Governo do Estado do Pará Secretaria Especial de Estado de Produção Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Programa Paraense de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governo do Estado do Pará Secretaria Especial de Estado de Produção Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Programa Paraense de"

Transcrição

1

2 Governo do Estado do Pará Secretaria Especial de Estado de Produção Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas - PPTA Belém - PA 2002

3 Almir José de Oliveira Gabriel Governo do Estado do Pará Simão Robinson Oliveira Jatene Secretaria Especial de Estado de Produção Emanuel Aresti Santana Gonçalves Matos Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente PROGRAMA PARAENSE DE TECNOLOGIAS APROPRIADAS PPTA Coordenação: Claudio Cavalcanti Ribeiro Equipe Técnica: Bruno Rafael Dias de Lucena Denyse de Lima Farah Erika Tavares de Melo Rodrigues Fabiane Lima Santin Harley dos Santos Martins Marcelo Ribeiro de Araújo Robson Pinon Rodrigo Vianna Rodrigues Shirley do Socorro Magalhães Monteiro Ilustrações: Orlando Simões Júnior Vitor Trindade Lobo Revisão Gramatical: Donizete Alves da Silva Dados Internacionais de Catalogação na Publicação. (Biblioteca da SECTAM, Belém. Pa.) Editoração e Arte da Capa: Bruno Rafael Dias de Lucena Shirley do Socorro Magalhães Monteiro Normalização Bibliográfica: Ana Margarida Vianna Rodrigues Mara Georgete C. Raiol Pará. Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas. ABCdesign./SECTAM./PPTA. -- Belém, p.: il.-- (Série Moveleiro; n. 1) 1. Madeira - Design.2. Marketing. I. Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas. II. Título. III. Série. CDD Tv. Lomas Valentinas, Marco Belém - Pará - Brasil. CEP Telefones: (91) , R-234 Fax: (91)

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 INTRODUÇÃO... 7 DESIGN... 9 DESIGN e MEIO AMBIENTE DESIGN e MARKETING DESIGN e TECNOLOGIA CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA... 25

5 Apresentação Prezado Produtor, A Secretaria Especial de Estado de Produção através da Secretaria Executiva de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente SECTAM com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico CNPq, tem a satisfação de lançar esta publicação que tem por finalidade promover a redução da distancia existente entre o setor que produz e aquele que desenvolve o conhecimento científico e tecnológico e é um produto do Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas, PPTA. O PPTA é um dos componentes de uma estratégia maior que o Governo Almir Gabriel vem implementando ao longo desses sete anos que é verticalizar cada vez mais a produção dentro do Estado, rompendo com o modelo extrativista que nos foi imposto ao longo de todos estes séculos, a partir de uma perspectiva de sustentabilidade. O Programa teve início em 10/2000, e atua em cinco setores produtivos selecionados a partir de critérios definidos pelo Governo do Estado e seus parceiros, tendo como ponta de lança os setores de Movelaria, Fruticultura, Oleiro-Cerâmico, Floricultura e Joalheiro, contando ainda com o apoio de um Setor de Informações e um Setor Social. Aproveitamos para agradecer, em primeiro lugar ao Governador Dr. Almir Gabriel pela sua visão de desenvolvimento sustentável sem a qual jamais daríamos a partida para a realização deste Programa, ao Dr. Simão Jatene pela sua coordenação geral na área da Produção, ao Deputado Federal e Secretário Especial de Promoção Social Dr. Nilson Pinto de Oliveira, que iniciou, na sua gestão na SECTAM, e depois na Câmara Federal todo o processo para a realização do Programa junto ao CNPq, ao Ministro de Ciência e Tecnologia Dr Ronaldo Saidemberg e ao Dr. Evandro Mirra, ex - Presidente do CNPq, pela parceria e sensibilidade em relação as demandas por nós apresentadas e a todos os nossos parceiros no Estado e da Sociedade Civil, que nos ajudaram a chegar aos resultados que ora apresentamos através desta publicação. Prof. Emanuel Matos, Secretário Executivo de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente. 5

6 INTRODUÇÃO Atualmente, ouvimos muito falar em design, design do automóvel, design do chuveiro, da cadeira ou que tal objeto não tem design ou tem um design diferente. Em um rápido passeio pela cidade podemos perceber nas placas e nos outdoors que a palavra design está sempre presente: Design arrojado, Hair design, Marcenaria e design, projeto e design, entre outros. No entanto, há um conflito de idéias e conceitos a respeito do que é o design. E, diante de toda essa miscelânea, afinal, o que é realmente design? O principal objetivo desta cartilha é o de fazer entender o real significado desta palavra e, a partir de então, demonstrar com é possível agregar valor aos produtos. 7

7 1 DESIGN ORIGEM DA PALAVRA DESIGNARE Palavra que vem do latim e que significa projetar como um todo. O QUE É? Design é uma atividade projetual, responsável pelas características estruturais, estéticas, formais e funcionais de um produto para a fabricação em série. ( BONSIEPE,1994) Em outras palavras, design é o processo projetual, criativo, que associa diversas áreas do conhecimento humano para a elaboração de um produto que poderá ser fabricado em grande número pela indústria. Preocupa-se com a elaboração do produto como um todo, pois leva em consideração aspectos ergonômicos (tamanhos adequados), funcionais (função bem realizada), estéticos (forma, cor e beleza), mercado, etc... 9

8 CARACTERÍSTICA PRINCIPAL É a possibilidade da produção em série, ou seja, produzir algo em grande quantidade. Sem esta característica, o que se produz é artesanato ou obra de arte. FORMAS MAIS COMUNS DE APRESENTAÇÃO DO DESIGN Existem duas formas mais comuns de Design: Design de Produto e Design Gráfico. O Design do Produto está relacionado a projetos de diversos tipos de objetos que procuram atender a necessidade do consumidor, sejam eles: objetos decorativos, utilitários e mobiliário. No nosso caso, o mobiliário, em especial direciona-se aos móveis comerciais, industriais e residenciais. Já o Design Gráfico está relacionado a todos os tipos de projetos visuais que podem ser desenvolvidos para empresas ou para qualquer indivíduo, sejam logotipos, livros, capas de livros, cartazes, folders, folhetos, cartões de visita, papéis timbrados, etc... 10

9 PRINCIPAIS ASPECTOS DO DESIGN Inovação Introdução de Novidades Visa Atingir o Maior Número de Consumidores Preservação do Meio Ambiente Tecnologia DESIGN Criatividade Concilia Diferentes Áreas do Conhecimento Trabalho em Equipe Agregação de Valor Racionalização dos Custos de Produção Adequação as Características Sócio-Economicas e Culturais do Usuário IMPORTÂNCIA DO DESIGN FATOR DE DIFERENCIAÇÃO E AGREGAÇÃO DE VALOR AOS PRODUTOS - Os produtos tornam-se diferenciados dos demais. Com isso, o design transforma-se em um poderoso instrumento de competição no mercado. 11

10 RACIONALIZAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO - O design preocupa-se com a fabricação do produto, buscando alternativas para que esta se realize com a máxima economia possível, evitando desperdícios e indicando novas matérias-primas, visando sempre a redução de custos e minimizando o impacto ambiental que tal fabricação possa causar. INCENTIVO A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - A tecnologia viabiliza o design e este faz com que se desenvolvam novas tecnologias para atender as suas necessidades. PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE - O design tem por obrigação considerar os impactos que o processo de fabricação e o produto final trazem ao meio ambiente. Assim, todas as etapas são estudadas cuidadosamente, desde a escolha da matéria-prima, passando pelo processo de fabricação, a embalagem, o transporte até o descarte final, visando provocar o menor dano possível. IDENTIDADE CULTURAL COM O LOCAL (Cidade, Estado ou País) ONDE O PRODUTO FOI CRIADO - Um produto deverá ser aceito em todo o mundo, porém sem perder a identidade com o lugar onde foi criado. Isto poderá ser feito através da mensagem que o produto transmitirá, evidenciando aspectos positivos da cultura e costumes daquele lugar. A IMAGEM DA EMPRESA - Toda empresa que investe em design, seja ela grande, média, pequena ou micro, torna sua marca conhecida de forma positiva no mercado pela qualidade do que produz,visto que seus produtos agregam funcionalidade, beleza, conforto, 12

11 racionalidade, respeito ao meio ambiente, além de características inovadoras e tecnologicamente mais avançadas. Todos esses fatores acabam fazendo o Marketing da Empresa, pois quando lembramos de um deles automaticamente lembramos da imagem da empresa. QUEM É O PROFISSIONAL DE DESIGN? Chama-se DESIGNER. Este profissional trabalha diretamente na elaboração do processo projetual de um produto. A sua ferramenta principal em todas as fases do desenvolvimento do produto é a CRIATIVIDADE. 13

12 ETAPAS DO DESIGN No processo de elaboração do design são criadas várias propostas através de desenhos, esboços e anotações. Em seguida são selecionadas as propostas que mais se adaptam ao objetivo que se quer atingir (satisfação das necessidades que o produto deve alcançar) para serem melhor trabalhadas. Sendo assim, é escolhida a proposta que melhor atendeu as necessidades exigidas. Se for preciso, é aperfeiçoada até que esteja pronta para se fazer o protótipo (primeira elaboração física do produto) e em seguida para entrar no processo de fabricação. Após isso, há a liberação para o mercado. Concepção Seleção das Propostas Protótipo Fabricação Mercado 14

13 2 DESIGN e MEIO AMBIENTE É importante que se desenvolva produtos de maneira a diminuir ou eliminar a poluição no meio ambiente. Então é necessário que haja uma atenção maior para que: O processo de produção utilize matéria-prima de forma coerente e racional evitando o desperdício e a degradação do meio ambiente; Os produtos possam ser reciclados ou reutilizados; Os produtos tenham maior vida útil, ou seja, durem mais; Os produtos sejam o menos tóxicos possíveis. Surgem assim, os CONSUMIDORES VERDES e os PRODUTOS VERDES. O QUE SÃO CONSUMIDORES VERDES? São os consumidores que ao comprarem bens preocupam-se, no momento da compra, em escolherem produtos ecologicamente corretos. 15

14 O QUE SÃO PRODUTOS VERDES? São aqueles produtos que procuram não agredir o meio ambiente, seja desde a compra da matéria-prima, passando pelo processo de produção, até na sua utilização ou no seu descarte final. Madeira Reflorestada Assim sendo, há grandes pressões no mercado no que diz respeito a produtos e empresas que se preocupam com o meio ambiente. As empresas devem adotar então uma postura verde, ou seja, levar em consideração o meio ambiente, pois sem isso podem vir a ter uma imagem negativa no mercado, caso atuem de forma a causar qualquer dano ambiental. 16

15 Quanto ao produto no seu desenvolvimento, através da avaliação do seu Ciclo de Vida, pode-se analisar cada etapa e identificar problemas e resolvê-los antes de sua fabricação. Examinando os efeitos de cada etapa sobre o meio ambiente pode-se evitar ou reduzir o impacto ambiental. O QUE É O CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO? É cada etapa que um produto percorre desde a matériaprima usada para a sua fabricação até o seu descarte final. ETAPAS DO CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO Extração e Processamento da Matéria Prima Fabricação Transporte e Distribuição USO / REUTILIZAÇÃO / MANUTENÇÃO Reciclagem Descarte Final 17

16 3 DESIGN e MARKETING ORIGEM DA PALAVRA MARKETING Palavra em inglês que significa Mercado. MARKETING - Conjunto de estudos e medidas que visa lançar um produto no mercado e sustentá-lo com êxito. CONSUMIDOR - É o alvo importante para o marketing atingir seus objetivos, por isso, é de extrema necessidade descobrir o que o consumidor deseja; quando quer; onde quer, como quer comprar e quanto está disposto a pagar. 18

17 ASPECTOS QUE DEFINEM O MARKETING Inicia antes da produção do produto, com a pesquisa de mercado para identificar se há a necessidade daquele produto, o nicho do mercado que poderá atingir, as oportunidades que poderão ser utilizadas e as tendências. Planejamento e desenvolvimento do produto: Determinação do preço de venda: Qual o preço a ser vendido, que proporcione lucro para a empresa, mas que s e j a acessível ao bolso do consumidor; Seleção de canais de distribuição: Seleção de meios que se encarregam de levar o produto onde o consumidor se encontra. Hoje a forma mais atual de distribuição é a informatizada, como é o caso da internet.. O Marketing não termina após a venda. São tomadas atitudes e providências pela empresa após a realização da venda, desde a avaliação, controle das ações de marketing até a assistência, acompanhamento e atenção ao cliente, gerando assim, a fidelidade do mesmo. OBTEM-SE SUCESSO EM MARKETING QUANDO: O produto atende as necessidades e desejos do consumidor; A organização é eficiente, colocando o produto em contato com o consumidor; O plano de marketing identifica os meios e responsabilidades para implementar ações; Atinge responsabilidade com o Tempo e o Orçamento. 19

18 Marketing não é venda! A VENDA faz parte do PROCESSO DE MARKETING. A VENDA está voltada para o produto e o MARKETING para o cliente. ELEMENTOS DO MARKETING PRODUTO PREÇO PROMOÇÃO PESQUISA MERCADOLÓGICA PROVEDORES (Fornecedores) PONTO (Local onde se localiza a fábrica ou loja, assim como os canais de distribuição) 20

19 Você Sabia? Que o cliente é aquele que paga! Os que ficam devendo devem ser esquecidos, pois não são clientes. Que normalmente as empresas não possuem informações dos clientes que pagam, e sim dos que não pagam. Que cada cliente satisfeito gera 5 (cinco) novos clientes, cada cliente insatisfeito gera 25 (vinte e cinco) não clientes. 21

20 4 DESIGN e TECNOLOGIA A tecnologia tem a função de dar suporte para a concepção do design do produto, pois o fator tecnológico é muito importante para determinar o funcionamento de um objeto e sua forma, já que estes dois aspectos podem ser alterados em função da tecnologia disponível. Em se tratando da produção em série (Característica principal do design), a tecnologia visa a redução do tempo de produção. A relação Tempo x Tecnologia é inversamente proporcional, pois quanto mais avançada a tecnologia menor será o tempo gasto para produzir. A tecnologia proporciona a viabilidade física de um produto, e consegue atingir seu objetivo quando os processos envolvidos na produção são viáveis economicamente. 22

21 tecnologia: A teoria (Ciência) e a prática (Técnica) estão inseridas na TÉCNICA (Procedimentos) Conhecimentos Técnicos e Capacidade Inventiva TECNOLOGIA Ciência (Teoria) Campo dos Conhecimentos Científicos 23

22 5 CONCLUSÃO Como vimos o design é uma das mais importantes ferramentas agregadoras de valor a um produto. Sua abrangência vai desde o processo de concepção até o pós- venda. Para que possamos utilizar esta ferramenta da forma mais adequada é necessário conhecê-la a fundo antes de tomarmos qualquer decisão a cerca do produto que desejamos fabricar. É importante lembrar que o design atinge em cheio o alvo, ou seja o consumidor, que uma vez satisfeito passa a ser o maior aliado do fabricante. 24

23 BIBLIOGRAFIA ARAÚJO, Eduardo Carvalho. Marketing e Gerenciamento do Design. [S.L.. s.n.] nov p. Apostila. BONSIEPE, Gui. A cadeia de inovação. Revista Brasileira de Design de Interiores, Gráfico e de Produtos. São Paulo, n.43, out p CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DE MOBILIÁRIO E MADEIRA. O processo criativo no desenvolvimento do móvel; Mobiliário & Madeira. Bento Gonçalves, RS,v.13, n.3, p.6, jul/set COMÉRCIO EXTERIOR INFORME Banco do Brasil. A importância da marca e do design na exportação. Brasília, n.34, p.6-17, abr CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (Brasil). Departamento do Rio de Janeiro. A importância do design para sua empresa. Brasília, p.. Marketing: conceitos básicos. Brasília, 1999 GAY, Aquiles. La tecnologia el Ingeniero y la cultura. 2 ed. Córdoba: Centro de Cultura Tecnológica p. TEIXEIRA. Regina Cleide Figueiredo da Silva. Gestão urbana e desenvolvimento sustentável, de jan f. Notas de aula. 25

24

DESIGN PARA TODAS AS EMPRESAS

DESIGN PARA TODAS AS EMPRESAS A S DA TO AS N AS ES PR EM G SI DE R PA DESIGN PARA TODAS AS EMPRESAS BRASÍLIA - DF 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

Logística Reversa. Conceito de Logística. Reversa 15/09/2011. Objetivos da aula. e o Meio Ambiente

Logística Reversa. Conceito de Logística. Reversa 15/09/2011. Objetivos da aula. e o Meio Ambiente Logística Reversa e o Meio Ambiente Objetivos da aula 1. Estabelecer as relações entre os canais de distribuição diretos e os canais reversos; 2. Identificar as diferentes categorias de canais de distribuição

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

Data do início da implementação da experiência: fevereiro de 1997

Data do início da implementação da experiência: fevereiro de 1997 Experiência: PROJETO DE RECICLAGEM DE PAPEL DE ESCRITÓRIO Ministério da Previdência e Assistência Social INSS/Superintendência Estadual em São Paulo Coordenação de Recursos Humanos Responsável: Marli Penteado

Leia mais

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque Darlyne de Aquino Silva Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia de São Paulo. São Roque, SP 2011

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TI Verde: Sustentabilidade na área da tecnologia da informação TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TI VERDE: SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Flávio Luiz de Azevedo BRAYNER Paulo Gustavo Sabino RAMOS Patrícia Verônica de Azevedo BRAYNER Resumo: Atualmente a Tecnologia da Informação

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

O design nos serviços

O design nos serviços O design nos serviços SUMÁRIO O que é Serviço Alguns segmentos do Serviço Design no Turismo Design na Economia criativa Design na Economia digital Design nas Startups Design na Limpeza Design no Transporte

Leia mais

APRESENTAÇÃO O DESIGN É HOJE UM RECURSO ESTRATÉGICO FUNDAMENTAL PARA AUMENTAR O POTENCIAL COMPETITIVO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS.

APRESENTAÇÃO O DESIGN É HOJE UM RECURSO ESTRATÉGICO FUNDAMENTAL PARA AUMENTAR O POTENCIAL COMPETITIVO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. O QUE É DESIGN APRESENTAÇÃO O design ocupa grande parte do cotidiano das pessoas e das empresas, representado por uma infinidade de produtos e serviços. Ele é o meio que as empresas utilizam para transformar

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

Ana possui uma promissora. Ambiente virtual para inovar

Ana possui uma promissora. Ambiente virtual para inovar Ambiente virtual para inovar Secti lança Portal Paraense de Inovação para conectar atores estratégicos e aumentar investimento em inovação no Pará Por Igor de Souza Ana possui uma promissora empresa de

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Aula 8 a A Engenharia e o Meio Ambiente Parte I Edgar Aberto de Brito PRIMEIRA PARTE As questões ambientais e os problemas para a engenharia. ENGENHARIA

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade Desenvolvido por: Neuza Maria Rodrigues Antunes neuzaantunes1@gmail.com AUMENTO DA POPULAÇÃO URBANA 85% NO BRASIL (Censo

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração Faculdade Pitágoras de Uberlândia Apostila de Administração Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 SUMÁRIO 1 O PLANO DE NEGÓCIOS...2 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...5

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral. Operações com mercadorias / Preço de vendas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral. Operações com mercadorias / Preço de vendas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 14 CONTABILIDADE Operações com mercadorias / Preço de vendas Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico

Leia mais

RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190

RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190 186 RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190 RESUMOS DE PROJETOS 187 ANÁLISE DAS PROPRIEDADES E VIABILIDADE ECONÔMICA DA CERÂMICA VERMELHA UTILIZADA COMO AGREGADO RECICLADO MIÚDO PARA

Leia mais

1 Do lixo ao luxo que antes era descartado agora pode ir O parar no centro da sua sala. Designers do mundo todo se movimentam e criam produtos que além de elegantes, requintados e funcionais respeitam

Leia mais

Desenvolvimento do Mix de Marketing

Desenvolvimento do Mix de Marketing Desenvolvimento do Mix de Marketing Mix de Marketing O composto de marketing é conhecido no escopo mercadológico como os 4Ps denominados por Jeronme Mc Carthy como: product, price, place e promotion. Na

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. Antonio Augusto Pereira de Sousa - aauepb@gmail.com 1 Djane de Fátima

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO RESUMOS DOS PROJETOS DE PESQUISA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DESIGN DE MOBILIÁRIO PROJETO DE MOBILIÁRIO E DE INTERIORES PROJETO ARQUITETÔNICO PARA ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROF. DR.

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL Júlio César de Almeida (FASA) julioc.almeida@hotmail.com Gisele Figueiredo Braz

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social. Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social. Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva Porto Alegre 2008 Aline Camargo Luciane Padilha Aragon

Leia mais

Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012

Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012 Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012 Objetivos e Metas Alavancar a empresa de uma forma sustentável, não apenas ambiental mas financeiramente. Introdução Histórico Tijolo Muralha da China construída

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Seminário: Inovação e Tecnologia no Desenvolvimento da Amazônia. 28 de Novembro de 2013

Seminário: Inovação e Tecnologia no Desenvolvimento da Amazônia. 28 de Novembro de 2013 Seminário: Inovação e Tecnologia no Desenvolvimento da Amazônia 28 de Novembro de 2013 PAINEL 1: Estratégias para a Inovação Necessidades e Demandas Futuras Conceituação Inovação é o resultado positivo

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO EPR 707 Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO O que é o PDP PDP é o processo de negócio que: Busca as especificações de projeto

Leia mais

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS 198 Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS Isailma da Silva Araújo; Luanna Nari Freitas de Lima; Juliana Ribeiro dos Reis; Robson

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL

LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL Rafael Antônio Nunes COURA³;Milena Alves da Silva SOUZA³; Isabela Fatima Silveira MARTINS³; Cássia Maria Silva NORONHA¹ e Eriks Tobias VARGAS².

Leia mais

Uma empresa que tem raízes fortes em sua própria história,

Uma empresa que tem raízes fortes em sua própria história, Uma HISTÓRIA de sucesso que começou em 1967... A Rivera é uma empresa que tem a vocação para o desenvolvimento e produção de móveis, em especial aqueles que compõem ambientes de trabalho que vão desde

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC

FERRAMENTAS DA QUALIDADE. Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC FERRAMENTAS DA QUALIDADE Prof. Dr. Renato Montini FATEC MC As ferramentas da qualidade têm os seguintes objetivos: Facilitar a visualização e o entendimento dos problemas; Sintetizar o conhecimento e as

Leia mais

Marcela Moraes Shirley Queiroz e Rogério Câmara. eu sou artesanato! tecelagem, mobiliário e marca

Marcela Moraes Shirley Queiroz e Rogério Câmara. eu sou artesanato! tecelagem, mobiliário e marca Marcela Moraes Shirley Queiroz e Rogério Câmara eu sou artesanato! tecelagem, mobiliário e marca produtos com tecelagem vínculo emocional valor simbólico extrapolar estigmas promoção social identificar

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio Matriz de Especificação de Prova da : Técnico em Design de Móveis Descrição do Perfil Profissional: Desenvolve esboços, perspectivas e desenhos normatizados de móveis. Realiza estudos volumétricos e maquetes

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS Alice Viana Soares Monteiro Secretária de Estado de Compras Governamentais sob o aspecto da Sustentabilidade Compra Pública Sustentável ou Licitação

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL PROGRAMA Nº 06/ 2012 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 2ª edição, atualização

Leia mais

CDTI Centro de Desenvolvimento Tecnológico e de Inovação

CDTI Centro de Desenvolvimento Tecnológico e de Inovação CDTI Centro de Desenvolvimento Tecnológico e de Inovação Inovação é a introdução de algo novo em qualquer atividade humana. Inovar é fazer coisas novas. Considera-se inovação tecnológica a concepção de

Leia mais

O Que Vem Mudando Nos Hábitos De Consumo Da Classe C

O Que Vem Mudando Nos Hábitos De Consumo Da Classe C VAREJO Agosto - 2012 O Que Vem Mudando Nos Hábitos De Consumo Da Classe C Desde a criação do Real e a estabilização da economia, o poder aquisitivo da população brasileira aumentou de forma significativa.

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

A Sustentabilidade e as Empresas. Conceito Básico de. Sustentabilidade Exemplificação. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social.

A Sustentabilidade e as Empresas. Conceito Básico de. Sustentabilidade Exemplificação. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social Aula 2 A Sustentabilidade e as Empresas Prof. Esp. Felipe Luiz Conceito Básico de Contextualização Sustentabilidade Exemplificação Responsabilidade Social Cidadania

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Conceito e Formação do Patrimônio Inicial

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Conceito e Formação do Patrimônio Inicial CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 02 CONTABILIDADE Conceito e Formação do Patrimônio Inicial Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Programa de Internacionalização: Cursos a Distância. Marketing Internacional. Exportação. Exportar CURSO

Programa de Internacionalização: Cursos a Distância. Marketing Internacional. Exportação. Exportar CURSO Programa de Internacionalização: Cursos a Distância Marketing Internacional Procedimentos Planejamento para Exportação Exportar CURSO FICHA TÉCNICA Curso Marketing Internacional SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO

Leia mais

Gestão do Design. www.ligiafascioni.com.br. Embalagem. Lígia Fascioni www.ligiafascioni.com.br

Gestão do Design. www.ligiafascioni.com.br. Embalagem. Lígia Fascioni www.ligiafascioni.com.br Gestão do Design 6 Embalagem Lígia Fascioni Aula de hoje O que é embalagem Funções da embalagem Design de embalagens Legislação Embalagem Embalagem sf. Acondicionamento de mercadorias ou objetos em pacotes,

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHCMensagens SMS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso: ganhe

Leia mais

DEFINIÇÕES COUNCIL SCM

DEFINIÇÕES COUNCIL SCM ADM DE MATERIAIS DEFINIÇÕES COUNCIL SCM Logística empresarial é a parte do Supply Chain Management que planeja, implementa e controla o eficiente e efetivo fluxo direto e reverso, a estocagem de bens,

Leia mais

APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO CURSO

APRESENTAÇÃO OBJETIVO DO CURSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Design (2004), o curso de graduação em Design deve ensejar, como perfil desejado do formando, capacitação para a apropriação

Leia mais

Vantagens e Benefícios das parcerias internacionais

Vantagens e Benefícios das parcerias internacionais Vantagens e Benefícios das parcerias internacionais Nicola Minervini Santa Catarina, 02-05/12/2014 Sumario Desafios da empresa Ferramentas para a competitividade O porque das alianças Formas de alianças

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL

A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL ISSN 1984-9354 A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL Jaqueline Colares Viegas (UFF) Mara Telles Salles (UFF) Resumo A sustentabilidade tem se tornado um tema cada mais relevante

Leia mais

O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO. Cláudia Nabarro Munhoz 1. A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um

O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO. Cláudia Nabarro Munhoz 1. A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO Cláudia Nabarro Munhoz 1 A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um problema de cada cidadão e algo que pede decisões e ações diárias,

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE E A UTILIZAÇÃO DE TEMAS CULTURAIS NO DESIGN DE MODA

A SUSTENTABILIDADE E A UTILIZAÇÃO DE TEMAS CULTURAIS NO DESIGN DE MODA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A SUSTENTABILIDADE E A UTILIZAÇÃO DE TEMAS CULTURAIS NO DESIGN DE MODA Caroline Yurie Kikuchi 1 ;

Leia mais

O design no comércio

O design no comércio O design no comércio SUMÁRIO O que é Comércio Alguns segmentos do Comércio Design no E-commerce Design no Comércio atacadista Design no Comércio de outlets Design no Shopping center Design no Minimercado

Leia mais

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA Patrícia Cristina de Lima Moreira (1) Assistente Social (UNIT), Assistente Social do Serviço

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 PROCEDIMENTOS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PROJETOS EMPRESARIAIS INOVADORES PARA INGRESSO E PARTICIPAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ IESJ. A INCUBADORA

Leia mais

Isadora Ribeiro Graduanda do curso Moda na Universidade Estadual de Maringá

Isadora Ribeiro Graduanda do curso Moda na Universidade Estadual de Maringá Isadora Ribeiro Graduanda do curso Moda na Universidade Estadual de Maringá Pricila Fernanda Cancelier Soranso Graduanda do curso de Design e Marketing de Moda na Universidade do Minho Ronaldo Salvador

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

Apresentação. Oque é Marca. Multimedia Branding Designer

Apresentação. Oque é Marca. Multimedia Branding Designer Oque é Marca Marca é toda representação simbólica de uma entidade, individuo ou elemento. Uma pegada, uma impressão digital, ou mesmo o meu ou seu nome podem ser caracterizados como marca. Quando nos referimos

Leia mais

Começa por você! Resultados das ações da Campanha De quem é a responsabilidade?

Começa por você! Resultados das ações da Campanha De quem é a responsabilidade? Resultados das ações da Campanha De quem é a responsabilidade? CAMPANHA DE QUEM É A RESPONSABILIDADE? Início da Campanha outubro de 2009 Objetivo: Implementar a A3P e incentivar os servidores para adoção

Leia mais

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ;

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; RECICLANDO ATITUDES Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; 1 Farmacêutica, Bioquímica e Pós Graduada em Educação Ambiental- Professora

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

Otimização dos tempos e movimentos em uma fábrica de móveis

Otimização dos tempos e movimentos em uma fábrica de móveis Otimização dos tempos e movimentos em uma fábrica de móveis Rayane C. M. REZENDE 1 ; Marislaine C. COSTA 1 ; Poliane C. dos S. LOPES 1 ; Fernando S. JORGE 1, Yahayra do V. B. SILVA 1, Rodrigo H. da SILVA

Leia mais

GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING

GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING 1. Gestão do design e a estratégia de marketing A gestão do design tem a função de controlar a criação e desenvolvimento do produto, estando sempre atento e observando as necessidades do mercado e a promoção

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC)

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC) CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC) COMCITEC Gestão Plenárias Conferência Eventos Legislação QUEM SOMOS? O COMCITEC é um órgão autônomo que atua em estreita articulação com

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE PRODUTO (RPD)

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE PRODUTO (RPD) INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE PRODUTO (RPD) REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA PARA DESENVOLVIMENTO INTERNACIONAL DE NOVOS PRODUTOS O esquema abaixo considera o conceito de design de produto, esboços

Leia mais

Inovação é oxigênio para os pequenos negócios CASO DE SUCESSO

Inovação é oxigênio para os pequenos negócios CASO DE SUCESSO CASO DE SUCESSO O empresário Marcelo Folha conseguiu tirar o restaurante do vermelho graças ao atendimento que recebeu do Sebrae, por meio do Programa Agentes Locais de Inovação. Inovação é oxigênio para

Leia mais

A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI

A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI A era da informação Informação, palavra derivada do verbo latim "informare", que significa "disciplinar", "ensinar", "instruir", juntamente com o seu significado

Leia mais

Aula 1 - O que é design? professor Rafael Ho mann

Aula 1 - O que é design? professor Rafael Ho mann Aula 1 - O que é design? professor Rafael Ho mann Fundamentos do design (grá co?) Objetivo da aula - Conhecer melhor e consolidar o signi cado do termo design. Objetivo da aula É muito mais difícil falar

Leia mais

Inspire Inove Faça Diferente

Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Se eu tivesse um único dolar investiria em propaganda. - Henry Ford (Fundador da Motor Ford) As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer

Leia mais

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas...

Importância da normalização para as Micro e Pequenas Empresas 1. Normas só são importantes para as grandes empresas... APRESENTAÇÃO O incremento da competitividade é um fator decisivo para a maior inserção das Micro e Pequenas Empresas (MPE), em mercados externos cada vez mais globalizados. Internamente, as MPE estão inseridas

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO GESTAO AMBIENTAL LUCAS SAMUEL MACHADO RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Doverlandia 2014 LUCAS SAMUEL MACHADO RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Trabalho de Gestão Ambiental

Leia mais

Como saber se sua empresa é. Sustentável Guia Definitivo para Diagnóstico

Como saber se sua empresa é. Sustentável Guia Definitivo para Diagnóstico Como saber se sua empresa é Sustentável Guia Definitivo para Diagnóstico Sumário 02 Introdução Presença na estratégia Práticas Pré produção Práticas Produção Práticas Gestão Como verificar 03 04 06 07

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA)

PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA) PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA) Dispõe sobre a regulamentação do exercício profissional de Designer, e dá providências. O Congresso Nacional decreta: Capítulo I Caracterização e atribuições

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação Conceitos Preliminares

Estratégias em Tecnologia da Informação Conceitos Preliminares Estratégias em Tecnologia da Informação Conceitos Preliminares Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS

A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS SEMANA AMBIENTAL NA BRASIMET 2006 CIDADANIA E EDUCAÇÃO PARA UM PLANETA MELHOR A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS A atual conjuntura econômica e os novos cenários sócio-ambientais nacionais e internacionais

Leia mais

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços.

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto Prof. Andréa Cristina dos Santos, Dr. Eng. andreaufs@gmail.com

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Produção e consumo sustentáveis

Produção e consumo sustentáveis Produção e consumo sustentáveis Fernanda Capdeville Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis DPCS Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental - SAIC 14 Plenária do Fórum Governamental

Leia mais

BLOCOS DE VEDAÇÃO COM ENTULHO

BLOCOS DE VEDAÇÃO COM ENTULHO BLOCOS DE VEDAÇÃO COM ENTULHO 2 nd International Workshop on Advances in Cleaner Production Orientadora: Profª.Dra. Ana Elena Salvi Abreu, Ricardo M. a ; Lopes, Ricardo W. b ; Azrak, Roberto c a. Universidade

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais