ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: um estudo de caso na NASSAU MOTOS LTDA, Paulo Afonso-BA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: um estudo de caso na NASSAU MOTOS LTDA, Paulo Afonso-BA"

Transcrição

1 FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Curso de Administração com Habilitação em Marketing LUCIANO MAIA E SILVA ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: um estudo de caso na NASSAU MOTOS LTDA, Paulo Afonso-BA PAULO AFONSO - BA JUNHO

2 LUCIANO MAIA E SILVA ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: um estudo de caso na NASSAU MOTOS LTDA, Paulo Afonso-BA Monografia apresentada ao curso de Bacharelado em Administração com Habilitação em Marketing, da Faculdade Sete de Setembro FASETE, em cumprimento parcial das exigências para obtenção do título de Bacharel em Administração, sob a orientação do Professor Especialista Alessandro Rocha Borba Cavalcante. PAULO AFONSO - BA JUNHO

3 FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Curso de Administração com Habilitação em Marketing PARECER DA COMISSÃO EXAMINADORA DE DEFESA DE MONOGRAFIA DE GRADUAÇÃO DE LUCIANO MAIA E SILVA ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO, UM ESTUDO DE CASO NA NASSAU MOTOS LTDA, PAULO AFONSO-BA A comissão examinadora, composta pelos professores abaixo, sob a presidência do (a) primeiro (a), considera o discente LUCIANO MAIA E SILVA APROVADO. Paulo Afonso, 17 de Junho de Prof. Alessandro Rocha Borba Cavalcante, Especialista (Orientador). Profª. Jacques Fernandes Santos, Especialista. Prof. Rita Rejane Soares Melo, Especialista.

4 DEDICATÓRIA Dedico este trabalho a minha mãe, que tanto me incentivou a concluí-lo e realizar um sonho ao qual foi tão almejado.

5 AGRADECIMENTOS A Deus, pela saúde, força, capacidade e competência para a conclusão de mais um objetivo. A pessoa na qual com certeza me impulsionou a cada minuto durante todo o curso não deixando desanimar jamais, persistir sempre e enfrentar os obstáculos: minha mãe Alaíde Menezes Maia e Silva. Àquele que infelizmente deixou a mim e meus irmãos ainda muito novos. Não podendo estar presente para vibrar alegremente a realização de mais uma conquista: meu pai Benedito Bezerra da Silva (Em memória). Àqueles que passaram junto comigo todos os momentos de alegrias e tristezas, me fortalecendo com o seu amor ao qual me esforço para dar o melhor: meus filhos, Rebeca Lorena Santos Maia e silva, Lucas Henrique Santos Maia e Silva e esposa, Patrícia Santos Maia e Silva. Aos meus colegas de classe e especialmente aos meus amigos Claudione (falecido), Ênio, Edílson, Michael (desistente), Edson, Jackson, pelo companheirismo, apoio, simplicidade e humildade. Aos que em vários momentos me incentivaram através de palavras de força e acreditaram na minha eficiência, disposição e ousadia quanto à conclusão de mais este objetivo: meus irmãos Maria do Socorro Maia e Silva, Suzana Patrícia Maia e Silva, Andréa Márcia Maia e Silva, Marcelo Henrique Maia e Silva e ao meu padrasto João Fernandes Maia. A todos os professores e mestres pelo aprendizado durante todo o curso, não esquecendo aqueles que se foram e em especial ao orientador, professor e amigo Alessandro Rocha. Ao gestor e colaboradores que compõem a revenda NASSAU MOTOS LTDA distribuidora das motocicletas SUNDOWN MOTOS. Empresa pesquisada que disponibilizou os dados necessários que subsidiaram a conclusão deste trabalho.

6 EPÍGRAFE Crescemos e prosperamos na vida somente se vivermos para os outros e através dos outros. O que nos falta, Deus deu a eles e eles podem nos completar lá onde nós formos necessitados. Eis por que devemos sempre estar abertos a reciprocidade. Thomas Merton Quando todos te abandonam Deus permanece contigo. Mahatman Gandy

7 SILVA, Luciano Maia e Silva, ESTRATÉGIAS DE MOTIVAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO, um estudo de caso na NASSAU MOTOS LTDA: Concessionária de Motocicletas Sundown, , Faculdade Sete de Setembro FASETE Paulo Afonso BA. RESUMO O presente trabalho monográfico vem através de estudos e pesquisas externas expor de forma clara e de fácil entendimento a importância e necessidade em se planejar e aplicar um programa de Qualidade de Vida no Trabalho eficaz, o que irá influenciar na eficiência dos colaboradores dos diversos setores da concessionária de motocicletas, a Nassau Motos LTDA. Já é do conhecimento que há algum tempo empresas vem se modificando estruturalmente e tecnologicamente para poder se manter no mercado, porém, no futuro as empresas vencedoras serão aquelas que estiverem no grau máximo de interatividade, entrelaçado, ou seja, em total comunhão envolvendo os colaboradores através de programas que os torne satisfeitos e saciados quanto as suas necessidades como também as empresas mantenham-se em crescimento. A metodologia trabalhada consiste em aplicação de questionários com os colaboradores de todos os setores e gestor, pesquisas bibliográficas em livros e também trabalhos onde abordam temas compreendidos que serviram como base para a elaboração, conclusão da pesquisa na empresa. Este trabalho monográfico tem como finalidade verificar através de análise junto a empresa trabalhada o grau de satisfação, conhecimento específico dos colaboradores em seus diferentes setores e sua eficiência. Desta forma, vale ressaltar o papel do líder em promover através de um projeto de clima organizacional, o bem-estar de sua equipe, ambiente agradável e organizado. Conclui-se que a empresa ciente em manter seus colaboradores atualizados profissionalmente e felizes com suas atividades vem se esforçando cada vez mais para executar com seriedade e firmeza suas obrigações e projetos favoráveis direcionado a toda sua equipe, no intuito em manter uma convivência harmônica e agradável entre todos. Palavras-chave: Planejar, Eficaz, Eficiência, Análise e Organizacional.

8 SILVA, Luciano Maya and Silva, STRATEGIES FOR MOTIVATING AND QUALITY OF LIFE AT WORK: A case study NASSAU MOTORCYCLES LTDA Concessionaire of Motorcycles Sundown, , Faculty Seven September FASETE Paulo Afonso BA. ABSTRACT This work monographic comes through studies and research external exhibit a clear and easy to understand the importance and necessity to plan and implement a program of quality of life at work effective, which will influence the efficiency of employees of different sectors of the concessionaire of motorcycles, Nassau Motorcycles LTDA. It is known that there is some time companies has changed structurally and technologically to remain in the market, however, in the future companies awarding shall be those that are the maximum degree of interactivity, interwoven, that is, in total communion involving the employees through programs which makes it satisfied and saciados as to their needs but also companies keep-in growth. The methodology worked consists in application of questionnaires with collaborators from all the sectors and manager, bibliographical research in books and also work where address issues included that served as a basis for the preparation, conclusion of the research in the company. This work monographic has to verify through analysis with the company worked the degree of satisfaction, specific knowledge of employees in their different sectors and their efficiency. In this way, it is worth highlighting the role of leader in promote a project of organizational climate, the well-being of its staff, pleasant and organised. Concludes-that the company aware keeping their collaborators updated professionally and happy with its activities is increasingly trying to implement seriously and firmness their obligations and projects favorable directed to all its staff, in order in maintaining harmonious coexistence among all and pleasant. Key words: Scheme, effective, efficiency, analysis and organizational.

9 LISTA DE ILUSTRAÇÕES LISTA DE QUADROS QUADRO 1 OBJETIVOS ORGANIZACIONAIS E OBJETIVOS INDIVIDUAIS...08 QUADRO 2 NECESSIDADES DE MASLOW E SUAS IMPLICAÇÕES QUADRO 3 CRITÉRIOS DE SATISFAÇÃO NO TRABALHO QUADRO 4 PROGRAMAS DE QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO QUADRO 5 CARGO QUE O COLABORADOR OCUPA NA EMPRESA QUADRO 6 - MELHORIAS NO AMBIENTE DE TRABALHO QUADRO 7 PRINCIPAIS SUGESTÕES SOLICITADAS LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA EMPRESA LISTA DE GRÁFICOS GRÁFICO 1 FAIXA ETÁRIA DOS COLABORADORES GRÁFICO 2 SEXO DOS COLABORADORES GRÁFICO 3 ESTADO CIVIL DOS COLABORADORES GRÁFICO 4 NÚMERO DE COLABORADORES QUE POSSUA FILHOS GRÁFICO 5 NÍVEL DE ESCOLARIDADE DOS COLABORADORES GRÁFICO 6 RENDA DO COLABORADOR NA EMPRESA GRÁFICO 7 NECESSIDADES DOS COLABORADORES GRÁFICO 8 VISÃO DE CRESCIMENTO DO COLABORADOR NO AMBIENTE DE TRABALHO GRÁFICO 9 SATISFAÇÃO DOS COLABORADORES NO AMBIENTE DE TRABALHO GRÁFICO 10 INSATISFAÇÃO DOS COLABORADORES NO AMBIENTE DE TRABALHO GRÁFICO 11 FATORES MOTIVACIONAIS E DESEMPENHO NO AMBIENTE DE TRABALHO... 47

10 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS QVT QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO QT QUALIDADE TOTAL AERH ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS RH RECURCOS HUMANOS PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE E MEDICINA OCUPACIONAL Norma ISO DIRETRIZES PARA TREINAMENTO GESTÃO DA QUALIDADE

11 SUMÁRIO Capítulo 1 Considerações iniciais Introdução Definição do Problema Justificativa Objetivos: Geral e Específicos Estrutura da monografia Capítulo 2 Fundamentação Teórica Gestão de Pessoas Clima Organizacional Motivação Programas de Qualidade de Vida no Trabalho Capítulo 3 Metodologia Procedimento Metodológico Capítulo 4 Análise dos dados e resultado Caracterização da empresa Análise dos resultados Capítulo 5 - Considerações finais Conclusão Limitações da pesquisa Sugestões para futuras pesquisas Referências Apêndice Anexo... 66

12 1 CAPÍTULO 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

13 2 1.1 Introdução O referido estudo de caso trata da importância em se realizar uma estratégia na qualidade de vida no trabalho, gerando motivação, satisfação dos colaboradores e proporcionando resultados positivos para a empresa. Na busca incessante em fidelizar um número cada vez maior de clientes fortalecendo e fixando no mercado em que atua, é de fundamental importância que seja aplicada as estratégias que envolvam o bem-estar do colaborador. Para atender ao cliente externo, não se deve esquecer o cliente interno. Para conseguir satisfazer ao cliente externo, as organizações precisam antes satisfazer a seus funcionários responsáveis pelo produto ou serviço oferecido. A gestão da qualidade total em uma organização depende fundamentalmente da otimização do potencial humano e isto depende de quão bem se sentem às pessoas trabalhando dentro da organização. Bem aplicada e utilizada a estratégia de motivação busca mostrar claramente todos os resultados exigidos por ela com o intuito em obter informações quanto a sua viabilidade de investimento e ou lucratividade relacionada à empresa. Satisfazendo as necessidades dos colaboradores, maximizando o lucro e alcançando as metas desejadas. Desta forma, reforçando a importância quanto ao relacionamento entre empresa e funcionário, devendo ser uma relação de troca. A empresa precisa corresponder às expectativas de seu colaborador para que este corresponda às expectativas da empresa. É uma espécie de mercado interno, no qual o funcionário assume o papel de cliente. Portanto, é fundamental conhecer seus desejos e dar-lhe condições de satisfazê-los. (TAKESHY, 2001, p.243). É notório que hoje em dia o atendimento é um dos fatores que garante a empresa uma identidade e virou uma estratégia que é praticamente impossível de se copiar, ou seja, se tornou um grande diferencial competitivo. Diante disto, é imprescindível que o colaborador esteja a par de todas as informações no que diz respeito aos produtos disponíveis na empresa colocados à venda. Os programas de Qualidade de Vida no Trabalho têm como objetivo criar uma organização mais humanizada, mediante maior grau de responsabilidade e de autonomia no trabalho, recebimento mais constante de feedback sobre o

14 3 desempenho, maior variedade e adequação de tarefas e ênfase no desenvolvimento pessoal do indivíduo. Buscando obter através de programas eficazes um maior comprometimento das pessoas para os programas de qualidade total, já que favorecem o envolvimento dos empregados nas decisões que influenciam suas áreas de trabalho. 1.2 Definição do Problema Diante da necessidade em se manter no mercado e obstáculos encontrados pela empresa, no que diz respeito à forte concorrência e competitividade existente entre os que atuam no mesmo ramo e a constatação de que no mercado nos dias atuais, se faz necessária em que se tenha realizado uma estratégia de motivação, fazendo com que seja proporcionado uma Qualidade de Vida no Trabalho na empresa, alcançando suas metas, enraizando no mercado e atingindo o público alvo escolhido. É no trabalho que grande parte da vida é passada e, para a maioria dos indivíduos, trabalhar não é uma opção, mas sim uma necessidade. No contexto em que vivemos, o trabalho passa a ser fundamental, à medida que se configura como forma de garantia de subsistência no contexto de mercado. Mesmo que alguns autores questionem a importância do trabalho na sociedade atual, ainda vivemos em uma sociedade que depende do trabalho para a construção de bens. Os estudos de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) são, levando-se em conta essas considerações, uma forma de se compreender o processo do trabalho e seus impactos na vida do empregado, tanto no lado profissional - quer seja pela produtividade, absenteísmo, rotatividade de pessoal (turnover) - quanto no lado pessoal - doenças, insatisfação, conflitos internos dentre outros. É imprescindível dizer-lhe que o trabalho seja qual for, é importante para alcançar os resultados globais planejados pela empresa. Pressupõe, igualmente, a delegação de responsabilidades e o achatamento da pirâmide hierárquica. Numa estrutura tradicional, as decisões estão concentradas nas mãos de poucas pessoas: as que compõem a alta gerência da empresa e que na grande maioria das vezes estão bem longe do público e de suas necessidades imediatas. O que foi escrito e encontrado como problemática, servirá para discorrer na busca de uma solução coerente e eficaz. Dentre os motivos mais freqüentes, pode-

15 4 se destacar, falta de atenção devida ao cliente, falta de total conhecimento, baixo estímulo, ou seja, suas expectativas não foram atendidas em níveis desejados. Assim, observado a necessidade de investigar acerca dos motivos que provocam a ineficiência. Questiona-se: * Quais as necessidades do funcionário e as expectativas organizacionais diante das mudanças exigidas no mercado competitivo? * Como gerar comprometimento (motivação) e qualidade de vida no trabalho na gestão de pessoas? 1.3 Justificativa O referido projeto monográfico tem grande importância para a NASSAU MOTOS LTDA, tendo em vista obter maiores resultados nas vendas, no atendimento direto ao cliente, no atendimento pós-venda, na satisfação dos colaboradores e na ampliação da marca. Com a utilização periódica das estratégias de motivação, espera-se obter resultados importantes para as empresas que não só percebam más que desejam alcançar no cenário ao qual atuam, ciente da importância destas informações o crescimento e destaque profissional. A empresa que atua no ramo de vendas de motocicletas, deseja com os resultados obtidos com esse projeto de pesquisa, resolver possíveis problemas, viabilizar e tornar cada vez mais eficiente a sua atuação e oferta. Qualidade de vida no trabalho (QVT) é o conjunto das ações de uma empresa que envolve a implantação de melhorias e avanços gerenciais e tecnologias no ambiente de trabalho. A construção da qualidade de vida no trabalho ocorre a partir do momento em que se olha a empresa e as pessoas como um todo, o que chamamos de enfoque biopsicossocial. O posicionamento biopsicossocial representa a fator diferencial para a realização de diagnóstico, campanhas, criação de serviços e implantação de projetos voltados para a preservação e desenvolvimento das pessoas, durante o trabalho na empresa. E com esta

16 5 aplicação, espera solucionar problemas internos e tornar motivados todos os colaboradores. Finalizado as deficiências encontradas na empresa, ou ao menos as minimizado, servirá para que a empresa obtenha resultados satisfatórios com relação a sua aceitação e tenha sucesso em seu aumento de vendas dos seus produtos, aumento de sua clientela, colaboradores eficientes e eficazes. Aguarda-se com a utilização das estratégias mencionadas de pesquisa que venham a ocorrer faturamentos em reais considerados positivos para a empresa e a absorção de prováveis problemas detectados através de uma excelente aplicação quanto à qualidade de vida no trabalho e alcançando as metas já esperadas. O tema proposto foi definido pelo motivo do desalinhamento de expectativas e necessidades entre os funcionários e gestão da NASSAU MOTOS LTDA, assim têm como conseqüência a desmotivação dos funcionários e a falta de diretriz da gestão. Como exemplo, temos o desconhecimento dos produtos e falta de fardamento por parte dos funcionários, e a não visão sistêmica por parte da gestão da empresa. Como a empresa NASSAU MOTOS LTDA atua a pouco tempo no mercado regional necessita obter tais informações que possa proporcionar conforto, satisfação, reconhecimento, empenho cada vez maior e possibilidades de crescimento ao colaborador. A segurança, estabilidade e visão ampliada sobre a atuação da gestão para com seus clientes, envolvendo a forma de tratamento em seu clima organizacional. 1.4 Objetivos Através dos objetivos, o estudo de caso em questão mostrará os itens a serem abordados e conseqüentemente respondidos ao término da pesquisa Objetivo Geral * Analisar as necessidades dos colaboradores e da organização, visando estratégias de motivação e qualidade de vida no trabalho Objetivos Específicos * Pesquisar clima organizacional na empresa em estudo.

17 6 * Analisar motivação e necessidade dos colaboradores. * Relacionar programa QVT e eficiência com a necessidade da empresa. * Descriminar estratégia de motivação na gestão de pessoas. 1.5 Estrutura da Monografia A estrutura do presente trabalho monográfico é constituída por cinco capítulos, descritos e resumidos a seguir: O primeiro capítulo apresenta as considerações iniciais, onde aborda como tema Qualidade de vida no trabalho e Eficiência no setor operacional envolvendo obrigatoriamente o clima organizacional, na empresa Nassau Motos LTDA, definições do problema a ser manipulado na referida pesquisa, as justificativas em informar de como? Por quê? Para quê? A sua importância, seus benefícios, objetivos gerais e específicos do tema em questão. No segundo capítulo que é o referencial teórico, serve como conhecimento fundamental quanto a credibilidade do tema estudado, o que reforça o instrumento em questão como balizador do presente trabalho. O que vem a facilitar a formulação de hipóteses e a fornecer os elementos para a interpretação dos dados. No terceiro capítulo é composto pela metodologia na qual proporciona métodos lógicos a serem elaborados e seguidos de forma segura com o objetivo de coletar informações. No quarto capítulo análise dos dados e resultado, estão descrito as características da empresa como também o seu organograma, visão, missão e as análises já tabuladas juntamente com algumas figuras. O quinto capítulo é composto pelas considerações finais dentre elas, a conclusão que se dá após todo o estudo, limitações da pesquisa e sugestões para futuras pesquisas.

18 7 CAPÍTULO 2 REFERENCIAL TEÓRICO

19 Gestão de Pessoas O contexto em que se situa a Gestão de Pessoas é representado pelas organizações e pelas pessoas. Em resumo, as organizações são constituídas e dependem delas para atingir seus objetivos e cumprir suas missões. E para as pessoas, as organizações constituem o meio pelo qual elas podem alcançar vários objetivos pessoais com um mínimo de tempo, esforço e conflito. Muitos dos objetivos pessoais jamais poderiam ser alcançados apenas por meio de esforço pessoal isolado. As organizações surgem para aproveitar a sinergia dos esforços de várias pessoas que trabalham em conjunto. Sem organizações e sem pessoas, certamente não haveria a Gestão de Pessoas. A empregabilidade e empresabilidade são usados para mostrar, de um lado, a capacidade das pessoas de conquistar e manter seus empregos e, de outro, a capacidade das empresas para desenvolver e utilizar as habilidades intelectuais e competitivas de seus membros. Quadro 1: Objetivos Organizacionais e Objetivos Individuais. Objetivos Organizacionais Sobrevivência Crescimento Sustentado Lucratividade Produtividade Qualidade nos Produtos/Serviços Redução de Custos Participação no Mercado Novos Mercados Novos Clientes Competitividade Imagem no Mercado Objetivos Individuais Melhores Salários Melhores Benefícios Estabilidade no Emprego Segurança no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho Satisfação no Trabalho Consideração e Respeito Oportunidades de Crescimento Liberdade para Trabalhar Liderança Liberal Orgulho da organização Fonte: Idalberto Chiavenato (1999, p. 5) Segundo Chiavenato (1999, p. 6) A Gestão de Pessoas é uma área muito sensível a mentalidade que predomina nas organizações, de forma contingencial e situacional, pois depende de vários aspectos como a cultura que existe em cada

20 9 organização, a estrutura organizacional adotada, as características do contexto ambiental, o negócio da organização, a tecnologia utilizada, os processos internos e uma infinidade de outras variáveis importantes. A importância quanto a satisfação de empresa - colaborador e colaborador empresa, quanto ao envolvimento participativo visando o interesse mutuo. Por tanto, através dos objetivos mencionados anteriormente, cabe unicamente ao gestor inserir propostas que atendam as necessidades individuais, o que influenciará nos objetivos organizacionais. Ou seja, a empresa oferece condições satisfatórias ao colaborador e de contra partida, no mínimo espera-se atingir sua meta, para depois superá-la Clima Organizacional O clima organizacional é o ambiente interno de uma empresa em que convivem os membros da organização que por sua vez, influencia no comportamento humano. Estando, portanto relacionado com o seu grau de satisfação e motivação, desta forma, o clima organizacional é favorável a partir do momento que possibilita a satisfação e necessidades pessoais serem atendidas, e desfavorável quando as mesmas são frustradas. Algumas empresas concedem a seus empregados outros benefícios além dos atualmente conhecidos e aplicados por boa parte das empresas, como seguro de vida, vale alimentação, plano de saúde e vale transporte, além de contribuírem para a melhoria do clima organizacional, tais benefícios inovadores podem constituir em uma eficaz estratégia quanto a contratação de mão de obra através de seleção, recrutamento e obtenção de novos talentos com a forma aplicada. É de inteira responsabilidade e total interesse da empresa que se realize periodicamente pesquisa junto aos funcionários, com o objetivo de conhecer através de uma avaliação o perfil sócio-econômico, seu grau de motivação, satisfação e integração do funcionário. Sendo fundamental para o setor de Recursos Humanos da empresa, de posse de tais informações poderá dar o apoio necessário e fazê-los sentir-se seguros. (CHIAVENATO, 2001, p. 240). Oliveira apud Takeshy (2001, p. 239), tal clima jamais é algo claramente definido. Ao contrário, é difuso, incorpóreo, como uma espécie de fantasma que se manifesta no dia-a-dia das organizações, numa confusa trama de ações, reações e

21 10 sentimentos jamais explicados. O clima também já foi comparado a um perfume cujo cheiro se pode sentir mesmo sem conhecer os seus ingredientes, embora não seja impossível identificar alguns deles. Enquanto a cultura organizacional se mantém durante toda a existência de uma empresa ou, pelo menos, durante parte dela, apontando os caminhos a serem seguidos em determinadas etapas, os climas organizacionais se modifica conjunturalmente. Os momentos por que passam as organizações em face das dificuldades do mercado e das muitas crises que o país atravessa e a adoção de modernas tecnologias que dispensam pessoas, a contenção nas políticas de salários e benefícios, o aumento de exigências aos empregados, todos esses são fatores que podem alterar o clima de uma organização e comprometer seus resultados. Por tanto, o clima organizacional pode ser definido como o grau de satisfação demonstrado pelos membros de uma organização na qual a motivação é fator fundamental para a realização dos trabalhos. A maioria das organizações se preocupa em aferir periodicamente o seu clima, pois sabe que, dependendo de como este se apresenta, o trabalho pode ficar prejudicado, as relações interpessoais comprometidas e os resultados aquém dar expectativas. A pesquisa de clima organizacional deve abordar: a) Entendimento da missão; b) Crenças e valores; c) Chefia e liderança; d) Relações interpessoais; e) Salários e benefícios. A avaliação desses elementos deve ser vista como um importante instrumento estratégico para o planejamento eficaz das organizações. A pesquisa de clima busca fornecer informações sobre a atitude do público interno com relação à organização, suas expectativas, sua integração num determinado contexto. Portanto, o estudo do clima organizacional é também um instrumento de avaliação do modelo de gestão e da política de desenvolvimento organizacional.

22 11 Podemos estabelecer o seguinte rol de objetivos para uma pesquisa de clima organizacional: a) Estudar a cultura organizacional da empresa; b) Avaliar a imagem que os empregados fazem da empresa, de sua missão e de seus objetivos; c) Medir o grau de satisfação dos empregados com os diferentes aspectos da organização; d) Analisar os padrões de motivação e satisfação, bem como as necessidades e expectativas dos empregados; e) Verificar se existe integração entre os objetivos dos empregados e os objetivos da organização; f) Verificar se existe correlação entre a satisfação na organização e a oferta do composto de benefícios e serviços; g) Verificar o nível de integração entre as áreas/departamentos; h) Estudar as relações funcionais entre os empregados; i) Analisar os padrões de produtividade; j) Medir o grau de envolvimento dos empregados com suas tarefas e responsabilidades, com os clientes e com os agentes internos e externos. (TAKESHY et al, 2001, p.242) O endomarketing ou marketing interno é uma nova disciplina que atua na fronteira entre o marketing e a administração de pessoal, procurando orientar as ações de marketing para a própria organização. Trata-se de educar, treinar e desenvolver os seus empregados. Ao implementar um programa de endomarketing, a organização passa a utilizar internamente o instrumento que os profissionais de marketing utilizam para identificar e satisfazer as necessidades dos clientes. Ou seja, nesse caso, os empregados são vistos como clientes internos. Mattos apud Takeshy (2001, p. 242). O objetivo principal do endomarketing é fazer com que todos trabalhem sintonizados com o objetivo final da organização (a satisfação do cliente), pois daí que resultará a sinergia organizacional. É preciso fazer com que as pessoas se identifiquem com a marca escolhida, e para isso é fundamental que os colaboradores gostem de trabalhar na organização,

23 12 pois, assim como a marca, eles constituem um ativo muito valioso. Deles emanam a criatividade e o talento. É neles que se concentra o principal recurso para a criação de riquezas: o conhecimento. Mas essa coesão interna só será possível se todo funcionário for valorizado como profissional e como pessoa. Só assim ele realmente se comprometerá com os objetivos traçados Motivação Com relação à importância da motivação, o mundo está cada vez mais competitivo nos negócios e exige altos níveis de motivação das pessoas. Empregados motivados para realizar seu trabalho, tanto individualmente como em grupo, tendem a proporcionar melhores resultados. A motivação pode ser entendida como o principal combustível para a produtividade da empresa. Motivar os empregados é certamente uma difícil missão para os gestores em geral. O processo motivacional é demasiado complexo para ser explicado por uma única teoria. Além das conhecidas abordagens clássicas, têm surgido outras que podem ajudar a compreender melhor o tema. Certamente não há uma fórmula para se obter a motivação e o comprometimento. Todavia, um fato que parece revestir-se de grande importância é a qualidade da liderança exercida. Segundo Kondo (1994), os líderes devem ter um sonho, uma visão capaz de motivar a si próprios e sua equipe. Para Robbins e Finley (1997), o gerente deve incentivar a criatividade e nunca se acomodar, buscando sempre a evolução. A motivação resultaria da difusão de uma visão comum, um pensamento que possa arder na mente e nos corações da equipe, dando-lhe uma razão de ser. ( TAKESHY et al, 2001, p. 245). A valorização humana deve ser vista como o objetivo principal das empresas. A satisfação dos clientes só se torna possível com empregados satisfeitos, a inadequação dos sistemas e rotina de trabalho adotado pela maioria das organizações, os quais favorecem a desmotivação, e não o entusiasmo pelo trabalho. Motta apud Takeshy Tachizawa (2001, p. 247), defende a participação como meio eficaz de gerar motivação. A seu ver, é preciso acabar com a repressão organizacional, que produz funcionários alienados, amedrontados e submissos. A participação mobiliza a inteligência da empresa e valoriza o potencial das pessoas,

24 13 permitindo-lhes expressar suas idéias e emoções, desenvolverem relações pessoais e organizacionais mais autênticas e tornarem-se profissionais mais autônomos e competentes. As empresas estão valorizando cada vez mais o comprometimento das pessoas. Os colaboradores comprometidos é que vêm sendo convocados para fazer parte das soluções e é exatamente neles, que as empresas mais tendem a investir. A motivação, por sua vez, é a chave do comprometimento. É muito mais fácil para as empresas conseguirem pessoas competentes do que comprometidas. Por isso, identificar fatores capazes de promover a motivação dos empregados e dominar as técnicas adequadas para trabalhar com ela vem-se tornando tarefa das mais importantes para os gerentes. Motivação é a força que estimula as pessoas a agir. No passado, acreditavase que esta força era determinada principalmente pela ação de outras pessoas, como pais, professores ou chefes. Hoje, sabe-se que a motivação tem sempre origem numa necessidade. Assim, cada um de nós dispõe de motivações próprias geradas por necessidades distintas e não se pode, a rigor, afirmar que uma pessoa seja capaz de motivar outra. Valores Intrínsecos e Extrínsecos Um plano de benefícios pode atender a dois tipos de necessidades dos indivíduos: Necessidades Intrínsecas Necessidades Extrínsecas Necessidades Intrínsecas Necessidades intrínsecas são as endógenas, que nascem e florescem no interior do indivíduo e são, em geral, de caráter psicológico. Por exemplo: necessidades sociais, de relacionamento, de status etc., e podem ser supridos pela organização graças a políticas sociais, valores culturais, práticas gerenciais e outras formas que privilegiem o atendimento desse tipo de necessidade de acordo com a tipicidade do ambiente, o momento vivido pela empresa e a intensidade das necessidades sentidas.

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Visão estratégica Visão estratégica está relacionada com alcançar os objetivos empresariais. Considera: Tipos psicológicos, Motivação:

Leia mais

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL Daniele Cristine Viana da Silva 1 Maria José Vencerlau 2 Regiane da Silva Rodrigues 3 André Rodrigues da Silva 4 Fábio Fernandes 5 RESUMO O Artigo Científico tem

Leia mais

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG 1. Introdução 2. Maslow e a Hierarquia das necessidades 3. Teoria dos dois Fatores de Herzberg 1. Introdução Sabemos que considerar as atitudes e valores dos

Leia mais

Motivação. O que é motivação?

Motivação. O que é motivação? Motivação A motivação representa um fator de sobrevivência para as organizações, pois hoje é um dos meios mais eficazes para atingir objetivos e metas. Além de as pessoas possuírem conhecimento, habilidades

Leia mais

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT Andréia Lopes Graduanda em Administração UNISALESIANO Lins azdeia@yahoo.com.br Jessica

Leia mais

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$!

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$! FOZDOIGUAÇU,2015 XXVIENANGRAD A CONTRIBUIÇÃO DOS FATORES MOTIVACIONAIS PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES ANDREA FERREIRA DA COSTA rafaela modolo de pinho EDINALVA DELL ARMI MAROTTO ACONTRIBUIÇÃODOSFATORESMOTIVACIONAISPARAOSUCESSODASORGANIZAÇÕES

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Motivação para o Desempenho Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Heitor Duarte asbornyduarte@hotmail.com Márcio Almeida marciobalmeid@yahoo.com.br Paulo F Mascarenhas

Leia mais

5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS

5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Campus de Poços de Caldas 5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS 2º Per. Administração: 5.3. Alessandra Valim Ribeiro Cristiane Moreira de Oliveira Denise Helena

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Teorias Contemporâneas

Teorias Contemporâneas Teorias Contemporâneas 1-Teoria ERG 2-Teoria das Necessidades, de McClelland 3-Teoria da Avaliação Cognitiva 4-Teoria da Fixação dos Objetivos 5-Teoria do Reforço 6-Teoria da Equidade 7-Teoria da Expectativa

Leia mais

A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS

A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS GOMES, Elaine Dias. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG. E-mail: elaineapoderosa@hotmail.com

Leia mais

11. Abordagem Comportamental

11. Abordagem Comportamental 11. Abordagem Comportamental Conteúdo 1. Behaviorismo 2. Novas Proposições sobre a Motivação Humana 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow 4. Teoria dos dois fatores 5. Teoria X & Y de McGregor 6. Outros

Leia mais

Clima organizacional e o desempenho das empresas

Clima organizacional e o desempenho das empresas Clima organizacional e o desempenho das empresas Juliana Sevilha Gonçalves de Oliveira (UNIP/FÊNIX/UNESP) - jsgo74@uol.com.br Mauro Campello (MC Serviços e Treinamento) - mcampello@yahoo.com Resumo Com

Leia mais

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA DISCIPLINA: MOTIVACAO E ETICA LIDERAR PESSOAS ATRAVÉS DA MOTIVAÇÃO Por que as pessoas se comportam de certos modos? Liderar - é o processo de dirigir e influenciar as

Leia mais

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações Prof Rodrigo Legrazie Escola Neoclássica Conceitua o trabalho como atividade social. Os trabalhadores precisam muito mais de ambiente adequado e

Leia mais

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381 GESTÃO DE PESSOAS APLICADA ÀS UNIDADES DE INFORMAÇÃO 1 Mailza Paulino de Brito e Silva Souza 2 Sandra Pontual da Silva 3 Sara Sunaria Almeida da Silva Xavier 4 Orientadora: Profª M.Sc. Luciana Moreira

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Qualidade de Vida no Trabalho O conceito de QVT é muito abrangente, e precisa ser definido com clareza, uma vez que as posições profissionais dos trabalhadores dentro de uma organização

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS?

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? Ana Carolina Gimenes Figueiredo Graduanda em Administração - Universidade

Leia mais

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO Considerando que o ser humano é formado por características de personalidade únicas e complexas, o seu comportamento no trabalho e em outros lugares,

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO PLANALTO CENTRAL Aprovadas pela Portaria SESu/MEC Nº. 368/08 (DOU 20/05/2008) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA

Leia mais

Noções de Liderança e Motivação

Noções de Liderança e Motivação Liderança A questão da liderança pode ser abordada de inúmeras formas: Liderança e Poder (recursos do poder) Liderança e Dominação (teorias da dominação legítima de Max Weber) Líder pela tradição Líder

Leia mais

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO ESTRATÉGIAS DE REMUNERAÇÃO REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA É O USO INTELIGENTE DAS VÁRIAS FORMAS DE REMUNERAÇÃO, CUJO CONJUNTO ESTABELECE UM FORTE VÍNCULO COM A NOVA REALIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

Leia mais

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENVOLVIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS X CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. -

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Motivação: uma viagem ao centro do conceito

Motivação: uma viagem ao centro do conceito FATOR HUMANO Motivação: uma viagem ao centro do conceito Muitos executivos ainda acreditam que é possível gerar motivação condicionando os comportamentos por meio de prêmios e punições. Mas a verdadeira

Leia mais

CURSO DE PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

CURSO DE PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL CURSO DE PSICOLOGIA DATA: 24/05\2013 Professor: Ricardo Costa e Silva Graduado em Administração e Pequenas e Médias Empresas e Especialista em Gestão Escolar. PSICOLOGIA 2º ENCONTRO TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO Atualizado em 11/01/2016 MOTIVAÇÃO Estar motivado é visto como uma condição necessária para que um trabalhador entregue um desempenho superior. Naturalmente, como a motivação

Leia mais

Qualidade de Vida no Trabalho

Qualidade de Vida no Trabalho 1 Qualidade de Vida no Trabalho Alessandra Cristina Rubio¹ Thiago Silva Guimarães² Simone Cristina Fernandes Naves³ RESUMO O presente artigo tem como tema central a Qualidade de Vida no Trabalho, com um

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações O RH nesses 20 anos Tático, político e de políticas Desdobrador da estratégia Influenciador da estratégia e da operação Consultor e assessor para

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 2 Professora: Zeila Susan Keli Silva 2º semestre 2012 1 Contexto Economia globalizada; Mudanças contextuais; Alto nível de complexidade do ambiente; Descoberta da ineficiência dos

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA

A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL LTDA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A GESTÃO DE PESSOAS NA ÁREA DE FOMENTO MERCANTIL: UM ESTUDO DE CASO NA IGUANA FACTORING FOMENTO MERCANTIL

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 14: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E RELAÇÕES SINDICAIS 14.1 O processo de segurança e qualidade de vida O processo de segurança é o que visa estabelecer disciplina e segurança,

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida)

L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida) L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida) Liderança é inata? Abordagem Genética - Antigamente acreditava-se que o indivíduo nascia com características, aptidões e valores próprios de um líder. Na moderna

Leia mais

LIDERANÇA DA NOVA ERA

LIDERANÇA DA NOVA ERA LIDERANÇA DA NOVA ERA Liderança da Nova Era Liderança é a realização de metas por meio da direção de colaboradores. A liderança ocorre quando há lideres que induzem seguidores a realizar certos objetivos

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA

O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA Ana Priscila da Silva Vieira 1 Elizabete Rodrigues de Oliveira 2 Tatiana Nogueira Dias 3 Élcio Aloisio Fragoso 4 Edson Leite Gimenez 5 RESUMO

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO Jéssica da Silva¹ Paola Faustino da Silva Cavalheiro¹ Rosane Hepp Ma²

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO Jéssica da Silva¹ Paola Faustino da Silva Cavalheiro¹ Rosane Hepp Ma² QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO Jéssica da Silva¹ Paola Faustino da Silva Cavalheiro¹ Rosane Hepp Ma² RESUMO A busca constante da produtividade, do foco e

Leia mais

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO:

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO: Fichamento / /2011 MOTIVAÇÃO Carga horária 2 HORAS CONCEITO: É o desejo de exercer um alto nível de esforço direcionado a objetivos organizacionais, condicionados pela habilidade do esforço em satisfazer

Leia mais

MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM

MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM Viviane Oliveira 2 Resumo A motivação é o impulso que leva

Leia mais

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT.

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. 1 NATÁLIA SALVADEGO, 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel em Engenheira Florestal (UNEMAT) e Estudante

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline de Oliveira Rocha 4

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira Cargos e suas estruturas são hoje um tema complexo, com várias leituras e diferentes entendimentos. Drucker (1999, p.21) aponta que, na nova sociedade do conhecimento, a estrutura

Leia mais

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias Evolução da Administração e as Escolas Clássicas Anteriormente XVIII XIX 1895-1911 1916 1930 Tempo

Leia mais

Capítulo 16 - Motivação

Capítulo 16 - Motivação Capítulo 16 - Motivação Objetivos de aprendizagem Após estudar este capítulo, você deverá estar capacitado para: Definir o processo motivacional. Descrever a hierarquia das necessidades humanas. Diferenciar

Leia mais

Qual a Melhor Empresa para se Trabalhar?

Qual a Melhor Empresa para se Trabalhar? Qual a Melhor Empresa para se Trabalhar? Angélica Adriani Nunes de Moraes 1 Denise Aparecida Ferreira Patrícia Karla Barbosa Pereira Maria Eliza Zandarim 2 Palavras-chave: Empresa, motivação, equipe. Resumo

Leia mais

Motivação e a Atividade de Relações Públicas Ana Cristina Woicickoski

Motivação e a Atividade de Relações Públicas Ana Cristina Woicickoski 1 Motivação e a Atividade de Relações Públicas Ana Cristina Woicickoski Resumo O presente artigo pretende demonstrar que a motivação é complexa, mas ao mesmo tempo necessária em todos os momentos da vida

Leia mais

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1 Página 1 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL As pessoas que supervisionam as atividades das outras e que são responsáveis pelo alcance dos objetivos nessas organizações são os administradores. Eles tomam decisões,

Leia mais

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação em Gestão de Projetos - Turma 150 Agosto/2015 Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Lucas Rossi Analista de Negócios lucasrossi_@hotmail.com

Leia mais

Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho

Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho Concurso Público 2015 Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho Questão 1 a) Para Walton, QVT refere-se a valores ambientais e humanos, negligenciados pelas sociedades industriais

Leia mais

Auditoria Interna na gestão de pessoas: identificação de pontos fortes e fracos na política de recursos humanos

Auditoria Interna na gestão de pessoas: identificação de pontos fortes e fracos na política de recursos humanos Auditoria Interna na gestão de pessoas: identificação de pontos fortes e fracos na política de recursos humanos Letícia Baggio (UTFPR) leticia@uniao.edu.br Isaura Alberton de Lima, Dra (UTFPR) alberton@utfpr.edu.br

Leia mais

TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php. Eduardo Varela

TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php. Eduardo Varela TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php Eduardo Varela 1 Turnover Voluntário Uma breve análise dos estímulos www.factor9.com.br/educacional.php Turnover

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS. Elyane Kadur Deniz Cappi 1. Luiz Carlos Villa Gimenis. Introdução:

GESTÃO DE PESSOAS. Elyane Kadur Deniz Cappi 1. Luiz Carlos Villa Gimenis. Introdução: GESTÃO DE PESSOAS Elyane Kadur Deniz Cappi 1 Luiz Carlos Villa Gimenis Introdução: Esta pesquisa pretende mostrar um pouco sobre Gestão de Pessoas, um assunto tão em evidência: os conflitos que surgem

Leia mais

TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL.

TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL. TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL. André Murilo de Souza Cavalcante Resumo: Este artigo estuda as etapas do treinamento e suas características, Desta maneira, o

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NOME DA EMPRESA A pesquisa foi desenvolvida e aplicada pela PERSPECTIVA Consultores Associados. Coordenador Interno: Ricardo Lezana

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ROSANGELA APARECIDA PEREIRA

FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ROSANGELA APARECIDA PEREIRA FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ROSANGELA APARECIDA PEREIRA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO: ESTUDO SOBRE OS ESTILOS DE LIDERANÇA E O QUE ELES INFLUENCIAM A MOTIVAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA SKYLACK

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA SKYLACK QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA SKYLACK Jéssica Fernanda Torres 1 Larissa Custódio Grosseli 2 Solange Suffi Barbosa 3 Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO A qualidade de vida no

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE Teorias Motivacionais (Cespe / Detran 2009) Julgue os itens a seguir, acerca de motivação e satisfação no trabalho. 1)

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO ISSN 1984-9354 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO JAQUELINE ARAUJO DOS SANTOS (LATEC / UFF) Resumo: Os temas relacionados à qualidade de vida no trabalho estão cada vez mais sendo objeto de estudo e presentes

Leia mais

A importância do RH na empresa

A importância do RH na empresa A importância do RH na empresa O modo pelo qual seus funcionários se sentem é o modo pelo qual os seus clientes irão se sentir." Karl Albrecht Infelizmente, muitas empresas ainda simplificam o RH à função

Leia mais

Processos de Recursos Humanos

Processos de Recursos Humanos Gestão Integrada RH Recursos Humanos Unida 2 Rosemeri da Silva Paixão Recursos Humanos 28 Gestão Integrada RH Sumário Introdução... 30 Objetivos... 31 Estrutura da Unida... 31 UNIDADE 2: Recursos Humanos

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG Wemerton Luis EVANGELISTA()*; Franciele Ribeiro DA COSTA (2). () Professor do Curso Superior de Tecnologia em Administração: Pequenas e

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Unidade II GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade II GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade II GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Gestão de Pessoas Conjunto de métodos, políticas,técnicas e práticas definidos com o objetivo de orientar o comportamento humano

Leia mais

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL 1.Osnei FranciscoAlves 2. Jéssica Barros 1. Professor das Faculdades Integradas Santa Cruz. Administrador, MBA Executivo em Gestão de Pessoas e

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis - SEPesq PLANO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TALENTOS E LIDERANÇAS EM UMA COOPERATIVA DE ELETRIFICAÇÃO RURAL Aline Regina Bohn Bacharela em Administração Faculdade Três de Maio SETREM E-mail: aline.bohn@yahoo.com.br

Leia mais

CRESCIMENTO PROFISSONAL Um Estudo de Caso na Cobra Metais Decorativo

CRESCIMENTO PROFISSONAL Um Estudo de Caso na Cobra Metais Decorativo CRESCIMENTO PROFISSONAL Um Estudo de Caso na Cobra Metais Decorativo ANDRÉ LUIS ZUCCULIN CAMILA APARECIDA SOARES DA SILVA EDMAR CAVALCANTE DA SILVA PAULO HENRIQUE RODRIGUES EDSON LEITE LOPES GIMENEZ RESUMO

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES. CARDOSO, Sandra Regina 1. BERVIQUE, Janete de Aguirre 2

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES. CARDOSO, Sandra Regina 1. BERVIQUE, Janete de Aguirre 2 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES CARDOSO, Sandra Regina 1 BERVIQUE, Janete de Aguirre 2 RESUMO Este artigo tem por finalidade apresentar fatores que influenciam na qualidade de

Leia mais

CLIMA ORGANIZACIONAL NA EMPRESA ALFA REALIDADE PERCEBIDA PELOS LÍDERES 1 RESUMO

CLIMA ORGANIZACIONAL NA EMPRESA ALFA REALIDADE PERCEBIDA PELOS LÍDERES 1 RESUMO CLIMA ORGANIZACIONAL NA EMPRESA ALFA REALIDADE PERCEBIDA PELOS LÍDERES 1 ÁVILA, Gabrielle Loureira de 2 ; MAGGIONI, Márcia Bandeira Landerdahl 3 ; 1 Trabalho de Pesquisa_FAMES 2 Acadêmica de Administração

Leia mais

Concurso: ATPS MPOG Aula 1. Turma 01 LEONARDO FERREIRA

Concurso: ATPS MPOG Aula 1. Turma 01 LEONARDO FERREIRA Concurso: ATPS MPOG Aula 1 Turma 01 LEONARDO FERREIRA Gestão de Pessoas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Teorias da motivação. Motivação e recompensas intrínsecas e extrínsecas. Motivação e contrato psicológico.

Leia mais

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho Glaucia Falcone Fonseca O que é um excelente lugar para se trabalhar? A fim de compreender o fenômeno dos excelentes locais de trabalho, devemos primeiro considerar o que as pessoas falam sobre a experiência

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

Motivação e liderança: um trabalho em equipe nas organizações

Motivação e liderança: um trabalho em equipe nas organizações Motivação e liderança: um trabalho em equipe nas organizações Marcelo Augusto Loenert 1 Introdução As práticas de motivação e liderança estão sendo cada vez mais aplicadas nas organizações. Várias mudanças

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

Clima Organizacional. Como mensurar e melhorar

Clima Organizacional. Como mensurar e melhorar Clima Organizacional Como mensurar e melhorar Índice Clique para navegar pelo material Capítulo 1 O que é o Clima Organizacional Capítulo 2 Clima Organizacional x Cultura Organizacional Capítulo 3 O impacto

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

GABARITO OFICIAL(preliminar)

GABARITO OFICIAL(preliminar) QUESTÃO RESPOSTA COMENTÁRIO E(OU) REMISSÃO LEGAL 051 A 052 A 053 A RECURSO Recrutar faz parte do processo de AGREGAR OU SUPRIR PESSOAS e é o ato de atrair candidatos para uma vaga (provisão). Treinar faz

Leia mais

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização Motivação e Satisfação no Trabalho Aula 1 Profa. Adriana Straube Organização da Aula Equívocos sobre Motivação e Recompensas Teorias da Motivação Técnicas de Motivação Papel da Gerência Como adquirir motivação?

Leia mais

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S Marcos Henrique Pazini (Pós-Graduado da UNICENTRO), Sílvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais