Governo do Estado do Pará Secretaria Especial de Estado de Produção Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Programa Paraense de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governo do Estado do Pará Secretaria Especial de Estado de Produção Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Programa Paraense de"

Transcrição

1

2 Governo do Estado do Pará Secretaria Especial de Estado de Produção Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas - PPTA Belém - PA 2002

3 Almir José de Oliveira Gabriel Governo do Estado do Pará Simão Robinson Oliveira Jatene Secretaria Especial de Estado de Produção Emanuel Aresti Santana Gonçalves Matos Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente PROGRAMA PARAENSE DE TECNOLOGIAS APROPRIADAS PPTA Coordenação: Claudio Cavalcanti Ribeiro Equipe Técnica: Bruno Rafael Dias de Lucena Denyse de Lima Farah Erika Tavares de Melo Rodrigues Fabiane Lima Santin Harley dos Santos Martins Marcelo Ribeiro de Araújo Robson Pinon Rodrigo Vianna Rodrigues Shirley do Socorro Magalhães Monteiro Ilustrações: Orlando Simões Júnior Vitor Trindade Lobo Revisão Gramatical: Donizete Alves da Silva Dados Internacionais de Catalogação na Publicação. (Biblioteca da SECTAM, Belém. Pa.) Editoração e Arte da Capa: Bruno Rafael Dias de Lucena Shirley do Socorro Magalhães Monteiro Normalização Bibliográfica: Ana Margarida Vianna Rodrigues Mara Georgete C. Raiol Pará. Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas. ABCdesign./SECTAM./PPTA. -- Belém, p.: il.-- (Série Moveleiro; n. 1) 1. Madeira - Design.2. Marketing. I. Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas. II. Título. III. Série. CDD Tv. Lomas Valentinas, Marco Belém - Pará - Brasil. CEP Telefones: (91) , R-234 Fax: (91)

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 INTRODUÇÃO... 7 DESIGN... 9 DESIGN e MEIO AMBIENTE DESIGN e MARKETING DESIGN e TECNOLOGIA CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA... 25

5 Apresentação Prezado Produtor, A Secretaria Especial de Estado de Produção através da Secretaria Executiva de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente SECTAM com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico CNPq, tem a satisfação de lançar esta publicação que tem por finalidade promover a redução da distancia existente entre o setor que produz e aquele que desenvolve o conhecimento científico e tecnológico e é um produto do Programa Paraense de Tecnologias Apropriadas, PPTA. O PPTA é um dos componentes de uma estratégia maior que o Governo Almir Gabriel vem implementando ao longo desses sete anos que é verticalizar cada vez mais a produção dentro do Estado, rompendo com o modelo extrativista que nos foi imposto ao longo de todos estes séculos, a partir de uma perspectiva de sustentabilidade. O Programa teve início em 10/2000, e atua em cinco setores produtivos selecionados a partir de critérios definidos pelo Governo do Estado e seus parceiros, tendo como ponta de lança os setores de Movelaria, Fruticultura, Oleiro-Cerâmico, Floricultura e Joalheiro, contando ainda com o apoio de um Setor de Informações e um Setor Social. Aproveitamos para agradecer, em primeiro lugar ao Governador Dr. Almir Gabriel pela sua visão de desenvolvimento sustentável sem a qual jamais daríamos a partida para a realização deste Programa, ao Dr. Simão Jatene pela sua coordenação geral na área da Produção, ao Deputado Federal e Secretário Especial de Promoção Social Dr. Nilson Pinto de Oliveira, que iniciou, na sua gestão na SECTAM, e depois na Câmara Federal todo o processo para a realização do Programa junto ao CNPq, ao Ministro de Ciência e Tecnologia Dr Ronaldo Saidemberg e ao Dr. Evandro Mirra, ex - Presidente do CNPq, pela parceria e sensibilidade em relação as demandas por nós apresentadas e a todos os nossos parceiros no Estado e da Sociedade Civil, que nos ajudaram a chegar aos resultados que ora apresentamos através desta publicação. Prof. Emanuel Matos, Secretário Executivo de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente. 5

6 INTRODUÇÃO Atualmente, ouvimos muito falar em design, design do automóvel, design do chuveiro, da cadeira ou que tal objeto não tem design ou tem um design diferente. Em um rápido passeio pela cidade podemos perceber nas placas e nos outdoors que a palavra design está sempre presente: Design arrojado, Hair design, Marcenaria e design, projeto e design, entre outros. No entanto, há um conflito de idéias e conceitos a respeito do que é o design. E, diante de toda essa miscelânea, afinal, o que é realmente design? O principal objetivo desta cartilha é o de fazer entender o real significado desta palavra e, a partir de então, demonstrar com é possível agregar valor aos produtos. 7

7 1 DESIGN ORIGEM DA PALAVRA DESIGNARE Palavra que vem do latim e que significa projetar como um todo. O QUE É? Design é uma atividade projetual, responsável pelas características estruturais, estéticas, formais e funcionais de um produto para a fabricação em série. ( BONSIEPE,1994) Em outras palavras, design é o processo projetual, criativo, que associa diversas áreas do conhecimento humano para a elaboração de um produto que poderá ser fabricado em grande número pela indústria. Preocupa-se com a elaboração do produto como um todo, pois leva em consideração aspectos ergonômicos (tamanhos adequados), funcionais (função bem realizada), estéticos (forma, cor e beleza), mercado, etc... 9

8 CARACTERÍSTICA PRINCIPAL É a possibilidade da produção em série, ou seja, produzir algo em grande quantidade. Sem esta característica, o que se produz é artesanato ou obra de arte. FORMAS MAIS COMUNS DE APRESENTAÇÃO DO DESIGN Existem duas formas mais comuns de Design: Design de Produto e Design Gráfico. O Design do Produto está relacionado a projetos de diversos tipos de objetos que procuram atender a necessidade do consumidor, sejam eles: objetos decorativos, utilitários e mobiliário. No nosso caso, o mobiliário, em especial direciona-se aos móveis comerciais, industriais e residenciais. Já o Design Gráfico está relacionado a todos os tipos de projetos visuais que podem ser desenvolvidos para empresas ou para qualquer indivíduo, sejam logotipos, livros, capas de livros, cartazes, folders, folhetos, cartões de visita, papéis timbrados, etc... 10

9 PRINCIPAIS ASPECTOS DO DESIGN Inovação Introdução de Novidades Visa Atingir o Maior Número de Consumidores Preservação do Meio Ambiente Tecnologia DESIGN Criatividade Concilia Diferentes Áreas do Conhecimento Trabalho em Equipe Agregação de Valor Racionalização dos Custos de Produção Adequação as Características Sócio-Economicas e Culturais do Usuário IMPORTÂNCIA DO DESIGN FATOR DE DIFERENCIAÇÃO E AGREGAÇÃO DE VALOR AOS PRODUTOS - Os produtos tornam-se diferenciados dos demais. Com isso, o design transforma-se em um poderoso instrumento de competição no mercado. 11

10 RACIONALIZAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO - O design preocupa-se com a fabricação do produto, buscando alternativas para que esta se realize com a máxima economia possível, evitando desperdícios e indicando novas matérias-primas, visando sempre a redução de custos e minimizando o impacto ambiental que tal fabricação possa causar. INCENTIVO A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA - A tecnologia viabiliza o design e este faz com que se desenvolvam novas tecnologias para atender as suas necessidades. PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE - O design tem por obrigação considerar os impactos que o processo de fabricação e o produto final trazem ao meio ambiente. Assim, todas as etapas são estudadas cuidadosamente, desde a escolha da matéria-prima, passando pelo processo de fabricação, a embalagem, o transporte até o descarte final, visando provocar o menor dano possível. IDENTIDADE CULTURAL COM O LOCAL (Cidade, Estado ou País) ONDE O PRODUTO FOI CRIADO - Um produto deverá ser aceito em todo o mundo, porém sem perder a identidade com o lugar onde foi criado. Isto poderá ser feito através da mensagem que o produto transmitirá, evidenciando aspectos positivos da cultura e costumes daquele lugar. A IMAGEM DA EMPRESA - Toda empresa que investe em design, seja ela grande, média, pequena ou micro, torna sua marca conhecida de forma positiva no mercado pela qualidade do que produz,visto que seus produtos agregam funcionalidade, beleza, conforto, 12

11 racionalidade, respeito ao meio ambiente, além de características inovadoras e tecnologicamente mais avançadas. Todos esses fatores acabam fazendo o Marketing da Empresa, pois quando lembramos de um deles automaticamente lembramos da imagem da empresa. QUEM É O PROFISSIONAL DE DESIGN? Chama-se DESIGNER. Este profissional trabalha diretamente na elaboração do processo projetual de um produto. A sua ferramenta principal em todas as fases do desenvolvimento do produto é a CRIATIVIDADE. 13

12 ETAPAS DO DESIGN No processo de elaboração do design são criadas várias propostas através de desenhos, esboços e anotações. Em seguida são selecionadas as propostas que mais se adaptam ao objetivo que se quer atingir (satisfação das necessidades que o produto deve alcançar) para serem melhor trabalhadas. Sendo assim, é escolhida a proposta que melhor atendeu as necessidades exigidas. Se for preciso, é aperfeiçoada até que esteja pronta para se fazer o protótipo (primeira elaboração física do produto) e em seguida para entrar no processo de fabricação. Após isso, há a liberação para o mercado. Concepção Seleção das Propostas Protótipo Fabricação Mercado 14

13 2 DESIGN e MEIO AMBIENTE É importante que se desenvolva produtos de maneira a diminuir ou eliminar a poluição no meio ambiente. Então é necessário que haja uma atenção maior para que: O processo de produção utilize matéria-prima de forma coerente e racional evitando o desperdício e a degradação do meio ambiente; Os produtos possam ser reciclados ou reutilizados; Os produtos tenham maior vida útil, ou seja, durem mais; Os produtos sejam o menos tóxicos possíveis. Surgem assim, os CONSUMIDORES VERDES e os PRODUTOS VERDES. O QUE SÃO CONSUMIDORES VERDES? São os consumidores que ao comprarem bens preocupam-se, no momento da compra, em escolherem produtos ecologicamente corretos. 15

14 O QUE SÃO PRODUTOS VERDES? São aqueles produtos que procuram não agredir o meio ambiente, seja desde a compra da matéria-prima, passando pelo processo de produção, até na sua utilização ou no seu descarte final. Madeira Reflorestada Assim sendo, há grandes pressões no mercado no que diz respeito a produtos e empresas que se preocupam com o meio ambiente. As empresas devem adotar então uma postura verde, ou seja, levar em consideração o meio ambiente, pois sem isso podem vir a ter uma imagem negativa no mercado, caso atuem de forma a causar qualquer dano ambiental. 16

15 Quanto ao produto no seu desenvolvimento, através da avaliação do seu Ciclo de Vida, pode-se analisar cada etapa e identificar problemas e resolvê-los antes de sua fabricação. Examinando os efeitos de cada etapa sobre o meio ambiente pode-se evitar ou reduzir o impacto ambiental. O QUE É O CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO? É cada etapa que um produto percorre desde a matériaprima usada para a sua fabricação até o seu descarte final. ETAPAS DO CICLO DE VIDA DE UM PRODUTO Extração e Processamento da Matéria Prima Fabricação Transporte e Distribuição USO / REUTILIZAÇÃO / MANUTENÇÃO Reciclagem Descarte Final 17

16 3 DESIGN e MARKETING ORIGEM DA PALAVRA MARKETING Palavra em inglês que significa Mercado. MARKETING - Conjunto de estudos e medidas que visa lançar um produto no mercado e sustentá-lo com êxito. CONSUMIDOR - É o alvo importante para o marketing atingir seus objetivos, por isso, é de extrema necessidade descobrir o que o consumidor deseja; quando quer; onde quer, como quer comprar e quanto está disposto a pagar. 18

17 ASPECTOS QUE DEFINEM O MARKETING Inicia antes da produção do produto, com a pesquisa de mercado para identificar se há a necessidade daquele produto, o nicho do mercado que poderá atingir, as oportunidades que poderão ser utilizadas e as tendências. Planejamento e desenvolvimento do produto: Determinação do preço de venda: Qual o preço a ser vendido, que proporcione lucro para a empresa, mas que s e j a acessível ao bolso do consumidor; Seleção de canais de distribuição: Seleção de meios que se encarregam de levar o produto onde o consumidor se encontra. Hoje a forma mais atual de distribuição é a informatizada, como é o caso da internet.. O Marketing não termina após a venda. São tomadas atitudes e providências pela empresa após a realização da venda, desde a avaliação, controle das ações de marketing até a assistência, acompanhamento e atenção ao cliente, gerando assim, a fidelidade do mesmo. OBTEM-SE SUCESSO EM MARKETING QUANDO: O produto atende as necessidades e desejos do consumidor; A organização é eficiente, colocando o produto em contato com o consumidor; O plano de marketing identifica os meios e responsabilidades para implementar ações; Atinge responsabilidade com o Tempo e o Orçamento. 19

18 Marketing não é venda! A VENDA faz parte do PROCESSO DE MARKETING. A VENDA está voltada para o produto e o MARKETING para o cliente. ELEMENTOS DO MARKETING PRODUTO PREÇO PROMOÇÃO PESQUISA MERCADOLÓGICA PROVEDORES (Fornecedores) PONTO (Local onde se localiza a fábrica ou loja, assim como os canais de distribuição) 20

19 Você Sabia? Que o cliente é aquele que paga! Os que ficam devendo devem ser esquecidos, pois não são clientes. Que normalmente as empresas não possuem informações dos clientes que pagam, e sim dos que não pagam. Que cada cliente satisfeito gera 5 (cinco) novos clientes, cada cliente insatisfeito gera 25 (vinte e cinco) não clientes. 21

20 4 DESIGN e TECNOLOGIA A tecnologia tem a função de dar suporte para a concepção do design do produto, pois o fator tecnológico é muito importante para determinar o funcionamento de um objeto e sua forma, já que estes dois aspectos podem ser alterados em função da tecnologia disponível. Em se tratando da produção em série (Característica principal do design), a tecnologia visa a redução do tempo de produção. A relação Tempo x Tecnologia é inversamente proporcional, pois quanto mais avançada a tecnologia menor será o tempo gasto para produzir. A tecnologia proporciona a viabilidade física de um produto, e consegue atingir seu objetivo quando os processos envolvidos na produção são viáveis economicamente. 22

21 tecnologia: A teoria (Ciência) e a prática (Técnica) estão inseridas na TÉCNICA (Procedimentos) Conhecimentos Técnicos e Capacidade Inventiva TECNOLOGIA Ciência (Teoria) Campo dos Conhecimentos Científicos 23

22 5 CONCLUSÃO Como vimos o design é uma das mais importantes ferramentas agregadoras de valor a um produto. Sua abrangência vai desde o processo de concepção até o pós- venda. Para que possamos utilizar esta ferramenta da forma mais adequada é necessário conhecê-la a fundo antes de tomarmos qualquer decisão a cerca do produto que desejamos fabricar. É importante lembrar que o design atinge em cheio o alvo, ou seja o consumidor, que uma vez satisfeito passa a ser o maior aliado do fabricante. 24

23 BIBLIOGRAFIA ARAÚJO, Eduardo Carvalho. Marketing e Gerenciamento do Design. [S.L.. s.n.] nov p. Apostila. BONSIEPE, Gui. A cadeia de inovação. Revista Brasileira de Design de Interiores, Gráfico e de Produtos. São Paulo, n.43, out p CENTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DE MOBILIÁRIO E MADEIRA. O processo criativo no desenvolvimento do móvel; Mobiliário & Madeira. Bento Gonçalves, RS,v.13, n.3, p.6, jul/set COMÉRCIO EXTERIOR INFORME Banco do Brasil. A importância da marca e do design na exportação. Brasília, n.34, p.6-17, abr CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (Brasil). Departamento do Rio de Janeiro. A importância do design para sua empresa. Brasília, p.. Marketing: conceitos básicos. Brasília, 1999 GAY, Aquiles. La tecnologia el Ingeniero y la cultura. 2 ed. Córdoba: Centro de Cultura Tecnológica p. TEIXEIRA. Regina Cleide Figueiredo da Silva. Gestão urbana e desenvolvimento sustentável, de jan f. Notas de aula. 25

24

DESIGN PARA TODAS AS EMPRESAS

DESIGN PARA TODAS AS EMPRESAS A S DA TO AS N AS ES PR EM G SI DE R PA DESIGN PARA TODAS AS EMPRESAS BRASÍLIA - DF 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados. A reprodução

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO RESUMOS DOS PROJETOS DE PESQUISA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DESIGN DE MOBILIÁRIO PROJETO DE MOBILIÁRIO E DE INTERIORES PROJETO ARQUITETÔNICO PARA ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROF. DR.

Leia mais

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS

ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS ANALISE DO COMPORTAMENTO SOCIOAMBIENTAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE PALMAS XAVIER, Patrícia Alves Santana LIMA, Suzany Saraiva GOMES, Alan Rios RESUMO O presente estudo teve como objetivo analisar

Leia mais

RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190

RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190 186 RESUMOS DE PROJETOS... 187 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 190 RESUMOS DE PROJETOS 187 ANÁLISE DAS PROPRIEDADES E VIABILIDADE ECONÔMICA DA CERÂMICA VERMELHA UTILIZADA COMO AGREGADO RECICLADO MIÚDO PARA

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio Matriz de Especificação de Prova da : Técnico em Design de Móveis Descrição do Perfil Profissional: Desenvolve esboços, perspectivas e desenhos normatizados de móveis. Realiza estudos volumétricos e maquetes

Leia mais

Data do início da implementação da experiência: fevereiro de 1997

Data do início da implementação da experiência: fevereiro de 1997 Experiência: PROJETO DE RECICLAGEM DE PAPEL DE ESCRITÓRIO Ministério da Previdência e Assistência Social INSS/Superintendência Estadual em São Paulo Coordenação de Recursos Humanos Responsável: Marli Penteado

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

Logística Reversa. Conceito de Logística. Reversa 15/09/2011. Objetivos da aula. e o Meio Ambiente

Logística Reversa. Conceito de Logística. Reversa 15/09/2011. Objetivos da aula. e o Meio Ambiente Logística Reversa e o Meio Ambiente Objetivos da aula 1. Estabelecer as relações entre os canais de distribuição diretos e os canais reversos; 2. Identificar as diferentes categorias de canais de distribuição

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA. OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço

PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA. OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço Realização: Programa Mercado Mata Atlântica RBMA Instituto Amigos da Reserva

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO COMPRAS GOVERNAMENTAIS Alice Viana Soares Monteiro Secretária de Estado de Compras Governamentais sob o aspecto da Sustentabilidade Compra Pública Sustentável ou Licitação

Leia mais

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2

Índice. Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 1 Índice Farmácia de Manipulação Conhecendo uma farmácia de manipulação, suas vantagens e procedimentos... 2 A Empresa Informações sobre a empresa, farmacêuticas responsáveis, instalações, diferenciais

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: CONSUMO DE ÁGUA

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: CONSUMO DE ÁGUA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. Unifal-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 Curso: Ciências Biológicas Bacharelado

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA)

PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA) PROJETO DE LEI Nº, DE DE MAIO DE 2011. (Do Sr. PENNA) Dispõe sobre a regulamentação do exercício profissional de Designer, e dá providências. O Congresso Nacional decreta: Capítulo I Caracterização e atribuições

Leia mais

Construção Civil e Sustentabilidade

Construção Civil e Sustentabilidade CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 07 maio de 2014 Organização:

Leia mais

PROPOSTA DE NEGÓCIO. Faça parte de um empresa moderna e confiável.

PROPOSTA DE NEGÓCIO. Faça parte de um empresa moderna e confiável. Faça parte de um empresa moderna e confiável. Algunas ventajas de trabajar con Procad: Es trabajar sobre proyectos a realizar, con total libertad de decisión y con ganas de crecimiento. Es trabajar con

Leia mais

Quais os benefícios de trabalhar com o artesanato sustentável? artesanato

Quais os benefícios de trabalhar com o artesanato sustentável? artesanato artesanato Resposta Técnica artesanato SUSTENTÁVEL Quais os benefícios de trabalhar com o artesanato sustentável? Os megaeventos são momentos únicos e, quando bem aproveitados, podem render ao seu negócio

Leia mais

Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012

Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012 Projeto Aceleração de Negócios FACCAMP 2012 Objetivos e Metas Alavancar a empresa de uma forma sustentável, não apenas ambiental mas financeiramente. Introdução Histórico Tijolo Muralha da China construída

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO EPR 707 Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO O que é o PDP PDP é o processo de negócio que: Busca as especificações de projeto

Leia mais

ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL

ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL ROTEIRO PLANO DE MKT DIGITAL Este é um roteiro completo, com pontos gerais e específicos. Na elaboração do plano, procure adaptar os tópicos que o compõe, à realidade da empresa-cliente. Priorize a qualidade

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL Prof. a Fabiana Baraldi - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA

PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA FELIPE RABELO DE AGUIAR Graduando do Curso de Ciências Contábeis da UFPA feliperabelo11@yahoo.com.br Héber Lavor Moreira Professor Orientador

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13008 10 E Técnico de Instalações Elétricas Carlos Jorge Oliveira Rodrigues Escola Secundária de São Pedro do Sul 13791 10 E Técnico de Instalações Elétricas Daniel dos Santos Rodrigues Escola Secundária

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

O design nos serviços

O design nos serviços O design nos serviços SUMÁRIO O que é Serviço Alguns segmentos do Serviço Design no Turismo Design na Economia criativa Design na Economia digital Design nas Startups Design na Limpeza Design no Transporte

Leia mais

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350 ARTESANATO BOLETIM COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento Em 2012, o faturamento foi de R$ 22,5 bilhões no Brasil, e de aproximadamente R$ 28 bilhões em 2013.

Leia mais

Agnoax Augusto Rodrigues Pereira Padronização e a Gestão de Risco. Desenvolvimento Mobile: Padrões, filosofia e ferramentas

Agnoax Augusto Rodrigues Pereira Padronização e a Gestão de Risco. Desenvolvimento Mobile: Padrões, filosofia e ferramentas Nome palestrante Nome palestra Adoniran Coelho Gerenciamento de Riscos Geotécnicos em Obras Subterrâneas de Túneis Agnoax Augusto Rodrigues Pereira Padronização e a Gestão de Risco Alexandre de Oliveira

Leia mais

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO REVERSOS

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO REVERSOS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO REVERSOS LOGÍSTICA REVERSA E A RESPONSABILIDADE EMPRESARIAL Os bens industriais apresentam ciclos de vida útil de algumas semanas ou de alguns anos, após o que serão descartados

Leia mais

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Decor Store Interiores Loja de Decorações de Interiores Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Quem somos A Decor Store Interiores é uma loja que agrega em um único espaço vários itens relacionados a

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

O Que Vem Mudando Nos Hábitos De Consumo Da Classe C

O Que Vem Mudando Nos Hábitos De Consumo Da Classe C VAREJO Agosto - 2012 O Que Vem Mudando Nos Hábitos De Consumo Da Classe C Desde a criação do Real e a estabilização da economia, o poder aquisitivo da população brasileira aumentou de forma significativa.

Leia mais

APRESENTAÇÃO O DESIGN É HOJE UM RECURSO ESTRATÉGICO FUNDAMENTAL PARA AUMENTAR O POTENCIAL COMPETITIVO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS.

APRESENTAÇÃO O DESIGN É HOJE UM RECURSO ESTRATÉGICO FUNDAMENTAL PARA AUMENTAR O POTENCIAL COMPETITIVO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. O QUE É DESIGN APRESENTAÇÃO O design ocupa grande parte do cotidiano das pessoas e das empresas, representado por uma infinidade de produtos e serviços. Ele é o meio que as empresas utilizam para transformar

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO BOLSAS E ACESSÓRIOS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO BOLSAS E ACESSÓRIOS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO BOLSAS E ACESSÓRIOS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico 3.2 Madeira e Móveis Diagnóstico Durante a década de 90, a cadeia produtiva de madeira e móveis sofreu grandes transformações em todo o mundo com conseqüentes ganhos de produtividade, a partir da introdução

Leia mais

Governo do Estado do Pará. Simão Robison Oliveira Jatene Governador

Governo do Estado do Pará. Simão Robison Oliveira Jatene Governador JANEIRO/2013 1 Governo do Estado do Pará Simão Robison Oliveira Jatene Governador Helenilson Cunha Pontes Vice-Governador do Estado do Pará / Secretário Especial de Estado de Gestão Seges Instituto do

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. Antonio Augusto Pereira de Sousa - aauepb@gmail.com 1 Djane de Fátima

Leia mais

1 Do lixo ao luxo que antes era descartado agora pode ir O parar no centro da sua sala. Designers do mundo todo se movimentam e criam produtos que além de elegantes, requintados e funcionais respeitam

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Aula 8 a A Engenharia e o Meio Ambiente Parte I Edgar Aberto de Brito PRIMEIRA PARTE As questões ambientais e os problemas para a engenharia. ENGENHARIA

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Belo Solutions Fundada em 1991, como têxtil Ana & Belo,Lda e com uma única atividade económica na Indústria Têxtil. No entanto, em 2012, a empresa decidiu alargar horizontes, mudando

Leia mais

Frutas em Calda, Geléias e Doces

Frutas em Calda, Geléias e Doces Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agroindústria de Alimentos Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Iniciando um

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

O INVESTIMENTO QUE RETORNA MULTIPLICADO PORTFÓLIO DE PRODUTOS

O INVESTIMENTO QUE RETORNA MULTIPLICADO PORTFÓLIO DE PRODUTOS O INVESTIMENTO QUE RETORNA MULTIPLICADO PORTFÓLIO DE PRODUTOS 2016 COMUNICAÇÃO 360 A melhor forma de se lançar um produto, promover ou reposicionar uma marca é utilizar todos os meios de comunicação disponíveis,

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DA COLETA SELETIVA E DESTINO DOS MATERIAIS DESCARTADOS

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DA COLETA SELETIVA E DESTINO DOS MATERIAIS DESCARTADOS ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE DA COLETA SELETIVA E DESTINO DOS MATERIAIS DESCARTADOS PROGRAMA Nº 04/2012 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri.

Leia mais

Ana possui uma promissora. Ambiente virtual para inovar

Ana possui uma promissora. Ambiente virtual para inovar Ambiente virtual para inovar Secti lança Portal Paraense de Inovação para conectar atores estratégicos e aumentar investimento em inovação no Pará Por Igor de Souza Ana possui uma promissora empresa de

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

O Código de Defesa do Consumidor 7. Como ser um consumidor bem informado? 8. O que é relação de consumo? 10. Conheça os seus direitos 11

O Código de Defesa do Consumidor 7. Como ser um consumidor bem informado? 8. O que é relação de consumo? 10. Conheça os seus direitos 11 SUMÁRIO O Código de Defesa do Consumidor 7 Como ser um consumidor bem informado? 8 O que é relação de consumo? 10 Conheça os seus direitos 11 Prazos para reclamar 17 O que é cadastro 19 Dicas importantes

Leia mais

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

DESIGN. 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos DESIGN 1. TURNO: Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharelado HABILITAÇÃO: Projeto do Produto PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2. OBJETIVO/PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO Objetivo: Proporcionar

Leia mais

Programa de Internacionalização: Cursos a Distância. Marketing Internacional. Exportação. Exportar CURSO

Programa de Internacionalização: Cursos a Distância. Marketing Internacional. Exportação. Exportar CURSO Programa de Internacionalização: Cursos a Distância Marketing Internacional Procedimentos Planejamento para Exportação Exportar CURSO FICHA TÉCNICA Curso Marketing Internacional SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO

Leia mais

Critérios de Sustentabilidade Ambiental de Produtos. Luciana Betiol FGVCes Centro de Estudos em Sustentabilidade Outubro/2007

Critérios de Sustentabilidade Ambiental de Produtos. Luciana Betiol FGVCes Centro de Estudos em Sustentabilidade Outubro/2007 Critérios de Sustentabilidade Ambiental de Produtos Luciana Betiol FGVCes Centro de Estudos em Sustentabilidade Outubro/2007 Agenda Origem do estudo de Critérios de Sustentabilidade Ambiental de Produtos

Leia mais

Energia, Sustentabilidade e Produção Mais Limpa. Prof. Dr. Douglas Wittmann. São Paulo - 2015

Energia, Sustentabilidade e Produção Mais Limpa. Prof. Dr. Douglas Wittmann. São Paulo - 2015 Energia, Sustentabilidade e Produção Mais Limpa Prof. Dr. Douglas Wittmann São Paulo - 2015 Prof. Dr. Douglas Wittmann Doutor em Ciências (USP). Mestre em Engenharia de Produção (UNIP). Pós-graduado em

Leia mais

CURSO DE PROCESSOS GERENCIAIS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA GESTÃO POR PROCESSOS UNIDADE DIDÁTICA I GUIA DE ESTUDO Nº 2 / 2015

CURSO DE PROCESSOS GERENCIAIS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA GESTÃO POR PROCESSOS UNIDADE DIDÁTICA I GUIA DE ESTUDO Nº 2 / 2015 CURSO DE PROCESSOS GERENCIAIS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA GESTÃO POR PROCESSOS UNIDADE DIDÁTICA I GUIA DE ESTUDO Nº 2 / 2015 A EMPRESA COMO UMA GRANDE COLEÇÃO DE PROCESSOS REDE DE PROCESSOS Autor: Prof.

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DO CONSUMO DE PAPEL PROGRAMA Nº 06/ 2012 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 2ª edição, atualização

Leia mais

Uma empresa que tem raízes fortes em sua própria história,

Uma empresa que tem raízes fortes em sua própria história, Uma HISTÓRIA de sucesso que começou em 1967... A Rivera é uma empresa que tem a vocação para o desenvolvimento e produção de móveis, em especial aqueles que compõem ambientes de trabalho que vão desde

Leia mais

ARQUITETURA SUSTENTÁVEL: USO DE ECOPRODUTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL EM MARINGÁ

ARQUITETURA SUSTENTÁVEL: USO DE ECOPRODUTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL EM MARINGÁ ARQUITETURA SUSTENTÁVEL: USO DE ECOPRODUTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL EM MARINGÁ Fanny Islana de Lima Carvalho 1 ; Cesar Henrique Godoy² RESUMO: Ecoprodutos são bens de consumo elaborados com o intuito de não

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

ANALISTA DE INFORMÁTICA / SISTEMAS

ANALISTA DE INFORMÁTICA / SISTEMAS EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA - EMPREL ANALISTA DE INFORMÁTICA / SISTEMAS ALEXANDRE CANTINHO SALSA JUNIOR 900861 30º 60,00 ANA CECILIA VITAL DE ANDRADE, 901526 14º 67,00 ANDRE LUIZ DE OLIVEIRA LOPES

Leia mais

A Estação Resgate é uma unidade recicladora de resíduos da construção civil (RCD)

A Estação Resgate é uma unidade recicladora de resíduos da construção civil (RCD) ESTAÇÃO RESGATE RECICLAGEM CC Sistema único de Reciclagem de Resíduos da Construção e Demolição e aproveitamento dos resíduos para fabricação A Estação Resgate é uma unidade recicladora de resíduos da

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE PRODUTO (RPD)

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE PRODUTO (RPD) INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE PRODUTO (RPD) REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA PARA DESENVOLVIMENTO INTERNACIONAL DE NOVOS PRODUTOS O esquema abaixo considera o conceito de design de produto, esboços

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS EM CONDOMINIOS Miguel Tadeu Campos Morata Engenheiro Químico Pós Graduado em Gestão Ambiental Considerações Iniciais Meta - A sobrevivência e perpetuação do seres humanos no Planeta. Para garantir a sobrevivência

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM NEGÓCIO NO SEGMENTO DE SEMI JOIAS

ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM NEGÓCIO NO SEGMENTO DE SEMI JOIAS 1 ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM NEGÓCIO NO SEGMENTO DE SEMI JOIAS Astila Leite Persilva Paratella 1. Davidson Julio Xavier 2. Fernanda Lima Montemor Costa 3. Jéssica Stephanie Monteiro Ribeiro

Leia mais

Passo a passo do Evento

Passo a passo do Evento Passo a passo do Evento 1 Pré-evento Definição do Público Número de convidados e características específicas e segmentadas O público definirá dimensão Porte e abrangência do evento.. Com participação de

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

SAMARCO MINERAÇÃO S.A.

SAMARCO MINERAÇÃO S.A. SAMARCO MINERAÇÃO S.A. MINAS GERAIS E ESPÍRITO SANTO INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DA LINHA 03 DE MINERODUTO PLANO BÁSICO AMBIENTAL PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL OS Tramitação Via Data 1SAMA013-OS-00011

Leia mais

PROJETO ECO BOLSAS. Ebert F. SILVA, Marielle F. PINTO

PROJETO ECO BOLSAS. Ebert F. SILVA, Marielle F. PINTO PROJETO ECO BOLSAS Ebert F. SILVA, Marielle F. PINTO Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM Av. Governador José Malcher, 1148 CEP 66.055 260 efontelessilva@hotmail.com Resumo: O Eco Design surge

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL

A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL ISSN 1984-9354 A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL Jaqueline Colares Viegas (UFF) Mara Telles Salles (UFF) Resumo A sustentabilidade tem se tornado um tema cada mais relevante

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2

PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 1 PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 RESUMO O Plano de Negócios é parte fundamental do processo empreendedor, visto que os empreendedores precisam saber planejar suas ações e delinear

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA

ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA Curso: Biologia e Biotecnologia Sara Catarina Oliveira da Silva Curso: Ciência e Tecnologia Alimentar Paulo Sérgio de Carvalho Curso: Engenharia Agronómica Marcelo Filipe da Cunha

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

Empreendedorismo Sustentável. Cândido Borges

Empreendedorismo Sustentável. Cândido Borges Empreendedorismo Sustentável Cândido Borges Cândido Borges, 2013 AGENDA 1. Empreendedorismo sustentável 2. Tipos de empreendedorismo sustentável 3. Alguns desafios dos empreendedores sustentáveis 4. Jovens

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL

EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS DO CURSO ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EDA 1601 - INGLÊS INSTRUMENTAL I (2.0.0)2 English for Specific Purposes": introdução. Leitura e compreensão de texto: estratégias de leitura. Organização e partes

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração Faculdade Pitágoras de Uberlândia Apostila de Administração Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 SUMÁRIO 1 O PLANO DE NEGÓCIOS...2 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...5

Leia mais

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos Projeto Consciência Resíduos 1 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? 2 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? Resíduo pode ser considerado qualquer material que sobra após uma ação ou processo produtivo.

Leia mais

RELAÇÃO DOS CANDIDATOS APROVADOS NA 1º ETAPA PÓS-RECURSO. Credenciamento de Consultores e Instrutores do Sebrae/ DF.

RELAÇÃO DOS CANDIDATOS APROVADOS NA 1º ETAPA PÓS-RECURSO. Credenciamento de Consultores e Instrutores do Sebrae/ DF. RELAÇÃO DOS CANDIDATOS APROVADOS NA 1º ETAPA PÓS-RECURSO. Credenciamento de es e es do Sebrae/ DF. ÀREA DE CONHECIMENTO: AGRONEGÓCIOS agronegócios Alejandro Luiz Pereira da Silva empreendimentos agropecuários

Leia mais

Lamiecco é agraciada com troféu Destaque Gaúcho 2009

Lamiecco é agraciada com troféu Destaque Gaúcho 2009 News Uma publicação de Plásticos Ltda - Ano 2 - número 10 - agosto de 2009 Editorial Por Alexandre Figueiró - Diretor é agraciada com troféu Destaque Gaúcho 2009 A LAMIECCO, uma jovem empresa, se orgulha

Leia mais

GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING

GESTÃO do DESIGN interrelacionada com GESTÃO do MARKETING 1. Gestão do design e a estratégia de marketing A gestão do design tem a função de controlar a criação e desenvolvimento do produto, estando sempre atento e observando as necessidades do mercado e a promoção

Leia mais

O desafio: A vantagem da Videojet:

O desafio: A vantagem da Videojet: Nota de aplicação Tinta Tintas coloridas para embalagens de ponto de venda O desafio: O ambiente de varejo é um mercado em constante evolução, com maior ênfase na embalagem, que não só protege os produtos

Leia mais

Administração Financeira em Eventos Recursos e recomendações para a execução de eventos

Administração Financeira em Eventos Recursos e recomendações para a execução de eventos Aula 5 MBA em Secretariado e Assessoria Executiva Gestão de Eventos Administração Financeira em Eventos Recursos e recomendações para a execução de eventos A fase de execução compreende o desenvolvimento

Leia mais

ESTUDO DA VALORAÇÃO ECONÔMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE RECIFE/PE

ESTUDO DA VALORAÇÃO ECONÔMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE RECIFE/PE ESTUDO DA VALORAÇÃO ECONÔMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE RECIFE/PE Diogo Henrique Fernandes da Paz (1) Discente de Engenharia Agrícola e Ambiental na Universidade Federal Rural de

Leia mais

Apresentação. Oque é Marca. Multimedia Branding Designer

Apresentação. Oque é Marca. Multimedia Branding Designer Oque é Marca Marca é toda representação simbólica de uma entidade, individuo ou elemento. Uma pegada, uma impressão digital, ou mesmo o meu ou seu nome podem ser caracterizados como marca. Quando nos referimos

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis

Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis Minimização O manejo ambientalmente saudável do resíduo sólido urbano deve ir além do simples depósito ou aproveitamento

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

ATENÇÃO. Apresentação

ATENÇÃO. Apresentação Apresentação O tema logística reversa vem crescendo em importância entre as empresas desde a regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com as novas exigências, as empresas precisam buscar

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia 1 Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Metodologias ágeis Princípios do Manifesto ágil 12 itens do manifesto

Leia mais