Sistemas de Ensaio. Máquinas e Sistemas de Ensaio para a Indústria Automotiva. Skr 2015/05/17. Testes Inteligentes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas de Ensaio. Máquinas e Sistemas de Ensaio para a Indústria Automotiva. Skr 2015/05/17. Testes Inteligentes"

Transcrição

1 Sistemas de Ensaio Máquinas e Sistemas de Ensaio para a Indústria Automotiva Skr 2015/05/17 Testes Inteligentes

2 Este Catálogo apresenta uma visão geral das máquinas, instrumentos e sistemas de ensaio produzidos pela Zwick Roell AG e de suas aplicações para o teste de materiais e componentes utilizados nos vários setores da indústria automotiva e seus subfornecedores. No entanto, este catálogo representa apenas uma parte do nosso programa global. Índice Grupo Zwick Roell... 3 Condições da Indústria Automotiva Hoje... 4 Tarefas de Inspeção em Pesquisa e Desenvolvimento... 5 Matérias-primas e Intermediárias... 5 Fadiga na Indústria Automotiva... 7 Tecnologias de União na Indústria Automotiva... 8 Requisitos de Teste no Desenvolvimento em Série e de Produção... 9 Motor e Transmissão... 9 Chassis Carroceria Eletrônica / Mecatrônica Interior / Sistemas de Segurança Produtos e Soluções para o Ensaio de Materiais Semi-Estáticos Durômetros Máquinas de Ensaio para Testes de Materiais Quadro de Carga e Drives Sistemas de Medição e Controle testxpert II Células de Carga, de Torque e Plataformas de Medição de Força Suporte da Amostra Extensômetro Câmaras de Temperatura Acionamentos Individuais Produtos e Soluções para Fadiga Dinâmica e Impacto Dinâmico Máquinas de Ensaio de Fadiga Componentes para Soluções de Banco de Ensaios Eletrônica de Medição e Controle Máquinas de Ensaio de Impacto Dinâmico Pacotes de Modernização para Máquinas de Ensaio de Material de todos os Fabricantes Serviços da Zwick

3 O Grupo Zwick Roell Com mais de um Século de Experiência nos Ensaios de Materiais O ensaio mecânico é uma das disciplinas mais antigas de testes de materiais. Leonardo da Vinci e Galileu Galilei já consideravam as tensões de flexão e as propriedades elásticas dos materiais nos séculos XV e XVI. Ao longo do tempo mais conhecimento foi adquirido. No século XVIII, as primeiras máquinas de ensaio foram criadas na França. Desde 1920 a empresa Roell & Korthaus tem se dedicado ao teste de materiais. A Zwick iniciou suas atividades no ano 1937 com a construção de aparelhos, máquinas e instalações para a realização de ensaios mecânicos de materiais. Muito antes, já no ano de 1876, o Prof. Seger fundou um laboratório de química como uma empresa de consultoria científica e tecnológica para a indústria mineradora. Durante o século XX a Toni Technik tornouse uma das principais especialistas em construção de sistemas de ensaios de materiais. Nossa divisão especializada em tecnologia de sensores para medição de carga e alongamento foi consolidada pela aquisição das empresas GTM (2007) e pela austríaca Messphysik (2006). Os vários anos de experiência da Zwick são reforçados por uma política de contato frequente com nossos clientes. Com esta base sólida, a empresa fornece uma ampla gama de produtos e soluções desde máquinas padronizadas de baixo custo até projetos especiais para testes específicos. A mecânica moderna, o desempenho eletrônico e o software orientado à aplicação, são os pré-requisitos para a versatilidade e alta eficiência destas máquinas e sistemas de ensaios modernos. No entanto, a Zwick Roell AG é muito mais do que apenas um fornecedor de produtos. Desde 1994 a empresa é certificada de acordo com a DIN EN ISO 9001 e, assim, garante uma alta qualidade de seus produtos e serviços. Contando com laboratórios de calibração certificados, as empresas do Zwick Roell AG possuem meios e competências para efetuar calibrações e certificá-las com documentação reconhecida internacionalmente. Desde 1992, essas empresas compõem o Grupo Roell Zwick, o qual passou a ser uma sociedade anônima. A Zwick Roell AG foi reorganizada em Julho de 2001, englobando as empresas Zwick, Toni Technik e Indentec Ltda. Essas empresas fornecem um amplo conjunto de soluções em testes de materiais e componentes desde testes de dureza manuais, até sistemas de testes complexos para aplicações em processos industriais. A partir de maio de 2002, a ACMEL Labo, fabricante francês de equipamentos de laboratório para a indústria cimenteira, começou a fazer parte da Zwick Roell AG. Fig 1: Zwick Roell AG e Zwick GmbH & Co. KG: Prédio da Administração, Ulm, Alemanha 3

4 Condições Atuais da Indústria Automotiva O mercado automotivo está sujeito a forte concorrência global, do qual é caracterizada por rápidas mudanças dentro dos segmentos de veículos, novos mercados e novos prestadores de serviços demandando consequentemente melhoria da capacitação técnica. Neste contexto, o uso de métodos de desenvolvimento baseados em CAD está crescendo continuamente. Estes métodos de simulação devem ser acompanhados nas várias fases do desenvolvimento de ensaios e testes dos componentes reais. Por um lado, os sistemas de desenvolvimento demandam as características físicas dos materiais utilizados tais como sua resistência à tração, ao escoamento, à fadiga e sua rigidez. Por outro lado, os modelos de cálculo devem ser calibrados tão cedo quanto possível, com os dados experimentais reais. Consequentemente, os testes de laboratório continuam a ser um requisito fundamental no desenvolvimento do veículo. As características de rigidez e de resistência dos materiais, componentes e soldas para as condições padrão e de impacto, bem como suas características de fadiga e de simulação de processos, são resultados fundamentais. Uma Grande Variedade de Produtos e Aplicações A Zwick oferece uma ampla variedade de máquinas de ensaio e sistemas de testes que foram desenvolvidos especificamente para a indústria automotiva. O programa vai de durômetros portáteis para borracha, máquinas de ensaio de materiais, máquinas dinâmicas e sistemas de testes controlados por computador com atuadores para vários eixos, até sistemas complexos para a simulação das condições reais das estradas sobre os componentes ou veículo completo. Ao compreender a gama completa de aplicações de teste, a Zwick oferece um software universal de testes, ferramentas de análise de dados e soluções para gerenciamento de informações de laboratório (LIMS) que permite resultados significativos. Programas modulares e flexíveis, uma grande variedade de acessórios, eletrônica digital e software de aplicação inteligente são desenvolvidos e atualizados constantemente. Além disso, nossa rede de serviços oferece possibilidades de calibração, manutenção e modernização. Demandas dos Clientes Visual Concorrência Consumo Eficiente Desenho Características Próprias Dinamismo e Agilidade Diferenciação / Estética Inovações Conforto Qualidade Preços Alta Segurança Rendimento Aumento da Eficiência Ciclos de Inovação Curtos Economia de Materiais Produção Regional Leis / Meio Ambiente Redução das Emissões Reciclagem Segurança Fatores que Influenciam o Projeto Técnico Tarefas Típicas para a Indústria Automotiva Pesquisa e Desenvolvimento Básico Desafios Atuais Prestação de novos materiais para um veículo leve e sistemas de acionamento eficientes Desenvolvimento de Série e Produção Desafios Atuais Verificação de modelos computacionais com dados reais Confirmação das decisões de produção Responsabilidades Atuais Lançamento de novos materiais Avaliação das propriedades dos materiais para a simulação Identificar as características de componentes através de ensaios e simulações Responsabilidades Atuais Gestão da Qualidade na Produção e no Fornecimento Verificação das conformidades Determinação/Aprovação de tolerâncias na produção Garantia de conformidade na produção 4

5 Tarefas de Inspeção em Pesquisa e Desenvolvimento Básico Matérias-primas e Intermediárias As máquinas da Zwick são utilizadas para determinar as propriedades mecânicas de quase todos os materiais e componentes utilizados na produção de automóveis. Ensaios Semi-Estáticos em Metais Testes em metais desempenham um papel essencial. Por exemplo, para o desenvolvimento de aços de alta resistência ou de metais leves para as construções leves, as características de rigidez e resistência da área da carroceria nas condições normais são determinadas por ensaios realizados com máquinas de ensaios semi-estáticas. No entanto, estas características dependem da carga aplicada, isto é, elas devem ser obtidas sob condições de colisão determinada com máquinas de impacto ou de alta velocidade. Para o material ser aprovado, as características de fadiga e deformação também devem ser determinadas. Com a tendência de materiais alternativos ou materiais híbridos, e do uso de materiais em diferentes áreas do veículo, testes semelhantes em plásticos, elastômeros, espumas e compósitos na indústria automotiva também são comuns. Porém, como os materiais alteram suas características dependendo da temperatura, mesmo os testes nas temperaturas de trabalho devem ser realizados. Também no domínio da soldagem, tais ensaios são essenciais. Aqui a Zwick oferece soluções em uma faixa de temperatura de -80 C a 1600 C. Fig 1: Ensaio de tração na amostra de metal Fig 2: Ensaio de Embutimento de chapas Fig 3: Ensaio de tração em um forno de alta temperatura Ensaio de Resistência à Fadiga e Força Dinâmica de Metais Fig 4: Pêndulo de impacto Fig 5: Ensaio de fadiga em bielas Fig 6: Ensaio de fadiga em forno de alta temperatura 5

6 Ensaios Semi-Estáticos sobre Plásticos, Borracha e Material composto Fig 1: Ensaio de tração em borracha Fig 2: Ensaio de flexão de 3 pontos Fig 3: Ensaio de compressão no compósito Ensaios de Fadiga e Força Dinâmica de Plásticos, Borracha e Material composto Fig 4: Pêndulo de impacto Fig 5: Ensaio de fadiga em amortecedores Fig 6: Ensaio de formação de trincas com de borracha temperatura e videoxtens Ensaios de Espumas Fig 7: Ensaio de deformação Fig 8: Ensaio de fadiga Fig 9: Teste de repuxo 6

7 Fadiga na Indústria Automotiva Princípios Básicos A resistência à fadiga é definida como uma ciência interdisciplinar por meio da interação entre as solicitações mecânicas, os métodos de produção, as características do material e o design. Solicitações, Incluindo Influências Ambientais características do material. A determinação destes parâmetros pode ser feitos através de uma máquina de ensaio servo-hidráulico ou em um equipamento Vibrophore produzido pela Zwick. Se o componente for considerado adequado quanto a avaliação de sua vida útil, os testes de componentes poderão ser realizados em protótipos destes componentes. Construção Protótipos Virtuais O passo seguinte no processo de desenvolvimento é a verificação de grupos de componentes e o exame de todo o veículo. Se esta for bem sucedida, o desenvolvimento pode ser aprovado. Validação Protótipos de hardware Material Fadiga Produção Componente Ensaios de veículos Custos Construção Distribuição de Tensão Verificação do Sistema Fig 1: Fatores que influenciam a resistência à fadiga (Fonte: Prof. Dr. Sonsino) Os parâmetros de material como entrada para o modelo de durabilidade Verificação dos subsistemas A solicitação do veículo ou do componente, incluindo todos os eventos especiais deve, portanto, ser conhecido na indústria automotiva para estimar a resistência à fadiga matematicamente e experimentalmente. Acumulação de Danos Testes de Componentes Fadiga de Componentes até a Falha Fig 2: Desenvolvimento e aprovação no desenvolvimento de veículos (Prof. Dr. Stauber) As características mecânicas dos materiais e a qualidade dos componentes de fabricação representam os dados de entrada necessários para medir a resistência à fadiga de componentes. Para estimar a expectativa de vida matematicamente, são, portanto, necessários detalhes do design do componente. Processo de Desenvolvimento e Aprovação O processo de desenvolvimento de um novo componente começa com seu projeto. Se a distribuição de tensão inicial para o componente está disponível, a expectativa de vida dos componentes pode ser estimada utilizando as solicitações aplicadas ao componente as Fig 3: Teste de resistência à fadiga em bielas Fig 4: Curva S-N Determinação das Propriedades dos Materiais Os Testes de fadiga são geralmente suficientes para caracterizar as propriedades do material. Para ensaios de componentes, mais e mais amplitudes variáveis são necessárias, o qual pode ser representado por um bloco de programa de teste. Para componentes complexos ou componentes com necessidades complexas, as vezes é necessário repetir o teste de fadiga. 7

8 Tecnologia de União na Indústria Automotiva 1 2 Em um veículo são utilizados métodos de união diferentes, os quais devem ser caracterizados mecanicamente. O chassi composto envolve predominantemente uma junção linear, focando na vida útil do componente ou na junta soldada. Para a carroceria, as uniões linear, local e laminar (ou várias combinações destas) são utilizados O foco aqui é no dimensionamento de componentes para ser à prova de impactos, mas não deve ser negligenciada a expectativa de vida. Além da expectativa de vida e segurança na colisão, a rigidez é um critério importante para o desenvolvimento da carroceria e chassis. As propriedades mecânicas das juntas devem ser determinadas de acordo com as seguintes cargas: semi-estáticas, dinâmica cíclica e de impacto. Fig 1: Visão Geral dos tipos de união na Indústria Automotiva: 1. Solda por resistência, 2. Soldagem por feixe de laser, 3. Colar, 4. Soldagem a arco gás inerte, 5. Parafusos, 6. Rebites, 7. Rebitagem A tabela abaixo mostra algumas formas comuns que podem ser utilizadas para a caracterização das juntas. Os dados obtidos experimentalmente (teste de tração semiestático, ensaios de fadiga e de impacto) podem ser usados para garantir a qualidade, para estimar a vida útil ou para calcular impactos. Se componentes similares forem usados, eles podem ser utilizados como modelos de validação da vida útil ou de impacto. Espécime Tensão Amostra KS-II Amostra H Impacto T Peel-stress de Cisalhamento Tipos de Conexão Pontual Linha o Laminar Materiais de Folha Fina Coeficiente de Carga R=0, R>0 e R<0 R=0, R<0 R=0, R<0 R=-1, R>0, R<_ 0 R=0, R>0 Determinação das Características de Fadiga Ações de Componentes relacionados Despesa o o - Carga Semi-estática, Semi-estática, Fadiga Semi-estática, Semi-estática, Fadiga, Impacto Fadiga, Impacto Fadiga, Impacto Fadiga, Impacto Tabela 1: Geometria da amostra para determinar as propriedades mecânicas das juntas 8

9 Requisitos de Verificação do Desenvolvimento em Série e Produção Interior / Segurança O objetivo do desenvolvimento em série e da produção é garantir a maturidade do produto e do processo. Para isso exigem-se, entre outras coisas, as características dos materiais (tal como exigido pelo desenvolvimento básico verificado), teste de limites das juntas e a função ou as características dos componentes. Estes exemplos típicos dos diferentes segmentos dos veículos são apresentados nas páginas seguintes. Motor e Transmissão Chassis Carroceria Eletrônica / Mecatrônica Fig 1: Os aplicativos da Zwick são divididos nos segmentos ilustrados Motor e Transmissão O objetivo principal do projeto de desenvolvimento e produção da série é o aumento consistente da eficiência das unidades de acionamento, com características dinâmicas otimizadas e uma maior redução das emissões. Para este fim, os novos sistemas que serão desenvolvidos são mais leves, tendo através da otimização dos parâmetros de operação (por exemplo, por pressões e temperaturas mais altas) um menor consumo de energia e / ou emissões mais baixas. Para estes sistemas, novos materiais e combinações de materiais são usados, que devem suportar as tensões mais elevadas em condições reais de trabalho, por exemplo, temperatura ambiental ou corrosão agressiva. Testes de Fadiga no Bloco de Cilindros Os motores de combustão consistem em três componentes principais: o bloco do motor; o virabrequim; e o cabeçote. O bloco pode ser constituído por uma um ou mais cilindros individuais. É constituída por uma ou mais peças de ferro fundido ou, cada vez mais, de metal leve, por exemplo, de alumínio ou compósitos de metal de alumínio / magnésio. O bloco é submetido a várias solicitações, incluindo momentos de inércia de massa, momentos de torção e cargas decorrentes da transmissão, e de forças de pressão a partir da cabeça do cilindro para os mancais do virabrequim. No exemplo ilustrado: Solicitações do virabrequim sobre os casquilhos com 10x10 6 ciclos Solicitações sobre raio interior dos casquilhos Vantagens da Solução com Vibrophore: Produtividade mais alta Menores custos de energia Teste a temperaturas de até 150 C Compensação para a folga dos mancais Teste de todos os mancais Bloco de Cilindros Mancais Base Fig 2: Modelo de bloco de cilindros 9

10 Ensaios de Fadiga em Bielas A complexidade das cargas que atuam sobre as bielas requer um desenho em conformidade com os requisitos da própria biela. Esta complexidade também se aplica aos materiais utilizados. O limite de fadiga das bielas presume-se ser aproximadamente N = 5 x 10 6 ciclos e a haste de ligação pode ser dividida em três zonas de carga. Ambos os olhais devem ser testados em condições reais, ou seja, com folga e numa faixa de temperatura de 90 a 120 C, imerso em óleo. O Vibrophore da Zwick, com fixações especiais, permite uma frequência de teste até 250 Hz. O número de amostras medidas é alto e há pouco consumo de energia, o que reduz os custos operacionais. Olhal Menor Haste Olhal Maior Fig 1: Áreas de carga de bielas Fig 2: Suporte para bielas para Vibrophore Amsler HFP 250 Testes de Fadiga de Correntes O Vibrophore é ideal para determinar as características de fadiga dos componentes de correntes de transmissão de produção em série. A frequência de ensaio até 50 Hz se torna adequada para determinar as características de fadiga e os limites de correntes contínuas e de seus componentes (por exemplo, elos de corrente). Os componentes eletrônicos do controlador são projetados especificamente para testes em correntes. Por isso, correntes com grandes alterações para amortecimento podem ser medidas também. Além disso, é possível uma adaptação dos padrões de testes para especificações particulares do cliente. Fig 3: Testes de cadeia com Amsler HFP 5100 Fig 4: Testes de cadeia com Vibrolino da Zwick 10

11 Ensaio de Mantas para Conversores Catalíticos O objetivo deste ensaio é determinar a rigidez e o coeficiente de atrito das mantas de catalisador expostas a altas temperaturas. Para isso, uma máquina de ensaio de materiais está equipada com placas de pressão aquecidas até um máximo de 980 C. Duas camadas de materiais, separadas por uma placa de metal, são inseridas dentro das placas de pressão. Em seguida, as placas são aquecidas, a carga de ensaio vertical é aplicada e, assim, a distância dentro das placas de pressão é controlada por meio de um extensômetro a laser, com uma precisão de ± 5 µm. Com um segundo eixo de ensaio adicional, a folha de metal é então movida horizontalmente entre as duas camadas. A força necessária pode ser convertida em um coeficiente de atrito de temperatura específico. Fig 2: Medição de rigidez e de atrito de mantas para conversores catalíticos Ensaios de Fadiga em Virabrequins Para os ensaios de fadiga sobre os virabrequins, podem ser usados o Amsler Vibrophore ou uma máquina de ensaio servo-hidráulica. No caso mostrado, a curva SN é determinada segundo o DIN Considerando a frequência relativamente baixa de Hz, uma máquina de ensaios servo-hidráulica foi usada. A fadiga ocorre por meio de tensões de flexão. A mesa de montagem e a ferramenta podem ser reconfigurados para permitir que todos os segmentos dos virabrequins possam ser testados. O limite de fadiga assumido aqui é de aprox. N = 3 x 10 6 ciclos. Ciclos senoidais com força controlada são realizados segundo o método de escada. É possível usar a mesma máquina para testes de fadiga via carga de torção. Fig 1: Amsler HB 50 para os ensaios de fadiga nos virabrequins Fig 3: Testes de fadiga por curvatura de acordo com a norma DIN

12 Teste de Embreagem Axial Teste de Embreagem Axial/Torção Propriedades importantes para o desenvolvimento, mas também para a produção de embreagens de fricção, são as características de: Força de contato e deslocamento Força de liberação e deslocamento Deslocamento da placa de pressão da embreagem Paralelismo da placa de pressão para o disco de embreagem No teste de liberação, o êmbolo é pressionado sobre o diâmetro interior contra o diafragma da mola, e, assim, a característica de força x deslocamento é medida. No teste de pressão, um êmbolo é pressionado diretamente contra o platô da embreagem, medindo a curva característica da mola do diafragma entre a placa de pressão e o disco de embreagem. Estes testes são realizados em condições extremas e em condições normais de uso. Ambas as características são critérios importantes para uma operação confortável, mas também para a transmissão segura de torque do acoplamento. Fig 1: Zwick Z020 Fig 2:Teste de deslocamento em embreagens Fig 3: Máquina de ensaio horizontal especial para discos de embreagens Embreagens de fricção seca estão entre os meios utilizados para aplicação e interrupção (afastando sem dificuldade) do fluxo de torque. Em conjunto às características axiais mencionadas acima, as características de torção são extremamente importantes: Cruzamento zero (média do ângulo de rotação entre o carregamento e descarregamento) Curva de pré-amortecimento e amortecimento principal (controlado via ângulo ou torque) Curva parcial (semelhante à curva de pré-amortecimento e de amortecimento principal; para determinar o coeficiente de atrito) Torque de arrasto (torque mínimo admissível após desacoplamento) Para além das curvas características de torque, as seguintes curvas axiais estão determinadas: Curva característica de força / deslocamento das molas entre os discos da embreagem Não paralelismo (com pré-carga) Espessura dos discos de embreagem (medição com pré-carga) O sistema de teste tem as seguintes características: layout horizontal Sistema com dois eixos de tração livremente ajustáveis Plataforma de medição de Força / Torque capaz de medir torques muito baixos (de 1 Nm, torque de arraste, cruzamento zero) e grandes torções (até Nm, curva característica do amortecedor principal) simultânea com medição da força axial de até 20 kn. Fig 4: Disco da embreagem (flecha) e plataforma de medição de carga (lado direito) 12

13 Chassis Como uma ligação para o asfalto, o chassi define propriedades importantes como a dinâmica, a segurança, o conforto e a eficiência de combustível. Devido à interpretação dos componentes de segurança crítica de acordo com a norma IEC SIL, considerações de potencial redução de peso acompanham o desenvolvimento de novos materiais e novas tecnologias confiáveis. Neste contexto, são testes importantes os multiaxiais de carga semi-estática e dinâmica (vertical, horizontal, de torção) e de medição dos componentes resultantes da carga para determinar as curvas de carga / deslocamento e as propriedades de fadiga. Teste Sistema de Direção Este sistema é usado para testar as forças e momentos de atrito, incluindo o "Efeito stick-slip", dentro e fora do eixo de teste. A solução multiaxial apresentada consiste: A máquina de teste horizontal com Fmax = 20 kn 3 eixos controlados com testcontrol (axial, força lateral e torção) 3 eixos manualmente ajustáveis para adaptação às formas estruturais de ligação de direção. Fig 1: multiaxial Zwick Z020 para teste de tensão, compressão, torção software testxpert para controlar os três eixos Cabine completa com CE Placa perfurada universal para a montagem do dispositivo Eixos de Acionamento: 1. Tração/Compressão axial 20kN 2. Torção 100 Nm 3. Tração/Compressão lateral 1kN Eixos Manuais: 4. Força lateral: posição axial 5. Fixação passiva: posição vertical 6. Aperto passivo: posição horizontal Fig 2: Eixos individuais Testes de Produção de Eixos Telescópicos de Direção do Caminhão Para a produção automatizada das colunas de direção, duas máquinas de ensaio da Zwick podem ser integradas à linha de montagem. O primeiro equipamento pode ser utilizado para determinar o ângulo de rotação máximo no meio do processo de produção, permitindo a análise das etapas de montagem anteriores. Um sensor de ângulo especial foi desenvolvido para os requisitos de alta precisão em relação à medição do ângulo de torção relativo. A segunda máquina de ensaio deve ser posicionada no fim da linha de produção para determinar a força de deslocamento do eixo de direção. Fig 3: Teste do eixo de direção telescópico na linha: Máquina 1 "ângulo de torção" Fig 4: Teste do eixo de direção telescópico na linha: Máquina 2 "carga deslocamento" 13

14 Ensaios para Pastilhas de Freio Pastilhas de freio de disco são um dos componentes mais importantes do freio da roda. Para determinar a qualidade das pastilhas, um método é a medição de mudança da espessura da pastilha com uma carga de compressão unidimensional na direção da força normal de fricção de superfície. Para esta tarefa são usadas as máquinas de ensaio de materiais da Zwick com um kit de compressão de teste equipado com sistema de medição integrado. A medição da deformação ocorre através de três sondas, que são posicionadas em ângulos de 120. Fadigas Multiaxiais dos Componentes de Silenciador de Escapamento Esse aplicativo consiste em um teste de dois eixos dinâmicos (10 kn vertical e 1 kn horizontal) em um silenciador. O teste é feito com uma máquina de mesa servo-hidráulica e Software testxpert. A força de cisalhamento é aplicada com um cilindro pequeno, que está integrado na parte inferior do dispositivo. Isto permite a simulação real de carga do silenciador e, assim, determinar as suas propriedades de fadiga. Ensaios Multiaxiais de Amortecedores Para medir as características de amortecimento em amortecedores hidráulicos este sistema de teste foi equipado com três eixos. A força vertical (carga axial) é aplicada pelo eixo da máquina de ensaio. As forças horizontais e os momentos de torção que ocorrem durante o esterçamento, aceleração, frenagem etc., são gerados por um cilindro de ensaio montado horizontalmente e uma unidade de torção. Os atuadores de teste podem ser controlados individualmente e independentemente. Através destes é possível determinar as características de amortecimento, atrito, viscosidade em diferentes velocidades axiais, com e sem força lateral e / ou momento de torção. Fig 1: Instalação de ensaio das pastilhas A pressão é aplicada através de um pistão montado de forma segura em uma cabeça esférica, resultando numa aplicação de força circular. A suspensão flexível do pistão garante contato exatamente paralelo da pastilha de freio, resultando na aplicação de uma pressão absolutamente uniforme e homogênea. A posição do teste de compressão atravessa o eixo central do centro da área da pastilha de freio. O dispositivo de ensaio é adequado tanto para pastilhas únicas ou pastilhas de freio divididas. Fig 2: Teste biaxial de um silenciador Fig 3: Testes multiaxiais de amortecedores 14

15 Buchas de Elastômeros As buchas de elastômeros cumprem uma série de funções no chassi, incluindo as juntas, equalização, isolamento de vibração e amortecimento. Propriedades Viscoelásticas de Buchas de Borracha-Metal na Produção Baseado na máquina de ensaio padrão, um sistema de teste foi desenvolvido para determinar, entre outras coisas, a rigidez semi estática e dinâmica, o fator de perda e o ângulo de perda de rolamento da borracha-metal. Além disso, o sistema foi equipado com uma cortina de luz de segurança e um controle adicional de duas mãos. Um mostrador com os resultados do ensaio entre um campo de tolerâncias pré-definido e um sinalizador sonoro eletrônico, permitem que o operador execute outras tarefas durante os testes. A parametrização do processo de teste, a avaliação e apresentação dos resultados são realizadas com software testxpert. Ensaios Multiaxiais de Molas Pneumáticas O objetivo deste sistema de ensaio é dar suporte ao controle de qualidade e ao desenvolvimento de molas de ar de acordo com a norma EN É constituído por uma máquina de ensaio com Fmax = 250 kn, além de uma unidade horizontal eletromecânica com Fmax = 50 kn e uma plataforma de medição de força com cinco transdutores de força (3x verticalmente, 2x horizontalmente). As características de rigidez axiais e horizontais das molas pneumáticas são determinadas pelas cargas verticais, horizontais ou combinadas. Os seguintes canais podem ser controlados individualmente: Carregamento e deslocamento vertical e / ou horizontal Pressão do ar ou outra variante de fluido interno Fig 3: molas pneumáticas com suporte O sistema está equipado com uma mesa de carga para a fácil inserção das amostras na máquina de ensaios. Fig 1: Teste de fadiga sobre amortecedores de metal-borracha Fig 2: Testes de molas pneumáticas com carga axial e horizontal 15

16 Testes em Molas Pneumáticas em Diferentes Temperaturas Com este sistema de teste, as propriedades viscoelásticos de molas pneumáticas e suas propriedades de fadiga são investigadas em diversas temperaturas. O sistema é uma máquina de ensaio servo-hidráulica com cilindro de armazenamento hidrostático. Um dispositivo de compressão especial (montado sobre uma abertura em T) permite testes de várias formas e tamanhos de molas pneumáticas. Além disso, o dispositivo está equipado com dois sensores para medir o diâmetro da mola pneumática. Todo o dispositivo pode ser usado numa câmara de temperatura numa faixa de -80 a 250 C. A câmara de temperatura, montada num carrinho, pode ser acoplada e desacoplada da máquina. Fig 2: Amsler HB100 Sistema de testes servo-hidráulico com câmara de temperatura Fig 1: Câmara de temperatura com carrinho 16

17 Dispositivo de Pressão para Molas de Precisão A Zwick oferece um dispositivo de pressão para molas de precisão que consiste em uma máquina de ensaio com coluna única (zwicki- Line) e um testcontrol eletrônico. O dispositivo pode ser usado como uma máquina de ensaio perfeita para testar molas. A alta rigidez transversal do dispositivo o protege de eventual sobrecarga. As placas de pressão desmagnetizadas no chão estão alinhadas em paralelo com uma margem de erro de 1µm/10mm. As guias de precisão permitem somente movimentos verticais precisos das placas. Os erros de medição causados pela deformação ou forças laterais das molas são reduzidos ao mínimo graças à célula de carga extremamente rígida, que é insensível às forças transversais. O programa testxpert é adaptado às necessidades do teste das molas. O dispositivo de pressão para molas de precisão permite que uma excelente capacidade de bitola seja alcançada. Sistema de Teste de Molas Multicanais Com plataformas de medição multicanais, a curva de efeito da força de molas de compressão helicoidais pode ser encontrada (como as molas de válvulas ou de Suspensão Automotiva). Para isso, os sistemas de ensaio padrão estão equipados com uma plataforma de medição de força de seis ou nove componentes. Isto permite a determinação específica dos pontos de intersecção da mola e da força resultante de seus componentes, que surgem na mola com carga de compressão. Estes parâmetros são importantes para avaliar os atributos de qualidade, de atrito, desgaste e durabilidade. Fig 2: A tela de testxpert mostrando o ponto de força da mola e a linha de intersecção Fig 1: Sistema com Molas de Precisão Fig 3: Dispositivo para Molas de Precisão para forças até 500 N Fig 4: Máquina de ensaio com plataforma de medição multicanal de energia para molas helicoidais 17

18 Rodas e Pneus A roda é uma das invenções mais importantes da humanidade, para a qual não existem modelos na natureza. No setor automotivo as rodas consistem de aro de aço, de metal leve ou de compósito, associadas aos pneus. O pneu é um órgão complexo de materiais compostos e propriedades físicas diferentes. Ele é a ligação entre a estrada e o veículo e transfere todas as forças e momentos. Os sistemas de teste da Zwick são usados para determinar as propriedades semi-estáticas e dinâmicas das rodas e pneus. Esses vão de testes padrões até testes no sistema total de roda / pneu. Deformação Axial de Aros Para determinar as características de rigidez dos testes de pressão, são usados mandris de compressões especiais sobre a borda do aro. Para este teste, uma máquina de ensaio com uma mesa de abertura T frontal é utilizada, com altura ajustável. As rodas são inseridas e bloqueadas na área de teste em uma altura ergonomicamente favorável. O transdutor de força garante uma medição precisa da força axial, mesmo quando as forças laterais ocorrem por causa da forma geométrica do aro. Devido ao seu desenho especial e disposição da célula de carga, pode-se usar a máquina na área superior e inferior. Fig 2: Teste de dureza Brinell em aros Teste de Dureza em Aros Para os aros de aço e de alumínio, os métodos de ensaio de dureza mais frequentemente usados são o Brinell HBW2,5 ou Rockwell, por exemplo HRB, para o controle da produção, mas também para garantir valores de resistência. A máquina de dureza universal Zwick / ZHU250 comporta cargas até 250 kg, controladas com tecnologia de circuito fechado (Closed Loop). Com ela, pode-se realizada todos os testes de dureza clássicos (Brinell, Rockwell, Vickers, Knoop e dureza recuo bola) para aplicações em metal e plástico. Grandes componentes são introduzidos facilmente na área de teste de 250 x 300 mm. Fig 1: Teste de entalhe de rodas Fig 3: Sistemas de teste para aros com duas áreas de testes 18

19 Ensaio de Rigidez de Pneus. Requisitos: Determinar a rigidez dos pneus de automóvel e condições de força sob carga vertical e horizontal, e ajustar a pressão dos pneus via software testxpert. Solução: Uma unidade linear horizontal com Fmax = 10 kn e uma plataforma de medição de força multicomponente com Fmax = 50 kn são instalados em uma máquina de ensaios de materiais Zwick Z050. A unidade linear é, neste ca- so, montada na cruzeta fixa inferior. Em cima desta unidade linear, uma plataforma multicomponente de medição de força com células de carga vertical e horizontal é instalada. A pressão de ar do pneu desejado é definida por programação através de uma unidade de controle pneumático com transdutor de pressão utilizando software Zwick testxpert. Com as regras de teste do software testxpert os testes necessários são executados e avaliados sob cargas verticais e horizontais em vários níveis de pressão dos pneus. Fig 1: Força axial horizontal e a pressão do pneu são controlados por testcontrol Fig 2: Teste para medir a rigidez lateral do pneu Ensaios de Componentes de Pneu Nesta área, entre outras coisas, as seguintes experiências são realizadas à temperatura de ambiente típica de -70 a C: Tração e teste da lágrima nos elastômeros com formas de amostras diferentes Testes de dureza, de repulso e de abrasão em elastômeros Teste de separação dos arames de aço e têxteis de elastômero Testes de tração em arames de aço e têxteis Alimentação de espécime automática em caso de alto rendimento ao desenvolver novos compostos Determinação das propriedades visco elásticas. Fig 3: Testes de separação do arame de aço do material do pneu Fig 5: Ensaio de tração em corda de aço Fig 4: Testes de tração de elastômeros Fig 6: Teste de repulso 19

20 Carroçaria do Veículo A carroçaria auto suportada requer uma estrutura altamente complexa, que deve ter muitas exigências, desde uma construção consequentemente leve e a proteção dos ocupantes a um design atrativo. Para a fabricação de carros leves, são necessários novos materiais, como os plásticos resistentes a temperaturas extremas ou construções híbridas. Para a proteção dos ocupantes, são necessários materiais e métodos de alta resistência e alta capacidade de absorção de energia. Para um design atrativo, as propriedades dos materiais usados nos processos de reformação e de tratamento de superfície são importantes. A Zwick oferece uma vasta gama de sistemas de teste para determinar estas propriedades de material e suas estruturas. Rigidez de Pára-Choque Este sistema de teste é equipado com uma grande placa de montagem de abertura em T no inferior e uma pequena, superior. Até quatro células de carga podem ser colocadas de forma flexível na placa inferior, enquanto a placa superior é montada em três células de carga. Os componentes axiais de força de seus pontos de fixação dos podem ser medidos com os quatro transdutores de força. Com as três células de cargas superiores, a carga axial total pode ser medida mesmo se o componente falhar assimetricamente, resultado de uma carga excêntrica em relação ao eixo de teste. Com este arranjo, a curva de força-deformação medida no para-choque pode ser determinada. Teste Draw Bead em Chapas de Aço Fig 2: Teste "Draw Bead" O objetivo deste é determinar o coeficiente de atrito entre a folha de aço e do molde de termo formação, a fim de determinar o lubrificante ideal para esta transformação. Isto permite evitar fissuras e rugas e assim assegurar um processo de termo formação ótimo. O kit é facilmente instalado em uma máquina de ensaio padrão. Para o teste, uma tira de metal com dimensões típicas (300mm x 30mm x 2mm)é fixada axialmente no suporte de padrão superior e a ferramenta "Draw-Bead" se fecha. Em seguida, a tira é puxada através da ferramenta "Draw-Bead". Esta operação pode ser repetida automaticamente e o número de repetições pode ser ajustado. Os valores de medição confiáveis e reprodutíveis são garantidos pela força de aperto controlado digitalmente pela ferramenta. As garras da ferramenta podem ser substituídas rapidamente para atender às especificações de testes diferentes. Fig 1: Teste para pára-choques Fig 3: Sistema "Draw Bead" nas folhas metálicas 20

Os métodos de teste podem ser divididos grosseiramente em dois grupos:

Os métodos de teste podem ser divididos grosseiramente em dois grupos: Informativo Técnico Medição de Dureza soluções portáteis Em períodos de pressão por redução de custos e aumento da qualidade, os equipamentos portáteis de medição de dureza resultam não apenas em uma resposta

Leia mais

Acumuladores hidráulicos na tecnologia híbrida.

Acumuladores hidráulicos na tecnologia híbrida. Acumuladores hidráulicos na tecnologia híbrida. HYDAC Matriz na Alemanha Seu parceiro competente para acumuladores hidráulicos inovadores e sistemas híbridos. Todos os requerimentos para eficientes soluções

Leia mais

WDW - 50E. WDW - 500E e 600E WDW - 1E/2E/5E

WDW - 50E. WDW - 500E e 600E WDW - 1E/2E/5E WDW 100-E WDW 200/300-E A Time Group foi fundada em 1984, é uma empresa de novas e alta tecnologia e a maior fabricante de máquinas de ensaios do mundo. A Time Group é reconhecida como uma das melhores

Leia mais

VerticalLine V 160C V 160G. Centros de Torneamento Verticais

VerticalLine V 160C V 160G. Centros de Torneamento Verticais VerticalLine V 160C V 160G Centros de Torneamento Verticais VerticalLine V160C, V160G Compacto, rápido, universal Aumente a produtividade Sistema Forte com máquinas verticais O sistema modular efici- compactas

Leia mais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais 3.1 O ensaio de tração e compressão A resistência de um material depende de sua capacidade de suportar uma carga sem deformação excessiva ou ruptura. Essa

Leia mais

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 3 Ensaio de Dureza. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 3 Ensaio de Dureza. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Ensaios Mecânicos de Materiais Aula 3 Ensaio de Dureza Tópicos Abordados Nesta Aula Ensaio de Dureza. Dureza Brinell. Dureza Rockwell. Dureza Vickers. Definições de Dureza Dureza - propriedade mecânica

Leia mais

Darlan Dallacosta, M. Eng. Diretor

Darlan Dallacosta, M. Eng. Diretor Escopo de Serviços I- Sumário Executivo (Laboratório de Ensaios Mecânicos) A SCiTec aparece como uma empresa de base tecnológica apta para prestar serviços de forma integrada com o setor empresarial. Constituída

Leia mais

HYDAC KineSys Sistemas de acionamento

HYDAC KineSys Sistemas de acionamento HYDAC KineSys Sistemas de acionamento Veículos de manuseio de materiais Usinas termelétricas Máquinas injetoras de plástico Seu parceiro profissional para soluções de acionamento Todas as condições para

Leia mais

Materiais em Engenharia. Aula Teórica 6. Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza)

Materiais em Engenharia. Aula Teórica 6. Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza) Aula Teórica 6 Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza) 1 ENSAIO DE TRACÇÃO A partir dos valores da força (F) e do alongamento ( I) do provete obtêm-se

Leia mais

PANANTEC ATMI. www.panantec.com.br. Assistência Técnica, Calibração e Vendas

PANANTEC ATMI. www.panantec.com.br. Assistência Técnica, Calibração e Vendas flolder final:layout 1 5/28/13 10:27 AM Page 1 PANANTEC ATMI Assistência Técnica, Calibração e Vendas Rua Apuanã, 31 - São Paulo - SP Tels.: 55 11 2243-6192 / 2243-6194 - Fax: 55 11 2243-7730 www.panantec.com.br

Leia mais

Especifi cação Técnica. Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i

Especifi cação Técnica. Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i Especifi cação Técnica Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i Especifi cação Técnica Pavimentadora de Concreto SP 92 SP 92 i Vibradores e circuitos Vibração hidráulica Vibração elétrica Vibradores de

Leia mais

CARROS DE APOIO À INDUSTRIA

CARROS DE APOIO À INDUSTRIA Carros de Mão Carros Ligeiros com Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para Escritóio

Leia mais

Especifi cação técnica Pavimentadora de Concreto SP 850

Especifi cação técnica Pavimentadora de Concreto SP 850 Especifi cação técnica Pavimentadora de Concreto SP 850 Especificação técnica Pavimentadora de concreto SP 850 Vibradores e circuitos Vibração elétrica 24 conexões Vibradores acionados eletricamente Curvos

Leia mais

Equipamento para medição e ajuste de ferramentas DMG MICROSET - Gerenciamento de Ferramentas

Equipamento para medição e ajuste de ferramentas DMG MICROSET - Gerenciamento de Ferramentas www.gildemeister.com DMG tecnologia e inovação Equipamento para medição e ajuste de ferramentas DMG MICROSET Gerenciamento de Ferramentas 02 I 03 DMG MICROSET 04 I 08 Equipamento de Ajuste Vertical 09

Leia mais

Tecnologia de controle para máquinas operatrizes móbil.

Tecnologia de controle para máquinas operatrizes móbil. Tecnologia de controle para máquinas operatrizes móbil. HYDAC Matriz na Alemanha Seu parceiro competente para máquinas operatrizes móbil. HYDAC Itália HYDAC Holanda HYDAC França HYDAC Coréia HYDAC China

Leia mais

CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA. Uma Fonte Confiável de Excelentes Máquinas para Complementar Sua Força de Trabalho

CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA. Uma Fonte Confiável de Excelentes Máquinas para Complementar Sua Força de Trabalho CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA Uma Fonte Confiável de Excelentes Máquinas para Complementar Sua Força de Trabalho SÉRIE DV14 1417 / 1422 / 1432 / 1442 CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA O Centro de Usinagem

Leia mais

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS TDB GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR-1(VM6x4) TS-300BR ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 10,0

Leia mais

Ferramentas Industriais Bosch www.boschproductiontools.com

Ferramentas Industriais Bosch www.boschproductiontools.com Ferramentas Industriais Bosch www.boschproductiontools.com Tecnologia para a vida EXACT Parafusadeiras a Bateria / Elétricas Nossa embreagem de desligamento foi desenvolvida para minimizar a influência

Leia mais

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Capacidade de Elevação 130t PÁGINA 01 GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Comprimento da extensão total da lança principal de 60m, perfil U, placa de aço WELDOX de alta resistência.

Leia mais

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO Equipamento: COLETOR COMPACTADOR DE LIXO 10 m³ Modelo : CCL-10 Aplicação: Coleta de resíduos domésticos e/ou industriais,selecionados ou não Fabricante: VEMAQ - Indústria Mecânica de Máquinas Ltda 1 -

Leia mais

Aplicações. Clinching. Montagem. Inserção. Rebitagem. Estampagem. Cunhagem. Fixação. Prensagem. Dobra. TOX -Sistemas de Produção

Aplicações. Clinching. Montagem. Inserção. Rebitagem. Estampagem. Cunhagem. Fixação. Prensagem. Dobra. TOX -Sistemas de Produção Aplicações Clinching Montagem Inserção TOX PRESSOTECHNIK Soluções práticas em primeira mão Rebitagem Estampagem Cunhagem Fixação Prensagem Dobra TOX -Sistemas de Produção Atuadores modulares TOX -Cilindro

Leia mais

Visão geral sobre a área automotiva. Produtos e Soluções Rexnord para a Indústria Automotiva

Visão geral sobre a área automotiva. Produtos e Soluções Rexnord para a Indústria Automotiva Visão geral sobre a área automotiva Produtos e Soluções Rexnord para a Indústria Automotiva Escolha a Rexnord para ajudar a fabricar hoje os veículos de amanhã. Da compra e instalação ao monitoramento

Leia mais

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br CE CERTIFICADO EMPILHADEIRAS A transmissão 2-3 T possui estrutura avançada tipo flutuante, a única na China. Estruturas flutuantes são projetadas para reduzir a transmissão das vibrações ao chassis em

Leia mais

Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações. Pavimentadora de Concreto SP 850

Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações. Pavimentadora de Concreto SP 850 Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações Pavimentadora de Concreto SP 850 Pavimentadora de concreto SP 850 para uma pavimentação em concreto com qualidade superior Ampla variedade

Leia mais

Física Geral. Série de problemas. Unidade II Mecânica Aplicada. Departamento Engenharia Marítima

Física Geral. Série de problemas. Unidade II Mecânica Aplicada. Departamento Engenharia Marítima Física Geral Série de problemas Unidade II Mecânica Aplicada Departamento Engenharia Marítima 2009/2010 Módulo I As Leis de movimento. I.1 Uma esfera com uma massa de 2,8 10 4 kg está pendurada no tecto

Leia mais

Tecnologia Eletromecânica. Atuadores eletromecânicos

Tecnologia Eletromecânica. Atuadores eletromecânicos Tecnologia Eletromecânica Atuadores eletromecânicos 3 de junho de 2014 Parker Eletromecânica Entendendo as necessidades do cliente Gerenciamento do Projeto Analise do Sistema Aceite dos Parametros de teste

Leia mais

Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis

Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis Cilindros de parada seguros - silenciosos - confiáveis 13017381 Info 166 Cilindros de parada o equipamento compacto e simples para automatizar linhas de transporte Utilização Equipamento rápido e simples

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO SCITEC SOLUÇÕES EM ENSAIOS DE MATERIAIS E PRODUTOS LTDA / LABORATÓRIO DE ENSAIOS MECÂNICOS

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO SCITEC SOLUÇÕES EM ENSAIOS DE MATERIAIS E PRODUTOS LTDA / LABORATÓRIO DE ENSAIOS MECÂNICOS ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO SCITEC SOLUÇÕES EM ENSAIOS DE MATERIAIS E S LTDA /

Leia mais

Motores Lineares Industriais

Motores Lineares Industriais Motores Lineares Industriais Sistema de accionamento puramente eléctrico Controlo de posição livre ao longo de todo o curso Para tarefas de posicionamento precisas e dinâmicas Vida útil maior com a tecnologia

Leia mais

Intelligent Drivesystems, Worldwide Services. Redutores industriais DRIVESYSTEMS. Sistema modular para maior flexibilidade

Intelligent Drivesystems, Worldwide Services. Redutores industriais DRIVESYSTEMS. Sistema modular para maior flexibilidade Intelligent Drivesystems, Worldwide Services BR PT Sistema modular para maior flexibilidade NORD Intelligent Drivesystems, Worldwide Services As vantagens dos redutores industriais NORD n Maior precisão

Leia mais

Industrial. CVI3 Sistema de montagem avançado. More Than Productivity. Soluções integradas Controle avançado do processo Flexibilidade incomparável

Industrial. CVI3 Sistema de montagem avançado. More Than Productivity. Soluções integradas Controle avançado do processo Flexibilidade incomparável Industrial Tools 3 Sistema de montagem avançado Soluções integradas Controle avançado do processo Flexibilidade incomparável More Than Productivity Soluções totalmente integradas para aplicações delicadas

Leia mais

DURÔMETRO DE BANCADA ROCKWELL CÓDIGO ISH-R150

DURÔMETRO DE BANCADA ROCKWELL CÓDIGO ISH-R150 DURÔMETRO DE BANCADA ROCKWELL CÓDIGO ISH-R150 penetrador Mesa plana Ø60mm uso da mesa Seletor da força de ensaio Mesa plana Ø15Omm Aplicação da força Mesa prismática Escalas de ensaio Rockwell Força de

Leia mais

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná 0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná Santa Catarina. São Paulo. Rio Grande do Sul. Tocantins ÍNDICE Confiança

Leia mais

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 10 Ensaio de Torção. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 10 Ensaio de Torção. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Ensaios Mecânicos de Materiais Aula 10 Ensaio de Torção Tópicos Abordados Nesta Aula Ensaio de Torção. Propriedades Avaliadas do Ensaio. Exemplos de Cálculo. Definições O ensaio de torção consiste em aplicação

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs Robôs e seus Periféricos

Leia mais

Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética

Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética Procurando reduzir gastos com energia? Por que não aumentar a produtividade ao mesmo tempo? Reduzir os custos operacionais usando a energia com eficiência

Leia mais

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril.

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril. A UU L AL A Mandrilamento Nesta aula, você vai tomar contato com o processo de mandrilamento. Conhecerá os tipos de mandrilamento, as ferramentas de mandrilar e as características e funções das mandriladoras.

Leia mais

SENTRONIC 608/609 Versão para sub-bases Conector DN 4 Peso: 560 g Orifício para parafusos M4 Interface de programação Parafuso M4 para ligação à terra Orifício para parafusos M4 DN 8 Peso: 1.130 g Orifícios

Leia mais

HELI. MOTOR COM POTÊNCIA PARA 5-10t CPCD50 CPCD60 CPCD70 CPCD80 CPCD100

HELI. MOTOR COM POTÊNCIA PARA 5-10t CPCD50 CPCD60 CPCD70 CPCD80 CPCD100 HELI MOTOR COM POTÊNCIA PARA 5-10t Painel de Instrumentos Digital Limpo e fácil de ler Leitura instantânea ao ligar Layout ergonômico CPCD50 CPCD60 CPCD70 CPCD80 CPCD100 Torre de ampla visão As empilhadeiras

Leia mais

A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL

A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL 0325-folheto H50CT 26-11-11.pmd 1 NOVA HYSTER H50CT: EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA COM OPERADOR SENTADO A H50CT é nova em tudo, do seu projeto inovador às suas características

Leia mais

FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico. Cx 0,38

FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico. Cx 0,38 FICHA TÉCNICA CARROCERIA Hatchback em monobloco, 4 lugares, 2 portas AERODINÂMICA Coeficiente aerodinâmico Área frontal Cw x A MOTOR Cx 0,38 2.17 m2 0.82 m2 Dianteiro, transversal, 2.0 litros, 4 cilindros

Leia mais

ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS

ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS Este documento tem como objetivo estabelecer as características básicas aplicáveis aos veículos produzidos para

Leia mais

Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência

Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência 2 Família PS 6000 A perfeição da engenharia em solda por resistência A Família PS 6000 é o mais recente sistema de solda por resistência

Leia mais

SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA

SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA 2 SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA Com um conceito que busca facilidades, desenvolvemos uma plataforma cabinada, compacta e moderna, perfeita para o tipo de aplicação em estrutura de alvenaria. Com

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS

HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS NOVA HYSTER CT: EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA COM OPERADOR SENTADO A CT é nova em tudo, do seu projeto inovador às suas

Leia mais

Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30

Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30 Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30 Manual de peças Empilhadeira ÍNDICE 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 Montagem Da Transmissão Transmissão

Leia mais

Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio

Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio Chave de segurança codifi cada por transponder CTP com bloqueio A chave de segurança CTP A chave de segurança CTP combina o comprovado princípio de funcionamento das chaves de segurança eletromecânicas

Leia mais

TORNO MECÂNICO PARALELO UNIVERSAL

TORNO MECÂNICO PARALELO UNIVERSAL - Foto meramente ilustrativa podendo não conter os mesmos acessórios/cores do orçamento, marca NARDINI, Modelo ND - 220 GOLD, procedência NACIONAL, produzido por Indústrias Nardini S/A, de acordo com normas

Leia mais

12/03/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES DE PRESSÃO

12/03/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES DE PRESSÃO IV.2_Controle e Automação II Formando Profissionais Para o Futuro SENSORES DE PRESSÃO Conteúdo Introdução Células de Carga Piezoelétrico Tubo de Bourdon Outros sensores de pressão Introdução Os sensores

Leia mais

Furação e Alargamento

Furação e Alargamento UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ Faculdade de Engenharia de Joinville Furação e Alargamento DEPS Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Visão sistêmica de um processo de usinagem

Leia mais

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL GARFO (Comprimento X Largura x Bitola) (mm) HDF50-7S (TIPO EIXO - TIPO GANCHO) - 1.350 X 150 X 60-1.500 X 150 X 60-1.800 X 150 X 60-2.000 X 150 X 60-2.400 X 150 X 60 HDF70-7S (TIPO EIXO) - 1,350 X 180

Leia mais

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes Forma Construtiva dos Transelevadores Modo de Funcionamento dos Transelevadores Sistemas de Transferência Transelevadores para Armazém Autoportante Transelevadores para Armazém Autoportante Climatizado

Leia mais

das válvulas de vazão de líquidos e gases

das válvulas de vazão de líquidos e gases Válvulas de Vazão de Líquidos e Gases Wagner Britto Vaz de Oliveira 00/16144 Pedro Kouri Paim 00/16063 9 de Junho de 2005 1 Introdução No contexto de automação industrial, válvulas de comando são elementos

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO Nº 03 PVC

BOLETIM TÉCNICO Nº 03 PVC A tabela a seguir lista valores típicos de algumas propriedades físicas, mecânicas, térmicas e elétricas de compostos de PVC rígidos e flexíveis. Os valores são simplesmente de caráter informativo e são

Leia mais

TM229 - Introdução aos Materiais

TM229 - Introdução aos Materiais TM229 - Introdução aos Materiais Propriedades mecânicas 2009.1 Ana Sofia C. M. D Oliveira Propriedades mecânicas Resistência - Tração - Escoamento - Compressão - Flexão - Cisalhamento - Fluência - Tensão

Leia mais

Estruturas de serrotes para metais

Estruturas de serrotes para metais Serração Serras alternativas As máquinas de serração e as serras RIDGID foram desenvolvidas por profissionais para profissionais. Quaisquer que sejam as suas exigências em questões de serração, o programa

Leia mais

Comunicado à Imprensa

Comunicado à Imprensa Interpack 2014 Página 1 de 6 Beckhoff na feira Interpack 2014, em Düsseldorf: ao ar livre FG 15-1 Fórum de Soluções Beckhoff: embalagem com economia de recursos com controle baseado em PC A Beckhoff está

Leia mais

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA Princípios A soldagem por resistência elétrica representa mais uma modalidade da soldagem por pressão na qual as peças a serem soldadas são ligadas entre si em estado

Leia mais

55MR. Escavadeira Compacta PC55MR-3. POTÊNCIA 39,6 HP @ 2.400 rpm. PESO OPERACIONAL 5.160-5.350 kg. CAPACIDADE DA CAÇAMBA 0,07-0,18 m³

55MR. Escavadeira Compacta PC55MR-3. POTÊNCIA 39,6 HP @ 2.400 rpm. PESO OPERACIONAL 5.160-5.350 kg. CAPACIDADE DA CAÇAMBA 0,07-0,18 m³ PC 55MR As fotos neste folheto são meramente ilustrativas, podendo incluir opcionais ou configurações diferentes do equipamento padrão. Escavadeira Compacta PC55MR-3 POTÊNCIA 39,6 HP @ 2.400 rpm PESO OPERACIONAL

Leia mais

Sistema de Tensionamento de Correias SKF. A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo

Sistema de Tensionamento de Correias SKF. A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo Sistema de Tensionamento de Correias SKF A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo Sistema de Tensionamento de Correias SKF Uma solução inovadora para as transmissões por correias É sabido

Leia mais

Classificação e Características dos Rolamentos

Classificação e Características dos Rolamentos Classificação e Características dos 1. Classificação e Características dos 1.1 dos rolamentos A maioria dos rolamentos é constituída de anéis com pistas (um anel e um anel ), corpos rolantes (tanto esferas

Leia mais

PT SOLUÇÕES EM ACIONAMENTOS PARA TRANSPORTADORES DE BAGAGENS

PT SOLUÇÕES EM ACIONAMENTOS PARA TRANSPORTADORES DE BAGAGENS INTELLIGENT DRIVESYSTEMS, WORLDWIDE SERVICES BR PT SOLUÇÕES EM ACIONAMENTOS PARA TRANSPORTADORES DE BAGAGENS NORD DRIVESYSTEMS Intelligent Drivesystems, Worldwide Services SOLUÇÕES EM ACIONAMENTOS NORD

Leia mais

Sensores e Atuadores (1)

Sensores e Atuadores (1) (1) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Introdução Sensores Fornecem parâmetros sobre o comportamento do manipulador, geralmente em termos de posição e velocidade

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

Introdução. elementos de apoio

Introdução. elementos de apoio Introdução aos elementos de apoio A UU L AL A Esta aula - Introdução aos elementos de apoio - inicia a segunda parte deste primeiro livro que compõe o módulo Elementos de máquinas. De modo geral, os elementos

Leia mais

Foco. ALLROUNDER verticais. Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos. www.arburg.com

Foco. ALLROUNDER verticais. Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos. www.arburg.com Foco ALLROUNDER verticais Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos www.arburg.com Sinopse Ergonomia: sistema vertical de espaço livre com placa de fixação imóvel presa na parte de baixo, proporcionando

Leia mais

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE.

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE. Carros de Mão Carros Ligeiros com Plataforma Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para

Leia mais

Sensores de condição. Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos

Sensores de condição. Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos Sensores de condição Projetado para produzir resultados de alta qualidade em uma variedade de ambientes robustos DETECÇÃO DE CONDIÇÃO A Rockwell Automation oferece uma linha impressionante de produtos

Leia mais

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion SISTEMA I MOTION FOX - I Motion Professor SCOPINO Técnico e Administrador da Auto Mecânica Scopino Professor do Umec Universo do Mecânico Ex-Professor do Senai Diretor do Sindirepa-SP Consultor do Jornal

Leia mais

GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO

GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS INTRODUÇÃO Os gabinetes de ventilação da linha são equipados com ventiladores de pás curvadas para frente (tipo "sirocco"), de dupla aspiração

Leia mais

Proposta Empresarial

Proposta Empresarial Proposta Empresarial NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ANEXO V MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 1. Este Anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas

Leia mais

TECNOLOGIA AEROESPACIAL

TECNOLOGIA AEROESPACIAL INDÚSTRIA AUTOMOTIVA TELECOMUNICAÇÕES TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA AEROESPACIAL INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ELETRÔNICA DE ENTRETENIMENTO ALIMENTAÇÃO DE ENERGIA TECNOLOGIA MÉDICA INGUN PRÜFMITTELBAU

Leia mais

Sistemas de válvula Sistemas de válvulas conforme norma ISO 5599-1, tamanho 3, série 581. Catálogo impresso

Sistemas de válvula Sistemas de válvulas conforme norma ISO 5599-1, tamanho 3, série 581. Catálogo impresso ISO 5599-1, tamanho 3, série 581 Catálogo impresso 2 ISO 5599-1, tamanho 3, série 581 Acionamento elétrico Sistema de válvulas, Série 581, tamanho 3 Qn = 4100 l/min Largura da válvula piloto: 22 mm conexão

Leia mais

Câmara para teste de mangueiras

Câmara para teste de mangueiras Câmara para teste de mangueiras A Superohm oferece um linha de Câmaras especiais para teste de mangueiras, as quais são modulares e podem ter uma única função ou varias funções juntas. Destinam-se às indústrias

Leia mais

Motores em miniatura proporcionam um grande desempenho para analisadores médicos

Motores em miniatura proporcionam um grande desempenho para analisadores médicos thinkmotion Motores em miniatura proporcionam um grande desempenho para analisadores médicos Os analisadores médicos são elementos fundamentais do setor de diagnósticos médicos. São ferramentas versáteis

Leia mais

A eficiência do laser. The Bend The Combi The Laser The Punch The System The Software

A eficiência do laser. The Bend The Combi The Laser The Punch The System The Software A eficiência do laser The Bend The Combi The Laser The Punch The System The Software Inovação e experiência Econômica e ecológica A máquina de corte a laser PLATINO Fiber 2D tem perfeito balanço entre

Leia mais

PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS METAIS

PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS METAIS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS METAIS CMA CIÊNCIA DOS MATERIAIS 2º Semestre de 2014 Prof. Júlio

Leia mais

Press Hardening com PCH

Press Hardening com PCH Press Hardening com PCH Rápido, flexível, EFICIENTE CARROCERIA MAIS LEVE É A CHAVE PARA O FUTURO. Schuler avança em soluções para a produção de carros mais leves. A Schuler é uma das pioneiras no desenvolvimento

Leia mais

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações A UU L AL A Sensoriamento Atualmente, é muito comum nos depararmos com situações em que devemos nos preocupar com a segurança pessoal e de nossos bens e propriedades. Daí decorre a necessidade de adquirir

Leia mais

Material para Produção Industrial Ensaio de Dureza

Material para Produção Industrial Ensaio de Dureza Material para Produção Industrial Ensaio de Dureza Prof.: Sidney Melo 8 Período 1 O que é Dureza Dureza é a propriedade de um material que permite a ele resistir à deformação plástica, usualmente por penetração.

Leia mais

PORTA-PALETES PARA APLICAÇÕES ESPECÍFICAS

PORTA-PALETES PARA APLICAÇÕES ESPECÍFICAS Porta-Paletes Manuais Porta-Paletes Elétricos Porta-Paletes de Tesoura Porta-Paletes em Inox Porta-Paletes com Balança Porta-Paletes TODO-O-TERRENO Porta-Paletes Aplicações Específicas Compre Produtos

Leia mais

Manual de instruções. Rampa de alinhamento

Manual de instruções. Rampa de alinhamento Manual de instruções Rampa de alinhamento Apresentação Primeiramente queremos lhe dar os parabéns pela escolha de um equipamento com nossa marca. Somos uma empresa instalada no ramo de máquinas para auto

Leia mais

Guindaste Truck Crane STC250H. Capacidade de carga: 25 t

Guindaste Truck Crane STC250H. Capacidade de carga: 25 t Guindaste Truck Crane STC250H Capacidade de carga: 25 t Sumário Grupo Sany... 4 Sany do Brasil... 5 Linha de produtos... 6 Apresentação do guindaste STC250H... 8 Velocidade de giro e ângulo de elevação...

Leia mais

Laboratório de Controle de

Laboratório de Controle de Laboratório de Controle de Qualidade - LCQ SENAI/CETEMO Eng. Maria Ballestrin Bertarello NBR 15860/2010 Está dividida em duas partes Parte 1 Requisitos de segurança Parte 2 Métodos de ensaios Escopo berços

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING O PROCESSO Consiste na união de aços comuns, galvanizados e aluminizados, utilizando um processo de aquecimento à arco elétrico (MIG), adicionando um metal de adição a base de cobre, não ocorrendo a fusão

Leia mais

sapatas de 500mm sapatas de 600mm sapatas de 700mm sapatas de 800mm

sapatas de 500mm sapatas de 600mm sapatas de 700mm sapatas de 800mm sapatas de 500mm sapatas de 600mm sapatas de 700mm sapatas de 800mm Válvula de controle combinados a Válvula de Alívio Lança/Braço/ Freio hidrostático, Redução planetária. 12.9rpm. Grande diâmetro Acionado

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO. 1 Alimentador

DESCRITIVO TÉCNICO. 1 Alimentador DESCRITIVO TÉCNICO Nome Equipamento: Máquina automática para corte de silício 45º e perna central até 400 mm largura Código: MQ-0039-NEP Código Finame: *** Classificação Fiscal: 8462.39.0101 1 Alimentador

Leia mais

Soluções ergonômicas para manipulação de materiais. Novo! Sistemas de manipulação a vácuo

Soluções ergonômicas para manipulação de materiais. Novo! Sistemas de manipulação a vácuo Soluções ergonômicas para manipulação de materiais Novo! Sistemas de manipulação a vácuo Tubo de elevação a vácuo JumboFlex Tubo de elevação a vácuo JumboFlex Manipulação flexível e eficiente do material

Leia mais

Automação Hidráulica

Automação Hidráulica Automação Hidráulica Definição de Sistema hidráulico Conjunto de elementos físicos associados que, utilizando um fluido como meio de transferência de energia, permite a transmissão e o controle de força

Leia mais

Descrição. Método de construção Tubular Alumínio extrudado. Opções de bomba Hale, Darley ou Waterous Hale, Darley ou Waterous

Descrição. Método de construção Tubular Alumínio extrudado. Opções de bomba Hale, Darley ou Waterous Hale, Darley ou Waterous CAMINHÕES-TANQUE CAMINHÕES-TANQUE Os caminhões-tanque da Spartan Emergency Response são uma parte crítica de qualquer frota de serviços completos de resgate no combate a incêndios. O nosso amplo conhecimento

Leia mais

Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO

Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO 2010 2 Cortadora de Pisos HCC14 I HCC16 O design da Cortadora de Pisos Menegotti foi desenvolvido para aumentar a performance, força e vida útil do produto. É um equipamento

Leia mais

O uso em automóveis de componentes de zinco fundidos sob pressão

O uso em automóveis de componentes de zinco fundidos sob pressão O uso em automóveis de componentes de zinco fundidos sob pressão Hoje em dia, as ligas de alumínio para fundição sob pressão, os aços e diversos tipos de plástico dominam quase exclusivamente a manufatura

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 09 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S.A. IPT CENTRO TECNOLÓGICO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO - CETAC

Leia mais

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos CAT. No. 9211 P NTN NTN Produtos que trazem benefícios em várias aplicações Equipamentos de siderurgia pertencem a grandes linhas que operam 24 horas por dia,

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

CATÁLOGO GERAL DE PRODUTOS. Movimentação de Granéis

CATÁLOGO GERAL DE PRODUTOS. Movimentação de Granéis CATÁLOGO GERAL DE PRODUTOS Movimentação de Granéis Há mais de 88 anos garantindo os melhores resultados para nossos clientes. 03 A Companhia Experiência aliada à inovação. É isso que faz a Kepler Weber

Leia mais

Tipos de tratores agrícolas

Tipos de tratores agrícolas Tratores Agrícolas Tipos de tratores agrícolas Tratores agrícolas São máquinas projetadas para tracionar, transportar e fornecer potência para máquinas e implementos agrícolas. O desenvolvimento de tratores

Leia mais

Dureza de materiais metálicos

Dureza de materiais metálicos Dureza de materiais metálicos Podemos considerar a dureza de um material de engenharia como sendo a propriedade mecânica de resistir à penetração ou riscamento na sua superfície. No caso dos materiais

Leia mais