Manual prático de retenção na fonte

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual prático de retenção na fonte"

Transcrição

1 Manual prático de retenção na fonte imposto de renda, CIDE, csll, pis/cofins, inss e iss Manual pratico de retencao.indd 1 3/6/ :41:22

2 Manual pratico de retencao.indd 2 3/6/ :41:22

3 Manual prático de retenção na fonte imposto de renda, CIDE, csll, pis/cofins, inss e iss Contador e consultor tributário Pós-graduado em Gestão de Constroladoria, Auditoria e Tributos pela FGV MBA Executivo Internacional pela Ohio University Mariano Carneiro Advogado especialista em Direito Previdenciário Professor da APET Luís Fernando da Silva Sócio do Escritório Magalhães Peixoto Consultores e Advogados. Especialista em Direito Tributário e Empresarial. Professor e Membro do Conselho Científico da APET Associação Paulista de Direito Tributário. Adolpho Bergamini Advogado. Especialista em Direito Tributário pela PUC/SP-COGEAE e em Tributação do Setor Industrial pela FGV (GVlaw). Membro do Conselho Consultivo da Associação Paulista de Estudos Tributários APET e do Conselho Editorial da Revista de Direito Tributário da APET. Coordenador da Subcomissão de Direito Tributário e Financeiro da Comissão dos Novos Advogados do Instituto dos Advogados de São Paulo IASP. Manual pratico de retencao.indd 3 3/6/ :41:24

4 CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ M251 2.ed. Manual prático de retenção na fonte : imposto de renda, CIDE, CSLL, PIS/CONFINS, INSS e ISS /... [et al.]. - 2.ed. - São Paulo : MP Ed., Inclui bibliografia ISBN Tributos - Brasil - Manuais, guias, etc. 2. Direito tributário - Brasil - Manuais, guias, etc. I. Mendes, Wagner CDU: 34: Revisão Andrea Marques Camargo Capa e Editoração Denilson dos Santos Diretor responsável Marcelo Magalhães Peixoto Impressão e acabamento MP Gráfica Todos os direitos desta edição reservados à MP Editora 2008 Av. Brigadeiro Luís Antonio, 2482, 6º andar São Paulo Tel./Fax: (11) ISBN Manual pratico de retencao.indd 4 3/6/ :41:24

5 MANUAL PRÁTICO DE RETENÇÃO NA FONTE SUMÁRIO CAPÍTULO 1 IR FONTE Introdução Considerações gerais Fator gerador Fonte pagadora Responsabilidade pela retenção e recolhimento do imposto Espécies de Imposto de Renda na fonte Penalidade pela não retenção do imposto Dispensa de retenção Rendimentos do trabalho Trabalho assalariado no País (Código DARF 0561) Ausente no exterior a serviço do País (Código DARF 0561) Trabalho sem vínculo empregatício (Código DARF 0588) Rendimentos decorrentes da decisão da Justiça do Trabalho (Código DARF 5936) Resgates de previdência privada e FAPI (Código DARF 3223) Benefício ou resgate da previdência e FAPI (Código DARF 5565) Remuneração indireta (Código DARF 2063) Rendimentos de capital Juros sobre o capital próprio (Código DARF 5706) Aplicações financeiras de renda fixa, exceto em fundos e investimentos (Código DARF 3426) Aplicações financeiras de renda fixa: pessoas físicas, exceto em fundos de investimento (Código DARF 8053) Aplicações financeiras em fundos de investimento renda fixa (Código DARF 6800) Manual pratico de retencao.indd 5 3/6/ :41:24

6 IR FONTE 4.5. Aplicações financeiras em fundos de investimento: fundos de ações e fundos de investimento em quotas de fundos de ações (Código DARF 6813) Fundos de investimento imobiliário (Código DARF 5232) Fundos de investimento cultural e artístico (FICART) e demais rendimentos do capital (Código DARF 0924) Aluguéis, royalties e juros pagos à pessoa física (Código DARF 3208) Rendimentos de partes beneficiárias ou de fundador (Código DARF 3277) Operações de swap (Código DARF 5273) Operações Day trade (Código DARF 8468) Mercado de renda variável (Código DARF 5557) Serviços prestados por pessoas jurídicas Comissões e corretagens pagas a pessoa jurídica (Código DARF 8045) Serviços de propaganda prestados por pessoa jurídica (Código DARF 8045) Serviços pessoais prestados por associados de cooperativas de trabalho (Código DARF 3280) Remuneração de serviços profissionais prestados por pessoa jurídica (Código DARF 1708) Serviço de limpeza, conservação e locação prestado por pessoa jurídica (Código DARF 1708) Pagamentos de pessoa jurídica a pessoa jurídica por serviços de factoring (Código DARF 5944) Outros rendimentos Indenizações por danos morais (Código DARF 6904) Juros e indenizações por lucros cessantes (Código DARF 5204) Pagamentos a beneficiários não identificados (Código DARF 5217) Prêmios em bens e serviços (Código DARF 0916) Prêmios e sorteios em geral (Código DARF 0916) Prêmios de proprietários e criadores de cavalos de corrida (Código DARF 0916) Títulos de capitalização (Código DARF 0916) Jogos de bingo permanente ou eventual Prêmios em bens ou serviços (Código DARF 8673) Manual pratico de retencao.indd 6 3/6/ :41:24

7 MANUAL PRÁTICO DE RETENÇÃO NA FONTE 6.9. Jogos de bingo permanente ou eventual Prêmios em dinheiro (Código DARF 8673) Multas e vantagens (Código DARF 9385) Seguro de vida com cláusula de cobertura por sobrevivência (Código DARF 6891) Rendimentos decorrentes de decisão da Justiça Federal (Código DARF 5928) Ônus do imposto assumido pela fonte pagadora (Códigos DARF 0561, 0588, 1708 e 8045) Tabela prática de retenção na fonte Rendimentos de residentes ou domiciliados no exterior Royalties e pagamento de assistência técnica (Código DARF 0422) Rendimentos de aplicações em fundos de investimento de conversão de débitos externos (Código DARF 0490) Juros e comissões em geral (Código DARF 0481) Juros sobre o capital próprio (Código DARF 9453) Aluguel e arrendamento (Código DARF 9478) Aplicações em fundos ou entidades de investimento coletivo, aplicações em carteiras de valores mobiliários, aplicações financeiras nos mercados de renda fixa ou renda variável (Código DARF 5286) Renda e proventos de qualquer natureza (Código DARF 0473) Fretes internacionais (Código DARF 9412) Previdência privada e FAPI (Código DARF 9466) Remuneração de direitos (Código DARF 9427) Audiovisuais, cinematográficas e vídeofônicas (Código DARF 5192) Tabela de incidência sobre valores remetidos ao exterior Países com tributação favorecida CAPÍTULO 2 CSLL, PIS E COFINS Introdução Serviços sujeitos ao desconto das contribuições Soluções de Consulta Serviços não sujeitos ao desconto das contribuições de 4,65% Manual pratico de retencao.indd 7 3/6/ :41:25

8 IR FONTE 5. Casos em que não se aplica a retenção da COFINS (3%) e do PIS/PASEP (0,65%) Casos em que não se aplica a retenção da CSLL (1%) Empresa amparada por medida judicial Beneficiário Base de cálculo e alíquota Base de cálculo Alíquota Fato gerador Prazo de recolhimento Códigos de recolhimento Responsabilidade Documento fiscal Tratamento fiscal das contribuições retidas na fonte Obrigações acessórias Valor inferior a R$ 5.000, Cartões de crédito ou débito Documentos com códigos de barras Órgãos, autarquias e fundações públicas Fabricante de máquinas, veículos e autopeças Acréscimos legais CAPÍTULO 3 CONTRIBUIÇÃO DE INTERVENÇÃO NO DOMÍNIO ECONÔMICO (CIDE) Introdução Natureza do rendimento Beneficiários Base de cálculo e alíquota Fato gerador Prazo de recolhimento Responsabilidade Crédito fiscal Exemplo prático Manual pratico de retencao.indd 8 3/6/ :41:25

9 MANUAL PRÁTICO DE RETENÇÃO NA FONTE CAPÍTULO 4 IR, CSLL, PIS E COFINS RETENÇÃO EFETUADA PELOS ÓRGÃOS PÚBLICOS FEDERAIS Introdução Natureza do rendimento Beneficiário Base de cálculo e alíquota Fato gerador Prazo de recolhimento Responsabilidade Documento fiscal Dispensa da retenção Tratamento fiscal dos valores retidos Hipóteses de não retenção Pagamentos sujeitos à retenção somente do IR e da CSLL Empresa amparada por medida judicial Isenção, não incidência e alíquota zero Obrigações acessórias Cartões de crédito ou de débito Documentos com código de barras Pessoa jurídica residente no exterior Situações específicas Agências de viagens e turismo Seguros Telefone Propaganda e publicidade Consórcio Refeição-convênio, vale-transporte e vale-combustível Derivados de petróleo e álcool etílico hidratado para fins carburantes Produtos farmacêuticos, de perfumaria, de toucador e de higiene pessoal Máquinas, veículos, autopeças, pneus e câmaras de ar Água, refrigerante e cerveja Bens imóveis Aluguel de imóveis Cooperativas e associações de profissionais ou assemelhadas Manual pratico de retencao.indd 9 3/6/ :41:25

10 IR FONTE CAPÍTULO 5 IR, CSLL, PIS E COFINS RETENÇÃO EFETUADA PELOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNÍCIPIOS CAPÍTULO 6 LEGISLAÇÃO Lei n , de 29 de dezembro de Instrução Normativa SRF n. 459, de 18 de outubro de Instrução Normativa SRF n. 475, de 06 de dezembro de Instrução Normativa SRF n. 480, de 15 de dezembro de CAPÍTULO 7 LIVRO DE RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA Mariano Carneiro 1. Introdução Empresas tomadoras de serviços e a retenção previdenciária Obrigação principal Recolhimento da retenção pelo tomador de serviços Prazo para recolhimento do valor retido Empresa optante pelo SIMPLES Contribuição Contribuições previdenciárias de empresas não optantes pelo SIMPLES Empresa optante pelo SIMPLES: retenção pervidenciária Cessão de mão-de-obra e empreitada: critérios para retenção Cessão de mão-de-obra: conceito Colocação à disposição da contratante Dependências de terceiros Serviços contínuos Empreitada: conceito Serviços sujeitos à retenção: cessão de mão-de-obra e empreitada Exemplos Serviços sujeitos à retenção somente na cessão de mão-de-obra Dispensa da retenção previdenciária Critérios para a dispensa da retenção Comprovação Prestação de serviço: profissão regulamentada Apuração da base de cálculo da retenção previdenciária Manual pratico de retencao.indd 10 3/6/ :41:25

11 MANUAL PRÁTICO DE RETENÇÃO NA FONTE 8.1. Discriminação dos valores de material ou equipamento Fornecimento de material sem discriminação de valores no contrato Inexistência contratual de fornecimento de material e equipamento Equipamento: utilização essencial Transporte de passageiros: exceção Alimentação e vale-transporte: deduções da base de cálculo Fiscalização/comprovação Destaque da retenção na nota fiscal Obrigação da empresa prestadora Não destaque: conseqüências para a empresa tomadora Trabalhador exposto a agentes agressivos à saúde Forma de retenção Nota fiscal específica Prestação de serviço em condições especiais: previsão em contrato e não discriminação em nota fiscal, fatura ou recibo Impossibilidade de identificação de trabalhadores em condições especiais Atividades especiais sem previsão no contrato: conseqüências Perfil profissiográfico Obrigações das empresas em relação à retenção previdenciária Empresa contratante Empresa contratante: registros contábeis Empresa contratante dispensada da apresentação de escrituração contábil Obrigações da empresa contratada A empresa contratada deverá elaborar Empresa dispensada de elaboração de folha de pagamento e GFIP Contratada obrigada a manter escrituração contábil Contabilidade: lançamento pelo total das notas fiscais Subcontratação: dedução da retenção Regras a serem observadas Critérios para a dedução Outras obrigações da contratada em relação à subcontratação Decisão judicial: não retenção Manual pratico de retencao.indd 11 3/6/ :41:25

12 IR FONTE 16. Instituto da retenção: não aplicabilidade Não se aplica retenção previdenciária Compensação da retenção previdenciária Critérios para a compensação Compensação: outras entidades Recolhimento: emissão da nota Compensação: 13º salário Compensação: mesmo estabelecimento Compensação da retenção em meses subseqüentes Valores previdenciários recolhidos indevidamente Restituição Critérios específicos da retenção Divergências de informações no processo de restituição Pagamento em duplicidade ou a maior Empresa optante pelo SIMPLES Construção Civil Conceitos Forma de recolhimento previdenciário Retenção previdenciária: construção civil Retenção facultativa Retenção obrigatória Base de cálculo da retenção Serviços voltados para a construção civil não sujeitos à retenção Compensação de retenção na construção civil Retenção facultativa mediante empreitada total: compensação CAPÍTULO 8 RETENÇÃO NA FONTE DE ISS Luís Fernando da Silva e Adolpho Bergamini 1. Local da prestação do serviço Conceito de estabelecimento prestador Responsabilidade tributária Previsão de retenção na fonte do Município de São Paulo Prestadores de serviços de outros Municípios fora de São Paulo Cadastramento SIMPLES nacional Manual pratico de retencao.indd 12 3/6/ :41:25

13 MANUAL PRÁTICO DE RETENÇÃO NA FONTE CAPÍTULO I IR FONTE 1. Introdução O objetivo deste manual é comentar as principais normas que regem a legislação do Imposto de Renda na Fonte com base: no MAFON/08 divulgado pela Receita Federal; no Decreto n , de 26 de março de1999 (RIR/99); nas Leis n /88, n /95, n /95, n /00, n /03, n /04, n /04, n /05 e n /05 e nas INs n. 12/99, n. 15/01, n. 25/01, n. 208/02 e n. 487/ Considerações gerais 2.1. Fato gerador O imposto de renda na fonte tem como fato gerador a aquisição da disponibilidade econômica ou jurídica de renda ou de proventos de qualquer natureza (art. 43 do CTN). Dessa maneira, o adiantamento efetuado para prestação de serviço ainda não realizado não constitui fato gerador do imposto por não representar a aquisição da disponibilidade econômica ou jurídica. Nesse caso, a incidência do imposto de renda na fonte somente ocorrerá por ocasião da execução do serviço. Quando do contrato constar cláusula suspensiva, o fato gerador do imposto de renda na fonte ocorrerá somente quando se realizar o evento posteriormente combinado. Por exemplo, se o pagamento ou crédito da comissão estiver atrelado ao recebimento do valor da venda, o fato gerador do impos- 13 Manual pratico de retencao.indd 13 3/6/ :41:25

Retenção de Tributos Chaves

Retenção de Tributos Chaves o I SUMÁRIO 1 Imposto de Renda sobre Rendimentos de Residentes ou Domiciliados no País, 1 1.1 Introdução, 1 1.2 Contribuinte, obrigações tributárias e responsável, 1 1.3 Imposto de Renda, 8 1.3.1 Da competência,

Leia mais

O QUE É A RETENÇÃO NA FONTE?

O QUE É A RETENÇÃO NA FONTE? SUMÁRIO I O QUE É A RETENÇÃO NA FONTE? I.1 - RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA... 23 II SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOAS JURÍDICAS II.1 - IRRF - SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOAS JURÍDICAS... 29 II.1.1 - Hipóteses

Leia mais

ANEXO I IMPOSTO SOBRE A RENDA DAS PESSOAS JURÍDICAS (IRPJ) ANEXO II IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE (IRRF) Item Código/ Variação

ANEXO I IMPOSTO SOBRE A RENDA DAS PESSOAS JURÍDICAS (IRPJ) ANEXO II IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE (IRRF) Item Código/ Variação 1 ANEXO I IMPOSTO SOBRE A RENDA DAS PESSOAS JURÍDICAS (IRPJ) Item Código/ Variação Periodicidade Período de Apuração do Fato Denominação Gerador 1 0220/01 Tr i m e s t r a l A partir do 1º trimestre de

Leia mais

Sigla Descrição do Tributo/Contribuição Código. Devida na Importação Decorrente da Comercialização no Mercado Interno

Sigla Descrição do Tributo/Contribuição Código. Devida na Importação Decorrente da Comercialização no Mercado Interno CÓDIGO DE GUIAS Códigos para Preenchimento do DARF Sigla Descrição do Tributo/Contribuição Código CIDE COMBUSTÍVEIS CIDE ROYALTIES Devida na Importação Decorrente da Comercialização no Mercado Interno

Leia mais

ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº - 99,

ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº - 99, ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº - 99, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011(DOU de 02/01/2012) Dispõe sobre o preenchimento da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), em relação a fatos geradores

Leia mais

Retenção de Impostos e Contribuições

Retenção de Impostos e Contribuições Retenção de Impostos e Contribuições COMO A FONTE PAGADORA DEVE DESCONTAR: IR PIS/PASEP COFINS CSLL ISS INSS Resumo do conteúdo: IR Fonte Assalariados / Pro Labore IR Fonte Terceiros e Não Assalariados

Leia mais

R E T E N Ç Ã O N A F O N T E CONTRIBUIÇÕES PIS/ S C / O C F O I F NS N / S C / S C L S / L I / RP R F P

R E T E N Ç Ã O N A F O N T E CONTRIBUIÇÕES PIS/ S C / O C F O I F NS N / S C / S C L S / L I / RP R F P R E T E N Ç Ã O N A F O N T E CONTRIBUIÇÕES PIS/COFINS/CSL/IRPF CONSTITUIÇÃO FEDERAL/88 Art. 149. Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais. Legislação Lei nº 10.833/2003 Art. 30 IN

Leia mais

Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015

Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015 Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015 Dia: 13 CIDE - Combustíveis - 9331 Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a comercialização de petróleo e seus derivados, gás

Leia mais

Retenções na Fonte. Normas e Procedimentos para retenções de tributos municipais, estaduais e federais para prestadores de serviços

Retenções na Fonte. Normas e Procedimentos para retenções de tributos municipais, estaduais e federais para prestadores de serviços Retenções na Fonte Normas e Procedimentos para retenções de tributos municipais, estaduais e federais para prestadores de serviços Retenção na Fonte IRPJ (1,5% ). Fato Gerador - O imposto de renda na fonte

Leia mais

ANEXO II. Tabela de Códigos de Retenção Obrigatórios 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA

ANEXO II. Tabela de Códigos de Retenção Obrigatórios 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA ANEXO II Tabela de Códigos de Retenção Obrigatórios 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO 0561 Trabalho Assalariado no País e Ausentes no Exterior a Serviço do País Pagamento de salário, inclusive

Leia mais

não aplicada não aplicada

não aplicada não aplicada 45 3277/04 Mensal De janeiro a novembro de 2007 IRRF - Rendimentos de capital - Rendimentos de partes beneficiárias ou de fundador 46 3277/05 Decendial 1º, 2º e 3º decêndios de dezembro de 2007 IRRF -

Leia mais

Apresentação. Objetivo. Público-alvo

Apresentação. Objetivo. Público-alvo Apresentação Com a nova in RFB 1.234/12 que revoga a in SRF 480/04 alteração da in RFB 971/09 pela in RFB 1.238/12 as inovações da retenção de tributos e contribuições socias Como calcular e reter tributos

Leia mais

Ato Declaratório Executivo Corat nº 27, de 27 de março de 2003

Ato Declaratório Executivo Corat nº 27, de 27 de março de 2003 Ato Declaratório Executivo Corat nº 27, de 27 de março de 2003 Divulga a Agenda Tributária do mês de abril de 2003. O COORDENADOR-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA, no uso de suas atribuições declara:

Leia mais

RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS

RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS OUTUBRO / 2015 RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS ISS PIS / COFINS CSLL / IRRF IRF OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS DEFINIÇÕES BÁSICAS Quem é contribuinte do imposto: É sempre o que pratica o fato gerador.

Leia mais

ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS

ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS CÓDIGO 0561 Trabalho Assalariado no País e Ausentes no Exterior a Serviço do País Pagamento de salário, inclusive adiantamento de salário

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL SRF INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 539 DE 25 /04 /2005 Altera a Instrução Normativa SRF nº 480, de 15 de dezembro de 2004, que dispõe sobre a retenção de tributos e contribuições

Leia mais

http://www.merchant.com.br

http://www.merchant.com.br DOU de 29.10.2004 Dispõe sobre a retenção de tributos e contribuições nos pagamentos efetuados pelas pessoas jurídicas de direito privado a outras pessoas jurídicas pela prestação de serviços. O SECRETÁRIO

Leia mais

Alexandre Marques Andrade Lemos. es ao. de Contratos e Convênios. Revista, ampliada e atualizada até maio de 2015

Alexandre Marques Andrade Lemos. es ao. de Contratos e Convênios. Revista, ampliada e atualizada até maio de 2015 Alexandre Marques Andrade Lemos r1 11111 es ao.,. u ar1a de Contratos e Convênios Retenções e encargos incidentes na contratação de pessoas ffsicas e jurídicas (INSS, IRRF, CSLL, PIS, COFINS e ISS) Revista,

Leia mais

Códigos DARF. Tributos/Contribuições. IRPF - Imposto de Renda Pessoa Física

Códigos DARF. Tributos/Contribuições. IRPF - Imposto de Renda Pessoa Física IRPF - Imposto de Renda Pessoa Física Códigos DARF Tributos/Contribuições Quotas do Imposto Apurado na Declaração de Rendimentos 0211 Carnê-Leão Recolhimento mensal obrigatório 0190 Complementação mensal

Leia mais

Retenção de IRRF DNT/SSSCI/SF MAIO 2013

Retenção de IRRF DNT/SSSCI/SF MAIO 2013 DNT/SSSCI/SF MAIO 2013 Realização Secretaria da Fazenda Subsecretaria do Sistema de Controle Interno Departamento de Normas Técnicas Apresentação David Mendes Fabri Monique Junqueira Ferraz Zanella RESPONSABILIDADE

Leia mais

ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA

ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO 0561 Trabalho Assalariado no País e Ausentes no Exterior a Serviço do País Pagamento de salário, inclusive adiantamento

Leia mais

ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS

ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS ANEXO I TABELA DE CÓDIGOS DE RECEITAS 1) BENEFICIÁRIO PESSOA FÍSICA CÓDIGO 0561 Trabalho Assalariado no País e Ausentes no Exterior a Serviço do País Pagamento de salário, inclusive adiantamento de salário

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO ESPECIALISTA EM TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES FEDERAIS (PIS, COFINS, IRPJ, IRPF, CSLL) PROGRAMA

CURSO DE EXTENSÃO ESPECIALISTA EM TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES FEDERAIS (PIS, COFINS, IRPJ, IRPF, CSLL) PROGRAMA CURSO DE EXTENSÃO ESPECIALISTA EM TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES FEDERAIS (PIS, COFINS, IRPJ, IRPF, CSLL) 1. MÓDULO DE IMPOSTO DE RENDA PROGRAMA TRIBUTAÇÃO DAS PESSOAS FÍSICAS CONTRIBUINTES E RESPONSÁVEIS PESSOAS

Leia mais

RENDIMENTOS DO TRABALHO NÃO-ASSALARIADO E ASSEMELHADOS

RENDIMENTOS DO TRABALHO NÃO-ASSALARIADO E ASSEMELHADOS PROGRAMA CURSO DE EXTENSÃO EM TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES FEDERAIS - (PIS, COFINS, IRPJ, IRPF, CSLL) 1. MÓDULO DE IMPOSTO DE RENDA TRIBUTAÇÃO DAS PESSOAS FÍSICAS CONTRIBUINTES E RESPONSÁVEIS PESSOAS FÍSICAS

Leia mais

Cape contabilidade LUCRO REAL

Cape contabilidade LUCRO REAL 1. CONCEITO LUCRO REAL No regime do lucro real o Imposto de Renda devido pela pessoa jurídica é calculado sobre o valor do lucro líquido contábil ajustado pelas adições, exclusões e compensações prescritas

Leia mais

CÓDIGOS DO DARF CÓDIGOS A DENOMINAÇÃO

CÓDIGOS DO DARF CÓDIGOS A DENOMINAÇÃO CÓDIGOS DO CÓDIGOS A 1.1. IMPOSTO SOBRE A IMPORTAÇÃO Bagagem Acompanhada 0094 Outros 0086 1.2. IMPOSTO SOBRE A EXPORTAÇÃO Cacau 1089 Outros 0107 1.3. IR-PESSOAS FÍSICAS Quotas-Declaração 0211 Carnê-Leão

Leia mais

Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF?

Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte. 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF? Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte 1) O Órgão Público está obrigado à entrega da DIRF? Sim. A legislação da DIRF, Instrução Normativa n 1.406, de 23 de outubro de 2013, coloca como pessoa jurídica

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria Colegiada INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre a contribuição para o financiamento da aposentadoria

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

IR e Contribuições Federais

IR e Contribuições Federais IR e Contribuições Ferais Denomin ação IRPF - quotas da claração IRPF - carnê-leão Multa e juros - carnê-leão recolhido com atraso sem a inclusão stes encargos Imposto sobre ganhos líquidos em operações

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA AUDITORIA-GERAL DO ESTADO COORD. DE PROCEDIMENTOS E CAPACITAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE Elaboração:

Leia mais

RETENÇÃO NA FONTE. IMPOSTO DE RENDA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL PIS/PASEP e COFINS INSS ISS INSTRUTOR: VALMIR DE BRITO Redator e consultor

RETENÇÃO NA FONTE. IMPOSTO DE RENDA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL PIS/PASEP e COFINS INSS ISS INSTRUTOR: VALMIR DE BRITO Redator e consultor RETENÇÃO NA FONTE IMPOSTO DE RENDA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL PIS/PASEP e COFINS INSS ISS INSTRUTOR: VALMIR DE BRITO Redator e consultor. 1 RETENÇÃO NA FONTE FATO GERADOR O imposto de renda na fonte tem como

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA. Imposto sobre ganhos líquidos em operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas

IMPOSTO DE RENDA. Imposto sobre ganhos líquidos em operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas IMPOSTO DE RENDA Código a Constar do DENOMINAÇÃO Campo 04 do DARF IRPF - IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA IRPF - quotas da declaração 211 IRPF - carnê-leão 190 Multa e juros - carnê-leão recolhido com atraso

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE LÚCIA HELENA BRISKI YOUNG Estão sujeitos à incidência do imposto na fonte, calculado de acordo com a tabela progressiva mensal, os rendimentos do trabalho assalariado pagos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF 27/11/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da

Leia mais

Diária Imposto sobre a Exportação (IE) 0107 Exportação, cujo registro da declaração para despacho aduaneiro tenha se verificado 15 dias antes.

Diária Imposto sobre a Exportação (IE) 0107 Exportação, cujo registro da declaração para despacho aduaneiro tenha se verificado 15 dias antes. AGENDA TRIBUTÁRIA informativo Dezembro Data de Diária Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) Rendimentos do Trabalho Tributação exclusiva sobre remuneração indireta 2063 FG ocorrido no mesmo dia Rendimentos

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 1 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 Dia 06-10-2010 (Quarta-feira): SALÁRIOS Todos os empregadores, assim definidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Fato

Leia mais

Lucro Presumido. SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013.

Lucro Presumido. SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013. Lucro Presumido SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013. IRPJ CF/88, artigo 153 Compete à União instituir impostos sobre: III - renda e proventos de qualquer natureza

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal 03/02/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão...

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014 Dia: 01 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista - TRR O Transportador Revendedor

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 180 - Data 25 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Obrigações Acessórias DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 INFORMAÇÕES GERAIS Pessoa Jurídica Lucro Real Tributação com base no lucro efetivo demonstrado através do livro diário de contabilidade (obrigatório) 1. Empresas obrigadas à apuração

Leia mais

Confira os critérios para retenção do Imposto de Renda sobre aluguéis e royalties

Confira os critérios para retenção do Imposto de Renda sobre aluguéis e royalties ALUGUÉIS Retenção do Imposto Confira os critérios para retenção do Imposto de Renda sobre aluguéis e royalties A legislação tributária prevê que constituem rendimento bruto sujeito ao Imposto de Renda

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Incidência de Imposto de Renda sobre juros e multas geradas por atraso no pagamento de aluguel e

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Incidência de Imposto de Renda sobre juros e multas geradas por atraso no pagamento de aluguel e Incidência de Imposto de Renda sobre juros e multas geradas por atraso no pagamento de e descontos concedidos no recebimento antecipado. 22/06/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA, LIMPEZA, CONSERVAÇÃO E LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA PROCEDIMENTO

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA, LIMPEZA, CONSERVAÇÃO E LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA PROCEDIMENTO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA, LIMPEZA, CONSERVAÇÃO E LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA PROCEDIMENTO SUMÁRIO: 1. Serviços Prestados por Pessoas Jurídicas 1.1. Incidência 1.2. Serviços de Limpeza e Conservação

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Palestra. Aspectos Relevantes das Retenções na Fonte de PIS/PASEP, COFINS, CSLL e IRRF. agosto 2012. Apoio: Elaborado por:

Palestra. Aspectos Relevantes das Retenções na Fonte de PIS/PASEP, COFINS, CSLL e IRRF. agosto 2012. Apoio: Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Calendário mensal das obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2011 05.01 (4ª feira)

Calendário mensal das obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2011 05.01 (4ª feira) Calendário mensal das obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2011 05.01 (4ª feira) IR-FONTE Último dia para recolhimento do Imposto de Renda na Fonte referente a juros sobre o capital

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES

C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES C A L E N D Á R I O D E O B R I G A ÇÕES j a n e i r o / 2 0 1 5 DIA 05 SEGUNDA 06 TERÇA 07 QUARTA 09 SEXTA 10 SÁBADO IMPOSTO /CONTRIBUIÇÃO ICMS/SP - Geral e Sub. Tributária - ref. 12/2014 - Código Prazo

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA NOVEMBRO/2007

AGENDA TRIBUTÁRIA NOVEMBRO/2007 Fonte: Portal Tributário AGENDA TRIBUTÁRIA NOVEMBRO/2007 06/11/2007 IOF IRF Recolhimento do - 3º decêndio de AGOSTO/2007 - Bebidas - capítulo 22 da T e Cigarros 2402.20.00 T Recolhimento do IOF relativo

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física 2015

Imposto de Renda Pessoa Física 2015 Imposto de Renda Pessoa Física 2015 1 IRPF É um imposto federal brasileiro que incide sobre todas as pessoas que tenham obtido um ganho acima de um determinado valor mínimo. Anualmente este contribuinte

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 03/12/2009

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 03/12/2009 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 07/12/2009 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de NOVEMBRO/2009 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. FGTS - Recolhimento do mês de NOVEMBRO/2009 - Base

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA REMUNERAÇÃO INDIRETA - TRATAMENTO TRIBUTÁRIO Introdução - Cômputo na Remuneração do Beneficiário

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014.

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. Regulamenta a Lei nº 1.775, de 10 de junho de 2014, dispondo sobre o modelo, requisitos, emissão e cancelamento da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e, institui

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

RETENÇÃO DE INSS SOBRE FATURAS. Formas de retorno e garantia de direito

RETENÇÃO DE INSS SOBRE FATURAS. Formas de retorno e garantia de direito RETENÇÃO DE INSS SOBRE FATURAS Formas de retorno e garantia de direito Orientações sobre retenção http://www.mpas.gov.br A Lei nº 9.711 de 20 de novembro de 1998, que passou a vigorar a partir de fevereiro

Leia mais

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária

Receita Federal do Brasil. Lei Complementar 128. Alterações na Legislação Previdenciária Lei Complementar 128 Alterações na Legislação Previdenciária Microempreendedor Individual MEI Conceito: É o empresário individual, referido no art. 966 do Novo Código Civil, que tenha auferido receita

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. PIS E COFINS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. Sumário: 1 ENTIDADES FINANCEIRAS 2 - DA ALÍQUOTA 3 - DA BASE DE CÁLCULO 3.1 Receitas Incorridas

Leia mais

LUCRO PRESUMIDO. Regulamentado pelo Decreto 3000/1999 Regulamento do IR Arts. 516 a 528

LUCRO PRESUMIDO. Regulamentado pelo Decreto 3000/1999 Regulamento do IR Arts. 516 a 528 LUCRO PRESUMIDO Regulamentado pelo Decreto 3000/1999 Regulamento do IR Arts. 516 a 528 O QUE É O LUCRO PRESUMIDO É uma forma optativa, que tem a finalidade de facilitar o pagamento do IRPJ, sem ter que

Leia mais

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA 2013 Visando esclarecer os procedimentos devidos para retenção dos tributos e contribuições sobre serviços contratados de Pessoas Físicas não assalariadas

Leia mais

PREVIDÊNCIA SIMULADO 02

PREVIDÊNCIA SIMULADO 02 PREVIDÊNCIA SIMULADO 02 Nas questões de 01 a 10, marque a alternativa correta: 01) I. Os beneficiários da previdência social subdividem se em dependentes e segurados. Já os segurados, podem ser obrigatórios

Leia mais

AGENDA - Janeiro de 2016

AGENDA - Janeiro de 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE JANEIRO.: (ÂMBITO FEDERAL) :. AGENDA - Janeiro de 2016 PRAZO NATUREZA DISCRIMINAÇÃO 04.01 08.01 GPS SALÁRIOS CAGED GFIP FGTS SIMPLES DOMÉSTICO

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/7cb?f=templates&fn=document-fra...

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/7cb?f=templates&fn=document-fra... 0 http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/7cb?f=templates&fn=document-fra... Junho Notas Cenofisco: 1ª) É facultado ao contribuinte pessoa física que auferir, no ano-calendário,

Leia mais

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7. Clique e veja o compromisso do dia.

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado. Clique e veja o compromisso do dia. 6 7. Clique e veja o compromisso do dia. Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA à SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/07/2011

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/07/2011 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 06/07/2011 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de JUNHO/2011 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. Dia 07/07/2011 FGTS - Recolhimento do mês de JUNHO/2011

Leia mais

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2

Guia de Declaração de IRPF 2011. Ano-calendário 2010. Previdência. IR 2010 Prev e Cp_v2 Guia de Declaração de IRPF 2011 Ano-calendário 2010 Previdência IR 2010 Prev e Cp_v2 Quem é obrigado a declarar? Está obrigada a apresentar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL (SRF e INSS)

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL (SRF e INSS) AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 06/12/2011 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de NOVEMBRO/2011 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. Dia 07/12/2011 FGTS - Recolhimento do mês de NOVEMBRO/2011

Leia mais

Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015

Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015 Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015 Dia: 07 CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados Envio ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) da relação das admissões, demissões e transferências

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

Pedro@ananadvogados.com.br

Pedro@ananadvogados.com.br Pedro@ananadvogados.com.br Sócio de Anan Advogados Especialista em Direito Empresarial pela PUC-SP MBA Controller pela FEA-USP Membro da Diretoria Jurídica da ANEFAC Diretor do Conselho Consultivo da APET

Leia mais

Agenda de Obrigações Tributárias, Trabalhistas e Previdenciárias

Agenda de Obrigações Tributárias, Trabalhistas e Previdenciárias Agenda de Obrigações Tributárias, Trabalhistas e Previdenciárias Fevereiro de 2016 Tipo Dia Obrigação 01/02-2ª Feira 03/02-4ª Feira INSS GPS - Fixação no Quadro de Horário O art. 225, VI do Decreto n 3.048/1999,

Leia mais

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra...

http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra... 0 http://agenda.cenofisco.com.br/agenda/agenda.dll/infobase/5/11/13/170?f=templates&fn=document-fra... Outubro Notas Cenofisco: 1ª) Além das obrigações relacionadas neste Calendário, o assinante poderá,

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE DRA. VALÉRIA DE SOUZA TELLES

RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE DRA. VALÉRIA DE SOUZA TELLES RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA DRA. VALÉRIA DE SOUZA TELLES CONCEITOS CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA Colocação à disposição da contratante Em suas dependências ou nas de terceiros indicadas

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 Até dia Obrigação 4 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2015,

Leia mais

Atualizado até março de 2015

Atualizado até março de 2015 1 Atualizado até março de 2015 Secretário da Receita Federal do Brasil Jorge Antonio Deher Rachid Subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal do Brasil Paulo Ricardo de Souza Cardoso Coordenador-Geral

Leia mais

ÍNDICE. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 971/2009, (Atualizada em Janeiro/2012)

ÍNDICE. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 971/2009, (Atualizada em Janeiro/2012) ÍNDICE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 971/2009, (Atualizada em Janeiro/2012) TÍTULO I DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS CAPÍTULO I DOS CONTRIBUINTES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Seção II Dos Segurados Contribuintes Obrigatórios

Leia mais

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Fevereiro de 2014

Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Fevereiro de 2014 Calendário Mensal das Obrigações Fiscais, Trabalhistas e Previdenciárias Fevereiro de 2014 03/02-2 Feira - INSS - GPS - Fixação no Quadro de Horário O art. 225, VI do Decreto nº 3.048/1999, estabelece

Leia mais

Especial Imposto de Renda 2015

Especial Imposto de Renda 2015 Especial Imposto de Renda 2015 01. Durante o ano de 2014 contribuí para a Previdência Social como autônoma. Como devo fazer para deduzir esses valores? Qual campo preencher? Se pedirem CNPJ, qual devo

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/04/2010

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/04/2010 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 07/04/2010 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de MARÇO/2010 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. FGTS - Recolhimento do mês de MARÇO/2010 - Base legal:

Leia mais

Nova sistemática de cálculo da contribuição previdenciária patronal;

Nova sistemática de cálculo da contribuição previdenciária patronal; Nova sistemática de cálculo da contribuição previdenciária patronal; Até a Lei 12.546/11 a empresa contribuía para o financiamento da Seguridade Social através dos 20% sobre a folha de pagamento. Após

Leia mais

Atualizado até maio de 2014

Atualizado até maio de 2014 1 Atualizado até maio de 2014 Secretário da Receita Federal do Brasil Carlos Alberto Freitas Barreto Subsecretário de Tributação e Contencioso da Receita Federal do Brasil Paulo Ricardo de Souza Cardoso

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 ATO DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS TRANSITÓRIAS Art. 90. O prazo previsto no caput do art. 84 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias

Leia mais

RETENÇÕES NA FONTE - ISSQN, IRRF, PIS/COFINS/CSLL E INSS. Katia de Angelo Terriaga Agosto/2015

RETENÇÕES NA FONTE - ISSQN, IRRF, PIS/COFINS/CSLL E INSS. Katia de Angelo Terriaga Agosto/2015 RETENÇÕES NA FONTE - ISSQN, IRRF, PIS/COFINS/CSLL E INSS Katia de Angelo Terriaga Agosto/2015 Programa Retenções na Fonte ISSQN, IRRF, - Fato Gerador; - Tipos de Serviços; - Responsável Tributário; - Apuração

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 13/2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015. IRPF 2015 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2014 Prezado cliente, No dia 03 de fevereiro de 2015 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

IMPOSTO DE RENDA E PROVENTOS DE QUALQUER NATUREZA

IMPOSTO DE RENDA E PROVENTOS DE QUALQUER NATUREZA IMPOSTO DE RENDA E PROVENTOS DE QUALQUER NATUREZA Nasceu em 1799 na Inglaterra, sendo recebido em 1913 nos EUA. No Brasil, em 1867, o visconde de Jequitinhonha propôs a cobrança do imposto, e encontrou

Leia mais

INFORME DE RENDIMENTOS

INFORME DE RENDIMENTOS INFORME DE RENDIMENTOS Consultoria Técnica / Obrigações Acessórias Circular 06/2015 1. INTRODUÇÃO Instituído pela Instrução Normativa da Secretaria da Receita Federal sob nº 690 de 20/12/2006, as instituições

Leia mais

DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE

DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE 1 SIMPLES NITERÓI. Lei nº 2115 de 22 de dezembro 2003. A Câmara Municipal de Niterói decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Fica instituído, na forma

Leia mais

Agenda Tributária: de 18 a 24 de junho de 2015

Agenda Tributária: de 18 a 24 de junho de 2015 Agenda Tributária: de 18 a 24 de junho de 2015 Dia: 18 SP - Guia de Informação e Apuração - GIA - Regime mensal - I.E. finais 5, 6 e 7 Os contribuintes com a inscrição estadual final 5, 6 ou 7, deverão

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos IRRF de Locador Residente no Exterior

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos IRRF de Locador Residente no Exterior IRRF de 23/07/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Incidência do Imposto de Renda Sobre Locação de Imóveis... 5 3.2

Leia mais

I CASOS PRÁTICOS DACON Segue abaixo orientações quanto ao preenchimento prático de informações a serem prestadas em Dacon através de exemplos

I CASOS PRÁTICOS DACON Segue abaixo orientações quanto ao preenchimento prático de informações a serem prestadas em Dacon através de exemplos I CASOS PRÁTICOS DACON Segue abaixo orientações quanto ao preenchimento prático de informações a serem prestadas em Dacon através de exemplos fictícios. 1 Sistema Cumulativo Pessoa Jurídica tributada pelo

Leia mais

1,5 % - Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) 1 % - Contribuição Social (C.S.L.L) 3% - Cofins 0,65 % - Programa de Integração Social (P.I.

1,5 % - Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) 1 % - Contribuição Social (C.S.L.L) 3% - Cofins 0,65 % - Programa de Integração Social (P.I. 1 CONTAJURIS ASSESSORIA EMPRESARIAL S/C LTDA Rua Sady de Marco, 52-D Bairro Jardim Itália Chapecó SC www.contajuris.com.br - Fone: 49 3323-1573 / 3323-0388 A partir de Fevereiro/2004 as empresas de serviços

Leia mais