Carlos,SP. São Carlos, SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carlos,SP. São Carlos, SP"

Transcrição

1 As competências profissionais do bibliotecário na ISO 9001: um estudo sobre o perfil dos egressos do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação/UFSCar Tiago Fernandes Andrade 1, Roniberto Morato do Amaral 2 1 Graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos,SP 2 Doutor em Engenharia de Produção, Professor Assistente da Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP Resumo As organizações possuem uma gama de produtos e serviços customizados, utilizam os sistemas de gerenciamento da qualidade ISO 9001:2008 como apoio à gestão de informações, processos entre outros para garantir a qualidade aos clientes. Dentro desta nova realidade e considerando os sistemas de qualidade como sistemas de informação, o objetivo do artigo foi identificar as competências necessárias ao bibliotecário para atuar com a norma ISO 9001:2008. O método de pesquisa estudo de caso foi aplicado à uma organização de equipamentos médicos e odontológicos da cidade de São Carlos SP, para a coleta dos dados foi realizada entrevista face-a-face com o bibliotecário atuante no setor da qualidade. Como resultados foram identificados o mapeamento das atividades e as competências necessárias na atuação com a norma ISO 9001:2008. Concluí-se que o bibliotecário corresponde às expectativas da organização, quanto às competências necessárias à atuação com o Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008, sua formação em BCI/UFSCar (2010) contempla o desenvolvimento de competências quanto ao atendimento da demanda, planejamento, tratamento, armazenamento e disseminação de informação compreendidas pelo Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008. Palavras-Chave: Perfil de competências - bibliotecário; ISO 9001; Formação profissional. Abstract Organizations have a range of customized products and services, using management systems such as ISO 9001:2008 quality management support for information, among other processes to ensure quality to customers. Within this new reality and considering the quality systems as information systems, the objective was to identify the skills needed to work with the librarian to ISO 9001:2008. The method of case study research was applied to an organization of medical and dental equipment from the city of São Carlos-SP, for data collection were interviewed face-to-face with the librarian acting in the field of quality. Results were identified as the mapping of activities and skills in acting to ISO 9001:2008. We concluded that the librarian meets the expectations of the organization, the skills required for the performance with the Quality Management System ISO 9001:2008, their training in BCI / UFSCar (2010) contemplates the development of skills as to meet the demand, planning, processing, storage and dissemination of information understood by the Quality Management System ISO 9001:2008. Keywords: Competence profile - librarian; ISO 9001; Vocational training.

2 1 Introdução As organizações voltam suas atenções aos clientes e produzem cada vez mais produtos e serviços customizados, utilizam os Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 como apoio à gestão de informações, processos entre outros para garantir a qualidade aos clientes, sendo necessário considerar os sistemas de qualidade como sistemas de informação. O objetivo do trabalho foi identificar as competências necessárias ao profissional da informação bibliotecário para atuar com a norma ISO 9001:2008. Este artigo visa responder aos questionamentos sobre as reais competências do bibliotecário na atuação com a ISO 9001:2008 sob a ótica da grade curricular do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação - BCI da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. 2 Revisão de Literatura A partir dos anos 70 a importância no que diz respeito ao compartilhamento de informações impulsionaram novos estilos de gestão administrativa, assim novos valores, características como as sócio-culturais, políticas, passaram a ter um peso maior nos modelos de administração. No final da década de 80 em meio à expansão das trocas comerciais entre os países surgia a série ISO 9000, um modelo de gestão da qualidade, que busca a garantia da qualidade partindo de especificações técnicas para os diversos setores de produção. Os sistemas de gestão da qualidade revelam sua importância por propor implementações, focos nas atividades gerenciais e operacionalização das organizações definindo como as mesmas devem se portar com o cliente, fornecedores e trabalhadores, padronizando sua forma de gestão e garantindo que todos saibam o que, como e porque realizar determinada atividade (ABNT, 2000). Para a Associação Brasileira de Normas e Técnicas - ABNT a qualidade é um grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz um requisito, atendendo assim a uma necessidade ou expectativa que é expressa, geralmente de forma implícita ou obrigatória (ABNT, 2000, p.7).

3 A intenção da ISO 9000 é que as organizações estejam em constantes transformações para que gerem mais benefícios aos consumidores através de seus produtos/serviços atendendo as exigências do mercado. Segundo Leite (2005), o modelo da ISO 9000 fez com que as organizações elaborassem procedimentos lógicos, estabelecendo regras claras do porque realizar determinadas tarefas/atividades. Com isso, houve redução dos erros nos procedimentos, atividades e no produto final, sendo estes aspectos perceptíveis aos olhos do consumidor. Slack, Chambers e Johnston (2008) definem que a qualidade dentro das organizações reduz custos e consequentemente falhas em cada processo da produção e aumentam a confiabilidade que envolve três aspectos como estabilidade, eficiência e satisfação dos consumidores. A adoção da ISO 9000:2008 elimina procedimentos ineficientes presentes na organização, deixando-a enxuta na realização de suas atividades. Para a ABNT (2008), a abordagem de processos parte do princípio de que todas as atividades de uma organização são analisadas como um todo (processo), onde há começo meio e fim Quando usada no sistema de gestão da qualidade a abordagem de processos enfatiza o entendimento e atendimento dos requisitos; as necessidades de considerar os processos em torno de valor agregado; a obtenção de resultados de desempenho, a eficácia e a melhoria contínua de processos baseadas em medições objetivas. Dentro desse contexto que abrange as diversas formas de informação advindas do sistema de gestão da qualidade e entendendo competência individual como um conjunto de atributos: conhecimentos, habilidades e atitudes que o individuo possui e disponibiliza no desempenho da sua função (FLEURY; FLEURY, 2002; AMARAL et al, 2008). Esta concepção abre a perspectiva para compreender a competência como um contínuo processo de aprendizagem e não somente considerar apenas uma das três dimensões, a partir desta observação pode-se dizer que o indivíduo competente na realização de determinada função ou situação agrega valor a organização, pois apresenta um conjunto de características que o tornam eficaz na realização das atividades. As compreensões do conceito de

4 competência de Fleury (2000) e Zarifian (2001) são semelhantes, pois partem do princípio que os indivíduos tenham conhecimento, habilidades e motivadas por razões individuais (atitudes) interfiram em seu meio como no caso do trabalho, agregando valor à organização e a si, considerando-se as situações organizacionais imprevisíveis, o indivíduo torna-se competente após a realização de determinada tarefa e não antes da mesma. A competência, portanto, não pode ser determinada apenas pela observação da personalidade das pessoas, ou por questões de qualificação, formação profissional, para determinar se um indivíduo é competente na atividade que exerce é preciso considerar fatores externos e internos na prática das atividades, o equilíbrio entre os três fatores (conhecimentos, habilidades e atitudes) que são formados no desenvolvimento de atividades pessoais e organizacionais. Considerando a área de atuação do profissional bibliotecário vasta, principalmente por entender que a Ciência da Informação abarca todos os fenômenos ligados a produção, organização, difusão e utilização da informação (DIRETRIZES, 2000). Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (2002) definiu na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) o conjunto de atividades que limitam os espaços profissionais do bibliotecário. Esses parâmetros estabelecidos pela CBO são qualificações profissionais,no que tange ao crescimento profissional, não devem ser utilizados como base para seleção e desenvolvimento de atividades com suas reais necessidades e especificidades, para isto, o mapeamento possibilitaria um melhor posicionamento dos profissionais da informação (bibliotecário) frente às atividades a serem desenvolvidas em determinados locais de trabalho e para que se possa delinear a formação destes profissionais e ir ao encontro dos anseios das organizações. O trabalho do bibliotecário no século XXI passou por uma série de mudanças, antes a preocupação com a organização, tratamento e disseminação da informação para uma visão estratégica quanto ao uso da informação e seus sistemas. Marchiori (2005), apresenta características do gestor da informação que dentro das mudanças exigidas aos bibliotecários podem ser incorporadas, como domínio de processos e

5 técnicas para avaliação, uso, implementação de serviços e sistemas de informação a um grupo específico; aplicação de técnicas de planejamento e gestão, respeitando o contratado; conhecimento dos fluxos informacionais correntes com fim do discernimento dos processos informacionais. O Instituto de Cientistas da Informação do Reino Unido definiu algumas competências que devem orientar a formação do profissional da informação e estão divididas em cinco blocos que permeiam nas características da informação e seus usuários: análises, gestão, recuperação de sistemas de informação, marketing de produtos e serviços de informação, habilidades no manejo de tecnologias de informação além de algumas características pessoais como técnicas de pesquisa e comunicação. As competências do bibliotecário perpassam pela capacidade identificar e validar a informação, a competência em busca de fontes de informação e seu manejo e a implementação de procedimentos para o gerenciamento de fluxos e sistemas de informação. 3 Materiais e Métodos O presente artigo utilizou como método de pesquisa o estudo de caso e o objeto de estudo foi uma organização que desenvolve equipamentos médicos e odontológicos em São Carlos-SP, por conter um bibliotecário atuando em seu Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008. O desenvolvimento da pesquisa ocorreu em três etapas, sendo a primeira de pesquisa bibliográfica sobre os conceitos envolvidos no estudo; a segunda, prosseguiu com um procedimento de investigação que envolveu aplicação de entrevista e observação em loco dos procedimentos de trabalho do bibliotecário e a terceira e última, envolveu a análise das competências necessárias à atuação do bibliotecário com a norma ABNT ISO 9001:2008, com base em um glossário de competências desenvolvido por Amaral et al (2008), em relação às previstas no Projeto Político Pedagógico, do ano de 2004, do curso Biblioteconomia e Ciência da Informação da Universidade Federal de São Carlos (BCI/UFSCar, 2010), na análise avaliou-se as competências que o bibliotecário desenvolveu na graduação em BCI/UFSCar necessárias à atuação com

6 a ABNT ISO 9001: Resultados Parciais/Finais Foram mapeadas vinte e quatro atividades e competências do bibliotecário na atuação com a ISO 9001:2008, classificadas em: atividades em que possui conhecimentos, habilidades e atitudes e exerce; atividades que exerce, mas necessita de características para aperfeiçoamento; atividades que poderia exercer por possuir conhecimentos, habilidades e atitudes específicas da atividade; e atividades que não realiza por não possuir competência. Esse rsultado podem ser visualizado no Quadro 1.

7 N Atividades desempenhadas Competência Exerce Dificuldades BCI/UFSCar Identificação de desenhos mecânicos das áreas médicas e odontológicas para realização da transcrição na base ISODOC. 2 Elaboração da documentação necessária para certificação nos sistemas de gestão da qualidade. 3 Documentação(registro) das reclamações e sugestões realizadas pelos clientes para envio aos setores da organização. 4 Realização da comunicação aos setores da empresa sobre as reclamações e sugestões dos clientes 5 Normalização da documentação de processos da empresa para ANVISA. 6 Elaboração de notas de controle e relatórios de envio de produtos para esterilização. 7 Registro e controle do número de série de todos os produtos na base SECTRA e Excel. 8 Organização física das ordens de produção e de serviço da montagem de equipamentos. Sim Não Sim Não Sim Não Compreensão de desenhos mecânicos x x x Elaboração de documentos padronizados x x x Comunicação e elaboração de documentação. x x x Comunicação interpessoal x x x Identificar padrões documentais x x x Gerir fluxo de documentação x x x Administrar e organizar documentos x x x Gerência física da informação x x x 9 Avaliar fornecedores Desenvolver, identificar e avaliar parceiros x x x 10 Controle da certificação de produtos Gerir processos de certificação x x x 11 Auditorias internas quanto ao cumprimento dos procedimentos na produção dos produtos e com relação a preservação do meio ambiente. 12 Elaboração de procedimentos dos produtos (instruções de trabalho, formulários etc.) Identificação e avaliação de processos x x x Identificar e gerir procedimentos de documentação x x x

8 13 Controle da validação dos documentos do Sistema de Gestão da Qualidade. 14 Organização dos documentos gerados pela organização através do ISODOC. 15 Elaboração de manual do sistema de gestão da qualidade 16 Realização de treinamento aos funcionários quanto ao cumprimento dos procedimentos 17 Dificuldade na organização física das ordens de serviço da montagem dos equipamentos 18 Dificuldade de comunicar a importância de seguir os procedimentos (treinamentos) 19 Pouco conhecimento da área de engenharia dos produtos para aperfeiçoar o planejamento dos processos, instruções de trabalho, formulários, etc. 20 Domínio do Solidworks e Corel Draw para melhor representação na elaboração dos procedimentos. 21 Domínio do inglês para aperfeiçoar a representação das normas durante a elaboração dos procedimentos dos equipamentos. 22 Elaborar projetos de financiamento para desenvolvimento de produtos Controlar fluxos documentais x x x Administração da informação registrada x x x Identificar, avaliar padrões organizacionais x x x Capacitar recursos humanos x x x Técnicas para representar e recuperar x x x informação(arquivístico) Comunicação com as equipes de trabalho x x x Planejamento de processos x x x Domínio de ferramentas de trabalho x x x Compreender linguagens de trabalho x x x Elaboração de projetos x x x 23 Elaboração dos processos enviados a ANVISA Formular documentação x x x 24 Mapear processos do produto. Mapeamento de processos informacionais na x x x organização Quadro 1: Atividades e competências mapeadas na atuação do bibliotecário com a ISO:9001:2008.

9 O Quadro 2, a seguir, apresenta como foi desdobrada cada uma das competências mapeadas (Quadro 1) em conhecimentos, habilidades e atitudes (atributos de competência). O desdobramento tomou como base o glossário de competências apresentado por Amaral et al (2008) e permitiu a identificação dos atributos de competência de domínio do bibliotecário e atributos a serem desenvolvidos pelo profissional. O Quadro 2 apresenta o desdobramento da competência Identificar, avaliar padrões organizacionais. Competência: Identificar, avaliar padrões organizacionais Atividade 15: Elaboração de manual do sistema de gestão da qualidade Conhecimentos Habilidades Atitudes Capacidade de análise Detalhista Estrutura de poder da organização Mecanismos de troca de informações na organização e no setor industrial Planejamento Capacidade de obtenção de informações não publicadas Capacidade de reconhecer padrões e de extrair implicações dos dados Estar constantemente atento às informações Ética Observação Setor industrial Capacidade de redação Discernir Interpretação de dados Raciocínio estratégico Relacionamento com pessoaschave Percepção Senso crítico Visão global Quadro 2: Competência: Identificar, avaliar padrões organizacionais Avaliaram-se as competências que o bibliotecário desenvolveu na graduação em BCI/UFSCar, com base no Projeto Político Pedagógico do ano de 2004, necessárias à atuação com a ABNT ISO 9001:2008. Foi identificado um cenário em que de vinte e oito competências presentes no Projeto Político Pedagógico, do ano de 2004, do curso BCI/UFSCar,

10 aproximadamente sessenta e quatro por cento (64%) delas estão relacionadas ao desenvolvimento das atividades que o bibliotecário realiza na atuação com a ISO 9001:2008. O que compreende x% das capompetências necessárias a atuação com a ISO 9001:2008, que podem ser visualizadas no Quadro 1. As competências desenvolvidas pelo bibliotecário formado pelo curso BCI/UFSCar estão centradas em atividades de planejamento, avaliação, identificação e proposta de soluções de problemas que ocorrem durante as atividades desenvolvidas. A única competência identificada no conjunto de Atividades desenpenhadas sem dificuldades pelo bibliotecário (Quadro 1), que não foi desenvolvida no curso BCI/UFSCar é a Compreensão de desenhos mecânicos, o bibliotecário desenvolveu esta competência com ajuda de outros profissionais da organização Y e na atuação com a ISO 9001:2008. O desenpenho no conjunto de Atividades desenpenhadas com dificuldades pelo bibliotecário (Quadro 1) merece atenção quanto a necessidade do aprendizado contínuo, realizado através de tutorias, observação, práticas, leituras, cursos formais, como por exemplo, pós-graduação strictu sensu e lato sensu, entre outros. Em relação competência Comunicação com as equipes de trabalho, quanto à importância de seguir procedimentos, o bibliotecário afirmou que esta não foi desenvolvida satisfatóriamente pelo curso BCI/UFSCar, dada a sua importância na comunicação entre a equipe de trabalho. A competência Mapeamento de processos dentro do conjunto Atividades não desenpenhadas e que apresenta dificuldades poderá ser desenvolvida por meio do acompanhamento de profissionais, que realizam a atividade Mapear processos do produto na organização. 5 Considerações Parciais/Finais O bibliotecário atua nos processos de organização de documentos, planejamento, levantamento, tratamento, armazenamento e disseminação de informações, também realiza o acompanhamento in loco das atividades dos demais

11 membros da organização, visando à melhoria contínua dos processos, produtos e serviços da organização de acordo com os requisitos do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008. São exigidos do bibliotecário, conhecimentos sobre processos e atividades do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008. Atitudes que vão desde aspectos gerenciais a comportamentais, habilidades no trato com a informação registrada, no desempenho de atividades relacionadas ao controle, auditoria, monitoramento, planejamento e gestão. O bibliotecário corresponde às expectativas da organização, quanto às competências necessárias à atuação com o Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008, sua formação em BCI/UFSCar (2010) contempla o desenvolvimento de competências quanto ao atendimento das demandas, planejamento, tratamento, armazenamento e disseminação de informação, necessárias à atuação no Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001: Referências ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR ISO 9001:2008: sistemas de gestão qualidade: requisitos. Rio de Janeiro, AMARAL, R. M. et al. Modelo para o mapeamento de competências em equipes de inteligência competitiva. Ciência da Informação, v. 37, n. 2, dez ANDRADE, T. F. Competências do profissional da informação bibliotecário em sistemas de gestão da qualidade: o caso em uma organização de equipamentos médicos e odontológicos f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Departamento de Ciência da Informação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, BCI/UFSCar. Curso de Bacharelado em Biblioteconomia e Ciência da Informação Universidade Federal de São Carlos. Disponível em: <www.dci.ufscar.br>. Acesso em: 13 de abril DUTRA, J.S. (Org.) Gestão por competências: um modelo avançado para o gerenciamento de pessoas. São Paulo: Editora Gente, FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. C. C. Construindo o conceito de competências. Revista de

12 Administração Contemporânea (RAC), v. 5, p , INSTITUTE IF INFORMATION SCIENTISTS. Criteria for information Science. Disponível em: <http://www.iis.org.uk/criteria.html>. Acesso em:10/out/2009 LEITE, D.C.M. Método para implantação de um sistema de gestão da qualidade baseado na norma ISO 9001: f. (Mestrado em Engenharia de Produção). Departamento de Engenharia de Produção UFSCar, São Carlos, MARCHIORI, P. Z. Profissionais da informação, multidimensionalidade. consiliência e a formação em gestão da informação. In: BAPTISTA, S. G.; MUELLER, S. P. M. Profissional da informação: o espaço de trabalho. Brasília: Thesaurus, p (Estudos avançados em Ciência da Informação.3). MOURA, L. R. Informação: a essência da qualidade. Ciência da Informação. V.25,n.1,1996. MUELLER, S. P. M. Reflexões sobre a formação profissional para Biblioteconomia e sua relação com as demais profissões da informação. In: Transinformação. v.1, n.2, p SLACK, N. CHAMBERS, S. JOHNSTON, Robert. Administração da produção. 2ed. São Paulo: Atlas, p.

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização S QUE VOCÊ ENCONTRA NO INAED Como instituição que se posiciona em seu mercado de atuação na condição de provedora de soluções em gestão empresarial, o INAED disponibiliza para o mercado cursos abertos,

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) MODELO DE INDICADORES PARA A BIBLIOTECA FCA/UNICAMP Modalidade da apresentação:

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Gestão de pessoas por competência. Roniberto Morato do Amaral

Gestão de pessoas por competência. Roniberto Morato do Amaral Gestão de pessoas por competência Roniberto Morato do Amaral Objetivo: curso Abordagem das competências Gestão de pessoas Iniciativas Aprendizagem Mapeamento de competências Objetivo: seu! Qual é o seu

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização:

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS Realização: Ademar Luccio Albertin Mais de 10 anos de experiência em Governança e Gestão de TI, atuando em projetos nacionais e internacionais

Leia mais

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha

Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Treinamento Gestão da Qualidade - Cartilha Apresentação A AGM está se estruturando nos princípios da Qualidade Total e nos requisitos da Norma NBR ISO 9001:2000, implantando em nossas operações o SGQ Sistema

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO Analista Desenvolvedor de ETL OEI/TOR/FNDE/CGETI Nº /09

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas 6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas A partir do exposto, primeiramente apresentam-se as fases discriminadas no modelo proposto por Mello (2005), porém agora direcionadas

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES Aline Martins Mendes Luciano José Vieira Franco Luis Guilherme Esteves Leocádio Sônia Madali Bosêja

Leia mais

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE Como estruturar o Escritório da Qualidade Gestão da Qualidade A gestão da qualidade consiste em uma estratégia de administração orientada

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira

NBR ISO 9001:2008. Prof. Marcos Moreira NBR ISO 9001:2008 Sistema de Gestão da Qualidade Prof. Marcos Moreira História International Organization for Standardization fundada em 1947, em Genebra, e hoje presente em cerca de 157 países. Início

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Fóruns / Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias e experiências que

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

DOCUMENTOS E REGISTROS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

DOCUMENTOS E REGISTROS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DOCUMENTOS E REGISTROS DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 2011 WANDERSON S. PARIS INTRODUÇÃO Não se pretende aqui, reproduzir os conteúdos das normas ou esgotar o tema versado por elas. A ideia é apenas

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

MBA em Administração e Qualidade

MBA em Administração e Qualidade MBA em Administração e Qualidade Sistemas ISO 9000 e Auditorias da Qualidade Aula 5 Prof. Wanderson Stael Paris Olá! Confira no vídeo a seguir alguns temas que serão abordados nesta aula. Bons estudos!

Leia mais

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207 Qualidade de : Visão Geral ISO 12207: Estrutura s Fundamentais Aquisição Fornecimento s de Apoio Documentação Garantia de Qualidade Operação Desenvolvimento Manutenção Verificação Validação Revisão Conjunta

Leia mais

9001:2000 - EPS - UFSC)

9001:2000 - EPS - UFSC) Implantação de um sistema de gestão da qualidade conforme a norma ISO 9001:2000 numa pequena empresa de base tecnológica, estudo de caso: Solar Instrumentação, Monitoração e Controle Ltda. Gustavo Slongo

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Professor Samuel Graeff prof.samuel@uniuv.edu.br COBIT O que e? COBIT significa Control Objectives for Information and related Technology - Objetivos

Leia mais

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações Mariane Frascareli Lelis Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP e-mail: mariane_lelis@yahoo.com.br;

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008

Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Curso e- Learning Sistema de Gestão da Qualidade NBR ISO 9001:2008 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do

Leia mais

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas

ISO IEC. Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT. Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE. Normas internas das empresas Aula 03 : Norma NBR ISO 9001 Ghislaine Miranda Bonduelle NORMALIZAÇÃO DA QUALIDADE ISO IEC Internacional Normas Regionais MERCOSUL CEN COPANT Regional Normas Nacionais ABNT, BSI, AFNOR, DIN, JISE Nacional

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias

CONSULTORIA. Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias CONSULTORIA Sistema de Gestão ISO 9001 - Lean Esquadrias PADRÃO DE QUALIDADE DESCRIÇÃO ISO 9001 Esse Modelo de Produto de Consultoria tem por objetivo definir e melhorar todos os processos da empresa,

Leia mais

Gestão em Sistemas de Saúde

Gestão em Sistemas de Saúde INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão em Sistemas de Saúde Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia XX/XX/2013 Pró diretoria de

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim 7ª edição março 2015 Avaliação Institucional: um ato de consolidação para as universidades! Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Engenharia de Software Orientada a Serviços

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Universidade Paulista

Universidade Paulista Universidade Paulista Ciência da Computação Sistemas de Informação Gestão da Qualidade Principais pontos da NBR ISO/IEC 12207 - Tecnologia da Informação Processos de ciclo de vida de software Sergio Petersen

Leia mais

ANTONIO ROBINSON GONÇALVES IVANA DOS REIS LIMA JOSÉ RODOLFO ABREU VIEIRA

ANTONIO ROBINSON GONÇALVES IVANA DOS REIS LIMA JOSÉ RODOLFO ABREU VIEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PÓS - GRADUAÇÃO NPGA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL AVANÇADA - CPA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ANTONIO ROBINSON GONÇALVES IVANA DOS

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo para

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS Finanças DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE MOURA, Adilson Tadeu Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva BILESKY, Luciano Rossi Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Leia mais

Histórias, desdobramentos e desenvolvimentos da NR 17: O Papel e as contribuições da Engenharia de Produção

Histórias, desdobramentos e desenvolvimentos da NR 17: O Papel e as contribuições da Engenharia de Produção Seminário 20 anos da NR17 Histórias, desdobramentos e desenvolvimentos da NR 17: O Papel e as contribuições da Engenharia de Produção Fausto Mascia Novembro 2010 1 A Engenharia de Produção Trata do projeto,

Leia mais

MBA em Gestão de Proc. de Negócios, Qualidade e Certificações

MBA em Gestão de Proc. de Negócios, Qualidade e Certificações MBA em Gestão de Proc. de Negócios, Qualidade e Certificações Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições em Breve Turma 14 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT MAPEAMENTO DE PROCESSOS DE CONFECÇÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS DA PRODUÇÃO Espinosa, Caroline Stagi - Bacharel em Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e Humanidades - Universidade de São

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS CARACTERÍSTICAS PESSOAIS DO AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO THE IMPORTANCE OF THE PERSONAL`S SKILLS OF THE MANAGEMENT SYSTEM AUDITOR

A IMPORTÂNCIA DAS CARACTERÍSTICAS PESSOAIS DO AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO THE IMPORTANCE OF THE PERSONAL`S SKILLS OF THE MANAGEMENT SYSTEM AUDITOR A IMPORTÂNCIA DAS CARACTERÍSTICAS PESSOAIS DO AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO THE IMPORTANCE OF THE PERSONAL`S SKILLS OF THE MANAGEMENT SYSTEM AUDITOR Aldoney Freire Costa Pesquisador-Tecnologista Instituto

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

Grupo de Auditoria ISO 19011

Grupo de Auditoria ISO 19011 Grupo de Auditoria ISO 19011 Aplicação do processo de avaliação para um time de auditoria executar uma auditoria interna no sistema de gestão da qualidade de uma Fábrica de Chocolate Fictícia Exemplo da

Leia mais

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL Eng. Dayana B. Costa MSc, Doutoranda e Pesquisadora do NORIE/UFRGS Conteúdo da Manhã Módulo 1 Medição de Desempenho Conceitos Básicos Experiência de Sistemas de

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade A Gestão da Qualidade Total, do inglês Total Quality Management - TQM é uma estratégia de administração completa que tem como objetivo

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

Integrando o PSM ao COBIT

Integrando o PSM ao COBIT Integrando o PSM ao COBIT Diana Baklizky, CFPS Qualified PSM Instructor ti MÉTRICAS Ltda www.metricas.com.br 1 Agenda Objetivo Governança de TI COBIT 4.1 Como o PSM pode ajudar Caso Prático Conclusão Referências

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

MAPEAMENTO DOS CONHECIMENTOS ESSENCIAIS REQUERIDOS PARA RESULTADOS NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS DA CODEVASF. fevereiro 2006

MAPEAMENTO DOS CONHECIMENTOS ESSENCIAIS REQUERIDOS PARA RESULTADOS NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS DA CODEVASF. fevereiro 2006 MAPEAMENTO DOS CONHECIMENTOS ESSENCIAIS REQUERIDOS PARA RESULTADOS NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS DA CODEVASF fevereiro 2006 ESPAÇO OCUPACIONAL NA ORGANIZAÇÃO Necessidades da Organização Competências Individuais

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais