VESTIBULAR UNIFICADO 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VESTIBULAR UNIFICADO 2013"

Transcrição

1 UNIFICADO Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o tema da Redação, o enunciado da questão discursiva e das 0 questões objetivas, sem repetição ou falha, assim distribuídas: LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA Pontos por Questões questão LÍNGUA ESTRANGEIRA BIOLOGIA / QUÍMICA FÍSICA / MATEMÁTICA GEOGRAFIA / HISTÓRIA Questões Pontos por questão Questões Pontos por questão Questões Pontos por questão Questões Pontos por questão 1 a 8,0 11 a 1 8,0 21 a 2 8,0 31 a 3 8,0 41 a 4 8,0 6 a 10 12,0 16 a 20 12,0 26 a 30 12,0 36 a 40 12,0 46 a 0 12,0 b) um conjunto grampeado contendo o CARTÃO-RESPOSTA destinado à marcação das respostas das questões objetivas formuladas nas provas; uma folha para o desenvolvimento da Redação e uma folha para desenvolvimento da resposta à questão discursiva. A discursiva destina-se exclusivamente aos candidatos ao curso de Medicina. A Redação e a questão discursiva valem, cada uma, até 100,0 pontos Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no CARTÃO-RESPOSTA. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, a caneta esferográfica transparente de tinta na cor preta No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica de tinta na cor preta, de forma contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de marcação completamente, sem deixar claros. Exemplo: 0 - Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O CARTÃO SOMENTE poderá ser substituído se, no ato da entrega ao candidato, já estiver danificado Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado SERÁ ELIMINADO do presente Concurso Vestibular o candidato que: a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o CADERNO DE QUESTÕES e/ou o CARTÃO- RESPOSTA e/ou a FOLHA DE REDAÇÃO e/ou a FOLHA DE RESPOSTA da questão discursiva. Obs: Iniciadas as provas, o candidato só poderá retirar-se da sala após decorridas 2 (duas) horas do efetivo início das mesmas e não poderá levar o CADERNO DE QUESTÕES, a qualquer momento Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA Quando terminar, entregue ao fiscal ESTE CADERNO DE QUESTÕES, O CARTÃO-RESPOSTA GRAMPEADO À REDA- ÇÃO E À FOLHA DE RESPOSTA DA QUESTÃO DISCURSIVA E ASSINE A LISTA DE PRESENÇA O TEMPO DISPONÍVEL PARA A REDAÇÃO E PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS E DISCURSIVA É DE 4 (QUATRO) HORAS E 30 (TRINTA) MINUTOS ATENÇÃO: transcreva nos espaços apropriados do seu CARTÃO-RESPOSTA o número do gabarito de suas provas objetivas, e, com sua caligrafia usual, considerando as letras maiúsculas e minúsculas, a seguinte frase: 1 Antes calar que mal falar ATENÇÃO: escreva seu nome, pondo uma letra em cada quadrícula, no espaço abaixo (não abrevie o primeiro e o último nomes).

2 R E D A Ç Ã O 177. hoje me desfiz dos meus bens vendi o sofá cujo tecido desenhei e a mesa de jantar onde fizemos planos o quadro que fica atrás do bar rifei junto com algumas quinquilharias da época em que nos juntamos a tevê e o aparelho de som foram adquiridos pela vizinha testemunha do quanto erramos a cama doei para um asilo sem olhar pra trás e lembrar do que ali inventamos aquele cinzeiro de cobre foi de brinde com os cristais e as plantas que não regamos coube tudo num caminhão de mudança até a dor que não soubemos curar mas que um dia vamos MEDEIROS, Martha. Poesia Reunida. Porto Alegre:L&PM Editores, p Com base nas ideias apresentadas no texto acima, o que você considera fundamental mudar atualmente em sua vida, para a realização plena de um ideal? Elabore um texto dissertativo-argumentativo, com o mínimo de 20 e o máximo de 2 linhas. Dê um título a sua redação, que deve ser escrita a caneta esferográfica, na cor preta. Redações com menos de 7 linhas serão desconsideradas. 2

3 Título: 10 1 RASCUNHO

4 Texto I LÍNGUA PORTUGUESA / LITERATURA BRASILEIRA No caminho da volta 1 preço que poderia quebrar o encantamento da Fantasia. Como viver fora do muro da indefinição? Como assumir os anos perdidos e os erros das escolhas impensadas? AYLMER, Roberto. Escolhas. Niterói: Impetus, p.102. Adaptado. 10 Todas as noites, antes de deitar, despedia-se para sempre da mulher e dos filhos, sem que nada, naquela casa, lhe pertencesse a ponto de retê-lo. Há muito sonhava. Longas viagens que no escuro do quarto o levavam a terras incandescentes, parado o corpo sobre a cama, enquanto o outro, sem limites, percorria mundos. E não podia prever a noite em que, presas as asas do seu sonho em palmeiras de coral, se veria impedido de voltar. COLASANTI, Marina. No caminho de volta. Contos de Amor Rasgados. Rio de Janeiro: Rocco, p No Texto I, havia no homem o desejo de (A) dar asas à imaginação e, ao mesmo tempo, controlá-la. (B) sonhar para minimizar seu apego à realidade. (C) estabelecer limites entre a realidade e a fantasia. (D) controlar o sonho para fortalecer a realidade. (E) libertar-se da realidade e ingressar no imaginário. 2 O conjunto de expressões do Texto I que pertencem ao campo semântico do sonho é (A) Longas viagens (l. ), terras incandescentes (l. 6), sem limites (l. 7) (B) para sempre (l. 2), o corpo sobre a cama (l. 6-7), palmeiras de coral (l. 9) (C) antes de deitar (l. 1), Longas viagens (l. ), no escuro do quarto (l. ) (D) Todas as noites (l. 1), no escuro do quarto (l. ), sem limites (l. 7) (E) antes de deitar (l. 1), para sempre (l. 2), terras incandescentes (l. 6) Texto II 10 A Fantasia gera uma espécie de hipnose que impede a percepção de que algo tem que mudar. Parece com um sonho de vida, mas é carregada de um lirismo que aumenta a inércia e corrói as forças de mudança. Debaixo da mentira da Fantasia, nada de concreto acontece. Na Fantasia, planos são feitos com grandiosidade, mas, na hora de agir, são adiados. O prazer de criar imagens e sensações positivas para o futuro é muito maior do que a dor e o desconforto de pagar o preço de transformar sonhos em realidades. Custa muito caro fazer com que discursos e promessas se transformem em atos, mas esse é o 3 No primeiro questionamento do Texto II (último parágrafo), muro da indefinição faz referência semântica a (A) Fantasia (l. 14-1) (B) realidades (l. 11) (C) discursos (l. 12) (D) promessas (l. 13) (E) atos (l. 13) 4 Segundo o Texto II, transformar sonhos em realidades gera dor e desconforto porque (A) evidencia a incapacidade de mudança. (B) exige o enfrentamento da realidade. (C) retarda a solução de problemas. (D) enfatiza a importância da fantasia. (E) embota os sentidos do indivíduo. O encantamento da Fantasia (l. 14-1), no Texto II, é concebido como algo (A) negativo, pois evidencia a necessidade de mudança. (B) negativo, pois protela uma tomada de decisão. (C) positivo, pois transforma a realidade. (D) positivo, pois propicia a realização do indivíduo. (E) positivo, pois ameniza a realidade. Texto III A hóspede importuna O joão-de-barro já estava arrependido de acolher em casa a fêmea que lhe pedira agasalho em caráter de emergência. Ela se desentendera com o companheiro e este a convidara a retirar-se. Não tendo habilidades de construtor, recorreu à primeira casa de joão-de-barro que encontrou, e o dono foi generoso, abrigando-a. Sucede que o joão-de-barro era misógino, e construíra a habitação para seu uso exclusivo. A presença insólita perturbava seus hábitos. Já não sentia prazer em voar e descansar, e sabe-se como os joões-de-barro são joviais. A fêmea insistia em estabelecer com ele o dueto de gritos musicais, e parecia inclinada a ir mais longe, para grande aborrecimento do solitário. Então ele decidiu pedir o auxílio de um colega a fim de se ver livre da importuna. O amigo estava justamente tomando as primeiras providências para fazer casa. Antes de prosseguir, você vai me fazer um obséquio, disse-lhe. Vamos até lá em casa e veja se 4

5 2 30 conquista uma intrusa que não quer sair de lá. O segundo joão-de-barro atendeu ao primeiro e, no interior da casa deste, cativou as graças da ave. Achou-se tão bem lá que não quis mais sair. Para que iria dar-se ao trabalho de construir casa, se já dispunha daquela, com amor a seu lado? Assim quedaram os três, e o dono solteirão, sem força para reagir, tornou-se serviçal do par, trazendo-lhe alimentos e prestando pequenos serviços. Ainda bem que construíra uma casa espaçosa suspirava ele. ANDRADE, Carlos Drummond de. O Sorvete e outras histórias. São Paulo: Ática, p O techo do Texto III cativou as graças da ave. (l. 23) apresenta o seguinte sentido: (A) revelou seu lado interesseiro e oportunista. (B) atraiu-a, utilizando os seus encantos. (C) fingiu estar interessado nela. (D) ocultou sua real intenção. (E) mostrou-se perspicaz e ladino. 7 No trecho do Texto III Achou-se tão bem lá que não quis mais sair. (l. 24), a segunda oração estabelece com a primeira uma relação de (A) oposição (B) adição (C) proporcionalidade (D) consequência (E) explicação 8 O comentário sobre aspectos gramaticais do Texto III que NÃO está de acordo com a descrição da Gramática Normativa da língua é: (A) Os termos destacados em...que lhe pedira agasalho... (l. 2) e...que não quer sair de lá. (l. 21) apresentam a mesma função sintática. (B) Em O segundo joão-de-barro atendeu ao primeiro e, no interior da casa deste, (l ), as vírgulas separam o adjunto adverbial deslocado. (C) A oração...de acolher em casa a fêmea... (l. 1-2), em relação à anterior, classifica-se, sintaticamente, como subordinada substantiva completiva nominal. (D) As preposições destacadas em...e este a convidara a retirar-se. (l. 4) e Já não sentia prazer em voar... (l ) constituem caso de regência verbal. (E) Se substituirmos a palavra destacada em recorreu à primeira casa de joão-de-barro... (l. -6) pelo pronome qualquer, não ocorrerá o uso do acento grave indicativo de crase. RASCUNHO Texto IV Nada ficou no lugar eu quero quebrar essas xícaras eu vou enganar o diabo eu quero acordar sua família eu vou escrever no seu muro e violentar o seu gosto CALCANHOTTO, Adriana. Mentiras. (1992) Disponível em: <http://adrianacalcanhotto.com/sec_ musicas_letra.php?id=34>. Acesso em: 17 out Texto V Caramuru De um varão em mil casos agitado, Que as praias discorrendo do Ocidente, Descobriu o Recôncavo afamado Da capital brasílica potente: De Filho do Trovão denominado, Que o peito domar soube à fera gente; O valor cantarei da adversa sorte, Pois só conheço herói quem nela é forte. DURÃO, José de Santa Rita. Caramuru. Disponível em: <http://virtualbooks.terra.com.br/freebook/port/caramuru...>. Acesso em: 17 out Com relação aos Textos IV e V, há correspondência entre o texto e o gênero literário a eles relacionados em: (A) Texto IV ensaístico ; Texto V narrativo (B) Texto IV narrativo ; Texto V lírico (C) Texto IV narrativo ; Texto V dramático (D) Texto IV lírico ; Texto V épico (E) Texto IV dramático ; Texto V ensaístico

6 (1) Texto VI Ilusão à Toa (fragmento) Olha, somente um dia longe dos teus olhos Trouxe a saudade de um amor tão perto E o mundo inteiro fez-se tão tristonho Mas embora agora eu te tenha perto Eu acho graça do meu pensamento (2) Obra de Portinari A conduzir o nosso amor discreto Sim, amor discreto pra uma só pessoa Pois nem de leve sabes que eu te quero E me apraz essa ilusão à toa SILVA, Alfredo José da (Johnny Alf). Ilusão à toa. (197). Música brasileira deste século. São Paulo: Sesc, p CD. Faixa 10. Disponível em: <http://masp.art.br/ masp2010/acervo_detalheobra.php?id=438>. Acesso em: 17 out (3) Texto VII Salve o planeta e a sustentabilidade (fragmento) Existem enormes desafios em relação ao futuro da humanidade. (...) A agenda desta década será marcada pela sustentabilidade, sendo importante se alertar que retórica sem ação poderá trazer repercussões negativas para aqueles que acreditam que tudo não passa de um sonho de uma noite de verão. Empresas, governos, e até mesmo ONGs que não demonstrarem para a sociedade que têm compromisso efetivo com as transformações, correm o risco de que o tiro saia pela culatra, pelo fato de que credibilidade é um dos grandes artigos intangíveis dessas organizações, sendo muito difícil adquiri-la e fácil perdê-la. FELDMANN, Fábio. Salve o planeta e a sustentabilidade. Disponível em: <http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,oi EI686,00-Salve+o+planeta+e+a+sustentabilidade.html>. Acesso em: 17 out Estabelecendo uma relação entre a temática dos Textos VI e VII e da obra de Portinari (identificados com 1, 2 e 3) com estilos literários, a correspondência evidencia-se em: (A) (1): Parnasianismo com Alberto de Oliveira; (2): Simbolismo com Alphonsus de Guimaraens; (3): Realismo com Machado de Assis. (B) (1): Modernismo com Graciliano Ramos; (2): Simbolismo com Cruz e Sousa; (3): Realismo com Machado de Assis. (C) (1): Romantismo com Gonçalves Dias; (2): Pré-Modernismo com Euclides da Cunha; (3): Modernismo com Carlos Drummond de Andrade. (D) (1): Realismo com Machado de Assis; (2): Naturalismo com Aluísio Azevedo; (3): Parnasianismo com Olavo Bilac. (E) (1): Romantismo com Castro Alves; (2): Parnasianismo com Raimundo Correia; (3): Modernismo com Cecília Meireles. 6

7 LÍNGUA ESTRANGEIRA - INGLÊS 10 Things You Didn t Know About...Cars by Corey S. Powell 1. Horsepower (hp) rates the engine performance of cars and other motors. But what is the meaning of horsepower? By its formal definition, it is the power required to lift pounds (1.000 kg) by one foot (31 cm) in one minute. Note that, in spite of the horse in the name of this measurement, the average horse would have only about 0,7 hp. 2. In 1760, King George III, the English monarch who nearly crushed the American Revolution, housed around 30 horses in his Royal stables in London. Today, a typical compact car packs a 10-horsepower engine. So, any suburban commuter with his compact car nowadays has instant access to at least five times as much sheer muscle as King George III had. 3. The first documented auto fatality in the United States was H. H. Bliss of New York City, who was struck by a taxicab on September 13, 1899, while exiting a trolley car. 4. Last year Americans died in auto accidents. If the 1962 fatality rate still held, there would be an extra deaths annually, equivalent to losing the population of Pittsburgh every two years.. We can credit the diminishing rate of accidents to a mix of improvements, including crash impact standards, air bags, better tires, antilock brakes, and stability control. Most importantly: seat belts. Eightyfour percent of people now buckle up, compared with 14 percent three decades ago. 6. Lighting is one of the next frontiers in safety. BMW is developing headlights that highlight nearby people to help focus the driver s attention, and side and rear mirrors that block 80% of the light intensity coming from the headlights of the cars behind. A Carnegie Mellon University researcher team has developed headlights that can track droplets and avoid illuminating them, rendering rainfall nearly invisible. 7. In 2004, Nevada hosted the first Grand Challenge for self-driving cars. None of the contenders finished the course, and one leaped menacingly at spectators. Now Google s fleet of self-driving cars has completed miles on the road with only two small accidents one of them caused by human error. 8. Many expensive vehicles are already partly autonomous, with brakes that activate if sensors indicate an impending crash, steering that prevents drifting, a sonar system that navigates right into parking spaces, and cruise control that prevents following the next car too closely Going beyond with self-driving cars, soon state-of-the-art research on transportation will give government the tools to improve highway flow by regulating distances between cars. It will also ease urban congestion by automating the search for parking, which causes up to three-quarters of city traffic. Intelligent unified GPS systems will be able to distribute cars along the concurrent highways and streets which will avoid bottlenecks and, finally, traffic lights will be synchronized for longer distances. 10. Crashless is the goal. In the last 20 years the car industry has worked a great deal in designing cars that when crashing would protect their riders. In fact, modern cars protect drivers and passengers in frontal, rear and offset crashes by using crumple zones to absorb crash energy. This means that the car structure absorbs the impact of the crash, not the driver or passengers. But this way we will never completely get rid of accidents with casualties. The way to go is not to crash. And we are very close to designing crashless vehicles. said John Maddox, head of the National Highway Traffic Safety Administration. Available at: <http://discovermagazine.com/2012/oct/16-things- -you-didnt-know-about-cars>. Retrieved on: 10 Oct Adapted. 11 In the text, there is reference to the first fatal auto accident in the US, in which H. H. Bliss was the victim. When this accident happened, Mr. Bliss was (A) running to get a taxicab. (B) run over by the trolley car. (C) driving a taxicab. (D) getting off the trolley car. (E) trying to document the first taxi he saw. 12 Based on the text, it is clear that a horse, in average, would be (A) less powerful than 60% of one hp unit (B) as powerful as one hp unit (C) more powerful than two hp units (D) more powerful than one hp unit (E) less powerful than one hp unit 13 The word in italics describes the idea expressed, in the text, by the word in boldface type in (A) So, any suburban commuter (line 12) Despite (B) as much sheer muscle as King George III had. (line 14) thin (C) monarch who nearly crushed the American Revolution (lines 8-9) motivated (D) housed around 30 horses (lines 9-10) sold (E) Today, a typical compact car packs (line 11) carries 7

8 14 According to the text, if the 1962 fatality rate still held the same until last year, (A) Americans would lose the equivalent of twice the population of Pittsburgh in auto accidents. (B) Americans would end up losing about of people in auto accidents. (C) there would be about dead Americans in auto accidents. (D) there would be about dead Americans in auto accidents. (E) there would not be a single soul living in Pittsburgh. 1 According to the text, a mix of improvements can be credited to have contributed to the diminishing rate of auto accidents. The only item listed below that CANNOT be included in this mix is (A) the diminishing rate of people buckling up their seat belts. (B) a better stability control system. (C) the new tires that are enhanced by new technologies. (D) the fact that nowadays cars usually come with air bags. (E) the presence of antilock brakes. 16 The word in italics describes the idea expressed, in the text, by the word in boldface type in (A) leaped menacingly at spectators (lines 40-41) safely (B) Now Google s fleet of self-driving cars (line 41) training (C) In 2004, Nevada hosted the first Grand Challenge for self-driving cars. (lines 38-39) inaugurated (D) None of the contenders finished the course (lines 39-40) boxes (E) and one leaped (line 40) jumped 17 According to the text, concerned with building safer car models, researchers are now starting to develop better lighting standards. For instance, new headlights will (A) make the landscape nearly invisible. (B) illuminate the space between one drop and the other, but not rainfall. (C) enhance the light that is reflected in the side and rear mirrors of cars ahead. (D) prevent drivers from sleeping. (E) make people outside the car see the driver well. 18 According to the text, if not completely driver-autonomous, most higher-end cars already come with accessories that turn driving fairly automatic, such as (A) a system that automatically fits the car into a parking space. (B) an automatic braking system for curves. (C) a brake control that is activated whenever there is a rear car too close to yours. (D) a steering system that helps drivers to pull over whenever there is an impending crash. (E) a sonar system that indicates if a car will drift. 19 The reading of the text reveals that the car industry s goal now is different from that of the last 20 years because nowadays (A) they will design a car whose structure will absorb the impact of the crash, not the driver or passengers. (B) they know that crumple zones is the only way to get rid of accidents with casualties. (C) they aim at designing a crashless car. (D) they want modern cars to protect their riders 100%. (E) they have already eliminated accidents with casualties. 20 The reading of the text reveals that top research on transportation will soon (A) improve highway flow by synchronizing when drivers should start their car trips. (B) cut down on city traffic by automatically searching for parking spaces. (C) implement GPS systems to regulate how far a car can go with its gas reserve. (D) avoid bottlenecks by increasing distances between cars. (E) increase urban congestion by distributing cars along the concurrent highways. RASCUNHO 8

9 Texto I LÍNGUA ESTRANGEIRA - ESPANHOL Los jóvenes y el amor: una experiencia difícil Amar implica tiempo; tiempo que los jóvenes no están dispuestos a restarle a su individualidad, pues hoy se preocupan más por sí mismos, lo que se privilegia en la sociedad. De acuerdo con los especialistas, el amor para los jóvenes es un proceso natural, donde se reflejan tanto aspectos sicológicos como sociales, además de su experiencia en estas relaciones. En la juventud, a decir de Rosa María Calderón, sicoterapeuta especialista en jóvenes, no se cuenta con la madurez suficiente para identificar el amor real. Y los jóvenes, por su parte, ven este sentimiento como un ideal difícil de alcanzar, y el intento por lograrlo resulta una aventura grata que buscan repetir hasta que una desilusión llega y rompe sus expectativas. Esto puede ser tan grave que en algunos casos ocasiona conflictos emocionales y los chicos caen en relaciones destructivas y, así, se refugian en encuentros efímeros, sin atreverse a pasar a la siguiente fase, la cual implica responsabilidad y compromiso. Sin embargo, el amor ocupa un lugar importante en la vida de los jóvenes, aunque según Esther Alvarado, del Instituto Mexicano del Sicoanálisis, no saben diferenciar entre el enamoramiento y el estar enamorado. También el contexto familiar es elemental, pues en la mayoría de los casos no cuentan con una base sólida que les permita establecer una relación con suficiente madurez, asegura Rosa María Calderón. Ahora las mamás trabajan más tiempo fuera de casa, y en ocasiones ni una llamada le hacen a sus hijos; así los adolescentes se sienten abandonados y buscan atención. Cabe asimismo recordar, afirma la directora del Instituto Mexicano de la Juventud (IMJ), Priscila Vera Hernández, que una de las prioridades de los adolescentes es la familia, en especial, formar una propia. En la Encuesta Nacional de Juventud 200 encontramos que los jóvenes todavía consideran importante la base familiar y pretenden formar una, comenta la funcionaria. Respecto a la estabilidad emocional, en opinión de Priscila Vera, la baja autoestima resulta en relaciones violentas maltrato físico y sicológico, y los chicos no las identifican como dañinas. Esther Alvarado destacó que en la búsqueda de la pareja 0 60 la baja autoestima influye, pues corren el riesgo de elegir alguien que los descalifique, vea sus defectos y no sus virtudes. Cuando esto sucede, la relación produce sentimientos de frustración, poca satisfacción y desencanto. Además, la especialista asegura que para que una relación sea exitosa debe haber espacios para ambos, además de tener la posibilidad de compartir, no querer hacer todo juntos, pues la posesividad nos hace sentir encarcelados, y cuando se pierde la libertad empiezan los sentimientos de enojo, reclamos y celos. Disponible en: <http://www.eluniversal.com.mx/ciudad/ html>. Adaptado. 11 En la línea 3 del Texto I se puede sustituir, sin perjuicio de sentido, el término asimismo por (A) sin embargo (B) también (C) a menudo (D) en cuanto (E) por supuesto 12 La temática del Texto I es la difícil relación que tienen los jóvenes con las cuestiones amorosas. Se puede considerar que uno de los objetivos del texto en lo que se refiere a dicha temática es (A) presentar hechos. (B) valorar instituciones. (C) diagnosticar enfermedades. (D) solucionar problemas. (E) menospreciar experiencias. 13 Respecto a la estabilidad emocional, en opinión de Priscila Vera, la baja autoestima resulta en relaciones violentas maltrato físico y sicológico, (líneas 43-4 Texto I) Se sabe que de puntuación depende en gran parte la correcta expresión y comprensión de los textos escritos. En el fragmento anterior del Texto I, además de la función de enfatizar los tres términos, las rayas: (A) introducen una gradación. (B) presentan una contradicción. (C) añaden una oposición. (D) destacan una especificación. (E) establecen una comparación. 14 El Texto I se construye predominantemente por (A) opiniones de expertos (B) relatos de experiencia (C) método inductivo (D) razonamiento ilógico (E) preguntas retóricas 9

10 1 En la línea 16 del Texto I, el término esto se refiere a (A) intento (B) conflictos emocionales (C) aventura (D) expectativa (E) desilusión 16 Con base en el Texto I se constata que (A) los chicos perciben los maltratos como acciones dañinas. (B) los jóvenes prefieren el enamoramiento al status de estar enamorados. (C) el éxito de una relación depende de que los jóvenes compartan su tiempo a menudo. (D) la formación de una familia ha dejado de ser uno de los objetivos de los jóvenes. (E) las relaciones violentas pueden resultar de la baja autoestima. 17 La lectura del primer párrafo del Texto I apunta para la comprensión de que (A) los adolescentes comprenden el amor como proceso de la naturaleza. (B) los jóvenes no quieren invertir tiempo de su individualidad en cuestiones de amor. (C) el amor permite que los jóvenes se preocupen más con el otro. (D) el objetivo del amor es formar una familia al fin y al cabo. (E) la sociedad impone a los jóvenes que sean personas individualistas. Texto II 18 El Texto II tiene como coenunciadores un público bastante joven. NO sería adecuado a una publicidad vuelta hacia ese público (A) los tipos de productos anunciados: dulces, chicles y chupachups. (B) los nombres de los productos anunciados: PINPOP y Yogueta (C) el uso de vocabulário formal. (D) la propuesta de coleccionar stickers con consejos de personajes. (E) la descripción de actitudes como ponerles sobrenombres a las chicas y tirarles papeles en clases. 19 El imperativo se suele utilizar en publicidades con función de convencimiento. Tomando como base el lector presumido del Texto II, dicho uso está relacionado con su (A) necesidad (B) orden (C) consejo (D) deseo (E) invitación Disponible en: <http://www.museopublicidad.cl/2000/06/ambrosoli-amango/>. Acceso en: 20 sep Los Textos I y II tienen en común (A) la predominancia de la tipología narrativa (B) los coenunciadores preadolescentes (C) el texto en primera persona (D) el tratamiento informal (E) la temática del relacionamiento 10

11 BIOLOGIA / QUÍMICA 21 Os fios de cabelo são basicamente formados por filamentos de proteína unidos entre si por três tipos de interações: ligações de hidrogênio, ligações iônicas e pontes dissulfeto. Para a manutenção da estrutura do cabelo e a prevenção da ocorrência de quebras nos fios, recomenda-se a utilização de xampus com ph controlado (4,0,0). A Tabela abaixo traz a concentração (mol/l) de H + ou OH de diferentes marcas de xampu: Marca I II III IV Concentração [H + ] = 1 x 10 7 [H + ] = x 10 [OH ] = 1 x 10 9 [OH ] = 3 x 10 Considerando unicamente o fator ph, são recomendados para uso APENAS as seguintes marcas de xampu: (A) I e II (B) I e III (C) I e IV (D) II e III (E) II e IV 22 No ano de 2012, cientistas americanos publicaram um trabalho mostrando que a mulher, ao engravidar, incorpora algumas células provenientes do feto em seus tecidos. Esse fenômeno é conhecido como microquimerismo fetal, pois a mãe passa a ser uma quimera de células suas e de outro organismo. Isso significa que, caso o bebê tenha sido um menino, é possível encontrar algumas poucas células do feto espalhadas pelo corpo da mãe, inclusive no cérebro, que possuem o cromossomo Y. O mesmo fenômeno já havia sido demonstrado em roedores, mas o seu papel biológico permanece desconhecido. Caso uma mãe tenha um menino, (A) algumas das células no corpo da mãe terão proteínas produzidas que são codificadas por genes contidos no cromossomo Y. (B) se ela tiver mais um menino depois desse, seu corpo poderá atacar os cromossomos X do segundo por ter sido imunizado na primeira gravidez. (C) ela passará a apresentar características sexuais masculinas devido à presença de proteínas provenientes do menino. (D) haverá a oportunidade de a mãe passar a produzir gametas contendo o cromossomo Y, que veio do feto masculino que ela gerou. (E) as células corporais da mãe passarão a exibir 23 pares de cromossomos mais o Y, que será incorporado ao genoma materno. 23 O ouro é um dos metais preciosos mais utilizados na confecção de joias. Diversas técnicas são utilizadas para identificar a presença de ouro nessas peças. Uma delas envolve o gotejamento de água régia (mistura contendo 30% v/v de ácido nítrico e 70% v/v de ácido clorídrico concentrados) em uma amostra da joia. Em contato com a solução ácida, o ouro reage e forma um produto solúvel. A reação química que descreve o processo é a seguinte: Au (s) + 4 HCl + HNO 3 H(AuCl 4 ) (aq) + NO (g) + 2 H 2 O Na equação acima, o(a) (A) ácido nítrico é o agente redutor. (B) água é o solvente da reação. (C) cloro sofre oxidação. (D) oxigênio sofre redução. (E) ouro é o agente redutor. 24 Erros de medicação têm sido apontados como a causa de cerca de 8 mil mortes por ano no Brasil. Um exemplo dessa situação está apontado no fragmento de notícia abaixo: Uma mulher morreu depois de ficar dez dias internada para tratar de uma pneumonia num hospital da zona oeste de São Paulo. Segundo familiares, a paciente de 28 anos teria recebido direto na veia uma medicação que deveria ser diluída em soro. Depois de uma parada respiratória, ela ficou na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e morreu após voltar para o quarto, 24 horas depois. Disponível em: <http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/ apos-morte-de-paciente-familia-acusa-hospital-de-aplicar- -medicacao-errada html>. Acesso em: 0 out Segundo a família, a diluição do medicamento poderia ter evitado a morte da paciente. Assim, deveria ter sido realizada a: (A) separação de dois componentes de uma mistura heterogênea pela diferença de densidade. (B) separação de uma mistura heterogênea composta por uma fase sólida e uma fase fluída através da passagem por um material poroso semipermeável. (C) adição de um soluto sólido a um solvente líquido. (D) adição de mais solvente a uma solução, diminuindo a concentração do soluto. (E) adição de um reagente padrão a uma solução de analito até que a reação entre os dois se complete. 11

12 2 De acordo com a legislação atual, Cachaça é a denominação típica e exclusiva da Aguardente de Cana produzida no Brasil com graduação alcoólica de 38% vol (trinta e oito por cento em volume) a 48% vol (quarenta e oito por cento em volume) a 20 ºC (vinte graus Celsius), obtida pela destilação do mosto fermentado do caldo de cana-de-açúcar com características sensoriais peculiares, podendo ser acrescida de açúcares até 6 g/l (seis gramas por litro), expressos em sacarose. Em 2011, pesquisadores de duas Universidades de Minas Gerais realizaram um estudo a fim de avaliar a presença de contaminantes em algumas marcas de bebidas produzidas no interior de minas. Os gráficos abaixo apresentam alguns dos resultados obtidos. Amostras Amostras Fonte: Zacaroni et al. Química Nova, vol. 34, n. 2, p , De acordo com os gráficos acima, o limite máximo permitido pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para o furfural (C H 4 O 2, d = 1,16 g/cm 3 ) e para o cobre são, respectivamente, (A),0 x 10 3 % m/v e,0 x 10 3 % m/v (B),8 x 10 3 % m/v e,0 x 10 4 % m/v (C),2 x 10 4 mol/l e 7,9 x 10 mol/l (D),2 x 10 mol/l e 7,9 x 10 mol/l (E),0 x 10 2 mol/l e,0 x 10 3 mol/l 26 A menstruação é uma descamação do endométrio (membrana que reveste a cavidade do útero), acompanhada de saída de sangue. Isto ocorre porque os ovários reduzem muito a secreção de hormônios, e esses, por vários mecanismos, reduzem o estímulo ao endométrio, cujas células morrem e descamam. O primeiro dia do ciclo menstrual é o dia em que a menstruação se inicia. Disponível em: <http://www.unifesp.br/grupos/rhumana/ciclo.htm>. Acesso em: 01 out Adaptado. O pico do LH (Hormônio Luteinizante) que ocorre por volta do décimo quarto dia do ciclo menstrual é indispensável para (A) inibir a secreção do Hormônio Folículo Estimulante (FSH) pelo ovário. (B) impedir a formação do corpo lúteo e, com isso, aumentar os níveis de estrogênio. (C) estimular o crescimento do folículo ovariano. (D) induzir a ovulação e a formação do corpo lúteo. (E) estimular a produção de estrogênio pelo folículo ovariano. 12

13 27 Uma mulher de 0 anos vai realizar uma cirurgia para a colocação de uma prótese no fêmur. Os médicos realizam exames de sangue para a determinação do chamado risco cirúrgico. Nos exames de sangue dessa paciente, observou-se que o número de plaquetas estava muito abaixo do normal. Tendo em vista isso, os médicos optaram por não operar a paciente. A decisão dos médicos foi tomada, porque as plaquetas são fragmentos de células fundamentais para o(a) (A) produção de anticorpos (B) fagocitose de micro-organismos (C) transporte de oxigênio (D) produção de insulina (E) coagulação sanguínea 28 A vacina contra esquistossomose, ou barriga d água, desenvolvida e patenteada pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC), que pertence à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, pode chegar ao mercado em três ou quatro anos, segundo a diretora do IOC, a médica infectologista Tania Araújo Jorge. É a primeira vacina no mundo contra parasitas. Até hoje, só existem doses contra vírus e bactérias. Ainda precisamos passar por mais três fases de testes clínicos em humanos. Completamos apenas a primeira, diz. A esquistossomose é causada por um esquistossomo, animal invertebrado do filo dos platelmintos, e atinge 198 milhões de pessoas na África e 2 milhões no Brasil, além de ameaçar outros 800 milhões em 70 países. Sintomas como anemia, febre e diarreia são os mais comuns. Os testes iniciais contra a doença foram feitos desde maio do ano passado com 20 adultos voluntários que vivem no Rio, área considerada não endêmica, ou seja, onde não há transmissão ativa do parasita. Cada indivíduo recebeu três doses. Disponível em: <http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/06/ vacina-contra-esquistossomose-pode-sair-em-4-anos-diz-medicabrasileira.html>. Acesso em: 3 out Adaptado. A vacina experimental contra a esquistossomose será eficaz para o combate ao parasito no organismo humano se for capaz de (A) inibir a formação de anticorpos em seres humanos, o que contribuiria para o combate do Schistosoma mansoni. (B) induzir em seres humanos uma resposta imunológica capaz de combater o Schistosoma mansoni. (C) aumentar a formação de cercárias provenientes dos ovos encontrados nas fezes humanas. (D) impedir a eclosão de ovos de Schistosoma mansoni no intestino dos seres humanos. (E) impedir a penetração dos miracídeos nos caramujos planorbídeos encontrados em córregos e lagoas. 29 A superfamília dos afídeos, que inclui os pulgões, apresenta características no mínimo desconcertantes. Além da suspeição de captar DNA de outros seres, os pulgões são capazes de realizar partenogênese. Agora, essa insólita superfamília figura também na galeria dos seres autotróficos. Em outras palavras, são capazes de realizar a elaboração de nutrientes, de maneira muito similar à das plantas. Disponível em: <http://hypescience.com/e-descoberta- -superfamilia-de-insetos-que-realiza-fotossintese/>. Acesso em: 3 out Adaptado. Sabendo-se que os pulgões são seres autotróficos, isso significa que, diferentes de seres heterotróficos, são capazes de realizar um processo bioquímico a mais. Tal processo bioquímico nas plantas, ocorre numa determinada subestrutura de uma organela. Esse processo bioquímico e a sublocalização na organela são, respectivamente, a (A) fotossíntese e os tilacoides dos cloroplastos (B) fotossíntese e a membrana externa das mitocôndrias (C) respiração e as cristas dos cloroplastos (D) respiração e o estroma dos cloroplastos (E) fotossíntese e o estroma das mitocôndrias 30 Um estudante de química do segundo grau resolveu comparar experimentalmente as diferenças dos pontos de ebulição de quatro ácidos inorgânicos: HF, HCl, HBr e HI. Os resultados desse experimento encontram-se listados na tabela abaixo. Composto Ponto de ebulição ( o C) HF 19, HCl 8,0 HBr 66,8 HI 3,1 O valor acentuadamente mais elevado do ponto de ebulição do HF ocorre em virtude da (A) formação de ligações de hidrogênio por esta substância (B) capacidade do HF de formar ligação do tipo iônica intermolecular (C) menor eletronegatividade do flúor (D) ausência de polaridade da substância (E) maior massa molecular do HF comparada aos demais RASCUNHO 13

14 FÍSICA / MATEMÁTICA 31 Uma bolinha quica sobre uma superfície de modo que em cada quique atinge uma altura que corresponde a 0,81 do quique anterior, como ilustra a figura abaixo. 33 Na figura abaixo, r, s e t são retas paralelas. 3x/2 2, x 1 r s 2y 1 y 1 t H 0... O tempo de voo entre dois quiques seguidos, ou seja, o tempo decorrido entre dois contatos consecutivos com a superfície, é 8H/g, onde H é a altura máxima entre quiques. Se a primeira altura máxima é H 0, o tempo total decorrido até a parada da bolinha é (A) 100 (8H 0/g) (B) 1000 (8H 0/g) (C) 2 (8H 0/g) (D) 7 (8H 0/g) (E) 10 (8H 0/g) 32 Um tio rico de Joãozinho deixa para ele o terreno que ele escolher dentre suas propriedades. Contudo, Joãozinho deve seguir duas regras para fazer a escolha do terreno: o terreno deve ter forma retangular e plana e o perímetro do mesmo não pode exceder 400 m. Joãozinho acabou escolhendo um terreno que, além de satisfazer as regras impostas, tem a maior área possível. A área, em m 2, do terreno escolhido por Joãozinho é (A) (B) (C) (D) (E) Os valores de x e y são, respectivamente, (A) 3 e (B) 3,7 e (C) 1 e 2 (D) 1, e 4 (E) 2, e 34 Uma esfera de aço oca, de raio R =,0 cm, flutua em equilíbrio na superfície de uma poça com 1/ de seu volume acima da superfície da água. Se a massa específica do aço é 8,0 g/cm 3, e a da água é 1,0 g/cm 3, qual é a fração oca da esfera? (A) 90 % (B) 100 % (C) 0 % (D) 10 % (E) 80 % 3 Um paralelepípedo de volume V é formado pelos vetores a (3,0,0), b (0,0,12) e c (1,2,1). O volume V pode ser obtido através do módulo do produto misto a (b c), onde u v é o produto escalar entre u e v, enquanto u v é o produto vetorial entre eles. O valor de V é (A) 72 (B) 144 (C) 9 (D) 18 (E) 36 14

15 36 Uma partícula de 30,0 g é deixada cair, a partir do repouso, de uma altura de 2,0 m. A energia da partícula, quando chega ao solo, é de 0,4 J. Qual é o trabalho realizado, em J, pela resistência do ar que dissipa parte da energia do sistema partícula terra? (A) 0,4 (B) 0,6 (C) 0,1 (D) 0,2 (E) 0,3 Dado aceleração da gravidade g = 10,0 m/s 2 37 Considerando a equação v 2 = 2My, onde v é velocidade e y é posição, que unidade deve possuir a constante M para que a equação seja dimensionalmente correta no SI? (A) m 2 /s (B) m 3 /s (C) m 3 /s 2 (D) m 2 /s 2 (E) m/s Um feixe de luz se propagando pelo ar incide em um cubo de acrílico cuja aresta mede 6 cm, fazendo um ângulo de 4º com a superfície desse cubo. O feixe de luz atravessa o cubo e sai na face oposta a uma altura h, acima da posição de incidência, como mostra a Figura. ar Feixe de luz Calcule a distância h em cm. (A) 6,0 (B) 10,2 (C) 3,0 (D) 3,4 (E),1 acrílico h Dados 2 = 1,4 3 = 1,7 ar = 1 acrílico = 1,4 40 O conjunto de resistores abaixo pode ser utilizado como divisor de tensão em um circuito analógico. B F R A R R Dois blocos de massas m A = 00 g e m B = 300 g estão dispostos como mostra a figura. A superfície de apoio em contato com o bloco A não oferece nenhuma resistência ao movimento e o atrito entre os blocos tem coeficientes de atrito estático E = 0,7 e cinético C = 0,4. Qual é o valor máximo da força externa F aplicada ao bloco B para que os blocos se movimentem unidos? (A) 3,4 (B),6 (C) 1,2 (D) 2,1 (E) 3,0 Dado aceleração da gravidade g = 10,0 m/s 2 V R R R R A R A corrente medida no amperímetro A é de 1, ma, e a resistência R vale 1,0 k. Nessas condições, a tensão da bateria, em volts, é (A) 24 (B) 48 (C) 3 (D) 6 (E) 12 R R 1

16 GEOGRAFIA / HISTÓRIA 41 Quanto à arte renascentista, analise a imagem (pintura de Brueghel de 160) e o texto a seguir. Disponível em: <http://muriquinhos.blogspot.com/2009/04/brueghel.html&docid>. Acesso em: 1 out Foi um longo processo, que começou em fins do século XIV e se prolongou até o século XVI. O berço dessa transformação foi a península Itálica, sobretudo em cidades como Florença, Veneza e mesmo Roma, onde papas incentivaram muito as artes. Mas o renascimento não ficou restrito à península Itálica. Houve outros focos, a exemplo dos Países Baixos, onde se notabilizaram pintores como Hieronymus Bosch ou Pieter Brueghel. VAINFAS, Ronaldo et al. História. São Paulo: Saraiva, p.182. A associação da imagem ao texto revela que a arte renascentista apresentava, como características (A) avanço da técnica, apego ao classicismo e despreocupação com a noção de profundidade (B) uso de cálculos matemáticos na técnica, representação da realidade tridimensional e valorização do teocentrismo (C) técnica milenar, valorização romântica e representação religiosa (D) sofisticação técnica, valorização do humano e noção de perspectiva (E) técnica rudimentar, destaque para o aspecto laico da cultura e ruptura com a tendência humanista 42 O século XIX foi um tempo de grandes transformações políticas e contínuas inovações tecnológicas no mundo ocidental. Também no Império do Brasil a época foi de mudanças. [...], vieram a melhoria dos transportes, as empresas de serviços urbanos, os primeiros núcleos industriais. FREIRE et al. História em Curso: O Brasil e suas relações com o mundo ocidental. São Paulo: Editora do Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, p.184. A situação retratada acima está marcantemente relacionada com o(a) (A) extinção do tráfico negreiro, que possibilitou mão de obra livre para o trabalho na mineração. (B) condução de um plano político satisfatório para o regime, que foi impulsionado pela Guerra do Paraguai. (C) avanço da economia agroexportadora, cujo motor foi a expressiva produção cafeeira. (D) surgimento da produção de cana, cujo motor foi a substituição dos engenhos pelas usinas. (E) acumulação de capitais externos que foram direcionados, naquela época, para a indústria de base. 16

17 43 Na Alemanha, o difícil contexto econômico e social ao longo dos anos 1920 foi marcado pela grave situação de (com a queda do marco e a hiperinflação), seguida das consequências dramáticas da crise de 1929 [...]. [...] O NSDAP [pequeno partido político liderado por Hitler] aproveitou-se da franca decomposição do regime. Hitler estrategicamente aproximou-se dos meios industriais e dos partidos conservadores [...]. Em janeiro de 1933, o presidente da República [...] convidou Hitler para fazer parte do governo. Um mês depois, o Reichstag estava em chamas [...]. Com a crise deflagrada, os parlamentares (exceto os social-democratas) aprovaram a cessão de plenos poderes a Hitler pelo período de quatro anos. Com Hitler no poder, o NSDAP tornou-se [...] o único partido autorizado na Alemanha. Os prisioneiros políticos foram colocados em campos de trabalho [...]. ENDERS, Armelle et al. História em Curso: Da Antiguidade à Globalização. São Paulo: Editora do Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, p.308. Adaptado. No contexto apresentado acima, com a chegada de Hitler ao poder, instaurou-se na Alemanha o(a) (A) regime político totalitário (B) ordem democrática (C) sistema econômico socialista (D) Estado republicano (E) partido progressista 44 A solução para o nosso povo eu vou dar/negócio bom assim ninguém nunca viu/ Tá tudo pronto aqui é só vim pegar/ A solução é alugar o Brasil A canção Aluga-se, de autoria de Raul Seixas e Cláudio Roberto, foi lançada em 1980 e questionava a entrega do patrimônio brasileiro ao capital estrangeiro. O contexto da época apontava para a ascensão mundial do neoliberalismo, representado pelo presidente Ronald Reagan ( ) e pela primeira-ministra britânica Margaret Thatcher ( ). A música de Rauzito teve a execução pública censurada pela ditadura militar ( ), que já preparava a transição para possibilitar a entrada do modelo neoliberal no Brasil. NAGOYA, Otávio. Pacote da Dilma tenta salvar o PIB. Revista Caros Amigos, São Paulo: Casa Amarela, ano XVI, n. 186, p.29, set No entanto, no caso brasileiro, somente nos primeiros anos da década de 1990 é que o neoliberalismo teve seu impulso inicial a partir da atuação de um presidente da República na implementação de um programa que redefiniu a atuação do Estado na economia. O nome desse presidente e duas características do neoliberalismo são (A) Fernando Henrique Cardoso estabelecimento do Estado do Bem-Estar Social e estímulo a privatizações (B) Luis Inácio Lula da Silva abertura do capital estrangeiro e estabelecimento de políticas sociais compensatórias (C) José Sarney protecionismo econômico e incentivo ao Estado mínimo (D) Fernando Collor de Mello estímulo a privatizações e abertura econômica (E) Itamar Franco forte regulação do Estado e protecionismo aos bens industriais 4 Democratas do Brasil, não desconfiem das gloriosas Forças Armadas de nossa pátria, dizia Auro de Moura Andrade, presidente do Senado, para a multidão que marchava em São Paulo com Deus pela Liberdade dias antes do fadado golpe. Naquele 1º de abril de 1964, quando militares e seus tanques avançaram sobre as principais cidades do Brasil, foram saudados por muitos como verdadeiros defensores da ordem nacional frente à ameaça comunista. E como o criador batiza sua criatura como bem entende, chamaram de Revolução Democrática a deposição sumária do presidente eleito. REVISTA DE HISTÓRIA DA BIBLIOTECA NACIONAL. Rio de Janeiro: SABIN, ano 7, n. 83, p. 17, ago De acordo com o texto acima, o que aconteceu em 1º de abril de 1964 somente foi possível devido a uma conjunção de interesses que inclui, em primeiro plano, (A) as forças econômicas do campo e os governos estaduais (B) as forças econômicas da elite urbana e os trabalhadores das indústrias (C) as forças políticas progressistas e a igreja (D) as forças políticas conservadoras e os sindicatos (E) as forças armadas e parcelas importantes da sociedade 17

18 46 O Brasil está pouco a pouco se tornando um país menos desigual, como atestam os números da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) referente a [...] A renda média dos 10% mais pobres da população evoluiu em ritmo equivalente a, vezes a dos 10% mais ricos, em dez anos. Mas, sob qualquer ângulo de análise, observa-se uma evolução positiva, variando por faixa social ou região. Uma informação relevante é que a maior contribuição veio da renda do trabalho. Ou seja, à medida que a economia progride, mais empregos formais são gerados, menor a disparidade de rendas. O Globo, 30 set. 2012, p.18. O caso brasileiro serve para ilustrar que o conceito de desenvolvimento social é mais amplo do que o conceito de crescimento econômico, visto que esse desenvolvimento prioriza (A) incremento na exportação de commodities, com maior arrecadação de divisas. (B) melhoria da qualidade de vida, com transformação estrutural da economia. (C) aumento do volume produtivo, com destaque para o setor industrial. (D) elevação do PIB, com proliferação de programas sociais assistencialistas. (E) crescimento da renda per capita, com supressão da informalidade no trabalho. 47 Madri Depois do desemprego, [...], o despejo de centenas de famílias devido ao não pagamento de hipotecas ou do aluguel tornou-se o retrato mais estarrecedor da crise que avassala a Espanha. [...] Para entender como a Espanha chegou a atual situação de crise, deve-se analisar a década anterior, quando, apostando em um crescimento fácil, rápido e a curto prazo, o país se rendeu à economia do tijolo sustentada, entre outros fatores, pela aquisição de crédito no mercado financeiro internacional. [...] Desse modo, a construção residencial se converteu no principal recurso da economia espanhola [...]. Uma receita que funcionou até o estouro da crise [...] nos Estados Unidos, e a consequente redução da oferta de crédito nos mercados. BARROS, Eliane. Espanha: direito à moradia versus especulação. Revista Caros Amigos. São Paulo: Casa Amarela, ano XVI, n. 186, set A situação apresentada no texto acima revela um dos problemas urbanos frequentes nas grandes cidades que está associado a um determinado processo. Esse processo e uma consequência do que ocorreu na Espanha são (A) desmetropolização redução numérica das classes médias (B) segregação espacial expansão da miséria nas camadas populares (C) conurbação estagnação produtiva (D) metropolização aumento da pobreza (E) crise do setor imobiliário aumento da exclusão social 48 Sobre o tema apresentado na charge ao lado, considere as afirmações abaixo. I A ação do homem, nos últimos dois séculos, tem aumentado a concentração de gases que retêm o calor próximo à superfície terrestre, provocando o fenômeno mencionado na charge. II Os gases, que provocam o fenômeno mencionado na charge, são lançados principalmente pela indústrias, pela queima de combustíveis fósseis e pelas queimadas. III O fenômeno mencionado na charge tem estreita relação com o aquecimento global. VESENTINI, J.W. Geografia: O mundo em transição. São Paulo: Ática, p É correto o que se afirma em: (A) I, apenas (B) II, apenas (C) III, apenas (D) I e II, apenas (E) I, II e III 18

19 49 O fenômeno da mobilidade populacional vem, desde as últimas décadas do século XX, apresentando transformações significativas no seu comportamento, não só no Brasil como também em outras partes do mundo. Até o presente momento, essas mudanças têm demandado um esforço por parte dos estudiosos no sentido de buscar explicações teóricas para esses novos processos, [...]. Reflexões sobre os deslocamentos Populacionais no Brasil. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ refl exoes_deslocamentos/deslocamentos.pdf>. Acesso em: 3 out O último censo demográfico do Brasil demonstra que há mudanças na migração interna no país. Isso é materializado, por exemplo, pelos seguintes aspectos: o redirecionamento dos fluxos migratórios para as cidades médias em detrimento das grandes metrópoles; os deslocamentos de curta duração e de curta distância; os movimentos pendulares. Esses aspectos dos deslocamentos, que não se restringem mais a movimentos na direção dos grandes aglomerados urbanos, passaram a assumir maior relevância porque eles refletem (A) as novas estratégias de sobrevivência para população migrante (B) as políticas de fixação da população nas áreas tradicionais de expulsão (C) o crescimento do agronegócio no Centro-Oeste (D) a crise da atividade agropecuária na região Sudeste (E) as atitudes xenofóbicas nas regiões tradicionalmente receptoras 0 Primavera Árabe - É o nome dado à onda de protestos, revoltas e revoluções populares contra governos do mundo árabe que eclodiu em A raiz dos protestos é o agravamento da situação dos países, provocado pela crise econômica e pela falta de democracia. A população sofre com as elevadas taxas de desemprego e o alto custo dos alimentos e pede melhores condições de vida. Disponível em: <http://guiadoestudante.abril.com.br/estudar/atualidades/primavera-arabe-resumo shtml>. Acesso em: 3 out No contexto da chamada Primavera Árabe, um país, após a derrubada de seu líder Muammar Kadafi, passou a enfrentar dois problemas que poderiam levar à fragmentação do país que nunca conquistou uma identidade nacional coesa: choques entre milícias que se recusam a entregar armas e os anseios por autonomia da região da Cirenaica. Esse país é (A) Egito (B) Tunísia (C) Líbia (D) Síria (E) Iêmen RASCUNHO 19

20 PROVA DISCURSIVA DE BIOLOGIA / QUÍMICA ATENÇÃO: Esta prova destina-se somente aos candidatos ao curso de MEDICINA, e as respostas deverão ser apresentadas na folha específica. As Células Principais são células especializadas presentes em glândulas na mucosa do estômago responsáveis pela produção de ácido clorídrico. Este ácido é essencial para os processos digestórios, entretanto, quando sua produção ocorre de maneira excessiva, sentimos uma sensação de queimação, que é popularmente chamada de azia. Para alívio imediato da azia são utilizados medicamentos antiácidos e, entre os disponíveis no mercado, há soluções de hidróxido de alumínio e hidróxido de magnésio. Embora ambos hidróxidos tenham capacidade antiácida, eles possuem algumas características distintas. A primeira se refere à velocidade de reação: o de alumínio reage bem mais lentamente, e o de magnésio reage rapidamente com o ácido. A outra diferença se refere a efeitos na motilidade do trato digestório: o de alumínio diminui essa motilidade, causando constipação, e o de magnésio aumenta essa motilidade, podendo causar diarréia. Muitos dos medicamentos disponíveis hoje contêm ambos os hidróxidos. a) Escreva as reações balanceadas de neutralização do ácido clorídrico pelos hidróxidos de magnésio e de alumínio. (valor: 30,0 pontos) RASCUNHO b) Quais seriam as vantagens da mistura de hidróxido de magnésio com hidróxido de alumínio, quando comparada a medicamentos contendo apenas um dos dois sais, na mesma quantidade neutralizadora de ácido? Justifique sua resposta. (valor: 70,0 pontos) RASCUNHO 20

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 1 1 1 H 1, 00 2 3 4 2 Li 6, 94 Be 9, 01 11 12 3 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 4 K 39, 10 Ca 40, 08 37 38 5 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 6 Cs 132, 91 Ba 137, 33 87 88 7 Fr Ra 223, 02 226, 03 CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Gabarito - Química - Grupo A

Gabarito - Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor A estrutura dos compostos orgânicos começou a ser desvendada nos meados do séc. XIX, com os estudos de ouper e Kekulé, referentes ao comportamento químico do

Leia mais

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012 Prova Discursiva Medicina 16/12/2012 Caderno de Prova Este caderno, com 16 páginas numeradas sequencialmente, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica dos Elementos

Leia mais

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

CURSOS Ciências Habilitação em Química e Química Industrial. Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo.

CURSOS Ciências Habilitação em Química e Química Industrial. Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. PROCESSO SELETIVO 2003/2 QUÍMICA CURSOS Ciências Habilitação em Química e Química Industrial Só abra este caderno quando o fiscal autorizar. Leia atentamente as instruções abaixo. 1. 2. 3. 4. Esta prova

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores)

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes C, diamante C, grafite Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes TEV: rede 3D de ligações covalentes C, diamante (sp

Leia mais

PUC - Rio VESTIBULAR 2015

PUC - Rio VESTIBULAR 2015 PUC - Rio VESTIBULAR 201 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Outubro / 2014 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA, DE MATEMÁTICA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE GEOGRAFIA E DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

AULA 02: TABELA PERIÓDICA

AULA 02: TABELA PERIÓDICA AULA 02: TABELA PERIÓDICA 1. INTRODUÇÃO A Tabela Periódica é, efetivamente, um instrumento organizador de conhecimentos sobre os elementos químicos, onde estes estão ordenados por ordem crescente de número

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS EXERCÍCIOS Questão 01) O correto uso da tabela periódica permite determinar os elementos químicos a partir de algumas de suas características. Recorra a tabela periódica

Leia mais

2015.1 VESTIBULAR. Medicina. Prova Discursiva 02/11/2014

2015.1 VESTIBULAR. Medicina. Prova Discursiva 02/11/2014 VESTIBULAR 2015.1 Universidade Severino Sombra - USS Prova Discursiva Medicina 02/11/2014 Este caderno, com 16 páginas numeradas, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação

Leia mais

Processo Seletivo 2009-1

Processo Seletivo 2009-1 Processo Seletivo 2009-1 GRUP 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GIÁS PRÓ-REITRIA DE GRADUAÇÃ CENTR DE SELEÇÃ Química SÓ ABRA QUAND AUTRIZAD 1. Após autorização, verifique se este caderno está completo ou se contém

Leia mais

PUC - RIO - 2014 Rio VESTIBULAR 2014 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE GEOGRAFIA, DE HISTÓRIA E DE MATEMÁTICA

PUC - RIO - 2014 Rio VESTIBULAR 2014 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE GEOGRAFIA, DE HISTÓRIA E DE MATEMÁTICA PUC - RIO - 2014 Rio VESTIBULAR 2014 2 o DIA TARDE GRUPO 4 Outubro / 2013 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE GEOGRAFIA, DE HISTÓRIA E DE MATEMÁTICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Vestibular2014 MEDICINA. Prova Discursiva 17/11/2013

Vestibular2014 MEDICINA. Prova Discursiva 17/11/2013 Universidade Severino Sombra - USS Vestibular2014 Prova Discursiva MEDICINA 17/11/2013 Este caderno, com 16 páginas numeradas, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica

Leia mais

MEDICINA. Prova Discursiva 01/06/2014. Instruções. Informações Gerais. Boa prova!

MEDICINA. Prova Discursiva 01/06/2014. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! Universidade Severino Sombra - USS Vestibular2014.2 Prova Discursiva MEDICINA 01/06/2014 Este caderno, com dezesseis páginas numeradas, contém cinco questões de Biologia e cinco questões de Química. A

Leia mais

BIOLOGIA/QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. COLE AQUI A ETIQUETA

BIOLOGIA/QUÍMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. COLE AQUI A ETIQUETA 2 a Etapa BIOLOGIA/QUÍMICA SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Leia atentamente o CARTAZ sobre ELIMINAÇÃO AUTOMÁTICA, afixado na parede da sala, à sua frente, e as instruções

Leia mais

Módulo: Tabela Periódica Atividade: Estudo da Tabela Periódica e Distribuição Eletrônica de Linus Pauling

Módulo: Tabela Periódica Atividade: Estudo da Tabela Periódica e Distribuição Eletrônica de Linus Pauling Guia do Professor Módulo: Tabela Periódica Atividade: Estudo da Tabela Periódica e Distribuição Eletrônica de Linus Pauling I Introdução A atividade Distribuição Eletrônica favorece o desenvolvimento de

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Química Coordenação de Pós-graduação

Universidade Federal de Goiás Instituto de Química Coordenação de Pós-graduação Universidade Federal de Goiás Instituto de Química Coordenação de Pós-graduação EXAME DE SELEÇÃO DO MESTRADO EM QUÍMICA 2013/1 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO Número de Inscrição: INSTRUÇÕES IMPROTANTES: -

Leia mais

Química Geral I. Experimento 3 Tendências Periódicas

Química Geral I. Experimento 3 Tendências Periódicas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciência e Tecnologia Laboratório de Ciências Químicas Química Geral I Experimento 3 Tendências Periódicas 1 - OBJETIVOS Relacionar a reatividade química

Leia mais

Telecurso 2000 Junho 2012

Telecurso 2000 Junho 2012 Instruções: Todas as trinta questões desta prova devem ser respondidas assinalando a alternativa adequada ao enunciado. A tabela periódica encontra-se no final desta prova. As questões de 1 a 10 referem-se

Leia mais

Física e Química A. Teste Intermédio de Física e Química A. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 10.03.2010

Física e Química A. Teste Intermédio de Física e Química A. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 10.03.2010 Teste Intermédio de Física e Química A Teste Intermédio Física e Química A Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 10.03.2010 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Na folha de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO 2º DIA GRUPO 2 SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO 2º DIA GRUPO 2 SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO CADERNO DE QUESTÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO 2º DIA 07/06/2010 Biologia Química Redação SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

Leia mais

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Novembro / 2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este

Leia mais

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA 7 CEFET CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

CONCEITO DE GEOQUÍMICA

CONCEITO DE GEOQUÍMICA UNIVERSIDADE FEDEREAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA GEOQUÍMICA GC 012 CONCEITO DE GEOQUÍMICA Profa. Dra. Eleonora Maria Gouvea Vasconcellos Introdução distribuição dos elementos químicos controlada

Leia mais

Lista exercícios N1 Química Geral Tabela Periódica, distribuição eletrônica e ligações químicas.

Lista exercícios N1 Química Geral Tabela Periódica, distribuição eletrônica e ligações químicas. 1 Parte I - Considere as informações abaixo: Lista exercícios N1 Química Geral Tabela Periódica, distribuição eletrônica e ligações químicas. Núcleo: Prótons e nêutrons. Eletrosfera: elétrons Os átomos

Leia mais

PUC - Rio VESTIBULAR 2015

PUC - Rio VESTIBULAR 2015 PUC - Rio VESTIBULAR 2015 2 o DIA TARDE GRUPO 4 Outubro / 2014 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE GEOGRAFIA, DE HISTÓRIA E DE MATEMÁTICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

003. Ciências da Natureza e Matemática

003. Ciências da Natureza e Matemática VESTIBULAR 2013 Prova de Conhecimentos Específicos e Redação 16.12.2012 Assinatura do candidato 003. Ciências da Natureza e Matemática (Questões 13-24) Confira seus dados impressos neste caderno. Assine

Leia mais

Energias de ionização (ev) 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª X 5,4 75,6 122,4 Y 13,6 35,2 54,9 77,4 113,9 138,1 739,1 871,1

Energias de ionização (ev) 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª X 5,4 75,6 122,4 Y 13,6 35,2 54,9 77,4 113,9 138,1 739,1 871,1 1. (Cefet MG 2014) Na tabela a seguir, estão representadas as energias de ionização de dois elementos X e Y pertencentes ao segundo período do quadro periódico. Elementos Energias de ionização (ev) 1ª

Leia mais

PROJETO SOLOS DE MINAS

PROJETO SOLOS DE MINAS PROJETO SOLOS DE MINAS Liliana Adriana Nappi Mateus Fundação Estadual do Meio Ambiente Walter Antônio Pereira Abraão Universidade Federal de Viçosa 15-04-2015 Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos

Leia mais

Aluno(a): Código: 2 Rua T-53 Qd. 92 Lt. 10/11 nº 1356 Setor Bueno 62-3285-7473 www.milleniumclasse.com.br

Aluno(a): Código: 2 Rua T-53 Qd. 92 Lt. 10/11 nº 1356 Setor Bueno 62-3285-7473 www.milleniumclasse.com.br Aluno(a):_ Código: Série: 1ª Turma: Data: / / 01. O casal Fernando e Isabel planeja ter um filho e ambos têm sangue do tipo A. A mãe de Isabel tem sangue do tipo O. O pai e a mãe de Fernando têm sangue

Leia mais

LIQUIGÁS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

LIQUIGÁS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. LIQUIGÁS EDITAL N o, LIQUIGÁS PSP - 0/0 PROVAS a CONHECIMENTOS BÁSICOS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 0 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com o enunciado

Leia mais

QUÍMICA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

QUÍMICA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém oito questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de quinze

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS INSTRUÇÕES: PRCESS SELETIV 2013/2 - CPS PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA CURS DE GRADUAÇÃ EM MEDICINA 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 5 (cinco) questões discursivas. Caso

Leia mais

São os mais numeroso entre os elementos. Todos os elementos dos blocos s, d e f da

São os mais numeroso entre os elementos. Todos os elementos dos blocos s, d e f da OS METAIS INTRODUÇÃO São os mais numeroso entre os elementos Todos os elementos dos blocos s, d e f da tabela periódica são metais Alguns elementos do bloco p também são metais: Alumínio, Gálio, Tálio,

Leia mais

2015.2 VESTIBULAR. Medicina. Prova Discursiva 31/05/2015

2015.2 VESTIBULAR. Medicina. Prova Discursiva 31/05/2015 VESTIBULAR 2015.2 Universidade Severino Sombra - USS Prova Discursiva Medicina 31/05/2015 Este caderno, com 16 páginas numeradas, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Informações de Tabela Periódica CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Folha de Dados Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 12,0 14,0

Leia mais

Lista 1 Atomística e tabela periódica

Lista 1 Atomística e tabela periódica Lista 1 Atomística e tabela periódica 1. (Ufrn 2013) A Lei Periódica e sua representação gráfica, a Tabela Periódica, são dois conhecimentos essenciais para a química e para os químicos. D. Mendeleev (1834-1907),

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS 3 PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS QUÍMICA 01 - O dispositivo de segurança que conhecemos como air-bag utiliza como principal reagente para fornecer o gás N 2 (massa molar igual a 28 g mol -1

Leia mais

metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável

metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável metais não ferrosos aluminio-cobre-latão - aço inoxidável Arames Barras chatas Bobinas Cantoneiras Chapas Discos Perfis Buchas Tubos Tubos de cobre para refrigeração Vergalhões, redondos, sextavados e

Leia mais

ATIVIDADES EM QUÍMICA Recuperação paralela de conteúdos

ATIVIDADES EM QUÍMICA Recuperação paralela de conteúdos Nova Friburgo, de de 2014. Aluno (a): Gabarito Professor(a): ATIVIDADES EM QUÍMICA Recuperação paralela de conteúdos Nº: Turma:100 Assuntos: Estrutura atômica; Tabela Periódica; Propriedades periódicas;

Leia mais

Lista de Exercício de Química - N o 6

Lista de Exercício de Química - N o 6 Lista de Exercício de Química - N o 6 Profa. Marcia Margarete Meier 1) Arranje em ordem crescente de energia, os seguintes tipos de fótons de radiação eletromagnética: raios X, luz visível, radiação ultravioleta,

Leia mais

Versão 2. Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Físico-Química Versão 2 Teste Intermédio Físico-Química Versão 2 Duração do Teste: 90 minutos 18.04.2013 9.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro????????????

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS

Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS Profa Fernanda Galante Fundamentos de Química e Biologia Molecular/ Nutrição Material 3 1 LIGAÇÕES QUIMICAS REGRA DO OCTETO Cada átomo tem um número de elétrons diferente e estes e - (elétrons) estão distribuídos

Leia mais

Capítulo II Classificação Periódica

Capítulo II Classificação Periódica 2.1. A história da tabela periódica Um pré-requisito necessário para construção da tabela periódica, foi a descoberta individual dos elementos químicos. Embora os elementos, tais como ouro (Au), prata

Leia mais

003. Ciências da Natureza e Matemática (Questões 13-24)

003. Ciências da Natureza e Matemática (Questões 13-24) VESTIBULAR MEIO DE ANO 2012 Prova de Conhecimentos Específicos e Redação 23.06.2012 Assinatura do candidato 003. Ciências da Natureza e Matemática (Questões 13-24) Confira seus dados impressos neste caderno.

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA

Pág. 1. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD CONCURSO VESTIBULAR 2009 2ª Fase PROVA DE QUÍMICA Questão 1: As bebidas alcoólicas contêm etanol e podem ser obtidas pela destilação do álcool (ex. whiskey e vodka) ou pela fermentação de uma variedade de produtos como frutas e outros vegetais (ex. vinho

Leia mais

INTRODUÇÃO: BASES DA ORGANIZAÇÃO DOS ELEMENTOS

INTRODUÇÃO: BASES DA ORGANIZAÇÃO DOS ELEMENTOS INTRODUÇÃO: BASES DA ORGANIZAÇÃO DOS ELEMENTOS Se você é um filatelista ou um colecionador de CDs (compact discs), provavelmente utiliza algum critério para organizar os itens de sua coleção. Os selos,

Leia mais

Química A Intensivo V. 1

Química A Intensivo V. 1 Química A Intensivo V. 1 Exercícios 01)A A ideia apresentada na alternativa A, além de algo impossível, não estava incluída na teoria de Dalton que afirmava que átomos iguais pertenciam ao mesmo elemento

Leia mais

- QUESTÕES DISCURSIVAS - GRUPO 4. (CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, MEDICINA VETERINÁRIA e ZOOTECNIA) PROVAS: BIOLOGIA, MATEMÁTICA, QUÍMICA e REDAÇÃO

- QUESTÕES DISCURSIVAS - GRUPO 4. (CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, MEDICINA VETERINÁRIA e ZOOTECNIA) PROVAS: BIOLOGIA, MATEMÁTICA, QUÍMICA e REDAÇÃO DEZEMBRO 2007 UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR e PAS 3 SEGUNDA FASE - QUESTÕES DISCURSIVAS - GRUPO 4 (CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, MEDICINA VETERINÁRIA e ZOOTECNIA)

Leia mais

Relatório Parcial Expedição Rio Doce Pontos de Coleta Previamente Fixados pelos colaboradores da UFscar

Relatório Parcial Expedição Rio Doce Pontos de Coleta Previamente Fixados pelos colaboradores da UFscar Relatório Parcial Expedição Rio Doce Pontos de Coleta Previamente Fixados pelos colaboradores da UFscar Pontos em que a expedição da UnB participou do processo de coleta de água e sedimento entre os dias

Leia mais

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA

SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA SÉRIE: 2º ano EM Exercícios de recuperação final DATA / / DISCIPLINA: QUÍMICA PROFESSOR: FLÁVIO QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA QUESTÃO 01 Em uma determinada transformação foi constatado que poderia ser representada

Leia mais

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 física Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

SIMULADO DE QUÍMICA. 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da:

SIMULADO DE QUÍMICA. 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da: SIMULADO DE QUÍMICA 1) Para eliminar a poeira e outras impurezas sólidas do ar, muitos aparelhos de purificação usam método da: a) ( ) filtração; b) ( ) flotação; c) ( ) separação de mistura; d) ( ) ventilação.

Leia mais

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo.

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. QUÍMICA As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

Aulas Particulares on-line

Aulas Particulares on-line QUÍMICA PRÉ-VESTIBULAR LIVRO DO PROFESSOR 2006-2008 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores e do detentor dos direitos autorais.

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

ESTRUTURA CRISTALINA DOS METAIS

ESTRUTURA CRISTALINA DOS METAIS ESTRUTURA CRISTALINA DOS METAIS Estrutura cristalina dos metais 1 DEFINIÇÃO DE CRISTAL - Sólidos cristalinos: Uma substância pode ser considerada cristalina quando os átomos (ou moléculas) que a constitui

Leia mais

E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA EDITAL N o 001/2012 - EPE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os enunciados das 50 (cinquenta) questões

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 10 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das

Leia mais

TÉCNICO(A) QUÍMICO(A) I

TÉCNICO(A) QUÍMICO(A) I 03 EDITAL N o 1 LIQUIGÁS /PSP 01/2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com o enunciado das 40 (quarenta) questões objetivas,

Leia mais

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Testes para identificar a gravidez Como é possível identificar se uma mulher está grávida? Após os sintomas apresentados acima, normalmente

Leia mais

Materiais / Materiais I

Materiais / Materiais I Materiais / Materiais I Guia para o Trabalho Laboratorial n.º 4 CORROSÃO GALVÂNICA E PROTECÇÃO 1. Introdução A corrosão de um material corresponde à sua destruição ou deterioração por ataque químico em

Leia mais

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém sete questões, constituídas de itens e subitens, e é composto de dezesseis

Leia mais

2 1. Alternativa Correta: (b) Extensão, massa, inércia,

2 1. Alternativa Correta: (b) Extensão, massa, inércia, MÓDULO 4 CIÊNCIAS FUNDAMENTAL MÓDULO 4 Questões Comentadas Ensino Fundamental 1 Ciências 2 1. Alternativa Correta: (b) Extensão, massa, inércia, impenetrabilidade, compressibilidade, elasticidade, divisibilidade

Leia mais

O primeiro beijo e outros contos Clarice Lispector

O primeiro beijo e outros contos Clarice Lispector CONTEÚDO DE RECUPERAÇÃO ESPECIAL 1º ANO QUÍMICA PROVA: Matéria: Funções inorgânicas(ácidos, bases, sais e óxidos); balanceamento de equações químicas; Massa atômica, Massa molecular; Constante de Avogadro;

Leia mais

BIOLOGIA. Questões de 01 a 06

BIOLOGIA. Questões de 01 a 06 GRUPO 2 TIPO A BIO. 1 BIOLOGIA Questões de 01 a 06 01. Como todas as células eucariotas, as células caliciformes da traquéia humana apresentam compartimentos intracelulares chamados de organelas, especializados

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta. Dado: Fórmula estrutural da creatinina

Questão 1. Questão 2. Resposta. Dado: Fórmula estrutural da creatinina Eles estão de volta! Omar Mitta, vulgo Rango, e sua esposa Dina Mitta, vulgo Estrondosa, a dupla explosiva que já resolveu muitos mistérios utilizando o conhecimento químico (vestibular UNICAMP 2002).

Leia mais

Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo. Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo

Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo. Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo Coeficientes de distribuição de metais pesados em solos de São Paulo Luís Reynaldo F. Alleoni ESALQ/USP Dep. de Ciência do Solo Definição de metais pesados Química - grande grupo de elementos com: densidade

Leia mais

Tabel e a l P rió dica

Tabel e a l P rió dica Tabela Periódica Desenvolvimento histórico da Tabela Periódica Dmitri Mendeleev (1834-1907 ) Escreveu em fichas separadas as propriedades (estado físico, massa, etc) dos elementos químicos. Enquanto arruma

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém cinco

Leia mais

ORBITAIS DE ELÉTRONS, FLUORESCÊNCIA E FOTOSSÍNTESE.

ORBITAIS DE ELÉTRONS, FLUORESCÊNCIA E FOTOSSÍNTESE. Atividade didático-experimental ORBITAIS DE ELÉTRONS, FLUORESCÊNCIA E FOTOSSÍNTESE. O objetivo desta atividade é proporcionar contato com alguns fenômenos e conceitos físicos e químicos que permitem avançar

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

EXAME GERAL EM QUÍMICA EDITAL N 118/2009. Seleção para o 1º Semestre de 2010 07 de Dezembro de 2009 CANDIDATO: Assinatura: INSTRUÇÕES

EXAME GERAL EM QUÍMICA EDITAL N 118/2009. Seleção para o 1º Semestre de 2010 07 de Dezembro de 2009 CANDIDATO: Assinatura: INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA R. José Moreira Sobrinho, s/n, CEP: 45506-191 Jequié-BA Tel / FAX: 73 3528-9630 e-mail: mestrado.quimica@uesb.br Reservado

Leia mais

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES E RESPECTIVOS ESPAÇOS PARA RESPOSTAS. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS A correção de cada questão será restrita somente ao que estiver registrado no espaço

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO O laudo (Figura 1) indica os valores determinados no laboratório para cada camada do perfil do solo, servindo de parâmetros para direcionamento de métodos corretivos. Figura

Leia mais

MINERAÇÃO URBANA. A saída para a reciclagem valores metálicos. renováveis. de fontes nãoclique para editar o estilo do subtítulo mestre

MINERAÇÃO URBANA. A saída para a reciclagem valores metálicos. renováveis. de fontes nãoclique para editar o estilo do subtítulo mestre MINERAÇÃO URBANA A saída para a reciclagem de valores metálicos de fontes não renováveis. D. Monteiro de Oliveira & L. Sobral Metais Ferrosos: V, Cr, Fe, Mn, Ni, Nb, Mo Metais Não-Ferrosos: Mg, Al, Ti,

Leia mais

(www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais que ocorrem no ciclo menstrual, é correto afirmar que

(www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais que ocorrem no ciclo menstrual, é correto afirmar que 01 - (Unicastelo SP) O gráfico representa os níveis de concentração dos diferentes hormônios femininos, no organismo, durante o ciclo menstrual. (www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização. 04/12/2011 Física Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização. Instruções 1. Verifique

Leia mais

Prova Experimental Física, Química, Biologia

Prova Experimental Física, Química, Biologia Prova Experimental Física, Química, Biologia Complete os espaços: Nomes dos estudantes: Número do Grupo: País: BRAZIL Assinaturas: A proposta deste experimento é extrair DNA de trigo germinado e, posteriormente,

Leia mais

PUC - RIO - 2014 Rio VESTIBULAR 2014 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA, DE HISTÓRIA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE BIOLOGIA E DE GEOGRAFIA

PUC - RIO - 2014 Rio VESTIBULAR 2014 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA, DE HISTÓRIA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE BIOLOGIA E DE GEOGRAFIA PUC - RIO - 2014 Rio VESTIBULAR 2014 2 o DIA TARDE GRUPO 5 Outubro / 2013 PROVAS OBJETIVAS DE FÍSICA, DE HISTÓRIA E DE QUÍMICA PROVAS DISCURSIVAS DE BIOLOGIA E DE GEOGRAFIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo I 1 a série do ensino médio Fase 01 Aluno(a): Instituição de Ensino: Município: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

Química A Intensivo V. 1

Química A Intensivo V. 1 1 Química A Intensivo V. 1 Exercícios 01) 10 01. Incorreta. O modelo atômico de Dalton não prevê a existência de elétrons. 02. Correta. Segundo Dalton, os átomos eram indestrutíveis e, durante uma reação

Leia mais

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph JARDINAGEM O que é solo? O solo é a camada superficial da crosta terrestre, sendo formado basicamente por aglomerados minerais, matéria orgânica oriunda da decomposição de animais e plantas e organismos

Leia mais

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios,

Av. Moaci, 965 Moema São Paulo SP CEP: 04083-002 Tel. +55 (11) 2532-4813 www.geekie.com.br. Prezados colégios, Prezados colégios, Buscando atender a demanda por GeekieTestes para o 1º e 2º anos do Ensino Médio, elaboramos nossa Matriz Geekie de Avaliação para 2014. Nela, buscamos contemplar os principais conteúdos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) Programa de Provas Módulo II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) Programa de Provas Módulo II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) Programa de Provas Módulo II O programa das matérias do 2º módulo do PAS relaciona-se aos conteúdos curriculares indicados pelos

Leia mais

Química. Química 3 SUMÁRIO. e Pré-vestibular

Química. Química 3 SUMÁRIO. e Pré-vestibular Química SUMÁRIO Química 1 MÓDULO 1 Estrutura da matéria - Atomística... 3 Estrutura da matéria: modelos atômicos, Z, A, isótopos e íons Estrutura da matéria: A eletrosfera MÓDULO 2 Classificação periódica

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 7 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

Conteúdo Programático Anual

Conteúdo Programático Anual INGLÊS 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) Capítulo 01 (Unit 1) What s your name? What; Is; My, you; This; Saudações e despedidas. Capítulo 2 (Unit 2) Who s that? Who; This, that; My, your, his, her; Is (afirmativo,

Leia mais