1- ESTUDO DESIGN PARA A COMPETITIVIDADE 2 PROJETOS DESENVOLVIDOS PELO PROGRAMA BRASILEIRO DO DESIGN 1995/ PERSPECTIVAS PARA 2003

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1- ESTUDO DESIGN PARA A COMPETITIVIDADE 2 PROJETOS DESENVOLVIDOS PELO PROGRAMA BRASILEIRO DO DESIGN 1995/2002 3 PERSPECTIVAS PARA 2003"

Transcrição

1 1- ESTUDO DESIGN PARA A COMPETITIVIDADE 2 PROJETOS DESENVOLVIDOS PELO PROGRAMA BRASILEIRO DO DESIGN 1995/ PERSPECTIVAS PARA 2003

2 ESTUDO DESIGN PARA A COMPETITIVIDADE Japão Alemanha Canadá Reino Unido México Espanha Coréia Áustria Taiwan Dinamarc a Portugal Holanda França Malásia Colômbia

3 DESIGN - Objetivos Principais das Políticas dos Diferentes Países Reino Unido aumentar a competitividade no cenário globalizado e divulgar imagem de excelência internacional em inovação e design Alemanha implementar e promover medidas visando assegurar design de alta qualidade aos produtos e serviços alemães Áustria conscientizar e intensificar a cooperação entre agentes visando o bom design, a diferenciação do produto e o aumento da competitividade Holanda aumentar a qualidade do design e estimular o interesse e o debate na área

4 DESIGN - Objetivos Principais das Políticas dos Diferentes Países França favorecer a integração do design em todos os níveis das empresas Espanha facilitar a incorporação do dsign nas PMEs, para elevar o design, qualidade e imagem dos produtos e aumentar a competitividade interna e externa Portugal promover o aproveitamento dos recursos do design para a modernização e desenvolvimento do tecido industrial, na concepção, produto e embalagem Noruega promover o uso do design no desenvolvimento de produtos e de imagem, objetivando aumentar a competitividade e lucratividade da indústria

5 DESIGN - Objetivos Principais das Políticas dos Diferentes Países Dinamarca promoção do bom design industrial visando contribuir para a competitividade dos produtos e para aumentar as exportações Japão reestruturação e consolidação do setor de design colocado como chave na inauguração da nova era econômica do século 21 Coréia aumentar a competitividade, melhorar a qualidade e a imagem dos produtos, das empresas e do país Taiwan aumentar a competitividade e melhorar a qualidade e a imagem dos produtos, das empresas e do país

6 DESIGN - Objetivos Principais das Políticas dos Diferentes Países Malásia aumentar a competitividade internacional, melhorar a capacidade das empresas e apoiar a educação profissionalizante Canadá promover o design como recurso que agrega valor e aumenta a competitividade dos produtos e serviços EUA competir através do design, incentivando a colaboração entre produtores, designers e investidores em áreas-chaves à inovação Colômbia contribuir para aumentar a qualidade e competitividade dos produtos Austrália posicionar o design como disciplina estratégica e essencial para o futuro industrial e comercial

7 DESIGN - SLOGANS E FRASES PROMOCIONAIS NOS DIFERENTES PAÍSES Design makes the difference Reino Unido It takes talent to buy talent Dinamarca Design means identity, identity means image, image means success Áustria To know or to be known Canadá Competing by design Austrália

8 DESIGN - SLOGANS E FRASES PROMOCIONAIS NOS DIFERENTES PAÍSES Very well made in Taiwan Taiwan Setor-chave para uma nova era econômica e social Japão Design, um recurso nacional EUA Design é lucrativo para a indústria Noruega Atalho para a competitividade no século 21 Coréia

9 PBD ESTRUTURA INICIAL COMITÊ EXECUTIVO: Comércio Presidido Pelo Ministro da Indústria e SUBPROGRAMAS GERAIS I- CONSCIENTIZAÇÃO E PROMOÇÃO II INFORMAÇÃO E PROTEÇÃO LEGAL III CAPACITAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS IV FORTALECIMENTO DA INFRA-ESTRUTURA PARA O DESIGN V ARTICULAÇÃO E FOMENTO

10 RETROSPECTIVA Lançamento do Programa Brasileiro do Design Instituição do Comitê Executivo do PBD - Exposição: O Brasil Mostra sua Marca Concurso da Logomarca do PBD; - Estudo: "Design para a Competitividade" Recomendações para a Política Industrial no Brasil CNI/CNPq - Seminário Internacional Design Transferência de Tecnologia e Proteção legal CNI/ FIESP/SEBRAE - Catálogo de Prêmios em Design -FIESP - Lançamento do Programa Design Moveleiro- ABIMOVEL - Prêmio CNI Gestão do Design.

11 RETROSPECTIVA Publicação Manual de Design Estratégico - Lançamento dos Programas Design Cerâmico, Design Têxtil, Design Gemas e Jóias - 1ª Edição do Prêmio Ecodesign - I Prêmio Nacional de Design do Mobiliário - Prêmio Nacional Madeiras da Amazônia, Móveis e Design - 1ª Edição da Agenda Design Brasil.

12 RETROSPECTIVA Projeto Vitrine Design dos Setores Cerâmico Gemas e Jóias e de Embalagem - 2ª Edição do Prêmio CNI de Gestão do Design Vencedores: Mercedes Benz, Amsterdam Sauer e Universum Móveis - Cartilha: "A importância do design na sua Empresa - Pesquisa "O Estágio Atual da Gestão do Design - 2º Salão Design Brasil - Promoção da Marca Brasil-Exposição de 70 produtos com design desenvolvido no Brasil durante o Seminário Mercosul de Design - 2ª Edição da Agenda Design Brasil/98 - Lançamento do Programa Design Calçados

13 RETROSPECTIVA Seminários de difusão do design - Publicações: "O Design e sua Proteção Legal" "Transferência de Tecnologia e Proteção Legal "Materiais e Design" - Cursos de pós-graduação em design, voltados para os setores de mobiliário, cerâmico, gemas e jóias, software - PROMÓVEL Infra-estrutura - Implantados 12 núcleos setoriais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pernambuco, Minas Gerais, Brasília e Rio Grande do Sul - Dia Nacional do Design - 5 de novembro (Instituído pelo Presidente da República)

14 RETROSPECTIVA Estudo sobre a Capacitação de Recursos Humanos em Design - Implantação do Instituto de Design-Fashion Design - Estudos: "O mercado Norte-Americano de Móveis - Guia de Informação - Design ( Mercosul) - Casa ABIMÓVEL na FENAVEM - Prêmio Nacional de Design do Mobiliário - Inserção do Programa no PPA (Plano Plurianual) - Sydney Design 99 Participação: International Council Society of Industrial Design, ICSID (design de produto), ICOGRADA (design gráfico) e IF(design de arquitetura de interiores).

15 RETROSPECTIVA Seminário "Design & Exportação - Lançamento da 1ª Etapa da Rede Design Brasil - PROMÓVEL- Implantação do Projeto Piloto dos Núcleos de Desenvolvimento de Design - NDD do Setor Moveleiro - 1º Congresso Nacional de Design e Tecnologia para o Setor Moveleiro - Prêmios: IBGM, CNI-Gestão do Design, Ecodesign,II Salão Design Movelsul 2ª Semana ABRE de Design 2001 Convênio MDIC/SENAI/SEBRAE - Oficinas de design - 15 pólos estão sendo atendidos trabalhando com 10 empresas em cada Workshop de design com foco em tendências - 50 pólos serão atendidos

16 RETROSPECTIVA 2001 Prêmios CNI,ABIMOVEL, ECODESIGN, ABRE - 3ª Semana ABRE Design de Embalagem - Objeto Brasil publicação Artesanato Design-processo Contínuo - Seminário Design Brasil Realinhamento estratégico workshop Caminhos do Design Brasileiro-Estratégias Para Agregar Valor ao Produto Nacional - Publicação de Estudos de Tendências em Design para os setores produtivos de móveis, couro e calçados, têxtil e confecções 50 workshops nos polos produtivos -Programa Via Design - Edital dos Núcleos do SEBRAE R$ 20 milhões

17 RETROSPECTIVA 2002 Tecnologia Industrial Básica-Edital TIB/MCT infraestrutura de serviços tecnológicos R$ 3 milhões - Continuidade das Oficinas de design - Prêmios CNI, IBGM, Ecodesign, VII Salão Design Movelsul, ABRE - 4ª Semana ABRE Design de Embalagem Centro de Design Núcleo de Inovação em Design, Núcleo de Inovação Design/Artesanato e Projeto Integrado

18 PERSPECTIVAS 2003

19 PERSPECTIVAS REDE DESIGN BRASIL EMPRESAS ESCOLAS ENTIDADES

20 PERSPECTIVAS INCENTIVO À PARTICIPAÇÀO BRASILEIRA EM PRÊMIOS INTERNACIONAIS DE DESIGN 3- PROGRAMA VIA DESIGN (SEBRAE) 27 NÚCLEOS REGIONAIS POLOS LOCAIS ARTESANATO DESIGN MOVELEIRO MODA ETC.

21 PERSPECTIVAS PROJETOS EM POLOS PRODUTIVOS SETORIAIS : DESIGN, MARCA E PROMOÇÃO COMERCIAL 5- ESTUDOS PROSPECTIVOS DE MERCADOS E ANÁLISE DE TENDÊNCIAS EM DESIGN

22 PERSPECTIVAS INTEGRAÇÃO E FORTALECIMENTO DA INFRAESTRUTURA PARA O DESIGN - Tecnologia Industrial Básica-Edital TIB/MCT R$ 1,5 milhões 7- I ENCONTRO ÍTALO-BRASILEIRO EM DESIGN COMO RECURSO ESTRATÉGICO

Histórico do Programa Brasileiro do Design

Histórico do Programa Brasileiro do Design Histórico do Programa Brasileiro do Design 1995 Lançamento do Programa Brasileiro do Design; Exposição: "O Brasil Mostra sua Marca". 1996 Concurso da Logomarca do PBD; Estudo: "Design para a Competitividade".

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

CAMINHOS DO DESIGN BRASILEIRO

CAMINHOS DO DESIGN BRASILEIRO CAMINHOS DO DESIGN BRASILEIRO estratégias para agregar valor ao produto nacional 1 A. INTRODUÇÃO Nos dias 2 e 3 de outubro de 2002, foi realizado um encontro para o alinhamento estratégico do Programa

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

Relatório Geral. Abril - 2015

Relatório Geral. Abril - 2015 Relatório Geral Abril - 015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL DE HPPC Objetivo Promover o desenvolvimento das empresas do setor de HPPC de forma sustentável, por meio da gestão e difusão de conhecimento,

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins

Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins O CTCCA - Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, localizada na cidade de Novo Hamburgo/RS, que

Leia mais

Coordenação Sistêmica de Formação e Qualificação Profissional A qualificação abre as portas da inovação.

Coordenação Sistêmica de Formação e Qualificação Profissional A qualificação abre as portas da inovação. Coordenação Sistêmica de Formação e Qualificação Profissional A qualificação abre as portas da inovação. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria de Inovação Secretaria

Leia mais

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Projeto de Apoio a Inserção Internacional de MPE s Brasileiras Calçadistas do APL de São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Identificar OBJETIVOS DA AÇÃO e solucionar gargalos na gestão das empresas, principalmente

Leia mais

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação São Paulo 05.11.2010 Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho = destaques para novas

Leia mais

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM Perspectivas para o setor de TI BM&F Bovespa 26 de junho de 2013 BRASSCOM Associados BRASSCOM 1 Mercado Mundial de TI Crescimento Mercado TI BRASIL (2012/2011) 10,8% Crescimento Mercado TI Mundo (2012/2011)

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

AMCHAM e a Internacionalização de empresas

AMCHAM e a Internacionalização de empresas Defensores da livre iniciativa Representatividade multisetorial e nacional Amplo e diferenciado conteúdo Estabelecer a competitividade de longo prazo Fortalecimento dos canais de influência AMCHAM e a

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

Agenda de Políticas para Inovação. Brasília, 14 de fevereiro de 2013

Agenda de Políticas para Inovação. Brasília, 14 de fevereiro de 2013 Agenda de Políticas para Inovação Brasília, 14 de fevereiro de 2013 Recursos Humanos para Inovação Horácio Lafer Piva - Klabin A Agenda Promover uma mudança no ensino brasileiro com direcionamento claro

Leia mais

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC) está coordenando a elaboração do Plano Estadual de Cultura, a partir do diálogo

Leia mais

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Inovação, Regulação e Certificação I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde São Paulo 11/04/2012 ABDI Criada pelo Governo Federal em 2004 Objetivo Objetivos Desenvolver ações

Leia mais

35ª Reunião do CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA

35ª Reunião do CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA 35ª Reunião do CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA Brasília, 22 de outubro de 2013 Convênio SENAC-SP - curso de formação do Sommelier especializado em Cachaças Capacitar Sommeliers com ênfase

Leia mais

A Inovação nas Micro e Pequenas Empresas. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br

A Inovação nas Micro e Pequenas Empresas. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br A Inovação nas Micro e Pequenas Empresas O Brasileiro é Empreendedor Fonte:GEM 2010 O Brasileiro é Empreendedor Dados Oficiais Público-Alvo POTENCIAL do Sebrae 22,9 milhões de empreendedores 23% da PEA

Leia mais

Políticas Públicas para Faixa de Fronteira Desenvolvimento Sustentável e o apoio aos Pequenos Negócios

Políticas Públicas para Faixa de Fronteira Desenvolvimento Sustentável e o apoio aos Pequenos Negócios Políticas Públicas para Faixa de Fronteira Desenvolvimento Sustentável e o apoio aos Pequenos Negócios Foz do Iguaçu PR 30 de maio de 2014 Força das Pequenas Empresas 8,7 Milhões optantes no Simples 4

Leia mais

Exportação de Software e Serviços de TICs. Panorama e Oportunidades

Exportação de Software e Serviços de TICs. Panorama e Oportunidades Exportação de Software e Serviços de TICs Panorama e Oportunidades Brasília, Novembro de 2008 André Limp Gestor de Projetos - Tecnologia MERCADOS DESENVOLVIDOS Sistema financeiro Seguradoras Gestão de

Leia mais

PALESTRA IBGM Rodada Temática de Design Apex Brasil São Paulo, 17 maio 2010

PALESTRA IBGM Rodada Temática de Design Apex Brasil São Paulo, 17 maio 2010 PALESTRA IBGM Rodada Temática de Design Apex Brasil São Paulo, 17 maio 2010 DESIGN COMO DIFERENCIAL NA EXPORTAÇÃO : O CASO DO IBGM PRINCIPAIS INSTRUMENTOS : Caderno de Tendências / Preview / Fontes de

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA

PROGRAMA BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA VII WORKSHOP INTERNACIONAL DE AC DO INMETRO PROGRAMA BRASILEIRO DE AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA Elizabeth Cavalcanti Rio de Janeiro 15 de maio de 2012 PBACV: OBJETIVO Estabelecer diretrizes, no âmbito do

Leia mais

AÇÕES INTEGRADAS Inovação e tecnologia Sistema Indústria incentiva projetos de inovação 4

AÇÕES INTEGRADAS Inovação e tecnologia Sistema Indústria incentiva projetos de inovação 4 AÇÕES INTEGRADAS Inovação e tecnologia Sistema Indústria incentiva projetos de inovação 4 IEL Nova gestão Diretor-geral projeta crescimento do Instituto 8 Curso BSC Capacitação abrange mais de 700 funcionários

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS 1 Madeira e Móveis Estratégias: conquista de mercados, focalização, diferenciação e ampliação do acesso Objetivos:

Leia mais

UGE UNIDADE DE GESTÃO ESTRATÉGICA

UGE UNIDADE DE GESTÃO ESTRATÉGICA PLANO PLURIANUAL 2010 2012 Brasília, outubro de 2009. ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO DO SEBRAE/DF CENÁRIO DE RECURSOS DO SEBRAE/DF RESUMO DE RECEITA LIMITES ORÇAMENTÁRIOS RESUMO POR TIPOLOGIA CARTEIRA DE PROJETO

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Brasília 22 de março o de 2009 Inovação Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas 29 abril 2014 Fundamentação Lei da Inovação Nº 10.973, 02 Dez 2004 Regulamentada pelo Decreto Nº 5.563, 11 Out 2005 Artigo 20, do Decreto Nº

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Chamada Pública MCTI/FINEP - AT - PRÓ-INOVA. Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação - 11/2010

Chamada Pública MCTI/FINEP - AT - PRÓ-INOVA. Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação - 11/2010 NAGI Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação Chamada Pública MCTI/FINEP - AT - PRÓ-INOVA Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação - 11/2010 Objetivo Estruturação e operação de Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação

Leia mais

BRANDING BRAZILIAN FOOTWEAR COORDENAÇÃO:

BRANDING BRAZILIAN FOOTWEAR COORDENAÇÃO: BRANDING BRAZILIAN FOOTWEAR COORDENAÇÃO: PONTOS DE DIFERENÇA BRANDING ABORDAGEM E DISSEMINAÇÃO AGENDA BRANDING ABORDAGEM O QUE É BRANDING? WORKSHOPS (8 HORAS) 01 outubro 2009 Birigui/ SP 02 outubro 2009

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SETORIAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA AMBIENTE EXTERNO WORKSHOP APRESENTAÇÃO PES AMBIENTE

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS 1 Setor de Brinquedos Estratégias: Ampliação de Acesso e Conquista de Mercado Objetivos: 1 - Aumentar a competitividade; 2 - consolidar o

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Integração Produtiva MERCOSUL

Integração Produtiva MERCOSUL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria do Desenvolvimento da Produção Integração Produtiva MERCOSUL XLV Reunião Ordinária de Coordenadores Nacionais FCCR O tema Integração

Leia mais

REPRESENTAÇÃO REGIONAL DO MCT NO NORDESTE ReNE ORIGEM E PRINCIPAIS AÇÕES

REPRESENTAÇÃO REGIONAL DO MCT NO NORDESTE ReNE ORIGEM E PRINCIPAIS AÇÕES REPRESENTAÇÃO REGIONAL DO MCT NO NORDESTE ReNE ORIGEM E PRINCIPAIS AÇÕES PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CONSELHO CONSULTIVO IVON FITTIPALDI CONSECTI, FORTALEZA AGOSTO 2010 1 ORIGEM DECRETO Nº 5.886 DE 06 DE

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

WP WGFA 2/06 Add. 1 Rev. 1

WP WGFA 2/06 Add. 1 Rev. 1 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café WP WGFA 2/06 Add. 1 Rev. 1 10 janeiro 2007 Original: inglês P

Leia mais

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014

MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014 MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014 MAPA ESTRATÉGICO DO COMÉRCIO EXTERIOR CATARINENSE FLORIANÓPOLIS, 11/12/2014 Focos estratégicos Diversificação e agregação de

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Dimensões do PBM Oportunidades Desafios Sistema de Gestão Desdobramento do Plano Brasil Maior na Política de Arranjos Produtivos

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Fórum do Planalto 03/07/2008 O momento e as tendências Fundamentos macroeconômicos em ordem Mercados de crédito e de capitais em expansão Aumento do emprego

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI:

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática - SEPIN outubro/2010 Agenda

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais

O melhor do Brasil para o mundo

O melhor do Brasil para o mundo O melhor do Brasil para o mundo Promoção das exportações de bens e serviços Promover a internacionalização das empresas Atração de investimentos estrangeiros diretos Promoção da Marca Brasil PRINCIPAIS

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO O contexto da Globalização Actuação Transversal Aposta no reforço dos factores dinâmicos de competitividade Objectivos e Orientações Estratégicas para a Inovação Estruturação

Leia mais

Programa de Atração de Investimentos

Programa de Atração de Investimentos 1 Programa de Atração de Investimentos Oficina de Trabalho da RENAI - Rede Nacional de Informação sobre o Investimento Brasília, 08 de Junho de. Antecedentes 2 O Governo Brasileiro quer dar prioridade

Leia mais

Objetivos do Programa

Objetivos do Programa UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Objetivos do Programa Oferecer 100 mil bolsas de estudo no exterior para que nossos mais talentosos estudantes de graduação,

Leia mais

Convênio FIESP/SEBRAE. APL de Jóias de São José do Rio Preto

Convênio FIESP/SEBRAE. APL de Jóias de São José do Rio Preto Convênio FIESP/SEBRAE APL de Jóias de São José do Rio Preto Rio de Janeiro - Outubro, 2004 1 Metodologia FIESP 2 Objetivos: Micros e Pequenas Empresas Aumentar a Competitividade Criar Processos de Auto-Sustentação

Leia mais

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 SECT- AM: Missão e Diretrizes A SECT foi criada para formular e gerir políticas estaduais de C&T buscando articular os esforços os de fazer com que

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Programa Excelência na Gestão das Organizações de Software

Programa Excelência na Gestão das Organizações de Software Programa Excelência na Gestão das Organizações de Software EQPS Recife PE - 26 SET 05 Carlos Mathias Mota Varga CBM Tecnologia POLÍTICA DE SOFTWARE - QUALIDADE META DA POLÍTICA AUMENTAR A COMPETITIVIDADE

Leia mais

Instituto de Engenharia

Instituto de Engenharia Instituto de Engenharia Os Caminhos da Engenharia Brasileira A Engenharia como Principal Vetor para a Inovação e Competitividade Benedito G. Aguiar Neto Reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução

Leia mais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais 1ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Carlos Roberto Rocha Cavalcante Superintendente 2004 Histórico de Atuação do IEL 1969 -

Leia mais

A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior.

A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior. A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior. Ainda articula ações específicas na estruturação de cadeia produtivas

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: 25/05/2011

A Mobilização Empresarial pela Inovação: 25/05/2011 A Mobilização Empresarial pela Inovação: Desafios da Inovação no Brasil Rafael Lucchesi Rafael Lucchesi 25/05/2011 CNI e vários líderes empresariais fizeram um balanço crítico da agenda empresarial em

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015 IV Reunião das Administradoras de ZPE Brasília, 15 de abril de 2015 I. Atuação da RENAI Roteiro: II. Possibilidades de parceria RENAI - ZPEs Parte I RENAI O que é a RENAI? Rede Nacional de Informações

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

O BNDES e a Internacionalização das Empresas Brasileiras

O BNDES e a Internacionalização das Empresas Brasileiras O BNDES e a Internacionalização das Empresas Brasileiras Demian Fiocca Presidente do BNDES Apresentação no Seminário As Novas Multinacionais Brasileiras FIRJAN, Rio de Janeiro, 29 de maio de 2006 www.bndes.gov.br

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação da Finep São Paulo, 28/04/2009 O desenvolvimento das economias modernas demonstra o papel fundamental que, nesse processo, compete

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Pesquisa sobre Resíduos Sólidos. Agosto de 2014

Pesquisa sobre Resíduos Sólidos. Agosto de 2014 Pesquisa sobre Resíduos Sólidos Agosto de 2014 A Pesquisa OBJETIVO Conhecer o panorama atual e os desafios relativos à gestão dos resíduos sólidos na indústria do Brasil. Os resultados serão apresentados

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores.

O sucesso da política depende do forte comprometimento de cada um dos envolvidos no processo, de governo e empresas até consumidores. ECONOMIA - 19/08/14 BRIEFING DE POSICIONAMENTO SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS 1. CONTEXTO Posicionamento geral para quaisquer entrevistas realizadas no âmbito da terceira edição do projeto

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL Paulo Íris Ferreira SEMINÁRIO SOBRE PROPRIEDADE INDUSTRIAL E PEQUENAS

Leia mais

A Inovação. como Fator de Desenvolvimento das MPEs. Luiz Carlos Barboza. Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional. 27 de outubro 2009

A Inovação. como Fator de Desenvolvimento das MPEs. Luiz Carlos Barboza. Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional. 27 de outubro 2009 A Inovação como Fator de Desenvolvimento das MPEs Luiz Carlos Barboza Diretor-Técnico del SEBRAE Nacional 27 de outubro 2009 Ambiente Institucional Pro-inovaç inovação Fundos setoriais (16) estabilidade

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio AGENDA HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 07h00 Café da Manhã Restaurante Principal 08h45 Abertura Brasoftware Salão Tangará 10h00 Business Suite Salão Nobre 13h00

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto do Mercado de Carbono no Brasil Rio de Janeiro RJ, 09 de novembro de 2010 FINEP

Leia mais

Projeto 8: Conhecimento para Inovação. Universidade de Brasília LACIS/CDS/FAU

Projeto 8: Conhecimento para Inovação. Universidade de Brasília LACIS/CDS/FAU Projeto 8: Conhecimento para Inovação Universidade de Brasília LACIS/CDS/FAU CADEIA DE SUPRIMENTOS CADEIA PRINCIPAL OU DE PROCESSOS CADEIA AUXILIAR Indústria Cimento Complexidade da CPIC Indústria Cerâmica

Leia mais

Participação dos pequenos negócios na economia

Participação dos pequenos negócios na economia Sebraetec Participação dos pequenos negócios na economia Países Participação Empresas (%) Participação Emprego Participação Val. Adic. PIB Itália 99,4 68,50 55,60 Espanha 99 63,20 50,60 Portugal 99,3 65,20

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais