Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Afecções Ósseas. Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens. Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz"

Transcrição

1 Afecções Ósseas Faculdade de Medicina Veterinária Diagnóstico por Imagens Profª Anna Paula Balesdent Prof. Rodrigo Cruz

2 Definição estados patológicos que se manifestam sobre o esqueleto apendicular e axial do animais domésticos Classificação hereditárias metabólicas infecciosas auto-imunes neoplasias

3 Doenças hereditárias componente autossômico recessivo, podendo ser exacerbadas de acordo com o meio geralmente correspondem a lesões anatômicas importantes em locais específicos Displasia Coxofemural Necrose asséptica de cabeça femural

4 Displasia coxofemural (Coxoartrose) - cães jovens (3 a 6 meses) de raças grandes - má formação do acetábulo, cabeça femural e/ou tecidos moles articulares Considerações radiográficas - laudo definitivo apenas com 24 meses - relaxamento e analgesia obrigatórios - imagem contendo informações do paciente - abranger desde as asas do ílio até as patelas - graduação pela OFA ou CBRV (método de Norberg)

5

6

7

8

9

10 Necrose asséptica de cabeça femural (Doença de Legg-Calvé-Perthes / necrose avascular) - cães jovens de raças toy e pequenas - defeito na vascularização de cabeça e colo femurais Sinais radiográficos - áreas de radioluscência sobre cabeça femural - perda do contorno esferóide da cabeça femural - áreas de densidade aumentada (colapso trabecular) - colo femural engrossado - contato articular comprometido

11

12

13 Doenças metabólicas mudanças radiográficas apenas com 30% de alteração sobre o cálcio ósseo geralmente correspondem a lesões simultâneas; lesões isoladas não são sugestivas Osteodistrofia juvenil Osteodistrofia renal Osteodistrofia hipertrófica Osteopatia hipertrófica Hipervitaminose A

14 Osteodistrofia juvenil (Osteoporose nutricional / hiperparatireoidismo nutricional secundário) - cães e gatos jovens (3 / 6 meses) - alimentação visceral, suplementação mineral inadequada Sinais radiográficos - perda de densidade e espessura cortical - desvio de coluna lombar (lordose) em felinos - fraturas por dobramento ( galho verde ) - fraturas por compressão sobre as vértebras

15 Alimentação visceral (carne, fígado, frango) Desregulação entre Cálcio e Fósforo Deficiência de cálcio fixado ao osso Ação do PTH Hiperparatireoidismo Nutricional Secundário

16

17

18 Osteodistrofia renal (Osteodistrofia fibrosa / hiperparatireoidismo renal secundário / rubber jaw ) - cães e gatos adultos e idosos - secundário a uma IRC com hiperfosfatemia Sinais radiográficos - perda de densidade especialmente sobre crânio - aspecto de dentes flutuantes - osteoporose generalizada em quadros longos

19

20

21

22

23

24 Osteodistrofia hipertrófica (Doença de Moeller-Barlow / escorbuto) - cães jovens entre 3 e 8 meses - etiologia discutível (Vit.C x Dieta hipercalórica) Sinais radiográficos - neoformação sobre a metáfise óssea - aumento de densidade sobre linha metafisária - alargamento ósseo anterior à epífise - imagem da epífise praticamente sem alterações

25

26 Osteopatia hipertrófica (Acropaquia / Doença de Marie) - cães e gatos (raro) adultos e idosos - secundário a uma moléstia intra-torácica Sinais radiográficos - osteoperiostite a partir das falanges em paliçada - processo com via ascendente - localizar alterações torácicas (nodulações, doenças crônicas, Spirocerca lupi)

27

28

29 Hipervitaminose A - gatos adultos a partir de 2 anos; experimentalmente em cães - secundário a uma alta ingestão de vit. A, que é responsável pela produção e maturação dos condroblastos Sinais radiográficos - neoformações ósseas, especialmente sobre face ventral das vértebras cervicais e articulações - anquilose vertebral em quadros longos - osteoporose por desuso nos membros

30

31 Doenças infecciosas componente microbiológico, tendo aparecimento súbito ou crônico geralmente correspondem a histórico de fratura exposta, cirurgia ortopédica, abscessos e enfermidades sistêmicas Osteomielite

32 Osteomileite (Osteíte) - causa hematogênica ou iatrogênica - apenas lesões avançadas são detectáveis Sinais radiográficos - áreas de radioluscência sobre a córtex - irregularidade em limite córtico-medular - aumento do padrão trabecular - contaminação de osos e estruturas adjacentes

33

34 Doenças auto-imunes componente imunólogico geralmente correspondem a histórico de doença infecciosa crônica ou de repercussão sinovial e distúrbio do sistema imune Artrite auto-imune

35 Artrite auto-imune (artrite erosiva) - cães e gatos, onde é mais agressiva - mudança nas características do líquido sinovial Sinais radiográficos - áreas de radioluscência sobre superfície articular - áreas de densidade aumentada (osteoesclerose) - irregularidade na superfície articular - proliferações ósseas intra-articulares (artrófitos)

36

37 Doenças Neoplásicas componente hereditário(?), ambiental(?), auto-imune(?) possuem pré-disposições de acordo com raça, idade e localização; diferenciação radiográfica entre benigno e maligno não é diagnóstico conclusivo!!! Osteoma Osteossarcoma

38 Osteoma - cães e gatos, qualquer idade, raça ou sexo - tumor benigno (não promove metástase) Sinais radiográficos - bordos bem demarcados - promove pouca reação perióstica - não invade tecidos moles adjacentes - não promove metástases

39

40 Ostessarcoma - preferencialmente em cães, de raças grandes e idade média a avançada - tumor maligno (promove metástase pulmão, fígado) - 75% surgem da diáfise distal de rádio, proximal de úmero, distal de fêmur e distal / proximal de tíbia Sinais radiográficos - bordos pouco demarcados - promove reação perióstica - áreas de lise e reconstrução desordenada (Codman) - promove metástases ( 6 meses)

41

42

43

44 comparando

17/3/2008. Partes do Osso. Partes do Osso. Maturo. Imaturo

17/3/2008. Partes do Osso. Partes do Osso. Maturo. Imaturo Introdução ASPECTOS RADIOLÓGICOS DO ESQUELETO DE CÃES E GATOS Getty (1986) Axial coluna vertebral, costelas, esterno, crânio Apendicular ossos dos Profª Naida Cristina Borges membros Esplâncnico ossos

Leia mais

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA Prof. Rodrigo Aguiar O sistema músculo-esquelético é formado por ossos, articulações, músculos, tendões, nervos periféricos e partes moles adjacentes. Em grande

Leia mais

SISTEMA ÓSSEO - COMPLICAÇÕES

SISTEMA ÓSSEO - COMPLICAÇÕES SISTEMA ÓSSEO - COMPLICAÇÕES NÃO UNIÃO Não é observada a formação do calo ósseo Bordas: lisas, arredondadas e escleróticas Imagens: domínio público PROFA. DRA. JULIANA PELOI VIDES ocorre quando há falha

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM)

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem 01. Radiografia anteroposterior do terço proximal da perna esquerda. Imagem 02. Ressonância magnética do mesmo paciente, no plano coronal

Leia mais

Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária

Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária Unic - Universidade de Cuiabá Faculdade de medicina veterinária - 1 - Disciplina de Ciências Morfofuncionais Aplicadas a Medicina Veterinária I Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária SUMÁRIO - 2 -

Leia mais

Alterações ósseas e articulares

Alterações ósseas e articulares Alterações ósseas e articulares Renato Cesar Sacchetto Tôrres Júlio César Cambraia Veado Índice Alterações nutricionais e metabólicas Osteopenia Osteopatia hipertrófica (pulmonar) Hipervitaminose A Osteopatia

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Esquelético. Prof. Me. Fabio Milioni

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Esquelético. Prof. Me. Fabio Milioni ANATOMIA HUMANA I Sistema Esquelético Prof. Me. Fabio Milioni FUNÇÕES Sustentação Proteção Auxílio ao movimento Armazenamento de minerais Formação de células sanguíneas 1 CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS Longos

Leia mais

Doença de Paget. Definição:

Doença de Paget. Definição: Definição: É uma doença sistêmica de origem desconhecida que determina alteração no Processo de Remodelação Óssea. Apresenta um forte componente genético. Se caracteriza por um aumento focal no remodelamento

Leia mais

22ª Imagem da Semana: Fotografia e radiografia da face

22ª Imagem da Semana: Fotografia e radiografia da face 22ª Imagem da Semana: Fotografia e radiografia da face Enunciado Paciente do sexo feminino, 34 anos. Diagnóstico de glomerulonefrite aos 12 anos de idade, em tratamento de substituição hemodialitica há

Leia mais

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia.

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia. SISTEMA ESQUELÉTICO Ossos do corpo humano se juntam por meio das articulações. E são responsáveis por oferecer um apoio para o sistema muscular permitindo ao homem executar vários movimentos. O sistema

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Ossos

Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Ossos Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Ossos Resumo da aula Classificação Estrutura óssea Funções Remodelagem Cargas Torque/ Momento Stress em função da Geometria Óssea Resumo da aula Esqueleto axial

Leia mais

Bases Biomecânicas do Treinamento Osteogênico. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Bases Biomecânicas do Treinamento Osteogênico. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Bases Biomecânicas do Treinamento Osteogênico Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Questão Qual é a melhor atividade física para o aumento da densidade óssea em todo o corpo? Natação? Corrida? Tênis?

Leia mais

Osteoporose. Disciplina de Fisiopatologia III Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP Departamento de Analises Clínicas e Toxicológicas 27-09-07

Osteoporose. Disciplina de Fisiopatologia III Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP Departamento de Analises Clínicas e Toxicológicas 27-09-07 FBC0417 - Fisiopatologia III Osteoporose Disciplina de Fisiopatologia III Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP Departamento de Analises Clínicas e Toxicológicas 27-09-07 Prof. Mario H. Hirata FCF-USP

Leia mais

Prof André Montillo www.montillo.com.br

Prof André Montillo www.montillo.com.br Prof André Montillo www.montillo.com.br Qual é a Menor Unidade Viva? Célula Qual é a Menor Unidade Viva? Tecidos Órgãos Aparelhos Sistemas Célula Células Tecidos Órgãos Sistemas ou Aparelhos Sistemas ou

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN: 1679 7353. Ano VI Número 10 Janeiro de 2008 Periódicos Semestral

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN: 1679 7353. Ano VI Número 10 Janeiro de 2008 Periódicos Semestral OSTEODISTROFIA FIBROSA EM EQUINOS DECORRENTE DA DEFICIENCIA NUTRICIONAL DE CALCIO E FOSFORO RELATO DE CASO FURIAN, Mariana PAES, Camila A. MENEGHETTI, Monique M. PARRA, Bruno C. AMARAL, Getulio A. Alunos

Leia mais

CARACTERÍSTICAS IMAGIOLÓGICAS DO OSTEOSSARCOMA PRIMÁRIO

CARACTERÍSTICAS IMAGIOLÓGICAS DO OSTEOSSARCOMA PRIMÁRIO Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra CARACTERÍSTICAS IMAGIOLÓGICAS DO OSTEOSSARCOMA PRIMÁRIO Subtipos Convencional e não Convencionais Rui Alves Costa 30/03/2015 Tumor maligno caracterizado pela

Leia mais

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur

Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Prof André Montillo Fraturas Proximal do Fêmur: Fraturas do Colo do Fêmur Fraturas Transtrocanterianas do Fêmur Fraturas Proximal do Fêmur: Anatomia: Elementos Ósseos Cabeça do Fêmur Trocanter Maior Colo

Leia mais

TUMORES OSSEOS EM CABEÇA E PESCOÇO

TUMORES OSSEOS EM CABEÇA E PESCOÇO CABEÇA E PECOÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ HOSPITAL WALTER CANTÍDIO Residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço TUMORES OSSEOS EM Geamberg Macêdo Agosto - 2006 TUMORES ÓSSEOS BÊNIGNOS OSTEOMA CONDROMAS

Leia mais

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE)

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) DESCRIÇÃO: Aulas interativas ao vivo pela internet. Participe ao vivo, respondendo as enquetes e enviando suas perguntas. Vale pontos para a Revalidação

Leia mais

Estudo do Sistema Musculo-Esquelético

Estudo do Sistema Musculo-Esquelético Estudo do Sistema Musculo-Esquelético 4. Os processos inflamatórios Osteomielites As artrites 5. A artrose 6. Osteopatias metabólicas 7. Tumores Ósseos primitivos secundários 8. A RM no estudo do aparelho

Leia mais

DOENÇA DE LEGG-CALVÉ- PERTHES EM HAMSTER SÍRIO (MESOCRICETUS AURATUS) - RELATO DE CASO

DOENÇA DE LEGG-CALVÉ- PERTHES EM HAMSTER SÍRIO (MESOCRICETUS AURATUS) - RELATO DE CASO 1 RAPHAEL DE CARVALHO CLÍMACO 1, MAÍRA SANTOS SEVERO CLÍMACO 2, JÉSSICA SOUZA DIAS 3, CAMILA CAROLINE CARLINI 3, WEMERSON DE SANTANA NERES 3, DANIELA DOS SANTOS 3 1 Médico Veterinário Autônomo, Centro

Leia mais

Anhanguera - Uniderp

Anhanguera - Uniderp Anhanguera - Uniderp CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A SELEÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICO- VETERINÁRIA - PRMV R1 / TURMA 2012 ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE PEQUENOS ANIMAIS 1. Terapêutica Clínica Geral

Leia mais

24/11/2009. Membros dos equinos AFECÇÕES DOS MEMBROS DOS EQÜINOS. TÉCNICAS E DIAGNÓSTICO RADIOLÓGICOS. Exame radiográfico.

24/11/2009. Membros dos equinos AFECÇÕES DOS MEMBROS DOS EQÜINOS. TÉCNICAS E DIAGNÓSTICO RADIOLÓGICOS. Exame radiográfico. Membros dos equinos AFECÇÕES DOS MEMBROS DOS EQÜINOS. TÉCNICAS E DIAGNÓSTICO RADIOLÓGICOS Exame radiográfico ainda é o mais utilizado no Brasil Confirma o diagnóstico, contribui para o prognóstico e para

Leia mais

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Quais as funções do esqueleto? 2. Explique que tipo de tecido forma os ossos e como eles são ao mesmo tempo rígidos e flexíveis. 3. Quais são as células ósseas e como

Leia mais

OSTEOSSARCOMA EM CÃES RELATO DE CASO

OSTEOSSARCOMA EM CÃES RELATO DE CASO OSTEOSSARCOMA EM CÃES RELATO DE CASO MEDEIROS, Fabrícia ROCHA, Jessé Ribeiro SANTOS, Mariana Soares Pereira email: fabriciamedvet@hotmail.com Acadêmicos da Associação Cultural e Educacional de Garça FAMED

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ORTOPEDIA/TRAUMATOLOGIA 21. O exame radiográfico de uma criança após queda da própria altura mostra fratura supra condileana de úmero, com traço de fratura marcante

Leia mais

Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina

Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina Métodos por Imagem no Diagnóstico da Displasia Coxofemoral Canina Bruno Baessa Chagas 1, Daniela Patrícia Vaz 2 1 Aluno do Curso de Pós-graduação em Imaginologia da Faculdade Método de São Paulo. (e-mail:

Leia mais

www.fisiofitsenior.com.br

www.fisiofitsenior.com.br www.fisiofitsenior.com.br Índice Definição... Dados estatísticos... pg 03 pg 06 Causas e fatores de risco... pg 09 Tratamentos... pg 14 Atividades físicas e osteoporose... pg 15 Nutrientes recomendados...

Leia mais

Reabilitação fisioterapêutica do idoso com osteoporose

Reabilitação fisioterapêutica do idoso com osteoporose Definição Reabilitação fisioterapêutica do idoso com osteoporose Distúrbio osteometabólico, de origem multifatorial, caracterizado pela diminuição da densidade mineral óssea e deterioração de sua micro

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA QUESTÃO 21 Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: a) O politrauma é a uma das principais causas

Leia mais

Médico Neurocirurgia da Coluna

Médico Neurocirurgia da Coluna Médico Neurocirurgia da Coluna Caderno de Questões Prova Discursiva 2015 01 Um homem de 55 anos de idade foi internado. Tinha histórico de câncer de pulmão operado, vinha apresentando uma dor constante

Leia mais

DISPLASIA DA ANCA. VETSET Hospital Veterinário

DISPLASIA DA ANCA. VETSET Hospital Veterinário VETSET Hospital Veterinário DISPLASIA DA ANCA Fig.1- Anca ou Articulação coxo-femoral 1- Bacia 2- Fémur 3- Acetábulo 4- Cabeça do fémur 5- Ligamento redondo 6- Cápsula articular 7- Fluído sinovial A articulação

Leia mais

TRATO RESPIRATÓRIO. Prof a Dr a Naida Cristina Borges

TRATO RESPIRATÓRIO. Prof a Dr a Naida Cristina Borges TRATO RESPIRATÓRIO Prof a Dr a Naida Cristina Borges Trato respiratório Trato respiratório ANTERIOR TÓRAX Sinais clínicos!!! Diagnóstico Trato Respiratório Anterior Trato Respiratório Anterior Caracterização

Leia mais

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM O QUE É OSTEOPOROSE? Em termos simples, é a descalcificação do osso. O osso se enfraquece e fica mais fácil de quebrar. É um

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE NITERÓI CURSO TÉCNICO ALMIR MADEIRA Estrada Caetano Monteiro, 857 Pendotiba. Niterói- RJ Tel: 21994400/21.26202173 (Centro) CURSO: DISCIPLINA: Anatomia e Fisiologia Humana DOCENTE:

Leia mais

Diagnóstico por Imagem

Diagnóstico por Imagem V e t e r i n a r i a n D o c s Diagnóstico por Imagem Ultrassonografia História A história do ultrassom remonta a 1794, quando Lazzaro Spallanzini demonstrou que os morcegos se orientavam mais pela audição

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

USO DE COLÁGENO BIOATIVO COMO ADJUVANTE NA PROFILAXIA E TRATAMENTO DE ARTROPATIAS EM CÃES

USO DE COLÁGENO BIOATIVO COMO ADJUVANTE NA PROFILAXIA E TRATAMENTO DE ARTROPATIAS EM CÃES USO DE COLÁGENO BIOATIVO COMO ADJUVANTE NA PROFILAXIA E TRATAMENTO DE ARTROPATIAS EM CÃES Prof. Pós-Dr. José Ricardo Pachaly Instituto Brasileiro de Especialidades em Medicina Veterinária ESPECIALVET Programa

Leia mais

A MULHER ATLETA GRUPO DE MEDICINA ESPORTIVA DO I.O.T. WAGNER CASTROPIL

A MULHER ATLETA GRUPO DE MEDICINA ESPORTIVA DO I.O.T. WAGNER CASTROPIL A MULHER ATLETA GRUPO DE MEDICINA ESPORTIVA DO I.O.T. WAGNER CASTROPIL PIERRE DE COUBERTIN-1925 ESPORTE TEM QUE SER PARA HOMEM E INDIVIDUAL... A TRAIÇÃO DO IDEAL OLÍMPICO, PELA PERMISSÃO DA PARTICIPAÇÃO

Leia mais

ESCOLIOSE. Prof. Ms. Marcelo Lima

ESCOLIOSE. Prof. Ms. Marcelo Lima ESCOLIOSE Prof. Ms. Marcelo Lima DEFINIÇÃO A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita, resultando em um formato de "S" ou "C". É um desvio da coluna no plano frontal acompanhado

Leia mais

RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA II

RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA II RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA II Prof. Rodrigo Aguiar Este capítulo focará principalmente as patologias ósseas e articulares, que podem ser divididas em doenças traumáticas, inflamatórias, infecciosas,

Leia mais

Anatomia. Os ossos são revestidos externa e internamente por membranas conjuntivas que possuem células osteogênicas: Periósteo e Endósteo

Anatomia. Os ossos são revestidos externa e internamente por membranas conjuntivas que possuem células osteogênicas: Periósteo e Endósteo Anatomia Os ossos são revestidos externa e internamente por membranas conjuntivas que possuem células osteogênicas: Periósteo e Endósteo Osso compacto (não possui cavidades visíveis) ou esponjoso (cavidades

Leia mais

Fraturas no Idoso. Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril

Fraturas no Idoso. Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril Fraturas no Idoso Pontifícia Universidade Católica do Paraná HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU Grupo de Cirurgia do Quadril Dr. Ademir Schuroff Dr. Marco Pedroni Dr. Mark Deeke Dr. Josiano Valério Fraturas

Leia mais

Reunião de casos clínicos

Reunião de casos clínicos Reunião de casos clínicos RM Dr Ênio Tadashi Setogutti Dr Gustavo Jardim Dalle Grave Março 2013 CASO CLINICO - 1 Paciente sexo feminino, 52 anos, HIV +, com dor intensa em região lombar, dificuldade para

Leia mais

Patologias do sistema musculoesquelético: achados de imagem

Patologias do sistema musculoesquelético: achados de imagem Patologias do sistema musculoesquelético: achados de imagem Neysa Aparecida Tinoco Regattieri 1 Rainer Guilherme Haetinger 2 1 INTRODUÇÃO As modalidades diagnósticas utilizadas para o estudo do sistema

Leia mais

[251] 114. AVALIAÇÃO SISTEMÁTICA DE RADIOGRAFIAS DO TÓRAX

[251] 114. AVALIAÇÃO SISTEMÁTICA DE RADIOGRAFIAS DO TÓRAX [251] 114. AVALIAÇÃO SISTEMÁTICA DE RADIOGRAFIAS DO TÓRAX a. CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS Exposição A aquisição adequada da radiografia de tórax é mais difícil que a de outras partes do corpo devido ao contraste

Leia mais

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA EB 23S DE CAMINHA CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA ESTUDO DO MOVIMENTO HISTOLOGIA 2011/12 PROFESSOR PEDRO CÂMARA FUNÇÕES FUNÇÕES DOS S MECÂNICA SUPORTE DUREZA ARQUITECTURA INTERNA MOVIMENTO

Leia mais

APMVEAC Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia Programa de Controle da DISPLASIA DA ANCA

APMVEAC Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia Programa de Controle da DISPLASIA DA ANCA APMVEAC Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia Programa de Controle da DISPLASIA DA ANCA Regras para submissão das radiografias Preços de leitura das radiografias

Leia mais

04/06/2012 INTRODUÇÃO À RAGIOLOGIA SIMPLES DO TÓRAX. Dante L. Escuissato RADIOGRAFIAS DO TÓRAX INCIDÊNCIAS: FRONTAL (PA) PERFIL TÓRAX

04/06/2012 INTRODUÇÃO À RAGIOLOGIA SIMPLES DO TÓRAX. Dante L. Escuissato RADIOGRAFIAS DO TÓRAX INCIDÊNCIAS: FRONTAL (PA) PERFIL TÓRAX INTRODUÇÃO À RAGIOLOGIA SIMPLES DO TÓRAX Dante L. Escuissato RADIOGRAFIAS DO TÓRAX INCIDÊNCIAS: FRONTAL (PA) PERFIL TÓRAX 1 RADIOGRAFIAS AS RADIOGRAFIAS APRESENTAM 4 DENSIDADES BÁSICAS: AR: traquéia, pulmões,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM LOMBALGIA EPIDEMIOLOGIA 65-80% da população, em alguma fase da vida, terá dor nas costas. 30-50% das queixas reumáticas

Leia mais

Existem algumas enfermidades ósseas de causas desconhecidas, ou ainda, não muito bem definidas. Dentre essas, vale ressaltar:

Existem algumas enfermidades ósseas de causas desconhecidas, ou ainda, não muito bem definidas. Dentre essas, vale ressaltar: Radiologia das afecções ósseas II Existem algumas enfermidades ósseas de causas desconhecidas, ou ainda, não muito bem definidas. Dentre essas, vale ressaltar: Osteodistrofia Hipertrófica Outras enfermidades

Leia mais

DENSIDADE. Aspecto Anatômico

DENSIDADE. Aspecto Anatômico Prof André Montillo O Fator Determinante para Definir uma Imagem DENSIDADE São as Variadas Densidades dos Tecidos Orgânicos que Reproduzem as Diferentes Imagens nos Exames por Imagem Aspecto Anatômico

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

Banco de imagens Aparelho locomotor Semiologia Médica II. Espondilite Anquilosante

Banco de imagens Aparelho locomotor Semiologia Médica II. Espondilite Anquilosante Banco de imagens Aparelho locomotor Semiologia Médica II Espondilite Anquilosante Espondilite Anquilosante É uma doença de caráter inflamatório, crônico e progressivo que afeta primariamente as articulações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS UnB/CESPE INCA A respeito do carcinoma basocelular, julgue os itens a seguir. Com relação aos melanomas, julgue os itens subsequentes. 41 O carcinoma basocelular é um tumor nevoide

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Prof. Esp. Bruno Gonzaga

SISTEMA ESQUELÉTICO. Prof. Esp. Bruno Gonzaga SISTEMA ESQUELÉTICO Prof. Esp. Bruno Gonzaga CONSIDERAÇÕES GERAIS 2 Nosso aparelho locomotor é constituído pelos sistemas muscular, ósseo e articular. Eles possuem 656 músculos e 206 ossos e têm como função

Leia mais

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Prof André Montillo Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Lesões do Joelho: Lesões de Partes Moles: Lesão Meniscal: Medial e Lateral Lesão Ligamentar: o Ligamentos Cruzados: Anterior e Posterior o

Leia mais

SÔBRE LESÕES PAGETOIDES DO TECIDO ÓSSEO NA LEPRA

SÔBRE LESÕES PAGETOIDES DO TECIDO ÓSSEO NA LEPRA (Trabalho da Sencção de Anatomia PatoIógica do Instituto Conde de Lara, São Paulo, Brasil. Diretor: Prof. Walter Büngeler) SÔBRE LESÕES PAGETOIDES DO TECIDO ÓSSEO NA LEPRA PAULO RATH DE SOUSA Por determinação

Leia mais

Osteoporose. Definição de osteoporose. A mais nova NIH Consensus Conference

Osteoporose. Definição de osteoporose. A mais nova NIH Consensus Conference Osteoporose Normal Bone Osteoporotic Bone Definição de osteoporose A velha para distinguir osteoporose de osteomalácia: uma quantidade reduziadade osssoque é qualitativamente normal A nova Introduz o conceito

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS DA AERONÁUTICA (CAMAR 2013) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

COMANDO DA AERONÁUTICA EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS DA AERONÁUTICA (CAMAR 2013) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. COMANDO DA AERONÁUTICA VERSÃO B EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS DA AERONÁUTICA (CAMAR 2013) ESPECIALIDADE: ORTOPEDIA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Este caderno contém 01

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. REQUISITOS MÍNIMOS DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM REUMATOLOGIA (R1 e R2) PRÉ REQUISITOS: 02 anos de Residência em Clínica Médica DURAÇÃO DO PROGRAMA: 02 anos INTRODUÇÃO A Reumatologia é uma especialidade

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

Tumores mamários em cadelas

Tumores mamários em cadelas Novos Exames Estamos colocando a disposição de todos o Teste de Estimulação ao ACTH que é usado para identificar e acompanhar o tratamento do hipoadenocorticismo e hiperadrenocorticismo em cães e gatos.

Leia mais

Serviço de Diagnóstico por Imagem serviço de ultrassonografia e radiologia

Serviço de Diagnóstico por Imagem serviço de ultrassonografia e radiologia TÍTULO Serviço de Diagnóstico por Imagem serviço de ultrassonografia e radiologia AUTORES NUNES, H.R. 1 ; BRAGATO, N. 2 ; PÁDUA, F.M.O².; BORGES, N.C.³. PALAVRAS-CHAVE Diagnóstico por imagem, exame complementar,

Leia mais

DISCOESPONDILITE EM CÃO (Canis familiaris)

DISCOESPONDILITE EM CÃO (Canis familiaris) REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE M EDICINA V ETERINÁRIA E Z OOTECNIA DE G ARÇA/FAMED A NO III, NÚMERO, 06, JANEIRO DE 2006.

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Anhanguera - Uniderp

Anhanguera - Uniderp Anhanguera - Uniderp CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A SELEÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICO- VETERINÁRIA - PRMV R1 / TURMA 2012 ÁREA DE CLÍNICA E CIRURGIA DE GRANDES ANIMAIS 1. Distúrbios locomotores de

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A

Leia mais

Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO

Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO TUMORES ODONTOGÊNICOS Tumores odontogênicos - grupo de doenças heterogêneas que vão desde hamartomas ou proliferação de tecido não neoplásico a neoplasias

Leia mais

Atresia... TRANSTORNOS DO CRESCIMENTO E DA DIFERENCIAÇÃO CELULAR. Agenesia, aplasia, atresia e hipoplasia

Atresia... TRANSTORNOS DO CRESCIMENTO E DA DIFERENCIAÇÃO CELULAR. Agenesia, aplasia, atresia e hipoplasia PATOLOGIA GERAL CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO CELULAR VETERINÁRIA INDISPENSÁVEIS PARA OS SERES VIVOS CRESCIMENTO - multiplicação celular formação normal dos organismos e reposição TRANSTORNOS DO CRESCIMENTO

Leia mais

Patologias dos membros inferiores

Patologias dos membros inferiores Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias dos membros inferiores Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Doenças do quadril Doenças do joelho Doenças do pé e tornozelo Introdução Doenças

Leia mais

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL. Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL. Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13 DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13 Doença Inflamatória Intestinal Acometimento inflamatório crônico do TGI. Mulheres > homens. Pacientes jovens (± 20 anos). Doença

Leia mais

COLUNA VERTEBRAL II TORRE DE PISA (ITÁLIA)

COLUNA VERTEBRAL II TORRE DE PISA (ITÁLIA) COLUNA VERTEBRAL II TORRE DE PISA (ITÁLIA) Havaí AP PERFIL EXTENSÃO FLEXÃO AP PERFIL SAGITAL FRONTAL AXIAL ALTERADO NORMAL NEUTRA FLEXÃO EXTENSÃO ALTA SENSIBILIDADE BAIXA ESPECIFICIDADE ÚTIL NA AVALIAÇÃO

Leia mais

16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho

16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho 16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho Enunciado Paciente do sexo masculino, 15 anos, previamente hígido, iniciou com quadro de dor e edema na região distal da coxa direita há três meses, que evoluiu

Leia mais

OSTEOLOGIA. Osteon osso Logus estudo

OSTEOLOGIA. Osteon osso Logus estudo OSTEOLOGIA Osteon osso Logus estudo Osso Estruturas rígidas e esbranquiçadas que participam da formação do esqueleto Esqueleto Conjunto de ossos e tecido cartilaginoso unidos entre si que dão conformação

Leia mais

ANATOMIA DO TÓRAX POR IMAGEM. Prof. Dante L. Escuissato

ANATOMIA DO TÓRAX POR IMAGEM. Prof. Dante L. Escuissato ANATOMIA DO TÓRAX POR IMAGEM Prof. Dante L. Escuissato Figura 1. O tórax é composto por um conjunto de estruturas que pode ser dividido em parede torácica, espaços pleurais, pulmões, hilos pulmonares e

Leia mais

Caso Clínico 30 de Novembro de 2005 Olga Vaz

Caso Clínico 30 de Novembro de 2005 Olga Vaz Caso Clínico 30 de Novembro de 2005 Olga Vaz Serviço de Imagiologia dos H.U.C. História Clínica J.L.O.C. Sexo: Masculino Idade: 42 anos Raça: Caucasiana Natural e residente: Coimbra Profissão: motorista

Leia mais

AMERICAN THORACIC SOCIETY(ATS)

AMERICAN THORACIC SOCIETY(ATS) LINFONODOS A capacidade de reconhecer linfonodos normais, assim como os anormais, na TC esta diretamente relacionada com a quantidade de tecido adiposo mediastinal presente. Os linfonodos aparecem com

Leia mais

OSTEOPOROSE VS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS USANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA QUANTITATIVA

OSTEOPOROSE VS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS USANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA QUANTITATIVA Universidade do Minho Escola de Engenharia OSTEOPOROSE VS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS USANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA QUANTITATIVA José Artur Rodrigues Nº 55574 Orientador: Prof. Higino Correia Mestrado

Leia mais

Índice CUIDADOS PRIMÁRIOS EM ORTOPEDIA CAPÍTULO 1

Índice CUIDADOS PRIMÁRIOS EM ORTOPEDIA CAPÍTULO 1 Índice CUIDADOS PRIMÁRIOS EM ORTOPEDIA CAPÍTULO 1 Coluna Cervical, 1 Anatomia, 1 Estrutura Óssea, 1 Nervos Cervicais e Função Neurológica, 3 Musculatura e Estrutura dos Tecidos Moles, 4 Exame da Coluna

Leia mais

Sinovite transitória do quadril. Osteomielite. Dr Marcio Cunha

Sinovite transitória do quadril. Osteomielite. Dr Marcio Cunha Sinovite transitória do quadril Artrite séptica Osteomielite Dr Marcio Cunha Sinovite transitória do Quadril É a principal causa de claudicação na criança! Principal diagnóstico diferencial para artrite

Leia mais

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011 Agenda Medicina Nuclear Endocrinologia Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com O objetivo desta aula é abordar a Medicina nuclear em endocrinologia (notadamente aplicações Câncer de Tireóide).

Leia mais

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP

Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Curso AO Avançado 25-28/agosto/2010, Ribeirão Preto - SP Quarta-feira, 25 de agosto Grupo A Quarta-feira, 25 de agosto Grupo B 13:30-13:40 Abertura Moderador: R. Canto Apresentação do Curso e dos instrutores

Leia mais

DOENÇAS ÓSSEAS. M. Cristina Marques Fac. Farmácia de Lisboa

DOENÇAS ÓSSEAS. M. Cristina Marques Fac. Farmácia de Lisboa DOENÇAS ÓSSEAS M. Cristina Marques Fac. Farmácia de Lisboa 2007 BALANÇO DO CÁLCIO HORMONAS QUE CONTROLAM A CALCÉMIA SÍNTESE DE VITAMINA D RESPOSTAS À HIPOCALCÉMIA RESPOSTAS À HIPERCALCÉMIA HIPERCALCÉMIA

Leia mais

UNIDADE DO TRAUMA ORTOPÉDICO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

UNIDADE DO TRAUMA ORTOPÉDICO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Hospital Universitário Miguel Riet Corrêa - Rua Visconde de Paranaguá, 102 Rio Grande, RS CEP 96200/190 Telefone: (53)3233

Leia mais

SISTEMA ÓSSEO OSSOS OSSOS 04/05/2017 RADIOGRAFIA ESTRUTURA OSSO LONGO

SISTEMA ÓSSEO OSSOS OSSOS 04/05/2017 RADIOGRAFIA ESTRUTURA OSSO LONGO OSSOS SISTEMA ÓSSEO Profa. Dra. Juliana Peloi Vides Constituído por cálcio e fósforo Relativamente denso facilmente observado ao exame radiográfico Desenvolvimento: ossificação endocondral ossificação

Leia mais

Perda da uniformidade nas células e desarranjo estrutural tecidual

Perda da uniformidade nas células e desarranjo estrutural tecidual .Leucoplasia: (grego: leuco = branco - plasis = formação) Transformação metaplásica do epitélio escamoso estratificado não ceratinizado consistindo em aumento das camadas de ceratina. Exemplos: mucosa

Leia mais

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Anatomia Atlas Axis Anatomia AP Perfil Mecanismo de Trauma Trauma axial em flexão Trauma axial - neutro Fraturas do Côndilo Occipital Os côndilos occipitais são

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Osteomielite Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 15/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização: 1.

Leia mais

APARELHO LOCOMOTOR. sistema esquelético, sistema muscular, sistema articular

APARELHO LOCOMOTOR. sistema esquelético, sistema muscular, sistema articular Aparelho locomotor APARELHO LOCOMOTOR APARELHO LOCOMOTOR sistema esquelético, sistema muscular, sistema articular APARELHO LOCOMOTOR SISTEMA ESQUELÉTICO Ossos são órgãos esbranquiçados, muito duros, que

Leia mais

Insuficiência de Vitamina D desafio diagnóstico!!!

Insuficiência de Vitamina D desafio diagnóstico!!! E2- Denise D. Lima Fev/2011 Caso Clínico Mulher, 61 anos, saudável Avaliação de saúde óssea Dosagem de Vit D (25 hidroxivitamina D)= 21 ng/ml Sem história de fraturas, nem histórico familiar de fratura

Leia mais

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc 1 TRM Traumatismo Raqui- Medular Lesão Traumática da raqui(coluna) e medula espinal resultando algum grau de comprometimento temporário ou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS - PB HOSPITAL VETERINÁRIO PROCESSO SELETIVO PARA PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu RESIDÊNCIA MÉDICA VETERINÁRIA DIA - 30/11/2014

Leia mais

DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL

DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL A coluna cervical é o elo flexível entre a plataforma sensorial do crânio

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais