UM MECANISMO DE IDENTIFICAÇÃO FISIONÔMICA PARA AMBIENTE VIRTUAL DE ENSINO E APRENDIZAGEM MARIA DAS GRAÇAS COSTA NERY DA SILVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM MECANISMO DE IDENTIFICAÇÃO FISIONÔMICA PARA AMBIENTE VIRTUAL DE ENSINO E APRENDIZAGEM MARIA DAS GRAÇAS COSTA NERY DA SILVA"

Transcrição

1 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA UM MECANISMO DE IDENTIFICAÇÃO FISIONÔMICA PARA AMBIENTE VIRTUAL DE ENSINO E APRENDIZAGEM MARIA DAS GRAÇAS COSTA NERY DA SILVA JOÃO PESSOA-PB Junho-2008

2 2 MARIA DAS GRAÇAS COSTA NERY DA SILVA UM MECANISMO DE IDENTIFICAÇÃO FISIONÔMICA PARA AMBIENTE VIRTUAL DE ENSINO E APRENDIZAGEM DISSERTAÇÃO APRESENTADA AO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA, COMO REQUISITO PARCIAL PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE MESTRE EM INFORMÁTICA (SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO). Orientador: Prof. Dr. Ed Pôrto Bezerra JOÃO PESSOA-PB Junho-2008

3 3 S586u Silva, Maria das Graças Costa Nery da. Um mecanismo de identificação fisionômica para ambiente virtual de ensino e aprendizagem / Maria das Graças Costa Nery da Silva.- João Pessoa, p. Orientador: Ed Pôrto Bezerra Dissertação (mestrado) UFPB/CCEN 1. Informática. 2. Segurança digital. 3. Educação a distância. 4. Ambiente virtual ensinoaprendizagem. UFPB/BC CDU: 004 (043)

4 4

5 Dedico este trabalho a meus pais, José Marinho Nery da Silva e Isabel Costa Nery da Silva, incansáveis na arte de incentivar a busca do saber e de ensinar os valores morais que devem pautar a nossa conduta na vida em sociedade, ao meu marido, Natanael Martins, e às minhas filhas, Priscila e Cinthia, presentes de DEUS, razão mais profunda da minha caminhada terrena, pessoas sem as quais a minha vida não teria sentido. 5

6 6 Eduque as crianças, para que não seja necessário punir os adultos. Pitágoras, filósofo e matemático grego (592 a 510 a.c.) Não há fé inabalável senão aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade (Allan Kardec)

7 7 AGRADECIMENTOS Agradeço, antes de mais nada e imensamente, a Deus, a força, coragem e por ter iluminado meus caminhos, guiando-me na conclusão de mais essa etapa da minha vida. Aos meus pais, José Marinho Nery da Silva e Isabel Costa Nery da Silva, o apoio constante em todos os momentos da minha existência e por compreenderem as razões que me levaram a não estar tão perto quanto gostaria. Longe dos olhos, mas perto do coração. Ao meu amoroso e compreensivo marido, Natanael Martins de Oliveira, as palavras de incentivo e entusiasmo quando eu parecia desanimar, contribuindo com sua inestimável presença, dividindo dificuldades e conquistas. Às queridas e compreensivas filhas, Priscila e Cinthia Nery Martins de Oliveira, que são minhas fontes de inspiração, a tolerância e consideração durante minhas ausências nos passeios e encontros familiares e escolares, principalmente, os que aconteciam nos finais de semana, quando minha dedicação à escrita da dissertação se intensificava. A minha irmã, Fátima, e aos meus irmãos, Júnior, Maurício, Gilberto, Aníbal e Renato. Um especial agradecimento ao meu orientador, Prof. Dr. Ed Pôrto Bezerra, pelo desafio de me orientar mais a distância do que presencialmente por eu morar em Recife e não, em João Pessoa. Mesmo a distância, através de TICs, esteve presente, participando e contribuindo em todas as fases de desenvolvimento do meu projeto de pesquisa. Ao grande amigo de jornada acadêmica, Francisco Rocha, cujo apoio e incentivo, nas horas de estudo e realização dos trabalhos, tanto me ajudaram a concluir, com êxito, as disciplinas do mestrado. A todos os colegas da pós-graduação, Ritomar, Markob, Fabrízia, André e Luís Fernando, que muito me ajudaram no decorrer do curso, nas inúmeras horas que

8 8 passamos estudando na Escola de Redes e mezanino do Departamento de Estatística. Aos professores Antônio Carlos e Lucídio dos Anjos pelas dicas para conclusão deste trabalho de pesquisa. Aos meus colegas de trabalho, Tereza Cristina Morais, Brena Maroja, Mirtes Mattar, Sérgio Gaudêncio, Marcos Rogério França, Luiz Fernando Miranda e Jairo Brito, todos do CEFET-PE, pela liberação parcial das minhas atividades pedagógicas para realização do mestrado. À diretora de ensino do CEFET-PE e amiga, Tereza Dutra, pelo incentivo e compreensão, quando precisava me afastar das atividades da coordenação da CEAD para ir à UFPB estudar ou receber orientação do meu orientador. Ao amigo Erivaldo, do CEFET-RN, e à amiga Cassandra, do CEFET-CE, que, durante os inúmeros encontros realizados pelo MEC, incentivaram-me, aconselharam e deram dicas de como, trabalhando, desenvolver e concluir, com êxito, o mestrado. Aos alunos do Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do CEFET-PE e bolsistas, Wagner Ferreira e Wagner Melo, pelo auxílio na codificação e documentação do protótipo deste trabalho de pesquisa, tendo uma importância fundamental na prototipagem do Mecanismo de Identificação Fisionômica (MIF). À amiga Ângela Nascimento que, durante sua gestão na Gerência de Educação Profissional da SECTMA-PE, incentivou-me e ajudou-me a fazer contatos com os presídios da região metropolitana e direcionar meu trabalho para a educação carcerária. A todos os amigos da SECTMA-PE, em especial a Cristina Ferreira, Eneida Ferraz e Dagoberto Ricardo pela amizade, colaboração e pelos momentos de descontração na hora do almoço, quando estava em Recife. Finalmente, agradeço a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, envolveramse no processo de concretização desta etapa de minha vida e torcem pelo meu sucesso.

9 9 RESUMO O aumento da demanda pela modalidade de Educação a Distância (EAD), os avanços das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), o surgimento e aperfeiçoamento dos Ambientes Virtuais de Ensino e Aprendizagem (AVEA), em particular o Moodle, apresentam-se num cenário em que se pretende minimizar distâncias e dinamizar estratégias de acompanhamento e monitoramento dos alunos por meio das TIC. No entanto, o AVEA Moodle, como muitos outros, não dispõe de recursos que garantam a participação dos usuários no desenvolvimento das atividades acadêmicas durante a realização dos seus estudos e, principalmente, durante o processo de avaliação online. Para a solução deste problema, foi implementado um Mecanismo de Identificação Fisionômica (MIF), com a finalidade de incorporar a imagem do aluno ao relatório de atividades do Moodle. Desta forma, o MIF desenvolvido captura imagens de alunos, obtidas de uma webcam, e as incorpora ao relatório de atividades do Moodle, para o acompanhamento e monitoramento dos seus acessos e estudos nesse AVEA. Assim, administradores, coordenadores, professores e tutores poderão ter certeza da participação do aluno durante a realização de suas atividades e avaliações. Como resultado, o MIF legitima a participação do aluno no processo educativo de ensino e aprendizagem a distância, potencializando a segurança digital na identificação do aluno, no AVEA Moodle. Palavras-chave: Segurança digital. Educação a distância. Ambientes virtuais de ensino e aprendizagem. Moodle.

10 10 ABSTRACT The increase in demand for DE (Distance Education) modality, advances of (ICT) Information and Communication Technology, the emerge and improving of virtual teaching/learning environment (AVEA in Portuguese), in particular the Moodle, it aims to minimize distances and make the student monitoring and follow-up strategies more productive through the ICT. Nevertheless, the AVEA Moodle, like the others, do not have sources which guarantee the users participation in the academic activities development during their studies and, particularly, during the assessment process online. As way of solving this problem it was implemented a Mechanism of Phisionomic Identy (MIF in Portuguese), which aims to incorporate the student s image in the Moodle report activities. This way, the developing MIF catches the convicted students images by a webcam and icorporates them to the Moodle report activities, in order to do the follow-up and the monitoring of the convicted students accesses and studies through the AVEA. So, managers, coordinators teachers and tutors may be sure of the student s participation while he/she is doing the activities e assessment. As a result, MIF legitimizes the participation of students in the educational process of teaching and learning the distance, powering the digital safety in identifying the student, in AVEA Moodle. Key Words: Safety certification, Distance Education, Virtual teaching and learning environment, Moodle.

11 11 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Serviço de Autenticação Central com biometria...19 Figura 2- Infra-estrutura da Rede PE Multidigital...39 Figura 3- Ambiente de ensino aprendizagem do presídio Feminino Bom Pastor...40 Figura 4 - Unidades Prisionais existentes no estado de Pernambuco...41 Figura 5 - Cenários propostos para o MIF...43 Figura 6 - Arquitetura padrão do Moolde...45 Figura 7 - Arquitetura do Moodle com o MIF...46 Figura 8 - Caso de Uso do MIF...47 Figura 9 - Imagem da tela Moodle com aba Relatórios das Atividades...49 Figura 10 - Tela quando selecionado a aba Relatórios das Atividades...50 Figura 11 - Arquitetura cliente/servidor...56 Figura 12 - Middleware proposto...56 Figura 13 - Diagrama de Seqüência da Execução do MIF...67 Figura 14 - Digrama de Fluxo de Dados do MIF...68 Figura 15 - Tela de Cadastramento de Usuário do AVEA do CEFET-PE...70 Figura 16 - Tela definir funções do AVEA CEFET-PE...71 Figura 17 - Tela de designação da função Aluno Especial...72 Figura 18 - Tela da GUI do MIF...73 Figura 19 - Tela da GUI quando o login e/ou senha são+ informados incorretamente...74 Figura 20 - mdl_user do Moodle...75 Figura 21 - Tela da GUI quando a webcam não está conecta...76 Figura 22 - Tela de apresentação do AVEA do CEFET-PE...78 Figura 23 - Tela de apresentação do AVEA quando o usuário se loga pelo MIF...79 Figura 24 - Relatório Todos os acessos antes das alterações...80 Figura 25 - Relatório Todos os acessos depois das alterações...81 Figura 26 - Relatório Todos os acessos...82

12 12 SUMÁRIO Capítulo Introdução Contexto do Trabalho Justificativa Trabalhos Relacionados Objetivos Problemática da Pesquisa Metodologia da Pesquisa Estrutura da Dissertação...24 Capítulo Fundamentação Teórica EAD Ambientes Virtuais de Ensino e Aprendizagem...30 Capítulo Arquitetura Proposta Cenários Propostos Arquitetura Proposta...44 Capítulo Infra-estrutura para o MIF Câmara de Vídeo Arquitetura de Rede Tecnologias de Software...57 Capítulo Implementação do Protótipo do MIF Identificação do Problema e Solução Proposta Diagrama de Seqüência da Execução Diagrama de Fluxo de Dados Etapa de Cadastramento de Usuário Interface Gráfica do Programa Executável Interface Gráfica do AVEA Interface Gráfica do Relatório de Atividades...79 Capítulo Conclusão Considerações Finais Perspectivas Futuras...86 Referências...87

13 13 Capítulo 1 Introdução Este capítulo tem por objetivo apresentar o contexto, a justificativa e os trabalhos relacionados com o projeto de pesquisa. Além disso, apresenta o objetivo geral e o específico, os quais nortearão o desenvolvimento do projeto, bem como a problemática que envolve a pesquisa, a metodologia utilizada e a estrutura da dissertação. 1.1 Contexto do Trabalho O papel da educação, no mundo de hoje, é indiscutível. As evidências científicas sobre suas contribuições para o desenvolvimento econômico e social do mundo moderno têm sido, constantemente, apontadas (SABÓIA, 1998). O alto grau de desenvolvimento atingido pelos meios de produção da sociedade capitalista deste início de século exige daqueles que aspiram a adentrar e/ou permanecer no mercado de trabalho, um leque cada vez mais diversificado de conhecimentos básicos, que inclui até mesmo noções de informática (CRUZ NETO & MOREIRA, 1999) e de conhecimentos especializados, obtidos através de cursos técnicos ou superiores. Um dos temas prioritários que se discute hoje, na nossa sociedade, é a questão da violência que assola o país. Através dos meios de comunicação, sejam impressos, radiofônicos ou televisivos, temos notícias sobre as mais diversas atrocidades que ocorrem com freqüência e são, cada vez mais, aterrorizadoras. Durante muitos anos, acreditou-se que existia uma relação intrínseca entre a miséria e a violência. No entanto, estão se tornando cada vez mais evidentes que vários outros fatores, aliados à miséria, determinam o aumento da violência. Um desses fatores responsável diretamente pelo aumento da criminalidade é a

14 14 urbanização desordenada, onde há desesperança, a baixa escolaridade, a falta de oportunidade no mercado de trabalho, desejo de possuir bens de consumo deste mundo globalizado e a falta de perspectiva de melhorar de condição pelos processos normais de ascensão social. Nota-se, evidentemente, que o melhor combate à criminalidade é a sua prevenção. A criminalidade está associada, diretamente, à violência, que é fruto mais da ignorância que da pobreza. A educação, seja ela na modalidade presencial ou a distância, apresenta-se como fator indispensável não apenas à preservação da vida, mas à elevação de sua qualidade. Além disso, a educação, conforme estabelecem os artigos 196, 205 e 206 da Constituição Federal (BRASIL, 1988), está assinalada como direito básico do cidadão e, por conseqüência, dever do Estado (LOPES, 1996). Ao restringi-los e/ou negá-los à maioria da população, o poder público, além de infringir a legislação, diminui-lhe, consideravelmente, o número de oportunidades e opções, marginalizando-a do cerne da sociedade, num processo que caracteriza a perpetração da violência estrutural (CRUZ NETO, O. & MOREIRA, M. R., 1999). A Educação a Distância (EAD), apresenta-se, neste contexto, como uma estratégia para que se possa oferecer educação superior e profissional aos detentos, favorecendo sua nova inclusão social e profissional. A utilização de ambientes virtuais, como recurso didático para a oferta de cursos na modalidade de educação a distância, enfatiza a necessidade de encontrar um novo conceito que não permita a dicotomia entre a educação presencial daquele que legitima a educação a distância, pois as possibilidades cada vez mais intensas de conectividade e de interação, propiciadas pela Internet e pelo desenvolvimento das telecomunicações em geral, tornam a noção de presença e distância bastante discutível. Este trabalho de pesquisa surgiu do interesse que a equipe de EAD do Centro Federal de Educação Tecnológica de Pernambuco (CEFET-PE) 1 tem em legitimar o processo de ensino e aprendizagem realizado através de ambientes virtuais, principalmente o processo de verificação da aprendizagem, para que possam ser validados, mesmo sem a presença física do aluno no pólo de apoio presencial. 1

15 15 O objeto de estudo que se pretende enfocar diz respeito ao desenvolvimento de um mecanismo que, integrado a um ambiente virtual de ensino e aprendizagem, contribua para que estudantes de cursos desenvolvidos na modalidade de educação a distância possam ter seus estudos monitorados, legitimando, virtualmente, o processo educativo a distância, realizado através de ambiente virtual. 1.2 Justificativa A educação vem passando, nos últimos anos, por um processo de desenvolvimento e modernização alavancados pelos recentes avanços tecnológicos. O desenvolvimento tecnológico está facilitando o acesso à Internet, transformando-a em poderosas ferramentas de estudo e trabalho. Assim, a Web se tornou um poderoso, global, interativo e dinâmico meio de compartilhamento de informações (KHAN, 1997). Ela oferece oportunidades para o desenvolvimento de novas experiências educacionais. Está se tornando cada vez mais popular, a criação ou customização de ambientes virtuais de ensino e aprendizagem (AVEA) 2 que tentam mudar o modo tradicional de ensino para um modelo interativo de ensino e aprendizagem (CARBONE & SCHENDZIELORZ, 1997). As vantagens da Educação a Distância e da utilização de AVEA, no que concerne à crescente necessidade de formação inicial e continuada, são indiscutíveis para quem necessita de aprimoramento de suas atividades laborais ou de novas competências e habilidades (VICTORINO et al., 2004). No entanto, as resistências pedagógicas que circundam o processo de ensino e aprendizagem em torno da Educação a Distância, ampliam suspeitas acerca da qualidade, confiabilidade deste processo. Isso aponta para a necessidade de se buscar garantias que contribuam, cada vez mais, para a credibilidade do processo de Educação a Distância, pois este, também, requer um espaço confiável para validar a atuação do aprendiz. 2 Optamos por trabalhar com a abordagem AVEA (Mazzardo, 2004, p.10) e não apenas AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) para destacar e valorizar o papel do professor no planejamento e implementação das atividades didáticas desses ambientes.. Acreditamos que, nessa abordagem, o processo se dê no par ensinar-aprender por ser um ambiente dialógico e problematizador (DE BASTOS, et al,2005).

16 16 No Brasil, a legislação que regulamenta os cursos de Educação a Distância 3 determina que a avaliação da aprendizagem deva incluir os exames presenciais: Decreto de 2005, Artigo 4 A avaliação do desempenho do estudante para fins de promoção, conclusão de estudos e obtenção de diplomas ou certificados dar-se-á no processo, mediante: I - cumprimento das atividades programadas; e II - realização de exames presenciais.. Ainda no mesmo Artigo, o parágrafo 2º enfatiza: 2º Os resultados dos exames citados no inciso II deverão prevalecer sobre os demais resultados obtidos em quaisquer outras formas de avaliação a distância. Mesmo o curso sendo ministrado na modalidade de Educação a Distância, a avaliação da aprendizagem fica presa ao modelo tradicional. Isso acontece porque a maioria das ferramentas para interação a distância não possibilitam o feedback como acontece nas interações face a face. Ou seja, as avaliações da aprendizagem online ainda são complexas na modalidade de Educação a Distância. A temática abordada, neste trabalho de pesquisa, está centrada no desenvolvimento de um mecanismo que promova maior confiabilidade a todo o processo de ensino e aprendizagem a distância, inclusive o da avaliação da aprendizagem, em cursos que utilizam os AVEAS como principais meios didáticos para a construção do conhecimento. 3 Ministério da Educação Regulamentação da EAD no Brasil. Disponível em

17 Trabalhos Relacionados Nos últimos anos, vários ambientes virtuais de ensino-aprendizagem foram propostos e desenvolvidos dentro de centros de pesquisa do Brasil e do mundo. Alguns obtiveram mais sucesso e foram explorados comercialmente; outros foram disponibilizados, gratuitamente, pelos termos da licença General Public License (GNU), para que instituições interessadas pudessem contribuir, de forma cooperada e colaborada, no desenvolvimento de novas ferramentas. A maioria dos AVEA utiliza apenas o sistema de verificação de acesso por identificação pessoal de login e senha. Mas algumas instituições preocupadas em fornecer maior segurança na identificação do usuário desenvolveram outras técnicas de identificação pessoal, além da utilização do tradicional login e senha. Esta seção abordará algumas tecnologias de identificação de usuários, distintas de login e senha, utilizadas para fornecer segurança digital durante o acesso e/ou navegação no AVEA Moodle 4 (MOODLE, 2007) MoodlePKI A Universidade de Zaragoza (Espanha) desenvolveu um sistema de certificação digital baseado na tecnologia de chave pública PKI (Public Key Infrastructure), que, quando integrado ao Moodle, recebeu o nome de MoodlePKI 5. A tecnologia de infra-estrutura de chaves públicas é a combinação de software, tecnologia de encriptação, processos e serviços que permitem que uma organização proteja suas comunicações e transações comerciais. A tecnologia baseia-se na troca de certificados digitais entre os usuários autenticados e os recursos que devem ser protegidos (VÁQUEZ, 2006). Como o MoodlePKI segue a filosofia PRIME 6, ele respeita as mais exigentes normas de segurança para identificação de usuário, controle de acesso, validação 4 Acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment 5 Os usuários do AVEA Moodle da Universidade de Zaragoza obtêm o certificado digital diretamente da página do LEFIS (Legal Framework of Information System) da Universidade pelo endereço

18 18 de postagem de objetos, envio de documentos, mensagem e fórum, garantindo a segurança da comunicação através de sistema de encriptação de dados, utilizando o mecanismo de certificado digital. O mecanismo se comporta da seguinte maneira: 1. quando um usuário tenta acessar um conteúdo protegido, por exemplo, postar uma notícia, o Moodle redireciona o usuário para um componente específico de autenticação de tarefa, que exibe os certificados digitais armazenados; 2. o serviço da web que valida os certificados, através de uma conexão segura, retorna informação para que o Moodle trabalhe, simultaneamente, com os certificados digitais emitidos por diferentes Autoridades Certificadoras; 3. se a informação for válida, o sistema libera a tarefa solicitada. Desta forma, o MoodlePKI serve como um mecanismo de assinatura digital capaz de identificar o usuário através do certificado digital fornecido pela Universidade de Zaragoza, que é uma organização reconhecida e credenciada pelo órgão certificador espanhol SAC por Biometria A Universidade de Vigo (Espanha) desenvolveu um mecanismo de identificação biométrica integrado ao Serviço de Autenticação Central (SAC), originalmente desenvolvido pela Universidade de Yale (Estados Unidos). O mecanismo aproveita as funcionalidades de segurança do SAC para fornecer um único serviço básico de login e senha de acesso a todas as aplicações web do usuário, incorporando a verificação biométrica. Segundo Muras et al. (2007), como o Moodle permite a incorporação de módulo para fornecer o SAC, foi possível realizar, com sucesso, a implementação do mecanismo de verificação biométrica integrado ao SAC. A Figura 1 ilustra o processo do mecanismo de verificação biométrica, cujos números nas setas denotam o seguinte processo: 6 PRIME Acrônimo de Privacy and Identity Management for Europe. É um projeto de pesquisa que desenvolve protótipos que levam a adoção de novas soluções para o gerenciamento de identidade. O projeto recebe financiamento de pesquisa da União Européia e do Instituto Federal Suíço de Educação e Ciência. Disponível em https://www.prime-project.eu/. Acesso em: 02 jun 2008.

19 19 Figura 1 Serviço de Autenticação Central com biometria. 1. O usuário acessa um aplicativo web A protegido pelo SAC. Se o usuário estiver acessando pela primeira vez, a solicitação é enviada para o Servidor de Autenticação Central. 2a. Além da autenticação por login e senha, o usuário realiza a identificação biométrica através de um software ou dispositivo que utiliza a interface BioAPI 7. 2b. O Servidor de Autenticação Biométrica realiza a verificação biométrica. 2c. O resultado da verificação biométrica é armazenada em um servidor de banco de dados. 2d. O usuário solicita credenciais para o Servidor de Autenticação Central. As credenciais são transmitidas e armazenadas na máquina do usuário. 2e. O Servidor de Autenticação Central verifica, também, o resultado da correspondente verificação biométrica. 7 BioAPI é um padrão aberto, desenvolvido por um consórcio de 60 entidades, que define um método comum de interface com as aplicações que usam biometria e que define funções básicas tais como: inscrição de usuários, autenticação e pesquisa de identidade. Disponível em Acesso em: 02 jun 2008.

20 20 3. Na segunda tentativa de acesso ao aplicativo web protegido, o Navegador envia, automaticamente, as credenciais do usuário. 4. O aplicativo da web valida as credenciais do usuário no Servidor de Autenticação Central. 5. O usuário solicita um acesso a outro aplicativo web (aplicativo web B) protegido pela SAC. Se o usuário é o mesmo, nenhuma nova autenticação é solicitada. 6. Processo idêntico ao passo 4. Tanto neste como no sistema anterior, a segurança digital restringe-se apenas ao acesso do usuário, ou seja, ambos não garantem que é mesmo o usuário autenticado que está realizando as atividades no Moodle. Nosso trabalho propõe um MIF que possibilita maior segurança tanto no acesso do usuário, quanto na realização de tarefas do Moodle. 1.4 Objetivos O objeto de estudo que se pretende enfocar diz respeito ao desenvolvimento de um mecanismo que, integrado a um AVEA, grave as imagens de estudantes realizando suas atividades e avaliações online em cursos a distância. Esse mecanismo visa legitimar e validar o processo de ensino e aprendizagem realizado através de ambiente virtual Objetivo Geral Desenvolver um mecanismo que, integrado ao AVEA Moodle, possa legitimar os estudos realizados em ambiente virtual para cursos ministrados na modalidade de EAD, através da identificação fisionômica do aluno, no acesso ao AVEA e na realização de atividades acadêmicas.

21 Objetivos Específicos a) Implementar um sistema computacional que, integrado ao AVEA Moodle, capture e grave imagens de alunos realizando o acesso ao ambiente e fazendo as interações e atividades didático-pedagógicas durante seus estudos online e na realização de avaliações de desempenho da aprendizagem. b) Gerar o relatório de acompanhamento de estudos, com a identificação fisionômica do aluno nos registros das atividades e avaliações didáticopedagógicas realizadas no AVEA Moodle, durante o processo de ensino e aprendizagem online. 1.5 Problemática da Pesquisa As tecnologias de informação e comunicação, principalmente a Internet, têm revolucionado o processo de educação na modalidade a distância e vêm sendo amplamente incorporadas como suporte às propostas pedagógicas desenvolvidas na EAD. A EAD apresenta-se, neste contexto, como estratégia para possibilitar o acesso à educação, a inclusão social e profissional da população brasileira que, por falta de condições financeiras ou por falta de oportunidade, não teve possibilidade de se profissionalizar. O uso de AVEA, também conhecido como salas de aulas virtuais, permite o compartilhamento de informação e interação durante o desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem. No entanto, na maioria dos AVEA pesquisados 8, e em particular no Moodle, o acesso ao ambiente é realizado apenas através da digitação do login e da senha do usuário. Este procedimento não assegura quem está acessando e realizando as atividades e as avaliações virtuais. Surge, então, a questão central que norteará esta pesquisa: 8 Foram pesquisados os seguintes ambientes virtuais: TelEduc da (http://teleduc.nied.unicamp.br/teleduc/), AulaNet (http://www.eduweb.com.br/portugues/home.asp/), Backboard/WEBCT (http://www.blackboard.com/us/index.bbb), Rodda, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (http://rooda.edu.ufrgs.br/nuted/); LearLoop, da Universidade Federal de Minas Gerais(https://cursos.dcc.ufmg.br/); BolinOS, da Universite de Lourvain (http://www.bolinos.com), Classweb, da University of Califórnia (http://classificationweb.net/) ; FLE 3, da University of Art and Design Helsink (http://fle3.uiah.fi/); Ilias, da Universitat Kolln (http://www.ilias.de/); Manhanttan Vitual Classe, da Western New England College (http://manhattan.wnec.edu/); O-LMS, do Departamento de Psicologia da University of Utah (http://www.psych.utah.edu/learn/olms/) e o Eledge, da University of Utah (http://eledge.sourceforge.net/).

22 22 Será que o aluno que acessou e está desenvolvendo as atividades e as avaliações da aprendizagem no Moodle é, realmente, o aluno matriculado no curso a distância? Para que se possa ter certeza da identidade real do aluno que acessa e realiza as atividades pedagógicas, inclusive, as avaliativas, foi identificada a necessidade de se criar um mecanismo que, integrado ao AVEA Moodle, possibilite a identificação facial do aluno no acesso e durante a execução das atividades didático-pedagógicas. 1.6 Metodologia da Pesquisa A metodologia de desenvolvimento deste trabalho, por sua característica pluridisciplinar, adotará métodos, materiais e técnicas oriundos e adaptados das áreas de confluência, ou seja, engenharia de software, educação e web design. No desenvolvimento da pesquisa, as seguintes etapas paralelas, concomitantes e complementares foram realizadas: levantamento bibliográfico na área de informática e educação; levantamento de documentação do sistema computacional Moodle; estudo da engenharia do sistema e dos códigos-fonte do AVEA Moodle; estudo das linguagens de programação de computadores PHP 9, Java 10 e C++; estudo da linguagem de banco de dados MySQL; análise dos requisitos necessários para a aplicação; concepção de um modelo conceitual para suporte ao desenvolvimento do mecanismo; 9 Acrônimo recursivo para "PHP: Hypertext Preprocessor. 10 Linguagem de Programação orientada a objetos, desenvolvido pela empresa Sun Microsystems em Os idealizadores foram Patrick Naughton, Mike Sheridan, e James Gosling (SUN MICROSYSTEMS, 2008).

23 23 integração do sistema com o AVEA Moodle, gerando um mecanismo de software; adaptação de um dos modelos de relatório de acompanhamento das atividades on-line (especificamente o relatório intitulado Todos os Acessos do Moodle) com o registro das imagens, data, hora e informações das intervenções e interações realizadas pelos alunos, durante sua navegação nas páginas do AVEA Moodle; prototipação do mecanismo de software; realização de teste para verificação e validação do protótipo; estudo de ferramentas de apoio à documentação e representação gráfica do mecanismo,como: - JUDE Community, para concepção, elaboração de diagramas de classes e atividades. - Microsoft Visio 2003, para o desenho das ilustrações apresentadas neste trabalho de pesquisa. Foram utilizados, para o desenvolvimento da pesquisa, os materiais, equipamentos e softwares da Coordenação de Tecnologias Educacionais e Educação a Distância do CEFET-PE. Inicialmente, foram estudados os requisitos de software do sistema (funcionais, não-funcionais, de usuário e de sistema), as funcionalidades existentes do AVEA Moodle, bem como a linguagem de programação em que este foi desenvolvido, PHP. Foram, também, pesquisados módulos disponibilizados pela comunidade mundial virtual do AVEA Moodle, para que fornecessem possíveis contribuições à pesquisa. Em seguida, verificaram-se as limitações de PHP para a implementação do projeto de pesquisa. Então, para dar prosseguimento ao projeto de implementação do protótipo, duas outras linguagens foram analisadas e estudadas: Java e C++. A linguagem de programação escolhida foi C++, por atender aos seguintes requisitos: maior domínio da linguagem pela equipe de desenvolvimento e facilidade de adaptação do código executável ao sistema operacional pela equipe de desenvolvimento; facilidade de utilização do código executável pelo usuário final; atendimento às especificações do projeto

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário...

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário... Artigo sobre Indicie 1.Introdução....1 2.Como Surgiu....2 3.Para que serve....3 4.Instalação....3 5. Oque ele permite fazer....5 6. Primeiro Cenário....6 7. Segundo Cenário....7 8. Conclusão....8 5. Referencias....9

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

A Implementação do Ambiente Moodle na Educação de Jovens e Adultos a Distância

A Implementação do Ambiente Moodle na Educação de Jovens e Adultos a Distância A Implementação do Ambiente Moodle na Educação de Jovens e Adultos a Distância Maria Vandete de Almeida Especialista em Desenvolvimento de Sistemas para Web Aluna não-regular Programa de Pós-graduação

Leia mais

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 Elaine Turk Faria 1 O site do Ministério de Educação (MEC) informa quantas instituições já estão credenciadas para a Educação

Leia mais

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013)

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Questionamentos que devem ser enfrentados 1. Como você descreveria esse ambiente

Leia mais

Tutorial Moodle Visão do Aluno

Tutorial Moodle Visão do Aluno Tutorial Moodle Visão do Aluno A P R E S E N T A Ç Ã O A sigla MOODLE significa (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment), em inglês MOODLE é um verbo que descreve a ação ao realizar com gosto

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Pedagógica Pós-graduação Epidemiologia Como surgiu a EAD O

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO ONLINE NA UNIVERSIDADE GUARULHOS (UNG)

IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO ONLINE NA UNIVERSIDADE GUARULHOS (UNG) IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO ONLINE NA UNIVERSIDADE GUARULHOS (UNG) Maio/2007 Arnaldo Turuo Ono Universidade Guarulhos - aono@ung.br Fabio Henrique Bei Universidade Guarulhos - fbei@prof.ung.br Maurício Garcia

Leia mais

Caro Aluno, Seja bem-vindo!

Caro Aluno, Seja bem-vindo! Manual do Aluno Caro Aluno, Seja bem-vindo! Este manual é um guia que irá orientá-lo em sua vida acadêmica. Aqui, você encontrará informações sobre as atividades educacionais, documentação, matrícula,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Sumário Apresentação O papel do Aluno Ambiente Virtual de Aprendizagem Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Dúvidas 3 5 6 9 10 11 14

Leia mais

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época. Educação a distância (EaD, também chamada de teleducação), por vezes designada erradamente por ensino à distância, é a modalidade de ensino que permite que o aprendiz não esteja fisicamente presente em

Leia mais

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO PRESENCIAL: estudos preliminares e proposta de uma metodologia de implantação no CEFET-Bambuí Christiane dos Santos

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Introdução ao Moodle (1.6.5+)

Introdução ao Moodle (1.6.5+) Introdução ao Moodle (1.6.5+) 2 Athail Rangel Pulino Ficha Técnica Título Introdução ao Moodle Autor Athail Rangel Pulino Filho Copyright Creative Commons Edição Agosto 2007 Introdução ao Moodle 3 Índice

Leia mais

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO GUIA BÁSICO DE UTILIZAÇÃO DA REDE COLABORATIVA Construçãoo de Saberes no Ensino Médio ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO CMRJ - 2010 2 LISTA DE FIGURAS Figura 01: Exemplo de

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Adja F. de Andrade adja@inf.pucrs.br 1 Beatriz Franciosi bea@inf.pucrs.br Adriana Beiler 2 adrianab@inf.pucrs.br Paulo R. Wagner prwagner@inf.pucrs.br

Leia mais

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO 2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO Maria do Rozario Gomes da Mota Silva 1 Secretaria de Educação do

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

EM BUSCA DA MELHORIA DA QUALIDADE DA INTERAÇÃO ASSÍNCRONA: SNAPP OS SEUS FÓRUNS

EM BUSCA DA MELHORIA DA QUALIDADE DA INTERAÇÃO ASSÍNCRONA: SNAPP OS SEUS FÓRUNS EM BUSCA DA MELHORIA DA QUALIDADE DA INTERAÇÃO ASSÍNCRONA: SNAPP OS SEUS FÓRUNS Brasília, maio de 2012 Iara Carneiro Tabosa Pena - Universidade de Brasília (iarapena@yahoo.com.br) Wilsa Maria Ramos Universidade

Leia mais

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes na Plataforma MOODLE para Apoio às Atividades Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Parnaíba, 14 de Novembro de 2012

Leia mais

FAQ Estude Sem Dúvidas

FAQ Estude Sem Dúvidas FAQ Estude Sem Dúvidas Núcleo de Educação a Distância Faculdade Flamingo São Paulo Atualizado em: Outubro/2015 2 Estude sem dúvidas FAQ para os alunos de Pedagogia Presencial Caros alunos e alunas do curso

Leia mais

APRENDENDO BIOSSEGURANÇA COM O USO DE WIKIS. Janara de Camargo Matos 1 *

APRENDENDO BIOSSEGURANÇA COM O USO DE WIKIS. Janara de Camargo Matos 1 * 1 APRENDENDO BIOSSEGURANÇA COM O USO DE WIKIS Janara de Camargo Matos 1 * RESUMO A internet ou Web 2.0 é um espaço onde se pode criar, editar e transformar páginas de maneira simples. A utilização de tecnologias

Leia mais

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle NE@D - Moodle CONCEITO: O Moodle é uma plataforma de aprendizagem a distância baseada em software livre. É um acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (ambiente modular de aprendizagem

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Serviço Federal de Processamento de Dados SERPRO Universidade Corporativa Ministério da Fazenda Responsável: Margareth Alves de Almeida - Chefe

Leia mais

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO II PROFESSORA: PATRÍCIA

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS)

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS) A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS) Isléia Rössler Streit Universidade de Passo Fundo istreit@upf.br Resumo: A evolução tecnológica das últimas duas

Leia mais

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD 1 FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD Elisangela Lunas Soares UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar elisangela.soares@unicesumar.edu.br Alvaro Martins Fernandes Junior UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar

Leia mais

Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB

Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB Unidade 2 Unidade 2 Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB Nesta Unidade, será apresentada a legislação brasileira de EaD e suas implicações institucionais no sistema da Universidade

Leia mais

Caro Aluno, Seja bem-vindo!

Caro Aluno, Seja bem-vindo! Manual do Aluno Caro Aluno, Seja bem-vindo! Este manual é um guia que irá orientá-lo em sua vida acadêmica. Aqui você encontrará informações sobre as atividades educacionais, documentação, matrícula, avaliações

Leia mais

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO Porto Velho - RO - 03/2010 Sara Luize Oliveira Duarte, Universidade de Taubaté, saralod@msn.com Walace

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA

O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA 1 O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA Andréia de Souza Alencar Fernanda Cristina de Paula Matias Fernanda Pereira Guimarães Rodrigo Sanches de Oliveira Resumo: Educação a distância (EaD) e Software Livre

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - Educação a Distância: princípios e orientações. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - Educação a Distância: princípios e orientações. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFENCIA EM FORMAÇÃO E APOIO

Leia mais

O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento

O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto Metodista Granbery: uma ferramenta de acompanhamento e relacionamento Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery http://re.granbery.edu.br - ISSN 1981 0377 Curso de Sistemas de Informação - N. 7, JUL/DEZ 2009 O Sistema de Controle de Egressos utilizado pelo Instituto

Leia mais

Prof.ª Dr.ª do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Prof.ª Dr.ª do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TICs) NO CONTEXTO DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) E O CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (UFSM) AVINIO, Carina

Leia mais

1. Conhecendo o Moodle... 2

1. Conhecendo o Moodle... 2 Departamento de Educação / 2015 1. Conhecendo o Moodle... 2 1.1 O que é o Moodle?... 2 1.2 Qual o significado de Moodle?... 2 1.3 Para que serve?... 2 2. O Moodle QI... 3 3. Cadastramento... 4 4. Alterando

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Recife PE - Abril 2010 Ivanda Maria Martins Silva - UFRPE martins.ivanda@gmail.com Categoria (Conteúdos e Habilidades) Setor Educacional (Educação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Projeto de Extensão. Blog. Participação do público alvo.

PALAVRAS-CHAVE Projeto de Extensão. Blog. Participação do público alvo. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

O MOODLE E O ENSINO À DISTÂNCIA: RESISTÊNCIA AO USO DA FERRAMENTA

O MOODLE E O ENSINO À DISTÂNCIA: RESISTÊNCIA AO USO DA FERRAMENTA 1 O MOODLE E O ENSINO À DISTÂNCIA: RESISTÊNCIA AO USO DA FERRAMENTA Brenno Marcus Pereira do Prado Engenharia Elétrica UFMG brennoprado@gmail.com Filipe Santana de Freitas Engenharia Elétrica UFMG bxcfilipe@gmail.com

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

Ambientes Virtuais de Aprendizagem

Ambientes Virtuais de Aprendizagem SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS Modelagem Computacional de Ambientes de Apredizagem Profa. Silvia

Leia mais

SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA

SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA ARTIGO ACEITO PARA O IADIS EUROPEAN CONFERENCE 2012 LISBOA (PORTUGAL) Categoria mini artigo com no máximo 2500 palavras RESUMO Este artigo

Leia mais

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como:

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como: Manual do Aluno É com muita satisfação que apresentamos o Reunir Unopar. Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborativa que tem por objetivo principal ser um espaço colaborativo de construção do conhecimento

Leia mais

ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Isabelle Maria Lima de Souza 1, Maria Lúcia Serafim 2 1 Departamento de Educação a Distância, Instituto Brasileiro de Desenho Instrucional,

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

Eje temático: EXPERIENCIAS Y ACCIONES CONCRETAS RELACIONADAS CON LA EDUCACIÓN MEDIÁTICA EN EL ÁMBITO DE LA EDUCACIÓN FORMAL

Eje temático: EXPERIENCIAS Y ACCIONES CONCRETAS RELACIONADAS CON LA EDUCACIÓN MEDIÁTICA EN EL ÁMBITO DE LA EDUCACIÓN FORMAL Eje temático: EXPERIENCIAS Y ACCIONES CONCRETAS RELACIONADAS CON LA EDUCACIÓN MEDIÁTICA EN EL ÁMBITO DE LA EDUCACIÓN FORMAL Titulo: UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) Autor: Wilson dos Santos Almeida

Leia mais

O USO DAS FERRAMENTAS DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PELOS ACADÊMICOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PROCESSOS GERENCIAIS DO NEAD-CESUMAR

O USO DAS FERRAMENTAS DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PELOS ACADÊMICOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PROCESSOS GERENCIAIS DO NEAD-CESUMAR O USO DAS FERRAMENTAS DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PELOS ACADÊMICOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PROCESSOS GERENCIAIS DO NEAD-CESUMAR Maringá PR Abril 2011 Adriana Maria Pavezi CESUMAR adriana.pavezi@ead.cesumar.br

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ELABORAÇÃO DE MATERIAL, TUTORIA E AMBIENTES VIRTUAIS Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIAS NA GESTÃO DA EAD: NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA(UFSM) E NA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL(UAB).

RELATO DE EXPERIÊNCIAS NA GESTÃO DA EAD: NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA(UFSM) E NA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL(UAB). RELATO DE EXPERIÊNCIAS NA GESTÃO DA EAD: NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA(UFSM) E NA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL(UAB). Profa. Dra. Maria Medianeira Padoin 1 RESUMO: Relato e análise de experiências

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO Carlos Eduardo Rocha dos Santos Universidade Bandeirante Anhanguera carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso:

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso: Com carga horária de 720 horas o curso Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros

Leia mais

AV@S: UMA SOLUÇÃO PARA GESTÃO DE EAD BASEADA NA INTEGRAÇÃO DE INSTALAÇÕES MOODLE

AV@S: UMA SOLUÇÃO PARA GESTÃO DE EAD BASEADA NA INTEGRAÇÃO DE INSTALAÇÕES MOODLE 1 AV@S: UMA SOLUÇÃO PARA GESTÃO DE EAD BASEADA NA INTEGRAÇÃO DE INSTALAÇÕES MOODLE Salvador BA 05/2012 Categoria: Métodos e Tecnologias Setor Educacional: Educação Média e Tecnológica Classificação das

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DE CURSOS A DISTÂNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA ESAF

O DESENVOLVIMENTO DE CURSOS A DISTÂNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA ESAF 1 O DESENVOLVIMENTO DE CURSOS A DISTÂNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA ESAF Brasília DF Maio 2012 Kelly Ramos de Souza Bitencourt Escola de Administração

Leia mais

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do, da

Leia mais

Guião de utilização da plataforma moodle para Professor

Guião de utilização da plataforma moodle para Professor Guião de utilização da plataforma moodle para Professor http://elearning.up.ac.mz http://www.ceadup.edu.mz E-mail: up.cead@gmail.com info@ceadup.edu.mz Maputo, 2013 Introdução Há alguns anos atrás, para

Leia mais

Moodle. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens

Moodle. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens Moodle Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens O que é? Alternativa às soluções comerciais de ensino on-line

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

Índice. Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4

Índice. Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4 Página 1 Índice Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4 O QUE É EDUCAÇÃO A DISTANCIA (EAD)?... 4 O que é necessário para estudar em ead?... 4 Quais são as vantagens de estudar a distância?...

Leia mais

Soluções em TI ao alcance de todos

Soluções em TI ao alcance de todos Você sabia que a sua prefeitura, independentemente do tamanho, pode ser beneficiada com o uso de mais de 50 aplicações que fazem parte do Portal do Software Público Brasileiro? Soluções em TI ao alcance

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA Ronaldo Vieira Cabral Abdias de Brito Aguiar Júnior José Sidney Nunes de Araújo Resumo: A parte das

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Dúvidas e Suporte

Leia mais

A EDUCAÇÃO ALIADA AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTIC)

A EDUCAÇÃO ALIADA AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTIC) A EDUCAÇÃO ALIADA AS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTIC) José Wellithon Batista Zacarias (1); Programa de Pós Graduação, Faculdade Leão Sampaio - wellithonb@gmail.com RESUMO No mundo informatizado

Leia mais

Manual do Moodle para alunos. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1

Manual do Moodle para alunos. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 Manual do Moodle para alunos (Versão 1.0) 29/Junho/2009 Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 O que é?... 3 Acesso... 4 Atualizando suas informações... 4 Enviando Mensagens... 5 Acessando os seus cursos...

Leia mais

aumentar a arrecadação?

aumentar a arrecadação? Como aumentar a arrecadação? Como economizar recursos públicos? Como modernizar a Gestão Pública? Como oferecer melhores serviços ao cidadão? Melhoria da Gestão com o uso de Tecnologia da Informação Melhore

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia. 1 O PAPEL DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: Um Estudo de Caso no pólo UNOPAR, Machadinho do Oeste - RO Izaqueu Chaves de Oliveira 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo compreender a importância

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD

SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD 1 SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD Pelotas, maio/2010 Luis Otoni Meireles Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense IFSul luis.otoni@gmail.com

Leia mais

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance

Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance Universidade Ubíqua: a UFPB Virtual ao seu alcance SEVERO¹, Ana Beatrice Santana SILVA², Danielle Rousy Dias da ANJOS 3, Eudisley Gomes dos PRESTES 4, Mateus Augusto Santos FERNANDES 5, Raul Felipe de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

Educação à Distância: Possibilidades e Desafios

Educação à Distância: Possibilidades e Desafios Educação à Distância: Possibilidades e Desafios Resumo André Alves Freitas Andressa Guimarães Melo Maxwell Sarmento de Carvalho Pollyanna de Sousa Silva Regiane Souza de Carvalho Samira Oliveira Os cursos

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais

RESISTÊNCIA X ACEITAÇÃO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA FACULDADE TECNOLÓGICA EM FORTALEZA-CE

RESISTÊNCIA X ACEITAÇÃO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA FACULDADE TECNOLÓGICA EM FORTALEZA-CE 1 RESISTÊNCIA X ACEITAÇÃO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA FACULDADE TECNOLÓGICA EM FORTALEZA-CE Fortaleza CE, 01 de maio de 2014 Luciana Rodrigues Ramos Duarte Faculdade Ateneu

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação Ambiente Virtual As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente

Leia mais

SaUni Sistema de Acompanhamento Acadêmico. do Curso UniRede de Formação em EAD. Área Temática: A capacitação dos docentes

SaUni Sistema de Acompanhamento Acadêmico. do Curso UniRede de Formação em EAD. Área Temática: A capacitação dos docentes SaUni Sistema de Acompanhamento Acadêmico do Curso UniRede de Formação em EAD Área Temática: A capacitação dos docentes no uso das novas tecnologias da informação e da comunicação Polak, Ymiracy Nascimento

Leia mais

Regulamento. Regulamento

Regulamento. Regulamento Regulamento 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 DO PROGRAMA FGV ONLINE... 5 DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA SEBRAE... 5 DA PARCERIA SEBRAE E FGV ONLINE... 6 DESTE REGULAMENTO... 6 DO REGULAMENTO DOS CURSOS DE EXTENSÃO

Leia mais

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO MIRANDA 1, Márcia Verônica Costa; SILVA 2, Gilmar Batista da 1 Professora Orientadora

Leia mais

FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EaD

FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EaD FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EaD PROFª Mª MARIA DA GRAÇA GONÇALVES VINHOLI- GT-EAD E SENACmgvinholi@yahoo.com.br mariadagraca@ms.senac.br QUEM É O TUTOR? Mantendo a essência do termo e, transpondo

Leia mais

TÍTULO FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE DA REDE PÚBLICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

TÍTULO FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE DA REDE PÚBLICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL TÍTULO FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE DA REDE PÚBLICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Modalidade do Trabalho: Comunicação Oral. Área: Formação de Professores

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: Graduados em nível superior que atuam ou pretendem atuar na docência em instituições de ensino superior.

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: Graduados em nível superior que atuam ou pretendem atuar na docência em instituições de ensino superior. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais