Conexões UFRRJ O de Saberes de Saber Conectando estudantes, tudant professor es e comunidades ofessor Grupos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conexões UFRRJ O de Saberes de Saber Conectando estudantes, tudant professor es e comunidades ofessor Grupos"

Transcrição

1 ANO 1 Nº 01 Setembro - Outubro 2008 EXTENSAO UFRRJ Conexões de Saberes Conectando estudantes, professores e comunidades Grupos organizados Diversidades culturais e regionais dentro da Rural Pré-Vestibular Estimulando o ingresso da comunidade ao ensino superior Projeto Assessorias Famílias de agricultores e seus produtos orgânicos Projeto Rondon Os estudantes e a realidade do país Qualificação Profissional Programa de capacitação para jovens e adultos Rural de Portas Abertas Arte, ciência e tecnologia abertas às comunidades vizinhas

2

3

4 PROJETO Conexões de Saberes Escola Aberta Em uma época de extrema contradição, como os dias de hoje, as universidades brasileiras abrem suas portas para adentrar as regiões carentes dos arredores, levando conhecimento e cidadania. Esta é a proposta do Projeto Conexões de Saberes, desenvolvido pelo Observatório de Favelas, no Rio de Janeiro, em parceria com o Ministério da Educação e Cultura, através do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD e da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade - SECAD. O projeto foi elaborado em dezembro de 2004, com a idéia de criar uma rede de articulação entre jovens, alunos de origem popular das universidades do Rio, com crianças e adolescentes de escolas do Ensino Fundamental e Médio das regiões circunvizinhas às suas instalações. Hoje, o Conexões de Saberes atua em todo Brasil. O objetivo é colaborar com a formação e garantir a permanência desses estudantes na universidade, além de contribuir, significativamente, com a formação educacional dos jovens das escolas favorecidas pelo projeto. O Conexões de Saberes aproveita o Projeto Escola Aberta, para atuar. Com o Escola Aberta, as escolas têm a oportunidade de receber, nos finais de semana, pais e alunos da comunidade, para a prática de esportes, recreação, cursos, etc. É aí que entra o Conexões de Saberes. Levando os alunos de graduação para fazer parte deste processo. Para conhecermos mais sobre a atuação do Conexões de Saberes, a equipe da Revista Extensão conversou com a Professora Katherina Comendouros, Coordenadora geral do Projeto na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 6 Conectando Este foi o ano de estréia da UFRRJ no Conexões de Saberes. No início, as atividades realizadas eram de Leituração e de Direitos Humanos e apenas dois municípios eram assistidos pelo projeto: Seropédica e Nova Iguaçu. No ano seguinte, 2007, as escolas municipais de Japeri, Nilópolis, Mesquita, Paracambi e Mangaratiba, que têm o projeto Escola Aberta, no qual a escola abre nos finais de semana para atividades extracurriculares, também começaram a receber os bolsistas da Rural com trabalhos agroecologicos, como por exemplo, a Horta na Escola, e Pedagógicos (Cine-debate, reforço escolar, etc.). Hoje, quase cem escolas públicas das cercanias são atendidas pelo projeto. A Professora Katherina Comendouros começou a coordenar o Conexões de Saberes, aqui na Rural, em janeiro de Para ela a maior importância do Projeto é possibilitar a permanência dos alunos na universidade. Katherina também é de origem popular, estudou na UFRRJ, morou no alojamento universitário e sabe os obstáculos que os alunos têm que enfrentar para concluir a graduação. Vale ressaltar que aqui na UFRRJ os alunos têm a possibilidade de receber bolsa moradia e bolsa alimentação e ainda assim existem dificuldades. O Projeto Conexões de Saberes oferece 50 bolsas de R$300 (trezentos reais), por mês. Cerca de 100 alunos da Rural já foram beneficiados. Katherina revela que o Projeto vai além do trabalho nas comunidades, o nosso aluno deve ter um bom rendimento na universidade para continuar bolsista. Ela enfatiza: o Índice de Aproveitamento tem que ser maior do que um. A atuação do 'Conexões' na vizinhança Katherina Comendouros ressalta a relevância da participação das prefeituras para que o projeto se concretize. Com experiência no assunto, ela afirma que, as escolas que oferecem merendas são as que sempre têm participantes. Assim como as que oferecem cursos aos pais. Para exemplificar uma atuação modelo, ela destaca: a Prefeitura de Itaguaí estimula muito o nosso trabalho. Nos finais de semana, eles oferecem várias atividades para atrair pais e alunos. Ela também lamenta o fato de algumas cidades da região não terem uma infra-estrutura básica para desenvolver o Projeto, por mais que o queiram. E afirma sentir muito mais, pelas que não têm interesse em desenvolvê-lo. Perguntamos a professora Katherina qual é o maior benefício para as comunidades atendidas pelo projeto. No seu ponto-de-vista, conhecer alunos de universidades com origem similar ao das crianças que participam do 'Conexões' é um estímulo para que um dia eles possam vir a freqüentar uma universidade. Outro aspecto relevante, para Katherina, é o aprendizado, por exemplo: na horta eles aprendem como plantar, colher e a importância dos alimentos, que depois de produzidos são consumidos na merenda, declara.

5 Foto: Acervo Conexões de Saberes II Encontro Nacional do Conexões de Saberes na UFRJ Estimativas Para avaliar a repercussão dos projetos elaborados há, regularmente, reuniões no MEC, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Nas escolas as avaliações são feitas com os interlocutores, professores comunitários e a direção da escola. Dentro da comunidade há muito o que fazer, afirma Katherina. Hoje o 'Conexões' aqui na Rural, corresponde às demandas locais. As escolas pedem certas atividades e o projeto se adequa. Há uma grande procura por cursos profissionalizantes e isto, infelizmente ainda não temos para oferecer, destaca. A professora também conta que sempre procura equilibrar entre o que as comunidades querem e o que o projeto pode oferecer, revela. A partir de abril devem permanecer atendidas pelo projeto Conexões de Saberes os seguintes municípios: Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita e Itaguaí. Ser universitário é mais do que estudar! o pensamento traduz a reflexão de Fabiana Mattielo, de 28 anos, aluna do 8º período do curso de Licenciatura em Ciências Agrárias da UFRRJ e bolsista do Conexões de Saberes, sobre o projeto. Fabiana aplica os conhecimentos, adquiridos em sala de aula, na horta da Escola Severiano Salustiano de Farias Teixeira, em Itaguaí, cidade vizinha à Universidade Rural. Para ela a bolsa é muito importante, mas ressalta outros valores: é muito bom saber que aquelas crianças se sentem responsáveis por cada planta. Quando perguntada sobre o benefício desse trabalho na região ela afirma o alimento produzido na horta é consumido na merenda escolar. Para Fabiana há muitas maneiras de contribuir e o Projeto Conexões de Saberes abrange amplamente a Educação: pela formação dos alunos da rede pública dos Ensinos Fundamental e Médio, e o incentivo à conclusão dos cursos para os alunos universitários. 7

6

7 tico necessário para a formação no curso e uniforme de identificação. O programa contou com uma equipe pequena, se comparado ao número de pessoas atendidas: uma coordenadora, seis professoras orientadoras, 16 instrutores e quatro técnicos. Para a coordenadora do programa, professora Mônica Aparecida Del Rio Benevenuto, a integração da equipe e a qualidade do trabalho oferecido foram essenciais para o excelente resultado obtido. Elaborar esse projeto foi fundamental, não só para as pessoas que passaram pelos cursos, mas para o crescimento da nossa equipe e o desenvolvimento dos nossos alunos, afirma. Mônica destaca que resultados mais significantes do Programa foram: as trocas de experiências entre os orientadores e os instrutores; a integração entre instrutores e capacitandos; o crescimento profissional da equipe através do estreitamento das relações entre universidade e comunidade; a produção científica que gerou doze artigos científicos apresentados em três eventos e quatro relatórios; e a produção acadêmica, com nove manuais técnicos utilizados pelos alunos dos módulos. Hoje, a professora Mônica declara que a experiência foi tão boa, que pretende promover outro projeto similar e aguarda a publicação de um edital, no qual o trabalho se insira, para novamente, possibilitar oportunidades de aprendizado para: professores, alunos da graduação, técnicos e moradores da população vizinha. Curso de Lavanderia Curso de Cozinheira Um dos significados da palavra Extensão, de acordo com o Aurélio, dicionário de Língua Portuguesa é: efeito de estender ou ampliação. Ou seja, em outras palavras Extensão significa somar conhecimentos geridos na instituição de ensino e desenvolvê-los, de forma que favoreça a sociedade. Ampliar, abranger amplamente, ser: ensino + pesquisa + políticas de ações positivas. Curso de Garçom 9

8

9

10 Foto: Acervo Projeto Rondon - UFRRJ PROJETO Projeto Rondon Palestra sobre meio ambiente em Esperantina - Tocantins, com o Prof. Duque O Projeto Rondon foi idealizado em 1967, pelo Professor Wilson Choeri, da antiga Universidade do Estado da Guanabara, hoje UERJ. Seu nome é uma homenagem ao bandeirante do século XX, Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, sem o qual, seria muito difícil, na época, descobrir tantos exemplares da fauna e flora brasileira (quase vinte mil espécies), além da diversidade de dados referentes à biologia, geologia, hidrografia e outros aspectos das regiões. D e 1967 a 1989, o projeto envolveu mais de 300 mil universitários de todo o país. O projeto criou instalações permanentes, os Campi Avançados. Quatro anos depois de ser desativado em 1987, foi criada a Associação Nacional dos Rondonistas, uma organização não governamental empenhada em dar continuidade ao trabalho. Em janeiro de 2005, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva recriou o Projeto Rondon. Hoje, coordenado pelo Ministério da Defesa com a colaboração da Secretaria de Educação Superior do 12 Ministério da Educação. O Projeto de integração social envolve atividades voluntárias de universitários e busca aproximar esses estudantes da realidade do país. De acordo com o documento disponível em o Projeto Rondon contribui, também, para o desenvolvimento de comunidades carentes, e fortalece a cidadania por meio da participação dos univesitários na solução dos problemas das comunidades carentes e da conscientização desses universitários a respeito da problemática política, econômica e social do país. A cada semestre o Ministério da Defesa lança um edital relacionado a uma operação em algum lugar do país. As universidades elaboram os projetos de acordo com os editais. Se aprovados, indicam um grupo de estudantes e professores que terão suporte das forças armadas para se locomoverem até as localidades e efetuar as atividades de desenvolvimento social com a populaçãollocal. A atual meta do Projeto é ser, até 2016, uma instituição autônoma, capaz de mobilizar a juventude e as instituições de ensino superior para a promoção da cidadania e do desenvolvimento.

11 O Projeto Rondon e a Extensão na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Para Celso Eulálio de Oliveira Júnior, 23 anos, da cidade de Pedro Canário, norte do Espírito Santo, aluno do oitavo período de Licenciatura em Ciências Agrícolas, teve sua primeira experiência com o Projeto Rondon no ano passado. O estudante afirma que ir a Esperantina foi muito interessante. Ele ajudou a desenvolver as atividades com a criação de hortas escolares e comunitárias, sistemas agroflorestais e oficinas. Celso destaca que foi ministrada uma palestra sobre o ciclo da água e uma caminhada ecológica acompanhada por cerca de 600 pessoas. Para o estudante, o trabalho complementa o conhecimento adquirido na universidade. Ele também declara: me senti útil ao ajudar as famílias da região e ressalta não devemos esquecer que cidades como aquela tem em todo lugar do Brasil. Foto: Acervo Projeto Rondon - UFRRJ A UFRRJ participou de várias etapas do Projeto, desde 1967 até os dias de hoje, como declara o Professor Duque, Nilton de Araújo Duque, do curso de Veterinária da UFRRJ, Coordenador das atividades atuais da Universidade no Projeto Rondon. Duque participou ainda como aluno, na primeira etapa do Projeto, em 1967 e destaca naquela época eu tive a oportunidade de conhecer uma realidade totalmente diferente da minha. Em 1982, já como professor da Universidade, retomou os trabalhos pelo Projeto no Campus avançado da UFRRJ no Amapá, hoje extinto. Resumindo suas experiências no Rondon Nacional e Regional até os dias de hoje, o professor contempla foi maravilhoso e está sendo ótimo retomar este projeto. Ser Rondonista é ter espírito de aventura e ser solidário. Em 2006 a UFRRJ voltou a desempenhar as atividades de Extensão no Projeto e em 2007, o professor Duque regressou como coordenador e levou, no período de 19 de janeiro a 05 de fevereiro, um grupo de seis alunos para Esperantina, no Tocantins. As atividades levadas são multidisciplinares, ou seja, alunos de vários cursos levam seus conhecimentos para colaborar com o desenvolvimento das cidades. No Rondon Regional - RJ, a UFRRJ iniciou, recentemente, os trabalhos em Nova Sepetiba-RJ, que constitui a "Operação Piloto" de fim-de-semana do PROJETO RONDON-RJ. Os trabalhos na região tiveram início no dia 07 de março e vai até o dia 29 de Junho. Reunião com representantes da comunidade, na beira do Rio Araguaia, Esperantina - Tocantins

12

13 PROJETO Rural de Portas Abertas O Projeto Rural de Portas Abertas recebeu pessoas em 3 dias de evento, em outubro de Foi a primeira edição deste projeto, promovido pelo Decanato de Extensão via Divisão de Projetos e com o apoio do Decanato de Graduação. O grande número de participantes surpreendeu até mesmo o coordenador do projeto, o professor Benaia Sobreira de Jesus Lima. O professor Benaia recebeu a equipe da Revista Extensão e nos contou da importância social desse projeto.

14

15

16 PROJETO Assessorias A conteceu no ano de com apoio do Decanato de Extensão da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. O projeto contou com várias atividades no campo da saúde e alimentação, processamento e comercialização de produtos. Nesta oportunidade, surgiu o Mercado do Produtor Rural, um sub-projeto financiado pela ONG AMAR - Acteurs dans le Monde Agricole et Rural (Atores por um Mundo Agrícola e Rural), que na oportunidade do projeto Assessorias trouxe muitos benefícios ao assentamento, como reforma de três edificações no centro comunitário além da compra do quiosque que já está servido de posto de venda de produtos orgânicos oriundos do assentamento e de outras localidades. O projeto também beneficiou 26 menores, entre pré-escolares, escolares e adolescentes diagnosticando o estado nutricional e relacionando o resultado obtido com as condições socioeconômicas e alimentar da família. O Assentamento Sol da Manhã teve início na década de 80, enfren- ta diversas dificuldades comuns à maioria dos assentamentos rurais no Brasil, no entanto, com a proximidade que possui junto aos órgãos como a UFRRJ, PESAGRO Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro e outros relativos à área agrária, recebe maiores oportunidades de melhorias. Neste sentido, o Sol da Manhã tem aproveitado esses momentos e aos poucos vem produzindo hortaliças, frutas, ovos, doces e comercializando já algum tempo para zona Sul do Rio e agora recentemente três dias por semana, em Seropédica através do Mercado do Produtor. O segredo para o comércio no município do Rio foi a integração dos consumidores da cidade com a realidade do pequeno agricultor, principalmente estes oriundos da reforma agrária, como é o caso do Sol da Manhã. Um almoço na roça promovido pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e a Rede Ecológica foi realizado, e a sensibilização dessas pessoas é o fruto Maria do Rosário em seu sítio de produção orgânica do comércio que hoje cresce, cada vez mais nesta localidade. O ponto de partida do projeto foi a necessidade dos agricultores. Os problemas foram expostos e as sugestões acessíveis à realidade do local, respeitando as limitações que todo percurso possui, foram colocadas em prática. O projeto Mercado do Produtor Rural foi elaborado em setembro de 2005, pela Professora Vânia Madeira N. Policarpo, na época, Economista Doméstica do DED-ICHS e aprovado em dezembro de 2005, pela ONG AMAR. A participação é imprescindível, é claro que, a freqüência de todas as famílias não existe, no entanto, o sentido das ações vem a cada momento, agregado mais famílias. Através do quiosque do produtor rural, o município de Seropédica passou a fazer parte da Rede Ecológica, um site de compras coletivas que visa fomentar o consumo ético, solidário e ecológico. O quiosque já está distribuindo pro-

17 Daniel Pimenta em sua horta de produtos orgânicos dutos secos, como arroz, feijão, feijão soja, amendoim, mel, fubá dentre outros. Esses produtos não são produzidos na região, mas são importantes para promover maior variedade e cativar o consumidor, neste caso há encomenda via internet e entrega direta através do quiosque uma vez ao mês. Já os produtos frescos são todos oriundos de Seropédica e estão disponíveis 3 dias na semana, todas as sextas, sábados e domingos. Os efeitos do Programa Assessorias repercutiram em mais benefícios aos agricultores, a terra de alguns sítios que demonstraram interesse pelo plantio estão sendo arados e gradeados graças ao Instituto de Zootecnia que enviou o trator aos finais de semana e já beneficiou oito propriedades com preparo de ½ hectare cada, por este motivo doações de sementes e implantação de estufas pela PESAGRO, vem se somando às ações e beneficiando os agricultores do Sol da Manhã. O Projeto Assessorias, também tem o objetivo de propagar a agricultura orgânica a fim de preservar o meio ambiente e a saúde do agricultor além de valorizar o produtor de Seropédica que, até então, vivia no anonimato perante a sociedade que, por sua vez, não possuía a oportunidade de obter produtos sem o uso de agrotóxicos, de estar adquirindo alimentos de boa qualidade exercendo a cidadania e melhorando as condições de vida da comunidade ao seu entorno. A comunidade urbana de Seropédica não tem conhecimento do número de produtores agrícolas que existem dentro do município. Com o Mercado do Produtor Rural funcionando no quiosque, os moradores terão a oportunidade de consumir alimentos sem agrotóxicos e isentos de qualquer resíduo químico. Estarão melhorando sua saúde e de sua família através da alimentação, e contribuindo para a expansão desse mercado importante para os produtores orgânicos. Quiosque dos produtores orgânicos 19

18

19

20

21 Nosso saber está na natureza.

RELATORIO QUANTITATIVO

RELATORIO QUANTITATIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA RELATORIO QUANTITATIVO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS PAA O Programa de Aquisição de Alimentos - PAA, tem como finalidades

Leia mais

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015)

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015) Edital de Seleção Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário (Turma 2015) Belém Pará Novembro de 2014 Realização Página 2 de 9 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3.

Leia mais

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Rachel de Souza Melo 1 - rachelmelo2@hotmail.com; Romário Roberto Xavier de Araújo 2 - romarioaraujo124@gmai.com; Catarina de Medeiros

Leia mais

Nome: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará -EMATERCE

Nome: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará -EMATERCE MODELO DE INSCRIÇÃO DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará -EMATERCE Endereço: Avenida Bezerra de Menezes, 1900 Executora de Chamada pública de Ater ( x ) Sim

Leia mais

Maria Nezilda Culti 1 (Coordenadora da Ação de Extensão)

Maria Nezilda Culti 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) IMPLANTAÇÃO DAS TECNOLOGIAS SOCIAIS: PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA INTEGRADA SUSTENTÁVEL- PAIS (HORTA MANDALA), CISTERNA E FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA COMO MEIO DE SUSTENTABILIDADE PARA AGRICULTURA FAMILIAR. Área

Leia mais

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional UESC Missão: Formar profissionais, construir conhecimento e criar cultura fomentadora da cidadania, do desenvolvimento humano, social, econômico, artístico

Leia mais

INCLUSÃO PRODUTIVA. 3 - O governo estadual desenvolve ações, programas ou projetos de inclusão produtiva para a geração de trabalho e renda?

INCLUSÃO PRODUTIVA. 3 - O governo estadual desenvolve ações, programas ou projetos de inclusão produtiva para a geração de trabalho e renda? 1 - Existe algum tipo de estudo setorial e/ou diagnóstico socioeconômico do estado que tenha sido realizado no período entre 2010 e 2014? 1 Sim 1.1 - Ano do diagnóstico: Não (passe para 2 o quesito 3)

Leia mais

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA

MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA MINUTA DE LEI DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE CARIACICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, seus objetivos, princípios

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 51/2008. Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº 51/2008. Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 51/2008 Institui a Política Estadual de Combate e Prevenção à Desertificação e dá outras providências. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO DECRETA: Art. 1º Esta lei institui

Leia mais

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO CIDADANIA AMBIENTAL A resposta da sociedade de Araxá aos problemas ambientais se dá através das ações de educação ambiental. Destacam-se as atividades de educação ambiental promovidas por escolas, organizações

Leia mais

CDC. De olho. no Futuro. em foco. Edição VII Ano III Agosto de 2013

CDC. De olho. no Futuro. em foco. Edição VII Ano III Agosto de 2013 CDC em foco Edição VII Ano III Agosto de 2013 De olho no Futuro 1 editorial A segunda edição do boletim CDC em Foco deste ano traz novidades e relembra ações que contribuíram para a melhoria da qualidade

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

1.2 Possibilitar, através da extensão, a articulação entre o ensino e a pesquisa;

1.2 Possibilitar, através da extensão, a articulação entre o ensino e a pesquisa; UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS EDITAL PARA BOLSAS DE EXTENSÃO CONCEDIDAS A PROJETOS PROBEX SELEÇÃO 2012 2013 A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

Feiras livres da agricultura familiar

Feiras livres da agricultura familiar Feiras livres da agricultura familiar FEIRAS LIVRES DA AGRICULTURA FAMILIAR Tradicionalmente, a Emater MG tem participação efetiva na organização e implantação dessas feiras no Estado, desenvolvendo ações,

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE

AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE AS CONTRIBUIÇÕES DO CENTRO DE APOIO POPULAR ESTUDANTIL DO TOCANTINS PARA A SOCIEDADE PORTUENSE Cleudimar Pereira Dias Benvinda Barros Dourado (Orientadora) O Centro de Apoio Popular Estudantil do Tocantins

Leia mais

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial

PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA. Banco Mundial PROJETO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO ESTADO DA BAHIA POR QUE O PROJETO Decisão Estratégica do Governo do Estado da Bahia Necessidade de avançar na erradicação da pobreza rural Existência de

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE Painel 8: O papel de Instituições Públicas para Desenvolvimento da Cacauicultura Brasileira O Cacau e a Agricultura Familiar Adriana

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL

TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL TRABALHOS EXITOSOS EM ATER - 2014 EXTENSÃO RURAL ORGANIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ESCADA, 2014 EXTENSÃO RURAL CONSTRUIR UM SONHO E LUTAR POR ELE Regional : Palmares PE Municipio: Escada Comunidades: Sitio

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DOS PRINCÍPIOS Art. 1. A Política de Assistência Estudantil da Pós-Graduação da UFGD é um arcabouço de princípios e diretrizes

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES - 2012 a 2021 Instituição: ENSINO DE GRADUAÇÃO Programas/Projetos/Ações Ano Natureza Valores Fonte de Recursos Beneficiado Manutenção

Leia mais

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII 01 Legislativa 3.000.000 52.200.000 55.200.000 01031 Ação Legislativa 7.834.000 7.834.000 010310028 ATUAÇÃO LEGISLATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 7.834.000 7.834.000 01122 Administração Geral 3.000.000 38.140.000

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais

Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais Estratégias de ação vinculadas ao manejo da agrobiodiversidade com enfoque agroecológico visando a sustentabilidade de comunidades rurais O desenvolvimento das ações em diferentes projetos poderão identificar

Leia mais

Atuações da CEAGESP e do CECANE nas ações de fortalecimento da Agricultura Familiar. Ana Laura Benevenuto de Amorim e Fabiane Mendes da Camara

Atuações da CEAGESP e do CECANE nas ações de fortalecimento da Agricultura Familiar. Ana Laura Benevenuto de Amorim e Fabiane Mendes da Camara Atuações da CEAGESP e do CECANE nas ações de fortalecimento da Agricultura Familiar Ana Laura Benevenuto de Amorim e Fabiane Mendes da Camara São Paulo, 2014 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE

Leia mais

Terça-feira, 23.08.11

Terça-feira, 23.08.11 Terça-feira, 23.08.11 Veja os destaques de hoje: 1. Governador em exercício participa da reunião de renovação do Programa Bolsa Universitária 2. Programa Lavoura Comunitária 3. ONU lança campanha O Planeta

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 072-MA

FICHA PROJETO - nº 072-MA FICHA PROJETO - nº 072-MA Mata Atlântica Grande Projeto TÍTULO: Vereda do Desenvolvimento Sustentável da Comunidade de Canoas: um Projeto Demonstrativo da Conservação da Mata Atlântica. 2) MUNICÍPIOS DE

Leia mais

Resumos do VII Congresso Brasileiro de Agroecologia Fortaleza/CE 12 a 16/12/2011

Resumos do VII Congresso Brasileiro de Agroecologia Fortaleza/CE 12 a 16/12/2011 10540 - Pesquisas participativas, construção de conhecimentos e socialização de tecnologias de base agroecológica em Mato Grosso do Sul, através de arranjos com Escolas Famílias Agrícolas PADOVAN, Milton

Leia mais

Políticas Públicas são um conjunto de ações e decisões do governo, voltadas para facilitar a solução de problemas da sociedade.

Políticas Públicas são um conjunto de ações e decisões do governo, voltadas para facilitar a solução de problemas da sociedade. Políticas Públicas são um conjunto de ações e decisões do governo, voltadas para facilitar a solução de problemas da sociedade. Políticas Públicas são a totalidade de ações, metas e planos que os governos

Leia mais

REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI

REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI REALIZAÇÕES DO PIBID NA UNIDADE EDUCACIONAL JOSÉ LUSTOSA ELVAS FILHO, BOM JESUS-PI Francisco Cleiton da Rocha 1 Marcos Vinícius de Sousa 2 Stella Indira Rocha Lobato 3 1 Professor Assistente da Universidade

Leia mais

Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica PNAPO BRASIL AGROECOLÓGICO

Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica PNAPO BRASIL AGROECOLÓGICO Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica PNAPO BRASIL AGROECOLÓGICO Sumário Contexto Processo de construção Estrutura do Decreto Objetivos e Interfaces Diretrizes Eixos e objetivos Medidas

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 81, DE 18 DE JUNHO DE 2010.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 81, DE 18 DE JUNHO DE 2010. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 81, DE 18 DE JUNHO DE 2010. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE

Leia mais

PLANO DE TRABALHO COM AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A DIREÇÃO GERAL DO IF BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA NO QUADRIÊNIO 2014 2018

PLANO DE TRABALHO COM AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A DIREÇÃO GERAL DO IF BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA NO QUADRIÊNIO 2014 2018 ~ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA PLANO DE TRABALHO COM AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1678-9644 Dezembro, 2007 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 213 Produção Comunitária de Sementes: Segurança

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Setor: Ciências Biológicas Responsável: Prof. Fernando Régis Di Maio Equipe: Professores Fernando Régis Di Maio, Gutemberg Gomes Alves e Diamar Costa Pinto, com participação

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 045-MA

FICHA PROJETO - nº 045-MA FICHA PROJETO - nº 045-MA Mata Atlântica Grande Projeto 1) TÍTULO: Floresta Legal corredores florestais conectando habitats e envolvendo pessoas 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Silva Jardim, Rio Bonito,

Leia mais

PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO

PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO Este documento é resultado do chamado do Ministério da Educação à sociedade para um trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM Programa de Educação Tutorial PET 2006 MEC/SESu/DEPEM ANEXO I Proposta

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: ÁREA TEMÁTICA: RESUMO

TÍTULO: AUTORES: ÁREA TEMÁTICA: RESUMO TÍTULO: HORTA COMUNITÁRIA NOS ASSENTAMENTOS RURAIS NO MUNICÍPIO PITIMBU/PB. AUTORES: Wedja S.da Silva; Marcelo R.da Silva; Macilene S.da Silva; Analice M. da Silva; Francisco B. Silva; Jaidenilson V.de

Leia mais

CAMPO FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA O FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR E O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM BASES TERRITORIAIS E AGROECOLÓGICAS

CAMPO FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA O FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR E O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM BASES TERRITORIAIS E AGROECOLÓGICAS PRONATEC CAMPO FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA O FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR E O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL EM BASES TERRITORIAIS E AGROECOLÓGICAS PRONATEC CAMPO O PRONATEC O Programa Nacional

Leia mais

Lista de Projetos Contemplados no Programa Integração Petrobras Comunidade

Lista de Projetos Contemplados no Programa Integração Petrobras Comunidade Lista de Projetos Contemplados no Programa Integração Petrobras Comunidade ITABORAÍ Projeto: Fábrica de Sonhos Nome da instituição: Liga Independente das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Itaboraí

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE NOVEMBRO DE 2012 EREM ANÍBAL FERNANDES

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE NOVEMBRO DE 2012 EREM ANÍBAL FERNANDES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA FRANCISCO DE ASSIS DO NASCIMENTO RITA DE CÁSSIA GUEDES LIMA RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE NOVEMBRO DE 2012

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

Programa Escola Aberta

Programa Escola Aberta Programa Escola Aberta O Programa Escola Aberta foi criado a partir de um acordo de cooperação técnica entre Ministério da Educação e a Unesco, implantado em 2004. No Estado do Paraná tem seu início no

Leia mais

QUADRO SÍNTESE PROPOSIÇÕES, EXEMPLOS e DIFICULDADES QUESTÃO PROPOSIÇÕES EXEMPLOS DIFICULDADES

QUADRO SÍNTESE PROPOSIÇÕES, EXEMPLOS e DIFICULDADES QUESTÃO PROPOSIÇÕES EXEMPLOS DIFICULDADES QUADRO SÍNTESE PROPOSIÇÕES, EXEMPLOS e DIFICULDADES QUESTÃO PROPOSIÇÕES EXEMPLOS DIFICULDADES 1 Quais são as possíveis estratégias pedagógicas que podem proporcionar uma formação emancipatória? Apontar

Leia mais

INSTITUTO MAYTENUS. Relatório de Atividades ... Ano 2002. Uma organização de interesse público. Julho/2003.

INSTITUTO MAYTENUS. Relatório de Atividades ... Ano 2002. Uma organização de interesse público. Julho/2003. INSTITUTO MAYTENUS Relatório de Atividades Ano 2002 Uma organização de interesse público. Julho/2003........... Apresentação O presente relatório descreve as ações realizadas pelo INSTITUTO MAYTENUS para

Leia mais

PROJETOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROJETOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA 2.1 PROGRAMA BOLSA ESCOLA DA FAMILIA (*) As Faculdades da UNIESP, em parceria com o Governo do Estado de São

Leia mais

TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO

TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO [25] TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO Entendendo que: 1. O sistema sócio-econômico e político internacionalmente dominante, ao qual se articula o modelo industrial de produção agrícola e

Leia mais

Departamento de Geração de Renda e

Departamento de Geração de Renda e Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor - DGRAV ESTRUTURA DO MDA Gabinete do Ministro Secretaria Executiva Secretaria da Agricultura Familiar SAF Secretaria de Reordenamento Agrário - SRA

Leia mais

DOCUMENTO FINAL. Propostas da juventude do RS!

DOCUMENTO FINAL. Propostas da juventude do RS! DOCUMENTO FINAL Propostas da juventude do RS! Com a finalidade de fortalecer a organização e mobilização da juventude rural no Rio Grande do Sul diante dos desafios e das perspectivas da questão da sucessão

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

agricultura familiar

agricultura familiar saúde A importância da agricultura familiar na merenda escolar Iniciativas em Santa Rosa do Viterbo são exemplos de sucesso Por Danielle Lautenschlaeger Inúmeras famílias brasileiras ainda obtêm sua renda

Leia mais

A UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO E O SIGNIFICADO SOCIAL DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA BAIXADA FLUMINENSE

A UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO E O SIGNIFICADO SOCIAL DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA BAIXADA FLUMINENSE A UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO E O SIGNIFICADO SOCIAL DA POLÍTICA PÚBLICA DE EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NA BAIXADA FLUMINENSE INTRODUÇÃO Renan Arjona de Souza (1); Nádia Maria Pereira

Leia mais

Grupo Santa Horta fortalecendo a comunidade através de hortas comunitárias

Grupo Santa Horta fortalecendo a comunidade através de hortas comunitárias Grupo Santa Horta fortalecendo a comunidade através de hortas comunitárias Relatório 2010 Introdução Este relatório conta a historia do Grupo Santa Horta, um grupo de residentes locais que tomou a iniciativa

Leia mais

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA.

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. FICHA TÉCNICA Coordenação de População e Indicadores Sociais: Bárbara Cobo Soares Gerente de Pesquisas e Estudos Federativos: Antônio

Leia mais

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina Primeiro escritório de inclusão social da América Latina 18 de setembro Nós do Centro: mais uma ação para a comunidade do Grupo Orsa O Grupo Orsa, por meio da Fundação Orsa, inaugura um espaço inovador

Leia mais

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012

GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY. Oficina de Planejamento 2010-2012 GASTRONOMIA SUSTENTÁVEL - PARATY Oficina de Planejamento 2010-2012 Paraty, agosto de 2010 Objetivo da oficina Elaborar o Direcionamento Estratégico da Gastronomia Sustentável de Paraty para os próximos

Leia mais

Diagnóstico Final da Microbacia. http://sgabh.itaipu.gov.br/portal_sda/

Diagnóstico Final da Microbacia. http://sgabh.itaipu.gov.br/portal_sda/ INCUBADAS / PTI CONCEITO ASSESSORIA PLANOTEC ECOP FUTURA PALMARES Diagnóstico Final da Microbacia INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR FUNTEF MEDIANEIRA FASUL TOLEDO PUC TOLEDO UNIOESTE TOLEDO UNIOESTE MARECHAL

Leia mais

EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD

EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD 1 EDITAL Nº 13/2012-PROGRAD PUBLICAÇÃO DA RELAÇAO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CONSIDERADOS COMO CURSOS AFINS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIOESTE - PROVOU. A Pró-reitora de Graduação da Universidade Estadual

Leia mais

BOLSA VERDE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DO PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZADAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO XOPOTÓ MG

BOLSA VERDE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DO PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZADAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO XOPOTÓ MG BOLSA VERDE: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DO PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS A PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZADAS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO XOPOTÓ MG Marcelo Oliveira Santos; Laércio Antônio Gonçalves Jacovine;

Leia mais

TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA

TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA Autora: Erotides Lacerda Choueri Outros autores: Marcos Tsutomu Tamai, Vânia Maria Nunes

Leia mais

Gestão Participativa em BH. Belo Horizonte, 01 de dezembro 2010

Gestão Participativa em BH. Belo Horizonte, 01 de dezembro 2010 Gestão Participativa em BH Belo Horizonte, 01 de dezembro 2010 1 Gestão Participativa em BH Belo Horizonte tem um longo histórico de gestão democrático-popular; Existe forte determinação política para:

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Horta: Fazendo em casa o que se aprende na Entidade

Mostra de Projetos 2011. Horta: Fazendo em casa o que se aprende na Entidade Mostra de Projetos 2011 Horta: Fazendo em casa o que se aprende na Entidade Mostra Local de: Dois Vizinhos Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

FORMAÇÃO DE JOVENS EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA SEMEARTE: SEMEANDO ARTE E AÇÃO

FORMAÇÃO DE JOVENS EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA SEMEARTE: SEMEANDO ARTE E AÇÃO FORMAÇÃO DE JOVENS EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA SEMEARTE: SEMEANDO ARTE E AÇÃO Jéssika Luane SILVA¹; Danilo I. de URZEDO¹; Lucas B. VIÉGAS¹; Juliana V. FLORENZANO¹; Fátima C. M. PIÑA-RODRIGUES²; Eliana Cardoso

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

Programa Arca das Letras

Programa Arca das Letras Programas Federais Programa Arca das Letras Objetivo: Incentivar a leitura e facilitar o acesso aos livros em assentamentos e comunidades de agricultura familiar e de remanescentes de quilombos. Ministério

Leia mais

1 Portaria para ICP - cursos UFG.doc

1 Portaria para ICP - cursos UFG.doc Procuradoria da República em Goiás Ofício do Consumidor, Ordem Econômica e Educação PORTARIA MGMO n.º 51/2006 INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL no uso de sua atribuição conferida pela

Leia mais

Angelo Adriano Faria de Assis/ Universidade Federal de Viçosa

Angelo Adriano Faria de Assis/ Universidade Federal de Viçosa Anpuh Rio de Janeiro Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro APERJ Praia de Botafogo, 480 2º andar - Rio de Janeiro RJ CEP 22250-040 Tel.: (21) 9317-5380 O curso de História da Universidade Federal

Leia mais

PERFIL DOS MORADORES ENTREVISTADOS NO PROJETO RONDON EM NOVA SEPETIBA-RIO DE JANEIRO

PERFIL DOS MORADORES ENTREVISTADOS NO PROJETO RONDON EM NOVA SEPETIBA-RIO DE JANEIRO PERFIL DOS MORADORES ENTREVISTADOS NO PROJETO RONDON EM NOVA SEPETIBA-RIO DE JANEIRO Rosilene Lima da Silva 1 Carla Helena Souza 2 RESUMO Pensar no extensionismo na atualidade requer o exercício da práxis

Leia mais

A educação básica na China 1

A educação básica na China 1 A educação básica na China 1 Alana Kercia Barros Andrea Jerônimo Jeannette Filomeno Pouchain Ramos 2 Introdução Como parte de uma iniciativa maior, que se propõe a lançar um olhar sobre aspectos da educação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE PROGRAMA ESCOLA ABERTA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE PROGRAMA ESCOLA ABERTA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE PROGRAMA ESCOLA ABERTA 1. Princípios orientadores Fruto de um acordo de cooperação técnica entre o Ministério da Educação e a Unesco, o programa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.755, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica,

Leia mais

Orgânicos e desenvolvimento sustentável

Orgânicos e desenvolvimento sustentável Orgânicos e desenvolvimento sustentável SÉRGIO ANGHEBEN Gestor do Programa Desenvolvimento Rural Sustentável da Itaipu Binacional A princípio, gostaria de chamar atenção no quadro 1 para a área plantada

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA PROPOSTA 1 Curso Nome(s) do(s) Curso(s) ZOOTECNIA Código e-mec 56129 Conceito ENADE 4 Coordenador da Proposta (Tutor do Grupo) ANA MARIA BRIDI 2 Caracterização da Proposta 2.1Área de Conhecimento (código

Leia mais

Roteiro de visita a campo

Roteiro de visita a campo Roteiro de visita a campo 4Fs Brasil - The Forest Dialogue (TFD) 11-14 Novembro 2012, Capão Bonito, Brasil Dia 1 Domingo, 11 de Novembro 8:00 Saída dos hotéis 8:30 Chegada ao IDEAS e informações sobre

Leia mais

O ENSINO DA HORTA ESCOLAR EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE SERTÃO/RS

O ENSINO DA HORTA ESCOLAR EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE SERTÃO/RS O ENSINO DA HORTA ESCOLAR EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE SERTÃO/RS Paulo Ricardo Oliveira de Moura IFRS Campus Sertão E-mail: paulomoura.1990@gmail.com Bolsista de Extensão - Departamento de Extensão Eixo temático

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania

EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania EDUCAÇÃO AMBIENTAL Formação de valores ético-ambientais para o exercício da cidadania 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...3 2 OBJETIVOS DO PROJETO:...5 3 METAS PARA A SUSTENTABILIDADE...6 4 JUSTIFICATIVAS...6 4.1-

Leia mais

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva.

Sete Lagoas e o resgate da cidadania. Prefeitura ativa. Cidade viva. Sete Lagoas e o resgate da cidadania Prefeitura ativa. Cidade viva. APRESENTAÇÃO A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, Minas Gerais, está desenvolvendo uma ação abrangente de resgate da cidadania, que

Leia mais

Juventude com Arte, Saúde e Cidadania Autores: Ellen da Silva Mourão; Giovanna Grasiane de Sousa; Preceptora de Serviço: Maria Regina de Paula Fagundes Netto; Preceptora Acadêmica: Lêda Maria Leal de Oliveira.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES BASICAS NA AGRICULTURA PELOS ALUNOS DA APAE: CONQUISTAS ALCANÇADAS NO ANO 2012

DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES BASICAS NA AGRICULTURA PELOS ALUNOS DA APAE: CONQUISTAS ALCANÇADAS NO ANO 2012 DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES BASICAS NA AGRICULTURA PELOS ALUNOS DA APAE: CONQUISTAS ALCANÇADAS NO ANO 2012 SANTOS (1), Jonnathan Whiny Moraes dos MENDONÇA (2), Rejane Maria Nunes DAXENBERGER (3), Ana

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético )

PREFEITURA MUNICIPAL DE BETÂNIA Estado de Pernambuco LEI Nº 636 /2012 DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2013 Anexo de Prioridades e Metas ( Sintético ) Anexo de Prioridades e s ( Sintético ) s Processo Legislativo Administração Legislativa Planejamento Governamental Gestão Política Administrativa Suporte Administrativo Garantir o exercício da função legislativa

Leia mais

EXTRATO DE CONVÊNIOS 2007 CONVÊNIO Nº 004/2007

EXTRATO DE CONVÊNIOS 2007 CONVÊNIO Nº 004/2007 EXTRATO DE CONVÊNIOS 2007 CONVÊNIO Nº 004/2007 Nº Processo 23000.007317-2007-57 CNPJ Concedente: 00394.445/0019-22 ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE. CNPJ Convenente: 19.134.584/0001-16 Convenente: CENTRO DE

Leia mais

DECRETO N 037/2014. O Prefeito Municipal de Santa Teresa Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO N 037/2014. O Prefeito Municipal de Santa Teresa Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais, DECRETO N 037/2014 Regulamenta aplicação das Instruções Normativas SDE Nº 01/2014 a 02/2014, que dispõem sobre as Rotinas e Procedimentos do Sistema de Desenvolvimento Econômico a serem observados no âmbito

Leia mais

PESQUISA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

PESQUISA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PESQUISA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL FICHA TÉCNICA Instituição executora: Fundação Euclides da Cunha / Núcleo de Pesquisas, Informações e Políticas Públicas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Curso de Qualificação Profissional: AGROECOLOGIA E AGRICULTURA FAMILIAR

Curso de Qualificação Profissional: AGROECOLOGIA E AGRICULTURA FAMILIAR Curso de Qualificação Profissional: AGROECOLOGIA E AGRICULTURA FAMILIAR Justificativa: A agricultura familiar é responsável por parte considerável da produção agrícola do país, abastecendo principalmente

Leia mais

Projeto Horto, produção de mudas hortícolas, olerícolas e ervas medicinais

Projeto Horto, produção de mudas hortícolas, olerícolas e ervas medicinais Projeto Horto, produção de mudas hortícolas, olerícolas e ervas medicinais Mostra Local de: Quatro Barras (Municípios de Quatro Barras, Piraquara, Pinhais e Campina Grande do Sul) Categoria do projeto:

Leia mais

PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 004/2015/ PROEX/UEPB PROGRAMA DE CONCESSÃO de BOLSAS DE EXTENSÃO - PROBEX COTA: 2015-2016

PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 004/2015/ PROEX/UEPB PROGRAMA DE CONCESSÃO de BOLSAS DE EXTENSÃO - PROBEX COTA: 2015-2016 PRÓ - REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 004/2015/ PROEX/UEPB PROGRAMA DE CONCESSÃO de BOLSAS DE EXTENSÃO - PROBEX COTA: 2015-2016 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual da Paraíba, no uso das suas

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFMS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul, de acordo com as atribuições previstas no seu Estatuto e Regimento Geral e em consonância

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas Página: 1 0000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 101 Restituição de Recursos 4.000,00 5.000,00 6.000,00 201 Contribuição PASEP 290.000,00 300.000,00 310.000,00 301 Sentenças Judiciais e Precatórios 6.000,00 8.000,00

Leia mais

A CIÊNCIA AGRONÔMICA NA ESCOLA RURAL

A CIÊNCIA AGRONÔMICA NA ESCOLA RURAL A CIÊNCIA AGRONÔMICA NA ESCOLA RURAL CARLOS ALBERTO TAVARES Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, Recife, Pernambuco. A história da educação agrícola no meio rural tem sido analisada por diversos

Leia mais

Programa de Aquisição de Alimentos

Programa de Aquisição de Alimentos Programa de Aquisição de Alimentos Programa de Aquisição de Alimentos Produção Consumo Rede Socioassistencial Agricultura Familiar Inclui: Agricultores Familiares; Assentados; Povos e Comunidades Tradicionais;

Leia mais