BHTRANS 2020 Plano Estratégico. Revisão 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BHTRANS 2020 Plano Estratégico. Revisão 2013"

Transcrição

1 BHTRANS 2020 Plano Estratégico Revisão 2013

2 Capítulo 1 Introdução... 3 Capítulo 2 O Direcionamento Estratégico da Prefeitura de Belo Horizonte... 5 Capítulo 3 O Posicionamento Estratégico da BHTRANS Capítulo 4 Projetos Estratégicos... 22

3 Mensagem do Presidente da BHTRANS 2 O Plano Estratégico formulado em 2010 indicou os caminhos a serem trilhados pela BHTRANS na construção de uma cidade com as melhores condições de circulação, serviços de transporte público de qualidade e elevada qualidade ambiental. Para tanto, o modelo de atuação da BHTRANS foi atualizado de modo a transformá-la numa empresa de resultados, ágil e inovadora, reconhecida pela sociedade e referência em gestão e soluções de mobilidade urbana sustentável. Em 2013, como previsto no próprio Plano, iniciamos a sua revisão, tendo como base o Programa de Governo Municipal e a nova Carteira de Projetos Sustentadores da Prefeitura de Belo Horizonte. Parte dos projetos estratégicos da BHTRANS integra agora a referida Carteira, demonstrando a importância e prioridade dadas pelo Governo Municipal ao tema da Mobilidade Urbana e seus desafios. Ademais, permitem a operacionalização do PlanMob-BH Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte, instituído pelo Decreto Municipal nº , de 02 de setembro de Nossa jornada em prol da construção de uma Belo Horizonte de oportunidades, sustentável e com qualidade de vida para todos continua. A Diretoria Executiva da BHTRANS conta com a seriedade, o profissionalismo e a dedicação de todos os envolvidos nesse importante trabalho. Ramon Victor Cesar Dezembro/2013

4 Capítulo 1. De acordo com o Censo de 2010, realizado pelo IBGE, 84% da população brasileira vive em cidades. Como reflexo da falta de investimentos públicos no setor de transportes das últimas décadas, de forma geral, o sistema de transporte coletivo nas cidades apresenta baixa qualidade e a população tem buscado a aquisição de automóveis e motocicletas para tornar os seus deslocamentos diários mais ágeis e confortáveis. 3 Enquanto o Brasil se depara com o elevado crescimento da frota de veículos privados, como nunca antes visto, os congestionamentos se tornam cada vez mais intensos, a poluição atmosférica vem ganhando espaço nas agendas internacionais, os acidentes de trânsito têm se agravado, as empresas têm se deslocado (buscando os ganhos financeiros provenientes da economia de tempo em seus deslocamentos) e especialistas estão analisando o ponto de saturação das grandes cidades, na tentativa de prever quando simplesmente a movimentação de pessoas e bens irá parar. Em Belo Horizonte essa realidade não é diferente. A terceira maior região metropolitana do Brasil observou nos últimos 20 anos um forte crescimento populacional, especialmente das cidades do entorno. A capital dos mineiros tem hoje mais de dois milhões de habitantes que exigem do poder público, entre outras medidas, melhorias concretas das condições para assegurar seus deslocamentos diários. Por essa razão, em 2010 a Prefeitura de Belo Horizonte deu destaque em seu Plano Estratégico BH 2030 ao tema Mobilidade, com foco na integração das redes, no gerenciamento da demanda e na qualidade dos serviços de transporte público.

5 A complexidade do tema e a grandiosidade do desafio exigiram uma mudança de abordagem na formulação do planejamento da BHTRANS. Foi preciso abdicar do tratamento isolado do trânsito, do transporte, da logística urbana e da construção da infraestrutura, para adotar uma visão mais ampla sobre a movimentação de bens e de pessoas, tendo em vista os fatores indutores das demandas por deslocamentos e levando em consideração os diversos modos de transporte. Foi nessa premissa que o Plano Estratégico da BHTRANS foi baseado, tendo sido concebido para ir além das ações de um ciclo de gestão, envolvendo diversas esferas de poder. 4 O processo de planejamento abrangeu a construção da missão e a visão de futuro da BHTRANS, os compromissos da empresa com a população da cidade, os objetivos estratégicos e as estratégias de atuação para os próximos dez anos, além da definição dos Projetos Estratégicos, principais instrumentos para passar das estratégias às ações concretas com transformações significativas para a sociedade belo-horizontina no campo da mobilidade urbana. Um importante aspecto do Plano Estratégico da BHTRANS é tratar-se de um instrumento de caráter dinâmico e, como tal, sujeito a atualizações periódicas. Os processos de reestruturação da Carteira de Projetos Sustentadores da Prefeitura e de implantação da gestão estratégica pautada por resultados na BHTRANS demandaram a atualização do Plano Estratégico da BHTRANS , que manteve intactas a Missão, Visão de Futuro 2020 e a Proposta de Valor, mas adaptou os Objetivos Estratégicos, Estratégias de Atuação, Projetos Estratégicos e seus respectivos Indicadores Estratégicos à nova estrutura dos projetos da Prefeitura e ao novo modelo de gestão da empresa. O Plano Estratégico da BHTRANS revisão 2013 encontra-se descrito no presente documento.

6 Capítulo 2. O Direcionamento Estratégico da Prefeitura de Belo Horizonte 5 Uma Carta do Futuro: Belo Horizonte em 2030 Estamos em Belo Horizonte acaba de alcançar padrões de qualidade de vida equivalentes àqueles observados em países desenvolvidos. O povo belo-horizontino tem grande orgulho pelo fato de sua cidade misturar de forma interessante a tradição mineira com uma agenda cosmopolita e de vanguarda em vários campos. São múltiplas as oportunidades de negócios e de empregos na cidade, em especial em empresas de serviços mais avançados e de base tecnológica. E a vida cultural é uma das mais dinâmicas do Brasil. Quem vive em Belo Horizonte goza de um ambiente urbano moderno e dinâmico, mas também de paz e tranquilidade. Os níveis de saúde e educação na cidade estão no mesmo patamar daqueles registrados nas principais metrópoles desenvolvidas. A mobilidade melhorou muito no período e o transporte público de qualidade na capital mineira é para todos [...] [...]É cada vez melhor viver em Belo Horizonte: uma cidade de oportunidades, sustentável e com qualidade de vida Fonte: Planejamento Estratégico de Belo Horizonte A Cidade que queremos

7 Belo Horizonte busca, por meio do seu Planejamento Estratégico de Longo Prazo, transformar-se em uma metrópole tão desenvolvida quanto às grandes cidades em países desenvolvidos. Para isso, foi realizado um esforço de mapear os principais desafios à construção de um futuro projetado, bem como mapear as diferentes possibilidades de futuro para a capital mineira, antecipando oportunidades e riscos à sua concretização, colocando a capital das Minas Gerais a par de suas limitações e potenciais. 6 A partir disso, traçou-se uma Visão de Futuro que aponta a situação na qual a sociedade de Belo Horizonte deseja viver em A Visão de Futuro no horizonte tem o propósito de servir de marco referencial para a construção de uma agenda estratégica de longo prazo que contribua para o seu desenvolvimento sustentável. Essa visão projeta Belo Horizonte como uma cidade de oportunidades, sustentável e com qualidade de vida. Complementarmente, a Visão de Futuro se desdobra em seis Objetivos Estratégicos de Longo Prazo, que têm como foco a geração de múltiplas oportunidades de trabalho e negócios, a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento urbano em bases ambientalmente sustentáveis. Visão de Futuro de Belo Horizonte Cidade de oportunidades, sustentável e com qualidade de vida. Cidade de Oportunidades OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DE LONGO PRAZO 1. Multiplicar oportunidades de trabalho e promover ambiente favorável à criação e ao desenvolvimento de negócios 2. Buscar qualidade de vida para todos Cidade Sustentável 3. Promover a sustentabilidade ambiental 4. Assegurar as melhores condições de mobilidade, acessibilidade e conectividade em todo o espaço urbano e contribuir para sua melhoria em âmbito metropolitano Cidade com Qualidade de Vida 5. Consolidar ambiente político-institucional de qualidade 6. Propiciar ambiente social que estimule a convivência alegre e saudável entre as pessoas

8 O Objetivo Estratégico 4 Assegurar as melhores condições de mobilidade, acessibilidade e conectividade em todo o espaço urbano e contribuir para sua melhoria em âmbito metropolitano é o direcionador do Plano Estratégico da BHTRANS (...) qualquer que seja o caminho a seguir, a mobilidade terá um papel decisivo, pois influenciará os padrões de desenvolvimento tanto no campo social, como no econômico. Para traduzir os desejos descritos nesse Objetivo Estratégico em resultados concretos e mensuráveis para a população de Belo Horizonte, a ação gerencial da Prefeitura de Belo Horizonte está organizada em 12 Áreas de Resultado. São áreas nas quais serão reunidos os melhores esforços e recursos visando às transformações e melhorias desejadas. 7 Cidade com Mobilidade ÁREAS DE RESULTADOS Prosperidade Cultura Cidade Saudável Modernidade Cidade de Todos Educação Cidade com Todas as Vilas Vivas Cidade Sustentável Cidade Segura Integração Metropolitana Cidade Compartilhada

9 O enfoque aqui é dado à área Cidade com Mobilidade que conta com uma carteira de seis projetos Sustentadores, sendo três de gestão da própria BHTRANS. Projetos Sustentadores da Prefeitura de Belo Horizonte de gestão da BHTRANS Área de Resultados: Cidade com Mobilidade Prioridade ao Transporte Coletivo Gestão Inteligente da Mobilidade Transporte Seguro e Sustentável

10 Capítulo 3. O Posicionamento Estratégico da BHTRANS A construção de um novo futuro para a mobilidade urbana de Belo Horizonte exige um esforço deliberado de planejamento e, especialmente, grande capacidade de execução e concertação política e institucional, envolvendo diversas instituições e esferas de poder. Nesse desafio, a BHTRANS, como a gestora do sistema de mobilidade da cidade de Belo Horizonte, possui um papel central. Seu posicionamento e intenções para aperfeiçoamento do sistema de mobilidade são explicitados neste capítulo, com o objetivo de responder à pergunta 'onde queremos chegar no horizonte de 2020?'. O posicionamento estratégico contém os elementos que descrevem a razão de ser da BHTRANS Missão, os compromissos que assume com os seus públicos-alvo Proposta de Valor, e o perfil institucional que a empresa pretende alcançar até o ano de 2020 Visão de Futuro. Inclui ainda o desdobramento da Proposta de Valor e da Visão de Futuro em Objetivos Estratégicos e respectivas Estratégias de Atuação.

11 Missão da BHTRANS 10 Assegurar a mobilidade urbana orientada para a qualidade de vida das pessoas e o desenvolvimento sustentável de Belo Horizonte, contribuindo para a integração metropolitana. Assegurar a mobilidade urbana. É a razão de ser da BHTRANS. Explicita o seu compromisso e a sua função perante a sociedade de Belo Horizonte. Orientada para a qualidade de vida das pessoas. A BHTRANS priorizará seus esforços para as pessoas de Belo Horizonte e sua qualidade de vida. Direcionará suas ações e decisões, visando ao bem-estar daqueles que circulam e precisam se deslocar pela cidade. E o desenvolvimento sustentável de Belo Horizonte. No planejamento e execução das ações e projetos serão sempre levados em conta os impactos da mobilidade urbana no desenvolvimento econômico da cidade, a responsabilidade ambiental e a garantia da inclusão social. Contribuindo para a integração metropolitana. A BHTRANS reconhece as influências mútuas dos sistemas de mobilidade de Belo Horizonte, entre as outras cidades limítrofes e compromete-se a promover ações conjuntas que contribuam para a melhoria das condições de circulação no âmbito da região metropolitana.

12 Visão de Futuro BHTRANS 2020 Empresa de resultados, ágil e inovadora, reconhecida pela sociedade e referência em gestão e soluções de mobilidade urbana sustentável. 11 Empresa de resultados. A BHTRANS concentrará seus esforços na geração e entrega de resultados para os seus públicos de interesse, observando as necessidades e prioridades dos usuários, pessoas e empresas do sistema de mobilidade de Belo Horizonte. Ágil e inovadora. A BHTRANS compromete-se a atender os usuários do sistema de mobilidade de Belo Horizonte com respostas rápidas e diferenciadas, gerando soluções eficientes e com a qualidade que se espera de uma empresa moderna e orientada para resultados. Reconhecida pela sociedade. A BHTRANS buscará ser reconhecida pela sociedade belohorizontina como uma empresa de alta relevância e decisiva para o bom funcionamento do sistema de mobilidade da cidade. E referência em gestão e soluções de mobilidade urbana sustentável. A BHTRANS buscará novas alternativas e soluções para mobilidade urbana que contribuam para sustentabilidade da cidade em suas três dimensões: social, ambiental e econômica.

13 Proposta de Valor PESSOAS USUÁRIAS DO SISTEMA DE MOBILIDADE: Ampliar o acesso aos serviços, às oportunidades de trabalho e ao lazer; Reduzir os custos e tempos de viagem; 12 Assegurar a qualidade dos serviços de transporte; Garantir a segurança no trânsito; Contribuir para a qualidade ambiental. EMPRESAS E INDIVÍDUOS PRESTADORES DE SERVIÇOS DE MOBILIDADE URBANA Assegurar regulamentação que concilie o atendimento de qualidade aos usuários com a viabilidade dos negócios. EMPRESAS E ORGANIZAÇÕES USUÁRIAS DO SISTEMA DE MOBILIDADE: Reduzir custos e tempo de viagem para deslocamento de empregados e para abastecimento e entrega de mercadorias; Garantir a segurança do trânsito nas operações de logística urbana; Avaliar com agilidade os impactos dos empreendimentos geradores de tráfego.

14 Objetivos Estratégicos Tornar o transporte coletivo mais atrativo frente ao transporte individual. Promover um salto de qualidade nos serviços, equipamentos e instalações do sistema de mobilidade. Promover a segurança no trânsito para melhoria da saúde e garantia da vida. Assegurar que as intervenções no sistema de mobilidade urbana contribuam para a melhoria da qualidade ambiental e estímulo aos modos não motorizados. Tornar a mobilidade urbana um fator positivo para o ambiente de negócios da cidade. Tornar a mobilidade urbana um fator de inclusão social. Construir uma imagem positiva perante a sociedade. Adotar padrões de excelência na gestão da empresa. 13

15 Objetivo Estratégico 1. Tornar o transporte coletivo mais atrativo frente ao transporte individual META Índice de mobilidade em modos coletivos 70,0% Ampliar o percentual de viagens 63,9% em modos coletivos em relação 14 ao total de viagens em modos motorizados, de 54,2% em ,6% 54,2% 55,5% 57,6% para 55,5% em 2016 e 57,6% em 2020¹ ¹ Meta pactuada com a Prefeitura de Belo Horizonte. Segundo o Plano Estratégico da Prefeitura, a meta para 2030 é 70%. FONTES: Pesquisa de Origem e Destino, dados de 1992 e PlanMob-BH, dados de 2008, 2014 e Realizado Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Implantar rede estruturante do transporte coletivo, integrando sistemas de alta e média capacidade. Ampliar as intervenções de prioridades ao transporte coletivo no sistema viário. Modernizar os sistemas de informação sobre o transporte coletivo. Ampliar a integração física, operacional e tarifária do transporte coletivo em Belo Horizonte e na RMBH. Diversificar os modos de transporte coletivo. Desestimular, onde necessário, o uso do automóvel de modo articulado à melhoria do transporte coletivo. Promover uma mudança de percepção da sociedade quanto aos usos do transporte individual e coletivo.

16 Objetivo Estratégico 2 Promover um salto de qualidade nos serviços, equipamentos e instalações do sistema de mobilidade META Avaliação Geral do Transporte Coletivo (percentual de ótimo / bom) 60% Ampliar o percentual de usuários satisfeitos com os serviços do transporte coletivo por ônibus de 21%, 43% 31% 36% 21% 30% 15 de ótimo/bom em 2012, para 30% 12% 12% em 2016 e 60% em FONTE: BHTRANS/DOXA, Realizado Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Fomentar a implantação de sistemas de gestão da qualidade e a certificação dos prestadores de serviços de mobilidade. Tornar eficaz a fiscalização dos serviços de transporte por meio da inovação nos métodos e processos. Monitorar sistematicamente o grau de satisfação da população em relação aos serviços de transporte e trânsito. Disseminar informações sobre o sistema de mobilidade e sua operação, propiciando a escolha otimizada dos meios de deslocamento. Modernizar equipamentos e instalações do transporte coletivo. Alcançar elevada capacidade de inovação tecnológica para a gestão e soluções do sistema de mobilidade. Melhorar a capacidade de articulação e de cooperação institucional para viabilizar projetos transformadores da mobilidade urbana na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

17 Objetivo Estratégico 3 Promover a segurança no trânsito para melhoria da saúde e garantia da vida META Acidentes de Trânsito (Mortalidade/ hab) 11,21 11,74 11,04 16 Reduzir a quantidade de vítimas fatais, ponderada por habitantes, de 11,21 em 2008, para 7,61 em ,10 7,61 6,31 e 6,31 em FONTE: DENATRAN RENAEST 2011 Realizado Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Reestruturar a fiscalização para enfatizar a segurança, a orientação aos usuários e a operação do trânsito. Assegurar espaços adequados e direitos preferenciais aos pedestres nas intervenções no sistema de mobilidade. Promover a modernização tecnológica dos equipamentos de monitoramento e controle do tráfego e de orientação aos usuários. Desenvolver projetos de educação para o trânsito, com foco em pedestres, motociclistas e jovens condutores. Priorizar iniciativas, projetos e investimentos que potencializem a segurança no trânsito.

18 Objetivo Estratégico 4 Assegurar que as intervenções no sistema de mobilidade urbana contribuam para a melhoria da qualidade ambiental e estímulo aos modos não-motorizados. META Índice de mobilidade em modos não motorizados (bicicleta e a pé) Ampliar o percentual de viagens em modos não motorizados em relação ao total de viagens, de 27,8% em 2002, para 33% em 2016 e 38% em ,4% 27,4% 26,1% 34% 33% 38% Brasil (cidades com mais de 1 milhão de habitantes) ANTP - Dados de 2013 FONTES: Pesquisa de Origem e Destino, dados de 1992 e PlanMob-BH e BHTRANS, dados de 2008, 2014 e Realizado Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Monitorar a evolução tecnológica dos meios de transporte e induzir a adoção de tecnologias limpas ou menos poluentes pelos prestadores de serviços de transporte público. Atuar em rede com órgãos reguladores e gestores do meio ambiente para reduzir as emissões veiculares e a poluição sonora e visual. Garantir valorização do espaço urbano nas intervenções de mobilidade atuando em parceria com os demais órgãos da administração pública. Estimular o uso de transportes não motorizados, por meio do gerenciamento da demanda, da integração aos demais modos e da melhoria da oferta de infraestrutura e equipamentos.

19 Objetivo Estratégico 5 Tornar a mobilidade urbana um fator positivo para o ambiente de negócios da cidade META Índices de Congestionamento e Saturação em BH 19% Reduzir o índice de 18 congestionamentos e saturação, nas principais vias de Belo Horizonte, em relação ao cenário tendencial, em 28% em 2016 e em 52% em ,8% ,2% -28% 9,6% 9,4% % 9,1% 2020 FONTE: PlanMob (Cenário Tendencial). Tendencial Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Regular os serviços de mobilidade no sentido de torná-los economicamente viáveis e de garantir a qualidade para os usuários e a modicidade das tarifas. Adequar o planejamento, ordenamento e operação da logística urbana, atuando em cooperação com entidades públicas e privadas e em consonância com as políticas de uso e ocupação do solo, desenvolvimento econômico e gestão da mobilidade. Aprimorar os métodos e processos de licenciamento de empreendimentos geradores de tráfego.

20 Objetivo Estratégico 6 Tornar a mobilidade urbana um fator de inclusão social META Índice de acessibilidade econômica Reduzir o índice de acessibilidade econômica (custo de 50 viagens em relação ao salário mínimo) de 18,34% em 2013 para 16,73% em 2016 e 14,02% em ,82 23,34 21,21 21,11 19,95 18,34 16,73 14, FONTE: BHTRANS, INPC/IBGE, Meta de crescimento do PIB/Banco Central Realizado Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Promover política tarifária do transporte coletivo com vistas a proporcionar maior inclusão social. Adequar a infraestrutura e a frota em conformidade aos requisitos de acessibilidade universal. Garantir a cobertura espacial e temporal para atendimento aos usuários de transporte público.

21 Objetivo Estratégico 7 Construir uma imagem positiva perante a sociedade 20 META Aumentar o índice de avaliação positiva da imagem da BHTRANS, por meio de pesquisa de opinião com a população de Belo Horizonte, de 26% de ótimo/bom em 2008 para 45% em 2016 e 50% em Índice de avaliação da imagem da BHTRANS (% ótimo/bom) 26% % % % % 2020 FONTE: BHTRANS/DOXA 2008, 2010, 2012 e 2013 Realizado Meta ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Realizar ações de comunicação e marketing que deem visibilidade aos resultados alcançados pela empresa, associados a agendas positivas. Responder aos usuários do sistema de mobilidade de forma ágil, clara e objetiva, com o monitoramento do desempenho dos respectivos processos e serviços.

22 Objetivo Estratégico 8 Adotar padrões de excelência na gestão da empresa ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO Implantar sistema de gestão pautado em metas de desempenho, resultados e alta capacidade de resposta, para garantia da sustentabilidade da empresa e alinhamento estratégico à administração municipal. Aumentar a transparência e a comunicação com a sociedade para a melhoria da qualidade das decisões da empresa. Consolidar processos de participação da sociedade na formulação e avaliação dos projetos e serviços de mobilidade. 21 Aprimorar o fluxo de informações, intensificando o uso de recursos de tecnologia da informação. Intensificar a formação e o aprimoramento do corpo gerencial. Aprimorar o desempenho dos empregados visando à melhoria dos resultados e o efetivo reconhecimento do trabalho. Ampliar a capacidade de formulação de soluções integradas de médio e longo prazo para a mobilidade urbana.

23 Capítulo Projetos Estratégicos Os objetivos estratégicos e as estratégias de atuação compõem um conjunto de elevada sinergia, dada a grande inter-relação e complementaridade entre todos os elementos. Por isso, a sua materialização consiste em poderoso instrumento de transformação do sistema de mobilidade urbana de Belo Horizonte. A materialização dos objetivos e estratégias exige forte consenso e coesão social em torno da visão de futuro desejada e da boa qualidade das instituições e políticas públicas ao longo de todo o período O principal instrumento de mobilização para a transformações dessas intenções em resultados são os Projetos Estratégicos. São projetos selecionados em função de sua capacidade transformadora e da sinergia entre seus resultados e produtos, visando à efetiva geração de benefícios para a sociedade. Os Projetos Estratégicos da BHTRANS estão organizados em duas Carteiras. A primeira diz respeito aos Projetos Sustentadores pactuados com a Prefeitura de Belo Horizonte em duas etapas: 2009 e A segunda trata dos Projetos Estratégicos da BHTRANS, selecionados como prioritários.

24 Durante a revisão dos Projetos Sustentadores da Prefeitura em 2013, cinco Projetos Estratégicos da BHTRANS foram incluídos como ações dos Projetos Sustentadores, passando a ser acompanhados pela Prefeitura. São eles: Vá de Ônibus! Estímulo ao Uso do Transporte Coletivo Inovação nos Serviços de Transporte Suplementar, Táxi e Escolar Segurança no Trânsito Mais Educação, Melhor Mobilidade LOGBH - Logística de Carga Urbana em Belo Horizonte 23 Dois Projetos Estratégicos da BHTRANS foram concluídos em 2013: Gestão Estratégica Comprando Melhor Bens e Serviços sob Medida

25 Carteiras de Projetos Estratégicos da BHTRANS Projetos Sustentadores da Prefeitura de Belo Horizonte sob a gestão da BHTRANS Prioridade ao Transporte Coletivo Gestão Inteligente da Mobilidade Transporte Seguro e Sustentável 24 Projetos Estratégicos da BHTRANS QUALIBUS - Transporte Coletivo de Qualidade Observatório da Mobilidade Empreender Pró BH - Melhoria dos Procedimentos de Análise e Controle de Impactos na Circulação BHTRANS Transparente BHTRANS Responde! Motiva BHTRANS!

26 Projetos Sustentadores da Prefeitura de Belo Horizonte 1. Prioridade ao Transporte Coletivo Público-alvo População de Belo Horizonte usuária do transporte coletivo público. Objetivo geral Oferecer um serviço de transporte coletivo público de qualidade, reduzindo tempos de viagem, aumentando conforto, segurança e confiabilidade nos deslocamentos dos usuários. 25 Resultados Ø 80 km de intervenções para priorização do transporte coletivo de BH projetados até Ø Frota de táxi de BH ampliada de para veículos novas permissões, sendo 60 acessíveis, em Ø Ø Velocidade operacional média no Hipercentro no pico da tarde aumentada, passando de 6 km/h (ref. 2012) para 15 km/h até Percentual de viagens em modos coletivos em relação ao total de viagens em modos motorizados aumentado para 55% até Ø 5 corredores de BRT implantados até Ø Corredor de Transporte da Av. Pedro II implantado até Ø 3 novas linhas de ônibus executivos (2 turísticas) implantadas até 2014, totalizando 5 linhas. Ø Número de veículos de transporte suplementar ampliado de 283 para 309 até 2016.

27 Ø Fiscalização eletrônica de cumprimento de horário em 100% das viagens do serviço suplementar implantada até Ø 70% dos usuários de ônibus de BH embarcando em pontos dotados de abrigos até Ø Nova rodoviária em operação até Ø TERGIP adaptado para utilização como: (1) terminal central do BRT metropolitano, (2) terminal de ônibus turísticos, (3) terminal Conexão Aeroporto até Gestão Inteligente da Mobilidade Público-alvo População de Belo Horizonte, em especial usuários do transporte coletivo por ônibus, motoristas que circulam na cidade e empreendedores de logística urbana. Objetivo geral Implantar mecanismos de controle operacional com disponibilização de informações em tempo real para usuários do transporte coletivo por ônibus e motoristas que circulam em Belo Horizonte e aprimorar a gestão, o controle e a operação do transporte coletivo, do transporte de carga e do trânsito em geral. Resultados Ø Número de painéis eletrônicos em pontos de embarque e desembarque, com informação de horário de passagem dos ônibus em tempo real, ampliado para 300 até Ø 100% da frota de ônibus convencional monitorada por câmeras e por GPS em tempo real até 2014.

28 Ø Centro de Operações da Prefeitura - COP - implantado e operando. Ø Cartão metropolitano de transporte coletivo implantado até Ø Plano Diretor de Logística Urbana para o município de Belo Horizonte instituído através de decreto municipal até Transporte Seguro e Sustentável Público-alvo 27 População que reside e circula em Belo Horizonte. Objetivo geral Promover a segurança no trânsito para melhoria da saúde e garantia da vida e contribuir para a melhoria da qualidade de vida urbana por meio de intervenções no sistema de mobilidade, com estímulo aos modos não motorizados. Resultados Ø Ø 2280 vagas em estacionamentos subterrâneos implantadas na Área Central, através de concessão à iniciativa privada, até Intervenções nos eixos do Projeto Mobicentro na Área Central implantadas (Eixo Boulevard Arrudas; Eixo Afonso Pena; Eixo Amazonas; Eixo BRT Área Central; Eixo Hospitais). Ø Número de mortes no trânsito reduzidas de 9,10 (em 2011) para menos de 7,61 mortes por habitantes, até Ø Rotas cicloviárias ampliadas na cidade, passando de 43,40 (ref. 2012) para 200 km até 2016.

29 Projetos Estratégicos da BHTRANS 1. QUALIBUS - Transporte Coletivo de Qualidade Público-alvo Usuários do transporte coletivo convencional de Belo Horizonte. 28 Objetivo Geral Assegurar a melhoria contínua da qualidade do transporte coletivo convencional buscando ampliar a satisfação e a adesão dos usuários a esse serviço. 2. Observatório da Mobilidade Público-alvo Representantes de Instituições da sociedade civil interessadas em acompanhar resultados e contribuir para a construção da política de mobilidade urbana sustentável Objetivo geral Realizar, com base em indicadores de desempenho, a avaliação da implementação do Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH, no que toca aos objetivos, estratégias, metas e resultados.

30 3. Empreender Pró BH - Melhoria dos Procedimentos de Análise e Controle de Impactos na Circulação Público-alvo População diretamente impactada por empreendimentos e empreendedores de novos e já existentes empreendimentos de impacto. Objetivo geral Padronizar os procedimentos de análise, aprovação e implantação de Empreendimentos de Impacto, tornando o processo mais ágil, transparente e eficiente na mitigação dos impactos gerados pelo empreendimento. 29 BHTRANS Transparente Público-alvo Ø Ø Público interno: lideranças e empregados Público externo: entidades da sociedade civil, mídia, formadores de opinião e parceiros. Objetivo geral Prover a comunicação da BHTRANS de transparência, objetividade e agilidade, atuando de forma estratégica para assegurar à empresa resultados positivos e fortalecimento de sua imagem e reputação nos seguintes aspectos: Ø Ø Externamente: visibilidade na sua atuação e nos resultados alcançados proporcionando uma melhor comunicação com parceiros estratégicos e a sociedade. Internamente: engajamento e compromisso do seu público interno com a sua estratégia e objetivos.

31 4. BHTRANS responde! Público-alvo Cidadãos, Órgãos do Legislativo, Prefeitura de Belo Horizonte, Governo Estadual, Governo Federal, Conselho Municipal de Mobilidade Urbana - Comurb, Comissões Regionais de Transporte e Trânsito, Associações de Bairros, Sindicatos, Entidades de Classe, etc que solicitam algum serviço à BHTRANS. 30 Objetivo geral Melhorar qualitativamente e quantitativamente a prestação dos serviços da BHTRANS, procurando viabilizar um atendimento "online" ao cidadão e demais entidades solicitantes, através de processos informatizados e flexíveis e que trabalhem com informações estruturadas e não estruturadas. 5. Motiva BHTRANS! Público-alvo Todos os empregados da BHTRANS. Objetivo Geral Implementar programas de gestão de pessoas e intensificar ações de desenvolvimento para melhoria do desempenho e motivação dos empregados.

32 Colaboradores PREFEITO DE BELO HORIZONTE 31 Marcio Araujo de Lacerda CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA BHTRANS DIRETORIA EXECUTIVA DA BHTRANS Daniel Diniz Nepomuceno - Presidente Ramon Victor Cesar - Presidente Marcello de Lima Santiago Faulhaber Duarte Ben-hur Silva de Albergaria - Diretor de Administração e Finanças Pier Giorgio Senesi Filho Celio de Freitas Bouzada - Diretor de Planejamento Cleise Ferreira dos Santos Daniel Marx Couto - Diretor de Transporte Público Ramon Victor Cesar Edson Amorim de Paula - Diretora de Sistema Viário Deusuite Matos Pereira de Assis - Diretor de Ação Regional e Operação Gerente do projeto Katia Kauark Leite - Coordenadora de Planejamento Estratégico

33

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012 Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Marcelo Cintra do Amaral 20 de novembro de 2012 Roteiro da apresentação: Contexto do PlanMob-BH: prognóstico, caráter de plano diretor, etapas

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

Belo Horizonte: em direção à

Belo Horizonte: em direção à Belo Horizonte: em direção à mobilidade d sustentável tá INDICADORES DA MOBILIDADE URBANA EM BELO HORIZONTE 3,8 milhões de viagens/dia, 44% pelo transporte coletivo 6,3 milhões viagens/dia na RMBH 1,6

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de BH

Plano de Mobilidade Urbana de BH 4 a 7 de junho de 2013 Hotel Ouro Minas Plano de Mobilidade Urbana de BH Ramon Victor Cesar Presidente de BHTRANS Contexto do PlanMob-BH: Cenários, diagnóstico e prognósticos Desafio 1: como articular

Leia mais

PlanMob-BH: Plano de mobilidade sustentável de Belo Horizonte. Ramon Victor Cesar BHTRANS, Prefeitura de Belo Horizonte

PlanMob-BH: Plano de mobilidade sustentável de Belo Horizonte. Ramon Victor Cesar BHTRANS, Prefeitura de Belo Horizonte PlanMob-BH: Plano de mobilidade sustentável de Belo Horizonte Ramon Victor Cesar BHTRANS, Prefeitura de Belo Horizonte Sumário 1. Contexto do PlanMob-BH Fases de desenvolvimento Objetivos estratégicos

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte

29 de julho de 2014. 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte 1ª Reunião do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte Mesa 1: Acessibilidade e qualidade do transporte coletivo e das calçadas de Belo Horizonte Em que medida o PlanMob-BH considerou e avançou

Leia mais

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 5º Congresso de Gerenciamento de Projetos 10 de novembro de 2010 Belo Horizonte Planejamento Estratégico Longo Prazo período 2010-2030 - planejamento

Leia mais

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB)

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. SEMOB 2. POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA 3. PPA DA UNIÃO 2012-2015 4. PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO

Leia mais

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília, 28 de novembro de 2012 Organização Não Governamental fundada em 2006 com a missão de apoiar a

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 70/2011. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova:

PROJETO DE LEI Nº 70/2011. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova: PROJETO DE LEI Nº 70/2011. Institui a Política Municipal de Mobilidade Urbana. A CÂMARA MUNICIPAL DE IPATINGA aprova: Mobilidade Urbana. Art. 1º Fica instituída, no Município de Ipatinga, a Política Municipal

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO SISTEMAS INTEGRADOS DE TRANSPORTE URBANO

TRANSPORTE COLETIVO SISTEMAS INTEGRADOS DE TRANSPORTE URBANO SISTEMAS INTEGRADOS DE TRANSPORTE URBANO TRANSPORTE COLETIVO M. Eng. André Cademartori Jacobsen Especialista em Benchmarking Associação Latino-americana de Sistemas Integrados e BRT (SIBRT) 28/Nov/2012

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB O QUE É O Plano Diretor de Transporte e da Mobilidade é um instrumento da política de desenvolvimento urbano, integrado ao Plano Diretor do município,

Leia mais

Painel 4 - Mobilidade Urbana: Transporte e Soluções. Marcio Lacerda Prefeito de Belo Horizonte

Painel 4 - Mobilidade Urbana: Transporte e Soluções. Marcio Lacerda Prefeito de Belo Horizonte Painel 4 - Mobilidade Urbana: Transporte e Soluções Marcio Lacerda Prefeito de Belo Horizonte Sumário A. Desenvolvimento urbano e os desafios da mobilidade em BH B. Iniciativas da PBH em prol da mobilidade

Leia mais

BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014

BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014 BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014 Situação Atual População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da RMBH: 4,5 milhões de habitantes 3,8 milhões de viagens/dia

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 514, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a Política Nacional de Trânsito, seus fins e aplicação, e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando da competência

Leia mais

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ 1 1 Introdução Sustentabilidade Mudança nos atuais modelos de produção e consumo Alternativas

Leia mais

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014

IV Conferência de Política Urbana. Eixo de Mobilidade: 29 de março de 2014 IV Conferência de Política Urbana Eixo de Mobilidade: Redução dos deslocamentos, melhoria da acessibilidade e estímulo ao transporte coletivo e não motorizado. 29 de março de 2014 Roteiro 2 1) Contexto

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 O espaço urbano como bem ambiental. Aspectos ambientais do Estatuto da cidade garantia da qualidade de vida. Meio ambiente natural; Meio ambiente cultural; Meio ambiente

Leia mais

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela Planejamento Estratégico de Estrela 2015 2035 O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Viajeo Plus City Showcase in Latin America Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Nívea Oppermann Peixoto, Ms Diretora de Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil EMBARQ Brasil auxilia governos e empresas

Leia mais

Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013

Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013 Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013 A gestão pública brasileira é marcada pela atuação setorial, com graves dificuldades

Leia mais

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Fundação Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Secretaria de Infraestrutura UMA UNIDADE DE MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Leia mais

DECRETO Nº 15.317, DE 02 DE SETEMBRO DE 2013

DECRETO Nº 15.317, DE 02 DE SETEMBRO DE 2013 Terça-feira, 3 de Setembro de 2013 Ano:XIX - Edição N.: 4385 Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo DECRETO Nº 15.317, DE 02 DE SETEMBRO DE 2013 Institui o Plano Diretor de Mobilidade Urbana de

Leia mais

Mobilidade urbana: realidade e perspectivas

Mobilidade urbana: realidade e perspectivas Mobilidade urbana: Josef Barat realidade e perspectivas Fórum Nordeste 2030 Visão Estratégica Recife, 14 de Agosto de 2013 Importância da mobilidade urbana Econômica: Necessária para o bom desempenho das

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional Nas Ruas de BH Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS Responsável pela Experiência: Rodrigo César Magalhães Silva

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades.

País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades. A Política de Mobilidade Urbana no desenvolvimento das cidades! AS CIDADES País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades. Processo de urbanização caracterizado pelo

Leia mais

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO Januário Montone II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 23: Inovações gerenciais na saúde O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília.

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília. Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília Mobilidade Urbana Renato Boareto 1 Organização Não Governamental fundada em 2006

Leia mais

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar março de 2012 Introdução Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar na gestão pública. A criação

Leia mais

Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito ( ONU ) Semana Nacional de Trânsito 2012 ( Denatran ) e Dia Mundial Sem Carro

Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito ( ONU ) Semana Nacional de Trânsito 2012 ( Denatran ) e Dia Mundial Sem Carro 1 Em apoio às campanhas Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito ( ONU ) Semana Nacional de Trânsito 2012 ( Denatran ) e Dia Mundial Sem Carro A Universidade Federal de Santa Catarina e a Rede

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO outubro 2013 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Em atendimento à Lei Federal 12.587 Institui a Política Nacional de Mobilidade Urbana

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

Modelos de Concessão do Transporte Urbano por Ônibus Práticas e Tendências. Belo Horizonte: Verificação Independente dos Contratos de Concessão

Modelos de Concessão do Transporte Urbano por Ônibus Práticas e Tendências. Belo Horizonte: Verificação Independente dos Contratos de Concessão Modelos de Concessão do Transporte Urbano por Ônibus Práticas e Tendências Belo Horizonte: Verificação Independente dos Contratos de Concessão São Paulo, 15 de agosto de 2014 Agenda 1. Introdução - Belo

Leia mais

1. Introdução mobilidade urbana princípios diretrizes:

1. Introdução mobilidade urbana princípios diretrizes: Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Proposta de Revisão a ser debatida na IV Conferência Municipal de Política Urbana 2014 Versão 1.0 Sumário 1. Introdução... 2 2. Objetivos

Leia mais

Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Mobilidade Urbana em Belo Horizonte BHTRANS Marcelo Cintra do Amaral Gerente de Coordenação de Mobilidade Urbana - COMU PREFEITURA BH Belo Horizonte 1ª capital planejada do país - 12/12/1897 Previsão inicial

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA SITUAÇÃO ATUAL INTEGRAÇÃO METROPOLITANA NA LEI ORGÂNICA DE CURITIBA TÍTULO IV - DA ORDEM ECONÔMICA E SOCIAL CAPÍTULO I - DA ORDEM ECONÔMICA

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução A proposta de Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes

Leia mais

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo : Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo Tema: Uma Agenda para a Mobilidade Urbana da Metrópole Planejamento Urbano, Mobilidade e Modos Alternativos de Deslocamento Engº Jaime

Leia mais

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Novo cenário da mobilidade urbana Plano de Mobilidade Urbana:

Leia mais

Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal

Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal Audiências Públicas Investimento e Gestão: Desatando o Nó Logístico do Pais 2º Ciclo Financiamento e Gestão da Infraestrutura de Transportes no

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução Este material surge como resultado do acompanhamento das apresentações do Plano de Mobilidade

Leia mais

Transporte e Planejamento Urbano

Transporte e Planejamento Urbano Transporte e Planejamento Urbano para o Desenvolvimento da RMRJ Julho/2014 Cidades a maior invenção humana As cidades induzem a produção conjunta de conhecimentos que é a criação mais importante da raça

Leia mais

O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios

O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios 10 de Novembro de 2011 2º Congresso de Gestão do Ministério Público Informação confidencial e de propriedade da Macroplan Prospectiva

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.1 Motivação e Justificativa

1 INTRODUÇÃO. 1.1 Motivação e Justificativa 1 INTRODUÇÃO 1.1 Motivação e Justificativa A locomoção é um dos direitos básicos do cidadão. Cabe, portanto, ao poder público normalmente uma prefeitura e/ou um estado prover transporte de qualidade para

Leia mais

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO ESTRATÉGICO- SP2040 Tema: Política de Estacionamento dos automóveis 09 DE FEVEREIRO DE 2011- AUDITÓRIO DO SEESP-SP PROGRAMAÇÃO Realização: SEESP-SP Quadro geral da

Leia mais

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1.

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1. 34 Os indicadores são índices utilizados para aferir resultados. O TRT da 7ª Região adotou indicadores aferidos pelo CNJ e criou outros considerados relevantes para o processo decisório da gestão institucional,

Leia mais

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO, PREVISTA NO CAPÍTULO X, DO TÍTULO V, DA LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

PRIORIDADES POLÍTICA PARA O TRANSPORTE URBANO NO BRASIL

PRIORIDADES POLÍTICA PARA O TRANSPORTE URBANO NO BRASIL PRIORIDADES POLÍTICA PARA O TRANSPORTE URBANO NO BRASIL COMPETÊNCIA DA SECRETARIA ESPECIAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SEDU/PR (Lei Federal 9.649, de 27 de maio de 1998, alterada pela Medida Provisória

Leia mais

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 Araxá, 08/03/13 57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 O Futuro do Transporte Urbano nas Cidades de Pequeno e Médio Porte Compete à União: XX instituir diretrizes

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL

ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.12.2013 COM(2013) 913 final ANNEX 1 ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL da COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ

Leia mais

A experiência de Belo Horizonte:

A experiência de Belo Horizonte: A experiência de Belo Horizonte: a construção de uma capital sustentável Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Junho 2012 Belo Horizonte e RMBH (34

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Seu futuro é o nosso compromisso. O presente documento visa trazer em seu conteúdo o posicionamento do INFRAPREV frente aos desafios propostos e impostos pelo desenvolvimento sustentável. Para formular

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE CASOS

EDITAL CHAMADA DE CASOS EDITAL CHAMADA DE CASOS INICIATIVAS INOVADORAS EM MONITORAMENTO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL E AVALIAÇÃO DE IMPACTO O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) e as empresas

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

O PAR e a atual visão ministerial

O PAR e a atual visão ministerial O PAR e a atual visão ministerial Plano Nacional de Educação (PNE) Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) Plano de Ações Articuladas (PAR) Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE Interativo) (Projeto

Leia mais

Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas?

Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas? Como transformar o direito à mobilidade em indicadores de políticas públicas? Uma contribuição - INCT Observatório das Metrópoles - Projeto: Metropolização e Mega-eventos: os impactos da Copa do Mundo/2014

Leia mais

Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento)

Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento) Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento) Nos dois últimos anos, vimos construindo as bases de um crescimento sustentável e socialmente benéfico para a grande maioria dos brasileiros.

Leia mais

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Apresentação Florianópolis Dezembro

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA

MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB SUPERINTENDÊNCIA DE TRANSPORTE E TRANSITO DE JOÃO PESSOA STTRANS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº 001/2011 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2010/047142 ANEXO IV DIRETRIZES PARA A REESTRUTURAÇÃO

Leia mais

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Proponente: Município Beneficiado: Estado: Nome Entidade: CNPJ: Endereço da Sede: CEP: Tel/Fax: Representante Legal:

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa Organização da Copa 2014 PORTFÓLIOS UGPCOPA ARENA E ENTORNO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA FAN PARKS LOC COPA DESPORTIVA EVENTOS DA FIFA GERENCIAMENTO DE PROJETOS OBRIGAÇÕES GOVERNAMENTAIS SUPRIMENTOS COPA TURÍSTICA

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

OFICINA DE MONITORAMENTO

OFICINA DE MONITORAMENTO OFICINA DE MONITORAMENTO Instituto Pólis CARAGUATATUB A 11 de junho de 2015 OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL Implementação da Agenda de Desenvolvimento Sustentável OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL MONITORAMENTO

Leia mais

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis

Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons. Programa Cidades Sustentáveis Foto: Por gelinh. Flickr Creative Commons Programa Cidades Sustentáveis CONTEXTO No Mundo Atualmente: mais da metade da humanidade já vive em cidades 2030: 60% e 2050: 70% (ONU) Emissões de gases de efeito

Leia mais

Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável.

Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável. Plano de Metas para uma Porto Alegre mais Sustentável. EXPEDIENTE Realização: Prefeitura Municipal de Porto Alegre (PMPA) José Fortunati - Prefeito Secretaria Municipal de Governança Local (SMGL) Cezar

Leia mais

1 Elaborar o Plano Diretor de Mobilidade Urbana (PDMU) 2 Adequar/Ampliar o Sistema Viário

1 Elaborar o Plano Diretor de Mobilidade Urbana (PDMU) 2 Adequar/Ampliar o Sistema Viário PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS GT DE MOBILIDADE URBANA E RODOVIAS - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que Santa Maria tenha em 2050 um Sistema Viário e de transporte público sustentável,

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

1 Elaborar o Plano Diretor de Mobilidade Urbana (PDMU) Objetivo Indicador Métrica Proposta Entraves Ações Viabilizadoras

1 Elaborar o Plano Diretor de Mobilidade Urbana (PDMU) Objetivo Indicador Métrica Proposta Entraves Ações Viabilizadoras PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS GT DE MOBILIDADE URBANA E RODOVIAS -"A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que Santa Maria tenha em 2050 um Sistema Viário e de transporte público sustentável,

Leia mais

Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA

Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA MOBILIDADE URBANA EM REGIÕES METROPOLITANAS Sistema Metro-Ferroviário e a Integração Metropolitana do Transporte na RMPA Marco Aurélio Spall Maia Diretor Presidente TRENSURB-Porto Alegre Região Metropolitana

Leia mais

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional CASO PRÁTICO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO DE TALENTOS: COMO A GESTÃO DA CULTURA, DO CLIMA E DAS COMPETÊNCIAS CONTRIBUI PARA UM AMBIENTE PROPÍCIO À RETENÇÃO DE TALENTOS CASO PRÁTICO: COMPORTAMENTO

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 8 Mobilidade e Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO POLITICA PPS PR Curso Haj Mussi Tema Sustentabilidade Desenvolvido por: Neuza Maria Rodrigues Antunes neuzaantunes1@gmail.com AUMENTO DA POPULAÇÃO URBANA 85% NO BRASIL (Censo

Leia mais

Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte PlanMob-BH. Ações em prol da Mobilidade Sustentável

Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte PlanMob-BH. Ações em prol da Mobilidade Sustentável Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte PlanMob-BH Ações em prol da Mobilidade Sustentável Sumário 1. Contexto 2. Políticas e arranjo institucional 3. Iniciativas estruturantes 4. Case : MOVE,

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Belo Horizonte: desafios, expectativas e oportunidades para aprimoramento da política e gestão de estacionamento

Belo Horizonte: desafios, expectativas e oportunidades para aprimoramento da política e gestão de estacionamento Belo Horizonte: desafios, expectativas e oportunidades para aprimoramento da política e gestão de estacionamento Ramon Victor Cesar Presidente da BHTRANS Sumário Geral Sumário 1. PlanMob-BH Plano Diretor

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais