PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003. Carne bovina

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003. Carne bovina"

Transcrição

1 PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003 Carne bovina A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne bovina, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade interna, foram atualizadas em 07/05/2003 (Tabela 1). Tabela 1: B O V I N O S EVOLUÇÃO DA DISPONIBILIDADE "PER CAPITA" NO BRASIL ( t equiv. carcaça ) DISPONIB. POPULAÇÃO DISPONIB. ANO PRODUÇÃO IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO "PER CAPITA" INTERNA (milhões hab.) (kg/hab/ano) ,3 62,5 559, ,3 163,90 36, ,8 76,5 580, ,6 169,54 35, ,6 42,2 821, ,9 172,39 35,1 2002* 7.141,5 73,8 964, ,5 174,63 35,8 2003** 7.620,0 57, , ,2 176,90 36,5 (*) Estimativa (**) Previsão. FONTE: Conab (produção); SECEX / DECEX (importação e exportação); IBGE (população). ELAB.: Conab / Digem / Sugof / Geole - 07/05/2003. O preço médio da arroba de boi gordo, no contexto dos principais estados produtores, acusou alta semanal de 1,01%. Em São Paulo, a cotação média manteve-se estável, enquanto no Mato Grosso do Sul houve ligeiro acréscimo (mais 0,1%). O atual patamar de preço em São Paulo situa-se 0,13% acima da média registrada em setembro, enquanto no Mato Grosso do Sul, o atual nível de preço está 0,08% abaixo da média registrada no mês passado. Na semana em apreço, a oferta de gado para o abate continuou satisfatória. Os frigoríficos não encontraram muita dificuldade para o preenchimento das escalas de abate, e inclusive já fecharam as escalas, de uma maneira geral, até a quarta-feira da próxima semana. O mercado continua pagando diferencial de mais R$ para o boi rastreado (cuja carne terá a União Européia como destino). No atacado de São Paulo, a chegada do período de pagamento salarial (na primeira semana do mês), trouxe maior pressão de compra para os cortes bovinos. Com isso, o dianteiro mostrou elevação de 5,3% no preço médio semanal, ao passo que o traseiro apresentou alta de 3,86%, conforme destacado na Tabela 2.

2 Tabela 2: CARNE BOVINA PREÇOS PAGOS AOS PRODUTORES - em R$ PRODUTO UNID. UF Boi SP* 57,71 59,92 60,00 60,00 (*) Presidente Prudente PREÇOS NO ATACADO - em R$ Dianteiro kg SP 2,84 2,79 2,64 2,78 Traseiro kg SP 4,04 4,14 4,14 4,30 A tendência, na próxima semana é de menor pressão de alta para os preços médios do boi gordo, nos principais estados produtores, pois muitos frigoríficos já fecharam suas escalas até a próxima quarta-feira (dia 8). A entressafra característica da pecuária nacional no segundo semestre acirra a disputa entre pecuaristas e frigoríficos. lmente, dependendo, inclusive, de fatores climáticos, esse embate resulta em ágio ou deságio no preço médio da arroba. Contudo, a tendência predominante, nesse período do ano, é de alta. O atacado paulista poderá apresentar movimentação menos intensa na próxima semana, passado o período de recebimento salarial, o qual costuma trazer maior dinamismo aos negócios. Não será nenhuma surpresa se os preços médios do traseiro e do dianteiro apresentarem alguma retração. A Secex divulgou, na semana de 15 a 19 de setembro, os dados relativos à exportação e importação efetivadas em agosto último. A análise dos números acumulados no período janeiro/agosto demonstra que a carne industrializada participou com 33,19% do volume embarcado (em equivalente carcaça), para um faturamento que correspondeu a 23,8% dos US$ 896,8 milhões auferidos com as vendas externas, no período. A carne in natura (congelada e resfriada) que totaliza as carnes com osso e sem osso, miúdos e salgadas perfez os 66,81% restantes, em termos quantitativos, e 76,2% da receita total. Esses números dão suporte à projeção dos totais de volume e faturamento deste ano na suposição de que seja mantido o desempenho do período janeiro/agosto, em termos de quantidade, e os preços médios de US$ 803/ tonelada para a carne industrializada e US$ 1.276/ tonelada para a carne in natura. A projeção é de que o faturamento alcance US$ 1,345 bilhão com a exportação de carne bovina em 2003, representando acréscimo de 21,56% sobre a receita de 2002 e volume de 1,202 milhão de toneladas em equivalente carcaça, isto é, mais 24,6% sobre o número final do ano passado. O preço médio da carne industrializada está 0,62% inferior à média anual de 2002, enquanto a cotação média relativa à carne in natura apresenta queda de 5,97% comparativamente à média do ano passado. Essa é a razão para que a taxa de crescimento da quantidade seja superior à do faturamento, na projeção dos dados médios de janeiro/agosto para o final de

3 A volta da Argentina e do Uruguai à cena internacional e a retomada das vendas externas de países europeus que são tradicionais exportadores de carne bovina, são os fatores principais para a constatação de baixa dos preços recebidos pelas empresas brasileiras no mercado externo, no decorrer de No entanto, a confirmação de um novo foco de febre aftosa na província argentina de Salta conforme divulgado pelo governo da Argentina na sexta-feira, dia 5 de setembro, possibilita o aumento do poder de barganha das empresas brasileiras no mercado internacional e, consequentemente, gera a expectativa de elevação dos níveis de seus preços. Carne de frango A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne de frango, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade interna, foram atualizadas em 07/05/2003 (Tabela 3). Tabela 3: F R A N G O S EVOLUÇÃO DA DISPONIBILIDADE "PER CAPITA" NO BRASIL ( t ) DISPONIB. POPULAÇÃO DISPONIB. ANO PRODUÇÃO IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO "PER CAPITA" INTERNA (milhões hab.) (kg/hab/ano) ,0 0,2 776, ,6 163,90 29, ,6 0,3 916, ,5 169,54 29, ,3 0, , ,4 172,39 30, ,0 0, , ,1 174,63 33,4 2003* 7.485,3 0, , ,4 176,90 31,2 (*) Estimativa. FONTE: Produção (IBGE - até 1979; CFP /89; CONAB - desde 1990); Importação e Exportação: (Conab) e (dados da SECEX / DECEX). Para 2003, as exportações foram estimadas pela Conab, a partir dos dados disponibilizados pela SECEX, relativamente ao período janeiro/março. ELAB.: Conab / Digem / Sugof / Geole - 07/05/2003. O preço médio do frango vivo, transacionado nas granjas dos principais estados produtores acusou alta de 10,09%. Em São Paulo, a cotação média elevou-se em 6,47%. O atual patamar paulista encontra-se 16,77% superior à média verificada em setembro. A procura tornou-se muito intensa, tendo em vista o período de recebimento salarial (normalmente a melhor ocasião de comércio para o produto). Além disso, as exportações vêm mantendo excelente desempenho e o consumo interno do frango tem, seguramente, absorvido parcelas importantes dentro do complexo carnes, pois a carne de frango é aquela de mais baixo custo ao consumidor doméstico. Não é à toa que as grandes redes de varejo fazem, com muita freqüência, promoção do frango, seja ele inteiro (resfriado, ou congelado) ou ainda em cortes (coxa, peito, coração...,etc). 3

4 No tocante ao atacado, o preço médio do frango inteiro resfriado, no contexto dos estados constantes da pesquisa semanal PR, SC, RS, SP, MG, GO, CE, PE e PA mostrou alta de 5,11%. Em São Paulo, a cotação média subiu 3,26%, o que dá ao patamar atual posição 10,45% além da observada no mês de setembro (Tabela 4). Tabela 4: CARNE DE FRANGO PREÇOS PAGOS AOS PRODUTORES - em R$ Frango Vivo kg SP 1,44 1,55 1,70 1,81 PREÇOS NO ATACADO - em R$ Frango inteiro resfriado kg SP 1,77 2,01 2,15 2,22 O preço médio do frango inteiro resfriado encontra-se 20,14% inferior à cotação média do dianteiro bovino no atacado bandeirante, o que lhe confere grande competitividade para obter a preferência do consumidor. A próxima semana deverá continuar mostrando um quadro de firmeza para os preços do frango vivo e do resfriado, como conseqüência do pagamento salarial da massa consumidora e das exportações, que mantêm ritmo muito forte, dando sustentação aos níveis de preços que vêm sendo observados nas principais praças do País. A divulgação, pela Secex, em meados de setembro, dos últimos números de exportação e importação da carne de frango registrados em agosto, permite que se observe o resultado acumulado em janeiro/agosto deste ano, quando as vendas externas brasileiras alcançaram o volume de 1,266 milhão de toneladas, para um faturamento de US$ 1,110 bilhão. Esses números ensejam a projeção mantidos os mesmos parâmetros até aqui observados do quantitativo de 1,899 milhão de toneladas e receita de US$ 1,664 bilhão, ao final de 2003, significando acréscimo de 16,86% em volume e mais 19,5% no faturamento, confrontando-se essa projeção com os dados finais do ano passado. O preço médio da carne de frango exportada no período janeiro/agosto subiu, quando observados os segmentos de frango inteiro e industrializado, enquanto mostrou queda, no tocante aos cortes de frango. No segmento do frango inteiro, que apresentou cotação média de US$ 739 /tonelada, a alta foi de 9,81%, frente à média anual obtida em 2002; para o frango em partes, cuja cotação média alcançou US$ 920 /tonelada, a retração foi de 3,36%; no segmento de frango industrializado, com preço médio de US$ /tonelada, a elevação atingiu 2,59%. A participação desses segmentos, em termos das quantidades embarcadas, no período janeiro/agosto de 2003 foi de 39,1% para o frango inteiro; 59,01% para o frango em partes e 1,89% para o industrializado. Tal distribuição mostrou alta na participação do frango em partes, cuja representação, em 2002, ficou em 56,96% e baixa no caso do frango inteiro, que no ano passado representou 41,5% das vendas externas. O segmento do frango 4

5 industrializado incrementou sua participação, pois em 2002, esta foi de 1,54% das exportações. Carne suína A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne suína, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade interna, foram atualizadas em 07/05/2003 (Tabela 5). Tabela 5: S U Í N O S EVOLUÇÃO DA DISPONIBILIDADE "PER CAPITA" NO BRASIL ( t equiv. carcaça ) DISPONIB. POPULAÇÃO DISPONIB. ANO PRODUÇÃO IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO "PER CAPITA" INTERNA (milhões hab.) (kg/hab/ano) ,6 1,3 99, ,5 163,90 9, ,8 0,5 141, ,2 169,54 10, ,5 0,3 283, ,5 172,39 11,5 2002* 2.686,7 0,2 474, ,6 174,63 12,7 2003** 2.874,7 0,2 462, ,1 176,90 13,6 (*) Estim ativa (**) Previsão. FONTE: Produção (IBGE - até 1979; CFP-1980/89; CONAB - a partir de 1990); Importação e Exportação (SECEX / DECEX); População (IBGE). ELAB.: Conab / Digem / Sugof / Geole - 07/05/2003. No Estado de São Paulo, o suíno vivo posto no frigorífico apresentou preço médio inalterado, relativamente ao praticado na semana anterior. Esse nível situa-se 7,91% acima da média observada em setembro (Tabela 6). Tabela 6: CARNE SUÍNA PREÇOS PAGOS AOS PRODUTORES - em R$ Suíno vivo kg SP* 2,38 2,78 3,00 3,00 Suíno vivo kg SC 1,44 1,65 1,78 1,81 (*) CIF - frigorífico PREÇOS NO ATACADO - em R$ Pernil kg SP 3,27 4,13 4,50 4,50 5

6 Com respeito aos oito estados considerados na amostra pesquisada PR, SC, RS, SP, MG, MS, GO e MT observou-se acréscimo de 2,37% no preço médio semanal, enquanto nas integrações de Santa Catarina, constatou-se elevação de 1,69% no preço médio do suíno vivo, relativamente ao patamar registrado na semana anterior, o que confere ao atual nível de preços posição 9,7% acima da média de setembro passado. No atacado de São Paulo, o pernil o corte de maior apelo popular apresentou cotação média semanal inalterada, em relação à semana anterior, estando o atual nível 8,96% acima da média apurada em setembro. A próxima semana poderá apresentar um quadro semelhante ao atual, no caso do suíno vivo comercializado nas granjas dos principais estados produtores, pois a indústria se mostra mais ativa nas aquisições, objetivando atender os mercados interno e externo. Neste período do ano, ocorre um maior movimento de compras, com vistas à formação de estoques e sua posterior venda no final do ano, a melhor época de comercialização da carne suína no mercado interno. Os abates de suínos na Região Sul e Estado de São Paulo que, no conjunto, representam cerca de 65% dos abates nacionais, registraram 9,685 milhões de cabeças, durante o período janeiro/julho de 2003, significando elevação de 0,3% sobre o volume de abates de idêntico período do ano passado. Esse desempenho, embora não tenha encontrado maior respaldo nas demandas interna e externa, nos primeiros cinco meses do ano, passou a obter melhor resultado em ambos os mercados, a partir de junho último. Parece que o volume de abates está mais ajustado ao atual nível da procura, o que vem dando sustentação aos preços internos. Na semana de 8 a 12 de setembro, foram confirmados dois focos da doença de Aujeszky no município gaúcho de Aratiba, localizado no Norte do Estado (região de Erechim). As providências de praxe (interdição das propriedades, sacrifício dos plantéis atingidos, etc) vêm sendo tomadas, desde então, o que resultou, até agora, no exame de animais, em 18 municípios da região, com a coleta de amostras para testes laboratoriais. A Embrapa de Concórdia-SC vem realizando os testes sorológicos e, ordinariamente, vem liberando os resultados dos exames, para a tomada das providências cabíveis. Além do município de Aratiba, os de Erechim e de Três Arroios também apresentaram animais com a enfermidade, os quais foram abatidos. Entre a quinta-feira, dia 25 de setembro, até a última segunda-feira, dia 30, foram abatidos 773 suínos oriundos dos três municípios citados. No entanto, como o vírus de Aujeszky não afeta o ser humano, embora seja fatal para os suínos acometidos, a carne dos animais sacrificados, com peso superior a 10 quilos, poderá ser aproveitada para o consumo. A maior preocupação das autoridades, no momento, é com a propagação da doença, daí que os procedimentos visam, sobretudo, evitar que o vírus se alastre. Os municípios afetados ficarão impedidos de exportar para a Rússia (destino de 70% das exportações de carne suína gaúcha no período janeiro/maio deste ano) durante os próximos 12 meses. As demais regiões do Estado não serão prejudicadas, conforme reza o acordo sanitário Brasil/Rússia, recentemente alterado. De acordo com os dados da Secex, divulgados em meados de setembro, no tocante à exportação de carne suína, verifica-se que o período janeiro/agosto acumulou vendas de toneladas, em equivalente carcaça, responsáveis pela receita de US$ 326,186 milhões. Do volume embarcado ao exterior, 97,76% foram de carne in natura (fresca e congelada) que totaliza as carnes com osso e sem osso, salgada e miúdos cujo preço médio alcançou US$ /tonelada, posicionando-se 1,56% acima da média praticada em A carne industrializada representou 2,24% das vendas e teve preço médio de US$ 393 /tonelada, 10,27% inferior à média do ano passado. Os números referentes às vendas externas, durante o período janeiro/agosto, propiciam a projeção de 475,4 mil toneladas e receita de US$ 489 milhões, ao encerramento deste ano mantidos os mesmos parâmetros até aqui observados o que contempla 6

7 acréscimos de 0,22% nas quantidades e 1,51% no faturamento, relativamente ao desempenho final do ano passado. Em 2002, as vendas para os seis principais destinos totalizaram 96,96% das quantidades líquidas de carne suína endereçadas ao exterior, tendo sido responsáveis pela receita cambial de US$ 465,5 milhões, ou 96,58% do faturamento total com a exportação. A Rússia teve participação significativa nesse contexto: foi responsável por 79,24% das quantidades totais negociadas no exterior e receita de US$ 374,178 milhões, isto é, 77,63% do faturamento total. Os dados relativos ao período janeiro/agosto de 2003 mostram que esse mesmo grupo de clientes absorveu 90,69% do volume líquido de carne suína negociado pelo Brasil no mercado internacional, tendo sido responsável pela receita de US$ 298,680 milhões (91,57% do total faturado no período), sendo que a Rússia, isoladamente, recebeu 63,52% do volume, que deram origem a 63,87% do faturamento total do período.(tabela7) Tabela 7 BRASIL - EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA PRINCIPAIS DESTINOS DESTINO jan./ago Part. % Part. % Part. % Part. % US$/FOB kg Líquido Part. % Preço Médio Argentina ,43 1,11 2,14 14,92 28,73 36, Cingapura ,64 1,38 1,44 0,67-0, Hong Kong ,13 0,96 11,14 18,53 39,86 48, Países Baixos ,40 1,16 1,72 1,74 3,86 1, Rússia ,52 1,05 79,24 56,49 17, Uruguai ,57 0,97 1,28 2,91 3,60 7,23 Subtotal ,69 1,05 96,96 95,26 93,38 94,61 Outros ,31 0,95 TOTAL ,00 1,04 Fonte: Secex / Decex Elab.: Conab / Digem / Sugof / Geole - 18/09/2003. (Rogério Dias Coimbra. Fone: (61) Fax: (61) http//www.conab.gov.br Home Page: 7

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MAIO/2016 CEPEA - PECUÁRIA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de Preços Boi Gordo (SP) 2. Diferenciais de

Leia mais

Carnes: entressafra, exportações, consumo interno e preços em alta no mercado mundial trazem aumento nas cotações em 2007.

Carnes: entressafra, exportações, consumo interno e preços em alta no mercado mundial trazem aumento nas cotações em 2007. Carnes: entressafra, exportações, consumo interno e preços em alta no mercado mundial trazem aumento nas cotações em 2007. Em 2007, devem ser produzidas no Brasil 23,4 milhões de toneladas de carne (boi,

Leia mais

Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades

Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades FRANCISCO TURRA Presidente Executivo Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades Brasil é o 4º Maior Exportador Mundial de Produtos Agrícolas Exportação de produtos agrícolas

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE -mai 3-mai -mai 7-mai 8-mai 9-mai -mai 3-mai -mai 5-mai -mai 7-mai -mai -mai -mai 3-mai -mai 7-mai 8-mai 9-mai 3-jun -jun 5-jun -jun 7-jun -jun BOVINOCULTURA DE CORTE» MERCADO INTERNO Os preços médios

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Aves

Balanço 2016 Perspectivas Aves Aves 129 130 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 OFERTA E EXPORTAÇÃO EM CRESCIMENTO E QUEDA DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO A produção brasileira de frango continuará crescendo em torno de 5% ao ano

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

PELA PRIMEIRA VEZ, ARROBA SOBE MAIS QUE CUSTO NO 1º SEMESTRE

PELA PRIMEIRA VEZ, ARROBA SOBE MAIS QUE CUSTO NO 1º SEMESTRE Resumo da evolução dos custos em Junho/08 PELA PRIMEIRA VEZ, ARROBA SOBE MAIS QUE CUSTO NO 1º SEMESTRE Pela primeira vez, a arroba do boi gordo no primeiro semestre do ano teve alta superior ao do Custo

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 28 de março de 2016 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2016 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE Mercado Interno

BOVINOCULTURA DE CORTE Mercado Interno BOVINOCULTURA DE CORTE Mercado Interno No Mato Grosso do Sul, na semana de 10 a 14/ago, os preços da arroba do boi e da vaca registraram relativa estabilidade. Os preços registrados em agosto se acomodaram

Leia mais

Evolução das Despesas Estaduais

Evolução das Despesas Estaduais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 2 Evolução das Despesas

Leia mais

Carne de Frango Var. Produção (milhões ton) Exportação (milhões ton) Disponibilidade 12,69 13,146 3,58% 4,03 4,3 5% 8,59 8,84 3,1%

Carne de Frango Var. Produção (milhões ton) Exportação (milhões ton) Disponibilidade 12,69 13,146 3,58% 4,03 4,3 5% 8,59 8,84 3,1% Carne de Frango Produção (milhões ton) Exportação (milhões ton) Disponibilidade (milhões ton) 2014 2015 Var. 12,69 13,146 3,58% 4,03 4,3 5% 8,59 8,84 3,1% Per capita (kg) 42,7 43,25 1,1% 2016 Produção

Leia mais

Perspectivas para o Agribusiness em 2007 e Pecuária de Corte

Perspectivas para o Agribusiness em 2007 e Pecuária de Corte Perspectivas para o Agribusiness em 2007 e 2008 - Pecuária de Corte Fabio Dias, Zootecnista, MSc Diretor Executivo / Assocon 24 de abril de 2007 1 TAXA DE CRESCIMENTO (5 ANOS) Os 50 maiores confinamentos

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE Milhares BOVINOCULTURA DE CORTE» MERCADO INTERNO Os preços médios da arroba do boi e da vaca na segunda semana de julho continuaram a crescer, finalizando o período em R$ 96,9 e R$91,11 (à vista e livre

Leia mais

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL Elaboração: SEAB/DERAL/DCA/PECUÁRIA Data: 04/01/2017 NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPESUI

INFORMATIVO MENSAL LAPESUI INFORMATIVO MENSAL LAPESUI Novembro Nº 21 de RÚSSIA VOLTA A IMPORTAR CARNE SUÍNA DE FRIGORÍFICOS ESPECÍFICOS Após a suspenção da importação de carne suína brasileira, a Rússia autorizou cinco frigoríficos

Leia mais

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE LEITE

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE LEITE ANÁLISE BOVINOCULTURA DE LEITE MERCADO INTERNO: Os valores de referência do Conseleite/MS para o leite em Mato Grosso do Sul, em fevereiro de 213, mantiveram-se praticamente estáveis quando se comparado

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Corte

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Corte Pecuária de Corte 113 114 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 RETOMADA ECONÔMICA DEVE MELHORAR A DEMANDA POR CARNE BOVINA RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA COMBINADA COM A PREFERÊNCIA DO CONSUMIDOR

Leia mais

Desempenho da Indústria Catarinense

Desempenho da Indústria Catarinense FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA Desempenho da Indústria Catarinense Florianópolis, 20 de março de 2015 SANTA CATARINA e BRASIL Desempenho econômico em 2015 INDICADOR SANTA CATARINA

Leia mais

Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações

Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações Agronegócio e o Plano Nacional de Exportações Alinne B. Oliveira Superintendente de Relações Internacionais Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil CNA 17 de novembro de 2015. O agronegócio e

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL CONTINUA EM QUEDA A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de outubro de 2014. COMPARAÇÃO DO MÊS OUTUBRO COM O MÊS

Leia mais

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2015

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2015 Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2015 1. Exportações de carnes de janeiro a dezembro de 2015 BRASIL As exportações brasileiras de carnes somaram US$ 14,7 bilhões no período de janeiro

Leia mais

BOLETIM DO. SUÍNO nº 78 FEVEREIRO

BOLETIM DO. SUÍNO nº 78 FEVEREIRO BOLETIM DO SUÍNO nº 78 FEVEREIRO 2017 O mercado em fevereiro Pela segunda vez na história, o preço do quilo do suíno vivo ultrapassou os cinco reais no correr de fevereiro, na maioria das praças pesquisadas

Leia mais

Importações no período acumulado de janeiro até dezembro de 2015.

Importações no período acumulado de janeiro até dezembro de 2015. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de dezembro de 2015. Total das exportações do Rio Grande

Leia mais

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016.

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2016. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL: A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NOS 10 ANOS DO PNPB Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social Dezembro de 2015 Brasília

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DO MERCADO DA BOVINOCULTURA DE CORTE 07/10/2015

MANUAL PRÁTICO DO MERCADO DA BOVINOCULTURA DE CORTE 07/10/2015 MANUAL PRÁTICO DO MERCADO DA BOVINOCULTURA DE CORTE 07/10/2015 Índice 1 2 3 4 5 6 7 Complexo agroindustrial da carne 1.1 Diagrama da cadeia Bovinocultura de corte 2.1 Sistemas de produção 2.2 Categorias

Leia mais

o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA INTRODUÇÃ

o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA INTRODUÇÃ - o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA Oscar Tupy1 INTRODUÇÃ O Este trabalho tem por objetivo mostrar de forma compacta as tendências mundiais de consumo, produção e comércio de carne bovina.

Leia mais

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro CADERNO DE ESTATÍSTICAS Uma publicação da Representação do IICA/Brasil Elaboração: Daniela Faria e Diego Machado 1. Apresentação 2.

Leia mais

LISTA DE GRÁFICOS. Gráfico 1: Preços do boi gordo no mercado físico... 20

LISTA DE GRÁFICOS. Gráfico 1: Preços do boi gordo no mercado físico... 20 7 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1: Preços do boi gordo no mercado físico... 20 Gráfico 2 - Comportamento de preços (IPA) de alguns insumos relacionados à pecuária de. corte e do boi gordo... 20 Gráfico 3 -

Leia mais

Departamento de Saúde Animal. Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil

Departamento de Saúde Animal. Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil Departamento de Saúde Animal Avanços e Desafios do Programa Nacional de Febre Aftosa no Brasil Revisão da política e das estratégias de combate à febre aftosa no Brasil Marco inicial da erradicação: 1992

Leia mais

os desafios em um novo momento econômico"

os desafios em um novo momento econômico FRANCISCO TURRA Presidente-executivo Ex- Ministro da Agricultura "Caminhos de valor para o agronegócio: os desafios em um novo momento econômico" Momento de RECUPERAÇÃO DA CONFIANÇA 2003 2004 2005 2006

Leia mais

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda Soja Os preços médios da soja apresentaram pequena queda em fevereiro, como mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda e apresentou variação positiva para fevereiro,

Leia mais

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas Soja Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas apresentaram queda no primeiro mês de 2014, como mostra a Tabela 1. O estado de Minas Gerais foi o único que apresentou variação

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV INFORMATIVO MENSAL LAPBOV OV Agosto Nº 29 Grãos e carnes sustentam superávit brasileiro A colheita das culturas inverno no segundo semestre e o sempenho das carnes são fatores que vem contribuir para a

Leia mais

PREÇOS CORRENTES 14/08/2015

PREÇOS CORRENTES 14/08/2015 PREÇOS CORRENTES 14/08/2015 SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. Cotações Base Agrícola 05. Açúcar 07.

Leia mais

Aquisição da Big Frango (JBS Foods) e Grupo Primo Smallgoods (JBS Austrália) 21 de Novembro de 2014

Aquisição da Big Frango (JBS Foods) e Grupo Primo Smallgoods (JBS Austrália) 21 de Novembro de 2014 Aquisição da Big Frango (JBS Foods) e Grupo Primo Smallgoods (JBS Austrália) 21 de Novembro de 2014 Disclaimer Fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações

Leia mais

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012 Ministério do Trabalho e Emprego Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. de 2012 1. Resultados do Programa de Microcrédito no 2 de 2012.

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas 2017

Balanço 2016 Perspectivas 2017 2203 Valor Bruto da Produção (VBP) 23 24 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 AGRICULTURA PUXA CRESCIMENTO DO VBP EM 2017 O cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV INFORMATIVO MENSAL LAPBOV OV Março Nº 24 Alta no preço da carne bovina anima produtores A falta gado pronto para o abate está fazendo o preço da arroba do boi subir, e os criadores comemoram o bom momento.

Leia mais

O MERCADO MUNDIAL DE CARNE BOVINA. Agosto de 2016

O MERCADO MUNDIAL DE CARNE BOVINA. Agosto de 2016 O MERCADO MUNDIAL DE CARNE BOVINA Agosto de 2016 Pastagens 168 Mi ha Rebanho 209 Mi Cabeças Abates 39 Mi Cabeças CadeiadevalordeR$483,5bilhões Perfil do Setor 2015 Produção de Carne Bovina 9,56 Mi TEC

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Janeiro 2016

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Janeiro 2016 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Janeiro 2016 As exportações paranaenses, em janeiro, apresentaram queda de -23,15% em relação a dezembro/15. O valor exportado atingiu a US$ 871 milhões, ficando,

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 19-10 a 25-10- COTAÇÕES MÉDIAS NACIONAIS - SEMANAIS As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de dezembro de 2014. COMPARAÇÃO DO MÊS DEZEMBRO COM O MÊS

Leia mais

DESAFIOS E EXPECTATIVAS DAS INDUSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNES

DESAFIOS E EXPECTATIVAS DAS INDUSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNES ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNES INDUSTRIALIZADAS DESAFIOS E EXPECTATIVAS DAS INDUSTRIAS EXPORTADORAS DE CARNES Antônio Camardelli Diretor Executivo Novembro, 2006 Panorama geral

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Novas Tendências da Pecuária Brasileira

Novas Tendências da Pecuária Brasileira VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva da Carne Bovina FEICORTE Novas Tendências da Pecuária Brasileira Segmentação Geográfica Cana x Pastagens JOSÉ VICENTE FERRAZ São Paulo, 22 de Junho 2007 DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 MUNDO Tabela 1. Área, rendimento e oferta e demanda de TRIGO no mundo, safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14. Item 2011/2012 2012/2013(A) 2013/2014 (B)

Leia mais

Graças a sua adaptação, o arroz é atualmente cultivado em quase todos os países de todos os continentes, a exceção da Antártida.

Graças a sua adaptação, o arroz é atualmente cultivado em quase todos os países de todos os continentes, a exceção da Antártida. HISTÓRICO Graças a sua adaptação, o arroz é atualmente cultivado em quase todos os países de todos os continentes, a exceção da Antártida. É a única espécie cultivada e explorada em áreas pantanosas, ocupando

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Caso atípico de Vaca Louca pode não afetar exportações Abril foi marcado pela detecção de uma doença incomum no país: Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), comumente conhecida como Mal da Vaca Louca.

Leia mais

Disciplina de Bubalinocultura

Disciplina de Bubalinocultura Curso de Zootecnia e Agronomia Disciplina de Bubalinocultura Prof. Dr. André Mendes Jorge Pesquisador do CNPq Andrejorge@fmvz.unesp.br País privilegiado Produzir Proteínas de Origem Animal!!! CLIMA, SOLO,

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO BRASIL 2003

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO BRASIL 2003 1 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Área Técnica de Dermatologia Sanitária SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA HANSENÍASE NO BRASIL 2003 2 TAXAS DE DETECÇÃO 2001 FONTE: OMS Situação atual da

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 23/09/2016 a 29/09/2016 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Jaciele Moreira

Leia mais

O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas

O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas A Constituição Federal em seu art. 29, inciso VI, estabelece que os subsídios dos Vereadores estão vinculados aos subsídios

Leia mais

É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino deixar de pagar o aluguel.

É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino deixar de pagar o aluguel. MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS FIANÇA LOCATÍCIA 12 MESES ENCERRADOS EM ABRIL DE 2009 E 2008. É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino

Leia mais

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital William Figueiredo Divisão de Estudo Econômicos do Rio de Janeiro (DIERJ) Gerência de Estudos Econômicos (GEE) Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017 Estado do

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GREVE

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GREVE NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A GREVE A Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc-MT) esclarece a população o seu posicionamento sobre a greve dos profissionais da educação que já pleta 60

Leia mais

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA BOVINOCULTURA FEVEREIRO / 2009

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA BOVINOCULTURA FEVEREIRO / 2009 Instituto Mato Grossense de Economia Agrícola RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA BOVINOCULTURA FEVEREIRO / 2009 Presidente: Rui Carlos Ottoni Prado Superintendente: Seneri Kernbeis Paludo Elaboração: Otávio L. M.

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2015 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 269.719,83 387.213,30 406.882,12 310.956,48 318.530,07 375.612,10 2.068.913,89 Valor Fob ( Us$/Mil ) 72.142,83 99.905,76 104.619,97

Leia mais

Seminário Internacional Pré-COSALFA. Assunção-Paraguai, 7 de maio de Tema III: Vacinação

Seminário Internacional Pré-COSALFA. Assunção-Paraguai, 7 de maio de Tema III: Vacinação BRASIL Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa Seminário Internacional Pré-COSALFA Assunção-Paraguai, 7 de maio de 2012 Tema III: Vacinação Secretaria de Defesa Agropecuária Departamento

Leia mais

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade Casos de dengue Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total 2003 20.471 23.612 - - - - - - - - - - 44.083 2002 94.447 188.522 237.906 128.667 60.646 23.350 12.769 10.149 6.682 7.138 9.246 9.052

Leia mais

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Paulo Sérgio Passos Ministro de Estado dos Transportes Brasília, 16.07.2014 Brasil e China: Economias Complementares China

Leia mais

Figura 1 Aumento dos preços no acumulado de 12 meses em Campo Grande - MS (%) 6,83 HABITAÇÃO MÃO DE OBRA ARTIGOS DE LIMPEZA

Figura 1 Aumento dos preços no acumulado de 12 meses em Campo Grande - MS (%) 6,83 HABITAÇÃO MÃO DE OBRA ARTIGOS DE LIMPEZA %Aumento Preços Conjuntura Econômica A conjuntura econômica de agosto foi marcada pelo aumento da inflação, baixo crescimento da economia, taxa de câmbio levemente desvalorizada, insegurança política e

Leia mais

PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO BRASIL

PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO BRASIL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO BRASIL UM OLHAR SOBRE AS ÁREAS IRREGULARES 2 Perdas de Água nas Capitais do Brasil PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO

Leia mais

Estudos Técnicos/CNM Janeiro de 2016 Repasses Zerados do Fundo de Participação dos Municípios 1. Conjuntura do FPM

Estudos Técnicos/CNM Janeiro de 2016 Repasses Zerados do Fundo de Participação dos Municípios 1. Conjuntura do FPM Estudos Técnicos/CNM Janeiro de 2016 Repasses Zerados do Fundo de Participação dos Municípios 1. Conjuntura do FPM O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) apresentou um comportamento incerto ao longo

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 30.038,81 30.038,81 Valor Fob ( Us$/Mil ) 8.096,09 8.096,09 Preço Médio ( Us$/Ton ) 269,52 269,52 PARAGUAI Volume

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 211 Conteúdo INTRODUÇÃO... 3 1. MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Leia mais

A crise da pecuária de corte é para sempre?

A crise da pecuária de corte é para sempre? A crise da pecuária de corte é para sempre? Fabio Dias / Assocon Fabiano Tito Rosa / Scot Consultoria José Carlos / MB Agro Consultoria agosto / 2006 Apoio : 1 Será que a crise é para sempre? Nosso problema

Leia mais

PREÇO DA ARROBA INFLUENCIA VALOR DO SAL MINERAL

PREÇO DA ARROBA INFLUENCIA VALOR DO SAL MINERAL Ano 3 Edição 20 Agosto 2011 PREÇO DA ARROBA INFLUENCIA VALOR DO SAL MINERAL A adequada suplementação mineral na alimentação é essencial para garantir o bom desempenho e a saúde do rebanho. A quantidade

Leia mais

Análise Bovinocultura

Análise Bovinocultura Análise Bovinocultura BOLETIM SEMANAL 04 de dezembro de PRA QUEM O CONSUMIDOR PAGA? Como na maioria das cadeias, os elos buscam individualmente obter o lucro, mas a postura e estratégia de cada um podem

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA E ENFRENTAMENTO DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BRASÍLIA, 20 DE OUTUBRO DE 2016

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA E ENFRENTAMENTO DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BRASÍLIA, 20 DE OUTUBRO DE 2016 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA E ENFRENTAMENTO DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BRASÍLIA, 20 DE OUTUBRO DE 2016 Situação Epidemiológica da Dengue, por temporada, Brasil 2013/2014:

Leia mais

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - SUINOCULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - SUINOCULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Documentos 146 ANUÁRIO ESTATÍSTICO - SUINOCULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Empresa

Leia mais

Quanto custa financiar um PNE pra valer?

Quanto custa financiar um PNE pra valer? Quanto custa financiar um PNE pra valer? José Marcelino de Rezende Pinto USP ANPED Campanha Nacional pelo Direito à Educação CEDES Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - Fineduca

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Setembro de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Pecuária. Setembro de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Pecuária Setembro de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidente da República Michel Miguel Elias Temer Lulia Ministro do Planejamento,

Leia mais

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016.

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2016. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Leia mais

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de Exportações de carnes BRASIL

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de Exportações de carnes BRASIL Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2014 1. Exportações de carnes BRASIL Ao longo dos últimos dez anos as exportações de carne no Brasil aumentaram. Para a carne de frango o aumento

Leia mais

Relatório Extraordinário. Despesas na Função Legislativo comparadas

Relatório Extraordinário. Despesas na Função Legislativo comparadas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Relatório Extraordinário Despesas na Função Legislativo comparadas

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO De 07 a 17 de outubro, o preço médio da arroba do boi, no estado, foi de R$ 126,12. No período houve leve valorização de 1,67%. Mesmo com o preço da arroba em patamar

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 12-12 a 18-12- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise verificou-se

Leia mais

FERRUGEM ASIÁTICA DA SOJA: Impacto da entrada da doença no Brasil. Rafael Moreira Soares Fitopatologista - EMBRAPA SOJA

FERRUGEM ASIÁTICA DA SOJA: Impacto da entrada da doença no Brasil. Rafael Moreira Soares Fitopatologista - EMBRAPA SOJA FERRUGEM ASIÁTICA DA SOJA: Impacto da entrada da doença no Brasil Rafael Moreira Soares Fitopatologista - EMBRAPA SOJA Histórico da ocorrência Perdas Controle Desafios Consórcio Anti-ferrugem Doenças no

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 09.02.2015 Veículo: DIARIO DO PARÁ Caderno: BRASIL Pág.:A3 Coluna: LINHA DIRETA 1- Matérias referente diretamente à Companhia ( X ) 3- Matérias de interesses da Companhia ( ) Data: 09.02.2015 Veículo:

Leia mais

BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011

BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011 BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011 ARROZ: Os preços de arroz em casca, cotados na terceira semana de janeiro de 2011, vem apresentando uma notável estabilidade, variando positivamente em 0,3% em

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 12/12/2014 a 18/12/2014 PREZADOS AMIGOS: ESTE É O NOSSO ÚLTIMO BOLETIM

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Rússia importará mais carnes do Brasil No primeiro quadrimestre desse ano, foram habilitadas a exportares ao país, pelo Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia (Rosselkhoznadzor).

Leia mais

Formação dos Grupos e forma de disputa

Formação dos Grupos e forma de disputa Formação dos Grupos e forma de disputa Sorteio realizado no dia 01 de Novembro de 2010 na sede social da APMP. Categoria Força Livre 1. Amazonas 2. Acre 3. Amapá 4. Ceara 5. Espirito Santo 6. Goiás 7.

Leia mais

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO Analista de Mercado Élcio A. Bento elcio@safras.com.br ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/@ Preço Mínimo R$ 44,6/@ ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/2 Jul A FORMAÇÃO DE PREÇOS NO MERCADO

Leia mais

Expansão industrial e maior oferta de raiz sustentam produção recorde de fécula em 2015

Expansão industrial e maior oferta de raiz sustentam produção recorde de fécula em 2015 Expansão industrial e maior oferta de raiz sustentam produção recorde de fécula em 2015 Quantidade de fécula produzida cresceu 17% e superou 750 mil toneladas em 2015 A produção brasileira de fécula cresceu

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO

RELATÓRIO SOBRE AS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DO AGRONEGÓCIO GAÚCHO Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2015. COMPARAÇÃO DO MÊS DE FEVEREIRO DE

Leia mais

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios brasileiros em relação à Securitização da Dívida Ativa de acordo com a resolução 33

Leia mais

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Zilmar José de Souza XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA Rio de Janeiro 23 de outubro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais