Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation"

Transcrição

1 Índice de vegetação em clone de seringueira após a desfolha anual Vegetation Index in rubber clone after the annual defoliation José Carlos Pezzoni Filho 1 ; Lucas Benso 1 ; Edson Luiz Furtado 1 ; Célia Regina Lopes Zimback 2 1 Departamento de Proteção Vegetal, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, São Paulo, Brasil, 2 Departamento de Solos e Recursos Ambientais, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, São Paulo, Brasil, RESUMO O vigor vegetativo das plantas de seringueira (Hevea brasiliensis) pode ser monitorado por meio de análises de índice de vegetação, realizada pelo Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI). Baseado nesta metodologia, o presente trabalho objetivou analisar o índice de vegetação do clone RRIM 701 em setembro, nos anos de 1999, 2001, 2004 e 2005, no município de Itiquira MT. O vigor vegetativo de maior porcentagem foi classificado como vigor vegetativo alto. PALAVRAS-CHAVE: Hevea brasiliensis, NDVI, Imagem de satélite. ABSTRACT The vegetative vigor of the rubber tree (Hevea brasiliensis) can be monitored by vegetation index analysis conducted by Vegetation Index (NDVI). Based on this methodology, the present study aimed to analyze the clone of vegetation index RRIM 701 in September, in 1999, 2001, 2004 and 2005, in Itiquira - MT. The vegetative vigor highest percentage was ranked as high vegetative vigor. KEYWORD: Hevea brasiliensis, NDVI, Satellite image INTRODUÇÃO O índice de vegetação NDVI é usado para medir e monitorar o crescimento da planta (vigor), cobertura vegetal e produção de biomassa a partir de dados de satélite multiespectrais (TUCKER et al., 2001).

2 O NDVI minimiza efeitos topográficos ao produzir uma escala linear de medida, variando entre 1 a +1, onde quanto mais próximo de +1, maior a densidade de cobertura vegetal, 0 representa ausência de vegetação e valores inferiores a 0 até 1 ocorre a presença de água (EPIPHANIO et al., 1996; EASTMAN, 1998; ROSA, 2007). Wiegand et al. (1991) e Tucker (1979) citaram que a quantificação dos pixels em NDVI é útil para caracterizar e quantificar determinado parâmetro biofísico de cultivos, reduzindo a dimensão das informações multiespectrais para um simples número. O NDVI tem por objetivo distinguir a presença de vegetação; avaliar as condições de crescimento das culturas; detectar a ocorrência de doenças, pragas, secas entre outros (LIU, 1994). Este monitoramento pode ser utilizado na fenologia da seringueira, onde Gasparotto et al., (1997) descreveram que as plantas adultas apresentam um período de senescência e queda das folhas, com subsequente período de reenfolhamento. Baseado no exposto, o presente trabalho objetivou-se analisar o índice de vegetação e o vigor vegetativo do clone RRIM 701 em setembro, após o reenfolhamento, nos anos de 1999, 2001, 2004 e 2005, no município de Itiquira MT. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi conduzido em área com 153,66 ha do clone RRIM 701, município de Itiquira - MT, coordenadas geográficas 17º de latitude sul e 54º de longitude oeste de Greenwich. O plantio do clone foi realizado nos anos de 1984, 1988 e 1989, sendo avaliados em abril dos anos de 1999, 2001, 2004 e 2005, no mês de setembro, pois nesta época que o dossel do plantio encontra-se com máxima cobertura. As imagens utilizadas foram do satélite Landsat 5, resolução espacial de 30 metros, sensor TM, órbita 225, ponto 072, sendo efetuadas etapas de preprocessamento para a identificação do vigor pro meio do NDVI. As análises foram realizadas nos programas ArcGIS, SAGA GIS e QGIS. No cálculo do índice NDVI utilizou-se as bandas 3 e 4 por meio da equação 1, desenvolvida por Rouse et al. (1974): NDVI = ρ2 ρ1 ρ2+ρ1 (1) onde: ρ1 e ρ2, representam respectivamente, os valores da reflectância na região do vermelho e infravermelho próximo do espectro eletromagnético de objetos alvos.

3 Para as análises do índice de vegetação foi estabelecida uma escala de valores, onde se considerou valores de NDVI de até 0,31 como solo exposto e a partir desse valor o índice demonstra a presença de vegetação (Tabela 1). Tabela 1 Índices de Vegetação NDVI com seus respectivos vigores vegetativos Escala de NDVI Intervalo de Índice NDVI Vigor Vegetativo 1 0,31 a 0,40 Muito Baixo 2 3 0,41 a 0,50 0,51 a 0,60 Baixo Baixo 4 5 0,61 a 0,70 0,71 a 0,80 Médio Médio 6 0,81 a 0,90 Alto 7 0,91 a 1,00 Muito Alto Posteriormente, foi realizada a confecção dos limites dos talhões do clone avaliado, sendo nesta etapa desconsiderados os pixels próximos às estradas e áreas de clones vizinhos. RESULTADOS E DISCUSSÃO A avaliação do vigor vegetativo do clone demonstrou as escalas 5 (vigor médio), 6 (vigor alto) e 7 (vigor muito alto), sendo que a escala predominante foi a 6. A escala 7 foi detectada somente no ano de 2004, sendo que neste ano ocorreram somente duas escalas, a 6 e 7. Em 2001 a escala 5 se apresentou em área desconsiderável, sendo que a 6 prevaleceu em praticamente 100% do talhão (Figura 1). Liu (2007) citou que valores altos podem ser usados para inferir presença de vegetação mais densa ou vegetação a pleno vigor do crescimento. Estes resultados altos de NDVI ocorreram devido ao fato explicado por Feitosa (2006). O autor citou que o índice de vegetação é realizado por meio do cálculo utilizando a região do vermelho e infravermelho próximo. Estas bandas são a base do índice de vegetação devido à absorção da radiação na região espectral do vermelho, pelas clorofilas presentes nas células vegetais e, ao espalhamento ou reflectância pelas folhas da radiação na região espectral do infravermelho próximo. Desta forma, cada banda passa a ser um indicador total de vegetação, onde solo e atmosfera podem conferir incertezas na estimativa dos parâmetros biofísicos.

4 Figura 1 Mapas de índice de vegetação do clone RRIM 701 e suas respectivas escalas. A escala 5 foi detectada com áreas significativas no ano de 1999 e 2005, no talhão localizado mais ao sul do plantio. Sua presença pode ser devido à presença de estresse abiótico, por exemplo, deficiência hídrica que atrasou no processo de reenfolhamento ou estresse biótico, ocasionado por doenças ou pragas. As variações de índice de vegetação encontradas no presente trabalho demonstram importância para o manejo fitossanitário da seringueira, por meio das variações de vigor das plantas. Esta variação de índice de vegetação NDVI avaliada pode ser utilizada conforme citou Fontana (1995), onde a variação anual do NDVI em certas regiões pode indicar impactos regionais causados por alterações nas condições meteorológicas e mudanças fenológicas. Devido ser em função da alta correlação entre NDVI e a taxa assimilatória de comunidades vegetais, pode estar ligado indiretamente com o rendimento de culturas.

5 CONCLUSÕES A escala de NDVI foi predominantemente de vigor vegetativo alto; O início de setembro apresentou uniformidade de reenfolhamento do dossel. REFERÊNCIAS EASTMAN, J. R. Idrisi for Windows. Manual do usuário. Trad. HASENACK, H.; WEBER, E. Porto Alegre: UFRGS, Centro de Recursos Idrisi, Brasil, p. ELVIDGE, C. D.; CHEN, Z. Comparison of broadband and narrow-band red and near-infrared vegetation indices. Remote Sensing of Environment, New York, USA, v. 54, p , EPIPHANIO, J. C. N. et al. Índices de vegetação no sensoriamento remoto da cultura do feijão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 31, n. 6, p , FEITOSA, M. V. Variação temporal do Índice de Vegetação (NDVI) correlacionada ao uso e manejo do solo para a estimativa da erosão f. Dissertação (Mestrado em Agricultura Tropical e Subtropical) - Instituto Agronômico de Campinas, IAC, Campinas, FONTANA. D. C. Utilização do Índice de Vegetação Global para o monitoramento da Vegetação e estimativa de elementos agrometeorológicos no Estado do Rio Grande do Sul f. Tese (Doutorado em Fitotecnia, Área de concentração de Agrometeorologia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Agronomia, Porto Alegre, GASPAROTTO, L. et al. Doenças da Seringueira no Brasil. Brasília: SPI-EMBRAPA, p. LIU, W. T. H. Aplicações de Sensoriamento Remoto. Campo Grande, Editora Uniderp, 880p, LIU, W. T. et al. Satellite recorded vegetation response to drougth in Brazil. International Journal of Climatology, Royal Society of Meteorology, London, UK. v. 14, p ROSA, R. Introdução ao Sensoriamento Remoto. Uberlândia: EDUFU, 6 a ed ROUSE, J. W. et al. Monitoring the vernal advancement of retrogradation (greenwave effect) of natural vegetation. NASA/GSFC, Type III, Final Report, Greenbelt, MD, p. TUCKER, C. J. Red and photographic infrared linear combinations for monitoring vegetation. Remote Sensing of Environment, New York, v. 8, n. 2, p , 1979.

6 TUCKER, C. J. et al. Higher northern latitude normalized difference vegetation index and growing season trends from 1982 to International Journal of Biometeorology, v. 45, n. 4, p , WIEGAND, C. L. et al.vegetation indices in crop assessments. Remote Sensing of Environment, New York, v. 35, p , 1991.

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR Maria G. Almeida 1, Bernardo F. T. Rudorff 2, Yosio E. Shimabukuro 2 graca@dppg.cefetmg.br, bernardo@ltid.inpe.br,

Leia mais

ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS.

ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS. ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E EVI, IAF E FPAR DA CANOLA A PARTIR DE IMAGENS DO SATÉLITE MODIS. Daniele G. Pinto 1, Matheus B. Vicari 2, Denise C. Fontana 3, Genei A. Dalmago 4, Gilberto R. da Cunha 5, Jorge

Leia mais

Determinação de data de plantio da cultura da soja no estado do Paraná por meio de composições decendiais de NDVI

Determinação de data de plantio da cultura da soja no estado do Paraná por meio de composições decendiais de NDVI Determinação de data de plantio da cultura da soja no estado do Paraná por meio de composições decendiais de NDVI Gleyce K. Dantas Araújo 1, Jansle Viera Rocha 2 1 Tecª Construção Civil, Mestranda Faculdade

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Daniel C. Zanotta PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS (SERP11) OPERAÇÕES ARITMÉTICAS Daniel C. Zanotta RAZÃO DE BANDAS Dividir uma banda por outra (pixel a pixel) pode trazer diversas informações a respeitos dos alvos contidos

Leia mais

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5

VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 VARIABILIDADE ESPAÇO TEMPORAL DO IVDN NO MUNICIPIO DE ÁGUAS BELAS-PE COM BASE EM IMAGENS TM LANDSAT 5 Maurílio Neemias dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 1,, Yasmim Uchoa da Silva 1, Sâmara dos Santos

Leia mais

ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO. lidiane.geo@gmail.com

ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO. lidiane.geo@gmail.com ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO Lidiane Cristina Félix Gomes 1, Glauciene Justino Ferreira da Silva 2, Alexandra Lima Tavares 3 1 Mestranda da Universidade

Leia mais

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NA SUB-BACIA DO CÓRREGO PINHEIRINHO/BOTUCATU/SP UTILIZANDO O NDVI

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NA SUB-BACIA DO CÓRREGO PINHEIRINHO/BOTUCATU/SP UTILIZANDO O NDVI MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL NA SUB-BACIA DO CÓRREGO PINHEIRINHO/BOTUCATU/SP UTILIZANDO O NDVI MARIA JORGIANA FERREIRA DANTAS 1 JULIANO BOECK SANTOS 2 JOSÉ CARLOS PEZZONI FILHO 3 CÉLIA REGINA LOPES

Leia mais

MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI

MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI MAPEAMENTO DE CLASSES INTRAURBANAS NO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA (SP) UTILIZANDO IMAGENS LANDSAT-5 TM E IMAGEM NDBI 1702 Bruna Lahos de Jesus Bacic bruna_lahos@hotmail.com Geografia Bacharelado Universidade

Leia mais

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO Samuel da Silva Farias, Graduando do curso de geografia da UFPE samuel.farias763@gmail.com Rafhael Fhelipe de Lima Farias, Mestrando do PPGEO/UFPE, rafhaelfarias@hotmail.com USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR

Leia mais

LEVANTAMENTO DO USO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO CARIRI-PB COM BASE EM IMAGENS DO TM/LANDSAT 5

LEVANTAMENTO DO USO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO CARIRI-PB COM BASE EM IMAGENS DO TM/LANDSAT 5 LEVANTAMENTO DO USO DAS TERRAS DO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO CARIRI-PB COM BASE EM IMAGENS DO TM/LANDSAT 5 MADSON T. SILVA 1, VICENTE DE P. R. DA SILVA 2, RONILDO A. PEREIRA 3, JOSÉ A. B. DO AMARAL 4 1 Meteorologista,

Leia mais

Classificação espectral de área plantada de café para o município de Araguari, MG por meio da árvore de decisão

Classificação espectral de área plantada de café para o município de Araguari, MG por meio da árvore de decisão Classificação espectral de área plantada de café para o município de Araguari, MG por meio da árvore de decisão Rafael Coll Delgado 1, Gilberto Chohaku Sediyama 2, Evaldo de Paiva Lima 3, Thomé Simpliciano

Leia mais

C a p í t u l o I V. P r o c e s s a m e n t o d a s I m a g e n s O r b i t a i s d o s S e n s o r e s T M e E T M

C a p í t u l o I V. P r o c e s s a m e n t o d a s I m a g e n s O r b i t a i s d o s S e n s o r e s T M e E T M C a p í t u l o I V P r o c e s s a m e n t o d a s I m a g e n s O r b i t a i s d o s S e n s o r e s T M e E T M IV.1 Processamento Digital das Imagens Orbitais dos Sensores TM e ETM + IV.1.1 Introdução

Leia mais

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE

ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE ESTUDO DE CASO: ÍNDICE DE UMIDADE DO SOLO UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR MODIS PARA O MUNICÍPIO DE BELEM DO SÃO FRANCISCO, PE Pabrício Marcos Oliveira Lopes 1, Glawber Spíndola Saraiva de Moura 2 1 Prof.

Leia mais

LEAA Laboratório de Estudos em Agricultura e Agrometeorologia

LEAA Laboratório de Estudos em Agricultura e Agrometeorologia Roteiro de aula Índices de Vegetação Composição de máximo valor (CMV) Perfis temporais - Estudos agrícolas - Estudos ambientais - Estudos climáticos Exercício prático Curva da reflectância de uma folha

Leia mais

EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ

EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ Resumo Patrícia Ladeira Pinheiro¹ Gabriel Pereira² (patricia.ladeira@gmail.com; pereira@ufsj.edu.br) Graduanda em Geografia - UFSJ

Leia mais

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa

Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Aula 1 Professor Waterloo Pereira Filho Docentes orientados: Daniela Barbieri Felipe Correa O que é Sensoriamento Remoto? Utilização conjunta de sensores, equipamentos

Leia mais

RESPOSTA ESPECTRAL DE FOLHAS DO URUCUM INFECTADA POR Oidio bixae

RESPOSTA ESPECTRAL DE FOLHAS DO URUCUM INFECTADA POR Oidio bixae RESPOSTA ESPECTRAL DE FOLHAS DO URUCUM INFECTADA POR Oidio bixae ISABELLE P. C. de LIMA 1 JOSÉ FIDELES FILHO 2, e JOSÉ Q. NÓBREGA 3 1 Aluno do curso de Física da Universidade Estadual da Paraíba, UEPB

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS ÍNDICES NDVI, NDBI E NDWI COMO FERRAMENTAS AO MAPEAMENTO DO USO E COBERTURA DA TERRA

AVALIAÇÃO DOS ÍNDICES NDVI, NDBI E NDWI COMO FERRAMENTAS AO MAPEAMENTO DO USO E COBERTURA DA TERRA Renata dos Santos Cardoso Mestranda em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP, campus de Presidente Prudente-SP. E-mail: renatacardoso16@gmail.com Margarete Cristiane de Costa Trindade

Leia mais

REVISTA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ARBORIZAÇÃO URBANA, Volume 2, Número 3, 2007.

REVISTA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ARBORIZAÇÃO URBANA, Volume 2, Número 3, 2007. APLICAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO NDVI (NORMALIZED DIFFERENCE VEGETATION INDEX) EM IMAGENS DE ALTA RESOLUÇÃO NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO E SUAS LIMITAÇÕES Giuliana Del Nero Velasco 1, Jefferson Lordello Polizel

Leia mais

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Texto: PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO Autor: BERNARDO F. T. RUDORFF Divisão de Sensoriamento Remoto - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais São José dos Campos-SP - bernardo@ltid.inpe.br Sensoriamento

Leia mais

Subtração de imagens para detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do Rio Alegre Alegre/ES

Subtração de imagens para detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do Rio Alegre Alegre/ES ubtração de imagens para detecção de mudanças na cobertura vegetal da bacia hidrográfica do io Alegre Alegre/E Kennedy ibeiro da ilva 1 Daiani Bernardo Pirovani 1 Larice Nogueira de Andrade Alexandre osa

Leia mais

VARIABILIDADE SAZONAL DO NDVI NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE ATRAVÉS DE IMAGENS DO LANDSAT 8

VARIABILIDADE SAZONAL DO NDVI NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE ATRAVÉS DE IMAGENS DO LANDSAT 8 Renata Pereira Prates Mestranda em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP, campus de Presidente Prudente-SP. E-mail: prates.renat@gmail.com Renata dos Santos Cardoso Mestranda em Geografia

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

SENRORIAMENTO REMOTO E SIG. Aula 1. Prof. Guttemberg Silvino Prof. Francisco das Chagas

SENRORIAMENTO REMOTO E SIG. Aula 1. Prof. Guttemberg Silvino Prof. Francisco das Chagas SENRORIAMENTO REMOTO E SIG Aula 1 Programa da Disciplina 1 CONCEITOS, HISTÓRICO E FUNDAMENTOS (8 aulas) 2 Sensoriamento remoto. Histórico e definições 3 Domínios do Sensoriamento Remoto 4 Níveis de Coleta

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE IMAGENS METEOSAT-8

DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE IMAGENS METEOSAT-8 DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE VEGETAÇÃO ATRAVÉS DE IMAGENS METEOSAT-8 BARBOSA, H. A. 1 ; ACCIOLY FILHO, J. B. P. 2 ; MELCÍADES, W. L. B. 3 ; MELLO, N. G. S. 4 ; SOUZA, J. M. DE 5 RESUMO: Neste trabalho, o

Leia mais

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014

MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 MundoGEOXperience - Maratona de Ideias Geográficas 07/05/2014 ANÁLISE DE TÉCNICAS PARA DETECÇÃO DE MUDANÇA UTILIZANDO IMAGENS DO SENSORIAMENTO REMOTO DESLIZAMENTOS EM NOVA FRIBURGO/RJ EM 2011 Trabalho

Leia mais

ESTIMATIVA DA PRODUTIVIDADE DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO BASEADO EM MODELO FENOLÓGICO-ESPECTRAL

ESTIMATIVA DA PRODUTIVIDADE DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO BASEADO EM MODELO FENOLÓGICO-ESPECTRAL ESTIMATIVA DA PRODUTIVIDADE DA CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO BASEADO EM MODELO FENOLÓGICO-ESPECTRAL CRISTINA R. NASCIMENTO 1 & JURANDIR Z. JUNIOR 2 1 Eng. Agrônoma. Doutoranda da Faculdade de Engenharia

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) NA DETERMINAÇÃO DE ÁREAS IRRIGADAS POR PIVÔ CENTRAL NO MUNICÍPIO DE UNAÍ RAFAEL MENEZES PEREIRA 1, ELIZABETH FERREIRA 2 ;ANTÔNIO AUGUSTO AGULIAR DANTAS³;

Leia mais

Relação entre a radiação solar global e o NDVI/MODIS na região orizícola do Rio Grande do Sul

Relação entre a radiação solar global e o NDVI/MODIS na região orizícola do Rio Grande do Sul Relação entre a radiação solar global e o NDVI/MODIS na região orizícola do Rio Grande do Sul Eliana Veleda Klering (1), Denise Cybis Fontana (1) e Moacir Antonio Berlato (1) (1) Universidade Federal do

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto

15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto 15- Representação Cartográfica - Estudos Temáticos a partir de imagens de Sensoriamento Remoto O Sensoriamento Remoto é uma técnica que utiliza sensores, na captação e registro da energia refletida e emitida

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto 1. Obtenção de imagens matriciais (raster) Imagens raster podem ser obtidas de várias formas: Aerofotogrametria Fotos aéreas obtidas através do sobrevoo da área de interesse por aeronaves

Leia mais

Uso de modelos agrometeorológicos na estimativa do rendimento de lavouras

Uso de modelos agrometeorológicos na estimativa do rendimento de lavouras Uso de modelos agrometeorológicos na estimativa do rendimento de lavouras Denise Cybis Fontana (UFRGS) Ricardo Wanke de Melo (UFRGS) Eliana Veleda Klering (UFRGS) Moacir Antonio Berlato (UFRGS) Jorge Ducati

Leia mais

ABSTRACT: The Suape region has received public and private investments, which allowed a

ABSTRACT: The Suape region has received public and private investments, which allowed a ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DOS IMPACTOS DO CRESCIMENTO URBANO-INDUSTRIAL NA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE DA REGIÃO DE SUAPE, CABO DE SANTO DE AGOSTINHO/IPOJUCA PE Jacicleide Ramos de Souza,¹² Ygor Cristiano

Leia mais

Setor Sucroenergético: GIS Corporativo e Inovações no Grupo Noble CASE NOBLE GROUP. Herbert Del Petri Gerente Técnico Agrícola

Setor Sucroenergético: GIS Corporativo e Inovações no Grupo Noble CASE NOBLE GROUP. Herbert Del Petri Gerente Técnico Agrícola Gerente Técnico Agrícola Introdução O Noble Bioenergia ao longo da sua história no Brasil vem desenvolvendo o uso das informações espacializadas no dia-a-dia das operações e planejamento agrícola através

Leia mais

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana

Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Variabilidade temporal de índice de vegetação NDVI e sua conexão com o clima: Biomas Caatinga Brasileira e Savana Africana Humberto Alves Barbosa 1, Ivon Wilson da Silva Júnior 2 1 PhD, LAPIS/UFAL Maceió

Leia mais

GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PRODUTOS DERIVADOS DE IMAGENS AVHRR-NOAA NO AGRITEMPO

GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PRODUTOS DERIVADOS DE IMAGENS AVHRR-NOAA NO AGRITEMPO GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE PRODUTOS DERIVADOS DE IMAGENS AVHRR-NOAA NO AGRITEMPO JOÃO FRANCISCO GONÇALVES ANTUNES 1, JÚLIO CÉSAR D. M. ESQUERDO 2 1 Matemático, Pesquisador, Embrapa Informática Agropecuária,

Leia mais

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS HUMANOS UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO Sumário 1. Conceitos básicos

Leia mais

USO DE SENSORIAMENTO REMOTO NA IDENTIFICAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE ALTERAÇÕES NA COBERTURA VEGETAL EM SÃO JOSÉ DOS AUSENTES, CAMPOS DE CIMA DA SERRA-RS.

USO DE SENSORIAMENTO REMOTO NA IDENTIFICAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE ALTERAÇÕES NA COBERTURA VEGETAL EM SÃO JOSÉ DOS AUSENTES, CAMPOS DE CIMA DA SERRA-RS. USO DE SENSORIAMENTO REMOTO NA IDENTIFICAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE ALTERAÇÕES NA COBERTURA VEGETAL EM SÃO JOSÉ DOS AUSENTES, CAMPOS DE CIMA DA SERRA-RS. Jussara Alves Pinheiro Sommer 1 ; Dejanira Luderitz

Leia mais

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI UTILIZAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO PARA ESTUDOS ECOLÓGICOS DA REGIÃO DA SUB-BACIA DO RIO CAPIVARI-BA NOS MUNICÍPIOS DE CRUZ DAS ALMAS, MURITIBA E SÃO FÉLIX. Autor: Gabriel Barbosa Lobo Instituição: Escola

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DE FOLHAS INFECTADA POR Cercospora bixae NA CULTURA DO URUCUM

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DE FOLHAS INFECTADA POR Cercospora bixae NA CULTURA DO URUCUM CARACTERIZAÇÃO ESPECTRAL DE FOLHAS INFECTADA POR Cercospora bixae NA CULTURA DO URUCUM JOSÉ FIDELES FILHO 1, ISABELE P. C. de LIMA 2 e JOSÉ Q. NÓBREGA 3 1 Meteorolgista, Dr. Prof. Departamento de Física

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

Extração de Séries Temporais de Imagens de Satélite para Monitoramento de Safras Agrícolas e de Dados Climáticos

Extração de Séries Temporais de Imagens de Satélite para Monitoramento de Safras Agrícolas e de Dados Climáticos Extração de Séries Temporais de Imagens de Satélite para Monitoramento de Safras Agrícolas e de Dados Climáticos Daniel Y. T. Chino 1, Luciana A. S. Romani 1,2, Agma J. M. Traina 1 1 Instituto de Ciências

Leia mais

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta

Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Uso de geotecnologias no monitoramento de sistemas de integração lavourapecuária- floresta Sistemas de integração lavoura pecuária- floresta: a produção sustentável Sistemas de produção em inte ra ão Atualmente

Leia mais

DEGRADAÇÃO NO POLO REGIONAL DE GUANAMBI-BAHIA: A ANÁLISE MULTITEMPORAL DO NDVI APLICADO EM IMAGENS MODIS

DEGRADAÇÃO NO POLO REGIONAL DE GUANAMBI-BAHIA: A ANÁLISE MULTITEMPORAL DO NDVI APLICADO EM IMAGENS MODIS DEGRADAÇÃO NO POLO REGIONAL DE GUANAMBI-BAHIA: A ANÁLISE MULTITEMPORAL DO NDVI APLICADO EM IMAGENS MODIS Israel de Oliveira Junior 1, Jocimara Souza Britto Lobão 2 1 Geógrafo, Professor Auxiliar do Depto.

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. Herondino

Processamento de Imagem. Prof. Herondino Processamento de Imagem Prof. Herondino Sensoriamento Remoto Para o Canada Centre for Remote Sensing - CCRS (2010), o sensoriamento remoto é a ciência (e em certa medida, a arte) de aquisição de informações

Leia mais

MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE. Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida²

MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE. Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida² MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida² ¹Graduando em Agronomia, UAST, UFRPE,Serra Talhada-PE, tiagoamancio@hotmail.com

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NA MICRORREGIÃO DO VALE DO PAJEÚ-PE

ANÁLISE COMPARATIVA DOS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NA MICRORREGIÃO DO VALE DO PAJEÚ-PE ANÁLISE COMPARATIVA DOS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NA MICRORREGIÃO DO VALE DO PAJEÚ-PE Heliofábio Barros Gomes 1, Yasmim Uchoa da Silva 1, Maurílio Neemias dos Santos 1, Ricardo Antonio Mollmann

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: carbono; índices de vegetação; fluxo de carbono.

PALAVRAS-CHAVE: carbono; índices de vegetação; fluxo de carbono. 905 UTILIZAÇÃO DO NDVI (ÍNDICE DE VEGETAÇÃO POR DIFERENÇA NORMATIZADA) E PRI (ÍNDICE DE VEGETAÇÃO FOTOSSINTÉTICO) PARA DETERMINAÇÃO DE CO 2 FLUX EM CAATINGA A PARTIR DE IMAGENS LANDSAT 5 Dayse Marana de

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/38 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Cota de Reserva Ambiental (CRA) Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso

Leia mais

Flavio Marcelo CONEGLIAN, Rodrigo Antonio LA SCALEA e Selma Regina Aranha RIBEIRO. Universidade Estadual de Ponta Grossa

Flavio Marcelo CONEGLIAN, Rodrigo Antonio LA SCALEA e Selma Regina Aranha RIBEIRO. Universidade Estadual de Ponta Grossa Comparação entre Classificações Supervisionadas em uma Imagem CBERS CCD com Bandas Multiespectrais e em uma Imagem Fusão da Mesma Imagem CBERS CCD Com uma Banda Pancromática HRC Flavio Marcelo CONEGLIAN,

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO Ana Luiza Bovoy Jônatas de Castro Gonçalves Thiemi Igarashi Vinicius Chequer e Silva LEVANTAMENTO DA COBERTURA VEGETAL ATRAVÉS DE PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO NAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS CCHN DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEFESA DE MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS CCHN DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEFESA DE MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS CCHN DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEFESA DE MONOGRAFIA Evolução temporal e espacial do uso e ocupação do solo para os anos

Leia mais

MAURÍCIO DERENNE 1,, ALBERTO SETZER 2, HELENA FRANÇA 2

MAURÍCIO DERENNE 1,, ALBERTO SETZER 2, HELENA FRANÇA 2 O Cinturão de Soja e Milho em Mato Grosso nos mosaicos IVDN/AVHRR MAURÍCIO DERENNE 1,, ALBERTO SETZER 2, HELENA FRANÇA 2 1 Instituto de Estudos Avançados (IEAv), Centro Técnico Aeroespacial (CTA) C. Postal

Leia mais

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE NDVI NO RIO MADEIRA, NA ÁREA DE APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO DA UHE SANTO ANTÔNIO - RO

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE NDVI NO RIO MADEIRA, NA ÁREA DE APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO DA UHE SANTO ANTÔNIO - RO VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DE NDVI NO RIO MADEIRA, NA ÁREA DE APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO DA Letícia Celise Ballejo de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul leticelise@yahoo.com.br Laurindo

Leia mais

Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis

Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis ESTIMAÇÃO DE POPULAÇÕES HUMANAS VIA IMAGENS DE SATÉLITE: COMPARANDO ABORDAGENS E MODELOS Renzo Joel Flores Ortiz e Ilka Afonso Reis Laboratório de Estatística Espacial (LESTE) Departamento de Estatística

Leia mais

ESTIMATIVA DE NDVI UTILIZANDO IMAGENS DOS SATÉLITES CBERS-2B_CCD, CBERS-2B_WFI E METEOSAT-9_SEVIRI 4

ESTIMATIVA DE NDVI UTILIZANDO IMAGENS DOS SATÉLITES CBERS-2B_CCD, CBERS-2B_WFI E METEOSAT-9_SEVIRI 4 ESTIMATIVA DE NDVI UTILIZANDO IMAGENS DOS SATÉLITES CBERS-2B_CCD, CBERS-2B_WFI E METEOSAT-9_SEVIRI 4 ELIZABETH FERREIRA 1, ANTONIO A. A. DANTAS 2, HUMBERTO A. BARBOSA 3 1 Engenheira Agrícola, Professora

Leia mais

Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais

Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais Potencial do uso da banda do infravermelho próximo na classificação de imagens adquiridas por câmaras digitais Lauriana Rúbio Sartori Nilton Nobuhiro Imai Antônio Maria Garcia Tommaselli Roberto da Silva

Leia mais

Sensoriamento Remoto

Sensoriamento Remoto Sensoriamento Remoto É a utilização conjunta de modernos sensores, equipamentos para processamento de dados, equipamentos de transmissão de dados, aeronaves, espaçonaves etc, com o objetivo de estudar

Leia mais

NDVI de estádios de desenvolvimento da soja BRS 284 em condições de campo

NDVI de estádios de desenvolvimento da soja BRS 284 em condições de campo NDVI de estádios de desenvolvimento da soja BRS 284 em condições de campo Crusiol, L. G. T. 1 ; Neiverth, W. 2 ; Rio, A. 3 ; Sibaldelli, R. N. R. 4 ; Ferreira, L. C. 5 ; Carvalho, J. F. C. 6 ; Nepomuceno,

Leia mais

USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I

USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I USOS E Aplicações DE SENSORIAMENTO REMOTO I AGRICULTURA, E RECURSOS FLORESTAIS DISCRIMINAÇÃO DE TIPOS DE VEGETAÇÃO Tipos de colheita Tipos de madeiras DETERMINAÇÃO DA VARIAÇÃO DE APTIDÃO E BIOMASSA DETERMINAÇÃO

Leia mais

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ALENCAR SANTOS PAIXÃO 1 ; ÉLIDA LOPES SOUZA ROCHA2 e FERNANDO SHINJI KAWAKUBO 3 alencarspgeo@gmail.com,

Leia mais

MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS MONITORAMENTO DA TEMPERATURA DE SUPERFÍCIE EM ÁREAS URBANAS UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS Erika Gonçalves Pires 1, Manuel Eduardo Ferreira 2 1 Agrimensora, Professora do IFTO, Doutoranda em Geografia - UFG,

Leia mais

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Comparação da temperatura de brilho de superfície do período seco com o chuvoso no Distrito Federal calculada a partir de imagens do Landsat

Leia mais

ANÁLISE DE MÉTODOS DE CLASSIFICAÇÃO SUPERVISIONADA APLICADA AO DESMATAMENTO NO MUNICÍPIO DE MARABÁ UTILIZANDO IMAGENS CCD - CBERS

ANÁLISE DE MÉTODOS DE CLASSIFICAÇÃO SUPERVISIONADA APLICADA AO DESMATAMENTO NO MUNICÍPIO DE MARABÁ UTILIZANDO IMAGENS CCD - CBERS V Co ló qu i o B ra si l ei ro d e Ci ên ci a s Geo d ési ca s ISSN 1981-6251, p. 910-914 ANÁLISE DE MÉTODOS DE CLASSIFICAÇÃO SUPERVISIONADA APLICADA AO DESMATAMENTO NO MUNICÍPIO DE MARABÁ UTILIZANDO IMAGENS

Leia mais

Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura

Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura Seminário: Imagens de Satélites e Aéreas na Agricultura e Gestão Territorial Édson Bolfe Pesquisador, Chefe-Adj. P&D Embrapa Monitoramento por Satélite

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGENS LANDSAT-5 TM NO MAPEAMENTO DO USO DA TERRA NA REGIÃO DE GUAXUPÉ (MG)

PROCESSAMENTO DE IMAGENS LANDSAT-5 TM NO MAPEAMENTO DO USO DA TERRA NA REGIÃO DE GUAXUPÉ (MG) PROCESSAMENTO DE IMAGENS LANDSAT-5 TM NO MAPEAMENTO DO USO DA TERRA NA REGIÃO DE GUAXUPÉ (MG) LYNEKER PEREIRA DA SILVEIRA¹ e FERNANDO SHINJI KAWAKUBO² Palavras chaves: Sensoriamento Remoto; Café; Cana-de-açúcar;

Leia mais

CONFLITO DE COBERTURA DE TERRAS EM REGIÃO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL, EM RELAÇÃO À APLICAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL EM VIGOR 1

CONFLITO DE COBERTURA DE TERRAS EM REGIÃO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL, EM RELAÇÃO À APLICAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL EM VIGOR 1 CONFLITO DE COBERTURA DE TERRAS EM REGIÃO DE FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL, EM RELAÇÃO À APLICAÇÃO DO CÓDIGO FLORESTAL EM VIGOR 1 PIAZZA, Eliara Marin 2 ; GONSALVEZ, Lilian Mariano 2 ; BREUNIG, Fábio Marcelo

Leia mais

Fotografia digital nas faixas do visível e do infravermelho próximo para estimação de índice de área foliar em videira Niagara Rosada

Fotografia digital nas faixas do visível e do infravermelho próximo para estimação de índice de área foliar em videira Niagara Rosada Fotografia digital nas faixas do visível e do infravermelho próximo para estimação de índice de área foliar em videira Niagara Rosada Glauco de Souza Rolim 1, José Luiz Hernandes 2, Mário José Pedro Júnior

Leia mais

Utilização de imagens de satélite e modelagem numérica para determinação de dias favoráveis a dispersão de poluentes.

Utilização de imagens de satélite e modelagem numérica para determinação de dias favoráveis a dispersão de poluentes. Utilização de imagens de satélite e modelagem numérica para determinação de dias favoráveis a dispersão de poluentes. Claudinéia Brazil Saldanha Rita de Cássia Marques Alves Centro Estadual de Pesquisas

Leia mais

Impacto de desmatamento na mudança climática regional via satélites

Impacto de desmatamento na mudança climática regional via satélites Impacto de desmatamento na mudança climática regional via satélites William Tse Horng Liu Paulo Shiguenori Kanazawa Edson Luis Santiami Paulo Jun Kanazawa Laboratório de Geoprocessamento Universidade Católica

Leia mais

SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP

SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP SISTEMA DE SAÚDE E EXPANSÃO URBANA: ANÁLISE E MAPEAMENTO DO MUNICÍPIO DE LEME/SP GUILHERME OTÁVIO GALLO¹ e RÚBIA GOMES MORATO² g.guilhermegallo@gmail.com, rubiagm@gmail.com ¹ Bolsista Iniciação Científica

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO USANDO IMAGENS DE SATÉLITE PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO

DETERMINAÇÃO DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO USANDO IMAGENS DE SATÉLITE PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO DETERMINAÇÃO DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO USANDO IMAGENS DE SATÉLITE PARA AGRICULTURA DE PRECISÃO Ziany Neiva Brandão (Embrapa Algodão / ziany@cnpa.embrapa.br), Marcus Vinícius Cândido Bezerra (UFCG), Eleusio

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica

Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica Mestrado Profissionalizante 2015 Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br IFMA / DAI Motivação Alguns princípios físicos dão suporte ao Sensoriamento Remoto...

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRO-TEMPORAL DE UMA LAVOURA DE CAFÉ CONILON EM IMAGENS LANDSAT

CARACTERIZAÇÃO ESPECTRO-TEMPORAL DE UMA LAVOURA DE CAFÉ CONILON EM IMAGENS LANDSAT CARACTERIZAÇÃO ESPECTRO-TEMPORAL DE UMA LAVOURA DE CAFÉ CONILON EM IMAGENS LANDSAT Danilo Ferreira Mendes 1, Jéferson Luiz Ferrari 2, João Batista Esteves Peluzio 2, Maria Christina Junger Delôgo Dardengo

Leia mais

Comportamento Espectral da Cultura do Feijão (IAC - Carioca 80) Irrigado com Diferentes Lâminas de Água

Comportamento Espectral da Cultura do Feijão (IAC - Carioca 80) Irrigado com Diferentes Lâminas de Água Comportamento Espectral da Cultura do Feijão (IAC - Carioca 80) Irrigado com Diferentes Lâminas de Água RUBENS ANGULO FILHO 1 CARLOS AUGUSTO HUNGRIA DA CUNHA 2 BERNARDO FRIEDRICH THEODOR RUDORFF 3 MAURÍCIO

Leia mais

Análise da Variabilidade Espacial e Temporal do NDVI sobre o Brasil

Análise da Variabilidade Espacial e Temporal do NDVI sobre o Brasil Análise da Variabilidade Espacial e Temporal do sobre o Brasil HELEN DA COSTA GURGEL 1 NELSON JESUS FERREIRA 1 ALFREDO JOSE LUIZ BARRETO 1 1 INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Caixa Postal

Leia mais

Comparação entre classificadores por pixel e por região com imagem SPOT-5 para o estado de Minas Gerais

Comparação entre classificadores por pixel e por região com imagem SPOT-5 para o estado de Minas Gerais Comparação entre classificadores por pixel e por região com imagem SPOT-5 para o estado de Minas Gerais Fernanda Rodrigues Fonseca 1 Thiago Duarte Pereira 1 Luciano Vieira Dutra 1 Eliana Pantaleão 1 Corina

Leia mais

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental

Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Disciplina: Monitoramento e Controle Ambiental Prof.: Oscar Luiz Monteiro de Farias Sensoriamento Remoto aplicado ao Monitoramento Ambiental Andrei Olak Alves 2 espectro visível ultravioleta Sol infravermelho

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

: Transforme seu plantio em um fundo de investimento ativo. The single source for Forest Resource Management

: Transforme seu plantio em um fundo de investimento ativo. The single source for Forest Resource Management : Transforme seu plantio em um fundo de investimento ativo The single source for Forest Resource Management 2 Tecnologia laser aerotransportada LiDAR LiDAR é um sistema ativo de sensoriamento remoto, originalmente

Leia mais

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ JONAS GALDINO 1, WILIAN DA S. RICCE 2, DANILO A. B. SILVA 1, PAULO H. CARAMORI 3, ROGÉRIO T. DE FARIA 4 1 Analista de Sistemas,

Leia mais

Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11. Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens

Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11. Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens Geomática e SIGDR aula teórica 23 17/05/11 Sistemas de Detecção Remota Resolução de imagens Manuel Campagnolo ISA Manuel Campagnolo (ISA) Geomática e SIGDR 2010-2011 17/05/11 1 / 16 Tipos de resolução

Leia mais

Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul Aplicações CBERS na Universidade Federal do Rio Grande do Sul Pesquisas CBERS - UFRGS 2001: Início do projeto Participantes: - PPG-SR / CEPSRM - Instituto de Geociências Geodésia Geografia Geologia - Faculdade

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO NA REGIÃO SUL NA CIDADE DE GOIÂNIA GOIÁS

CARACTERIZAÇÃO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO NA REGIÃO SUL NA CIDADE DE GOIÂNIA GOIÁS CARACTERIZAÇÃO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO NA REGIÃO SUL NA CIDADE DE GOIÂNIA GOIÁS Rosidalva Lopes Feitosa da Paz 1, Andre de Oliveira Amorim 2 e Raimundo Mainar de Medeiros 3 1 Física e Coordenadora

Leia mais

DINÂMICA MULTITEMPORAL DA VEGETAÇÃO NATURAL EM REGIÃO DE CANA- DE-AÇÚCAR NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.

DINÂMICA MULTITEMPORAL DA VEGETAÇÃO NATURAL EM REGIÃO DE CANA- DE-AÇÚCAR NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. DINÂMICA MULTITEMPORAL DA VEGETAÇÃO NATURAL EM REGIÃO DE CANA- DE-AÇÚCAR NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Rafael Rebelo de O. Albaner 1, Alexandre Cândido Xavier 1 1 Universidade Federal do Espírito

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

I ENCONTRO PAULISTA DE BIODIVERSIDADE

I ENCONTRO PAULISTA DE BIODIVERSIDADE I ENCONTRO PAULISTA DE BIODIVERSIDADE 16 a 18 de novembro de 2009 Fundação Mokiti Okada Palestrante: Mônica Pavão Pesquisadora do Instituto Florestal INVENTÁRIO FLORESTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO INVENTÁRIO

Leia mais

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5

ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 ANÁLISE DE ÁREAS DEGRADADAS NO MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA - SP, UTILIZANDO IMAGENS DO SENSOR TM LANDAST 5 Fabiano Barbosa dos Santos 1, Heliofábio Barros Gomes 2, Lucas Barbosa Cavalcante 3, Maurílio Neemias

Leia mais

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT.

10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. 10 FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM COMPARAÇÃO DE FUSÃO ENTRE AS IMAGENS DO SATÉLITE RAPID EYE, CBERS E SPOT. Thalita Dal Santo 1 Antonio de Oliveira¹ Fernando Ricardo dos Santos² A técnica de fusão

Leia mais

Curitiba, Departamento de Geografia UFPR ISSN: 2177-2738

Curitiba, Departamento de Geografia UFPR ISSN: 2177-2738 ANÁLISE TEMPORAL DO USO DO SOLO E COMPARAÇÃO ENTRE OS ÍNDICES DE VEGETAÇÃO NDVI E SAVI NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ DO RIO PARDO SP USANDO IMAGENS LANDSAT-5 Temporal analysis of the land use and comparison

Leia mais

Área verde por habitante na cidade de Santa Cruz do Sul, RS

Área verde por habitante na cidade de Santa Cruz do Sul, RS SCIENTIA PLENA VOL. 8, NUM. 4 2012 www.scientiaplena.org.br Área verde por habitante na cidade de Santa Cruz do Sul, RS C. C. A. Calegari 1 ; L. Calegari 2 ; M. P. Friedrich 3 ; D. A. Gatto 4 ; D. M. Stargerlin

Leia mais

EXTRACÇÃO DE SOMBRA A PARTIR DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO

EXTRACÇÃO DE SOMBRA A PARTIR DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO EXTRACÇÃO DE SOMBRA A PARTIR DE IMAGENS DE SATÉLITE DE ALTA RESOLUÇÃO Classificação Não Supervisionada, Reclassificação de Imagem e Classificação Orientada a Segmento Morna Nandaia Ricardo Silva SUMÁRIO

Leia mais

JTIMESAT: uma ferramenta para a visualização de séries temporais de imagens de satélite

JTIMESAT: uma ferramenta para a visualização de séries temporais de imagens de satélite JTIMESAT: uma ferramenta para a visualização de séries temporais de imagens de satélite Fernando Luiz Prochnow Ramme 1 Rubens Augusto Camargo Lamparelli 2 Jansle Vieira Rocha 1 1 Faculdade de Engenharia

Leia mais

Assinatura espectral de alvos agrícolas detectados em imagens do satélite WorldView-2. Jeziel André Ferreira Sobrinho Marcelo de Carvalho Alves

Assinatura espectral de alvos agrícolas detectados em imagens do satélite WorldView-2. Jeziel André Ferreira Sobrinho Marcelo de Carvalho Alves Assinatura espectral de alvos agrícolas detectados em imagens do satélite WorldView-2 Jeziel André Ferreira Sobrinho Marcelo de Carvalho Alves Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT Laboratório de

Leia mais

USO DE IMAGENS MULTITEMPORAIS DO IVDN PARA A ANÁLISE DA DINÂMICA DE USO AGRÍCOLA DA TERRA UTILIZANDO GVSIG, MUNICÍPIO DE DERRUBADAS, RS, RESUMO

USO DE IMAGENS MULTITEMPORAIS DO IVDN PARA A ANÁLISE DA DINÂMICA DE USO AGRÍCOLA DA TERRA UTILIZANDO GVSIG, MUNICÍPIO DE DERRUBADAS, RS, RESUMO USO DE IMAGENS MULTITEMPORAIS DO IVDN PARA A ANÁLISE DA DINÂMICA DE USO AGRÍCOLA DA TERRA UTILIZANDO GVSIG, MUNICÍPIO DE DERRUBADAS, RS, RESUMO *Antonio Carlos Leite de Borba **Volnei Marin Righi ***Fábio

Leia mais

Utilização de imagens MODIS para geração de máscaras de culturas de verão para o ano-safra 2011/2012 na Região Centro-Oeste

Utilização de imagens MODIS para geração de máscaras de culturas de verão para o ano-safra 2011/2012 na Região Centro-Oeste Utilização de imagens MODIS para geração de máscaras de culturas de verão para o ano-safra 2011/2012 na Região Centro-Oeste Miriam Rodrigues da Silva 1 André Luiz Farias de Souza 2 Gisele Martins Amaral

Leia mais

GEOMÁTICA ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO

GEOMÁTICA ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO Francílio de Amorim dos Santos GEOMÁTICA ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO Aplicação do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) para avaliação da cobertura vegetal do Parque Nacional

Leia mais