Guia de Medidas de Apoio à Contratação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Medidas de Apoio à Contratação"

Transcrição

1 Guia de Medidas de Apoio à Contratação Incentivos financeiros e parafiscais de apoio à contratação Conteúdo do Guia Enquadramento Estágios Emprego Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU Apoio à Contratação de Trabalhadores de Empresas Startup Medida Estímulo 2013 Quadro Síntese Comparativo As Medidas de Apoio à Contratação são ferramentas disponibilizadas pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para que as empresas tenham mecanismos de apoio na contratação de Recursos Humanos. Estes apoios traduzem-se em incentivos financeiros ou parafiscais e destinam-se maioritariamente a candidatos inscritos nos centros de emprego ou centros de emprego e formação profissional, de forma a combater o desemprego crescente que se tem vindo a verificar em Portugal nos últimos anos. É dado ainda um especial enfoque ao desemprego jovem, tendo este medidas próprias e específicas para este segmento. Formação / Emprego Medida CEI Património Programa Vida Emprego Programa de Emprego e Apoio à Qualificação de Pessoas com Deficiências e Incapacidades Programa Formação - Algarve A intenção deste guia é orientar e informar as diferentes entidades das medidas existentes, quais os casos em que podem ser aplicadas e principais diferenças entre si. A informação será disponibilizada de forma estruturada e sistematizada, de modo a possibilitar uma compreensão natural e intuitiva. A informação constante nesta publicação tem natureza genérica e não tem como objetivo abordar as circunstâncias particulares de nenhuma entidade individual. Encontramo-nos disponíveis para analisar cuidadosamente e fornecer informações e esclarecimentos adicionais sobre casos específicos.

2 1. Estágios Emprego A medida Estágios Emprego consiste no financiamento de estágios com a duração de doze meses, em todos os setores de atividade. As Medidas Estágios Emprego e Apoio à Contratação via Reembolso da Taxa Social Única fazem parte do Programa Impulso Jovem Um estágio profissional é a etapa de transição para a vida ativa que visa complementar uma qualificação preexistente através de formação e experiência prática em contexto laboral e promover a inserção de jovens no mercado de trabalho ou a reconversão profissional de desempregados. Com vista à simplificação do programa de estágios do IEFP, esta medida revoga as medidas Passaporte Emprego, Estágios Profissionais e Estágio Património. Jovens, entre os 18 e os 30, inclusive, inscritos como desempregados nos centros de emprego ou centros de emprego e formação profissional; No caso do setor agrícola, os destinatários podem ter até 35 anos de idade, inclusive; Candidatos com idade superior a 30 anos, mediante o cumprimento de requisitos específicos. Entidades Promotoras Pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos; Autarquias locais, comunidades intermunicipais e áreas metropolitanas; Entidades que integrem o setor empresarial do estado. Apoios Bolsa de estágio mensal: EUR 691,71 para estagiários com qualificação de nível 6, 7 ou 8; EUR 586,91 para estagiários com qualificação de nível 5; EUR 544,99 para estagiários com qualificação de nível 4; EUR 503,06 para estagiários com qualificação de nível 3; EUR 419,22 para os restantes casos. Subsídio de alimentação; Seguro de acidentes de trabalho; Despesas de Transporte (apenas no caso de estagiário com deficiência e incapacidade). Guia de Medidas de Apoio à Contratação 2

3 Comparticipação Pública na Bolsa de Estágio Comparticipação na bolsa de estágio em 100% para: Entidades com 10 ou menos trabalhadores, no caso do primeiro estagiário; As autarquias locais, comunidades intermunicipais e áreas metropolitanas, no caso do primeiro estagiário; No setor do património, para os primeiros 10 estagiários; O Programa Impulso Jovem foi recentemente alargado, de forma a abranger mais entidades e candidatos Entidades do setor social; Hospitais E.P.E. Comparticipação na bolsa de estágio em 80% para os restantes casos; Comparticipação do subsídio de alimentação, até ao limite do valor fixado para os trabalhadores que exercem funções públicas; Comparticipação ainda, de despesas de transporte, dos estagiários com deficiência e incapacidade; Comparticipação do prémio do seguro até ao valor correspondente a 3% do valor total da bolsa de estágio, reportado ao período de duração do estágio. Portaria n.º 204-B/2013 de 18 de junho II. Apoio à Contratação Via Reembolso da Taxa Social Única O Apoio à Contratação Via Reembolso da Taxa Social Única (TSU) consiste no reembolso de uma percentagem da TSU paga pela entidade empregadora que celebre contrato com jovem desempregado ou equiparado. São destinatários da medida os desempregados inscritos nos centros de emprego, com idades superiores a 18 anos, mediante preenchimento de requisitos específicos para cada segmento de idade. Entidades Promotoras São abrangidas pela presente medida as pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos. Guia de Medidas de Apoio à Contratação 3

4 Apoios A entidade empregadora tem direito ao reembolso total ou parcial do valor da TSU paga mensalmente, durante o período máximo de 18 meses, relativa ao trabalhador contratado, nos seguintes termos: 100% do valor, no caso de contrato sem termo, ou em caso de pessoa com deficiência ou incapacidade; 75% do valor, no caso de contrato a termo certo. O reembolso não pode ser superior a EUR 200 por mês, por posto de trabalho apoiado. Cumulação As Medidas de apoio que preveem o reembolso da TSU são cumuláveis com a Medida Estímulo 2013 O apoio previsto na presente medida é cumulável com a Medida Estímulo Portaria n.º 204-A/2013 de 18 de junho III. Apoio à Contratação de Trabalhadores por Empresas Startup O apoio à contratação de trabalhadores por empresas startup, consiste num apoio concedido IEFP, na forma de reembolso total ou parcial das contribuições obrigatórias para a segurança social pagas pelo empregador que celebre contrato de trabalho, a tempo completo, com desempregados qualificados ou equiparados, para a prestação de trabalho em empresa startup. Entidades Promotoras Empresas baseadas em conhecimento, tituladas por entidades privadas com ou sem fins lucrativos, com certificação PME, menos de 20 trabalhadores e início de atividade há menos de 18 meses. Por empresas baseadas em conhecimento consideram-se aquelas que vocacionam a sua atividade para negócios que criam valor económico, assegurando uma sobrevivência sustentada através da inovação, com potencial de exportação ou internacionalização. Desempregados inscritos no centro de emprego, com qualificação igual ou superior ao nível 3 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ). Guia de Medidas de Apoio à Contratação 4

5 Apoio Financeiro O empregador que celebre contrato de trabalho ao abrigo da Medida tem direito, durante o período máximo de 18 meses, ao reembolso, total ou parcial, do valor da TSU paga mensalmente pelo mesmo, relativamente a cada trabalhador, nos seguintes termos: 100 % do valor da TSU, até EUR 300/mês, no caso de contratação sem termo de desempregado inscrito no centro de emprego há pelo menos quatro meses consecutivos; 75 % do valor da TSU, até EUR 225/mês, no caso de contratação a termo de desempregado inscrito no centro de emprego há pelo menos quatro meses consecutivos. Âmbito Geográfico Os postos de trabalho abrangidos por esta medida devem situar-se nas regiões Norte, Centro, Alentejo e Algarve (nível II da nomenclatura de unidades territoriais NUT II). Cumulação O apoio financeiro previsto na presente medida é cumulável com a Medida Estímulo Período de Candidaturas As candidaturas podem ser efetuadas até 31 de dezembro de 2013, ou até data anterior fixada por deliberação conjunta do IEFP, IP e IAPMEI, IP, caso seja previsível que venha a ser atingido o limite de fundos disponíveis alocados a esta medida. Portaria n.º 432/2012 de 31 de dezembro IV. Medida Estímulo 2013 A Medida Estímulo 2013 consiste na concessão de apoio financeiro às entidades empregadoras que celebrem contratos de trabalho a tempo completo ou a tempo parcial por prazo igual ou superior a 6 meses, com desempregados inscritos nos centros de emprego e formação profissional, com a obrigação de proporcionarem formação profissional aos trabalhadores contratados. Entidades Promotoras Pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos. Guia de Medidas de Apoio à Contratação 5

6 Apoios A entidade empregadora que celebre contrato de trabalho tem direito aos seguintes apoios: 50% da retribuição mensal do trabalhador por um período máximo de 6 meses, no caso de celebração de contrato a termo certo, ou de 18 meses, no caso de celebração de contrato de trabalho sem termo; Majoração de 10% em casos específicos. A Medida Estímulo 2013 prevê um apoio de 50% da retribuição mensal do trabalhador, podendo chegar até EUR 544,99 por mês, no caso dos contratos sem termo O apoio financeiro previsto não pode ultrapassar os montantes de EUR 419,22/mês, no caso de contratos de trabalho a termo e de EUR 544,99/mês, no caso de contratos de trabalho sem termo. Cada empregador não pode contratar mais de 25 trabalhadores através de contrato a termo certo em cada ano civil, não existindo limite ao número de contratações em caso de celebração de contratos de trabalho sem termo. Formação Profissional A entidade empregadora tem a obrigatoriedade de proporcionar formação profissional ajustada às competências do posto de trabalho, em contexto de trabalho ou através de uma entidade formadora certificada. Os desempregados inscritos nos centros de emprego ou centros de emprego e formação profissional que cumpram as seguintes condições: Inscritos há pelo menos 6 meses consecutivos; Inscritos há pelo menos 3 meses consecutivos, desde que não tenha sido concluído o ensino básico ou que tenha 45 ou mais anos de idade, ou que seja responsável por uma família monoparental ou cujo cônjuge se encontre igualmente em situação de desemprego; Outros inscritos, desde que não tenham estado inscritos na Segurança Social como trabalhador independente nos 12 meses que precedem a data de candidatura à medida, nem tenham estado a estudar durante esse mesmo período. As condições de acesso dos destinatários são aferidas à data de apresentação da candidatura. Prémio de conversão À entidade promotora que converta um contrato de trabalho a termo certo (celebrado ao abrigo da medida Estímulo 2012 ou Estímulo 2013) em contrato de trabalho sem termo, é concedido um prémio de conversão, no valor correspondente a 9 meses do apoio financeiro (*) previsto nesta medida. (*) O apoio financeiro previsto não pode ultrapassar o montante de EUR 419,22/mês. Guia de Medidas de Apoio à Contratação 6

7 Reconhecimento de Projetos de Interesse Estratégico Às entidades a que for reconhecido este estatuto, não se aplica o número máximo de 25 postos de trabalho, através da celebração de contrato a termo certo, o qual tem de ter uma duração igual ou superior a 12 meses, sendo o apoio financeiro concedido por 9 meses. Portaria n.º 106/2013 de 14 de março Quadro Síntese Comparativo Quadro síntese de comparação entre as medidas Estágios Emprego, Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU, Apoio à Contratação de Trabalhadores de Empresas Estágios Emprego Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU Apoio à Contratação de Trabalhadores de Empresas Startup Medida Estímulo 2013 Startup e Medida Estímulo 2013 Resumo Medida Financiamento de estágios com 12 meses de duração, em todos os setores de atividade Reembolso de uma percentagem da TSU paga pela entidade empregadora Reembolso total ou parcial do valor da TSU paga pela entidade empregadora Apoio financeiro de 50% da retribuição mensal dos trabalhadores Entidades Promotoras Pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos; Autarquias locais, intermunicipais e áreas metropolitanas, setor empresarial do estado Pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos Entidades privadas com ou sem fins lucrativos, baseadas em conhecimento, com certificação PME, menos de 20 trabalhadores e início de atividade há menos de 18 meses Pessoas singulares ou coletivas, de direito privado, com ou sem fins lucrativos Jovens entre os 18 e os 30; até aos 35 no setor agrícola Candidatos com idade superior a 18 anos, mediante preenchimento de requisitos específicos Desempregados com qualificação igual ou superior ao nível III do QNQ Desempregados inscritos nos centros de emprego há, pelo menos, 6 meses consecutivos Apoios 100 ou 80% do valor mensal da bolsa de estágio 100 ou 75% do valor da TSU até ao máximo de EUR 200 por mês 100% do valor da TSU até EUR 300 /mês 75% do valor da TSU até EUR 225 /mês 50% da remuneração mensal até EUR 419,22 (termo certo) e EUR 544,99 (sem termo) Formação Não Não Não Sim Cumulação ---- Estímulo 2013 Estímulo 2013 TSU; Startups Guia de Medidas de Apoio à Contratação 7

8 V. Formação / Emprego Cláusula de Formação A presente medida, relativa à formação inicial e transição para a vida ativa, visa a introdução de uma cláusula de formação nos contratos de trabalho dos menores com idade igual ou superior a 16 anos, que não possuam a escolaridade obrigatória, qualificação profissional, ou ambas. Não são abrangidos pela presente medida os menores que frequentem o Ensino Secundário ou Superior e apenas prestem trabalho durante as férias escolares. Entidades Abrangidas A medida Formação Emprego visa apoiar jovens menores, com idade legal para trabalhar, que não tenham concluído a escolaridade obrigatória Entidades empregadoras que celebrem contratos de trabalho com os destinatários ou que, já o tendo celebrado, estabeleçam com eles um acordo de formação; A medida aplica-se aos menores com 16 e 17 anos de idade, que reúnam as seguintes condições: Não possuam escolaridade obrigatória, qualificação profissional ou ambas; Venham a celebrar contrato de trabalho ou, já o tendo celebrado, estabeleçam acordo de formação com a entidade empregadora. Formação A formação deve iniciar-se no prazo de um mês a contar da data de celebração do contrato, ter duração mínima de 1000 horas, decorrer no período normal do trabalho e corresponder a 40% do limite máximo de horas de trabalho constantes da Lei. Apoios Financeiros Compensação financeira, no valor de 40% do conjunto constituído pela retribuição e pelos encargos sociais, relativos aos trabalhadores menores, que constituem a base de incidência da taxa social, devendo incluir o subsídio de refeição única; Compensação financeira, à semelhança do sistema de aprendizagem, quando haja envolvimento de trabalhadores como tutores na formação prática em contexto de trabalho; Apoio técnico e financeiro às entidades que apresentem pedidos de financiamento para a realização da formação, de acordo com as normas do Fundo Social Europeu, mediante a assinatura de um termo de responsabilidade com o IEFP, I.P.; Prioridade no acesso a apoios públicos para a formação qualificante do menor, quando as entidades empregadoras assumam, por si próprias ou através de entidades formadoras certificadas, a responsabilidade da realização da formação. Decreto-Lei nº 58/02 de 15 de março Guia de Medidas de Apoio à Contratação 8

9 VI. Medida CEI - Património A Medida CEI Património consiste na realização, por desempregados, de atividades socialmente necessárias nas áreas da conservação e manutenção do património natural, cultural e urbanístico. Os projetos têm a duração mínima de 3 meses e máxima de 12 meses, não prorrogáveis. Entidades Promotoras Pessoas coletivas públicas ou privadas sem fins lucrativos, designadamente: serviços públicos e autarquias locais. A Medida CEI Património destina-se, sobretudo, a beneficiários de apoios sociais e tem a duração máxima de 12 meses Desempregados inscritos nos centros de emprego ou centros de emprego e formação profissional, numa das seguintes situações: Beneficiários de subsídio de desemprego ou de subsídio social de desemprego; Beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI); Desempregados não subsidiados nem beneficiários do RSI, inscritos há pelo menos 4 meses consecutivos. Apoios Financeiros Comparticipação de 100% do valor da bolsa (EUR 419,22); Comparticipação no subsídio de alimentação, até ao valor fixado para os trabalhadores que exercem funções públicas; Comparticipação nas despesas ou subsídio de transporte, até ao montante equivalente ao custo das viagens realizadas em transporte coletivo ou até ao limite mensal de 10% IAS, respetivamente; Comparticipação no pagamento do prémio do seguro de acidentes de trabalho, até 3% de 1,65 IAS. Formação Os projetos devem obrigatoriamente contemplar a realização de no mínimo 50h de formação, em áreas transversais ou específicas, de acordo com o domínio da atividade do projeto. Portaria n.º 33/2013, de 20 de janeiro Guia de Medidas de Apoio à Contratação 9

10 VII. Programa Vida Emprego O Programa Vida Emprego visa promover a reinserção social e profissional de toxicodependentes em recuperação através da formação e emprego. Está dividido em três medidas essenciais: As diferentes medidas do Programa Vida Emprego e Programa de Emprego e Apoio à Qualificação de Pessoas com Deficiências e Incapacidades, tem regras e cláusulas próprias Estágios de Integração Socioprofissional - Formação prática em contexto de trabalho, com o objetivo de promover a integração dos seus destinatários na vida ativa. Tem uma duração igual ou inferior a 9 meses, podendo, excecionalmente, ser seguida de um estágio complementar, com duração máxima de 3 meses; Prémio de Integração Socioprofissional - Prestação pecuniária, não reembolsável, atribuída às entidades que admitam toxicodependentes em recuperação mediante a celebração de contrato de trabalho sem termo e cujo respetivo posto de trabalho seja mantido por um período mínimo de 4 anos; Apoios ao Emprego - Apoio a entidades empregadoras que admitam toxicodependentes em recuperação mediante contrato a termo certo e cujo respetivo posto de trabalho seja mantido por um período mínimo de 2 anos. Resolução do Conselho de Ministros nº 136/1998 de 04 de dezembro VIII. Programa de Emprego e Apoio à Qualificação de Pessoas com Deficiências e Incapacidades Este Programa está dividido em 4 medidas principais: Apoio à Qualificação Programa de Qualificação de Pessoas com Deficiências e Incapacidades - Ações de formação inicial e contínua visando dotar as pessoas com deficiências e incapacidades de conhecimentos e competências necessárias à obtenção de uma qualificação que lhes permita exercer uma atividade no mercado de trabalho, manter o emprego e progredir profissionalmente de forma sustentada; Apoios à Integração, Manutenção e Reintegração no Mercado de Trabalho - Conjunto de medidas que se constituem como meio facilitador da integração, manutenção e reintegração das pessoas com deficiências e incapacidades no mercado de trabalho. Compreende ações de informação, avaliação e orientação para a qualificação e o emprego, apoio à colocação, acompanhamento pós-colocação, adaptação de postos de trabalho, eliminação de barreiras arquitetónicas e isenção e redução de contribuições para a segurança social; Emprego Apoiado - Exercício de uma atividade profissional ou socialmente útil que visa o desenvolvimento de competências pessoais e profissionais que facilitem a transição das pessoas com deficiências e incapacidades, quando possível, para o regime normal de trabalho. O regime de emprego apoiado pode ser desenvolvido através de: Estágios de Inserção; Contratos Emprego-Inserção; Centros de Emprego Protegido; Contratos de Emprego apoiado em entidades empregadoras; Guia de Medidas de Apoio à Contratação 10

11 Prémio de Mérito - Prémio de natureza simbólica, constituindo um testemunho de apreço e uma forma de homenagear as pessoas singulares e coletivas que, em cada ano, mais se tenham distinguido na integração profissional de pessoas com deficiências e incapacidades. Decreto-Lei n.º 290/2009 de 12 de outubro IX. Programa Formação-Algarve O Programa Formação Algarve visa combater a sazonalidade empresarial da região e permitir às empresas e candidatos obter formação específica e essencial para os setores abrangidos pela medida O Programa Formação Algarve visa fornecer apoio financeiro às entidades empregadoras que celebrem contratos de trabalho, renovem ou convertam contratos de trabalho a termo e proporcionem formação profissional aos trabalhadores abrangidos. O programa irá realizar-se novamente em Entidades privadas com fins lucrativos cujo estabelecimento esteja localizado na região do Algarve e cuja atividade se enquadre nas CAE elegíveis; Trabalhadores das entidades empregadoras candidatas que se encontrem vinculados através de contrato de trabalho a termo certo, até 31 de outubro de 2012 e extrabalhadores dessas entidades cujos contratos de trabalho tenham cessado no período entre 31 de julho e 28 de setembro de Formação Profissional A formação deve estar organizada em unidades de formação de curta duração e ter uma duração total entre 350 e 600 horas. Entidades Formadoras Centros de formação profissional de gestão direta ou participada do IEFP, IP; Escolas de Hotelaria e Turismo do Instituto do Turismo de Portugal, IP; Outras entidades formadoras certificadas. Guia de Medidas de Apoio à Contratação 11

12 Apoios Financeiros Apoio ao Emprego 50% da retribuição base mensal bruta de cada trabalhador abrangido, ou 70% da retribuição base mensal bruta do trabalhador quando exista celebração de contrato de trabalho sem termo ou conversão do contrato de trabalho a termo certo em contrato de trabalho sem termo ou quando o candidato cumpra certos requisitos específicos. O apoio não pode exceder 1,1 IAS/mês, ou seja, EUR 461,14/mês, durante seis meses. Apoio à Formação Caso a formação seja ministrada por entidade formadora externa certificada ou por escolas de hotelaria e turismo, a entidade tem direito a um apoio financeiro de montante correspondente às despesas de transporte dos formandos e aos custos elegíveis no âmbito das formações modulares certificadas. Portaria n.º 297/2012, de 28 de setembro Guia de Medidas de Apoio à Contratação 12

13 Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Para mais informações por favor contacte: A informação constante neste memorando tem natureza genérica e não tem como objetivo abordar as circunstâncias particulares de nenhuma entidade individual. Não nos responsabilizamos por qualquer perda resultante da utilização do material nesta publicação. Encontramo-nos disponíveis para analisar cuidadosamente, fornecer informações e esclarecimentos adicionais sobre casos específicos. Frederico Mendes Tel: (+351) Siga a Frederico Mendes & Associados no LinkedIn 2013 Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Todos os direitos reservados Frederico Mendes & Associados é uma empresa de consultoria que trabalha com empresas e empreendedores de sectores intensivos em conhecimento e tecnologia no sentido de maximizar o retorno sobre o investimento em inovação, internacionalização e investigação e desenvolvimento tecnológico.

Guia de Medidas de Apoio à Contratação

Guia de Medidas de Apoio à Contratação -*89 Guia de Medidas de Apoio à Contratação Incentivos financeiros e parafiscais de apoio à contratação Enquadramento A Frederico Mendes & Associados disponibiliza mais uma versão do seu Guia de Medidas

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Fevereiro 2014

Medidas Ativas de Emprego. Fevereiro 2014 Medidas Ativas de Emprego Fevereiro 2014 Medidas ativas de emprego Medidas 1. Estágios Emprego 2. Estímulo 2013 3. Apoio à Contratação Via Reembolso da TSU Estágios Emprego Portaria n.º 204-B/2013, de

Leia mais

MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO

MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO Medida Estímulo 2013 CONTACTOS: Porto Gold Finance, Lda. Tel/Fax: 22 986 24 00 e-mail: comercial@pgf.pt MEDIDAS DE APOIO À CONTRATAÇÃO Se pretende dinamizar o seu negócio não perca esta oportunidade. Sem

Leia mais

Incentivos à contratação 2013

Incentivos à contratação 2013 Incentivos à contratação 2013 Conheça os principais apoios à contratação em vigor em 2013 Os incentivos de que as empresas podem usufruir quando contratam novos trabalhadores podem consistir em apoios

Leia mais

MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO APOIOS E INCENTIVOS. Medidas de Emprego. Sabugal, 9 de Abril de 2013 13-04-2013. Contrato Emprego Inserção + (CEI+);

MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO APOIOS E INCENTIVOS. Medidas de Emprego. Sabugal, 9 de Abril de 2013 13-04-2013. Contrato Emprego Inserção + (CEI+); MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO APOIOS E INCENTIVOS Sabugal, 9 de Abril de 2013 Medidas de Emprego Contrato Emprego Inserção (CEI); Contrato Emprego Inserção + (CEI+); CEI Património; Medida Estímulo 2013; Estágios

Leia mais

Faro, 2 de agosto de 2012

Faro, 2 de agosto de 2012 Faro, 2 de agosto de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a sua

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014 Medidas Ativas de Emprego Junho 2014 Intervenção do SPE A intervenção prioritária deve ser o ajustamento entre quem procura e quem oferece emprego. Quem procura o SPE quer acima de tudo um emprego. Quando

Leia mais

MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO. 23 de outubro de 2014

MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO. 23 de outubro de 2014 MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO 23 de outubro de 2014 APOIOS À CONTRATAÇÃO ESTÍMULO EMPREGO Caracterização Apoio financeiro às entidades empregadoras que celebrem contratos de trabalho com desempregados inscritos

Leia mais

MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO E À FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Faro, 3 de julho de 2015

MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO E À FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Faro, 3 de julho de 2015 MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO E À FORMAÇÃO PROFISSIONAL Faro, 3 de julho de 2015 AGENDA 1 - Mercado de emprego 2 - Medidas Ativas de Emprego 3 Formação Profissional 1 - MERCADO DE EMPREGO MERCADO DE EMPREGO

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Incentivos à Contratação

Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Incentivos à Contratação Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Incentivos à Contratação FEIRA DO EMPREENDEDOR 22-11-2012 Medidas Ativas de Emprego: Estágios e Apoios à Contratação Programa Estágios Port.92 Medida Estímulo 2012

Leia mais

Centro de Emprego da Maia. Estágios Emprego. Reativar. Emprego Jovem Ativo. Estímulo Emprego. Mobilidade Geográfica. Empreendedorismo.

Centro de Emprego da Maia. Estágios Emprego. Reativar. Emprego Jovem Ativo. Estímulo Emprego. Mobilidade Geográfica. Empreendedorismo. Centro de Emprego da Maia Estágios Emprego Reativar Emprego Jovem Ativo Estímulo Emprego Mobilidade Geográfica Empreendedorismo Adolfo Sousa maiago, 14 maio 2015 Taxa de Desemprego em Portugal - INE 0

Leia mais

QUADRO RESUMO INCENTIVOS Á CRIAÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO

QUADRO RESUMO INCENTIVOS Á CRIAÇÃO DE POSTOS DE TRABALHO Medida Contratação via Reembolso TSU Portaria nº 204-A/2013 de 18 de Junho Estágio Emprego Portaria nº 204-B/2013 de 18 de Junho Jovens idades 18-30 anos Adultos idade = ou > 45 anos Adultos idades 31

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Leiria 19.09.2014

Medidas Ativas de Emprego. Leiria 19.09.2014 Medidas Ativas de Emprego Leiria 19.09.2014 Formação em TÉCNICAS DE PROCURA DE EMPREGO Formação VIDA ATIVA GARANTIA JOVEM MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO: Apoios à contratação Estágios Emprego Emprego Jovem

Leia mais

PROGRAMA IMPULSO JOVEM

PROGRAMA IMPULSO JOVEM PROGRAMA IMPULSO JOVEM (O PROGRAMA IMPULSO JOVEM APRESENTA UM CONJUNTO DE MEDIDAS DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO JOVEM, UM DOS PRINCIPAIS DESAFIOS COM QUE PORTUGAL SE CONFRONTA ATUALMENTE.) 1. PASSAPORTE

Leia mais

FIN ESTÁGIO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIO EMPREGO Ficha de informação normalizada

FIN ESTÁGIO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIO EMPREGO Ficha de informação normalizada FIN ESTÁGIO EMPREGO MEDIDA ESTÁGIO EMPREGO Ficha de informação normalizada Designação Estágios Emprego Considera-se estágio o desenvolvimento de uma experiência prática em contexto de trabalho com o objetivo

Leia mais

I.Estágios/Passaporte Emprego Portaria n.º 225-A/2012, de 31 de julho.

I.Estágios/Passaporte Emprego Portaria n.º 225-A/2012, de 31 de julho. A Resolução do Conselho de Ministros n.º 51-A/2012, de 14 de junho, veio criar o Plano Estratégico de Iniciativas de Promoção de Empregabilidade Jovem e Apoio às PME s («Impulso Jovem»), que assenta em

Leia mais

MEDIDAS E PROGRAMAS DE EMPREGO. SESSÃO ABERTA CLAS De Viseu 20/04/2011

MEDIDAS E PROGRAMAS DE EMPREGO. SESSÃO ABERTA CLAS De Viseu 20/04/2011 MEDIDAS E PROGRAMAS DE EMPREGO SESSÃO ABERTA CLAS De Viseu 20/04/2011 1 CONTRATO EMPREGO INSERÇÃO E CONTRATO EMPREGO INSERÇÃO + 2 Contrato Emprego Inserção OBJECTIVO: Promover a empregabilidade dos desempregados

Leia mais

I N C E N T I V O S À C O N T R A T A Ç Ã O Page 1. Incentivos à CONTRATAÇÃO

I N C E N T I V O S À C O N T R A T A Ç Ã O Page 1. Incentivos à CONTRATAÇÃO I N C E N T I V O S À C O N T R A T A Ç Ã O Page 1 Incentivos à CONTRATAÇÃO Abril 2015 I N C E N T I V O S À C O N T R A T A Ç Ã O Pag. 2 ÍNDICE 1. Introdução... 4 1.1. Enquadramento... 4 1.2. Objetivos

Leia mais

Estímulo Emprego. Promotores

Estímulo Emprego. Promotores Estímulo Emprego Apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho a termo certo por prazo igual ou superior a 6 meses ou contratos de trabalho sem termo, a tempo completo ou a tempo

Leia mais

INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO

INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO DOSSIER INFORMATIVO 4 INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO EMPRESAS 2015 ÍNDICE 1 - Medida Estágio Emprego...4 2 - Medida Estímulo Emprego...10 3 - Medida REATIVAR...16 4 - Dispensa de pagamento de contribuições

Leia mais

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ALBUFEIRA 2014 PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS Uma consultadoria eficaz e rentável vocacionada para fornecer às empresas serviços integrais de formação e recrutamento.

Leia mais

EMPREGO JOVEM: AS POLÍTICAS. Alexandre Oliveira - IEFP

EMPREGO JOVEM: AS POLÍTICAS. Alexandre Oliveira - IEFP EMPREGO JOVEM: AS POLÍTICAS Alexandre Oliveira - IEFP Objetivos da sessão Identificar intervenções do IEFP no âmbito das políticas ativas de emprego para jovens: Estágios Profissionais; Medida Estímulo

Leia mais

Albufeira, 24 de Maio de 2012

Albufeira, 24 de Maio de 2012 Albufeira, 24 de Maio de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando

Leia mais

NOTA INFORMATIVA: PORTARIAS 84, 85 E 86/2015 DE 20 DE MARÇO PORTARIA N.º 84/2015, DE 20 DE MARÇO

NOTA INFORMATIVA: PORTARIAS 84, 85 E 86/2015 DE 20 DE MARÇO PORTARIA N.º 84/2015, DE 20 DE MARÇO 9 de Abril 2015 Direito do Trabalho PORTARIA N.º 84/2015, DE 20 DE MARÇO Esta Portaria, publicada em 20 de Março passado, vem criar e regulamentar a Medida de Promoção de Igualdade de Género no Mercado

Leia mais

Atualidade Laboral. As novas Políticas Ativas do Mercado de Trabalho

Atualidade Laboral. As novas Políticas Ativas do Mercado de Trabalho Atualidade Laboral As novas Políticas Ativas do Mercado de Trabalho David Carvalho Martins Advogado da Gómez-Acebo & Pombo As Políticas Ativas do Mercado de Trabalho (PAMT s) visam promover o regresso

Leia mais

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO Artigo 1º Âmbito Ao abrigo do n.º 1 do artigo 8.º da Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, o presente regulamento estabelece os procedimentos

Leia mais

www.pwc.pt/tax FCT e FGCT Aspetos contabilísticos Carla Massa Aspetos fiscais Rodrigo Rabeca

www.pwc.pt/tax FCT e FGCT Aspetos contabilísticos Carla Massa Aspetos fiscais Rodrigo Rabeca www.pwc.pt/tax Aspetos contabilísticos Carla Massa Aspetos fiscais Rodrigo Rabeca Enquadramento da Lei nº. 70/2013 no âmbito da IAS 19 / NCRF 28 Remunerações no âmbito da IAS 19 / NCRF 28 Benefícios aos

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO 3962-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 147 31 de julho de 2012 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Portaria n.º 225-A/2012 de 31 de julho As importantes reformas que estão a ser implementadas na economia

Leia mais

Guia de Medidas de Apoio à Contratação

Guia de Medidas de Apoio à Contratação -*89 Guia de Medidas de Apoio à Contratação Incentivos financeiros e parafiscais de apoio à contratação Enquadramento A Frederico Mendes & Associados disponibiliza uma nova versão do seu Guia de Medidas

Leia mais

Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012

Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012 Plano Estratégico de Iniciativas à Empregabilidade Jovem e de Apoio às PME Exponor, 15 de Junho de 2012 Contexto: O Impulso Jovem, Plano Estratégico de Iniciativas de Promoção da Empregabilidade Jovem

Leia mais

IEFP, I.P. Apoios e Serviços Prestados Programa de Estágios Profissionais PAULA AGOSTINHO (Centro de Emprego de Montemor-o-Novo do IEFP, IP)

IEFP, I.P. Apoios e Serviços Prestados Programa de Estágios Profissionais PAULA AGOSTINHO (Centro de Emprego de Montemor-o-Novo do IEFP, IP) IEFP, I.P. Apoios e Serviços Prestados Programa de Estágios Profissionais PAULA AGOSTINHO (Centro de Emprego de Montemor-o-Novo do IEFP, IP) Montemor, 27 de janeiro de 2012 1. QUEM SOMOS O IEFP - MISSÃO

Leia mais

INICIATIVA EMPREGO 2009

INICIATIVA EMPREGO 2009 INICIATIVA EMPREGO 2009 APOIO AO EMPREGO EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Redução de 3% da taxa contributiva, a cargo do empregador, relativaaos trabalhadores com 45 ou mais anos : Micro e pequenas empresas

Leia mais

TAX & BUSINESS M E D I D A S D E E S T Í M U L O A O E M P R E G O ( A C T U A L I Z A Ç Ã O ) N º 1 7 / 1 5 INTRODUÇÃO

TAX & BUSINESS M E D I D A S D E E S T Í M U L O A O E M P R E G O ( A C T U A L I Z A Ç Ã O ) N º 1 7 / 1 5 INTRODUÇÃO i N º 1 7 / 1 5 M E D I D A S D E E S T Í M U L O A O E M P R E G O ( A C T U A L I Z A Ç Ã O ) INTRODUÇÃO Nos últimos anos e com o intuito de contrariar os efeitos da recessão económica no emprego, o

Leia mais

A Portaria 151/2014, de 30 de Julho, que cria o PROGRAMA INVESTE JOVEM Entrada em vigor: 29 de Setembro de 2014;

A Portaria 151/2014, de 30 de Julho, que cria o PROGRAMA INVESTE JOVEM Entrada em vigor: 29 de Setembro de 2014; 7 de Agosto 2014 Direito do Trabalho Em 24 e 30 de Julho de 2014 foram publicadas quatro Portarias com o objectivo de combater o desemprego, e sobretudo o desemprego jovem, a saber: A Portaria 149-A/2014,

Leia mais

CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO. Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO. Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge NOVAS MEDIDAS DE APOIO AO EMPREGO Programa ESTAGIAR L, T e U (Resolução do Conselho de Governo nº 100/2015 de 15/07/2015) OBJETO O plano de estágios ESTAGIAR desenvolve-se em três programas: a) O ESTAGIAR

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Atribuição de Apoios Sociais. Formação Profissional

REGULAMENTO INTERNO. Atribuição de Apoios Sociais. Formação Profissional REGULAMENTO INTERNO Atribuição de Formação Profissional Elaborado em Junho de 2012 Introdução A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (A.P.P.A.C.D.M.) de Coimbra é uma Instituição

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego

Medidas Ativas de Emprego Medidas Ativas de Emprego Estímulo 2013 e Apoio à Contratação Via Reembolso da Taxa Social Única(RTSU) JULHO 2014 A prioridade é o ajustamento entre quem procura e quem oferece emprego. Quem procura o

Leia mais

Medidas de Apoio à Contratação. Medida Estágio Emprego

Medidas de Apoio à Contratação. Medida Estágio Emprego COELHO RIBEIRO E ASSOCIADOS SOCIEDADE CIVIL DE ADVOGADOS Medidas de Apoio à Contratação CRA Coelho Ribeiro e Associados, SCARL Ana Henriques Moreira Portugal Agosto 2014 Entre 24 e 30 de Julho do corrente

Leia mais

TEXTO ATUALIZADO. Artigo 1.º Objeto

TEXTO ATUALIZADO. Artigo 1.º Objeto Diploma: Portaria n.º 204-B/2013, de 18 de junho Sumário: Cria a medida Estágios Emprego Alterações: Portaria n.º 375/2013, de 27 de dezembro, altera o artigo 3.º e as alíneas a), b) e c) do n.º 1 do artigo

Leia mais

07 de Fevereiro 2013 Direito do Trabalho

07 de Fevereiro 2013 Direito do Trabalho 07 de Fevereiro 2013 Direito do Trabalho Estágios Profissionais A matéria relativa aos estágios profissionais encontra-se regulada pelo Decreto-Lei n.º 66/2011, de 1 de Junho («Estágios Profissionais»)

Leia mais

Incentivos à contratação

Incentivos à contratação Incentivos à contratação A empresa poderá beneficiar de incentivos quando pretende contratar novos trabalhadores. Os incentivos de que as empresas podem usufruir quando contratam novos trabalhadores podem

Leia mais

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL. Portaria n.º 149-A/2014 de 24 de julho

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL. Portaria n.º 149-A/2014 de 24 de julho MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL Portaria n.º 149-A/2014 de 24 de julho O Governo considera prioritário a continuação da adoção de medidas ativas de emprego que incentivem a contratação

Leia mais

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito REGULAMENTO O presente regulamento estabelece os procedimentos associados à medida «Passaporte para o Empreendedorismo», regulamentada pela Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, estabelecida

Leia mais

Programas de Apoio ao Investimento em Portugal - Síntese Zeta Advisors

Programas de Apoio ao Investimento em Portugal - Síntese Zeta Advisors Programas de Apoio ao Investimento em Portugal - Síntese Zeta Advisors 1 The way to get started is to quit talking and begin doing. Walt Disney Company ÍNDICE 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e

Leia mais

Volta de Apoio ao Emprego 2014

Volta de Apoio ao Emprego 2014 Volta de Apoio ao Emprego 2014 Apoios ao Empreendedorismo 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) 2. Programa Investe Jovem 3.O Ninho de Empresas de Loulé 2014-10-23

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO O PAECPE concede apoio à criação de empresas e à criação do próprio emprego. Contempla as seguintes medidas: 1) Apoios à Criação de

Leia mais

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à de Empresas e Criação do Próprio Emprego IEFP,I.P. 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio Emprego ou

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO SOBRE MEDIDAS DE APOIO

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO SOBRE MEDIDAS DE APOIO SESSÃO DE APRESENTAÇÃO SOBRE MEDIDAS DE APOIO CENTRO DE EMPREGO DE MONTEMOR-O-NOVO 26 de julho de 2012 APRESENTADO POR : PAULA AGOSTINHO MEDIDAS DE APOIO MISSÃO O Instituto do Emprego e Formação Profissional,

Leia mais

Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009)

Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009) LEGISLAÇÃO Portaria n.º 129/2009, de 30 de Janeiro, Regulamenta o Programa Estágios Profissionais (JusNet 211/2009) ( DR N.º 21, Série I 30 Janeiro 2009 30 Janeiro 2009 ) Emissor: Ministério do Trabalho

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Inclusão Social e Emprego

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Inclusão Social e Emprego Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Inclusão Social e Emprego Eixo 5 - Emprego e Valorização Económica dos Recursos Endógenos Objectivo Temático 8 - Promoção da sustentabilidade e qualidade

Leia mais

1. Sistema de Incentivos de Apoio Local a

1. Sistema de Incentivos de Apoio Local a 1. Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas Objetivo Apoio ao investimento e à criação de emprego e, em geral, ao desenvolvimento regional, assente na dinamização económica e social das comunidades

Leia mais

INICIATIVA PARA O INVESTIMENTO E EMPREGO

INICIATIVA PARA O INVESTIMENTO E EMPREGO FISCAL N.º 1/2009 JAN/FEV 2009 INICIATIVA PARA O INVESTIMENTO E EMPREGO Nuno Sampayo Ribeiro No Conselho de Ministros de 13 de Dezembro de 2008 foi aprovado um reforço do investimento público. O qual será

Leia mais

Aspetos legislativos, no domínio sócio-laboral

Aspetos legislativos, no domínio sócio-laboral Aspetos legislativos, no domínio sócio-laboral Lei n.º 53/2011, de 14 de outubro, que procede à segunda alteração ao Código do Trabalho, aprovado em anexo à Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro, estabelecendo

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Redacção anterior Nova redação DL 64/2012 Artigo 9.º

ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Redacção anterior Nova redação DL 64/2012 Artigo 9.º ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Artigo 9.º Artigo 9.º Desemprego involuntário Desemprego involuntário 1 - O desemprego considera-se involuntário sempre que a cessação do

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575 Artigo 20.º Oferta formativa e monitorização 1 A oferta formativa destinada aos activos desempregados é assegurada através de cursos de educação

Leia mais

WORKSHOP :EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

WORKSHOP :EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO WORKSHOP :EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à Criação do Próprio Emprego e de Empresas 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio

Leia mais

Sessão de esclarecimento ACIB. Barcelos, 28 de março de 2012

Sessão de esclarecimento ACIB. Barcelos, 28 de março de 2012 Sessão de esclarecimento ACIB Barcelos, 28 de março de 2012 O IEFP, I.P. É UM SERVIÇO PÚBLICO DE EMPREGO COM ATENDIMENTO PERSONALIZADO E GRATUITO QUE PODE APRESENTAR SOLUÇÕES PARA A SUA EMPRESA FACULTA

Leia mais

APOIOS AO EMPREGO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

APOIOS AO EMPREGO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO APOIOS AO EMPREGO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO APOIOS AO EMPREGO E À CONTRATAÇÃO Portaria n.º130/2009, de 30 de Janeiro PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO INICIATIVAS LOCAIS DE EMPREGO Portaria

Leia mais

Portugal 2020. Regras Gerais para Apoios do Portugal 2020

Portugal 2020. Regras Gerais para Apoios do Portugal 2020 Portugal 2020 Regras Gerais para Apoios do Portugal 2020 Out 2014 1 Apresentação dos Programas Os PO financiados pelos FEEI são os seguintes a) Quatro Programas Operacionais temáticos: Competitividade

Leia mais

emprego em programas de emprego disponíveis até ao final de 2015 *Dados recolhidos a 20 de Outubro, relativos ao ano de 2015.

emprego em programas de emprego disponíveis até ao final de 2015 *Dados recolhidos a 20 de Outubro, relativos ao ano de 2015. emprego em programas de emprego disponíveis até ao final de 2015 *Dados recolhidos a 20 de Outubro, relativos ao ano de 2015. APOIOS E MEDIDAS AO EMPREGO 2 Rita Andrade Presidente do Conselho Diretivo

Leia mais

V A L E I N O V A Ç Ã O Page 1 VALE INOVAÇÃO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE INOVAÇÃO)

V A L E I N O V A Ç Ã O Page 1 VALE INOVAÇÃO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE INOVAÇÃO) V A L E I N O V A Ç Ã O Page 1 VALE INOVAÇÃO (PROJETOS SIMPLIFICADOS DE INOVAÇÃO) Março 2015 V A L E INO V A Ç Ã O Pag. 2 ÍNDICE 1. Enquadramento... 3 2. Objetivo Específico... 3 3. Tipologia de Projetos...

Leia mais

I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1. Incentivos ao EMPREENDEDORISMO

I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1. Incentivos ao EMPREENDEDORISMO I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Page 1 Incentivos ao EMPREENDEDORISMO Abril 2015 I N C E N T I V O S A O E M P R E E N D E D O R I S M O Pag. 2 ÍNDICE 1. Enquadramento... 3 2. Criação

Leia mais

Passaporte para o Empreendedorismo

Passaporte para o Empreendedorismo Passaporte para o Empreendedorismo Enquadramento O Passaporte para o Empreendedorismo, em consonância com o «Impulso Jovem», visa através de um conjunto de medidas específicas articuladas entre si, apoiar

Leia mais

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL. Portaria n.º 149-B/2014 de 24 de Julho

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL. Portaria n.º 149-B/2014 de 24 de Julho MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL Portaria n.º 149-B/2014 de 24 de Julho Na Recomendação aos Estados-Membros relativa a um Quadro de Qualidade para os Estágios (Recomendação 2014/C

Leia mais

Legislação. Resumo: Cria o Programa Empreende Já - Rede de Perceção e Gestão de Negócios e revoga a Portaria n.º 427/2012, de 31 de dezembro..

Legislação. Resumo: Cria o Programa Empreende Já - Rede de Perceção e Gestão de Negócios e revoga a Portaria n.º 427/2012, de 31 de dezembro.. Classificação: 060.01.01 Segurança: P ú b l i c a Processo: Direção de Serviços de Comunicação e Apoio ao Contribuinte Legislação Diploma Portaria n.º 308/2015, de 25 de setembro Estado: vigente Resumo:

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013 SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS (SIALM) Nos termos do Regulamento do Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas

Leia mais

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL 3954-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 141 24 de julho de 2014 MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL Portaria n.º 149-A/2014 de 24 de julho O Governo considera prioritário a continuação

Leia mais

QUADRO ANEXO. Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Palmela. Proposta de inclusão

QUADRO ANEXO. Delimitação da Reserva Ecológica Nacional do concelho de Palmela. Proposta de inclusão Diário da República, 1.ª série N.º 41 28 de Fevereiro de 2011 1217 Considerando o disposto no n.º 2 do artigo 41.º do Decreto -Lei n.º 166/2008, de 22 de Agosto, e no exercício das competências delegadas

Leia mais

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Objetivos Promover o empreendedorismo qualificado e criativo Tipologias de Projetos 1. São suscetíveis de financiamento os projetos das PME, com menos de

Leia mais

PORTAL EMPREGO. www.emprego2009.gov.pt

PORTAL EMPREGO. www.emprego2009.gov.pt PORTAL EMPREGO www.emprego2009.gov.pt A INICIATIVA EMPREGO 2009 I MANTER O EMPREGO 285 M II APOIAR OS JOVENS NO ACESSO AO EMPREGO 105 M III APOIAR O REGRESSO AO EMPREGO 137 M IV ALARGAR A PROTECÇÃO SOCIAL

Leia mais

FAQ s Medida Estágios Emprego - e IDA Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Associativo

FAQ s Medida Estágios Emprego - e IDA Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Associativo FAQ s Medida Estágios Emprego - e IDA Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Associativo FNAJ - Federação Nacional das Associações Juvenis Morada Rua do Almada, N.º 679 1º - Salas 101 / 2 /3 4050-039

Leia mais

Inovação Produtiva PME

Inovação Produtiva PME Inovação Produtiva PME Objetivos Promover a inovação no tecido empresarial, traduzida na produção de novos, ou significativamente melhorados, bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis diferenciadores

Leia mais

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 12 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Nos termos do Regulamento do SI Inovação, a apresentação

Leia mais

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 60 QUARTA-FEIRA, 21 DE MAIO DE 2014

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 60 QUARTA-FEIRA, 21 DE MAIO DE 2014 I SÉRIE NÚMERO 60 QUARTA-FEIRA, 21 DE MAIO DE 2014 ÍNDICE: PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução n.º 89/2014: Cria um prémio destinado à integração de ativos no setor primário, designado por AGRICULTURA +.

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Quinta-feira, 24 de julho de 2014 Número 141

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Quinta-feira, 24 de julho de 2014 Número 141 I SÉRIE Quinta-feira, 24 de julho de 2014 Número 141 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social Portaria n.º 149-A/2014: Cria a Medida Estímulo Emprego...........................................

Leia mais

REGULAMENTO DE PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO

REGULAMENTO DE PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO REGULAMENTO DE PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO INDICE 1. OBJETIVO 2. DESTINATÁRIOS 3. REQUISITOS GERAIS DE ACESSO À TIPOLOGIA MICROINVEST 4. MODELO ESPECÍFICO DE APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 118 19 de junho de 2015 4292-(7)

Diário da República, 1.ª série N.º 118 19 de junho de 2015 4292-(7) Diário da República, 1.ª série N.º 118 19 de junho de 2015 4292-(7) 3 As operações previstas nas alíneas c), d), e), h) e k) do n.º 1 do artigo 30.º são elegíveis na região de Lisboa no âmbito dos apoios

Leia mais

Incentivos a Microempresas do Interior

Incentivos a Microempresas do Interior Incentivos a Microempresas do Interior Saiba como se candidatar Para que servem estes incentivos? Este regime de incentivos apoia microempresas localizadas no Interior ou em regiões com problemas de interioridade,

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÌNDICE Principais orientações e dotação orçamental Programas Operacionais e dotação orçamental específica Órgãos de Governação (Decreto-Lei n.º 137/2014 de 12 de setembro)

Leia mais

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROJETO SIMPLIFICADO VALE

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROJETO SIMPLIFICADO VALE PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROJETO SIMPLIFICADO VALE [As alterações agora introduzidas a este Processo de Acreditação aplicam-se aos pedidos de registo (ou de alteração)

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL Altera os programas de estágios profissionais ESTAGIAR Os programas Estagiar têm-se revelado uma ferramenta útil para a empregabilidade e valorização profissional

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 PORTUGAL 2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÍNDICE PORTUGAL 2020 A. Principais orientações e dotação orçamental B. Programas Operacionais e dotação orçamental específica C. Regras gerais de aplicação

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo

Leia mais

REGULAMENTO DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO Iniciativa Emprego Já

REGULAMENTO DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO Iniciativa Emprego Já REGULAMENTO DE INCENTIVO À CRIAÇÃO DE EMPREGO Iniciativa Emprego Já Nota Justificativa O combate ao flagelo do desemprego é uma das preocupações que deve nortear a gestão municipal, uma vez que é na criação

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO REGULAMENTO DO APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO REGULAMENTO DO APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO REGULAMENTO DO APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS Portaria n.º 985/2009, de 4 de setembro, alterada pela Portaria n.º

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 15/2015 de 23 de Janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 15/2015 de 23 de Janeiro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 15/2015 de 23 de Janeiro de 2015 Considerando que o Programa Estagiar, nas suas vertentes L, T e U dirigido a jovens recém-licenciados, mestres

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 7 de outubro de 2015. Série. Número 154

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 7 de outubro de 2015. Série. Número 154 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 7 de outubro de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 184/2015 Cria e regula o funcionamento

Leia mais

Manual de Apoio às Associações Juvenis à Candidatura Medida Estágios Emprego - e IDA Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Associativo

Manual de Apoio às Associações Juvenis à Candidatura Medida Estágios Emprego - e IDA Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Associativo Manual de Apoio às Associações Juvenis à Candidatura Medida Estágios Emprego - e IDA Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Associativo FNAJ - Federação Nacional das Associações Juvenis Morada Rua do

Leia mais

APOIOS AO EMPREGO. Açores. Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada

APOIOS AO EMPREGO. Açores. Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada APOIOS AO EMPREGO Açores Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada Índice EMPREGO INTEGRA... 2 PROGRAMA DE INCENTIVO À INSERÇÃO DO ESTAGIAR L E T... 4 ESTAGIAR... 6 PROGRAMA DE ESTÁGIOS DE RECONVERSÃO

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Artigo 1.º Objeto

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social. Artigo 1.º Objeto DATA: Quarta-feira, 30 de julho de 2014 NÚMERO: 145 SÉRIE I EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 151/2014 SUMÁRIO: Cria o Programa Investe Jovem Artigo

Leia mais

Newsletter n.º 26 Mar.2013 MICROSOFT APOIA LINKCITIES

Newsletter n.º 26 Mar.2013 MICROSOFT APOIA LINKCITIES Newsletter n.º 26 Mar.2013 MICROSOFT APOIA LINKCITIES A Microsoft deu a conhecer a Plataforma LinkCities propriedade da Link Think. Esta Plataforma liga as cidades e autarquias locais, através das suas

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu. Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu. Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1. Descrição... Erro! Marcador não definido. 2. Entidade Gestora...

Leia mais

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral

Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 7 Promover o Emprego e Apoiar a Mobilidade Laboral PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais

Qualificação e Internacionalização das PME

Qualificação e Internacionalização das PME Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Programa Operacional INFEIRA GABINETE DE CONSULTADORIA, LDA. RUA DO MURADO, 535, 4536-902, MOZELOS 227 419 350 INFEIRA.PT 0 Tipologia de Projetos

Leia mais

GUIA DE APOIO. Passaportes Emprego 3i. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização

GUIA DE APOIO. Passaportes Emprego 3i. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização GUIA DE APOIO Passaportes Emprego 3i Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização PO REGIONAL DO NORTE PO REGIONAL DO CENTRO PO REGIONAL DO ALENTEJO Edição:11 de Fevereiro de 2014 Versão

Leia mais

Programa Operacional Competitividade e Internacionalização

Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Programa Operacional Competitividade e Internacionalização Vale Inovação PSZ CONSULTING Maio 2015 Índice 1 O que é?... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Objetivos Específicos... 2 1.3 Âmbito Setorial... 2 1.4

Leia mais

Comissão Ministerial de Coordenação do Programa Operacional Fatores de Competitividade

Comissão Ministerial de Coordenação do Programa Operacional Fatores de Competitividade Comissão Ministerial de Coordenação do Programa Operacional Fatores de Competitividade Alteração ao regulamento específico do Sistema de Apoio a Ações Coletivas (SIAC) Deliberação aprovada por consulta

Leia mais

Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza

Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza AVISO/CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL 2014-2020 (MADEIRA14-20) EIXO PRIORITÁRIO 8 Promover a Inclusão Social e Combater a Pobreza PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI)

Leia mais