Release de Resultados - 4T

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Release de Resultados - 4T13 2013"

Transcrição

1 Release de Resultados 4T13 e 2013 Cyrela atinge margem bruta de 32,7% em 2013 e lucro líquido de R$ 719 milhões no ano. São Paulo, 20 de março de A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR ou Companhia ou Cyrela ) (BM&FBOVESPA: CYRE3), uma das maiores empresas do mercado imobiliário brasileiro na incorporação de empreendimentos residenciais, apresenta seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2013 (4T13 e 2013). As informações financeiras e operacionais a seguir, exceto onde indicado o contrário, estão apresentadas em Reais (R$), seguem as normas contábeis internacionais (IFRS) que consideram as orientações técnicas OCPC 04 e interpretação técnica ICPC 02 e os princípios brasileiros de contabilidade e normas para preparação de relatório financeiro aplicáveis às entidades de incorporação imobiliárias brasileiras e regulamentações pertinentes. As comparações referem-se aos mesmos períodos de 2012 e, eventualmente, ao terceiro trimestre de MARGEM BRUTA Margem bruta no trimestre de 32,9%, redução de 1,1 p.p. vs 4T12 (ex-ret) e aumento de 0,1 p.p. vs 3T13. No ano, margem bruta de 32,7% vs 31,7% (ex-ret), expansão de 1,0 p.p. GERAÇÃO DE CAIXA OPERACIONAL No trimestre, consumo operacional de caixa de R$ 134 milhões. Excluindo o efeito do terreno Terra Encantada, geração de R$ 84 milhões vs geração de R$ 233 milhões no 4T12 e consumo de caixa de R$ 35 milhões no 3T13. No ano, geração operacional de caixa de R$ 201 milhões (R$ 419 milhões Ex Terra Encantada ) vs R$ 277 milhões de geração de caixa no ano passado. MARGEM EBITDA Margem EBITDA no trimestre de 20,4%, redução de 1,0 p.p. vs 4T12 (ex-ret) e redução 0,2 p.p. vs 3T13. No ano, margem EBITDA de 20,5% vs 18,7% (ex-ret), expansão de 1,8 p.p. VENDAS Vendas de R$ milhões no trimestre, 32,5% superior vs 4T12 e 67,2% superior vs 3T13. No ano, vendas de R$ milhões, aumento de 19,5% vs LUCRO LÍQUIDO Lucro de R$ 183 milhões no trimestre, 13,8% superior vs 4T12 (ex-ret) e 4,5% superior vs 3T13. No ano, lucro líquido de R$ 719 milhões, aumento de 25,8% vs 2012 (ex-ret). ROE Return on Equity (lucro líquido dos últimos 12 meses sobre o patrimônio líquido médio do período) de 13,7%. CYRE3 - (20/03/2014) Nº. de Ações: Valor de mercado: R$ 5.254,1 milhões US$ 2.243,4 milhões Volume financeiro médio 30 últimos pregões: R$ 45,9 milhões Teleconferências sobre os Resultados do 4T13 Português (com tradução simultânea) 21 de março de h00 (horário de Brasília) 10h00 (US EDT) +55 (11) ou +55 (11) ou +55 (11) (Brasil) (Estados Unidos) (outros países) Contatos de RI: Tel.: (55 11) Visite o website de RI:

2 Sumário MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO... 3 PRINCIPAIS INDICADORES... 5 Desempenho Operacional... 6 LANÇAMENTOS... 6 VENDAS... 8 VELOCIDADE DE VENDAS (VSO) ESTOQUES TERRENOS OBRAS Desempenho Econômico Financeiro RECEITA CUSTO DOS BENS E/OU SERVIÇOS PRESTADOS MARGEM BRUTA VENDAS A RECONHECER DESPESAS COMERCIAIS DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS EBITDA RESULTADO FINANCEIRO LUCRO LÍQUIDO E MARGEM LÍQUIDA Destaques das Demonstrações Financeiras CONTAS A RECEBER TERRENOS ENDIVIDAMENTO GERAÇÃO DE CAIXA EVENTOS SUBSEQUENTES ANEXO I BALANÇO PATRIMONIAL ANEXO II DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO ANEXO III DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA ANEXO IV RECONHECIMENTO DE RECEITA ANEXO V LANÇAMENTOS ANEXO VI VENDAS ANEXO VII ESTOQUE DE TERRENOS ANEXO VIII EMPREENDIMENTOS ENTREGUES * EMPREENDIMENTOS ENTREGUES (*continuação) ANEXO IX ECONÔMICO + MCMV

3 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO O ano de 2013 se encerrou e a Companhia tem motivos a comemorar. Conseguimos lançar e vender muito bem, o lucro aumentou 9% em relação ao ano passado, mantivemos o foco na rentabilidade, o processo de reestruturação da empresa está maduro e mostra que acertamos em nossas decisões no sentido de fazer a Cyrela uma empresa melhor, tanto para acionistas como para funcionários e sociedade. O ano foi repleto de desafios nos cenários político e macroeconômico. Desde junho, assistimos também a diversos episódios de cunho popular questionando a qualidade de vida dos brasileiros frente aos esforços das autoridades brasileiras para atender as demandas exigidas para a realização da Copa do Mundo 2014 que o país sediará entre os meses de junho e julho deste ano. Em relação ao desempenho econômico do Brasil em 2013, o combate à inflação foi realizado principalmente por meio do aumento na taxa básica de juros da economia brasileira, a SELIC, que subiu de 7,25% a.a. no início de 2013 para 10,5% a.a. ao final do ano. O PIB brasileiro apresentou um crescimento de 2,3%, abaixo das expectativas iniciais. Por outro lado a taxa de desemprego continua baixa, o que é bom para o país, pois significa que a população continua a ter renda e poder de consumo. Em relação a 2014, sabemos que será um ano desafiador e que temos muito trabalho a fazer. Além disso, é um ano atípico, devido à realização da Copa do Mundo em junho e à eleição presidencial em outubro. Estamos cautelosos, mas otimistas. Teremos o desafio de trabalhar da melhor maneira possível nosso volume de estoque pronto. A gestão desses produtos é diária para que possamos trazer mais liquidez para a Companhia, mas sempre com a preocupação de não prejudicar as margens e a rentabilidade da Cyrela. Estamos nos esforçando no nosso planejamento estratégico para perenização da empresa, discutindo a melhor forma de criar valor aos nossos acionistas ao mesmo tempo em que investimos em nosso negócio. O nosso programa de recompra, que está aberto desde setembro de 2013 com validade de 365 dias, vem sendo executado desde o mês de outubro de 2013 e, conforme já anunciamos, recompramos ações até a presente data que representou um volume financeiro de R$ 149,6 milhões. Além disso, distribuímos R$ 52 milhões em dividendos extraordinários. Isto mostra a preocupação da Cyrela em devolver aos acionistas o valor criado em nossa operação ao longo dos últimos anos. Entretanto vale ressaltar que sempre iremos ponderar as oportunidades de reinvestimento no negócio e demais variáveis que impactam essa decisão. É importante ressaltar que continuaremos a intensificar o potencial de cada praça onde a Companhia atua, adequando o modelo e as prioridades. É o momento de aproveitar o nosso posicionamento estratégico e a nossa solidez financeira para ir além. O principal objetivo da empresa continua sendo o aumento da rentabilidade, com crescimento moderado, excelência de execução e desenvolvimento de pessoas com base na cultura Cyrela. Dando sequência ao processo de perenização da empresa, foi deliberado pelo Conselho de Administração, aprovação da proposta de modificação do Estatuto Social da Companhia visando a criação dos 3

4 cargos de Diretores co-presidentes e a consequente extinção do cargo de Diretor Presidente, que será submetida à aprovação na Assembleia Geral e, se aprovada, será convocada uma nova reunião do Conselho de Administração para a eleição de Efraim Horn e Raphael Horn para exercerem, juntos, presidência executiva da companhia à partir de maio de A proposta de alteração estatutária ora informada é resultado de um processo de sucessão que vem sendo conduzido nos últimos anos, refletindo uma transição amadurecida, amparado por uma equipe de executivos capacitada e por um processo de Governança Corporativa muito bem estruturado. Elie Horn permanecerá como presidente do Conselho de Administração para, junto com os demais Conselheiros, dar o direcionamento da estratégia da empresa. Agradecemos a clientes e acionistas pela confiança que depositam na Cyrela e os colaboradores e fornecedores pela dedicação e comprometimento com nossa geração de valor para a sociedade. 4

5 PRINCIPAIS INDICADORES 4T13 4T12 4T13 x 4T12 3T13 4T13 x 3T x 2012 Lançamentos (1) Número de Lançamentos ,6% ,1% ,4% VGV Lançado - R$ milhões (100%) ,3% ,3% ,7% VGV Lançado - R$ milhões (%CBR) ,8% ,8% ,6% Participação CBR 71,3% 65,4% 5,9 p.p. 73,9% -2,6 p.p. 69,9% 69,4% 0,5 p.p. VGV Permutado - R$ milhões (100%) ,3% ,3% ,4% Preço Médio por m² (R$) (ex-loteamentos) ,0% ,8% ,3% Área útil lançada (m²) ,5% ,8% ,2% Unidades Lançadas ,0% ,0% ,2% Vendas (2) Vendas Totais Contratadas - R$ milhões (100%) ,5% ,2% ,5% Vendas Totais Contratadas - R$ milhões (%CBR) ,9% ,2% ,0% Participação CBR 72,2% 63,0% 9,2 p.p. 75,3% -3,2 p.p. 70,9% 73,0% -2,1 p.p. Preço Médio por m² (R$) (ex-loteamentos) ,0% ,1% ,8% Unidades Vendidas ,2% ,2% ,8% Vendas de Lançamentos (2) ²' ²' ²' ²'' ²'' Vendas Contratadas de Lançamentos do ano - R$ milhões (100%) ,0% ,9% ,3% Vendas Contratadas de Lançamentos do ano - R$ milhões (%CBR) ,1% ,0% ,0% Participação CBR 70,0% 59,7% 10,3 p.p. 64,2% 5,8 p.p. 66,5% 69,3% -2,8 p.p. Preço Médio por m² (R$) (ex-loteamentos) ,2% ,6% ,1% Unidades Vendidas ,6% ,8% ,1% Entregas VGV Entregue - R$ milhões (100%) ,0% ,9% ,9% Unidades Entregues ,6% ,7% ,0% Banco de Terrenos VGV potencial com permuta - R$ milhões (100%) ,5% ,6% ,5% VGV potencial sem permuta - R$ milhões (100%) ,8% ,0% ,8% Estoque de Terreno (mil m²) ,9% ,7% ,9% % Permuta sobre valor do terreno 79,3% 83,7% -4,4 p.p. 79,3% 0,0 p.p. 79,3% 83,7% -4,4 p.p. % CBR 83,9% 87,3% -3,4 p.p. 82,8% 1,1 p.p. 83,9% 87,3% -3,4 p.p. Indicadores Financeiros Receita Líquida (R$ milhões) ,9% ,3% ,6% Lucro Bruto (R$ milhões) ,9% 457 0,0% ,3% EBITDA (R$ milhões) ,7% 287-1,0% ,8% Lucro Líquido (R$ milhões) ,7% 175 4,5% ,9% Margem Bruta 32,9% 36,3% -3,4 p.p. 32,8% 0,1 p.p. 32,7% 32,3% 0,5 p.p. Margem EBITDA 20,4% 24,1% -3,7 p.p. 20,6% -0,1 p.p. 20,5% 19,4% 1,1 p.p. Margem Líquida 13,1% 17,4% -4,3 p.p. 12,5% 0,6 p.p. 13,4% 11,7% 1,7 p.p. Lucro por Ação (R$) (³) 0,45 0,60-25,9% 0,42 6,4% 1,74 1,60 8,7% Geração / Queima de Caixa (4) (134) 233 n.a. (35) 286% ,6% Backlog 31/12/ /09/2013 Var. Receitas Líquida a Apropriar (R$ milhões) ,89% Resultado Bruto a Apropriar (R$ milhões) ,1% Margem a Apropriar 38,2% 38,3% -0,1 p.p. (1) incluindo as unidades permutadas (2) líquido de rescisões (2 ) líquido de rescisões: vendas no trimestre de lançamentos do ano (2 ) líquido de rescisões: vendas no ano de lançamentos do ano (3) O Lucro por Ação é calculado excluindo-se as ações em tesouraria (4) geração de caixa desconsidera recursos destinados à recompra de ações e aquisição de participações societárias 5

6 Desempenho Operacional Nota: informações detalhadas referentes a lançamentos estão ao final do relatório, em tabelas anexas. LANÇAMENTOS No 4T13 os lançamentos somaram Valor Geral de Vendas (VGV) total de R$ 2.694,6 milhões, volume 28,3% maior que o do mesmo período do ano anterior. Neste trimestre, os lançamentos dentro do Faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida realizados através da Cury, joint venture na qual a Cyrela possui 50% de participação, totalizaram R$ 468,8 milhões. Os lançamentos dos segmentos médio e alto padrão (MAP) somaram VGV total de R$ 1.541,0 milhões, volume 101,0% superior ao realizado no 4T12 e que representou 57,2% do total de lançamentos da Companhia no trimestre vs uma participação de 36,5% no mesmo período do ano anterior. A participação da Cyrela (%CBR) nos lançamentos do 4T13 foi de 71,3%, sendo superior à apresentada no 4T12 (65,4%). Sem considerar os lançamentos MCMV Faixa 1, a participação CBR foi de 75,8% no 4T13 vs. 71,7% no 4T12. MAP Econômico + MCMV %CBR %CBR Ex Faixa 1 MAP Econômico + MCMV VGV Lançado (em R$ milhões 100%) T12 65,4% T13 Trimestral +28,3% T13 71,3% 71,7% 75,8% +118,3% T13 No ano os lançamentos somaram R$ 6.646,3 milhões, um incremento de 18,7% vs o mesmo período do ano anterior (R$ 5.597,2 milhões). O percentual CBR no volume lançado do ano foi de 69,9%, praticamente estável em relação aos 69,4% obtidos no ano anterior. O volume de lançamentos de produtos MAP no ano de 2013 alcançou VGV total de R$ 3.950,2 milhões (59,4% do total lançado) e representa um crescimento de 34,5% sobre os R$ 2.937,8 milhões lançados no ano passado As regiões de São Paulo, Rio de Janeiro e Sul representaram 95,8% dos lançamentos do ano. %CBR 73,9% 71,3% %CBR Ex Faixa 1 MAP Econômico + MCMV 73,9% 75,8% Anual +18,7% No trimestre destacam-se os lançamentos dos empreendimentos Condomínio Pôr do Sol (MAP Sul), Inspire Barueri (Econômico SP), e Boulevard Lapa (MAP SP) todos com bom desempenho de vendas. %CBR %CBR %CBR Ex Faixa ,4% 69,9% 71,7% 74,1% 6

7 A distribuição dos lançamentos no ano por geografia e segmento pode ser vista abaixo: Lançamentos por região 2013 Lançamentos por produto 2013 MCMV 1 São Paulo - Interior 36,9% 26,0% Rio de Janeiro MCMV 2 e 3 8,6% 17,5% 2,1% 0,5% 1,6% Minas Gerais Norte 5,5% Centro Oeste Sul 14,4% Econômico 59,4% MAP 27,5% São Paulo 7

8 VENDAS Nota: informações detalhadas referentes a vendas contratadas estão ao final do relatório, em tabelas anexas. As vendas contratadas no trimestre alcançaram R$ 2.274,7 milhões, um aumento de 32,5% sobre o volume do 4T12. A participação da Companhia foi de 72,2%, frente aos 63,0% registrados no mesmo trimestre do ano anterior. As vendas dentro do Faixa 1 do MCMV totalizaram R$ 468,8 milhões no 4T13 vs R$ 563,0 milhões no 4T12. MAP Econômico + MCMV Vendas Contratadas (em R$ milhões 100%) T12 Trimestral +32,5% T13 As vendas dos produtos MAP somaram R$ 1.208,7 milhões no 4T13, montante 57,4% superior ao quarto trimestre de 2012 e representaram 53,1% das vendas totais da Companhia no período. Das vendas realizadas no trimestre, R$ 844,1 milhões referem-se a vendas de estoque, o que representa 47% do total vendido, excluindo-se as unidades do Faixa 1 do MCMV. As vendas de estoque pronto atingiram R$ 178,8 milhões, o que equivale a 18,4% da oferta destes produtos no inicio do período. No ano as vendas contratadas somaram R$ 7.175,1 milhões, um incremento de 19,5% em relação às vendas do ano passado. Excluindo-se as unidades do MCMV Faixa 1 as vendas contratadas somaram R$ 6.011,6 milhões em 2013 vs R$ 5.443,2 milhões em 2012, um incremento de 10,4%. %CBR 63,0% 72,2% %CBR Ex Faixa 1 83,6% 69,3% 67,5% 77,9% Econômico + MCMV %CBR 75,3% 72,2% %CBR Ex Faixa 1 MAP T13 +67,2% T13 75,3% 77,9% Anual O %CBR nas vendas totais do ano foi de 70,9% vs 73,0% no ano anterior. Excluindo os produtos Faixa 1 do MCMV a participação CBR foi de 74,9% nas vendas de 2013 vs 75,4% obtidos em MAP ,5% No ano, excluindo as unidades do Faixa 1 do MCMV, as vendas de estoque representaram 49,3% do total vendido. As vendas do estoque pronto existente no início de 2013 alcançaram R$ 596,7 milhões. Econômico + MCMV %CBR %CBR Ex Faixa ,0% 70,9% 75,4% 74,9% 8

9 A distribuição das vendas no ano por geografia e segmento pode ser vista abaixo: Vendas por região 2013 Vendas por produto 2013 São Paulo 28,5% 27,2% São Paulo - Interior 18,7% Econômico 8,9% MCMV 2 e 3 5,8% Nordeste 2,5% 8,4% 3,3% 21,9% 0,9% Sul 1,5% Rio de Janeiro Centro Oeste Minas Gerais Norte Espírito Santo 56,3% MAP 16,2% MCMV 1 9

10 VELOCIDADE DE VENDAS (VSO) Em 12 meses, o VSO (Vendas Sobre Oferta) totalizou 54,1% (ante 54,0% no 3T13 e 49,6% no 4T12). Excluindo-se os contratos Faixa 1, o VSO anual totalizou 49,6%. VSO (12 meses) 49,6% 50,9% 55,7% 54,0% 54,1% *VSO (12 meses) Excluindo Faixa 1 47,1% 50,1% 50,8% 48,8% 49,6% 4T12 1T13 Analisando uma parte maior do ciclo comercial, percebe-se que a safra lançada no quarto trimestre do ano anter ior alcançou 76% de vendas, enquanto a safra lançada no 4T13 já alcançou 53%. Desconsiderando as vendas do MCMV Faixa 1, a Companhia vendeu 67% dos lançamentos do 4T12, 67% dos lançamentos do 1T13, 70% dos lançamentos do 2T13 e 56% dos lançamentos do 3T13. No trimestre vendemos 43% do volume lançado excluindo as vendas do MCMV Faixa 1. 2T13 Velocidade de vendas 100% com permuta Cyrela 3T13 4T13 * (67% Ex-Faixa 1) 4T12 52% 8% 7% 4% 4% 76% 1T13 2T13 56% 62% 1% 16% 1% 74% (67% Ex-Faixa 1) 13% 4% 78% 3T13 44% 12% 56% (70% Ex-Faixa 1) 4T13 53% (43% Ex-Faixa 1) Em 3 meses Em 6 meses Em 9 meses Em 12 meses Em 15 meses 10

11 ESTOQUES Ao final do 4T13, o estoque (todas as unidades disponíveis para venda, inclusive as lançadas no período) a valor de mercado somava R$ 6.704,0 milhões (100%) e R$ 5.203,6 milhões (% Cyrela). Estoque a Valor de Mercado (R$ MM) +1,2% T12 1T13 2T13 3T13 4T13 Estoque por Safra de Entrega Estoque a Valor de Mercado R$ MM % Concluído ,5% A Entregar ,7% A Entregar ,5% A Entregar ,8% A Entregar após ,6% Total % Parceiros CBR Em comparação com o final de 2012, o estoque total da companhia permaneceu praticamente estável. Houve um crescimento de 1,2% (R$ 6.704,0 no 4T13 vs. R$ no 4T12, milhões) já incorporados os aumentos de preço devido à valorização do mercado. O número de unidades em estoque atingiu , uma diminuição de 7,9% em relação ao 4T12. Variação do Estoque (R$ milhões) +1,2% 6.626, , , , ,4 606, ,0-596,7 Estoque Total 4T12 Vendas Estoque Lançamentos 2013 Vendas Lançamento 2013 Var. Preço Estoque 4T13 Estoque em construção Estoque pronto Início do Ano Do total de estoque, os imóveis concluídos representam R$ 970,9 milhões (14,5%). Deste estoque pronto, os 10 maiores projetos respondem por 38%. As regiões Nordeste e Espírito Santo apresentam 41% de participação no estoque pronto total da Companhia. É importante salientar que no último trimestre a companhia entregou todas as obras em andamento no Espírito Santo. 11

12 Estoque Pronto 4T13 Breakdown Estoque Pronto 4T ,9% -55% Entregue em 2013 Rio de Janeiro Centro Oeste Minas Gerais 16% 3% 0% Nordeste 26% São Paulo - Interior 8% Estoque 4T Estoque 4T13 Entregue até 2012 Sul 11% 15% São Paulo 15% Espírito Santo 5% Norte Do volume vendido de estoque pronto no trimestre (R$ 178,8 milhões), 43,5% foi na região Nordeste representando R$ 77,8 milhões. Outra praça com bom desempenho de vendas de estoque pronto foi o Rio de Janeiro que respondeu por 23,7% dessas vendas no trimestre. No ano, a Companhia vendeu R$ 596,7 milhões do estoque pronto do início do período. Com isso, o estoque a valor de mercado desses produtos atingiu R$ 432,1 milhões ao final de 2013, já incorporadas as valorizações de preço. Isso representa uma redução de 54,6%. Com a incorporação de novas unidades concluídas ao longo do ano, a Companhia encerrou 2013 com R$ 970,9 milhões de estoque pronto a valor de mercado. Como já alertado anteriormente, apesar da boa velocidade de vendas de estoque pronto obtida no ano e no trimestre, não esperamos uma velocidade de vendas elevada para esse estoque nos próximos meses, principalmente devido à sua concentração em empreendimentos entregues em 2012 e 2013 pertencentes às safras problemáticas. 12

13 TERRENOS Nota: informações detalhadas referentes a terrenos estão ao final do relatório, em tabelas anexas. Ao final de 2013, o estoque de terrenos somava 10,2 milhões de metros quadrados de área útil comercializável, com potencial de vendas total de R$ 55,1 bilhões. A participação da Cyrela no estoque de terrenos é de 83,9%, ou o equivalente a R$ 46,2 bilhões. O banco de terrenos no segmento MAP totalizou 7,0 milhões de metros quadrados de área útil comercializável, com potencial de vendas total de R$ 42,4 bilhões. A participação da Cyrela no estoque de terrenos MAP é de 86,2%, ou o equivalente a R$ 36,6 bilhões. Durante o 4T13, foram adquiridos 22 terrenos, a maior parte concentrada em São Paulo, em linha com a estratégia da empresa de reforçar seu landbank nos mercados chave. Esses terrenos possuem VGV potencial de R$ 4,9 bilhões e potencial construtivo de 5,9 mil unidades. No ano foram adquiridos 47 terrenos, sendo 30 em São Paulo, 6 no Rio de Janeiro, 6 no Sul, 4 em Minas Gerais e 1 no Distrito Federal. Esses terrenos possuem VGV potencial de R$ 7,9 bilhões e potencial construtivo de 11,8 mil unidades. Dos terrenos adquiridos no 4T13, merece destaque o Terra Encantada, localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O Terra Encantada possui um %CBR de 50%, um VGV potencial de aproximadamente R$ 1,5 bilhão com a previsão de lançamento das primeiras fases em Banco de Terrenos em 31/12/2013* Distribuição por Produto (VGV em R$ bi) Forma de Aquisição (em %) MCMV 2 e 3 Econômico 0,5 12,4 21% Caixa 42,4 79% MAP Permuta Distribuição por Região (VGV em R$ bi) Sul Centro Oeste 6,1 Norte 0,8 Minas Gerais 0,5 2,7 Nordeste 5,5 São Paulo 11,3 Rio de Janeiro 5,2 23,0 São Paulo - Interior *O VGV em landbank é baseado na última viabilidade de avaliação do terreno corrigida a INCC até a data de hoje. 13

14 OBRAS Nota: informações detalhadas referentes a unidades entregues estão ao final do relatório, em tabelas anexas. A Cyrela entregou 27 projetos no trimestre, seguindo o critério de emissão de Habite-se, com 8,2 mil unidades que representaram R$ 1,7 bilhão de VGV na data dos respectivos lançamentos. No ano foram entregues 87 projetos, 25,1 mil unidades com VGV de lançamento de R$ 5.783,7 milhões. Ao final de dezembro de 2013, havia 193 obras em andamento, seguindo o critério de canteiros ativos, distribuídas conforme o gráfico abaixo nas visões de segmentos, execução e também a distribuição geográfica. Do total de obras em andamento, 18 são canteiros de MCMV Faixa 1. Neste trimestre todas as obras em andamento no Espírito Santo foram concluídas. Obras em andamento 193 Terceiros % CO NORTE MAP 94 NE 23 Próprias e JV s % SUL RJ 38 Eco + MCMV 99 SP 97 Segmentos Execução Região Seguindo o direcionamento estratégico para uma operação mais orgânica, a Companhia vem, desde 2012, reduzindo a participação de terceiros no controle da execução de suas obras. No fechamento deste trimestre, a participação das obras que estavam sendo geridas por equipes próprias ou JVs subiu de 87% no 4T12 para 91% no 4T13. Isso reforça o compromisso da Cyrela com a gestão de custos e qualidade dos produtos ofertados. Dos lançamentos deste trimestre, apenas duas obras serão executadas por terceiros. Execução de Obras Terceiros % % % % % Próprias e JV s % % % % % Execução 4T12 Execução 1T13 Execução 2T13 Execução 3T13 Execução 4T13 14

15 Desempenho Econômico Financeiro RECEITA A receita bruta relativa à incorporação, que representou 98,2% da receita total do trimestre, somou R$ milhões, montante 0,3% inferior aos R$ milhões registrados no 3T13. No ano, essa receita foi de R$ milhões, sendo 4,7% inferior à registrada no mesmo período do ano passado Trimestral Receita Bruta por atividade (R$ milhões) +0,1% Na receita liquida do trimestre, a participação dos produtos MAP atingiu 73,1% vs 66,8% no 3T13. No ano, a participação foi de 71,2% vs 71,7% em Apesar do volume de vendas acima do apresentado no 3T13, o nível de receitamento do 4T13 não aumentou em relação ao 3T13 por dois principais motivos: (i) Do total das vendas, R$ 469 milhões referem-se a empreendimentos do segmento Faixa 1 do MCMV, que são contabilizados por equivalência patrimonial, além de terem o seu reconhecimento de receita iniciado apenas no início da obra, conforme evolução física da obra (POC) e (ii) alguns empreendimentos lançados no 4T13 não foram reconhecidos devido às cláusulas suspensivas uma vez que, mesmo com boa velocidade de vendas, foram lançados de forma faseada, mas pertencem a uma mesma incorporação. 3T13 4T13 Anual -4,7% A receita de prestação de serviços, que se refere às atividades da Seller (corretagem sobre vendas) e Cyrela Construtora (taxa de administração de obras), totalizou R$ 26 milhões no 4T13, montante 22,8% superior ao 3T Prestação de Serviços 2013 Incorporação Por Atividade 4T13 % Part. 4T12 % Part. 4T13 x 4T12 3T13 % Part. 4T13 x 3T % Part % Part x 2012 R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM Incorporação ,2% ,9% 0,6% ,5% -0,3% ,5% ,5% -4,7% Prestação de Serviços 26 1,8% 31 2,1% -16,2% 21 1,5% 22,8% 84 1,5% 87 1,5% -3,3% Total ,0% ,0% 0,3% ,0% 0,1% ,0% ,0% -4,7% 15

16 CUSTO DOS BENS E/OU SERVIÇOS PRESTADOS Custo por atividade (R$ milhões) Trimestral Anual -5,3% -0,5% T13 4T Prestação de Serviços Incorporação O custo de incorporação, que representou 98,1% do custo total do trimestre, atingiu R$ 915 milhões e foi 0,8% inferior ao registrado no 3T13. No ano, esse custo foi de R$ milhões, sendo 5,5% inferior ao registrado no ano passado. Por Atividade em R$ milhões 4T13 4T12 4T13 x 4T12 3T13 4T13 x 3T R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM 2013 x 2012 Incorporação ,1% 922-0,8% ,5% Prestação de Serviços ,9% 15 18,6% ,1% Total ,2% 937-0,5% ,3% 16

17 MARGEM BRUTA No 4T12, a alíquota de incorporações submetidas ao Regime Especial de Tributação (RET) mudou de 6% para 4%, gerando um efeito one-off positivo no balanço da empresa naquele trimestre. Como fizemos na ocasião, todas as comparações com relação ao 4T12 e ao ano de 2012 serão feitas com a exclusão desse efeito (ex-ret) e já considerando os novos impactos da Consolidação IFRS que entrou em vigor em A margem bruta total da Companhia no 4T13 foi de 32,9% sendo 1,1 p.p. inferior em relação ao 4T12 que apresentou margem de 34,0%, e 0,1 p.p. superior à margem bruta do 3T13. No ano a margem bruta atingiu 32,7%, o que representa um crescimento de 1,0 p.p. em relação a margem de 31,7% obtida em A margem bruta ajustada do trimestre foi de 38,3%, sendo 1,4 p.p. superior à margem do 4T12 de 36,9% e 1,9 p.p. superior à margem bruta ajustada do 3T13. No ano, a margem bruta ajustada atingiu 36,2%, 1,3 p.p. acima da obtida em ex-ret ex-ret Margem Bruta Ajustada 4T13 4T12 4T12 3T T13 x 4T12 4T13 x 3T13 R$ MM R$ MM R$ MM ex-ret R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM 2013 x 2012 ex-ret Receita Líquida ,5% ,3% ,8% Lucro Bruto ,7% 457 0,0% ,6% Margem Bruta 32,9% 34,0% 36,3% -1,1 p.p. 32,8% 0,1 p.p. 32,7% 31,7% 32,3% 1,1 p.p. Juros Apropriados no Custo ,5% 50 49,3% ,5% Margem Bruta Ajustada 38,3% 36,9% 39,1% 1,3 p.p. 36,4% 1,9 p.p. 36,2% 34,9% 35,5% 1,3 p.p. Evolução da Margem Bruta 34,0% 32,8% 32,9% 31,7% +1,0 p.p. 32,7% LB: R$ 457 milhões Margem Bruta: 32,9% 4T12 (1) 3T13 4T13 (1) Desconsiderando os efeitos do RET 2012 (1)

18 Margem bruta por atividade ex-ret ex-ret Por Atividade 4T13 4T12 4T12 4T13 x 4T12 3T13 4T13 x 3T x 2012 R$ MM R$ MM R$ MM ex - RET R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM ex - RET Incorporação 32,9% 33,7% 36,0% -0,8 p.p. 32,8% 0,1 p.p. 32,8% 31,3% 32,2% 1,5 p.p. Prestação de Serviços 31,9% 47,4% 49,2% -15,6 p.p. 29,8% 2,1 p.p. 30,9% 59,5% 38,2% -28,6 p.p. Total 32,9% 34,0% 36,3% -1,1 p.p. 32,8% 0,1 p.p. 32,7% 31,7% 32,3% 1,1 p.p. 18

19 VENDAS A RECONHECER Ao final do quarto trimestre de 2013, a receita líquida de vendas a apropriar somava R$ milhões. A margem bruta dessa receita a apropriar, no trimestre, foi de 38,2% em linha com o valor apresentado no trimestre anterior e 0,7 p.p. acima do apresentado no mesmo período do ano passado. Vale salientar que a margem bruta de backlog (Margem REF) não contempla o efeito AVP, juros de SFH e provisão para garantia pós entrega. Tais efeitos tipicamente tem o impacto entre 4 e 5 p.p. +0,7 p.p. Evolução da Margem Bruta de Backlog 37,5% 38,3% 38,2% Margem Bruta de Backlog: 38,2% 4T12 3T13 4T13 Vendas a Reconhecer (R$ mil) 4T13 3T13 4T13 x 3T13 4T12 4T13 x 4T12 Receitas de Vendas a Apropriar ,0% ,7% Impostos a apropriar (110) (124) -10,9% (130) -15,4% Receita Líquida a Apropriar ,9% ,6% Custo Orçado das Unidades Vendidas a Apropriar (3.130) (3.356) -6,8% (3.579) -12,6% Lucro Bruto a Apropriar ,1% ,0% Margem Bruta a Apropriar 38,2% 38,3% -0,1 p.p. 37,5% 0,7 p.p. 19

20 DESPESAS COMERCIAIS As despesas comerciais totalizaram R$ 122 milhões no 4T13, uma redução de R$ 6 milhões em relação ao 4T12 e de R$ 9 milhões em relação ao 3T13. Em relação às vendas contratadas, excluindo MCMV Faixa 1, a participação das despesas comerciais no trimestre foi de 6,8%, redução de 1,6 p.p. em relação aos 8,3% ocorridos no 3T13. A variação das despesas comerciais em relação ao trimestre anterior ocorreu principalmente por: (i) Aumento de gastos com mídia por conta do forte volume de lançamentos do quarto trimestre (ii) Aumento da despesa de estande de vendas, impactado principalmente pela demolição de alguns estandes. Os gastos com estandes são ativados e depreciados ao longo da sua vida. Quando há uma demolição, esse ativo a depreciar é baixado 100% contra resultado. 4T13 4T12 3T Despesas Comerciais 4T13 x 4T12 4T13 x 3T x 2012 R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM Estande de Vendas ,4% ,5% Mídia ,9% ,9% Serviços de Terceiros ,0% ,6% Outros ,8% ,9% Total ,6% ,6% No ano, as despesas comerciais totalizaram R$ 431 milhões, uma redução de R$ 26 milhões em relação ao ano passado. Em relação às vendas contratadas, excluindo MCMV Faixa 1, a participação das despesas comerciais no ano de 2013 foi de 7,2%, redução de 1,2 p.p. em relação aos 8,4% ocorridos em

21 DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS As despesas gerais e administrativas do trimestre atingiram R$ 111 milhões, um aumento de R$ 39 milhões em relação ao 4T12 e aumento de R$ 11 milhões em relação ao 3T13. Esse valor representa 8,0% da receita líquida reconhecida no trimestre, superior aos 5,2% apresentados no 4T12 e superior aos 7,2% apresentados no trimestre passado. A variação das despesas gerais e administrativas em relação ao trimestre anterior ocorreu principalmente devido ao aumento da provisão de participação de empregados referente a bônus. Despesas Gerais e Administrativas 4T13 4T12 4T13 x 4T12 3T13 4T13 x 3T x 2012 R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM Salários e Encargos Sociais ,8% 51-6,3% ,9% Stock Options 6 6 1,1% 4 53,7% ,3% Honorários da Administração ,4% 2 14,0% ,0% Serviços de Terceiros ,4% 11 18,2% ,8% Aluguel, viagens e representações ,6% 13 7,0% ,6% Outros ,3% 9-10,1% ,7% Participação dos Empregados ,6% 11 83,7% ,4% Total ,6% ,3% ,0% Ajuste de Provisão referente a ,0% 0 0,0% ,0% Total ,5% ,3% ,9% No ano, as despesas gerais e administrativas atingiram R$ 401 milhões, um aumento de 0,9% em relação ao mesmo período do ano passado e representaram 7,5% da receita reconhecida no período versus 7,1% apresentados no ano passado. 21

22 EBITDA A margem EBITDA do trimestre atingiu 20,4%, 1,0 p.p. inferior à apresentada no 4T12 (ex-ret) e 0,2 p.p. inferior à margem verificada no 3T13. No acumulado do ano, a margem EBITDA foi de 20,5%, 1,8 p.p. superior à margem do ano passado, que foi de 18,7% (ex-ret). ex-ret ex-ret EBITDA 4T13 4T12 4T12 4T13 x 4T12 3T T13 x 3T13 R$ MM R$ MM R$ MM ex-ret R$ MM R$ MM R$ MM R$ MM 2013 x 2012 ex-ret Lucro Líquido do Exercício das Operações Continuadas ,1% 228-0,8% ,4% (-) Resultado Financeiro (4) ,5% (5) -13,3% (28) (11) (11) 163,2% (+) Depreciação e Amortização ¹ ,8% 31-39,9% ,4% (+) Tributos sobre o Lucro (6) 13,5% 33 33,2% ,0% EBITDA ,1% 287-1,0% ,5% Margem EBITDA (%) 20,4% 21,4% 24,1% -1,0 p.p. 20,6% -0,1 p.p. 20,5% 18,7% 19,4% 1,8 p.p. ¹ No valor de depreciação e amortização estão incluídas as amortizações de stand alocadas em despesas comerciais no DRE. Evolução da Margem EBITDA 21,4% 20,6% 20,4% 18,7% +1,8 p.p. 20,5% EBITDA: R$ 284 milhões Margem EBITDA: 20,4% Margem Apropriar: 38,2% 4T12 (1) 3T13 4T (1) 2013 (1) Desconsiderando os efeitos do RET 22

23 RESULTADO FINANCEIRO O resultado financeiro do trimestre foi positivo em R$ 4 milhões, R$ 7 milhões superior ao resultado do 4T12 e R$ 1 milhão inferior ao resultado do 3T13. No ano, o resultado financeiro foi positivo em R$ 28 milhões, um aumento de 163,2% sobre os R$ 11 milhões de 2012, principalmente devido ao menor nível de dívida líquida da Companhia ao longo de 2013 quando comparado com R$ mil 4T13 3T13 4T Despesas Financeiras Juros SFH (35) (38) (25) (135) (174) Juros Empréstimos Nacionais e Estrangeiros (57) (53) (77) (207) (271) Juros Capitalizados Sub Total (35) (37) (34) (142) (177) Variações Monetárias sobre Financiamentos (4) (3) (1) (10) (15) Despesas bancárias (5) (3) (3) (11) (10) Outras Despesas Financeiras (9) (2) (10) (16) (37) Total de Despesas Financeiras (53) (45) (48) (179) (239) Receitas Financeiras Rendimento de Aplicações Receitas Financeiras sobre Contas a Receber 9 7 (4) Variações monetárias Outras Receitas Financeiras Total de Receitas Financeiras Resultado Financeiro 4 5 (3)

24 LUCRO LÍQUIDO E MARGEM LÍQUIDA Como resultado do desempenho apresentado, o lucro líquido do trimestre foi de R$ 182,5 milhões, um acréscimo de 13,8% sobre os R$ 160,4 milhões do 4T12 (ex-ret) e 4,5% superior em relação ao 3T13. No ano, o lucro líquido foi de R$ 718,8 milhões, um crescimento de 25,8% sobre o lucro de R$ 571 milhões obtido em 2012 (ex-ret). A margem líquida atingiu 13,1% no trimestre, um acréscimo de 1,5 p.p. sobre a margem de 11,6% do 4T12 (ex-ret) e 0,6 p.p. sobre a margem de 12,5% do 3T13. No ano, a margem líquida foi de 13,4%, 3,2 p.p. superior à margem de 10,2% de 2012 (ex-ret). Esse resultado gerou um ROE (últimos 12 meses) de 13,7%. Lucro Líquido (R$ milhões) Trimestral Anual +25,8% ,8% T12 4T12 (ex-ret) 3T13 4T (ex-ret) 2013 Margem Líquida 17,4% 11,6% 12,5% 13,1% 11,7% 10,2% 13,4% Evolução da Margem Líquida +3,1 p.p. 11,6% 12,5% 13,1% 10,2% 13,4% 4T12 (1) 3T13 4T (1) 2013 (1) Desconsiderando os efeitos do RET 24

25 Destaques das Demonstrações Financeiras CONTAS A RECEBER Cronograma do Custo a Incorrer (ref, unidades vendidas R$ milhões) A linha de Contas a Receber totalizou R$ 10,7 bilhões em 31 de dezembro de 2013, sendo 3,8% menor que o montante registrado em 30 de setembro de Em nosso Balanço Patrimonial, este valor representa R$ 5,6 bilhões, sendo apropriado segundo o andamento de obra de cada projeto. 12 Meses 24 Meses 36 Meses Após 36 Meses 13,4 249,0 878, ,7 Desse total, 15,3% refere-se a unidades entregues, e 84,7% a unidades em construção ou em processo de entrega. O prazo médio de realização do Contas a Receber é de cerca de 1,6 ano (19 meses). Vale ressaltar que a experiência da Companhia não demonstra perdas significativas na realização deste ativo. Em geral, os recebíveis de unidades em construção são utilizados como garantia dos financiamentos da produção obtidos para construção dos respectivos empreendimentos. 12 Meses 24 Meses 36 Meses Após 36 Meses Cronograma do Custo a Incorrer (ref, unidades em estoque R$ milhões) 5,4 100,8 355,5 804,7 4T13 3T13 Contas a receber Var % R$ MM R$ MM Unidades em construção ,5% Unidades em processo de entrega ,0% Unidades construídas ,3% Total dos Recebíveis ,8% 12 Meses 4.619, ,8 24 Meses 2.132, ,9 Compromisso com custos orçados de unidades vendidas Compromisso com custos orçados de unidades em estoque ,8% ,6% 36 Meses 1.436, ,7 Após 36 Meses 827, ,1 Contas a Receber Líquido ,5% Conceito econômico Base caixa (1) Conceito econômico considera recebimento integral e imediato na data do Habite-se Conceito Caixa: Considera a expectativa da Companhia de recebimento efetivo do Caixa. 25

26 TERRENOS O principal item na linha Estoques reportada no balanço se refere a terrenos destinados à incorporação futura que, em 31 de dezembro de 2013, representava 55,6% do total. No balanço patrimonial, já com efeitos da consolidação contábil, os terrenos respondem por R$ milhões da rubrica Imóveis a Comercializar. Imóveis a Comercializar 4T13 3T13 Var % R$ MM R$ MM Imóveis em Construção ,4% Imóveis Concluídos ,5% Terrenos ,3% Adiantamento a Fornecedores ,5% Total ,6% A rubrica Adiantamento de Clientes representa compromissos originados pelas permutas físicas nas compras de terrenos (contrapartidas das permutas), avaliadas ao preço de venda futuro. Esta linha contém R$ 686 milhões referentes aos terrenos para futura incorporação e R$ 561 milhões referentes aos imóveis já incorporados, totalizando R$ milhões relativo ao preço justo das unidades permutadas. Tais compromissos serão amortizados com o mesmo procedimento do reconhecimento das receitas de venda, não existindo desembolsos efetivos de caixa. Adiantamento de Clientes 4T13 3T13 R$ MM R$ MM Var % Por recebimento de venda de imóveis ,4% Por permuta física na compra de imóveis ,0% Terrenos para futura incorporação ,5% Imóveis incorporados ,7% Total ,4% A rubrica Contas a Pagar por Aquisição de Imóveis de curto e longo prazo totaliza R$ 515 milhões, sendo R$ 211 milhões relativos a imóveis já incorporados. Contas a Pagar por Aquisição de Imóveis 4T13 3T13 R$ MM R$ MM Var % Já incorporado ,4% Outros ,1% Total ,1% 26

27 ENDIVIDAMENTO Em 31 de dezembro de 2013, a dívida bruta com juros a pagar somava R$ milhões, 8,6% maior que os R$ milhões registrados em 30 de setembro de Dívida Bruta ex-sfh (R$ milhões) +7,0% O saldo de financiamentos em moeda nacional, que se refere integralmente ao montante destinado à construção pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), representava, no final do 4T13, 48,0% do total da dívida (sem juros a pagar) e registrou elevação de 11,6% no trimestre Modalidade (em R$ mil) 4T13 3T13 4T13 x 3T13 4T12 4T13 x 4T12 Financiamentos - moeda nacional ,6% ,5% Empréstimos - moeda nacional ,3% ,9% Empréstimos - moeda estrangeira 0 0 0,0% 0 0,0% Empréstimos - Swap ,2% 60-0,1% Subtotal ,2% ,4% Juros a pagar - moeda nacional ,3% 48-19,6% Juros a pagar - operações Swap ,5% 0 56,3% Subtotal ,0% 49-19,3% Total ,6% ,1% 3T13 Curto Prazo 4T13 Longo Prazo A variação do endividamento em relação ao trimestre anterior ocorreu principalmente por: (i) Aumento no volume de financiamentos SFH. (ii) Assunção de dívida para aquisição do terreno Terra Encantada no Rio de Janeiro, com prazo final de vencimento em Cronograma da Dívida (R$ Milhões) Meses 24 Meses 36 Meses 48 Meses > 48 Meses SFH Outras Dívidas 27

28 Desta forma, o saldo de empréstimo em moeda nacional, representando 50,6% do total da dívida (sem considerar juros a pagar), refere-se a: (i) (ii) (iii) (iv) (v) (vi) (vii) 1ª Emissão de Debêntures - realizada em abril de 2007, com remuneração a 100% do CDI acrescido de spread de 0,48% a.a. com vencimento em 2012, 2013 e 2014, na proporção de 33,33% do montante total em cada ano. Saldo do principal de R$ 166,7 milhões em 31/12/2013; 2ª Emissão de Debêntures - realizada em janeiro de 2008, em duas séries remuneradas a 100% do CDI acrescidas de 0,65% a.a. com vencimento em 10 anos e remuneração mantida em repactuação realizada em janeiro de 2011 (1ª Série e 2ª Série), conforme programado. Saldo do principal de R$ 42,6 milhões em 31/12/2013; 3ª Emissão de Debêntures - realizada em setembro de 2009, em série única, remunerada a 100% do CDI acrescida de 0,81% a.a. com vencimento em cinco anos a contar da data de sua emissão. Saldo do principal de R$ 87,5 milhões em 31/12/2013; 6ª Emissão de Debêntures - realizada em setembro de 2012, remunerada a 100% do CDI acrescida de 1,20% a.a., com vencimento em quatro anos e cinco anos respectivamente a contar da data de sua emissão. Saldo do principal é de R$ 400,0 milhões em 31/12/2013; Linhas de crédito de longo prazo obtidas com instituições financeiras locais, com saldo de principal de R$ 417,5 milhões em 31/12/2013. A remuneração média dessas linhas de crédito é de 108% a.a. e 111,5% do CDI e o pagamento será feito em parcelas no prazo de quatro anos; Certificado de Recebíveis Imobiliários realizado em nome da Brazil Realty Securitizadora (empresa controlada pela Cyrela) realizada em junho de 2011, em série única, remunerada a 107% do CDI, com vencimento em doze anos a contar da data de sua emissão, e repactuação a partir do 3º ano. Saldo do principal de R$ 270,0 milhões em 31/12/2013; Certificado de Recebíveis Imobiliários realizado em nome da Brazil Realty Securitizadora (empresa controlada pela Cyrela) realizada em maio de 2012, em série única, remunerada a 108% do CDI, com vencimento em 2016 e 2017, na proporção de 50% do montante total em cada ano. Saldo do principal de R$ 300,0 milhões em 31/12/2013 (viii) Certificado de Recebíveis Imobiliários realizado em nome da Brazil Realty Companhia Securitizadora (empresa controlada pela Cyrela) realizada em outubro de 2013, em série única, remunerada a 100% do CDI acrescida de 0,80% a.a, com vencimento bullet em outubro de Saldo do principal de R$ 130,0 milhões em 31/12/2013; (ix) Ações Preferenciais Classe B Emitidas pela Cyrela Montblanc (empresa controlada pela Cyrela) em dezembro de 2013, remuneradas a 100% do CDI acrescida de 0,7030% a.a, com resgates de 2015 a Saldo do principal de R$ 100,0 milhões em 31/12/2013. (x) Linha de crédito de longo prazo assumida com o BNDES, tendo saldo principal de R$ 119,7 milhões em 31/12/2013 (percentual Cyrela). Essa dívida é remunerada em TJLP acrescida de 3,78% a.a., com vencimento final em

29 O saldo de dívida de empréstimo em moeda estrangeira, sujeito implicitamente à variação da juros de 4,31% ao ano possui vencimento bullet em junho de Em 14 de outubro de 2013 a Companhia efetuou o resgate antecipado total da 2ª série da 5ª Emissão de Debêntures no valor de R$ 280 milhões que possuíam custo de CDI acrescido de 1,55% a.a. Em 23 de dezembro de 2013 a Companhia efetuou o resgate antecipado total da 1ª série da 5ª Emissão de Debêntures (CYRE 25) no valor de R$ 120,0 milhões. A dívida líquida da empresa atingiu R$ milhões, valor 11,1% superior ao 3T13. Em R$ mil 4T13 3T13 Var % Dívida LP ,3% Dívida CP ,7% Total da Dívida ,2% Caixa, Equivalentes e Títulos de Val. Mob ,3% Títulos e Valores Mobiliários LP ,4% Total de Disponibilidades ,5% Dívida Líquida ,1% A alavancagem da Companhia, medida através da Dívida Líquida / Patrimônio Líquido apresentou elevação frente o trimestre anterior, passando de 35,0% para 39,6% ao final do 4T13, se mantendo em patamar que a Companhia considera saudável e ratificando a solidez financeira da empresa. Em R$ mil 4T13 3T13 % Var Dívida Líquida ,1% Patrimônio Líquido ,0% EBITDA (12 meses) ,3% SFH ,6% Dívida Líquida / Patrimônio Líquido 39,6% 35,0% 4,7 p.p. Dívida Líquida / EBITDA 12 meses 2,17 1,88 15,0% Dívida Líquida (ex SFH) / Patrimônio Líquido 7,2% 6,5% 0,7 p.p. Dívida Líquida (ex SFH) / EBITDA 12 meses 0,39 0,35 13,0% 29

30 Endividamento 4,0 2,3 Corp. 3,8 2,3 Corp. +3,4% 3,7 2,1 Corp. 3,8 2,0 Corp. 4,2 2,2 Corp. 4,2 3,2 Longo Prazo 1,7 2,5 Indicadores Dívida Líquida/ EBITDA 12M Dívida Líquida/ Patrimônio Líq. Custo Médio Dívida Total Dívida sem SFH 2,23x 0,41x 39,6% Sem SFH: 106,6% CDI SFH: TR + 9,16% a.a. 1,7 SFH 1,5 SFH 1,6 SFH 1,8 SFH 2,0 SFH 1,0 Curto Prazo 2,0 0,4 Duration 1,8 ano 2,0 ano Curto Prazo 22% 18% Longo Prazo 78% 82% Dívida Bruta 4T12 41,5% Dívida Bruta 1T13 Dívida Bruta 2T13 35,9% 35,6% Dívida Bruta 3T13 35,0% Dívida Bruta 4T13 39,6% Prazo Caixa e Disponibilidades Dívida Liquída Sem SFH Div Liq / PL 30

31 GERAÇÃO DE CAIXA A Companhia apresentou neste trimestre um consumo de caixa operacional de R$ 134 milhões. Esse consumo foi fortemente impactado pela aquisição do terreno Terra Encantada no Rio. Essa negociação envolveu o pagamento em dinheiro e a assunção de 2 dívidas, sendo a mais significativa uma dívida de R$ 119,7 milhões junto ao BNDES com vencimento final em No ano, a geração de caixa atingiu R$ 201 milhões contra uma geração de R$ 277 milhões no ano anterior. Se excluirmos o efeito do terreno Terra Encantanda no nosso balanço, teríamos uma geração de caixa de R$ 84 milhões no trimestre e R$ 419 milhões no ano, o que equivale a um incremento de 51,1%. (ex-dividendos, programa de recompra e aquisição de participação societária) (R$ milhões) +51% T12 4T13 3T13 4T13 Ex-Terra Encantada Geração de caixa Sem o Efeito do terreno Terra Encantada +51,1% Terra Encantada Consumo de Caixa 4T13 BNDES / Outras Pgtos Caixa Geração de Caixa 4T13 31

32 Cash Burn/Generation 4T13 3T13 Var % Var % R$ MM R$ MM 4T13 x 3T13 R$ MM R$ MM 2013 x 2012 Dívida Total (Dívida Bruta s/ Juros a Pagar) ,2% ,3% Caixa Total ,5% ,9% Dívida Líquida ,1% ,2% Dívida Líquida Contábil (246) (36) -85,5% (121) ,3% (+) Programa Recompra ,0% 112-0,0% (+) Aquisição de Participação Societária - 1 0,0% ,8% (+) Dividendos - - 0,0% ,5% Geração/Consumo de Caixa Operacional (134) (35) 285,6% ,6% (+) Terra Encantada 218-0,0% 218-0,0% Geração/Consumo de Caixa Operacional ex-terra Encantada 84 (35) n.a ,1% Além disso, neste trimestre, a Companhia realizou a recompra de R$ 112 milhões de ações de sua própria emissão, totalizando uma distribuição de R$ 321 milhões aos acionistas no ano. Desse total, R$ 157 milhões refere-se a dividendo mínimo obrigatório e R$ 52 milhões a dividendos extraordinários Recompra de Ações Dividendo Mínimo Obrigatório Dividendo Extraordinário Distribuição aos Acionistas EVENTOS SUBSEQUENTES Em janeiro de 2014 a empresa realizou a recompra de R$ 38 milhões de ações de sua própria emissão. 32

33 ANEXO I BALANÇO PATRIMONIAL Balanço Patrimonial Consolidado R$ milhões 31 de Dezembro, de Setembro, 2013 ATIVO Circulante Caixa e Equivalentes de Caixa Aplicações Financeiras Contas a Receber Imóveis a Comercializar Impostos e Contribuições a Compensar Impostos e Contribuições Diferidos 4 4 Despesas com Vendas a Apropriar Despesas Antecipadas 5 5 Demais Contas a Receber Não Circulante Realizável a Longo Prazo Contas a Receber Aplicações Financeiras Contas-Corrente com Parceiros nos Empreendimentos Partes Relacionadas Impostos e Contribuições a Compensar Imposto e Contribuições diferidos 3 9 Imóveis a comercializar Demais Contas a receber Ativo Permanente Investimentos em Controladas e Coligadas Imobilizado Intangível Total do Ativo PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Circulante Empréstimos e Financiamentos Debêntures Certificados de recebíveis imobiliários - CRI 8 17 Fornecedores Impostos e Contribuições a Recolher Impostos e Contribuições Diferidos Salários, encargos sociais e participações Contas a Pagar por Aquisição de Imóveis Dividendos a Pagar Partes Relacionadas Contas-Corrente com Parceiros nos Empreendimentos Adiantamentos de Clientes Demais Contas a Pagar Não Circulante Exigível a Longo Prazo Empréstimos e Financiamentos Debêntures Certificados de recebíveis imobiliários - CRI Fornecedores Contas a Pagar por Aquisição de Imóveis Tributos a Pagar e Provisões para Riscos Fiscais, Trabalhistas e Cíveis Impostos e Contribuições Diferidos Adiantamento de Cliente Cessão de Direitos a Pagar 3 2 Participações Minoritárias PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Opções Outorgadas Reconhecidas Reserva de Lucros Ações em Tesouraria (247) (138) Outros Resultados Abrangentes (42) (41) Total do Passivo e do Patrimônio Líquido

34 ANEXO II DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO Demonstração de Resultados Consolidados R$ milhões 4T13 3T13 % Variação % Variação Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços Incorporação e Revenda de Imóveis 1.388, ,2-1,0% 5.395, ,9-5,4% Loteamentos 21,6 11,0 96,0% 52,9 14,1 276,1% Prestação de Serviços e Outras 25,7 20,9 22,8% 84,0 86,8-3,3% Deduções da Receita Bruta (46,5) (40,7) 14,2% (160,5) (170,1) -5,7% Receita Líquida Operacional 1.389, ,4-0,3% 5.371, ,7-4,6% Dos Imóveis Vendidos e Revendidos (904,5) (916,6) -1,3% (3.528,1) (3.771,3) -6,4% Loteamentos (10,1) (5,6) 79,5% (25,3) (7,0) 259,7% Da Prestação de Serviços e Outras (17,8) (15,0) 18,6% (59,2) (35,6) 66,5% Custo das Vendas e Serviços Realizados (932,4) (937,2) -0,5% (3.612,6) (3.813,9) -5,3% Lucro Bruto Operacional 457,2 457,3 0,0% 1.759, ,8-3,3% Receitas (Despesas) Operacionais Com Vendas (122,0) (113,4) 7,6% (431,4) (457,1) -5,6% Gerais e Administrativas (109,0) (98,8) 10,3% (394,3) (388,8) 1,4% Honorários de Administração (1,8) (1,6) 14,0% (6,8) (8,7) -22,0% Equivalência Patrimonial 40,9 23,2 76,5% 90,1 64,0 40,7% Outros Resultados nos Investimentos 3,1 (2,2) -239,8% 16,5 (31,7) -152,1% Despesas Financeiras (53,3) (45,4) 17,5% (179,3) (238,7) -24,9% Receitas Financeiras 57,6 50,3 14,5% 207,2 249,3-16,9% Outras Despesas/Receitas Operacionais (3,3) (8,8) -62,9% (31,5) (18,7) 67,9% (187,7) (196,7) -4,6% (729,4) (830,4) -12,2% Com Distribuição Pública de Ações Lucro Antes dos Impostos Sobre o Lucro, e de Acionistas não Controladores 269,6 260,6 3,4% 1.029,9 988,4 4,2% Diferido 0,8 0,7 12,7% 6,9 30,5-77,2% Corrente (44,1) (33,2) 32,8% (142,8) (183,1) -22,0% Imposto de Renda e Contribuição Social (43,3) (32,5) 33,2% (135,9) (152,7) -11,0% Lucro Antes da Participação dos Acionistas não Controladores 226,3 228,1-0,8% 894,0 835,7 7,0% Parcela de Lucro atribuida aos acionistas não controladores (43,7) (53,5) -18,2% (175,2) (175,5) -0,2% Lucro Líquido 182,5 174,6 4,5% 718,8 660,1 8,9% 34

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Release de Resultados - 4T11 2011

Release de Resultados - 4T11 2011 Release de Resultados - 4T11 2011 Cyrela gera caixa operacional de R$ 130 milhões (1) no 4T11 São Paulo, 26 de março de 2012 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR ou Companhia

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Cyrela atinge geração de caixa de R$ 219 milhões no 2T15 e R$ 622 milhões no ano.

Cyrela atinge geração de caixa de R$ 219 milhões no 2T15 e R$ 622 milhões no ano. Release de Resultados 6M15 Cyrela atinge geração de caixa de R$ 219 milhões no e R$ 622 milhões no ano. São Paulo, 13 de Agosto de 2015 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Cyrela gera caixa operacional de R$ 60 milhões (1)

Cyrela gera caixa operacional de R$ 60 milhões (1) Release de Resultados - 3T11 9M11 Cyrela gera caixa operacional de R$ 60 milhões (1) São Paulo, 09 de novembro de 2011 - A Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( CBR ou Companhia ou

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009

Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09. Agosto/2009 Apresentação dos resultados do 2T09 & 1S09 Agosto/2009 Destaques 2T09 & 1S09 DESTAQUES OPERACIONAIS 2T09 VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS PRO RATA PDG REALTY DE R$710 MILHÕES, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

4T09. Release. Resultados. Cyrela tem lucro líquido de R$ 729 milhões em 2009, 2,6 vezes mais que em 2008. Destaques. Mensagem da Administração

4T09. Release. Resultados. Cyrela tem lucro líquido de R$ 729 milhões em 2009, 2,6 vezes mais que em 2008. Destaques. Mensagem da Administração Release 4T09 Resultados Cyrela tem lucro líquido de R$ 729 milhões em 2009, 2,6 vezes mais que em 2008 CYRE3 (25/03/2010) Nº. de Ações: 422.400.942 Valor de mercado: R$ 8.980,2 milhões US$ 4.964,2 milhões

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011 Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011 Agosto, 2011 2 Destaques Operacionais DESTAQUES OPERACIONAIS DO 2T11 & 1S11 2T11 LANÇAMENTOS PRO RATA PDG ALCANÇARAM R$2,05 BILHÕES NO 2T11, REPRESENTANDO

Leia mais

Resultados 2T13 e 1S13

Resultados 2T13 e 1S13 Resultados 2T13 e 1S13 Relações com Investidores RSID3: R$ 2,87 por ação OTC: RSRZY Total de ações: 428.473.420 Valor de mercado: R$ 1,3 bilhão Teleconferência 15 de Agosto de 2013 Em Português com Tradução

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007 Apresentação dos Resultados de 2T07 15 de agosto de 2007 1 Equipe da Cyrela Brazil Realty Diretor Presidente Elie Horn Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luis Largman Diretor de Controle

Leia mais

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011 Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011 Novembro, 2011 2 Destaques & Eventos Recentes PDG é eleita melhor empresa da América Latina no Institutional Investor Awards 2011; Extensão do contrato

Leia mais

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012 Apresentação Resultados 4T11 & 2011 Abril, 2012 Destaques & Eventos Recentes Balanço do ano de 2011 Processo de integração da Agre: SAP; Revisão orçamentária; Processo contábil de combinação de negócios

Leia mais

Apresentação dos resultados do 4T09 & 2009. Março/2010

Apresentação dos resultados do 4T09 & 2009. Março/2010 Apresentação dos resultados do & Março/2010 Destaques & DESTAQUES OPERACIONAIS DO E VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS ATINGIRAM R$753 MILHÕES NO E R$2,67 BILHÕES EM, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 47% EM RELAÇÃO

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

CYRELA BRAZIL REALTY S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CYRELA BRAZIL REALTY S.A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 Mensagem da Administração Completamos 50 anos de atividades com vários

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T15

Apresentação de Resultados 1T15 Apresentação de Resultados 1T15 1 Destaques do Período Início da operação comercial de quatro parques do LEN A-3 2011 Início da operação comercial: 04 de março de 2015 Os outros 5 parques serão conectados

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010 Discussão dos Resultados 1T10 07 de Maio de 2010 0 Aviso Esta apresentação poderá conter certas projeções e tendências que não são resultados financeiros realizados, nem informação histórica. Estas projeções

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

CONFERÊNCIA BTG PACTUAL SÃO PAULO FEVEREIRO, 2015

CONFERÊNCIA BTG PACTUAL SÃO PAULO FEVEREIRO, 2015 CONFERÊNCIA BTG PACTUAL SÃO PAULO FEVEREIRO, 2015 RESULTADO OPERACIONAL LANÇAMENTOS CYRELA R$ 2.260 milhões no 4T14 vs. R$ 2.695 milhões no 4T13. R$ 5.848 milhões em 2014 vs. R$ 6.646 milhões em 2013.

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES SA EMP PART Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2014 - CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES SA EMP PART Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

a) Débito: Dividendos e Bonificações em Dinheiro a Receber Crédito: Rendas de Ajuste em Investimento em Coligadas e Controladas

a) Débito: Dividendos e Bonificações em Dinheiro a Receber Crédito: Rendas de Ajuste em Investimento em Coligadas e Controladas Olá, pessoal! Desta vez, trago para vocês uma coletânea de questões resolvidas da Fundação Carlos Chagas (FCC). Achei apropriado inserir esta aula neste momento em razão da proximidade da prova de Fiscal

Leia mais

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 3T14 Forte crescimento de 8,3% no lucro por ação comparado ao Crescimento da margem bruta para 28,2% no 3T14 Robusta Geração de Caixa de R$ 136 milhões trazendo a dívida líquida/pl

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12

MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO 1T12 Recorde de repasses: 8.833 clientes no 1T12, 58% superior ao 1T11 Receita líquida atinge R$ 1.007 milhões no 1T12, 26% superior ao 1T11 Belo Horizonte, 14 de maio de 2012

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Abertura e Destaques 4T09 e 2009

Abertura e Destaques 4T09 e 2009 25 de Março de 2010 Abertura e Destaques 4T09 e 2009 Comentário de Abertura CEO Ricardo Valadares Gontijo Breve Histórico IPO Mercado em 2009: Programa Minha Casa, Minha Vida Estratégia Crescimento da

Leia mais

Wave Rio de Janeiro - RJ Lançado emsetembro/2011. Apresentação Institucional Novembro 2011

Wave Rio de Janeiro - RJ Lançado emsetembro/2011. Apresentação Institucional Novembro 2011 Wave Rio de Janeiro - RJ Lançado emsetembro/2011 Apresentação Institucional Novembro 2011 Agenda Cyrela em resumo Setor Imobiliário Brasileiro Atividades recentes da Cyrela Indicadores Operacional e Financeiro

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01176-2 VULCABRAS SA 50.926.955/0001-42 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/1999 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira Contabilidade Prof. Dr. Alvaro Ricardino Módulo: Contabilidade Básica aula 04 Balanço Patrimonial: Grupo de Contas II Aula 4 Ao final desta aula você : - Conhecerá os grupos de contas do Ativo e Passivo.

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328 Conta Descrição (em R$ mil) /0/0 //00 Ativo Total.6.77..98.0 Ativo Circulante.0.5.80.8.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 69.7 8.657.0.0.0 Bens Numerários.0 05.0.0.0 Depósitos Bancários.07.57.0.0.0 Aplicações

Leia mais

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO - COMGÁS. 2ª Emissão Pública de Debêntures

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO - COMGÁS. 2ª Emissão Pública de Debêntures COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO - COMGÁS 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Companhia de Gás de São Paulo - Comgás 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - CONSTRUTORA TENDA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - CONSTRUTORA TENDA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Release de Resultados 2T14

Release de Resultados 2T14 Release de Resultados 1T14 Teleconferência de Resultados 2T14 11 de agosto de 2014 > 9:00 am US EST Em Inglês (tradução simultânea do Português) + 1-516-3001066 US EST Código: Gafisa > 10h00 Horário de

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPREEND E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPREEND E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/29 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

1T14. Apresentação de Resultados

1T14. Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados INFORMAÇÃO IMPORTANTE Este documento conte m considerac o es futuras referentes a s perspectivas do nego cio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e a s perspectivas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2011 - DIRECIONAL ENGENHARIA SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2011 - DIRECIONAL ENGENHARIA SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC)

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório obrigatório pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T14

Divulgação de Resultados 3T14 Estoque Concluído: 5% do estoque total, um dos menores patamares do setor Estoque MCMV: 22% do estoque total, queda de 11 p.p. frente ao 2T14 Repasse/Desligamento: R$179 MM, 37% acima do 2T14 Landbank:

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01446-0 CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS 73.178.600/0001-18 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/09/2009 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS

Leia mais

Entidades de Incorporação Imobiliária. ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias.

Entidades de Incorporação Imobiliária. ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias. Entidades de Incorporação Imobiliária ria- Tratamento contábil e fiscal das transações com unidades imobiliárias Agenda Atividades de compra e venda, loteamento, incorporação e construção de imóveis 1.Formação

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Mensagem da Administração Senhores (as) Acionistas: Conforme mencionado no final do exercício de 2014, concluímos com pleno sucesso o processo que converteu em capital

Leia mais

RESULTADOS 4T15 / DE MARÇO DE 2016

RESULTADOS 4T15 / DE MARÇO DE 2016 RESULTADOS / 24 DE MARÇO DE 2016 INTRODUÇÃO RAPHAEL HORN RESULTADO OPERACIONAL RAPHAEL HORN RESULTADO FINANCEIRO ERIC ALENCAR DESTAQUES CYRELA Lançamentos de R$ 760 milhões no, 24,6% maior vs. e 66,4%

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA. Data base: 31.12.2010

FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA. Data base: 31.12.2010 FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA Data base: 31.12.2010 CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF n.º 08.801.621/0001-86 Av. Pres. Juscelino Kubitscheck, 1455, 5º andar, Itaim Bibi

Leia mais

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009

1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados. 14 de Maio de 2009 1º Trimestre de 2009 Teleconferência de Resultados 14 de Maio de 2009 Aviso Legal Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - ROSSI RESIDENCIAL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - ROSSI RESIDENCIAL SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Release. Resultados. Destaques. RECEITA LÍQUIDA: R$ 876 milhões no 2T09, 30% maior que no 1T09, somando R$ 1.547 milhões no ano.

Release. Resultados. Destaques. RECEITA LÍQUIDA: R$ 876 milhões no 2T09, 30% maior que no 1T09, somando R$ 1.547 milhões no ano. Release Resultados Cyrela anuncia lucro líquido de R$ 157 milhões, 56% maior que no 1T09 e 67% maior que no Margem EBITDA atinge 23,9%, 4,7 p.p. superior à do CYRE3 (13/08/2009) Nº. de Ações: 368.533.411

Leia mais

CONTABILIDADE AVANÇADA CAPÍTULO 1: DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS

CONTABILIDADE AVANÇADA CAPÍTULO 1: DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS CONTABILIDADE AVANÇADA CAPÍTULO 1: DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS 1.1 - CONCEITO A Demonstração das Origens e Aplicações de recursos (DOAR) deixou de ser obrigatória por força da lei

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008

Teleconferência de Resultados. Data: 13 de março de 2008 Data: 13 de março de 2008 MRV ANUNCIA RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE E DO ANO DE 2007 RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ATINGE R$128,9 MILHÕES NO 4T07 E R$384,1 MILHÕES NO ANO, UM CRESCIMENTO DE 173,8 % SOBRE O ANO ANTERIOR MARGEM BRUTA

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Release de Resultados 1T14

Release de Resultados 1T14 Release de Resultados 1T14 Teleconferência de Resultados 1T14 12 de maio de 2014 > 9:00 am US EST Em Inglês (tradução simultânea do Português) + 1-516-3001066 US EST Código: Gafisa > 10h00 Horário de Brasília

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T08

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T08 Receita líquida cresce 71% frente ao registrado no 3T07 atingindo R$94,3 milhões. Vendas Contratadas atingem R$170,7 milhões com crescimento de 235% versus 3T07. São Paulo, 12 de novembro de 2008 - A TRISUL

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário

Leia mais

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 Resultados 1º Trimestre 2015 13.05 Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 RECEITA LÍQUIDA ATINGE R$ 68,5 MILHÕES NO 1T15, CRESCIMENTO DE 7,1% EM RELAÇÃO AO 1T14. EBITDA CONSOLIDADO ATINGE R$ 7,8 MILHÕES, QUEDA

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Release de Resultados

Release de Resultados RSID3: R$ 1,65 por ação OTC: RSRZY Total de ações: 428.833.420 Valor de mercado: R$ 707,6milhões Teleconferência 28 de Março de 2014 Em Português com Tradução Simultânea 10h00 (Brasília) 09h00 (US ET)

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013 . São Paulo, 06 de agosto de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais