Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações. e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações. e dos ADRs e Demonstrações Contábeis"

Transcrição

1 Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2009

2

3 Sumário Análise Gerencial da Operação 2 Desempenho das Ações e dos ADRs 15 Relatório da Administração 20 Administração e Diretoria 27 Demonstrações Contábeis 30 Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis 40 Parecer dos Auditores Independentes 106 Resumo do Relatório do Comitê de Auditoria 107 Parecer do Conselho Fiscal 109 Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

4 Análise Gerencial da Operação O ano de 2009 O ano de 2009 foi para o Itaú Unibanco um ano de transição. Ao final de 2008, comunicamos a unificação das operações financeiras do Itaú e do Unibanco. O anúncio desta associação constituiu-se em um marco na história do mercado financeiro brasileiro, tanto pela dimensão do negócio quanto pelas novas oportunidades que surgiram a partir da criação de um global player brasileiro no mercado financeiro internacional. No entanto, para que os objetivos que motivaram essa operação fossem atingidos, seria antes necessário realizarmos um processo de integração das estruturas organizacionais que consumiria vários meses, podendo chegar, até mesmo, a anos. O fator crítico de sucesso desse processo seria a rapidez na definição das novas estruturas decisórias, modelos de negócio e portfólio de produtos e serviços, de forma a não permitir o avanço dos concorrentes em um momento em que a organização estava voltada à discussão de questões internas. Assim, ainda em 2008, iniciamos o processo de definição dos gestores da nova instituição, escolhendo os membros do Comitê Administrativo, do Comitê Executivo e Diretorias que ficariam responsáveis pela condução do processo de integração. Ao longo do primeiro semestre de 2009, ampliamos esse processo para todos os demais níveis hierárquicos. As oportunidades mercadológicas e os modelos de negócio foram avaliados e definidos, estabelecendo diretrizes claras de atuação comercial. O processo de migração de agência teve início, devendo ser concluído até o final de Em resumo, o processo de integração da administração central foi concluído em tempo recorde, restando apenas a integração da rede de agências para que todo o processo seja concluído. Em relação ao ambiente externo, o anuncio da fusão se deu em um momento extremamente desafiador. A crise financeira internacional, iniciada em meados de 2007, havia se intensificado e atingiu níveis dramáticos durante o segundo semestre de 2008, alcançando praticamente todos os países. A intensa redução dos níveis de liquidez levou à intervenção coordenada de vários governos nos mercados financeiros, bem como à ampliação de estímulos fiscais e monetários com o objetivo de não permitir a deflagração de um período de depressão econômica. Diante desse cenário, iniciamos o ano de 2009 adotando uma política de maior seletividade na concessão de empréstimos e financiamentos, privilegiando as operações que apresentavam melhor qualidade de risco. Entretanto, os efeitos adversos da crise econômico-financeira internacional se alastraram sobre vários setores de atividade e comprometeram a demanda e a renda de diversos agentes econômicos. Em consequência, verificamos o aumento do risco das carteiras de crédito, com impacto nas carteiras de grandes empresas, micro, pequenas e médias empresas e de clientes pessoa física. Lucro Líquido Pro Forma (R$ milhões) Lucro Líquido Consolidado Lucro Líquido Recorrente 2 Itaú Unibanco Holding S.A.

5 Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

6 Análise Gerencial da Operação Retorno Anualizado sobre o Patrimônio Líquido Médio ROE % 32,0% 26,2% 24,8% 23,4% 22,3% 21,4% líquidos recorrentes do Itaú e do Unibanco até 30 de setembro de 2008, juntamente com o resultado consolidado recorrente alcançado pelo Itaú Unibanco no quarto trimestre do mesmo ano. Destacamos que, em decorrência da associação realizada com a Porto Seguro em agosto de 2009, passamos a consolidar esta empresa no quarto trimestre de 2009, considerando a proporção de 30% de nossa participação ROE ROE Recorrente Até meados de 2009, os níveis de inadimplência mantiveram tendência de alta iniciada em setembro de A partir de então, constatamos a reversão desta tendência, primeiramente na carteira de clientes pessoa física, e posteriormente na carteira de clientes pessoa jurídica. Contribuíram para a melhora das expectativas a estabilidade da massa salarial, os pacotes de estímulo fiscal ao consumo e o aumento do nível de atividade econômica, que se beneficiou da rápida retomada do crédito bancário. Ao longo do período, para fazer frente à deterioração da carteira de crédito, utilizamos R$ milhões de nossa provisão adicional para créditos de liquidação duvidosa. Em 31 de dezembro de 2009, mantínhamos ainda um saldo desta provisão de R$ milhões. A constituição de provisão adicional está baseada na crença de que o nível de aprovisionamento deve ter robustez necessária para absorver eventuais aumentos de inadimplência previstos em cenários de perda. No final de 2009, as expectativas eram significativamente diferentes daquelas observada no início do ano. A notável capacidade de reação à crise demonstrada pelos países emergentes, em geral, e pelo Brasil, em particular, ampliou o otimismo dos agentes econômicos e criou um ambiente de negócios extremamente favorável, fazendo com que as perspectivas para o ano de 2010 sejam muito boas. Este relatório está baseado na Demonstração do Resultado Gerencial que, por sua vez, decorre de reclassificações realizadas na demonstração do resultado contábil. Basicamente, reclassificamos para a Margem Financeira os efeitos fiscais do hedge dos investimentos no exterior, originalmente contabilizados nas linhas de despesas tributárias (PIS e Cofins) e de imposto de renda e contribuição social sobre o lucro líquido da demonstração do resultado contábil. Em 2009, verificamos uma apreciação do real em relação ao dólar norte-americano de 25,5%, enquanto no ano anterior tivemos uma depreciação de 31,9%. O impacto da variação cambial ocorrida em 2009, juntamente com a política de gestão do risco cambial dos investimentos no exterior, fez com que os efeitos fiscais do hedge dos nossos investimentos no exterior, bem como dos títulos soberanos emitidos por governos estrangeiros, correspondesse a uma despesa de R$ milhões no período. Lembramos, ainda, que fizemos ajustes nas demonstrações contábeis de 2008 para refletir a consolidação de 100% da empresa Redecard. Índices Macroeconômicos 31/12/ /12/2008 Risco País (EMBI) CDI Taxa do Ano 9,9% 12,4% Dólar (Var. Anual) -25,5% 31,9% Dólar (Cotação em R$) 1, IGP-M Taxa do Ano -1,7% 9,8% Poupança Taxa do Ano 6,9% 7,9% Demonstração de Resultado Gerencial O Relatório de Análise Gerencial da Operação, que se segue, irá discutir o resultado recorrente obtido pelo Itaú Unibanco no ano de 2009, em comparação com o resultado recorrente pro forma do ano de 2008, obtido a partir da soma dos lucros 4 Itaú Unibanco Holding S.A.

7 Demonstração de Resultado Gerencial Pro Forma (R$ Milhões) Itaú Unibanco 2009 Contábil Efeitos não Efeito Fiscal do Recorrentes Redecard Hedge e Títulos Soberanos Gerencial Margem Financeira Gerencial (3.368) Margem Financeira com Clientes Margem Financeira com o Mercado (3.368) Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (14.165) (14.165) Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (16.399) (16.399) Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo Resultado Bruto da Intermediação Financeira (3.368) Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (12.365) (10.782) Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias Resultado de Operações com Seg., Prev. e Cap Despesas não Decorrentes de Juros (27.249) (25.806) Despesas Tributárias de ISS, PIS, Cofins e Outras (3.893) (3.467) Resultado de Participações em Coligadas Outras Receitas Operacionais 941 (287) Resultado Operacional (2.945) Resultado não Operacional 430 (362) Resultado antes da Tributação e Participações (2.945) Imposto de Renda e Contribuição Social (7.421) (374) (4.850) Participações no Lucro (1.695) (1.695) Participações Minoritárias nas Subsidiárias (864) (864) Lucro Líquido Pro Forma Efeitos não Recorrentes Itaú Unibanco Pro Forma Redecard Efeito Fiscal do Hedge e Títulos Soberanos Gerencial Margem Financeira Gerencial Margem Financeira com Clientes Margem Financeira com o Mercado (2.532) Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (14.728) (9.720) Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (16.294) (11.286) Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo Resultado Bruto da Intermediação Financeira Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (14.490) (401) (9.275) Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias Resultado de Operações com Seg., Prev. e Cap Despesas não Decorrentes de Juros (29.681) (468) - (24.789) Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins (2.981) - (119) (401) (3.501) Resultado de Participações em Coligadas Outras Receitas Operacionais (651) Resultado Operacional Resultado não Operacional 295 (279) Resultado antes da Tributação e Participações Imposto de Renda e Contribuição Social (9.215) (317) (4.297) (4.217) Participações no Lucro (1.365) - (10) - (1.376) Participações Minoritárias nas Subsidiárias (533) - (641) - (1.173) Lucro Líquido Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

8 Análise Gerencial da Operação (R$ Milhões) Balanço Patrimonial Pro Forma Consolidado ATIVO Variação 31/12/ /12/2008 dez/09 - dez/08 % Circulante e Realizável a Longo Prazo (29.585) -4,7% Disponibilidades (5.258) -33,2% Aplicações Interfinanceiras de Liquidez ,8% Títulos Mobiliários e Inst. Financ. Derivativos (18.155) -13,1% Relações Interfinanceiras e Interdependências ,1% Operações de Crédito, Arrendamento e Outros Créditos ,0% (Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa) (24.052) (19.972) (4.080) 20,4% Outros Ativos (21.951) -19,3% Carteira de Câmbio (24.589) -47,4% Outros ,3% Permanente (250) -2,4% Investimentos (71) -3,1% Imobilizado de Uso e de Arrend. Merc. Operacional ,0% Diferido (385) -9,3% TOTAL DO ATIVO (29.835) -4,7% Balanço Patrimonial Pro Forma Consolidado PASSIVO Variação 31/12/ /12/2008 dez/09 - dez/08 % Circulante e Exigível a Longo Prazo (37.202) -6.3% Depósitos (15.417) -7.5% Depósitos à Vista (2.238) -8.0% Depósitos de Poupança % Depósitos Interfinanceiros (875) -29.9% Depósitos a Prazo (21.230) -15.6% Captações no Mercado Aberto % Recursos de Aceites e Emissão de Títulos (2.276) -11.6% Relações Interfinanceiras e Interdependências % Obrigações por Empréstimos e Repasses (8.048) -18.8% Instrumentos Financeiros e Derivativos (9.331) -63.0% Provisões Técnicas de Seg., Prev. e Capitalização % Outras Obrigações (18.996) -13.8% Carteira de Câmbio (23.079) -45.5% Dívida Subordinada (388) -1.7% Diversos % Resultados de Exercícios Futuros (37) -16.2% Participações Minoritárias nas Subsidiárias % Patrimônio Líquido da Controladora % TOTAL DO PASSIVO (29.835) -4.7% Depósitos (15.417) -7.5% Ativos sob Administração (AUM) % Total de Depósitos + Ativos sob Administração (AUM) % 6 Itaú Unibanco Holding S.A.

9 Demonstração de Resultado Recorrente Pro Forma Variação % Margem Financeira Gerencial ,9% Margem Financeira com Clientes ,0% Margem Financeira com o Mercado ,6% Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (14.165) (9.720) (4.445) 45,7% Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (16.399) (11.286) (5.113) 45,3% Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo ,6% Resultado Bruto da Intermediação Financeira ,8% Outras Receitas/(Despesas) Operacionais (10.782) (9.275) (1.506) 16,2% Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias (215) -1,4% Resultado com Operações de Seg., Prev. e Cap ,7% Despesas não Decorrentes de Juros (25.806) (24.789) (1.017) 4,1% Despesas Tributárias de ISS, PIS e Cofins (3.467) (3.501) 34-1,0% Resultado de Participações em Coligadas (16) -8,2% Outras Receitas Operacionais (508) -43,7% Resultado Operacional ,2% Resultado não Operacional ,3% Resultado antes da Tributação e Participações ,3% Imposto de Renda e Contribuição Social (4.850) (4.217) (633) 15,0% Participações no Lucro (1.695) (1.376) (320) 23,3% Participações Minoritárias nas Subsidiárias (864) (1.173) ,4% Lucro Líquido Recorrente (80) -0,8% (R$ Milhões) Número de Ações em Circulação em milhares Valor Patrimonial por Ação R$ 11,19 9,69 1,51 15,5% Lucro Líquido Recorrente por Ação R$ 2,32 2,35 (0,02) -1,0% Apresentamos, na tabela abaixo, os hightlights do Itaú Unibanco para os anos de 2009 e 2008, destacando os principais indicadores de performance dos períodos. (R$ Milhões) Highlights Lucro Líquido Lucro Líquido Recorrente Lucro Líquido por Ação (1) 2,23 2,22 Lucro Líquido Recorrente por Ação (1) 2,32 2,35 Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio (2) 21,4% 23,4% Retorno Recorrente sobre o Patrimônio Líquido Médio (2) 22,3% 24,8% Índice de Eficiência 42,4% 45,3% 31/12/ /12/2008 Ativos Totais Operações de Crédito (3) Depósitos + Debêntures + Obrigações por TVM e Empréstimos e Repasses Patrimônio Líquido Final Calculado considerando a média ponderada da quantidade de ações em circulação. 2. O cálculo do retorno foi efetuado dividindo-se o Lucro Líquido pelo Patrimônio Líquido Médio. 3. Inclui avais e fianças. Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

10 Análise Gerencial da Operação O Resultado O lucro líquido consolidado do Itaú Unibanco atingiu R$ milhões no ano de Desconsiderando os de eventos não recorrentes no resultado, apresentados abaixo, obtivemos um resultado recorrente de R$ milhões no período. O patrimônio líquido consolidado totalizou R$ milhões em 31 de dezembro de 2009, com acréscimo de 16,1% em relação ao ano anterior. Assim, o retorno recorrente sobre o patrimônio líquido médio alcançou a taxa de 22,3%. O saldo total de ativos somou R$ milhões ao final do exercício, com retorno recorrente sobre o ativo médio de 1,7%. O índice de Basileia atingiu 16,7% ao término do ano de 2009, o que coloca o Itaú Unibanco em segundo lugar em relação à solvabilidade dentre os quinze bancos de maior capitalização de mercado no mundo(1). Apesar de todos os desafios enfrentados em 2009, mantivemos um elevado nível de performance financeira, fundamentalmente baseada no alto grau de segmentação e especialização de nossa atuação no mercado. A oferta de produtos e serviços financeiros diferenciados, desenvolvidos especificamente para os mais diversos tipos de clientes e comercializados em plataformas e canais exclusivos, é característica fundamental de nossa atuação. (R$ Milhões) Lucro Líquido Recorrente Efeitos Decorrentes da Associação Itaú Unibanco (incorporação de ações) Equalização de Critérios Contábeis - (1.414) Provisão para Gastos com a Integração Itaú Unibanco - (888) Provisão Adicional para Créditos de Liquidação Duvidosa - (3.089) Efeitos da Adoção da Lei nº (136) Provisão para Planos Econômicos (191) (174) Alienação de Investimentos Amortização de Ágios (753) (223) Programa de Pagamento ou Parcelamento de Tributos Federais - Lei / Outros Efeitos não Recorrentes - (59) Total de Efeitos não Recorrentes (424) (567) Lucro Líquido Fonte: Bloomberg 8 Itaú Unibanco Holding S.A.

11 Operações de Crédito Adotamos uma política de crédito condizente com o contexto adverso que o país enfrentou e, à medida que as perspectivas melhoraram, flexibilizamos os critérios e parâmetros empregados. Nossa carteira de crédito, incluindo avais e fianças, atingiu o saldo de R$ milhões, com acréscimo de 2,4% em relação ao ano anterior. Considerando-se apenas as operações de empréstimos e financiamentos dirigidas ao varejo, constatamos um crescimento de 14,0% no saldo da carteira, atingindo R$ milhões. Por outro lado, observamos redução de 13,6% no saldo das operações de crédito realizadas com grandes empresas, e de 12,6% nas carteiras da Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai, fruto da valorização do real frente a moedas estrangeiras e da recuperação do mercado de capitais, que passou novamente a representar importante fonte de financiamento para os projetos de investimento de grandes conglomerados. A evolução da carteira de crédito do varejo teve como destaques os acréscimos de R$ milhões, ou 20,4%, no saldo das operações das micro, pequenas e médias empresas, R$ milhões, ou 23,1%, no saldo de cartões de crédito, R$ milhões, ou 9,1%, nas operações de financiamento de veículos e R$ milhões, ou 36,3%, na carteira de crédito imobiliário. Assim, apesar da retração ocorrida no nível de atividade econômica, avançamos na concessão de crédito e mantivemos nossa posição de liderança em diversos segmentos de atuação. Carteira de Crédito* 31/12/ /12/ /12/2007 dez/09 - dez/08 dez/08 - dez/07 Pessoas Físicas ,4% 24,3% Cartão de Crédito ,1% 19,4% Crédito Pessoal ,6% 8,8% Veículos ,1% 35,8% Empréstimos Empresas ,3% 41,9% Grandes ,6% 44,0% Micro, Peq. e Médias ,4% 37,8% Créditos Direcionados ,8% 21,8% Crédito Rural ,0% 5,7% Crédito Imobiliário ,3% 41,2% Argentina/Chile/Uruguai/Paraguai ,6% 34,1% Carteira Porto Seguro Total ,4% 34,0% Total Varejo** ,0% 28,2% * Inclui avais e fianças **Inclui Cartão de Crédito, Crédito Pessoal, Veículos, Micro, Peq. e Médias Empresas, Crédito Rural e Crédito Imobiliário (R$ Milhões) Carteira de crédito* (R$ Bilhões) ,3 242,0 278, ,3 217,7 271, ,3 166,7 202,9 Em Moeda Estrangeira Em Moeda Nacional * Inclui avais e fianças Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

12 Análise Gerencial da Operação Margem Financeira Em 2009, a ampliação de 18,6% do saldo médio das operações de empréstimos e financiamentos, juntamente com a alteração do mix de clientes e produtos, contribuiu para que a taxa da margem financeira com clientes apresentasse crescimento de 0,3 ponto percentual em relação ao ano anterior, em um contexto em que a taxa básica de juros (Selic) teve redução de 5,0 pontos percentuais. Assim, a margem financeira gerencial com clientes totalizou R$ milhões, com acréscimo de 9,0% em comparação com a margem obtida em Em relação à margem financeira com o mercado, verificamos um desempenho extremamente favorável, fruto do impacto da queda da taxa de juros e do cupom cambial nas posições de renda fixa e câmbio no mercado local. Em decorrência dos eventos apresentados acima, nossa margem financeira gerencial cresceu 17,9% em relação à margem financeira obtida em 2008, somando R$ milhões. Margem Financeira Gerencial Operações Sensíveis à Variação na Taxa de Juros Realizadas com Clientes (A) Operações Sensíveis a Spreads Realizadas com Clientes (B) Saldo Médio Margem Financeira Tx. (a.a.) Saldo Médio Margem Financeira Tx. (a.a.) ,9% ,4% ,4% ,1% Net Interest Margin (C=A+B) ,3% ,6% Margem Financeira da Tesouraria (D) Margem Financeira (E=C+D) (R$ Milhões) Evolução da Margem Financeira Gerencial NIM x selic ,1% 11,8% 11,6% 12,4% 12,2% 10,6% 10,5% 10,3% 9,9% Margem Financeira com o Mercado NIM CDI Taxa Pré-BM&F 1 ano Margem Financeira com Clientes. 10 Itaú Unibanco Holding S.A.

13 Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa Nossas despesas com provisões para créditos de liquidação duvidosa cresceram 45,3% em relação a 2008, totalizando R$ milhões. Ao longo do ano de 2009, observamos o impacto de dois eventos que se somaram e resultaram na ampliação dessas despesas: primeiramente, alteramos nosso mix de clientes e ampliamos o saldo de recursos direcionados a operações de empréstimo e financiamentos ao varejo, exigindo, em consequência, um maior volume de provisões. Em segundo lugar, a crise financeira internacional ampliou o risco de concessão de crédito e fez com que aumentassem as despesas relacionadas às operações. Índice de Inadimplência 90 dias e Nonperforming Loans (NPL) % NPL 60 Dias 8,3% 5,1% 1,9% 8,1% 4,8% 1,7% 9,1% 6,6% 4,5% dez/07 dez/08 dez/09 Particularmente, observamos o aumento da inadimplência ao longo de todo o primeiro semestre de 2009, sendo que, a partir de então, a inadimplência das operações de clientes pessoa física com atraso superior a 90 dias - estabilizou no nível de 8,1%, caindo para 7,6% no último trimestre do ano. Por outro lado, as operações de clientes pessoa jurídica atingiram o pico de inadimplência no terceiro trimestre, alcançando a taxa de 4,1% e recuando para 4,0% no quarto trimestre de Pessoa Física Total Pessoa Jurídica Inadimplência 90 Dias 6,8% 6,9% 4,2% 3,9% 1,6% 1,3% 7,6% 5,6% 4,0% A recuperação de créditos anteriormente baixados como prejuízo cresceu 42,6% em comparação com a recuperação do ano anterior, resultado das políticas de cobrança adotadas, as quais visam à reintegração de clientes correntistas e não correntistas ao universo creditício. dez/07 dez/08 dez/09 Pessoa Física Total Pessoa Jurídica Inadimplência Dias Índice de Cobertura dez/ % dez/ % dez/ % 1,5% 0,8% 0,2% 1,2% 0,9% 0,3% 1,5% 1,0% 0,5% O índice de cobertura é obtido por meio da divisão do saldo de provisão para créditos de liquidação duvidosa pelo saldo das operações vencidas há mais de 60 dias. A redução de 36 pontos percentuais em relação a 2008 decorre basicamente da reversão de provisão adicional para créditos de liquidação duvidosa. dez/07 dez/08 dez/09 Pessoa Física Total Pessoa Jurídica Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

14 Análise Gerencial da Operação Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias Em 2009, as receitas de prestação de serviços e de tarifas bancárias atingiram R$ milhões, o que equivale à redução de 1,4% em relação ao ano anterior. RECEITA DE SERVIÇOS (R$ milhões) Variação Administração de Recursos ,4% Serviços de Conta-corrente (543) -20,2% Operações de Crédito e Garantias Prestadas (55) -2,2% Serviços de Recebimentos ,4% Cartões de Crédito ,0% Outros (76) -5,2% Total (215) -1,4% O ano de 2009 não só foi marcado pelas conseqüências da crise financeira internacional, mas também por alterações em marcos regulatórios, afetando significativamente as nossas rendas. Este é o caso da proibição da cobrança da tarifa de renovação de cadastro, a qual fez com que as nossas receitas de serviços de conta-corrente fossem afetadas. Apesar da retomada da atividade econômica após a crise, muitas empresas continuaram adotando posições conservadoras em relação a novos investimentos e captações no mercado. Tal conservadorismo fez com que nossas receitas de colocação de títulos no mercado de capitais e de assessoria econômica e financeira apresentassem redução, principalmente no primeiro semestre de Entretanto, no segundo semestre observamos a crescente retomada dessas atividades. Em 2009, observamos o aumento das receitas advindas de cartões de crédito, na comparação dos períodos, consequência da popularização do uso dos cartões nas transações comerciais e da expansão de nossa base de cartões. Também observamos acréscimo das receitas advindas dos ativos sob administração, que contribuíram com R$ milhões para as receitas de prestação de serviços, sendo que o saldo de ativos sob administração apresentou crescimento de 29,3% em relação a 2008, totalizando R$ milhões. (R$ Milhões) Participação sobre o Total das Receitas de Prestação de Serviços e Tarifas Bancárias 8% 16% 8% 16% % % Administração de Recursos 38% 35% 15% Operações de Crédito e Garantias Prestadas Cartões de Crédito Serviços de Conta-corrente Serviços de Recebimentos Outros 14% 9% 10% 12 Itaú Unibanco Holding S.A.

15 Despesas não Decorrentes de Juros As despesas não decorrentes de juros somaram R$ milhões em 2009, com elevação de 4,1% em relação a As despesas de pessoal cresceram 4,6% na comparação anual devido, basicamente, ao acordo da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho). As outras despesas administrativas foram afetadas por dois principais motivos: elevação das despesas de depreciação de sistemas de processamento de dados, móveis e equipamentos em geral, e maiores despesas com postagens. As outras despesas operacionais sofreram uma leve queda em relação a 2008, sobretudo em função de menores provisões para contingências, que foram parcialmente compensadas pelo aumento de despesas com comercialização de cartão de crédito, em função da expansão e reestruturação das operações. (R$ Milhões) Despesas de Pessoal (9.832) (9.399) (433) 4,6% Outras Despesas Administrativas (11.593) (11.017) (576) 5,2% Outras Despesas Operacionais (4.036) (4.057) 21-0,5% Despesas Tributárias (345) (316) (28) 9,0% Total (25.806) (24.789) (1.017) 4,1% O intenso foco na gestão dos custos operacionais, a constate busca de ganhos de produtividade e os ganhos de sinergia decorrentes da unificação das estruturas operacionais do Itaú e Unibanco fizeram com que o nosso índice de eficiência apresentasse melhora, mesmo considerando esse período de transformação e expansão das operações. Assim, o índice de eficiência em 2009 atingiu 42,4%, com redução de 2,9 pontos percentuais. Neste ano introduzimos uma metodologia adicional para acompanhar nossa eficiência, incorporando os impactos das parcelas de risco associadas às operações bancárias (resultado da provisão para créditos de liquidação duvidosa) e as operações de seguros e previdência (sinistros) nos componentes do índice. O índice de eficiência ajustado ao risco alcançou 59,4%, com aumento de 0,2 ponto percentual, basicamente reflexo das adversas condições econômicas encontradas durante a crise financeira. O total de colaboradores do Itaú Unibanco atingiu indivíduos, o que representa uma redução de 6,6% em relação a 2008, fruto da racionalização das atividades dentro do processo de integração e pela transferência de funcionários do Itaú Unibanco para a Porto Seguro, dentro do processo de associação das empresas. DESPESAS NÃO DECORRENTES DE JUROS ÍNDICE DE EFICIÊNCIA ( % ) ,4% ,3% ,6% Índice de Eficiência % Despesas não recorrentes de juros (A) (25.806) (24.789) 4,1% Margem Financeira Gerencial ,9% Receita de Serviços ,4% Resultado de Operações com Seguros, Previdência e Capitalização antes das Despesas com Sinistros ,8% Despesas Tributárias com ISS, PIS e COFINS (3.467) (3.501) -1,0% Outras Receitas Operacionais ,7% Subtotal Receitas (B) ,2% Índice de Eficiência (C=A/B) 42,4% 45,3% -2,9 p.p (-) Despesas com Sinistros de Seguros (3.205) (3.111) 3,0% Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (16.399) (11.286) 45,3% Receita de Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo ,6% Ajuste (D) (17.371) (12.831) 35,4% Índice de Eficiência Ajustado ao Risco [A/(B+D)] 59,4% 59,2% 0,2 p.p Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

16 Análise Gerencial da Operação Participação sobre o Total das Despesas Não Decorrentes de Juros 45% % 1% Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Em 2009, a despesa líquida de Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido atingiu R$ milhões, representando aumento de 15,0% em relação ao ano anterior. A despesa com Contribuição Social sobre o Lucro Líquido devida a curto prazo continua sem o efeito da majoração da alíquota de 9% para 15%, em função da constituição de crédito tributário em montante suficiente para anular tal efeito, tendo em vista que a Administração do banco acredita que terá sucesso na Ação Direta de Inconstitucionalidade impetrada pela Confederação Nacional do Sistema Financeiro Consif. 38% % 16% 1% 38% Outras Despesas Administrativas Despesas de Pessoal Despesas Tributárias Outras Despesas Operacionais Despesas de ISS, PIS e Cofins Nossas despesas tributárias de ISS, PIS e Cofins alcançaram R$ milhões, permanecendo praticamente estáveis em relação a Outras Receitas Operacionais A redução de 43,7% das outras receitas operacionais está basicamente associada a um menor saldo de reversões de provisões operacionais em Itaú Unibanco Holding S.A.

17 Desempenho das Ações e dos ADRs Unificação dos Códigos de Negociação A associação Itaú e Unibanco foi aprovada pelos acionistas em Assembleia Geral Extraordinária de 28 de novembro de 2008, e aprovada pelo Banco Central do Brasil em 18 de fevereiro de Com isso, o Banco Itaú Holding Financeira S.A. deixou de existir e, junto com o Grupo Unibanco, passou a ser chamado Itaú Unibanco Holding S.A., um banco brasileiro com o compromisso, a solidez e a capacidade econômica de transformá-lo em um agente importante para o desenvolvimento das empresas nacionais e do país. Com isso, destacamos: a) Em 31 de março de 2009, ocorreu a substituição das ações do Unibanco Holdings S.A. e Unibanco - União de Bancos Brasileiros S.A., por ações do Itaú Unibanco Holding S.A.; b) Assim, os acionistas do Unibanco que se tornaram acionistas do Itaú Unibanco, passaram a ser remunerados de acordo com a política de dividendos da nova organização, ou seja, por meio de pagamentos de dividendos e/ou juros sobre capital próprio (JCP) mensais e complementares que foram declarados pelo Itaú Unibanco, a partir da data base de 28 de novembro de 2008, inclusive. preferenciais em circulação no último dia de pregão do período, chegou a R$ 175,1 bilhões no fim de dezembro. Segundo a empresa Bloomberg, o Itaú Unibanco ocupava o nono lugar no ranking mundial de bancos, em 31 de dezembro de 2009, tendo como parâmetro o valor de mercado. O valor de mercado das ações preferenciais (ITUB4) correspondia, no término do ano passado, a aproximadamente 3,5 vezes seu valor patrimonial. Valor de Mercado (*) x Índice ibovespa Em 31 de dezembro de 2009, o valor de mercado do Itaú Unibanco atingiu o valor de R$ 175,1 bilhões 23,8 11,3 41,2 22,2 54,5 26,2 80,8 33,4 115,3 44,4 140,5 63,9 107,9 37,5 175,1 68, Valor de Mercado (R$ bilhões) Ibovespa (mil pontos) (*) Cotação média da ação preferencial no último dia de negociação do período x total de ações em circulação. Desempenho das Ações e dos ADRs em Bolsas de Valores As ações do Itaú Unibanco são negociadas nas seguintes bolsas de valores: São Paulo BM&FBOVESPA, Nova Iorque (NYSE); e Buenos Aires (BCBA). Os certificados negociados em Nova Iorque e Buenos Aires são lastreados em ações preferenciais. A capitalização de mercado, o aumento significativo da liquidez das ações e o lançamento de produtos/serviços diferenciados para o mercado de capitais, entre outras iniciativas, refletem a preocupação com a criação de valor para nossos acionistas e rentabilidade sustentável. O valor de mercado em Bolsas de Valores do Itaú Unibanco, calculado considerando a cotação média das ações O ano de 2009 foi marcado por notável recuperação no desempenho do mercado de capitais brasileiro. As ações do Itaú Unibanco acompanharam esse movimento, apresentando forte recuperação. Ações e Índices Oscilações em 2009 Oscilações em 2008 Ação ON - ITUB3 53,5% -37,5% Ação PN - ITUB4 63,1% -28,3% Ibovespa 82,7% -41,2% Ibrx-50 72,4% -43,1% ISE 66,4% -41,1% IGC 83,4% -45,5% Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

18 Desempenho das Ações e dos ADRs Volume médio diário negociado (bm&fbovespa + nyse) (R$ milhões) IGC (Índice de Governança Corporativa); ITAG (Índice de empresas com Tag Along diferenciado para acionistas minoritários); ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial). Exterior: 4º T/09 3º T/09 2º T/09 1º T/ Dow Jones Sustainability World Index (Índice das empresas mais sólidas, éticas e sustentáveis que Negociam ações na NYSE); BNY Composite (Índice do Bank of New York Mellon de todas as empresas que negociam ADRs nos Estados Unidos); NYSE BM&FBOVESPA BNY Latin America 35 ADR (Índice composto pelos 35 ADRs mais negociados de empresas domiciliadas na América Latina); Participação nos índices de mercado A presença em índices de mercado é um fator importante para as companhias abertas. Muitos gestores de fundos e carteiras utilizam esses indicadores como parâmetro na escolha de ações ou investem exclusivamente em carteiras formadas por papéis que compõem determinado índice. As ações do Itaú Unibanco participam de vários índices nos mercados nacional e internacional, tais como: Brasil: BNY Latin America (Índice de todas as companhias da América Latina que negociam ADRs nos EUA); BNY Brazil (Índice de todas as empresas brasileiras que negociam ADRs); BNY Emerging Markets (Índice de todas as companhias abertas sediadas em países emergentes que negociam ADRs); BNY Emerging Markets 50 (Índice composto pelas cinquenta companhias abertas com maior volume de ADRs negociados e sediadas em países emergentes); Ibovespa (Índice da Bolsa de Valores de São Paulo, composto pelas ações que representam 80% do volume da bolsa); IBX-100 (Índice das cem ações mais negociadas na Bovespa); IBX-50 (Índice das cinquenta ações mais negociadas na Bovespa); IFNC (índice das ações das empresas representativas dos setores de intermediários financeiros, serviços financeiros diversos e previdência e seguros); BNY BRIC Select (Índice das empresas que mais negociam ADRs com sede nos países Brasil, Rússia, Índia e China); BNY BRIC Select Canadian (Índice das empresas que mais negociam ADRs com sede nos países Brasil, Rússia, Índia e China voltado para clientes canadenses e monitorado de acordo com o exchange rate canadense); BNY International 100 (Índice das cem maiores empresas que negociam ADRs); 16 Itaú Unibanco Holding S.A.

19 S&P Latin America; Global 1200 Financial Sector; S&P ADR Index. Histórico de Eventos Data Tipo de Evento Efeito 31/08/2009 Bonificação 1 nova ação para cada 10 ações possuídas 30/05/2008 Bonificação 1 nova ação para cada 4 ações possuídas 28/09/2007 Desdobramento 1 nova ação para cada 1 ação possuída 30/09/2005 Desdobramento 9 ações para cada 1 ação possuída 19/10/2004 Grupamento Cada ações foram substituídas por 1 ação 14/09/1999 Desdobramento 9 ações para cada 1 ação possuída 03/11/1993 Bonificação 1 nova ação para cada 1 ação possuída 26/06/1989 Bonificação 1 nova ação para cada 2 ações possuídas 22/12/1988 Bonificação 1 noca ação para cada 2 ações possuídas 04/04/1988 Bonificação 1 nova ação por cada 1 ação possuída 30/11/1987 Bonificação 1 nova ação para cada 2 ações possuídas 23/03/1987 Bonificação 1 nova ação para cada 2 ações possuídas 27/10/1986 Bonificação 1 nova ação para cada 4 ações possuídas 10/03/1986 Bonificação 1 nova ação por cada 1 ação possuída consolidar e manter a imagem de liderança e inovação do Itaú Unibanco junto ao Mercado de Capitais. O sistema de atendimento aos nossos públicos estratégicos é realizado por: reuniões públicas, reuniões com grupos de investidores no Brasil e no exterior, Fale Conosco, atendimento por telefone e fax, além dos nossos canais de informações regulares, tais como, Relatório Anual (impresso e online), Relatório de Resultados Trimestrais, envio de e disponibilização no website de comunicados e fatos relevantes, informativos à imprensa, website de RI, nosso CRM (Customer Relationship Management), o informativo aos acionistas, distribuído trimestralmente a todos os nossos acionistas e também aos interessados que se cadastram pelo website de RI para recebê-lo. Em sintonia com a estratégia da organização e por meio do contato permanente com a alta administração e com as várias áreas e empresas da instituição, a área de Relações com Investidores acompanha os principais acontecimentos do Banco, e também o impacto que o cenário brasileiro e internacional podem exercer no seu desempenho. Política de Governança Corporativa Em 10 de agosto de 2009, o Conselho de Administração aprovou a revisão da Política de Governança Corporativa para o Itaú Unibanco. Essa Política: Política de Relações com Investidores A área de Relações com Investidores tem como principais públicos estratégicos: os acionistas, analistas e profissionais de investimentos, mídia especializada em finanças e os acadêmicos que estudam o mercado financeiro e de capitais. O objetivo principal da área de Relações com Investidores do Itaú Unibanco Holding S.A. é agregar/criar valor aos nossos acionistas. Para isso, a área desenvolve um trabalho contínuo que inclui planejamento estratégico, implantação coordenada, acompanhamento permanente, avaliações e feedbacks contínuos. Nossa política de relações com investidores é fornecer subsídios que sejam suficientes para a decisão de investir em ações do Itaú Unibanco, por meio da divulgação de informações com transparência, tempestividade, acessibilidade e qualidade. Respeitando sempre os princípios legais e éticos, buscamos Tem como objetivo refletir as estruturas existentes na Companhia para a proteção dos interesses dos acionistas e do mercado, balizadores da gestão da Companhia; Faz remissões ao Estatuto Social, aos Regimentos Internos do Conselho de Administração e demais órgãos estatutários e Comitês, ao Código de Ética Corporativo e outros regulamentos internos do Itaú Unibanco, além do conceito de Conselheiro Independente. Ciclo Apimec 2009 Itaú Unibanco foi a empresa com maior número de reuniões realizadas Em 2009, o Itaú Unibanco foi a empresa de capital aberto que mais realizou reuniões da Apimec. Mais de 3 mil pessoas estiveram Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis

20 Desempenho das Ações e dos ADRs presentes nos 22 eventos realizados no ano. Além disso, seis reuniões foram transmitidas pela internet, com cerca de 900 participantes. O planejamento para 2010 prevê a realização de pelo menos o mesmo número de reuniões pelo país, sempre buscando levar mais informação para os acionistas. Atendimento aos acionistas Além das reuniões da Apimec, o Itaú Unibanco esteve presente em onze conferências e roadshows realizados no Brasil e no exterior em A instituição atendeu cerca de 900 investidores institucionais e respondeu a mais de mil s recebidos pela área de relações com investidores. Informativo para Assembléia Geral de Acionistas O Itaú Unibanco foi uma das primeiras empresas nacionais de capital aberto a confeccionar material (em português, inglês e espanhol) para a Assembléia Geral de Acionistas. Entre os assuntos abordados neste material estão o detalhamento do assunto a ser abordado no dia da Assembléia e a proposta da Administração. O objetivo desta ação é aumentar a transparência, bem como reforçar o relacionamento com os acionistas e confirmar o compromisso voluntário da companhia com este público. Denominado Informações Adicionais sobre a Assembléia Geral, o material é distribuído com antecedência e possibilita o posicionamento antecipado dos acionistas do Itaú Unibanco sobre os assuntos pertinentes à Assembléia. Distribuição Acionária (em quantidade de ações) Ações Ordinárias Ações Preferenciais Total de Ações Ações Ordinárias (Controladores) Ações Preferenciais (Controladores) Total de Ações com Controladores / Administradores Ações Ordinárias em Tesouraria Ações Preferenciais em Tesouraria Total de Ações em Tesouraria Ações Ordinárias em Circulação Ações Preferenciais em Circulação Total de Ações em Circulação Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2008. Itaú Unibanco Holding S.A.

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2008. Itaú Unibanco Holding S.A. Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2008 Itaú Unibanco Holding S.A. Índice Análise Gerencial da Operação 2 Desempenho das Ações e dos ADRs 12 Relatório

Leia mais

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação

sumário executivo Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2013 Análise Gerencial da Operação sumário executivo 3º trimestre de 2013 (Esta página foi deixada em branco intencionalmente) 4 Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco). Destaques (exceto onde indicado)

Leia mais

3º trimestre de 2011. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas. Itaú Unibanco Holding S.A.

3º trimestre de 2011. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas. Itaú Unibanco Holding S.A. 3º trimestre de 2011 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. Índice Análise Gerencial da Operação 1 Sumário Executivo 3 Análise do Resultado 11 Margem

Leia mais

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015 Ações Itaú em foco Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015 nº 48 www.itau.com.br/relacoes-com-investidores facebook.com/itauunibancori @itauunibanco_ri Recompra de Ações No período de janeiro

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

3T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

3T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 3T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Goiânia 28 de outubro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 2º trimestre de 2015

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 2º trimestre de 2015 Ações Itaú em foco Informativo para acionistas Ano 12 2º trimestre de 2015 nº 47 www.itau.com.br/relacoes-com-investidores facebook.com/itauunibancori @itauunibanco_ri Remuneração aos Nossos Acionistas

Leia mais

Remuneração aos Nossos Acionistas. Bonificação e Custo Atribuído

Remuneração aos Nossos Acionistas. Bonificação e Custo Atribuído Remuneração aos Nossos Acionistas Na reunião do Conselho de Administração do dia 3 de agosto foi deliberada a distribuição de Juros sobre Capital Próprio (JCP) complementares aos dividendos mensais, a

Leia mais

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015

Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Divulgação de Resultados Segundo Trimestre de 2015 Apresentação da Teleconferência 06 de agosto de 2015 Para informações adicionais, favor ler cuidadosamente o aviso ao final desta apresentação. Divulgação

Leia mais

Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Setembro de 2007

Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Setembro de 2007 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Setembro de 2007 Índice Sumário Executivo 03 Análise do Resultado Consolidado 12 - Margem Financeira Gerencial 13 - Resultado de Créditos

Leia mais

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A.

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. 4T15 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. ÍNDICE 03 Análise Gerencial da Operação 05 Sumário Executivo 15 Análise do Resultado e Balanço 16 18 22

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2011. Itaú Unibanco Holding S.A.

Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2011. Itaú Unibanco Holding S.A. Análise Gerencial da Operação, Desempenho das Ações e dos ADRs e Demonstrações Contábeis 2011 Demonstrações Financeiras 2011 Sumário 3 Análise Gerencial da Operação...................... 4 Desempenho das

Leia mais

2º Trimestre 2005. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

2º Trimestre 2005. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas 2º Trimestre 2005 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Sumário Executivo 03 Análise do Resultado Consolidado 13 - Margem Financeira 14 - Resultado com Créditos de Liquidação

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA

RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA 1- INTRODUÇÃO O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social, por meio do Decreto nº 5.212, de 22 de setembro de 2004, teve o seu Estatuto Social alterado

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Objeto Estabelecer uma política adequada de gerenciamento de riscos financeiros, de modo a resguardar as empresas do grupo Endesa Brasil de

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15

BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 BRB ANUNCIA RESULTADOS DO 2T15 Brasília, 26 de agosto de 2015 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

Basiléia. Patrimônio Líquido 6.368 5.927 5.117. Jun/09 Jun/10 Jun/11 Jun/12 Jun/13. Captações (líquidas de compulsório) 58.406 52.950 42.

Basiléia. Patrimônio Líquido 6.368 5.927 5.117. Jun/09 Jun/10 Jun/11 Jun/12 Jun/13. Captações (líquidas de compulsório) 58.406 52.950 42. Avenida Paulista, 2.100 - São Paulo - SP CNPJ 58.160.7890001-28 Se escolher navegar os mares do sistema bancário, construa seu banco como construiria seu barco: sólido para enfrentar, com segurança, qualquer

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

Ao completar 60 anos no mercado de capitais, o Grupo encerra o ano de 2007 com 140 mil acionistas

Ao completar 60 anos no mercado de capitais, o Grupo encerra o ano de 2007 com 140 mil acionistas RELATÓRIO ANUAL GERDAU 27 55 Ao completar 6 anos no mercado de capitais, o Grupo encerra o ano de 27 com 14 mil acionistas O Grupo Gerdau tem proporcionado aos seus 14 mil acionistas rentabilidade com

Leia mais

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010

Sexta-feira 14.05.2010 Divulgação do Resultado do Primeiro Trimestre de 2010 Press Release 9 Bovespa: BRSR3, BRSR5, BRSR6 Este Press Release pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas

Leia mais

Ciclo Apimec 2009. Itaú Unibanco Holding S.A.

Ciclo Apimec 2009. Itaú Unibanco Holding S.A. Ciclo Apimec 2009 Itaú Unibanco Holding S.A. Junho/Julho de 2009 Junho de 2009 Prezados (as), Desde 1996 o Itaú promove reuniões públicas nas regionais da Apimec, onde temos a oportunidade de discutir

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor Reestruturação Societária Grupo Criando Valor Novembro, 1999 Índice 8 Visão Geral da Reestruturação 2 8 Passos da Reestruturação 3 8 Benefícios da Reestruturação 4 8 Bases da Reestruturação 5 8 As Relações

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 2T10

Reunião Pública de Analistas 2T10 Reunião Pública de Analistas 2T10 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Maior seguradora do Brasil Posição Companhia `Principal Produto 1 Bradesco

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro

Destaques Operacionais. Desempenho Financeiro Press Release Destaques Operacionais O Banrisul apresentou, nos nove meses de 2011, trajetória ascendente de crescimento no crédito. Os indicadores de inadimplência e de qualidade da carteira mantiveram-se

Leia mais

Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras

Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras Evolução Recente das Principais Aplicações Financeiras As principais modalidades de aplicação financeira disponíveis no mercado doméstico caderneta de poupança, fundos de investimento e depósitos a prazo

Leia mais

Capital/Bolsa Capital/ Balcão. Mesmas informações para os 2 últimos exercícios

Capital/Bolsa Capital/ Balcão. Mesmas informações para os 2 últimos exercícios Identificação das pessoas responsáveis pelo formulário Capital/Bolsa Capital/ Balcão Declaração do Presidente e do Diretor de Relação com Investidores Dívida / Investimento Coletivo IAN Apenas informações

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 1T11

Reunião Pública de Analistas 1T11 Reunião Pública de Analistas 1T11 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Líder nacional em seguro de residência Empregados Diretos Porto S/A Sucursais

Leia mais

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado.

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado. A Ação Os títulos negociáveis em Bolsa (ou no Mercado de Balcão, que é aquele em que as operações de compra e venda são fechadas via telefone ou por meio de um sistema eletrônico de negociação, e onde

Leia mais

Ciclo Apimec 2013 A Estratégia de Atuação do Itaú Unibanco

Ciclo Apimec 2013 A Estratégia de Atuação do Itaú Unibanco 1 Ciclo Apimec 2013 A Estratégia de Atuação do Itaú Unibanco Superintendência de Relações com Investidores Pessoa Física 2 Cenário Macroeconômico (1) 2 Economia Mundial 2010 2011 2012 2013 (2) PIB Mundo

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Informações Adicionais e. Dados Quantitativos

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Informações Adicionais e. Dados Quantitativos Relatório de Gerenciamento de Riscos Informações Adicionais e Dados Quantitativos Avaliação da adequação do Patrimônio de Referência (PR) face à estrutura e contexto operacional O processo de monitoramento

Leia mais

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14

AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 AUMENTO DE 17,9% NO VOLUME FINANCEIRO E LUCRO LÍQUIDO DE R$797 MILHÕES NO 2T14 Barueri, 29 de Julho de 2014 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTCQX: CIOXY) anuncia hoje seus resultados do segundo trimestre

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores

Luiz Carlos Angelotti. Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores 59 Luiz Carlos Angelotti Diretor Executivo Gerente e Diretor de Relações com Investidores Estratégia de Atuação 60 60 Balanço Patrimonial Tecnologia vs Eficiência operacional Basileia Desempenho Financeiro

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC

O Comitê de Pronunciamentos - CPC. Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de Contabilidade - FBC O Comitê de Pronunciamentos - CPC Irineu De Mula Diretor da Fundação Brasileira de - FBC Objetivo: O estudo, o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de e a divulgação de informações

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS

INDICADORES FINANCEIROS Relatório 2014 Um Olhar para o Futuro DESEMPENHO ECONÔMICO ECONÔMICA www.fibria.com.br/r2014/desempenho-economico/ 126 INDICADORES FINANCEIROS A Fibria encerrou 2014 com lucro líquido de R$ 163 milhões,

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 Desde março do ano passado, a partir da reversão das expectativas inflacionárias e do início da retomada do crescimento econômico, os juros

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

Sumário do Resultado 2T09

Sumário do Resultado 2T09 Sumário do Resultado 1 BB lucra R$ 4,0 bilhões no 1º semestre de 2009 O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 4.014 milhões no 1S09, resultado que corresponde a retorno sobre Patrimônio Líquido

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

ABCD. Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil

ABCD. Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil ABCD Banco Nossa Caixa S.A. Laudo de avaliação do patrimônio líquido contábil ABCD KPMG Auditores Independentes R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A. BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de

Leia mais

Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores. Belém 21/07/2015

Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores. Belém 21/07/2015 Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores Belém 21/07/2015 Ciclo Apimec 2015 Itaú Unibanco Holding S.A. A apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A.

Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A. Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A. www.itauunibancori.com.br www.portoseguro.com.br/ri As Companhias A Porto Seguro S.A. continuará listada no Novo Mercado da BM&Fbovespa (PSSA3);

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

Apresentação Bradesco

Apresentação Bradesco Apresentação Bradesco 1 Perspectivas Econômicas 2013 Bradesco 2014 * Consenso do Mercado ** 2015 * 2014 2015 PIB 2,50% 0,50% 1,50% 0,29% 1,01% Juros(SelicFinal) 10,00% 11,00% 11,00% 11,00% 11,38% Inflação(IPCA)

Leia mais

Agência Bradesco Praça Panamericana

Agência Bradesco Praça Panamericana Agência Bradesco Praça Panamericana Presença em todos os municípios brasileiros A B C D E 03 Crescimento Orgânico dos Canais de Distribuição 4.634 4.650 3.160 3.359 3.454 3.628 2007 2008 2009 2010 2011

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais