscal (MF) é uma unidade de medida, expressa em hectares, fixada pelo INCRA para cada município do país. O módulo fiscal corresponde à área mínima necessária a uma propriedade rural para que sua exploração seja economicamente viável dentro de um município. Ele serve de parâmetro para a classificação fundiária do imóvel rural quanto a sua dimensão, sendo: Pequena propriedade: imóvel rural de área compreendida entre 1 e 4 MFs; Média propriedade: imóvel rural de área compreendida entre 4 e 15 MFs.

47 CODIGO FLORESTAL E O MF Código Florestal pequena propriedade = 4 MFs Tamanho dos MFs varia entre municípios REGIÕES 1 MF_MEDIO (ha) 4 x MF_MEDIO (ha) REGIÃO NORTE 74,82 299,26 REGIÃO NORDESTE 58,53 234,14 REGIÃO SUDESTE 33,93 135,71 REGIÃO SUL 21,17 84,68 REGIÃO CENTRO-OESTE 72,22 288,90

48 ALCANCE SOCIAL E ECONÔMICO: BENEFICIOS PARA OS PEQUENOS E AMEAÇA PARA OS MÉDIOS AGRICULTORES BRASIL QUANTIDADE DE ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS % DO TOTAL DE ESTAB. % ACUM. ÁREA AGROP. TOTAL (ha) % DA ÁREA AGROP. TOTAL % ACUM. VALOR TOTAL DA PRODUÇÃO ANUAL (R$) % DO VALOR DA PROD. TOTAL % ACUM. PEQUENOS ESTABELECIMENTOS (até 4 MFs) ,8% 88,8% ,8% 28,8% ,4% 50,4% MÉDIOS ESTABELECIMENTOS (de 4 a 15 MFs) ,5% 93,3% ,2% 49,0% ,9% 66,2% GRANDES ESTABELECIMENTOS (mais de 15 MFs) ,7% 100,0% ,0% 100,0% ,8% 100,0% TOTAL % % % Fontes: IBGE - Censo Agropecuário 2006 INCRA Índices Cadastrais - Distribuição dos Municípios Segundo as Dimensões do Módulo Fiscal

49 NOVO CÓDIGO FLORESTAL OS PEQUENOS AGRICULTORES

50 NOVO CÓDIGO FLORESTAL OS MÉDIOS AGRICULTORES

51 SITUAÇÃO CRÍTICA DOS MÉDIOS Regras e exigências iguais aos grandes Exigência plena de reserva legal e APPs Se tiver 4,1 MFs... Só quem tinha 4 MFs até 2008 Se a propriedade de 7 MFs for dividida naturalmente por sucessão familiar, as duas resultantes não serão consideradas pequenas

52 RONDÔNIA ACRE AMAZONAS RORAIMA PARÁ AMAPÁ TOCANTINS BIOMA TOCANTINS BIOMA MARANHÃO - BIOMA PIAUÍ CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PARAÍBA PERNAMBUCO ALAGOAS SERGIPE BAHIA MINAS GERAIS ESPÍRITO SANTO RIO DE JANEIRO SÃO PAULO PARANÁ SANTA CATARINA RIO GRANDE DO SUL MATO GROSSO BIOMA MATO GROSSO BIOMA MATO GROSSO BIOMA MATO GROSSO DO SUL GOIÁS DISTRITO FEDERAL 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO COM O NOVO CÓDIGO, OS MÉDIOS PRODUTORES SE TORNARÃO PEQUENOS 400,00 350,00 300,00 250,00 200,00 150,00 100,00 50,00 0,00 ÁREA DISPONÍVEL (ha) Pequenos Prop. Prop. Com 5 MFs

53 COM O NOVO CÓDIGO, OS MÉDIOS PRODUTORES SE TORNARÃO PEQUENOS 800,00 700,00 600,00 500,00 400,00 300,00 200,00 100,00 0,00 ÁREA DISPONÍVEL (ha) Pequenos Prop. Prop. Com 10 MFs

54

55 PONTA PORÃ, MATO GROSSO DO SUL CULTIVO DE SOJA E ÁREAS DE VEGETAÇÃO PRESERVADA

56 SINOP, MATO GROSSO PLANTIOS DE SOJA E VEGETAÇÃO PRESERVADA

57 CAMBARÁ DO SUL, RIO GRANDE DE SUL REFLORESTAMENTO DE PÍNUS E ÁREAS DE MATA NATIVA

58 RIO BRANCO DO SUL, PARANÁ REFLORESTAMENTO COM PÍNUS EM MEIO À VEGETAÇÃO PRESERVADA

59 COSMÓPOLIS, SÃO PAULO PLANTIO DE CANA-DE-AÇÚCAR EM NÍVEL E ÁREAS DE VEGETAÇÃO PRESERVADA

60 CONCENTRAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES AO LONGO DOS RIOS

61 OLINDINA, 25ª REUNIÃO VALE ANUAL DO INSTITUTO ITAPECURU BIOLÓGICO BA CONCENTRAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES AO LONGO DOS RIOS

62 CROATÁ CE CONCENTRAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES NOS RIOS PEQUENAS PROPRIEDADES

63 CONCENTRAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES AO LONGO DOS RIOS

64 25ª REUNIÃO ANUAL INSTITUTO BIOLÓGICO GUARACIABA DO NORTE CE CONCENTRAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES AO LONGO DOS RIOS PEQUENAS PROPRIEDADES

65 JUAZEIRO/PETROLINA BA/PE CONCENTRAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS PROPRIEDADES AO LONGO DOS RIOS ÁREAS IRRIGADAS GRANDES E MÉDIAS PROPRIEDADES PEQUENAS PROPRIEDADES PEQUENAS PROPRIEDADES GRANDES E MÉDIAS PROPRIEDADES

66 JUAZEIRO/PETROLINA 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO BA/PE A RECOMPOSIÇÃO DE APP ELIMINARIA ESTAS LAVOURAS INTEGRALMENTE LIMITE DA APP

67 VALE DO AÇU, RIO GRANDE DO NORTE LAVOURAS FAMILIARES ENTRE O RIO AÇÚ (DIR) E UM AFLUENTE TEMPORÁRIO (ESQ)

68

69 VALE DO RIBEIRA, SP PLANTAÇÕES DE BANANA

70

71 A AGRICULTURA NAS MARGENS DE RIOS EM OUTROS PAÍSES

72 EL SALVADOR PEQUENOS E GRANDES AGRICULTORES AO LONGO DOS RIOS

73 COSTA RICA BANANA E CULTIVOS NO RIO SIXAOLA

74 MÉXICO 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO AGRICULTURA NO VALE DO RIO PAPALOAPAN

75 EQUADOR AGRICULTURA E CARCINOCULTURA NO RIO GUAYAS

76 CHILE 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO AGRICULTURA AO LONGO DO RIO MAIPU

77 25ª REUNIÃO ARGENTINA ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO AGRICULTURA NO RIO PARANÁ E AFLUENTES

78 FRANÇA 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO GRICULTURA AO LONGO DO RIO RÓDANO

79 25ª REUNIÃO ALEMANHA ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO OCUPAÇÃO AGRÍCOLA NO RIO RENO

80 ITÁLIA 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO OCUPAÇÃO AGRÍCOLA, VALE DO PÓ

81 ESPANHA 25ª REUNIÃO ANUAL DO INSTITUTO BIOLÓGICO OCUPAÇÃO AGRÍCOLA DO RIO QUADALQUIVIR

82 PORTUGAL OCUPAÇÃO AGRÍCOLA DO RIO TEJO

83 AUSTRIA OCUPAÇÃO AGRÍCOLA DO RIO DANÚBIO

84 CHINA AGRICULTURA NO VALE DO RIO QINTIANG

85 EGITO ILHA CULTIVADA NO RIO NILO

86 SENEGAL AGRICULTURA NO VALE DO RIO SENEGAL

87 QUESTÕES E DESAFIOS GESTÃO TERRITORIAL Como o novo Código Florestal afetará a área explorada nos imóveis rurais e a estrutura fundiária do Brasil? O papel de tutela do MDA e do MMA frente ao MAPA nas políticas territoriais? Quem fornecerá instrumentos e informações ao setor agrícola para a gestão territorial nos imóveis rurais (CAR, CRA, PRA, RL, APP...)? Qual deveria ser a nova definição de Módulo Fiscal do INCRA? Qual o futuro dos novos pequenos agricultores e dos médios produtores rurais?

