Cartografia da África - parte 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cartografia da África - parte 2"

Transcrição

1 Cartografia da África - parte 2 * Eliane Alves da Silva Engenheira cartógrafa, geógrafa, professora de geografia, mestre em ciências geográficas IBGE/DGC/GDI Conselheira do CREA-RJ pelo SENGE-RJ Coordenadora da câmara especializada de engenharia de agrimensura Diretora secretária da sociedade brasileira de geografia SBG Conselheira do clube de engenharia Membro da sociedade brasileira de cartografia - SBC C.e.: Continuação da edição República do Mali 22 de setembro de 1960 Na data acima tornou-se independente, após a secessão do Senegal da Federação Mali, em 20 de agosto de Tornou-se membro Autônomo da Comunidade Francesa em 24 de novembro de República da Nigéria 1º de outubro de 1960 Obteve a independência após acordo com o Reino Unido. O Camerum Setentrional e parte do Território Tutelado administrado pela Inglaterra, votaram num plebiscito, em 11 de fevereiro de 1961, para a união com a Federação da Nigéria. A União foi efetivada em 1º de junho de Em 24 de maio de 1966, a designação de República Federal da Nigéria foi abolida. Faz parte da Comunidade Britânica das Nações. - República Islâmica da Mauritânia 28 de novembro de 1960 Obteve a independência em seguida ao acordo de Paris, assinado em 19 de outubro de Passou a fazer parte da Comunidade Francesa em 28 de novembro de Serra Leoa 27 de abril de 1961 Independência obtida de acordo com a Conferência Constitucional de Londres, realizada de 20 de abril a 04 de maio de Pertence a Comunidade Britânica das Nações. - República Unida da Tanzânia 09 de setembro de 1961 Na data de 27 de abril de 1964 Tanganica e Zanzibar uniram-se para formar um único Estado, em 29 de outubro do mesmo ano o nome foi mudado para República Unida de Tanganica e Zanzibar para República Unida da Tanzânia. Tanganica adquiriu independência em 09 de dezembro de 1962, com o término da tutela das Nações Unidas. O Reino Unido anunciou em 29 de março de 1961, que a Tanganica tornar-se-ia independente em 28 de dezembro de 1961, alterado mais tarde para a data acima. Zanzibar tornou-se independente do Reino Unido, em 10 de dezembro de República de Burundi 1º de julho de 1962 Independência adquirida como reino, do mesmo modo que a República de Rwanda, por determinação da tutela das Nações Unidas de Ruanda-Urundi, Burundi é a mais nova designação aceita de Urundi. Burundi antes Estado Indígena de Urundi, em Ruanda-Urundi, tornou-se parte do território tutelado da ONU de Ruanda-Burundi, sob administração belga, em abril de Foi aprovada pela Assembléia Geral da ONU em dezembro de Antes de tornarse território tutelado, fez parte de um mandato belga da Liga das Nações, que se efetivou depois da 1ª Guerra Mundial. Antes deste conflito esta área compreendia parte da África Oriental Alemã, que formava um triângulo junto com Tanganica e Kionga. - República de Ruanda 1º de julho de 1962 Sua independência ocorreu de modo semelhante a de Burundi. Ruanda é a mais nova designação aceita de Ruanda, antigo Estado Indígena. - República Democrática e Popular de Argélia 05 de julho de 1962 Conseguiu sua independência com o acordo de Evian e os plebiscitos posteriores, levados a efeito na França e Argélia. Constituiu um Governo Nacional em setembro de A Argélia, excluindo a região do Saara, tornou-se francesa entre os anos de 1830 e 1847, durante os quais a região foi progressivamente ocupada. - Uganda 09 de outubro de 1962 Como resultado de uma Convenção Constitucional, realizada em Londres, em outubro de 1961, Uganda foi programada para adquirir independência, com o estabelecimento de um Governo Federal, e a capital foi transferida de Entebe para Kampala. Pertence a Comunidade Britânica das Nações. - República do Quênia 12 de dezembro de 1963 Após a dissolução da Federação Africana (Quênia, Tanganica e Uganda), em 1963, o Quênia obteve total independência, tornando-se República um ano mais tarde. É membro da Comunidade Britânica das Nações. Passou a ser controlada pelo Reino Unido em 1888 através da Companhia Britânica da África Oriental. Em 1895 foi transferida para a Coroa, tornando-se o Protetorado Este Africano. - República de Malawi 06 de julho de 1964 Obteve a independência com o acordo de Londres de setembro de 1963, que estabeleceu um período de autogoverno. É membro da Comunidade Britânica das Nações. Foi protetorado de Niassalândia, administrado pelo Reino Unido. A Niassalândia juntamente com as Rodésias do Norte e do Sul, eram membros da Federação da Rodésia e da Niassalândia, que vigorou entre 03 de setembro de 1953 a 31 de dezembro de 1963.

2 - República de Zâmbia 24 de outubro de 1964 Obteve a independência após o acordo de Londres de maio de É Membro da Comunidade Britânica das Nações. - Gâmbia 18 de fevereiro de 1965 Conseguiu sua independência a partir dos termos do acordo da Conferência Constitucional de Londres de julho de Já havia obtido o auto governo em 1963, é Membro da Comunidade Britânica das Nações. - República de Botsuana 30 de outubro de 1966 A independência foi obtida pela Bechuanalândia, do Reino Unido, sob o nome de Botsuana, em conformidade com o acordo estabelecido em Londres, de 14 a 21 de fevereiro de É Membro da Comunidade Britânica das Nações. - Reino do Lesoto 04 de outubro de 1966 A independência foi obtida pelo Lesoto, antes denominado Basutolândia, do Reino Unido, na Reunião em Londres de 08 a 17 de junho de Angola e Moçambique só conseguiram suas independências nos anos 70, depois de revoluções sangrentas contra Portugal. Angola era a província ultramarina mais rica (café, diamantes, ferro, petróleo) e Moçambique era considerada importante devido à sua posição estratégica. Lutaram por Angola: o MPLA Movimento Popular de libertação de Angola, de linha sino-cubana de Agostinho Neto, que veio a ser Presidente e Mário Pinto de Andrade, UPA União dos Povos de Angola de Holden Roberto e a UNITA União Nacional pela Independência Total de Angola dirigida até hoje por Jonas Savimbi. Em Moçambique surgiram a FRELIMO - Frente de Libertação de Moçambique de Eduardo Mondiane, Uria Simango, Marcelino Santos e Samora Machel, que mais tarde foi Presidente, o outro grupo era a COREMO de Paulo Gumane. Na Guiné Portuguesa atuava o PAIGCV Partido Africano de Independência da Guiné e Cabo Verde orientado por Amilcar Cabral. A Guiné Bissau passou por uma guerra civil no final dos anos 90. O traço retilíneo dos limites territoriais dos Países Africanos pode ser visto em Angola, Argélia, Bostsuana, Chade, Líbia, Mali, Mauritânia, Namíbia, Níger, Quênia, República Democrática do Congo, Saara Ocidental, Somália, Tanzânia e Zâmbia. Essa partilha irresponsável por parte dos europeus, trouxe reflexos também, no litoral, antigo ponto estratégico de penetração do continente, desde o tempo das feitorias portuguesas. Marrocos por exemplo, tem limites marítimos com o Oceano Atlântico e o com o Mar Mediterrâneo, o Egito da mesma forma com o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho e a ligação entre os dois se faz pelo Canal de Suez, a Somália tem águas territoriais com o Golfo de Áden e o Oceano Índico e a África do Sul com os Oceanos Atlântico e Índico, tendo por esta razão de sua posição geográfica sediado Reunião Internacional dos Países que Possuem Programas Antárticos da qual participaram Oficiais do Comando da Aeronáutica e da Marinha do Brasil. Países como Sudão, Guiné, Nigéria, República dos Camarões, República Centro-Africana, Congo, Quênia, tem pouca ou nenhuma fronteira marítima. A República Democrática do Congo, tem cerca de quilômetros de fronteiras terrestres e não chega a ter 50 quilômetros de litoral. A hidrografia africana é um reflexo de sua geologia e do tectonismo, com a separação do grande Continente de Gondwana, pela Teoria da Deriva dos Continentes de Wegner (1922) os rios correm de sul para norte, ou de leste para oeste, estes com grande sinuosidade e capacidade erosiva, após vencer inúmeras corredeiras, chegam ao mar. Os grandes rios africanos passam por vários países, eles são: 1) Nilo km Uganda, Sudão e Egito; 2) Níger km Mali, Níger, Benin e Nigéria; 3) Congo ou Zaire km Congo e República Democrática do Congo e 4) Zambeze km Zimbabue (ex- Rodésia), Zâmbia e Moçambique. Até hoje a fronteira de Burkina Faso (que já foi denominado de Alto Volta) contornado ao longe pelo Rio Níger, possui uma fronteira leste há cerca de 100 quilômetros do mesmo, no Brasil como em outro lugares os rios sempre foram bons limites naturais, nos acordos fronteiriços promovidos pelas Comissões Mistas Demarcadoras de Limites na América do Sul. O Rio Zambeze muitos anos depois passou a figurar como fronteira, limite internacional entre Zâmbia e Zimbabue, com a sua independência em A nefasta Conferência de Berlim, produziu 14 países interioranos, a saber: Botsuana, Burkina Faso, Burundi, Chade, Lesoto, Mali, Malawi, Níger, República Centro-Africana, Ruanda, Suasilândia, Uganda, Zâmbia e Zimbabue, num total de 6,8 milhões de quilômetros quadrados, onde habitavam 23% da população africana, ou seja como já foi dito 30 milhões de almas. O quadro político ficou dividido, no que hoje são os seguintes países: - África Equatorial Francesa: Burkina Faso, Chade, Mali, Níger e República Centro-Africana; - África Inglesa Bostuana, Lesoto, Malawi, Suazilândia, Uganda, Ruanda, Zâmbia e Zimbabue; - África Belga República Democrática do Congo e Tanzânia e - África Alemã Togo e Namíbia. A análise dessa partilha, trouxe em seu bojo a limitação política e econômica dos países, alguns, são tão pequenos, verdadeiros enclaves, que não possuem alternativas sócio-econômicas de estabelecerem políticas públicas de desenvolvimento, tais como: Togo, Benin, Cabo Verde, Lesoto, Gâmbia, Guiné Equatorial, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Transkei, e Cabinda pertencente a Angola. Na história da demarcação dos países africanos, existem antíteses, nesse emaranhado político, constituído, em verdadeira colcha de retalhos geopolíticos, dos mais diversos tipos. Em junho de 1964, a República da África do Sul em pleno regime de exceção do apartheid (onde a minoria branca tinha o poder e discriminava a maioria de negros), firmou um acordo com o Malawi governo

3 independente negro, para que se construísse uma ferrovia de Malawi, até o porto moçambicano de Nacala, situado no Oceano Índico. Moçambique naquela época era uma colônia de Portugal. Angola a Colônia mais rica de Portugal, só alcançou a independência depois de uma violenta revolução e até hoje também não alcançou a almejada paz. O Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer sua independência como nação. Segundo o Engenheiro Geógrafo, Pesquisador do Instituto de Investigação Científica Tropical Luis Crespo de Carvalho (1990) no período de 09 a 30 de maio de 1966 aconteceu, em Lisboa, Portugal, a Reunião dos Responsáveis da Geodésia do Ultramar, que aconteceu sobre a égide do Centro de Geografia, composta pelos seguintes Engenheiros: Farinha da Conceição (Diretor do Centro de Geografia); Pereira Bastos (Chefe da Missão Geográfica de Angola - MGA); Sales Grade (Chefe da Missão Geográfica de Moçambique - MGM) e Teixeira Botelho (Chefe da Missão Geográfica do Timor Leste - MGTL). Esta Reunião tinha o objetivo de uniformizar os procedimentos geodésicos nas Colônias Portuguesas. Esses procedimentos de um modo geral eram: - Na Astronomia Geodésica para as tabelas gerais de precisão de determinação da latitude, longitude e do azimute, adotava-se a norma do Coast and Geodetic Survey dos Estados Unidos; - Na Triangulação e Trilateração Geodésicas projetar as malhas dos quadriláteros e figuras de ponto central fortes; evitar figuras superpostas e linhas superabundantes; - Na Medição das Bases com telurômetros e geodímetros, eram empregadas técnicas comprovadas pelo Institut Géographique National IGN, da França; - Nas Observações Azimutais, aceitava-se a relativa equivalência entre os métodos de Giros de Horizonte e de Schreiber a 16 origens e a prevalência das observações noturnas e o critério da rejeição de desvios superiores a 2 da média. - Nas Observações Zenitais preconizava-se o método das recíprocas simultâneas na vizinhança do meio dia termal; - No Nivelamento Geométrico determinou-se um novo dimensionamento estrutural, com as secções de 15 quilômetros em média e as visadas de 50 metros no máximo; - Na Gravimetria passou a ser recomendado o espaçamento de 4 a 10 quilômetros, e o Datum deveria estar ligado à Rede Gravimétrica Mundial. O Engenheiro Geógrafo (em Portugal não chamam de Engenheiro Cartógrafo, como atualmente no Brasil) João Campinos, participou deste Grupo de Estudos e foi Membro Fundador da Junta Autônoma de Estradas de Angola, cujo Presidente era o Engenheiro Rego Cabral. A 23 de março de 1967, o Huambo (Nova Lisboa), segundo o batismo de Vicente Ferreira comemorou o Centenário do seu Egrégio Fundador Norton de Matos. O Decreto Lei de Nº , de 11 de junho de 1967, instituiu a Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, com reflexo para as ações no Ultramar. Neste mesmo ano na Mangunja (Caala) foi projetada e construída, com o apoio da Geologia uma base de aferição para fios de ínvar, de aproximadamente 960 metros, permitindo maior rigor na adoção da medição clássica das bases. No Cuima, foi reconhecida uma base de aferição para distanciômetros eletromagnéticos e eletroóticos (telurômetros e geodímetros), que abriu as portas à basimetria moderna. Sobre a Estrada de Ferro de Moçâmedes, foi feito o apoio geodésico-cartográfico, na sua Variante Norte (Serra de Chela), entre Sá Bandeira (Lubango) e Vila Arriaga (Bibala), permitindo o escoamento do minério de ferro de Cassinga. No Cubango, ao longo da fronteira com a Namíbia, na época Sudoeste Africano, foi feito o apoio geodésico. A Portaria de Nº , de 04 de junho de 1968, deu flexibilidade aos quadros da MGA, onde seus Engenheiros eram assim distribuídos: Triangulação e Bases (4); Astronomia (2); Nivelamento (4); Gravimetria (1) e em Lisboa (2), que junto com (8) Auxiliares e etc perfaziam um total de 235 pessoas. A Campanha em Angola utilizou os seguintes equipamentos: - Na Triangulação teodolitos T3, torres Bilby, candeeiros, lanternas, faróis e heliógrafos de várias marcas e modelos; - Na Astronomia Askania AP 70, cronômetros Nardin e Thraughton, cronógrafo Brillié, receptor Hallycrafters e teodolito Wild T3; - Bases fio invar; - Nivelamento níveis Wild N3 e miras Wild e

4 - Na Graviemtria gravímetro Worden-Master. O Boletim Oficial de Angola, de 03 de março de 1969 publicou o Decreto Nº , onde aprovou-se uma nova Lei Orgânica para os Serviços Geográficos e Cadastrais de Angola e Moçambique, para agilizar os trabalhos de cartografia, fotogrametria e geodésia dentro de uma nova política cartográfica para a região. O Decreto Nº 463, de 08 de outubro de 1970 da Junta de Investigação do Ultramar, assinado por Silva Cunha, visava a modernização da estrutura dos Institutos de Investigação Científica de Angola e Moçambique, inclusive na área de informática. Em 1979, o Institut Géographique National IGN da França realizou uma cobertura aérea no Arquipélago de Cabo Verde, na escala de 1: na Ilha de Santiago e de 1: para o restante das Ilhas. O IGN também procedeu vôos aerofotogramétricos sobre as cidades de Praia e do Mindelo, na escala de 1:6.000, das quais resultaram em cartas topográficas nas escalas de 1:2.000, 1:5.000 e 1:10.000, que foram confeccionadas na Projeção Universal Transversa de Mercator, com o Elipsóide Internacional de Hayford. Com o lançamento do satélite francês de sensoriamento remoto SPOT, em 22 de fevereiro de 1986, a bordo do foguete Ariane, na base em Kouru, na Guiana, a Cartografia Africana ganhou um novo rumo. A primeira imagem do SPOT foi uma cena colorida de Djebel Amour, na Argélia obtida em 23 de fevereiro de Vários Países Africanos, passaram a ter uma Cartografia Espacial Informatizada e vários convênios foram estabelecidos com o Centre National d Études Spatiales CNES (1988 a,b), a saber: - Departamento de Pesquisa da Líbia, triangulação espacial e restituição fotogramétrica de 136 cenas do SPOT, em aparelhos analíticos, para a elaboração de cartas nas escalas de 1: e 1: ; - Estudo de imagens do SPOT, na avaliação de áreas propícias ao aumento de culturas de camarões na Costa Noroeste da Ilha de Madagascar com apoio financeiro da FAO Órgão das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, com sede em Roma, na Itália (que possui um importante Centro de Sensoriamento Remoto, visitado pela autora abril de em 1987), e realizada pelo Institut Français Pour l Exploitation des Mers IFREMER; - Estudo de imagens do SPOT de áreas geológicamente favoráveis a exploração de águas subterrâneas visando o desenvolvimento turístico e urbano da Pequena Costa de Dakar no Senegal, com a Société Nationale d Exploitation des Explotation des Eaux du Sénégal. Foram mapeadas com sucesso toda a rede de fraturas geológicas da região; - Interpretação de Imagens do SPOT no inventário de uso agrícola da Região de Koundara na República da Guiné, com mapeamento na escala de 1: Essas operações cartográficas foram patrocinadas pela Caisse Centrale de Coopération Économique - CCCE; - Cartografia Digital de Imagens de SPOT, para classificar e avaliar os sistemas de rizicultura (plantações de arroz) às margens do Lago Alaotra, na Ilha de Madagascar, na escala de 1:15.000; - Gestão do perímetro agrícola sensível às inundações na Planície do Gharb, no Marrocos, a partir de imagens do SPOT, nas escalas de 1: e 1: ; - Projeto SOSPAT Sistema de Observações Estatísticas e de Previsões Agrícolas por Sensoriamento Remoto, na Zona Saheliana do Níger. Entende-se por Sahel a região de transição entre o Deserto do Saara e a África Tropical; - Cartografia geológica e mineral do Cobre no Zimbabue, na Bacia do Lomagundi, com o Zimbabwe Mining Developing Corporation e - Prospecção e avaliação de águas subterrâneas em Botsuana, com mapeamento a partir de imagens do SPOT, na escala de 1: CARTOGRAFIA BRASILEIRA NA ÁFRICA A Cartografia Brasileira, a Maior Cartografia Tropical do Mundo e a Maior Ex-Colônia Portuguesa até 07 de setembro de 1822, quando o Brasil tornou-se independente, preocupa-se com a África, e com todos os Países da América do Sul. Apesar da natural proximidade com os Países Lusófonos, o Brasil Considera-se Irmão de Todos os Africanos de todas as Línguas e Nações. Assim como, o Continente Africano o Brasil é atravessado pelo Trópico de Câncer, Linha do Equador e Trópico de Capricórnio. O Brasil é o Maior País Afrodescendente do Mundo, em função de seu passado histórico. Em termos geológicos o Brasil também é irmão da África, o Litoral Atlântico Brasileiro, possui a mesma forma da Costa Ocidental Atlântica Africana que formava o grande Continente de Gondwana, aspecto já mencionado na página 18 quando a Autora trata da hidrografia africana. O Professor Cêurio de Oliveira (1988), Cartógrafo do IBGE e Titular de Cartografia da UERJ, tendo sido um dos membros Fundadores do Curso de Engenharia Cartográfica, daquela Universidade, esteve a partir de 1971, em Missão Cartográfica na Nigéria pela ONU. Esta Missão durou 3 anos.

5 Sentindo a necessidade de maior integração entre o Brasil e a África em termos de Cartografia, em abril de 1987 com reuniões que aconteceram em Brasília, Curitiba e Rio de Janeiro, foi criada a Associação dos Países de Expressão Portuguesa ACAPEP, cujo primeiro Presidente foi o Ex-Diretor da Diretoria de Hidrografia e Navegação - DHN e Ex- Secretário Executivo da Comissão de Cartografia COCAR, Almirante Hidrógrafo, natural de João Pessoa, na Paraíba, Múcio Piragibe Ribeiro de Bakker, já com a designação de Associação Cartográfica dos Países de Língua Oficial Portuguesa ACAPLOP, teve eleito como segundo Presidente, o Engenheiro Geógrafo Português Elvino Dias Duarte do antigo Instituto Geográfico Cadastral - IGC, atual Instituto Português de Cartografia e Cadastro IPCC, na Reunião de Lisboa, em novembro de Na ocasião o Chefe da Delegação Brasileira e Representante da COCAR, foi o Engenheiro Cartógrafo Afrodescendente Jairo Capistrano da Silva, que trabalha no Museu de Astronomia do Observatório Nacional/ CNPq, é Colega da Autora da Turma Regime de Crédito da UERJ. De acordo com os Estatutos provisórios da ACAPEP: - no Artigo 1º no que tange à sua Constituição: - A ACAPEP é uma Associação técnico-científica na área das geociências, que congrega todos os países de expressão portuguesa: Angola, Brasil, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe. - no Artigo 2º no que tange aos Objetivos: - Estreitamento dos laços de amizade e solidariedade nesta área tecnológica vital para o desenvolvimento sócio-econômico; - Desenvolvimento das metodologias cartográficas, uniformizando, sempre que possível, os sistemas e técnicas de trabalho de acordo com os padrões internacionalmente aceitas; - Intercâmbio de experiências e informações de Geografia, Cartografia, e Ciências afins, inclusive no que se refere ao ensino e investigação científica e - Incentivar a cooperação de modo a fomentar e dinamizar a infra-estrutura de qualquer Programa Nacional de Desenvolvimento. - No Artigo 3º no que tange a Área de atuação: - À área de atuação será a das Geociências, com ênfase para a cartografia topográfica, náutica, a aeronáutica, temática, (incluindo o cadastro), espacial e especial. A Engenheira Eliane Alves da Silva trabalhou como Assessora da COCAR, cedida parcialmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, no Escritório no Rio de Janeiro, no Prédio da Geofísica do Observatório Nacional/CNPq, chefiado pelo Engenheiro Cartógrafo James Henrique Macêdo, para tratar desses assuntos de 1988 até junho de 1990, quando todos os funcionários inexplicavelmente, foram colocados em disponibilidade e a COCAR desativada. Atualmente, a Engenheira Eliane tenta reativar este importante organismo internacional, através de contatos com o Ministério das Relações Exteriores, Embaixada do Brasil em Cabo Verde, Embaixada do Brasil em Moçambique, Embaixada do Brasil em Portugal, Embaixada de Angola no Brasil, Embaixada de Moçambique no Brasil e contatos com Engenheiros de Cabo Verde e de Moçambique, por via eletrônica. Como resultados destes contatos da ACAPLOP, existem hoje em Portugal mais de trinta trabalhos de Engenheiros Cartógrafos Brasileiros, homens e mulheres, civis e militares, publicados nas Revistas do Instituto Geográfico e Cadastral - IGC e do Instituto Português de Cartografia e Cadastro - IPCC, em Lisboa, que a Autora visitou em setembro de O Vice Diretor do IPCC, o Engenheiro Geógrafo João Manuel Agria Torres, esteve no Brasil em 1997, para assistir ao CBC e a Conferência da IAG, que tiveram lugar no Rio Centro. O Engenheiro Jafar Daude Mussa, Ex- Diretor da Direção Nacional de Geografia e Cartografia DINAGECA, em Maputo, Capital de Moçambique, esteve por duas vezes no Brasil, participando como convidado de Congressos Brasileiros de Cartografia. Numa de suas visitas, em companhia da Engenheira Eliane Alves da Silva, visitou a sede da SBC, no Rio de Janeiro, onde foi condecorado pelo Professor Placidino Machado Fagundes com a Ordem do Mérito Cartográfico, estiveram também, no Instituto de Cartografia Aeronáutica ICA, no Aeroporto Santos Dumont e na Diretoria de Hidrografia e Navegação DHN, em Niterói. Além do DINAGECA, existe em Maputo, no mesmo prédio outro órgão de cartografia moçambicano, que é a CENACARTA, que desenvolve atividades de Sensoriamento Remoto. Nos anos 80 os seguintes Engenheiros Cartógrafos Brasileiros trabalharam na África: formado pela UERJ, Ex- Professor da Universidade Estadual Paulista UNESP, Campus de Presidente Prudente e Ex- Aluno do ITC da Holanda, Lúcio Muratori Graça (Angola); graduado pela UERJ, Ex- Professor da Universidade Federal do Paraná - UFPR, Ex-Aluno do Mestrado do Observatório Nacional/CNPq, Professor Doutor Associado da New Bruwisnk University, no Canadá, Marcelo Carvalho Santos (Líbia), também Colega de Turma da Autora na UERJ e o Ex- Aluno do Instituto Militar de Engenharia - IME, Ex- Professor de Fotogrametria da UERJ e Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Cartografia - SBC, Ex- Diretor de Cartografia do Planalsucar-IAA/Instituto de Açúcar de do Álcool, Ex-Diretor de Cartografia da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste - SUDENE, Ex- Diretor de Cartografia da PROSPEC Engenharia,

6 Presidente da Geomática, Paulo Eurico de Mello Tavares (Ex-Professor de Fotogrametria da Autora e colaborador da mesma em sua Dissertação de Mestrado na UFRJ). Antes de voltar do exílio, em meados dos anos 70, o Emérito Professor da USP, natural da Bahia, Geógrafo Milton Santos, trabalhou em Dar Es Salaam, Capital da Tanzânia. Ele foi Professor da Autora no Mestrado na UFRJ. No início de abril de 1988, regressando de viagens à Argentina, Cuba e Nicarágua, o Presidente de Moçambique Joaquim Chissano foi recebido no Brasil pelo então Presidente da República José Sarney (atual Senador pelo Amapá), pelo General Ivan de Souza Mendes, Chefe do Serviço Nacional de Informações SNI e pelo Chanceler e Ex-Governador do Estado de São Paulo, Abreu Sodré e pelo Secretário- Geral do Itamaraty Paulo Tarso Flecha de Lima, Ex- Embaixador em Washington e atual Embaixador do Brasil, em Roma. Em setembro de 1989, a Engenheira Eliane Alves da Silva participou do Curso de Conferências BRASIL ÁFRICA Comércio e Navegação no Século XIX, ministrado nas dependências do Serviço de Documentação Geral da Marinha, que contaram dentre outras personalidades com a Professora Isa Adonias, na época Chefe do Serviço de Documentação e Mapoteca do Itamaraty e da Professora Doutora Maria Emília Madeira Santos, a quem a Autora visitou no Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga, do qual é Diretora, na então sede no Castelo do Marquês de Val Flor, em Lisboa, em agosto de 1990, com sua irmã, a Afrodescendente, Capitão Heloisa Alves da Silva do Hospital Central da Aeronáutica. Datada de Luanda, 12 de junho de 1990, foi a carta do Major Álvaro da Paixão Franco, Diretor Nacional do Instituto de Geodésia e Cartografia de Angola Departamento de Desenvolvimento de Relações Internacionais, ligado ao Ministério da Defesa, de Luanda, capital da República Popular de Angola, dirigida à Engenheira Eliane Alves da Silva, onde agradecia a carta de 17 de maio daquele ano e desejava saber a respeito inclusive da futura reunião da ICA/ACI que teria lugar em Bournemouth, sul da Inglaterra, em setembro de Realizou-se em Tunis, capital da Tunísia, de 06 a 09 de dezembro de 1993, o Simpósio Internacional: Des Images Satellites Pour La Cartographie Et Les Systêmes D Information Géographique, sob os auspícios da ICA/ACI Comissão Técnica Cartographie Derivée Des Images Satellitaires, que tinha como presidente o Francês Dr. Bertrand Galtier; CNES; CNT Centre National de Télédétection, IGN; IUSM International Union for Survey and Mapping e da ISPRS - Société Internationale de Photogrammetrie et Télédétection. Os trabalhos no CNT foram abertos pelo Dr. Mohamed Mehdi Mlika Ministro do Meio Ambiente e da Gestão Territorial da Tunísia e pelo Dr. Galtier. O encerramento coube ao Dr. Ali Chaouch Ministro do Equipamento e da Habitação. A Engenheira Eliane Alves da Silva participou do Comitê Científico organizador deste evento dedicado ao Sensoriamento Remoto e a Tecnologia SIG Sistema de Informações Geográficas. Tendo como data, de Lisboa, 20 de junho de 1995, foi a carta de Sua Excelência, Ex-Presidente da República do Brasil, Ex- Embaixador do Brasil na Organização dos Estados Americanos - OEA, atual Governador do Estado de Minas Gerais, o Engenheiro Itamar Franco, ao tempo em que era Embaixador do Brasil em Portugal, dirigida a Engenheira Eliane Alves da Silva: Prezada Senhora, Apraz-me acusar recebimento de sua carta de 12 do corrente, acompanhada do artigo Soluções Cartográficas para problemas ambientais na Amazônia uma zona crítica, de sua autoria, publicada na Revista do Instituto Geográfico e Cadastral. Ao agradecer a amabilidade da remessa e parabenizá-la por sua contribuição para um melhor aproveitamento dos recursos ambientais na Amazônia, apresento minhas cordiais saudações. A Engenheira Eliane Alves da Silva, teve o prazer de conhecer o Presidente, o Engenheiro Itamar Galtiero Franco, em visita da Escola Superior de Guerra ESG, ao Palácio do Planalto, em Brasília, em junho de Os estagiários da ESG estavam sob o Comando do Tenente Brigadeiro do Ar Sérgio Xavier Ferolla, atual Ministro Presidente do Superior Tribunal Militar STM. Com a data Lisboa, de 04 de abril de 1997, foi a carta do ex-senador pelo Estado de Santa Catarina, Jorge Konder Bornhausen, ao tempo em que era Embaixador do Brasil em Portugal dirigida a Engenheira Eliane Alves da Silva: Prezada Senhora Professora, Muito agradeço sua correspondência do último dia 20, em que encaminha trabalho de sua autoria e informa sobre a criação, em abril de 1987, da Associação Cartográfica dos Países de Língua Oficial Portuguesa ACAPLOP, cujos trabalhos julga devem ser reativados. De fato, a constituição, em julho de 1996, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa CPLP, veio responder a uma demanda, sempre crescente, de cooperação entre os sete países, a qual vem sendo atendida pelo aumento da realização de

7 eventos multilaterais e, consequentemente, do intercâmbio setorial entre os países - membros. Entendo que uma das funções do Secretariado Executivo da CPLP, cuja sede se encontra em Lisboa, deva ser, justamente, o estímulo a esse intercâmbio. Assim sendo, encaminharei, com muito prazer, sua sugestão ã consideração de Sua Excelência o Senhor Doutor Marcolino Moco, Secretário Executivo da CPLP, com o pedido de que seja elaborada uma proposta aos países - membros da Comunidade para a convocação de reunião das Associações Cartográficas dos Sete, com vistas ao aumento da troca de informações e da cooperação no setor. A África do Sul depois de um atormentado boicote econômico, cultural e esportivo internacional, terminou com seu regime de discriminação institucionalizada aos Negros, em 1994 e libertou o maior Líder Negro de todos os tempos, Nelson Mandela, que veio a ser Sua Excelência, o Presidente da República e buscou durante seu mandato, integrar internamente e externamente o país mais rico da África através da expansão econômica do seu capital, investindo em sete países africanos. Mandela já esteve no Brasil por três vezes, a última em 2000, para tratar com o Governo Brasileiro de temas referentes a Conferência Contra o Racismo e Todas as Formas de Discriminação da ONU, que sediará este ano, no mês de agosto, em seu país. Mandela foi homenageado, em grande estilo, com um mega espetáculo de música popular em Londres em 29 de abril de 2001, que contou com a presença do Primeiro Ministro Tony Blair, em comemoração ao fim do regime de segregação racial na África do Sul. Em junho de 1997, a Engenheira Cartógrafa Eliane Alves da Silva teve a oportunidade de assistir a premiação (medalha, diploma, custeio de todas as despesas) e respectivas conferências dos Jovens Cartógrafos (África do Sul, o Diretor do Surveys and Land Information Cidade do Cabo, Engenheiro Charles Nqweniso Pateni, que apresentou o brilhante trabalho: The Role of Cartography In A Developing Country Like South Africa: A Look At The Need For Education Of Black Professional And Technical Cartographers To Drive The Mapping Process In South Africa In Fulfilment Of The Objectives Of The Reconstruction And Development Programme- RDP, Brasil - Professora Doutora Andréa Carneiro da UFPE, China, Índia e Irã), ocorrida em Estocolmo, na Suécia, durante a 18 th International Cartographic Conference - ICC, promovida pela International Cartographic Association - ICA/ACI. Pateni mostrou que a segregação racial teve seus reflexos não só na discriminação da População Negra, bem como nas atividades cartográficas empreendidas na África do Sul. O fim do apartheid significava que as áreas dos menos favorecidos seriam agraciadas com uma cartografia precisa, inclusive em termos de reambulação, quando os nomes corretos das áreas indígenas e de seus acidentes geográficos seriam corretamente mapeados, em termos de toponímia acabando com o eurocentrismo inclusive na cartografia. Os Cartógrafos Brancos tinham sido empregados como instrumentos efetivos, da implementação do preconceito racial. A formação de Cartógrafos Afrodescendentes reverterá essa situação, inclusive nos trabalhos de reambulação de áreas Indígenas e de áreas dos habitantes Negros, não só para manter a precisão das informações cotejadas, como também pela manutenção da toponímia original, preservando as culturas locais. Na ocasião, também apresentaram trabalhos pela África do Sul, os Professores da Universidade da África do Sul: pelo Departamento de Geografia Elri Lienberg e Departamento de Meio Ambiente, A C Vlok. Em agosto de 1999, em Ottawa, no Canadá, durante a Reunião da ICA/ACI, Durban (África do Sul), ganhou o direito de sediar pela primeira vez em solo africano uma de suas reuniões internacionais, em A Conferência de 2001 onde a Autora espera comparecer, terá lugar em Beijing, na China. Outro trabalho interessante apresentado em Estocolmo, foi o do Tanzaniano da Divisão de Mapeamento e Pesquisa de Dar Es Salaam L. Vincenty Mtaroni, a saber: Education and training in cartography. Para o Dr. Mtaroni Geralmente, qualquer pessoa pode elaborar um lindo mapa. A confecção de um mapa poderá certamente ir de encontro as demandas da sociedade atual, com qualidade e tecnologia adequada, as necessidades atuais exigem maior criatividade e entendimento de todos os aspectos que envolvem a elaboração de um mapa, de modo que venha a ser cada vez mais aceito nos meios acadêmicos.- Oficina de Mapeamento da População Nacional - Associação Cartográfica da Tanzânia, abril de O treinamento em cartografia teve início em Tabora, na Tanzânia, em 1989, embora os Cartógrafos recebam instrução desde os tempos da independência em Atualmente, os cursos de formação levam dois anos, sendo que 35% dos Cartógrafos Tanzânianos curso de Informática e apenas 1,33% nível superior. É pequena a infra estrutura na área de formação de pessoal em Cartografia. A Tanzânia começou a ser mapeada pelos colonizadores ingleses, em 1914, em plena Guerra Mundial. A necessidade de mapear-se com mais precisão tornou-se imperiosa durante a Segunda Guerra Mundial, o mapeamento era feito no Casino dos Oficiais, primeiro a cargo dos Ingleses a Comissão de Mapeamento realizou suas atividades, depois passou a ser chefiada pelos Tanzânianos, mas a infra estrutura sempre foi precária. O computador pessoal só foi introduzido nas atividades cartográficas na Tanzânia em 1996, no Laboratório de Treinamento de Cartografia de Tabora, em Dar Es Salaam, onde vivem 3 milhões de habitantes. Em 1997, pelo Censo da Tanzânia, haviam 30 milhões de pessoas e 92% dos cartógrafos estão empregados no Ministério das Terras,

8 sendo que 47% estão lotados na capital Dar Es Salaam, destes 80% dedicam-se ao levantamento cadastral. Objetivando o suprimento da falta de cartografia, a Tanzânia tem celebrado convênios com empresas locais, tipo: BP Mapa da Tanzânia por Mshasha Enterprises; Mapa Turístico da Tanzânia por TTC Ltd e Mapa Guia da Cidade de Dar Es Salaam. A Tanzânia precisa de recursos externos do tipo que obtiveram para comparecer a 18th International Cartographic Conference, em Estocolmo, em junho de De Brasília, 28 de novembro de 1997, foi a carta do Embaixador José Fiuza Neto, Chefe, substituto da Divisão de África II do Ministério da Relações Exteriores, a Engenheira Eliane Alves da Silva: Incumbiu-me o Senhor Ministro de Estado das Relações Exteriores, Embaixador Luiz Felipe Lampreia, de responder sua carta de 10 de novembro do corrente. De início, gostaria de agradecer-lhe o envio das atas das reuniões da Associação Cartográfica dos Países de Língua Portuguesa (ACAPLOP), bem como do relatório de atividades e do artigo da ICA Newsletter referente a Associação. Congratulo-me, igualmente com Vossa Senhoria pela iniciativa de reativar a Associação, criada há mais de uma década, e que seria extremamente oportuna à luz do intenso dinamismo que as relações entre os países lusófonos vieram a ganhar nos últimos anos. Refiro-me, de maneira específica, à criação, em julho de 1996, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que conferiu moldura institucional aos laços de cooperação e amizade há muito existentes entre os países de expressão oficial portuguesa. A CPLP tem sua razão de ser assentada em três pilares programáticos: coordenação político - diplomática; promoção da cooperação técnica e; defesa e valorização da língua portuguesa. Assinalo, por oportuno, que, conquanto seja um projeto de Governos, os objetivos da Comunidade têm a ver sobretudo com iniciativas oriundas das sociedades civis dos sete países, de que é exemplo, entre outras congêneres, a ACAPLOP. Assim, permito-me enviar-lhe, a par dos endereços das Embaixadas Brasileiras nos Países Lusófonos e das destes Países no Brasil, o do Secretariado - Executivo da CPLP em Lisboa, que poderá ser de alguma utilidade para seu projeto... Após contatos telefônicos, datada de Praia, de 21 de dezembro de 1998, a Engenheira Eliane Alves da Silva, recebeu Carta o Engenheiro Cartógrafo Georgino M. da Cruz - Presidente do Serviço Nacional de Cartografia e Cadastro SNCC, ligado ao Ministério da Defesa Nacional da República de Cabo Verde. No referido documento o Dr. Cruz, dirigindo-se a Dra. Eliane nos primeiros parágrafos: Gostaria de felicitar a V. Excia pela excelente iniciativa em fazer avançar tão nobre projecto que é a reorganização da ACAPLOP, por forma a criar condições para melhor intercâmbio entre a grande família de técnicos e especialistas da área de cartografia da CPLP Queria informar à V. Excia que da parte do SNCC existe todo o interesse em apoiar e participar nas iniciativas e projectos que visam promover a cooperação técnica e científica entre nossas instituições cartográficas e contribuir para o desenvolvimento durável das nossas comunidades e países. No segundo semestre de 1999, aconteceu, na Cidade de Cotonu, no Benin, sob os auspícios do Grupo de Trabalho VI/3 International Co-operation and Technology Transfer da International Society for Photogrammetry and Remote Sensing ISPRS, da African Association for Remote Sensing of the Environment AARSE, do Benin Centre National de Telédétéction et de Surveillance du Couvert Forestier, do United Nations Office for Outer Space Affairs e do Ministério do Desenvolvimento Rural do Benin, a reunião Promoting Space Technology Transfer in Africa, organizada pelo Diretor do CENATEL e Delegado da AARSE, Dr. Vincent Mama e pelo Professor Heinz Rüther, Tesoureiro da ISPRS e membro do Conselho da ISPRS responsável pelas atividades da ISPRS na África. Compareceram ao conclave 120 delegados pertencentes a 19 países africanos, que foi aberto pelo Dr. Adigun Abiodun uma das maiores autoridades em Sensoriamento Remoto da África, que mostrou a importância dessas atividades, na área da educação e que precisam ser financiadas, pois apesar dos esforços poucos países do continente tem desenvolvidos atividades no setor. Segundo Dr. Abiodun das seis estações rastreadoras de imagens de satélites da África, somente a de Hartebeesthoek, nas proximidades de Johannesburg, na África do Sul, funciona plenamente. A Conferência recomendou que para 2001, seja realizado um Simpósio denominado: Educação e Transferência de Tecnologia Espacial e na Área de Geomática. No dia 10 de março de 1999, a Governadora em Exercício do Estado do Rio de Janeiro Afrodescendente Benedita da Silva, assinou Decreto de posse da terra aos Afrodescendentes do Quilombo de Campinho da Independência, em Parati, Sul Fluminense, uma área de 287, 94 hectares, para uma comunidade que reúne 85 famílias. O Governador do Estado de São Paulo, o Engenheiro Mário Covas fez o mesmo em 17 de janeiro de De 07 a 10 de dezembro de 2000, durante os festejos dos 500 Anos do Brasil e dos seus 120 Anos, o Clube de Engenharia, localizado no Centro do Rio de Janeiro, realizou as Jornadas de Engenharia dos Países de Língua Oficial Portuguesa, com representantes de Angola, Brasil, Moçambique e Portugal. A Engenheira Eliane Alves da Silva, a convite do Ex- Presidente do CREA-RJ Engenheiro Ar-

9 ciley Alves (sua carteira de registro no CREA-RJ foi assinada por ele), Membro da Comissão Organizadora participou do evento, onde distribuiu o trabalho A História da Cartografia Brasileira 500 Anos do Descobrimento do Brasil Pelos Portugueses, apresentado durante o Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros CBPN, realizado na Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, em Recife, em Pernambuco, em novembro daquele mesmo ano. O plenário votou que a próxima Jornadas de Engenharia, será em Maputo, Moçambique, onde esperamos comparecer. Este trabalho foi enviado à todas as Embaixadas os Países Africanos no Brasil. Com a data de Lisboa, 10 de abril de 2001, o General e Embaixador do Brasil em Portugal, Synesio Sampaio Goes Filho é a carta endereçada a Engenheira Eliane Alves da Silva: Prezada Sra. Eliane Alves da Silva Recebi seu trabalho sobre a Cartografia da África que li com todo interesse. Quanto a palestra que fiz no IHGB, tenho um texto parecido, que foi publicado numa revista local, que tenho o prazer de lhe enviar. Não sabemos qual é a Política Cartográfica Norte-Americana para a África, mas espera-se que a administração Bush logre sucesso, principalmente com a escolha do Afrodescendente Secretário de Estado, o General de Exército da Reserva Remunerada Colin Powell.

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Cascais, 23 de junho de 2015 Declaração de Cascais Os Ministros responsáveis pela Energia da Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa

Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa Índice 1. Países de Língua Portuguesa/Comunidade de Países de Língua Portuguesa 1.1 Potencialidades da Espaço Lusófono 1.2 Comunidades Económicas Regionais

Leia mais

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África

GEOGRAFIA BÁSICA. Características Gerais dos Continentes: África GEOGRAFIA BÁSICA Características Gerais dos Continentes: África Atualmente temos seis continentes: África, América, Antártida, Europa, Ásia e Oceania. Alguns especialistas costumam dividir o planeta em

Leia mais

5ª REUNIÃO TEMÁTICA AMÉRICA DO SUL E CARIBE GEOPOLÍTICA E ORGANISMOS MULTILATERAIS

5ª REUNIÃO TEMÁTICA AMÉRICA DO SUL E CARIBE GEOPOLÍTICA E ORGANISMOS MULTILATERAIS ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO 7ª SCH- POLÍTICA E ESTRATÉGIA 5ª REUNIÃO TEMÁTICA AMÉRICA DO SUL E CARIBE GEOPOLÍTICA E ORGANISMOS MULTILATERAIS 01 Julho 15 O PROTAGONISMO BRASILEIRO NO SEU ENTORNO ESTRATÉGICO

Leia mais

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental I. Contexto Criada em 1996, a reúne atualmente oito Estados Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique,

Leia mais

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL MESA DA ASSEMBLEIA GERAL Informação a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 289.º do Código das Sociedades Comerciais FRANCISCO XAVIER ZEA MANTERO é natural de Lisboa, onde nasceu em 25 de Dezembro

Leia mais

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA Por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP e das associações empresariais dos PALOP, realizou-se em Luanda, República de Angola, a 17 de Julho de 2014, o Fórum

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP

REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP REGIMENTO INTERNO DA REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA - CPLP A Reunião dos Ministros da Saúde da CPLP tendo em consideração: A sua qualidade de órgão da CPLP,

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP

PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP PAZ, FRAGILIDADE E SEGURANÇA A AGENDA PÓS-2015 E OS DESAFIOS À CPLP 7 Maio 10 Horas NÚCLEO DE ESTUDANTES DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS ORGANIZAÇÃO: COM A PARTICIPAÇÃO: Paz, Fragilidade e Segurança A A G E

Leia mais

Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997.

Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997. África do Sul Nasceu em Recife em 1921 e faleceu em 1997. É considerado um dos grandes pedagogos da atualidade e respeitado mundialmente. Embora suas idéias e práticas tenham sido objeto das mais diversas

Leia mais

MRE ABC CGRM CGPD CGRB

MRE ABC CGRM CGPD CGRB 1 Organograma da ABC MRE ABC CGRM CGPD CGRB 2 Competências da ABC Coordenar, negociar, aprovar e avaliar a cooperação técnica internacional do país. Coordenar todo o ciclo da cooperação técnica internacional

Leia mais

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza).

É o estudo do processo de produção, distribuição, circulação e consumo dos bens e serviços (riqueza). GEOGRAFIA 7ª Série/Turma 75 Ensino Fundamental Prof. José Gusmão Nome: MATERIAL DE ESTUDOS PARA O EXAME FINAL A GEOGRAFIA DO MUNDO SUBDESENVOLVIDO A diferença entre os países que mais chama a atenção é

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Colégio Senhora de Fátima

Colégio Senhora de Fátima Colégio Senhora de Fátima A formação do território brasileiro 7 ano Professora: Jenifer Geografia A formação do território brasileiro As imagens a seguir tem como principal objetivo levar a refletir sobre

Leia mais

WP Council 185/08. 9 setembro 2008 Original: inglês/francês. Conselho Internacional do Café 101 a sessão 22 26 setembro 2008 Londres, Inglaterra

WP Council 185/08. 9 setembro 2008 Original: inglês/francês. Conselho Internacional do Café 101 a sessão 22 26 setembro 2008 Londres, Inglaterra WP Council 185/08 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café 9 setembro 2008 Original: inglês/francês P

Leia mais

África. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 30. www1.folha.uol.com.br

África. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 30. www1.folha.uol.com.br África Acredita-se que a situação atual da África seja resultado da maneira em que foi colonizado pelos Europeus. Por meio de colônia de exploração de recursos mineiras, separação dos territórios tribais

Leia mais

40 Anos de Internacionalização A Experiência de uma Empresa de Engenharia

40 Anos de Internacionalização A Experiência de uma Empresa de Engenharia A Experiência de uma Empresa de Engenharia Victor Carneiro Presidente da Comissão Executiva da COBA www.coba.pt Fundada em 1962, a COBA, S.A0 é hoje uma das maiores empresas de Consultores de Engenharia

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010

PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROVA DE GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROF. FERNANDO NOME N o 9 o ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 5.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 5.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE ESTUDO I ETAPA LETIVA GEOGRAFIA 5.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados na

Leia mais

Fórum de Diálogo IBAS

Fórum de Diálogo IBAS Fórum de Diálogo IBAS, e do Sul Integração SUL-SUL Fórum de Mulheres FÓRUM De DIÁLOGO IBAS, e do Sul O Fórum IBAS é uma iniciativa trilateral entre, e do Sul, desenvolvida para promover a cooperação Sul-

Leia mais

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão Alexandre Panosso Netto Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Fábia Trentin Departamento

Leia mais

ACP-MEAS CD4CDM São Tomé e Príncipe Quarto Workshop Nacional São Tomé, 11-12 de Setembro, 2013. Vintura Silva Team Leader, CRC Lomé

ACP-MEAS CD4CDM São Tomé e Príncipe Quarto Workshop Nacional São Tomé, 11-12 de Setembro, 2013. Vintura Silva Team Leader, CRC Lomé Novas iniciativas do Secretariado da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (CQNUMC) para facilitar o acesso ao MDL em países africanos: Centros Regionais de Colaboração (CRC) ACP-MEAS

Leia mais

Alecleide de Sousa Série: 6ª alecleide_27@hotmail.com

Alecleide de Sousa Série: 6ª alecleide_27@hotmail.com Formação do Estado e do território Alecleide de Sousa Série: 6ª alecleide_27@hotmail.com Sociedade humana kei É um conjunto de pessoas Que vivem em determinado espaço e tempo e de acordo com certas regras

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Geografia Série: 8ª Ensino Fundamental Professores: Carlos Afonso e Daniel Geografia Atividades para Estudos Autônomos GABARITO Data: 28 / 9

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

1º ENCONTRO DOS ESTUDANTES AFRICANOS EM BRASÍLIA

1º ENCONTRO DOS ESTUDANTES AFRICANOS EM BRASÍLIA 1º ENCONTRO DOS ESTUDANTES AFRICANOS EM BRASÍLIA Introdução: A Universidade de Brasília (UNB) e o Centro de Convivência Negra (CCN) em parceria com os estudantes africanos organizam o 1º Encontro dos estudantes

Leia mais

implementação do Programa de Ação para a Segunda Década de Combate ao Racismo e à Discriminação Racial,

implementação do Programa de Ação para a Segunda Década de Combate ao Racismo e à Discriminação Racial, 192 Assembleia Geral 39 a Sessão suas políticas internas e exteriores segundo as disposições básicas da Convenção, Tendo em mente o fato de que a Convenção está sendo implementada em diferentes condições

Leia mais

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao.

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao. QUEM É A HUAWEI A Huawei atua no Brasil, desde 1999, através de parcerias estabelecidas com as principais operadoras de telefonia móvel e fixa no país e é líder no mercado de banda larga fixa e móvel.

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 MISSÃO EMPRESARIAL ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 ANGOLA Com capital na cidade de Luanda, Angola é um país da costa ocidental de África, cujo território principal é limitado a norte

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 1. Do objeto: O Ministério das Relações Exteriores (MRE), por intermédio do Departamento Cultural (DC), a Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA. Aula 10.2 Conteúdo: Guianas.

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA. Aula 10.2 Conteúdo: Guianas. Aula 10.2 Conteúdo: Guianas. 2 Habilidades: Observar as limitações das Guianas e suas ligações com o Brasil. 3 Colômbia 4 Maior população da América Andina. Possui duas saídas marítimas: Para o Atlântico

Leia mais

2011 / Portugal 2012 / Brasil. 2013 / Angola. 2014 / Cabo Verde

2011 / Portugal 2012 / Brasil. 2013 / Angola. 2014 / Cabo Verde 2011 / Portugal 2012 / Brasil 2013 / Angola 2014 / Cabo Verde Índice: - Porquê GetOut? - O Congresso do Empreendedor Lusófono - Angola - Missão ao Congresso Porquê GetOut? Portugal: Crescimento económico

Leia mais

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo)

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Regimento Interno UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Artigo 1º - O NEED, Núcleo de atividades, estudos e pesquisa

Leia mais

III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE. Díli, Timor-leste. 20 a 23 de Setembro de 2011

III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE. Díli, Timor-leste. 20 a 23 de Setembro de 2011 III ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA CPLP (AP CPLP) PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE Díli, Timor-leste 20 a 23 de Setembro de 2011 1 Enquadramento Teve lugar, em Díli (República Democrática de Timor - Leste),

Leia mais

2. A A FO F R O M R AÇ A ÃO Ã

2. A A FO F R O M R AÇ A ÃO Ã 2. A FORMAÇÃO TERRITORIAL DO BRASIL 2.3 A cartografia e a definição das fronteiras no Brasil. 2.2 Os grandes eixos de ocupação do território e a cronologia do processo de formação territorial. 1 GPS: Global

Leia mais

Programa Integração com a África

Programa Integração com a África Programa Integração com a África Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Junho/2010 Gestor: Roberto Alvarez Gerente Internacional (ABDI) Situação atual (2010):

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP)

REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP) REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM IST, VIH E SIDA (RIDES IST - SIDA CPLP) 1 REDE DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE DA COMUNIDADE DE

Leia mais

DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE

DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE 2008: Promulga o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República da África do Sul no Campo da Cooperação Científica e Tecnológica,

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Estatutos da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estatutos da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Estatutos da (com revisões de São Tomé/2001, Brasília/2002, Luanda/2005 e Bissau/2006) Artigo 1º (Denominação) A, doravante designada por CPLP, é o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento

Leia mais

Exercícios sobre África: Características Físicas e Organizações Territoriais

Exercícios sobre África: Características Físicas e Organizações Territoriais Exercícios sobre África: Características Físicas e Organizações Territoriais 1. Observe o mapa a seguir. As partes destacadas no mapa indicam: a) Áreas de clima desértico. b) Áreas de conflito. c) Áreas

Leia mais

CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL

CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL CPLP VII REUNIÃO DE MINISTROS DA EDUCAÇÃO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Luanda, 30 de Março de 2012 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros da Educação, ou os seus representantes, de Angola, Brasil,

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG.

Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG. Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG. Competências da Divisão: Tratamento político dos temas educacionais nos fóruns multilaterais

Leia mais

A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz

A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz Estamos certamente acostumados a ouvir a indicação horário de Brasília quando a hora é anunciada na rádio. Esta indicação refere-se

Leia mais

ÁFRICA: ESPAÇO GEO(FÍSICO, ECONÔMICO, POLÍTICO); CARACTERÍSTICAS GEOAMBIENTAIS E GEOPOLÍTICAS

ÁFRICA: ESPAÇO GEO(FÍSICO, ECONÔMICO, POLÍTICO); CARACTERÍSTICAS GEOAMBIENTAIS E GEOPOLÍTICAS ÁFRICA: ESPAÇO GEO(FÍSICO, ECONÔMICO, POLÍTICO); CARACTERÍSTICAS GEOAMBIENTAIS E GEOPOLÍTICAS INFORMAÇÕES GERAIS LIMITES: Norte: mar Mediterrâneo Oeste: Oceano Atlântico Leste: oceano índico Zonas:

Leia mais

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa e é constituído por: Portugal Continental ou Peninsular (Faixa Ocidental da Península Ibérica) Parte do território

Leia mais

Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas

Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas sports Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas alternativas, tornando mais dinâmicas as possibilidades

Leia mais

Workshop Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agro-indústria. Luanda, 26.05.2014

Workshop Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agro-indústria. Luanda, 26.05.2014 Workshop Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agro-indústria Luanda, 26.05.2014 Agenda 1. Cenário Internacional 2. Formas de apoio 3. Estratégia de atuação na África Depto. de Suporte a Operações

Leia mais

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Causas da Hegemonia atual dos EUA Hegemonia dos EUA Influência Cultural: músicas, alimentações, vestuários e língua Poderio Econômico: 20% do PIB global Capacidade Militar sem

Leia mais

Introdução à Geodésia

Introdução à Geodésia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Disciplina: Leitura e Interpretação de Cartas Introdução à Geodésia Prof. Dr. Richarde Marques richarde@geociencias.ufpb.br

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. África

Professor Thiago Espindula - Geografia. África África A seguir, representação cartográfica que demonstra a localização da África, em relação ao mundo. (Fonte: www.altona.com.br) Europeus partilham a África A Conferência de Berlim, entre 1884 e 1885,

Leia mais

OFFICE OF THE SPECIAL ENVOY OF THE SECRETARY-GENERAL FOR THE GREAT LAKES REGION

OFFICE OF THE SPECIAL ENVOY OF THE SECRETARY-GENERAL FOR THE GREAT LAKES REGION OFFICE OF THE SPECIAL ENVOY OF THE SECRETARY-GENERAL FOR THE GREAT LAKES REGION Comunicado da Conferência de Consulta Regional sobre as Oportunidades de Investimento no Sector Privado da Região dos Grandes

Leia mais

DECLARAÇÃO DE LISBOA

DECLARAÇÃO DE LISBOA DECLARAÇÃO DE LISBOA A 2 de junho de 2014, em Lisboa, Portugal, por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP (CE-CPLP), em parceria com a CPLP, o Millennium BCP e a SOFID Sociedade para o Financiamento

Leia mais

Doing Business 2011 Dados Informativos Resumo das Reformas na África Subsaariana

Doing Business 2011 Dados Informativos Resumo das Reformas na África Subsaariana Doing Business 2011 Dados Informativos Resumo das Reformas na África Subsaariana Angola reduziu o tempo de comércio internacional fazendo investimentos em infraestrutura e administração portuárias. Áreas

Leia mais

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964.

ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. ACORDO BÁSICO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA Assinado no Rio de Janeiro, a 29 de dezembro de 1964. Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 11, de 1966. Entrada em vigor (art. 6º, 1º) a 2 de maio de 1966. Promulgado

Leia mais

Vidas cativas: uma biografia dos escravos envolvidos no plano de revolta de 1832 Campinas

Vidas cativas: uma biografia dos escravos envolvidos no plano de revolta de 1832 Campinas Vidas cativas: uma biografia dos escravos envolvidos no plano de revolta de 1832 Campinas Ricardo Figueiredo Pirola Mestrando UNICAMP No ano de 1832 foi descoberto em Campinas um plano de revolta escrava,

Leia mais

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes MEMORANDO DE ENTENDIMENTO SOBRE A COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, FEDERAÇÃO DA RÚSSIA, REPÚBLICA DA ÍNDIA, REPÚBLICA POPULAR DA CHINA E

Leia mais

VI REUNIÃO DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Maputo, 15 de Abril de 2014

VI REUNIÃO DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Maputo, 15 de Abril de 2014 VI REUNIÃO DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Maputo, 15 de Abril de 2014 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros responsáveis pela Ciência, Tecnologia

Leia mais

Expedição 1. 7º ANO_ PROFª BRUNA ANDRADE

Expedição 1. 7º ANO_ PROFª BRUNA ANDRADE Expedição 1. 7º ANO_ PROFª BRUNA ANDRADE O Brasil é considerado um país de dimensões CONTINENTAIS, pois sua área de 8.514.876 Km² é quase igual a do Continente Oceânico. Ele é o 5º país em extensão territorial

Leia mais

ESTATUTOS REVISTOS DO INSTITUTO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA. Artigo 1.º Objecto

ESTATUTOS REVISTOS DO INSTITUTO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA. Artigo 1.º Objecto Decreto n.º 19/99 Estatutos Revistos do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, adoptados na Praia, Cabo Verde, aos 17 de Julho de 1998, pelos Governos da República de Angola, da República Federativa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 2 DE JULHO PALÁCIO DO ITAMARATY BRASÍLIA

Leia mais

Regulamento de Criação e Funcionamento dos Grupos de Trabalho da Sopcom

Regulamento de Criação e Funcionamento dos Grupos de Trabalho da Sopcom Anexo Regulamento de Criação e Funcionamento dos Grupos de Trabalho da Sopcom Preâmbulo Os Estatutos da Sopcom são omissos relativamente à criação e funcionamento de Grupos de Trabalho, doravante designados

Leia mais

DIPLOMACIA Introdução

DIPLOMACIA Introdução DIPLOMACIA Introdução Ao longo dos tempos, o pensamento político e o pensamento jurídico sempre foram o reflexo das relações entre os homens, os povos, os Estados e as Nações. Foram se operando constantemente

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Artigo único Decreto n.º 18/97 Acordo de Cooperação no Domínio do Turismo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo dos Estados Unidos Mexicanos, assinado na Cidade do México em 6 de Novembro de 1996 Nos

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP

ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP INTRODUÇÃO A Agenda 21 Local é um instrumento de planejamento de políticas públicas que envolve tanto a sociedade

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br O Ensino de Sensoriamento Remoto, Sistema de Informações Geográficas e Fotogramentria nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Civil na UFSC LIA CAETANO BASTOS 1 ÉDIS MAFRA LAPOLLI 1 ANA MARIA

Leia mais

RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015

RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015 RELATÓRIO DO RESUMO DA ALMA 1º TRIMESTRE DE 2015 Introdução A África alcançou um ponto de viragem crítico na sua luta contra a malária este ano à medida que objectivos, estratégias e planos globais e regionais

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DOS PAÍSES MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA.

ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DOS PAÍSES MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Decreto n.º 20/99 Acordo de Cooperação entre Instituições de Ensino Superior dos Países Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, assinado na Praia, Cabo Verde, aos 17 de Julho de 1998, pelos

Leia mais

Seminário de Empreendedorismo nos Países de. Língua Oficial Portuguesa

Seminário de Empreendedorismo nos Países de. Língua Oficial Portuguesa Seminário de Empreendedorismo nos Países de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil Empreendedorismo Língua Oficial Portuguesa Dia 22 de Novembro de 2011

Leia mais

Capítulo 10 ABORDAGEM INTEGRADA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DOS RECURSOS TERRESTRES

Capítulo 10 ABORDAGEM INTEGRADA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DOS RECURSOS TERRESTRES Capítulo 10 ABORDAGEM INTEGRADA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DOS RECURSOS TERRESTRES Introdução 10.1. A terra costuma ser definida como uma entidade física, em termos de sua topografia e sua natureza

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BRASÍLIA CURITIBA PORTO ALEGRE RECIFE BELO HORIZONTE LONDRES LISBOA XANGAI BEIJING MIAMI BUENOS AIRES O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA DURVAL

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PROFESSOR: ADEMIR REMPEL SÉRIE: 8º

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL. Ciberespaço: Liderança, Segurança e Defesa na Sociedade em Rede

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL. Ciberespaço: Liderança, Segurança e Defesa na Sociedade em Rede INTERVENÇÃO DA SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL BERTA DE MELO CABRAL 7º EIN Simpósio Internacional Ciberespaço: Liderança, Segurança e Defesa na Sociedade em Rede Lisboa, Academia Militar,

Leia mais

Decreto n.º 17/2000 Acordo entre a República Portuguesa e a República de Cuba sobre Cooperação Cultural, assinado em Havana em 8 de Julho de 1998

Decreto n.º 17/2000 Acordo entre a República Portuguesa e a República de Cuba sobre Cooperação Cultural, assinado em Havana em 8 de Julho de 1998 Decreto n.º 17/2000 Acordo entre a República Portuguesa e a República de Cuba sobre Cooperação Cultural, assinado em Havana em 8 de Julho de 1998 Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 197.º da Constituição,

Leia mais

II Seminário Internacional do Programa Estudante Convênio PEC-G

II Seminário Internacional do Programa Estudante Convênio PEC-G II Seminário Internacional do Programa Estudante Convênio de Graduação PEC-G 28 a 30 de maio de 2008 Universidade Federal de Uberlândia Prof. Nivaldo Cabral Kuhnen Escritório de Assuntos Internacionais/UFSC

Leia mais

Soluções de Financiamento para a Internacionalização

Soluções de Financiamento para a Internacionalização Soluções de Financiamento para a Internacionalização por João Real Pereira Internacionalização para Moçambique Oportunidades e Financiamento 15 de Março de 2012 Braga Sumário 1. O que é a SOFID? Estrutura

Leia mais

CARDIOLOGIA EM PORTUGUÊS: UM SONHO PARA TORNAR REALIDADE?

CARDIOLOGIA EM PORTUGUÊS: UM SONHO PARA TORNAR REALIDADE? CARDIOLOGIA EM PORTUGUÊS: UM SONHO PARA TORNAR REALIDADE? CARDIOLOGY IN PORTUGUESE: A DREAM TO COME TRUE? Miguel Mendes (Portugal) 35º Congresso Português de Cardiologia 23 de maio de 2014 A expansão portuguesa

Leia mais

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A Palestra: História da Cana-de de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A ORIGEM DA CANA-DE-AÇÚCAR A cana-de de-açúcar é uma planta proveniente

Leia mais

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO Unidade 7 1. (V) a maior parte do relevo africano é formada de planaltos elevados, sem variações significativas em seu modelado. (F) por ter formações

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Estratégia da Comissão Nacional de Tecnologias de Informação Decreto nº. 6/02 de 4 de Abril Considerando que as tecnologias de informação constituem um elemento fundamental

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU NOS DOMÍNIOS DO EQUIPAMENTO, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES.

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU NOS DOMÍNIOS DO EQUIPAMENTO, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Decreto n.º 28/98 de 12 de Agosto Protocolo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República da Guiné-Bissau nos Domínios do Equipamento, Transportes e Comunicações, assinado em Bissau em 11 de

Leia mais

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA http://plataformabrioli.xpg.uol.com.br/historiaresumo/2ano/epopeialusitana.pdf http://blog.msmacom.com.br/familia-real-portuguesa-quem-e-quem-na-monarquia/

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR WILKER BARRE TO

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR WILKER BARRE TO PROJETO DE LEI 033/2015 ALTERA a denominação das ruas Carmem Sampaio e Frederico Fellini, na Vila Humaitá, bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul da cidade de Manaus e dá outras providências Art.1º

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA Pessoa Física

TERMOS DE REFERÊNCIA Pessoa Física TERMOS DE REFERÊNCIA Pessoa Física Coordenação Campanha Pequim+20 Localização: Prazo para candidatura: Tipo de contrato Nível do Posto Idioma(s) necessário: Data esperada de início: Data esperada de fim:

Leia mais

Bom dia. Muito Obrigado. Felicito hoje o significativo dia desta conferência na nossa cooperação de saúde.

Bom dia. Muito Obrigado. Felicito hoje o significativo dia desta conferência na nossa cooperação de saúde. Desenvolvimento Económico e Cuidados de Saúde da Coreia Bom dia. Muito Obrigado. Felicito hoje o significativo dia desta conferência na nossa cooperação de saúde. A Coreia agora ocupa o (décimo terceiro

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES

CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES SÉCULOS XV A XIX O CEDOPE tem como objetivo central constituir-se em centro de pesquisas relativas à história do universo

Leia mais

Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas

Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas sports Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas alternativas, tornando mais dinâmicas as possibilidades

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais