Expressão. a Singraf. N Janeiro/Fevereiro de 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Expressão. a Singraf. www.singraf-rs.com.br. N 125 - Janeiro/Fevereiro de 2014"

Transcrição

1 Expressão Singraf Sindicato das Indústrias Gráficas da Região Nordeste do Rio Grande do Sul N Janeiro/Fevereiro de 2014 a Singraf presente na Festa da Uva deste ano Página 5 traça a Enai panorama da realidade brasileira Páginas 8 e 9 a Lideranças participam de encontro no Rio de Janeiro Página 10

2 Expediente Sede: Rua Ítalo Victor Bersani, Bairro Jardim América Caixa Postal CEP Caxias do Sul - RS - Fone/Fax: (54) e Fale conosco: Geral: Financeiro: Secretaria: Comunicação: Base Territorial: Antônio Prado, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, São Marcos, Serafina Corrêa, Vacaria e Veranópolis, todos no Estado do Rio Grande do Sul Presidente Luiz Carlos Oliveira de Moraes 1º vice-presidente Osmar Antônio Leidens 2º vice-presidente Ben Hur Flores Suplentes da Diretoria Rosimar Maurina Adriane Lisbôa Thomé Conselho Fiscal Celso Antonio Cenci Eliana Brezolin Marcos Daniel Maffei Suplentes do Conselho Fiscal Darci Junior Nunes Luis Isotton Patricia Fontana Delegados Representantes Luiz Carlos Oliveira Moraes Osmar Antônio Leidens Jornalista Responsável: Vânia Motta (Mtb ) Edição: Jair Motta Editoração Eletrônica e Impressão: Editora São Miguel Fotos: Jair Motta/Berenice Stallivieri Colaboradores: Catiane Rech, Cavi Consultoria Ambiental Daniela Salvador, B&S Salvador Contabilidade Ltda Tatiana Ipsilanty, da Essencial Consultoria Ambiental Viridiana Sgorla, Varaschin Advogados Thomaz Caspary, da Printconsult Ltda Neusa Welter Bocchese, Artista da capa Tiragem: exemplares

3 Primeiras Palavras Luiz Carlos Moraes Presidente do Singraf Caros associados e demais amigos: Recentemente participamos do 8 Encontro Nacional da Indústria Enai, em Brasília, quando tivemos a oportunidade de debater, com outras lideranças empresariais e governamentais de todo o Brasil, os principais problemas econômicos que o país enfrenta atualmente. Foram dois dias de discussões e palestras. Realizado anualmente pela CNI, o Enai reúne empresários e líderes de entidades de representação da indústria, dos seus diversos setores e de todos os estados do Brasil. Sob o tema O Brasil e os Desafios da Economia Mundial, o evento foi composto por sete sessões temáticas, que abordaram assuntos como acordos internacionais, competitividade, educação, inovação, relações de trabalho, infraestrutura e tributação. A partir dessas discussões, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) preparou 43 propostas que serão entregues aos candidatos à Presidência da República, em O evento contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e de diversos ministros de Estado, entre eles Guido Mantega, da Fazenda, Fernando Pimentel, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e Aloizio Mercadante, da Educação. Dada a abrangência e importância do Encontro, na condição de presidente do Singraf, não poderíamos deixar de participar, com o intuito de levarmos a todos os nossos associados os temas lá discutidos e as perspectivas que se avistam. É importante frisar que o Enai consagrou-se, ao longo de suas edições, como o mais representativo evento empresarial da indústria brasileira. Seu objetivo é refletir e discutir alternativas para o fortalecimento da indústria nacional e a criação de novas fontes de dinamismo econômico no país. O evento é uma iniciativa que vem contribuindo para o crescimento e aperfeiçoamento da indústria brasileira, na medida em que expõe sua agenda de interesses, reivindica compromissos do governo e fortalece a interlocução entre o empresariado. Conta com representantes das 27 federações estaduais da indústria e de seus sindicatos, das associações setoriais da indústria, de empresas industriais, além de entidades governamentais, acadêmicas, entre outras interessadas nos rumos e no desenvolvimento da indústria brasileira. Um resumo do que foi tratado pode ser conferido às páginas 8 e 9 da presente edição deste informativo. Não deixe de ler, de nos trazer suas ideias e compartilhá-las com os demais associados e integrantes da diretoria. Vamos unir esforços e definir nossa própria agenda de reivindicações, com mais força para a busca de soluções para os problemas que nos afetam diretamente. Aliás, demos passo nesta direção, quando participamos também de Intercâmbio de Lideranças Setoriais do Setor Gráfico, promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Nessa oportunidade, o objetivo foi justamente o de fortalecer a gestão dos sindicatos e o vínculo com o sistema indústria e gerar conhecimento e debate ao redor das boas práticas de gestão das lideranças setoriais nos campos de negociação coletiva, defesa de interesses e prestação de serviços. Leia mais a respeito na página 10. Com mais um ano de trabalho já iniciado, desejamos os mais sinceros votos de sucesso, prosperidade e muito trabalho. Conclamamos todos a se fazerem ainda mais presentes nos eventos de nosso sindicato, fortalecendo-o cada vez mais e gerando, assim, benefícios para todos. Uma boa leitura e até a próxima! 3

4 Painel Calendário de Obrigações Fiscais Obrigação Vencimento Salário FGTS Até o 5º dia útil do mês subsequente. Na contagem dos dias, incluir o sábado e excluir os domingos e os feriados, inclusive municipais. Dia 7 do mês subsequente. Não havendo expediente bancário, deve-se antecipar o depósito. INSS (Empresas) Último dia útil do segundo decêndio do mês seguinte. (MP nº 447/2008). INSS (Cont. Individual e Empregado Doméstico) Contribuição Sindical (Empregados) Dia 15 do mês subsequente. Não havendo expediente bancário, permite-se prorrogar o recolhimento para o dia útil imediatamente posterior. Até o último dia útil do mês subsequente ao desconto. Contribuição Sindical (Patronal) Até o último dia útil do mês de janeiro de cada ano. IRPJ/CSLL (Lucro Real Mensal) IRPJ/CSLL (Lucro Presumido) PIS/Cofins Simples ICMS - Categoria Geral - Indústria ICMS - Categoria Geral - Comércio DACON - Mensal DACON - Semestral DCTF - Mensal DCTF - Semestral Mensalidade Singraf Até o último dia útil do mês subsequente. Até o último dia útil do mês subsequente ao trimestre de apuração. Os trimestres encerram em março, junho, setembro e dezembro. Até o vigésimo quinto dia do mês subsequente. Se o dia do vencimento não for dia útil, antecipar para o primeiro dia útil anterior.(mp nº 447/2008). Até o dia 20 do mês subsequente. Quando não houver expediente bancário deverá ser pago no dia útil imediatamente posterior. Res. CGSN nº 56 de 24/03/2009. Até o dia 21 do mês subsequente. Fica prorrogado para o primeiro dia útil subsequente o término do prazo de pagamento do imposto que recair em dia que não seja de expediente normal do estabelecimento bancário. Até o dia 12 do mês subsequente. Fica prorrogado para o primeiro dia útil subsequente o término do prazo de pagamento do imposto que recair em dia que não seja de expediente normal do estabelecimento bancário. Deve ser entregue até o 5º dia útil do segundo mês subsequente à ocorrência dos fatos geradores. A entrega deverá ser feita até: a) o 5º dia útil do mês de outubro de cada ano-calendário, relativo ao primeiro semestre; e b) o 5º dia útil do mês de abril de cada ano-calendário, relativo ao segundo semestre do ano-calendário anterior. Deve ser entregue até o 15º dia util do 2º mês subsequente ao mês de ocorrência dos fatos geradores. (Instrução Normativa nº 974/2009). A entrega deverá ser feita até: a) o 5º dia útil do mês de outubro, no caso de DCTF relativa ao 1º semestre do cada ano-calendário; b) o 5º dia útil do mês de abril, no caso de DCTF relativa ao 2º semestre do ano calendário anterior. Dia 10 do mês subsequente. IRRF Até o dia 20 do mês subsequente ao mês de ocorrência dos fatos geradores. Até o último dia do mês subsequente (ganhos de capital). 4 IPI Até o vigésimo quinto dia do mês seguinte. (Demais Produtos) (MP nº 447/2008). Obs.: Calendário elaborado meramente a título ilustrativo, o vencimento das obrigações e os casos especiais devem sempre ser confirmados com o seu Contador. Fonte: Basso & Salvador Contabilidade Ltda

5 Visite o Singraf na Festa da Uva! Dia 27 de fevereiro o Singraf ocupa um estande junto aos pavilhões da Festa Nacional da Uva, entre as 14h e 22h, reforçando seu papel de entidade representativa e marcando presença no maior evento comunitário da região. O presidente do Singraf, Luiz Carlos Moraes, convida todos, em especial, os associados, a visitarem o estande. É uma forma de demonstrar que estamos junto da nossa comunidade em todos os momentos, assinala o dirigente. A Festa Nacional da Uva 2014 acontece de 20 de fevereiro a 9 de março de 2014 em Caxias do Sul. E a estrela da Festa já está se preparando... os viticultores e produtores já começaram a entregar a fruta para armazenamento. Cerca de 250 toneladas serão distribuídas ao público, geladinhas, nos 18 dias de Festa, no Parque de Eventos, e nos oito Desfiles Cênicos Musicais. Também é grande a participação de produtores no tradicional concurso de Exposição de Uvas, totalizando 318, como uma prova desta boa safra. Doação de jaquetas O Singraf fez a doação, em dezembro, de 73 jaquetas do tipo quebra-vento à Lefan cuja mantenedora é a Associação Literária São Boaventura. O presidente do Singraf, Luiz Carlos Moraes, e a diretora Jacinta Carrer representaram o sindicato no ato da entrega, enquanto o frei Jaime Bettega representou a Lefan. O frei agradeceu aos dois pela doação, encaminhada aos carentes da Casa do Idoso Capuchinho. Dica de Leitura: Contagem dos Inocentes Fernando Bins Por Jéssica Pegorini Quanto ao enredo principal que é abordado no livro Contagem dos Inocentes, do escritor Fernando Bins, pode-se perceber - claramente - influências de escritores de romances policiais que fizeram história. Agatha Christie, Sir Arthur Conan Doyle, por exemplo. No livro do jovem caxiense, um assassinato em frente ao Monumento Nacional ao Imigrante, cometido de forma brutal assombra toda a cidade. Nunca havia se presenciado tamanha perversão em um crime. O Departamento de Polícia, por sua vez; buscando restabelecer a paz da cidade da serra gaúcha, entra em contato com os melhores nomes que a cidade pode oferecer quando se trata de investigações criminais. Erik Robins, Flávio Cunha e Brenda Menegaro, portanto, irão estudar, detalhadamente, as cenas dos crimes e os corpos das vítimas para, desta forma, alcançar o responsável por tais delitos. Em paralelo, a narração da história de Miguel e Rafael Eyng, que vivem a pressão por parte do pai, Leonardo Eyng, um renomado escritor de romances que veio a, acidentalmente, falecer há um ano. No momento em que todos os personagens se cruzam, o livro fica melhor a cada página. Um romance policial cheio de mistérios e descobertas, onde pessoas se apaixonam e enfrentam seus próprios medos e angústias. No final da história, uma reviravolta incrível, que une lucidez e loucura de forma sutil. Com intérpretes extremamente humanos, dotados de medos, angústias e desejos, você vai se imaginar no lugar deles, desvendando toda a intrigante trama deste assassinato. 5

6 Agenda Divulgação de feiras, exposições, congressos, conferências, seminários, palestras, workshops, cursos, premiações, entre outros eventos Curso Administre seu Tempo, Conheça seu Produto, o Mercado e Venda Muito Mais O curso tem como objetivo ajudar os empresários gráficos a administrarem melhor seus negócios. Data: 28/01/2014 a 07/02/2014 Local: ABTG - Rua Bresser, Mooca - São Paulo - SP Informações: Tel: (11) Curso Como identificar e eliminar os 7 desperdícios na indústria gráfica Serão abordados temas como conceito de desperdício, formas de produção, gestão empresarial, aumento da eficácia do processo produtivo e avaliação de resultados. O curso será ministrado por Marcelo Ferreira. Data: 04/02/2014 a 06/02/2014 Local: ABTG - Rua Bresser, Mooca - São Paulo - SP Inscrições: Informações: Tel: (11) Curso Passo a passo para obter sucesso comercial na sua gráfica Serão abordados temas como estratégias de vendas, formação de equipe, tecnologia da informação, CRM e importância da criatividade. Data: 17/02/2014 a 21/02/2014 Local: ABTG - Rua Bresser, Mooca - São Paulo - SP Inscrições: Informações: Tel: (11) Curso Excelência na impressão offset Objetivo: Avaliar os insumos, controlando no recebimento e durante a produção, ajustes corretos da impressora offset e controle da qualidade dos impressos. Data: 18/03/2014 a 20/03/2014 Local: ABTG - Rua Bresser, Mooca - São Paulo - SP Inscrições: Informações: Tel: (11) Curso Custo e Formação de Preço para a indústria gráfica O curso tem como objetivo transferir conceitos técnicos e procedimentos que permitem a imputação de todos os custos da empresa para a formação de preço de venda. Público-alvo: Orçamentistas, gerentes comerciais, vendedores, técnicos gráficos e todos interessados em compreender a formação dos custos e preços de venda na Indústria Gráfica. O curso terá como ministrante o Consultor da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG), José Pires. Data: 22/03/2014 Local: Sede do Sindigraf-RS (Av. Pernambuco, 2.623) - Porto Alegre - RS Informações: -e-formacao-de-preco-para-a-industria-grafica/ Feira Brazil Promotion Road Show Campinas O evento apresenta as principais novidades e lançamentos do ano em produtos e serviços promocionais, brindes, presentes corporativos, produtos e serviços para a realização de eventos, gráficas especializadas, agências, soluções para o merchandising no ponto de venda, marketing digital, novas tecnologias, mídias interativas e muito mais. Data: 25/03/2014 Local: Campinas - SP Informações: 9ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas e Flipoços 2014 Único Festival Literário do Sul de Minas. Recebe grandes nomes da Literatura Nacional e Internacional. Acontece simultaneamente à feira nacional do livro de Poços de Caldas com editoras, livrarias e escritores independentes de todo Brasil. Data: 26/04/2014 até 03/05/2014 Local: Poços de Caldas - MG Informações: Serigrafia SIGN FutureTEXTIL º Feira Internacional de Equipamentos, Máquinas e Serviços de Serigrafia, Comunicação Visual, Sinalização, Sublimação, Impressão Digital e Têxtil, Material Promocional e Brindes. A feira Serigrafia SIGN FutureTEXTIL é considerada o maior evento da América Latina para o setor de máquinas, equipamentos, produtos e serviços para serigrafia, indústria têxtil, comunicação visual, impressão digital, sinalização e material promocional. Há mais de 20 anos reunindo diversas empresas do Brasil e do exterior, a Feira tornou-se referência no setor. Data: 06/05/2014 a 09/05/2014 Local: Pavilhão do Anhembi, São Paulo - SP Informações: Tel: (11) ª Feira Catarinense do Livro Data: 06/05/2014 a 17/05/2014 Local: Florianópolis - SC Informações: Office Brasil Escolar (28ª Feira Internacional de Produtos para Papelarias, Escritórios e Escolas). Office Brasil Escolar é a maior feira do continente americano em produtos para papelarias, escritórios, escolas e revendas de informática. Evento de negócios, dirigido ao varejo nacional, mercado corporativo, instituições de ensino, compradores internacionais e toda a gama de profissionais destes setores. Principal vitrine de lançamentos de produtos e de tendências, possui um mix de produtos amplamente diversificado como artigos gerais para papelaria e bazar, produtos escolares, presentes, brinquedos, pastas, mochilas e acessórios, linha office, bazar, informática e tecnologia. Data: 11/08/2014 a 14/08/2014 Local: Anhembi / São Paulo - SP Informações: 23ª Feira Bienal Internacional do Livro de São Paulo A Bienal Internacional do Livro de São Paulo é o grande momento do livro no Brasil. É palco para o encontro das principais editoras, livrarias e distribuidoras do país, que preparam seus lançamentos para esse período. Além da larga oferta de livros, a Bienal do Livro oferece uma intensa programação cultural, desenvolvida para despertar o gosto pela leitura. Data: 22/08/2014 a 31/08/2014 Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi - São Paulo - SP Informações: FLIDF - 2ª Feira Literária do Distrito Federal Data: 05/09/2014 a 14/09/2014 Local: Taguatinga Shopping / Taguatinga - DF Informações: https://www.facebook.com/flidf Brasil Signage Expo A Brasil Signage Expo é a primeira feira focada exclusivamente em sinalização digital realizada na América Latina. O segmento é conhecido como Digital out of Home, ou DOOH, e está em franco crescimento no mundo inteiro. A sinalização digital tem como diferencial a rapidez, flexibilidade e, principalmente, a possibilidade de comunicação dirigida. Data: 18/09/2014 e 19/09/2014 Local: Expo Center Norte - São Paulo / SP Informações: 6

7 Curso de Cipa abre calendário do Singraf A realização de Curso de Cipa, que contou com mais de 30 inscritos, abriu o calendário de eventos do Sindicato das Indústrias Gráficas da Região Nordeste do Rio. Para o ano de 2014 estão agendadas ainda reuniões-jantares, cursos de capacitação, e as comemorações do Dia da Indústria Gráfica e de Final de Ano. Na semana de 17 a 21 de fevereiro, no auditório do Singraf, com a orientação da assessoria em Segurança do Trabalho, o curso, com duração de 20 horas abordou, entre outros temas, as normas e rotinas de segurança e saúde do trabalho, além de apresentar as diretrizes de atuação da Cipa, com ações e sugestões de como conhecer e identificar os riscos ambientais presentes no local de trabalho de cada setor da empresa. Os participantes receberam informações de: - Estudo do ambiente, das condições de trabalho, bem como dos riscos originados do processo produtivo; - Metodologia de investigação e análise de acidentes e doenças do trabalho; - Noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes de exposição aos riscos existentes na empresa; - Noções sobre a síndrome da imunodeficiência adquirida Aids, e demais DST, e suas medidas de prevenção; - Noções sobre as legislações trabalhistas e previdenciária relativas à segurança e saúde no trabalho; - Princípios gerais de higiene do trabalho e de medidas de controle dos riscos; - Organização da Cipa e outros assuntos necessários ao exercício das atribuições da comissão. Entidade divulga calendário de eventos para 2014 Os associados ao Singraf, em dia com o Financeiro da entidade, vão poder participar de cursos de capacitação, reuniões-jantar, além de eventos comemorativos. Anote em sua agenda as seguintes datas e os eventos já confirmados: MARÇO Dia 1º - Reunião-jantar Horário: 19 horas Local: Restaurante Sica - Subsolo Palestra com frei Jaime Bettega ABRIL Dias 7 e 8 de abril - Curso Horário: 18h30 Local: auditório Singraf Tema: Procedimentos técnicos na pré-impressão Facilitador: Ricardo Minoru MAIO Dia 5 - Reunião-jantar Horário: 19 horas Local: Restaurante Sica - Subsolo Tema: Inovar para aproveitar novos modelos de negócios Palestrante: Cristina Simões JUNHO Dia 27 Horário: a partir das 20 horas Local: Restaurante Sica Evento: Comemoração dos 26 anos do Singraf e ao Dia da Indústria Gráfica JULHO Dias 7 e 8 - curso Horário: 18h30 Local: Auditório Singraf Tema: a definir AGOSTO Dia 11 Reunião-jantar Horário: 19 horas Local: Restaurante Sica - Subsolo SETEMBRO Dias 8 e 9 - Curso Horário: 18h30 Local: Auditório Singraf Tema: a definir OUTUBRO Dias 7 e 8 - Curso Horário: 18h30 Local: Auditório Singraf Tema: Como minimizar perdas e aumentar a produtividade na pós-impressão Facilitador: Ivy Sanches NOVEMBRO Dia 30 Festa de Final do Ano Horário: A partir das 10 horas Local: Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul 7

8 Enai 2013, uma realidade atual Dias 11 e 12 de dezembro o presidente do Singraf, Luiz Carlos Moraes participou, em Brasília, da oitava edição do Encontro Nacional da Indústria (Enai), promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o qual contou com abertura da presidente Dilma Rousseff. De acordo com o líder empresarial, os posicionamentos se alinharam à necessidade da formação de um consenso num pacto ao desenvolvimento do País, onde legislações precisam ser adequadas, entraves que abalam a segurança jurídica serem removidos e programas revistos a fim de elevar às indústrias brasileiras a um patamar de maior competitividade. O presidente do Singraf, Luiz Carlos Moraes, esteve entre as lideranças empresariais do Brasil que participaram do encontro Confira um resumo do que foi tratado: Presidente Dilma: Mencionou alguns programas de formação como Pronatec, Senai, Ciência sem Fronteiras, Mestrados profissionais etc. Salientou que o Brasil deve ter uma indústria forte e que precisa retirar os processos que se sobrepõem ao desenvolvimento, onde todos os compromissos são para modernizar o Estado Brasileiro, principalmente o tributário e para isso conta com a participação e apoio de toda a sociedade. Presidente da CNI, Robson Andrade: Destacou algumas ações que a CNI está fazendo em prol do desenvolvimento da indústria brasileira, tais como: o documento que contém 101 propostas para a modernização trabalhista, a manutenção do reintegra, a Justiça acolher os Acordos Coletivos do Trabalho, a revisão do acordo Mercosul que provou não ser adequado às necessidades de desenvolvimento Brasil, entre outros. Ministro da Economia, Guido Mantega: A sua percepção de desenvolvimento da economia para o próximo ano deve ficar próximo a 2,00%. Anunciou a elevação das taxas do BNDES, considera que a inflação está sob controle, a desvalorização cambial foi absorvida e que o País deve ter uma situação fiscal sólida. O principal momento do discurso foi a sua comemoração com o aumento do valor dos tributos arrecadados no ano e que, segundo ele, demonstra que o País está apresentando melhorias no seu ciclo de industrialização. Menor burocracia e unificação do ICMS A diminuição da burocracia no recolhimento de impostos e a unificação do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com o fim da substituição tributária, devem ser priorizadas em vez de uma reforma tributária ampla e complexa e de difícil execução no Congresso Nacional por conta do embate político que suscitaria. Para Flávio Castelo Branco, um dos painelistas e gerente-executivo da Unidade de Política Econômica da CNI, a burocracia é custo. Simplificar, portanto, é dar competitividade às empresas. O ex-secretário do Tesouro Nacional e o superintendente da Bradesco Asset Management, Joaquim Levy, acredita que a grande dificuldade tributária está no ICMS, principalmente na indústria. São 27 legislações estaduais e tem muita concessão de benefícios. É uma confusão. A unificação do ICMS deve ser a prioridade na agenda da reforma tributária. Vai beneficiar inclusive os estados. Governança e gestão são decisivas Uma estimativa da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) do governo federal oferece uma dimensão do déficit da infraestrutura no Brasil: R$ 400 bilhões. Isso é resultado de décadas de baixo investimento em obras na malha de transportes e serviços logísticos. Para reverter o quadro prejudicial à competitividade da economia brasileira e destravar obras, o Brasil precisa dar um salto de qualidade na governança e na gestão dos grandes projetos de infraestrutura e logística. A conclusão do debate sobre o custo do atraso das obras de infraestrutura é que não basta o país ter um diagnóstico das deficiências logísticas e das obras que precisam ser feitas. Antes, é preciso desenvolver a eficiência nos órgãos gestores da infraestrutura. Há uma consciência clara do problema e vontade de resolver, mas ainda pecamos na gestão, afirmou o presidente de Conselho Temático de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria (CNI), José de Freitas Mascarenhas. A baixa qualificação dos agentes públicos responsáveis pela concepção e acompanhamento das obras é um problema que o governo pretende enfrentar a curto prazo, disse o ministro dos Transportes César Borges. Inserção da indústria brasileira no mercado global Segundo estudos da CNI, o Brasil está atrás de todos os países emergente no processo de industrialização, perdendo para o Chile, África do Sul e outros. A principal demanda das empresas multinacionais é o intrincado e caro custo do sistema tributário Brasileiro. As cadeias de valores levam em conta as etapas que empresas situadas em várias partes no mundo se unem para levar um produto ao mercado. Neste contexto, cada País contribui com suas legislações e suas amarras em menor o maior grau. Se o Brasil quiser participar mais ativamente nestas cadeias de valor, deverá ampliar seu leque de facilitações a outros setores e segmentos, hoje centrado no automotivo, inclusive, criar regimes especiais para todos estes. A nossa maior participação nas cadeias produtivas globais depende do governo estabelecer planos/ agenda de ações de longo prazo, o que atualmente não tem bem claro. Isto requer ações que facilitem a formação empreendedores com perfil de atuação global, adaptar o sistema tributário que favoreça às decisões das empresas e investir em educação de qualidade e focada. Esta cruzada poderá ser facilitada se o Governo envolver todos os agentes econômicos do País, como sindicatos, entidades empresariais, federações, políticos e etc. Estímulo à negociação coletiva A negociação coletiva entre empregadores e empregados tem de ser estimulada e ampliada no país como mecanismo de modernização das relações trabalhistas. Privilegiar a negociação coletiva é colocar o país na modernidade, assinalou o presidente do Conselho de Relações do Trabalho da CNI, Alexandre Furlan, enquanto o professor Nelson Mannrich, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), disse ver na jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho (TST) um dos maiores obstáculos às negociações coletivas. O efêmero é da essência da negociação coletiva. Como a empresa pode conceder uma vantagem hoje que não pode ser alterada mais adiante?, indagou ao criticar a alteração da Súmula 277 do TST, que incorpora os acordos coletivos ao contrato de trabalho, eternizando, na prática, as cláusulas de acertos que são temporários, com validade máxima de até dois anos. Simplificação do sistema tributário As empresas brasileiras gastam 2,6 mil horas por ano com os procedimentos necessários para pagar impostos. O custo é sete vezes maior que a média dos países da América Latina e do Caribe e 14 vezes superior à média dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os números, que compõem o levantamento Doing Business 2014, do Banco Mundial, exemplificam a complexidade do sistema tributário brasileiro. No ranking, que analisa a facilidade de se fazer negócios em 189 países, o Brasil aparece em 159º lugar no quesito pagamento de impostos. Para o Brasil ganhar competitividade, a CNI propõe a desburocratização tributária e a redução da cumulatividade de impostos. O Mapa Estratégico da Indústria , documento que estabelece as diretrizes para o país terminar a década mais competitivo, prevê a redução a zero da cumulatividade dos tributos. Hoje, 7,7% da arrecadação é gerada pela incidência cumulativa de impostos. Além disso, a CNI avalia que o país precisa alcançar um equilíbrio entre a necessidade de arrecadação do Estado e a manutenção de um bom ambiente de negócios.

9 Especial Lideranças participam de encontro na Firjan Os presidentes dos três sindicatos da Indústria Gráfica do Rio Grande do Sul, presidente do Singrapel, Roberto Llanos de Avila, do Sindigraf, Angelo Garbaski e do Singraf, Luiz Carlos Moraes, participaram dia 3 de dezembro, do Intercâmbio de Lideranças Setoriais do Setor Gráfico, promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O objetivo do encontro foi fortalecer a gestão dos sindicatos e o vínculo com o sistema indústria e gerar conhecimento e debate ao redor das boas práticas de gestão das lideranças setoriais nos campos de negociação coletiva, defesa de interesses e prestação de serviços. Também teve como propósitos criar uma rede de contatos e relacionamento entre os líderes setoriais, disseminar as principais conclusões do encontro junto aos sindicatos partici- Llanos de Avila, Garbaski e Moraes pantes e às empresas representadas, discutir as boas práticas que possam ser implementadas pelos participantes em seus sindicatos e elaborar uma lista conjunta dos desafios prioritários do setor nos campos da defesa de interesses, negociação coletiva e prestação de serviços. E mais, uma lista conjunta de soluções para os desafios prioritários no campo de ação dos sindicatos e providenciar material com contatos e conclusões da reunião enviado aos sindicatos participantes para posterior disseminação. De acordo com o presidente do Singraf, Luiz Carlos Moraes, o encontro na Firjan também visou a troca de experiências participativas. A reunião deve fornecer um ambiente propício para o debate de ideias e a troca de experiências e boas práticas, relata, acrescentando que outra meta é a orientação para resultados, devendo gerar propostas concretas para a solução de desafios do setor no campo de ação dos sindicatos, motivando os participantes para a ação nos seus sindicatos. Os produtos da reunião devem ser criados coletivamente, com postura ativa dos participantes que contribuirão para gerar o resultado final, diz Luiz Carlos Moraes. Singraf representado no Conselho da Garantiserra Representado pelo empresário Darci Nunes, da Dgraf Artes Gráficas, o Singraf agora faz parte do atual do Conselho de Administração da Garantiserra. O Conselho da Gestão 2014/2015, foi empossado em novembro, durante a reunião-almoço da CIC Caxias do Sul, que foi alusiva aos 10 anos da entidade. Fundada em 2003, a Garantiserra é a primeira sociedade de garantia de crédito do Brasil. Sediada em Caxias do Sul, abrange os municípios do Corede Serra Gaúcha e do Corede Hortênsias. Oferece aos seus associados garantias em operações de crédito contratadas junto às instituições financeiras conveniadas BRDE, Sicredi, Banco do Brasil, NBC Bank, Banrisul e Badesul. Para o Singraf, é muito importante estar representado no Conselho de Administração da Garantiserra, uma vez que terá a oportunidade de levar à entidade as demandas e necessidades do setor gráfico, afirma Darci. Em um ano agitado, com eleições, Festa da Uva e Copa do Mundo, é essencial que as micro, pequenas e médias empresas tenham acesso a crédito para que possam aproveitar as oportunidades, assinala o empresário. Integrantes do Conselho foram empossados durante a reunião-almoço da CIC 10

10 Em tempo Singraf alerta para ações preventivas no ambiente de trabalho O Singraf alerta que o Ministério do Trabalho prepara medidas de valorização das ações preventivas no ambiente de trabalho, com foco na atuação das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (Cipas). Desde o início deste mês as empresas que não estiverem cumprindo a legislação que determina o funcionamento destas comissões já estão sendo notificadas, podendo posteriormente ser autuadas. Esta medida faz parte do esforço para reduzir os acidentes de trabalho e a preservação da saúde dos trabalhadores. Alguns setores já estão recebendo notificações. A Assessoria de Segurança do Trabalho do Singraf alerta que, nos casos de notificação, serão solicitados os seguintes documentos: 1 - Contrato Social e alteração e comprovante de inscrição no CNPJ; 2 - Carta de preposto ou procuração, caso o responsável pela apresentação dos documentos não seja sócio da empresa; 3 - Edital de convocação da última eleição dos representantes dos empregados na Cipa; 4 - Comprovante da comunicação ao sindicato da categoria profissional do início do processo eleitoral; 5 - Comprovante da constituição da Comissão Eleitoral responsável pela organização e acompanhamento do último processo eleitoral; 6 - Comprovantes da inscrição dos candidatos no processo eleitoral da Cipa; 7 - Ata da realização da eleição e da apuração dos votos; 8 - Ata de posse dos membros da Cipa, eleitos e designados pelo empregador; 9 - Ficha de registro dos empregados membros da Cipa; 10 - Comprovantes da realização de treinamento dos membros da Cipa, titulares e suplentes; 11 - Comprovação da indicação do secretário da Cipa e de seu substituto; 12 - Calendário anual das reuniões ordinárias do mandato atual da Cipa; 13 - Atas das reuniões ordinárias e extraordinárias do mandato atual da Cipa; 14 - Mapa de riscos, atual, com comprovação da participação do maior número de trabalhadores na sua elaboração; 15 - Apresentação do plano de trabalho vigente, com a definição das prioridades de ação nos locais de trabalho, de forma a possibilitar a ação preventiva na solução de problemas de segurança e saúde no trabalho; 16 - Comprovação da colaboração da Cipa no desenvolvimento e implementação do PCMSO e do PPRA e de outros programas relacionados à segurança e saúde no trabalho; 17 - Comprovação da apresentação e discussão do PPRA vigente na Cipa, e de sua anexação ao livro de atas da Comissão; 18 - Comprovação de apresentação e discussão na Cipa do relatório anual do PCMSO, e de sua anexação ao livro de atas da Comissão Comprovação da realização da última Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho SIPAT Para aquelas empresas que têm menos de 20 funcionários a NR 05, no seu item 5.6.4, versa que: Quando o estabelecimento não se enquadrar no número mínimo de 20 empregados, a empresa designará um responsável pelo cumprimento dos objetivos desta NR. Convênio permite análise do parque fabril A segurança no trabalho ganha destaque nas ações do Singraf. Com este intuito a entidade assinou parceria com a EngSul Engenharia de Segurança do Trabalho que prevê visita a empresas associadas. Este convênio tem por objetivo também traçar o perfil das máquinas do setor, e analisar qual a situação de cada processo e definir ações para tornar cada vez mais o ambiente de trabalho seguro para todos os colaboradores. De acordo com os responsáveis pela diretoria de Segurança do Trabalho, Luis Isotton e Osmar Leidens, equipe de profissionais da EngSul visitará os associados para a realização de questionário e análise de identificação de pontos críticos nas máquinas por eles utilizadas, conforme item da NR-12 da Portaria SIT n.º 197, de 17 de dezembro de O convênio prevê ainda um preço diferencial aos associados que tiverem interesse em executar o inventário das máquinas. Todos os associados em dia com o Financeiro têm direito a usufruir deste benefício. Basta entrar em contato com a Secretaria da entidade para pré-agendar uma visita com a equipe da EngSul. Mais informações favor contatar a Secretaria do Singraf pelo fone (54) ou Liberte sua imaginação Empresa Certificada Você imagina, a gente põe no papel 11

11 Em Questão Incentivo para a educação de empregados Estamos em ritmo de término de período de férias e volta às aulas, momento em que também volta a lembrança da necessidade cada vez maior de investimento de tempo e dinheiro na formação técnica de jovens e adultos. A Constituição Federal Brasileira assegura que a educação é um direito de todos e um dever do Estado e da família, devendo ser promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa e seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Sabemos que o Estado não tem conseguido atender a todas as demandas da sociedade, principalmente quando se trata de qualificação para o mercado de trabalho. A iniciativa privada, através das empresas, tem procurado incentivar a educação, principalmente de seus empregados. Entretanto, é preciso tomar cuidado para que esse incentivo não se torne demasiadamente oneroso ao empregador, escondendo passivos desconhecidos. Por isso alguns esclarecimentos se fazem necessários: 12 VIRIDIANA SGORLA Advogada Varaschin Advogados Primeiramente, é importante referir que inexiste dispositivo legal que obrigue o empregador a fornecer aos seus empregados estudo ou custeá-los, seja diretamente, seja através de material didático. No caso específico da categoria gráfica abrangida pelo Singraf, existe a previsão em Convenção Coletiva de Trabalho de um auxílio educacional, desde que cumpridas todas as condições previstas na cláusula específica, quais sejam: a) os empregados deverão comprovar perante as empresas a sua aprovação nas provas de curso de ensino oficial (reconhecidos pelo MEC) ou a frequência escolar de, no mínimo, 75% (setenta e cinco por cento) das aulas, ambas as condições referem-se ao ano ou semestre anterior à data do pagamento da ajuda educacional. b) deverá, ainda, ser apresentada às empresas a comprovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial (reconhecido pelo MEC) referente ao ano ou semestre em curso na data do pagamento do auxílio educacional. Cumpridas essas condições, o empregado receberá um auxílio educacional que, na última Convenção Coletiva, foi no valor de R$ 173,30 (cento e setenta e três reais e trinta centavos), pagos no mês de julho de Com exceção desse benefício, qualquer outro que venha a ser fornecido pelo empregador passará a ser liberalidade sua, ajustada diretamente com seus empregados, em condições e valores que poderão ser livremente estabelecidos uma vez que, como já dito, inexiste previsão legal a respeito do assunto. Esse benefício a ser ajustado entre as partes, segundo a previsão legal trabalhista (art. 458, parágrafo 2º, CLT) não terá natureza salarial, ou seja, a educação, em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros, compreendendo os valores relativos à matrícula, mensalidade, anuidade, livros e material didático não deverá ser somado ao salário do trabalhador para formar a sua remuneração, mesmo que fornecido de forma habitual, gratuita e para formação pessoal (sem relação com o trabalho). Ocorre, todavia, que esse não é o entendimento do Fisco Federal que, através da Lei /2011, estipulou um teto para a não incidência previdenciária, ou seja, para os valores sem natureza salarial (que não comporão o salário-contribuição), quais sejam: - valores que correspondam a até 5% da remuneração do empregado; ou - valores correspondentes a uma vez e meia o valor do limite mínimo mensal do salário-de-contribuição, o que atualmente equivaleria a R$ 1.086,00; o que for maior. O valor que exceder a esses parâmetros, segundo a legislação fiscal, deverá formar a base de cálculo da contribuição previdenciária do empregado. Outro condicionante colocado pela legislação fiscal é de que o estudo deverá estar vinculado às atividades desenvolvidas na empresa. Portanto, mais uma vez, encontramos conflitos entre a legislação trabalhista e fiscal, que merecem ser ponderados pelo empregador no momento em que decidir pelo incentivo financeiro na educação de seus trabalhadores.

12 Momento Reutilizar está em alta TATIANA IPSILANTY Essencial Consultoria Alerta para Licenças de Operação CATIANE RECH Cavi Consultoria Quem já não ouviu falar do princípio dos 3 R s? 1R - Primeiro tentar reduzir os resíduos. 2R - Depois tentar reutilizar os resíduos. 3R - E por último reciclar os resíduos. Baseado neste princípio e nos problemas rotineiros de um cliente da indústria gráfica para conseguir um destino adequado para os retalhos de lonas de PVC de banners que sobram no processo, desenvolvemos no ano de 2013 um brinde sustentável. Foi uma ótima maneira de reutilizar os resíduos de lona, que são resistentes e nobres, mas que quase mais ninguém quer receber e que acabavam indo para um aterro industrial pela falta de opção de reciclagem. As lonas foram então doadas para uma associação cristã que utiliza materiais doados para costurar roupas e artesanatos voluntariamente. Foi desenvolvido um protótipo de uma pastinha para documentos em parceria com as costureiras. Nossa empresa custeou os outros materiais necessários para confeccionar as pastas, e a lona que era resíduo se transformou numa linda pasta. A ideia foi um sucesso e quem ganhou uma pastinha com certeza ficou contente por dois motivos: pelo presente, é claro, mas também por ser uma contribuição para o meio ambiente, reduzindo o uso de recursos naturais. Hoje já estão sendo desenvolvidos outros brindes feitos a partir desta nova matéria-prima. O ano de 2014 se inicia com grandes mudanças em todo o nosso País; as novas determinações dos órgãos ambientais nos levam a refletir sobre as atitudes tomadas pelas empresas e pela comunidade em geral no que diz respeito à geração de resíduos e documentos obrigatórios. Durante todo o ano de 2013 os órgãos municipais chamaram a atenção para a unificação dos licenciamentos, ajustes nos documentos e planilhas de resíduos, bem como da importância de encaminhar a documentação de forma clara e completa. Com isso, licenças ambientais foram emitidas em menos tempo, atendendo as necessidades das empresas, mas por outro lado passaram a incluir em seu corpo itens como PGRs (plano de gerenciamento de resíduos) e alvará do Corpo de Bombeiros, destacando a manutenção dos documentos em vigor. Conforme já explanado nos informes ambientais é preciso ler a licença, observar as datas, prazos e documentos a serem apresentados para que não tenham surpresas quanto a cobranças futuras. Desta forma, além das planilhas a serem apresentadas anualmente, as empresas passam a ser cobradas também pela validade de seus documentos e, os órgãos fiscalizadores poderão advertir/notificar e até mesmo cancelar as licenças ambientais se tais documentos não estiverem em dia ou não forem renovadas. O Singraf, em parceria com a Cavi Consultoria, reforça a importância de estar em dia com os documentos e convida novamente aos associados que não têm licença ambiental a providenciar sua documentação durante este ano que se inicia. Para mais esclarecimentos, estamos à disposição através da Secretaria do Singraf, singraf-rs.com.br 13

13 Olho Vivo Principais desperdícios da produção O maior foco das gráficas é o combate aos inúmeros desperdícios que pode ocorrer na produção de um impresso, estejam eles diretamente ligados ao processo produtivo ou oriundos de outros departamentos. Existem várias formas de desperdícios. Um exemplo corriqueiro é o problema da troca de informações principalmente de ordem técnica (tipo de papel, gramatura, formato aberto e fechado, cores, número de páginas, etc.) entre cliente e gráfica, seja via departamento comercial (vendedor, por exemplo) ou telefonema do cliente para o vendedor ou diretamente para o orçamentista, ou mesmo um com especificações dúbias. Mais alguns exemplos destes desperdícios poderiam ser enumerados compondo uma lista de no mínimo 30 itens. THOMAZ CASPARY Consultor de Empresas, Coach Quais são os principais desperdícios da produção? Os principais desperdícios da produção foram identificados e podem ser qualificados pelos seguintes itens que consideramos os mais importantes: Defeitos de qualidade (matérias primas ou processamento); Excesso de produção ou quebra de tiragem (falta de controles); Espera = tempos improdutivos temos 14 principais motivos; Transporte inadequado (interno, externo ou em terceiros); Movimentação em excesso ou desnecessária; Processamento inapropriado em qualquer centro de custos; Estoque de matéria prima, semiacabados ou acabados em excesso; Falta de supervisão técnica na produção e treinamento dos operadores; Retrabalho; Diversos outros... As principais causas dos desperdícios citados, podem ser: Falta de objetividade na especificação do cliente com relação ao produto; Falta de controle de materiais e do processo; Incapacitação de pessoas ou pessoas não qualificadas; Inexistência de normas e procedimentos; Fornecedores desqualificados. Estoque e sua influência no desperdício Estoque excessivo de produto acabado aguardando entrega Estoque excessivo de matérias-primas e insumos. Estoque de materiais de baixa qualidade pouco utilizados Estoque de sobras, não identificadas. Causas que contribuem para isso: Produção excessiva; Alto tempo entre o pedido e entrega do produto (lead time); Compra de materiais sem especificação definida, adquiridos por conveniência; Falta de requisição de materiais e padrão de compras; Os desperdícios de estoque podem ser originados na compra e armazenamento de excedentes de insumos, materiais ou outros recursos. Eles também têm origem no excesso de materiais em processo acumulados. Ter excesso de estoque significa um maior custo para a empresa, ocupação de área, manutenção do inventário e do estoque. Para evitar 14 o desperdício é necessário um planejamento de compras eficiente, junto com o PCP e o departamento financeiro. Horas Improdutivas O que são: Ociosidade humana ou tempo de espera entre etapas de produção; Ociosidade de equipamentos por falta de serviço; Ociosidade com equipamentos parados por problemas técnicos diversos. Causas: Força de trabalho sem treinamento específico, Falta de Normas e procedimentos operacionais, Não agendamento de máquinas para produção pelo PCP, Tempo de setup demasiadamente longo, Falta de material ou atraso de operação O desperdício referente ao tempo de espera ocorre quando os recursos (pessoas ou equipamentos) são obrigados a esperar desnecessariamente em virtude de atrasos na chegada de materiais ou disponibilidade de outros recursos, incluindo informações. O desperdício também acontece quando ocorrem movimentos de pessoal desnecessários ao executar uma tarefa. Isto ocorre frequentemente na área de acabamento manual. Os funcionários cometem este tipo de desperdício quando não são devidamente orientados, procurando por documentos ou espaço para trabalhar, quando seu local de trabalho está cheio ou desorganizado. Muitas vezes, o desperdício de movimento atrasa o início dos trabalhos e interrompe o fluxo das atividades. Como eliminar os desperdícios? Abaixo, alguns passos que podem ser seguidos para uma efetiva eliminação dos desperdícios: Aumentar o fluxo de informações e comunicação, Fazer com que o desperdício seja apontado através de um RNC, Usar o RNC (Relatório de Não Conformidade) como ferramenta, Mensurar o desperdício e depois eliminar ou reduzir o desperdício. Em resumo, para que seja possível eliminar os desperdícios, é necessário vê-los e reconhecê-los, identificando os locais de origem, causas e encontrando soluções para eliminar ou minimizar este desperdício.

14 Nossa Capa: Neusa Welter Bocchese Neusa Welter Bocchese, 77 anos, natural de Vacaria, residiu durante muitos anos em Antônio Prado e hoje em Caxias do Sul. A obra em acrílica que ilustra a presente capa do informativo Expressão Singraf retrata em cores contemporâneas um dos Lambrequins que enfeitam as casas tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional da Colonização Italiana de Antônio Prado. Os Lambrequins são rendas de madeira feitas de araucária ou pinho, medindo 0,15cm a 0,45cm e serradas manual- mente um a um. Os modelos foram trazidos da Itália pelo Bisavô Napoleone Nodari e seus irmãos Atílio e Beijamin. Na Itália eles frequentaram a Escola de Artes e Ofícios de Pádua. No Brasil, em Antônio Prado, construíram uma grande oficina para beneficiamento da madeira, tabuas, móveis, casas, entalhes, esculturas, rodas de carretas, carruagens e os Lambrequins que enfeitam até hoje muitas casas da cidade, revela a artista. Aos aniversariantes dos meses de março e abril, a diretoria do Singraf deseja muitos anos de vida MARÇO ANIVERSARIANTES dia 08 - Horaide da S. Ferreira, da Etiquetaria Caxiense Ltda dia 12 - Sergio Luiz Pezzi, da Plastigraf dia 17 - Roberto Stedile, da Gráfica Duso Ltda dia 17 - Carlos Alberto Perera, da Âncora Importadora e Exportadora Comércio e representações Ltda dia 24 - Maria de F. dos Santos, da JM Artes Gráfica Ltda ABRIL dia 03 - Flávio Ricardo N. Alves, da A3graf Materiais e Equipamentos Gráficos e Representações Ltda dia 09 - Paulo Roberto Carrer, da Adere Indústria Serigráfica Ltda dia 14 - Darci Junior Nunes, da Dgraf Artes Gráficas dia 14 Rogério Siqueira, da Acrilys do Brasil Impressos Gráficos dia 17 - Inacio A. Bondan, da Gráfica Farroupilha Ltda dia 26 - Everton Caregnato, da Truckmam Componentes Automotivos dia 28 - Wilson Altair Gelatti, da Editora Litoarte Ltda dia 30 - Fernanda Andrey da Silva, da Gráfica Fontelli Ltda EMPRESAS DE ANIVERSÁRIO A diretoria do Singraf felicita as empresas associadas! MARÇO dia 1 - Agilgraf Serviços Gráficos Ltda, fundada em 2006 dia 1 - Grafia Indústria Gráfica Ltda, fundada em 1997 dia 1 - Plastigraf Sergio Luiz Pezzi, fundada em 1975 dia 02 - Jorvi Gráfica e Editora Ltda, fundada em 1984 dia 03 - Dgraf Artes Gráficas Lrda, fundada em 2009 dia 10 - Gráfica Poletto Ltda, fundada em 1992 dia 21 - Embanor Artes Gráficas Ltda,fundada em 1978 dia 21 - Gráfica Garibaldense Ltda, fundada em 1994 dia 22 - Macar Graf Artes Gráficas Ltda, fundada em 2001 dia 27 - Gráfica e Editora CJ Visão, fundada em 1995 dia 30 - Gráfica Monari Ltda, fundada em 2006 ABRIL dia 1 - Brindec Brindes Promocionais Ltda, fundada em 1991 dia 1 - Gráfica Soldatelli Ltda, fundada em 1988 dia 1 - Mastergraf Gráfica e Editora Ltda, fundada em 1996 dia 05 - Jin Etiquetadores de Preços Ltda, fundada em 1988 dia 07 - Adere Indústria Serigráfica Ltda, fundada em 1986 dia 12 - SP Embalagem Ltda, fundada em 2007 dia 17 - Alternativa Gravações Serigráficas, fundada em 1995 dia 18 - Gráfica São Roque Ltda, fundada em 1995 dia 18 - Instituto Leonardo Murialdo, fundado em 1947 dia 23 - Acrilys do Brasil Impressos Gráficos, fundada em

NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (205.000-5) DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho,

Leia mais

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf)

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf) www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/cni/iniciativas/eventos/enai/2013/06/1,2374/memoria-enai.html Memória Enai O Encontro Nacional da Indústria ENAI é realizado anualmente pela CNI desde

Leia mais

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR-5 Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 Atribuições iniciais Criada em 1934 e regulamentada somente em 1978 juntamente com outras

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Sindilojas, 24 de julho de 2014 Legislação da CIPA Decreto-lei nº 7.036 de 10/11/1944 (Lei de Acidentes do Trabalho): Art. 82. Os empregadores, cujo número

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Pedra dos Ferros

Prefeitura Municipal de São Pedra dos Ferros CNPJ/MF. nº 19.243.500/0001-82 Código do Município: 847-8 Praça Prefeito Armando Rios, 186-Centro - 35360-000 São Pedra dos Ferros-MG lei no 101, de 08 de maio de 2014. DISPÕE SOBRE A CONSTITUiÇÃO DA COMISSÃO

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

NR 4 - Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT)

NR 4 - Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) Zelãene dos Santos SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE NR 4 - Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) 4.1. As empresas privadas e públicas, os órgãos públicos

Leia mais

Regulamento das comissões internas de prevenção de acidentes - CIPAs

Regulamento das comissões internas de prevenção de acidentes - CIPAs Pág.: 1/5 1 Objetivo 1.1 Esta Norma estabelece os procedimentos relativos ao funcionamento das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes - CIPAs na COPASA MG. 1.2 Aplica-se a todos os empregados e Unidades

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Sua empresa mais competitiva! Projeto de Patrocínio EXPEN 2014

Sua empresa mais competitiva! Projeto de Patrocínio EXPEN 2014 Sua empresa mais competitiva! Projeto de Patrocínio EXPEN 2014 1ª FEIRA DO SUL DO BRASIL COM SOLUÇÕES COMPLETAS DE GESTÃO, SERVIÇOS E TECNOLOGIA PARA A SUA EMPRESA Na EXPEN 2014, você encontrará tecnologia,

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA nº 07/2014

CHAMADA PÚBLICA nº 07/2014 1 CHAMADA PÚBLICA nº 07/2014 Projeto de Qualificação de Credenciados de Serviços de Consultoria e Instrutoria do SEBRAE/RS Porto Alegre 2014 2 PREÂMBULO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

ASSUNTOS DIVERSOS FÉRIAS COLETIVAS

ASSUNTOS DIVERSOS FÉRIAS COLETIVAS BOLETIM INFORMATIVO DUARTE BENETTI CONTABILIDADE ANO XXIX Nº 122 Dezembro / 2013 Assuntos Diversos...1 Fiscal... 2 Pessoal... 3 Social... 4 Feriado e Agenda Obrigações...5 Mensagem...6 ASSUNTOS DIVERSOS

Leia mais

DESAFIOS PARA O CRESCIMENTO

DESAFIOS PARA O CRESCIMENTO educação para o trabalho Equipe Linha Direta DESAFIOS PARA O CRESCIMENTO Evento realizado na CNI apresentou as demandas da indústria brasileira aos principais candidatos à Presidência da República Historicamente

Leia mais

63 ESPECIAL SONDAGEM

63 ESPECIAL SONDAGEM Indicadores CNI SONDAGEM 63 ESPECIAL Tributação Indústria reprova sistema tributário brasileiro Número elevado de tributos, complexidade e instabilidade de regras lideram as avaliações negativas A tributação

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE OBJETIVO Prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000096/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064426/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.042751/2011-40 DATA DO

Leia mais

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal Edição nº 140 02 de março de 2015. ALERTA GERENCIAL Alterações na Legislação Federal A Medida Provisória nº 669, publicada no D.O.U. DE 27/02/2014, promoveu diversas alterações na legislação tributária

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS O empregador deve efetuar o pagamento de salários aos empregados até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao vencido.

Leia mais

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br COMPRA certa Treinamento para o profissional de compras www.contento.com.br 503117 Tributação e seus impactos na rentabilidade editorial Calculando a rentabilidade Gerir uma farmácia requer conhecimentos

Leia mais

Altera e consolida o Regimento Interno da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e dá outras providências.

Altera e consolida o Regimento Interno da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e dá outras providências. ATO Nº 1104/09 Altera e consolida o Regimento Interno da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e dá outras providências. CONSIDERANDO as sugestões de aperfeiçoamento do Regimento Interno da Comissão

Leia mais

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores.

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores. ECONOMIA - 19/08/14 BRIEFING DE POSICIONAMENTO SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS 1. CONTEXTO Posicionamento geral para quaisquer entrevistas realizadas no âmbito da terceira edição do projeto

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2.

ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2. ETERNIT S.A. C.N.P.J. nº 61.092.037/0001-81 NIRE 35.300.013.344 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 17 DE SETEMBRO DE 2.008 Aos 17 dias do mês de setembro do ano de dois mil e oito,

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável do Brasil INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA. APROVAÇÃO T.E Nome Rubrica Nome Rubrica E DIREX

Desenvolvimento Sustentável do Brasil INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA. APROVAÇÃO T.E Nome Rubrica Nome Rubrica E DIREX Desenvolvimento Sustentável do Brasil Nº Fls.: 01/18 INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA Rev/ Rev/ Fls. 01 02 03 04 05 06 07 08 09 Fls. 01 02 03 04 05 06 07 08 09 01 16 02 17 03 18 04 19

Leia mais

LEI N 501, DE 02 DE JULHO DE 2009.

LEI N 501, DE 02 DE JULHO DE 2009. Pág. 1 de 6 LEI N 501, DE 02 DE JULHO DE 2009. CRIA COMISSÃO DE HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO CIPA E A COMISSÃO GERAL DE HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO CIPAG, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PROJETO DE LEI. I - possibilitar o acesso e a fruição dos produtos e serviços culturais;

PROJETO DE LEI. I - possibilitar o acesso e a fruição dos produtos e serviços culturais; PROJETO DE LEI Institui o Programa de Cultura do Trabalhador, cria o Vale-Cultura e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o Fica instituído, sob a gestão do Ministério da Cultura,

Leia mais

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento...

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento... 1 Modelos de Documentos para a constituição da CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - Data: 02/01/2006. Realização: Gerência de Políticas de Prevenção e Saúde Ocupacional Objetivos da CIPA:

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul Educação financeira. Esta é a palavra-chave para qualquer

Leia mais

OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU

OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU Rua Ingo Hering 20 8º andar Neumarkt Trade & financial Center 89.010-909 Blumenau SC Fone 47 3326 1230 osblu@acib.net www.acib.net/osblu OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU Regimento Interno CAPÍTULO I DA

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

GLEISON CORTINA BENASSI OBJETIVOS PROFISSIONAIS. Áreas: Gestão Empresarial; Gestão Administrativo-Financeira; Comercial; Nível Hierárquico: Gerente

GLEISON CORTINA BENASSI OBJETIVOS PROFISSIONAIS. Áreas: Gestão Empresarial; Gestão Administrativo-Financeira; Comercial; Nível Hierárquico: Gerente GLEISON CORTINA BENASSI Estado Civil Casado, com filhos. Telefone (62) 8141-9485 - (62) 9693-2773 Natural Erechim - RS E-mail benassirs@gmail.com Redes Sociais Facebook: Gleison Benassi Linkedin: Gleison

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 850 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014.

LEI MUNICIPAL Nº. 850 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014. LEI MUNICIPAL Nº. 850 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014. Dispõe sobre a implementação do Distrito Industrial na localidade denominada de Ouro Branco do Sul, no Município de Itiquira/MT e estabelece normas para

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 46 IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS Dr. João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

VERITAE CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB. No Rio de Janeiro, dia 12/03/2013

VERITAE CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB. No Rio de Janeiro, dia 12/03/2013 VERITAE Cursos/RJ/Março/2013 CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB No Rio de Janeiro, dia 12/03/2013 PÚBLICO ALVO Colaboradores das áreas de departamento

Leia mais

III - Dos princípios gerais da gestão e ferramentas de gestão interna

III - Dos princípios gerais da gestão e ferramentas de gestão interna CAPITULO I - DOS PRINCÍPIOS GERAIS I Apresentação Ainda que não precisem gerar lucro, as organizações do terceiro setor demandam, cada vez mais, uma gestão profissionalizada, que lhes permita avaliar adequadamente

Leia mais

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015.

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015. DELIBERAÇÃO PLENÁRIA N 20, DE 26 DE MAIO DE 2015. Regulamenta a concessão de apoio institucional pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU/GO), caracteriza as suas modalidades e dá outras

Leia mais

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos.

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos. NR 5 5.1 As empresas privadas e públicas e os órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela ConsoIidação das Leis do Trabalho - CLT ficam obrigados a organizar e manter em funcionamento, por

Leia mais

Fiec entra na Justiça contra norma fiscal sobre importados

Fiec entra na Justiça contra norma fiscal sobre importados Fonte: Dr. Richard Dotoli (sócio do setor tributário na SCA Rio de Janeiro) MEDIDA DO CONFAZ Fiec entra na Justiça contra norma fiscal sobre importados 01.05.2013 A ação requer que indústrias importadoras

Leia mais

A Sombra do Imposto. Propostas para um sistema de impostos mais simples e justo Simplifica Já

A Sombra do Imposto. Propostas para um sistema de impostos mais simples e justo Simplifica Já A Sombra do Imposto Propostas para um sistema de impostos mais simples e justo Simplifica Já Expediente A Sombra do Imposto Cartilha produzida pelo Sistema Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná).

Leia mais

Consultoria Fiscal e Tributária

Consultoria Fiscal e Tributária Consultoria Fiscal e Tributária A precária legislação fiscal para o segmento logístico e o complexo sistema tributário nacional para os demais segmentos, faz da consultoria especializada uma ferramenta

Leia mais

Visão estratégica e projetos futuros

Visão estratégica e projetos futuros Visão estratégica e projetos futuros 4 Encontro de Secretários Executivos de Sindicatos - FIESC 15 de setembro de 2010 PDA Visão Estratégica Panorama SC Projetos 2011 Objetivos Visão Estratégica 1/9 Mapa

Leia mais

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011

Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 Terceirização e plano Brasil Maior são destaques em palestras na Câmara 18/08/2011 A oitava reunião mensal do ano da Comissão Trabalhista e de Gestão Empresarial superou as expectativas. 50 representantes

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL CANDIDATOS A PREFEITOS E PREFEITAS MUNICIPAIS Pleito Eleitoral 2012 PROPOSTAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A PROMOÇÃO

Leia mais

Cobras Contabilidade Brasília S/S Ltda

Cobras Contabilidade Brasília S/S Ltda MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível seu quadro de avisos para análise da fiscalização os seguintes

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA (IMPOSTO SINDICAL) ATUALIZADAS 1ª pergunta: Quem paga a Contribuição Sindical Urbana CSU (imposto sindical)? a) Os profissionais liberais, entre

Leia mais

GUIA DE BENEFÍCIOS ASSOCIADOS ABTG

GUIA DE BENEFÍCIOS ASSOCIADOS ABTG GUIA DE BENEFÍCIOS ASSOCIADOS ABTG w w w. ab t g. o r g. b r Você está recebendo o guia de benefícios e serviços oferecidos aos associados ABTG. Se a sua empresa já é associada aproveite e utilize o maior

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica sumário >> Introdução... 3 >> Nota fiscal eletrônica: o começo de tudo... 6 >> Nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e)... 10 >> Quais as vantagens

Leia mais

REGULAMENTO Título I DA COSAT Art. 1º - Os servidores (técnico-administrativos e docentes) da Universidade organizarão na sua unidade, acadêmica e

REGULAMENTO Título I DA COSAT Art. 1º - Os servidores (técnico-administrativos e docentes) da Universidade organizarão na sua unidade, acadêmica e REGULAMENTO Título I DA COSAT Art. 1º - Os servidores (técnico-administrativos e docentes) da Universidade organizarão na sua unidade, acadêmica e administrativa, e nos órgãos suplementares da administração

Leia mais

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América.

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. La Gestión Contable, Administrativa y Tributaria en las PYMES e Integración Europa-América 23 24 de junio 2006 Santa Cruz de la Sierra (Bolívia)

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

TRIBUTOS EM OBRAS. 24 e 25 de Fevereiro de 2010 Pergamon Hotel São Paulo / SP 24 DE FEVEREIRO CONFERÊNCIA CONFERÊNCIA

TRIBUTOS EM OBRAS. 24 e 25 de Fevereiro de 2010 Pergamon Hotel São Paulo / SP 24 DE FEVEREIRO CONFERÊNCIA CONFERÊNCIA Conferência Evite a Bitributação e Planeje a Redução Legal da Carga Tributária Através do Tratamento Adequado dos TRIBUTOS EM OBRAS Considere as Responsabilidades Tributárias dos Envolvidos em uma Obra

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS. A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS. A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível seu quadro de avisos para análise da fiscalização os seguintes

Leia mais

Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão

Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão SET 2014 A SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão) é a principal associação de profissionais que trabalham com tecnologias e sistemas operacionais

Leia mais

Uma agenda tributária para o Brasil. Fóruns Estadão Brasil Competitivo Bernard Appy Maio de 2014

Uma agenda tributária para o Brasil. Fóruns Estadão Brasil Competitivo Bernard Appy Maio de 2014 Uma agenda tributária para o Brasil Fóruns Estadão Brasil Competitivo Bernard Appy Maio de 2014 Sumário Introdução Problemas do sistema tributário brasileiro Sugestões de aperfeiçoamento 2 Sumário Introdução

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS.

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS. UNIMED VALE DAS ANTAS, RS - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE LTDA Ramo: Cooperativa Médica de Serviços de Saúde Período de Relato: de 27/02/2014 a 24/02/2015 E-mail: rh@valedasantas.unimed.com.br / gerencia@valedasantas.unimed.com.br

Leia mais

O surgimento de associações de agricultores ocorre em função de três movimentos sociais importante:

O surgimento de associações de agricultores ocorre em função de três movimentos sociais importante: 1. ASSOCIATIVISMO 1.1. Introdução As formas associativas de trabalho no campo já eram encontradas há muito tempo atrás entre os primitivos povos indígenas da América. As grandes culturas précolombianas

Leia mais

Agenda para Micro e Pequenas Empresas

Agenda para Micro e Pequenas Empresas Agenda para Micro e Pequenas Empresas As Micro e Pequenas Empresas (MPE) são de vital importância para o desenvolvimento econômico de Goiás, pois atuam em diversas atividades econômicas, tais como indústria,

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015 INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 02/2015 (27 de Fevereiro de 2015) 01. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 669, DE 26.02.2015 - DOU DE 27.02.2015 Ementa: Previdenciária - Aumentadas as alíquotas de contribuição

Leia mais

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012 Neste bip EFD Contribuições... 1 Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT... 1 Configuração da Demonstração do Fluxo de Caixa... Configuração do Plano de Contas de acordo com a Lei 11.638/07...

Leia mais

DESCUBRA O PODER DO CONHECIMENTO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA. PROGRAMAÇÃO 2015

DESCUBRA O PODER DO CONHECIMENTO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA. PROGRAMAÇÃO 2015 DESCUBRA O PODER DO CONHECIMENTO PARA VOCÊ E SUA EMPRESA. PROGRAMAÇÃO 2015 OFICINA: COMO USAR UM BLOG PARA A SUA EMPRESA DATA: 30/JAN INVESTIMENTO: R$ 30,00 CARGA HORÁRIA: 3 HORAS OFICINA: COMO ABRIR UMA

Leia mais

PROGRAMA DE CULTURA DO TRABALHADOR VALE-CULTURA Lei nº 12.761, de 27 de dezembro de 2012

PROGRAMA DE CULTURA DO TRABALHADOR VALE-CULTURA Lei nº 12.761, de 27 de dezembro de 2012 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Vale-Cultura IRRF Tabela Progressiva Atuação do Psicólogo como Perito INFORMATIVO 02/2013 PROGRAMA DE CULTURA DO TRABALHADOR VALE-CULTURA Lei nº 12.761,

Leia mais

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER 1.1-Reunião com a diretoria 1.1.1 03/02 ( sexta feira ) 17h 1.1.1.1 Convocar membros da diretoria

Leia mais

PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA. OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço

PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA. OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço Realização: Programa Mercado Mata Atlântica RBMA Instituto Amigos da Reserva

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 5, ANO III MAIO DE 2011 1 ESTADO NÃO PODE RECUSAR CRÉDITOS DE ICMS DECORRENTES DE INCENTIVOS FISCAIS Fiscos Estaduais não podem autuar

Leia mais

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA

Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Prioridades e Recomendações (2011-2014) INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Documento de Trabalho SESSÃO TEMÁTICA INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA Indicador de importância das prioridades (Resultado

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

X X. Com portas abertas, Djazil recebe familiares. Uma história que se firmou com comprometimento e confiança PÁG 2

X X. Com portas abertas, Djazil recebe familiares. Uma história que se firmou com comprometimento e confiança PÁG 2 X X X Informativo Djazil Nº133 Ano XIII Maio/Junho 2011 Com portas abertas, Djazil recebe familiares A oportunidade levou familiares dos colaboradores até a empresa para uma manhã de sábado diferente.

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES No fascículo anterior tratamos da importância de desenvolver e treinar os profissionais que trabalham no consultório médico e o quanto são importantes para que a empresa seja

Leia mais

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa mais ágil, com menos papel e mais resultados. 2 ÍNDICE

Leia mais

Simples Nacional e o Planejamento Tributário RESUMO

Simples Nacional e o Planejamento Tributário RESUMO 1 Simples Nacional e o Planejamento Tributário Marcos A. Nazário De Oliveira marcosadinavi@gmail.com Egresso do curso de Ciências Contábeis Rafael Antônio Andrade rfaandrade@msn.com Egresso do curso de

Leia mais

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012 Neste bip Contribuição Sindical dos empregados... 1 Alterações no Aviso Prévio conforme Circular MTE 10/2011... 2 Formas de contabilização da Escrita Fiscal... 3 Importação de Notas Fiscais de Serviço...

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E EMPREGO CENTRO DE INOVAÇÃO E ACELERAÇÃO DE EMPRESAS DE PALMAS - CIAP

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E EMPREGO CENTRO DE INOVAÇÃO E ACELERAÇÃO DE EMPRESAS DE PALMAS - CIAP PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E EMPREGO CENTRO DE INOVAÇÃO E ACELERAÇÃO DE EMPRESAS DE PALMAS - CIAP Palmas TO Ciap CENTRO DE INOVAÇÃO E ACELERAÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

Área Emitente: Gestão com Pessoas/SESMT ASSUNTO: ELEIÇÃO DA CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NR-5

Área Emitente: Gestão com Pessoas/SESMT ASSUNTO: ELEIÇÃO DA CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NR-5 Código: Data emissão: Data de Vigência: Página 1 de 7 1- Objetivo: Prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho aplicando as determinações da legislação NR-5. 2- Aplicação: Este procedimento aplica-se

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008. DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008. Regulamenta o artigo 66, do Estatuto dos Servidores Públicos de São Leopoldo, Lei nº 6.055 de 14 de Setembro de 2006, Da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes-

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DO PVCC

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DO PVCC ESTADO: GOIÁS COORDENADOR: HENRIQUE RICARDO BATISTA PERÍODO DO RELATÓRIO: Ano de 20 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DO PVCC ATIVIDADE DATA N o DE HORAS LOCAL (Município) OBJETIVO N o PART RESULTADO/

Leia mais

REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DA LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE EVENTOS.

REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DA LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE EVENTOS. DECRETO Nº 16.785, DATA: 5 de outubro de 2005. REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA CONCESSÃO DA LICENÇA PARA LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE EVENTOS. O Prefeito Municipal de Foz do Iguaçu,

Leia mais

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO

EDITAL PARA EXPOSIÇÃO DE OPORTUNIDADES NA FEIRA DO EMPREENDEDOR DO RIO DE JANEIRO Edição 2015 I DA CONVOCAÇÃO I DA CONVOCAÇÃO SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO Sebrae/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins econômicos, torna público que promoverá seleção de expositores para

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

Manual de Conduta Escritórios Brasília

Manual de Conduta Escritórios Brasília Manual de Conduta Escritórios Brasília 1 Prezado parceiro, você acaba de ingressar em um novo modelo de gestão de negócios. Seja bem-vindo. 2 Com o único objetivo de aprimorar o seu negócio vamos apresentar

Leia mais

Quem tem conhecimento vai pra frente

Quem tem conhecimento vai pra frente blogdosempreendedores.com.br facadiferente.sebrae.com.br contabilidadeschmitt.com.br Fotos: Produtos do Projeto Gemas e Joias do Sebrae-PA Livro Artesanato- Um negócio genuinamente brasileiro (Sebrae,

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

CRUZ AZUL DE SÃO PAULO

CRUZ AZUL DE SÃO PAULO CRUZ AZUL DE SÃO PAULO ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR Capítulo I DA DENOMINAÇÃO SEDE FINALIDADE E DURAÇÃO Art. 1º. O Grêmio Estudantil do Colégio PM é o representativo geral da

Leia mais