Polícia Rodoviária Federal. Matemática. Profº Pacher y = 3 + y 2y = 24 y = 12. x+y=21. x - y = 3 (II)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Polícia Rodoviária Federal. Matemática. Profº Pacher. 21 - y = 3 + y 2y = 24 y = 12. x+y=21. x - y = 3 (II)"

Transcrição

1

2

3 SISTEMAS DE EQUAÇÕES DEFINIÇÃO Sistem de equções é o conjunto de equções que são stisfeits simultnemente pelos mesmos vlores ds incógnits. As equções que formm um sistem, são denominds equções simultânes. SISTEMAS DE EQUAÇÕES LINEARES Sistems de equções lineres é o conjunto de equções com tods s incógnits de expoente (um) ou, tmbém denominds de gru (um). SOLUÇÃO DE UM SISTEMA Solução de um sistem é o conjunto de vlores, um pr cd incógnit, pelos quis s incógnits devem ser substituíds, pr que tods s equções se reduzm igulddes numérics ou identiddes lgébrics. Costum-se dizer que este sistem de vlores verific ou stisfz tods s equções. Um sistem de equções pode ter um únic solução, mis de um solução ou não ter nenhum solução. SISTEMAS DE DUAS EQUAÇÕES LINEARES COM DUAS INCÓGNITAS É o sistem formdo por dus equções lineres com dus incógnits. O sistem neste formto, será estuddo neste cpítulo. RESOLUÇÃO POR ADIÇÃO Consiste em dicionr termo termo semelhntes nos membros, pr eliminr um ds incógnits. Há qutro csos considerr conforme nturez dos coeficientes d incógnit eliminr. No estudo pr resolução de sistems de equções, presento testes que possibilitrão fzer contto com os qutro csos. EXERCÍCIO RESOLVIDO x+y= 0. Sej o sistem liner: x-y= Resolução: x + y = + x - y = 4 x = 4 x = x = Substituindo x= em qulquer um ds equções, obtemos y=9. Resultdo finl (; 9). RESOLUÇÃO POR COMPARAÇÃO Consiste em isolr mesm incógnit ns dus equções e, comprá-ls pel iguldde. EXERCÍCIO RESOLVIDO Fzendo comprção ( I ) = ( II ), obtemos equção: - y = + y y = 4 y = Substituindo y=9 em qulquer um ds equções, obtemos x=. Resultdo finl (; 9). RESOLUÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO Consiste em isolr um incógnit rbitrrimente eliminr e substituí-l n outr equção. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS x+y= 0. Sej o sistem liner: x-y= Resolução: x + y = (I) isolndo x x=-y x - y = (II) Substituindo x=-y n equção ( II ), obtemos: (- y)-y= - y - y = -y = -8 y = 8 y = 9 Substituindo y=9 em qulquer um ds equções, obtemos x=. Resultdo finl (; 9). 0.Gerldo devi R$ 55,00 seu irmão e pgou dívid com nots de R$ 5,00 e de R$ 0,00. Se, o todo, o irmão de Gerldo recebeu 7 nots, qunts erm s nots de R$ 0,00? Resolução: I) Dus grndezs, número de nots e vlor ds nots com dus incógnits número de nots de R$ 5,00 e de R$ 0,00. Neste cso é possível elborr um sistem de dus equções com dus incógnits. x = número de nots de R$ 5,00 y = número de nots de R$ 0,00 5x + 0y = 55 x+y=7...se desejr pode dividir ª equção por 5 x+y= x+y=7...isole o x n ª equção x+y= 0. Sej o sistem liner: x-y= Resolução: x + y = isolndo x x=-y (I) x - y = isolndo x x= +y (II) x+y= x=7-y...substitu x = 7 - y + y = (7-y) + y =...7-y + y = y = 4. Respost: 4 nots de R$ 0,00 n ª equção x Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

4 TESTES Resolv os próximos sistems lineres: {x+y=7 x-y= y = 8 0. {x x=60-y x - y = 0. x + y = 7 0. (FCC) Somndo-se os / de um número x como os /5 do número y, obtém-se 84. Se o número x é metde do número y, então diferenç y-x é igul : ) 8 b) 5 c) 0 d) 45 e) 60. Cchorro quente com um slsich por $ 5,00.Cchorro quente com dus slsichs por $ 8,00.O gerente sbe quntos snduíches vendeu contndo os pães. Com ess promoção ele "fturou" $ 80,00. Qunts slsichs form consumids nos snduíches sbendo que usou 46 pães? 04. (CEFET-PR) Sbendo-se que diferenç de preço entre um bonec e um bol é R$ 5,00 e que som dos preços de dus bonecs com dus bols é R$ 8,00, podemos firmr que o preço de um dos brinquedos é: ) R$ 5,00. b) R$ 80,00. c) R$ 65,00. d) R$ 7,00. e) R$ 0, (FCC) Com um blde de águ, eu encho grrfs. Com um grrf, eu encho 5 copos. Assim, o número de copos necessários pr encher blde é: ) 5 b) 8 c) 0 d) 5 e) (FCC) Um empres resolveu umentr seu qudro de funcionários. Num etp contrtou 0 mulheres, ficndo o número de funcionários n rzão de 4 homens pr cd mulheres. Num etp form contrtdos 0 homens, ficndo o número de funcionários n rzão de homens pr cd mulheres. Inicilmente, o totl de funcionários dess empres er: ) 90 b) 0 c) 50 d) 80 e) (FCC) Em um terreiro há glinhs e coelhos, num totl de nimis e 8 pés. Qunts são s glinhs e os coelhos? 08. (FCC) A som de dois números é 50 e o mior deles é igul o dobro do menor, menos. Quis são os números?. Um pesso comprou biciclets de rods e qurd-chuvs de vrets. Se o totl de rods e vrets é 8 000e o número de gurd-chuvs é o triplo do de biciclets, então o número de gurdchuvs é.. (UNB-CESPE) Se Roberto tivesse 6 nos mis, ele teri 4/5 d idde do seu irmão. Juntos eles têm 0 nos. A idde de Roberto é: ) 4 b) 0 c) 6 d) e) 0 4. Um bleiro vende dois tipos de bls: b e b. Três bls do tipo b custm R$ 0,0 e unidde d bl b cust R$ 0,5. No finl de um di de trblho, ele vendeu 7 bls e rrecdou R$ 5,75. O número de bls do tipo b vendids foi: ) 4 b) c) d) e) 0 5. Três lts iguis de mss de tomte mis um lt de tum custm, junts, R$,00. Dus lts de mss de tomte mis dus lts de tum (tods iguis às nteriores) custm, junts, R$,40.Qul é o preço de um lt de mss de tomte? ) R$ 0,65 b) R$ 0,70 c) R$ 0,75 d) R$ 0,80 e) R$ 0,95 6. (OBM) Rfel tem / d idde de Roberto e é nos mis jovem que Reinldo. A idde de Roberto represent 4/ d idde de Reinldo. Em nos, som ds iddes dos três é: 09. Um copo cheio de águ pes 5g. Se jogrmos ) 48 metde d águ for, seu peso ci pr 80g. O peso b) 7 do copo vzio é? c) 58 ) 0g d) 60 b) 5g e) 4 c) 5g d) 40g e) 45g Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

5 7. (UNB-CESPE) Se eu gstr R$.00,00 ficrei com /4 d qunti que Pulo possui. Juntos temos R$ 4.000,00. Nests condições, Pulo possui importânci de R$: ).00 b).680 c).600 d).0 e) (FATEC-SP) Um loj vendeu pneus pr 7 veículos entre "Fuscs" e motos. Somente dois "Fuscs" trocrm tmbém o pneu de estepe. Qunts motos trocrm pneus? 9. Um cvlo e um burro cminhvm juntos, crregndo cd um pesdos scos. Como o cvlo reclmv muito de su pesd crg, respondeu-lhe o burro: de que te queixs? se me desses um sco, minh crg seri o dobro d tu, ms se eu te der um sco tu crg será igul minh. Quntos scos cd um deles levv? 0. (FGV-SP) Num pátio existem utomóveis e biciclets. O número totl de rods é 0 e o número de biciclets é o triplo do número de utomóveis. Então, o número totl de veículos que se encontrm no pátio é: ) 50 b) 4 c) 5 d) 54 e) 6. Num pátio existem utomóveis e motociclets. O número totl de rods é 0 e o número de veículos é 40. Quntos veículos de cd tipo se encontrm no pátio? 4. (OBM) Ronldo, sempre que pode, gurd moeds de 50 centvos ou rel. Atulmente, ele tem 00 moeds, num totl de 76 reis. Qunts moeds de um vlor ele tem mis do que de outro vlor? ) 48 b) 4 c) 8 d) 5 e) (BANESPA). Um fzendeiro cri glinhs e coelhos. Num ddo momento, esses nimis somm um totl de 50 cbeçs e 40 pés. Pode-se concluir que rzão entre o número de coelhos e o número de glinhs é: ) / b) / c) / d) / e) /4 6. (CESGRANRIO-RJ) Gerldo devi R$ 55,00 seu irmão e pgou dívid com nots de R$ 5,00 e de R$ 0,00. Se, o todo, o irmão de Gerldo recebeu 7 nots, qunts erm s nots de R$ 0,00? ) b) c) 4 d) 5 e) 6 7.(OCM) Um zoológico tem vários mccos e váris girfs. Contndo os olhos e s perns dos mccos e ds girfs obtém-se 0 olhos e 44 perns. Quntos mccos e qunts girfs há no zoológico? (Um mcco tem dus perns.) ) 8 m e 7 g b) 9 m e 6 g c) 7 m e 8 g d) 6 m e 9 g e) 8 m e 9 g. (FCC) Um cridor tinh num sítio unicmente cchorros de rç e pvões. Contndo os pés de todos os nimis, observou que o totl de pés er igul o qudrdo do número de pvões. Um semn depois, vendeu seis cchorros e dois pvões e verificou que de novo o fto se dv, ou sej, o número totl de pés er o qudrdo do número de pvões. Assim, podemos firmr que, ntes d vend, hvi no sítio um número de cchorros igul : ) 0 b) 8 c) 6 d) 4 e). (UDE-SC) Em um treino de bsquete, um jogdor gnh 5 pontos por cd cest que cert e perde pontos por cd cest que err. Em 0 tenttivs, um jogdor obteve 6 pontos. Logo, o número de cests que ele certou foi: ) b) 4 c) 5 d) 6 e) 7 8.(ESAF) Um copo completmente cheio de águ pes 75 grms. Ms se metde d águ for jogd for, seu peso cirá pr 65 grms. Então, o peso deste copo é em grms: ),5 b) 4,5 c) 55 d) 75 e) 0 9.(FGV-SP) Em um prov de 0 questões, o cndidto recebe 4 pontos por cd respost cert e perde ponto por cd questão não respondid corretmente. André obteve 0 pontos. Qul seri not de André, se cd respost cert vlesse 6 pontos e cd respost errd fizesse com que ele perdesse pontos? ) b) 6 c) 0 d) e) 4 Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

6 0.(OBM) No lvo bixo, um cert pontução é dd pr flech que ci n região A e outr pr flech que ci n região B. Alberto lnçou flechs: um ciu em B e dus em A, e obteve 7 pontos. Crlos tmbém lnçou flechs: um ciu em A e dus em B, e obteve pontos. Quntos pontos são tribuídos pr um flech que ci n região A? ) b) c) 4 d) 5 e) 6 A B. (FCC) N entrd de um estádio, em um di de jogo, 50 pessos form revistds pelos solddos Muro, Norberto e Orlndo. O número ds revistds por Muro correspondeu /4 do número ds revistds por Orlndo, e o número ds revistds por Orlndo correspondeu 4/ do número ds revistds por Norberto. O número de pessos revistds por: ) Muro foi 45. b) Norberto foi 54. c) Orlndo foi 5. d) Norberto foi 4. e) Muro foi 4.. (UEL-PR) Fernndo fez um pedido de 4 m de um piso tipo A e lguns metros qudrdos de um piso tipo B. O piso tipo A cust o dobro do piso tipo B. Ao notr o pedido, o vendedor trocou os tipos de piso, ou sej, 4 m de piso tipo B e o resto tipo A. Isso fez o pedido ficr 50% mis cro. A quntidde de piso tipo B no pedido originl er: ) b) 6 c) 8 d) 6 e) 4. (UFF-RJ) Um jogdor de bsquete fez o seguinte cordo com o seu clube: cd vez que ele convertesse um rremesso, receberi R$ 0,00 do clube e cd vez que ele errsse, pgri R$ 5,00 o clube. Ao finl de um prtid em que rremessou 0 vezes, ele recebeu R$ 50,00. Pode-se firmr que o número de rremessos convertidos pelo jogdor nest prtid foi: ) 0 b) 5 c) 0 d) 5 e) 0 5.(UNB-CESPE) A metde d diferenç entre dois números é 5 e o dobro de seu quociente é 8. Clcule o menor: ) 8 b) 5 c) 4 d) 50 6.(CESPE) Dois números tis que, multiplicndo-se por 5 e o menor por 6, os produtos são iguis. Se o mior deles, diminuído de é igul o menor umentdo de, então um deles é: ) 4 b) 7 c) 8 d) 4 7.(UNB-CESPE) A qunti de R$ 8,75 é compost de 4 moeds de, centvo e de 50 centvos. A diferenç entre s quntiddes de moeds de centvo e 50 centvos é de: ) 6 moeds b) 7 moeds c) 8 moeds d) 9 moeds e) 0 moeds 8.(UNB-CESPE) Dois trblhdores recebem juntos R$.080,00 por 0 dis de trblho. O mis especilizdo recebeu R$ 4,00 mis do que o outro, por di de trblho. A diári do operário menos especilizdo foi de: ) R$,00 b) R$,50 c) R$ 4,00 d) R$ 4,50 e) R$ 5,00 9.(ESAF) Num eleição em que dois cndidtos disputrm I mesmo crgo, votrm 50 eleitores. O cndidto vencedor obteve 48 votos mis que o cndidto derrotdo. Sbendo-se que houve 4 votos nulos, quntos votos obteve cd cndidto? ) 49 e 00 b) 00 e 95 c) e 075 d) 08 e 880 e) 00 e (CESPE) A diferenç entre dois números é 44 e o quociente entre eles é 5. Um desses números é: ) 5 b) 80 c) 60 d) 80 4 Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

7 GABARITO SISTEMA DE EQUAÇÃO DO º GRAU 0 e e e 5 04 D 05 D 06 B 07 8 e e 09 C 0 D E 4 A 5 A 6 C 7 C e 5 0 C 5 e 5 E E 4 B 5 C 6 C 7 A 8 C 9 E 0 C E B C 4 B 5 D 6 D 7 C 8 E 9 D FUNÇÕES DO º GRAU FUNÇÃO CONSTANTE Um função é dit constnte qundo é do tipo f(x) = k, onde k é um número rel que não depende de x. Exemplos: ) f(x) = 9 b) f(x) = - Not : o gráfico de um função constnte é um ret prlel o eixo dos x. Vej o gráfico seguir: FUNÇÃO DO º GRAU Um função é dit do º gru, qundo é do tipo y = x + b, onde 0. Exemplos : 0. f(x) = x + 8 ( = ; b = 8 ) 0. f(x) = -5x + 5 ( = -5; b = 5). CARACTERÍSTICAS DA FUNÇÃO DO º GRAU I) O gráfico de um função do º gru é sempre um ret decrescente qundo <0. II) O gráfico de um função do º gru é sempre um ret crescente qundo >0. III) N função f(x) = x + b, se b = 0, f é dit função liner e se b 0, f é dit função fim. IV) O gráfico intercept o eixo dos x n riz d equção f(x) = 0 e, portnto, no ponto de bsciss x = - b/. V) O gráfico intercept o eixo dos y no ponto (0, b), que é o termo independente b, onde b é chmdo coeficiente liner. VI) O vlor é chmdo coeficiente ngulr e dá inclinção d ret. VII) qundo função é liner, ou sej, y = f(x) = x, o gráfico é um ret que sempre pss n origem, no ponto (0, 0). Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores 5

8 PRATICANDO 0.(NC.UFPR) Clculndo o vlor numérico d ( + b ) expressão b obtemos o vlor: ),75 b) 4,00 c),50 d),0 e),75 = e b = 0,5,, pr 0,5 0. Assinle lterntiv que corresponde função de cordo com o gráfico: 06. ( PUC - SP ) O gráfico bixo é o d ret y = x + b, qundo : ) < b) < 0 c) = 0 d) > 0 e) = 07. ( ITAJUBA-MG ) O gráfico bixo pode representr qul ds expressões? ) f(x)= -x+ b) f(x) = -x/ + c) f(x)= -x/ + d) f(x)=4x e) f(x)= -x 0. Obtenh função do º gru n vriável x que pss pelos pontos ( 0, ) e ( -, 0): ) y= x/ b) y=-x/ + c) y= x d) y= x/ + e) y= -x 04. O gráfico bixo represent função f(x)= x + b. Assinle lterntiv corret: ) = 0 ; b = 0 b) > 0 ; b > 0 c) < 0 ; b > 0 d) > 0 ; b = 0 e) > 0 ; b < ( UF-MA ) A representção d função y = - é um ret : ) prlel os eixo ds ordends b) perpendiculr o eixo ds ordends c) perpendiculr o eixo ds bscisss d) que intercept os dois eixos e) nd ) y = x - b) y = - x + c) y =,5 x + d) y = - x e) y = -,5x ( FGV - SP ) O gráfico d função f(x) = mx + n pss pelos pontos ( 4, ) e ( -, 6 ). Assim o vlor de m + n é : ) /5 b) /5 c) 7/5 d) /5 e),4 09. ( PUC - MG ) Um função do o gru é tl que f(-) = 5 e f()=-. Então f(0) é igul : ) 0 b) c) d) 4 e) - 0. ( FUVEST-SP ) A função que represent o vlor ser pgo pós um desconto de % sobre o vlor x de um mercdori é : ) f(x)= x- b) f(x)= 0,97x c) f(x)=,x d) f(x)=-x e) f(x)=,0x 6 Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

9 . ( UF-RN ) Sej função liner y = x - 4. Se y = 0 pr x = - então o vlor de y pr x = - é: ) b) 4 c) -7 d) - e) nd. ( MACK - SP ) A função f é definid por f(x)= x + b. Sbe-se que f(-) = e f() =. O vlor de f( ) é : ) 0 b) c) -5 d) - e) -. ( UNIFOR ) Sej função f de R em R definid por f(x) = mx + t representd pelo gráfico bixo. Nests condições: 6. A função f é representd grficmente por f y 0 Pode-se concluir que ) se f(x) < 0 então x >. b) se f(x) < 0 então x < 0. c) se x < então f(x) < 0. d) se 0 < b < e x > b então f(x) > f(b). 7.(EPCAR) A ret do gráfico bixo indic quntidde de soro (em ml) que um pesso deve tomr, em função de seu peso (ddo em Kgf), num trtmento de imunizção. A quntidde totl de soro ser tomd será dividid em 0 injeções idêntics. Quntos ml de soro receberá um indivíduo de 65 Kgf em cd plicção? x ml 0 ) m = t b) t = m c) m = t d) m + t = 0 e) m - t= Kgf 4. (AFA) Hotel Fzend B Chlés com comodção pr té 0 pessos. Diári do Chlé: 80 reis Refeição opcionl (4 reis por di por pesso) O Sr. Souz, espos e filhos optrm pelo psseio cim nuncido e, proveitndo s féris escolres, pssrm 5 dis hospeddos no Hotel Fzend B fzendo tods s refeições, gstndo o todo 00 reis, dos quis 80 reis cobrirm despess com telefone, frigobr e lzer. É correto firmr que ) fmíli levou 6 filhos. b) s despess com refeições totlizrm 400 reis. c) no chlé sobrrm 4 comodções. d) se não tivessem ocorrido s despess extrs com frigobr, telefone e lzer, eles poderim ter ficdo mis di e terim economizdo ind 0 reis. 5.(FAE-PR) Dois números inteiros positivos são tis que su som mis su diferenç mis o seu produto é igul 50. Qunts são s possíveis soluções pr esse problem? ) b) c) d) 4 e) 5 ) 0 b) c) 40 d) 4 8. (EXPCEX) Sbendo que função y = x + b, pode-se firmr que: ) O gráfico d função pss sempre pel origem. b) O gráfico d função cort sempre o eixo ds ordends. c) O zero d função é b/. d) A função é crescente pr < 0. e) O gráfico d função nunc pss pel origem. 9.(NC.UF-PR) Qul ds históris melhor se dpt o gráfico bixo? distânci de cs tempo Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores 7

10 ) Sí de cs clmmente, ms qundo vi que poderi me trsr, comecei cminhr mis rápido. b) Eu tinh cbdo de sir de cs qundo tive sensção de ter esquecido s chves do escritório. Prei pr procurá-ls n minh ml, ms não s encontrei. Voltei pr buscá-ls e depois pude seguir pr o escritório. c) Tinh cbdo de sir de cs qundo o pneu furou. Como meu crro estv sem estepe, precisei ficr hors esperndo pelo borrcheiro. Ele veio, consertou o pneu, e eu pude seguir vigem. d) Logo que sí de cs encontrei um migo que não vi há muito tempo. Prei pr conversr um pouco e depois segui pr o escritório. e) Sí de cs sem destino, dei um volt n qudr e resolvi voltr pr cs. O tempo estv pr chuv e resolvi não sir mis de cs. 0.(ACAFE-SC) Suponh que um compnhi de águ cobre o consumo residencil pel seguinte tbel: Fix de consumo por m Vlor em reis por m 0-0,0-5,00 mis de 5,50 O proprietário de um residênci, que num determindo mês consumiu 7m de águ, pgrá, em reis: ) 55,00 b) 67,50 c) 54,00 d) 45,00 e) 47,00. (ACAFE-SC) Dois tirdores, A e B, num série de 0 tiros num lvo com form indicd n figur bixo, obtiverm os resultdos que estão notdos no qudro ddo tirdores A B 6 8 Observndo médi de pontos dos tirdores A e B, lterntiv corret é: ) O tirdor B superou o tirdor A em pontos. b) O tirdor A teve melhor desempenho que o tirdor B. c) Os tirdores tiverm o mesmo desempenho. d) A médi de pontos do tirdor B é de 0 pontos. e) A médi de pontos do tirdor A é de 4 pontos.. (ACAFE-SC) Dois tlets A e B fzem teste de Cooper num pist retilíne, mbos correndo com velocidde constnte. A distânci (d) que cd um percorre é mostrd no gráfico bixo. d(m) B A x t(min) Com bse no gráfico, lterntiv corret é: ) A é mis veloz que B, pois percorre 600m em 0 min. b) B percorre km em 0 min. c) B é mis veloz que A, pois percorre 400m em 5 min. d) A e B correm n mesm velocidde. e) A percorre 400m em 0 min..(mack-sp) Considere s funções f (x) = x 5, g (x) = x + x 4 h(x) = x x e o número rel f ( 0 ) g( ) A =. h( ) Então 5. A vle: ) /6 b) 6 c) 6 d) 5 e) /5 GABARITO FUNÇÃO DO º GRAU 0 B 0 C 0 D 04 E 05 B 06 B 07 C 08 B 09 C 0 B A E C 4 C 5 D 6 A 7 D 8 B 9 A 0 E C B B 8 Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

11 EQUAÇÕES DO º GRAU DEFINIÇÃO É tod equção que pode ser reduzid à form: x + bx + c = 0 0 Em que: x é incógnit, b e c são constntes reis denominds coeficientes. c é o termo independente RESOLUÇÃO Ns equções, é costume chmr os vlores que stisfzem s equções de rízes. Resolver um equção signific determinr o seu conjunto-verdde, isto é, o conjunto de sus rízes. Pr equção do º gru x + bx + c = 0 Use formul de Báskr -b ± b - 4c x= O conjunto solução é: -b + b - 4c -b - b - 4c S= ; EXERCÍCIO RESOLVIDO 0. Em certo momento, o número de funcionários presentes em um gênci bncári er tl que, se o seu qudrdo somássemos o seu quádruplo, o resultdo obtido seri 57. Se 0 deles síssem d gênci, o número de funcionários n gênci pssri ser: ) b) c) 4 d) 5 e) 6 Resolução: x é o número de funcionários x =qudrdo de x 4x=quádruplo de x (x-0) é o que o teste solicit I) x +4x=57 x +4x-57=0 Aplicndo fórmul de Bháskr, temos: -b ± b - 4c x= -(4) ± (4) - 4()(-57) x= () Considerções Pr equção do º gru, qundo o discriminnte d equção, rdicndo n fórmul de Báskr: b -4c = I) Qundo > 0, mior que zero, equção tem dus rízes reis e diferentes entre si.. -b + b - 4c -b - b - 4c S= ; II) Qundo = 0, igul zero, equção tem dus rízes reis e iguis. S= -b -b ; III) Qundo < 0, menor que zero, equção tem dus rízes não reis e diferentes entre si. S = φ conjunto vzio, s rízes não são reis. OBTER AS RAÍZES PELO PRODUTO E SOMA (RELAÇÕES DE GIRARD) Sej equção: x - Sx + P = 0 = e x e x s rízes d equção, então podemos ter: som produto x + x = S x. x = P -4 ± 48 x= x =-6 não serve por ser negtivo. x = serve II) Respost: (x-0)=(-0)= PRATICANDO 0. (FUVEST) O conjunto verdde d equção x+ - + = x- 0. Sobre equção (x + ) (x + ) = x² + 6x + é verdde que: ) x é igul 0 b) x é igul c) x é igul 6 d) todos os números são soluções e) x é igul 0. 6x x = x - 8x + 7 = x - 6x + 9 = x - x + 5 = x + x = x = x - 5x + 6 = 0 Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores 9

12 0. O número de soluções inteirs d equção x = x-4 x x(x-4) ) 0 b) c) d) e) 4. A rzão entre som e o produto ds rízes d equção x - 7x + = 0. ) 7/ b) 7/ c) / d) /7 e) /7. Qul o menor número que se deve somr cd ftor do produto de 5 x, pr que este produto, umente de 75 uniddes? ) 7 b) 5 c) 7 d) 5 e). Qul é o menor vlor de "x" de modo que divisão de 0,5 por "x" tenh o mesmo resultdo d dição de 0,5 com "x"? ) 0,5 b) 0,5 c) d) e) 0 4. A som de um número e o seu qudrdo é 40. Qul é esse número? ) 66 b) 6 c) 6 d) 6 e) 64 5.(MACK-SP) Se (x y) (x + y) = 0, então x. y é igul : ) b) 0 c) 0 d) 5 e) 0 6.(ACAFE-SC) Um torneir deix cir x gots de águ cd 0 segundos. Sbendo-se que esse número x corresponde à riz positiv d equção x( x- ) = + x, o volume de águ que vz por hor, supondo que cd got corresponde 0,4ml, é: ) 504ml b) 540ml c) 5040ml d) 50,4ml e) 5400ml 7. (EXPCEX-97) Sejm m e n dois números inteiros positivos tis que m e n são ímpres consecutivos, com m.n=48. Nests condições, o vlor de m+n é igul : ) 64 b) 5 c) 46 d) 44 e) 0 Atulizd 8/0/007 GABARITO EQUAÇÃO DO º GRAU 0 e - 0 B 0 -/ e / 04 e Vzio em R 07-4 e / e / 09 e 0 B A D C 4 D 5 D 6 A 7 D FUNÇÃO DO GRAU VÉRTICE DE UMA PARÁBOLA Tod função do gru tem um ponto de máximo ou de mínimo. f( x ) = x + bx + c = 0 0 PONTO DE MÁXIMO V( x v, y v ) O ponto de máximo é ponto de mior ordend ( y v ) d função: f( x ) = x + bx + c = 0 < 0 Obs.: O coeficiente de x é NEGATIVO. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA y v PONTO DE MÍNIMO V( x v, y v ) O ponto de mínimo é ponto de menor ordend ( y v ) d função: f( x ) = x + bx + c = 0 > 0 Obs.: O coeficiente de x é POSITIVO. Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores 0 y V x v Ponto de máximo

13 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA y v 0 y x v V Ponto de mínimo CÁCULO DO VÉRTICE DA FUNÇÃO DO GRAU CÁLCULO DA ABSCISSA x v DO VÉRTICE b xv = Ou tmbém, clculndo médi ritmétic ds rízes ( x e x ): x + x xv = CÁLCULO DA ORDENADA y v DO VÉRTICE (MÁXIMO OU MÍNIMO) ( b - 4 c) y v = 4 Ou tmbém, substituindo x v n função: f ( x v ) = ( x v ) + b ( x v ) + c IMAGEM DA FUNÇÃO DO GRAU Imgem ) Se > 0 y y v ) Se < 0 y y v PRATICANDO 0. (ACAFE-SC) A função f(x) = x - x + tem mínimo no ponto em que x vle: ) 0 b) c) d) e) 4 0. (PUC-MG) O vlor máximo d função f(x) = - x + x + é: ) b) c) 4 d) 5 e) 6 x 0. (CEFET-PR) O mior vlor que y pode de ssumir n expressão y= - x +x é: ) b) c) d) 4 e) (UEL-PR) Se x e y são s coordends do vértice d prábol y= x -5x + 9, então x + y é igul : ) 5/6 b) /4 c) 8/ d) 89/8 e) 9/ 05. (MACK-SP) O ponto (k, k) pertence à curv dd por f(x) = x - x + k; então k pode ser: ) - b) - c) d) e) (UF-CE) Considere função f: IR è IR, definid por f(x) = x - x + 5. Pode-se firmr corretmente que: ) vértice do gráfico de f é o ponto (; 4); b) f possui dois zeros reis e distintos; c) f tinge um máximo pr x = ; d) gráfico de f é tngente o eixo ds bscisss. e) nd 07. (UF-GO) Se f(x) = x -, o conjunto de vlores de x tis que f(x ) = f(x) é: ) {0; } b) {- ; 0} c) { } d) {- ; } e) {; 4} 08. (PUC-RS) A imgem d função f: IR è IR, definid por f(x) = x -, é o intervlo: ) [-; ºº ) b) (-;ºº ) c) [0; ºº ) d) (- ;-) e) (-ºº ;- ] 09. (UEPG-PR) Sej função f(x) = x + 4 definid pr todo x rel. Seu conjunto - imgem é: ) {y E IR/y 4} b) {y E IR/-4<y<4} c) {y E IR/y>4} d) {y E IR/y 4} e) REAIS 0.. Em um prtid de vôlei, um jogdor deu um sque em que bol tingiu um ltur h em metros, num tempo t, em segundos, de cordo com relção h(t) = -t² + 8t. ) Em que instnte bol tingiu ltur máxim? [Not]: observem o vértice b) De quntos metros foi ltur máxim lcnçd pel bol? Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

14 .(FGV-SP) O lucro mensl de um empres é ddo por L = - x + 0x - 5, onde x é quntidde mensl vendid. Qul o lucro mensl máximo possível?.(unifap-fundap) Segundo firmm os Fisiologists, o número N de btimentos crdícos por minuto, pr um indivíduo sdio e em repouso, vri em função d tempertur mbiente T, em grus Celsius, e é ddo pel função N(T) = (0,) T 4 T ) Ess função possui máximo ou mínimo? b) A que tempertur o número de btimentos crdícos por minuto de um pesso sdi e em repouso será 90? c) Se um pesso sdi estiver dormindo em um qurto com refrigerção de 0º C, qul será o número de seus btimentos crdícos por minuto?.(fae-pr) Pr se produzir x uniddes de um certo produto, um empres tem como expressr o seu custo por C(x) = x - 50 x Anlise s proposições seguir: I) A empres deve produzir 5 uniddes pr que o custo sej mínimo. II) O custo mínimo d empres é de R$ 500,00. III) O custo de produção de 0 uniddes é mior que o custo de produção de 0 uniddes. Assinle lterntiv corret: ) Apens I está corret. b) Apens I e II estão correts. c) Apens I e III estão correts. d) Apens II e III estão correts. e) Tods estão correts. 4. (UF-PR) Um grupo de funcionários vi vijr pr prticipr de um congresso. Eles tiverm idéi de fretr um ônibus no qul todos vijrim juntos e cd um pgri o preço do fretmento dividido pelo número de pessos. Ao pesquisr os preços, descobrirm que um empres de turismo só ceitv grupos de 5 40 pssgeiros pr cd ônibus, e clculv o preço (em reis) do fretmento do ônibus pel fórmul p(x) = x + 70x + 50, onde x represent o número de pssgeiros. Considere s seguintes firmções respeito dos preços ness empres. I) Se vijrem 40 pessos, cd pesso pgrá mis de R$ 0,00. II) Se vijrem 0 pessos, o preço do fretmento será menor do que o preço correspondente 40 pessos. III) Existe um número x de pessos pr o qul o preço do fretmento é igul R$.50,00. Assinle lterntiv corret. ) Somente firmtiv I é verddeir. b) Somente firmtiv II é verddeir. c) Somente firmtiv III é verddeir. d) Somente s firmtivs II e III são verddeirs. e) Somente s firmtivs I e II são verddeirs. 5. (UF-PR) Se som de dois números é 4/ e o produto é 5/, então um dos números é: ). b). c). d) 4. e) (UF-RG) O movimento de um projétil, lnçdo pr cim verticlmente, é descrito pel equção y=- 40x +00x. Onde y é ltur, em metros, tingid pelo projétil x segundos pós o lnçmento. A ltur máxim tingid e o tempo que esse projétil permnece no r corresponde, respectivmente, : ) 6,5 m, 5s b) 50 m, 0 s c) 50 m, 5s d) 50 m, 00 s e) m, 5s 7. (EXPCEX) O projétil disprdo por um cnhão, posiciondo num ponto de ltitude igul 00 metros, tinge um lvo loclizdo num ponto de ltitude igul 00 metros. Considerndo-se que: I) A trjetóri descrit pelo projétil é dd pel equção 8 4 y = x x, II) Com x e y em quilômetros, e referencid um sistem crtesino com origem no cnhão. III) O lvo é tingido qundo o projétil encontr-se no rmo descendente d su trjetóri. Ns condições cim descrits, pode-se firmr que distânci horizontl entre s posições do cnhão e do lvo é: ) 0,5 km b),0 km c),5 km d),0 km e),5 km 8. (EXPCEX) Um currl retngulr será construído proveitndo-se um muro pré-existente no terreno, por medid de economi. Pr cercr os outros três ldos, serão utilizdos 600 metros de tel de rme. Pr que áre do currl sej mior possível, rzão entre s sus menor e mior dimensões será: )0,5 b)0,50 c)0,75 d),00 e),5 Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

15 9. (EXPCEX) N crição de um determindo niml pr bte, o cridor dispõe de estudos que lhe informm que o custo d crição evolui no tempo segundo relção PC = t + t + 00 ; o 0 preço obtido pelo cridor o vender o produto evolui no tempo segundo relção PV = t + t + 00 ; onde PC e PV são 0 respectivmente os preços de custo e de vend d rrob de crne, em reis, e t, o tempo de engord, em dis. Nests condições pode-se firmr que o tempo de engord que fornece mior lucro (PV PC) é em dis de: ) 0. b) 0. c) 90 d) 60 e) 50 0.(UFF-RJ) Um fzendeiro pretende destinr um terreno retngulr à plntção de muds. Pr limitr o terreno, deverá estender 000 m de tel o longo de três de seus ldos o qurto ldo coincidirá com um muro reto. Nests condições clcule, em metros qudrdos, mior áre possível de ser limitd. GABARITO FUNÇÃO DO º GRAU 0 B 0 B 0 A 04 E 05 E 06 A 07 A 08 A 09 D 0 4 e 6 0 ) mínimo b) 40 c) 50 C 4 A 5 E 6 C 7 C 8 B 9 B B INEQUAÇÃO DO º GRAU.(UNB-CESPE) Em um terreno, que tem form de um triângulo retângulo com ctetos medindo 0 m e 40 m, desej-se construir um cs retngulr de dimensões x e y, como indicdo n figur que segue. Nesss condições, pr que áre ocupd pel cs sej mior possível, o vlor de seu semiperímetro, em metros, deverá ser igul ) 0 b ) 5 c) 40 d) 45 e) 50 DEFINIÇÃO Chm-se inequção do º gru tod sentenç bert do tipo: x + b > 0 x + b 0 x + b < 0 x + b 0, onde R* e b R. Resolver em R, um inequção do º gru, é determinr o conjunto de todos os vlores d vriável x pr os quis desiguldde fique stisfeit. INEQUAÇÕES DO º GRAU DEFINIÇÃO Chm-se inequção do º gru tod sentenç bert do tipo: x + bx + c > 0 x + bx + c 0 x + bx + c < 0 x + bx + c 0 com R*, b R e c R; Resolver, em R, um inequção do º gru, é determinr o conjunto de todos os vlores d vriável x pr os quis desiguldde fique stisfeit. EXISTÊNCIA DE UMA FUNÇÃO Sej y = f(x) um função de vriável x, pr s funções que seguem devemos impor condição de existênci: y = f( x ) 0 f( x ) P A R y = f( x ) f( x ) 0 y = f( x ) > 0 P A R f( x ) Atulizd 8/0/007 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

16 TESTES 0. Resolv em IR inequção, x 0 < Resolv em IR inequção, x Resolv em IR inequção, -x- - + x. 04. Resolv em IR inequção, x -x. 05. Resolv em IR inequção, x 5x + 4 > Resolv em IR inequção, x 5x Resolv em IR inequção, x 4x + 4 > 0. SISTEMA DE INEQUAÇÕES 4. (CESCEM-SP) O conjunto de vlores de x que stisfz o sistem de inequções x 4x + > 0 é: x x < 0 ) 0 < x < b) IR c) x < 0 ou x > d) < x < e) nd 5. (UNESP) Os vlores de x IR que stisfzem o x 4 < 0 sistem são tis que: x x < 0 ) < x < b) - < x < - c) 0 < x < d) < x < e) - < x < Resolv em IR inequção, x 4x Resolv em IR inequção, x 4x + 4 < Resolv em IR inequção, -x + x - 4 > 0.. (FCC) Perguntrm José quntos nos tinh su filh e ele respondeu: "A idde del é numericmente igul à mior ds soluções inteirs d inequção x x 90 < 0." É correto firmr que idde d filh de José é um número ) qudrdo perfeito. b) primo. c) menor que 0. d) divisível por 4. e) múltiplo de 6.. (CESGRANRIO-RJ) O conjunto solução d inequção x - x - 0 < 0 é: ) (-, - ) b) (-, - ) (5, ) c) (-, 5) d) (0, ) e) (, 0). (UF-SE) O trinômio y = x + kx + 4k dmitirá dus rízes reis e distints se, e somente se: ) k > 4 b) k > 0 e k 4 c) k < 0 ou k > 4 d) k 0 e k 4 e) 0 < k < 4 4 Atulizd 8/0/007 INEQUAÇÕES PRODUTO - QUOCIENTE 6. (UEPG-PR) Resolvendo-se inequção ( x-5). ( x - x -5 ) 0 obtém-se: ) S = { x R / x < } b) S = { x R / - x 5 } c) S = { x R / x ou x 5 } d) S = { x R / x - } { 5 } e) nd 7. (CESCEA-SP) A solução d inequção ( x - ). ( - x + x + 0 ) > 0 é: ) - < x < ou x > 5 b) < x < 5 ou x < - c) - < x < 5 d) X > 6 e) x < 8. ( PUC - PR ) A solução d inequção ( x - ). ( - x + x + 0 ) > 0 é : ) x < - ou < x < 5 b) - < x < ou x > 5 c) - < x < d) x > e) x < 5 9. (UF-SE) O conjunto solução d inequção x + 0 em R é: x 5 ) [ -, 5/ ) b) ( -, 5/ ) c) [-, 5/ ] d) ] - ºº, - ] e) ] - ºº, - ] [ 5/. ºº[ 0. (UEL-PR) Quntos números inteiros stisfzem 4 - x inequção 0? + x ) b) c) 4 d) 5 e) 6 Neste curso os melhores lunos estão sendo preprdos pelos melhores Professores

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FASE 1 DO VESTIBULAR DA UFBA/UFRB-2007 POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FASE 1 DO VESTIBULAR DA UFBA/UFRB-2007 POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FASE DO VESTIBULAR DA UFBA/UFRB-7 POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA Questão Sore números reis, é correto firmr: () Se é o mior número de três lgrismos divisível

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na GV

CPV O cursinho que mais aprova na GV O cursinho que mis prov n GV FGV Administrção 04/junho/006 MATEMÁTICA 0. Pulo comprou um utomóvel fle que pode ser bstecido com álcool ou com gsolin. O mnul d montdor inform que o consumo médio do veículo

Leia mais

Uma roda gigante tem 10m de raio e possui 12 assentos, igualmente espaçados, e gira no sentido horário.

Uma roda gigante tem 10m de raio e possui 12 assentos, igualmente espaçados, e gira no sentido horário. Questão PROVA FINAL DE MATEMÁTICA - TURMAS DO O ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO ANCHIETA-BA - OUTUBRO DE. ELABORAÇÃO: PROFESSORES OCTAMAR MARQUES E ADRIANO CARIBÉ. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Um rod

Leia mais

64 5 y e log 2. 32 5 z, então x 1 y 1 z é igual a: c) 13 e) 64 3. , respectivamente. Admitindo-se que E 1 foi equivalente à milésima parte de E 2

64 5 y e log 2. 32 5 z, então x 1 y 1 z é igual a: c) 13 e) 64 3. , respectivamente. Admitindo-se que E 1 foi equivalente à milésima parte de E 2 Resolução ds tividdes complementres Mtemátic M Função Logrítmic p. (UFSM-RS) Sejm log, log 6 e log z, então z é igul : ) b) c) e) 6 d) log log 6 6 log z z z z (UFMT) A mgnitude de um terremoto é medid

Leia mais

COLÉGIO NAVAL 2016 (1º dia)

COLÉGIO NAVAL 2016 (1º dia) COLÉGIO NAVAL 016 (1º di) MATEMÁTICA PROVA AMARELA Nº 01 PROVA ROSA Nº 0 ( 5 40) 01) Sej S som dos vlores inteiros que stisfzem inequção 10 1 0. Sendo ssim, pode-se firmr que + ) S é um número divisíel

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UNESP VESTIBULAR 2012 1 a Fase RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UNESP VESTIBULAR 2012 1 a Fase RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UNESP VESTIBULAR 01 1 Fse Prof. Mri Antôni Gouvei. QUESTÃO 83. Em 010, o Instituto Brsileiro de Geogrfi e Esttístic (IBGE) relizou o último censo populcionl brsileiro, que mostrou

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

Gabarito - Matemática Grupo G

Gabarito - Matemática Grupo G 1 QUESTÃO: (1,0 ponto) Avlidor Revisor Um resturnte cobr, no lmoço, té s 16 h, o preço fixo de R$ 1,00 por pesso. Após s 16h, esse vlor ci pr R$ 1,00. Em determindo di, 0 pessos lmoçrm no resturnte, sendo

Leia mais

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Matemática

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Matemática Vestibulr UFRG 0 Resolução d Prov de Mtemátic 6. Alterntiv (C) 00 bilhões 00. ( 000 000 000) 00 000 000 000 0 7. Alterntiv (B) Qundo multiplicmos dois números com o lgrismo ds uniddes igul 4, o lgrismo

Leia mais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais POTÊNCIAS A potênci de epoente n ( n nturl mior que ) do número, representd por n, é o produto de n ftores iguis. n =...... ( n ftores) é chmdo de bse n é chmdo de epoente Eemplos =... = 8 =... = PROPRIEDADES

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE CURSO: ADMINISTRAÇÃO/CIÊNCIAS CONTÁBEI /LOGISTICA ASSUNTO: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE FUNÇÕES

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE CURSO: ADMINISTRAÇÃO/CIÊNCIAS CONTÁBEI /LOGISTICA ASSUNTO: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE FUNÇÕES FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE CURSO: ADMINISTRAÇÃO/CIÊNCIAS CONTÁBEI /LOGISTICA ASSUNTO: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE FUNÇÕES PROFESSOR: MARCOS AGUIAR MAT. BÁSICA I. FUNÇÕES. DEFINIÇÃO Ddos

Leia mais

f(x) é crescente e Im = R + Ex: 1) 3 > 81 x > 4; 2) 2 x 5 = 16 x = 9; 3) 16 x - 4 2x 1 10 = 2 2x - 1 x = 1;

f(x) é crescente e Im = R + Ex: 1) 3 > 81 x > 4; 2) 2 x 5 = 16 x = 9; 3) 16 x - 4 2x 1 10 = 2 2x - 1 x = 1; Curso Teste - Eponencil e Logritmos Apostil de Mtemátic - TOP ADP Curso Teste (ii) cso qundo 0 < < 1 EXPONENCIAL E LOGARITMO f() é decrescente e Im = R + 1. FUNÇÃO EXPONENCIAL A função f: R R + definid

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST VESTIBULAR 2010 1 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVET VETIBULAR 00 Fse Prof. Mri Antôni Gouvei. Q-7 Um utomóvel, modelo flex, consome litros de gsolin pr percorrer 7km. Qundo se opt pelo uso do álcool, o utomóvel consome 7 litros

Leia mais

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é,

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é, Mtemátic Aplicd Considere, no espço crtesino idimensionl, os movimentos unitários N, S, L e O definidos seguir, onde (, ) R é um ponto qulquer: N(, ) (, ) S(, ) (, ) L(, ) (, ) O(, ) (, ) Considere ind

Leia mais

4 π. 8 π Considere a função real f, definida por f(x) = 2 x e duas circunferência C 1 e C 2, centradas na origem.

4 π. 8 π Considere a função real f, definida por f(x) = 2 x e duas circunferência C 1 e C 2, centradas na origem. EFOMM 2010 1. Anlise s firmtivs bixo. I - Sej K o conjunto dos qudriláteros plnos, seus subconjuntos são: P = {x K / x possui ldos opostos prlelos}; L = {x K / x possui 4 ldos congruentes}; R = {x K /

Leia mais

1 As grandezas A, B e C são tais que A é diretamente proporcional a B e inversamente proporcional a C.

1 As grandezas A, B e C são tais que A é diretamente proporcional a B e inversamente proporcional a C. As grndezs A, B e C são tis que A é diretmente proporcionl B e inversmente proporcionl C. Qundo B = 00 e C = 4 tem-se A = 5. Qul será o vlor de A qundo tivermos B = 0 e C = 5? B AC Temos, pelo enuncido,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO/2006 RESOLUÇÃO 1. Braz Moura Freitas, Margareth da Silva Alves, Olímpio Hiroshi Miyagaki, Rosane Soares Moreira Viana.

PROCESSO SELETIVO/2006 RESOLUÇÃO 1. Braz Moura Freitas, Margareth da Silva Alves, Olímpio Hiroshi Miyagaki, Rosane Soares Moreira Viana. PROCESSO SELETIVO/006 RESOLUÇÃO MATEMÁTICA Brz Mour Freits, Mrgreth d Silv Alves, Olímpio Hiroshi Miygki, Rosne Sores Moreir Vin QUESTÕES OBJETIVAS 0 Pr rrecdr doções, um Entidde Beneficente usou um cont

Leia mais

POLINÔMIOS. Definição: Um polinômio de grau n é uma função que pode ser escrita na forma. n em que cada a i é um número complexo (ou

POLINÔMIOS. Definição: Um polinômio de grau n é uma função que pode ser escrita na forma. n em que cada a i é um número complexo (ou POLINÔMIOS Definição: Um polinômio de gru n é um função que pode ser escrit n form P() n n i 0... n i em que cd i é um número compleo (ou i 0 rel) tl que n é um número nturl e n 0. Os números i são denomindos

Leia mais

UNITAU APOSTILA. SUCESSÃO, PA e PG PROF. CARLINHOS

UNITAU APOSTILA. SUCESSÃO, PA e PG PROF. CARLINHOS ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA SUCESSÃO, PA e PG PROF. CARLINHOS NOME DO ALUNO: Nº TURMA: blog.portlpositivo.com.br/cpitcr 1 SUCESSÃO OU SEQUENCIA NUMÉRICA Sucessão ou seqüênci

Leia mais

CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA

CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA [Digite teto] CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA BELO HORIZONTE MG [Digite teto] CONJUNTOS NÚMERICOS. Conjunto dos números nturis Ν é o conjunto de todos os números contáveis. N { 0,,,,,, K}. Conjunto dos números

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos

3. Cálculo integral em IR 3.1. Integral Indefinido 3.1.1. Definição, Propriedades e Exemplos 3. Cálculo integrl em IR 3.. Integrl Indefinido 3... Definição, Proprieddes e Exemplos A noção de integrl indefinido prece ssocid à de derivd de um função como se pode verificr prtir d su definição: Definição

Leia mais

b 2 = 1: (resp. R2 e ab) 8.1B Calcule a área da região delimitada pelo eixo x, pelas retas x = B; B > 0; e pelo grá co da função y = x 2 exp

b 2 = 1: (resp. R2 e ab) 8.1B Calcule a área da região delimitada pelo eixo x, pelas retas x = B; B > 0; e pelo grá co da função y = x 2 exp 8.1 Áres Plns Suponh que cert região D do plno xy sej delimitd pelo eixo x, pels rets x = e x = b e pelo grá co de um função contínu e não negtiv y = f (x) ; x b, como mostr gur 8.1. A áre d região D é

Leia mais

TRIGONOMETRIA. A trigonometria é uma parte importante da Matemática. Começaremos lembrando as relações trigonométricas num triângulo retângulo.

TRIGONOMETRIA. A trigonometria é uma parte importante da Matemática. Começaremos lembrando as relações trigonométricas num triângulo retângulo. TRIGONOMETRIA A trigonometri é um prte importnte d Mtemátic. Começremos lembrndo s relções trigonométrics num triângulo retângulo. Num triângulo ABC, retângulo em A, indicremos por Bˆ e por Ĉ s medids

Leia mais

AULA 1. 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES 1.1 Linguagem Matemática

AULA 1. 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES 1.1 Linguagem Matemática 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES 1.1 Lingugem Mtemátic AULA 1 1 1.2 Conjuntos Numéricos Chm-se conjunto o grupmento num todo de objetos, bem definidos e discerníveis, de noss percepção ou de nosso entendimento, chmdos

Leia mais

Relações em triângulos retângulos semelhantes

Relações em triângulos retângulos semelhantes Observe figur o ldo. Um escd com seis degrus está poid em num muro de m de ltur. distânci entre dois degrus vizinhos é 40 cm. Logo o comprimento d escd é 80 m. distânci d bse d escd () à bse do muro ()

Leia mais

a) sexto b) sétimo c) oitavo d) nono e) décimo

a) sexto b) sétimo c) oitavo d) nono e) décimo 1 INSPER 16/06/013 Seu Pé Direito ns Melhores Fculddes 1. Nos plnos seguir, estão representds dus relções entre s vriáveis x e y: y = x e y = x, pr x 0.. Em um sequênci, o terceiro termo é igul o primeiro

Leia mais

Programação Linear Introdução

Programação Linear Introdução Progrmção Liner Introdução Prof. Msc. Fernndo M. A. Nogueir EPD - Deprtmento de Engenhri de Produção FE - Fculdde de Engenhri UFJF - Universidde Federl de Juiz de For Progrmção Liner - Modelgem Progrmção

Leia mais

Trabalhando-se com log 3 = 0,47 e log 2 = 0,30, pode-se concluir que o valor que mais se aproxima de log 146 é

Trabalhando-se com log 3 = 0,47 e log 2 = 0,30, pode-se concluir que o valor que mais se aproxima de log 146 é Questão 0) Trlhndo-se com log = 0,47 e log = 0,0, pode-se concluir que o vlor que mis se proxim de log 46 é 0),0 0),08 0),9 04),8 0),64 Questão 0) Pr se clculr intensidde luminos L, medid em lumens, um

Leia mais

IME MATEMÁTICA. Questão 01. Calcule o número natural n que torna o determinante abaixo igual a 5. Resolução:

IME MATEMÁTICA. Questão 01. Calcule o número natural n que torna o determinante abaixo igual a 5. Resolução: IME MATEMÁTICA A mtemátic é o lfbeto com que Deus escreveu o mundo Glileu Glilei Questão Clcule o número nturl n que torn o determinnte bixo igul 5. log (n ) log (n + ) log (n ) log (n ) Adicionndo s três

Leia mais

Progressões Aritméticas

Progressões Aritméticas Segund Etp Progressões Aritmétics Definição São sequêncis numérics onde cd elemento, prtir do segundo, é obtido trvés d som de seu ntecessor com um constnte (rzão).,,,,,, 1 3 4 n 1 n 1 1º termo º termo

Leia mais

1. VARIÁVEL ALEATÓRIA 2. DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE

1. VARIÁVEL ALEATÓRIA 2. DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE Vriáveis Aletóris 1. VARIÁVEL ALEATÓRIA Suponhmos um espço mostrl S e que cd ponto mostrl sej triuído um número. Fic, então, definid um função chmd vriável letóri 1, com vlores x i2. Assim, se o espço

Leia mais

COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE CONCURSO DE ADMISSÃO 2006 / 2007 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE CONCURSO DE ADMISSÃO 2006 / 2007 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO MILITA DE BELO HOIZONTE CONCUSO DE ADMISSÃO 6 / 7 POVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉIE DO ENSINO MÉDIO CONFEÊNCIA: Chefe d Sucomissão de Mtemátic Chefe d COC Dir Ens CPO / CMBH CONCUSO DE ADMISSÃO À 1ª SÉIE

Leia mais

FUNÇÃO LOGARITMICA. Professora Laura. 1 Definição de Logaritmo

FUNÇÃO LOGARITMICA. Professora Laura. 1 Definição de Logaritmo 57 FUÇÃO LOGARITMICA Professor Lur 1 Definição de Logritmo Chm se logritmo de um número > 0 em relção um bse (0 < 1), o expoente que se deve elevr bse, fim de que potênci obtid sej igul. log, onde: > 0,

Leia mais

EXPOENTE. Podemos entender a potenciação como uma multiplicação de fatores iguais.

EXPOENTE. Podemos entender a potenciação como uma multiplicação de fatores iguais. EXPOENTE 2 3 = 8 RESULTADO BASE Podeos entender potencição coo u ultiplicção de ftores iguis. A Bse será o ftor que se repetirá O expoente indic qunts vezes bse vi ser ultiplicd por el es. 2 5 = 2. 2.

Leia mais

Bhaskara e sua turma Cícero Thiago B. Magalh~aes

Bhaskara e sua turma Cícero Thiago B. Magalh~aes 1 Equções de Segundo Gru Bhskr e su turm Cícero Thigo B Mglh~es Um equção do segundo gru é um equção do tipo x + bx + c = 0, em que, b e c são números reis ddos, com 0 Dd um equção do segundo gru como

Leia mais

Reforço Orientado. Matemática Ensino Médio Aula 4 - Potenciação. Nome: série: Turma: t) (0,2) 4. a) 10-2. b) (-2) -2. 2 d) e) (0,1) -2.

Reforço Orientado. Matemática Ensino Médio Aula 4 - Potenciação. Nome: série: Turma: t) (0,2) 4. a) 10-2. b) (-2) -2. 2 d) e) (0,1) -2. Reforço Orientdo Mtemátic Ensino Médio Aul - Potencição Nome: série: Turm: Exercícios de sl ) Clcule s potêncis, em cd qudro: r) b) (-) Qudro A s) t) (0,) Qudro B - b) (-) - e) (-,) g) (-) h) e) (0,) -

Leia mais

Material envolvendo estudo de matrizes e determinantes

Material envolvendo estudo de matrizes e determinantes E. E. E. M. ÁREA DE CONHECIMENTO DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS PROFESSORA ALEXANDRA MARIA º TRIMESTRE/ SÉRIE º ANO NOME: Nº TURMA: Mteril envolvendo estudo de mtrizes e determinntes INSTRUÇÕES:. Este

Leia mais

Aprimorando os Conhecimentos de Mecânica Lista 7 Grandezas Cinemáticas I

Aprimorando os Conhecimentos de Mecânica Lista 7 Grandezas Cinemáticas I Aprimorndo os Conhecimentos de Mecânic List 7 Grndezs Cinemátics I 1. (PUCCAMP-98) Num birro, onde todos os qurteirões são qudrdos e s rus prlels distm 100m um d outr, um trnseunte fz o percurso de P Q

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA UNICAMP 2016 FASE 2. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA UNICAMP 2016 FASE 2. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA VESTIBULAR DA UNICAMP 6 FASE. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA. O gráfico de brrs bixo exibe distribuição d idde de um grupo de pessos. ) Mostre que, nesse grupo,

Leia mais

Matemática. Prova: 05/08/12. Questão 1. Questão 2. Considere os seguintes conjuntos numéricos,,,, = e considere também os seguintes conjuntos:

Matemática. Prova: 05/08/12. Questão 1. Questão 2. Considere os seguintes conjuntos numéricos,,,, = e considere também os seguintes conjuntos: Prov: 05/08/ Mtemátic Questão Considere os seguintes conjuntos numéricos,,,, = e considere tmbém os seguintes conjuntos: A= ( ) ( ) B= ( ) D= ( ) ( ) Ds lterntivs bixo, que present elementos que pertencem

Leia mais

tem-se: Logo, x é racional. ALTERNATIVA B AB : segmento de reta unindo os pontos A e B. m (AB) : medida (comprimento) de AB.

tem-se: Logo, x é racional. ALTERNATIVA B AB : segmento de reta unindo os pontos A e B. m (AB) : medida (comprimento) de AB. MÚLTIPL ESCOLH NOTÇÕES C : conjunto dos números compleos. Q : conjunto dos números rcionis. R : conjunto dos números reis. Z : conjunto dos números inteiros. N {0,,,,...}. N* {,,,...}. : conjunto vzio.

Leia mais

Números Reais intervalos, números decimais, dízimas, números irracionais, ordem, a reta, módulo, potência com expoente racional.

Números Reais intervalos, números decimais, dízimas, números irracionais, ordem, a reta, módulo, potência com expoente racional. UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA UNIDADE DE APOIO EDUCACIONAL UAE MAT 099 - Tutori de Mtemátic Tópicos: Números Rcionis operções e proprieddes (frções, regr de sinl, som, produto e divisão de frções, potênci

Leia mais

Matemática D Extensivo V. 6

Matemática D Extensivo V. 6 Mtemátic D Extensivo V. 6 Exercícios 0) ) cm Por definição temos que digonl D vle: D = D = cm. b) 6 cm² A áre d lterl é dd pel som ds áres dos qutro ldos que compõe: =. ² =. ( cm)² = 6 cm² c) 96 cm² O

Leia mais

Resolução A primeira frase pode ser equacionada como: QUESTÃO 3. Resolução QUESTÃO 2 QUESTÃO 4. Resolução

Resolução A primeira frase pode ser equacionada como: QUESTÃO 3. Resolução QUESTÃO 2 QUESTÃO 4. Resolução (9) - www.elitecmpins.com.br O ELITE RESOLVE MATEMÁTICA QUESTÃO Se Améli der R$, Lúci, então mbs ficrão com mesm qunti. Se Mri der um terço do que tem Lúci, então est ficrá com R$, mis do que Améli. Se

Leia mais

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o VETORES INTRODUÇÃO No módulo nterior vimos que s grndezs físics podem ser esclres e vetoriis. Esclres são quels que ficm perfeitmente definids qundo expresss por um número e um significdo físico: mss (2

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M24 Equações Polinomiais. 1 (PUC-SP) No universo C, a equação

Matemática. Resolução das atividades complementares. M24 Equações Polinomiais. 1 (PUC-SP) No universo C, a equação Resolução ds tividdes complementres Mtemátic M Equções Polinomiis p. 86 (PUC-SP) No universo C, equção 0 0 0 dmite: ) três rízes rcionis c) dus rízes irrcionis e) um únic riz positiv b) dus rízes não reis

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Questões de Vestibulares. e B = 2

LISTA DE EXERCÍCIOS Questões de Vestibulares. e B = 2 LISTA DE EXERCÍCIOS Questões de Vestiulres ) UFBA 9 Considere s mtries A e B Sendo-se que X é um mtri simétri e que AX B, determine -, sendo Y ( ij) X - R) ) UFBA 9 Dds s mtries A d Pode-se firmr: () se

Leia mais

RESOLUÇÃO DA AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA 3 o ANO DO ENSINO MÉDIO DATA: 19/03/11

RESOLUÇÃO DA AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA 3 o ANO DO ENSINO MÉDIO DATA: 19/03/11 RESOLUÇÃO DA AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA o ANO DO ENSINO MÉDIO DATA: 9// PROFESSORES: CARIBE E MANUEL O slário bruto mensl de um vendedor é constituído de um prte fi igul R$., mis um comissão de % sobre o

Leia mais

Matemática UNICAMP ETAPA. Resposta. Resposta QUESTÃO 14 QUESTÃO 13

Matemática UNICAMP ETAPA. Resposta. Resposta QUESTÃO 14 QUESTÃO 13 Mtemátic UNICAMP QUESTÃO 1 Em 1 de outubro de 01, Felix Bumgrtner quebrou o recorde de velocidde em qued livre. O slto foi monitordo oficilmente e os vlores obtidos estão expressos de modo proximdo n tbel

Leia mais

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa Físic 1 - Cpítulo 3 Movimento Uniformemente Vrido (m.u.v.) Acelerção Esclr Médi v 1 v 2 Movimento Vrido: é o que tem vrições no vlor d velocidde. Uniddes de celerção: m/s 2 ; cm/s 2 ; km/h 2 1 2 Acelerção

Leia mais

CONCURSO DE SELEÇÃO 2003 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

CONCURSO DE SELEÇÃO 2003 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONCURSO DE SELEÇÃO 003 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 41100 0$7(0É7,&$ RESOLUÇÃO PELA PROFESSORA MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA $ LOXVWUDomR TXH VXEVWLWXL D RULJLQDO GD TXHVWmR H DV GDV UHVROXo}HV

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M13 Progressões Geométricas

Matemática. Resolução das atividades complementares. M13 Progressões Geométricas Resolução ds tividdes complementres Mtemátic M Progressões Geométrics p. 7 Qul é o o termo d PG (...)? q q? ( ) Qul é rzão d PG (...)? q ( )? ( ) 8 q 8 q 8 8 Três números reis formm um PG de som e produto

Leia mais

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos?

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos? A UA UL LA 58 Clculndo volumes Pr pensr l Considere um cubo de rest : Pr construir um cubo cuj rest sej o dobro de, de quntos cubos de rest precisremos? l Pegue um cix de fósforos e um cix de sptos. Considerndo

Leia mais

81,9(56,'$'( )('(5$/ '2 5,2 '( -$1(,52 &21&8562 '( 6(/(d 2 0$7(0É7,&$

81,9(56,'$'( )('(5$/ '2 5,2 '( -$1(,52 &21&8562 '( 6(/(d 2 0$7(0É7,&$ 81,9(56,'$'( )('(5$/ ' 5, '( -$1(,5 &1&856 '( 6(/(d 0$7(0É7,&$ -867,),48( 7'$6 $6 68$6 5(667$6 De um retângulo de 18 cm de lrgur e 48 cm de comprimento form retirdos dois qudrdos de ldos iguis 7 cm, como

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

x n NOTA Tipo de Avaliação: Material de Apoio Disciplina: Matemática Turma: Aulão + Professor (a): Jefferson Cruz Data: 24/05/2014 DICAS do Jeff

x n NOTA Tipo de Avaliação: Material de Apoio Disciplina: Matemática Turma: Aulão + Professor (a): Jefferson Cruz Data: 24/05/2014 DICAS do Jeff NOTA Tipo de Avlição: Mteril de Apoio Disciplin: Mtemátic Turm: Aulão + Professor (): Jefferson Cruz Dt: 24/05/2014 DICAS do Jeff Olhr s lterntivs ntes de resolver s questões, principlmente em questões

Leia mais

Projecções Cotadas. Luís Miguel Cotrim Mateus, Assistente (2006)

Projecções Cotadas. Luís Miguel Cotrim Mateus, Assistente (2006) 1 Projecções Cotds Luís Miguel Cotrim Mteus, Assistente (2006) 2 Nestes pontmentos não se fz o desenvolvimento exustivo de tods s mtéris, focndo-se pens lguns items. Pelo indicdo, estes pontmentos não

Leia mais

Colegio Naval ) O algoritmo acima foi utilizado para o cálculo do máximo divisor comum entre os números A e B. Logo A + B + C vale

Colegio Naval ) O algoritmo acima foi utilizado para o cálculo do máximo divisor comum entre os números A e B. Logo A + B + C vale Colegio Nvl 005 01) O lgoritmo cim foi utilizdo pr o cálculo do máximo divisor comum entre os números A e B. Logo A + B + C vle (A) 400 (B) 300 (C) 00 (D) 180 (E) 160 Resolvendo: Temos que E 40 C E C 40

Leia mais

Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa

Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Integrção Numéric Diogo Pinheiro Fernndes Pedros Universidde Federl do Rio Grnde do Norte Centro de Tecnologi Deprtmento de Engenhri de Computção e Automção http://www.dc.ufrn.br/ 1 Introdução O conceito

Leia mais

CONJUNTOS NUMÉRICOS Símbolos Matemáticos

CONJUNTOS NUMÉRICOS Símbolos Matemáticos CONJUNTOS NUMÉRICOS Símolos Mtemáticos,,... vriáveis e prâmetros igul A, B,... conjuntos diferente pertence > mior que não pertence < menor que está contido mior ou igul não está contido menor ou igul

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA - TURMAS DO

PROVA DE MATEMÁTICA - TURMAS DO PROVA DE MATEMÁTICA - TURMAS DO o ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO ANCHIETA-BA - MARÇO DE 0. ELABORAÇÃO: PROFESSORES ADRIANO CARIBÉ E WALTER PORTO. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Questão 0. (UDESC SC)

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 - CAPES MATRIZES

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 - CAPES MATRIZES Universidde Federl do Rio Grnde FURG Instituto de Mtemátic, Esttístic e Físic IMEF Editl - CAPES MATRIZES Prof. Antônio Murício Medeiros Alves Profª Denise Mri Vrell Mrtinez Mtemátic Básic pr Ciêncis Sociis

Leia mais

APOSTILA. Matemática Aplicada. Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR. Lauro César Galvão

APOSTILA. Matemática Aplicada. Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR. Lauro César Galvão POSTIL Mtemátic plicd Universidde Tecnológic Federl do Prná UTFPR Césr Glvão Índices SISTEMTIZÇÃO DOS CONJUNTOS NUMÉRICOS...-. CONJUNTOS NUMÉRICOS...-.. Conjunto dos números nturis...-.. Conjunto dos números

Leia mais

5) Para b = temos: 2. Seja M uma matriz real 2 x 2. Defina uma função f na qual cada elemento da matriz se desloca para a posição. e as matrizes são:

5) Para b = temos: 2. Seja M uma matriz real 2 x 2. Defina uma função f na qual cada elemento da matriz se desloca para a posição. e as matrizes são: MATEMÁTIA Sej M um mtriz rel x. Defin um função f n qul cd elemento d mtriz se desloc pr posição b seguinte no sentido horário, ou sej, se M =, c d c implic que f (M) =. Encontre tods s mtrizes d b simétrics

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza Operdores momento e energi e o Princípio d Incertez A U L A 5 Mets d ul Definir os operdores quânticos do momento liner e d energi e enuncir o Princípio d Incertez de Heisenberg. objetivos clculr grndezs

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 CAPES. FUNÇÕES Parte B

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 CAPES. FUNÇÕES Parte B Universidde Federl do Rio Grnde FURG Instituto de Mtemátic, Esttístic e Físic IMEF Editl 5 CPES FUNÇÕES Prte B Prof. ntônio Murício Medeiros lves Profª Denise Mri Vrell Mrtinez UNIDDE FUNÇÕES PRTE B. FUNÇÂO

Leia mais

Função Modular. x, se x < 0. x, se x 0

Função Modular. x, se x < 0. x, se x 0 Módulo de um Número Rel Ddo um número rel, o módulo de é definido por:, se 0 = `, se < 0 Observção: O módulo de um número rel nunc é negtivo. Eemplo : = Eemplo : 0 = ( 0) = 0 Eemplo : 0 = 0 Geometricmente,

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA B DO ENSINO SECUNDÁRIO (CÓDIGO DA PROVA 735) 1ª FASE 23 DE JUNHO 2015 GRUPO I

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA B DO ENSINO SECUNDÁRIO (CÓDIGO DA PROVA 735) 1ª FASE 23 DE JUNHO 2015 GRUPO I Associção de Professores de Mtemátic Contctos: Ru Dr. João Couto, n.º 27-A 1500-236 Lisbo Tel.: +351 21 716 36 90 / 21 711 03 77 Fx: +351 21 716 64 24 http://www.pm.pt emil: gerl@pm.pt PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

Leia mais

ESTATÍSTICA APLICADA. 1 Introdução à Estatística. 1.1 Definição

ESTATÍSTICA APLICADA. 1 Introdução à Estatística. 1.1 Definição ESTATÍSTICA APLICADA 1 Introdução à Esttístic 1.1 Definição Esttístic é um áre do conhecimento que trduz ftos prtir de nálise de ddos numéricos. Surgiu d necessidde de mnipulr os ddos coletdos, com o objetivo

Leia mais

Seu pé direito nas melhores faculdades

Seu pé direito nas melhores faculdades Seu pé direito ns melhores fculddes IBMEC 03/junho/007 ANÁLISE QUANTITATIVA E LÓGICA DISCUSIVA 01. O dministrdor de um boliche pretende umentr os gnhos com sus pists. Atulmente, cobr $ 6,00 por um hor

Leia mais

LISTA PREPARATÓRIA PARA RECUPERAÇÃO FINAL MATEMÁTICA (9º ano)

LISTA PREPARATÓRIA PARA RECUPERAÇÃO FINAL MATEMÁTICA (9º ano) PARTE I ) Determine s potêncis: ) 4 = b) - = ) Escrev usndo potênci de bse 0: ) 7 bilhões: b) um milionésimo: ) Trnsforme os números ddos em potencições e simplifique epressão: 0000000 00000 5 = 4) Escrev

Leia mais

1 Fórmulas de Newton-Cotes

1 Fórmulas de Newton-Cotes As nots de ul que se seguem são um compilção dos textos relciondos n bibliogrfi e não têm intenção de substitui o livro-texto, nem qulquer outr bibliogrfi. Integrção Numéric Exemplos de problems: ) Como

Leia mais

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO)

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) GESTÃO DE EMPRESAS CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) Exercícios Amortizção de Empréstimos EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Exercício 1 Um empréstimo vi ser reembolsdo trvés de reembolsos nuis, constntes

Leia mais

Os números racionais. Capítulo 3

Os números racionais. Capítulo 3 Cpítulo 3 Os números rcionis De modo informl, dizemos que o conjunto Q dos números rcionis é composto pels frções crids prtir de inteiros, desde que o denomindor não sej zero. Assim como fizemos nteriormente,

Leia mais

Recordando produtos notáveis

Recordando produtos notáveis Recordndo produtos notáveis A UUL AL A Desde ul 3 estmos usndo letrs pr representr números desconhecidos. Hoje você sbe, por exemplo, que solução d equção 2x + 3 = 19 é x = 8, ou sej, o número 8 é o único

Leia mais

(c) 600 dólares. (e) 60 mil dólares.

(c) 600 dólares. (e) 60 mil dólares. Vestibulr Insper 2014 1 B Análise Quntittiv e Lógic 1. De cordo com estimtiv do Fundo Monetário Interncionl, o Produto Interno Bruto (PIB) d Chin em 2012 foi de 8 trilhões e 227 bilhões de dólres. Considerndo

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

REVISÃO Lista 12 Geometria Analítica., então r e s são coincidentes., então r e s são perpendiculares.

REVISÃO Lista 12 Geometria Analítica., então r e s são coincidentes., então r e s são perpendiculares. NOME: ANO: º Nº: PROFESSOR(A): An Luiz Ozores DATA: REVISÃO List Geometri Anlític Algums definições y Equções d ret: by c 0, y mb, y y0 m( 0) e p q Posições de dus rets: Dds s rets r : y mr br e s y ms

Leia mais

Análise de Variância com Dois Factores

Análise de Variância com Dois Factores Análise de Vriânci com Dois Fctores Modelo sem intercção Eemplo Neste eemplo, o testrmos hipótese de s três lojs terem volumes médios de vends iguis, estmos testr se o fctor Loj tem influênci no volume

Leia mais

Somos o que repetidamente fazemos. A excelência portanto, não é um feito, mas um hábito. Aristóteles

Somos o que repetidamente fazemos. A excelência portanto, não é um feito, mas um hábito. Aristóteles c L I S T A DE E X E R C Í C I O S CÁLCULO INTEGRAL Prof. ADRIANO PEDREIRA CATTAI Somos o que repetidmente fzemos. A ecelênci portnto, não é um feito, ms um hábito. Aristóteles Integrl Definid e Cálculo

Leia mais

EQUAÇÃO DO 2 GRAU ( ) Matemática. a, b são os coeficientes respectivamente de e x ; c é o termo independente. Exemplo: x é uma equação do 2 grau = 9

EQUAÇÃO DO 2 GRAU ( ) Matemática. a, b são os coeficientes respectivamente de e x ; c é o termo independente. Exemplo: x é uma equação do 2 grau = 9 EQUAÇÃO DO GRAU DEFINIÇÃO Ddos, b, c R com 0, chmmos equção do gru tod equção que pode ser colocd n form + bx + c, onde :, b são os coeficientes respectivmente de e x ; c é o termo independente x x x é

Leia mais

FUNÇÕES. Funções. TE203 Fundamentos Matemáticos para a Engenharia Elétrica I. TE203 Fundamentos Matemáticos para a Engenharia Elétrica I

FUNÇÕES. Funções. TE203 Fundamentos Matemáticos para a Engenharia Elétrica I. TE203 Fundamentos Matemáticos para a Engenharia Elétrica I FUNÇÕES DATA //9 //9 4//9 5//9 6//9 9//9 //9 //9 //9 //9 6//9 7//9 8//9 9//9 //9 5//9 6//9 7//9 IBOVESPA (fechmento) 8666 9746 49 48 4755 4 47 4845 45 467 484 9846 9674 97 874 8 88 88 DEFINIÇÃO Um grndez

Leia mais

Álgebra Linear Tema # 3. Resolução de problema que conduzem a S.E.L. de infinita solução. Introdução aos problemas com infinitas soluções

Álgebra Linear Tema # 3. Resolução de problema que conduzem a S.E.L. de infinita solução. Introdução aos problemas com infinitas soluções Álgebr Liner Tem # 3. Resolução de problem que conduzem S.E.L. de infinit solução Assunto: Resolução de problems modeld trvés Sistem de Equções Lineres utilizndo comndo Solve no Derive. Introdução os problems

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: PARA QUEM CURSA A 1 a SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM Disciplina: MaTeMÁTiCa

Nome: N.º: endereço: data: Telefone:   PARA QUEM CURSA A 1 a SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM Disciplina: MaTeMÁTiCa Nome: N.º: endereço: dt: Telefone: E-mil: Colégio PARA QUEM CURSA A SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 05 Disciplin: MTeMÁTiC Prov: desfio not: QUESTÃO 6 O Dr. Mni Aco not os números trvés de um código especil.

Leia mais

Módulo de Leis dos Senos e dos Cossenos. Leis dos Senos e dos Cossenos. 1 a série E.M.

Módulo de Leis dos Senos e dos Cossenos. Leis dos Senos e dos Cossenos. 1 a série E.M. Módulo de Leis dos Senos e dos Cossenos Leis dos Senos e dos Cossenos. 1 série E.M. Módulo de Leis dos Senos e dos Cossenos Leis dos Senos e dos Cossenos. 1 Eercícios Introdutórios Eercício 10. Três ilhs

Leia mais

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b]

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b] Interl Deinid Se é um unção de, então su interl deinid é um interl restrit à vlores em um intervlo especíico, dimos, O resultdo é um número que depende pens de e, e não de Vejmos deinição: Deinição: Sej

Leia mais

EXAME DE INGRESSO 2014 3º Período

EXAME DE INGRESSO 2014 3º Período PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ÁREA DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO (141) ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EXAME DE INGRESSO 2014 º Período NOME: Oservções Importntes: 1. Não

Leia mais

COLÉGIO MACHADO DE ASSIS. 1. Sejam A = { -1,1,2,3,} e B = {-3,-2,-1,0,1,2,3,4,5}. Para a função f: A-> B, definida por f(x) = 2x-1, determine:

COLÉGIO MACHADO DE ASSIS. 1. Sejam A = { -1,1,2,3,} e B = {-3,-2,-1,0,1,2,3,4,5}. Para a função f: A-> B, definida por f(x) = 2x-1, determine: COLÉGIO MACHADO DE ASSIS Disciplin: MATEMÁTICA Professor: TALI RETZLAFF Turm: 9 no A( ) B( ) Dt: / /14 Pupilo: 1. Sejm A = { -1,1,2,3,} e B = {-3,-2,-1,0,1,2,3,4,5}. Pr função f: A-> B, definid por f()

Leia mais

Apoio à Decisão. Aula 3. Aula 3. Mônica Barros, D.Sc.

Apoio à Decisão. Aula 3. Aula 3. Mônica Barros, D.Sc. Aul Métodos Esttísticos sticos de Apoio à Decisão Aul Mônic Brros, D.Sc. Vriáveis Aletóris Contínus e Discrets Função de Probbilidde Função Densidde Função de Distribuição Momentos de um vriável letóri

Leia mais

{ 2 3k > 0. Num triângulo, a medida de um lado é diminuída de 15% e a medida da altura relativa a esse lado é aumentada

{ 2 3k > 0. Num triângulo, a medida de um lado é diminuída de 15% e a medida da altura relativa a esse lado é aumentada MATEMÁTICA b Sbe-se que o qudrdo de um número nturl k é mior do que o seu triplo e que o quíntuplo desse número k é mior do que o seu qudrdo. Dess form, k k vle: ) 0 b) c) 6 d) 0 e) 8 k k k < 0 ou k >

Leia mais

Lista de Exercícios 01 Algoritmos Sequência Simples

Lista de Exercícios 01 Algoritmos Sequência Simples Uiversidde Federl do Prá UFPR Setor de Ciêcis Exts / Deprtmeto de Iformátic DIf Discipli: Algoritmos e Estrutur de Ddos I CI055 Professor: Dvid Meotti (meottid@gmil.com) List de Exercícios 0 Algoritmos

Leia mais

Logaritmo. 1. (Espcex (Aman) 2014) Na figura abaixo, está representado o gráfico da função y = Iog x.

Logaritmo. 1. (Espcex (Aman) 2014) Na figura abaixo, está representado o gráfico da função y = Iog x. Logritmo 1. (Espce (Amn) 014) N figur io, está representdo o gráfico d função y = Iog. Nest representção, estão destcdos três retângulos cuj som ds áres é igul : ) Iog + Iog3 + Iog5 ) log30 c) 1+ Iog30

Leia mais

Tópicos Especiais de Álgebra Linear Tema # 2. Resolução de problema que conduzem a s.e.l. com única solução. Introdução à Resolução de Problemas

Tópicos Especiais de Álgebra Linear Tema # 2. Resolução de problema que conduzem a s.e.l. com única solução. Introdução à Resolução de Problemas Tópicos Especiis de Álgebr Liner Tem # 2. Resolução de problem que conduzem s.e.l. com únic solução Assunto: Resolução de problems que conduzem Sistem de Equções Lineres utilizndo invers d mtriz. Introdução

Leia mais

AB AC BC. k PQ PR QR AULA 1 - GEOMETRIA PLANA CONCEITOS BÁSICOS SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS. Triângulos isósceles

AB AC BC. k PQ PR QR AULA 1 - GEOMETRIA PLANA CONCEITOS BÁSICOS SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS. Triângulos isósceles AULA - GEOMETRIA PLANA Triângulos isósceles CONCEITOS BÁSICOS Rets prlels cortds por um trnsversl São queles que possuem dois ldos iguis. Ligndo o vértice A o ponto médio d bse BC, germos dois triângulos

Leia mais

Funções e Limites. Informática

Funções e Limites. Informática CURSO DE: SEGUNDA LICENCIATURA EM INFORMÁTICA DISCIPLINA: CÁLCULO I Funções e Limites Informátic Prof: Mrcio Demetrius Mrtinez Nov Andrdin 00 O CONCEITO DE UMA FUNÇÃO - FUNÇÃO. O que é um função Um função

Leia mais

EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES POLINOMIAIS

EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES POLINOMIAIS EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES POLINOMIAIS Um dos grndes problems de mtemátic n ntiguidde er resolução de equções polinomiis. Encontrr um fórmul ou um método pr resolver tis equções er um grnde desfio. E ind hoje

Leia mais