88 CONCLUSÕES OCUPAÇÃO E USO DAS TERRAS > GESTÃO TERRITORIAL ESTRATÉGICA 3 DESAFIOS MAIORES INFORMAÇÃO COMUNICAÇÃO ARTICULAÇÃO

89 MUITO OBRIGADO! EVARISTO DE MIRANDA Agradecimentos: Imagens orbitais apresentadas: Google Earth

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços

Legislação Anterior Novo Código Florestal Avanços A APP era computada a partir das margens de rio ou cursos d água, pelo nível mais alto do período de cheia. Várzeas eram consideradas parte dos rios ou cursos d água, porque são inundadas durante o período

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Lei 12.651/2012 Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Considerações Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para aplicação da lei Análise individual

Leia mais

Boletim Informativo. Junho de 2015

Boletim Informativo. Junho de 2015 Boletim Informativo Junho de 2015 Extrato Geral Brasil 1 EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 227.679.854 ha 57,27% Número de Imóveis cadastrados: 1.727.660 Observações: Dados obtidos do Sistema de Cadastro

Leia mais

Boletim Informativo* Agosto de 2015

Boletim Informativo* Agosto de 2015 Boletim Informativo* Agosto de 2015 *Documento atualizado em 15/09/2015 (Erratas páginas 2, 3, 4 e 9) EXTRATO GERAL BRASIL 1 EXTRATO BRASIL 396.399.248 ha 233.712.312 ha 58,96% Número de Imóveis Cadastrados²:

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Novo Código Florestal Lei 12.651/12. Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental

Novo Código Florestal Lei 12.651/12. Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Novo Código Florestal Lei 12.651/12 Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Fevereiro - 2013 ROTEIRO 1. HISTORICO DO CODIGO FLORESTAL a. EVOLUCAO DOS CONCEITOS

Leia mais

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade.

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade. São as áreas protegidas da propriedade. Elas não podem ser desmatadas e por isso são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APPs). São as faixas nas margens de rios, lagoas, nascentes, encostas

Leia mais

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Boletim Informativo Maio de 2015 * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Extrato Geral Brasil EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 212.920.419 ha 53,56 % Número de Imóveis cadastrados: 1.530.443

Leia mais

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015

Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Desafios e oportunidades associadas ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) 7ª CONSEGURO setembro 2015 Meta brasileira de redução das emissões até 2020 36,1% a 38,9% das 3.236 MM de tonco2eq de emissões projetadas

Leia mais

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Índice O que o agricultor brasileiro deve saber sobre o Novo Código Florestal?...1 Começando a regularizar o imóvel rural...2

Leia mais

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012 Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF O Idaf por definição O IDAF, é a entidade responsável pela execução da política, florestal, bem como

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural -CAR

Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural -CAR Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural -CAR João Carlos Dé Carli Assessor Técnico da Comissão Nacional do Meio Ambiente Confederação da Agricultura

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal. Prazos para o Poder Público

Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal. Prazos para o Poder Público Prazos estabelecidos pelo Novo Código Florestal Prazos para o Poder Público Artigo Obrigação Prazo 11, 5º 13, 2º 29 47 59 59, 1º 78-A 82 Conclusão do Zoneamento Ecológico- Econômico da Zona Costeira ZEEZOC

Leia mais

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal 1 MARCO LEGAL MARCO LEGAL O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para todas as propriedades e posses Base de

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

o papel das florestas nas propriedades agrícolas

o papel das florestas nas propriedades agrícolas Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima o papel das florestas nas propriedades agrícolas prof. gerd sparovek usp.esalq contato gerd@usp.br Perguntas

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

Reforma do Código Florestal

Reforma do Código Florestal Reforma do Código Florestal Esquema da apresentação Resumo da votação do Código Florestal na Câmara 25/04/2012 Principais alterações do Novo Código Florestal na Câmara dos Deputados 25/04/2012: 1. Programa

Leia mais

DISPOSIÇÕES PERMANENTES

DISPOSIÇÕES PERMANENTES Revista RG Móvel - Edição 31 DISPOSIÇÕES PERMANENTES CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR): O novo Código Florestal determina a criação do CAR (Cadastro Ambiental Rural) e torna obrigatório o registro para todos

Leia mais

Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental. Fevereiro - 2013

Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental. Fevereiro - 2013 Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Fevereiro - 2013 ROTEIRO 1. HISTORICO DO CODIGO FLORESTAL a. EVOLUCAO DOS CONCEITOS DE APP e RESERVA LEGAL b. PROCESSO

Leia mais

Figura 1: Distribuição de CAPS no Brasil, 25. RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PAIUÍ PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS SERGIPE TOCANTINS RONDÔNIA PARAÍBA BAHIA MATO GROSSO DISTRITO

Leia mais

Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12. 4º Ecologia 28/09/2015

Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12. 4º Ecologia 28/09/2015 1 Código Florestal Brasileiro Lei Federal 12.651/12 4º Ecologia 28/09/2015 Motivação para criação 2 Conservação de ecossistemas naturais é interessante! Única lei nacional que veta a ocupação urbana ou

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR O QUE ÉO CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos os imóveis rurais, com a finalidade

Leia mais

USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares

USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares URBANIZAÇÃO E OUTROS USOS 4% AGRICULTURA 7% VEGETAÇÃO NATURAL (FLORESTAIS E OUTROS) 65% PASTAGENS 23% FONTES: MMA/IBGE-PAM(2010)/INPE/CENSO AGROPECUÁRIO 2006

Leia mais

Histórico. Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012

Histórico. Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 Histórico Decreto 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal 12.651/2012 Decreto 7.830/2012 É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente

Leia mais

A Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA) nos estados brasileiros

A Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA) nos estados brasileiros A Implementação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e do Programa de Regularização Ambiental (PRA) nos estados brasileiros Sumário Executivo Maio de 2015 Este sumário executivo apresenta um panorama nacional

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROJETO FIP-ABC. Produção sustentável em áreas já convertidas para o uso agropecuário (com base no Plano ABC)

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROJETO FIP-ABC. Produção sustentável em áreas já convertidas para o uso agropecuário (com base no Plano ABC) Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROJETO FIP-ABC Produção sustentável em áreas já convertidas para o uso agropecuário (com base no Plano ABC) Descrição do contexto

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA

A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA Coordenador do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica GITE da Embrapa TULIO BARBOSA Mineiro de Guidoval TULIO BARBOSA

Leia mais

CONHECENDO O CADASTRO AMBIENTAL RURAL

CONHECENDO O CADASTRO AMBIENTAL RURAL CONHECENDO O CADASTRO AMBIENTAL RURAL BOFF, Giovani Veiga 1 ; CÓRDOVA, Leticia Brum¹; ZAMBERLAN, João Fernando²; ARALDI, Daniele Furian² Palavras Chave: Produtor. Código Florestal. Biomas. Área de Preservação

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012 e Decreto Federal 7.830/2012 ESALQ Março/Abril de 2014 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento e Avaliação

Leia mais

Universidade Federal do Ceara UFC Centro de Ciências Agrárias Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola Disciplina: Seminário IA

Universidade Federal do Ceara UFC Centro de Ciências Agrárias Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola Disciplina: Seminário IA Fortaleza CE Janeiro/2013 Universidade Federal do Ceara UFC Centro de Ciências Agrárias Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola Disciplina: Seminário IA Renata Nayara Câmara M. Silveira Engenheira

Leia mais

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal 1 MARCO LEGAL MARCO LEGAL O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para todas as propriedades e posses Base de

Leia mais

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL 1. DISPENSA AOS PROPRIETÁRIOS DE ÁREAS CONSOLIDADAS DE RECOMPOSIÇÃO DA RESERVA LEGAL Art. 61 a. Área rural consolidada: é a área de imóvel rural com ocupação

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL

NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL Eduardo de Mércio Figueira Condorelli desenvolvimentosustentavel@farsul.org.br Ibirubá (RS), 08 de maio de 2014 O TAMANHO DA AGROPECUÁRIA NACIONAL Área

Leia mais

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS,

Leia mais

RESUMO ESPANDIDO. O Novo Código Florestal: aspectos legais e evolução.

RESUMO ESPANDIDO. O Novo Código Florestal: aspectos legais e evolução. RESUMO ESPANDIDO O Novo Código Florestal: aspectos legais e evolução. Alcione Adame 1 INTRODUÇÃO Ao contrário do que a mídia a muita gente pensa a lei 12.651/12, conhecida como Novo Código Florestal, não

Leia mais

Recuperação e Recomposição de Mata Ciliar e Reserva Legal

Recuperação e Recomposição de Mata Ciliar e Reserva Legal Recuperação e Recomposição de Mata Ciliar e Reserva Legal Novo Código Florestal (Lei 12651) Eng Agrônomo Ricardo Moraes Witzel, Msc Concepção de Propriedade Sustentável A discussão do novo código florestal

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Sindicato dos Produtores Rurais CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/33 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Introdução Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso Curtarelli 2/33 Conteúdo

Leia mais

Avanços na proposta do Novo Código Ambiental Brasileiro

Avanços na proposta do Novo Código Ambiental Brasileiro Avanços na proposta do Novo Código Ambiental Brasileiro Projeto de Lei nº 5.367/2009 Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) Sen.Gilberto Goellner (vice-presidente da FPA) O que é o Novo Código Ambiental?

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental BR 116/RS Gestão Ambiental Programa de Apoio às Prefeituras Municipais Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental Novo Código Florestal Inovações e aspectos práticos STE Serviços Técnicos de Engenharia

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content Lei nº 12.651, de 25.5.2012 - Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis n os 6.938, de 31 de agosto

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados

Leia mais

QUESTÕES-CHAVE DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

QUESTÕES-CHAVE DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL RESUMO PARA POLÍTICA PÚBLICA NOVO CÓDIGO FLORESTAL PARTE I: DECIFRANDO O NOVO CÓDIGO FLORESTAL QUESTÕES-CHAVE DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL O novo Código Florestal dispõe sobre o uso e a proteção da vegetação

Leia mais

ALCANCE TERRITORIAL DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E A CONSOLIDAÇÃO DO USO AGROPECUÁRIO DE TERRAS NO BRASIL

ALCANCE TERRITORIAL DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E A CONSOLIDAÇÃO DO USO AGROPECUÁRIO DE TERRAS NO BRASIL Po por Ana_Cotta ALCANCE TERRITORIAL DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E A CONSOLIDAÇÃO DO USO AGROPECUÁRIO DE TERRAS NO BRASIL Alcance territorial da legislação ambiental e a consolidação do uso agropecuário de

Leia mais

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO MANUTENÇÃO, REPARAÇÃO E INSTALAÇÃO

Leia mais

IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA

IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE ITAPIRANGA Daniel Schull Brandão 1 ; Fabiana Raquel Muhl 2, Anderson Rhoden 3, Neuri Antonio Feldmann 4 Palavras-Chave:

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural: CAR E OS IMÓVEIS ABAIXO DE 4 MÓDULOS FISCAIS

Cadastro Ambiental Rural: CAR E OS IMÓVEIS ABAIXO DE 4 MÓDULOS FISCAIS Cadastro Ambiental Rural: CAR E OS IMÓVEIS ABAIXO DE 4 MÓDULOS FISCAIS O que é Módulo Fiscal / agricultura familiar Classificação dos imóveis até 4 módulos fiscais Como e onde consultar os módulos fiscais

Leia mais

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades A água

Leia mais

Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias. para a conservação e uso sustentável do Cerrado

Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias. para a conservação e uso sustentável do Cerrado Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs Instituto Sociedade, População e Natureza... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias para a conservação e uso sustentável do Cerrado (Mapas elaborados pelo

Leia mais

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural 8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura Adequação Legal da Propriedade Rural Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes jctmende@esalq.usp.br Departamento de Ciências Florestais Estação Experimental

Leia mais

O Novo Código Florestal

O Novo Código Florestal Madeira 2012 O Novo Código Florestal Prof. Sebastião Renato Valverde SIF/DEF/UFV Vitória, ES Novo Código Florestal Disposições Permanentes.Poucas alterações nos parâmetros de APPs e RL Disposições transitórias.voltam-se

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

PRODUTIVIDADE E CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA: LIMITES E DESAFIOS EVARISTO DE MIRANDA

PRODUTIVIDADE E CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA: LIMITES E DESAFIOS EVARISTO DE MIRANDA PRODUTIVIDADE E CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA: LIMITES E DESAFIOS EVARISTO DE MIRANDA 1990 2000 Luís Eduardo Magalhães 2010 2015 LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - BA DELIMITAÇÃO TERRITORIAL DO MATOPIBA 31 microrregiões

Leia mais

ENTREVISTA COLETIVA. Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA. 10 de julho de 2013. Compromisso com o Brasil

ENTREVISTA COLETIVA. Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA. 10 de julho de 2013. Compromisso com o Brasil ENTREVISTA COLETIVA Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA 10 de julho de 2013 Compromisso com o Brasil 1 Uso do Solo no Brasil Cidades e Infraestrutura 0,2% Terras Devolutas do Incra 17,6% Outros Usos:

Leia mais

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código?

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Dr. Sergius Gandolfi IV Simpósio sobre RAD - Ibt 16/11/2011-14h- Capital (SP) Biólogo, Laboratório de Ecologia

Leia mais

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ Acordo de Doação Nº TF016192 TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL DE LONGO

Leia mais

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12 CÓDIGO FLORESTAL COMO SE REGULARIZAR O QUE É CÓDIGO FLORESTAL? O Código é uma lei que estabelece limites e obrigações no uso da propriedade,, que deve respeitar a vegetação existente na terra, considerada

Leia mais

Organização da Aula. Política de Desenvolvimento Econômico. Aula 2. Contextualização

Organização da Aula. Política de Desenvolvimento Econômico. Aula 2. Contextualização Política de Desenvolvimento Econômico Aula 2 Prof. Nivaldo Vieira Lourenço Organização da Aula Aspectos conceituais do desenvolvimento regional Mudanças no conceito de região Regionalização brasileira

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO

RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO RESERVA DA BIOSFERA DO CINTURÃO VERDE DA CIDADE DE SÃO PAULO O QUE SÃO Reservas da Biosfera? - Reservas da Biosfera são áreas de ecossistemas terrestres ou aquáticos estabelecidas para promoverem soluções

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos do art. 12, com a função de assegurar o uso econômico de modo sustentável dos

Leia mais

Entendendo o Código Florestal. II Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental Novembro 23 de Outubro de 2012

Entendendo o Código Florestal. II Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental Novembro 23 de Outubro de 2012 Entendendo o Código Florestal II Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental Novembro 23 de Outubro de 2012 Tópicos abordados hoje: * Florestas no Planejamento Federal; * Lei 12.651/12 Estrutura

Leia mais

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás

O QUE É. Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento. Eletrobrás O QUE É Uma política de governo para redução da pobreza e da fome utilizando a energia como vetor de desenvolvimento 1 QUEM SÃO Total de Pessoas: 12.023.703 84% Rural 16% Urbano Total: 10.091.409 Total:

Leia mais

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS ASPECTOS 11 SOCIOECONÔMICOS 11.1. INFORMAÇÕES GERAIS O suprimento de energia elétrica tem-se tornado fator indispensável ao bem-estar social e ao crescimento econômico do Brasil. Contudo, é ainda muito

Leia mais

Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural Programação Manhã: teórica Conceitos da legislação ambiental Conceitos específicos do CAR e do PRA Tarde: prática Considerações sobre o sistema Apresentação

Leia mais

DE CARVÃO VEGETAL EM MS. Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL

DE CARVÃO VEGETAL EM MS. Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL POLÍTICA E LEGISLAÇÃO DA PRODUÇÃO DE CARVÃO VEGETAL EM MS Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL Política e Legislação até

Leia mais

CHECK LIST DE PRÉ CADASTRO AMBIENTAL RURAL PRÉ CAR

CHECK LIST DE PRÉ CADASTRO AMBIENTAL RURAL PRÉ CAR CHECK LIST DE PRÉ CADASTRO AMBIENTAL RURAL PRÉ CAR 1. MÓDULO DE IDENTIFICAÇÃO DO IMÓVEL Nome do Imóvel: Município: Imóvel em Zona: [ ] Rural [ ] Expansão Urbana [ ] Urbana Referência de acesso: Endereço

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY São convocados os senhores Usuários dos serviços de Telecomunicações e as associações ou entidades que possuam em seu objeto social características

Leia mais

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO (Lei Federal n. 12.651/12) PROF. DR. RAFAEL COSTA FREIRIA E-MAIL: RAFAELFREIRIA@COM4.COM.BR DISCIPLINA: DIREITO AMBIENTAL Fundamentos e Temas de Trabalho na Questão Florestal

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil varia 0,52% em agosto O Índice Nacional da Construção

Leia mais

Servidão Florestal e ICMSE como ferramentas de conservação em terras privadas

Servidão Florestal e ICMSE como ferramentas de conservação em terras privadas Servidão Florestal e ICMSE como ferramentas de conservação em terras privadas MISSÃO da ONG Preservação Engajar proprietários nas ações de conservação e recuperação da Mata Atlântica em terras privadas.

Leia mais

Apresentação. A AMIB (Associação de Medicina Intensiva. Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa. apresentar uma visão do cenário das Unidades

Apresentação. A AMIB (Associação de Medicina Intensiva. Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa. apresentar uma visão do cenário das Unidades Apresentação A AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa apresentar uma visão do cenário das Unidades de Terapias Intensivas (UTI) no país. Objetivos Elaborar

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural

Cadastro Ambiental Rural Cadastro Ambiental Rural E suas possíveis contribuições para a gestão de bacias hidrográficas Botucatu 28/06/2013 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos

Leia mais

Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente

Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente Planejando o Uso da Propriedade Rural I a reserva legal e as áreas de preservação permanente Ricardo D. Gomes da Costa 1 Marcelo Araujo 2 A rápida destruição de ambientes naturais, juntamente com a redução

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Cadastro Ambiental Rural (CAR) Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Cadastro Ambiental Rural (CAR) Procedimentos e Prazos Nelson Ananias Filho Coordenador de Sustentabilidade Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Leia mais

Tema: Reserva Legal. Familiar/MMA

Tema: Reserva Legal. Familiar/MMA Tema: Reserva Legal Norma atual Proposta 1 Proposta Agricultura Proposta Movimento MAPA/ruralistas Familiar/MMA Socioambientalista Recuperação de RL: exige a Reconhecimento de Não aceitar anistia para

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

TEXTO EM VIGOR EM VERDE

TEXTO EM VIGOR EM VERDE BUREAUX JURÍDICOS ASSOCIADOS Porto Alegre-RS Brasília-DF São Paulo-SP Belo Horizonte-MG Ricardo Alfonsin Advogados Ricardo Barbosa Alfonsin OAB/RS 9.275 Breno Moreira Mussi OAB/RS 5.791 Arilei Ribeiro

Leia mais

Uso econômico da Reserva Legal

Uso econômico da Reserva Legal Uso econômico da Reserva Legal Regulamentação Garantindo a propriedade Usos econômicos possíveis O uso econômico da Reserva Legal é viável? Reserva Legal - Definição Área particular protegida localizada

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural - CAR. Objetivos. Dúvidas mais frequentes. Áreas de Preservação Permanente - APP

Cadastro Ambiental Rural - CAR. Objetivos. Dúvidas mais frequentes. Áreas de Preservação Permanente - APP Orientações básicas Cadastro Ambiental Rural - CAR O CAR é o registro público eletrônico das informações ambientais dos imóveis rurais. Objetivos Promover a identificação e integração das informações

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais