UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE MARKETING SOCIAL EM UMA EMPRESA DE DESIGN Orientador Prof. Mary Sue Rio de Janeiro 2010

2 2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE MARKETING SOCIAL EM UMA EMPRESA DE DESIGN Apresentação de monografia à Universidade Candido Mendes como requisito parcial para obtenção do grau de especialista em Marketing. Por: Miriã Alves de Andrade.

3 3 AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus por ter me dado condições de realizar mais esse sonho e ter capacitado. As amigas Cinthya que me indicou o curso, Geraldine que conheci no curso e Karina que me apoiou muito durante o curso.

4 4 DEDICATÓRIA Dedico às mesmas amigas que agradeço por terem feito parte dessa história.

5 5 RESUMO Marketing social em uma empresa de design é o resultado de uma pesquisa desenvolvida que terá como desdobramento a criação de uma microempresa de design na cidade do Rio de Janeiro. O objetivo principal do trabalho é mostrar o marketing social como estratégia de divulgação e consolidação de uma marca associando-a a um projeto social em uma escola pública situada no bairro onde fica a sede da empresa.utilizando a biblioteca comunitária da escola para ensinar os jovens a criar animações, dinamizar e informatizar o acervo tornando-o assim mais atraente para o público interno e externo (do bairro) e inclusão social da terceira idade. Apresentações criativas de livros infantis, histórias gravadas pelos alunos e outras iniciativas também serão desenvolvidas ao longo do ano de Parcerias diversas serão firmadas além da divulgação dos resultados para colaboradores, parceiros e consumidores.

6 6 METODOLOGIA A metodologia utilizada foi a pesquisa em sites especializados em marketing social, projetos de inclusão social e digital além de bibliografia específica. Para a escolha do tema e de seu desenvolvimento buscamos analisar e conhecer projetos semelhantes bem-sucedidos e todo o processo pelos quais estes passaram até alcançar os objetivos propostos.

7 7 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 08 CAPÍTULO I - MARKETING SOCIAL 10 CAPÍTULO II- O MARKETING SOCIAL E A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM CORPORATIVA 19 CAPÍTULO III- O MARKETING SOCIAL E O DESIGN 27 CONCLUSÃO 33 BIBLIOGRAFIA 34 INDICE 37 FOLHA DE AVALIAÇÃO 39

8 8 INTRODUÇÃO Marketing social em uma empresa de design é o resultado de uma pesquisa desenvolvida que terá como desdobramento a criação de uma microempresa de design na cidade do Rio de Janeiro. Pretendemos utilizar o marketing social como estratégia de divulgação e consolidação de uma marca positiva ao associá-la a um projeto social próximo à nossa sede no bairro do Andaraí. Após pesquisar exemplos bem-sucedidos como a Masa da Amazônia e a Petrobrás observamos a importância deste tipo de estratégia para a divulgação e o fortalecimento da marca. Também notamos que é possível desenvolver projetos de baixo custo em comunidade próxima a sede da empresa aproximando a população de nossos serviços. Meio ambiente, educação,inclusão social, cultura e lazer estão entre as áreas que mais recebem incentivo de empresas em locais onde muitas vezes a presença do governo local é insuficiente. Reforma de praças, reciclagem, criação de salas de informática entre outros. Procuraremos mostrar a viabilidade para desenvolver este tipo de projeto em uma biblioteca comunitária de uma escola pública no município do Rio de Janeiro com a criação de uma rede social na qual os alunos possam se comunicar e trocar ideias sobre as obras disponíveis. Também criaremos apresentações criativas de livros infantis, histórias gravadas pelos alunos e colocaremos um estagiário ou funcionário que ensinará os jovens a fazer trabalhos como: animação e vídeos sobre os conteúdos que estejam estudando. Colocaremos a disposição de idosos aulas de informatica, onde ensinaremos a usar editores de texto, planilhas e apresentações e acessar a

9 9 internet, utilizando sempre estagiario e funcionarios da empresa para criar em nosso escritorio uma coinciencia e constante necessidade de ajudar o proximo. Em uma segunda etapa do projeto, buscaremos parcerias com ONGs que desenvolvam trabalhos de valorização e integração do jovem com a internet- inclusão digital- a fim de ampliar o trabalho e contar com a colaboração de profissionais como pedagogos, por exemplo. Em uma terceira etapa procuraremos divulgar através de nosso site e do marketing os resultados positivos desta ação para a melhora do aprendizado e do aumento do interesse dos alunos pela biblioteca e socialização dos idosos. Desta forma, associaremos cada vez mais nossos produtos e serviços a uma imagem de compromisso e responsabilidade social na qual há retorno positivo para ambas as partes: para a empresa que se traduzirá no aumento do número de clientes e para a comunidade.

10 10 CAPÍTULO I MARKETING SOCIAL O objetivo do marketing é tornar a venda supérflua. A meta é conhecer e compreender tão bem o cliente que o produto ou o serviço se adapte a ele e se venda por si só. O ideal é que o marketing deixe o cliente pronto para comprar 1. Atualmente, o marketing faz parte dos recursos mais importantes de uma empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte; nacional ou multinacional. Ele é um dos responsáveis pelo aumento do número de vendas de produtos ou serviços na medida em que tem a capacidade de consolidar uma marca, idéia, conceito ou imagem, tornando-a confiável e cobiçada. Para que o crescimento da empresa seja garantido e ela alcance a tão desejada posição de líder do setor em que atua necessita de um setor de marketing criativo, dinâmico e eficaz. 1.1 conceito de Marketing Social Marketing social é um recurso para que as empresas construam uma imagem positiva de si mesma diante dos clientes e dos fornecedores: 1 MORCERF, S.O et al.marketing social- A estratégia de mudança do comportamento social. Cadernos UniFOA. Volta Redonda: ano 1. Número 1. Jul 2006, p. 3. Disponível em : <http: >. Acesso em: 12 junho de 2010.

11 11 No marketing social, a empresa consciente toma decisões tendo em vista suas exigências, os desejos e interesses do cliente e os interesses a longo prazo da sociedade. A empresa está ciente de que negligenciar esses interesses a longo prazo é um desseviço para os clientes e a sociedade, e as que são alertas vêem os problemas sociais como oportunidades 2. Este conceito está, portanto, inteiramente relacionado com as estratégias de apresentação e identificação da marca com o consumidor (público-alvo). É através de projetos, ações e intervenções na comunidade do entorno ou na sociedade (quando se trata de um projeto de grande porte) que a empresa demonstra seu interesse pelas transformações sociais: O Marketing Social norteia-se por três objetivos fundamentais: 1) Estudar a aplicabilidade dos princípios e práticas de marketing à solução de problemas sociais amplos; 2) Estudar modelos para uma prática melhor, bem como implementar e examinar as formas de marketing utilizadas nos setores de saúde e social, buscando desenvolver e avaliar essesmodelos; 3) Examinar os efeitos do marketing comercial sobre o comportamento das pessoas.(rabelo, 2000, p.77). No Brasil assim como em outros países em desenvolvimento esta é uma estratégia que traz vantagens para ambos os lados pois, grande parte da população necessita de serviços básicos como educação, saúde e saneamento básico. Pequenas ações podem trazer grandes mudanças em uma comunidade aumento sua qualidade de vida. 2 KOTLER, Philip e ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing, Prentice-Hall, 7a edição, pág. 483.

12 12 Há mais de três décadas, segundo Kotler (et al, 1992, p.13), o termo apareceu pela primeira vez, nos anos 70, para de 1971, para dar conta das intervenções positivas de empresas em locais carentes, garantindo direitos humanos como o lazer, a saúde e a educação: O termo marketing social apareceu pela primeira em 1971, para descrever o uso de princípios e técnicas de marketing para a promoção de uma causa, idéia ou comportamento social. Desde então, passou a significar uma tecnologia de gestão da mudança social, associada ao projeto, implantação e controle de programas voltados para o aumento da disposição de aceitação de uma idéia ou prática social. Nesta época de experimentação deste conceito, o objetivo principal era atender a um grupo, isto é, parte de uma população atendendo a uma de suas necessidades. Por exemplo: uma creche para crianças carentes da comunidade X para que suas mães possam trabalhar ou uma praça reformada com novos brinquedos, área para animais, iluminação adequada e quadras poliesportivas onde antes só havia mato e mendigos além de pouca iluminação. O retorno para a empresa é bastante satisfatório. O projeto precisa ser elaborado com extrema seriedade para que traga retorno para ambos: o público-alvo, a realidade social, os principais problemas do grupo, o tempo de duração, o custo e os objetivos precisam estar claros para ambos também. Segundo Vaz(1995, p.10), a pesquisa é fundamental para o sucesso e o reconhecimento do projeto em questão: Os programas baseados no marketing social são trabalhos cuidadosos de pesquisa, que procuram encontrar a raiz do problema social, identificando-se os focos de resistência a uma mudança (comportamental) e, então, definindo um planejamento de apresentação das idéias, de formulação das

13 13 propostas e de preparação da estrutura necessária para dar sustentação à campanha. O marketing social, ainda citando Vaz (1995, p.12), modifica consideravelmente a imagem da empresa tornando-a do bem. A marca passa a ser associada com a boa ação, isto é, as mudanças sociais que ela traz: (...) o Marketing Institucional presta-se às atividades de polimento de imagem das organizações, na busca de sólida reputação e reconhecimento público para a empresa. Utilizado para formar, manter, consolidar ou mudar o conceito público de uma organização, é o sentido mais usual em que se emprega a expressão Marketing Institucional, voltado para a obtenção, preservação e melhoria de imagem da empresa no mercado. Um bom exemplo são empresas que tem como referência projetos ambientais: são ecologicamente corretas, plantam árvores, reciclam materiais, apóiam iniciativas ecológicas em escolas carentes e ganham prêmios neste setor. São facilmente associadas à preservação da natureza. 1.2 Objetivos do Marketing Social Quais são os objetivos do marketing social? Quais são as suas estratégias? Que resultados deve alcançar? Em quanto tempo? Qual é o alcance de uma idéia positiva em seu público-alvo? Diversas são as questões pertinentes à elaboração, gestão e manutenção de um projeto social. Além de reforçar a responsabilidade social da empresa e associar sua marca com valores como solidariedade, caridade e cooperação, há inúmeros objetivos que precisam ser considerados e alcançados:

14 14 O Marketing Social norteia-se por três objetivos fundamentais: 1) Estudar a aplicabilidade dos princípios e práticas de marketing à solução de problemas sociais amplos; 2) Estudar modelos para uma prática melhor, bem como implementar e examinar as formas de marketing utilizadas nos setores de saúde e social, buscando desenvolver e avaliar esses modelos; 3) Examinar os efeitos do marketing comercial sobre o comportamento das pessoas. (RABELO, 2000, p.77) Simpatia dos clientes A simpatia dos clientes é um dos objetivos na medida em que ela torna o público-alvo fiel à marca e também é responsável pelo famoso boca a boca, isto é, divulga a marca e o projeto que está associado a ela para outras pessoas. Neste caso, o elogio, o eu recomendo é uma propaganda gratuita e que traz impactos positivos sobre o número de vendas do produto ou serviço oferecido. Ao conhecer os benefícios que uma comunidade está recebendo, a sociedade reconhece a importância do trabalho desenvolvido e começa a ter uma imagem da empresa muito positiva, consumindo seus produtos e serviços e ajudando na instalação e funcionamento do projeto em questão. Atualmente há leis que permitem um desconto considerável no imposto de renda e até mesmo a isenção do mesmo. Entre elas destacam-se: Lei de incentivo à cultura, Lei do Primeiro emprego, Lei Rouanet, Lei do audioviisual entre outras Projeção no mercado Em um mercado competitivo como o do Brasil com diversidade de marcas, preços e variedade de serviços, os profissionais de marketing e também os donos de médias e grandes empresas percebem cada vez mais a

15 15 importância de construir uma marca que se consolide no mercado e seja referência para o consumidor. Mas qual deve ser a principal estratégia adotada para a construção de uma marca politicamente correta e socialmente aceitável? O marketing social deve utilizar ações com o objetivo de sensibilizar o público-alvo, conquistando-o, gerando assim uma relação de fidelidade com ele. O Marketing Social sério atua com projetos e políticas de Responsabilidade Sócio-ambiental definidas e de acordo com a realidade do público assistido. A empresa deve certificar-se de que possui influência junto aos seus parceiros e fornecedores para garantir que as partes envolvidas cumpram seus compromissos até o fim do prazo estipulado para sua efetiva realização/participação Fama de socialmente responsável Parcerias com governos e associações diversas que passam a apoiar a marca/empresa são fundamentais para que os projetos alcancem seus objetivos específicos. Para tanto, os projetos precisam ser definidos através de seus itens básicos que são: Custo operacional, cronograma de ações (passo a passo com carga horária de cada atividade), material e espaço necessário. Ele pode ser aplicado em diversas modalidades, como por exemplo: Creches comunitárias, inclusão digital, educação especial, planejamento e saúde da família, controle da obesidade, prevenção de abuso contra crianças, violência contra a mulher, preservação do meio ambiente, práticas desportivas, cursos profissionalizantes e educação especial. 1.3 Estágios do processo de compra O que leva alguém a comprar um produto ou serviço? Mais importante: Que elementos são determinantes para que o consumidor se mantenha fiel a uma marca?

16 16 Segundo Goldstein e Almeida (2000, p.17) há cinco estágios do processo de compra que devem ser considerados pelas empresas: a) Necessidade sentida; b) Procura por informação; c) Avaliação de alternativas; d) Decisão de compra e) Sentimento pós-compra. Cada uma delas tem seu papel/função e sua importância. Entretanto a falha em apenas uma pode fazer com que a empresa perca muitos clientes e, o que é pior, que desenvolva uma imagem negativa da mesma perante possíveis compradores futuros. A necessidade sentida, muitas vezes, é criada, isto é, ela surge a partir de uma propaganda bem elaborada, que convida o expectador a participar de um movimento pela sua própria felicidade. Na maioria dos casos é possível afirmar que o consumo está muito ligado à realização pessoal,às satisfações de necessidades que, no fundo, são objetos e serviços supérfluos. Você merece este produto é a mensagem oculta das propagandas. E você só será feliz e reconhecido socialmente com ele. Portanto, mesmo quando não necessita de um produto ou serviço o consumidor quer possuí-los. A moda contemporânea é um excelente exemplo. As novelas e filmes lançam bolsas, colares, cortes de cabelo e etc. Surge assim a vontade de estar na moda e comprar novas peças e acessórios embora já possua uma grande quantidade destes objetos. Marketing e desejo se complementam. Trata-se de desejar a novidade, de querer experimentar alguma coisa ou sensação que antes não existia. Um exemplo bem atual são as empresas e os serviços de telefonia. A diversidade do mercado era impensável há décadas atrás já que para ter um telefone fixo o custo era elevado. Hoje a propaganda induz a troca cada vez

17 17 mais rápida dos aparelhos que trazem novos acessórios que, muitas vezes, o consumidor nem sabe usar. A procura por informação é importante, pois quanto mais se sabe de um determinado produto menores são as chances de se fazer uma compra mal sucedida. Ela é constituída pelos seguintes elementos: o preço, a forma de pagamento, a qualidade, o tempo de validade, o tamanho, o peso e a durabilidade, cores e modo de usar. Nesta segunda etapa, quando a empresa tem um projeto em que demonstra ter responsabilidade social, este pode auxiliá-la a conquistar mais clientes.por exemplo:imagine um futuro comprador que visita o site da empresa e encontra fotos, reportagens de jornais locais e prêmios que a mesma adquiriu auxiliando na transformação da sociedade. Áreas como a educação ambiental ou inclusão digital estão entre os mais desenvolvidos e aprovados pela sociedade em geral pela sua importância, sobretudo, em áreas carentes. A avaliação de alternativas é restrita a um pequeno grupo de clientes que costuma ser mais exigente. Ele tem como hábito analisar, pensar e comparar as marcas antes de optar por uma delas.também troca de marca quando não está mais satisfeito. Decisão de compra- ao optar pela compra, variações de preço, formas de pagamento e tempo de validade ou garantia são fundamentais. As facilidades, vantagens e programas de prêmios, sorteios e descontos atraem a atenção de muitos, como por exemplo, nas compras pela internet que oferecem comodidade, prometem rapidez na entrega além de facilitar o pagamento sem juros. O sentimento pós-compra precisa receber mais atenção das empresas. O consumidor pode ter vários problemas nesta fase: a) O produto vir com defeito: a empresa deverá efetuar a troca de forma rápida e simples;

18 18 b) Não estar no tamanho ou cor solicitada- As trocas não devem acarretar nenhum tipo de transtorno; c) Deve ser bem claro o prazo de cancelamento, entrega e troca de produtos ou serviços.

19 19 CAPÍTULO II O MARKETING SOCIAL E A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM CORPORATIVA De que modo o marketing social atinge com eficácia seus objetivos? Como é possível desenvolve-lo com baixo custo? As respostas para estas perguntas têm origem em três fatores que se complementam: conhecimento da realidade, criatividade e pesquisa de preços. 2.1 PROJETOS SOCIAIS NA COMUNIDADE DO ENTORNO Para que uma microempresa possa divulgar no bairro onde está instalada uma imagem positiva, de preocupação com as transformações sociais, culturais e educacionais da comunidade carente que a cerca, precisa desenvolver projetos, ações e iniciativas que tenham na criatividade seu ponto forte. Isto porque ele deve se destacar, atrair os olhares da vizinhança. Quanto mais se conhece as verdadeiras necessidades e carências desta população mais fácil será criar iniciativas que envolvam e auxiliem crianças, idosos e/ou adultos. A comunidade ou bairro conhece bem tanto suas principais dificuldades quanto possíveis soluções para aumentar a qualidade de vida de sua população. Problemas como, por exemplo, dependência química, pouca oferta de vagas em creches e escolas próximas ao local, ausência planejamento familiar tendo como conseqüência gravidez na adolescência em alto índice entre outros inúmeros obstáculos a uma convivência tranquila poderão ser alvo de projetos e ações sociais eficazes.

20 20 Com relação a estes exemplos e inúmeros outros casos similares no Brasil já estão funcionando centenas de projetos. Vejamos alguns que se destacam pela importância enquanto agentes de transformação econômica e social: Na cidade do Rio de Janeiro um importante monumento turístico, cultural e religioso, o Cristo Redentor recebe constantes ações de manutenção e reformas propiciadas pela parceria da Gerdau com a Prefeitura da cidade e a Arquidiocese do Rio de Janeiro, Ibama e Fundação Roberto Marinho. Esta ação conjunta garante a qualidade e longa durabilidade para este ponto turístico que atrai pessoas do mundo inteiro gerando receita para o município. Na cidade de São Paulo, no Parque do Ibirapuera há um projeto em andamento que busca reestruturar a sinalização e a implantação do sistema de coleta de resíduos, atuando diretamente na preservação do meio ambiente e conscientizando seus funcionários e freqüentadores. A reciclagem é o ponto alto da iniciativa. Em cidades grandes e com inúmeros problemas ambientais a mudança da mentalidade de sua população criando uma consciência ecológica pode começar em iniciativas como essas. A empresa Parmalat aumentou suas vendas quando passou a associar seus produtos com iniciativas de responsabilidade social. A reciclagem de embalagens em todas as unidades produtivas da empresa e a implantação de estações próprias para tratar a água utilizada na indústria foram divulgadas para a comunidade do entorno e, em seguida, através do site da empresa. As ETEs (Estações de Tratamento de Efluentes) tratam 100% dos esgotos e traz para a população uma melhor qualidade de vida que é reconhecida pela mesma.

21 21 Disponível em: < Acesso em: 7 de julho de O baixo custo das iniciativas também deverá ser considerado para que o investimento não prejudique as finanças da empresa. 2.2 Importâncias da imagem corporativa positiva Ter uma imagem positiva diante de clientes e de colaboradores é um elemento fundamental para o sucesso de qualquer empresa. Ter a confiança e a credibilidade cada vez mais consolidadas deve ser o primeiro objetivo do marketing social. Em pesquisa realizada recentemente pelo IPEA pode-se concluir o tamanho do alcance destas ações sociais:

22 22 Disponível em: < Acesso em: 07 de julho de Segundo o gráfico é possível compreender a eficácia das ações que beneficiam uma comunidade, bairro ou até mesmo uma cidade. Entre os maiores benefícios encontramos: a) Relacionamento com parceiros- Em geral, o marketing social melhora o relacionamento da empresa com clientes e fornecedores e, é claro, com os funcionários. Segundo Theodoro, há um jogo de interesses extremamente positivo para ambos os lados, pois, a sociedade se beneficia dos projetos patrocinados pela empresa; os consumidores que sentem simpatia por uma marca que faz o bem à sociedade e aos desfavorecidos e carentes.por último a empresa patrocinadora que encontra no aumento do lucro obtido o retorno do investimento conforme esquema a seguir:

23 23 FONTE: THEODORO: 2000, p. 5. Na definição do próprio autor: Esta é a essência do Marketing Social, difundir a qualidade dos serviços prestados por Organizações Sociais, demonstrar o posicionamento no mercado de empresas comprometidas com causas sociais, dar ao governo a possibilidade de promover mudanças de comportamento, por meio de campanhas institucionais, e garantir ao Terceiro Setor mecanismos de captação de recursos.(theodoro: 2000, p.05). b) Produtividade dos funcionários- Há projetos que beneficiam diretamente os funcionários. Por exemplo: em uma empresa de grande porte localizada na periferia uma creche na qual os filhos dos funcionários possam ficar com atendimento de qualidade traz tranqüilidade e satisfação aos mesmos que correspondem através do aumento de sua produtividade. c) Imagem com fornecedores- Fornecedores são parceiros importantíssimos que devem ser mantidos quando essa troca é benéfica. Ações sociais trazem credibilidade, respeito e admiração para quem as realiza.

24 24 d) Imagem com clientes- E construída gradativamente e precisa ser mantida com muita criatividade e inovação. Está extremamente associada aos benefícios gerados para a comunidade atendida. e) Imagem com a comunidade- Há estratégias e centenas de exemplos de sucesso espalhados pelo Brasil: Dentre os motivos alegados para realização de ações sociais, 35% afirmam que suas ações visam atender às comunidades próximas ao local das empresas (esse percentual sobe para 61% dos entrevistados quando o recorte é feito com dirigentes de empresas de maior porte), 15% buscam melhorar a imagem da empresa e outras 15% têm como meta aumentar a satisfação dos empregados da empresa, o que aponta a grande preocupação dos empresários com a opinião pública 3. A filantropia é o ponto alto destes projetos que têm crescido, sobretudo na área de educação ambiental, reciclagem e preservação do meio ambiente. Vejamos alguns exemplos: Algumas empresas encontraram na Filantropia, mais do que uma estratégia para angariar simpatia pública, uma ferramenta para evitar danos maiores à sociedade e conseqüentes ataques da imprensa. Um exemplo disso é a empresa Latasa que como resultado de seu trabalho deixaria incontáveis latas de alumínio espalhadas por todos os cantos e que para amenizar o problema criou uma campanha beneficente que realiza a troca de latas vazias por equipamentos escolares. Tanto escolas quanto entidades beneficentes vem periodicamente promovendo 3 O IPEA, órgão ligado ao Ministério do Planejamento, analisou 445 mil empresas privadas na região sudeste do país e levantou que dentre elas, 300 mil, ou seja cerca de 2/3 do universo pesquisado, afirmam realizar algum tipo de ação em prol da sociedade. Mas, diferentemente do que se possa imaginar, São Paulo ocupa apenas a 2ª posição nesse ranking, com 67% dos entrevistados envolvidos em alguma ação social. Já em Minas Gerais o estado campeão, 81% das empresas entrevistadas alegam alguma forma de filantropia.disponível em: Acesso em: 13 de julho de 2010.

25 25 campanhas para arrecadação de latas e com sua reciclagem das latas o custo do projeto acaba sendo irrisório e trazendo benefícios para todos os envolvidos, principalmente para o meio ambiente.o meio ambiente é também o foco de atenção da empresa O Boticário. Fornecedora de matéria prima para a maioria dos produtos da empresa, a mãe natureza mereceu a preocupação e cuidados da entidade que, com suas ações e contribuições, alcançou uma imagem socialmente positiva junto aos funcionários, fornecedores, clientes e mídia.disponível em: Acesso em: 13 de julho de A projeção da imagem corporativa Como transmitir uma imagem corporativa positiva? Como tornar um projeto social conhecido pelo seu público-alvo? Será necessário combinar alguns fatores, segundo Costa: "A imagem é a resultante da identidade organizacional, expressa nos feitos e nas mensagens. Para a empresa a imagem é um instrumento estratégico, um conjunto de técnicas mentais e materiais, que têm por objetivo criar e fixar na memória do público, os valores positivos, motivadores e duradouros. Estes valores são reforçados ao longo do tempo (reimpregnação da mente) por meio dos serviços, as atuações e comunicações. A imagem é um valor que sempre se deseja positivo isso é, crescente e acumulativo, e cujos resultados são o suporte favorável aos êxitos presentes e sucessivos da organização". (Costa, 1995: 45).

26 26 A consolidação da imagem positiva e da marca a qual ela representa será alcançada, portanto, com imagens, mensagens e ações REAIS que tenham impacto positivo e causa em transformação no local onde atuam, Istoé, os objetivos propostos inicialmente são alcançado se as metas cumpridas atendendo de forma extremamente eficiente o público envolvido neste conjunto de ações.

27 27 CAPÍTULO III O MARKETING SOCIAL E O DESIGN A coletividade quer comprar produtos e serviços de empresas que não poluem, não fazem propaganda enganosa, contribuem para a melhor qualidade de vida. Responsabilidade social, hoje, pode ser a diferença entre vender ou não vender, sobreviver ou não. Responsabilidade social é, portanto, conceito estratégico e quem não enxergar isto vai rapidamente deixar o convívio social, isto é, vai sair do mercado 4. Neste capítulo abordaremos o projeto que pretendemos colocar em prática em nossa microempresa de design. Localizada no bairro do Andaraí, zona norte da cidade do Rio de Janeiro, terá inicialmente um escritório virtual e como endereço para correspondência a residência da proprietária. 3.1 Criação do projeto social O projeto Animação na Biblioteca terá três etapas que serão desenvolvidas em caráter experimental em doze meses do ano de As escolas de ensino fundamental e médio do bairro serão consultadas e escolheremos a que tiver os seguintes fatores favoráveis: maior interesse na idéia, melhor estrutura para acomodar computadores na biblioteca e bom relacionamento dos alunos com a equipe do acervo. A inclusão social na escola precisa se tornar uma realidade, uma prática cotidiana e a informática uma aliada do processo ensino-aprendizagem: 4 GARCIA, Ademerval. "Responsabilidade social não é ajuda, é respeito". Gazeta Mercantil". Interior Paulista. 23/11/1.999.

28 28 Numa sociedade como a brasileira, em que mais de 95%; da população em idade escolar está, hoje, pelo que consta e em princípio, na escola, é de esperar que a Inclusão Digital se faça predominantemente dentro da escola e através dela - e que, portanto, com o tempo, os programas de Inclusão Digital extraescolares se tornem virtualmente desnecessários.(...)assim sendo, a escola pode concentrar seu esforço naquilo que realmente importa na Inclusão Digital, a saber: capacitar seus alunos para integrar a tecnologia na sua vida e nos seus afazeres, desenvolvendo, com a ajuda da tecnologia, as competências necessárias para melhorar a qualidade de sua vida. (Registre-se que o uso da tecnologia para melhorar a "empregabilidade" dos alunos é apenas uma das muitas maneiras em que a tecnologia pode ajudá-los a melhorar a qualidade de sua vida) 5. Esta foi a nossa maior motivação ao pensar em um projeto que traga, ao mesmo tempo, retorno para empresa fortalecendo a imagem positiva e seja um agente de transformação para a comunidade beneficiada, contribuindo diretamente para a melhoria na qualidade do ensino de um escola pública. Não adiante criar projetos que não estejam de acordo com as reais necessidades do público-alvo. Com o tempo, este se sente enganado o que pode enfraquecer a imagem da empresa. 3.2 Público alvo e objetivos Determinar o público-alvo é essencial para traçar outras etapas do projeto social: os objetivos, as metas, a metodologia adequada, o orçamento... Quem serão as pessoas atendidas e beneficiadas? Qual a sua faixa etária? Que características têm em comum? 5 A INCLUSÃO SOCIAL DENTRO DA ESCOLA. Disponível em: < Acesso em: 16 de julho de 2010.

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Camila Cristina S. Honório 1 Maristela Perpétua Ferreira 1 Rosecleia Perpétua Gomes dos Santos 1 RESUMO O presente artigo tem por finalidade mostrar a importância de ser

Leia mais

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006

Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA. Comunicação de Progresso - 2006 Bolsa de Valores de São Paulo - BOVESPA Comunicação de Progresso - 2006 Quem somos: Número de funcionários: 781 Número de empresas listadas: 391 Volume financeiro diário: R$ 2,4 bilhões Market Cap: R$

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Apoio: BIT Company Franchising Rua Fidêncio Ramos, 223 conj. 131 13º andar Vila Olimpia

Apoio: BIT Company Franchising Rua Fidêncio Ramos, 223 conj. 131 13º andar Vila Olimpia Nome da empresa: BIT Company Data de fundação: Julho de 1993 Número de funcionários: 49 funcionários Localização (cidade e estado em que estão sede e franquias): Sede em São Paulo, com franquias em todo

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

Título: Um novo conceito de RSE nas empresas juniores RESUMO

Título: Um novo conceito de RSE nas empresas juniores RESUMO Título: Um novo conceito de RSE nas empresas juniores RESUMO Em um cenário em que a Responsabilidade Social Empresarial é mais do que ações sociais isoladas, mas uma fonte agregadora de diferencial competitivo,

Leia mais

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ Projeto 4 18 de janeiro de 2005 Introdução Diante dos novos desafios e contínuas mudanças, as organizações precisam ser ágeis na tomada de decisão. Coordenar esforços de comunicação

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL. A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social

RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL. A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social Ana Paula P. Mohr Universidade do Vale do Rio dos Sinos ana.mohr@gerdau.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

A PRÁTICA DO MARKETING SOCIETAL PELAS ORGANIZAÇÕES DO SÉCULO XXI

A PRÁTICA DO MARKETING SOCIETAL PELAS ORGANIZAÇÕES DO SÉCULO XXI A PRÁTICA DO MARKETING SOCIETAL PELAS ORGANIZAÇÕES DO SÉCULO XXI Saulo Ribeiro dos Santos 1 Rafael Cezar Souza Reis 2 1 INTRODUÇÃO Com o crescimento do terceiro setor e sua profissionalização, as modernas

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS Amanda Cristina Nunes Alves (SSP) amandac.06@hotmail.com Anne Sthefanie Santos Guimaraes (SSP) annesthefanie14@hotmail.com

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

Relatório Gestão do Projeto 2013

Relatório Gestão do Projeto 2013 Relatório Gestão do Projeto 2013 Fundação Aperam Acesita e Junior Achievement Minas Gerais: UMA PARCERIA DE SUCESSO SUMÁRIO Resultados 2013... 6 Resultados dos Programas... 7 Programa Vamos Falar de Ética...

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição BP COMO VENDER A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição PRODUTOS EDUCACIONAIS MULTIVERSO Avenida Batel, 1750 Batel CEP 80420-090 Curitiba/PR Fone: (41) 4062-5554 Editor:

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

FRANQUIA O BOTICÁRIO TRÊS RIOS (RJ) RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

FRANQUIA O BOTICÁRIO TRÊS RIOS (RJ) RESPEITO AO MEIO AMBIENTE FRANQUIA O BOTICÁRIO TRÊS RIOS (RJ) RESPEITO AO MEIO AMBIENTE RESUMO Numa sociedade cada vez mais consciente, a proteção ao meio ambiente passa a ser objetivo de atenção de franquias com um posicionamento

Leia mais

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE CPA / PESQUISA Comissão avalia qualidade de ensino da FABE Avaliação positiva: A forma de abordagem dos objetivos gerais dos cursos também foi bem avaliada e a qualidade do corpo docente continua em alta.

Leia mais

OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES

OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES OFICINA DE FOTOGRAFIA E VÍDEO COM CELULARES RELATÓRIO Oficina de fotografia e vídeo com celulares como ferramenta de inclusão visual através de tecnologias acessíveis, percepção do território, construção

Leia mais

Filmes. Na mídia... Gestão de RH. Responsabilidade Social Empresarial. Prof. Rafael Marcus Chiuzi. Sesi responsabilidade social Duração: 2 09

Filmes. Na mídia... Gestão de RH. Responsabilidade Social Empresarial. Prof. Rafael Marcus Chiuzi. Sesi responsabilidade social Duração: 2 09 Gestão de RH Prof. Rafael Marcus Chiuzi Responsabilidade Social Empresarial Filmes Sesi responsabilidade social Duração: 2 09 Na mídia... Empresa socialmente responsável. Responsabilidade social corporativa.

Leia mais

Número de funcionários: Aproximadamente 1200 colaboradores na sede administrativa e industrial.

Número de funcionários: Aproximadamente 1200 colaboradores na sede administrativa e industrial. PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 Categoria Franqueador Máster Dados da empresa Razão Social: IBAC Indústria Brasileira de Alimentos e Chocolates Nome Fantasia: Cacau Show Data de fundação:

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

VOLUNTÁRIO TIME ESPERANÇA HUMANO CARIDADE UNIÃO AJUDA AMIZADE TIME CUIDADO FELICIDADE UNIÃO MANUAL DO SERVIÇO PESSOAS PESSOAS AJUDA DOAÇÃO DOAÇÃO

VOLUNTÁRIO TIME ESPERANÇA HUMANO CARIDADE UNIÃO AJUDA AMIZADE TIME CUIDADO FELICIDADE UNIÃO MANUAL DO SERVIÇO PESSOAS PESSOAS AJUDA DOAÇÃO DOAÇÃO MANUAL DO VOLUNTÁRIO CARIDADE T I M E C O M U N I D A D E UNIÃO GRUPO AMIZADE PESSOAS G R U P O AJUDA T I M E TRABALHO FELICIDADEPESSOAS GRUPO SERVIÇO UNIÃO ESPERANÇA A J U D ASERVIÇO COMUNIDADE G R U

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

Relatório de Ações 2012-2013. Socioambientais

Relatório de Ações 2012-2013. Socioambientais Relatório de Ações 2012-2013 Socioambientais O compromisso com o investimento em ações sociais foi sempre uma prática do Grupo 7COMm e de seus colaboradores. Com a expansão de suas atividades e a modernização

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO A avaliação institucional tem sido objeto de discussões na Faculdade Educacional de Ponta Grossa - Faculdade União e sempre foi reconhecida como um instrumento

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

CICLO DE VIDA E ORGANIZAÇÃO DO PROJETO

CICLO DE VIDA E ORGANIZAÇÃO DO PROJETO CICLO DE VIDA E ORGANIZAÇÃO DO PROJETO PROJETO CONCEITO DESENVOLVIMENTO PRODUTO + = Todo projeto inicia-se com a necessária clareza sobre seu escopo e os documentos: o termo de abertura a declaração do

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UM PROJETO DE RECICLAGEM NA ÁREA DA INFORMÁTICA UMA DISCUSSÃO SOBRE O LIXO ELETRÔNICO NO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON, PR. Mostra

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes

Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes Marketing sustentável ferramentas eficazes para atrair e manter clientes CONCEITOS: Responsabilidade Social Sustentabilidade Consumo consciente Marketing REFLEXÃO: Marketing sustentável Papel da escola

Leia mais

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012

PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL DA FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PPI 2012 a 2015 Aprovado no CONSU Conselho Superior em 02/02/2012 Diretor Geral FACULDADE CASA DO ESTUDANTE PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL

Leia mais

LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL

LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL LIXO PARA VOCÊ: ARTE PARA NÓS UM PROJETO DE REEDUCAÇÃO AMBIENTAL Rafael Antônio Nunes COURA³;Milena Alves da Silva SOUZA³; Isabela Fatima Silveira MARTINS³; Cássia Maria Silva NORONHA¹ e Eriks Tobias VARGAS².

Leia mais

Sua empresa é CIDADÃ?

Sua empresa é CIDADÃ? Sua empresa é CIDADÃ? A Câmara de Comércio e Indústria do Estado do Rio de Janeiro (CAERJ) em uma iniciativa inédita está compilando informações corporativas de todos os segmentos: indústria, comércio

Leia mais

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil

Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Política de Patrocínios e Doações da Volvo do Brasil Data de publicação: 10/07/2007 Última atualização: 10/07/2007 APRESENTAÇÃO Os patrocínios exercem um importante papel na estratégia de comunicação e

Leia mais

INTERESSE PELA COMUNIDADE SEMEAMOS ESTA IDÉIA COOPERATIVISTA!

INTERESSE PELA COMUNIDADE SEMEAMOS ESTA IDÉIA COOPERATIVISTA! INTERESSE PELA COMUNIDADE SEMEAMOS ESTA IDÉIA COOPERATIVISTA! Apresentação O Instituto Sicoob PR foi criado para cumprir o 7º princípio cooperativista Interesse pela comunidade. Com o suporte das Cooperativas

Leia mais

I - Marketing social e societal

I - Marketing social e societal I - Marketing social e societal Professor Reginaldo Braga LUCAS 2 SEMESTRE 2010 Definições de marketing social Marketing social é a modalidade de ação mercadológica institucional que tem como objetivo

Leia mais

Marketing para Empresas de Contabilidade. Fernanda Rocha

Marketing para Empresas de Contabilidade. Fernanda Rocha Marketing para Empresas de Contabilidade Fernanda Rocha O que é Contabilidade? O que é Contabilidade? A solteira é Crédito. A casada é Débito. A cunhada é Previsão para Devedores Duvidosos. A bonita é

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA SC CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSORA MARIA ORIBKA KERECZ CRAVEIRO SANTA TEREZINHA SC

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA SC CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSORA MARIA ORIBKA KERECZ CRAVEIRO SANTA TEREZINHA SC SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA SC CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSORA MARIA ORIBKA KERECZ CRAVEIRO SANTA TEREZINHA SC PREMIO AMAVI EDUCAÇÃO 2013 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO QUALIDADE

Leia mais

Categoria Franqueador Sênior

Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Sênior Dados da empresa Razão Social Cebrac - Consultoria e Franquia Ltda. Nome fantasia CEBRAC Data de fundação

Leia mais

RESUMO FRANQUIA O BOTICÁRIO BELÉM (PA) PROMOÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

RESUMO FRANQUIA O BOTICÁRIO BELÉM (PA) PROMOÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FRANQUIA O BOTICÁRIO BELÉM (PA) PROMOÇÃO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE RESUMO As franquias que apresentam um alto grau de proximidade, exposição e envolvimento com a comunidade, possuem conhecimento da sua

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais TRATADO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E RESPONSABILIDADE GLOBAL CIRCULO DE ESTUDOS IPOG - INSTITUTO DE PÓSGRADUAÇÃO MBA AUDITORIA, PERÍCIA E GA 2011 Princípios Desafios Sugestões 01

Leia mais

Ponto de Partida do Projeto Doar Escola do Futuro

Ponto de Partida do Projeto Doar Escola do Futuro Relatório Projeto Doar Objetivo: Envolver os alunos em Projetos Sociais, estimulando-os a colocar em prática os traços de caráter Cristão ensinados na Instituição. Potencializar a responsabilidade social,

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

Embalagem do Aromatizador do TJ Criança Abriga

Embalagem do Aromatizador do TJ Criança Abriga Embalagem do Aromatizador do TJ Criança Abriga Raquel do Nascimento DIAS 1 Thais Cristina ROZA 2 Virgínia Felipe MANOEL 3 Lamounier Lucas JÚNIOR 4 Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG

Leia mais

Jovens cuidando do Brasil

Jovens cuidando do Brasil ação constitui uma parte da política dos três R reduzir, reutilizar e reciclar, depreende-se a necessidade de um trabalho com lixo que se inicie com uma revisão crítica dos hábitos e padrões de consumo.

Leia mais

A importância de personalizar a sua loja virtual

A importância de personalizar a sua loja virtual A importância de personalizar a sua loja virtual Ter uma loja virtual de sucesso é o sonho de muitos empresários que avançam por esse nicho econômico. Porém, como as lojas virtuais são mais baratas e mais

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Objetivos da comunicação

Objetivos da comunicação Prof. Edmundo W. Lobassi Use palavras simples, que todos compreendam, assim todos irão entendê-lo. (Prof. Edmundo W. Lobassi) 1 Estude algumas pesquisas e ouça pessoas experts, pois nada é mais importante

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

1) Socorro e Desastre Itaóca

1) Socorro e Desastre Itaóca 1) Socorro e Desastre Itaóca A Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado de São Paulo deslocou um grupo de voluntários para prestar ajuda aos moradores da cidade de Itaóca, localizada no interior do estado,

Leia mais

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP.

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. POP: Prêmio Nacional de Relações Públicas Categoria: Relações Públicas e Responsabilidade Social Profissional: Aislan Ribeiro Greca Empresa: Petrobras 10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. 2008

Leia mais

O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2

O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2 O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2 1 Graduada em Comunicação Social - UFV, Gerente de Marketing da Lifesys Informática Ltda.

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO

MANUAL DO VOLUNTÁRIO MANUAL DO VOLUNTÁRIO Dentre todas as coisas que se pode doar a alguém, existe uma que é a mais valiosa: o tempo. E é isso que um voluntário faz. Disponibiliza seu tempo e sua energia para ajudar o próximo,

Leia mais

Pesquisa de Percepção do Viver Direito

Pesquisa de Percepção do Viver Direito Metas lcançadas - Pesquisa de Percepção do Programa de Divulgação Viver Direito A pesquisa é um INDICADOR de efetividade do cumprimento da meta 1 do PRODVD: Atingir 60% do público interno com a campanha

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

Projeto Cartão de Fidelidade. 1- Do Projeto:

Projeto Cartão de Fidelidade. 1- Do Projeto: 1- Do Projeto: O projeto visa dar acesso aos associados de associações comunitárias de Rio Pardo de Minas/MG à compra de produtos em uma rede credenciada local através de um cartão de compras que garanta

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II

Centro Comunitário Vila Gaúcha. Projeto Experimental II Centro Comunitário Vila Gaúcha Projeto Experimental II Apresentação da Empresa O Centro Comunitário Vila Gaúcha presta atendimento regular em Educação Infantil, Serviço de Apoio Sócio Educativo, Trabalho

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015.

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015. REV.: 03 Pág.: 1 de 6 A Manaus Ambiental torna público que estão abertas as inscrições para a seleção de Instituições e Projetos Sociais para o 14º Dia do Voluntariado. A empresa realizará o processo de

Leia mais

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS 190 O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS Douglas Fernandes, Josélia Galiciano Pedro, Daryane dos Santos Coutinho, Diego Trevisan de Vasconcelos, Regiane

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CAMPUS SANCLERLÂNDIA PROPOSTA PROJETO DE PESQUISA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CAMPUS SANCLERLÂNDIA PROPOSTA PROJETO DE PESQUISA I - IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA Dados do projeto Título: COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL: AS REDES SOCIAIS E A IMAGEM DAS ORGANIZAÇÕES. Palavra chave: Internet. Redes Sociais. Organizações. Comunicação. Grande Área:

Leia mais

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO CIDADANIA AMBIENTAL A resposta da sociedade de Araxá aos problemas ambientais se dá através das ações de educação ambiental. Destacam-se as atividades de educação ambiental promovidas por escolas, organizações

Leia mais

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Comunicação Organizacional

Leia mais

CONSTRUINDO UM PROJETO DE VOLUNTARIADO

CONSTRUINDO UM PROJETO DE VOLUNTARIADO CONSTRUINDO UM PROJETO DE VOLUNTARIADO ExpedieNte TEXTO Kátia Regina Gonçalves Paulo de Camargo Priscila Cruz COORDENAÇÃO DO PROJETO Sílnia Nunes Martins Prado PROJETO GRÁFICO Linea Creativa ILUSTRAÇÃO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Planejamento digital, Comunicação Digital, Campanha on-line, ONG.

PALAVRAS-CHAVE: Planejamento digital, Comunicação Digital, Campanha on-line, ONG. Planejamento Digital Associação Bezerra de Menezes Experimente Doar ¹ Danielle DORNELLES 2 Daniela NATHALI 3 Gustavo SILVA 4 Karina PÂMELA 5 Larissa MACEDO 6 Nivea ALVES 7 Thais BISPO 8 Janaíra FRANÇA

Leia mais

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM CRISTIANE MORATTO FÉLIX DE FREITAS Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...3 2 OBJETIVOS DO PROJETO:...5 3 METAS PARA A SUSTENTABILIDADE...6 4 JUSTIFICATIVAS...6 4.1-

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E GERENCIAIS 2012 GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS

Leia mais

Responsabilidade na Gestão do Relacionamento com os Clientes. Política de comunicação Comercial; Excelência do atendimento;

Responsabilidade na Gestão do Relacionamento com os Clientes. Política de comunicação Comercial; Excelência do atendimento; Responsabilidade na Gestão do Relacionamento com os Clientes Política de comunicação Comercial; Excelência do atendimento; Danos potenciais dos produtos e serviços. PNQ 2007 - critérios: clientes e sociedade.

Leia mais

Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo

Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo Educação para a Sustentabilidade Projeto ESPM Social São Paulo (Escola Superior de Propaganda e Marketing) Apresentação: Prof. Ismael Rocha Prof. Carlos Frederico Lucio São Paulo, julho de 2011 Indicadores

Leia mais

A participação nessas atividades será comprovada através de um formulário denominada Relatório de Atividades Complementares (RAC).

A participação nessas atividades será comprovada através de um formulário denominada Relatório de Atividades Complementares (RAC). Manual do Aluno OBJETIVO A Faculdade do Pará implantou o Programa de Treinamento Profissional (PTP) para que você possa realizar ações práticas, desde o primeiro período do curso, ligado a profissão que

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL. 1.1. Histórico da Prática Eficaz

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL. 1.1. Histórico da Prática Eficaz Nome da Instituição: Universidade Feevale Segmento: IES - Instituições de Ensino Superior Categoria: Gestão Administrativa, de Pessoas ou Financeira Nome da Prática Eficaz de Gestão Educacional: Programa

Leia mais

PROJETO FAZER ACONTECER

PROJETO FAZER ACONTECER GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS AVANÇADO SANTOS DUMONT RUA

Leia mais

Categoria Franqueador Pleno

Categoria Franqueador Pleno PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2013 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social: MOLDURA MINUTO FRANCHISING LTDA Nome fantasia: MOLDURA MINUTO Data de

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

República de Moçambique

República de Moçambique República de Moçambique Nota Conceitual da FIEI 2013 Ponto de negócio e oportunidade de investimento Maputo Contexto Quadro orientador O Programa Quinquenal do Governo (PQG) prevê no âmbito do Vector Económico

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Experiências educativas no gerenciamento de resíduos gerados no Hospital de Clínicas de Porto Alegre Tainá Flôres da Rosa contato: tfrosa@hcpa.ufrgs.br telefone:(51)81414438

Leia mais

Sistema de Gestão de Aulas

Sistema de Gestão de Aulas Sistema de Gestão de Aulas criando cultura para o Ensino a Distância e melhorando o processo ensino-aprendizagem pela internet RICARDO CREPALDE* RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar a experiência

Leia mais

FUNDAÇÃO SOLIDARIEDADE Desde 1989 promovendo oportunidades para a vida

FUNDAÇÃO SOLIDARIEDADE Desde 1989 promovendo oportunidades para a vida FUNDAÇÃO SOLIDARIEDADE Desde 1989 promovendo oportunidades para a vida No início: um sonho Logo que a Volvo se instalou no país, no final dos anos 70, saltava aos olhos o elevado número de menores abandonados:

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL MANUAL DE RESPONSABILIDADE Definição: A responsabilidade socioambiental é a responsabilidade que uma empresa ou organização tem com a sociedade e com o meio ambiente além das obrigações legais e econômicas.

Leia mais

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS.

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS. UNIMED VALE DAS ANTAS, RS - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE LTDA Ramo: Cooperativa Médica de Serviços de Saúde Período de Relato: de 27/02/2014 a 24/02/2015 E-mail: rh@valedasantas.unimed.com.br / gerencia@valedasantas.unimed.com.br

Leia mais

O problema das drogas e suas conseqüências na família, na escola e na

O problema das drogas e suas conseqüências na família, na escola e na NÍVEL DE CONHECIMENTO SOBRE AS DROGAS DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DA UNIDADE ESCOLAR SOLANGE SINIMBU VIANA AREA LEÃO/ CONJUNTO PROMORAR -TERESINA/PI Lúcia Gomes Pereira dos Santos (Secretaria Estadual

Leia mais

MANUAL DE ASPECTOS JURÍDICOS DO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

MANUAL DE ASPECTOS JURÍDICOS DO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br MANUAL DE ASPECTOS JURÍDICOS

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais