REGULAMENTO Conselho Científico do ISCSEM Data 14/04/2014 Revisão 00 Código R.EM.CCI.01

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO Conselho Científico do ISCSEM Data 14/04/2014 Revisão 00 Código R.EM.CCI.01"

Transcrição

1 Artigo 1.º (Composição) 1. O Conselho Científico do Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz (ISCSEM) é constituído por: Coordenadores dos Cursos e departamentos, Presidentes das Comissões Científicas dos cursos, Presidente do Conselho Pedagógico, um doutorado por cada curso, eleito pelos seus pares, por um período de dois anos. 2. O Presidente obtido o parecer favorável do Conselho Científico poderá a título excecional, convidar a participar no Conselho, sem direito a voto, professores ou visitantes habilitados com o grau de doutor ou personalidades cuja presença seja considerada útil. Artigo 2.º (Presidente) 1. O Conselho Científica elege de entre os professores doutorados e por um período de dois anos um presidente, a quem compete presidir, representar o Conselho e promover a execução das suas deliberações. 2. O Presidente não poderá acumular com a presidência do Conselho Pedagógico, a presidência de Comissões Científicas ou Pedagógicas. Artigo 3.º (Vice-presidente) O Presidente do Conselho Científico poderá designar um vice-presidente de entre os professores doutorados, a quem competirá substitui-lo nas suas faltas e impedimentos. Elaborado por Isabel Barahona Verificado por J. Martins dos Santos Aprovado por M.J. de Queiroz Medeiros Página 1/8

2 Artigo 4.º (Secretário) 1. O Secretário do Conselho e das Comissões Científicas será o membro doutorado mais recente à data da eleição do Presidente. 2. Ao secretário cabem as seguintes atribuições: a) A elaboração das atas dos respetivos órgãos mencionados no artigo 14º do presente Regulamento; b) Redigir as convocatórias; c) Registar as faltas às reuniões ou abandono das mesmas; d) Coordenar a execução das deliberações do órgão respetivo. 3. O Secretário terá um mandato de duração igual ao do Presidente. Artigo 5.º (Competências do Conselho Científico) 1. Compete ao Conselho Científico deliberar ou dar parecer sobre a coordenação científica entre os cursos e sobre os assuntos de natureza científica geral de acordo com a legislação aplicável e os Estatutos do ISCSEM (artigo 7992/99, 2ª série, de 24 de abril), cabendo-lhe nomeadamente: a) Elaborar e aprovar o regulamento Científico; b) Eleger o seu Presidente até trinta (30) dias após serem eleitos os membros designados no artigo 1º de acordo com o estabelecido no artigo 6º do presente Regulamento; c) Contribuir para a definição das linhas gerais de orientação do ISCSEM mormente no plano científico tendo em conta as deliberações das Comissões Científicas; d) Dar parecer sobre a criação, supressão e extinção de cursos; e) Acompanhar as atividades científicas desenvolvidas pelos cursos e departamentos; f) Emitir parecer sobre as regras de afetação das disponibilidades de abertura de concursos, admissões, renovação e requisições e de contratos de todo o pessoal docente e de investigação científica; Página 2/8

3 g) Propor as estruturas curriculares, a organização e planos de estudo dos cursos, ouvidas as Comissões Científicas dos cursos; h) Zelar pelo bom funcionamento dos diversos cursos no que se refere à sua articulação curricular e desenvolvimento das atividades letivas, assegurando a boa coordenação entre os departamentos envolvidos; i) Definir critérios para a distribuição de serviço docente; j) Dar parecer sobre a política de extensão cultural e de prestação de serviços à comunidade; k) Deliberar sobre as condições de acesso ao grau de mestre, após autorização ministerial para a respetiva concessão; l) Propor a composição de júris de provas de aptidão pedagógica e mestrado, ouvidas as Comissões Científicas pertinentes; m) Estabelecer as condições gerais de admissão de todo o pessoal docente, de investigação científica e técnico superior adstrito às atividades de ensino e investigação; n) Deliberar sobre a atribuição de equivalências nos casos previstos na lei; o) Pronunciar-se sobre qualquer outro assunto que lhe seja submetido pelo Diretor, por outros órgãos do ISCSEM e pelo Presidente da Direção da entidade instituidora; p) Decidir sobre o regime de ingresso nos cursos professados no ISCSEM ouvido o Conselho Pedagógico; q) Fixar normas para cálculo de classificações finais das licenciaturas; r) Propor a atribuição de graus académicos honoríficos; s) Proceder à atribuição de prémios escolares; t) Dar parecer sobre a criação, alteração ou extinção de departamentos e secções autónomas; u) Dar parecer sobre regulamentos dos departamentos e secções autónomas; v) Fazer propostas e emitir parecer sobre a aquisição de equipamento científico e seu uso; w) Propor à Direção todas as ações que julgar convenientes para a correta concretização da política científica a integrar nos planos de desenvolvimento, incluindo a aquisição de equipamento e espécimes bibliográficos, audiovisuais e informáticos, com relevância científica; Página 3/8

4 x) Pronunciar-se sobre os pedidos de equiparação a bolseiro, bolsas de estudo e dispensas de serviço docente; y) Aprovar o conteúdo das provas específicas de acesso ao ISCSEM; z) Aprovar os pedidos de licenças sabáticas. 2. Para efeitos de apreciação de relatórios, de contratação e concursos de docentes, só terão direito a voto os docentes de Conselho Científico de categoria igual ou superior à dos candidatos. 3. O Conselho Científico poderá delegar algumas competências no seu Presidente ou nas Comissões Científicas de curso. Artigo 6.º (Competências do Presidente) Compete ao Presidente do Conselho Científico: a) Presidir ao conselho e promover a execução das suas deliberações, decidir por si, em caso de urgência, submetendo posteriormente as decisões tomadas a ratificação do conselho; b) O Conselho Científico pode delegar no seu presidente, por o período de um ano, as competências que entender, quando aprovadas por maioria qualificada dos seus membros. Artigo 7.º (Funcionamento) O Conselho Científico funciona em Comissões Científicas de curso, com atribuições específicas ou exercidas por delegação de competências. Artigo 8.º (Reuniões do Conselho Científico) 1. O Conselho Científico reunirá, ordinariamente, de dois em dois meses e, extraordinariamente, quando convocado pelo seu presidente, por iniciativa Página 4/8

5 própria, por solicitação do diretor ou a requerimento de um terço dos seus membros. 2. Quando o conselho reunir a solicitação do diretor a reunião será por ele presidida. 3. O Conselho Científico só poderá deliberar validamente com a presença da maioria dos seus membros, sendo as deliberações aprovadas por maioria simples, salvo quando digam respeito a matérias para as quais o respetivo regimento ou legislação vigente exijam maioria qualificada. 4. O Conselho Científico poderá delegar algumas das suas competências no seu presidente ou nas comissões previstas no artigo 9º. 5. O Diretor poderá, sempre que desejar, participar nas reuniões do Conselho Científico. Artigo 9.º (Comissões Científicas de Curso) 1. Em cada curso haverá uma Comissão Científica com as seguintes atribuições: a) Elaborar estudos e pareceres sobre questões de organização estrutura, conteúdo curricular e funcionamento dos respetivos cursos; b) Emitir parecer sobre a adequada afetação ao curso, dos meios materiais e humanos de ensino, investigação e extensão; c) Pronunciar-se sobre a aquisição e alienação de equipamento científico e bibliográfico e sua afetação útil. 2. As Comissões Científicas de curso são constituídas por um representante de cada secção criada pelo Conselho Científico, para cada secção os seus regentes elegerão o seu representante entre os mais graduados. 3. A Comissão Científica elegerá um presidente e um vice-presidente de entre os seus membros doutorados. 4. A Comissão Científica poderá delegar no presidente parte das suas competências. Página 5/8

6 Artigo 10.º (Deliberações) 1. O Conselho Científico só poderá deliberar validamente com a presença da maioria dos seus membros, sendo as deliberações aprovadas por maioria simples, salvo quando digam respeito a matérias para as quais o respetivo regimento ou legislação vigente exijam maioria qualificada. 2. Compete ao Presidente, justificando-o perante a assembleia, decidir se a votação de cada assunto é feita por escrutínio secreto ou nominal. 3. Para validar qualquer deliberação do Conselho Científico ou das Comissões Científicas de curso, é exigida a presença da maioria do número legal dos seus membros com direito a voto, não se considerando para essa maioria as faltas devidamente justificadas e nas condições expressas em No caso de empate, o Presidente tem voto de qualidade salvo se a votação tiver sido feita por escrutínio secreto. 5. Havendo empate em votação por escrutínio secreto, proceder-se-á imediatamente a nova votação e, se o empate persistir, adiar-se-á a deliberação para a reunião seguinte; se na primeira votação dessa reunião o empate se mantiver, proceder-se-á a votação nominal. 6. As deliberações do Conselho Científico e das Comissões Científicas de curso são da responsabilidade solidária dos seus membros, desde que a elas não se tenham oposto, por declaração expressa justificativa do voto, imediatamente após a reunião. 7. São nulas as deliberações tomadas por qualquer dos órgãos expressos no ponto anterior sempre que: a) Incidam sobre assuntos que não sejam da sua competência; b) As reuniões em que foram tomadas não hajam sido convocadas nos termos regulamentares; c) O processo de votação não tenha respeitado o regulamento ou decisão do Presidente; d) Estejam em contravenção com o disposto na legislação aplicável ou o presente Regulamento. Página 6/8

7 Artigo 11.º (Recursos de decisões) O Conselho Científico constituirá instância de recurso das decisões decorrentes das competências delegadas. Artigo 12.º (Convocatória para as reuniões) 1. As reuniões do Conselho Científico e das Comissões Científicas de curso devem ser convocadas com uma semana de antecedência. 2. Em casos de urgência, devidamente justificados, as reuniões poderão ser convocadas com pelo menos 48 horas de antecedência. 3. Não se verificando, na primeira convocatória o quórum conforme expresso no artigo 10º, ponto 3, será convocada uma nova reunião com intervalo mínimo de 24 horas. 4. Da convocatória devem constar os assuntos que serão objeto de deliberação, o local e a hora da reunião. 5. Verificando-se as condições referidas no nº3 e desde que esteja previsto na convocatória, o órgão pode deliberar, desde que esteja presente, um terço dos seus membros com direito a voto. 6. O conteúdo da ordem de trabalhos constante da convocatória referida no nº4, apenas pode ser alterada no início da reunião por votação qualificada de dois terços dos membros presentes, sob proposta de qualquer destes membros. Artigo 13.º (Comparência a reuniões) 1. As faltas às reuniões ou o abandono das mesmas devem ser justificadas por escrito em carta dirigida ao seu presidente até 72 horas após a respetiva reunião. Página 7/8

8 2. A comparência às reuniões do Conselho Científico precede sobre os demais serviços escolares e clínicos à exceção de exames, júris de provas, concursos e representações legais. 3. O registo de faltas às reuniões ou o abandono é da responsabilidade do secretário. Artigo 14.º (Atas) 1. Serão elaboradas atas de todas as reuniões do Conselho Científico e das Comissões Científicas de curso. 2. A elaboração das atas expressas no ponto anterior, é da responsabilidade dos secretários dos respetivos órgãos. 3. Cada ata será submetida à aprovação do órgão na reunião seguinte e, uma vez aprovada e assinada é arquivada no respetivo secretariado. 4. As atas podem ser consultadas por qualquer membro do Conselho Científico. Artigo 15.º (Casos omissos) Todas as situações que não possam ser resolvidas pelo presente Regulamento serão analisadas, caso a caso, pelo Conselho Científico e aprovadas por maioria qualificada dos seus membros. Página 8/8

Preâmbulo. 2. Uma vez constituído o CTC, os seus membros elegerão o Presidente e Vice-Presidente, entre aqueles detentores do grau de doutor.

Preâmbulo. 2. Uma vez constituído o CTC, os seus membros elegerão o Presidente e Vice-Presidente, entre aqueles detentores do grau de doutor. Preâmbulo O presente documento rege a constituição, o funcionamento e a competência do Conselho Técnico-Científico (CTC) da Escola Superior de Saúde Egas Moniz (ESSEM), de acordo com os Estatutos da mesma

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL (ESHTE)

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL (ESHTE) REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL (ESHTE) CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO SECÇÃO I ESTRUTURA ORGÂNICA Artigo 1.º Natureza O Conselho Geral é o órgão de definição do

Leia mais

Capítulo I. Composição

Capítulo I. Composição Regulamento do Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve (Em cumprimento dos Estatutos da Faculdade de Ciências e Tecnologia, DR 103/2009, de 28 de maio) Capítulo

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO REGULAMENTO

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO REGULAMENTO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO REGULAMENTO Artigo 1.º Composição 1 - O Conselho Técnico-Científico é composto por 11 membros: 60% de representantes eleitos dos professores de carreira; 20% de docentes com

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico

Regimento do Conselho Pedagógico Regimento do Conselho Pedagógico CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Âmbito 1. O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e supervisão pedagógica, bem como de orientação educativa do Agrupamento,

Leia mais

Data 05/12/2016 Revisão 02 Código R.EM.CPE.02. Elaborado por Armanda Amorim

Data 05/12/2016 Revisão 02 Código R.EM.CPE.02. Elaborado por Armanda Amorim Elaborado por Armanda Amorim Preâmbulo O presente Regulamento visa concretizar as disposições previstas nos artigos 20º a 22º, secção III dos Estatutos da Escola Superior de Saúde Egas Moniz (ESSEM), no

Leia mais

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Definição e atribuições 1 O Departamento de Química da Universidade do Minho, adiante designado por departamento, é uma subunidade

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE VISEU. Artigo 1.º Disposições gerais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE VISEU. Artigo 1.º Disposições gerais REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE VISEU Artigo 1.º Disposições gerais O presente regulamento completa as disposições dos estatutos da Escola Superior Agrária

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Artigo 1.º (Composição do Conselho Geral) 1. O Conselho Geral é composto por trinta e cinco membros. 2. São membros do Conselho Geral: a)

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE. Artº1º. Composição

REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE. Artº1º. Composição REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE Artº1º Composição 1. O Conselho Pedagógico da Escola Superior de Saúde, adiante designada por ESSUAlg, é o órgão colegial de natureza pedagógica

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico

Regimento do Conselho Pedagógico Regimento do Conselho Pedagógico CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Finalidades O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e supervisão pedagógica e orientação educativa do Agrupamento de escolas,

Leia mais

Conselho Técnico-Científico. Regulamento Interno

Conselho Técnico-Científico. Regulamento Interno Conselho Técnico-Científico Regulamento Interno Aprovada em CTC na reunião 362ª de 08-04-2016 1 Secção I Composição e Funcionamento Artigo 1.º Composição 1. O Conselho Técnico-científico é constituído

Leia mais

Universidade Técnica de Lisboa REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES

Universidade Técnica de Lisboa REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES Universidade Técnica de Lisboa FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANIDADES Julho 2012 Preâmbulo Os Estatutos da Faculdade de Motricidade Humana,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA 1. Composição 1.1. O Conselho Técnico-Científico é constituído por quinze membros com a seguinte composição: a) Representantes eleitos,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO Regulamento do Conselho Técnico-Científico Página 1 de 5 REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ARTIGO 1º Natureza O Conselho Técnico-Científico é o órgão responsável pela orientação da política técnico-científica

Leia mais

CONSELHO GERAL - REGIMENTO -

CONSELHO GERAL - REGIMENTO - CONSELHO GERAL - REGIMENTO - 2013-2017 Aprovado em reunião plenária de 30 de outubro de 2013 Preâmbulo O Regimento do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Carcavelos tem por objetivo definir os

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA

ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA ESCOLA SUPERIOR DE DANÇA REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO Dezembro 2010 1. NATUREZA E OBJECTIVOS O Conselho Pedagógico (CP) da Escola Superior de Dança (ESD) é o órgão pelo qual se concretiza a participação

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico 2013/2017

Regimento do Conselho Pedagógico 2013/2017 Regimento do Conselho Pedagógico 2013/2017 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Finalidades O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e supervisão pedagógica e orientação educativa do Agrupamento,

Leia mais

DEPARTAMENTO ENGENHARIA MECÂNICA

DEPARTAMENTO ENGENHARIA MECÂNICA REGULAMENTO INTERNO DEPARTAMENTO ENGENHARIA MECÂNICA Setembro 2001 REGULAMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA CAPÍTULO I Natureza e objectivos Artigo 1º O Departamento de Engenharia Mecânica,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO, MAIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO, MAIA 1. Disposições Gerais 1. 1. Objetivo O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e supervisão pedagógica e orientação educativa do Agrupamento, nomeadamente nos domínios pedagógicodidático, da orientação

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO CIENTÍFICO

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO CIENTÍFICO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO CIENTÍFICO Artigo 1º Composição 1 O Conselho Científico é constituído pelo Presidente do Conselho

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO. Regimento do Conselho Geral

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO. Regimento do Conselho Geral AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO Regimento do Conselho Geral Artigo 1.º Definição 1. O conselho geral é o órgão de direção estratégica responsável pela definição das linhas orientadoras da atividade da escola,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO. da Escola Superior de Educação de Lisboa. Artigo 1.º. (Natureza e finalidade do Conselho) Artigo 2.

REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO. da Escola Superior de Educação de Lisboa. Artigo 1.º. (Natureza e finalidade do Conselho) Artigo 2. REGULAMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO da Escola Superior de Educação de Lisboa Artigo 1.º (Natureza e finalidade do Conselho) 1. O Conselho Pedagógico é um órgão colegial ao qual compete pronunciar-se sobre

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Âmbito) 1. O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e supervisão pedagógica, bem como de orientação educativa do Agrupamento,

Leia mais

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Escola de Engenharia REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA (Fevereiro de 2010) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 (Definição) O Departamento de Engenharia Mecânica, a seguir designado por

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO PARA A AVALIAÇÃO E QUALIDADE

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO PARA A AVALIAÇÃO E QUALIDADE REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO PARA A AVALIAÇÃO E QUALIDADE Viseu, junho de 2013 ComAQ ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU COMISSÃO PARA A AVALIAÇÃO E QUALIDADE (ComAQ) Nos termos do n.º 4 do artigo

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE PONTA GARÇA REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO Ano Letivo 2016/17 1 Artigo 1º Da legislação A composição, as competências e o funcionamento do conselho pedagógico regem-se pelo

Leia mais

Regulamento do Conselho Pedagógico do ISPAJ

Regulamento do Conselho Pedagógico do ISPAJ Regulamento do Conselho Pedagógico do ISPAJ Versão aprovada em Conselho de Direcção de 9 de Julho de 2015 Documento Regulamento do Conselho Pedagógico do ISPAJ Data 05/07/2015 Conselho de Direcção 09/07/2015

Leia mais

Regimento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho

Regimento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho Regimento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho Regimento do CTC Índice Artigo 1º - Definição....................................................... 3

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES CONSELHO CIENTÍFICO REGIMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO

UNIVERSIDADE DOS AÇORES CONSELHO CIENTÍFICO REGIMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO CONSELHO CIENTÍFICO REGIMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO (Aprovado na reunião de 24 de Novembro de 2009) 1 Parte I- NATUREZA E ATRIBUIÇÕES Artº 1º (Natureza) O Conselho Científico, adiante abreviadamente designado

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico

Regimento do Conselho Pedagógico Regimento do Conselho Pedagógico Ano Letivo 2017/2018 Regimento do Conselho Pedagógico Ano Letivo 2017/2018 Índice Artigo 1.º Finalidades... 3 Artigo 2.º Âmbito e Aplicação... 3 Artigo 3.º Composição...

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico

Regimento do Conselho Pedagógico Regimento do Conselho Pedagógico Ano Letivo 2018/2019 Regimento do Conselho Pedagógico Ano Letivo 2018/2019 Índice Artigo 1.º Finalidades... 3 Artigo 2.º Âmbito e Aplicação... 3 Artigo 3.º Composição...

Leia mais

REGULAMENTO DEPARTAMENTO DE DIETÉTICA E

REGULAMENTO DEPARTAMENTO DE DIETÉTICA E Homologado na Gestão documental em 28/12/2017 REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE DIETÉTICA E NUTRIÇÃO Im-05-15-B0 Pág. 1 de 5 Artigo 1º (Definição) 1. O Departamento de Dietética e Nutrição da Escola Superior

Leia mais

Artigo 1.º DEFINIÇÃO E ORGANIZAÇÃO. 3. O Conselho de Departamento é constituído por todos os docentes do Departamento. Artigo 2.º AUTONOMIA ACADÉMICA

Artigo 1.º DEFINIÇÃO E ORGANIZAÇÃO. 3. O Conselho de Departamento é constituído por todos os docentes do Departamento. Artigo 2.º AUTONOMIA ACADÉMICA REGIMENTO DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO Aprovado em Reunião de 6 de julho/2017 Artigo 1.º DEFINIÇÃO E ORGANIZAÇÃO 1. O Departamento de Educação e Formação, adiante designado por Departamento,

Leia mais

uoevora ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE S.JOÃO DE DEUS

uoevora ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE S.JOÃO DE DEUS uoevora DE S.JOÃO DE DEUS ORDEM DE SERVIÇO UÉESESJD N. 04/2015 REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO CIENTiFICO UÉESESJD Tendo sido aprovado a 18 de Novembro de 2015, em reunião Ordinária do Conselho Técnico

Leia mais

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA LINGUAGEM ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA LINGUAGEM ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA LINGUAGEM ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA LINGUAGEM ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU O presente regulamento

Leia mais

Escola Básica e Escola Básica e Secundária da Sé - Lamego. Escola Básica e. Secundária da Sé - Lamego

Escola Básica e Escola Básica e Secundária da Sé - Lamego. Escola Básica e. Secundária da Sé - Lamego Escola Básica e Escola Básica e Secundária da Sé - Lamego Escola Básica e Secundária da Sé - Lamego Regimento do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas da Sé 2010-2014 REGIMENTO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS Proposta de adequação à Lei 123/2015 REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS PROPOSTA ASSEMBLEIA DE REPRESENTANTES

Leia mais

Agrupamento de Escolas Monte da Lua - Sintra Regulamento Interno Anexo. Regulamento Interno. Anexo

Agrupamento de Escolas Monte da Lua - Sintra Regulamento Interno Anexo. Regulamento Interno. Anexo Agrupamento de Escolas Monte da Lua - Sintra Regulamento Interno Anexo Regulamento Interno Anexo REGIMENTO INTERNO DOS CONSELHOS DE DOCENTES DO 1.º CICLO Anexo Regimento interno dos conselhos de docentes

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO EXECUTIVO

REGIMENTO DO CONSELHO EXECUTIVO REGIMENTO DO CONSELHO EXECUTIVO Junho 2016 1. O Conselho Executivo, da Escola Básica Integrada de Ponta Garça, é o órgão de administração e gestão nas áreas pedagógica, cultural, administrativa, patrimonial

Leia mais

REGIMENTO CONSELHO PEDAGÓGICO agrupamento de escolas da abelheira

REGIMENTO CONSELHO PEDAGÓGICO agrupamento de escolas da abelheira CONSELHO PEDAGÓGICO é o órgão de coordenação e supervisão pedagógica e orientação educativa nos domínios pedagógicodidático, da orientação e acompanhamento dos alunos e da formação inicial e contínua do

Leia mais

REGIMENTO do CONSELHO PEDAGÓGICO. Elementos/participantes

REGIMENTO do CONSELHO PEDAGÓGICO. Elementos/participantes REGIMENTO do CONSELHO PEDAGÓGICO Artigo 1.º Âmbito 1.º - O conselho pedagógico é o órgão de coordenação e orientação educativa da escola, nomeadamente nos domínios pedagógico-didáctico, da orientação e

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO UNIVERSIDADE AUTÓNOMA DE LISBOA. Artigo 1.º Objecto

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO UNIVERSIDADE AUTÓNOMA DE LISBOA. Artigo 1.º Objecto REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO UNIVERSIDADE AUTÓNOMA DE LISBOA Artigo 1.º Objecto É objecto do presente Regimento o funcionamento do Conselho Pedagógico da Universidade Autónoma de Lisboa, de ora em

Leia mais

Regulamento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti

Regulamento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Regulamento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Artigo 1º (Da Constituição) 1. O Conselho Técnico-Científico é composto por 16 membros, para além do Director.

Leia mais

REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA

REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DO CENFORMA 2 Artigo 1.º Definição 1. O Regimento Interno da Secção de Formação e

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DA MISERICÓRDIA DE CINFÃES

REGULAMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DA MISERICÓRDIA DE CINFÃES REGULAMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DA S.C.M.CINFÃES (n.º 2, do artigo 33 dos Estatutos da S.C.M.CINFÃES) Artigo 1º (Objecto) O presente Regulamento tem por objecto o estabelecimento das normas relativas

Leia mais

REGIMENTO. CONSELHO DIRETIVO REGIONAL Secção Regional da Região Autónoma dos Açores

REGIMENTO. CONSELHO DIRETIVO REGIONAL Secção Regional da Região Autónoma dos Açores REGIMENTO CONSELHO DIRETIVO REGIONAL Secção Regional da Região Autónoma dos Açores (Aprovado em Assembleia Regional Extraordinária de 11 de Novembro de 2016) Primeira Versão, 14 de março de 2016 EMISSOR

Leia mais

Departamento de Expressões. Regimento Interno

Departamento de Expressões. Regimento Interno Departamento de Expressões Regimento Interno O Departamento Curricular de Expressões é uma estrutura intermédia de gestão pedagógica, representada no Conselho Pedagógico pelo seu coordenador. Com a Diretora

Leia mais

Regimento do Conselho de Escola

Regimento do Conselho de Escola Escola de Engenharia Regimento do Conselho de Escola Preâmbulo Capítulo I (Natureza e competência) Artigo 1º (Definição) Nos termos dos Estatutos da Escola de Engenharia, o Conselho de Escola é um órgão

Leia mais

Regimento Interno. Departamento de Ciências Sociais e Humanas. Coordenadora de Departamento: Cláudia Varejão

Regimento Interno. Departamento de Ciências Sociais e Humanas. Coordenadora de Departamento: Cláudia Varejão Regimento Interno Departamento de Ciências Sociais e Humanas Coordenadora de Departamento: Cláudia Varejão Ano Letivo 2015/2016 REGIMENTO INTERNO DEPARTAMENTO DECIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Artigo 1º (Definição)

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE ESTUDOS HUMANÍSTICOS (CEHUM)

REGULAMENTO DO CENTRO DE ESTUDOS HUMANÍSTICOS (CEHUM) REGULAMENTO DO CENTRO DE ESTUDOS HUMANÍSTICOS (CEHUM) Universidade do Minho Fevereiro de 2017 1 ÍNDICE CAPÍTULO I (Dos Princípios Gerais)... 3 Artigo 1º (Natureza do Centro)... 3 Artigo 2º (Autonomia do

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU Para cumprimento do disposto na alínea b) do nº 1 do art.º 14º dos Estatutos do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), publicados

Leia mais

REGULAMENTO DA DIREÇÃO E GESTÃO DOS CICLOS DE ESTUDOS DA ESCOLA DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO MINHO 12

REGULAMENTO DA DIREÇÃO E GESTÃO DOS CICLOS DE ESTUDOS DA ESCOLA DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO MINHO 12 Escola de Medicina REGULAMENTO DA DIREÇÃO E GESTÃO DOS CICLOS DE ESTUDOS DA ESCOLA DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO MINHO 12 1 2 Aprovado em reunião de Conselho Pedagógico da Escola de Medicina (CP) no dia

Leia mais

Regulamento Interno do Departamento de Comportamento Organizacional e Gestão de Recursos Humanos (DCOGRH)

Regulamento Interno do Departamento de Comportamento Organizacional e Gestão de Recursos Humanos (DCOGRH) Regulamento Interno do Departamento de Comportamento Organizacional e Gestão de Recursos Humanos (DCOGRH) (Artigo 1º) Definição O Departamento de Comportamento Organizacional e Gestão de Recursos Humanos,

Leia mais

Regimento do Conselho dos Diretores de Turma

Regimento do Conselho dos Diretores de Turma AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO ESCOLA BÁSICA DOS 2º. E 3º. CICLOS PEDRO EANES LOBATO Regimento do Conselho dos Diretores de Turma ANO LETIVO 2014 / 2015 Capítulo I Conselho dos Diretores de

Leia mais

Regimento do Conselho de Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade NOVA de Lisboa. Artigo 1.º Competências do Conselho de Instituto

Regimento do Conselho de Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade NOVA de Lisboa. Artigo 1.º Competências do Conselho de Instituto Regimento do Conselho de Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade NOVA de Lisboa Artigo 1.º Competências do Conselho de Instituto 1 Compete ao Conselho de Instituto: a) Elaborar e aprovar

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO. (APROVADO NO CONSELHO CIENTÍFICO de 11 de JUNHO de 2012) Coimbra

REGIMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO. (APROVADO NO CONSELHO CIENTÍFICO de 11 de JUNHO de 2012) Coimbra REGIMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO (APROVADO NO CONSELHO CIENTÍFICO de 11 de JUNHO de 2012) Coimbra Junho de 2012 Preâmbulo A Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) pretende adotar procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL)

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa () Artigo 1.º Objecto É objecto do presente regulamento o funcionamento do Conselho técnico-científico (CTC),

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. Escola Básica de Campelo [REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES]

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. Escola Básica de Campelo [REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES] 2012 Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil Escola Básica de Campelo [REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES] Artigo 1º Âmbito e Aplicação 1. O presente Regimento regulamenta a atividade do Departamento do

Leia mais

Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo

Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo 2013-2017 O departamento curricular do 1º ciclo, nos termos do Regulamento Interno, aprova o seguinte regimento, definindo as respetivas regras de organização

Leia mais

competências dos órgãos de direção e gestão

competências dos órgãos de direção e gestão 1. O governo do Instituto Politécnico de Viseu é exercido pelos seguintes órgãos: o Conselho Geral, o Presidente e o Conselho de Gestão. São também órgãos do Instituto Politécnico de Viseu o Conselho Académico

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE Artigo 1.º Composição 1. O Conselho Técnico-Científico da ESSUAlg é o órgão colegial de natureza técnico-científica

Leia mais

Regimento do Conselho Pedagógico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Capítulo I (Disposições Gerais) Artigo 1.

Regimento do Conselho Pedagógico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Capítulo I (Disposições Gerais) Artigo 1. Regimento do Conselho Pedagógico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa Capítulo I (Disposições Gerais) Artigo 1.º (Natureza) O Conselho Pedagógico é o órgão de gestão pedagógica da Faculdade,

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Regimento Interno REGIMENTO INTERNO Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Artigo 1º (Definição) O Departamento Curricular constitui a estrutura

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 147-CONSELHO SUPERIOR, de 18 de fevereiro de 2014.

RESOLUÇÃO Nº 147-CONSELHO SUPERIOR, de 18 de fevereiro de 2014. RESOLUÇÃO Nº 147-CONSELHO SUPERIOR, de 18 de fevereiro de 2014. APROVA O REGULAMENTO DOS COLEGIADOS DOS CURSOS SUPERIORES DO IFRR. O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA

Leia mais

TÍTULO III DA GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO CAPÍTULO I DA GESTÃO DO ENSINO

TÍTULO III DA GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO CAPÍTULO I DA GESTÃO DO ENSINO TÍTULO III DA GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO CAPÍTULO I DA GESTÃO DO ENSINO SEÇÃO I Do Projeto Pedagógico de Curso Art. 85. O Projeto Pedagógico de Curso

Leia mais

ANEXO REGIMENTO DO CONSELHO GERAL

ANEXO REGIMENTO DO CONSELHO GERAL ANEXO REGIMENTO DO CONSELHO GERAL Regumento do Conselho Geral Artigo 1.º Definição 1. O Conselho Geral é o órgão de direção estratégica responsável pela definição das linhas orientadoras da escola, ao

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DA FACULDADE FAMETRO. TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - Da Natureza e das Finalidades

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DA FACULDADE FAMETRO. TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - Da Natureza e das Finalidades REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DA FACULDADE FAMETRO TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - Da Natureza e das Finalidades Art. 1º - O Colegiado de Curso é órgão normativo, deliberativo,

Leia mais

REGULAMENTO DAS SUBUNIDADES ÁREAS CIENTÍFICO-PEDAGÓGICAS 1

REGULAMENTO DAS SUBUNIDADES ÁREAS CIENTÍFICO-PEDAGÓGICAS 1 Escola de Medicina REGULAMENTO DAS SUBUNIDADES ÁREAS CIENTÍFICO-PEDAGÓGICAS 1 1 Aprovado em reunião de Conselho de Escola da Escola de Medicina (CE) no dia 19 de julho de 2018. P1/5 CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESTESL

REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESTESL REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESTESL REGULAMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESTESL Índice Preâmbulo... 1 Capítulo I... 1 Composição... 1 Competências... 1 Presidência e substituição...

Leia mais

Mantenedora: Associação Educacional e Tecnológica de Santa Catarina REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE.

Mantenedora: Associação Educacional e Tecnológica de Santa Catarina REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE. REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE. 1 SUMARIO REGULAMENTO DA FORMA DE COMPOSIÇÃO DO COLEGIADO DA FTA 3 CAPÍTULO I... 3 DA NATUREZA E COMPOSIÇÃO... 3 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO- CIENTÍFICO DO INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DO OESTE - ISPO

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO- CIENTÍFICO DO INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DO OESTE - ISPO REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO- CIENTÍFICO DO INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DO OESTE - ISPO 1 Indice Preâmbulo... 3 Artigo 1.º... 3 (Natureza e Missão)... 3 Artigo 2.º... 3 (Composição e Mandato)...

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais. Regimento Interno

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais. Regimento Interno Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Regimento Interno O Departamento Curricular é uma estrutura de gestão intermédia com o Conselho Pedagógico e com a Direção, que promove a articulação

Leia mais

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA SECÇÃO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS. Artigo 1º (Definições)

REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA SECÇÃO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS. Artigo 1º (Definições) REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA SECÇÃO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS Artigo 1º (Definições) 1. O Departamento de Engenharia Química, adiante designado por DEQ, é uma unidade de ensino e

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DO HOSPITAL

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DO HOSPITAL REGIMENTO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DO HOSPITAL O Conselho Geral, regulamentado pelo Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de abril, deverá orientar a sua ação através das regras

Leia mais

Regimento do Conselho Geral

Regimento do Conselho Geral MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Alentejo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SABOIA Regimento do Conselho Geral CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 01 Data: 2013/01/04 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento do Conselho Consultivo da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Vale de Ovil. Regimento do Departamento de Ciências Experimentais

Escola Básica e Secundária de Vale de Ovil. Regimento do Departamento de Ciências Experimentais Escola Básica e Secundária de Vale de Ovil Regimento do Departamento de Ciências Experimentais 2013/2016 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Identificação 1. Este Departamento Curricular adota a

Leia mais

Artigo 1º Objeto e âmbito de aplicação

Artigo 1º Objeto e âmbito de aplicação REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA DA COOPERATIVA DE SOLIDARIEDADE SOCIAL LInQUE - LIGAMOS INSTITUIÇÕES QUE UNEM ESFORÇOS ( LInQUE ) Artigo 1º Objeto e âmbito de aplicação 1. O presente regulamento define

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DOS COLÉGIOS Preâmbulo O Conselho Coordenador dos Colégios (CCC) é um órgão da Ordem dos Engenheiros previsto na alínea i) do nº 1 do artigo 19º do

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO MEDICINA. Seção I Do Colegiado e seus fins

REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO MEDICINA. Seção I Do Colegiado e seus fins REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO MEDICINA Seção I Do Colegiado e seus fins Art. 01. O Colegiado do Curso de Graduação em Medicina do IMS/UFBA é regido por este Regimento, observadas as disposições

Leia mais

REGIMENTO DE DEPARTAMENTOS CURRICULARES E RESPETIVAS ÁREAS DISCIPLINARES

REGIMENTO DE DEPARTAMENTOS CURRICULARES E RESPETIVAS ÁREAS DISCIPLINARES Agrupamento de Escolas de Vagos 161070 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VAGOS REGIMENTO DE DEPARTAMENTOS CURRICULARES E RESPETIVAS ÁREAS DISCIPLINARES marçol2014 Índice Página SECÇÃO I- Composição, Competências

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO MINHO

REGULAMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO MINHO REGULAMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO MINHO Maio 2010 INDICE Artigo 1º Objecto... 3 Artigo 2º Competências... 3 Artigo 3.º Composição do Conselho Consultivo...

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO REG.02_

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO REG.02_ INTRODUÇÃO O Regulamento do Conselho Técnico-Científico da Escola Superior de Enfermagem de S. Francisco das Misericórdias foi redigido de acordo com o previsto no artigo 103.º da Lei nº62/ 2007 de 10

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE COORDENAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARMAMAR

REGULAMENTO DO CONSELHO DE COORDENAÇÃO DA AVALIAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARMAMAR Artigo 1.º Objeto O presente regulamento tem como objetivo, adaptar o modelo de avaliação e desempenho da Administração Pública e definir a composição, competência e funcionamento do Conselho de Coordenação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO MINHO

REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO MINHO REGULAMENTO DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO MINHO Abril de 2010 INDICE Artigo 1º Objecto 1 Artigo 2º Competências 1 Artigo 3º Composição do Conselho Técnico-Científico

Leia mais

Escola Secundária da Ramada

Escola Secundária da Ramada Escola Secundária da Ramada Regimento Interno do Conselho Pedagógico ÍNDICE Definição, Composição e Competência... 2 Artigo 1.º Definição... 2 Artigo 2.º Composição... 2 Artigo 3.º Competência... 3 Organização

Leia mais

Regulamento da Comissão de Avaliação Interna da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Regulamento da Comissão de Avaliação Interna da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa Regulamento da Comissão de Avaliação Interna da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa Preâmbulo Nos termos do Art. 12, n.º 1 dos Estatutos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, homologados

Leia mais

Regimento do Conselho Cientifico da Faculdade de Belas- Artes. Capítulo I Disposições Gerais. Artigo 1.º (Natureza)

Regimento do Conselho Cientifico da Faculdade de Belas- Artes. Capítulo I Disposições Gerais. Artigo 1.º (Natureza) Regimento do Conselho Cientifico da Faculdade de Belas- Artes Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Natureza) O Conselho Científico é o órgão de gestão científica e cultural da Faculdade, nos termos

Leia mais

REGIMENTO DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO

REGIMENTO DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO REGIMENTO DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA FINALIDADE Artigo 1º - À Comissão de Graduação da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP- USP) cabe traçar diretrizes e zelar pela execução dos programas

Leia mais

Regimento do Conselho de Gestão. Escola de Ciências

Regimento do Conselho de Gestão. Escola de Ciências Escola de Ciências Regimento do Conselho de Gestão da Escola de Ciências Abril 2010 ÍNDICE Artigo 1º Objecto... 3 Artigo 2º Competências... 3 Artigo 3º Composição e substituições... 3 Artigo 4º Presidente

Leia mais

R E S O L V E PORTARIA N 023/2005/FEST

R E S O L V E PORTARIA N 023/2005/FEST PORTARIA N 023/2005/FEST DISCIPLINA A COMPOSIÇÃO, O FUNCIONAMENTO E AS ATRIBUIÇÕES DO CONSELHO SUPERIOR CONSUP - DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA. A DIRETORA GERAL da Faculdade de Educação Santa

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO Ano letivo 2018-2019 De acordo com o decreto-lei n.º 75/2008 e com o decreto-lei n.º 137/2012, o Conselho Pedagógico aprova o seu regimento, nos termos dos artigos seguintes:

Leia mais

Aprovado por: Unanimidade Data: 18/02/2010

Aprovado por: Unanimidade Data: 18/02/2010 DELIBERAÇÃO CTC 2/2010 ASSUNTO Aprovação do Regimento Interno do CTC da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Portalegre Aprovado por: Unanimidade Data: 18/02/2010 Considerando o disposto:

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO SOBRAL - CE

REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO SOBRAL - CE CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO SOBRAL - CE REGULAMENTO DE COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE LUCIANO FEIJÃO Art. 1.º O Colegiado de Curso é o órgão que tem por finalidade

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE ESCOLA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO

REGIMENTO DO CONSELHO DE ESCOLA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO REGIMENTO DO CONSELHO DE ESCOLA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Regimento aprovado pelo Conselho de Escola do Instituto Superior de Economia e Gestão 2014-09-10 MO-PR01-03/V06 Página 1 de 9

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PAREDES

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PAREDES REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PAREDES A Lei 75/2013, de 12 de setembro estabelece no seu artigo 25º, nº 1, alínea s), a competência da Assembleia Municipal deliberar sobre a criação do

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO

REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO REGIMENTO DO CONSELHO PEDAGÓGICO Preâmbulo De acordo com o previsto no artigo 4º do Regulamento Interno, o Conselho Pedagógico define o seu regime de funcionamento. Capítulo I Disposições Gerais Artigo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO 2011/2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO 2011/2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO 2011/2015 INTRODUÇÃO O presente regimento destina-se a definir o regime de funcionamento e organização interna do Conselho Pedagógico,

Leia mais