2. Sistemas de numeração

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2. Sistemas de numeração"

Transcrição

1 2. Sistemas de numeração Neste capitulo vai-se estudar vários sistemas de representação numeração e os quais se designam por sistemas de numeração. Na tabela x apresenta-se os diversos sistemas numéricos que se irão focar. Todo o sistema numérico pressupõe uma base essa base define o número de algarismos ou dígitos. Tabela 17- Sistemas de numeração Sistema Base Dígitos Decimal 10 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 Binário 2 0, 1 Octal 8 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 Hexadecimal 16 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, A, B, C, D, E, F 2.1. Generalidades Um número numa determinada base é de uma forma genérica composto por 2 partes a parte inteira e a parte fracionaria, em todo e qualquer número tem-se sempre um digito mais significativo (MSD) que corresponde ao digito mais à esquerda e um digito menos significativo (LSD) que corresponde ao digito mais à direita como se pode ver na figura 16 que se segue a qual representa um número N numa determinada base r. Figura 16 - Representação de um número. Qualquer número N, numa determinada base r pode-se decompor num polinómio de potências de base r. Para se perceber melhor veja-se a expressão seguinte:, (Equação 42) A expressão converte qualquer valor numa determinada base para a base 10, onde cada digito (d n...d -j ) tem um valor numérico e um valor posicional (r n...r -j ). Pagina 44

2 2.2. Sistema decimal Este é o sistema de numeração que normalmente se utiliza na vida. No sistema decimal um número pode ser decomposto em potências de 10, ou seja r será igual a 10 veja-se o exemplo seguinte: 1485, Sistema binário Este sistema é o mais utilizado em sistemas digitais. No sistema binário um número pode ser decomposto em potências de dois e no qual apenas se utilizam dois algarismos (0 e 1). Para uma melhor compreensão veja-se a tabela 18. Tabela 18 Sistema binário conversão para decimal Binário Decimal Pesos Potências Para se ver melhor vai-se utilizar um outro exemplo considerando o seguinte número em binário e decompondo-o em potências tem-se: Sistema octal O sistema octal não é muito utilizado mas por vezes é útil. Um número na base oito pode ser decomposto em potências de oito. Veja-se o exemplo seguinte: 56433, , Sistema hexadecimal O sistema hexadecimal é um sistema bastante importante pois normalmente é neste sistema que se faz o mapeamento de memória (será abordado noutro contexto) em Pagina 45

3 sistemas digitais. Um número em hexadecimal pode ser decomposto em potências de dezasseis. Veja-se o exemplo seguinte: 71, , Conversão de decimal para outros sistemas Do ponto 2.3 ao ponto 2.5 viu-se como converter um número em diferentes bases para a base 10 agora vai-se analisar como converter da base 10 para outras bases Conversão de decimal para binário Para se converter um número em decimal para binário tem de se dividir este nas duas partes que o constituem, isto é, na sua parte inteira e na sua parte fracionária e converter a parte inteira e a parte fracionaria separadamente. Para se converter a parte inteira usa-se o método das divisões sucessivas o qual se explica na tabela 19. Para se converter a parte fracionaria usa-se o método das multiplicações sucessivas o qual se explica na tabela 20. Para uma melhor compressão vai-se utilizar um exemplo suponha-se que se quer converter o número 143,75 de decimal para binário, primeiro separa-se a parte inteira da parte fracionária ficando-se com os números 143 e 0,75. Primeiro ira-se converter a parte inteira dividindo-a sucessivamente por 2 até que o cociente seja 1, sendo este o dígito mais significativo do número em binário, verificando se o resto da divisão é um ou zero em todas as divisões anteriores, sendo o primeiro resto obtido o dígito menos significativo do número em binário, veja-se a tabela 19. Para converter a parte fracionária terá de se ir multiplicando sucessivamente por 2 até que o resultado seja zero ou se atinja uma precisão suficiente verificando-se se a parte inteira do resultado de cada multiplicação é um ou zero, caso seja um elimina-se a parte inteira para a próxima multiplicação, veja-se a tabela ,11 2. Das tabelas podemos retirar o número em binário correspondente a 143,75 que é Pagina 46

4 Tabela 19 Conversão de decimal para binário da parte inteira Primeira divisão Segunda divisão Terceira divisão Resto 1 LSD Quarta divisão Resto Quinta divisão Resto Sexta divisão Resto Sétima divisão Resto Resultado Resto 0 Resto 0 Resut 1 MSD O valor terá de se ler da direita para a esquerda Tabela 20 Conversão de decimal para binário da parte fracionária 0,75*2 1,5 MSD 0,5*2 1 0,0*2 0 LSD Resultado Decimal 1*2-1 1*2-2 0,75 De notar que em certas situações não se consegue obter o valor da parte fracionaria exato Conversão de decimal para octal O processo de conversão é o mesmo apenas passamos a efetuar divisões sucessivas por oito para a parte inteira e multiplicações sucessivas para a parte fracionária. Veja-se as tabelas 21 e 22 onde se faz a conversão do valor 1435,75 de decimal para octal. 2637,6 8. Das tabelas podemos retirar o número em octal correspondente a 1435,75 que é Tabela 21 Conversão de decimal para octal da parte inteira Primeira divisão Segunda divisão Terceira divisão Resultado Resto 3 LSD Resto 3 Resto 6 Res 2 MSD O valor terá de se ler da direita para a esquerda Tabela 22 Conversão de decimal para octal da parte fracionária 0,75*8 6 MSD 0,0*8 0 LSD Resultado 6 0 Decimal 6*8-1 0*2-2 0,75 Pagina 47

5 Conversão de decimal para hexadecimal O processo de conversão é o mesmo apenas passamos a efetuar divisões sucessivas por dezasseis para a parte inteira e multiplicações sucessivas para a parte fracionária. Veja-se as tabelas 23 e 24 onde se faz a conversão do valor 6490,75 de decimal para hexadecimal. Das tabelas podemos retirar o número em hexadecimal correspondente a 6490,75 que é 195A,C0 16. Tabela 23 Conversão de decimal para hexadecimal da parte inteira Primeira divisão Segunda divisão Terceira divisão Resto 10 A LSD Resultado Resto 5 Resto 9 Resut 1 MSD A O valor terá de se ler da direita para a esquerda A Tabela 24 Conversão de decimal para hexadecimal da parte fracionária 0,75*16 12=C MSD 0,0*16 0 LSD Resultado C 0 Decimal 12*16-1 0*16-2 0, Conversão de binário para octal e vice-versa Até aqui tem-se considerado que um número é composto por dígitos independentemente da sua base a partir de agora vai-se considerar que sempre que um numero esteja na base dois, ou seja, em binário os seus dígitos serão bits. Analisando-se a relação entre bases verifica-se que a relação entre a base 8 do sistema octal com a base 2 do sistema binário é de 2 3, ou seja, 8= 2 3 através desta relação verifica-se que para representar os oito dígitos que compõem a base do sistema octal precisa-se de 3 bits. Assim para se converter um número de binário para octal basta fazer-se grupos de 3 bits e converte-los para decimal. Para a parte inteira tem de se começar a contar para a esquerda a partir da vírgula. Para a parte fracionaria tem de se começar a contar para a direita a partir da vírgula. Veja-se um exemplo para melhor se perceber o processo convertendo o número , Pagina 48

6 Tabela 25 Conversão de binário para octal ou de octal para binário Binário , Grupos Sentido dos grupos Octal 7 6, Conversão de binário para hexadecimal e vice-versa Para se converter de binário para hexadecimal o processo é idêntico à conversão de binário para octal tem de se ter em consideração a relação de bases de hexadecimal e binário a qual é 16=2 4, ou seja, precisamos de 4 bits para representar os dezasseis números o que equivale a se efetuar grupos de 4 bits. Veja-se um exemplo para melhor se perceber o processo convertendo o número , Tabela 26 Conversão de binário para hexadecimal ou de hexadecimal para binário Binário , Grupos Sentido dos grupos Hexadecimal 3 (14) E, Conversão de octal para hexadecimal e vice-versa Para se converter uma das duas bases passa-se uma delas para binário e converte-se de seguida para a base pretendida ou seja, de octal para hexadecimal converte-se de octal para binário e depois de binário para hexadecimal Operações aritméticas em binário Já se viu como converter números de umas bases para outras agora está na altura de se estudar como efetuar operações aritméticas em bases diferentes da base 10, deste modo nesta secção e até a secção 2.11 vai-se estudar como efectuar operações aritméticas em binário, octal e hexadecimal Soma em binário Vai-se estudar como se fazem somas em binário para tal usa-se a tabuada da soma em binário a qual esta expressa na tabela 27. Tabela 27 Tabuada da soma em binário Operando 1 Operador Operando 2 Resultado Transporte ou carry (E vai) Exemplo somar o número ao número E vai Decimal Op Op Resultado Pagina 49

7 Subtração em binário Vai-se estudar como se fazem subtrações em binário para tal usa-se a tabuada da soma em binário a qual esta expressa na tabela 27. Tabela 28 Tabuada da subtração em binário Operando 1 Operador Operando 2 Resultado Transporte ou borrow (E vai) Exemplo subtrair ao número 1010 o número 101. E vai Decimal Op Op Resultado Multiplicação em binário Vai-se estudar como se fazem multiplicações em binário para tal usa-se a tabuada da soma em binário a qual esta expressa na tabela 29. Tabela 29 Tabuada da multiplicação em binário Operando 1 Operador Operando 2 Resultado Transporte ou carry (E vai) * Operações aritméticas em octal Nesta secção vai-se ver como efetuar as operações em octal, ou seja, como somar, subtrair e multiplicar na base oito Soma em octal Soma-se, digito a digito como em decimal, no caso de o resultado ser maior ou igual a 8 subtrai-se 8 e vai =10 10 > 8 então 10-8=2 e vai 1 então = =23 8 Tabela 30 - Soma em octal =11>8 11-8=3 E vai Subtração em octal Quando o algarismo de cima é inferior ao de baixo adiciona-se 8 ao algarismo de cima e subtrai-se como em decimal obtendo-se o resultado da subtração e vai = Pagina 50

8 Tabela 31 Subtração em octal = =7 E vai = =4 E vai = Multiplicação em octal Todo o processo é idêntico ao caso de decimal, contudo tem de se converter os resultados das multiplicações parciais para octal X 14 8 = Tabela 32 - Multiplicação em octal 5 6 x *6= *5= *1= *1= =1 7+1= =0 E vai =5 E vai Operações aritméticas em hexadecimal Nesta secção vai-se ver como efetuar as operações em hexadecimal, ou seja, como somar, subtrair e multiplicar na base dezasseis Soma em hexadecimal Soma-se, digito a digito como em decimal, no caso de o resultado ser maior ou igual a 16 subtrai-se 16 e vai Subtração em hexadecimal Quando o algarismo de cima é inferior ao de baixo adiciona-se 16 ao algarismo de cima e subtrai-se como em decimal obtendo-se o resultado da subtração e vai Multiplicação em hexadecimal Todo o processo é idêntico ao caso de decimal, contudo tem de se converter os resultados das multiplicações parciais para hexadecimal Representação de números inteiros com sinal Até este momento viu-se apenas formas de representação de números positivos, contudo têm-se também números negativos assim surge a necessidade de os representarmos, assim de seguida ira-se analisar algumas formas de representação numérica de números. Pagina 51

9 Código de sinal e valor absoluto Uma solução encontrada para se representar números negativos foi a de juntar ao número em binário um bit à esquerda do bit mais significativo designado por bit de sinal, assim para se representar o número positivo considera-se que o bit de sinal é 0 e para se representar um número negativo considera-se 1. Na tabela 33 apresenta-se os números em binário com 3 bits e um de sinal e da qual se podem retirar as seguintes conclusões: 1. O zero tem duas representações distintas 0000 (0 em decimal) e 1000 ( 0). 2. O maior valor absoluto que pode ser representado é =7 para o caso dos valores representados na tabela, e generalizando-se para um número representado por N bits ira-se ter 2 N-1-1. Esta forma de representação designa-se por código de sinal e valor absoluto e para o qual é difícil se desenvolverem circuitos de operações nomeadamente a adição e subtração de valores para alem do já referido problema respeitante à dupla representação do 0 para melhor se perceber a problemática de efetuar operações considere-se as adições seguintes e Para se efetuar as operações será preciso tratar o bit de sinal de modo independente assim para a primeira operação vai-se ter o seguinte: Bit sinal Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Para a segunda operação obtém-se o seguinte: Bit sinal Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Analisando as duas situações deduz-se que ao se tratar de forma independente o primeiro valor está correto mas o segundo está errado sendo deste modo muito difícil conceber circuitos que prevejam todas as situações idênticas à anterior. Pagina 52

10 Tabela 33- Código de sinal e valor absoluto Bit sinal Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Código complemento de um Uma das vantagens deste método é que o sinal ao contrário do caso do código de sinal e valor absoluto, formando-se os números negativos a partir do complemento dos números positivos, ou seja da sua negação, para uma melhor compreensão veja-se a tabela 34, a qual representa os números compostos por 4 bits e o seu respetivo valor em decimal. Tabela 34 Código complemento de um Bit sinal Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Como se pode observar na tabela com 4 bits pode-se representar 2 4 = 16 números, o maior valor absoluto é dado por =7, de uma forma genérica tem-se que o maior valor absoluto representável é 2 N-1-1 em que N é o numero de bits, de notar ainda que se continua a ter uma dupla representação para o zero mas em termos de operações matemáticas é mais simples realiza-las pois o sinal deixa de ser tratado separadamente, veja-se a soma seguinte (-2). Pagina 53

11 Da operação verifica-se a necessidade de efetuar o transporte do e vai 1 e somalo ao resultado não sendo muito pratico mas aceitável em termos de realização de circuitos que elaboram operações Código complemento de dois No código de complemento de um verifica-se que se tem ainda uma dupla representação do zero para se eliminar tal ambiguidade surgiu o código complemento de dois o qual é formado a partir do código complemento de um somando-se um no caso da representação de números negativos. Para além da vantagem de não se ter a dupla representação do zero as operações aritméticas se tornam ainda mais simples como se irá ver mais à frente. Neste sistema podem-se representar 2 N números diferentes em que N é o número de bits o maior valor absoluto positivo será 2 N-1-1 e o maior valor absoluto negativo será 2 N-1 como se pode observar na tabela 35 onde se representa a representação em complemento de dois para o caso de 4 bits. Tabela 35- Código complemento de 2 Bit sinal Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Para se ver como efetuar operações em complemento de dois analise-se a operação (-2) O valor que vai simplesmente se despreza quando se chega ao fim da operação Pagina 54

12 Como se pode verificar pela operação realizada anteriormente é bem mais simples de realizar assim como de desenvolver circuitos que a implementem quando comparado com o caso do código complemento de um Comparação das formas de representação de inteiros com sinal Para se comparar as diversas formas de representação de números inteiros com sinal vai-se efetuar a mesma operação com os três formas de representação e ver as diferenças entre elas. Tabela 36 operações com sinal nas três formas de representação Decimal Binário sinal valor abs. Complemento de um Complemento de dois Valor errado Transporte e soma 1 Despreza-se o 1 Sinal tratamento sep O que fazer?? Com 1 A partir da tabela 36 pode-se tirar as seguintes conclusões: 1. Na representação com o código de sinal valor absoluto o resultado das operações pode ser errado e quando vai um da operação não se sabe o que fazer, o que provoca com que os circuitos sejam difíceis de conceber e sem garantias de um resultado correto. 2. Na representação com o código complemento de um verifica-se que o resultado é o correto mas quando vai um tem de se transportar e somar para se obter o resultado, o que provoca com que os circuitos sejam difíceis de conceber mas com garantias de um resultado correto. 3. Na representação com o código complemento de dois verifica-se que o resultado é o correto e quando vai um apenas se despreza esse bit, o que provoca com que os circuitos sejam simples de conceber, sendo esse o motivo pelo qual é a representação de inteiros com sinal mais utilizada Operações matemáticas em complemento de dois Como o complemento de dois é o sistema mais utilizado por esse motivo ira-se analisar como efetuar as operações aritméticas, mais propriamente como somar e subtrair e assim como ver o conceito de Overflow o qual é de extrema importância em sistemas digitais. Pagina 55

13 Soma em complemento de dois A soma em complemento de dois é realizada do mesmo modo que a soma em binário natural mas contudo quando vai um nos últimos bits a se adicionarem desprezase esse bit, de seguida vai-se analisar as situações possíveis. Soma de dois números positivos de 4 bits Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Sinal Soma de dois números negativos de 4 bits Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Desprezado Sinal Soma de um número negativo e um positivo de 4 bits Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Desprezado Sinal Subtração em complemento de dois Para se subtrair em complemento de dois mudamos o sinal do subtrativo (Valor que se quer subtrair) e adicionam-se os valores escritos com o mesmo número de bits, de seguida vai-se dar um exemplo. Exemplo: 9-4= c c2 =00101 c2 Passos Bit 4 Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Descrição Decimal Subtrativo 4 Passo Complemento de um Mais Complemento de dois -4 Passo Complemento de dois Complemento de dois 5 Sai Sinal Resultado Noção de Overflow O overflow dá-se quando o resultado de uma determinada operação entre dois números necessita de mais bits para se representar, em complemento de dois é facilmente detetável pela análise dos sinais dos operandos e do resultado da operação, para melhor compreensão veja-se os exemplos que se seguem. Pagina 56

14 Exemplo 1: Bit 4 Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Sinal errado Grandeza errada Analisando-se a operação verifica-se que o valor da grandeza está errado pois não corresponde ao valor 17, por outro lado o sinal também está errado pois a soma de dois números positivos será sempre um número positivo e neste caso o resultado é um número negativo. Exemplo 2: Bit 4 Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Passar 8 a Sai fora Sinal errado Grandeza errada Analisando-se a operação verifica-se que o valor da grandeza está errado pois não corresponde ao valor 17, por outro lado o sinal também está errado pois a subtração de um número negativo com um número soma positivo será sempre um número negativo e neste caso o resultado é um número positivo. Ao se canalizar as duas situações verifica-se que em ambos os casos o sinal do resultado está errado assim em complemento de dois para se detetar um overflow basta analisar os sinais dos operandos e do resultado para se verificar uma situação de overflow Códigos Em sistemas digitais tem-se a necessidade de representar números contudo estes apenas podem ser representados em binário assim terá de se utilizar códigos para representar números de modo a que as pessoas os entendam facilmente assim nesta perspetiva desenvolveram-se códigos. Contudo não se utilizam apenas números na vida quotidiana, utilizam-se também letras e símbolos assim em sistemas digitais tem-se dois tipos distintos de códigos os códigos numéricos que servem para se representar números e os códigos alfanuméricos os quais servem para representar números, letras e símbolos. Para além da necessidade das pessoas entenderem facilmente a representação de números e letras existem outros motivos para se utilizarem códigos que se prendem Pagina 57

15 com o armazenamento da informação assim como outras situações pertinentes como a deteção de erros em transmissão de informação ou a sua deteção e correção Códigos numéricos Os códigos numéricos servem para se representar números um deles é o código binário puro o qual já se falou assim como o código de sinal e valor absoluto, o código complemento para um e o código complemento para dois, destes códigos o mais importante é o código complemento para dois pois é o que nos possibilita representar números inteiros com sinal de uma forma simples assim como efetuar operações matemáticas de uma forma mais simples. Para alem dos códigos numéricos já descritos atrás existem outros códigos numéricos e os quais se vão a passar a descrever assim como quis são as suas aplicações Código NBCD O código NBCD (Natural Binary Coded Decimal) é um código que utiliza quatro bits para representar os nove dígitos em decimal, com este código pode-se representa números inteiros ou fracionários positivos, assim como efetuar operações matemáticas. A metodologia que se utiliza para a representação numérica é converter cada um dos dígitos em decimal para o seu correspondente em binário natural com 4 bits. Para se converter um número em NBCD para binário efetuam-se grupos de 4 bits confessando a formar-se os grupos da parte inteira (número atrás da virgula) da direita para a esquerda e da parte fracionária (número à frente da virgula) efetuam-se grupos de 4 bits mas da esquerda para a direita. Na tabela x apresenta-se a representação em binário de cada um dos nove dígitos em binário e o seu valor em decimal, na tabela x apresenta-se como converter um número em NBCD para decimal. Pagina 58

16 Tabela 37 Código NBCD NBCD Bit 1 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Decimal Invalido Tabela 38 Conversão NBCD para decimal e vice-versa NBCD , Decimal , 0 1 Sentido da conversão Código de Gray O código de Gray é um código de representação numérica e com o qual não se executam operações matemáticas contudo ele é bastante utilizado nomeadamente em conversores analógico para digital e em sensores do tipo encoder. A grande vantagem deste código consiste na sua elevada imunidade a erros de transmissão. Este código é elaborado de modo a que de número para número apenas varie um bit, tal como nos mapas de Karnaugh de quadrícula para quadrícula apenas varia uma variável. Este código também é designado por código refletido pois à medida que se vai aumentando um bit acrescenta-se um zero à esquerda da última tabela e acrescentando um um para gerar a outra parte da tabela reflete-se esta como se fosse um espelho, na tabela 39 apresenta-se a formação do código de Gray desde um bit até 4 bits. Pagina 59

17 Tabela 39 - Geração do código de Gray Código de Gray Decimal 1 bit 2 bit s 3 bit s 4 bit s Bit 0 Bit 1 Bit 0 Bit 2 Bit 1 Bit 0 Bit 3 Bit 2 Bit 1 Bit Para se converter do código de Gray para binário natural vai-se construir uma tabela em que se representa o código de Gray com quatro bits e o código em binário com quatro bits e a partir desta retirar as expressões lógicas através de mapas de Karnaugh, isto é, vai-se utilizar como entradas os quatro bits do código de Gray G0, G1, G2 e G3 e considerar as saídas B0, B1, B2 e B3 como as saídas. natural. Na tabela 40 apresenta-se a correspondência código Gray de 4 bits e binário Tabela 40 - Correspondência código Gray de 4 bits e binário natural Gray 4 bits Binário natural 4 bits Decimal G3 G2 G1 G0 B3 B2 B1 B Construindo-se os mapas de Karnaugh para B0, B1, B2 e B3 obtém-se: B0 G1 G0 G2 G Pagina 60

18 Tirando-se a expressão e simplificando tem-se: B1 G1 G0 G3 G Tirando-se a expressão e simplificando tem-se: B2 G1 G0 G3 G Tirando-se a expressão e simplificando tem-se: B G1 G0 G3 G Pagina 61

19 Das expressões lógicas anteriores pode-se construir o logigrama com portas lógicas para a conversão do código de Gray para binário natural, o qual se apresenta na figura 17. Figura 17- Logigrama da conversão do código de Gray para binário natural Para se converter do código binário para o código de Gray procede-se da mesma forma mas as entradas passam a ser B0, B1, B2 e B3 e as saídas serão G0, G1, G2 e G3 construindo-se os mapas de Karnaugh para G0, G1, G2 e G3: G0 B1 B0 B2 B Tirando-se a expressão e simplificando tem-se: G B1 B0 B3 B Pagina 62

20 Tirando-se a expressão e simplificando tem-se: G2 B0 B1 B3 B Tirando-se a expressão e simplificando tem-se: G B1 B0 B3 B Das expressões lógicas anteriores pode-se construir o logigrama com portas lógicas para a conversão de binário natural para código de Gray, o qual se apresenta na figura 18. Figura 18- Logigrama da conversão de binário natural para código de Gray Pagina 63

21 Códigos alfanuméricos Os códigos alfanumérico permitem a representação de números, letras e símbolos os mais importantes e os quais se irão abordar são os códigos ASCII e o código ASCII estendido Código ASCII O código ASCII ou seja o American Standard Code for Information Interchange traduz-se por Código Americano Standard para a Troca de Informações, este código é composto por 7 bits ou seja pode-se representar 128 símbolos diferentes, sendo algumas destas representações correspondentes a instruções de transmissão de informação. Na figura 19 apresenta-se a correspondência entre octal hexadecimal e decimal de cada um dos símbolos do código ASCII. Figura 19- código ASCII Código ASCII estendido O código ASCII estendido é um código que em vez de utilizar 7 bits utiliza 8 duplicando assim o número de símbolos que se podem utilizar sendo os primeiros símbolos os mesmos dos representados pelo código ASCII e estando a correspondência de decimal e hexadecimal com o símbolo dos restantes 128 símbolos represados na figura 20. Pagina 64

22 Figura 20 - restantes 128 símbolos do código ASCII estendido Deteção e correção de erros Todo e qualquer sistema de transmissão de informação na forma digital, está sujeito a erros, esses advêm de existirem perturbação nos sinais transmitidos, tais perturbações podem ser devidas a atenuação do sinal assim como ao aparecimento de ruído no sinal o qual não se consegue eliminar como o caso do ruído térmico. Desta forma torna-se necessário utilizar técnicas de deteção e correção de erros de entre as muitas técnicas existentes vai-se apenas ver a técnica mais simples de deteção de erros que é o método da paridade que se descreve de seguida Método da paridade O método de paridade é o método mais simples de deteção de erros de transmissão este método apenas consegue detetar um erro numa palavra transmitida ou no caso de existirem um numero de erros impar na palavra transmitida, de notar ainda que esta técnica apenas nos permite detetar erros em numero impar na transmissão e não consegue corrigi-los. Temos duas formas para aplicar este método a paridade par em que à mensagem transmitida é acrescentado um bit designado por bit de paridade, sendo este bit 1 no caso do número de uns ser impar e zero no caso do número de uns da mensagem ser par. O outro método é o de paridade impar sendo este exatamente implementado da mesma forma que o método de paridade par mas desta feita o número de uns na mensagem será impar ou seja quando o número de uns é par o bit de paridade a acrescentar à mensagem terá o valor zero e no caso do número de uns ser par terá o valor de 1. Pagina 65

Álgebra de Boole. Sistema de Numeração e Códigos. Prof. Ubiratan Ramos

Álgebra de Boole. Sistema de Numeração e Códigos. Prof. Ubiratan Ramos Álgebra de Boole Sistema de Numeração e Códigos Prof. Ubiratan Ramos Sistemas Numéricos Regras para formação: símbolos e posição Por que base 10? Potência de 10 (raiz ou base 10) Representação na Forma

Leia mais

2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos. 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos 1. Números Decimais. Objetivos.

2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos. 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos 1. Números Decimais. Objetivos. Objetivos 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos Revisar o sistema de numeração decimal Contar no sistema de numeração binário Converter de decimal para binário e vice-versa Aplicar operações aritméticas

Leia mais

Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador

Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador Capítulo 2 Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador 2.0 Índice 2.0 Índice... 1 2.1 Sistemas Numéricos... 2 2.1.1 Sistema Binário... 2 2.1.2 Sistema Octal... 3 2.1.3 Sistema

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Disciplina de Lógica Computacional Aplicada. Prof. Dr.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Disciplina de Lógica Computacional Aplicada. Prof. Dr. Índice 1. SISTEMAS NUMÉRICOS 1.1 Caracterização dos Sistemas Numéricos 1.2 Sistemas Numéricos em uma Base B Qualquer 1.2.1 Sistema de Numeração Decimal 1.2.2. Sistema de Numeração Binário 1.2.3 Sistema

Leia mais

Principais códigos utilizados. Codificação. Código binário puro. Codificação binária. Codificação Binária. Código Binário puro e suas variantes

Principais códigos utilizados. Codificação. Código binário puro. Codificação binária. Codificação Binária. Código Binário puro e suas variantes Codificação Principais códigos utilizados Computadores e Equipamentos de Comunicações Digitais trabalham com representação e códigos. A codificação binária de sinais é largamente utilizada em Sistemas

Leia mais

Em um sistema de numeração de base b qualquer, um número positivo é representado pelo polinômio:

Em um sistema de numeração de base b qualquer, um número positivo é representado pelo polinômio: ELETRÔNICA DIGITAl I 1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO INTRODUÇÃO A base dos sistemas digitais são os circuitos de chaveamento (switching) nos quais o componente principal é o transistor que, sob o ponto de vista

Leia mais

Introdução. A Informação e sua Representação (Parte III) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação

Introdução. A Informação e sua Representação (Parte III) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Introdução à Computação A Informação e sua Representação (Parte III) Prof.a Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo joseana@computacao.ufcg.edu.br

Leia mais

Universidade do Minho Departamento de Electrónica Industrial. Sistemas Digitais. Exercícios de Apoio - I. Sistemas de Numeração

Universidade do Minho Departamento de Electrónica Industrial. Sistemas Digitais. Exercícios de Apoio - I. Sistemas de Numeração Universidade do Minho Departamento de Electrónica Industrial Sistemas Digitais Exercícios de Apoio - I Sistemas de Numeração CONVERSÃO ENTRE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Conversão Decimal - Binário Números Inteiros

Leia mais

Genericamente qualquer sistema de numeração pode ser caracterizado por:

Genericamente qualquer sistema de numeração pode ser caracterizado por: SISTEMAS NUMÉRICOS 1 Genericamente qualquer sistema de numeração pode ser caracterizado por: Sistema de Base N - Possui N dígitos e o maior é (N-1) - Qualquer número maior que (N-1) pode ser expresso como

Leia mais

Representação de Dados

Representação de Dados Representação de Dados Introdução Todos sabemos que existem diferentes tipos de números: fraccionários, inteiros positivos e negativos, etc. Torna-se necessária a representação destes dados em sistema

Leia mais

Representação de Dados e Sistemas de Numeração

Representação de Dados e Sistemas de Numeração 1 Representação de Dados e Sistemas de Numeração Sistema de numeração decimal e números decimais (base 10) Sistema de numeração binário e números binários (base 2) Conversão entre binário e decimal Sistema

Leia mais

Trabalho compilado da Internet Prof. Claudio Passos. Sistemas Numéricos

Trabalho compilado da Internet Prof. Claudio Passos. Sistemas Numéricos Trabalho compilado da Internet Prof. Claudio Passos Sistemas Numéricos A Informação e sua Representação O computador, sendo um equipamento eletrônico, armazena e movimenta as informações internamente sob

Leia mais

Codificação 1. Introdução. C 2 R r {! + codificação

Codificação 1. Introdução. C 2 R r {! + codificação Codificação 1. Introdução A unidade básica de memória é o digito binário (bit). Para representar diferentes em memória é necessário que o bit armazene pelo menos 2 valores. A informação pode ser armazenada

Leia mais

Fabio Bento fbento@ifes.edu.br

Fabio Bento fbento@ifes.edu.br Fabio Bento fbento@ifes.edu.br Eletrônica Digital Sistemas de Numeração e Códigos 1. Conversões de Binário para Decimal 2. Conversões de Decimal para Binário 3. Sistema de Numeração Hexadecimal 4. Código

Leia mais

Sistemas de Numeração. Engenharia da Computação 3 Período Alex Vidigal Bastos

Sistemas de Numeração. Engenharia da Computação 3 Período Alex Vidigal Bastos UNIPAC Sistemas Digitais Sistemas de Numeração Engenharia da Computação 3 Período Alex Vidigal Bastos 1 Agenda Objetivos Introdução Sistema Binário Sistema Octal Sistema Hexadecimal Aritméticas no Sistema

Leia mais

Deste modo, por razões tecnológicas e conceituais, os números binários e a álgebra boole-ana formam a base de operação dos computadores atuais.

Deste modo, por razões tecnológicas e conceituais, os números binários e a álgebra boole-ana formam a base de operação dos computadores atuais. 25BCapítulo 2: Números e Aritmética Binária Os computadores armazenam e manipulam a informação na forma de números. Instruções de programas, dados numéricos, caracteres alfanuméricos, são todos representados

Leia mais

Eletrônica Digital 1 Módulo1 Capítulo 1 Sistemas Numéricos. Prof. Nilton Costa Junior

Eletrônica Digital 1 Módulo1 Capítulo 1 Sistemas Numéricos. Prof. Nilton Costa Junior Eletrônica Digital 1 Módulo1 Capítulo 1 Sistemas Numéricos Prof. Nilton Costa Junior Sistemas Numéricos Existem vários sistemas numéricos: Decimal Binário Octal Hexadecimal Sistema Decimal representado

Leia mais

Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Representação de grandeza com sinal O bit mais significativo representa o sinal: 0 (indica um número

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Arquitectura de Computadores I Engenharia Informática (11537) Tecnologias e Sistemas de Informação (6616) Sistemas de Numeração Nuno Pombo / Miguel Neto Arquitectura Computadores I 2014/2015 1 Conversão

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES. Sistemas de Numeração. 1 Arquitetura de Computadores

ARQUITETURA DE COMPUTADORES. Sistemas de Numeração. 1 Arquitetura de Computadores ARQUITETURA DE COMPUTADORES Sistemas de Numeração 1 Sistemas de Numeração e Conversão de Base Sistema Decimal É o nosso sistema natural. Dígitos 0,1,2,3,4,5,6,7,8 e 9. Números superiores a 9; convencionamos

Leia mais

Circuitos Digitais. Conteúdo. Sistema de Numeração e Códigos :: Conversões de Binário para Decimal SISTEMA DE NUMERAÇÃO E CÓDIGOS

Circuitos Digitais. Conteúdo. Sistema de Numeração e Códigos :: Conversões de Binário para Decimal SISTEMA DE NUMERAÇÃO E CÓDIGOS Ciência da Computação Sistemas de Numeração e Conversões Prof. Sergio Ribeiro Material adaptado das aulas do Prof. José Maria da UFPI Conteúdo Conversões de binário para decimal. Conversões de decimal

Leia mais

Aula 3 - Sistemas de Numeração

Aula 3 - Sistemas de Numeração UEM Universidade Estadual de Maringá DIN - Departamento de Informática Disciplina: Fundamentos da Computação Profª Thelma Elita Colanzi Lopes thelma@din.uem.br Aula 3 - Sistemas de Numeração O ser humano,

Leia mais

Aritmética Binária e. Bernardo Nunes Gonçalves

Aritmética Binária e. Bernardo Nunes Gonçalves Aritmética Binária e Complemento a Base Bernardo Nunes Gonçalves Sumário Soma e multiplicação binária Subtração e divisão binária Representação com sinal Sinal e magnitude Complemento a base. Adição binária

Leia mais

Ano letivo: 2012/2013. Sistemas de numeração. Pág.: 1/11. Escola profissional de Fafe SDAC. Trabalho elaborado por: Ana Isabel, nº905 TURMA 7.

Ano letivo: 2012/2013. Sistemas de numeração. Pág.: 1/11. Escola profissional de Fafe SDAC. Trabalho elaborado por: Ana Isabel, nº905 TURMA 7. Pág.: 1/11 Escola profissional de Fafe SDAC Trabalho elaborado por: Ana Isabel, nº905 TURMA 7.5 Pág.: 2/11 Índice Introdução... 3 Sistemas de numeração posicionais... 4 Representação na base 2... 4 Representação

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração Um numeral é um símbolo ou grupo de símbolos que representa um número em um determinado instante da evolução do homem. Tem-se que, numa determinada escrita ou época, os numerais diferenciaram-se

Leia mais

1. Sistemas de numeração

1. Sistemas de numeração 1. Sistemas de numeração Quando mencionamos sistemas de numeração estamos nos referindo à utilização de um sistema para representar uma numeração, ou seja, uma quantidade. Sistematizar algo seria organizar,

Leia mais

Unidade 3: Sistemas de Numeração Conversões Entre Quaisquer Bases e Aritmética em Bases Alternativas Prof. Daniel Caetano

Unidade 3: Sistemas de Numeração Conversões Entre Quaisquer Bases e Aritmética em Bases Alternativas Prof. Daniel Caetano Arquitetura e Organização de Computadores 1 Unidade 3: Sistemas de Numeração Conversões Entre Quaisquer Bases e Aritmética em Bases Alternativas Prof. Daniel Caetano Objetivo: Apresentar métodos genéricos

Leia mais

Organização de Computadores. Cálculos Binários e Conversão entre Bases Aritmética Binária

Organização de Computadores. Cálculos Binários e Conversão entre Bases Aritmética Binária Organização de Computadores Capítulo 4 Cálculos Binários e Conversão entre Bases Aritmética Binária Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Professor Menezes SISTEMA DE NUMERAÇÃO 1-1 Sistemas de Numeração Observe que alguns números decimais a possuem uma representação muito curiosa no sistema binário: 1 decimal = 1 binário; 2 decimal = 10

Leia mais

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Atualizado em Prof. Rui Mano E mail: rmano@tpd.puc rio.br SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Sistemas de Numer ação Posicionais Desde quando se começou a registrar informações sobre quantidades, foram criados diversos

Leia mais

COMPUTAÇÕES NUMÉRICAS. 1.0 Representação

COMPUTAÇÕES NUMÉRICAS. 1.0 Representação COMPUTAÇÕES NUMÉRICAS.0 Representação O sistema de numeração decimal é o mais usado pelo homem nos dias de hoje. O número 0 tem papel fundamental, é chamado de base do sistema. Os símbolos 0,,, 3, 4, 5,

Leia mais

Exemplo de Subtração Binária

Exemplo de Subtração Binária Exemplo de Subtração Binária Exercícios Converta para binário e efetue as seguintes operações: a) 37 10 30 10 b) 83 10 82 10 c) 63 8 34 8 d) 77 8 11 8 e) BB 16 AA 16 f) C43 16 195 16 3.5.3 Divisão binária:

Leia mais

Curso: Técnico de Informática Disciplina: Redes de Computadores. 1- Apresentação Binária

Curso: Técnico de Informática Disciplina: Redes de Computadores. 1- Apresentação Binária 1- Apresentação Binária Os computadores funcionam e armazenam dados mediante a utilização de chaves eletrônicas que são LIGADAS ou DESLIGADAS. Os computadores só entendem e utilizam dados existentes neste

Leia mais

Representação de Dados

Representação de Dados Representação de Dados Propriedades Domínio - Valores que um tipo de dado pode assumir; Gama de variação - N.º de valores que um dado pode assumir; Precisão Distância entre dois valores consecutivos Operações

Leia mais

ELETRÔNICA DIGITAL 1

ELETRÔNICA DIGITAL 1 CENTRO FEDERAL DE ENSINO TECNOLÓGICO DE SANTA CATARINA UNIDADE SÃO JOSÉ ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES ELETRÔNICA DIGITAL 1 CAPÍTULO 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...2 1. SISTEMAS DE NUMERAÇÃO...4 1.1 Introdução...4

Leia mais

centena dezena unidade 10 2 10 1 10 0 275 2 7 5 200 + 70 + 5 275

centena dezena unidade 10 2 10 1 10 0 275 2 7 5 200 + 70 + 5 275 A. Sistemas de Numeração. Para se entender a linguagem do computador (o Código de Máquina), é necessário conhecer um pouco da teoria dos números. Não é uma tarefa tão difícil quanto pode parecer. Sabendo-se

Leia mais

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM. Conceitos Básicos ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM. Conceitos Básicos ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM Conceitos Básicos 1-1 BITs e BYTEs Bit = BInary digit = vale sempre 0 ou elemento básico de informação Byte = 8 bits processados em paralelo (ao mesmo tempo) Word = n bytes (depende do processador em questão)

Leia mais

Índice de conteúdos. Índice de conteúdos. Capítulo 2. Representação de Números e Erros...1. 1.Representação de números em diferentes bases...

Índice de conteúdos. Índice de conteúdos. Capítulo 2. Representação de Números e Erros...1. 1.Representação de números em diferentes bases... Índice de conteúdos Índice de conteúdos Capítulo 2. Representação de Números e Erros...1 1.Representação de números em diferentes bases...1 1.1.Representação de números inteiros e conversões de base...1

Leia mais

Sistemas de Numerações.

Sistemas de Numerações. Matemática Profº: Carlos Roberto da Silva; Lourival Pereira Martins. Sistema de numeração: Binário, Octal, Decimal, Hexadecimal; Sistema de numeração: Conversões; Sistemas de Numerações. Nosso sistema

Leia mais

Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro. Curso Profissional de Nível Secundário. Componente Técnica. Disciplina de

Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro. Curso Profissional de Nível Secundário. Componente Técnica. Disciplina de Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro Curso Profissional de Nível Secundário Componente Técnica Disciplina de Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores 29/21 Módulo 1: Sistemas de Numeração

Leia mais

Sistemas de Numeração. Introdução ao Computador 2010/1 Renan Manola

Sistemas de Numeração. Introdução ao Computador 2010/1 Renan Manola Sistemas de Numeração Introdução ao Computador 2010/1 Renan Manola Introdução Em sistemas digitais o sistema de numeração binário é o mais importante, já fora do mundo digital o sistema decimal é o mais

Leia mais

Capítulo UM Bases Numéricas

Capítulo UM Bases Numéricas Capítulo UM Bases Numéricas 1.1 Introdução Quando o homem aprendeu a contar, ele foi obrigado a desenvolver símbolos que representassem as quantidades e grandezas que ele queria utilizar. Estes símbolos,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 13

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 13 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 13 Índice 1. Circuitos Digitais - Continuação...3 1.1. Por que Binário?... 3 1.2. Conversão entre Bases... 3 2 1. CIRCUITOS DIGITAIS - CONTINUAÇÃO 1.1. POR QUE BINÁRIO?

Leia mais

Conversão de Bases Numéricas

Conversão de Bases Numéricas Disciplina: Circuitos Digitais Conversão de Bases Numéricas Prof. a Dra. Carolina Davanzzo Gomes dos Santos Email: profcarolinadgs@gmail.com Página: profcarolinadgs.webnode.com.br Sistemas de Numeração

Leia mais

Sistemas de Numeração. 1 Introdução aos sistemas numeração

Sistemas de Numeração. 1 Introdução aos sistemas numeração Sistemas de Numeração 1 Introdução aos sistemas numeração Sistemas de Numeração Base Decimal Base Binária Base Octal Base Hexadecimal Sistemas de numeração ria\base Oct tal\ Base He exadecimal l\base Biná

Leia mais

Aula 5. Simplificação de funções lógicas (cont.) Sistemas de numeração

Aula 5. Simplificação de funções lógicas (cont.) Sistemas de numeração Aula 5 Simplificação de funções lógicas (cont.) Sistemas de numeração Mapa de Karnaugh Exemplo: N=4 variáveis, M=2 4 =16 combinações Extracção da expressão do circuito, pelos maxtermos: extracção pelos

Leia mais

Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h Sistema de Numeração e Conversão entre Sistemas. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Representação da Informação Um dispositivo eletrônico, armazena e movimenta as informações internamente

Leia mais

Sistemas de Numeração e Conversão de Base

Sistemas de Numeração e Conversão de Base 1 No estudo de sistemas digitais recorre-se a diferentes sistemas de numeração. Sistema Decimal É o nosso sistema natural. Dígitos 0,1,2,...,9. Números superiores a 9; convencionamos o significado da posição

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Profs. M.Sc. Lucio M. Duarte e Ph.D. Avelino Zorzo 1 Faculdade de Informática - PUCRS 1 REPRESENTAÇÃO DE DADOS Acredita-se que a criação de números veio com

Leia mais

Capítulo 2. Numéricos e Códigos. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados.

Capítulo 2. Numéricos e Códigos. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Capítulo 2 Sistemas Numéricos e Códigos slide 1 Os temas apresentados nesse capítulo são: Conversão entre sistemas numéricos. Decimal, binário, hexadecimal. Contagem hexadecimal. Representação de números

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Sistema Binário Hardware de Computadores O sistema binário é um sistema de numeração posicional em que todas as quantidades são representadas, utilizando-se como base as cifras: zero e um (0 e 1). Os computadores

Leia mais

3 Sistemas de Numeração:

3 Sistemas de Numeração: 3 Sistemas de Numeração: Os computadores eletrônicos têm como base para seu funcionamento a utilização de eletricidade. Diferente de outras máquinas que a presença ou ausência de eletricidade apenas significam

Leia mais

Aula 6 Aritmética Computacional

Aula 6 Aritmética Computacional Aula 6 Aritmética Computacional Introdução à Computação ADS - IFBA Representação de Números Inteiros Vírgula fixa (Fixed Point) Ponto Flutuante Para todos, a quantidade de valores possíveis depende do

Leia mais

Introdução à Engenharia de

Introdução à Engenharia de Introdução à Engenharia de Computação Tópico: Sistemas de Numeração José Gonçalves - LPRM/DI/UFES Introdução à Engenharia de Computação Introdução O número é um conceito abstrato que representa a idéia

Leia mais

Conversões em Sistemas de Numeração. José Gustavo de Souza Paiva

Conversões em Sistemas de Numeração. José Gustavo de Souza Paiva Conversões em Sistemas de Numeração José Gustavo de Souza Paiva 1 Conversões entre bases que são potências entre si Primeiro caso base binária para base octal Como 2 3 = 8, podemos separar os bits de um

Leia mais

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Aula 04 Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Prof. Otávio Gomes otavio.gomes@ifmg.edu.br sites.google.com/a/ifmg.edu.br/otavio-gomes/ 1 Bytes A maioria dos microcomputadores

Leia mais

Sistemas de Numeração. Bases Numéricas e Conversão entre bases

Sistemas de Numeração. Bases Numéricas e Conversão entre bases Sistemas de Numeração Bases Numéricas e Conversão entre bases Objetivos Contar em binário, octal, hexadecimal Conversões: DECIMAL BINÁRIO OCTAL HEXADECIMAL Histórico A origem dos conceitos sobre números

Leia mais

Sistema de Numeração e Códigos. CPCX UFMS Prof. Renato F. dos Santos

Sistema de Numeração e Códigos. CPCX UFMS Prof. Renato F. dos Santos Sistema de Numeração e Códigos CPCX UFMS Prof. Renato F. dos Santos 2.4 Código BCD (Binary-coded decimal) Quando um número decimal é representado pelo seu número binário equivalente, dizemos que é uma

Leia mais

Circuitos Combinacionais. Sistemas digitais

Circuitos Combinacionais. Sistemas digitais Circuitos Combinacionais Sistemas digitais Agenda } Codificador X Decodificador } Código BCD 8421, código BCH, código 9876543210 } Display de 7 segmentos } Multiplexador X Demultiplexador } Comparadores

Leia mais

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Prof. Dr. Sergio Pilling (IPD/ Física e Astronomia) I Representação dos números, aritmética de ponto flutuante e erros em máquinas

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Universidade Tecnológica Federal do Paraná Bacharelado em Ciência da Computação IC3A Introdução à Ciência da Computação Sistemas de Numeração Marcos Silvano O. Almeida Baseado no material do prof. Rogério

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática UFG 1S/2004 Representação de Dados e Aritimética Computacional Roteiro Números inteiros sinalizados e nãosinalizados Operações

Leia mais

Aula 6. Sistemas de Numeração. SEL 0414 - Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

Aula 6. Sistemas de Numeração. SEL 0414 - Sistemas Digitais. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Aula 6 Sistemas de Numeração SEL 0414 - Sistemas Digitais Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira Sistemas de Numeração 1. SISTEMA DECIMAL Composto por 10 símbolos ou numerais; Base 10 0, 1, 2, 3, 4,

Leia mais

Informática Aplicada à Química. Sistemas de Numeração Representação de Dados

Informática Aplicada à Química. Sistemas de Numeração Representação de Dados Informática Aplicada à Química Sistemas de Numeração Representação de Dados Representando Dados Bit Byte Palavra Bit (b) Abreviação de binary digit (dígito binário). Dois valores possíveis: e 1. Nunca

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Sistema de Numeração Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Sistemas Numéricos Principais sistemas numéricos: Decimal 0,

Leia mais

Prof. Luís Caldas Sistemas de Numeração e Transformação de Base NUMERAÇÃO, BASE NUMÉRICA E TRANSFORMAÇÃO DE UMA BASE

Prof. Luís Caldas Sistemas de Numeração e Transformação de Base NUMERAÇÃO, BASE NUMÉRICA E TRANSFORMAÇÃO DE UMA BASE NUMERAÇÃO, BASE NUMÉRICA E TRANSFORMAÇÃO DE UMA BASE Os números são na verdade coeficientes de uma determinada base numérica e podem ser representados como números assinalados, não assinalados, em complemento

Leia mais

Sistema de Numeração e Códigos. Sistemas de Informação CPCX UFMS Prof. Renato F. dos Santos

Sistema de Numeração e Códigos. Sistemas de Informação CPCX UFMS Prof. Renato F. dos Santos Sistema de Numeração e Códigos Sistemas de Informação CPCX UFMS Prof. Renato F. dos Santos Objetivos Converter um número de um sistema de numeração (decimal, binário ou hexadecimal) no seu equivalente

Leia mais

Notas de aula #1 SISTEMAS NUMÉRICOS

Notas de aula #1 SISTEMAS NUMÉRICOS UTFPR Disciplina: EL66J Prof. Gustavo B. Borba Notas de aula #1 SISTEMAS NUMÉRICOS - Notação posicional Definição: A posição de cada algarismo no número indica a sua magnitude. A magnitude também é chamada

Leia mais

Circuitos Digitais Cap. 5

Circuitos Digitais Cap. 5 Circuitos Digitais Cap. 5 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Objetivos Aritmética Digital Adição Binária Subtração Binária Representação de números com sinal Complemento de 2 Negação Subtração como soma

Leia mais

ELETRÔNICA. Changed with the DEMO VERSION of CAD-KAS PDF-Editor (http://www.cadkas.com). INTRODUÇÃO

ELETRÔNICA. Changed with the DEMO VERSION of CAD-KAS PDF-Editor (http://www.cadkas.com). INTRODUÇÃO 0010100111010101001010010101 CURSO DE 0101010100111010100101011101 1010011001111010100111010010 ELETRÔNICA 1010000111101010011101010010 DIGITAL INTRODUÇÃO Os circuitos equipados com processadores, cada

Leia mais

Aula 08. Sistemas Numéricos Conversões. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 08. Sistemas Numéricos Conversões. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 8 Aula 8 Sistemas Numéricos Conversões Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Sistemas Numéricos É um conjunto de dígitos para representar quantidades. Dígito símbolo

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Aritmética Computacional Slide 1 Sumário Unidade Lógica e Aritmética Representação de Números Inteiros Aritmética de Números Inteiros Representação de Números

Leia mais

No microfone, sua saída pode assumir qualquer valor dentro de uma faixa de 0 à 10mV. 1 - Sistemas de numeração

No microfone, sua saída pode assumir qualquer valor dentro de uma faixa de 0 à 10mV. 1 - Sistemas de numeração 1 - Sistemas de numeração Lidamos constantemente com quantidades. Quantidades são medidas monitoradas, gravadas, manipuladas aritmeticamente e observadas. Quando lidamos com quantidades, é de suma importância

Leia mais

Apostila para Eletrônica ELETRÔNICA DIGITAL I

Apostila para Eletrônica ELETRÔNICA DIGITAL I Apostila para Eletrônica ELETRÔNICA DIGITAL I Prof. Reinaldo Bolsoni Eletrônica Digital I 1/37 ÍNDICE 1 - SISTEMA NUMÉRICO... 3 1.1 - SISTEMA BINÁRIO...3 Conversão Decimal para Binário...4 Conversão Binário

Leia mais

Bases Numéricas e Conversão. DCC 122 - Circuitos Digitais

Bases Numéricas e Conversão. DCC 122 - Circuitos Digitais Bases Numéricas e Conversão DCC 122 - Circuitos Digitais Objetivos Bases numéricas utilizadas em sistemas computacionais. Conversões: DECIMAL BINÁRIO HEXADECIMAL Sistemas de Numeração Não posicional Ex.

Leia mais

Lista de Exercícios Sistemas de Numeração

Lista de Exercícios Sistemas de Numeração Lista de Exercícios Sistemas de Numeração 1- (Questão 5 BNDES Profissional Básico Análise de Sistemas - Suporte ano 010) Um administrador de sistemas, ao analisar o conteúdo de um arquivo binário, percebeu

Leia mais

Números base 2, 8, 10, 16. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Números base 2, 8, 10, 16. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Números base 2, 8, 10, 16 Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Números binário, decimal, octal, hexadecimal Conversões entre bases Números

Leia mais

Um circuito comparador permite determinar se dois números binários são iguais, e não o sendo, qual deles é o maior.

Um circuito comparador permite determinar se dois números binários são iguais, e não o sendo, qual deles é o maior. Circuitos comparadores ESTV-ESI-Sistemas Digitais-Circuitos MSI e LSI (2) 1/11 Um circuito comparador permite determinar se dois números binários são iguais, e não o sendo, qual deles é o maior. Comparador

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Sistemas de Numeração Representação da Informação para seres humanos Números (1,2,3,4...) Letras (a,a,b,b,c,c...) Sinais de pontuação (:,;...) Operadores aritméticos (+,-,x,/) Representação da Informação

Leia mais

Operações aritméticas

Operações aritméticas Circuitos Lógicos Operações aritméticas Prof.: Daniel D. Silveira Horário: 4a.f e 6a.f de 10h às 12h 1 Adição binária A soma binária ocorre da mesma forma que a decimal:» A operação sobre os dígitos na

Leia mais

MATEMÁTICA BÁSICA E CALCULADORA

MATEMÁTICA BÁSICA E CALCULADORA DISCIPLINA MATEMÁTICA FINANCEIRA PROFESSOR SILTON JOSÉ DZIADZIO APOSTILA 01 MATEMÁTICA BÁSICA E CALCULADORA A matemática Financeira tem como objetivo principal estudar o valor do dinheiro em função do

Leia mais

1. Introdução 2. Representação de números 2.1. Conversão Numérica 2.2. Aritmética de ponto flutuante 3. Erros 3.1 Erros Absolutos e Relativos

1. Introdução 2. Representação de números 2.1. Conversão Numérica 2.2. Aritmética de ponto flutuante 3. Erros 3.1 Erros Absolutos e Relativos 1. Introdução 2. Representação de números 2.1. Conversão Numérica 2.2. Aritmética de ponto flutuante 3. Erros 3.1 Erros Absolutos e Relativos 1. Introdução O que é cálculo numérico? Corresponde a um conjunto

Leia mais

Capítulo 2. Representação de dados em sistemas computacionais

Capítulo 2. Representação de dados em sistemas computacionais Capítulo 2 Representação de dados em sistemas computacionais Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Objectivos [1] Compreender o conceito

Leia mais

Capítulo 9: Codificação. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 9: Codificação. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 9: Codificação Prof.: Roberto Franciscatto Conceituação Um computador só pode identificar a informação através de sua capacidade de distinguir entre dois estados; Algo está imantado num sentido

Leia mais

Disciplina: : ELETRÔNICA DIGITAL

Disciplina: : ELETRÔNICA DIGITAL Disciplina: : ELETRÔNICA DIGITAL Professor: Júlio César Madureira Silva Julho 2011 1 Ementa: 1. Sistemas de numeração Numeração decimal Numeração binária Numeração octal Numeração

Leia mais

ULA- Unidade Lógica Aritmética. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

ULA- Unidade Lógica Aritmética. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h ULA- Unidade Lógica Aritmética. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Sumário Unidade Lógica Aritmetrica Registradores Unidade Lógica Operações da ULA Unidade de Ponto Flutuante Representação

Leia mais

CURSO: Engenharia Elétrica e Engenharia de Computação. DISCIPLINA: Circuitos Lógicos I Z520234

CURSO: Engenharia Elétrica e Engenharia de Computação. DISCIPLINA: Circuitos Lógicos I Z520234 FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO CURSO: Engenharia Elétrica e Engenharia de Computação. DISCIPLINA: Circuitos Lógicos I Z520234 2 a Série de Exercícios - Resolução Sistemas de Numeração

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS DIGITAIS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 1 - SISTEMA DE NUMERAÇÃO BINÁRIA E DECIMAL Todos os computadores são formados por circuitos digitais, onde as informações e os dados são codificados com dois níveis de tensão, pelo que o seu sistema

Leia mais

Representação Binária de Números

Representação Binária de Números Departamento de Informática Notas de estudo Alberto José Proença 01-Mar-04 Dep. Informática, Universidade do Minho Parte A: Sistemas de numeração e representação de inteiros A.1 Sistemas de numeração

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores. Sistemas Numéricos

Arquitetura e Organização de Computadores. Sistemas Numéricos Arquitetura e Organização de Computadores Sistemas Numéricos 1 A Notação Posicional Todos os sistemas numéricos usados são posicionais. Exemplo 1 (sistema decimal): 1999 = 1 x 1000 + 9 x 100 + 9 x 10 +

Leia mais

Pneumática e Automatismos

Pneumática e Automatismos INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Pneumática e Automatismos MATERIAL DE APOIO ÀS AULAS Eng. João Paulo Coelho 2004/2005 Índice 1 Sistemas Digitais... 1 1.1 Sistemas

Leia mais

Universidade Federal de São João Del Rei - UFSJ

Universidade Federal de São João Del Rei - UFSJ Universidade Federal de São João Del Rei - UFSJ Instituída pela Lei 0.45, de 9/04/00 - D.O.U. de /04/00 Pró-Reitoria de Ensino de Graduação - PROEN Disciplina: Cálculo Numérico Ano: 03 Prof: Natã Goulart

Leia mais

Cálculo Numérico Aula 1: Computação numérica. Tipos de Erros. Aritmética de ponto flutuante

Cálculo Numérico Aula 1: Computação numérica. Tipos de Erros. Aritmética de ponto flutuante Cálculo Numérico Aula : Computação numérica. Tipos de Erros. Aritmética de ponto flutuante Computação Numérica - O que é Cálculo Numérico? Cálculo numérico é uma metodologia para resolver problemas matemáticos

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Departamento de Informática Sistemas de Numeração Notas de estudo Alberto José Proença Luís Paulo Santos 18-Fev-05 1. Sistemas de numeração e representação de inteiros 1.1. Sistemas de numeração 1.2. Conversão

Leia mais

Vamos exemplificar o conceito de sistema posicional. Seja o número 1303, representado na base 10, escrito da seguinte forma:

Vamos exemplificar o conceito de sistema posicional. Seja o número 1303, representado na base 10, escrito da seguinte forma: Nova bibliografia: Título: Organização e projeto de computadores a interface Hardware/Software. Autor: David A. Patterson & John L. Hennessy. Tradução: Nery Machado Filho. Editora: Morgan Kaufmmann Editora

Leia mais

15-11-2013. Sumário. Teoria de erros

15-11-2013. Sumário. Teoria de erros Sumário Erros que afetam as medições. Média, desvios e incertezas. As operações com os algarismos significativos exigem o conhecimento da teoria de erros. Mas, algumas regras simples podem ajudar a evitar

Leia mais

Sistemas de numeração

Sistemas de numeração E Sistemas de numeração Aqui estão apenas números ratificados. William Shakespeare A natureza tem algum tipo de sistema de coordenadas geométrico-aritmético, porque a natureza tem todos os tipos de modelos.

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE DADOS EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO AULA 03 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade

REPRESENTAÇÃO DE DADOS EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO AULA 03 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade REPRESENTAÇÃO DE DADOS EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO AULA 03 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade O conteúdo deste documento é baseado no livro Princípios Básicos de Arquitetura e Organização

Leia mais

CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL

CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL Introdução Números decimais Números binários positivos Adição Binária Números negativos Extensão do bit de sinal Adição e Subtração Overflow Aritmético Circuitos Aritméticos

Leia mais

20-10-2014. Sumário. Arquitetura do Universo

20-10-2014. Sumário. Arquitetura do Universo Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 Diferenças entre medir, medição e medida duma grandeza. Modos de exprimir uma medida. Algarismos significativos: Regras de contagem e operações. Esclarecimento

Leia mais