FACULDADE DE TECNOLOGIA PASTOR DOHMS TECNODOHMS A N A I S XI MOMENTO ACADÊMICO. Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE TECNOLOGIA PASTOR DOHMS TECNODOHMS A N A I S XI MOMENTO ACADÊMICO. Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 no Brasil"

Transcrição

1 FACULDADE DE TECNOLOGIA PASTOR DOHMS TECNODOHMS A N A I S DO XI MOMENTO ACADÊMICO Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 no Brasil LOCAL: Salão de Eventos da Comunidade Evangélica Martin Luther DATA: 27 de abril de 2013.

2 FACULDADE DE TECNOLOGIA PASTOR DOHMS TECNODOHMS Direção Geral: Belmiro Meine Direção dos Cursos de TI: Karina Benato e Márcio Pinto Santa Helena Direção dos Cursos de Gestão: André Rauter e Arno Oelrich Pastoral: Bertilo Schneider ANAIS do XI MOMENTO ACADÊMICO Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 no Brasil Organizado por: Valcir L. Prochnow

3 S U M Á R I O Apresentação... 5 Carta de Apresentação do XI Momento Acadêmico... 6 Administração de Redes Administração de Redes Algoritmos e Programação...12 Análise de Demanda...18 Análise de Sistemas Arquitetura de Hardware (Redes)...24 Arquitetura de Hardware (Sistemas)...29 Direito de Cidadania...32 Ecologia Empresarial...35 Engenharia de Software...39 Gestão da Qualidade...42 Gestão de Projetos...46 Gestão Mercadológica...52 Informática Instrumental B...56 Inglês Instrumental...58 Inteligência Competitiva...59 Introdução à Gestão Empresarial...63 Legislação Comercial...73 Liderança e Ética...75 Logística de Distribuição...81 Matemática Instrumental...82

4 Metodologia Científica...93 Português Instrumental...96 Programação Web Projeto de Redes Promoção de Vendas Qualidade de Serviço em Redes Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Wireless Representação e Vendas Segurança de Sistemas (TI) Segurança de Sistemas (Gestão) Seminário de Integração Sistemas Institucionais de Informação Sistemas Operacionais Tecnologias de Sistemas de Proteção Tópicos Avançados em Programação Web Avaliação e sugestões para os próximos eventos...156

5 A P R E S E N T A Ç Ã O O XI Momento Acadêmico marca uma nova etapa nas edições dessa modalidade de evento: a produção e organização coletiva de textos, em sala de aula e fora dela, relacionados a um tema previamente escolhido. Neste caso, o tema é Copa do Mundo TIC, Gestão, Logística e Segurança. Os estudantes foram desafiados a estabelecer uma relação entre o seu curso e esse grande evento esportivo que acontecerá no próximo ano em nosso país e que, de alguma forma, afetará também a capital gaúcha e seus cidadãos. Essa inovação produziu importantes avanços na prática para a construção de conhecimento em nossa comunidade acadêmica. Muitas contribuições qualificaram o evento, com participação efetiva dos diretores e vice-diretores dos cursos de Gestão (André Rauter e Arno Oelrich) e TIC (Karina Benato e Márcio Pinto Santa Helena), do corpo docente e dos colaboradores. Mas, de forma especial, os cumprimentos se estendem a todos os acadêmicos que, de uma ou de outra forma, participaram das pesquisas e dos debates e se envolveram na produção de textos. Além dessa produção textual, o evento contou com a palestra do Sr. José Haroldo Loureiro Gomes, conhecido como Arataca, diretor técnico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT) e treinador chefe de Atletismo da Sogipa, que desenvolveu o tema Copa do Mundo FIFA 2014 e enfatizou, especialmente, o legado que o evento deixará para toda a sociedade brasileira. Para finalizar, houve breve apresentação dos cinco cursos da Faculdade de Tecnologia Tecnodohms, que sintetizaram o que foi realizado em forma de leitura e pesquisa. 5

6 Prezados Professores e Estudantes: Assunto: XI MOMENTO ACADÊMICO - COPA DO MUNDO 2014 Porto Alegre, 8 de abril de É com satisfação que comunicamos a todos que o XI MOMENTO ACADÊMICO, com o tema COPA DO MUNDO TIC, Gestão, Logística e Segurança, está confirmado para o dia 27 de abril de 2013, sábado, com a seguinte programação: 09:00-10:30 Abertura e Palestra. 10:30-11:00 Coffee Break. 11:00-12:00 Apresentação de relatos dos cursos e encerramento. Esta é a nossa primeira oportunidade do semestre para incrementar atividades de pesquisa, integrando estudantes, professores e instituição. O tema e formato agora divulgados têm a participação dos Estudantes, do Diretório Acadêmico, das Direções de Ensino, da Pastoral e da Direção Geral. No sentido de organizar as atividades, sugerimos aos professores o seguinte: 1. Na semana de 08 a 12 de abril, discutir com os estudantes e propor tarefas linkadas ao tema do evento. 2. Na semana de 15 a 19 de abril, elaborar um Relato da Turma, contendo as descobertas mais relevantes do grupo (curiosidades, números, planos, sugestões, previsões e outras) em até quatro páginas. 3. Até 22 de abril, entregar o seu Relato da Turma para compilação e divulgação no evento, sintetizado na forma de Relato do Curso pela Comissão dos Estudantes e Direções de Ensino. Favor enviar o trabalho em arquivo eletrônico, formato word editável, para: Contamos com o apoio de toda Comunidade Acadêmica para a produção de conhecimento e valorização do XI MOMENTO ACADÊMICO, com o tema COPA DO MUNDO TIC, Gestão, Logística e Segurança. Atenciosamente, Direções de Ensino Karina Benato, André Rauter, Márcio Pinto Santa Helena e Arno Oelrich 6

7 Componente Curricular: Administração de Redes 1 Professor: Dione Taschetto Implementação da tecnologia 4G Até a Copa do Mundo no Brasil, as cidades-sede terão estrutura para utilizar a tecnologia 4G. Porém, não vai ser usada a frequência na faixa de 700MHz, que não poderá ser utilizada pelos turistas de certos países, cujos aparelhos operam na faixa de 2,5GHz. Fonte: Tecnologias móveis para 2014 As previsões de utilização de banda larga móvel no mundo indicam que nos próximos anos haverá um predomínio das tecnologias HSPA/HSPA+ e LTE. O HSPA é o primeiro passo na evolução da tecnologia WCDMA, com transmissão de dados que atingem, teoricamente, de 1,8 Mbit/s a 14,4 Mbit/s, o que possibilita aplicações que demandam alta taxa de dados. O LTE introduz uma nova tecnologia de radiocomunicação que permite um ganho ainda maior na eficiência espectral, com acréscimo de 2 a 4 vezes na capacidade do sistema com relação ao HSPA. São várias as tecnologias móveis de TV Digital disponíveis atualmente, já testadas comercialmente e que poderão fazer parte do mainstream em Após uma série de estudos de análise de riscos e adaptações de padrões a características específicas do país, o Brasil optou em 2006 pelo padrão Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial (ISDB T). Desenvolvido desde o início para a recepção móvel e portátil, o ISDB T transmite o sinal para os receptores móveis no mesmo canal que a transmissão em alta definição, o que é uma vantagem quando comparado a outros padrões de TV digital que necessitam de espectro adicional para a transmissão móvel. A paixão do brasileiro pela TV, aliada à grande difusão do celular, revela o grande potencial que a TV móvel representa para o país. Na realidade, as pesquisas mostram que o celular e o aparelho de TV são os dois itens mais importantes na rotina do brasileiro (enquanto o computador com acesso à internet ocupa a terceira posição). Novas Tecnologias Entre as novidades, os estádios da Copa de 2014 poderão contar com painéis digitais LCD e Led, LCD interativo, sistemas de proteção antivandalismo e telas com qualidade de full HD. Os próximos anos não reservam muitas inovações na área de áudio, que está muito evoluída, diz Novakoski. Já a internet e a tevê digital, com equipamentos móveis e tecnologia 3D, se não faltarem investimentos, farão a diferença nos estádios da Copa de 2014, aposta. 7

8 Já tecnologias mais "futuristas", como a telefonia 4G e grandes projetores holográficos, por exemplo, ainda estão em desenvolvimento e devem demorar um pouco mais. "Os sistemas holográficos ainda ficariam muito caros para a realidade de qualquer país e demanda técnicas mais apuradas. Quanto à telefonia 4G, que está em testes no Japão e na Coreia, há uma possibilidade remota de sua chegada ao Brasil até 2014", revela o técnico. A Seal Telecom está preparada para dotar os estádios de recursos como o monitoramento eletrônico de imagens, digital signage (ingressos marcados digitalmente) e a sonorização de ambientes. Para equipar um estádio de médio a grande porte, o custo médio aproximado é de R$ 30 a 50 milhões, ou, de 7 a 10% do valor da construção. "É um investimento no sentido da sustentabilidade. Porque estádios preparados com aparatos tecnológicos mais avançados abrem novas perspectivas de uso, como arenas usadas não só para o futebol, mas também para shows e grandes eventos", conclui Novakoski. Fontes: Infraestrutura tecnológica 4G na Copa de 2014 Megaeventos esportivos como a Copa do Mundo, em 2014, demandarão uma pesada infraestrutura de tecnologias de informação e comunicação (TIC). 8

9 Em 2014 podemos, com certeza, pensar em uma televisão de alta definição, interativa, com integração com as redes sociais. Mas também será a vez da mobilidade, que requer velocidade. É nesse ponto que ganha destaque a nova tecnologia 4G, sucessora da tecnologia 3G. A quarta geração de telefonia móvel, ou 4G, tem como principal característica a alta velocidade de banda larga móvel. A tecnologia 4G é muitas vezes comparada à conexão via cabo fixo ou modem ADSL. No Brasil, utilizaremos a tecnologia 4G LTE (Long Term Evolution) na frequência de 2,5 Ghz. A maioria das dúvidas sobre o 4G gira em torno de sua velocidade. Teoricamente, a tecnologia 4G tem capacidade para chegar a até 100 Mbps, o que seria cerca de 100 vezes mais rápida que as redes 3G. A Claro afirma que já está preparando sua rede para a quarta geração, com grandes investimentos em infraestrutura. Os aparelhos compatíveis com o 4G funcionarão também nas redes HSPA+, 3G e 2G. Os aparelhos 3G atuais não terão suporte para trafegar nas redes LTE. Muitas dúvidas sobre o 4G surgem na hora de falar de prazos. Segundo o cronograma definido pela Anatel, até abril de 2013 o 4G deverá estar implementado nas seis cidadessede da Copa das Confederações (Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador). As demais capitais-sede da Copa do Mundo de 2014 terão cobertura 4G em dezembro de (Cuiabá, Curitiba, Natal, Porto Alegre e São Paulo). Fontes: Qualidade de serviço (telecomunicações) FIFA 2014 No campo das telecomunicações e redes de computadores, o termo Qualidade de Serviço (QoS, em inglês, Quality of Service) pode tender para duas interpretações relacionadas, mas distintas. Em redes de comutação de circuitos, refere-se à probabilidade de sucesso em estabelecer uma ligação a um destino. Em redes de comutação de pacotes refere-se à garantia de largura de banda ou, como em muitos casos, é utilizada informalmente para referir-se à probabilidade de um pacote circular entre dois pontos de rede. Fonte: 9

10 Componente Curricular: Administração de Redes 2 Professora: Janaína Conceição Sutil Lemos IPTV: Protocolos para transmissão de conteúdo multimídia Entre os serviços que podem ser oferecidos por um provedor de IPTV, podemos destacar a difusão de um programa para diversos assinantes, o oferecimento de vídeo sobre demanda (em inglês, Video on Demand - VoD), a programação com atraso (Time shift Broadcast) e o download de arquivos para exibição posterior (Personal Video Record). No que diz respeito às tecnologias utilizadas para transmissão, a difusão ao vivo para um grupo de assinantes faz uso de multicast (transmissão de uma fonte para vários receptores compreendendo um único fluxo). Este mecanismo permite a economia de largura de banda se comparada ao direcionamento de um fluxo para cada assinante que esteja interessado em assistir a um determinado programa. Já o serviço de vídeo sob demanda utiliza fluxos únicos para cada dispositivo de usuário que solicita a recepção de um conteúdo. Isto se deve ao fato de que, como o próprio nome sugere, o conteúdo a ser transmitido é escolhido pelo usuário em um momento também definido por ele [3][4]. Por fim, a programação com atraso é semelhante à transmissão ao vivo. Neste caso, o mesmo programa inicia-se respeitando um intervalo de tempo regular (como, por exemplo, 10 minutos). Para o serviço de VoD (Video on Demand), é utilizado o protocolo RTSP (Real Time Streaming Protocol) [2] em conjunto com o RTP [1], sendo que o RTP é utilizado para a transmissão do conteúdo multimídia propriamente dito e o RTSP permite que o usuário final possa controlar a transmissão, uma vez que o fluxo é direcionado somente ao seu dispositivo. Já na transmissão ao vivo, pode ser usado o padrão MPEG-2 TS (ISO/IEC , 2000) [2] sobre RTP ou UDP ou, ainda, pode ser utilizado o padrão MPEG-4 AVC/AAC (Advanced Video Coding / Advanced Audio Coding) sobre RTP. Protocolos utilizados na transmissão de IPTV IP Unicast: Transmissão ponto-a-ponto visando ao atendimento de uma solicitação de um cliente específico. IP Multicast: Neste modelo de envio de dados, o servidor remete fluxo único destinado a um endereço previamente definido, também conhecido como identificador do grupo multicast. O fluxo será propagado apenas pelos equipamentos da rede em que ocorrer o interesse por parte de algum cliente em participar desse grupo. Logo, o sentido desta comunicação é de um servidor para um grupo de clientes que sinalizaram o interesse em receber o conteúdo transmitido para o grupo multicast. No que diz respeito aos padrões 10

11 utilizados na transmissão, não há nenhuma diferença em relação à transmissão ao vivo em unicast. Esses padrões são descritos a seguir. RTP: Provê serviços de entrega fim-a-fim para dados com características de tempo real como, por exemplo, áudio e vídeo. Este protocolo permite a identificação do tipo de dado, a numeração sequencial do mesmo e os mecanismos necessários para a remontagem do fluxo de tempo real a partir dos pacotes IP que são recebidos, e é utilizado sobre UDP. O RTP não dispõe de mecanismos para garantia de entrega e qualidade de serviço, mas faz uso do protocolo RTCP para transmitir periodicamente pacotes de controle entre as entidades envolvidas na comunicação (ou sessão RTP), com o objetivo de monitorar a qualidade de serviço da mesma. RTSP: Do inglês Real Time Streaming Protocol (Protocolo de Streaming de Tempo Real), é um protocolo de apresentação multimídia cliente-servidor que permite a entrega controlada de dados multimídia em fluxo sobre redes IP. Ele fornece funcionalidades de um controle remoto, tais como pausar, retroceder e avançar, fazendo com que o cliente possa comandar as ações do servidor. No RTSP, cada apresentação e fluxo de mídia são identificados por uma URL RTSP. A sessão em geral e as propriedades das mídias são definidas em um arquivo de descrição da sessão (SDP), que pode incluir a codificação, o idioma, URLs RTSP, endereço de destino, porta e outros parâmetros. O arquivo de descrição da apresentação pode ser obtido pelo cliente utilizando, por exemplo, HTTP. As solicitações RTSP são enviadas em um canal independente do canal de dados. Elas podem ser transmitidas em conexões de transporte persistentes (TCP) ou no modo não orientado à conexão. (UDP). Apesar de a maioria das mídias de tempo real fazer uso do RTP para entrega dos dados, o RTSP não está atrelado ao RTP. MPEG2-TS: É um formato especial para transmissão de vídeo MPEG multiplexado com outros fluxos (p. ex. áudio). Alguns pacotes TS contêm um campo opcional de adaptação cujo tamanho depende de flags no cabeçalho do pacote e que pode conter informações de tempo e outros dados. A carga útil dos pacotes TS pode conter informações sobre o programa, bem como PES (Packetized Elementary Streams), tipicamente de vídeo e áudio. Um fluxo de transporte MPEG2 contém dados multiplexados, carregando pacotes TS com cargas de vários pacotes PES. Devido ao fato de os cabeçalhos dos pacotes PES e o campo de adaptação conter informações de tempo, nenhuma outra sinalização se faz necessária para sincronizar os múltiplos fluxos para a reprodução. MPEG2-TS sobre RTP/UDP/IP: Nas redes baseadas em Ethernet, a unidade de transmissão máxima (MTU) é de 1500 bytes. Com o uso de RTP para transportar pacotes MPEG-2 TS em redes Ethernet, a carga útil RTP comporta aproximadamente 7 pacotes. O emprego de MPEG2-TS sobre RTP pode ser feito para transmissões ao vivo ou em VoD, dada a possibilidade de combinar o RTSP com esta tecnologia e, desta forma, permitir que o usuário tenha a sua disposição as funcionalidades do tipo pausar, avançar e retroceder o programa. 11

12 Conclusão Em relação às tecnologias estudadas, é possível afirmar que a utilização de um ou outro protocolo depende diretamente do serviço em questão. Por exemplo, para o serviço de Vídeo sob Demanda (VoD), é bastante adequado o uso de RTP e RTSP. Este serviço utiliza fluxos únicos para cada dispositivo de usuário que solicita a recepção de um conteúdo. Isso se deve ao fato de que o conteúdo a ser transmitido é escolhido pelo usuário em um momento também definido por ele. Já para a transmissão de vídeo ao vivo, pode ser utilizado o protocolo RTP em unicast ou multicast, fazendo uso dos padrões MPEG-4 AVC/AAC sobre RTP. Fontes: [1] SCHULZRINNE, H. et al. RTP: a Transport Protocol for Real-Time Applications: RFC Internet Engineering Task Force, Network Working Group, [2] SCHULZRINNE, H. et al. Real Time Streaming Protocol: RFC Internet Engineering Task Force, Network Working Group, [3] OPEN IPTV FORUM. OIPF-T1-R2 Functional Architecture V 2.0 [ ]. Documento técnico elaborado pelo consórcio Open IPTV Forum. Disponível em: <http://www.openiptvforum.org>. [4]CISCO. Cisco End-to-End Solutions for IPTV. Disponível em 12

13 Componente Curricular: Algoritmos e Programação Professor: Dione Taschetto Copa do Mundo 2014 A disciplina de Algoritmos e Programação proporciona o conhecimento essencial para o desenvolvimento de uma série de programas que podem ser utilizados para os mais diversos fins. A seguir, seguem alguns sistemas já existentes e algumas sugestões de aplicativos que podem ser desenvolvidos para a Copa do Mundo de 2014, tendo como base a disciplina de Algoritmos e Programação. Estacionamento Inteligente Através de um sistema que gerencia de forma informatizada e centralizada as vagas disponíveis nos estacionamentos da cidade, o programa permitiria que os usuários pudessem consultá-las previamente, antes de dirigir-se a um determinado estacionamento. Para isso, seria necessário estabelecer um convênio entre os estacionamentos. Além disso, poderia ser desenvolvido um aplicativo para celular que exibisse essas vagas, informando o valor do estacionamento, bem como a localização do mesmo na cidade através do mapa do celular. Outra funcionalidade interessante pode ser a reserva de vagas. Sistemas Mobile Commerce Visto que o torcedor ficará, em média, 6 horas nos locais de jogos, é necessário uma rede comercial móvel para contratação de serviços de transporte, hotelaria, bazar e restaurantes. Pode ser desenvolvido para Android, Windows Phone ouios, que se tornará uma maneira rápida de acesso. Applicative warningmap A aplicação warningmap serviria para determinar áreas de maior vulnerabilidade em Porto Alegre. Na sequência, confira detalhes do algoritmo que será usado para resolver o uso da aplicação. Seria um aplicativo programado para dispositivos móveis, que usaria o GPS para fazer a leitura do local onde o usuário se encontrasse. Dependendo do local, apareceria uma tonalidade "verde" para área segura, "amarela" para área de risco médio e "vermelha" para área de maior risco. Certos fatores e variáveis influenciam no resultado. Primeiramente, a localização do indivíduo, que por si só não seria determinante, dependeria de outros fatores altamente relevantes, como o horário, por exemplo. Dependendo do horário, a localização pode ser considerada área de risco ou não. A data 13

14 de jogos, se o usuário está ou não acompanhado, são informações que seriam inseridas antes pelo próprio usuário. Esse algoritmo, portanto, é baseado em dados de certa relevância, não tendo como garantia mais que 70% de chances de acerto, pois nada impede que dentro de um estádio ou ao seu redor possa surgir algo que o qualifiquem como área vermelha, mesmo havendo segurança pública e sistemas de controle de acesso. Outro problema é que não poderia ser uma aplicação oficial, pois diz respeito à segurança pública. Jamais as empresas de segurança atestariam que uma área no entorno de um estádio seria considerada área de risco. Algoritmo de um programa de busca O objetivo é fazer um programa que busque um indivíduo em uma multidão, ou seja, procure alguma pessoa em um estádio de futebol onde tenha um volume muito grande de pessoas. O programa teria dois momentos básicos: Buscar pessoas com características semelhantes e armazenar os dados em um banco de dados. Neste banco de dados, o material será filtrado e analisado com uma foto do suspeito. Entradas e saídas de carros são monitoradas por câmeras de segurança O sistema de segurança testado nas ruas de Indaiatuba (SP) pode ser a base para o monitoramento da cidade do Rio de Janeiro durante a Copa do Mundo de Representantes da Prefeitura da capital fluminense já estiveram na cidade do interior paulista por duas vezes para obter mais informações sobre o software. Com a colocação de câmeras de monitoramento e o sistema de GPS, que rastreia via satélite a posição de um veículo, Indaiatuba tenta combater a entrada e saída de veículos roubados da cidade. O sistema tem ainda outros itens tecnológicos. O GPS instalado nas viaturas da Guarda Municipal garante que a corporação chegue o mais rápido possível ao local da ocorrência. Há também o "geofone", que localiza e cede imagens do local onde há um chamado para a Guarda, com a intenção de evitar trotes. Outra ferramenta é o software que armazena automaticamente as placas de carros, que ajuda a identificar suspeitos. Para cada alerta de ocorrência, um alarme soa no centro de operações, que entra em contato com a Guarda Municipal imediatamente. Um sistema de monitoramento parecido com o de Indaiatuba é utilizado em Vinhedo (SP). A empresa que desenvolveu a tecnologia pretende entrar na concorrência para instalar e operar os softwares na cidade carioca, que vai sediar a final do mundial de futebol no próximo ano. Fonte: o+mundo.aspx 14

15 Reconhecimentos No Brasil já estamos acostumados ao uso da biometria, seja a digital e a de voz. Ocorre que, de todas as biometrias, a que mais cresce no contexto mundial é justamente a biometria de reconhecimento facial. O motivo é simples: é a menos intrusiva das biometrias, capaz de identificar um indivíduo com ou sem sua colaboração, de forma mais rápida e cômoda que as outras. A tecnologia de reconhecimento facial pode ser aplicada em muitas situações diferentes. O principal mercado é hoje relacionado à segurança, mas há uma variedade de aplicações emergentes relacionadas para uso pessoal, já que a conveniência aumenta. Na Copa do Mundo, essa tecnologia será usada pela vigilância nos estádios e arredores, com uso de câmeras, dróides e até óculos para fazer o reconhecimento. No Brasil há algumas empresas, como a Cogniex, que desenvolvem esse tipo de software. O próprio Google está investido milhões na compra de um software de reconhecimento facial para utilizar em seus aplicativos e mapas. Infelizmente já existem modos de burlar essa tecnologia. Os japoneses já criaram óculos que burlam o reconhecimento. Há, também, um casaco com touca que dificulta o reconhecimento. Infraero inicia novo sistema de acesso à internet A Infraero iniciou uma nova forma de acesso à internet em nove dos treze aeroportos da Copa do Mundo Agora, o passageiro poderá conectar-se após cadastrar a data e o número do voo, assento e aeroporto de origem. A mudança também é válida para os passageiros em conexão que tenham vindo de aeroportos que ainda não oferecem o serviço. Os aeroportos de Belo Horizonte (Confins), Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro (Galeão) e Salvador já contam com o sistema. Os terminais geridos pela iniciativa privada JK (Brasília), Cumbica (Guarulhos) e Viracopos (Campinas) já disponibilizam o serviço desde o ano passado. De acordo com a Infraero, a conexão é oferecida por três operadoras, habilitadas em convocação pública realizada em dezembro de Em caso de dúvidas, os passageiros podem consultar os balcões de informações da Infraero. Sistemas de segurança nos estádios Na Copa de 2014, além do estádio, estarão prontos uma arena indoor, um centro de convenções, hotel, shopping center, supermercado e uma parte do novo campus universitário. A novidade mais aguardada, feita em conjunto com a NEC, parceira tecnológica da construtora, é um centro de comando e controle de segurança pública. No prédio que reunirá os sistemas da polícia e bombeiros, 100 monitores de 46 polegadas mostrarão imagens de câmeras instaladas no estádio e pelas ruas. Na NEC, em Tóquio, demonstrações de softwares de reconhecimento facial impressionam e lembram obras de ficção científicas. 15

16 O sistema identifica rapidamente sexo, idade e expressões do rosto de pessoas paradas em frente a telões. É possível armazenar dados que identifiquem criminosos, ou, no exemplo inverso, preparem a recepção a convidados vips. A NEC vem aumentando as vendas de sistemas para cidades inteligentes, com experiências na Índia, nos Estados Unidos e Itália. O vice-presidente Takayuki Morita diz que a companhia, conhecida pelos equipamentos para telecomunicações, mudou as apostas para crescer. Estamos aumentando as áreas de TI, energia e computação em nuvem. O estádio e o comércio podem ter sistemas de pagamento eletrônico semelhantes aos usados no Japão (com celulares e cartões pré-pagos) e a cidade provavelmente será cabeada com fibra óptica. Novas tecnologias para o setor Uma das empresas que já apresentou soluções à Infraero é a T-Systems, especializada em serviços de TIC e que possui produtos espalhados por 78 aeroportos do mundo, entre eles na Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos. Em cada um dos terminais há um sistema que possibilita o gerenciamento de recursos e equipamentos até o manuseio e monitoramento de bagagens, que contam com etiquetas de RFID. Segundo Luiz Carlos Hirayama, responsável pelo desenvolvimento de negócios da companhia, com as etiquetas inteligentes a identificação de uma bagagem é feita de forma muita mais rápida. "Imagine que todas as bagagens podem ser identificadas pelas etiquetas. Se alguém faz o check in, despacha a mala, mas não entra no avião, é possível achar esta mala no meio de todas as outras em cinco minutos. Um funcionário registra em um aparelhinho portátil o número da etiqueta e quando ele passar próximo da bagagem, o dispositivo apita. Sem isso seria preciso, pelo menos, uns 30 minutos para encontrar a mala", conta Luiz Carlos Hirayama, responsável pelo desenvolvimento de negócios da T-Systems. Com a solução, segundo Hirayama, ainda há a possibilidade de criar aplicativos que consigam conversar com o sistema de check in das companhias. De acordo com o executivo, os passageiros poderiam informar se estão próximos do portão de embarque ou se desistiram do voo. "No aeroporto de Hamburgo [Alemanha] há pouquíssimas pessoas trabalhando, pois tudo é automatizado e integrado por meio dos sistemas de TI", conta o executivo. A IBM também já mostrou soluções para a Infraero. No ano passado, a companhia apresentou uma novidade para o aeroporto de Amsterdã (Holanda) que tornou o transporte das bagagens muito mais eficiente. Um sistema integrado a seis robôs leva malas de um ponto ao outro do aeroporto com mais agilidade e organização, já que cada mala possui uma identificação e todas são separadas por cestas numeradas. A possibilidade de extravio é quase remota, mesmo em um aeroporto tão grande quanto o Schiphol, o quinto maior da Europa, e que recebe cerca de 140 mil bagagens por dia. "Temos melhor controle do fluxo das malas e isso é importante, já que o volume está crescendo cada vez mais", explica Rob Holdorp, gerente de pesquisa e desenvolvimento do Schiphol. Além das soluções já em operação, existem protótipos bastante interessantes no mercado. Um deles, apresentado pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), de Cingapura, possibilita que os passageiros passem pela segurança na entrada do embarque sem precisar entregar malas, abrir bolsas ou tirar sapatos e peças de roupas. Chamado de "Checkpoint do futuro", o sistema funciona como um scanner do corpo e poderá entrar em funcionamento no país já em Um aparelho semelhante, que 16

17 também escaneia o passageiro, sem a necessidade de retirar qualquer item do corpo, está sendo testado em Hamburgo e no Rio de Janeiro. Já na Finlândia, o Bluetooth passou a ser uma alternativa de segurança. A companhia ArmorGroup utilizou a tecnologia para criar um sistema que monitora as pessoas que transitam pelo aeroporto. A princípio, a novidade serve apenas para mensurar a quantidade de passageiros dentro dos terminais, mas a ideia é expandir o uso para outros tipos de informações. Com a evolução do sistema, seria possível criar uma espécie de perfil do passageiro a partir de seu comportamento dentro do perímetro do aeroporto, desde o momento que ele chega ao local até a hora em que seu voo decola. Recentemente, durante a Airport Infra Expo, feira focada em infraestrutura aeroportuária que aconteceu em São Paulo (SP), um "Terminal do Futuro" foi apresentado em um espaço cenográfico e mostra quais equipamentos de ponta serão usados em cada uma das fases da operação aeroportuária. Entre as soluções estão tratores de aviões, carregadores de bagagem automatizados, geradores de energia móveis e equipamentos específicos de desemborrachamento e limpeza de pista à base de água. Além disso, o terminal futurista terá detectores de metais, de explosivos e narcóticos, além de scanner para líquidos, semelhante ao "Checkpoint do futuro". Há ainda a tecnologia RFID aplicada nas bagagens, que funciona da mesma forma que o da T-Systems. Secretaria de Segurança do Rio Grande do Sul apresenta software para o plano tático da Copa A Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, por meio da Assessoria Especial da Copa 2014, apresentou, em Porto Alegre, a ferramenta Gênesis aos relatores das 15 oficinas temáticas da Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para Grandes Eventos (Coesge). O programa será usado para inserir os dados que já estão sendo produzidos pelas oficinas temáticas. Os grupos são formados por servidores de todos os órgãos ligados à segurança pública: Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Forças Armadas, Superintendência de Serviços Penitenciários (SUSEPE), Instituto-Geral de Perícias, Detran, Guardas Municipais, Defesa Civil, Polícia Rodoviária Estadual e Federal, além de outras secretarias de estado. O objetivo das oficinas temáticas é discutir e fortalecer as medidas do setor voltadas para o evento. Fonte: 17

18 Componente Curricular: Análise de Demanda Professor: Arno Oelrich A Copa do Mundo possibilitará uma série de novas oportunidades e um aumento considerável na demanda existente em várias atividades e, em decorrência, vai trazer dificuldades que necessitarão de medidas adequadas para a sua solução e em tempo hábil por parte do governo e do empresariado. Vejamos: Copa do mundo x Crescimento do turismo do país Um fato interessante é a perspectiva do turismo se tornar um produto de consumo do brasileiro. Para se ter uma ideia, em 2009 o total de desembarque doméstico chegou a 56 milhões. A previsão para 2014 é de 73 milhões. Para os desembarques internacionais está previsto um aumento financeiro de R$ 8,9 milhões, 55% a mais se comparado ao mesmo período. Ainda há expectativa para a geração de dois milhões de empregos no setor. Segundo o ministro do Turismo, Luiz Barreto, essas expectativas favoráveis são reflexo dos últimos anos de desenvolvimento do turismo e da economia nacional. O turismo vem apresentando resultados positivos nos últimos anos, refletindo os indicadores favoráveis da economia brasileira. Por isso, trabalhamos com projeções otimistas e com a convicção de que o Brasil chegará em 2014 preparado para organizar com competência o principal evento de futebol do mundo e receber os visitantes com qualidade, finaliza. Novos empregos Mais do que um campeonato internacional, a Copa do Mundo de 2014 irá mudar a cara do Brasil nos próximos anos. E não apenas das 12 cidades-sede. O mundial deve injetar R$142 bilhões na economia brasileira de 2010 a 2014, segundo o estudo Brasil Sustentável - impactos sócio-econômicos da Copa do Mundo de 2014, realizado pela consultoria Ernst & Young em parceria com a Fundação Getúlio Vargas. A avalanche de recursos irá criar 3,63 milhões de empregos, além de adicionar R$63,48 bilhões à renda da população. Somente em investimentos para garantir a infraestrutura e a organização do campeonato serão gastos R$22,46 bilhões. O setor de mídia será o que demandará mais recursos, R$6,5 bilhões. Na sequência, aparecem os gastos com a construção de estádios (R$4,6 bilhões), parque hoteleiro (R$3,16 bilhões), segurança (R$1,7 bilhão) e Tecnologia da Informação (R$309 milhões). Investimentos para a Copa do Mundo 2014 Além dos investimentos diretos na Copa, outros R$112,8 bilhões serão injetados na economia através do crescimento de setores como construção civil, turismo e comércio. Os turistas estrangeiros trarão para o país nos próximos anos uma quantidade significativa de 18

19 recursos. No período , o número de turistas internacionais deve crescer em 2,98 milhões, alcançando 7,4 milhões no ano da Copa, em Nesses quatro anos, deverão ser geradas receitas adicionais de R$5,94 bilhões. Para o ano do campeonato, serão nada menos do que US$8,73 bilhões trazidos aos países com gastos de turistas. O setor mais beneficiado pelo fluxo de estrangeiros será o de hotelaria cerca de 19,5 mil unidades hoteleiras devem ser construídas que deverá receber R$2,1 bilhão dos visitantes, seguido pelo de alimentação com R$902,8 milhões e pelo comércio com R$831,6 milhões. As cidades-sede da Copa do Mundo 2014 receberão de investimento em infraestrutura cerca de R$14,54 bilhões. O montante investido deve adicionar aos PIBs municipais R$7,18 bilhões. Somente na reurbanização e embelezamento das cidades serão gastos R$2,84 bilhões. O investimento direto, entre 2010 e 2014, será de R$ 29,6 bilhões, mas os impactos indiretos (sobre as outras cadeias produtivas) e induzidos (salários que retornam à economia, por exemplo) resultarão em uma cifra cinco vezes maior (de R$ 112,7 bilhões), totalizando os R$142,39 bilhões. Do total de investimento direto, 42% virão do setor público e 58% do setor privado. Segundo um estudo lançado pelo MTur (Ministério de Turismo), a Copa do Mundo 2014 deverá ajudar a impulsionar o setor do turismo em grande escala. Todas as projeções estão no Documento Referencial Turismo no Brasil 2011/2014. Criado com o apoio das principais entidades e lideranças do turismo do país, e utilizando indicadores do IBGE, da Infraero e do Ministério do Trabalho e Emprego, o documento mostra os benefícios do turismo na economia brasileira e o que será preciso, tanto para a iniciativa pública como para a privada, para preparar o turismo para o evento. Obras nos estádios O prazo final para a entrega definitiva de todos os estádios em plenas condições de uso deveria ter sido em 31 de dezembro de Em 2013, o país receberá a Copa das Confederações, que serve como uma espécie de ensaio geral para o Mundial. Pelo que se viu até agora, a missão está difícil, nenhum estádio tinha condições de abrigar um jogo de Copa. Muito pelo contrário: todos os postulantes estavam bem longe do padrão exigido pela Fifa. Os próximos meses serão uma prova de fogo para as cidades-sede, pois os prazos não serão adiados, a entrega deve acontecer no máximo em dezembro de Alguns estádios estão sendo reformados, enquanto outros serão construídos especialmente para este grande evento do mundo do futebol. Aeroportos A realização de importantes eventos desportivos mundiais no Brasil tem levado a uma grande preocupação, por exemplo, se a capacidade da infraestrutura aeroportuária do país suprirá a demanda (esperada) pelo transporte aéreo. O crescimento médio dos dezesseis principais aeroportos brasileiros entre os anos de 2009 e 2010 foi de aproximadamente 23%, bem acima da média internacional. Segundo dados do ATRS (2010), os percentuais médios de crescimento dos vinte principais aeroportos das regiões da Ásia (7,35%), Europa (7,95%) e América do Norte (4,35%) não ultrapassaram 20%. O Brasil sediará a 19

20 Copa do Mundo em 2014 e os jogos ocorrerão em doze cidades diferentes. Um dos fatores críticos é que atualmente alguns aeroportos encontram-se saturados. Este artigo discute a capacidade dos aeroportos das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, buscando apontar suas deficiências. O planejamento de aeroportos é um dos grandes desafios do Transporte Aéreo no Brasil, em especial no que se refere à capacidade dos mesmos. Apesar do grande crescimento observado nas últimas décadas, o transporte aéreo brasileiro ainda é considerado insatisfatório por seus clientes, resultando em um desacerto entre a demanda pelo modo e a infraestrutura. Portanto, este estudo analisa a capacidade da infraestrutura aeroportuária de atender à demanda atual e à prevista até a realização dos eventos desportivos da Copa do Mundo de Futebol em A maioria dos dezesseis aeroportos que servem às doze cidades que receberão os jogos da Copa do Mundo de Futebol em 2014 não possui infraestrutura adequada para atender à demanda atual de passageiros, e os projetos de ampliações previstos não indicam para uma mudança desta situação. Segundo o Núcleo de Tecnologia, Gestão e Logística, TGL (2011), atualmente, 56% dos aeroportos analisados estão em situação de gargalo de sua capacidade de terminal de passageiros e, mesmo considerando que as obras previstas sejam realizadas até 2014, esse percentual deverá aumentar para 68%. Infraestrutura e investimento A infraestrutura aeroportuária é um fator importante para o desenvolvimento do transporte aéreo. Os aeroportos brasileiros encontram-se em situação preocupante devido à falta de infraestrutura adequada, principalmente no que tange aos tamanhos de pátio de aeronaves e aos terminais de passageiros. O problema estrutural brasileiro é agravado pelo fato dos vôos estarem concentrados nos aeroportos que servem às cidades que serão sedes da Copa do Mundo de Dados apresentados pelo TGL (2011) indicam que esses aeródromos concentram 76% do total de passageiros em ligações domésticas e 97% do movimento internacional. Essa concentração se dá pelo fato de as empresas aéreas, em busca de maior competitividade, escolherem certos aeroportos como hubs operacionais, como afirma ZHANG (1996). Além disso, essa concentração foi causada pela desregulamentação seguida de término da suplementação tarifária do setor aeroviário que induziu as companhias aéreas a buscarem os mercados de maior densidade. Em consequência, os aeroportos menores perderam voos, enquanto os maiores ficaram sobrecarregados, pressionando a infraestrutura existente (DEMANT, 2011). Apesar do crescimento do número de operações, não houve aumento proporcional na quantidade de investimentos. Segundo OLIVEIRA (2006), os investimentos mínimos necessários para o setor aeroportuário deveriam estar entre R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões entre 2007 e 2010, ao passo que o montante de recursos planejados para investimento até 2013 é de apenas R$ 5,6 bilhões, aproximadamente três vezes menos do que foi apontado. A limitação de capacidade dos aeroportos compromete também o surgimento de novos setores, impedindo o avanço do próprio setor e da economia brasileira, uma vez que estes são impedidos de entrarem no mercado por não haver espaço nos aeroportos para a oferta de novos serviços. 20

21 Comparativo entre as áreas dos terminais (m²) e a demanda anual de aeroportos brasileiros e estrangeiros Fonte: Portal da Copa: 21

22 Componente Curricular: Análise de Sistemas 1 Professora: Rosi Piber Fluxograma de um Firmware para estádio automatizado. 22

23 Software CrowdSim Programa criado para auxiliar no planejamento de segurança para a Copa do Mundo. Com eventos que vão reunir grandes públicos previstos para ocorrer no Brasil nos próximos anos, como a Copa do Mundo e a Olimpíada, cresce a preocupação com a segurança nos ambientes de grande aglomeração. Para aprimorar o planejamento nos locais onde vão ocorrer esses eventos, pesquisadores brasileiros desenvolveram um software que leva em conta os diferentes perfis de público para mapear a velocidade com que as pessoas se deslocam, o tempo gasto para esvaziar o ambiente e os pontos de maior concentração em situações de normalidade e de emergência. O software chamado CrowdSim reproduz virtualmente o local onde ocorre o evento com a localização de portas, banheiros, lanchonetes e faz as previsões sobre o tempo de descolamento, além da porcentagem de pessoas que ao término de um espetáculo artístico ou jogo se dirige para a saída, a parcela que passa antes em banheiros ou mesmo não se desloca imediatamente. Todo o mapeamento serve para simular diversos cenários e elaborar o planejamento para diferentes situações, tumultos e urgência em esvaziar o ambiente. O CrowdSim foi desenvolvido pela equipe de pesquisadores do Laboratório de Simulação de Humanos Virtuais da faculdade de informática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). A primeira simulação do software foi feita no Estádio Olímpico João Havelange, conhecido como Engenhão, no Rio de Janeiro, à medida que o produto era desenvolvido. O software ainda não está à venda, pois deve passar por aprimoramento, mas a expectativa, de acordo com a coordenadora do projeto, é que custe até dez vezes menos do que similares importados. O software levou cerca de um ano e meio para ser desenvolvido e teve financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia. 23

24 Componente Curricular: Arquitetura de Hardware (Redes) Professor: Adelmo Antônio de Souza Os alunos da Disciplina de Arquitetura de Hardware pesquisaram e decidiram abordar a arquitetura de hardware necessária para a implantação e operação da tecnologia 4G, a fim de atender todas as cidades-sede e subsedes da Copa de Porém, durante essa pesquisa, todos chegaram à conclusão de que, por uma série de dificuldades criadas por parte dos governos federal, estaduais e, principalmente, municipais, o cumprimento das metas estabelecidas pela FIFA e pela ANATEL não será possível de ser atingido. Por outro lado, a implantação da rede 4G pode trazer benefícios na vida da sociedade brasileira durante e depois da Copa de 2014, além da nova tecnologia de áudio e vídeo que será usada neste evento. a) Algumas razões das dificuldades para a implantação e operação da tecnologia 4G nas sedes e subsedes da Copa de Instalação das antenas 4G As operadoras apontam a falta de regras claras gerais para a instalação de antenas como um dos principais problemas, enquanto a Lei Geral das Antenas, projeto destinado a facilitar a instalação e o compartilhamento de antenas de telefonia, circula no Congresso desde 2012 e ainda não foi aprovada em caráter definitivo. Documentos do Tribunal de Contas da União (TCU) afirmam que a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) terá problemas para cumprir os prazos e a instalação de novas estruturas que lhe couberam devido à complexidade de contratações. E segundo fonte ligada ao governo, as autoridades não imaginavam que encontrariam tantos problemas jurídicos e ambientais para a instalação das antenas 4G, o que tem provocado atrasos. Empresas sustentam que o ritmo de implantação das estações deve passar de cerca de 16 por dia para 30 equipamentos diários para poder cumprir a meta, mas isso ainda não é possível pelas dificuldades encontradas pelas operadoras nas cidades-sede e subsedes de O governo federal renovou apelo aos municípios e confia em tramitação acelerada da Lei Geral das Antenas, que já passou pelo Senado e agora depende da Câmara. As operadoras de telefonia e concessionárias de serviços de eletricidade estão transformando postes de luz convencionais em antenas 4G, evitando, assim, a construção de novas torres e diminuindo o impacto visual. Estas antenas também poderão operar a tecnologia 3G. Incompatibilidade de 4G A tecnologia sem fio brasileira 4G (ainda em fase de implantação e de testes) é incompatível, por exemplo, com a dos Estados Unidos, da Argentina e do Uruguai. A falta de compatibilidade entre os quatro países dá-se pela diferença entre as frequências utilizadas por cada um deles: os EUA operam em 2,1 GHz dos 700 MHz; o Uruguai trabalha com as faixas 1,7 GHz e 2,1 GHz esta última já em fase de consolidação na 24

25 Argentina. Todavia, a Colômbia trabalha na mesma frequência que a brasileira no ramo 4G: 2,5 GHz. A faixa de 700 MHz, que hoje é destinada à televisão aberta e que inicia o processo de desligamento em 2016, encerrando-se em 2018, poderia ser utilizada, pois os canais que seriam afetados são poucos, e no UHF ainda haveria espaço disponível à faixa de canais entre o 13 e o 51. O governo brasileiro não esteve atento a esse item quando fez o leilão da faixa 2,5 gigahertz (GHz), em que a cobertura é muito menor e mais cara porque precisa de muito mais antenas, e os celulares e tablets oriundos dos Estados Unidos e de alguns países da Europa não funcionam aqui, a exemplo do Apple ipad 4 e iphone 5, que só funcionam em 700MHz. Fabricantes como a Qualcomm, líder em tecnologia 4G, recomendam o uso do espectro de 700MHz na América Latina. Liberar os canais de 52 ao 69 em UHF (TV aberta analógica) traria o 4G a um custo menor, pois aparelhos como o ipad importado dos EUA e da Europa funcionariam no Brasil. Isso significaria um custo menor para aumento da cobertura, já que a frequência 700MHz tem um alcance até 4 vezes maior que o 2,5GHz. Prazos Entre as quatro empresas responsáveis pela implantação do recurso 4G no Brasil, apenas a Claro lançou, até o momento, uma operação comercial nas cidades do Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador. As empresas de telecomunicação Oi, TIM e Vivo dizem que trabalham para fornecer o serviço até o início da Copa das Confederações (o prazo determinado pela Anatel encerra no dia 30 de abril de 2013) e para as cidades - sede e subsedes da Copa de 2014 até dezembro de As operadoras dizem que o prazo dado pela Anatel foi curto e que têm reduzido custos nos investimentos em outras áreas, incluindo 3G, e não garantirão infraestrutura para todos os eventos, como foi determinado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que definiu as regras no edital de licitação das frequências para instalação da rede 4G no Brasil. No entanto, essas determinações sempre geraram críticas entre as empresas e analistas. Atrasos nas obras dos estádios Os atrasos nas obras dos estádios devem ser revistos para que sejam realizados os projetos de implantação do 4G. A princípio, a tecnologia 4G está sendo oferecida até dezembro de 2013, dentro e nas imediações dos estádios das cidades-sede e subsedes da Copa de Esse tema tem sido tratado quase que diariamente em Brasília, entre operadoras, administradores das arenas e governo, e o torcedor corre sério risco de não poder ter acesso à Internet 4G na sua integridade. O governo sugere a quem vier participar, assistir ou trabalhar de outros países que operam 4G, que o façam em outra faixa de frequência que não seja a de 2.5 GHz, que alugue um smartphone quando chegar ao Brasil. Mesmo nos casos em que os acertos comerciais estão avançados, atrasos nas obras não permitem garantia de que os equipamentos de telecomunicações necessários à cobertura indoor estarão prontos para atender a demanda da Copa das Confederações. Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife são os casos mais graves. O secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Cesar Alvarez, diz que a hora é de correr contra o tempo para oferecer serviço de qualidade ao torcedor. 25

26 Rede 4G de uma cidade pode ser 'desligada' com equipamento de R$ Segundo estudos realizados por pesquisadores da Universidade de Virgínia Tech, nos EUA, foi descoberto que existe uma falha na rede 4G que pode simplesmente ser desligada. Com apenas um notebook e um software para controlar o tráfego da rede, hackers podem interceptar os pontos fracos da rede LTE. Se alguém conseguir derrubar 8 pontos fracos disponíveis, conseguirá derrubar a rede inteira de uma cidade. O equipamento chamado jammers é uma espécie de rádio que emite um sinal e bloqueia as comunicações em uma determinada área. No Brasil, por exemplo, esse dispositivo é utilizado no roubo de cargas de caminhões. Em casos como esses, os ladrões cortam o sinal entre o rastreador e o satélite, deixando as cargas rastreadas invisíveis para as transportadoras. b) O que vem a ser a tecnologia 4G e que benefícios a sua implantação pode trazer à vida da sociedade durante e depois da Copa de Para falar sobre os benefícios que a rede 4G trará para nossas vidas, precisamos saber primeiro o que é o 4G. O Long Term Evolution (LTE) é uma tecnologia de quarta geração de transmissão de dado que foi criada com base no GSM e WCDMA, priorizando o tráfego de dados. O principal diferencial do LTE é a rede de dados. Em teste de laboratório, uma rede experimental de LTE, com 20 MHz de espectro alcançou aproximadamente 300 Mbps de downstream e 75 Mbps de upstream. Entretanto, a velocidade real de navegação beira os 100 Mbps de download e 50 Mbps de upload. O tempo de resposta do LTE é visivelmente mais baixo em relação ao que conhecemos das redes 3G em condições normais, a latência da rede chega a no máximo 30 ms. A outra diferença é sobre a quantidade de usuários pendurados na rede: 5 MHz de espectro permite até 200 acessos simultâneos praticamente o dobro das redes atuais. A tecnologia 4G opera em várias frequências no mundo. Alguns países utilizam a de 2,5GHz, outros a de 1,8 GHz e 2,1 GHz e outros, ainda, utilizam a faixa de 700 MHz. A primeira já foi licitada no Brasil. A utilização da faixa de 700 MHz para o 4G só poderá ocorrer depois da digitalização da TV aberta no Brasil, que hoje ocupa essa faixa. O Bolsa Novela O Ministro das Comunicações Paulo Bernardes, em visita ao Mobile World Congress 2013, em Barcelona, admitiu que o governo pretende rever as metas de implantação da TV Digital no país para acelerar a liberação das frequências hoje utilizadas pelas televisões para as operadoras de telefonia móvel. Para isso acontecer, o governo planeja bancar a compra de conversores e até aparelhos de TV para quem não puder adquirir o seu dentro do novo padrão. Esse número é baseado no cadastro do Bolsa Família. Fazendo rápidas contas, Paulo Bernardes estima que o conversor custa em média R$ 100,00, cujo valor poderá até baixar caso o governo tenha interesse na compra. Ainda assim, o custo total da operação seria de R$ 1,3 bilhão. 26

27 Ao contrário do que foi publicado em alguns veículos de comunicação, a tecnologia 4G do Brasil vai estar operacional na Copa das Confederações para os smartphones que utilizam a frequência de 2,5 GHz e vários modelos já o fazem. Essa faixa é utilizada por vários países europeus, como França, Espanha e Alemanha. Já na Ásia, o uso da frequência de 2,5 GHz para 4G é predominante. Posteriormente, a faixa de 700 MHz poderá também ser destinada para a banda larga no Brasil. Atualmente, diversos fabricantes oferecem smartphones que operam a tecnologia 4G em diferentes frequências. A União Internacional de Telecomunicações estuda unificar a produção de aparelhos para que operem o 4G em multifrequência, como ocorreu na implantação da tecnologia 3G no mundo. Como toda tecnologia nova, o período de implantação requer adaptações e a tendência mundial é de que os fabricantes passem a oferecer smartphones que consigam operar a tecnologia 4G em múltiplas frequências. A recomendação para estrangeiros em visita ao Brasil é a mesma para os brasileiros em visita a outros países: comprar um chip nacional para a utilização em seu aparelho celular, porque assim evitará o alto custo do roaming internacional. Para utilizar os serviços da rede 4G é necessário que o aparelho seja compatível com a tecnologia oferecida no Brasil. Ou seja, se o turista/torcedor tiver um aparelho que opera em 4G na faixa de 2,5 GHz, poderá adquirir um chip associado a um plano de dados para essa tecnologia e utilizá-lo em seu smartphone. Portanto, a compra do chip é para baratear o custo das ligações para o consumidor estrangeiro que visitar o Brasil. Os benefícios do 4G no Brasil são a rápida transmissão de dados. Dessa forma, celulares, tablets e outros aparelhos que utilizarem essa rede poderão ver diferentes vídeos em alta definição, baixar arquivos mais pesados e com maior rapidez no download e também upload. Será utilizado pelas Polícias Civil Militar e Federal, pois poderão acessar rapidamente os sistemas e enviar fotos e vídeos em tempo real. Na infraestrutura das cidades, será útil com a utilização de câmeras de segurança. Outro beneficio: como o foco será o LTE, 4G, a rede 3G ficará menos congestionada e, dessa forma, a conexão ficará estável. c) Nova tecnologia de Áudio e Vídeo que serão usadas na copa de Entre as novidades, os estádios da Copa de 2014 poderão contar com painéis digitais LCD e Led, LCD interativo, sistemas de proteção antivandalismo e telas com qualidade de full HD. Já a Internet e a tevê digital, com equipamentos móveis e tecnologia 3D, se não faltarem investimentos, farão a diferença nos estádios da Copa de As tecnologias mais "futuristas", como a telefonia 4G e grandes projetores holográficos, por exemplo, ainda estão em desenvolvimento e devem demorar um pouco mais. Os sistemas holográficos ainda ficariam muito caros para a realidade de qualquer país e demanda técnicas mais apuradas. Quanto à telefonia 4G, que está em testes no Japão e na Coreia, há uma possibilidade remota de sua chegada ao Brasil até Para oferecer soluções integradas e de interatividade, diversas empresas estão se organizando para melhor atender as necessidades de um evento tão grandioso como a Copa do Mundo. A Seal Telecom, por exemplo, firmou parceria com as empresas Harman 27

28 (sonorização), Biamp (processamento de áudio), Sony (câmeras, monitoramento de painéis digitais) e Barco (painéis led). A ideia é permitir pré-programação e fazer o processamento e o controle por central de sistemas de sonorização, vídeo elétrico e de segurança, de modo a atender a vários cenários: shows, jogos, festas de formatura ou outros usos que as arenas possam ter. As empresas estão preparadas para dotar os estádios de recursos, como o monitoramento eletrônico de imagens, digital signage (ingressos marcados digitalmente) e a sonorização de ambientes. Para equipar um estádio de médio a grande porte, o custo médio aproximado é de R$ 30 a 50 milhões, o que equivale de 7 a 10% do valor da construção. "É um investimento no sentido da sustentabilidade. Estádios preparados com aparatos tecnológicos mais avançados abrem novas perspectivas de uso, como arenas usadas não só para o futebol, mas para o entretenimento, como shows e outros grandes eventos", conclui Novakoski (diretor da Seal Telecom). 28

29 Componente Curricular: Arquitetura de Hardware (Sistemas) Professora: Janaína Conceição Sutil Lemos 1. Introdução A televisão sobre protocolo internet (em inglês, Internet Protocol Television IPTV) pode ser definida como sendo a entrega de sinais de TV através de redes IP privadas. Tal serviço compreende a transmissão de conteúdo televisivo de forma similar a que ocorre com a TV aberta e a cabo, diferindo pelo fato de que a transmissão é realizada através de redes IP e pela possibilidade de interação entre o usuário final e a empresa que oferece o serviço. Para tornar possível a entrega de conteúdo televisivo através de IP, é necessária a utilização de diversas tecnologias, desde o local de origem do conteúdo (por exemplo, uma emissora de TV) até a residência do usuário. Os sistemas de IPTV comumente compõemse de provedores de conteúdo, provedores de serviço, que comercializam programação, provedores de acesso, que são responsáveis pela entrega do sinal aos usuários e de ambientes de usuário, constituídos por equipamentos destinados à recepção/conversão de sinais. Em cada uma dessas entidades são necessários diferentes módulos de hardware e software [3][4]. Por exemplo, no caso dos provedores de acesso, um dos principais desafios é a otimização da distribuição do tráfego de vídeo na rede, dado que esse tipo de aplicação necessita de alta largura de banda e confiabilidade na entrega dos conteúdos, que são fatores que influenciam diretamente na percepção do usuário final. Por esse motivo, a rede existente entre o provedor de serviços e o ambiente do usuário deve ser gerenciada, de forma que seja possível garantir o cumprimento dos requisitos necessários. 2. Principais serviços oferecidos aos usuários A IPTV permite que sejam disponibilizadas ao usuário informações como os guias eletrônicos de programação, oferecendo ao mesmo a opção de escolher a programação a que ele deseja assistir, além do conteúdo televisivo propriamente dito. Desse modo, a IPTV introduz o conceito de interatividade, possível devido à existência de um canal de retorno [3]. Esta comunicação bidirecional entre o assinante e a empresa provedora do serviço pode ainda permitir o emprego de propaganda dirigida, uma vez que as empresas que oferecem o serviço têm dados sobre a programação que é assistida por cada cliente. Nesse contexto, é fundamental diferenciar claramente a IPTV da Internet TV. A entrega de vídeo via IPTV é feita com emprego de qualidade de serviço (QoS), de modo que o tráfego de áudio e vídeo tem maior prioridade para entrega. Por outro lado, a distribuição de vídeos através da internet é feita sem nenhuma garantia quanto à qualidade que será percebida por parte do usuário e, apesar de sites como o You Tube serem bastante populares, esse tipo de transmissão apresenta qualidade bastante inferior em comparação aos serviços de TV aberta e a cabo. 29

30 A principal diferença entre IPTV e o sistema de televisão tradicional e/ou outras formas de entrega de televisão digital é que a IPTV permite que os telespectadores tenham uma ligação dedicada e bidirecional com o provedor de serviços (a operadora de telecomunicações), de forma que possibilita a personalização dos conteúdos e dos serviços oferecidos. Entre os serviços que podem ser oferecidos por um provedor de IPTV, podemos destacar a difusão de um programa para diversos assinantes, o oferecimento de vídeo sobre demanda (em inglês, Video on Demand VoD), a programação com atraso (Time shift Broadcast) e o download de arquivos para exibição posterior (Personal Video Record) [4]. O vídeo sob demanda consiste da entrega de programação ao usuário iniciada em um momento definido por ele, sem a necessidade de qualquer solicitação prévia. Já a programação com atraso é um serviço destinado ao usuário que deseja assistir a um programa que já teve sua transmissão iniciada. Neste caso, um novo fluxo é iniciado pela entidade que disponibiliza o serviço de IPTV, respeitando um intervalo regular de tempo (p. ex., um filme inicia a cada 10 minutos). 3. Tecnologias utilizadas pelos provedores do serviço de IPTV No que diz respeito às tecnologias utilizadas para transmissão, a difusão ao vivo para um grupo de assinantes faz uso de multicast (transmissão de uma fonte para vários receptores compreendendo um único fluxo). Este mecanismo permite a economia de largura de banda se comparada ao direcionamento de um fluxo para cada assinante que esteja interessado em assistir a um determinado programa. Já o serviço de vídeo sob demanda utiliza fluxos únicos para cada dispositivo de usuário que solicita a recepção de um conteúdo. Isto se deve ao fato de que, como o próprio nome sugere, o conteúdo a ser transmitido é escolhido pelo usuário em um momento também definido por ele. Por fim, a programação com atraso é semelhante à transmissão ao vivo. Neste caso, o mesmo programa inicia-se respeitando um intervalo de tempo regular (como, por exemplo, 10 minutos). No que diz respeito às tecnologias envolvidas para o serviço de VoD (Video on Demand), é utilizado o protocolo RTSP (Real Time Streaming Protocol) [2] em conjunto com o RTP [1], sendo que o RTP é utilizado para a transmissão do conteúdo multimídia propriamente dito e o RTSP permite que o usuário final possa controlar a transmissão, uma vez que o fluxo é direcionado somente ao seu dispositivo. Já na transmissão ao vivo, pode ser usado o padrão MPEG-2 TS (ISO/IEC , 2000) sobre RTP ou UDP, ou, ainda, pode ser utilizado o padrão MPEG-4 AVC/AAC (Advanced Video Coding / Advanced Audio Coding) sobre RTP [1]. 4. Conclusão Em relação à receptividade dos usuários a estas novas tecnologias, essa se dá naturalmente porque os dispositivos de comunicação mais modernos possuem um grande potencial de integração aliada à mobilidade, como, por exemplo, são muito populares nos dias de hoje os notebooks e telefones celulares, ambos dispondo de recursos de rede. Também se tornou comum uma mesma empresa oferecer telefonia, TV e acesso à internet banda larga com valores significativamente menores se comparados à aquisição de cada serviço de forma individual. Essa abordagem apresenta vantagens para os usuários e 30

31 operadoras pelo fato de prover conveniência e redução de custos, fazendo com que a disponibilização do serviço de IPTV represente um nicho de mercado com potencial para se tornar lucrativo para as empresas de telecomunicações. Fontes: [1] SCHULZRINNE, H. et al. RTP: a Transport Protocol for Real-Time Applications: RFC Internet Engineering Task Force, Network Working Group, [2] SCHULZRINNE, H. et al. Real Time Streaming Protocol: RFC Internet Engineering Task Force, Network Working Group, [3] OPEN IPTV FORUM. OIPF-T1-R2 Functional Architecture V 2.0 [ ]. Documento técnico elaborado pelo consórcio Open IPTV Forum. Disponível em: <http://www.openiptvforum.org>. [4]CISCO. Cisco End-to-End Solutions for IPTV. Disponível em 2.pdf 31

32 Componente Curricular: Direito e Cidadania Professor: Pedro Savi Neto Os trabalhos da turma de 2013/1 de Direito e Cidadania para o XI Momento Acadêmico" foram iniciados na segunda metade da aula do dia 11/04/2013, oportunidade na qual cada um dos presentes trouxe à discussão os temas que entendiam mais relevantes existentes nas temáticas do componente curricular de Direito e Cidadania em relação com o evento Copa do Mundo de Na segunda metade da aula de 18/04/2013, cada estudante apresentou suas conclusões resultantes dos aprofundamentos investigativos realizados sobre os temas inicialmente acertados. Por fim, a turma se comprometeu a registrar por escrito individualmente os temas que foram debatidos em sala de aula e encaminhar seus resultados por correspondência eletrônica até o dia 19/04/2013, para que o professor responsável unificasse o material. Desde os debates preliminares, as preocupações da turma se mostraram na relação entre a soberania nacional e os direitos conquistados pelo povo brasileiro durante o longo período de democratização da nossa Nação frente às exigências diretas e indiretas para a realização do mundial de futebol em nosso País. As estudantes Andreia Cristina dos Santos e Sandra Sousa Soares concentraram sua atenção na relação entre as exigências legais para a realização de compras e contratações por parte da administração pública, especialmente a lei de licitações, e as exigências das obras pela Fédération Internationale de Football Association FIFA para que o mundial de futebol ocorra no Brasil. O material pesquisado traz informações sobre a atuação dos órgãos de controle das contas públicas, Contralodoria-Geral da União CGU e Tribunal de Contas da União TCU, nas obras realizadas. As estudantes relataram sua preocupação com a aceleração dos procedimentos legais para a viabilização das obras nos prazos da FIFA, temendo por prejuízos aos cofres público nesse contexto de que tudo seria justificado para a realização da Copa do Mundo. Os estudantes Cleber Lencina dos Santos e Rogério Rodrigues Maciel pesquisaram diretamente sobre a relação entre soberania nacional e a FIFA. O estudante Cleber fez a sua reflexão a partir da caracterização de soberania realizada pelo Prof. José Luiz Quadros de Magalhães (2002, p. 123):...um Estado se caracteriza como soberano na medida em que pode usufruir plenamente seus direitos, em que pode participar direta e livremente na comunidade internacional, sem se sujeitar a qualquer outro Estado e, nessa qualidade, estabelece livremente sua ordem jurídica, bem como sua organização dos Poderes. Diante do conceito de soberania, o estudante Cleber relata as exigências que entendeu mais polêmicas realizadas pela FIFA, as quais teriam como consequências: 32

33 ...governo brasileiro, para atender aos termos do Estatuto da FIFA, deve suspender, durante a Copa de 2014, a aplicação, por exemplo, do Código de Defesa do Consumidor; a concessão de meia-entrada nos estádios - garantida aos estudantes por leis estaduais, e aos idosos pelo Estatuto do Idoso; a permissão de comercialização de bebidas alcoólicas nos estádios, vedada pelo Estatuto do Torcedor, entre outros diplomas legais. O estudante conclui que, para a realização da Copa do Mundo no Brasil, está sendo ferida a soberania nacional, a Constituição e o próprio Estado para não gerar indisposições com a FIFA, preferindo afastar direitos fundamentais inerentes aos cidadãos brasileiros, por meio da Lei Geral da Copa. Rogério segue na mesma linha de Cleber e conclui de forma incisiva, dizendo que as exigências da FIFA:...mais do que afrontar as disposições constitucionais e do microssistema consumista, afronta os seguintes fundamentos da República Federativa do Brasil: a soberania, a cidadania e a dignidade da pessoa humana. Edson Dias Doroch refletiu sobre as repercussões da proteção exercida pela Brigada Militar ao tatu-bola, símbolo da Copa do Mundo, durante manifestação contrária à realização e as consequências da realização do mundial de futebol no Brasil, inclusive com violência aos manifestantes. Em suma, seu questionamento guarda relação com o embate entre um boneco inflável de propriedade particular e a segurança pública, criada e sustentada para a proteção dos cidadãos brasileiros. João Correa de Oliveira e Samuel Kircher Soares questionaram a relação entre a internação compulsória de dependentes do crack e uma tentativa de limpeza das ruas para o mundial de futebol. Suas inquietações podem ser resumidas pela relativização dos direitos fundamentais do indivíduo e das garantias do processo penal, constantes da Constituição, para a privação da liberdade de pessoas a partir da caracterização de uma epidemia de crack. O estudante Samuel resume os argumentos dos dois lados da seguinte maneira: Aos que defendem a medida, o principal argumento é controlar a proliferação das drogas no País e que é preciso, portanto, uma medida mais enérgica para isso. Reforçam o coro a favor da internação compulsória o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o Conselho Federal de Medicina (CFM). Em contrapartida, entidades de direitos humanos e dos conselhos regionais de enfermagem, assistência social e psicologia criticaram severamente a lei, pois, além de ser uma medida de humilhações, maus tratos e violência, a crítica aponta a uma espécie de limpeza das ruas. O fato central da polêmica concordam os estudantes é a ofensa à Constituição Federal que tal medida representa. Rodrigo Probst de Andrade abordou a questão da poluição visual provocada pela colocação de antenas de telefonia móvel para a realização da Copa. Referiu a importância de fiscalização por parte da Anatel para que as cidades não tenham sua imagem demasiadamente agredida por conta de tal necessidade. 33

34 De todo o exposto, fica evidenciado que a discussão relativa à relação entre as temáticas do componente curricular de Direito e Cidadania e a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil foi marcada pelo embate entre a soberania nacional que, em última análise, significa um somatório das conquistas relativas à cidadania do indivíduo na ordem internacional e interna, diante das exigências da FIFA para a realização do mundial de futebol em solo brasileiro. 34

35 Componente Curricular: Ecologia Empresarial Professora: Carina Ribas Furstenau Copa do Mundo Sustentável O Brasil será o quinto país a sediar duas edições da Copa do Mundo, entretanto, o perfil do evento se alterou significativamente desde a Copa de Em 2014, teremos uma competição de grande porte, cuja realização vai requerer extensos processos de preparação e complexas operações. Por um lado, o campeonato mundial gerará reflexos e benefícios em diversos setores da economia e da sociedade, sejam temporários ou duradouros, diretos ou indiretos. Por outro, também apresenta vários riscos, necessitando de processos de gestão eficientes no setor público e privado para que possa proporcionar plenamente esses benefícios à sociedade. A competição deverá injetar R$ 112,79 bilhões na economia brasileira, em cadeia de efeitos indiretos e induzidos. No total, o país movimentará R$ 142,39 bilhões adicionais no período , gerando 3,63 milhões de empregos por ano e R$ 63,48 bilhões de renda para a população, o que vai impactar, inevitavelmente, o mercado de consumo interno. Um dos fatores que mais motivam um país a sediar uma Copa do Mundo é o fluxo turístico que tal evento gera. Há muita expectativa em torno da preparação adequada das cidadessede para o evento. Muito se questiona se estarão totalmente de acordo com as exigências impostas pela FIFA no que tange à infraestrutura. Efeito dominó o mapa dos investimentos Assegurar o desempenho para o desenvolvimento sustentável nesse tipo de competição global significa contribuir para a redução de custos sociais e ambientais, de ineficiências e desperdícios, além de colaborar para maior integração com a sociedade e com o desenvolvimento contínuo das pessoas, das comunidades e dos relacionamentos entre a sociedade e o meio ambiente. Um evento como a Copa do Mundo, que tem na prestação de serviços um dos seus pilares centrais, não pode deixar de lado suas responsabilidades em relação a todas essas questões. Em relação ao público, são fundamentais a garantia à qualidade urbana, acessibilidade, segurança, acesso à informação, educação ambiental e utilidade das instalações e intervenções urbanas para além do evento. Deve-se exigir do poder público e das empresas envolvidas com a Copa que seja assegurada a responsabilidade no uso de recursos naturais e econômicos e a origem responsável de matéria-prima, produtos e serviços adquiridos, tais como: 35

36 - Reduzir, reutilizar e reciclar resíduos com o apoio dos catadores de modo a incluí-los no processo de gestão; disponibilizar programas de coleta seletiva de resíduos em estádios, alojamentos e outros; quantificar os resíduos destinados à coleta seletiva por classe e tipo de resíduo; oferecer plano de sustentabilidade para catadores de resíduos após o evento da Copa; identificar com número e tipo de capacitação fornecida aos catadores. - Alcançar a eficiência energética pelo uso de meios universais e acessíveis de transporte que minimizem a poluição; ofertar infraestrutura para ciclistas e pedestres; divulgar e identificar os quilômetros de ciclovias construídas; atualizar o número de usuários das ciclovias; fiscalizar o transporte público com minimização da emissão da poluição; realizar avaliação de fumaça preta dos veículos. - Conservar a biodiversidade, por meio da promoção da paisagem natural; realizar treinamento para paisagismo a fim de promover a paisagem natural; divulgar o número de funcionários treinados e o tipo de treinamentos fornecidos; envolver estudantes no plantio do jardim em volta do campo de futebol; acompanhar o número de projetos realizados. - Promover a conscientização e estilo de vida sustentável; construir parques ecológicos e Centro Smart Living; observar a área em metros quadrados ou hectares; avaliar a quantidade de parques que sobreviveram por um ano. - Realizar uma avaliação positiva da qualidade e eficácia da CEA (mais que 50% dos usuários); promover Campanha de Educação Ambiental (CEA); fiscalizar a quantidade de material didático gerado; divulgar o número de pessoas alcançadas e a quantidade de pessoas capacitadas como multiplicadores. - Assegurar a construção sustentável nos processos construtivos e edificações; buscar a certificação de projetos e da construção de estádios e alojamentos sustentáveis reconhecidos internacionalmente (Leed, Acqua, Breeam, etc.); - Observar a quantidade de CO2 reduzido tanto na construção quanto na operação das edificações; quantificar o consumo de água potável economizada; registrar a quantidade de resíduos segregados enviados em sistema de coleta seletiva; acompanhar os tipos de matérias-primas que tiveram a origem responsável avaliada; perseguir resultado positivo do processo de Etiquetagem Selo Procel; manter o programa de saúde e segurança implementado. Além dos impactos diretos e indiretos por setores econômicos, há pelo menos 11 outros setores/atividades com um contingente expressivo de pequenas, médias e grandes empresas que será diretamente atingido pelo evento da Copa, como: - Impactos do Programa de Voluntariado sobre a escolaridade e renda da população; - A exposição do país na mídia mundial e os consequentes efeitos sobre o turismo; - As potenciais reduções da violência e criminalidade advindas dos investimentos em segurança; - Os benefícios sociais dos investimentos em infraestrutura; 36

37 - Os impactos microeconômicos da construção e melhoria dos estádios e todo um novo ambiente de oportunidades que se cria em seu entorno em função do megaevento. Por sua própria natureza, os impactos específicos não são captados em modelos que descrevem as relações econômicas entre agentes e instituições de forma puramente monetária e agregada, o que os remove do escopo de atuação dos métodos de insumoproduto utilizados. Um evento do porte da Copa do Mundo está relacionado a impactos socioeconômicos diretos e indiretos, sendo possível determinar os efeitos sobre o país e as cidades-sede, dimensionar e avaliar os riscos e gargalos que podem comprometer seu sucesso. Paralelamente, a Copa traz, com os investimentos em infraestrutura, a atenção da mídia, a movimentação da economia, a mobilização social e os debates sobre as intervenções urbanas, inúmeras oportunidades para o governo, a iniciativa privada e a sociedade em geral. A necessidade de realização de obras de infraestrutura é particularmente interessante para o país. É a deixa para desenvolver uma eficiente gestão de imagem e mostrar ao restante do mundo, por exemplo, que além de samba e futebol, o Brasil tem centros de excelência em pesquisa, desenvolvimento e inovação, uma economia complexa, estável e robusta e cidades modernas e multiculturais. As atribuições e responsabilidades das cidades-sede vão muito além da reforma ou construção dos estádios onde os jogos serão realizados. O cumprimento desse conjunto de obrigações será monitorado por diversos agentes, dentre os quais se destacam o Comitê Organizador, a FIFA, órgãos de controle dos diversos níveis de governo e o Comitê Gestor do Plano Estratégico das Ações do Governo Brasileiro para a Realização da Copa do Mundo de 2014, composto por 20 órgãos do governo federal. Para ter sucesso, o projeto deverá ser baseado em três objetivos principais, que são: (1) cumprimento dos prazos, (2) o custo previsto e (3) a qualidade do serviço, sem fugir do cumprimento das leis, normas e princípios éticos. Para monitorar, controlar e fiscalizar os projetos da Copa do Mundo, o Governo Federal criou o CGPEAC, o comitê gestor responsável pelo Sistema de Apoio ao Gerenciamento e Monitoramento da Copa 2014 (SGMC), que fará o acompanhamento on-line das ações das cidades-sede, através do Portal da Transparência. Algo muito difícil para um país que não tem a cultura de expor gastos públicos e responsáveis, o que pode tornar-se um legado de valor institucional. Gestão financeira Ambiente regulatório Para sediar os jogos da Copa do Mundo, o Brasil precisa de investimento em infraestrutura e serviços, tanto nos estádios, aeroportos e portos, com capacidade para atender 600 mil turistas do exterior e mais de três milhões de turistas brasileiros no período dos jogos, como rodovias em bom estado, mobilidade urbana (que inclui ônibus, táxi, veículos leves sobre trilhos - os metrôs). 37

38 A demanda por recursos humanos, que deverá gerar centenas de milhares de oportunidades de emprego, não se restringirá aos dias de competição, se entendendo também no período de preparativos. O programa voluntário é um dos carros-chefes da Copa na área de recursos humanos. Os voluntários, boa parte bilíngues, envolvendo estudantes e idosos, recebem treinamento, falam idiomas, usam uniformes e serão identificados por crachás; irão ocupar todos os espaços de grande circulação, especialmente nos estádios. Todos os serviços, direta ou indiretamente relacionados ao Mundial, como os de guias turísticos, voluntários, profissionais de hotelaria, restaurantes, motoristas de táxi, de ônibus, agentes de serviços públicos, terão que ser preparados para receber turistas de todas as partes do mundo. A Copa do Mundo de 2014 educará dirigentes, imprensa, o público e todas as pessoas que fazem parte do meio futebolístico, dos profissionais dos diversos segmentos aos torcedores: todos terão que prestar um excelente serviço àqueles que vêm do exterior para assistir ao mundial. A comunicação será um dos processos fundamentais dentro do contexto organizacional para expressar uma imagem corporativa. Contar com gente qualificada em áreas como tecnologia e idiomas, entre outras, será um desafio e um esforço de capacitação que envolverá também a iniciativa privada. Fonte: Ernst & Young; Fundação Getúlio Vargas (FGV). Brasil Sustentável Impactos socioeconômicos da Copa do Mundo Disponível em: Acesso em: 09 abr

39 Componente Curricular: Engenharia de Software Professora: Michelle Denise Leonhardt Camargo A Engenharia de Software é uma disciplina de engenharia relacionada com todos os aspectos da produção de soft are, desde os estágios iniciais de especificação do sistema até sua manutenção, depois que este entrar em operação. Em outras palavras, trata-se da aplicação de uma abordagem sistemática, disciplinada e quantificável para o desenvolvimento, operação e manutenção de um soft are de computador. a disciplina de Engenharia de oft are realiza-se o estudo de abordagens e princípios, a fim de obter economicamente soft ares confiáveis e que executem de forma eficiente nas máquinas reais. Segundo Grady Booch, James Rumbaugh e Ivar Jacobson (no livro The Unified Modeling Language User Guide, uma empresa de soft are de sucesso é aquela que consistentemente produz software de qualidade que vai ao encontro das necessidades dos seus usuários. Uma empresa que consegue desenvolver tal soft are de forma previsível, cumprindo os prazos, com uma gestão de recursos, quer humanos quer materiais, eficiente e eficaz, é uma empresa que tem um negócio sustentado. Desenvolver software de forma a ir ao encontro dos usuários é satisfazer suas necessidades, ou, em outras palavras, seus requisitos. Mas o que são requisitos de software? Os requisitos de software estão relacionados com o que o sistema deve oferecer como funcionalidades (o que o sistema deve fazer) e suas restrições quanto à operação. A fim de relacionar a disciplina de Engenharia de Software do curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet da faculdade Tecnodohms com o tema do XI Momento Acadêmico (COPA DO MUNDO 2014 TIC, Gestão, Logística e Segurança), os alunos foram convidados a imaginar sugestões de software para dispositivos móveis que pudessem ser úteis a turistas em visita ao país por ocasião da copa. Ainda como parte da atividade proposta, levantaram os requisitos desejáveis para as aplicações sugeridas e discutiram os mesmos em grande grupo ressaltando a viabilidade do desenvolvimento dentro do que é conhecido em engenharia de software e das possíveis limitações de infraestrutura o que poderia interferir na qualidade do software desenvolvido. Duas aplicações foram sugeridas pela turma: uma aplicação para redução de filas para venda de produtos alimentícios nos estádios e uma aplicação para gerenciar vagas de estacionamentos nos jogos da copa. A primeira aplicação, conforme citado anteriormente, tem como objetivo reduzir as filas para compra de produtos alimentícios nos estádios da copa. Segundo os proponentes, a aplicação funcionaria da seguinte forma: os usuários poderiam selecionar o estádio desejado a partir da lista de estádios da copa e visualizar todos os restaurantes/lancherias, bem como os produtos e preços praticados pelos mesmos. Para essa visualização não seria necessário realizar um cadastro. A aplicação também permitiria que o usuário 39

40 pudesse comprar o produto via dispositivo móvel (neste caso, sim, com necessidade de preenchimento de cadastro) e retirar o mesmo no balcão da lanchonete desejada. Segundo os proponentes, essa aplicação reduziria o tempo de espera para compra de lanches, uma vez que o lanche poderia ser comprado/retirado a qualquer momento, sem a necessidade de filas para pedido e pagamento. Os requisitos levantados para essa aplicação foram: Relação de estádios: uma relação dos estádios da copa deve estar disponível para consulta do usuário. Não foi discutido pela turma se a relação ou seleção de estádio poderia utilizar o GPS do dispositivo, por exemplo. Para cada estádio uma lista de lanchonetes: uma relação das lanchonetes presentes no estádio deve estar disponível aos usuários para que possam decidir onde querem lanchar. Lista de produtos: para cada estádio e para cada lanchonete a aplicação deve fornecer a lista de produtos disponíveis para compra com os devidos preços. Deve haver um controle de faixa etária para que a venda de cerveja não possa ser feita a menores de 18 anos. Controle de estoque: o aplicativo deve permitir o controle de estoque para que os produtos estejam disponíveis quando da compra pelo usuário. Sistema de pagamento: o aplicativo deve permitir o pagamento dos produtos via dispositivo móvel e geração de recibo para ser apresentado no caixa do estabelecimento para retirada do produto adquirido. De modo geral, a turma considerou o desenvolvimento da aplicação viável, apesar de certas restrições de infraestrutura. Também foi discutida a questão comportamental dos usuários. Por exemplo, se todos os usuários resolverem comprar e buscar o lanche no intervalo do jogo, haveria ainda assim a redução de filas? Apesar de algumas limitações, a aplicação é bem viável de ser implementada. A segunda aplicação sugerida pela turma trata do gerenciamento de vagas de estacionamentos nos jogos da copa. A ideia geral da aplicação é permitir ao usuário reservar vaga em um estacionamento próximo ao estádio. Alguns dos requisitos levantados para tal aplicação foram: Lista de estacionamentos: o sistema deve fornecer uma lista de estacionamentos para escolha por parte do usuário. Gerenciamento de rota: o sistema deve reportar vias de tráfego intenso na cidade (em tempo real) e sugerir vias alternativas para deslocamento do usuário. Monitoramento do carro: o usuário poderia visualizar seu carro por câmera em tempo real enquanto estivesse estacionado. Calendário: o sistema deve fornecer um calendário com os jogos da copa para que o usuário possa se programar. Sistema de pagamento: o usuário poderia realizar o pagamento da vaga via aplicação. 40

41 Além desses requisitos, foi sugerido que a aplicação demorasse no máximo 3 segundos para mostrar cada informação, que tivesse um design amigável, disponível em diferentes idiomas, e que oferecesse os telefones de emergência de cada cidade. A discussão para tal aplicativo foi bem interessante, pois alguns dos requisitos sugeridos dependeriam de infraestrutura ainda não compatível com o que está disponível na atualidade. Além disso, permitiu conversar sobre a definição de métricas para mostrar quando um requisito pode ser considerado atingido (Por exemplo: Quando se pode dizer que uma interface é amigável? Quando tal requisito poderia ser considerado cumprido?) Após a definição dos requisitos para ambas as aplicações, a turma foi convidada a discutir a classificação de tais requisitos em cada categoria dentro da engenharia de software: requisitos funcionais (relacionam-se diretamente com uma funcionalidade), não funcionais (não se relacionam diretamente com uma funcionalidade) e de domínio (restrições do próprio domínio). A turma concluiu que a Copa do Mundo abre inúmeras possibilidades de exploração no campo da tecnologia. Há, no entanto, a necessidade de planejamento e estudo, para que a estrutura de apoio aos usuários de tecnologia seja efetiva e eficaz. 41

42 Componente Curricular: Gestão da Qualidade Professor: Arno Oelrich A Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014 estão cada vez mais próximas e o Brasil corre contra o tempo para estar pronto. Entre obras novas e reformas, as cidades que receberão os jogos passam por mudanças profundas. Apesar das dificuldades, muitos aspectos positivos surgem como possibilidades e também como oportunidade de aprimoramento e qualificação. Abaixo, aspectos que sofrerão importantes impactos e também exigirão cuidados para que estejamos prontos para o grande evento em Sustentabilidade Estudos da Ernst & Young em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV) mostram que, com o desenvolvimento de métricas, segundo os critérios adotados pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep, na sigla em inglês), permitem que a Copa do Mundo de 2014 venha a ser a primeira Copa sustentável da história, respeitando as dimensões econômicas, sociais e ambientais. São sete passos que permeiam todas as atividades da Copa, de estádios erguidos com o critério de construção verde ao impacto das viagens de avião no cálculo da pegada de carbono: - Conservação de energia e mudanças climáticas, como minimizar a pegada de carbono; - Formas de promover a conservação da água; - Gestão interna de resíduos, como reduzir, reutilizar e reciclar resíduos com apoio dos catadores; - Transporte, mobilidade e acesso: como alcançar a eficiência energética, com uso de transportes acessíveis e universais que minimizem a poluição; - Paisagem e biodiversidade; - Edifícios verdes e estilos de vida sustentáveis; - Construção sustentável. Fonte: Custos O custo para a organização da Copa de 2014 já atinge R$ 26,5 bilhões. A cifra é R$ 2,7 bilhão maior que o previsto no primeiro balanço orçamentário da União, de janeiro de 2011, e vai aumentar. Questionado, o Ministério do Esporte informou que a previsão é que os investimentos para o Mundial alcancem R$ 33 bilhões. Considerado o valor atual R$ 26,5 42

43 bilhões o país vai custear 85,5% das obras relacionadas ao evento. O dinheiro vem dos governos federal, estaduais e municipais. O número é baseado na última versão da matriz de responsabilidade, consolidada em dezembro de O documento cita os gastos com obras de mobilidade urbana, estádios, portos, aeroportos, telecomunicações, segurança e turismo relacionados ao Mundial. Quando o local do mundial foi confirmado para o Brasil já se disse que nenhum estádio brasileiro seria capaz de receber um jogo de Copa do Mundo. Então, se estabeleceu que deveriam ser construídos ou reformados doze estádios nas cidades-sede da Copa. Outra questão é que, apesar de a Copa ser um negócio privado, como dizem a FIFA e a CBF, no início apenas um estádio, o de Salvador, estava sendo construído em regime de PPP (Parceria Pública e Privada). Ressalte-se que é a primeira vez numa Copa do Mundo que o presidente da federação nacional vai ser também o presidente do comitê organizador local. Para que se tenha uma ideia da magnitude dos valores, abaixo estão os custos de cada arena que será sede da Copa do Mundo 2014: Mineirão Custo: R$ 666,3 milhões; Mané Garrincha Custo: R$ 920 milhões; Arena Pantanal Custo: R$ 456,7 milhões; Arena da Baixada Custo: R$ 183 milhões; Castelão Custo: R$ 474,8 milhões; Arena da Amazônia Custo: R$ 499,5 milhões; Estádio das Dunas Custo: R$ 400 milhões; Beira-Rio Custo: R$ 330 milhões; Arena Pernambuco Custo: R$ 465 milhões; Maracanã Custo: R$ 883,5 milhões; Fonte Nova Custo: R$ 591 milhões (R$ 786 milhões, incluindo outras despesas); Arena Corinthians Custo: R$ 900 milhões. Infraestrutura Estamos no início da Copa do Mundo no Brasil e o fato é que possuímos uma lacuna enorme em logística. Nesse sentido, um estudo recente do ILOS (Instituto de Logística e Supply Chain) mostrou ser necessário investimento de aproximadamente R$ 1 trilhão para sanar esse déficit. A logística atual do país é ineficiente em diversos segmentos. Para a Copa do Mundo, esta é uma área estratégica que contribui para a obtenção de sucesso neste tipo de evento complexo. O fato é que a FIFA, órgão que controla o futebol mundial, possui um manual de regulamentação de segurança, que é bem claro em relação à logística no tocante à facilitação do acesso aos estádios por meio de sistemas de transporte eficientes. Temos dois modos de transportes essenciais a considerar: o aeroportuário e o ferroviário. O setor aeroportuário não consegue atender de forma satisfatória a demanda interna. É importante destacar também que a cada ano o número de passageiros (demanda) cresce a uma taxa bastante atrativa para as companhias aéreas, em torno de 20% ao ano. Isso contribui para que o fluxo de passageiros fique cada vez mais complexo. Um exemplo que retrata esta situação é a falta de capacidade operacional em praticamente todos os aeroportos do país, principalmente em relação ao gerenciamento de filas, que é feito de uma forma muito ineficiente. A IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo) relata que 13 aeroportos brasileiros estão saturados e sem previsão de investimento. Ao somar à operação atual 43

44 dos aeroportos, que deixa a desejar para os passageiros brasileiros, o aumento da demanda nacional dos próximos anos, mais a demanda de passageiros estrangeiros, teremos que começar as obras de infraestrutura logística o mais rápido possível. Aliás, já era para ter começado anos atrás. Opinião contrária tem Paulo Resende, um dos maiores especialistas em logística do Brasil e um dos diretores da Fundação Dom Cabral, que acha esses temores infundados. Após uma recente pesquisa com 20 grandes empresas e agências de viagem, Resende chegou à conclusão de que durante a Copa os aeroportos e estradas terão na verdade um tráfego inferior ao de dias úteis normais. Isso porque, de tanto imaginarem o que pode acontecer na Copa, as empresas vão evitar viagens a negócios, as famílias vão alterar as datas das férias e algumas pessoas vão simplesmente preferir ficar em casa o máximo que puderem, vendo os jogos. Também é necessário considerar a infraestrutura logística no entorno dos estádios. Novamente recorrendo ao manual da FIFA que regulamenta as condições de segurança, temos que considerar diversos aspectos importantes, como o desenvolvimento de pontos de entrada e saída que facilitem o fluxo de pessoas e veículos ao redor do estádio, bem como as rotas de evacuação. Também precisamos pensar na acessibilidade para todos os tipos de torcedores, principalmente os que possuem necessidades especiais. Portanto, percebemos que muitos aspectos devem ser considerados para que a Copa do Mundo de 2014 possa ser realizada de uma forma eficiente no Brasil. Mobilidade urbana As obras de mobilidade urbana são as que registram os maiores problemas. As intervenções de responsabilidade exclusiva do governo federal foram sensivelmente alteradas ao longo dos anos. Das 25 obras previstas em aeroportos, oito foram canceladas. Outras 12 ações foram incluídas. Segundo dados do governo, nove obras foram entregues. Destas, porém, quatro são módulos operacionais, estruturas concebidas para uso provisório. Muitas das cidades que sediarão os jogos da Copa do Mundo enfrentam problemas com o transporte público, que será fundamental para o deslocamento dos turistas dentro das cidades, no caminho do hotel ao jogo ou aos pontos turísticos. As cidades deverão investir em alternativas que façam com que o transporte público seja eficiente e mais objetivo, evitando transtornos e facilitando a vida dos turistas. As duas grandes áreas da logística, setor aeroportuário e ferroviário, são essenciais para o desenvolvimento do país e principalmente para aperfeiçoar o fluxo de passageiros em época de grandes eventos. Mas o déficit logístico para a Copa do Mundo não se restringe apenas a isso. Alternativas para o ônibus são as linhas de metrô, porém não há tempo hábil até a Copa do Mundo para que um projeto parta do zero, o que não quer dizer que um projeto dessa magnitude e que iria acrescentar mais qualidade de vida à população deva ser descartado. Trata-se de uma solução para médio e longo prazo. Os investimentos com a qualidade das cidades-sede não devem ficar restritos apenas ao período de Copa do Mundo, tampouco restritos às cidades- sede, pois as mesmas pessoas que visitarão o país na Copa poderão voltar posteriormente se ficarem com uma imagem boa de nosso país. 44

45 Hotelaria A rede hoteleira talvez seja a parte mais organizada e planejada de todas as que compõem sediar um evento de tal magnitude com qualidade, já estão bem adiantados nesse assunto e o investimento cresce cada vez mais, tanto no aumento de estabelecimentos quanto na qualidade dos prestadores de serviço que ali trabalham. Conforto e praticidade contam muito para quem está de férias e não quer se incomodar com nada, apenas aproveitar. O governo também deve oferecer incentivo a esse segmento para que os hotéis possam oferecer um bom serviço às pessoas, tanto os turistas quanto as pessoas que durante o ano se movimentam pelo país realizando passeios e negócios. Tudo isso com a manutenção de preços acessíveis a todos. Mercado de trabalho A proximidade da Copa do Mundo em 2014 já aquece o mercado de trabalho em algumas áreas. Um exemplo é o setor de Logística, que apresentará um crescimento no número de ofertas de emprego a médio e curto prazo. Com a vinda de importantes eventos esportivos para o Brasil, a agenda de preparativos para sediá-los tornou-se prioritária, com destaque para a infraestrutura do país, principalmente no que diz respeito aos sistemas de transporte e de armazenagem e no desenvolvimento de processos de circulação de pessoas e de materiais mais eficientes e sem falhas. Também se necessitará de profissionais capazes de atuar nas áreas de qualidade, planejamento, suprimentos, distribuição, controle e custos. A logística esportiva também deverá ser contemplada. As atividades de um profissional de logística esportiva englobam toda a preparação do evento. É garantir uma eficaz gestão de recursos, equipamentos e informações entre os vários departamentos, e também a organização das acomodações para atletas e suas equipes de apoio, inclusive a armazenagem e o transporte de equipamentos de treino e o deslocamento entre as subsedes e os locais de competição, bem como todo o suporte para atender as demandas emergenciais de fluxo de materiais e pessoas. Qualificação Seiscentos mil estrangeiros devem desembarcar no Brasil para a Copa do Mundo. Para receber bem o turista, bares e restaurantes já se preparam com aulas de idiomas e de etiqueta. Mas para fisgar o cliente não adianta apenas vender pratos saborosos, é preciso investir, principalmente, na qualificação da mão-de-obra. Primeiro nós precisamos entender que o turista estrangeiro é um turista diferente do que a gente tem dentro do Brasil. O primeiro desafio é a língua, fala o presidente acional da Abrasel, Paulo Solmucci Júnior. Uma choperia já começou a treinar os garçons. Os funcionários também têm aulas de etiqueta para receber os turistas estrangeiros. Treinamento de comportamento do europeu e do americano para conseguir atender bem essa clientela, informa o consultor organizacional William Reis. Fontes: Internet / G1 Globo Portal da copa: 45

46 Componente Curricular: Gestão de Projetos Professor: Pablo Ermida Corrêa Ao sermos escolhidos como o país sede de eventos com ampla participação popular e que exigem uma infraestrutura de alta complexidade, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, o Brasil ganha um grande desafio organizacional que percorre os mais diversos segmentos, como hospedagem, estádios, locais de alimentação, transporte e outros. Independentemente de qual seja o segmento, neste momento de readequação de infraestruturas e construção de novos empreendimentos para receber estes eventos, é extremamente necessário ter um planejamento consistente para coordenar o processo de implementação dos vários projetos e o seu gerenciamento. Com isso, a importância de uma metodologia adequada de gerenciamento de projetos vai além da construção de um bom cronograma. É essencial ter uma visão orgânica de todo o processo, identificando as expectativas dos mais diversos públicos quanto aos objetivos do projeto, compreender e detalhar os escopos criados, acompanhar o orçamento, conseguir e entregar com qualidade as etapas estipuladas nos projetos e, principalmente no Brasil, ter tudo isso concluído em um prazo desafiador. Não precisa ser um especialista para ver o que acontece quando não se tem uma gestão de projetos eficientes e bem direcionada. No diaa-dia das cidades-sede da Copa, por exemplo, onde o número de obras multiplicou nos últimos meses, se consegue perceber como alguns pequenos erros de gerenciamento podem causar bloqueios importantes em grandes avenidas da cidade, ou a necessidade de redirecionamento de ruas e acessos, itens esses que influenciam tanto na duração da obra quanto na vida da população e precisam estar nas premissas antes do início do processo todo. Por isso, este artigo pretende apresentar iniciativas ligadas à área de Gestão de Projetos que estão sendo tomadas em algumas obras atuais para a Copa do Mundo e refletir sobre como o conteúdo teórico que ocorre na execução e vice-versa. Os acadêmicos tiveram duas questões-base para buscar informações e escrever o trabalho: Quais iniciativas ligadas à área de Gestão de Projetos o Governo está utilizando para gerenciar os projetos da Copa do Mundo 2014 no Brasil? Analisar e relacionar as áreas de conhecimento da Gestão de Projetos com os seguintes cases: Arena do Grêmio, Aeromóvel e Estádio Beira-Rio. Iniciativas de Gestão de Projetos para a Copa do Mundo 2014 no Brasil A Copa do Mundo 2014, a ser realizada em território brasileiro, é um projeto de grande escala e conta com amplo gerenciamento de projetos. Coordenadas pelo Comitê Gestor da Copa 2014 (CGCopa), as ações articuladas pelo órgão visam a capacitar o Estado de todas as condições para sediar este evento global, dividido em nove câmaras temáticas (Infraestrutura, Estádios e Gramados, Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Desenvolvimento Turístico, Promoção Comercial e Tecnológica, Cultura, 46

47 Educação, Ação Social e Voluntariado, Transparência) e dois setores específicos (FanFest e Comunicação Social). Essas câmaras auxiliam para que sejam adequados os projetos já existentes, de modo que sejam economizados recursos e aproveitados os trabalhos desenvolvidos. Os integrantes desses grupos são técnicos de profundo conhecimento dos assuntos temáticos relacionados, atuando de forma voluntária, o que também contribui para a economicidade dos recursos públicos. Essas atitudes já demonstram itens que influenciam no processo de desenvolvimento desses novos empreendimentos e projetos que estão sendo criados e, principalmente, para o controle de cada um deles. Uma das iniciativas do Governo para conseguir gerenciar todas as obras que estavam sendo realizadas em Porto Alegre e região, por exemplo, foi uma parceria com a PROCEMPA, que desenvolveu um software de gestão para o acompanhamento das obras da Copa em Porto Alegre. Este sistema é alimentado com as informações das obras durante o andamento. Além disso, gera relatórios que são enviados periodicamente para o Portal da Copa 2014 do Governo Federal. Isso proporciona um cuidado maior com a relação entre o valor investido e o que é entregue. Um dado que exemplifica a importância do gerenciamento de projetos, nas várias obras que estão sendo executadas, é da pesquisa de benchmarking, realizada pelos chapters brasileiros do PMI em egundo eles, uma das áreas que mais investem em gerenciamento de projetos, o setor de Engenharia (empresas que serão responsáveis por construir a infraestrutura necessária para os megaeventos que serão sediados no Brasil) utiliza de fato apenas 27% das vezes uma metodologia de gerenciamento de projeto. Esse dado é preocupante, pois se a área que mais detém conhecimento sobre o processo não a utiliza, como exigir um processo eficaz das demais áreas? Além disso, outros dados mostram o efeito dominó de um gerenciamento mal coordenado, como 82% das empresas de engenharia atrasam cronogramas, 82% ultrapassam o custo estabelecido e 64% relatam que a qualidade é insatisfatória. Falhas como essas, além de atrasos, geram um aumento no orçamento previsto, afetando investidores e demais pessoas envolvidas com a obra em execução. Com isso, chegamos a outro ponto relevante ao pensarmos em gerenciamento de projeto: os impactos econômicos da realização da Copa 2014 no Brasil, que podem ser usados tanto na fase de iniciação do projeto como para o planejamento. As metodologias adotadas para cálculo do impacto econômico direto e indireto na economia brasileira partem de metodologias internacionalmente adotadas. Os dois últimos países-sede da Copa do Mundo: Alemanha 2006 R$ 32,7 bilhões (estádios e mobilidade) e África 2010 R$ 15 bilhões (estádios, aeroportos e mobilidade) são referências para o estudo de projetos semelhantes na avaliação de impacto econômico. No entanto, não torna uniforme o perímetro de áreas de infraestrutura consideradas, uma vez que a priorização de investimentos por cada governo nacional foi diferente em cada Copa do Mundo (o governo alemão, por exemplo, priorizou investimentos na malha rodoviária do país, considerando tais investimentos no perímetro daqueles ligados à Copa do Mundo; para a Copa no Brasil, esse segmento não foi definido como prioritário). 47

48 Baseado em algumas informações retiradas da pesquisa sobre os Impactos Econômicos da Realização da Copa 2014 no Brasil, podemos ter noção de verbas que o Brasil terá que dividir para as sedes. A questão de tempo desse projeto exclusivamente é a FIFA que estipula, sendo que o país-sede tem que finalizar as obras no máximo até a Copa das Confederações (junho de 2013), que serve de teste para a Copa do Mundo no ano seguinte (entre junho e julho de 2014). Em 2007, a FIFA anunciou o Brasil como sede da Copa do Mundo, porém a iniciação dos projetos e seus planejamentos, em muitos casos, não foram bem sucedidos, resultando em lentidão na construção dos estádios, de projetos de mobilidade e principalmente dos aeroportos, o que colocou em dúvida, em alguns momentos, a realização do evento no Brasil. A Gestão de Projetos para a Copa do Mundo na prática Para conseguirmos visualizar de forma mais concreta a teoria no nosso dia-a-dia, resgatamos alguns dados de obras das mais variadas esferas e que constituem, por si só, projetos próprios, como a construção da Arena do Grêmio, a construção do aeromóvel e a reforma do estádio oficial da Copa em Porto Alegre: o Beira-Rio. Em todos esses exemplos temos sucessos e falhas da gestão de projetos, que podem ser acompanhados diariamente na mídia. 1. Arena do Grêmio Em maio de 2006, o Plano Diretor Patrimonial do Grêmio inicia a avaliação do Estádio Olímpico versus um novo estádio. Em novembro de 2006, foi realizado um estudo de préviabilidade para a construção de um novo estádio baseado no case Amsterdam Advisory Arena. A conclusão do estudo apontou que o estádio Olímpico não atendia às expectativas do Grêmio. Tempo de vida da construção, alto custo de manutenção, baixo padrão de conforto, serviços de baixa qualidade, segurança deficiente, estacionamento insuficiente, localização em região estrangulada, total desconformidade com o padrão FIFA. Premissas: Participação do Grêmio na gestão da Arena; Permanência das receitas pelo clube: venda de jogadores, utilização da marca, cotas de televisão, etc.; Investimento estimado na Arena de R$ 307 milhões; Dívida garantida integralmente pela OAS. A solução: Começa a busca por parceiros para o desenvolvimento de uma ARENA MULTIUSO PADRÃO FIFA; Em 2007 começa a seleção de investidores através de Carta-convite; Em março de 2008 é realizada a seleção da proposta final para a construção da Arena do Grêmio; Importantes investimentos produtivos e imobiliários voltados para o projeto Copa do Mundo 2014; Moderno complexo esportivo, de eventos, empresarial e residencial; Capacidade: cadeiras (100% cobertas), distribuídas em 4 anéis: dois de cadeiras, um de camarotes (130 e um de cadeiras VIP s (2.700 ; 48

49 Área comercial disponível: m²; Estacionamentos: vagas no complexo. 2. Aeromóvel Desenvolvido pelo Grupo Coester, de São Leopoldo (RS), o Aeromóvel é um meio de transporte automatizado, em via elevada, que utiliza veículos leves, não motorizados, com estruturas de sustentação esbeltas. Sua propulsão é pneumática o ar é soprado por ventiladores industriais de alta eficiência energética, por meio de um duto localizado dentro da via elevada. O vento empurra uma aleta (semelhante a uma vela de barco) fixada por uma haste ao veículo, que se movimenta sobre rodas de aço em trilhos. O atual projeto está sendo espelhado no projeto do aeromóvel já existente em Porto Alegre, sendo o primeiro protótipo de 1977 e teve início em 1980 com a construção da linha inaugural de Porto Alegre, que sairia da Loureiro da Silva e chegaria à Praça da Alfândega. Com a troca de governo, não houve mais interesse no projeto, sendo finalizado e se tornando só pista de teste. O projeto foi financiado pelo Ministério dos Transportes e pela UFRGS e foi considerado um fracasso após seu abandono. O projeto atual, até onde as informações mostram, está no prazo e sendo concluído, tanto que já se encontra a estrutura e o aeromóvel instalados entre o aeroporto e o Trensurb. É a primeira linha do aeromóvel a carregar passageiros, sendo um projeto totalmente brasileiro e com tecnologia brasileira. 3. A reforma do Beira-Rio e as 9 áreas da Gestão de Projetos O governo federal autorizou as obras da Copa na cidade de Porto Alegre, juntamente com o governo do estado do Rio Grande do Sul e a prefeitura de Porto Alegre. O apoio do governo Dilma deu-se principalmente por recursos liberados pelo BNDS. Isso ocorreu devido aos atrasos de assinatura com uma construtora. Desde o início da aprovação do projeto, o governo federal apoiou e sempre priorizou as obras no Beira-Rio, por ser um estádio já "construído" que necessitava apenas de reforma, e solicitou resolução imediata na época do impasse entre o Internacional e a construtora Andrade Gutierrez. O projeto de modernização do estádio Beira-Rio, relacionado à gestão de escopo, teve diversas mudanças e redefinições durante o andamento de sua obra. Mudanças na cobertura, na modelagem da arquibancada, na estrutura no shopping a céu aberto, do estacionamento e entre outras foram impactantes na gestão do escopo, o que exigiu mobilidade do gerente em readequar as mudanças sem afetar a gestão do tempo, que possui data limite. Porto Alegre já havia perdido a Copa das Confederações pelo atraso no início das obras e não poderia correr o risco de deixar de ser uma cidade-sede na Copa do Mundo, já que o prazo final da obra é dezembro de A construtora ainda prometeu entregar o estádio em setembro, mas em virtude de problemas diagnósticos em inaugurações de outros estádios, o Beira-Rio será realmente reinaugurado quando estiver totalmente pronto. Com a gestão de RH, a construtora teve muitos entraves durante a execução da obra. Como em Porto Alegre não há mão de obra qualificada para executar a obra em sua 49

50 totalidade faltavam pedreiros, marceneiros, auxiliares a construtora teve que trazer recursos de fora do estado, aumentando o custo final. Tomemos como exemplo a reformulação do estádio Beira-Rio, analisando-o sob as áreas: Integração: A integração do projeto pode ser considerada falha em diversos aspectos, já que, em outras áreas do gerenciamento, ocorrem problemas de escala menor, até alguns mais graves. Escopo: Inicialmente as obras visavam à cobertura do estádio, mas após avaliações de engenheiros e arquitetos, foi constatado que as obras seriam expandidas para ampliação da arquibancada inferior, revitalização da arquibancada superior, criação de dezenas de novas suítes e camarotes, construção do edifício-garagem, criação de inúmeras saídas de emergência, plantação de um gramado novo, moderno, adequado a qualquer clima. Tempo: A previsão de entrega da obra é dezembro de 2013, mas devido aos constantes problemas com a Andrade Gutierrez e paralisações nas obras, o projeto está constantemente em atraso, muitas vezes preocupando a FIFA quanto ao prazo de entrega. Custos: Nesta área é notório que o gerenciamento do projeto foi falho, já que o orçamento inicial de R$ 150 milhões em 2011, saltou para R$ 330 milhões em 2013, devido a cálculos equivocados da gestão administrativa anterior do clube. Qualidade: A qualidade do projeto foi pensada para ser de alto nível, envolvendo recursos técnicos de alto nível para tornar o estádio uma obra no padrão FIFA. Recursos humanos: A área de gerenciamento de recursos humanos muitas vezes não soube motivar os funcionários que trabalhavam nas obras, levando os mesmos a fazerem protestos e manifestações referentes aos salários e condições de trabalho. Cerca de 1,5 mil operários trabalham na modernização do estádio Beira-Rio, que segue em ritmo acelerado. Comunicações: Houve um pouco de falha na comunicação durante a execução do projeto, pois quando foram remover as árvores que estavam atrapalhando as obras, houve desentendimento entre os envolvidos. Riscos: O gerenciamento do projeto abriu margem para diversos riscos durante a execução do projeto, desde as paralisações das obras por conta de problemas contratuais com a Andrade Gutierrez, até a insistência em sediar seus jogos pelo Brasileirão 2012 no estádio, o que impedia a execução das obras da maneira esperada. Levando-se em conta os atrasos que na época já eram evidentes, foram riscos desnecessários e que podem comprometer a entrega do projeto no tempo esperado. Aquisições: Toda e qualquer mão de obra que precisou ser contratada para atingir todas as alterações na estrutura do estádio. Materiais para as obras, mão de obra humana, investimento financeiro, verba do BNDES, etc. Considerações finais 50

51 O PMI (Project Management Institute) é o desenvolvedor do Guia PMBOK, baseado nas melhores práticas de gestão de projetos. O instituto, reconhecido internacionalmente, divide o gerenciamento do projeto em nove áreas de conhecimento: escopo, tempo, custos, qualidade, comunicação, recursos humanos, riscos, aquisições e integração. Cada área tem seus processos que são compostos por entradas, ferramentas, técnicas e saídas, que geram artefatos que permitem ao gerente do projeto controlar e conduzi-lo em todos os seus aspectos. O gerente do projeto tem papel fundamental na condução de um projeto, coordenando o trabalho e as equipes responsáveis pelas nove áreas citadas acima. Fontes: pdf

52 Componente Curricular: Gestão Mercadológica Professora: Mirela Jeffman dos Santos Nesta disciplina estamos desenvolvendo um Planejamento Estratégico em uma organização que os alunos tenham contato direto e acesso facilitado às informações. A primeira etapa do planejamento consiste no diagnóstico estratégico, que engloba as análises dos ambientes interno e externo da organização. A análise do ambiente externo consiste na projeção de cenários futuros que afetarão tanto positiva quanto negativamente a atividade da empresa. Diante disso, não tivemos como não considerar a Copa do Mundo de 2014, que é o cenário mais expressivo e previsível que o país enfrentará no ano que vem. Assim, seguem abaixo os relatos de como o cenário da Copa do Mundo influenciará as atividades de cada empresa analisada em sala de aula. Otto e Cia Ltda Farmais Goethe Atuamos no ramo farmacêutico, com franquias da Farmais. A loja aqui retratada possui espaço especializado em produtos e medicamentos Diet, além de manter o espaço de uma farmácia tradicional. Oferecemos apoio material (medicamentos/equipamentos) e apoio emocional (grupo de apoio). A empresa foi fundada em 2009 quando amigos de infância, um deles já atuando no ramo, decidiram investir em um negócio próprio. Com a Copa 2014, é notório que teremos o aumento na circulação de pessoas na cidade. Isso, por si só, já influencia as vendas. Observamos outro aspecto: nossa alimentação é muito mais pesada que algumas culturas, e isso poderá resultar em alguns problemas estomacais, o que acarretará na procura por nossa farmácia. Idealizamos algumas ações, nas quais poderíamos fazer a diferença e sermos lembrados pós-copa, quais sejam: Alterar a emana do Diabético para o Mês da Copa Diet, com descontos especiais na linha. Combo de guloseimas diet. Somos curiosos, então tudo que é novidade nos chama a atenção. Temos uma enorme gama de produtos dietéticos e poderíamos fazer kits de docinhos saudáveis. A insulina, medicação indispensável para a maior parte dos portadores de diabetes, necessita de refrigeração para não estragar. Na Copa, turistas necessitarão de um atendimento especial nessa parte. Se divulgarmos com antecedência, podemos comunicar o maior número de possíveis compradores sobre nossa especialização na doença. 52

53 Disponibilizar pontos de apoio e atendimento (tendas de saúde) nos eventos locais destinados à Copa. Mundial S/A Produtos de consumo Atividade principal: Componentes diversos para a indústria de calçados, confecções, artigos de cuidados pessoais e de cutelaria. A Copa do Mundo "é uma oportunidade de grande exposição que já está produzindo resultados". Atualmente o Brasil recebe cinco milhões de turistas por ano, mas durante a Copa de 2014, que será disputada entre os dias 12 de junho e 13 de julho de 2014 em 12 cidades, o país espera acolher cerca de 600 mil turistas e fechar esse ano com um total de 7,2 milhões de visitantes estrangeiros. Com esse quadro de expansão no turismo brasileiro, vemos uma oportunidade de vendas dentro do mercado frigorífico, pois turistas tendem a conhecer a cultura do estado e do país. No Rio Grande do Sul, culturalmente temos o churrasco como carro chefe dos nossos restaurantes típicos, e com o aumento de visitantes haverá expansão no mercado frigorífico, aumentando a lucratividade da nossa empresa em vendas de facas e utensílios. De acordo com a projeção do agronegócio do Brasil de a , feita pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Departamento da Assessoria de gestão estratégica aponta que os produtos mais dinâmicos do agronegócio brasileiro deverão ser o algodão, soja em grão, carne de frango, açúcar, milho e celulose. Esses produtos são os que indicam maior potencial de crescimento das exportações nos próximos anos. O mercado "gourmet" da empresa Mundial S/A, que envolve produtos de fabricação própria e de terceiros, no país e exterior, compreende culinária profissional e doméstica, como facas, talheres, baixelas, chaira e utensílios domésticos. Além dessas linhas, esta divisão também é responsável pela produção e distribuição de facas profissionais para frigoríficos e açougues. Com a Copa do Mundo de 2014 sendo realizada no Brasil, o crescimento de turistas ocasiona um aumento muito significativo na área de alimentação, o que exige preparação das empresas desta área para trabalhar de acordo com a alta demanda que está por vir. Essa preparação deve proporcionar um aumento nas vendas de talheres, tanto domésticos quanto profissionais, pois esse evento irá envolver os ramos de hotelaria, gastronomia e fast food, que precisarão receber seus hóspedes e clientes com material suficiente para servir-se. Arte & Estilo A empresa Arte & Estilo é nova no setor de móveis e decorações (aberta há pouco mais de 1 mês), localizada na avenida Ipiranga, no pólo moveleiro de Porto Alegre. Com sede e ateliê próprios, a Arte & Estilo busca diferencial na capacidade de personalização dos seus produtos e atendimento personalizado como pilares para o seu crescimento. 53

54 Com a Copa de 2014, o setor moveleiro crescerá em grandes proporções, afetando positivamente os ciclos de negócios, e a Arte & Estilo acompanhará esse crescimento junto à área de decorações e móveis funcionais. Deseja, assim, alavancar as suas vendas e acompanhar a renovação dos ambientes. Oportunidades: * Aumento da renda salarial; * Aumento da infraestrutura; * Renovação de móveis. Globus Sistemas Eletrônicos Ltda A Globus é uma empresa de desenvolvimento, fabricação e comercialização de equipamentos de controle eletrônico, especializada em conforto térmico e refrigeração. Possui duas divisões de operação: eletrônica embarcada e automação. Atua como fornecedora de produtos em regime O.E.M. e possui clientes em quatro continentes. A Copa do Mundo de 2014 será uma grande oportunidade para ampliar nossos negócios, considerando que haverá um grande aumento no fluxo de pessoas nos hotéis e restaurantes. Esse novo quadro afetará diretamente nossa empresa, aumentando nosso volume de vendas. Poderemos tanto aumentar nossas vendas, como fazer com que nossos produtos sejam conhecidos por um público bem diferenciado. Nosso principal mercado dentro deste panorama são as redes de hotéis e restaurantes, que serão atendidos por nossos produtos de automação, medidores de temperatura, etc. Certamente será uma chance para que, com muito planejamento e trabalho, possamos mudar nosso patamar no mercado, diferenciando-nos ainda mais de nossos concorrentes. NSB Distribuidora Ltda O ramo de atividade da NSB Distribuidora Ltda é a distribuição de materiais elétricos. A empresa está localizada na Avenida Francisco Silveira Bitencourt, O que significa a Copa do Mundo no Brasil para a Nova Sul Brasil? Nosso estado já começa a fazer as suas movimentações para o grande evento esportivo, e na empresa não é diferente. Hoje a empresa já está planejando orientar e também alertar, no sentido de conscientizar e oportunizar conhecimento para os clientes, e faz isso através da rede social Facebook e s. Inicialmente, percebemos, através de conversas impessoais e também focadas no conhecimento, que o movimento começou já faz algum tempo, pois estamos diretamente ligados às obras de melhoria para a cidade. Tudo que se refere a possíveis melhorias está ligado diretamente a alguma obra ou reforma. Logo, se olharmos ao nosso redor, dificilmente existe uma rua em que não tenha algum tipo de obra. Basta perceber o crescimento de containeres estacionados na calçada. 54

55 Outro fator é a adaptação dos equipamentos eletrônicos. Nós temos todas as soluções em adaptadores. Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms A grande oportunidade da Copa do Mundo para a instituição seria o crescimento do número de alunos procurando uma qualificação profissional para as áreas que estão com maior demanda no mercado de trabalho. É também uma oportunidade de ajudar a fortalecer a educação do país, oportunidades efetivas e definitivas de melhorias no que se refere aos aspectos educacionais. A instituição poderá aproveitar esse enorme aporte cultural para se lançar no mercado como uma faculdade integradora e transformadora, preparando para o mercado de trabalho profissionais mais competentes, éticos, capazes de exercerem cidadania participativa, responsável e solidária. Por consequência, deixaria um grande legado para a população brasileira, não apenas para Porto Alegre. A instituição pode acrescentar novos cursos na área de serviços, inclusive à distância: Gestão em comunicação; Gestão de RH; Gestão esportiva. No cenário atual que a faculdade oferece, os alunos dos cursos de Gestão Comercial e Gestão de Segurança Privada terão grandes oportunidades de atuar na Copa de 2014, pois há grande demanda nessas áreas para os jogos da Copa. O mercado terá profissionais recém-formados, com toda a disposição, conhecimento e inovação. Opinião da Presidente Dilma sobre investimento no ensino para a Copa: Presidenta Dilma A educação é nossa prioridade, pois é o passaporte para o Brasil se consolidar como nação desenvolvida. Nos últimos cinco anos, por exemplo, mais que triplicamos os recursos federais para estados e municípios, responsáveis pela educação básica. O orçamento do Ministério da Educação cresceu de R$ 31,7 bilhões em 2003, em valores atualizados, para R$ 86,2 bilhões, em Atingimos o investimento total de 6,1% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação, e o objetivo é elevar ainda mais esse investimento. Por isso, enviei uma medida provisória ao Congresso para que todos os recursos de royalties do petróleo gerados pelos novos campos do pré-sal sejam destinados exclusivamente à educação, nos três níveis - federal estadual e municipal. Além disso, o governo federal passou a financiar os planos de recuperação e desenvolvimento da educação nos municípios e nas 27 unidades da federação. Ao mesmo tempo, Alan, a Copa do Mundo e as Olimpíadas são grandes eventos que vão atrair a atenção do mundo para o Brasil, para nossos atrativos turísticos, para nossos produtos, gerando emprego e desenvolvimento. E deixarão um legado em obras e outros benefícios para a população. Por isso, investimos nesses dois grandes eventos. Os governantes brasileiros esperam gerar, entre empregos diretos e indiretos, aproximadamente setecentos mil novos postos de trabalho. 55

56 Componente Curricular: Informática Instrumental B Professor: Milton Procasco da Silveira Sistemas de Tecnologia para a Copa 2014 Nome: CrowdSim Foco: Segurança O software CrowdSim foi desenvolvido pela equipe de pesquisadores do Laboratório de Simulação de Humanos Virtuais da Faculdade de Informática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). O software levou cerca de um ano e meio para ser desenvolvido e teve financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia. O software reproduz virtualmente o local onde ocorre o evento com a localização de portas, banheiros, lanchonetes e faz as previsões sobre o tempo de descolamento, além da porcentagem de pessoas que ao término de um espetáculo artístico ou jogo se dirige para a saída, a parcela que passa antes em banheiros ou mesmo não se desloca imediatamente. Nome: Software da Receita Federal Foco: Agilidade em desembarque no país A Receita Federal pretende liberar, ainda neste ano, um aplicativo que permitirá ao turista que chega do exterior fazer a declaração de bagagem em smartphones e tablets antes mesmo de desembarcar no Brasil. Pelo projeto, ao chegar ao país, o usuário terá a facilidade de transmitir, por meio de uma rede sem fio, as informações que, no mesmo instante, entrarão na base de dados armazenados nos computadores da Receita Federal. A medida pretende facilitar a vida de turistas e funcionários da Receita, porque tornará mais rápidas as operações da fiscalização. Nome: Autodesk Green Building Studio Foco: Eficiência energética O software vem do AutoCAD 2013, da Autodesk Inc, e é uma geometria 3D exportada para uma ferramenta virtual na nuvem chamada Autodesk Green Building Studio. Essa ferramenta calcula o consumo de energia do estádio para cada hora e dia do ano. O software permitiu à equipe de trabalho a visualização de aspectos diferentes do projeto na nuvem, facilitando a colaboração e a troca de informações, o que lhes permite verificar o espaço interno e pequenas mudanças exigidas durante o trabalho em qualquer ponto do projeto. Essa ferramenta calcula o consumo de energia do estádio para cada hora e dia do ano. Com construções sendo responsáveis por 40% do carbono lançado na atmosfera, amenizar os efeitos do setor no aquecimento do planeta é essencial. Nome: SIGERBAR 56

57 Foco: Alimentação/Tradutor A tradução de cardápios dos empreendimentos do setor é a estratégia que já está sendo realizada visando a atender bem os turistas que virão para os jogos da Copa. Os donos de restaurantes atendidos pelo programa podem escolher a tradução entre seis idiomas: inglês, espanhol, italiano, francês, alemão e árabe. As características do software são: acesso por senha, definição de permissão individual por funcionário, cadastro de produtos, clientes, entregadores e fornecedores, controle de clientes, convênios, comanda, entregas, estoque e caixa, controle de contas a pagar e cheques a receber, relatórios diversos, impressão de comandas, etc. Nome: GOALCONTROL Foco: Jogos O objetivo deste software é verificar se a bola atravessou a linha do gol. O sistema da Goalcontrol utiliza 14 câmeras sete para cada gol montadas sob a cobertura do estádio. Um software especial cria imagens 3D da posição da bola em relação ao gol. O sistema pode ser aplicado após a Copa em outras áreas, como, por exemplo, monitoração de infrações de trânsito pela regra de estacionar a 50 cm do meio fio. Nome: GEOFONE Foco: Segurança Um sistema formado por câmeras de monitoramento e GPS, equipamentos tecnológicos de localização por satélite, usado em Indaiatuba (SP) permite que suspeitos de roubo de veículos e tráfico de drogas, por exemplo, sejam localizados de forma mais ágil. O software de monitoramento de placas fiscaliza sozinho, sem a necessidade de funcionários, as placas de todos os veículos que entram e saem da cidade. Se a placa de um automóvel suspeito for inserida no programa, quando ele for flagrado por alguma das câmeras de monitoramento, um alarme é acionado dentro do centro de operações e as viaturas são acionadas. Ampliação dos serviços de Internet 4G facilitar e aumentar a velocidade de transmissão de dados. As cidades do Brasil preveem receber, em média, 3 milhões de turistas e centenas de equipes de jornalistas. Todos estarão portando gadgets modernos e com capacidade imensa de produzir imagens e vídeos digitais que serão enviados para todos os lugares do mundo por redes de telefonia fixa, celular e outras formas de transmissão. As cidades brasileiras que não modernizarem suas infraestruturas de TI e Telecom correm o risco de ter a imagem desgastada frente a bilhões de pessoas. 57

58 Componente Curricular: Inglês Instrumental Professor: Luciana Grossmann Araújo A importância do Inglês Copa A língua inglesa é uma forma de comunicação mundial, o que permite a interação entre as nações de todas as partes do mundo, desde uma simples informação até uma grande negociação internacional. Com o fenômeno da globalização e, principalmente, com a realização da Copa do Mundo 2014 no Brasil, nós temos necessidade de sabermos nos comunicar em inglês, nem que seja o básico para prestar informações aos turistas. O evento vai trazer pessoas de diferentes países ao Brasil e poderemos, de alguma forma compartilhar experiências. O mais importante, no entanto, é podermos auxiliar na orientação aos turistas. Em seguida, teremos as Olimpíadas 2016, outro evento esportivo de abrangência mundial. Portanto, o inglês nunca foi tão necessário no Brasil. Certamente, esses dois eventos esportivos, de proporções tão grandes, vão gerar diversas oportunidades de emprego no país, e quem tiver domínio da língua inglesa levará vantagem. 58

59 Componente Curricular: Inteligência Competitiva Professor: Carina Ribas Furstenau Origens e destinos das seleções nas datas de jogos em Porto Alegre Porto Alegre irá receber para a Copa do Mundo 2014 três seleções do estado de Cuiabá, duas vindas de Belo Horizonte e três de Curitiba. A seleção cabeça de chave virá de Belo Horizonte. A partida pelas oitavas de final está marcada para 30 de junho na capital gaúcha, Porto Alegre. Em Curitiba tem 3 partidas com sequência de visitação, ou 4, dependendo da classificação do grupo H, seguirão na sequência para Curitiba, na terceira rodada, a seleção H2, provavelmente uma seleção europeia, a mesma seleção H2, caso se classifique em segundo lugar em seu grupo, poderá jogar em Curitiba ou Porto Alegre para a oitava de final. Podendo de grande vantagem para a região Sul. A relação com Curitiba e o Estado de Santa Catarina Tanto Porto Alegre como Curitiba tem três partidas em sequência, talvez quatro, conforme a classificação do grupo H. Entre essas seleções, estão duas do pote 4, provavelmente equipes da África ou Ásia. Na terceira rodada, a seleção H2, caso haja classificação, em segundo lugar em seu grupo, irá fazer a rota Curitiba-Porto Alegre para a oitava de final. Esta seleção poderá ser o maior cliente do circuito sul durante a copa. Santa Catarina, pelo fato de ter ótimas cidades com boa infraestrutura, deveria se colocar como alternativa para o deslocamento, também rodoviário, de torcedores entre Porto Alegre, Curitiba e até mesmo São Paulo. O fator Zona de Exclusão Fifa No entorno do estádio Beira-Rio, às vésperas dos jogos, somente serão expostos patrocinadores credenciados pela FIFA, que comercializarão seus produtos. Para tanto, o trânsito da área de acesso, que fica entre a Avenida Padre Cacique e o Estádio Beira-Rio, ficará suspenso, sendo área restrita durante o período do evento. Impacto nos bairros de Porto Alegre Aeroporto, Centro Histórico de Porto Alegre, Estádio Beira-Rio, Cidade Baixa, Praia de Belas, Menino Deus, Santa Tereza e Cristal, além do Moinhos de Vento e o Parque Farroupilha, deverão ser os locais de maior movimento durante os jogos na capital gaúcha. Segmentação e número de turistas Em um cenário básico, sem jogos de Argentina e Uruguai em Porto Alegre, chegou-se a uma estimativa de que turistas únicos (indivíduos) deverão passar por Porto Alegre, sendo que desses, seriam estrangeiros entre 12 de junho e 02 de julho. A 59

60 média diária de permanência seria de turistas exclusivos da Copa na cidade, com picos de e nos dias 25 e 30 de junho. Em um cenário conservador, mais de 557 mil turistas exclusivos da Copa se repetem durante os 21 dias em Porto Alegre, demandando por produtos e serviços. A presença da seleção argentina no quarto jogo (sendo cabeça-de-chave F1), ou nas oitavas-de-final, elevaria a média diária de turistas exclusivos em Porto Alegre em mais de 30%, com um pico de 69 mil no dia 25/06 ou acima de 80 mil em 30/06. Já com a presença da seleção uruguaia no quarto jogo (sendo cabeça-de-chave F1) ou nas oitavas-de-final, elevaria a média diária de turistas exclusivos em Porto Alegre em cerca de 6%, com um pico em torno de 50 mil no dia 25/06 e 54 mil em 30/06. Overpricing O overpricing é a majoração dos preços de determinado produto, geralmente pela análise do poder aquisitivo do cliente. Por exemplo: Uma loja de roupas populares oferece uma blusa da novela por R$10,00, mas sem colocar a etiqueta de identificação. Quando chega uma senhora cheia de joias, mostrando um poder aquisitivo mais elevado, o vendedor diz que a blusa custa R$40,00. Na Copa do Mundo poderá ser praticado tanto na hotelaria, principalmente quando começar a se aproximar a taxa máxima de lotação dos hotéis, como também em restaurantes, serviços de transporte e serviços em geral. No comércio também pode ocorrer, principalmente no comércio de rua e no comércio de pequeno porte próximo a hotéis e corredores de circulação. A prática do overpricing deve ser prevenida, coibida e combatida pelos órgãos legais de fiscalização e entidades representativas de comércio e serviços, hotéis e restaurantes. Legados para Porto Alegre Os complexos esportivos do Beira-Rio e da Arena do Grêmio devem mudar o perfil dos bairros em que se localizam, consolidando novas vocações para a cidade, principalmente nesses bairros. Além disso, o ganho de eficiência no trajeto aeroporto-região central da cidade, assim como as melhorias de mobilidade urbana, trarão maior eficiência a produtos e serviços e ajudarão no processo de revitalização na melhoria de logística na parte central da cidade. Os corredores comerciais também vão adquirir novos turistas por conta da Copa do Mundo e tenderão a se consolidar e se organizar, criando dinâmica própria e melhorando a qualidade urbana da cidade. Cronograma FIFA - Definição da lista final de CTS; - Os representantes das seleções nacionais poderão conhecer os locais aprovados pelo Comitê Durante 2013 Organizador; - A escolha definitiva das seleções só ocorrerá após o sorteio final, previsto para dezembro de 2013; - Os Campos Oficiais de Treinamento (COT) e hotéis oficiais também obedecerão a mesma regra. 15 de junho 2013 Abertura da Copa das Confederações da FIFA Brasil de junho 2013 Final da Copa das Confederações da FIFA Brasil de junho 2014 Abertura da Copa do Mundo da FIFA Brasil de julho 2014 Final da Copa do Mundo da FIFA Brasil

61 Possibilidades de cidades do RS serem CTs (Centro de Treinamentos) A maior possibilidade é o Rio Grande do Sul sediar duas seleções, levando-se em conta a questão climática e o fator competitividade. Questão climática - Apesar de ser um elemento complicador para as cidades serem mais atrativas, podem se tornar mais interessantes para seleções da região do Prata (Argentina e Uruguai), e Chile, que já virão de uma pré-temporada em seus países, com clima semelhante, e para seleções europeias, pelo fato de estarem acostumadas com temperaturas mais baixas. Competitividade - Comparadas a outras cidades brasileiras, algumas cidades do RS são competitivas em termos de infraestrutura esportiva e de preparação para eventos internacionais. Número de seleções no circuito da Região Sul - Doze seleções estarão jogando no circuito Porto Alegre-Curitiba, sendo duas seleções cabeça-de-chave (B1 e F1). Dessas, muito possivelmente, três serão seleções europeias, três seleções sul-americanas e quatro do grupo Ásia África CONCACAF Oceania. Alguns pontos fortes das cidades analisadas e candidatas a CTs. Caxias do Sul A cidade já tem quase toda a infraestrutura pronta, com a vantagem de possuir aeroporto; Bento Gonçalves A cidade conta com o Hotel & Spa do Vinho, estrutura para turismo e possui tradição em receber equipes esportivas; Canoas Instalações esportivas e facilidades do Complexo ULBRA, proximidade de Porto Alegre; Viamão Proximidade de Porto Alegre e logística aérea; Gramado Infraestrutura e experiência em receber turistas e eventos; Canela Isolamento, rede hoteleira competitiva; Pelotas Campo de treinamento Fragata F.C.; localização estratégica para Uruguai. A metodologia da inteligência competitiva pretende, com as melhores práticas internacionais em inteligência competitiva, coletar informações primárias e secundárias para a formação de tópicos de inteligência e análise, aliada ao contexto da dinâmica econômica e urbana. Exemplos de algumas práticas: Curitiba está investindo em práticas relacionadas à segurança, agenda bilateral com outros países e referência nas ações de acessibilidade. Brasília tem como foco o setor privado (turismo rede hoteleira), planejamento da cidade a fim de aplicar zona de exclusão e logística. 61

62 Belo Horizonte está referenciando as ações de acessibilidade, estratégica política e desenvolvendo o marketing da cidade. Referência para o evento conforme a Copa na África: O número de turistas estrangeiros esperado para a Copa da África era em torno de 450 mil, incluindo os profissionais da FIFA. Esses dados fizeram com que a estimativa fosse ultrapassada. Como estratégia, essa informação nunca foi divulgada oficialmente. Dos turistas, 83% eram do sexo masculino, 60% eram solteiros e 86% possuíam ensino superior. É muito importante a presença da mídia nas cidades para melhor divulgar a cultura do país. Da mesma forma, é de extrema importância a divulgação dos pontos turísticos, rede hoteleira, praça de alimentação, shoppings, redes de saúde para melhor localização e deslocamento dos turistas. Impacto da questão climática: A diversidade cultural e climática do país é uma oportunidade para fixação do diferencial de Porto Alegre na lembrança dos turistas. Isso também nos traz uma mudança de hábitos e redução na demanda do comércio e serviços. Como a copa será em um mês frio no Estado, as atividades em relação ao evento deverão se desenvolver em ambientes com proteção térmica ou coberta. A expectativa é de que a demanda nos shoppings aumente consideravelmente. Os lugares mais pontuados de Porto Alegre para a realização de FAN FEST são: Largo Glenio Peres ou Chafariz do Parque Farroupilha. Oportunidades para o comércio: Devido ao clima frio da estação na cidade, é recomendada a venda de mantas e cachecóis com mensagens de boas vindas, divulgação das festas regionais. 62

63 Componente Curricular: Introdução à Gestão Empresarial Professor: André Rauter Oportunidades de negócio e desenvolvimento empresarial na Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 no Brasil A Copa do Mundo de Futebol FIFA, que se realizará em 2014 no Brasil, é mais do que um megaevento esportivo: é uma oportunidade para a abertura de novos negócios e para o desenvolvimento das empresas brasileiras. Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo turístico, cobertura pela mídia, construção de instalações e geração de impactos políticos, econômicos e tecnológicos. Dessa forma, assumem magnitude global gerando expectativas e demandas que exigem preparação e investimentos anteriores ao evento. Os investimentos e os gastos associados ao evento, considerando seu volume, natureza e momento, podem ser visualizados em três fases distintas: pré-evento, evento e pósevento. Essas fases têm algumas características apresentadas a seguir: PRÉ-EVENTO: fase anterior à realização do evento, na qual são realizados investimentos para estruturação e adequação do país a fim de receber o megaevento. Os impactos econômicos dessa fase têm dimensão temporal finita. EVENTO: fase caracterizada, primordialmente, pelos gastos dos visitantes e turistas nas atividades relacionadas com o megaevento e com o turismo. No caso da Copa do Mundo FIFA 2014, essa etapa tem início em 2013, com o fluxo turístico decorrente da promoção da Copa das Confederações, e término em 2014, com a realização da Copa. PÓS-EVENTO: legado deixado pelo megaevento, em termos de infraestrutura, exposição na mídia internacional, aumento do fluxo turístico, etc. Os impactos econômicos dessa fase podem ter a dimensão temporal infinita, dificultando a sua mensuração. Fica, assim, evidente que as oportunidades para a criação de novos negócios e para o desenvolvimento empresarial brasileiro não estão limitadas somente ao período da realização da Copa do Mundo Segundo Cecconello e Ajzental (2008), as oportunidades de negócios são observáveis por meios de sinais emitidos pelo mercado ou visualizadas pelo empreendedor (necessidades, expectativas ou intenções por parte de compradores/ consumidores). As oportunidades de negócio estão associadas a novas funções para produtos ou serviços existentes, variação de demanda aparente (positivas ou negativas), indicadores de atratividade, perspectiva de demanda futura e outras formas de oportunidade identificadas. Nesse contexto de visualização e explicitação das demandas, o SEBRAE mapeou, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas FGV, 929 oportunidades de negócios nas 12 cidades-sede da Copado Mundo 2014 e os requisitos que as empresas precisam ter para 63

64 comercializar produtos e serviços. As oportunidades estão distribuídas em vários setores da economia, que vão desde a construção e reforma de arenas e hotéis até o fornecimento de produtos orgânicos para supermercados, bares e restaurantes, que poderão divulgar a qualidade dos produtos brasileiros e o planejamento e a realização de ações de marketing para empresas de todos os portes e dos mais diversos segmentos: agronegócios; artesanato; comércio varejista; construção civil; economia criativa (souvenir, cultura, entretenimento, gastronomia como identidade culinária local); madeira e móveis; moda (têxtil e confecções, couro e calçados, gemas e joias); serviços; tecnologia da informação. A visualização das oportunidades, por parte dos empreendedores, é etapa imprescindível para a criação de novos negócios e desenvolvimento das empresas, entretanto não é a única. A elaboração de um plano de negócio é uma etapa importante para uma tomada de decisões, com maior probabilidade de sucesso. Segundo Chiavenato (2008), o plano de negócio nada mais é do que um planejamento antecipado pelo qual um possível empreendedor, baseado em um conjunto de dados e informações sobre um determinado negócio, procura viabilizar uma ação de seu interesse. Basicamente, o plano segue uma rotina de previsão, programação, coordenação e controle de uma sequência lógica de eventos com o intuito de alcançar sucesso em determinado negócio. Nesse contexto de novas possibilidades para geração de negócios por conta do evento Copa do Mundo 2014, em suas fases pré-evento, evento e pós-evento, considerando os segmentos demandados identificados, sob uma perspectiva de empreender de forma planejada e qualificada, os estudantes do componente curricular Introdução à Gestão Empresarial dos Cursos Superiores de Tecnologia do Tecnodohms (Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms) foram desafiados a buscar informações inéditas para serem apresentadas no XI Momento Acadêmico, Copa do Mundo TIC, Gestão, Logística e Segurança. A seguir, estão apresentadas as contribuições dos estudantes: 1. Estacionamento Aero Safe Park Escolhemos o estacionamento do aeroporto porque a Copa das Confederações vai gerar mais de mil vagas de estacionamento em 33 aeroportos e oito bases aéreas do país, conforme dados divulgados pela Secretaria de Aviação Civil. A maior parte das vagas estará nas capitais que receberão o evento, como Porto Alegre. No Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, a empresa Safe Park é quem gerencia o serviço de estacionamento, que inaugurou em março de 2007, em frente ao mesmo. Trata-se de uma opção para quem vai viajar de avião e concentra vantagens para o passageiro. Hoje, os serviços oferecidos são os seguintes: 64

65 Sala VIP: onde os usuários do Aero Safe Park podem usufruir de uma sala VIP enquanto aguardam seu vôo, com sofás e ambiente climatizado. Revisão autorizada: o usuário pode solicitar a revisão e consertos do seu carro durante a viagem. Lavagem: os usuários têm ainda, à disposição, a lavagem de carros com diversos tipos de serviços. Transfer gratuito e contínuo: vans disponibilizadas 24 horas por dia, que circulam continuamente, realizando o transporte dos usuários. O estacionamento é voltado para qualquer pessoa portadora de veículo que deseje usufruir do estacionamento ao realizar uma viagem ou aguardar a chegada de parentes e/ou amigos, desfrutando do conforto dos serviços oferecidos. Antes da Copa, projeta-se que além das concessionárias de automóveis, outras empresas estarão dentro do Aero Safe Park. A rotatividade de clientes terá fluxo intensificado durante a Copa devido ao aumento de turistas que virão a Porto Alegre. Após 2014, o Aeroporto Salgado Filho ainda estará passando por reformas para ampliar a pista e melhorar os serviços oferecidos para os usuários. Com isso, o aumento de clientes do estacionamento também terá crescimento significativo. O Aero Safe Park tem dois principais concorrentes: o estacionamento interno do aeroporto e o Stop & Park, localizado também nas proximidades do Salgado Filho. Fontes: Site: Site: Site: 2. BlpdSeguranças Segurança Pessoal Privada Contratar um segurança particular, muitas vezes, é o único recurso para se manter protegido ou realizar atividades cotidianas de maneira mais segura. Na Copa do Mundo Brasil 2014 não será diferente. Com o grande índice de criminalidade, buscamos segurança para turistas e os próprios brasileiros que estejam participando desse evento. Nossos seguranças particulares têm habilidade suficiente para realizar o serviço, uma vez que podemos destacar alto equilíbrio emocional, preparo físico técnico e estratégico, além de ter o conhecimento de ao menos uma língua estrangeira. O trabalho é feito de maneira eficiente e evita constrangimentos a quem contrata, pois saberá como e quando agir, bem como tratar respeitosamente o cliente. A maior vantagem que oferecemos é que, ao menos um de cada equipe particular, poderá servir como tradutor oficial de idiomas. A empresa funcionará de acordo com o serviço pedido. Conforme o número de pessoas, o grupo de segurança poderá agir de maneira diferente. Nossa empresa prestará o serviço conforme solicitado pelo cliente. Em caso de cliente estrangeiro, desde o momento em que o mesmo chegar a um dos aeroportos do Brasil; se o cliente for brasileiro, desde o momento em que for marcado o dia especificado no contrato. A segurança acompanhará o grupo de pessoas durante o dia inteiro, com a possibilidade de troca de turnos se o cliente contratou serviço 24 horas. Temos convênios com empresas aéreas, juntamente com serviço de hotelaria. Nosso diferencial é que abrangemos somente a segurança pessoal privada. 3. Rede Hoteleira 65

66 Diferencial: Planejamento mobilidade entre os hotéis e locais culturais da cidade; Central de informação sobre a Copa; Parceria de redes hoteleiras com empresas de segurança privada; Mapeamento dos eventos da Copa; Convênios com agências de turismo; Culinária local e brasileira. Planejamento Mobilidade hotéis e cultura cidade: No espaço livre entre os eventos da Copa, o turista pode aproveitar para conhecer os pontos turísticos e a cultura da cidade. Os hotéis apresentariam pacotes com transporte, guia e roteiros de visitação. Assim, também aumentaríamos o capital da cidade com a venda de lembranças locais. Central de informações sobre a Copa: Os hotéis teriam na recepção o cronograma da sua cidade, com os horários dos jogos, locais, distância e localização. Parceria das redes hoteleiras com empresas de segurança privada: Com a maior circulação de turistas para a Copa, os hotéis fortaleceriam o quadro de segurança, disponibilizando equipes para acompanhamento dos visitantes nos passeios. Mapeamento dos eventos da Copa: Informaríamos diversos eventos ligados à Copa. Jogos, exposições, debates, etc, com a divulgação de datas, horários, locais e distância entre eventos. Convênios com agências de turismo: Haveria parceria com agências de turismo, tendo um quiosque para a venda e informações sobre passagens aéreas dentro do próprio hotel, dando comodidade para os hóspedes. Culinária local e brasileira: Investimento na culinária brasileira e local, tendo grande Buffet para apreciação de cafés coloniais, chás da tarde. Pesquisa de investimento na rede hoteleira de Porto Alegre: Até meados do próximo ano, a capital gaúcha deverá ampliar em 31% sua capacidade hoteleira, de 16 mil para cerca de 21 mil leitos. Até o final de 2014, serão pelo menos oito novos empreendimentos, e há mais seis projetos prontos para sair do papel. As novas construções colocam a capital gaúcha em situação crítica de competição para modalidade econômica e arriscada para a categoria de preços medianos, conforme o mais recente 66

67 Placar da Hotelaria, organizado pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil e pela consultoria HotelInvest. Em um mês, o Sindicato dos Hotéis de Porto Alegre (SHPOA) irá divulgar estudo que projeta ocupação média inferior a 50% em 2015, considerando o atual ritmo de lançamentos em relação ao crescimento esperado no número de turistas. Risco do investimento tende a crescer: Diante do aumento do turismo e da perspectiva de o país receber 600 mil visitantes durante a Copa, o investimento em hotéis passou a atrair pequenos aplicadores. Chamada de condo-hotel, a modalidade envolve a compra de quartos no lançamento, com remuneração conforme ocupação futura. O aporte inicial varia de R$ 250 mil a R$ 350 mil, e a promessa de rentabilidade chega a 1,4% ao mês. Para alavancar os investimentos na hotelaria nacional, o Ministério do Turismo está concluindo um projeto junto com o BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que prevê uma linha de financiamento que deverá ficar entre R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão para a construção e modernização de hotéis no Brasil. De acordo com o Ministro Luis Barretto, o financiamento está sendo estudado para beneficiar sem muita burocracia os pequenos e médios meios de hospedagem, assim como as empresas do setor de turismo. Estamos discutindo diversas opções de construção e reforma do parque hoteleiro que garantam sustentabilidade ambiental e econômica para as cidades, revela Barretto. egundo ele, os prazos atuais dos financiamentos deverão ser alongados, e a expectativa é de que os empréstimos sejam concedidos com prazos de 15 a 20 anos, com uma linha de juros mais baixos. A demanda hoteleira em outras capitais: Fontes:

68 4. Acessibilidade ainda é desafio para a Copa Especialistas mostram que deficientes terão problemas já na chegada ao país. Desde agosto de 2009, o Brasil é signatário da Convenção Internacional sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Na prática, isso significa que as autoridades brasileiras se obrigam a respeitar a dignidade, a autonomia, o direito ao trabalho e de acessibilidade para todas as pessoas com alguma deficiência física. Enfim, é lei e deve ser cumprida. No entanto, os preparativos do Brasil para a Copa de 2014 mostram que, à exceção dos estádios, as cidades não estarão prontas para receber turistas e torcedores que tenham algum tipo de deficiência. Esse panorama ficou evidente durante o evento Copa for All, realizado nesta semana no Teatro Vivo, em São Paulo, com a participação de arquitetos, engenheiros, especialistas na legislação sobre deficientes e dezenas de representantes de empresas e organizações que trabalham com o tema. No primeiro dia de trabalhos, os arquitetos responsáveis pelas arenas de Brasília (Eduardo de Castro Mello), Porto Alegre (Maurício Santos) e Salvador (Marc Duwe) apresentaram suas propostas para garantir a acessibilidade nos estádios. Aqui um primeiro desafio: leis e normas divergem quanto ao número mínimo de lugares acessíveis obrigatório em cada estádio. Se aplicada a visão mais conservadora, o Estádio Nacional Mané Garrincha, por exemplo, teria pouco mais de pontos para deficientes; ou quase lugares adaptados, se prevalecer a norma técnica que preconiza um mínimo de 4% de lugares para esse público. Aeroporto e calçadas A acessibilidade nos aeroportos também mobilizou a plateia após a exposição do arquiteto Carlos André Kuniyoshi, sobre as ações da Infraero para melhorar o conforto dos passageiros deficientes nos embarques e desembarques nos aeroportos brasileiros. Kuniyoshi mostrou várias intervenções de adaptações em banheiros, pontes de embarque, saguões e balcões, e explicou que essas alterações são relativamente recentes na maior parte dos aeroportos do país. O representante da Infraero esquivou-se de responder sobre a acessibilidade nos ônibus que atendem aos aeroportos, "por se tratar de serviços administrados por autoridades municipais ou estaduais". O tema das calçadas foi abordado por Fábio Batista, Julie Nakayama e Ricardo Sigolo, que representaram a ONG Guardiões de Calçadas. Eles mostraram o trabalho que realizam há algum tempo para avaliar as calçadas da capital paulista, observando a qualidade dos pisos, a manutenção das rampas de cadeirantes e a existência de sinalização adequada. Sigolo lembrou que são raríssimos os cruzamentos com sinalização sonora para orientar pessoas com deficiência visual, como é seu caso. Fábio e Julie relataram o resultado de sua campanha para a melhoria das calçadas da Av. Paulista, que se tornaram referência em todo o país. Na quarta-feira (13), os debates foram centrados em programas e tecnologias que facilitam o chamado turismo adaptado, que permite viagens de pessoas com deficiência, com conforto e segurança. Segundo Edison Passafaro, coordenador de mobilidade e inclusão da ABIH-SP, os megaeventos exigirão uma infraestrutura das 12 sedes do Mundial para atender os turistas. "Outras cidades, com atrativos turísticos e de negócios, também serão alvo de interesse desses visitantes e devem se preparar. Além do selo, a parceria entre as duas entidades prevê também um programa contínuo de 68

69 sensibilização e capacitação sobre as necessidades de funcionários e clientes com características físicas e sensoriais especiais. Para Bruno Omori, presidente da ABIH-SP, é preciso seguir o conceito internacional de Desenho Universal na execução dos projetos de novas edificações. "É possível viabilizar a implantação de políticas empresariais que permitam a inclusão econômica e social das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida", afirmou. Iniciativa inédita permite que surdos acompanhem a Copa do Mundo. Pela primeira vez, os surdos contam com a ajuda da tecnologia closedcaption (subtitulação por meio de legenda oculta) para acompanhar os jogos da Copa do Mundo. A medida é uma forma de incluir as pessoas com surdez em eventos esportivos. O uso da língua portuguesa sob forma de legenda durante a programação televisiva já ocorre há algum tempo em telejornais, filmes e novelas, mas em partidas de futebol é uma inovação. É um programa de inclusão social muitíssimo importante porque há mais de cinco milhões de pessoas com problemas de surdez no país, leve ou moderada. A legenda é um recurso que permite um amplo acompanhamento de tudo que está acontecendo e auxilia também os idosos que se tornam surdos com a idade, comenta Marlene Gotti, assessora técnica da Secretaria de Educação Especial (Seesp/MEC). Segundo o Decreto Nº 5.296, de 2004, os surdos devem ter acessibilidade aos sistemas de comunicação por meio da participação de intérpretes ou o uso de legendas em programas televisivos. Em dezembro do ano passado, foi editado o Decreto Nº 5.626, que prevê a inclusão de professores de libras no ensino superior e atendimento diferenciado no Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja, as leis agora estão atendendo aos direitos dos surdos. A pessoa surda é definida como alguém com perda auditiva, que compreende e interage com o mundo por meio de experiências visuais e pelo uso da língua brasileira de sinais (Libras). A língua portuguesa é considerada a segunda língua. Fontes: MINISTÉRIO DAS CIDADES CRIA GRUPO DE TRABALHO SOBRE ACESSIBILIDADE EM AEROPORTOS. Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos convidará órgãos para integrar ações nas cidades-sede da Copa de Em reunião na última quinta-feira (22/03), o Ministério das Cidades acertou a criação de um grupo de trabalho para definir planos de acessibilidade nos aeroportos das 12 cidadessede da Copa do Mundo FIFA O secretário nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos, Norman Oliveira, ressaltou a agilidade que o processo precisa ter, pois a maioria dos aeroportos que sediarão o evento já têm projetos definidos e alguns se encontram em obras. O objetivo é tornar os aeroportos o mais acessível possível, afirmou. A secretaria está convidando os órgãos a encaminhar representantes técnicos para constituição do grupo. Devem participar também o Ministério do Planejamento e a Secretaria de Aviação Civil. Em função da importância do tema e do curto tempo para a tomada de decisões, o grupo realizará encontros quinzenais. Fontes: Ministério das Cidades 69

70 Governo de Mato Grosso apresenta condições de acessibilidade nas obras da Copa do Mundo. A Arena Pantanal, apesar de ser uma arena bem contestada de sua utilidade após a Copa, está com sua acessibilidade em dia. O estádio, as ruas e calçadas do entorno respeitarão os critérios de acessibilidade e receberão sinalização adequada para pessoas com deficiência. Os acessos ao interior do estádio, sanitários, rampas de acesso ao campo, tribuna de imprensa, estacionamento, bares e restaurantes também serão inclusivos, facilitando a locomoção das pessoas com mobilidade reduzida. Os 16 elevadores do estádio terão botões em braile e aviso sonoro. Haverá 62 lugares nas arquibancadas para cadeirantes, incluindo assentos para acompanhantes. Há ainda 52 cadeiras para pessoas com mobilidade reduzida e outras 52 para obesos. Os balcões dos bares e restaurantes serão dimensionados para atender pessoas com deficiência, bem como a área Vip, seguindo as normas brasileiras e internacionais de acessibilidade. A Arena Pantanal foi concebida a partir de modernos conceitos de funcionalidade e sustentabilidade social, financeira e ambiental, espelhada em modelos europeus. O projeto já recebeu vários prêmios, inclusive um internacional e foi elogiado por instituições ligadas à arquitetura nacional. Fonte: Secopa/ MT Cardápio em braile nos restaurante da Copa 2014 A Universidade do Estado do Amazonas (UEA - antiga UTAM), na palestra do Business Executive Coach Jerson Aranha de Oliveira Junior, chamou a atenção dos profissionais da construção civil para o cumprimento da legislação brasileira que trata da acessibilidade do espaço físico dos imóveis a serem construídos no Amazonas. Alertou os donos de estabelecimentos comerciais, como os restaurantes, em disponibilizar cardápios em braile para pessoas com necessidades visuais. Esse alerta faz parte dos preparativos da cidade de Manaus que será subsede da Copa do Mundo de 2014, que deverá estar pronta para receber turistas e torcedores com algum tipo de deficiência. A acessibilidade é definida como a condição para utilização com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação por uma pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida. Apesar das leis, pessoas com deficiência visual ainda encontram muita dificuldade em ter seu direito garantido. Além disso, a maioria dos funcionários desses estabelecimentos não está preparada para atender este público, concluiu o palestrante. Sinalização em braile para a Copa ainda indefinida O Comitê Organizador Local da Copa de 2014 ainda não decidiu em que idioma serão colocadas as sinalizações em braile nos estádios da Copa. Em princípio, deverão estar em português, o que pode provocar transtornos aos turistas estrangeiros. A colocação de piso em relevo para cegos também está em aberto. 70

71 Fonte: Qualificação dos profissionais tem como objetivo melhorar atendimento nos terminais brasileiros que terão crescimento da demanda, principalmente, com a Copa do Mundo de A Infraero concluiu os cursos de Língua Brasileira de Sinais (Libras) para os funcionários do Aeroporto Internacional de Recife (Gilberto Freyre Guararapes) na última semana. A qualificação dos profissionais teve como objetivo formá-los na comunicação com deficientes auditivos, de acordo com as diretrizes da Política de Acessibilidade da Infraero e o disposto na legislação brasileira. A capacitação integra os planos do governo para melhorar a qualidade do atendimento aos passageiros, cuja demanda vai aumentar com a aproximação da Copa do Mundo de Em Recife, o curso, do qual participaram 17 funcionários, foi realizado em dois módulos separados, um com duração de três dias e outro de dois dias. As aulas foram ministradas por professores da Universidade de Pernambuco (UPE), especializados em acessibilidade, adequando os conhecimentos para o universo aeroportuário. Em 2012, Recife também realizou encontros mensais para os alunos do curso, buscando aprimorar a utilização da linguagem de sinais em situações de atendimento. É muito importante que o curso não termine aqui. Todos os empregados, fora do trabalho, são cidadãos que estão se comunicando com surdos e ampliando cada vez mais esses conhecimentos, pontuou Luiz Albérico Falcão, coordenador e professor do Projeto Libras na UPE e um dos orientadores do curso de Libras no aeroporto. A superintendente do Aeroporto de Recife, Elenilda Cunha, destacou os esforços da Infraero em busca da acessibilidade. A empresa vem intensificando as ações na área de acessibilidade, de atendimento às pessoas com deficiência, tendo em vista o aumento da demanda nos aeroportos e também a proximidade da Copa e das Olimpíadas. A iniciativa busca atender essa necessidade, com ênfase no respeito a todos os usuários do aeroporto, destacou Elenilda. Fonte: Trabalhadores aprendem técnicas de atendimento ao deficiente, legislação sobre acessibilidade, formas de comunicação, alfabeto, números, cumprimentos e vocabulário de convivência. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) treina funcionários para que usem a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) nos aeroportos de Guarulhos, Porto Alegre e Florianópolis. A capacitação ocorre nos módulos básico e intermediário. Os funcionários aprendem técnicas de atendimento ao deficiente, legislação sobre acessibilidade, formas de comunicação, alfabeto, números, cumprimentos e vocabulário de convivência. Também são treinadas respostas às perguntas mais frequentes, como onde ficam postos médicos, caixas eletrônicos, Juizado Especial, Polícias Federal, Civil e Militar, áreas de alfândega, praça de alimentação, banheiros e outros serviços disponíveis nos aeroportos. Fonte: 71

72 Ascom - Ministério do Esporte 5. Cardápios em tablets agilizam atendimento e atraem clientes A tecnologia chega aos tradicionais menus de restaurantes. Uma empresa de São Paulo desenvolveu o cardápio eletrônico para tablets. Na mesa, o cliente consulta as opções, escolhe o prato e o pedido vai direto para a cozinha. O restaurante, que ocupa a famosa esquina paulista, recebe os clientes com uma novidade no cardápio: o próprio cardápio. Cinco tablets substituem o cardápio de papel. O garçom mostra as opções de pratos e bebidas. Depois que o cliente escolhe, basta um simples toque na foto do produto e o pedido já vai direto para a cozinha. Você não perde tempo para tirar, anotar na comandinha, ir até o terminal. Então é tudo feito aqui na mesa, de frente para o cliente, afirma o garçom Giliarde José Marques. Álvaro Aoas, dono do restaurante, paga R$ 350,00 por mês para usar o aplicativo do cardápio digital e R$ 70,00 para cada tablet. O aplicativo tem outra vantagem: A qualquer momento, o empresário pode acrescentar ou retirar um prato, alterar o preço e fazer promoções. Comentário do grupo: Escolhemos esse modelo prático de cardápio eletrônico porque abrange todas as pessoas de diferentes países e cultura, agregando valores, facilitando e agilizando o atendimento, tornando-se eficaz. Esse modelo eficiente tem custos relativamente baixos. Esse valor agregado vai ser investido na gestão do restaurante, em função do aumento significativo do faturamento no período do evento (Copa de 2014), e também isso será uma possibilidade de promover o desenvolvimento do local em longo prazo. O maior foco é o retorno dos turistas. Será o momento de aproveitar o contato pessoal para ter indicações a terceiros. Se a percepção de valor for positiva, haverá um crescimento sustentável do turismo no país, até porque o turista recomendará a visita ao Brasil para outras pessoas de sua relação. Pensamos ser uma ótima possibilidade para alavancar os negócios no período de maior demanda, no caso a Copa do Mundo, agilizando o processo de entrega de benefício para o cliente. A customização do atendimento gera satisfação para o cliente na medida em que possibilita que os pedidos sejam feitos de maneira mais rápida do que se fossem feitos de forma convencional. A tecnologia empregada através do tablet proporciona vantagem competitiva ao restaurante, pois transmite para o cliente a ideia de inovação, o que acaba criando curiosidade no próprio cliente. O acesso facilitado ao cardápio também aumenta consideravelmente as chances de os clientes comprarem mais e com isso tornarem-se fiéis ao restaurante. Fonte: 72

73 Componente Curricular: Legislação Comercial Professora: Luciane Peters A Lei Geral da Copa e a Proteção de Marcas A Lei /2012, ao tratar dos Direitos de Propriedade Industrial, suscita tratamento diferenciado devido às normas especiais à proteção de marcas relacionadas aos emblemas, lemas, mascotes das competições, dentre outros símbolos oficiais de titularidade FIFA (Federação Internacional de Futebol). O INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), órgão responsável pelo registro de marcas no Brasil, passa a registrar as marcas relacionadas à FIFA de alto renome e notoriamente conhecidas, conforme fulcro do art. 5º, 1º, I da Lei Geral da Copa, com efeitos até 31/12/2014. Nos termos da Lei 9.279/96 (Lei de Propriedade Industrial), marca é sinal visualmente perceptível que identifica e diferencia serviço ou produto, sendo que a lei de propriedade intelectual admite duas exceções ao princípio da especialidade, a primeira é a marca de alto renome e a segunda é a notoriamente conhecida. Com a Lei Geral da Copa, cria-se um regime especial aos procedimentos relativos a pedidos de registro de marca pela FIFA. Um dos critérios do regime são prazos inferiores e procedimentos distintos estabelecidos na Lei 9.279/96, como é o caso do art. 10 A FIFA ficará dispensada do pagamento de eventuais retribuições referentes a todos os procedimentos no âmbito do INPI até 31 de dezembro de 2014 e o I PI deverá, de ofício ou a pedido da FIFA, indeferir qualquer pedido de marca apresentado por terceiros que indique reprodução, imitação ou possa causar confusão ou associação não autorizada pela FIFA em relação aos símbolos de sua titularidade. A importância da marca de alto renome à FIFA significa que esta federação pode impedir legalmente que qualquer outra empresa faça uso dos seus nomes para qualquer modalidade, sendo a análise dos pedidos de forma rápida. Na prática, significa que, quando uma empresa normalmente leva quatro anos para obter registro de uma marca de alto renome, no caso da dona da Copa, os registros são feitos em no máximo quatro meses. Uma das questões que envolvem a implementação de uma estratégia de proteção de marcas é a dificuldade de se conseguir classificar as marcas de alto renome, e isso faz com que pouquíssimas sejam as marcas de alto renome a serem registradas, podendo-se citar, entre as marcas no mercado brasileiro, as que têm exclusividade semelhante: Coca- Cola, Pirelli, Itaú, Bombril, Havaianas, Sadia e Nike. A propriedade intelectual da FIFA consiste, basicamente, em marcas registradas, tais como FIFA, COPA DO MUNDO, COPA 2014, BRASIL 2014; nos designs (sejam eles registrados ou não) e nos direitos autorais de obras artísticas como o Pôster Oficial, o Emblema Oficial, o Mascote e a Identidade Visual das Competições. A FIFA desenvolveu e registrou uma série de logotipos, palavras, títulos, símbolos e outras marcas relativas à Copa do Mundo da FIFA 73

74 Brasil 2014, que serão utilizadas pela entidade ou por terceiros expressamente autorizados. A FIFA tem a obrigação de tomar medidas contra qualquer tipo de uso não autorizado de suas marcas em um contexto comercial. Se não agisse nos casos de infração às suas marcas registradas e obras protegidas por direitos autorais, a FIFA comprometeria o seu programa comercial. Os Parceiros Comerciais da FIFA só investirão na Copa do Mundo da FIFA se houver garantia de exclusividade de uso das marcas e de associação comercial com o evento. Se qualquer empresa pudesse fazer uso das marcas oficiais ou se associar à Competição de forma gratuita, não haveria motivos para se tornar um Parceiro Comercial da FIFA. Isso resultaria na inviabilidade de nomear Parceiros Comerciais, o que impediria a FIFA de receber os recursos necessários para manter os elevados padrões esperados para a realização de uma Copa do Mundo da FIFA. Por isso, a proteção das marcas para a FIFA é importante, pois investir tempo e recursos para proteger as marcas significa assegurar os fluxos de receitas que financiam as iniciativas de futebol e o desenvolvimento social da entidade, além de impedir produtos falsificados. Fontes: BARROS. Carla Eugenia Caldas. Manual de Direito da Propriedade Intelectual. Aracaju: Evocati, Denis Borges. A especialidade das marcas. Disponível: Acesso: 22 Abr Copa do Mundo da FIFA. Disponível: Acesso: 19 Abr LEI Nº , DE 5 DE JUNHO DE 2012 Lei Geral da Copa. LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 Lei de Propriedade Industrial. Marcos. Propriedade Intelectual do Software & Revolução da Tecnologia da Informação. Curitiba: Juruá,

75 Componente Curricular: Liderança e Ética Professor Valério G. Schaper Introdução Maior evento esportivo de alcance mundial de uma única modalidade (futebol), a Copa do Mundo retorna ao Brasil após 64 anos. O Brasil, único país a participar de todas as edições da Copa do Mundo e o maior detentor de títulos, sediará a Copa do Mundo de Não obstante o valor simbólico-cultural do evento, é inegável que se trata de evento com impacto expressivo sobre a infraestrutura do país e representa potencial gerador de atividade econômica. Em meados de 2009, foram escolhidas as 12 cidades-sede da Copa, as quais abrigarão jogos da competição: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Recife (PE) e Salvador (BA). A preparação destas cidades (aeroportos, acessibilidade, mobilidade, estádios, rede hoteleira, rede de restaurantes e aparelhos de lazer, etc.) encontra-se em franca atividade. A enorme exposição do país, proporcionada pela capacidade que tem o evento para mobilizar as mídias de todas as partes, não guarda uma relação direta com benefícios econômicos que serão gerados. Ainda que se possa dizer, com acerto, que a realização da Copa dinamizará negócios domésticos (restaurantes, hotéis, etc.), os resultados efetivos não são fáceis de estimar. Muitos analistas informam que as metodologias de cálculo costumam superestimar os benefícios. A complexa infraestrutura que precisa ser disponibilizada para o evento supõe inversões gigantescas do setor público. Considerando que o estado desempenha papel decisivo na mobilização e no financiamento destas obras, as consequências são imprevisíveis 75

76 (aumentos dos custos reais, superdimensionamento das necessidades, endividamento do estado, etc.). O fato é que a Copa está em curso. Os preparativos (adiantados ou atrasados, bem ou mal planejados) estão em andamento. O evento ocorrerá e as pessoas virão para os jogos e, eventualmente, para alguma viagem extra pelo país. As perguntas são muitas: O dinheiro público será bem gerido? As obras atenderão às necessidades imediatas e estão inseridas em um planejamento de utilização de médio e longo prazo? A manutenção da infraestrutura erguida foi devidamente dimensionada em relação à demanda regular do país? Esta infraestrutura é sustentável com recursos próprios? A ativação da economia tem o efeito exponencial de gerar nova dinâmica da produção? Essas perguntas são emolduradas por uma permanente questão: a ética. Ela emerge em cada uma dessas questões. A Copa do Mundo de 2014 coloca-se para Brasil como uma oportunidade de travar um jogo decisivo com a ética. e o jogo travado com a ética for um fair play, é certo que todas as atividades econômicas desencadeadas ensejarão um fair businness, cujos efeitos serão, estes sim, duradouros profundos. 1 - A infraestrutura a ser construída Ética e coisa pública Após a euforia inicial pós-anúncio de que a Copa do Mundo de 2014 seria realizada no Brasil, surgiu logo a preocupação com os gastos que a organização do evento demandaria. Autoridades do governo e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se manifestaram, em 2007, dizendo que esta seria a Copa da iniciativa privada. Quatro anos depois, o orçamento do Mundial cresceu 130% e as empresas vão pagar pouco mais de 1% dessa conta. Previsão de gastos com a Copa de 2014 cresce 130% em 4 anos. Algo semelhante já foi visto no Brasil. A organização dos Jogos Panamericanos previu gastos de R$ 414 milhões. No final, o evento custou R$ 3,7 bilhões aos cofres públicos. Em 2007, o então presidente da CBF afirmava que os gastos com a realização da Copa chegariam a R$ 10 bilhões. O Tribunal de Contas da União fez as contas e afirmou que os investimentos podem chegar a R$ 23,5 bilhões. A questão é quem pagará esta conta. A maior parte da conta será paga pelos bancos governamentais (BNDES e Caixa Econômica Federal) e a Infraero, responsáveis por boa parte da infraestrutura necessária para o 76

77 evento. A iniciativa privada não apresentou investimentos diretos no evento e os clubes ligados a alguns estádios que serão sede do Mundial devem investir R$ 336 milhões, o que equivale a 1,43% do total de investimentos. A previsão de gastos para a reforma ou construção de estádios no país também inflacionou bastante. Em 2007, falava-se em R$ 1,8 bilhão. No ano passado, o governo federal divulgou uma lista de projetos para a Copa, incluindo 59 obras, sendo 12 em estádios. O custo estimado dessas 12 obras chegava a R$ 5,3 bilhões, ou seja, 194% a mais do que a quantia prevista inicialmente. O valor destinado às arenas é o maior registrado em Copas do Mundo. A África do Sul, por exemplo, gastou R$ 3,9 bilhões para construir dez estádios, sendo alguns deles com projetos bem mais ousados que os brasileiros. A Rússia, que será sede da Copa de 2018, porém, já anunciou que deve gastar R$ 6,5 bilhões somente com estádios. De acordo com a lista divulgada em 2010, a Copa deveria custar R$ 17,5 bilhões. Em menos de um ano, o aumento na previsão de gastos foi de 34%, chegando aos atuais R$ 23,5 bilhões. Considerando os quatro anos desde a confirmação que o Brasil seria a sede do evento, essa previsão já aumentou 130%. E os orçamentos ainda não foram fechados. Outros, usando outra metodologia, estimam que os gastos cheguem a R$ 40 bilhões. Considerando as três últimas Copas (Japão-Coréia, Alemanha, África do Sul), que juntas gastaram R$ 75 bilhões, esta seria a mais cara das três últimas copas. Com tanto dinheiro em jogo, o Instituto Ethos criou o projeto Jogos limpos dentro e fora dos estádios, que visa a combater a corrupção na organização tanto da Copa do Mundo como dos Jogos Olímpicos. A iniciativa conta com R$ 5 milhões em investimentos para fiscalizar as ações do governo federal e divulgar informações para o público através do site. Conheça algumas projeções de investimento e da repercussão da realização do Mundial de 2014 no Brasil: 77

78 2 - A experiência de planejamento e organização pode gerar uma cultura inovadora de negócios. Pelo tamanho da Copa do Mundo e pela amplitude de áreas que envolvem a sua realização, esta experiência tem um potencial que tem sido pouco avaliado: a possibilidade de contribuir para uma mudança de paradigma na cultura organizacional brasileira. O país arrasta, injustamente, uma imagem que associa falta de planejamento, desorganização, incapacidade de antecipação. Há muitos exemplos de que esta imagem não representa toda a verdade. Anualmente, o Brasil realiza um evento festivo, de caráter popular, de grande beleza estética e de muita organização: o carnaval. Ao contrário do que se apregoa, o carnaval transcende a festa e firma-se como um evento empresarial de grande porte, demonstrando planejamento, organização, antecipação e criatividade extremas. Esta cultura precisa ser disseminada. Muitas ações têm sido orquestradas neste sentido. Ano passado, por exemplo, o SEBRAE lançou cartilha direcionada aos empresários, desafiando-os a inovar, tomando como foco de referência a Copa de As diversas oportunidades não estão restritas aos grandes grupos econômicos. Há muitas possibilidades para pequenos e microempresários. A cartilha do SEBRAE apresenta um mapeamento de várias frentes de possibilidades em que a inovação e o planejamento podem render não apenas bons negócios, mas, sobretudo, a oportunidade de experiência capaz de engendrar uma nova cultura organizacional. 3 - A imagem da cultura brasileira e o uso do esporte na economia Marketing e Ética Em relação ao marketing que a Copa do Mundo irá proporcionar, com certeza nosso país será muito influenciado. Vamos receber pessoas de todo mundo que irão conhecer nossa cultura, costumes, lugares, artesanato de diversas culturas do Brasil. Isso gerará uma grande demanda nos ramos de hotelaria, turismo, transportes, setor alimentício, além de empregos para o povo brasileiro. Devido a essa demanda, cresce a cada dia a procura por profissionais de todas as áreas e, quanto mais se aproximar a Copa, mais gente será necessária. Enfim, se o Brasil conseguir receber toda essa gente e fizer uma recepção digna, seremos bem vistos pelos outros países. Isso pode criar uma nova imagem do Brasil aos olhos dos 78

79 outros países. Isso pode influenciar diretamente o turismo e também gerar oportunidades para que empresas multinacionais venham a investir aqui no Brasil ou para que empresas brasileiras possam investir em outros países. Esta mudança é importante. Em geral, a imagem do Brasil é associada à de uma sociedade que é pouco séria, ordeira e planejadora. Nessa imagem trabalhada à exaustão pelas máquinas midiáticas do mundo todo a festa (carnaval) e a diversão (futebol, especialmente) são imagens reprisadas de forma a gerar os estereótipos que obstaculizam novas histórias. E quando a Copa terminar? Talvez, muitas pessoas que estavam empregadas durante a Copa percam seus empregos e, outra parte, talvez fique efetiva em empresas que prestaram seus serviços. A economia terá seus altos e baixos antes e após a Copa. Contudo, o melhor saldo seria o da mudança da imagem da sociedade brasileira, vinculando-a a outras características suas: a disposição para o trabalho, a honestidade, a capacidade para criar e organizar. 4 Futebol: o esporte como metáfora para liderança e ética Um último elemento determinante é o do futebol como metáfora da vida e da sociedade. Esta forma de ver o futebol permite perceber nele elementos da liderança e da ética. Não há dúvidas de que um time de futebol bem sucedido necessita de um ou mais líderes. Na Copa do Mundo jogadores extremamente habilidosos se unem em suas seleções nacionais em busca de um título. Para que isso ocorra, o time tem de ser organizado e disciplinado para que joguem para um objetivo comum e a figura do treinador como um líder é essencial para manter o foco dos atletas no objetivo final da competição. Além disso, sempre existe um líder dentro de campo, que também possui a função de manter o time unido e focado durante os jogos. Não se pode negar que, além dos líderes positivos, muitas vezes também existe a figura das lideranças negativas, que são contrárias às decisões da comissão técnica. Porém, para atingir o objetivo, as lideranças positivas são essenciais. Alguns técnicos e jogadores são líderes naturais, eleitos pelos outros jogadores como essenciais para o bom funcionamento do time. 79

80 O próprio jogo em si é uma encenação da vida em seus momentos agudos. Até onde um ser humano é capaz de ir para atingir um objetivo? Quais as regras uma pessoa é capaz de quebrar para vencer uma competição? Diariamente ouvimos histórias de atletas que utilizaram de substâncias ilícitas para vencer uma competição. E essa prática não é diferente no futebol. O uso de substâncias que melhoram o desempenho é uma questão ética. Atletas que utilizam essas substâncias têm uma vantagem imensa em relação aos atletas que poderiam ter vencido se jogassem conforme as regras do esporte e utilizassem somente o treinamento e o talento natural para o melhor desempenho. Hoje, no futebol, prega-se muito a questão do fair play, que nada mais é do que o jogo limpo. Fair play tem uma correlação com espírito esportivo, muito pela influência do marketing e da mídia que pressionam os atletas por melhores resultados, fazendo com que eles pensem na vitória a qualquer preço. Para tanto, muitas vezes, fazem uso de meios ilícitos, como o doping, a manipulação genética, processos de naturalização, entre outros, quebrando assim, os princípios do jogo limpo. Este mesmo site ressalta que [...] o conceito de fair play está vinculado à ética no meio esportivo, em que os praticantes devem procurar jogar de maneira que não prejudiquem o adversário de forma proposital. A última edição da Copa do Mundo foi a que mais realizou exames antidoping. Foram 552 exames realizados e nenhum atleta flagrado utilizando substâncias ilícitas. Em 2006, o número de exames realizados foi de apenas a metade. Chefe do serviço médico da Fifa, Jiri Dvorak, afirmou que em comparação com a Copa do Mundo de 2006, a Fifa dobrou o número de exames realizados antes da competição. Os jogadores nunca foram submetidos a testes em profundidade em uma Copa do Mundo como foram este ano, ressaltou. Outra questão de fair play é o respeito que deve existir pelas outras equipes e pela integridade física dos atletas. A Copa do Mundo de 2006 foi a Copa com maior número de cartões: foram 28 vermelhos e 310 amarelos em 64 partidas. 261 faltas foram cometidas na África do Sul em 2010, uma redução significativa em relação à Alemanha em 2006 (346). O resultado disso é que o número de expulsões também diminuiu consideravelmente: apenas 17 cartões vermelhos. Esta questão do fair play está sendo muito utilizada na área do esporte, mas pode ser utilizada em todas as áreas de nossa vida. A lição principal do jogo limpo é pensar em respeitar o próximo antes de tomar qualquer decisão em nossas vidas, seguindo, assim, as normas éticas e morais impostas pela sociedade. 80

81 Componente Curricular: Logística de Distribuição Professor: Ricardo Buneder Os alunos da disciplina Logística de Distribuição focaram seus trabalhos na área de infraestrutura para o turismo. Segundo suas pesquisas, o Brasil ocupa a 37ª posição no ranking dos destinos mais procurados, totalizando 5 milhões de turistas por ano, segundo classificação da Organização Mundial do Turismo. Um número muito aquém do esperado. Outro dado considerado relevante pelos alunos foi o da necessidade de um investimento anual de R$ 160 bilhões, por cinco anos consecutivos, para que o Brasil possa eliminar os gargalos que prejudicam sua competitividade no cenário internacional, incluindo-se aí o desenvolvimento econômico e o bem-estar social. Nesse último item está inserido o turismo. Esse dado é divulgado pela Abdib Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base. O turismo representa uma grande fonte de renda para o país. Dados de 2010 divulgados pelo Banco Central (BC) revelam a entrada recorde de US$ 5,9 bilhões de divisas oriundas de gastos de turistas estrangeiros. No que diz respeito ao transporte de passageiros, as pesquisas efetuadas revelaram a falta de integração entre os diversos modais de transporte, o que gera ineficiência nas operações dessa área com consequente desconforto aos passageiros. As péssimas condições dos aeroportos e portos brasileiros, bem como a falta de transporte de passageiros sobre trilhos, são os principais problemas apontados por especialistas da área. A falta de investimento nos serviços de controle do tráfego aéreo, aliado ao crescimento anual de 10% desse modal (segundo dados divulgados pelo BNDES), estão fazendo das filas e atrasos uma rotina para os usuários do transporte aéreo no Brasil. No que diz respeito ao transporte marítimo, as pesquisas realizadas pelos alunos apontaram a dificuldade para atracar e a falta de sinalização como alguns dos maiores problemas enfrentados pelos turistas que se utilizam desse tipo de transporte. Segundo a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos, nenhum porto brasileiro está 100% adaptado para a chegada de transatlânticos. A partir dos dados coletados em suas pesquisas, os alunos concluíram que o país não está preparado para receber a quantidade de turistas esperada para um evento do porte da Copa do Mundo. Faltam investimentos em infraestrutura aeroportuária, portuária e na integração entre os modais mais utilizados para o transporte de passageiros. Além disso, eles também pensam que não há mais tempo hábil para tais investimentos, uma vez que o evento deve ocorrer em aproximadamente 14 meses. Os alunos concluíram, ainda, que enquanto o fantasma dos apagões aéreo, elétrico e de transportes (tanto de cargas como de passageiros) não for definitivamente afastado, o país continuará enfrentando problemas de competitividade no cenário internacional. 81

82 Componente Curricular: Matemática Instrumental Professora: Karina Benatto Geração de empregos diretos e indiretos na Copa de 2014 O Comitê Organizador Local da Copa prevê criar, até 2014, 39 mil empregos diretos e indiretos na preparação do Mundial no Brasil. Segundo Ricardo Trade, diretor executivo da COL, esses empregos gerarão renda para um grande número de colaboradores. Já para o ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, a Copa do Mundo 2014 deve gerar cerca de 700 mil empregos em todo o país. Só na fase de preparação, ele calculou que aproximadamente 380 mil postos de trabalho serão abertos. Também afirma que a copa é geração de emprego, de renda e de desenvolvimento, pois todas as obras que estão previstas vão precisar de trabalhadores e que os maiores beneficiados serão os trabalhadores da construção civil, devido às obras de infraestrutura em aeroportos, portos e transporte urbano nas 12 cidades-sede do Mundial. O investimento previsto pelo ex-ministro, só para as obras em aeroportos, é de R$ 6 bilhões. Um estudo encomendado pelo Ministério do Esporte apontou qual será o impacto da Copa de 2014 na economia do Brasil. Segundo esse estudo, o Mundial vai trazer benefícios que vão além da construção de novos estádios de futebol. Entre recursos investidos e gerados, direta e indiretamente, estimados em R$ 183 bilhões, devem circular em torno do evento. Funciona assim: ao construir um novo estádio, é preciso investir em material, há a necessidade de mão de obra, novos empregos são gerados e, quem estava desempregado, agora pode comprar mais e o consumo aumenta. O governo arrecada com os tributos e o dinheiro circula. Na geração de empregos, por exemplo, estima-se que sejam criados 710 mil novos postos de trabalho, 330 mil permanentes. Estão previstos R$ 33 bilhões de investimento em infraestrutura, 78% provenientes do setor público. Uma boa parte dessa quantia será usada na modernização dos principais aeroportos. O sucesso de uma copa também depende da facilidade com que os turistas viajam pelo país. E não é pouca gente: pelo menos 3,1 milhões de turistas nacionais e 600 mil estrangeiros vão circular pelo Brasil durante os meses do Mundial. Todos gastando mais dinheiro e aquecendo a nossa economia. O importante desse estudo é que, se comparado com a edição da Copa da Alemanha, da Copa da África do Sul e da Copa da França, nós podemos perceber que, no Brasil, o impacto econômico vai ser mais relevante. Então, a repercussão econômica da Copa da Fifa em 2014 vai ser maior em nosso país, declarou o ex-ministro do Esporte, Orlando Silva. Fontes: 82

83 Gastos e investimentos na Copa de 2014: Hotelaria Além dos investimentos diretos na copa, outros R$ 112,8 bilhões serão injetados na economia através do crescimento de setores como construção civil, turismo e comércio. Os turistas estrangeiros trarão para o país nos próximos anos uma quantidade significativa de recursos. No período , o número de turistas internacionais deve crescer em 2,98 milhões, alcançando 7,4 milhões no ano da copa, em Nestes quatro anos, deverão ser geradas receitas adicionais de R$ 5,94 bilhões. Para o ano do campeonato, serão nada menos do que US$ 8,73 bilhões trazidos ao país com gastos de turistas. O setor mais beneficiado pelo fluxo de estrangeiros será o de hotelaria cerca de 19,5 mil unidades hoteleiras devem ser construídas que deverá receber R$ 2,1 bilhões de visitantes, seguido pelo de alimentação, com R$ 902,8 milhões e pelo comércio, com R$ 831,6 milhões. A hotelaria em Porto Alegre A ABIH do RS, que é a associação da indústria da hotelaria, não está nem um pouco preocupada com a situação relacionada com a hospedagem de visitantes durante a Copa de É que até lá, Porto Alegre contará com 10 mil quartos de hotel. Estarão aqui bandeiras internacionais como Marriot, Accor, Sheraton, Holliday Inn e Hyatt. Em torno de 60% dos hotéis pertencerão a redes hoteleiras, inclusive do RS, como Intercity, Master, Suarez, Swan, Plaza e Laghetto. A Accor é a mais importante, com 11 hotéis das suas diversas bandeiras, menos Sofitel. Cinco mil trabalhadores estarão contratados. Para efeito de atendimento aos visitantes da Copa 2014, a FIFA considera área de interesse um raio que chega a pouco mais de 100 km de Porto Alegre, o que inclui Gramado, que sozinha possui tantos leitos de hotelaria quanto a Capital. Copa 2014 começa a apresentar primeiros impactos na hotelaria nacional Em menos de quatro meses do lançamento do plano de financiamento do BNDES a novos hotéis, a procura é grande e já soma R$ 903,5 milhões. Dois estudos que acabam de ser apresentados no mercado dão a dimensão do impacto que terá a Copa do Mundo de 2014 na economia brasileira. A consultora Ernest & Young, em parceria com FGV Fundação Getúlio Vargas, apresentou o estudo Brasil Sustentável Impactos socioeconômicos da Copa do Mundo 2014, que aponta uma 83

84 injeção de R$ 142,39 bilhões na economia brasileira até Já o Ministério do Turismo prevê que os desembarques domésticos saltem dos 56 milhões, registrados em 2009, para 73 milhões, em Projeta também a geração de dois milhões de empregos formais e informais de 2010 a A entrada de divisas internacionais deverá crescer 55%, no mesmo período, subindo de R$ 6,3 bilhões para R$ 8,9 bilhões no ano de realização da Copa no Brasil. Se estas são projeções futuras, existem os sinais deste aquecimento no momento atual. O BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social lançou recentemente um plano de financiamento para a construção e modernização da indústria hoteleira no Brasil no valor de R$ 1 bilhão a título de empréstimos com taxas bastante acessíveis e um bom prazo de carência para início dos pagamentos. A procura por este empréstimo surpreendeu o BNDES, que já recebeu pedidos de financiamento para reforma ou construção de novos hotéis para a Copa de 2014 no valor de R$ 903,5 milhões. O volume de solicitações foi alcançado apenas quatro meses depois do lançamento do programa ProCopa Turismo. De acordo com o BNDES, cerca de 80% dos pedidos, num total de R$ 713,2 milhões, são para a construção de empreendimentos. Como o financiamento raramente chega a 100% dos projetos, se tudo que está hoje na carteira de empréstimos do ProCopa fosse aprovado, o banco viabilizaria R$ 1,485 bilhão em investimentos. Em fase mais adiantada, na etapa de análise, há R$ 177 milhões em créditos, R$ 146 milhões para a reforma ou expansão de hotéis e R$ 30 milhões para construção. Tudo isso geraria R$ 302 milhões em investimentos. O que está estimulando investidores e hoteleiros a buscarem estes empréstimos são as facilidades apresentadas. Os juros vão de 6,9% a 7,8% ao ano, mais taxa de risco de crédito. O prazo de quitação do financiamento, que inicialmente era de 6 a 8 anos, passa para 18 anos. Já o valor mínimo para os empréstimos caiu de R$ 10 milhões para R$ 3 milhões nas subsedes do mundial. No caso das grandes empresas, o limite dos créditos chega a 80% do valor dos projetos. Mas em um dos subprogramas da linha de crédito, o ProCopa Turismo Hotel Sustentável, as micros, pequenas e médias empresas podem financiar até 100% do valor total do empreendimento, desde que sejam atendidas exigências quanto à apresentação de certificados de sustentabilidade ambiental. Brasília necessita de mais dez mil leitos hoteleiros Esta linha de crédito chega em boa hora, pois, com exceção da capital paulista, que hoje possui cerca de 42 mil leitos hoteleiros e em tese não necessitará construir mais hotéis para atender a Copa do Mundo de 2014, as demais sedes ou capitais necessitam com urgência dar início a um plano de expansão da rede hoteleira. Brasília é um bom exemplo. Segundo dados da ABIH Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, a capital federal possui 75 hotéis espalhados pelo Distrito Federal. As grandes redes do país e do mundo estão presentes na capital com cerca de 23 mil leitos disponíveis, mas segundo especialistas e consultores do mercado, serão necessários mais dez mil leitos para Brasília acolher os turistas na Copa de Mas uma questão que preocupa é a taxa média de ocupação, que fechou 2009 com apenas 58%, contra 65% da taxa média de ocupação nacional. Esse cenário serve como argumento para que representantes do setor não 84

85 apostem na construção de novos hotéis como saída para o déficit de leitos. Para quem desejar erguer um hotel de médio porte terá que desembolsar no mínimo R$ 30 milhões, pois faltam terrenos para se construir. Diante da oportunidade e alheia à baixa taxa de ocupação, a Odebrecht Realizações Imobiliárias acaba de lançar o Brisas do Lago, um empreendimento de luxo às margens do Lago Paranoá, com 750 apartamentos em formato de flat e que exigirá R$ 100 milhões em investimentos e previsão de conclusão da obra em Já a Construtora Vilela e Carvalho está lançando um empreendimento na região na nova Super Quadra Park Sul, com cerca de 300 unidades. Belo Horizonte necessita de cinco mil novos leitos Belo Horizonte, que luta para sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014, terá que resolver com urgência a falta de leitos hoteleiros, assim como modernizar muitos dos leitos existentes. A FIFA solicita que estejam disponíveis, nas cidades-sede do Mundial de 2014, quatro mil leitos em hotéis entre 4 e 5 estrelas para hospedar a família Fifa, ou seja, jogadores e equipe, patrocinadores, vips, convidados e imprensa que dará a cobertura oficial. Segundo estimativa da ABIH/MG Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Minas Gerais, Belo Horizonte conta atualmente com cerca de cinco mil leitos em hotéis nas categorias quatro e cinco estrelas, o que por si só já é insuficiente. O mercado estima uma carência de pelo menos cinco mil novos leitos em Belo Horizonte e, nos últimos meses, houve uma grande mobilização para construção de novos hotéis, inclusive padrão cinco estrelas, pois a cidade só possui um único nesta categoria. Acaba de ser aprovado, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, um projeto de lei que incentiva a atração de hotéis para a capital mineira. Nos próximos três anos, pelo menos mais 16 hotéis devem ser construídos na região metropolitana de Belo Horizonte, o que vai gerar cerca de 3,5 mil novos leitos. A Concreto Empreendimentos estreia no mercado hoteleiro e promete não economizar, devendo investir mais de R$ 100 milhões em quatro projetos para os próximos anos: o Pampulha Inn, na Av. Antônio Carlos, o Betim Inn, na cidade de Betim, o Giulianno, um hotel boutique programado para o bairro de Lourdes, e um resort cinco estrelas, na estrada para Ouro Preto. Já na Região da Savassi, área nobre da capital mineira, o Grupo Paranasa/Maio Empreendimentos deu início, em fevereiro deste ano, à construção do Ibis Savassi, que vai demandar R$ 40 milhões de investimentos. O empreendimento terá 208 apartamentos, com abertura prevista para o primeiro semestre de Como Belo Horizonte possui carência de hospedagem padrão cinco estrelas, alguns investimentos estão sendo revistos. A rede Bristol, que pretendia erguer um hotel na região da Pampulha, próximo ao estádio do Mineirão no padrão econômico, resolveu mudar de planos e fez um up grade no projeto elevando o empreendimento para padrão cinco estrelas. O Bristol Stadium terá 314 apartamentos, exigirá um investimento de R$ 52,2 milhões e a previsão é que fique pronto para a Copa das Confederações em Outro meio de hospedagem padrão cinco estrelas, com o qual a capital mineira deverá contar em breve, terá a ajuda do Estado, que está lançando uma consulta pública para transformar o antigo prédio do IPSEMG Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais em um hotel de luxo. Além disso, existem muitas especulações de que grandes redes internacionais já estão de olho no mercado mineiro. 85

86 Rio de Janeiro deverá ter 52,7 mil leitos O problema mais grave de ampliação da capacidade hoteleira se encontra na cidade do Rio de Janeiro, que hoje possui 28 mil leitos. Mas para sediar as Olimpíadas de 2016, a capital fluminense assinou um compromisso junto ao Comitê Olímpico Internacional que teria disponível 52,7 mil leitos, sendo quartos em hotéis, 25 mil em vilas de hospedagem, em navios e em apart-hotéis. A estimativa é de que o Rio de Janeiro receba cerca de R$ 1 bilhão em investimento na construção de 20 novos hotéis, na Barra da Tijuca e no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste da cidade. A questão é saber se existem áreas disponíveis nessas regiões e se o valor do metro quadrado é viável para a construção de um hotel. A região portuária é uma boa alternativa, mas antes ela necessita passar por uma modernização, pois hoje se encontra degradada e isso não vai atrair investimentos hoteleiros. A Prefeitura carioca está concedendo incentivos fiscais para a construção de novos hotéis, o que inclui a isenção do ITBI Imposto de Transmissão de Bens Intervivos (que corresponde a 2% do valor de mercado do imóvel) em transações imobiliárias, nas quais os terrenos ou prédios sejam destinados à ampliação da oferta de leitos na cidade. A redução do ISS Imposto Sobre Serviço e do IPTU Imposto Predial e Territorial Urbano também está sendo estudada, assim como a regulamentação dos condo-hotéis, em que um hotel pode ter vários investidores. Outras ideias de aumentar a capacidade do número de leitos hoteleiros da cidade do Rio de Janeiro começam a ganhar força, como a da FIRJAN Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, que reivindica o perdão de dívidas a imóveis do centro histórico da capital fluminense, buscando a transformação dos estabelecimentos em hotéis e pousadas. Fontes: / Total economizado inclui as reduções dos gastos do Maracanã e da Arena da Amazônia TCU deixou as obras no aeroporto de Manaus mais baratas (crédito: Infraero/Divulgação) A atuação do Tribunal de Contas da União (TCU) na fiscalização das obras da Copa do Mundo 2014 evitou um desperdício de R$ 600 milhões ao país. O valor economizado foi divulgado no último relatório produzido pelo órgão. A informação é do site "Contas Abertas". Em apenas quatro meses, a economia subiu 20%, passando de R$ 500 milhões 86

87 para R$ 600 milhões. O montante inclui as reduções dos gastos do Maracanã e da Arena da Amazônia, de R$ 97,4 milhões e R$ 86,5 milhões, respectivamente. A maior parte da economia R$ 400 milhões está ligada aos processos licitatórios em aeroportos e portos das cidades-sede do Mundial. De acordo com a reportagem, no aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, foram encontrados sobrepreços nas intervenções. Além disso, o edital de licitação restringia a concorrência entre as empresas interessadas. A atuação do tribunal reduziu o valor da obra em R$ 37 milhões. Hoje, depois de 66 meses de preparação e quatro revisões na Matriz de Responsabilidades, o custo total das obras da Copa está em R$ 25,6 bilhões. Os 12 estádios custarão R$ 7,03 bilhões. Nos 13 aeroportos, os 30 projetos estão orçados em R$ 6,81 bilhões. Já as 53 obras de mobilidade urbana custarão R$ 8,54 bilhões. Mais quatro setores entram na conta: portos (R$ 675,9 milhões), segurança (R$ 1,88 bilhão), telecomunicações (R$ 371,2 milhões) e turismo (R$ 212,5 milhões). Fontes: BRAS+DA+COPA.html Acessado em: Benefícios que a Copa 2014 trará para o Brasil A promoção de grandes eventos esportivos tem sido uma estratégia de diversos países para a atração de investimentos e de atenção internacional. Os benefícios econômicos destes eventos retratam um argumento utilizado para justificar o esforço e o gasto público para sediar tais eventos. A Copa do Mundo de 2014 (Copa-2014) representa um grande evento esportivo programado para o Brasil. Na sua preparação, uma série de obras de infraestrutura, reformas e construção de estádios estão sendo programadas. Em meados de 2009, as 12 cidades-sede da Copa que abrigarão jogos da competição foram escolhidas: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Recife (PE) e Salvador (BA). Além das 12 cidades escolhidas, participaram da disputa Rio Branco (AC), Belém (PA), Maceió (AL), Goiânia (GO), Florianópolis (SC) e Campo Grande (MS). A escolha seguiu critérios técnicos, a partir das visitas feitas por especialistas da entidade e os projetos entregues pelas cidades. Segundo ele, segurança pública e opções de lazer também foram consideradas (Perguntas, 2009). Assim, parece ter havido um interesse regional para sediar o evento, o que indica uma percepção de ganhos econômicos para as cidades-sede. Um importante argumento que os governos candidatos fazem para hospedar um megaevento refere-se aos benefícios econômicos que podem ser gerados. É inegável a visibilidade que o Brasil terá com a promoção dos megaeventos esportivos agendados, contudo os benefícios econômicos que tais eventos trarão para o país são difíceis de estimar, pois envolvem obras de infraestrutura urbana, reformas/construção de estádios, fluxos turísticos, investimentos privados (rede hoteleira, por exemplo) e divulgação internacional do país. Os organizadores geralmente alegam que eventos como 87

88 a Copa do Mundo geram estímulos para os negócios domésticos (restaurantes, hotéis e outros negócios), portanto, benefícios econômicos maiores que os custos. Alguns gráficos em que podemos nos basear para verificar as evoluções das cidades. 88

89 Fontes: Investimentos e Custos para a Copa do Mundo 2014 De acordo com os últimos balanços do Ministério do Esporte e do Tribunal de Contas da União, a estimativa de gastos com as obras para a Copa do Mundo gira em torno de R$ 27 bilhões atualmente. Estão incluídos neste valor os investimentos do governo federal, dos governos estaduais e municipais e da iniciativa privada em obras de mobilidade urbana, estádios, aeroportos e portos. Mas o custo total do Mundial ainda vai crescer e a conta já pode chegar a R$ 30 bilhões. Abaixo podemos ver uma planilha com a média de gasto de investimento do país para o evento de OS CUSTOS DA COPA (em milhões de reais) Mobilidade Urbana ,00 39,9 % Aeroportos 7.354,00 24,5 % Estádios 6.778,20 22,5 % Portos 902,8 3,0 % Telecomunicações 371,2 1,2 % Segurança* 1.800,00 6,0 % Hotelaria* 428,2 1,4 % Turismo + Divulgação* 371 1,2 % Outros gastos* 51,4 0,2 % TOTAL ,80 100% Media de custo % O motivo para o aumento são os gastos com suporte, serviços e operações, que ainda não foram incluídos na matriz de responsabilidades da Copa, documento de referência 89

90 assinado em janeiro de 2010 que define os investimentos de cada parte na preparação do evento. Faltam entrar na conta os gastos com segurança, telecomunicações, energia, saúde, infraestrutura turística e promoção do país, por exemplo. - Ainda há áreas que precisam ser incorporadas. Só poderemos falar de um custo definitivo depois da incorporação destas obras e destes serviços que ainda não estão computados no valor de R$ 27 bilhões. Nove dos 12 estádios para a Copa 2014 estão atrasados e todos custarão mais que o previsto Faltando 500 dias para o início da Copa do Mundo de 2014, nove dos dez estádios que ainda estão em obras estão atrasados. Todos os 12 estádios irão custar mais caro que o previsto inicialmente. O custo total da construção e reforma dos estádios para o Mundial passou de R$ 5 bilhões em 2010 para R$ 7 bilhões em dezembro de 2012, de acordo com o Ministério do Esporte. Fora o estádio do Corinthians, em São Paulo, que não tinha um prazo inicial para estar pronto em 2010, e o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (DF), que adiantou a inauguração de julho para abril deste ano, nove estádios sofreram diversos adiamentos no prazo final para estarem prontos. A Arena Castelão, em Fortaleza (CE), e o Mineirão, em Belo Horizonte (MG), são os únicos estádios que já foram entregues, em dezembro do ano passado, dentro do cronograma inicial. Os maiores atrasos estão na Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), que inicialmente estava prevista para dezembro do ano passado e agora deverá ficar pronta em outubro deste ano, e em Porto Alegre (RS). A reforma do Beira-Rio deveria ter ficado pronta em dezembro de 2012, mas agora a obra é prometida apenas para dezembro de Quando o assunto é aumento de custo previsto, o estádio de Brasília é o campeão. Orçada inicialmente em R$ 700 milhões, hoje a arena não sairá por menos de R$ 1 bilhão. O Maracanã oficialmente custará R$ 882 milhões, mas se forem considerados os aditivos e os contratos complementares, a obra também já está orçada em mais de R$ 1 bilhão. Além destes, outros estádios estavam com o custo defasado no balanço divulgado pelo Ministério do Esporte em dezembro de Na realidade, o valor do aumento nas obras é ainda maior que o divulgado. No estádio de Porto Alegre também chama atenção o aumento no valor da obra: passou de R$ 143 milhões em 2010 para R$ 330 milhões em dezembro de 2012, mais que o dobro. Confira, na página seguinte, a tabela da diferença entre valores previstos para gasto das obras nos estádios em 2010 e

91 Cidade Sede Estádios Custo (2010) Custo (2012) Previsão de entrega (2010) Previsão de entrega (2012) Porcentagem de custo a mais % Diferença milhões a mais R$ Belo Horizonte Mineirão R$ 456 milhões R$ 695 milhões dez/12 dentro do prazo 34,4 % R$ 239,00 Brasília Cuiabá Curitiba Estádio Nacional Arena Pantanal Arena da Baixada R$ 702 milhões R$ 1 bilhão jul/13 abr/13 29,8 % R$ 298,00 R$ 454 milhões R$ 518 milhões dez/12 out/13 12,4 % R$ 64,00 R$ 151 milhões R$ 234 milhões dez/12 jul/13 35,5 % R$ 83,00 Fortaleza Castelão R$ 452 milhões R$ 518 milhões dez/12 dentro do prazo 12,7 % R$ 66,00 Manaus Natal Arena Amazônia Arena das Dunas R$ 533 milhões R$ 583 milhões jun/13 dez/13 00,9 % R$ 5,00 R$ 413 milhões R$ 417 milhões out/13 dez/13 01,0 % R$ 4,00 Porto Alegre Beira-Rio R$ 143 milhões R$ 330 milhões dez/12 dez/13 56,7 % R$ 187,00 Recife Arena Pernambuco R$ 491 milhões R$ 500 milhões dez/12 abr/13 01,8 % R$ 9,00 Rio de Janeiro Maracanã R$ 705 milhões R$ 882 milhões dez/12 mai/13 20,1 % R$ 177,00 Salvador Fonte Nova R$ 592 milhões R$ 592 milhões dez/12 fev/13 00,0 % R$ 0,00 São Paulo Arena de São Paulo Sem previsão inicial R$ 820 milhões Sem previsão dez/13 00,0 % R$ 0,00 Ingressos da Copa 2014 Como comprar Segundo projeções da FIFA, pelo menos 85% dos ingressos para os jogos da Copa do Mundo serão de torcedores comuns; o restante ficará com convidados, autoridades e imprensa. A FIFA começará a primeira fase de venda pela internet, quando os torcedores manifestarão interesse pelos bilhetes. Depois, haverá um sorteio de quem tem direito a esse primeiro lote. Preços Serão definidos pela FIFA. As entradas terão quatro categorias, numeradas de 1 a 4, sendo a última a mais barata. Dos pouco mais de 3 milhões de ingressos da competição, pelo menos 300 mil terão que ser da categoria 4, de custo estimado em US$ 50 (R$ 85). Os ingressos da categoria 4 serão colocados à venda por meio de sorteios em que somente brasileiros poderão concorrer. Terão prioridade estudantes, pessoas com 60 anos ou mais e beneficiários de programas sociais do governo federal. De acordo com a atual versão do projeto da Lei Geral da Copa, essas três categorias terão 50% de desconto no valor do ingresso (US$ 25, ou R$ 43). Extraoficialmente, a FIFA já se demonstrou insatisfeita com este modelo. Portadores de deficiência A FIFA e os estados e municípios que receberão jogos da Copa poderão celebrar acordos para fornecer ingressos mais baratos para portadores de deficiências físicas. 91

92 Pacotes e camarotes Há quatro tipos de pacotes, voltados para empresas e pessoas de alto poder aquisitivo. O "Aquarela Series", pacote para os 19 jogos que acontecerão em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte (MG), em camarotes para 16 a 26 pessoas, sai por US$ 2,3 milhões, ou cerca de R$ 4 milhões. Camarote em área central no estádio, estacionamento, comida e bebida estão inclusos. Para quem preferir assistir a todas as partidas de uma sede específica, pode optar pelos pacotes Venue Series, que variam entre US$ e US$ 1,75 milhão, ou R$ 4 mil e R$ 3 milhões, com ingressos individuais ou para grupos. Já para assistir a todos os jogos de uma seleção participante, os pacotes chegam a US$ 30,9 mil, ou R$ 53 mil. Caso a seleção escolhida deixe a Copa antes do fim, os ingressos continuam valendo para os jogos em que a equipe escolhida estaria disputando se tivesse sobrevivido no torneio. Fontes: As médias das tabelas foram feitas no Excel. Comparação entre as Copas do Mundo de 1950 e 2014 Infográfico comparando as Copas de 1950 e 2014, ambas no Brasil, citando o que foi gasto e uma estimativa do que poderá ser gasto. 92

93 Componente Curricular: Metodologia Científica Professora: Mirela Jeffman dos Santos Nesta disciplina estamos desenvolvendo os Anteprojetos de Trabalhos de Conclusão de Curso (ATCC). Todas as pesquisas acadêmicas que serão desenvolvidas ao final dos cursos têm suas justificativas gerenciais, ou seja, agregam valor para as organizações e/ou setores nos quais são conduzidas no sentido de proporcionar diagnósticos da situação atual, identificação de pontos falhos e sugestões de melhorias, de acordo com a literatura da área. Em um cenário de Copa do Mundo ao qual o país está exposto, as pesquisas têm a sua importância ressaltada, posto que todas as empresas com atuação nacional necessitarão adaptar-se, ainda que momentaneamente, à nova conjuntura que se estabelecerá no Brasil. Diante disso, seguem, abaixo, os problemas de pesquisa elaborados pelos alunos e a importância de cada um para o cenário de Copa do Mundo. Inteligência Emocional e a Força de Segurança na Copa do Mundo Tendo em vista o alto grau de desgaste físico e emocional que os agentes de segurança sofrem em diversas situações que enfrentam na sua rotina de trabalho, o conhecimento da inteligência emocional torna-se fundamental, a fim de não potencializar de maneira negativa uma situação que poderia ser resolvida de forma pacífica. Em um evento de tamanha magnitude como a Copa do Mundo, torna-se fundamental esse aprendizado com a finalidade de diminuir o stress e melhorar o aproveitamento do agente de segurança, que irá aprender a trabalhar com a arquitetura da inteligência emocional, aprendendo que a emoção, a exemplo da raiva, é normal e há como identificá-la e diminuir seus aspectos negativos. Quais treinamentos necessários a fim de capacitar as empresas de segurança privada para atuarem nos estádios dos jogos da Copa do Mundo de 2014? O país está se preparando para um dos maiores acontecimentos de repercussão a nível mundial, a Copa do Mundo de Para isso, está investindo muito em obras de infraestrutura, desde a construção de estádios a reformas de aeroportos. Mas além desses investimentos, é muito importante a preparação das pessoas que ficarão diretamente em contato com o público que virá para o evento. Sendo assim, muitas empresas ou profissionais de diversas áreas estão se qualificando a fim de proporcionar um bom serviço para os seus clientes, sejam eles turistas ou integrantes do comitê organizador da Copa da FIFA. Em relação à FIFA, uma das suas solicitações é que a segurança dentro dos estádios seja executada por empresas de segurança privada e não por agentes de órgãos públicos, 93

94 como é nos dias de hoje. Para atender essa demanda, as empresas terão que se preparar com a contratação de funcionários capacitados, pois a previsão é de que sejam necessários agentes de segurança por estádio. Para atender essa exigência, foi criado o curso de Extensão para Grandes Eventos, o qual será ministrado por escolas de formação de vigilantes. Como prevenir e combater incêndios em Shopping Center? Buscando a segurança e o bem-estar de seus frequentadores, o Shopping Center investe em treinamento e tecnologia, agindo sempre na prevenção. Com equipe orgânica de inspetores e encarregados de segurança com curso de Bombeiro Profissional Civil, além de vigilantes, auxiliares de segurança e lojistas formados no curso de Brigadista de Incêndio, o shopping investe em treinamento, criando um grupo de multiplicadores de boas práticas de conduta, fiscalização e segurança. Como reduzir a violência nos estádios de futebol? O Grupo de Trabalho Segurança em Estádios de Futebol tem como objetivo prevenir atos de violência, combater de forma adequada possíveis distúrbios e proporcionar uma atuação técnica às polícias e profissionais da segurança privada do país, na prevenção e no enfrentamento a situações de crise em estádios do Brasil com vistas à Copa de Como controlar Porto Alegre com monitoramento pode ser eficaz contra a violência na Copa? A Prefeitura de Porto Alegre, em parceria com o Centro Integrado de Comando (Ceic), terá imagens de diversos pontos da cidade e do Estádio Beira-Rio, que serão captadas por cerca de 300 câmeras de monitoramento, vistas em tempo real em 39 telas e acompanhadas por servidores distribuídos em 24 unidades de atendimento. O espaço funcionará conectado com o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), que funcionará na Secretaria Estadual de Segurança Pública, conectando os serviços de trafegabilidade, segurança e rede hospitalar. Todas as sedes da Copa do Mundo da FIFA 2014 terão um CICC, segundo orientação da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), vinculada ao Ministério da Justiça. O monitoramento no Ceic será feito 24 horas por dia, sete dias por semana, por uma equipe de técnicos de diversas áreas, possibilitando a integração em situações de prevenção e de emergência. Os 39 monitores têm 55 polegadas cada. A sala de controle tem 24 posições de trabalho, com 48 monitores que podem reproduzir e controlar quaisquer imagens dos sistemas de tecnologia da informação da prefeitura, ajudando principalmente a prevenir na segurança e a diminuir a violência na cidade. O Centro também conta com uma sala para reuniões de emergência com todos os órgãos envolvidos. Preocupação dos organizadores da Copa de 2014 em relação às empresas de segurança privada. Há uma preocupação especial com os clandestinos em segurança privada. Para cada empresa regularizada, duas são ilegais, afirma o vice-presidente do sindicato do setor em 94

95 São Paulo, João Palhuca. A clandestinidade, segundo o próprio sindicato, é um dos principais problemas da área. Quando se contrata uma empresa clandestina, o contratante pode se tornar corresponsável pelas ações dessa empresa, diz o sindicalista. Portanto, é preciso tomar alguns cuidados na hora da contratação. O crescimento do setor deve acelerar até a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, quando pelo menos 50 mil profissionais da área devem ser escalados para o esquema de segurança do Mundial. O Ministério da Justiça disse que vai, ainda neste semestre, enviar um projeto de lei que atualiza o estatuto da segurança privada. A lei que rege a área é de Temos empresas que atuam sem o mínimo de capacitação técnica, dificultando inclusive a fiscalização. Temos que dar um balizamento normativo muito claro em relação ao que pode e ao que deve fazer a vigilância privada, disse, em entrevista à Agência Brasil, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Como implantar o controle de acesso nos estádios de futebol para a Copa de 2014? Todos serão previamente cadastrados através de código de barras: os ingressos, os crachás, os convites, qualquer que seja a forma de acesso, para que se tenha total controle. Qual a importância da ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) para a Copa do Mundo de 2014? Com a iminência da Copa do Mundo de 2014, a participação de diversos países na mesma e, em consequência, possíveis atritos diplomáticos entre os mesmos, fica explícito o quão suscetível o país está em sofrer um ataque terrorista. A ABIN deve, durante o evento, produzir informações de 200 mil nomes de pessoas que estarão participando direta ou indiretamente das competições. Dessa forma, poderá monitorar possíveis ameaças à nação ou às delegações e funcionários envolvidos no evento. Conhecer o funcionamento da arma de choque Taser e a sua operacionalidade nos jogos da Copa do Mundo de Taser é uma arma de incapacitação neuromuscular que transmite por seus dardos ondas de choque. Esses dardos são ligados a fios de cobre conectados a um aparelho que transmite uma energia de 50000V, mas com uma amperagem bem baixa, em torno de 0,0006ª, a qual justifica a baixa letalidade. Como nos estádios de futebol há uma grande movimentação de pessoas com diferentes perfis, a arma de baixa letalidade ajudará os agentes de segurança em brigas generalizadas, motins e manifestações agressivas a terceiros porque age especificamente no agressor, sem causar danos a sua integridade física e a de outros. O choque imobiliza a pessoa por cinco segundos aproximadamente, tornando fácil algemar o infrator. 95

96 Componente Curricular: Português Instrumental Professora: Cátia Amaral Horst O presente relato é resultado da atividade proposta para o XI Momento Acadêmico, cujo tema é COPA DO MUNDO 2014 TIC, Gestão, Logística e Segurança. Para esta atividade, partiu-se de alguns referentes da disciplina de Português Instrumental: caracterização do texto como interação entre sujeitos produtores de sentido; conceito de argumentação; estabelecimento de relações entre linguagem verbal e não-verbal e leitura e produção textual. Diante disso, conforme encaminhamento da instituição, buscou-se incentivar os alunos a pesquisar a temática e produzir os gêneros textuais infográfico ou artigo de opinião. Nesta proposta, o foco principal foi observar que o texto precisa promover uma AÇÃO no interlocutor, ou seja, a escolha da LINGUAGEM e o MODO como o texto é organizado garantem sua função INTERACIONAL em um determinado contexto social. Dentro desta perspectiva, os alunos produziram infográficos funcionais (como alugar um carro para a Copa) e reflexivos (vantagens e desvantagens), além de artigos de opinião. Tal atividade cumpriu seu objetivo e seguem os trabalhos apresentados. Artigo de opinião Início da Copa do Mundo no Brasil e nos deparamos com um cenário no qual não vemos avanços significativos na infraestrutura. Ao mesmo tempo, não conseguimos perceber os esforços que estão sendo empreendidos para atingir tal objetivo. Um estudo recente mostrou ser necessário investimento de aproximadamente R$ 1 trilhão para sanar esse déficit. Vale lembrar que a logística atual do país é ineficiente em diversos segmentos. Para a Copa do Mundo, esta é uma área estratégica que contribui para a obtenção de sucesso no que se refere à complexidade do evento. O fato é que a FIFA, órgão que controla o futebol mundial, possui um manual de regulamentação de segurança, que é claro em relação à logística no tocante à facilitação do acesso aos estádios, por meio de sistemas de transportes eficientes. É importante destacar, também, que a cada ano o número de passageiros (demanda) cresce em torno de 20%, o que deveria ser bastante atrativo para as companhias aéreas. Entretanto, o fluxo de passageiros cada vez mais complexo gera falta de capacidade operacional em praticamente todos os aeroportos do país, principalmente em relação ao gerenciamento de filas, que é feito de uma forma muito ineficiente. A IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo relata que 13 aeroportos brasileiros estão saturados e sem previsão de investimento. Agora, somando a operação atual dos aeroportos que deixa a desejar para os passageiros brasileiros, mais a demanda de passageiros estrangeiros, teremos que começar as obras de infraestrutura logística o mais rápido possível, na verdade já era para ter começado anos atrás. 96

97 Os investimentos e a efetiva operacionalização dos diversos projetos logísticos necessários não são triviais para serem implementados em curto prazo. Necessita-se de estudos e pesquisas para mensurar os impactos em termos de custos e retorno. Outro gargalo logístico reside na rede de transporte público, que é essencial para a maior parte da população realizar suas atividades, desde o trabalho até o lazer. Nas metrópoles, principalmente em São Paulo, o sistema de transporte público, especificamente o ferroviário, salvo raras exceções, é um modo saturado. A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que são alternativas para quem não quer enfrentar o congestionamento das ruas, avenidas e rodovias, no horário de pico, possuem altas taxas de ocupação por metro quadrado. Além disso, é necessário considerar a infraestrutura logística no entorno dos estádios. Novamente, recorrendo ao manual da FIFA que regulamenta as condições de segurança, temos que considerar diversos aspectos importantes, como o desenvolvimento de pontos de entrada e saída que facilitem o fluxo de pessoas e veículos ao redor do estádio, bem como as rotas de evacuação. A logística se faz presente também quando pensamos na acessibilidade para todos os tipos de torcedores, principalmente os que possuem necessidades especiais. Portanto, a Logística é fundamental para que a Copa do Mundo de 2014 possa ser realizada de uma forma eficiente no Brasil. Assim, é necessário ter a visão da importância estratégica que esses setores assumem e que envolvem a chegada e saída dos torcedores, atletas e suas delegações, assim como a necessidade de dimensionar estes fluxos de uma maneira eficiente. Ao mesmo tempo em que percebemos oportunidades de grandes investimentos nesta área, temos que nos preocupar com a lentidão dos tomadores de decisão. Infográficos: Apresentar carteira de habilitação (CNH) original e válida, expedida há no mínimo 2 anos, já estrangeiros podem apresentar carteira A taxa de retorno pode de habilitação ser cobrada quando a emitida no País de devolução do veículo não origem. ocorre na cidade onde foi retirada e é calculada de acordo com a distância (em km) entre as lojas, multiplicada pelo custo médio de desgaste do veiculo e possíveis custos que a locadora terá com funcionário para apanhar o veículo. Ter 21 anos completos. Fique esperto e não marque bobeira! Garanta já seu carro para esta Copa! As multas de trânsito, ocorridas durante o período da locação não estão incluídas na tarifa apresentada na locação. Importante: CNH vencida, mas ainda dentro dos 30 dias permitidos pelos órgãos de trânsito, não é aceita pelas locadoras de automóveis. Os motoristas adicionais seguem as mesmas regras do locatário e deverão estar presentes no ato da abertura do contrato de locação. 97

98 OS BENEFÍCIOS DA COPA DO MUNDO DE 2014 PARA PORTO ALEGRE e uma nova pista de decolagem 18 balcões ckeck-in, 2 pontes de embarque, 6 novas escadas rolantes ligação direta da estação aeroporto ao aeroporto, integração metrôaeroporto gratuita leitos nos hotéis até a COPA DO MUNDO / criação de novos hotéis de 3 a 5 estrelas duplicação da avenida, corredor exclusivo para ônibus e fonte mais rápida de acesso centro bairro Beira- Rio evacuação de até 8min criação de novas vagas cobertas, seguras e com estádio moderno com capacidade para 51,3 mil pessoas, conforto para todos os tipos de torcedores com segurança e acesso rápido. 98

99 Dinheiro gasto com a Copa de 2014 daria para construir mais de 2 milhões de casas. Dinheiro gasto com a Copa de 2014 daria para construir mais de 2 milhões de casas. Com o dinheiro gasto dava para fazer 787 UBSs (Unidade Básica de Saúde), 700 equipes de saúde da família durante um ano/ 420 CRECHES atenderiam em média crianças / 100 ESCOLAS PARA 700 ALUNOS. VANTAGEM??? Para sediar um evento desse porte, estimase que o Brasil irá investir cerca de R$ 36,4 bilhões, sendo R$ 12,7 bilhões em transportes e mobilidade, R$ 7,2 bi em reformas e construção de novos estádios e R$5,3 bi em modernização dos aeroportos. Do mesmo modo, acredita-se que a Copa do Mundo de 2014 trará ao país um lucro de R$183 bilhões para a economia entre 2010 e Aliado a esses números, está a expectativa de geração de 700 mil empregos, permanentes e temporários, para os mais diversos setores - obras, turismo, hotelaria e comércio. O Fato é que existem, no Brasil, inúmeros problemas de desenvolvimento em infraestutura, educação, cultura, saúde, meio ambiente, entre outros, que ultrapassam a visão dos benefícios e que devem ser avaliados. E VOCÊ, O QUE ACHA DISSO? 99

100 Componente Curricular: Programação Web 2 Professor: Márcio Pinto Santa Helena CrowdSim auxilia no planejamento de segurança para a Copa do Mundo Com eventos que vão reunir grandes multidões no Brasil nos próximos anos, como a Copa do Mundo e a Olimpíada, cresce a preocupação com a segurança nos ambientes de aglomerações. Para aprimorar o planejamento nos locais onde vão ocorrer esses eventos, pesquisadores brasileiros desenvolveram um software que leva em conta os diferentes perfis do público para mapear a velocidade com que as pessoas se deslocam, o tempo gasto para esvaziar o ambiente e os pontos de maior concentração em situações de normalidade e de emergência. O software chamado CrowdSim reproduz virtualmente o local onde ocorre o evento com a localização de portas, banheiros, lanchonetes e faz as previsões sobre o tempo de descolamento, além da porcentagem de pessoas que, ao término de um espetáculo artístico ou jogo, se dirige para a saída, a parcela que passa antes em banheiros ou mesmo não se desloca imediatamente. Todo o mapeamento serve para simular diversos cenários e elaborar o planejamento para diferentes situações, tumultos e urgência em esvaziar o ambiente. O CrowdSim foi desenvolvido pela equipe de pesquisadores do Laboratório de Simulação de Humanos Virtuais da Faculdade de Informática da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). A primeira simulação do software foi feita no Estádio Olímpico João Havelange, conhecido como Engenhão, no Rio de Janeiro, à medida que o produto era desenvolvido. O software ainda não está à venda, pois deve passar por aprimoramento, mas a expectativa, de acordo com a coordenadora do projeto, é de que custe até dez vezes menos que similares importados. O software levou cerca de um ano e meio para ser desenvolvido e teve financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia. E-Taxi, projeto para modernizar o serviço de táxi em Manaus. Os taxistas de Manaus poderão, a partir do segundo semestre de 2013, através de um tablet, acessar uma aplicação que permite ao usuário conhecer os pontos turísticos da cidade e os possíveis trajetos, além de aplicações para o pagamento da corrida com cartões de crédito. As vantagens em aderir ao projeto são que o treinamento, o suporte e o software são adquiridos gratuitamente, mas o taxista teria que comprar o tablet do próprio bolso. O taxista também adere ao Programa Federal de Combate e Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (ESCA) ao participar do projeto e será inserido no programa Taxista Nota 10, que oferece cursos de idiomas e empreendedorismo. 100

101 Manaus, com esse projeto, dá um exemplo de incentivo à tecnologia, além de motivar outras cidades do Brasil a também investir em projetos como esse. Celulares de quarta geração para a Copa do Mundo A presidenta Dilma Rousseff afirmou que o governo já autorizou investimentos de R$ 200 milhões na infraestrutura das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e que brasileiros e turistas estrangeiros terão acesso à internet rápida pelo celular durante o Mundial. No programa semanal Café com a Presidenta, ela explicou que a ideia é facilitar o acesso à transmissão de voz e de imagens de alta qualidade. Outra iniciativa trata da implantação de celulares de quarta geração até o início da competição. Esse é um legado que ficará para toda a população brasileira depois da Copa e das Olimpíadas, destacou a presidenta. A partir de 1º de outubro, o acesso à internet banda larga começa a ser oferecido em todo o país a R$ 35 por mês. Atualmente, segundo a presidente, o preço médio cobrado pelo serviço é R$ 70. Segundo Dilma, o acordo com as operadoras de telefonia prevê que a internet popular chegue a todos os municípios brasileiros até Fonte: Uso de 4G para a Copa As frequências utilizadas pelas operadoras internacionais são diferentes daquelas que foram leiloadas pela Anatel. O padrão estabelecido pela Agência Nacional de Telecomunicações é de 2,5 GHz, enquanto a frequência de aparelhos norte-americanos varia entre 700 Mhz e 2,1 GHz. Essa diferença acontece porque a faixa entre 700 e 800 MHz é ocupada no Brasil pela TV analógica, e sua liberação só deve acontecer após 2016, quando a Anatel acredita que o sinal da televisão digital for considerado padrão. A internet 4G já está funcionando no Brasil. Ainda presente em poucas cidades, das quais a cobertura se limita a alguns bairros e, ainda assim, a uma ou outra operadora, a banda larga móvel chegará até o fim de abril de 2013 em todas as cidades-sede da Copa das Confederações (Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife e Fortaleza), com cobertura em 50% do espaço urbano. Ainda assim, usufruir desse novo serviço não vai ser fácil para o cidadão comum nos próximos meses. Um problema para o ingresso do consumidor nestes planos é que o número de aparelhos compatíveis com o 4G no Brasil ainda é bem pequeno. Somente dez celulares homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações têm compatibilidade com este padrão de conexão à Internet, e todos eles possuem valores acima dos R$ 1,5 mil. Mas o que a rede 4G pode trazer de benefício na sua vida? Na prática, toda essa modernização traduz uma diferença bem impressionante no desempenho da conexão à Internet de um dispositivo móvel. Atualmente, o padrão 3G de rede mais avançado no Brasil, o 3G+, oferece opções de conectividade com velocidades médias de 3 Mbps. Com o 4G, o número pode ser de até 25 Mbps, com velocidades médias de 7 a 12 Mbps. 101

102 Site da FIFA em.net Analisamos o site da FIFA.com e compreendemos que o desing é padrão WEB 2.0, apontando de forma intuitiva e simples o conteúdo em questão. Mostra também opções de suporte para outros idiomas. Portanto, o site se apresenta com uma usabilidade excelente, deixando o seu usuário satisfeito e fornecendo todas as informações necessárias, desde cadastro, links para compra de ingressos e games. 102

103 Componente Curricular: Projeto de Redes Professor: Márcio Pinto Santa Helena Implementação 4G Em junho de 2013, quando a seleção de futebol estrear na Copa das Confederações, o Brasil entrará na era da internet móvel 4G. As operadoras de telefonia têm até abril para começar a vender o serviço que, no início, será para poucos, não pelo preço, mas pela cobertura. Em sua estreia, o 4G estará disponível em, no máximo, 50% da área urbana das seis sedes do torneio (Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Salvador e Rio de Janeiro), totalizando cerca de 10 mil antenas. Quem vinculou a implantação da rede 4G ao torneio de futebol foi o governo, dentro dos preparativos de infraestrutura para o Mundial de Por isso, São Paulo, que não sedia a Copa das Confederações, não é prioridade agora e pode demorar ainda mais para receber o 4G. Para especialistas do setor ouvidos pela Folha, as 10 mil antenas não são o suficiente, pois para cobrir a mesma área de uma antena 3G, são necessárias três ou quatro antenas 4G, por isso a oferta do novo serviço será tão limitada. Apesar da área restrita, a rede 4G nacional oferecerá os mesmos recursos das redes disponíveis no exterior: velocidade de transmissão de dados até 15 vezes superior à do 3G. O que significa, por exemplo, poder assistir a partidas de futebol ao vivo pelo celular sem as interrupções e os engasgos típicos do 3G brasileiro. Com a desoneração dos smartphones, o setor de telecomunicações espera que haja uma ampliação do uso do tráfego de dados para internet móvel 3G, que vem apresentando falhas diante do aumento da utilização dos serviços nos últimos tempos. Para o presidente do sindicato das teles (Sinditelebrasil), Eduardo Levy, a medida do governo, que deverá baratear os aparelhos em cerca de 10%, vai aumentar a demanda pelos serviços de dados. A situação, porém, ocorre quando o país passa a contar com 4G, o que tende a desafogar os serviços 3G. "O cliente do 4G tem um perfil de maior uso de dados, que paga mais pelo serviço, deixando o tráfego em 3G mais livre. O 4G, naturalmente, vai trazer uma melhora ao 3G", declarou Levy à Agência Estado. Segundo ele, o setor ampliou os investimentos para dar conta do aumento da demanda por serviços de dados, que têm como um de seus principais gargalos a dificuldade para a instalação de novas antenas radiobase. Uma nova lei está em tramitação no Congresso para facilitar a construção da infraestrutura. Um levantamento das operadoras mostra que um terço dos municípios brasileiros tem leis que dificultam a instalação de antenas de celular. São 242 leis municipais e 8 leis de alcance estadual. Levy afirmou, porém, que o setor conseguiu dobrar a velocidade de instalação de novas antenas desde o ano passado, e que vem negociando com alguns municípios uma flexibilidade para a construção da infraestrutura necessária para ampliar o tráfego de dados. O dirigente ressaltou que hoje o 103

104 país está ativando um smartphone por segundo" e, ao mesmo tempo, reduzindo o custo das tarifas cobradas dos usuários. "Isso gera um bom desafio para o setor", afirmou. Somados, os investimentos das quatro operadoras devem chegar a R$ 4 bilhões nessa primeira fase de implantação do 4G, sem contar os R$ 2,9 bilhões já gastos com as licenças do serviço leiloados em junho passado. Quando anunciou o Brasil como sede da Copa de 2014, a FIFA exigiu bom serviço de telecomunicações. Até aqui, no entanto, a oferta não corresponde aos planos para o torneio. Os estádios para a Copa das Confederações estão na reta final de preparação, apesar dos atrasos. Mas quando a bola rolar, quem estiver lá dentro pode ter dificuldades para se conectar à Internet e publicar fotos das novas arenas nas redes sociais. Ao escolher, em 2007, o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014, a FIFA cobrou do governo brasileiro a garantia de um "serviço exemplar" de telecomunicações, ciente da enorme demanda por conexão de dados por parte de torcedores e da mídia. A promessa do governo foi de que haveria a oferta de serviços de Internet móvel de quarta geração (4G) a tempo para os eventos. Mas, a pouco mais de dois meses do início da Copa das Confederações, evento-teste para o Mundial que acontecerá em seis cidades, de 15 a 30 de junho, o país ainda não possui uma oferta consistente de 4G nem mesmo para os clientes regulares das operadoras de telefonia móvel, e ainda apresenta problemas na qualidade dos serviços nas redes atuais. "A única coisa que podemos fazer é acreditar no que o governo diz, que haverá tecnologia 4G. Temos de ter paciência", disse o diretor de comunicação da FIFA, Walter de Gregorio, durante encontro com correspondentes da mídia estrangeira no Rio de Janeiro, esta semana. A FIFA, que repetidamente tem cobrado do Brasil nos últimos anos que acelerasse o ritmo dos preparativos com destaque para a polêmica frase do "chute no traseiro" dita pelo secretário-geral da entidade, JérômeValcke, em março de 2012 está preocupada com um possível "blecaute" das comunicações. Com mais de 4 mil jornalistas credenciados para a Copa das Confederações e estádios lotados, há a expectativa de uma enorme demanda por capacidade de rede, especialmente com as presenças no torneio da atual campeã mundial e da Europa, Espanha, e da tetracampeã mundial Itália, além da própria Seleção Brasileira. Transmitir informações e imagens com máxima velocidade de dentro dos estádios é fundamental para veículos de mídia em tempo real, e um eventual colapso nas conexões resultaria num problema de grande repercussão para os organizadores do evento. "Não posso imaginar um cenário em que os jornalistas não possam transmitir suas reportagens, é impensável um blecaute desse tipo", afirmou o diretor de comunicação da FIFA. A tecnologia 4G permite acesso à Internet móvel a velocidades bastante superiores às atuais disponíveis no país. A primeira licitação da frequência utilizada para esses serviços aconteceu em meados de 2012, com exigência para funcionamento a partir deste mês nas cidades-sede da Copa das Confederações. No entanto, as operadoras apontam a falta de regras claras gerais para instalação de antenas como um dos principais problemas, enquanto a Lei Geral das Antenas, projeto destinado a facilitar a instalação e 104

105 compartilhamento de antenas de telefonia, circula no Congresso desde 2012 e ainda não foi aprovada em caráter definitivo. O relatório do Tribunal de Contas da União (TCU apontou, em fevereiro, que a Anatel enfrentará dificuldades em implementar tempestivamente a parte que lhe cabe do compromisso assumido pelo Brasil, de apresentar uma moderna estrutura de telecomunicações", diante da complexidade das contratações necessárias para a execução dos projetos previstos. Dias depois, o secretário-geral da FIFA alertou que "nem todos os aspectos operacionais estarão a 100 por cento" na Copa das Confederações devido aos atrasos na entrega dos estádios. O governo garante que a infraestrutura de telecomunicações nos estádios estará pronta para os eventos. "Estou tranquilo porque, no caso da Telebrás, os investimentos quase todos já foram feitos e, no caso das empresas de telecomunicações, elas tiveram um pouco mais de demora por conta da liberação dos estádios. Mas são empresas que têm facilidade de investir", disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, após participar de audiência pública no Senado. Mas o governo não esperava tantos problemas jurídicos e ambientais para instalar a infraestrutura, em especial as antenas necessárias para a implementação do 4G, o que provocou atrasos no processo, de acordo com uma fonte do governo. Dentro dos estádios e centros de mídia, as autoridades "têm segurança de que não haverá problemas com a transmissão dos jogos e para quem usar a tecnologia 4G". O problema será o restante do atendimento para os demais usuários ou para quem estará trabalhando na Copa fora dessas áreas, acrescentou a fonte, que falou sob condição de anonimato. As Forças Armadas, por exemplo, contrataram um sistema de antenas próprio para usar durante a Copa das Confederações, já prevendo que pode haver problemas com o tráfego de dados durante o evento, afirmou a fonte. Segundo o ministro das Comunicações, serão instaladas antenas fixas nos estádios a serem compartilhadas entre as operadoras, com sinal para 2G, 3G e 4G. Mas os atrasos nas obras de algumas arenas, que deveriam ter ficado prontas até dezembro, mas serão concluídas apenas este mês, também podem atrapalhar. "Fiquei sabendo de uma coisa que era novidade para mim, que tem uma data que não sei qual é, em que tem de cessar todos os trabalhos", disse o ministro. A FIFA estabeleceu o dia 24 de maio como início do período de uso exclusivo dos estádios pela federação e o Comitê Organizador Local (COL) para montar os preparativos para a Copa das Confederações. Dos seis estádios que serão utilizados no torneio, apenas o Mineirão (Belo Horizonte) e a Arena Castelão (Fortaleza) ficaram prontos dentro do prazo original, dezembro de A Arena Fonte Nova (Salvador) e os estádios de Brasília, Recife e Rio de Janeiro tiveram suas obras concluídas recentemente. Fonte:

106 Componente Curricular: Promoção de Vendas Professor: Antônio Edilson Machado Kober Cultura Gaúcha e a Copa do Mundo FIFA de Futebol 2014 A cultura é a expressão do meio onde está inserido um determinado ser, podendo ser manifestada de diversas formas, como sua arte (pintura, danças, músicas...) seus hábitos (alimentação, festas, eventos...), manifestações religiosas, ritos populares, ou seja, como diz inger (1968 Uma r e d e q u e e n g l o b a u m c o n j u n t o d e d i v e r s o s a s p e c t o s c o m o c r e n ç a s, va l o r e s, costumes, leis, moral, língua, etc. A cultura brasileira é muito diversificada devido a sua imensidão territorial e múltiplas origens de seu povo, conforme explicita Ribeiro (1995). A região norte, com sua contribuição indígena muito presente; a região nordeste, com a mistura de índios, negros e brancos; a região sudeste, na sua diversidade de imigrantes e migrantes, e a região sul, com sua forte marca europeia. Dessa região, destacamos o Rio Grande do Sul neste breve estudo, no qual especulamos a cultura gaúcha como uma marca forte e reconhecida além de seus limites políticos e geográficos. O objetivo deste estudo busca avaliar a relação da cultura gaúcha com um evento do porte da Copa do Mundo de Futebol a ser realizada no Brasil em A Copa do Mundo de Futebol é um evento organizado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), que mobiliza atenção da grande maioria dos países do mundo. Sua primeira edição ocorreu em 1930, sediada no Uruguai, país marcado na época por um grande time, que venceu esse primeiro torneio. Deve-se ressaltar que o evento foi criado em função do futebol masculino. Apenas em 1991 é que foi criada a Copa do Mundo de Futebol Feminino, que inclusive ocorrerá esse ano (2011), com sede na Alemanha. Esse torneio é realizado a cada quatro anos, e deixou de ser organizado em apenas duas edições (1942 e 1946), em razão da Segunda Guerra Mundial ( ). (RONDINELLI, 2012) O turista, em geral, busca em suas viagens conhecer ao máximo os atrativos naturais, históricos, gastronômicos, as diferentes manifestações culturais que compõem a região visitada, conforme dizem Dorta e Drouguett (2004,... o turismo em busca de experiências diferentes e legítimas, ou seja, em busca da certeza de que está vivenciando aspectos distintos do cotidiano, espera encontrar elementos autênticos que comprovem a singularidade e a exclusividade do local. O turista esportista não é diferente dos demais, pois tem como objetivo principal assistir a um determinado evento esportivo, mas sabe-se que este é por um curto período de tempo dentro daquele do qual ele dispõe em sua viagem, ficando grandes lacunas de tempo disponível a outras atividades, cuja principal é a de conhecer e reconhecer as manifestações culturais no local visitado. 106

107 No Rio Grande do Sul temos vários ícones culturais. A Semana Farroupilha, por exemplo, mostra o valor da cultura gaúcha para a nossa sociedade, bem como para o Brasil e outros países. Trata-se de um evento de grande importância para a fixação da identidade regional, valoriza a cultura típica, manifestada por música, dança, literatura, usos e costumes. Sob o ponto de vista econômico, a cultura tem sido importante para o desenvolvimento do turismo, especialmente o interno. A relação que a Semana Farroupilha tem com o merchandising é simples, já que este tem por objetivo dar destaque a um produto. A Semana Farroupilha basicamente serve para isso, para expor toda a cultura gaúcha, colocando suas raízes aos olhos de milhões de pessoas, disseminando o desejo de consumirem suas manifestações culturais, como afirma Santos (2009 : Merchandising significa destacar a mercadoria, mostrar o produto é fazer merchandising. A cultura do Rio Grande do Sul está em voga há muito tempo, e recentemente o estado recebeu a equipe do Programa Intervención, que gravará um dos treze episódios do programa de gastronomia "Francisco del Piero en Brasil". A equipe percorrerá sete estados brasileiros durante dois meses. As cidades de Bento Gonçalves e Vacaria foram os cenários escolhidos para o programa no estado. A ação integra o programa de atividades que promovem e divulgam o Brasil como destino turístico. No cardápio gaúcho, pratos como o típico macarrão e polenta italianos acompanhados dos vinhos produzidos na região de Bento Gonçalves e o churrasco de carne de ovelha de Vacaria. O programa é apresentado pelo Chef Francisco del Piero em uma das maiores emissoras de TV a cabo da América Latina, que busca promover um produto turístico com foco na culinária e nos produtos típicos de cada região. Esta será uma grande oportunidade de mais um merchandising para o estado, afinal, sua gastronomia forte e marcante será destacada em um programa de televisão com âmbito internacional. Isso certamente valoriza nossa culinária, atraindo turistas a conhecer um pouco mais do sabor gaúcho. Na concepção do estudo, não se torna uma oportunidade de marketing, e sim de merchandising, pois é como se fosse uma ação para promover um produto. A diferença, nesse caso, é que essa grande exposição está sendo feita pelo chef, e não pela empresa/estado que tem esse produto. Fica o desafio a ser trabalhado em outros estudos, que é o de mantermos esse relacionamento da cultura do Rio Grande do Sul com esse visitante que estará nos visitando nos próximos anos em decorrência da realização da Copa do Mundo de Futebol FIFA, tendo Porto Alegre como uma das sedes dos jogos. A meta do marketing é conhecer e entender o consumidor tão bem, que o produto ou serviço se molde a ele e se venda sozinho. (DRUCKER, 2008) Ou seja, a capacidade de ouvir é de muita valia, uma vez que, sempre que buscamos entender a necessidade do cliente, ouvir e entender o porquê da busca dele a um determinado produto e ter a capacidade de não só possuí-lo, mas também oferecê-lo no momento certo é uma grande chave para um relacionamento de sucesso. Construção de uma rede de relacionamentos com todas as partes envolvidas no negócio da empresa entre clientes, fornecedores e intermediários. O marketing de relacionamento tem como finalidade buscar o maior contato com o consumidor a fim de identificar suas demandas, reclamações e sugestões, tornando o ambiente de consumo mais rentável e duradouro. (PEPPERS, ROGERS, 1997) 107

108 O orgulho que os gaúchos têm de sua terra e de suas tradições vai muito além do aspecto folclórico, como logo descobrem as empresas estrangeiras e de outros estados que tentam conquistar o mercado do Rio Grande do Sul: eles de fato dão preferência a produtos autóctones. Conforme Paulin (2009, essa espécie de protecionismo comercial por razões culturais é uma peculiaridade gaúcha. Nas demais unidades do país, a predileção por marcas locais é mais presente nas classes D e E. No Rio Grande do Sul, abrange também os mais ricos. Um levantamento realizado pela consultoria Nielsen mostra que os segmentos A e B gaúchos consomem 31% dos bens não duráveis fabricados na região, quase o dobro da média nacional. "É o único lugar do Brasil em que os mais bem aquinhoados são grandes consumidores de marcas regionais", diz Ana Carolina Franceschi, coordenadora da pesquisa. Para conviver com essa singularidade, é comum que as empresas forasteiras abracem as tradições locais. Para ganhar a confiança da clientela, algumas chegam mesmo a se passar por gaúchas. Segundo Ducker (2008), o marketing de relacionamento é um processo contínuo em que há uma identificação de valores para o cliente e o compartilhamento dos benefícios decorrentes durante todo o longo período de parceria. Portanto, não há marketing de relacionamento em curto prazo, demanda tempo. Um relacionamento não é feito de atitudes isoladas e sim de continuidade. Deverá haver valores em comum, compartilhando neste meio tempo o que foi conquistado na busca pelo mesmo objetivo. A cultura rio-grandense tem se perpetuado e se dissipado ao largo dos tempos, tendo sua história, cultura, culinária, danças e todas suas manifestações se relacionado na amplitude da palavra com outros povos, seja os que aqui chegaram ou quando seu povo vai além fronteiras, levando consigo suas manifestações e hábitos às culturas que visita, o que nos leva a crer que é um atrativo ímpar e que realmente pode fazer a diferença para atrair turistas adicionais àqueles que estarão acompanhando os jogos realizados no Rio Grande do Sul. Fontes: BLESSA, Regina - Merchandising no Ponto de Venda, Editora Campus, São Paulo, KOTLER, Philip Administração de Marketing 10ª Edição, 7ª reimpressão Tradução Bazán Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro. São Paulo: Prentice Hall, KOTLER, Philip; REIN, Irving J.; STOLLER, Martin. Marketing de Alta Visibilidade. Makron, 1ª edição, PAULIN, Igor. Revista Veja, 11 fevereiro de PEPPERS, D.; ROGERS, M. Empresa 1:1 Instrumentos para competir na era da interatividade. Rio de Janeiro: Campus, RONDINELLI,P. Acesso em abril de SANTOS, A. Como utilizar as técnicas de merchandising. Ed. Lins, São Paulo,

109 Componente Curricular: Qualidade de Serviço em Redes Prof. Adelmo Antônio de Souza Os alunos da turma da Disciplina de Qualidade de Serviço decidiram fazer uma abordagem sobre a qualidade de serviço que as operadoras de telefonia pretendem oferecer durante a Copa de 2014 na área do 4G. Existe a preocupação com um possível blecaute de comunicação, pois a FIFA exige que o governo ofereça condições para o funcionamento de serviço com qualidade 4G. Não basta instalar e montar toda a infraestrutura para o funcionamento dessa tecnologia, se a mesma não atender com qualidade de transmissão e recepção de som, dados e vídeos os clientes de todas as operadoras. 1. As operadoras devem se preocupar com a Qualidade de Serviço antes, durante e depois das transmissões e recepção das partidas da copa de Em 2014, o maior evento midiático do planeta terá o desafio de transmitir, a partir das cidades brasileiras, som e imagem em alta definição para televisores, computadores e dispositivos móveis espalhados por todo o mundo. Como a evolução tecnológica é muito rápida, fica até difícil prever que tipo de aparelho ou tecnologia estará na moda em 2014 e O último Mundial, na África do Sul, bateu recordes de audiência de notícias na Web e apresentou novas formas de acompanhamento dos jogos. O fato é que esta pesada infraestrutura de TIC terá que suportar o tráfego de conteúdo multimídia em banda realmente larga e dar vazão à imensa base de usuários conectados via redes sociais, que estarão compartilhando informações, vídeos e mensagens. Para suportar todo esse aparato tecnológico, uma massiva rede de computadores, atuando no modelo de computação em nuvem, deverá estar operando na retaguarda, a fim de poder disponibilizar QoS em todos os serviços disponibilizados antes, durante e depois dos jogos. Estima-se que durante a copa de 2014, além das TVs de alta definição e capacidade interativa, deverá haver em todo o mundo cerca de 2,25 bilhões de computadores e mais de seis bilhões de celulares recebendo ou compartilhando notícias da copa e, para que isso aconteça de maneira interativa e com qualidade, será necessário que as operadoras forneçam esse serviço com extrema qualidade. Os sistemas de apoio a transações eletrônicas bancárias e comerciais também deverão estar preparados para um pico de uso no período dos jogos, e isso envolve toda uma infraestrutura e configuração de QoS. As imensas oportunidades geradas pela combinação de tecnologias de mobilidade, GPS e mapeamento podem prover aos turistas e torcedores diversos e úteis funcionalidades, inclusive gerando mensagens de alerta e emergência em tempo real. Assim, percebe-se que a tecnologia, se não for bem dimensionada, poderá provocar um colapso na 109

110 transmissão e na recepção móvel, ou seja, um blecaute de comunicação durante a transmissão dos jogos de Anatel determina medidas para adoção do 4G na Copa das Confederações para que os serviços oferecidos pelas TV por assinatura não utilizem as faixas estabelecidas para a implantação do 4G e, em breve, será a TV aberta que opera na faixa de 700 MHz. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) determinou que as operadoras de TV por assinatura em microondas (MMDS) e o Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), nas cidades-sede da Copa das Confederações, deverão deixar de utilizar determinadas faixas em preparação à adoção do serviço móvel de quarta geração (4G). As operadoras não deverão utilizar as faixas de MHz a MHz e de MHz a MHz a partir do dia 12 de abril de 2013, sob pena de suspensão das licenças de funcionamento e lacre das respectivas estações, disse a Anatel. Segundo o cronograma do edital de licitação da faixa de 2,5 GHz, as cidades-sede da Copa das Confederações terão cobertura 4G até 30 de abril de As prestadoras desses serviços devem notificar seus clientes por escrito e não podem cobrar por rescisão contratual em caso de desinteresse do assinante. As empresas também podem substituir o plano ou dar descontos na mensalidade. "Enquanto as operadoras do serviço móvel e de MMDS não chegam a um acordo sobre os custos de substituição ou remanejamento para desocupação dessas faixas e a Anatel não analisa os méritos dos pedidos de resolução de conflitos, a própria agência tomou essa medida com o objetivo de garantir a desocupação das faixas para a cobertura das cidadessede da Copa das Confederações", disse a Anatel, que tem intenção de decidir tais pedidos antes de 30 de junho. 3. A melhor faixa de frequência para a implantação de 4G é a de 700 MHz. A melhor faixa de frequência para a implantação de 4G é a de 700 MHz, liberada com o fim da transição da TV aberta analógica para a digital. No Brasil, isso deve ocorrer em O Ministério das Comunicações publicou a Portaria Nº 14, de 06/02/2013, que estabelece diretrizes para a aceleração do processo de transição da TV analógica para a TV aberta e determina que a Anatel inicie os estudos para disponibilizar a faixa de 698 MHz a 806 MHz para 4G. A Anatel divulgou, no dia 21/02/2013, um regulamento sobre a nova destinação da faixa de 700 MHz, pelo qual recomenda a adoção do plano de banda da APT, que permite uso de 90 MHz ( MHz) de espectro. O próximo passo da Anatel será a elaboração do edital de licitação, que deverá passar por consulta pública após publicação no D.O.U. Enquanto se espera pela liberação da faixa de 700 MHz no Brasil, a Anatel destinou para o 4G (Resolução Nº 544, de 11/08/2010) a faixa de frequências de MHz a MHz, anteriormente destinada ao MMDS. 3.1 Claro lança 4G em 11 cidades A fim de oferecer serviço com qualidade, a operadora Claro lançou 4G em 11 cidades, pois o governo federal está forçando as operadoras a disponibilizarem essa tecnologia na Copa 110

111 das Confederações. A faixa usada para o 4G, no entanto, exige mais antenas do que a faixa de 700 MHz, utilizada na Europa e nos Estados Unidos, o que impossibilita as transmissões. No Brasil, a principal frequência da internet móvel e mais rápida está abrigando a TV analógica, que deve ser desligada totalmente somente em 2018, e os aparelhos de telefonia móvel disponíveis e compatíveis com essa tecnologia são nove: Nokia Lumia 820, Samsung Galaxy Express, Motorola Razr HD, LG Optimus G, Galaxy S3 LTE, Lumia 920, Xperia ZQ, Galaxy Note 2 e Galaxy S4. Essa ação levará tempo a ser implementada na sua totalidade. Além disso, os telefones estrangeiros que possuem 4G não funcionarão nas redes brasileiras, pois operam em frequência diferente. O Iphone 5 vendido no Brasil possui 4G, mas não funciona na rede do Brasil pois foi projetado para a frequência estrangeira. Para a Copa das Confederações, as cidades-sede, além de Porto Alegre, Curitiba, Campos do Jordão, Paraty e Búzios, serão como uma incubadora para receber o 4G. Nessas cidades, até junho o serviço deverá estar implantado G vai demandar a instalação de 9,5 mil antenas até a Copa de As torres necessárias para a tecnologia 4G serão colocadas nas 12 cidades que vão sediar jogos. O serviço começa a funcionar no país em abril de 2013 a fim de oferecer parte do QoS estabelecido pela Anatel. Para cumprir essa meta, será necessária a implantação de cerca de 30 torres por dia. Porém, as empresas vêm encontrando obstáculos para realizar essa tarefa devido a leis municipais que restringem a expansão de antenas de celular. Por conta das características da faixa de frequência que será usada no 4G no Brasil (2,5 GHz), o serviço vai exigir de duas a três vezes mais antenas do que a telefonia e internet móvel de terceira geração (3G). 3.3 A fim de tentar cumprir as metas estabelecidas pela Anatel até 2014 e reduzir custos, a operadora Vivo implantará antenas 4G em postes de iluminação pública. A Vivo já vem utilizando postes de iluminação pública para instalar os equipamentos necessários para a implantação de sua rede LTE no Brasil em fase de teste. O objetivo é diminuir os custos e também a poluição visual. A operadora já começou a operar em Brasília, o que está sendo chamado de antena sustentável. O dispositivo é basicamente um poste de iluminação pública com os equipamentos de operação enterrados em galerias no chão, deixando transparecer apenas a antena de fato no topo. Assim, a operadora espera diminuir o impacto visual nas cidades e enfrentar menos problemas para instalar suas antenas. Esse formato de transmissão foi desenvolvido pela empresa no Brasil e já está sendo patenteado. É uma solução que utiliza o mobiliário urbano existente e, por isso, é muito pouco notada, explica o presidente da Vivo, Antônio Carlos Valente. Mesmo sendo um formato novo de antenas, a operadora afirma que o custo para a instalação de uma unidade dessas é o mesmo que é gasto para posicionar uma antena 111

112 tradicional no alto de um prédio, por exemplo. Fora isso, a empresa pretende instalar mais 500 antenas sustentáveis para sua rede 4G até As primeiras cidades a receberem essa tecnologia devem ser as cidades que receberão os jogos da Copa do Mundo de 2014 e da Copa das Confederações, seguindo o cronograma da Anatel. 4. Oferecimento de QoS na transmissão de vídeo em resolução 4K Super High Definition (SHD) A resolução 4K existe em televisão digital e cinema digital. O termo refere-se a 4K resolução horizontal destes formatos, que são todos da ordem de pixels. 4K UHD é uma resolução de pixels pixels (8,3 megapixels), e é uma das duas resoluções da televisão de ultra-alta definição. A Copa do Mundo de Futebol é um evento de importância mundial que acontecerá no Brasil no ano de Sua contribuição no desenvolvimento tecnológico é eminente, dada a evidência e a audiência proporcionadas por esse campeonato. Concatenando a grandiosidade da Copa do Mundo e a tecnologia 4K, será analisada a topologia de uma rede de transmissão que envolva as doze cidades-sede. Essa rede tem o objetivo de transmitir e receber os sinais de áudio e vídeo de todos os jogos ao vivo, utilizando redes fotônicas e tecnologia de super alta definição em 4K. O grande diferencial nas transmissões em sinais HD e 4K é a banda utilizada na rede de contribuição, que fará a contribuição/distribuição dos sinais captados durante a Copa do Mundo. Apesar do aumento de banda, existem alguns pontos que devem ser considerados: a perda de pacotes, o controle de QoS (Quality of Service) e delay/ jitter. A perda de pacotes e o QoS estão diretamente relacionados. Deverá existir o controle de garantia da banda de transmissão, pois uma vez realizada a transmissão de pacotes que contenham vídeo, qualquer variação na banda de transmissão pode implicar na perda de pacotes. Essa perda poderá implicar na existência de macro blocos no ponto de recepção ou mesmo a perda de sincronismo. O delay/jitter pode ser causado também pela perda de pacotes, ou pelo próprio processamento intrínseco dos equipamentos de rede. 112

113 Componente Curricular: Redes de Computadores 1 Professor: Márcio Pinto Santa Helena Uma equipe de Planejamento e Gestão da Host Broadcast Services (HBS) realizou, no dia 09 de abril, uma visita técnica às obras da Arena da Baixada, em Curitiba. A empresa é oficialmente encarregada da transmissão dos jogos da Copa do Mundo da FIFA Os secretários extraordinários da Copa, Mario Celso Cunha (estadual) e Reginaldo Cordeiro (municipal), acompanharam a visita, ao lado de técnicos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), do Clube Atlético Paranaense e do Comitê Organizador Local (COL). Na reunião, foram tratados temas como área de localização dos caminhões de externas, sala de apoio do HBS, geradores de energia, cabeamentos subterrâneos e aéreos, localização das câmeras de televisão e geração dos sinais das transmissões. A FIFA detém os direitos de transmissão dos 64 jogos para mais de 260 países. A empresa HBS enviará os sinais para o centro de transmissão, que será montado no Riocentro (Rio de Janeiro, de onde o sinal será repassado para o mundo. Estaremos fazendo um teste oficial no jogo da Copa das Confederações, em Belo Horizonte, usando toda a estrutura que será utilizada na Copa do Mundo, disse o diretor de Broadcasting da HB, Gary Shaw. Ele informou ainda que não será utilizado o sistema 3D na Copa do Mundo do Brasil. Estamos finalizando os estudos para a implantação do 4K (Ultra High Definition, que é igual ao 3D, mas sem óculos, e com uma qualidade de imagem impressionante, disse Shaw. A equipe já visitou as arenas em São Paulo e Porto Alegre e deve seguir ainda para Cuiabá e Manaus. Reconhecimento facial No Brasil já estamos acostumados ao uso da biometria, seja a digital e a de voz. Ocorre que de todas as biometrias, aquela que mais cresce no contexto mundial é justamente a Biometria de Reconhecimento Facial, por um simples motivo: é a menos intrusiva das biometrias, capaz de identificar um indivíduo com ou sem sua colaboração de forma mais rápida e cômoda que as outras. A tecnologia de reconhecimento facial pode ser aplicada em muitas situações diferentes. O principal mercado é hoje relacionado à segurança. Na Copa do Mundo, a FAB e a Policia Federal estão investindo nessa tecnologia que será usada para vigilância nos estádios e arredores, com uso de câmeras, droides e até óculos para fazer o reconhecimento. Esses equipamentos já estarão disponíveis a partir da Copa das Confederações, mas também serão testados em futuros eventos até o Mundial. A utilização desses recursos não é uma novidade total aqui no Brasil, pois os mesmos já foram utilizados durante a Rio + 20, quando militares vigiaram dia e noite o local do evento. 113

114 No Brasil já há algumas empresas, como a Cogniex, que desenvolvem este tipo de software. O próprio Google está investindo milhões na compra de um software de reconhecimento facial para utilizar em seus aplicativos e mapas. Infelizmente, já existem modos de burlar esta tecnologia. Os japoneses criaram óculos que burlam o reconhecimento e existe um casaco com touca que também dificulta o reconhecimento. A tecnologia nos estádios para a Copa de O link acima fala sobre os sistemas e as tecnologias que serão adotadas dentro dos estádios na Copa de 2014, como a tecnologia sem fio (Wifi) para acompanhamento do jogo, por exemplo, que vai conter publicações sobre o estádio, o jogo, os jogadores e dados gerais sobre a cidade. Os torcedores não terão nenhum custo a mais e ainda poderão interagir com a página na intranet durante o jogo. Além de o sistema de segurança ser muito inteligente e possuir câmeras com recursos de alta definição da fabricante Sony, haverá câmeras com resolução HD e qualidade Megapixel. Teremos também recursos de analíticos, com os quais será possível fazer análises em vídeo e tratar a imagem de acordo com a função a que for programada. Uma câmera, por exemplo, ao identificar uma pessoa que está fazendo bagunça ou danificando alguma coisa no estádio, pode classificar essa imagem como risco e, a partir daí, a mesma poderá ser analisada de forma isolada dentro da imagem, sem afetar a imagem monitorada maior com resolução HD e qualidade megapixel. Fonte: Ciência e tecnologia brasileira na Copa do Mundo No dia 12 de junho de 2014, enquanto o mundo assiste à abertura da Copa do Mundo no Brasil, um ser humano normal, mas com uma prótese, dá o pontapé inicial ao evento futebolístico usando o poder da mente para mover pernas robóticas. Parece um filme de ficção científica, mas pode virar realidade. Um projeto multinacional chamado WalkAgain quer que a Copa do Mundo de 2014 seja aberta por um adolescente tetraplégico usando um exoesqueleto robótico que está sendo desenvolvido por uma equipe. Esse projeto pode receber apoios da FIFA e do governo federal. A armadura movida pelo pensamento é a evolução de estudos antigos de um neurocientista, que já conseguiu transformar atividade elétrica cerebral em movimento robótico e inclusive fez com que um robô localizado nos Estados Unidos mexesse pernas biônicas no Japão, em tempo real. Da mesma forma, uma pessoa com dificuldades motoras, usando apenas a força do seu pensamento, pode mexer a perna de um robô que nem precisa estar no mesmo local físico e controlar um exoesqueleto biônico que pode devolver-lhe os movimentos. "A ciência do século XXI vai possibilitar que entremos em ambientes com o pensamento que não foi possível alcançar com o corpo". Acredita-se que no futuro o ser humano possa se "libertar" do seu corpo e poderá expandir suas mentes para mecanismos externos. 114

115 O neurocienta brasileiro, criador do Campus do Cérebro em Natal e pesquisador da Duke University, inclusive já provou em pesquisas recentes com macacos que é possível uma comunicação bidirecional entre o cérebro e um computador, fazendo que a mente controle estruturas digitais e que as máquinas possam criar em nós estímulos como o da textura. Porém, a ciência jamais conseguirá criar uma máquina com o mesmo potencial do cérebro humano. "É impossível que o cérebro seja matematicamente simulado por uma máquina como um computador", afirma. A possibilidade de o cérebro se transformar e, de certa forma, aprender, é algo que jamais será copiado por um outro dispositivo. "O cérebro é capaz de se automodificar. Ele tem plasticidade para adaptar suas propriedades de acordo com o mundo em que vivemos". É dessa forma que daremos o pontapé inicial da Copa do Mundo de "O chute inicial vai ser um gol da ciência brasileira". Fonte: Sistemas aprovados para a Copa O Hawk-Eye (olho de falcão) é uma tecnologia oriunda do tênis e vem da Inglaterra. Até seis câmeras são utilizadas para gravar imagens do jogo, que são enviadas para um computador que avalia a posição da bola e, em caso de gol, envia um sinal para o relógio de pulso do juiz. Um ponto fraco: se um jogador cobrir a bola com o corpo, não é possível gravar a imagem. O GoalRef tem a decisiva participação do Instituto Frauenhofer, de Erlangen, na Alemanha. Nesse sistema é criado um campo magnético na área do gol e outro dentro e ao redor da bola, sempre que ela se aproxima do gol. A criação do campo magnético dentro e ao redor da bola é possível graças a um chip, embutido dentro da bola. A interação entre os dois campos magnéticos é captada por sensores instalados nas traves. Por meio das alterações no campo magnético na área do gol, é possível determinar a posição exata da bola. Também nessa tecnologia um computador envia um sinal para o relógio de pulso do juiz. Conexão 4G não funcionará A conexão 4G global trabalha na faixa de 700 Mhz, cuja licitação no Brasil só acontecerá em No país, as operadoras de telefonia celular operam no espectro de 2,5 Ghz, que exige um número maior de antenas, ao contrário do de 700 Mhz, atualmente utilizado para as transmissões da TV aberta. O leilão do 4G de 2,5 Ghz foi realizado em julho de 2012 e deve entrar em funcionamento até o próximo dia 30 abril nas cidades-sede da Copa das Confederações. Como alternativa, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, sugere que o turista compre no Brasil um chip com a tecnologia 4G local. Fonte: 115

116 Infraestrutura de link de dados na Copa Os desafios para o suporte ao crescimento das redes móveis de alta velocidade são imensos. Em 2014 e 2016 já veremos turistas desembarcando por aqui com smartphones demandando velocidades que não temos hoje. O número de pessoas conectadas via dispositivos móveis será muito maior em 2014 do que hoje. Em 2014, estima-se que além das TVs de alta definição e capacidade interativa, deverá haver em todo o mundo cerca de 2,25 bilhões de computadores e mais de seis bilhões de celulares. Alguns estudos apontam que o crescimento da banda larga no mundo será de 176%. A Internet é, portanto, um ponto crítico que deverá ser visto com toda atenção, para garantir que os serviços de mídia sejam entregues em todo o mundo com padrão internacional. Temos um longo caminho a percorrer. Hoje, são cerca de onze milhões de assinantes banda larga no país, com uma densidade de apenas seis conexões velozes para cada grupo de 100 habitantes. Em países desenvolvidos, a média está acima dos 25 para cada 100 habitantes. Nossa banda larga é uma das piores do mundo, sendo cara, lenta e mal distribuída. Em um ranking de 42 países, ficamos em 38º lugar. Nas cidades-sede existem ainda gargalos como Manaus e Cuiabá. Manaus, por exemplo, não tem opções de rota alternativa, caso ocorra algum problema na rede. Para atender aos megaeventos, os investimentos em infraestrutura de comunicações deverão ser bem elevados. A demanda em cima da infraestrutura de voz, dados e imagem é muito grande. Nos Jogos Olímpicos de Pequim, houve um pico de chamadas simultâneas na abertura do evento. Para efeito de comparação, em São Paulo ocorrem hoje entre 60 e 80 mil chamadas simultâneas. Claro que haverá uma demanda imensa no período dos jogos, voltando à normalidade logo após. Os estádios precisarão de redes de fibra ótica para conexão com o centro de mídia (International Broadcast Center). Mas a infraestrutura a ser pensada e instalada vai além dos estádios. Como teremos uma Copa baseada em tecnologias de mobilidade (100% das pessoas deverão ter dispositivos móveis), várias questões devem ser resolvidas, como o custo do roaming, que deve ser transparente aos turistas (ou a um custo fixo durante os eventos), e o uso de celulares para prover diversos serviços, como compra de ingressos e passagens de transporte público. Os sistemas de apoio a transações eletrônicas bancárias e comerciais também deverão estar preparados para um pico de uso no período dos jogos. As imensas oportunidades geradas pela combinação de tecnologias de mobilidade, GPS e mapeamento podem prover, aos turistas e torcedores, diversas e úteis funcionalidades, inclusive mensagens de alertas e emergência em tempo real. 116

117 Componente Curricular: Redes de Computadores 2 Professor: Márcio Pinto Santa Helena Investimentos e Perspectivas Estima-se que para o setor de Tecnologia da Informação (TI) serão necessários investimentos de R$ 309 milhões para acomodar o grande fluxo de dados associados ao megaevento. Um dos grandes investimentos nos estádios foi o moderno sistema de catraca eletrônica, baseado na solução de ingressos e cartão inteligente para controle de acesso ao estádio Rei Pelé em eventos e programas de fidelidade aos torcedores. Na primeira fase do projeto, os ingressos com tarjas magnéticas foram comercializados em pontos de vendas e nas bilheterias do espaço. O torcedor tinha até vinte segundos para passar nas catracas eletrônicas com leitor óptico instalado nas portarias. Há também muitos investimentos no setor de comunicação eletrônica e imagens de vídeo, que são os principais recursos para auxiliar os árbitros no futuro. Esses recursos tecnológicos já existem e alguns, inclusive, estão sendo testados. O problema está em implantá-los oficialmente. Os desafios são imensos. Um deles é o suporte ao crescimento das redes móveis de alta velocidade. Em 2014 e 2016 já veremos turistas desembarcando por aqui com smartphones demandando velocidades que não temos hoje. Em 2014, estima-se que além das TVs de alta definição e capacidade interativa, deverá haver em todo mundo cerca de 2,25 bilhões de computadores e mais de seis bilhões de celulares. A Internet é, portanto, um ponto crítico que deverá ser visto com toda atenção para garantir que os serviços de mídia sejam entregues em todo o mundo com padrão internacional. Nossa banda larga é uma das piores do mundo, sendo cara, lenta e mal distribuída. Os investimentos em infraestrutura de comunicações deverão ser bem elevados. A demanda em cima da infraestrutura de voz, dados e imagem é muito grande. Com esses investimentos em comunicação e informação, o Governo pretende colocar um sistema integrado que permitirá o acesso a informações que, por exemplo, vão facilitar a identificação antecipada de pessoas procuradas pela Interpol e, conforme o caso, até evitar que elas consigam embarcar. A integração envolve não apenas os bancos de dados do Infoseg (Ministério da Justiça), da Interpol, mas também dados policiais e criminais dos estados. Em defesa das ações do governo, Monteiro Neto falou ainda da capacitação de profissionais para reforçar o policiamento de áreas estratégicas, como portos, aeroportos e fronteiras, além da participação de forças de segurança de outros países para atuar durante os eventos. O Ministério do Turismo estima que entre 600 mil e 1 milhão de estrangeiros virão ao Brasil para a Copa de 2014, e que outro milhão de brasileiros viajará pelo país durante o torneio. Em 2014, as atuais redes 3G provavelmente já estarão ultrapassadas tecnologicamente e 117

118 os turistas poderão chegar aqui com dispositivos 4G, com altíssima velocidade de transmissão. A Internet é, portanto, um ponto crítico que deverá ser visto com toda atenção, para garantir que os serviços de mídia sejam entregues em todo o mundo com padrão internacional. Nossa banda larga é uma das piores, sendo cara, lenta e mal distribuída. Temos um longo caminho a percorrer. Hoje, são cerca de onze milhões de assinantes banda larga no país, com uma densidade de apenas seis conexões velozes para cada grupo de 100 habitantes. Em países desenvolvidos, a média está acima dos 25 para cada 100 habitantes. Em um ranking de 42 países, ficamos em 38º lugar. Nas cidades-sede existem ainda gargalos como Manaus e Cuiabá. Manaus, por exemplo, não tem opções de rota alternativa, caso ocorra algum problema na rede. Fontes: Cabeamento estruturado para a Copa do Mundo Fabricante de soluções de cabeamento estruturado e redes ópticas, a Furukawa é líder nacional do segmento de Cabling no Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. A indústria, de origem japonesa, está presente há 37 anos no mercado brasileiro, com matriz e unidade industrial em Curitiba, Paraná. Uma das parceiras do governo brasileiro para a realização da Copa de 2014, a Furukawa será responsável pelo cabeamento e estrutura de rede na maioria dos estádios de futebol do país. Para cada estádio serão usados em torno de 102 km de cabos metalizados e 12 km de fibras óticas. Estarão cobertos, aproximadamente, 1500 mil pontos de acesso entre campo, vestiários, espaços operacionais, arquibancadas, camarotes e áreas externas dos centros esportivos. O Sistema Furukawa GigaLan Premium vai conectar todos os serviços de dados, voz e imagem em uma única rede, superando as exigências e expectativas da FIFA em termos de modernidade. A empresa foi escolhida por ser a única a oferecer serviço de integração na categoria Premium, além da agilidade e eficiência na implantação do sistema. GoalControl é escolhida pela FIFA para fornecer tecnologia para a Copa das Confederações O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, divulgou por meio de seu Twitter oficial a empresa que será a fornecedora da tecnologia de linha de gol (TLG) para a Copa das Confederações e, se tudo der certo, a Copa do Mundo. A escolhida foi a GoalControl. 118

119 A GoalControl utiliza câmeras para seguir a bola e espalha sete câmeras para cada gol nas coberturas dos estádios. Cada câmera, por sua vez, possui um computador que mapeia onde a bola está e envia essas informações para um software central. São captadas mais de 400 imagens 3D por segundo. Não há nenhum tipo de restrição à forma como a tecnologia é produzida e o barateamento do sistema, segundo fontes ligadas à GoalControl, é "questão de tempo". De acordo com informações da própria FIFA, a escolhida GoalControl fornece a tecnologia que melhor se adapta às condições dos estádios e do clima brasileiro. O único detalhe pendente entre as partes trata dos testes de instalação em cada um dos estádios da Copa das Confederações. Em caso de sucesso no torneio-teste, a tecnologia deve ser escolhida oficialmente para a Copa de Análise da arquitetura de transmissão das 12 cidades-sede com resolução Full HD Antes de analisarmos a transmissão de sinais de super alta definição, é necessário entender o processo de contribuição utilizado no momento. O processo que envolve a transmissão de um jogo de futebol é composto pela captação, pós-produção e processamento desses sinais. Na fase de captação, são instalados câmeras e microfones ao longo do estádio, que enviarão os sinais para uma central técnica que processará o áudio e o vídeo, fazendo o corte de câmera, mixando o áudio, inserindo artes gráficas para o produto final a ser transmitido. As fases de captação e processamento não são o foco desse trabalho. A abordagem acontece a partir do sinal de áudio e vídeo finalizado, para então ser transmitido. A análise, a seguir, é baseada no que há de mais moderno nas transmissões televisivas ao vivo de eventos esportivos no Brasil, que é o sinal de alta resolução Full HD e codificação JPEG2000. O sinal finalizado, ao entrar na cadeia de transmissão, será codificado e convertido a um protocolo IP. Para esse estudo consideramos o padrão de codificação JPEG2000. O Sinal HD, codificado nesse padrão, tem uma taxa de aproximadamente 150 Mbit/s. Para o encapsulamento IP, será acrescido a esse sinal de vídeo um cabeçalho de aproximadamente 10%. O transportstream (TS) final terá aproximadamente 165 Mbit/s. Para ser transmitido através de meios fotônicos, o sinal elétrico é convertido a um sinal óptico. Após a conversão, o sinal é enviado através de uma rede de transmissão óptica que, por sua vez, irá endereçar o caminho percorrido pelo transportstream. No ponto de recepção, o TS fará exatamente o caminho oposto, sendo convertido para sinais elétricos, decodificados, recuperando o sinal de áudio e vídeo original. Para os jogos da Copa, porém, a rede não será ponto a ponto, e sim haverá uma rede de fibra óptica de conexão entre as doze cidades-sede. Para desenhar a topologia da rede, é necessário considerar que na Copa acontecem até três jogos simultâneos. Dado esse fato, é necessário prever que cada cidade que estiver transmitindo um jogo estará com um fluxo de três sinais: um sinal de transmissão e outros dois de recepção, não sendo considerada redundância no primeiro momento. As cidades que não estiverem transmitindo nenhum jogo, entretanto, contarão com até três sinais de recepção. Cada sinal, seja ele de recepção ou de transmissão, necessita de uma banda de aproximadamente 165 Mbit/s, 119

120 considerando que haverá o tráfego de três sinais em cada localidade. Será necessária uma banda mínima total de aproximadamente 495 Mbit/s na rede das doze cidades. A proposta de arquitetura de rede que compreende as cidades-sede foi desenhada considerando as distâncias geográficas e as cidades que contenham mais estruturas para serem as unidades administrativas dessa rede, que se baseia em quatro anéis. Um desses anéis é composto apenas pelas cidades que terão o gerenciamento dessa rede. São elas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Brasília. Considerando o tráfego dos três sinais simultâneos a um fluxo total de 495 Mbit/s, uma rede de 1Gbit/s seria suficiente para trabalhar com os sinais HD com compressão JPEG2000, ainda com uma margem de banda razoável por questões de segurança e reservas técnicas e sem considerar a redundância de sinais. Se for considerado que para cada sinal enviado haverá um sinal de redundância, o Fluxo total então será de 990 Gbit/s. Assim, também a segurança das transmissões é sugerida com uma rede de 2Gbit/s. 120

121 Componente Curricular: Redes Wireless Professor: Dione Taschetto Tecnologia 4G está disponível comercialmente nas seis sedes da Copa das Confederações A tecnologia 4G está comercialmente disponível nas seis sedes da Copa das Confederações: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador. O anúncio oficial foi feito nesta terça-feira (16.04), em Brasília. Na ocasião, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, reiterou que o serviço estará disponível durante o torneio, de 15 a 30 de junho, e previu serviços de excelente qualidade nas 12 sedes do Mundial, em O ministro lembrou que o Mundial será o primeiro evento de envergadura a ter cobertura 4G em telefones móveis. o ano passado, em Londres, nas Olimpíadas, ainda não tínhamos celulares de quarta geração. É uma grande responsabilidade nossa porque todos vão querer saber se vai funcionar bem, disse. Paulo Bernardo afirmou, ainda, que a migração de usuários para a rede 4G tende a melhorar a rede 3G, reduzindo o congestionamento. Para Paulo Bernardo, os preços cobrados pelo serviço também devem cair com o crescimento da rede. Além das seis sedes da Copa das Confederações, o serviço também pode ser contratado em outras cinco cidades: Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Campos do Jordão (SP), Paraty e Búzios (RJ. A velocidade será até dez vezes mais rápida do que temos hoje no 3G, afirmou o presidente da Claro, Carlos Zenteno. Segundo a empresa, foi feito um investimento de R$ 510 milhões na primeira etapa de instalação da nova tecnologia e a cobertura está completa em 90% das áreas principais das seis sedes da Copa das Confederações. A estrutura montada para o 4G será compartilhada pelas operadoras, como já é feito com os demais serviços. O esforço feito para implantar a rede nos estádios e aeroportos foi compartilhado, disse Zenteno. Fonte: Tecnologia alemã da linha do gol é escolhida para Copa de 2014 A FIFA havia licenciado quatro tecnologias para a linha do gol: a inglesa Hawk-Eye e as alemãs Cairos Technologies, GoalRef e GoalControl, que saiu vencedora da concorrência. O sistema da GoalControl utiliza 14 câmeras sete para cada gol montadas sob a cobertura do estádio. Um software especial cria imagens 3D da posição da bola em relação ao gol. 121

122 Dirk Broichhausen, diretor administrativo da GoalControl, explica que, quando a bola ultrapassa a linha do gol, o sistema envia um sinal ao relógio do árbitro em apenas um segundo. As 14 câmeras produzem 500 quadros por segundo o que significa 2 gigabytes de dados transmitidos a 15 computadores através de cabos de fibra ótica. Mas, em última instância, a decisão de validar ou não o gol caberá ao árbitro. A tecnologia serve apenas como uma ferramenta para auxiliar os juízes da partida. Fonte: Prestação de serviço de rede de dados à distância (WAN) para o sistema integrado de comando e controle (SICC) O presente Termo de Referência tem por objeto o registro de preço de eventual contratação de prestação de serviço de rede WAN Nacional, de rede WAN Estadual, pacote de dados GSM (Global System for Mobile) através de SIM Cards para dispositivos móveis e solução de serviços de envio e recebimento de mensagens de texto do tipo SMS (Short Message Service) para múltiplos destinatários, necessário para a utilização dos sistemas, aplicativos, estruturas de rede de dados e ferramentas de tecnologia para a interligação dos Centros Integrados de Comando e Controle-CICC [sendo 02 (dois) 122

123 nacionais, 12 (doze) regionais e 27 (vinte e sete) móveis], que serão empregados nas cidades-sede da Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo de 2014 e em outros grandes eventos. São consideradas neste Projeto Básico as soluções a seguir: Registro de preço para eventual contratação de empresa de provimento de serviço de redes de dados de longa distância para o fornecimento de uma rede MPLS (Multi Protocol Label Switching) com capacidade para prover tráfego de dados e voz que suporte todo conjunto de aplicações e sistemas para o Centro Integrado de Comando e Controle (Nacional, Nacional Alternativo, Regional, Local e Móvel) e conectividade das organizações regionais, compreendendo o fornecimento, instalação e manutenção dos circuitos e equipamentos que compõem a rede de comunicação de longa distância (rede WAN Wide Area Network), com gerenciamento pró-ativo de rede Registro de preço para eventual contratação de empresa provedora de links de acesso à internet para os CICCR s e CICC s Registro de preço para eventual contratação de empresa de telefonia para prestação de Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC, com fornecimento de 02(dois) circuitos digitais E1 por unidade CICCR e CICCN, totalizando 14 unidades CICC, com disponibilidade de até 60 canais por CICC e serviços de ligações de longa distância Nacional e Internacional, destinados a atenderem às necessidades do SICC Registro de preços para provimento de pacotes de dados em redes wireless 3g/4g/LTE por meio de SIM Cards para tráfego de dados entre as unidades físicas e unidades móveis do sistema SICC Registro de preço para a possível contratação de Serviços de Envio e Recebimento de Mensagens de Texto SMS (Short Message Service) em Dispositivos Móveis, incluídos os Serviços de Gerenciamento e Licenciamento de uso de plataforma, aplicativos, infraestrutura e suporte técnico necessário O objeto deste projeto básico também contempla o suporte técnico e a manutenção da solução, conforme o Acordo de Nível de Serviço (ANS) e prazo. Utilização de banda larga móvel As previsões de utilização de banda larga móvel no mundo indicam que nos próximos anos haverá predomínio das tecnologias HSPA/HSPA+ e LTE. O HSPA é o primeiro passo na evolução da tecnologia WCDMA, com transmissão de dados que atinge, teoricamente, de 1,8 Mbit/s a 14,4 Mbit/s, que possibilita 7 aplicações, as quais demandam alta taxa de dados. São várias as tecnologias móveis de TV Digital disponíveis atualmente, já testadas comercialmente e que poderão fazer parte do mainstream em Após uma série de estudos de análise de riscos e adaptações de padrões a características específicas do país, o Brasil optou em 2006 pelo padrão Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial (ISDB T). A TV móvel e os serviços móveis durante a Copa de

124 provavelmente compartilharão o mesmo dispositivo, mas permanecerão em diferentes ecossistemas (TV e telecomunicações). Em termos tecnológicos, os megaeventos esportivos representam algum tipo de inovação em maior escala. Da Copa de 1966, quando a Europa assistiu pela primeira vez aos jogos com transmissão ao vivo por satélite, passando pela de 1970, com a primeira transmissão ao vivo dos jogos a cores, e pela de 2002, com o WiFi suportando nos estádios a transmissão de imagens em menos de dois minutos, chegamos à Copa de 2010 com a estreia da transmissão ao vivo pela internet. Na África do Sul também foi o momento das redes sociais se apresentarem com estrondo na cobertura da Copa do Mundo. Um gol era comentado no T itter em dez segundos. o ano passado, já durante os jogos de Inverno, em Vancouver, tivemos uma amostra do que estava por vir. Foram transmitidas 25 mil horas de vídeo pelos meios tradicionais e iguais 25 mil horas pelos meios digitais, das quais 6 mil horas em telefones móveis, observa Michele aili, consultora da área de TV com experiência na cobertura de grandes eventos. Para ela, não há dúvida de que a Copa 2014 será o grande evento da mobilidade. Mas as expectativas para a telefonia móvel na próxima Copa vão além da transmissão de imagens e vídeos pelo celular. Muitos esperam que os smartphones também venham a ser utilizados como uma importante ferramenta na prestação de serviços, como dinheiro móvel, transferência de recursos e aplicações baseadas em localização. O Ministério das Comunicações quer que as 12 cidades-sede da Copa do Mundo, e talvez as demais subsedes, que podem elevar para 30 o número de localidades, tenham pelo menos 80% de cobertura territorial com o LTE (Long Term Evolution). Para que isso funcione, o ministro Paulo Bernardo tem reiterado sua promessa de realizar até abril do próximo ano o leilão das faixas de frequências de 2,5 GHz para a implantação da quarta geração de telefonia móvel no país. A possibilidade de expandir a velocidade da banda larga nas cidades-sede tem sido uma das maiores bandeiras de Paulo Bernardo quando se trata de Copa Ele fala em conexões que podem chegar a até 100 Mbps nas cidades-sede. Para isso, garante que a Telebras estará no comando da infraestrutura dessa rede de alta velocidade, que ficará como legado para a estatal nos próximos anos. O investimento nessa infraestrutura está estimado em R$ 200 milhões. Fontes: 124

125 Componente Curricular: Representação e Vendas Professora: Miriam Mariani Henz Oportunidades comerciais para a Copa do Mundo 2014 A Copa do Mundo FIFA 2014 pode gerar 929 oportunidades de negócios para micro e pequenas empresas nas cidades-sede e no seu entorno em todas as regiões do Brasil, segundo pesquisa realizada para o SEBRAE. Preparar os empresários para essas oportunidades é o foco do programa SEBRAE O mapa de oportunidades engloba nove setores da economia: agronegócio, comércio varejista, construção civil, madeira e móveis, produção associada ao turismo, moda, serviços, tecnologia da informação, e comunicação. O evento é um motivador de oportunidades para novos negócios e vai ajudar a fortalecer empresas já estabelecidas. No entanto, é fundamental que essas empresas tenham vida longa e sejam sustentáveis mesmo depois da Copa. No geral, o padrão de vida da população também pode melhorar, na visão dos especialistas. O legado. Essa é a palavra-chave pós-copa, ou seja, o que é que vai ficar depois de terminado o evento. Fora as obras de infraestrutura e as melhorias em diversos setores da economia, um dos maiores legados que a competição pode proporcionar é o estímulo à formalização. O jovem empreendedor é fundamental nesse processo, porque ele vai começar direto. Outro ponto muito importante, segundo Rafael Plastina, é que a Copa irá criar uma cultura do esporte como negócio sério e rentável. O consumidor passará a ir aos eventos, comprar cada vez mais produtos, solicitar serviços e exigir qualidade. Criar uma nova geração de consumidores com essa visão é tudo que o Brasil precisa no esporte em todos os níveis, diz Rafael. Fontes: Oportunidades comerciais para a Copa do Mundo 2014 As oportunidades para a Copa de 2014 são uma demanda prevista e surgem quando o empreendedor identifica e oferece uma solução para algo que as pessoas querem e não há quem ofereça. Oportunidades estão em diversas áreas e também em soluções para problemas que serão naturalmente gerados com um evento deste porte. 1) Conclusão dos estádios no tempo correto Isso vai gerar falta de mão de obra na construção civil; exigirá capacidade para entrega de serviços urgentes e feitos na hora. 2) Colapso dos aeroportos Atrasos em voos vão gerar uma multidão de pessoas que terão que esperar sem ter o que fazer, com fome e sede; busca por transporte alternativo. 125

126 3) Atendimento de visitantes estrangeiros nas cidades-sede Pessoas na cidade com pouco tempo e vontade de conhecer os principais pontos turísticos; a língua oficial será o inglês, e do taxista ao cobrador de ônibus, passando pelo balconista de lojas, precisarão se comunicar com esses turistas; pessoas com horários diferentes estarão circulando 24 horas pela cidade; pessoas procurando os mais diversos serviços rápidos como costura, lavanderia rápida, assistência técnica para produtos de última geração. 4) Transporte urbano Pessoas precisarão se deslocar de um lado para outro; o acesso aos estádios deve ser facilitado em dias de jogos. 5) Comunicação e expressão Em 2014 haverá milhares de pessoas procurando soluções para se comunicar com ferramentas que neste momento ainda nem foram lançadas no mercado; busca constante por informações da cidade; todos os serviços devem ser ofertados na internet e precisaremos de alguém que faça o site e divulgue na internet; os patrocinadores oficiais serão os únicos que poderão divulgar suas marcas na cidade neste período e essas grandes marcas necessitarão de vários serviço. 6) Falta de mão de obra especializada Treinar pessoas pode custar muito para as empresas, mas sem treinamento as empresas podem perder muito dinheiro, portanto alguém terá que capacitar as pessoas para um atendimento com padrão mundial; para treinar tanta gente, pode-se fazer uso da educação à distância pela internet. 7) Segurança Aqui não pensamos na segurança apenas como responsabilidade do Estado. Neste período haverá muitas festas, muita bebida e tietagem nos hotéis e centros de treinamento; alguns turistas estarão apenas de passagem pela cidade e precisarão guardar sua bagagem e documentos. Fontes: Oportunidade comercial na Copa do Mundo 2014 O Brasil espera receber 500 mil turistas estrangeiros na ocasião da Copa do Mundo 2014 e movimentar dezenas de milhões de brasileiros pelas cidades-sede, produzindo um impacto direto na atividade turística, gerando empregos e promovendo a sustentabilidade econômica, social e ambiental. Os investimentos em infraestrutura e serviços previstos para a Copa do Mundo de 2014 ultrapassam R$30 bilhões. As cidades-sede serão Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo e vão receber de investimento em infraestrutura cerca de R$14,54 bilhões. A ABIH do RS, que é a associação da indústria de hotelaria, não está nem um pouco preocupada com a situação relacionada com a hospedagem de visitantes durante a Copa de É que até lá, Porto Alegre contará com 10 mil quartos de hotel. Estarão aqui bandeiras internacionais como Marriot, Accor, Sheraton, Holliday Inn e Hyatt. 60% dos hotéis pertencerão a redes hoteleiras, inclusive do RS, como Intercity, Master, Suarez, Swan, Plaza e Laghetto. A Accor é a mais importante, com 11 hotéis das suas diversas bandeiras, menos Sofitel. Cinco mil trabalhadores estarão contratados. Brasil terá 19 mil 126

127 novos quartos na rede hoteleira. Os investimentos terão como objetivo acompanhar o setor turístico e qualificar o serviço de recepção para atender a oferta aos megaeventos que o País sediará. Até a Copa do Mundo de 2014 serão construídos 109 novos meios de hospedagens nas cidades-sede, segundo dados das secretarias estaduais e municipais de turismo repassadas ao Ministério do Turismo (MTur). Com isso, o MTur reforça o monitoramento dos novos meios de acomodação e dos programas de qualificação profissional. Temos desenvolvido uma série de ações para acompanhar a oferta de meios de hospedagem, afirmou o ministro Gastão Vieira. Melhorias previstas para o setor receptivo: Para garantir o bom atendimento dos turistas, o MTur investe R$ 25,4 milhões em projetos de qualificação profissional nos estados e cidades-sede da Copa do Mundo, através de 50 mil matrículas oferecidas desde Os projetos são implementados por meio de convênios com estados e municípios para oferecer formação específica aos profissionais do setor. A expectativa é de que o Ministério de Turismo lance um novo pacote de ofertas de vagas para os cursos de qualificação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Copa). O setor mais beneficiado pelo fluxo de estrangeiros será o da hotelaria, que deverá receber R$2,1 bilhões dos visitantes, seguido da alimentação, com R$902,8milhões e pelo comércio, com R$831,6 milhões. Um exemplo de empreendimento no setor hoteleiro é o Cosmopolitan Master Palace Hotel, o mais novo da rede e o de maior capacidade de hospedagem, localizado no bairro Floresta. Após conclusão das obras previstas para até o final deste ano, contará com um Shopping Center de atrações anexo ao Hotel com cinemas, lojas multimarcas, praça de alimentação e muito mais. Boa parte dos investimentos que estão sendo movimentados agora possuem fins duráveis de utilização pós-copa, acreditando-se que venha a acontecer de forma natural a promoção de eventos e a manutenção preventiva para que essa nova cadeia econômica não se rompa. Espera-se que os cursos de qualificação profissional não venham cessar, promovendo, assim, a manutenção dos empregos gerados para atender a demanda da Copa e que continue sendo crescente e contínua. A preocupação geral das cidades-sede é com o pós-copa, com a baixa na demanda de vagas nos meios de hospedagem e com os custos para se manter a estrutura existente. Fontes: Artigos:Turismo pode faturar até R$ 6 bilhões com Copa Rafael Massimino - SP

128 Brasil Pós-Copa do Mundo de 2014 Estudos mencionam benefícios intangíveis da Copa de 2014 para o Brasil: visibilidade internacional, consolidação da imagem do país no exterior pela capacidade de organizar um evento desse porte, maior exposição de produtos e serviços para o mundo e maior aproveitamento do potencial turístico, principalmente com a divulgação de atrações regionais. Além do tão falado legado que o torneio deve deixar para as cidades em termos de infraestrutura, o horizonte se mostra fértil para oportunidades de uma série de serviços subcontratados de pequenas empresas locais, que vão se desenvolver em consequência dos grandes investimentos. Além disso, após os jogos, o desenvolvimento que essas empresas adquiriram, o quanto elas se profissionalizaram e avançaram em competitividade deve fortalecer ainda mais as pequenas e médias empresas brasileiras. Gestão de Arenas EUROBORG Um bom exemplo para Arenas Brasileiras está na Holanda: o estádio EUROBORG, casa do F C GRONINGEN. O segredo do sucesso é muito simples: o clube contratou uma pesquisa perguntando à população local sobre o interesse da iniciativa na região onde ele foi erguido. A resposta: a maioria dos moradores era contra a construção da arena, porém a mesma pesquisa apontou que a população tinha interesse em ver construída na área salas de cinema, supermercados e escolas. Com base nisso foi construído um centro de entretenimento e cidadania junto à arena, com capacidade para lugares, uma escola, salas de cinema, supermercado, cassino e academia de ginástica. Aliado ao projeto foi criado uma estação ferroviária temporária em 2007, que foi substituída pela definitiva em 2010, a 200 metros do estádio, a Groningen Europapark, além da ampliação do sistema rodoviário com a circulação de novas linhas de ônibus. Hoje em dia, os torcedores comparecem em grande número a todos os jogos do clube e estão muito satisfeitos, pois seus interesses iniciais foram atendidos. O segredo desse sucesso é muito simples: o clube escutou sua maior fonte de renda, seus torcedores, e desenvolveu um projeto voltado para os seus interesses, o que se traduz em uma grande fonte de renda. Outros exemplos de sucesso: Camarote que é utilizado como hotel, em dias sem jogos na Ricoh Arena. Pista de hóquei no gelo montada no gramado do Stade de Suisse. Wembley transformado em uma grande pista de corrida. Amsterdam Arena 128

129 A Amsterdam Arena é bom exemplo de uma valiosa parceria público-privada, na qual a necessidade de sucesso comercial foi com muito êxito integrada a um projeto de desenvolvimento urbano e de revitalização social. Uma cooperação de sucesso entre o Governo da cidade de Amsterdam, o AFC Ajax Club e todas as outras empresas e organizações envolvidas nesta parceria. Como a Amsterdam ArenA foi a primeira arena multifuncional da Europa, os demais estádios do mundo vêm solicitando o apoio da Amsterdam ArenA em seus projetos desde sua inauguração. Em 2000 o diretor-executivo, Henk Markerink, constituiu a Amsterdam ArenA Advisory, seguida pela inauguração da ArenA do Brasil em Até o momento a Amsterdam ArenA Advisory já executou projetos em mais de 20 países. A Amsterdam ArenA Advisory e a ArenA do Brasil é composta por uma equipe de especialistas e de gestores de estádio para a conceituação, desenvolvimento e operação de arenas multifuncionais. Nossas referências confirmam a nossa experiência em trabalhar de acordo com os requisitos da FIFA e com estádios que estão sendo usados para os maiores torneios de futebol do mundo. Aproximação do clube e seu torcedor, fiel consumidor - Middlesbrough FC Inglaterra, Middlesbrough FC. Após inúmeras reclamações dos torcedores sobre a prática de altos preços nos dias de jogos do clube dentro do próprio estádio, o Riverside Stadium, a direção decidiu que já na próxima temporada irá fazer duas ações para aproximar seus torcedores e fiéis consumidores. A primeira delas será a distribuição gratuita de uma bebida dentre as servidas no cardápio, que inclui vinho, cerveja, refrigerante e bebidas locais, independente do ingresso que o torcedor possua. Uma ótima ideia, se levarmos em conta que possuindo restaurantes dentro do estádio e que a cultura local é de fazer do jogo um evento em família. Além da relação clube e torcedor, a tradição de passar a paixão de pai para filho, acaba gerando um tratamento diferenciado, como um presente pela presença, por desfrutar da companhia e privilégio da presença em sua casa, para ser parte importante e não só integrante. A segunda ação consiste na gratuidade para os responsáveis com os filhos menores de onze anos de idade e idosos. Estes terão ainda uma área reservada, a Generation Red Family Zone, que ficará localizada na parte nordeste do estádio. Essa atitude da gestão do Riverside Stadium atingiu seu objetivo, gerando renda para o clube devido a este tratamento diferenciado, satisfação no seu torcedor, valorização e união. Fontes:

130 Componente Curricular: Segurança de Sistemas A (TI) Professor: Juliano Lucas Moreira A turma de Segurança de Sistemas realizou uma pesquisa, com o intuito de tentar prever possíveis ameaças à segurança da informação, as quais o Brasil estará sujeito na Copa do Mundo de Também foram pesquisadas formas de prevenção de ataques à informação, que o governo está adotando para a Copa do Mundo. As principais ameaças levantadas pela turma foram: Ataques do tipo Phishing, utilizando celebridades ou promoções reais, para conseguir dados de cartões de crédito de usuários desatentos; Ataques Wi-fi em redes públicas que serão disponibilizadas para a Copa do Mundo; Roubo de dispositivos móveis e falhas no novo padrão de comunicação 4G. As principais prevenções que foram levantadas pela turma são: Criação da portaria que cria o Sistema Militar de Defesa Cibernética (SMDC), que é um órgão militar para prevenir ataques aos sistemas de informática em todo o país e será coordenado pelo Estado-Maior das Forças Armadas. E foi levantada a ideia de criar um banco de dados de faces, de todas as pessoas que estiverem nas proximidades dos estádios e dentro dos mesmos. 130

131 Componente Curricular: Segurança de Sistemas B (Gestão) Professor: Márcio Pinto Santa Helena Sites maliciosos A Copa do Mundo no Brasil em 2014 é um tema que está em alta, espalhado por todos os cantos da web, graças à paixão do brasileiro pelo futebol e pela alegria de ver o país sediar um evento tão importante. Porém, os cyber criminosos também estão de olho nessa tendência e aproveitam o tema para atrair vítimas para seus ataques. E nessa onda de Copa do Mundo de 2014, o Fuleco - mascote do evento - foi um dos escolhidos para tentar enganar as pessoas com maior facilidade. Estes sites tentam enganá-las, fazendo-as fornecer dados pessoais ou até mesmo informações do cartão de crédito. Portanto, os internautas devem ficar atentos a essas armadilhas da internet. Óculos futuristas para a Copa do Mundo A Polícia Militar de São Paulo já realiza testes com os óculos de alto poder tecnológico que conseguem identificar suspeitos, pessoas desaparecidas e veículos com irregularidades. Policiais do 2º Batalhão da cidade realizaram simulações com o equipamento na entrada do Estádio Morumbi, onde ocorria um show. Com design futurista, os óculos possuem uma pequena câmera em uma das lentes, filmam o público, consultam o banco de dados da PM - que fica armazenado em um HD no próprio equipamento - e enviam informações em tempo real para o policial. De acordo com o major Leandro Pavani Agostini, os óculos têm capacidade para guardar até 14 milhões de imagens. O banco de dados da PM é atualizado diariamente com novas imagens, por isso os policiais que utilizarem os óculos deverão também, periodicamente, atualizar o software dos óculos que usa. Os óculos futuristas detectam 400 rostos por segundo e a resposta sobre quem é a pessoa filmada é dada ao agente instantaneamente. O aparelho foi testado com um voluntário escolhido pela PM. Ele foi cadastrado como suspeito no sistema e, quando filmado pela câmera, apareceu na lente com uma indicação em vermelho dizendo que havia 99,99% de chances de ele ser a pessoa procurada. A tecnologia, chamada biometria facial, detecta 46 mil pontos por face, o que permite distinguir, inclusive, gêmeos aparentemente idênticos. No caso de veículo, os óculos lêem as placas e identificam se ele é roubado, por exemplo. e os óculos observam um veículo ou pessoa suspeita, procurada, vão informar o policial e, assim, prepará-lo para fazer a abordagem com mais segurança, afirma Agostini. Importados de Israel, onde auxiliam os policiais no controle das áreas fronteiriças, os óculos no país estão apenas em fase de testes. A tecnologia deverá ser utilizada por policiais em grandes eventos, shows e jogos de futebol. Câmeras similares às dos óculos deverão ser instaladas também nas Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) e nas câmeras do Centro de Policiamento da Polícia Militar (Copom), já espalhadas pela cidade. 131

132 Outros estados devem adquirir o equipamento, segundo o major, com foco principalmente na Copa do Mundo de Fonte: IG Reconhecimento facial Centro de Comando e Controle interligado com as 12 sedes, reconhecimento facial e investigação de antecedentes criminais são algumas das medidas adotadas pelo Brasil em seu plano de Segurança para a Copa do Mundo de Desde dezembro, o COL montou um protótipo de seu CCC em sua sede provisória no estacionamento do Centro de Convenções Riocentro, em Jacarepaguá, Zona Oeste. O centro definitivo será erguido dentro de um dos pavilhões do local. No total, 24 monitores formarão o telão principal do CCC, que terá oito metros de comprimento por dois de altura. De seu centro, o COL poderá acessar remotamente a qualquer outro telão instalado, tanto nos estádios quanto nas cidades-sede. Na simulação, acompanhada pelo L!Net, foi possível localizar, por exemplo, com total nitidez, um torcedor em qualquer lugar ou nas redondezas de um estádio. O dia-a-dia do Centro de Comando e Controle será feito por um representante de cada cidade-sede, de cada área do COL, da polícia, dos bombeiros e dos entes públicos. A palavra final será dada de acordo com a natureza do problema. Pode ser nossa ou da cidade, destacou o gerente de egurança da Informação do COL. Em seguida, Bezerra ressaltou que um CCC voltado para a Segurança é algo inédito em edições de Copa do Mundo. Rosto pode levar à prisão Uma das iniciativas previstas para serem adotadas e negociadas com o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo pelo governo federal é a do reconhecimento facial. Com essa tecnologia, é possível detectar alguém procurado pela Justiça, mesmo que este use de artifícios para modificar seu rosto. Vai ser uma arma a mais no combate a qualquer tipo de violência. Se a pessoa, ao passar pela câmera, for identificada e constar em qualquer tipo de lista de procurados, um alerta será enviado para nós explicou a gerente de Cenários e Riscos, Monica Lacerda. De acordo com Mônica, o procedimento seguinte será o de acionar a segurança pública para que esta, se necessário, efetue a prisão. A intenção do COL é a de que a tecnologia de reconhecimento facial esteja em operação já durante a realização da Copa das Confederações, em junho. Torcida sob investigação Em Copa do Mundo, é hábito que todos os credenciados para o evento tenham seus antecedentes criminais analisados pelas forças de segurança do país-sede. Mas o Comitê Organizador Local estuda com o governo brasileiro a possibilidade de ampliar esse tipo de investigação. 132

133 Estamos tentando fazer com que todos os cadastrados para a compra de ingressos passem por uma investigação de antecedentes. Dessa maneira, tornaremos o processo ainda mais seguro explicou a gerente de Cenários e Riscos do COL, Mônica Lacerda. A análise de antecedentes criminais é feita pela Polícia Federal e não pelo COL. Se houver um problema com alguém, o comitê brasileiro é comunicado e a credencial negada. Sistema de Segurança com catracas A Montreal Security possui um sistema que contempla ticketing, bilhetagem e segurança, atendendo integralmente às exigências do Estatuto do Torcedor. O antigo sistema, ainda utilizado nesses estádios, também é utilizado por outros clubes do Brasil e não faz nenhum controle da bilheteria, facilitando a fraude dos ingressos e impossibilitando auditorias. São características do novo Sistema de Segurança: Os ingressos são impressos no ato da compra, portanto não há mais necessidade de prever com antecedência a quantidade de ingressos necessária para um jogo, eliminando o desperdício ou a falta de ingressos, que antes acarretava perda direta de receita para o clube. A venda é mais rápida. O tempo de impressão dos ingressos é de 1,1 segundo, bem menor que o tempo necessário para o atendimento, pagamento e restituição de troco. Não é preciso enviar ingressos para os pontos de venda, eliminando os custos de logística e segurança. Através do RG do comprador, o sistema pode controlar o número de ingressos adquiridos por jogo. Detecta também quando um bilheteiro emite uma grande quantidade de ingressos de uma só vez e analisa se um bilheteiro está vendendo mais ou menos do que o habitual. Com esses controles, torna-se possível acompanhar as bilheterias a qualquer momento e fiscalizar a venda para cambistas. Toda a operação é em tempo real. Em caso de duplicação, o segundo ingresso é bloqueado. O novo sistema fornece informações precisas do que está acontecendo nos pontos de acesso. Se um ingresso for rejeitado, é possível identificar o motivo: ingresso já utilizado, roubado, cancelado, etc. O sistema deixa de ser refém da luz verde e vermelha, que não identifica os motivos para a não liberação. Permite a venda por Internet e telefone para torcedores cadastrados, que possuem smartcards, e podem entrar diretamente no estádio, sem necessidade de passar pela bilheteria. Os fiscais possuem cartões supervisores para liberar exceções. E é possível fazer auditoria da operação, comparando o número de liberações do fiscal com o número de ingressos rejeitados apresentados por ele. Como o sistema é on line, o clube pode monitorar as vendas nos vários pontos em tempo real, prever público e dimensionar bilheterias para o dia do jogo. O sistema também profissionaliza a administração de todo o processo, viabilizando estudos de desempenho de vendas por ponto ou bilheteiro. Fonte: 133

134 Componente Curricular: Seminário de Integração Professor: André Rauter Os estudantes do componente curricular do Seminário de Integração dos Cursos Superiores de Tecnologia do Tecnodohms (Faculdade de Tecnologia Pastor Dohms) foram desafiados a encontrar nas teorias abordadas em seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) alguma relação ou solução para a superação de desafios ou aproveitamento de novas oportunidades para geração de negócios por conta do evento Copa do Mundo para serem apresentadas no XI Momento Acadêmico: Copa do Mundo TIC, Gestão, Logística e Segurança. A seguir estão apresentadas as contribuições dos estudantes: 1. O Desafio da Conexão 4G (opinião) Será necessária uma conexão de qualidade para atender a demanda dos profissionais que vão transmitir informações e imagens quase que simultaneamente de dentro dos estádios. Não se imagina um cenário em que os jornalistas não consigam transmitir suas reportagens. Espera-se para ver como será criada, às pressas, toda infraestrutura necessária para atender a demanda do evento. É necessário, ainda, que a banda possibilite a transmissão de imagens em 4K. Como no Brasil existe a cultura do jeitinho, é possível que se encontre uma solução simples, isto é, que sejam colocadas antenas 4G somente perto dos estádios e pontos turísticos. Assim, haveria o redirecionamento da banda de internet e prioridade para a troca de dados para esses locais. A maioria dos problemas é resolvida facilmente por software. Seriam distribuídos chips para cada repórter credenciado, e esses chips teriam prioridade absoluta para navegação. Com isso seria possível maquiar a péssima qualidade do serviço. Segundo informações, as operadoras Vivo, Oi, Claro e Tim lançarão seus serviços 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações nos próximos meses. Mas deve ser uma cobertura extremamente limitada e com prioridade para a imprensa e turistas, o que poderia garantir uma qualidade mínima de serviço, não sobrecarregando o sistema. Mesmo que a rede 4G funcione, seria providencial que a imprensa trouxesse recursos próprios para não depender da infraestrutura brasileira. Fontes: =especiaisesportes 2. A utilização do Kanban aplicado ao controle de materiais usados nos estádios Kanban, palavra de origem japonesa, tem como tradução literal registro visível ou placa visível. Porém, de maneira geral, passou a significar cartão, utilizado como meio de 134

135 comunicação de transmissão de dados e informações (Moura, 1951). Criado por Taichi Ohno, também criador do istema Toyota de Produção, Kanban foi um sistema idealizado para aplicar de forma visual o conceito de Just-in-time, cuja filosofia é que cada processo tenha o necessário, no momento e na hora, a fim de eliminar desperdícios. (Ohno,1997) Ohno, com o objetivo de melhorar os processos da fábrica de carros da empresa Toyota, foi até os Estados Unidos com o intuito de conhecer o sistema de produção americano. Lá, observou que os materiais eram produzidos e em seguida armazenados em grandes estoques, o que era inviável ao Japão naquele período, pois o país estava com a economia fragilizada e mão de obra escassa devido ao período pós-guerra. Antes do seu retorno, observou o modo como eram os processos dos supermercados americanos, a forma como as mercadorias compradas pelos clientes eram registradas no caixa. Cartões que carregam a informação sobre os tipos de quantidades de mercadorias compradas são então passados para o departamento de compras. Com o uso dessa informação, as mercadorias retiradas são rapidamente substituídas pelas compradas (Ohno,1997). Observando a necessidade de realizar a comunicação entre processos, foi criado o sistema Kanban, que consiste de um pedaço de papel com informações necessárias para a produção de uma determinada ação. A Copa do Mundo de Futebol será realizada no ano de 2014 no Brasil. O evento exigiu um alto investimento em infraestrutura nas cidades-sede dos jogos, tanto na reestruturação das vias com obras a fim de melhorar o fluxo de trânsito, como na construção e reforma dos estádios de futebol. Devido à grandiosidade das construções e do tempo restrito para a sua conclusão, são necessários altos investimentos, tanto de mão-de-obra como de material. De acordo com o site Copa Transparente, criado com o intuito de fornecer um mecanismo social para fiscalização dos gastos com a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, o estádio Beira-Rio estimou o custo de trezentos e trinta milhões de reais para suas obras de reforma e modernização. Certamente esse valor será superior caso o uso de material não for gerenciado corretamente. Para controlar o uso desnecessário de material, poderia ser aplicado o sistema Kanban. No uso do cimento, por exemplo, o responsável pela obra solicita à construtora apenas a quantidade na medida em que for utilizado. A construtora, por sua vez, realizaria a compra da quantia exata que atendesse a necessidade. Isso reduziria o espaço físico de estocagem de material e investimento, evitando o descarte por prazos de validade ou sobras. Certamente o modelo criado por Taichi Ohno poderia ter sua aplicabilidade em vários pontos na construção dos estádios. Além do controle de material, já citado acima, o sistema pode também se estender à divisão dos times de operários. O término de uma parede por uma determinada equipe, por exemplo, permitiria que logo a próxima equipe, de pintura, adquirisse tintas para realizar a etapa seguinte. O sistema serve como ferramenta de gestão para identificar gargalos e aplicar as devidas ações para inibir os mesmos. 135

136 Fontes: OHNO, Taiichi Sistema Toyota de Produção - Além da produção em larga escala. Tóquio: Bookman Moura, Reinaldo Aparecido Kanban: A simplicidade do Controle da Produção São Paulo: Instituto de Movimentação e Armazenagem de Materiais, IMAM Acesso em: 18 de Abril de Treinamento x Segurança na Copa de 2014 Treinar possibilita ao indivíduo um crescimento intelectual, emocional e social. Carvalho e ascimento (1993 definem treinamento como: processo de ajudar os empregados a adquirir eficiência no seu trabalho presente ou futuro, através de apropriados hábitos de pensamento e ação, habilidades, conhecimentos e atitudes. O treinamento é uma atividade objetiva e requer planejamento, seja ele feito de forma individual ou em grupo. O treinamento deve ser objetivo e vinculado aos propósitos da empresa, ao desenvolvimento tecnológico e às ideias das pessoas. Para Chiavenato, treinamento é o processo educacional, aplicado de maneira sistemática e organizado, através do qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes e habilidades em função dos objetivos definidos. No sentido usado em administração, treinamento envolve a transmissão de conhecimentos específicos relativos ao trabalho, atitudes frente a aspectos da organização, da tarefa e do ambiente, e desenvolvimento de habilidades. Não basta oferecer somente cursos, palestras, seminários e outros. Deve haver um planejamento junto à política da empresa, junto à necessidade do cliente e ser complementada pelo setor de RH. A atividade de segurança privada no Brasil vem crescendo de forma vertiginosa e atualmente é um dos setores mais lucrativos da economia. Segundo estudos realizados por Sindicatos das Empresas de Segurança e Vigilância, o setor movimenta mais de R$ 15 bilhões, e este número tende a triplicar neste e no próximo ano, em razão dos eventos esportivos que o Brasil irá sediar, especialmente a Copa do Mundo 2014, evento que atrai milhares de pessoas. Percebe-se, claramente, o crescimento desse setor no Brasil a cada ano, conforme o número de contratações das empresas na seguinte proporção: ; ; e Importante registrar que no Brasil, segundo estatísticas, atualmente há empresas especializadas em vigilância e segurança privada, sendo que 100 delas encontram-se em Minas Gerais, e São Paulo concentra a maior parte, num total de 429 empresas. Além do aumento da demanda esperado em relação aos restaurantes, hotéis, casas noturnas, estacionamentos e pontos turísticos, haverá também demanda pela segurança no transporte de valores e cargas das equipes, segurança vip, estádios e eventos oficiais, os quais terão necessidade específica de reforço da segurança privada. A conscientização da atividade de Auxiliar de Segurança Privada e o treinamento para todos os envolvidos na área tornam-se fundamental. Fontes: CHIAVENATO, Idalberto.Administração: teoria, processos e prática. 2 ed. São Paulo: Makron Books, 1988 p 88). CARVALHO, Antonio Vieira; NASCIMENTO, Luiz Paulo. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Pioneira, acesso em 12/04/

137 4. Sistemas de automação para bibliotecas conectadas com o tema da COPA 2014 As bibliotecas, que sempre buscaram a utilização de instrumentos que possibilitassem viabilizar a rápida disseminação das informações dos seus depósitos informacionais (acervos), vislumbram com a Internet, 1 ou 2, o grande desafio da sua utilização como meio de divulgação da informação organizada aos seus usuários. No portal da COPA [http://www.copa2014.gov.br] são disseminadas as principais notícias e informativos sobre a Copa de Entre as várias páginas está o link bibliográfico do portal [http://www.copa2014.gov.br/pt-br/sobre-a-copa/biblioteca], onde são apresentados todos os documentos e o conjunto de leis relativas à Copa do Mundo FIFA Isso demonstra o interesse dos organizadores da Copa em propagar o evento e todas as informações que possam ser disponibilizadas, através de um link, com todo o acervo necessário, além da utilização das tecnologias atuais para que a informação chegue ao público interessado. Fonte: VICENTENI, L. A., MILECK, L. S. Desenvolvimento de sites na web em unidades de informação metodologias, padrões e ferramentas. Disponível em: <http://libdigi.unicamp.br/document/?code=3> 5. HTML5 X Copa do Mundo 2014 egundo Flatschart (2011, p.9, HTML (HyperText Markup Language Linguagem de marcação de hipertexto) é a principal linguagem utilizada na Web. Ela permite a criação de documentos estruturados em títulos, parágrafos, listas, links, tabelas, formulários e em muitos outros elementos, aos quais podem ser incorporadas imagens e objetos, como, por exemplo, uma animação ou um vídeo. Dito isso, não é difícil constatar que o HTML está presente no dia-a-dia de muitas pessoas, oferecendo o suporte necessário para que elas acessem qualquer página web. Muitos podem não saber, mas todos interagem com a linguagem a cada acesso. Analisando o tema em um cenário como a Copa do Mundo de 2014, em que diversos turistas brasileiros ou estrangeiros acessarão websites dos mais diversos, de informativos sobre a cultura e turismo brasileiros a reservas hoteleiras e de transporte, é fácil constatar que o HTML estará desempenhando papel importante neste evento, provendo a tecnologia para que desenvolvedores criem estes websites e proporcionem experiência mais atraente e de fácil entendimento para os usuários citados. E nesse contexto entra o HTML5, mais especificamente com suas novas funcionalidades e mudanças implementadas. O trabalho dos desenvolvedores é facilitado através de formulários mais dinâmicos, visualmente atraentes nada de alertas incomodativos na face do usuário e, de código limpo, esse fator ainda beneficiará os usuários, pois o carregamento e processamento da página se dará de forma mais rápida, já que haverá muito menos código na tela a ser interpretado e renderizado. Já os clientes, neste caso os usuários, poderão ter uma experiência de navegação mais completa por conta dessa nova linguagem de desenvolvimento que nem é tão nova assim, apenas foi adaptada para as necessidades atuais. 137

138 Dessa forma, apesar de muitos nem souberem sobre a sua existência, o HTML5 desempenha um papel importantíssimo no imenso evento a ser recebido pelo país no ano que está por vir. Podemos ainda não saber se Neymar, Messi ou Cristiano Ronaldo estarão em campo, mas o HTML5 estará com certeza. Fonte: FLATSCHART, Fábio. HTML 5 Embarque Imediato. Rio de Janeiro : Brasport, Segurança e domínio de informação Quanto à segurança e domínio de informação, Jonathan Zdziarzski (2012) diz que "a determinação de quão segura uma aplicação está depende da relação entre o tempo e a complexidade do ataque versus o valor do recurso quando ele for roubado". Dessa forma, o desenvolvimento da aplicação será voltado à utilização do mínimo de privilégios de acesso às áreas restritas do IPhone, bem como a execução de testes de intrusão e violação de chaveamento de segurança de criptografia de informações serão utilizados, a fim de garantir a máxima segurança durante as transações e as comunicações executadas entre a aplicação, o smartphone e a internet. Tendo em vista as questões relacionadas à segurança da informação, tanto em dispositivos móveis pelo caráter pessoal de sua utilização, quanto em outros domínios de informação, o advento da Copa do Mundo 2014 traz consigo um maior tráfego de informações em meios desmilitarizados e potencialmente inseguros. Diante disso, torna-se cada vez mais importante a avaliação dos modelos de ameaça e do nível de segurança disponível ao consumidor dessa informação, ou por mecanismos de chaveamento local de informação, ou criptografia das comunicações internas e externas do software. Da mesma forma, a segurança da distribuição da informação e a garantia dos direitos autorais acerca do conteúdo produzido devem ser asseguradas, tanto pelas entidades distribuidoras quanto pelos responsáveis pelos meios de armazenamento. Assim, evita-se que a informação seja adulterada enquanto for transferida através dos meios de comunicação. Fonte: ZDZIARZSKI, Jonathan, Hacking and Securing ios Applications, Sebastopol, California/EUA: O'Reilly Media Inc Copa do Mundo 2014: curso nos EUA capacita policiais em gerenciamento de crises Como parte da capacitação policial brasileira para a Copa do Mundo 2014, começou na segunda-feira (23) e prossegue até a próxima sexta-feira (27) o curso de Gerenciamento Avançado de Crises, ministrado para 18 profissionais brasileiros de segurança pública, em Washington, nos Estados Unidos. O curso é uma iniciativa da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, em parceria com a embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Os cursos desse projeto conjunto começaram em abril. O seminário vai proporcionar aos participantes o conhecimento e as habilidades necessárias para implementar e administrar as políticas nacionais de gerenciamento de crises. Os palestrantes são especialistas e líderes no campo de gerenciamento de crises em diversas instituições americanas. Os participantes irão examinar as políticas e os procedimentos de administração de incidentes que influenciem sistemas em nível nacional ou que tenham ramificação internacional. Também identificarão como maximizar todos os 138

139 recursos disponíveis durante um incidente de grande natureza, incluindo catástrofes naturais. O treinamento capacitará gestores de segurança pública que atuarão como multiplicadores de conhecimentos nos seus estados de origem. A meta da secretaria de grandes eventos é capacitar 1,5 mil multiplicadores até o final do ano. Fonte: Blog do ministério da justiça Postado em 25 de julho de Extraído do blog dia 17 de abril de 2013 as 15h00min. Opinião: Como vemos, mais uma vez a segurança pública tomou a frente em um assunto que diz respeito também à segurança privada, pois dentro dos estádios a FIFA (Fédération Internationale de Football Association) exige que apenas agentes de segurança privada façam a segurança. E a área externa, sim, fica aos cuidados da segurança pública. Como acabar com este pré-conceito que existe por parte da segurança pública e da sociedade, de que os profissionais da segurança privada não estão preparados para garantir a segurança interna dos estádios de futebol? Mais uma vez vemos como é importante capacitar nossos profissionais, os quais, diga-se de passagem, não estão muito interessados em trabalhar em um evento isolado, de alto risco, e que financeiramente não lhes trará grande benefício. Chega-se à conclusão de que a Copa do Mundo 2014 em nada mudará nossos profissionais de segurança privada, muito menos irá capacitá-los para o gerenciamento de crises, assunto que é de vital importância nesse setor. Atualmente, a Copa do Mundo já é assunto muito comentado na cidade, inclusive no país. No entanto, para que a mesma seja realizada de maneira satisfatória, serão necessários alguns requisitos, como investimentos em construção ou modernização de estádios, aeroportos, hotéis, rodovias, ferrovias e muitos outros projetos de infraestrutura que estão sendo estudados pelas autoridades. Além desses itens, preocupa-me a questão da logística das pessoas que participarão do evento. Segundo expectativas do Ministério de Turismo, o Brasil deverá receber 500 mil turistas estrangeiros, juntamente com as delegações (jogadores e comissão técnica), profissionais de imprensa, médicos e muitos outros profissionais que estarão em nosso país para assistir, comentar e trabalhar neste grande evento. 8. Logística na Copa de 2014 (opinião) Os principais objetivos da logística no planejamento de um campeonato mundial são: - Criar um ambiente seguro para os atletas, espectadores e trabalhadores deste evento. - Criar uma experiência positiva e agradável para todos. Apesar de estas idéias parecerem básicas, não são necessariamente fáceis de cumprir. O fato de estarem dependentes de vários fatores, tais como voluntários (sem conhecimentos e competências) que oferecem os seus serviços, das várias empresas que criam uma dificuldade de gestão devido à agenda de cada uma e das limitações físicas dos estádios onde e realizam os jogos. 139

140 Outros fatos e talvez o mais importante de todos seja o tempo. À medida que a data do evento se aproxima, mais prioritárias se tornam as necessidades, criando stress e desgaste físico para todos os responsáveis e trabalhadores que correm intensivamente contra o tempo. E a prova disso são as obras do aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre que ainda nem começaram a cerca de 14 meses para começar a competição, um cenario diferente visto no Ginasio Beira Rio que ja tem mais de 62% da sua obra concluida sem falar na mobilidade urbana que tem em torno de dez obras em andamento. Algumas ações poderão demandar altos investimento e podem ser inviáveis, mas outras podem ser implementadas mais facilmente. Pensando um pouco sobre o que eu gostaria de ver se fosse assistir a uma copa do mundo em outro país, foi listado alguns itens que tragam melhorias: Informação (em mais de um idioma) sobre local, dias e horários de jogos, pontos turísticos próximos, hotéis, restaurantes e formas de chegar ao evento; Informação) sobre o horário e destino de ônibus, metrô, trem e barco. Estas informações deveriam estar disponíveis em hotéis, estádios de futebol, praias, pontos turísticos, aeroportos, estações de trem, metrô e demais pontos onde haja grande fluxo de pessoas; Integração perfeita de todos os meios de transporte. Possibilitar conexões entre as estações de ônibus-metrô bonde-trem barco-avião. Cumprimento dos horários definidos; Informação sobre o quanto tempo falta para que o meio de transporte utilizado chegue no local em que você está aguardando; Facilidade de acesso aos idosos e portadores de necessidades especiais. Possibilidade de aquisição de bilhetes que possibilitem o uso de diversos meios de transporte (integrados) durante todo o evento; Incentivo (preços reduzidos) para a aquisição antecipada dos bilhetes para evitar grandes filas, tanto nos estádios como nos pontos turísticos, meios de transporte e outros pontos concorridos. 140

141 Componente Curricular: Sistemas Institucionais de Informação Professor: Renato Lampert Contextualização O nível estratégico de preparação da segurança para os grandes eventos que o país sediará nos próximos anos exige um planejamento amplo, que considere não só a prevenção e a pronta resposta, mas também o imediato retorno à normalidade do funcionamento do aparelho urbano e da programação dos eventos, caso algum incidente os interrompa. O escopo do planejamento é o de apresentar uma visão holística de como os planos operacionais locais deverão ser construídos. Esses Planejamentos Operacionais Locais, em número de doze (um por cidade-sede), deverão detalhar a atuação de cada órgão envolvido na segurança pública e privada durante os grandes eventos. Não se pretende criar modelos novos, mas integrar todos os ativos de tecnologia e operacionalidade já existentes no país, além de aprimorar os canais de comunicação e o fluxo de informações, para que os órgãos atuem de maneira rápida e coordenada, tanto em questões operacionais quanto nas de inteligência. Novo modelo de segurança A realização de um grande evento, por sua alta visibilidade e fluxo de pessoas, demanda um elevado aparato de segurança, de forma a garantir a tranquilidade de todas as pessoas envolvidas. A FIFA, que é a promotora da Copa das Confederações 2013 e da Copa do Mundo 2014 e a responsável pela segurança das pessoas e do patrimônio no complexo do estádio de futebol, adotou o modelo integrado de segurança, composto por agentes de segurança pública e agentes de segurança privada, empregando estes tanto na segurança física dos estádios quanto na orientação ao público durante os jogos de futebol, diferentemente do atual modelo brasileiro de segurança realizada por policiais militares. Esse novo modelo de segurança representa uma quebra de paradigma no que diz respeito ao conceito de segurança: transcende-se ao conceito de blindagem/armamento para o conceito mãos limpas, com o objetivo de proporcionar um ambiente seguro, tranquilo, confortável e harmonioso para os expectadores e organizadores. Os aparatos policiais, até então largamente empregados em todas as dependências do estádio e em via pública nos arredores, passam a ter emprego restrito e os policias ficam dispostos em grupos sob o comando em pontos estratégicos nas dependências do estádio, de modo que os aparatos não fiquem ostensivos aos espectadores, sem anular a presença e imagem dos órgãos da segurança pública. 141

142 Stewards o Brasil, os chamados stewards serão vigilantes treinados e qualificados sob orientação da Polícia Federal, devendo estar de posse da carteira nacional de vigilante válida. Pela legislação vigente, somente o vigilante tem a prerrogativa legal de intervir sobre a liberdade das pessoas para garantir sua segurança e guarda de patrimônio. Incumbe à Polícia Federal, conforme definido pela Lei nº 7.102/83 e pelo Decreto nº /83, regular, controlar e fiscalizar toda a atividade de segurança privada no Brasil. Segundo o banco de dados da Polícia Federal, existem hoje empresas de segurança privada autorizadas a funcionar no país, armas em poder dessas empresas, vigilantes trabalhando regularmente e vigilantes cadastrados. A FIFA informou que irá contratar cerca de (vinte mil) vigilantes para atuação na Copa do Mundo, e algo em torno de (dez mil) para a Copa das Confederações, o que torna a atividade de Controle da Segurança Privada da Polícia Federal um dos setores-chave para garantir a segurança e o bem-estar do público, dos atletas e das autoridades que participarão dos eventos. A ideia é que sejam treinados para evitar tumultos nas torcidas que, por reunirem pessoas de 32 países, são muito diferentes daquelas que acompanham um tradicional clássico do futebol brasileiro. Para isso, os agentes deverão identificar a "psicologia básica" a ser usada para controlar multidões, além de aprender técnicas de imobilização e uso progressivo da força. Policiais dentro das torcidas organizadas Como funcionam, então, as torcidas organizadas inglesas? Para receber qualquer subsídio ou ajuda do clube, os torcedores das organizadas têm carteirinhas de sócio das torcidas emitidas pelo clube. Um policial da delegacia do bairro frequenta o clube, vai aos treinos, aos jogos, viaja com a delegação em jogos fora. Assim, conhece os líderes de torcidas e junto com eles elabora uma lista de maus elementos que devam ser vigiados. É um trabalho de inteligência policial. Suspeitos perigosos são monitorados para serem presos ao menor delito. A polícia avisa as polícias das cidades de destino em que trem, ônibus ou avião eles viajam. O emprego do policiamento velado O emprego da inteligência policial voltado para a obtenção do conhecimento a fim de prevenir a ordem pública, utilizando policiais militares em trajes civis, também pode ser uma arma da segurança privada. Alguns vigilantes, descaracterizados, poderão estar junto aos torcedores, com a finalidade de prevenir e identificar vândalos, comunicando as autoridades competentes sobre início de tumulto, por parte de torcidas organizadas ou qualquer outra pessoa, com intenções delituosas. ABIN Agência Brasileira de Inteligência A ABIN, subordinada à Gerência Geral de Segurança do Comitê Organizador da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 COL, será responsável por coordenar as ações para a checagem da lista de credenciamento, coordenando as diversas instituições envolvidas no processo, com o auxílio da Polícia Federal, por meio da Coordenação Geral de Polícia Criminal Internacional. 142

143 Caberá ainda à ABIN: a) Integrar a coordenação dos Centros de Inteligência nacional e regionais, interagir e participar ativamente do intercâmbio internacional em ações antiterrorismo; b) Coordenar as atividades de Inteligência de Estado dos países participantes, especialmente aquelas necessárias ao atendimento das demandas dos órgãos do SISBIN (Sistema Brasileiro de Inteligência); c) Produzir análise completa de riscos de segurança relacionados aos eventos em colaboração com as autoridades brasileiras; d) Planejar, coordenar, orientar e supervisionar a proteção de conhecimentos sensíveis relativos aos interesses e à segurança do Estado e da sociedade, em parceria com os demais órgãos federais e estaduais de inteligência; e) Desenvolver doutrina de inteligência e capacitar recursos humanos. Transporte público para os eventos A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) já utiliza os grandes eventos realizados na cidade como aprendizado para que o atendimento possa ser aprimorado na Copa. Dentro do plano de mobilidade para o Mundial, estão previstos ônibus especiais que façam as três principais rotas da Copa (Aeroporto, Fan Fest e Estádio Beira-Rio). Além disso, haverá transporte gratuito de torcedores desde o aeroporto até o local dos jogos. A Copa do Mundo e as informações A Copa do Mundo de 2014 será caracterizada pelo compartilhamento e disseminação da informação através da tecnologia móvel que irá transformar nossa sociedade em uma rede global móvel. O evento deverá levar vantagem plena de todas as oportunidades oferecidas pela Revolução Digital, Tecnologia de Informação e novas Mídias. Neste evento, de forma mais forte do que aconteceu na Alemanha em 2006, o conteúdo deverá ser disseminado em todas as mídias possíveis. As futuras estratégias e formatos de realizações de eventos esportivos devem ser planejados de acordo com a massificação das novas oportunidades de conectividade e as mudanças trazidas por esta Revolução Digital. A Copa do Mundo maior evento de mídia do planeta sempre esteve ligado à inovação tecnológica no que se refere à mídia. Em 1996, a Europa assistiu aos jogos ao vivo com transmissão por satélite. Em 1970, no México, o mundo viu os jogos a cores. Em 1974, a transmissão no Brasil foi por telões em praças públicas. Em 1998, a França proporcionou a primeira transmissão digital em larga escala. No Japão e Coréia do Sul, foi a vez da estreia do Wi-Fi nos estádios. Em 2006, na Alemanha, foi inaugurada a convergência das mídias eletrônicas como rádio, TV aberta e paga, Internet e um pouco de telefonia móvel. Este mundial foi também o primeiro totalmente gerado com imagens de alta definição (HD). Atualmente, a FIFA conta com a empresa HBS (Host Broadcast Services) para todo o gerenciamento de transmissão de uma Copa do Mundo. Em 2014, no Brasil, poderá ser a vez da telefonia móvel. Tudo está sinalizando desta forma. Nesta época, as redes 3G já estarão ultrapassadas e os turistas chegarão ao Brasil com dispositivos 4G 143

144 (provavelmente) com alta velocidade de transmissão. Atualmente já existe um grande interesse na implantação de redes 4G no mundo. Devem ser escolhidas tecnologias padronizadas que atendam às necessidades do evento esportivo, como também suportem as tecnologias utilizadas em diferentes países. Devido à abrangência geográfica nacional da Copa do Mundo de 2014 (12 capitais-sede), o trabalho na identificação de novas aplicações e tecnologias poderia ser coordenado de forma centralizada, com o objetivo de ser aplicado em toda a Copa do Mundo brasileira. Aumentar a utilização de alta tecnologia em projetos de Copa do Mundo é fundamental em áreas como transporte, proteção ambiental, energia limpa, estádios e facilidades, TI e telecomunicações, segurança, controle de doping, além das cerimônias de abertura e fechamento do evento. 144

145 Componente Curricular: Sistemas Operacionais Professor: Juliano Lucas Moreira A turma de Sistemas Operacionais realizou uma pesquisa com o objetivo de identificar sistemas que foram utilizados em outras Copas do Mundo e novos sistemas ou ideias que possam ser utilizadas na Copa do Mundo de 2014 no Brasil. As principais ideias de sistemas para serem adotados na Copa do Mundo de 2014 foram: monitoria de bagagens nos aeroportos com uso de RFID; sistema de parada inteligente, que consistiria em um painel com informações sobre rotas de ônibus, horários, pontos turísticos, gastronomia e possibilidade de realizar pagamento de passagens com uso de NFC; sistema integrado de acesso à internet para passageiros em trânsito nos aeroportos; sistemas de vídeo e catracas inteligentes para controle de acesso aos jogos da Copa do Mundo, com identificação exata de torcedores a longas distâncias; sistemas para monitoria de pessoas utilizando coordenadas de GPS, a fim de evitar furtos nas proximidades dos estádios onde ocorrem os jogos. 145

146 Componente Curricular: Tecnologias de Sistemas de Proteção Professor: Marcelo Dornelles Governo quer revolução de conceito na área de segurança para a Copa. Está havendo uma revolução no conceito e, por consequência, na execução de ações na área de segurança de grandes eventos. A ambiciosa meta do governo federal tem como carro-chefe a Copa do Mundo de 2014, passando pela Copa das Confederações deste ano. Também contempla a Jornada Mundial da Juventude (este ano, no Rio) e a Olimpíada de O futebol, no entanto, foi a força motriz da iniciativa, que resultou na criação de um Plano Estratégico Nacional para a área. Dinheiro parece não faltar. A previsão de gastos com segurança para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo começou em R$ 1,17 bilhão e já chegou em R$ 1,879 bilhão, de acordo com a última versão da Matriz de Responsabilidades, com dados relativos ao mês de dezembro passado. O custo da Copa já bateu na casa dos R$ 26,5 bilhões e a expectativa é de que, no final, chegue aos R$ 33 bilhões. O plano de segurança é complexo. São iniciativas como aprimoramento do controle de fronteiras, portos e aeroportos, ações antiterrorismo, vigilância e proteção, não só nos estádios como em locais de grande concentração de pessoas, proteção ao turista, entre outros. Nas arenas, o método de segurança vai mudar em relação ao que o torcedor brasileiro conhece. Haverá polícia, mas a segurança básica será função de agentes privados. Ações integradas: Outra iniciativa é a integração das forças de segurança (polícias militar, federal, guardas civis municipais, Forças Armadas, Corpo de Bombeiros, etc.). Para isso, estão sendo criados 14 Centros de Comando e Controle, 12 regionais e dois nacionais, que ficarão em Brasília e no Rio, este para backup das informações. "Temos de integrar todas as forças e estamos fazendo isso nas 12 sedes da Copa, disse o comandante da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge), criada em agosto de 2011 no âmbito do Ministério da Justiça. "Não é possível o plano ter sucesso sem essa integração, concluiu o comandante. Os Centros de Comando farão, de acordo com o plano, a integração dos sistemas computadorizados, dos bancos de dados dos 12 estadossede, dos órgãos federais e da Interpol, e os sistemas de radiocomunicação. Por meio desses centros, as informações de todas as sedes estarão disponíveis em tempo real, o que permitirá respostas rápidas. Em caso de tumulto em uma fan fest, por exemplo, se for necessário reforço policial, ele será providenciado imediatamente. Segurança da Copa 2014 terá 'drones' da FAB e PF; Exército estuda compra. A segurança do espaço aéreo brasileiro durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 terá apoio de pelo menos seis veículos aéreos não tripulados vants, como os drones são chamados em português da Polícia Federal e da Aeronáutica. Os 146

147 equipamentos já serão usados para monitoramento durante os jogos da Copa das Confederações, entre 15 e 30 de junho, que servirá de teste para os eventos dos anos seguintes. Em 18 de fevereiro, a FAB recebeu dois aviões não tripulados feitos pela empresa israelense Elbit, que custaram R$ 48,174 milhões e serão montados em Santa Maria (RS), de onde devem operar a partir de março. Uma ordem de serviço para que a tropa e os drones estejam a postos para uso foi expedida pelo Comando de Defesa Aérea Brasileira (Comdabra) e já chegou ao Esquadrão Hórus, no Rio Grande do Sul, que abriga os equipamentos, segundo o coronel Donald Gramkow, comandante da unidade. A primeira ação de vigilância de eventos internacionais a usar drones foi em 2012, quando o Brasil sediou a Rio +20 (Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável). Militares vigiaram dia e noite o local onde mais de 100 chefes de Estado estavam reunidos. Essa ação e os aprendizados da Copa das Confederações servirão de base para a construção de uma doutrina para os empregos de drones na Copa, na Olimpíada e em outros possíveis eventos. A PF tem dois drones israelenses Heron, feitos pela Israel Aerospace Industries Ltda (IAI), que chegaram ao país em 2010 por aproximadamente R$ 80 milhões. Esses vants, que ficam na Base Aérea de São Miguel do Iguaçu (PR), são os únicos para uso civil certificados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e são usados para obtenção de informações de inteligência e apoio no combate ao narcotráfico e ao contrabando na fronteira com o Paraguai. Os drones da PF, que estavam parados em 2012 devido a uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), voltaram a operar secretamente em dezembro do ano passado, auxiliando, inclusive, na realização de prisões. O TCU informou que o processo está em andamento e ainda em sigilo, e que não poderia fornecer informações. O projeto inicial englobava 14 aeronaves ao custo de quase R$ 600 milhões. Quase R$ 80 milhões já teriam sido gastos. Câmeras com função inteligente de notificação de vídeo através de telefone. A série de câmeras ADIP-IVS (Inteligent Video Surveillance) multiplataforma permite acompanhar o monitoramento via browsers, software CMS e dispositivos móveis conectados a uma rede wi-fi ou outra rede. A solução ganhou destaque na reportagem sobre o evento exibido no jornal Hoje, da tevê Globo. A série, composta por 3 modelos, possui compatibilidade com o eagle eyes, um aplicativo gratuito na app store com suporte nas plataformas sybian, android, windons mobile, wios (I fone-ipad). A tecnologia de vídeo notificação é um recurso para os dispositivos móveis que informam imediatamente o usuário sobre fatos ocorridos. Uma vez ativada, a vídeo notificação emite alertas ao celular cinco segundos após os avisos do sensor da câmera detectarem a presença humana, alteração de temperatura, acionamento por um botão de pânico e disparo de alarmes. Esse sistema pode ser usado pelos gestores de segurança nos eventos dos jogos da Copa 2014, possibilitando o acesso de todas as câmeras do estádio em tempo real no Iphone do profissional, dando assim mais mobilidade e precisão na tomada de decisão do gestor. 147

148 Software brasileiro aprimora planejamento de segurança em locais de jogos da Copa. Com a previsão de eventos que vão reunir grandes multidões no Brasil nos próximos anos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, cresce a preocupação com a segurança nos ambientes de grande aglomeração. Para aprimorar o planejamento nesses locais, pesquisadores brasileiros desenvolveram um software que leva em conta os diferentes perfis do público para mapear a velocidade com que as pessoas se deslocam, o tempo gasto para esvaziar o ambiente e os pontos de maior concentração em situações de normalidade e de emergência. O software, chamado CrowdSim, reproduz virtualmente o local onde ocorre o evento com a localização de portas, banheiros, lanchonetes e faz as previsões sobre o tempo de descolamento, além da porcentagem de pessoas que, ao término de um espetáculo artístico ou jogo, se dirige para a saída, a parcela que passa antes em banheiros ou mesmo não se desloca imediatamente. As simulações são feitas levando em consideração o comportamento do público, que será diferente se for um show de rock, um evento infantil ou esportivo. Empresas investem em tecnologia contra o crime Sistema Face Detect O Face Detect foi integrado a um sistema de segurança inteligente adotado pela empresa do setor varejista com câmeras em tempo real, controladas por computadores. É 100% seguro, eficiente e sigiloso, pois faz um mapeamento detalhado da face e olhos do indivíduo, sem margem de erro. O sistema permite que um ladrão, que tenha agido em qualquer das lojas do grupo, seja imediatamente detectado e identificado pelas câmeras de segurança, mesmo que tenha mudado o cabelo ou a barba. O varejo brasileiro sofreu, em 2011, perdas de R$ 4,14 bilhões com furtos a lojas e erros administrativos, segundo levantamento da consultoria britânica Center for Retail Research. Para tentar conter o avanço, principalmente dos pequenos furtos, que formam a maior parte dos prejuízos, lojistas estão investindo em tecnologia. Funcionários desonestos foram responsáveis por perdas estimadas em US$ 41,7 bilhões em todo o mundo, enquanto perdas e furtos por consumidores responderam por US$ 51,5 bilhões em prejuízos. Outros US$ 19,4 bilhões em perdas são resultado de erros de preços, enganos em pedidos e falhas administrativas. "Acreditamos que essa é uma boa forma de trabalhar para deixar um legado para o cidadão brasileiro, pois estamos criando uma cultura de atuação conjunta. O governo promete investir forte na aquisição de equipamentos de última geração, no treinamento de pessoal e no intercâmbio com agentes especializados em segurança de grandes eventos de vários países. Fontes:

149 Componente Curricular: Tópicos Avançados em Programação Web Professor: Glauber Rodrigues da Silva A Copa do Mundo de 2014 irá demandar uma alta performance dos sistema de informação. Os sistemas de informação, como sistema de compra de ingressos, sistema de compra de passagens aéreas e rodoviárias, sistema de reserva de quartos de hotéis e outros deverão estar preparados para atender a um grande volume de acessos simultâneos e também um grande volume de dados. Problema 1 (Programação Distribuída) Um problema em especial nesse contexto envolve o uso de uma solução tecnológica avançada para ser resolvido. É sabido que o problema do caixeiro viajante (http://pt.wikipedia.org/wiki/problema_do_caixeiro-viajante) é um problema NP-Completo (http://pt.wikipedia.org/wiki/np-completo), cuja solução ideal pode demandar um tempo de processamento tendendo ao infinito, e mesmo assim não retorne a solução ideal. O problema citado é o agendamento de passagens aéreas e reserva de hotel para as diferentes seleções e suas delegações pelo Brasil. Para fazer o roteiro (voo + hospedagem) de cada seleção (32 no total), sugerimos a divisão das tarefas através da técnica MapReduce, explicada a seguir. MapReduce De acordo com a IDC (InternationalDataCorporation), a quantidade de informação criada, capturada ou replicada em meio digital no ano de 2009 apresentou um crescimento de 62% em relação à média dos anos anteriores, alcançando aproximadamente petabytes. Já em 2010, esse valor foi por volta de 1.2 milhões de petabytes. Para 2020 o crescimento esperado deve alcançar os 35 zetabytes, equivalentes a 35 milhões de petabytes. A fim de facilitar este processo, a multinacional Google desenvolveu o MapReduce, um modelo de programação paralela para processamento largamente distribuído de grandes volumes de dados. Para tal, o modelo inspira-se nas primitivas Map e Reduce, presentes em diversas linguagens funcionais, como Lisp e Haskell, por exemplo. Essa abordagem foi adotada, pois se verificou que, em muitos casos, era necessário mapear fragmentos dos dados de entrada a uma chave identificadora, e então processar todos os fragmentos que compartilhassem a mesma chave. Todo o trabalho de distribuição do sistema, incluindo problemas de comunicação, tolerância a falhas, concorrência, etc é abstraído, e fica a cargo do próprio framework. 149

150 O modelo MapReduce pode ser executado sobre uma variedade de plataformas e ambientes distintos. Logo, a melhor implementação do framework depende do ambiente alvo. A seguir, segue um diagrama que representa o MapReduce: (http://en.wikipedia.org/wiki/file:mapreduce_overview.svg) No contexto dos roteiros das seleções, o MapReduce pode ser utilizado da seguinte maneira, de acordo com a figura acima: Problem data: Agenda de jogos das 32 seleções nas diversas cidades-sede brasileiras e suas necessidades de locomoção e acomodação. Master Node (MAP): Divide o grande problema em 32 sub-problemas para que possam ser processados em paralelo, diminuindo o tempo total de processamento. Worker Node 1 Faz o roteiro ótimo para a seleção 1 e retorna para o Master Node. Worker Node 2 Faz o roteiro ótimo para a seleção 2 e retorna para o Master Node. Worker Node N Faz o roteiro ótimo para a seleção N e retorna para o Master Node. Master Node (REDUCE): Verifica a existência de conflitos de roteiro, possivelmente recalculando roteiros para determinadas seleções e gera o roteiro consolidado para as 32 seleções. Solution data: Roteiro com voos e hotéis para as 32 seleções do torneio. Conclusões MapReduce - Modelo fácil de usar, mesmo por programadores sem experiência em processamento distribuído; - Permite o programador focar no problema e esquecer os detalhes; - Grande variedades de problemas podem ser expressos em MapReduce; 150

151 - Simplifica as computações em larga escala, como no Google. Fonte: Problema 2 (Tolerância a Falhas e Escalabilidade) Além da preocupação com o processamento de rotas, todos os sistemas de informação envolvidos em eventos com grande procura de ingressos devem ser capazes de suportar uma grande quantidade de acessos simultâneos sem degradar o tempo de resposta do sistema. Tolerância a falhar com UCARP Sistema Unix e derivados de alta disponibilidade que permite o compartilhamento por vários hosts em um único endereço IP, a fim de garantir a continuidade do serviço em caso de falha de um host. Este programa implementa o espaço do usuário protocolo Protocolo de Redundância de Endereço Comum (CARP), disponível em OpenBSD, e se opõe à proprietária protocolo Virtual Router Redundancy Protocol (VRRP). O UCARP permite que um casal de anfitriões compartilhe endereços IP virtuais comuns para fornecer failover automático. É uma aplicação userland portátil segura e livre de patentes Protocolo de Redundância de Endereço Comum (CARP). Os pontos fortes do protocolo CARP são: sobrecarga muito baixa, as mensagens criptografadas assinadas, a interoperabilidade entre diferentes sistemas operacionais e sem necessidade de qualquer ligação de rede dedicada entre hosts redundantes. FailOver FailOver significa a mudança que um computador servidor exerce quando há uma falha ou término anormal de um aplicativo. Ele opera automaticamente, sem intervenção humana. É muito usado em servidores de sistemas ou redes que exigem disponibilidade contínua com necessidade de um alto grau de confiabilidade. Funciona de forma que o nível servidor seja ligado, geralmente, com um cabo Heartbeat. Assim, exerce uma função que 151

152 identifica qualquer alteração indevida no servidor, assumido sua função, seguindo em exemplo os Clustering que nada mais são do que a utilização de vários computadores e ligações redundantes para formar um sistema único, fornecendo proteção contra a inatividade, garantindo os processos e serviços utilizados. Trata-se de uma importante tolerância a falhas na função dos sistemas de missão crítica, que dependem de acessibilidade constante e de forma automática e transparente para o usuário, redireciona as solicitações do sistema quando falha ou baixa para o sistema de backup, que imita o funcionamento do sistema primário. Do ponto de vista do cliente, as aplicações são acessíveis através de um nome DNS, que está mapeado a um endereço IP virtual, que pode mudar de uma máquina para outra, dependendo de qual máquina está ativa no momento. Suas principais funções são de: Alta disponibilidade, reduzindo os tempos de inatividade não planejados e aumentando a confiabilidade dos serviços e aplicações. Alta escalabilidade, permitindo aos administradores atribuir até 16 nós a um cluster, o que melhora o desempenho e a disponibilidade, isto é, torna o sistema mais escalável, pois permite o crescimento incremental. Conclusão No contexto de alta disponibilidade dos sistemas de informação durante a Copa do Mundo, o Ucarp poderá garantir que, mesmo em caso de falha de hardware ou software de um determinado servidor que hospeda um determinado sistema, o soft are continuará no ar. A utilização do software perante um único IP e sempre preocupado com falhas do hosts garante alto grau de confiabilidade do sistema. Não há, portanto, necessidade de intervenção humana em caso de falha, já que ele opera sozinho quando algo possa dar errado. Escalabilidade (HA) com HAProxy e mod_jk da Apache O software de HA (High Avaiable) tem como função possibilitar que vários hosts dividam o trabalho de responder às requisições dos clientes. Nesse contexto, os mesmos são imprescindíveis para garantir a alta performance dos sistemas relacionados à Copa do Mundo. HAProxy O HAProxy é uma solução - opensource - que oferece recursos de High Availbility, Load Balance e PROXY para aplicações baseadas em TCP e HTTP. Ele foi particularmente desenhado e pensado para web, sites com grande carga que necessitam de persistência ou processamentos específicos na camada de rede (tcp). Ele suporta milhares de conexões em hardwares muito modestos. É uma ferramenta fácil de instalar, configurar, operar e principalmente fácil de integrar aos ambientes e arquiteturas existentes. 152

153 Mas quem usa o HAPROXY? AMAZON, TWITTER, REDDIT, FARMVILLE, GITHUB, TUMBLR, DISQUS, FEDORA, REDHAT CLOUD, STACKOVERFLOW. Fontes: https://code.google.com/p/haproxy-docs MOD_JK Uma maneira de realizar este balanceamento de carga para serviços web é a utilização do módulo do Apache mod_jk. Existem muitos servidores na internet que utilizam um módulo chamado mod_jk para integrar o Apache e o Tomcat, evitando, assim, a liberação no firewall da porta 8080 ou outra porta que o tomcat utilize para escutar requisições. O mod_jk do Apache é usado para conectar o Tomcat com servidores web como o Apache, iplanet, Sun ONE (antigo Netscape) e até mesmo IIS usando o Apache JServ Protocol. 153

154 Conclusão A vantagem de usar o mod_jk com o Apache na Copa do Mundo é de que os servidores que estejam hospedando o conteúdo dos sistemas de informação tenham alta disponibilidade, usando o Tomcat e Apache com mod_jk juntos. O Big Data na Copa do Mundo 2014 Basicamente, Big Data é informação pura, simples e em estado bruto. A conceituação pode variar segundo a fonte, mas, podemos afirmar que big data contempla as informações produzidas pela humanidade em meio digital, independente da plataforma: Tweets, transações bancárias, acessos a sites sobre o clima. Não interessa o que se faz ao acessar a web. Sabe-se que, ao acessar, contribui-se para o big data. Segundo estimativas, o conteúdo produzido em meio digital não para de crescer a cada ano e, somente nos últimos dois anos, foram obtidos 90% das informações do meio digital. Seguindo esses prognósticos e, tomando-se conhecimento da crescente aproximação das pessoas e seus objetos tecnológicos, é sabido que durante a Copa do Mundo 2014, no Brasil, será produzido um número imenso de conteúdo de fontes, formas e assuntos mais variados possíveis. Mas, para que servem estas informações? Muitas empresas, atualmente, já descobriram que do big data provêm dados dos mais variados e com diversas possibilidades de aplicação, e utilizam os mesmos em suas divisões de marketing e inteligência competitiva, obtendo informações próprias de mercado e também de seus concorrentes. Imagine o seguinte cenário: Durante um jogo entre Brasil e Argentina, milhões de espectadores diante da televisão com seus smartphones em mãos, twittando em tempo real. Um desses espectadores twitta para os amigos que está saboreando sua coca-cola light. Segundos depois, vinte amigos retwittaram esta informação. A partir destes retwittes, outros amigos deram continuidade ao fluxo de informação, muitas vezes de forma elogiosa, outras com críticas. É aqui que entra a mineração de dados deste big data, onde a coca-cola tirará informações pertinentes para uso empresarial dessas informações. E tudo isso durante um único jogo, utilizando apenas uma marca. Agora já se pode ter ideia de como se dá a formação desse big data em um evento de porte global como uma Copa do Mundo. Durante a Olimpíada de Londres, em 2012, por exemplo, a cada 5 segundos foram produzidas informações equivalentes ao conteúdo geral da Wikipédia (cerca de 60gb). Dito isso, é óbvio que até deve haver um grande investimento em infraestrutura para que toda essa carga de dados seja suportada. Da mesma forma, as empresas deverão investir em pessoas qualificadas para explorar estas informações e descobrir utilidades para os dados obtidos. Exemplos de Big Data: RFID (Identificação por frequência de rádio) geram até vezes os dados de sistemas de código de barras convencionais. 154

155 transações com cartões de pagamento são feitas a cada segundo em todo o mundo. 340 milhões de Tweets enviados por dia, que são cerca de Tweets por segundo. O Facebook tem mais de 901 milhões de usuários ativos com geração de dados de integração social. Fontes: IDC. "Big Data Analytics: Future Architectures, Skills and Roadmaps for the CIO," September

156 AVALIAÇÃO DO XI MOMENTO ACADÊMICO 1. Evento Alcance dos objetivos propostos. Conteúdo. 156

157 Carga horária. Qualidade do material apresentado. 157

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 Pela primeira vez, o setor de aviação está lançando todas as diretrizes operacionais com mais de 300 dias de antecedência, o que contribui decisivamente

Leia mais

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014 O que o Brasil já ganhou com a Copa 2 O que o Brasil já ganhou com a Copa Investimentos A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos

Leia mais

Especialização de Engenharia de Produção Análise da Cobertura Móvel nos estádios da Copa do Mundo

Especialização de Engenharia de Produção Análise da Cobertura Móvel nos estádios da Copa do Mundo ISSN 1984-9354 Especialização de Engenharia de Produção Análise da Cobertura Móvel nos estádios da Copa do Mundo Leandro Nogueira Guimarães (LATEC / UFF) Resumo: A telefonia celular tem o grande desafio

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Voz em ambiente Wireless

Voz em ambiente Wireless Voz em ambiente Wireless Mobilidade, acesso sem fio e convergência são temas do momento no atual mercado das redes de comunicação. É uma tendência irreversível, que vem se tornando realidade e incorporando-se

Leia mais

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO Sistema de rádio bidirecional digital profissional A solução de comunicação em rádios bidirecionais de próxima geração está aqui, com melhor desempenho, produtividade e preço e mais oportunidades para

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

FALANDO PARA O MUNDO. www.espm.br/centraldecases

FALANDO PARA O MUNDO. www.espm.br/centraldecases FALANDO PARA O MUNDO www.espm.br/centraldecases FALANDO PARA O MUNDO Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy. Este caso foi escrito inteiramente a partir de informações cedidas pela empresa e outras fontes

Leia mais

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações 24 de Março de 2011 As exigências de infraestrutura de TIC para a Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil Desafios e Oportunidades na construção do IBC. A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

Leia mais

VARELLA, João. As cidades do futuro. Isto é Dinheiro. São Paulo, 15 de fevereiro de 2014.

VARELLA, João. As cidades do futuro. Isto é Dinheiro. São Paulo, 15 de fevereiro de 2014. As cidades do futuro VARELLA, João. As cidades do futuro. Isto é Dinheiro. São Paulo, 15 de fevereiro de 2014. O mundo passa por um processo de urbanização nunca visto na história. Metade da população

Leia mais

São Paulo, 29 de abril de 2013

São Paulo, 29 de abril de 2013 São Paulo, 29 de abril de 2013 A Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL SAUS quadra 06 bloco c,e,f e h - Setor de Autarquias Sul CEP:70070-940 - Brasilia DF ATT.: João Batista de Rezende Diretor Presidente

Leia mais

Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática. Página 1 de 25

Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática. Página 1 de 25 Mestre em Informática Página 1 de 25 Roteiro Introdução Definição História Requerimentos IMT-Advanced Padrões 4G LTE Advanced Padrões 4G WirelessMAN Advanced 4G no Brasil Perguntas Página 2 de 25 Introdução

Leia mais

Foto: Samsung Divulgação

Foto: Samsung Divulgação ESPAÇOS EDIFÍCIOS EMPRESAS 42 DIGITAL SIGNAGE Seguindo as mudanças no consumo Brasil alcança o segundo maior crescimento mundial em número de passageiros em aeroportos nos primeiros meses deste ano. O

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução Formalmente, o IP Multimedia Subsystem (IMS) é definido como:... um novo 'domínio' principal da rede (ou

Leia mais

Prof. Juliano Heinzelmann Reinert

Prof. Juliano Heinzelmann Reinert Prof. Juliano Heinzelmann Reinert 1 Juliano Heinzelmann Reinert, M.Sc., MBA, COBIT, CCTT. Professor (pós-graduação em governança e GP), Instrutor/consultor pela BEWARE (sul), Sócio-diretor de empresa PROJECT

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

IPTV UMA INOVAÇÃO PARA O VALE DO SÃO LOURENÇO RESUMO

IPTV UMA INOVAÇÃO PARA O VALE DO SÃO LOURENÇO RESUMO IPTV UMA INOVAÇÃO PARA O VALE DO SÃO LOURENÇO AMADIO Renato Arnaut 1 RESUMO A região do Vale do São Lourenço já está inserida na era digital, ela se caracteriza pela economia sustentada na agropecuária,

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos White Paper 24 de Setembro de 2014 Rede IPTV DX - Clubes Desportivos Alcançando e realizando o potencial do torcedor móvel IPTV Móvel para Clubes Desportivos - DX - 1 O negócio de mídia e venda para torcedores

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 9 Telecomunicações e Rede Interconectando a Empresa Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob

Leia mais

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES

CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES CONTROLADOR CENTRAL P25 FASE 1 CAPACIDADE MÍNIMA PARA CONTROLAR 5 SITES O sistema digital de radiocomunicação será constituído pelo Sítio Central, Centro de Despacho (COPOM) e Sítios de Repetição interligados

Leia mais

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America 5º Encontro de Telecomunicações Respeito ao Consumidor 4G no Brasil: FIESP Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações Alexandre Jann Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America Tópicos Perfil

Leia mais

Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos

Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos I D C C A S E S T U D Y Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos Janeiro, 2015 João Paulo Bruder, Coordenador de Telecomunicações, IDC Brasil Patrocinado pela Embratel A eficiência

Leia mais

O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo

O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo Adalberto Santos de Vasconcelos Coordenador-Geral da Área de Infraestrutura e da Região Sudeste Rafael Jardim Assessor do Ministro Valmir Campelo Brasília

Leia mais

Plataforma Interativa de Vídeo

Plataforma Interativa de Vídeo Plataforma Interativa de Vídeo Milonga DWM Soluções em Comunicação e Tecnologia Interativa, empresa do Grupo Ciclotron. Desenvolvemos soluções com foco na experiência do usuário, implantado um novo conceito

Leia mais

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL Julho/2013 Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Os brasileiros efetivamente são apaixonados por futebol e quando foi divulgado que

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações Universidade Estácio de Sá Informática e Telecomunicações A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é VOIP Se você nunca ouviu falar do VoIP, prepare-se para mudar sua maneira de pensar sobre ligações de longa distância. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é um método para pegar sinais de áudio analógico,

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Dezembro de 2012 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br Jornalismo Multiplataforma Tecnologias Redes e Convergência eduardo.barrere@ice.ufjf.br Panorama Em 2011, a TV atingiu 96,9% (http://www.teleco.com.br/nrtv.asp) TV Digital Uma novidade???? TV Digital Resolve

Leia mais

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T ANEXO 5 NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T Uma das vantagens mais marcantes do ISDB-T é a sua flexibilidade para acomodar uma grande variedade de aplicações. Aproveitando esta característica única do ISDB-T, vários

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Brasília/DF Maio/2013 15 anos de LGT Em 1997, na corrida pelo usuário, a

Leia mais

apresentação de serviços

apresentação de serviços apresentação de serviços Nos últimos 50 anos a humanidade gerou mais informações do que em toda sua história anterior. No mercado corporativo, o bom gerenciamento de informações é sinônimo de resultados.

Leia mais

Sobre 4YouSee. Já imaginou seu conteúdo digital publicado em 1 minuto? Digital Signage, uma tendência. Versatilidade

Sobre 4YouSee. Já imaginou seu conteúdo digital publicado em 1 minuto? Digital Signage, uma tendência. Versatilidade Sobre 4YouSee Conhecendo os recursos de mídia, bem como as necessidades do mercado publicitário, a F6 Sistemas desenvolveu 4YouSee, um software capaz de reunir rentabilidade, eficiência e rapidez no gerenciamento

Leia mais

OBRAS VÃO TRANSFORMAR VIRACOPOS NO MAIOR AEROPORTO DA AMÉRICA LATINA

OBRAS VÃO TRANSFORMAR VIRACOPOS NO MAIOR AEROPORTO DA AMÉRICA LATINA OBRAS VÃO TRANSFORMAR VIRACOPOS NO MAIOR AEROPORTO DA AMÉRICA LATINA Aeroportos Brasil Viracopos investirá R$ 9,5 bilhões na ampliação e modernização do complexo aeroportuário nos 30 anos da concessão

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long 16 1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long Term Evolution) e WiMAX [11]. A tecnologia LTE é um

Leia mais

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br

Agosto. São Paulo Brasil. connectedsmartcities.com.br 03 a 05 Agosto 2015 São Paulo Brasil connectedsmartcities.com.br Por que Connected Smart Cities? As grandes e modernas cidades são, talvez, as mais importantes realizações do homem, por serem responsáveis,

Leia mais

Universalização de acesso à internet de alto desempenho. Presidência da Anatel

Universalização de acesso à internet de alto desempenho. Presidência da Anatel Universalização de acesso à internet de alto desempenho Presidência da Anatel Brasília/DF Outubro/2012 Panorama Global CRESCIMENTO DA BANDA LARGA NO MUNDO - O Brasil foi o quinto país que mais ampliou

Leia mais

Implementação do IPv6 na Vivo. Status e Principais Desafios

Implementação do IPv6 na Vivo. Status e Principais Desafios Implementação do IPv6 na Vivo Status e Principais Desafios 01 Endereçamento IPv4 Alocação na Vivo A Vivo possui amplo portfólio de serviços baseados em IP, tanto para usuários domésticos quanto corporativos.

Leia mais

switches LAN (rede de comunicação local)

switches LAN (rede de comunicação local) O funcionamento básico de uma rede depende de: nós (computadores) um meio de conexão (com ou sem fios) equipamento de rede especializado, como roteadores ou hubs. Todas estas peças trabalham conjuntamente

Leia mais

Você não consegue ver tudo que se passa com sua equipe? Nós podemos de ajudar.

Você não consegue ver tudo que se passa com sua equipe? Nós podemos de ajudar. Você não consegue ver tudo que se passa com sua equipe? Nós podemos de ajudar. Vídeo Monitoramento através do celular, smartphone agora é sinônimo de câmera IP. Plataforma de Vídeo Monitoramento Avançado

Leia mais

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho

O papel dominante da mobilidade no mercado de trabalho Um perfil personalizado de adoção da tecnologia comissionado pela Cisco Systems Fevereiro de 2012 Dinâmica de ganhos com as iniciativas de mobilidade corporativa Os trabalhadores estão cada vez mais remotos,

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014)

RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014) RESULTADOS CONSOLIDADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS TURISTAS DA COPA 2014 (PST Copa 2014) Os resultados a seguir são baseados em 2.257 entrevistas realizadas com turistas no período de 14 de junho a

Leia mais

Copa 2014 Desafios e Oportunidades

Copa 2014 Desafios e Oportunidades Copa 2014 Desafios e Oportunidades A Copa 2014 tem dono... A Copa é da FIFA Exigências atribuladas no caderno de encargos Com a Copa de 2010, o único continente que ainda não sediou o evento foi a Oceania

Leia mais

3 Qualidade de serviço na Internet

3 Qualidade de serviço na Internet 3 Qualidade de serviço na Internet 25 3 Qualidade de serviço na Internet Além do aumento do tráfego gerado nos ambientes corporativos e na Internet, está havendo uma mudança nas características das aplicações

Leia mais

Folha de S. Paulo. O Estado de S. Paulo. Governo negociará redução de roaming de ligações internacionais

Folha de S. Paulo. O Estado de S. Paulo. Governo negociará redução de roaming de ligações internacionais Folha de S. Paulo Governo negociará redução de roaming de ligações internacionais O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira que um dos esforços no setor de telecomunicações

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE. SALVADOR/BA, 04 de Setembro de 2014.

RIO GRANDE DO NORTE. SALVADOR/BA, 04 de Setembro de 2014. RIO GRANDE DO NORTE SALVADOR/BA, 04 de Setembro de 2014. Monitoramento de veículos na Revenda Francisco Correia E-mail: zonanortegas@ig.com.br O Mercado de GLP em Natal/RN O Mercado de GLP em Natal/RN

Leia mais

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs

Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs Pergunta O que é o teste de velocidade? Quem é o público alvo? O que oferece? Como funciona? Por onde é o acesso? Resposta Um teste de qualidade de banda

Leia mais

MACRO SETORES DA FEIRA

MACRO SETORES DA FEIRA O Evento A ISC Brasil é a principal ferramenta para estar em contatos com usuários finais corporativos, iniciar novos projetos, gerar negócios, estreitar relacionamentos, criar parcerias e acessar os principais

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Junho de 2013 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

Introdução ao protocolo SIP*

Introdução ao protocolo SIP* Introdução ao protocolo SIP* 1. SIP (Session Initiation Protocol) Pode se dizer que SIP trata se de um protocolo de controle referente à camada de aplicações do Modelo de Referência OSI (Open System Interconnection),

Leia mais

Bibliografia. Termos comuns em VoIp. Termos comuns em VoIp. Programa de Telecomunicações

Bibliografia. Termos comuns em VoIp. Termos comuns em VoIp. Programa de Telecomunicações Introdução a conceitos de hardware e software de computador. Introdução a sistemas operacionais: Microsoft Windows e Linux. Conceitos básicos e utilização de aplicativos para edição de textos, planilhas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 A ATIVIDADE TURÍSTICA E O SEGMENTO DE EVENTOS. PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO GRAÇAS À COPA

Leia mais

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil Marcelo Weishaupt Proni Unicamp A discussão sobre os megaeventos ainda é feita com base em informações precárias Sem dúvida,

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: TELE 3 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: TELE 3 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: TELE 3 MOURA LACERDA Telefonia Móvel 4G A tecnologia da quarta geração de telefonia móvel, ou 4G, designa uma tecnologia que oferece altíssimas velocidades de conexão com a

Leia mais

TIM faz teste inédito no Brasil de conexão móvel de alta velocidade na Futurecom

TIM faz teste inédito no Brasil de conexão móvel de alta velocidade na Futurecom TIM faz teste inédito no Brasil de conexão móvel de alta velocidade na Futurecom Demonstração é a primeira de uma rede LTE Advanced agregando três faixas de frequências distintas (2600 MHz, 1800 MHz e

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

O Brasil e a Internet Ubíqua: Avanços e Perspectivas

O Brasil e a Internet Ubíqua: Avanços e Perspectivas ARTIGO O Brasil e a Internet Ubíqua: Avanços e Perspectivas AUTORES Antonio Eduardo Ripari Neger Presidente da Associação Brasileira de Internet (ABRANET). Engenheiro formado pela Unicamp, advogado formado

Leia mais

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011 Pesquisa TIC Provedores 2011 Coletiva de Imprensa Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil São Paulo, 30 de novembro de 2011 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo de

Leia mais

NTT Docomo, KDDI, Softbank. MAC 0463/5743 Computação Móvel Marcelo de Rezende Martins

NTT Docomo, KDDI, Softbank. MAC 0463/5743 Computação Móvel Marcelo de Rezende Martins NTT Docomo, KDDI, Softbank MAC 0463/5743 Computação Móvel Marcelo de Rezende Martins Introdução Japão é líder em tecnologia móvel de telefone; Aproximadamente 85% da população possue celular; 40% dos investimentos

Leia mais

web2way Comunicações e Vídeos LTDA

web2way Comunicações e Vídeos LTDA web2way Comunicações e Vídeos LTDA Soluções em Comunicação da web2way que podem ser úteis para sua empresa Preparada por: Adriana Grasso sócia/administradora Data: 21/05/2012 Sobre a web2way A web2way

Leia mais

IPTV em rede Multicast

IPTV em rede Multicast IPTV em rede Multicast Flávio Gomes Figueira Camacho Apresentação Flavio Gomes Figueira Camacho Diretor de TI da Vipnet Baixada Telecomunicações e, Operadora de STFC e SCM. Mestrando em Engenharia de Telecomunicações

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Frederico Hartmann de Souza frederico.souza@ipea.com.br Abril de 2011 Objetivos Avaliar

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 2 INTRODUÇÃO Com a informatização dos sistemas nas empresas veio também o aumento da competitividade e isso fez com que a qualidade dos serviços fosse questionada. O

Leia mais

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência

VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência VIDEOCONFERÊNCIA Edital de Licitação Anexo I Termo de Referência Pregão Conjunto nº 27/2007 VIDEOCONFERÊNCIA ANEXO I Termo de Referência Índice 1. Objetivo...3 2. Requisitos técnicos e funcionais...3 2.1.

Leia mais

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital.

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital. MOTOROLA A empresa alcançou um faturamento global da ordem de US$ $37.6 bilhões em 2000. É líder mundial em sistemas e serviços eletrônicos avançados. Atuando de maneira globalizada em 45 países, mais

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel BGAN Transmissão global de voz e dados em banda larga Banda larga para um planeta móvel Broadband Global Area Network (BGAN) O firm das distâncias O serviço da Rede Global de Banda Larga da Inmarsat (BGAN)

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social

Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social O SISTEMA DE RÁDIO DIGITAL: A MODERNIZAÇÃO DO M.C.M. MAIS POPULAR DO PLANETA Texto redigido para embasar apresentação de seminário na

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS

Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Tutorial NEGER Telecom COMO IMPLANTAR REDES WIFI EM VEÍCULOS Julho/2010 Objetivo Este tutorial tem como objetivo fornecer informações técnicas e recomendações na utilização de roteadores 3G para implantação

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS CENTRO ABERTO DE MÍDIA 1) O que é o Centro Aberto de Mídia (CAM)? É um espaço físico e virtual para atendimento aos jornalistas, credenciados ou não credenciados pela FIFA, que desejam

Leia mais

Consultoria em Informática

Consultoria em Informática A sua empresa bem assessorada Desde 1995, a Pro-INFO se mantém na vanguarda tecnológica para melhor atender as necessidades dos seus clientes. A paixão pelo que fazemos é o motivo pelo qual existimos,

Leia mais

3 Apresentação do caso

3 Apresentação do caso 3 Apresentação do caso Neste capítulo será contextualizado o mercado de telefonia móvel no Brasil, com a descrição dos principais concorrentes e a participação de mercado de cada um deles, a apresentação

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

QUEM SOMOS NOSSO NEGÓCIO

QUEM SOMOS NOSSO NEGÓCIO QUEM SOMOS Somos uma empresa brasileira dedicada a construir e prover soluções que empregam tecnologias inovadoras, combinadas com a identificação por rádio frequência (RFID), análise de imagens (imagens

Leia mais

1 Sistemas de telefonia celular no Brasil

1 Sistemas de telefonia celular no Brasil 1 Sistemas de telefonia celular no Brasil Em 1984, deu-se início à análise de sistemas de tecnologia celular sendo definido o padrão americano, analógico, AMPS Advanced Mobile Phone System, como modelo

Leia mais

GENERAL SANTOS GUERRA EXÉRCITO BRASILEIRO

GENERAL SANTOS GUERRA EXÉRCITO BRASILEIRO AS CONSEQUÊNCIAS DA ALOCAÇÃO DA BANDA DE FREQUÊNCIA EM 700 MHz, ATUALMENTE OCUPADA PELA TV ABERTA, E A ELABORAÇÃO DO EDITAL DE LICITAÇÃO PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL DE QUARTA GERAÇÃO GENERAL

Leia mais

Instituto Federal de Santa Catarina. Redes de Computadores RES 12502

Instituto Federal de Santa Catarina. Redes de Computadores RES 12502 Instituto Federal de Santa Catarina Redes de Computadores RES 12502 2014 2 O material para essas apresentações foi retirado das apresentações disponibilizadas pela Editora Pearson para o livro Redes de

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR O GT GPRS é um equipamento wireless que executa a função de recepção e transmissão de dados e voz. Está conectado à rede de telefonia celular GSM/GPRS, para bloqueio

Leia mais

A sociedade conectada: smartphone e tablet banking

A sociedade conectada: smartphone e tablet banking Perspectivas, impactos e desafios Nilton Omura (nilton.omura@br.ey.com) Abril, 2012 As condições estruturais para viabilizar a massificação de smartphones e tablets no Brasil estão criadas, e irão transformar

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD)

Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Início das transmissões 100% digitais Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 07 de abril

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais