Fibra Óptica Cobre o país

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fibra Óptica Cobre o país"

Transcrição

1 Fibra Óptica Cobre o país Distribuição gratuita

2

3 T Revista trimestral da Angola Telecom, n.º 82, Ano 11, Julho/Agosto/Setembro 2011 Propriedade da Angola Telecom, Rua das Quipacas n.º 186-6ª andar, Telf: , Fax: Director Manuel César Edição Gabinete de Comunicação e Imagem Sumário Angola tem 10 mil km de rede de Fibra Óptica...4 Livro branco das tecnologias de informação merece maior divulgação...5 Encontrar soluções para vencer os actuais desafios...8 Conselho de Ministros nomeia administradores para a Angola Telecom...9 TV Cabo expõe produtos na Angola Telecom...24 Conselho Editorial Manuel César João Tavares Fotografia Joaquim António Design Gabinete de Comunicação e Imagem Colaboração Joaquim António João Manuel Pedro

4 Revista bimestral da Angola Telecom Angola tem 10 mil Km de rede de fibra óptica O Administrador para Área Técnica da Angola Telecom, Álvaro António de Brito Alves, afirmou, em Luanda, que a rede de fibra óptica da Angola Telecom cobre praticamente todo o País. Em declarações à imprensa, no final de um encontro mantido com o secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, João Sebastião Teta, Álvaro Alves referiu que a rede de fibra óptica cobre todo o país numa extensão de 10 mil quilómetros, cobrindo as capitais de província, algumas sedes municipais e comunais e também algumas povoações ao longo do seu trajecto. No que toca à operatividade deste sistema de comunicações aquele responsável referiu que a Empresa tem tido alguns problemas técnicos com os constantes cortes ao longo das vias, o que origina quebra do sinal e elevados custos de manutenção. A construção de infra-estruturas como estradas e as toupeiras que roem os cabos são os maiores causadores dos cortes que acontecem todos os dias. Estes factores provocam custos para a manutenção, reconstrução e deslocação dos técnicos muitas vezes de Luanda para outras províncias, explicou. Sobre os recursos humanos disponíveis Álvaro Alves referiu que a Angola Telecom ainda não conseguiu ultrapassar o nível 1, que é ter quadros capazes de dar respostas a toda tecnologia que a empresa faz uso, o que por diversas vezes obriga ao recurso de especialistas estrangeiros. Temos uma tecnologia de ponta e estamos a fazer uma transição abrupta da velha para a nova tecnologia, e para termos recursos humanos é difícil a nível do País. Para estabilizar a rede precisamos de quadros capazes. Com este encontro mantido com o secretário João Sebastião Teta, e com o programa que nos apresentou, a curto e médio prazo, vamos poder ter quadros nacionais para fazer face aos desafios das telecomunicações, defendeu. João Sebastião Teta foi informado do volume de investimentos efectuados pela Angola Telecom, e a capacidade de resposta de encomendas e de recursos humanos da empresa. 4

5 ACTUALIDADE Livro branco das tecnologias de informação merece maior divulgação O III Conselho Consultivo do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação recomendou a necessidade da divulgação pública do Livro Branco das Tecnologias de Informação e Comunicação, e promover debate alargado sobre as principais perspectivas para a operacionalidade das medidas das referidas estratégias nele definidas. Os participantes concluíram haver necessidade de se dar início ao processo de regulamentação das matérias referentes as leis das Comunicações Electrónicas e dos Serviços da Sociedade de Informação, de modo a criar uma aplicação estrutural e completa do novo ordenamento jurídico do Sector das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação. Segundo a Angop, o Conselho realizado na localidade do Quéssua a sete Km da cidade capital de Malange, com o mesmo nome, recomendou ainda a necessidade de se evoluir o portal do Governo, do estágio informativo actual, para o desenvolvimento interactivo e transaccional, mediante a disponibilidade de formulários on-line para o acesso dos cidadãos aos serviços de administração pública. Segundo as conclusões do encontro, a Angola Telecom deve suportar, com prioridade, a implementação do projecto das Tecnologias de Informação e Comunicação, disponibilizando infraestrutura compatível aos serviços inerentes à governação electrónica a todos os organismos da administração pública. Sensibilizar os departamentos ministeriais e dos governos provinciais, sobre a importância de se estabelecer mecanismos que garantam a inter-operacionalidade dos sistemas de informação e a hierarquização das bases de dados a nível nacional, foi também uma das conclusões saídas no evento. Os delegados ao Conselho foram igualmente informados sobre o estágio do processo da migração digital no país e recomendaram o cumprimento escrupuloso dos prazos definidos, devendo, contudo, manter informada a população sobre o referido processo. O Conselho Consultivo, que visou analisar e perspectivar as actividades do sector, teve a duração de dois dias e contou com a participação do ministro e vice-ministros das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, nomeadamente José Carvalho da Rocha, Pedro Teta e Aristides Safeca, bem como de directores das 18 províncias do país, chefes de departamento e secção do ministério, assim como responsáveis e técnicos seniores das empresas públicas e privadas do sector. 5

6 Revista bimestral da Angola Telecom REGIÕES Conselho Consultivo do MTTI destaca importância das telecomunicações O vice-governador de Malanje para o sector económico, António David Dias, considerou que as telecomunicações são um factor primordial para o desenvolvimento das sociedades. O governante que falava na abertura do III Conselho Consultivo Nacional Alargado do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação (MTTI), disse ser necessário o aumento do nível de cobertura dos serviços de telefonia fixa, móvel e o incremento do nível de acesso à Internet e outros serviços inerentes ao sector, nos municípios, para que estejam ligados com o mundo. O dirigente reconheceu o trabalho que tem sido desenvolvido para a modernização das das infra-estruturas de telecomunicações. Acrescentou que apesar deste trabalho (de modernização e expansão das infra-estruturas de telecomunicações), a situação ainda é preocupante, porque grande parte da região de Malanje encontra-se privada deste importante serviço, que concorre para o progresso. David Dias disse estar convicto que o crescimento vertiginoso do sector das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e a sua modernização, torna tudo mais acessível, o que leva a crer que a era electrónica tomará conta das soluções para o bem-estar da população. O Conselho Consultivo, analisau as actividades do ministério, a Lei das Comunicações Electrónicas e dos Serviços da Sociedade de Informação na aplicação das comunicações electrónicas, Regulamento Geral das Comunicações Electrónicas, Regulamento das Tecnologias e de Serviços da Sociedade da Informação e código de conduta da Associação Angolana de Provedores de Sociedade da Internet, o Portal do Governo no contexto actual, plano estratégico de desenvolvimento do Instituto Nacional de Meteorologia (Inamet), serviços postais, a apresentação das linhas estratégicas de desenvolvimento de 2011/2014, reestruturação da Angola Telecom entre outros temas. 6

7 ACTUALIDADE 7

8 Revista bimestral da Angola Telecom Conselho de Direcção advoga Encontrar soluções para vencer os actuais desafios O Conselho de Direcção da Angola Telecom, recentemente realizado na sua sede social em Luanda, recomendou, dentre outros aspectos inerentes a gestão da Empresa, a procura de melhores soluções para ultrapassar com êxito o actual momento, pelo que todos os trabalhadores são convidados a participar de corpo e alma no processo de reestruturação. No encontro foi igualmente avaliado o resultado das participadas e da evolução dos projectos, destacandose a necessidade de potenciar o serviço liga-liga, particularmente nas localidades onde as populações ainda não tenham acesso aos serviços de outras operadoras. Para acelerar o redireccionamento das antenas e a reactivação desse serviço, foi orientada a programação de acções de formação para os técnicos da Angola Telecom nas direcções provinciais, com vista a tornar essa acção mais célere. Ainda sobre projectos, os presentes não deixaram de mostrar um grande interesse sobre a possibilidade da Empresa investir no serviço móvel, atendendo à actual configuração do xadrez legislativo do Sector das Telecomunicações que contempla a atribuição de licenças globais na exploração desses serviços, pois, na sua óptica, investir nos telemóveis é fundamental, considerando esse negócio como uma das mais-valias para o relançamento da Empresa. As vendas e cobranças, igualmente, mereceram uma abordagem profunda. À Direcção de Finanças e Contabilidade foi orientada o recurso a entidades especializadas em cobranças para junto dos devedores recuperar os valores em dívida. Quanto às vendas e marketing, o Conselho apreciou as medidas propostas, especialmente a criação de equipas de cobranças, a reestruturação dos processos de marketing e o estabelecimento de parcerias estratégicas. No que toca aos recursos humanos, foram propostas as formas de actuação para aumentar a motivação do pessoal e a definição de instrumentos jurídicos que obriguem os mesmos a cumprir o contrato de trabalho, particularmente, em relação aos que recebam formação especializada. 8

9 Conselho de Ministros nomeia mais administradores para Angola Telecom O Conselho de Ministros, reunido em sessão ordinária, em Setembro de 2011, aprovou a indicação de mais quatro administradores para a gestão da Empresa de Telecomunicações de Angola-EP (Angola Telecom). Passam a assumir funções executivas no Conselho de Administração da Angola Telecom, Manuel António e Naiole dos Santos, enquanto André Luís Brandão e Pedro Domingos Miguel foram nomeados como administradores não executivos. Importa ressaltar que preside o Conselho de Administração da Angola Telecom o Engº Feliciano António, do qual já fazem parte; Álvaro António de Brito Alves, Maria Luísa Correia de Carvalho, João Adolfo Martins e Isilda Samba Marques da Silva, nomeados a 26 de Março de

10 ACTUALIDADE FORMAÇÃO Revista bimestral da Angola Telecom 10

11 ACTUALIDADE Fibra óptica facilita combate à infoexclusão dos cidadãos A expansão do cabo de fibra óptica no País torna mais fácil o acesso dos cidadãos às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), segundo admitiu, recentemente, o Director da Angola Telecom no Huambo, Adriano José Muteka Muholo. Em declarações à Angop, a propósito da importância das TIC no desenvolvimento social, o responsável local da Empresa de Telecomunicações de Angola informou que a fibra óptica, cuja expansão pelo país decorre de forma célere, abrangendo a sede da província, Huambo, e alguns municípios, traz maior rapidez no acesso aos serviços de dados, telefonia e Internet, ferramentas indispensáveis para o desenvolvimento de qualquer sociedade, nessa era da globalização, melhorando dessa forma a gestão de recursos económicos e financeiros, e a pesquisa científica. Adriano Muholo aproveitou igual- mente para alertar os encarregados de educação sobre os perigos no acesso aos conteúdos que os seus educandos buscam na Internet, sobretudo quando interagem com pessoas estranhas. 11

12 ACTUALIDADE Revista bimestral da Angola Telecom Reunidos na procura de soluções Dando sequência aos encontros de concertação, visando encontrar um denominador comum para a resolução dos problemas que afectam o normal funcionamento da Empresa e consequentemente, as condições sociais dos trabalhadores, a Comissão Sindical foi recebida em audiência pelo Conselho de Administração da Angola Telecom, liderado pelo seu presidente Eng.º Feliciano António, coadjuvado pelos administradores; Álvaro Alves, Isilda Silva e João Adolfo Martins. No encontro, foram discutidos os temas mais candentes, mormente, o melhoramento do salário base, assistência sanitária, subsídio de morte e a reforma dos colaboradores com mais de 35 anos de serviço. Da parte do Conselho de Administração, a Comissão Sindical obteve a devida autorização de discutir esses assuntos com as direcções de recursos humanos e das finanças, por formas a encontrar soluções que poderão ser implementadas após a entrada em vigor da nova estrutura. Dentro desse espírito o presidente do Conselho de Administração, Eng.º Feliciano António, disse aos presentes que espera sempre essa interacção de forma a agilizar a procura de soluções. No final do encontro a coordenadora da Comissão Sindical, Esmeralda Brás, agradeceu, em nome dos seus colaboradores, ao Conselho de Administração da Angola Telecom, pela forma como foram abordados os problemas, motivo de esperança na sua resolução. 12

13 Revista bimestral da Angola Telecom ACTUALIDADE Agentes de marketing O T leva a cabo um processo de recolha de opiniões sobre os serviços e produtos da Angola Telecom junto de clientes internos e externos. Quase todos, entendem que apesar das dificuldades vividas pela Empresa de Telecomunicações de Angola, a recuperação do status quo da mesma nunca será difícil, desde que sejam implementadas acções correctivas nos procedimentos técnicos e comerciais, adequandoos às actuais leis de um mercado cada vez mais dinâmico, tendo em conta o património e os recursos tecnológicos, altamente sofisticados, instalados em praticamente todo o País. O mais sintomático aspecto que surpreendeu pela positiva os repórteres do T que já percorreram as províncias de Benguela, Bié, Huambo, Kuando Kubango e Kwanza Sul, foi o facto de, com a melhoria nos serviços, alguns clientes internos advogarem a necessidade de também se tornarem agentes de marketing, promovendo assim, toda uma gama dos serviços e produtos da empresa e também tornarem-se agentes revendedores

14 Revista bimestral da Angola Telecom Internet nas escolas primeira edição do Programa Espaço Público da TPA, defendeu que a montagem de computadores de mesa no nosso País vai minimizar as dificuldades na aquisição desses equipamentos, cujo elevado custo está a dificultar esse processo. A expansão do sinal de Internet nas escolas em Angola encontra um grande handicap ; o custo elevado dos computadores! Questionado sobre a estratégia do Executivo Angolano para massificar a Internet nas escolas, uma importante ferramenta no processo ensino-aprendizagem, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, que falava na Segundo José Carvalho da Rocha, as autoridades angolanas conceberam um projecto de montagem de computadores no país, para que se materialize o seu programa de levar a aprendizagem por computador a partir do ensino primário. O ministro salientou que para este fim já tomaram contacto com os chamados tigres asiáticos (Hong Kong, Coreia do Sul, Taiwan e Singapura) para que nos próximos tempos se arranque o processo com a participação de estudantes que estejam a terminar o ensino médio em Benguela, Huambo e Luanda. Responsáveis da educação no Zaire satisfeitos com Internet em banda-larga O Director provincial dos transportes, correios e telecomunicações do Zaire, Jeremias Timóteo, mostrou-se satisfeito pelo serviço de Internet em banda-larga nas escolas da província, cujo projecto está a ser implementado pelo Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, com suporte técnico da Angola Telecom. Em declarações à Agência Angola Press, a partir de Mbanza Kongo, Jeremias Timóteo, revela igualmente que a província beneficiou de 60 kits informáticos com mais de 100 computadores e respectivos periféricos. O responsável referiu que este serviço abrange três escolas em Mbanza Kongo, a capital da província, e uma escola em cada um dos restantes cinco municípios. Segundo o director, o objectivo deste projecto é a massificação do uso das tecnologias de informação por alunos e professores, ferramenta fundamental para o estudo e pesquisa de conteúdos por parte destes

15 ACTUALIDADE REGIÕES Ravina força deslocação de antena em Cacongo A antena que suporta a transmissão e recepção do sinal da Angola Telecom em Lândana, município de Cacongo em Cabinda está a ser desmontada para posteriormente ser edificada num outro local, devido à acção ameaçadora de uma gigantesca ravina, relatou ao T, o Director desta Empresa naquela província, Tomás Vaba Lelo. Tomás Vaba Lelo adiantou ainda que o serviço, que está a ser executado por especialistas da Angola Telecom, será executado em duas fases, sendo que na primeira, será desmontada apenas uma parte da estrutura, enquanto se aguarda a construção da nova antena, e após a conclusão desta se vai desmontar o resto da antiga estrutura. O T soube ainda que a expectativa no seio da população em Cacongo é grande, pois se aguarda, a todo o momento, a reinauguração da loja local para a venda dos nossos produtos e serviços. 15

16 Revista bimestral da Angola Telecom REGIÕES Adones: sensibilização e aviso aos utilizadores do mar A instalação do cabo submarino em fibras ópticas Adones ao longo da costa angolana, interligando as províncias de Cabinda, Zaire, Luanda, Kwanza Sul, Benguela e Namibe, constitui mais um passo na grandiosa tarefa de facilitar cada vez mais o acesso dos cidadãos às tecnologias de informação e comunicação. Deste modo, contribui seguramente para o combate a infoexclusão fundamentalmente nas províncias acima citadas com o fornecimento de mais serviços quer telefónicos como de Internet e circuitos dedicados a operadores. No entanto, esse desiderato, não tem alcançado as metas fixadas na fase de concepção do projecto, devido aos vários cortes em diversas localidades, protagonizados por diferentes actores que actuam no mar. Nesse particular, importa salientar que o restabelecimento do cabo de fibras ópticas Adones é bastante oneroso E é dentro desse espírito, procurando terminar com os constantes cortes no cabo de fibras ópticas Adones, que a Angola Telecom tem desenvolvido um conjunto de acções que, dentre outras enumeramos: Continuação da discussão com os operadores petrolíferos, dos acordos de cruzamento com os sistemas de gasodutos. Construção de um sistema de sinalização adicional nos pontos de amarração do sistema, de acordo com as orientações fornecidas pelo IHSMA (Instituto Hidrográfico de Sinalização Marítima de Angola) Estudo em colaboração com as autoridades marítimas e a Defesa Nacional, das melhores formas de segurança para o sistema, de modo a prevenir acções externas que o danifiquem. Realização de uma sessão de sensibilização e aviso aos utilizadores do fundo do mar e público em geral para a importância do projecto. Distribuição de documentação as outras entidades que utilizam o mar como o RPL (lista da posição do Cabo) e SDL (diagramas de linhas rectas), cartas marítimas De referir que o cabo submarino em fibras ópticas Adones já está totalmente instalado, assim como os equipamentos de transmissão nas estações. 16

17 ACTUALIDADE 17

18 Revista bimestral da Angola Telecom REGIÕES Todos em prontidão Os trabalhadores da Empresa de Telecomunicações de Angola estão dispostos a virar a página e transformar as actuais dificuldades da empresa num forte aprendizado, para o relançamento da mesma a escala nacional numa fase inicial. Tendo em vista as disposições emanadas pelo Estado Angolano no actual Livro Branco para o desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação no País, o T está a recolher opiniões, críticas e sugestões junto de trabalhadores, clientes e elementos da sociedade civil, nas direcções provinciais, sobre as novas oportunidades que se desenham para a Angola Telecom. Nas províncias de Benguela, Bié, Huambo e do Kuando Kubango, onde o T já esteve, os trabalhadores, como primeiros clientes desta Empresa, não se coibiram em manifestar os seus pontos de vista, sobre a nova visão estratégica do Executivo angolano, 18

19 REGIÕES quanto a atribuição de uma licença global de serviços, que também permite investir na exploração dos serviços e produtos de telefonia móvel. Na sua opinião, o telemóvel é o negócio de momento e também a forma mais rápida de tirar a grande maioria dos angolanos da infoexclusão, pois, acreditam que ninguém melhor que a Angola Telecom pode alcançar esse desiderato, tendo em conta a infra-estrutura de telecomunicações instalada, uma das maiores e mais modernas da África, cobrindo com serviços de transmissão por fibra óptica, microondas e por satélite todas as sedes provinciais e municipais, e com possibilidades de ligar também várias sedes comunais e diversas povoações em Angola. Por outro lado, não descuram também a possibilidade de vender as suas ligações internacionais por fibra óptica e por satélite a países limítrofes. Para já, os trabalhadores estão engajados a manter os serviços operacionais e atendendo, o mais rápido possível, ao chamado dos clientes com dificuldades de acesso à rede. Também é notório, nas províncias onde passou o T, o esforço que está a ser desenvolvido, visando a adesão de mais clientes aos serviços da Angola Telecom e por outro lado, negociar as dívidas dos seus clientes. O T vai continuar com a recolha de opiniões em todas as direcções provinciais, uma forma, acreditamos, de incentivar o trabalhador e o cliente da Angola Telecom a participar, com a sua modesta opinião, na melhoria e expansão das tecnologias de informação e comunicação, e no combate à infoexclusão no nosso País. 19

20 ACTUALIDADE Revista bimestral da Angola Telecom 20

21 REGIÕES WIMAX terá maior extensão do sinal em Wacu Kungo O serviço de Internet de banda larga sem fios, WIMAX, terá uma maior cobertura na sede municipal da Cela, Wacu Kungo, na província do Kwanza Sul. Segundo Rosa Zépora Cardoso Aguiar Gonçalves, chefe da Agência em exercício, que falava ao T, as antenas instaladas na torre localizada no centro da cidade, não permitem a cobertura de todos os aldeamentos do projecto Aldeia Nova onde residem vários clientes e potenciais clientes da Angola Telecom que desejam usufruir destes serviços. Para resolver essa e outras situações técnicas, uma equipa proveniente da sede da província, Sumbe, esteve recentemente em serviço naquela localidade e subiu ao morro do Wacu, onde a Angola Telecom também tem infraestruturas de telecomunicações, para avaliar as condições técnicas tendo em vista a instalação de mais equipamentos para alargar a cobertura do sinal do WIMAX. Reza a história que o nome da localidade Wacu Kungo, deriva de Wacu, a montanha que está no topo da cidade e Kungo, o primeiro habitante e soba, de cujo nome se deu a outra montanha nas proximidades. Wacu Kungo no Kwanza Sul, tem cerca de 30 mil habitantes e até 1975 designou-se por Santa Comba. 21

22 Revista bimestral da Angola Telecom Opinião do cliente A imperiosa melhoria na qualidade dos serviços António Manuel Neto, cliente desde 1990 e a partir de 05 de Junho de 2009 (há 2 anos) com Internet de banda larga, ADSL tem dificuldades de acesso à rede devido a quebras constantes no sinal. Por alguns instantes, pensou em recorrer a outro operador, mas a relação preço qualidade lhe retém no serviço da Angola Telecom, na medida em que, segundo António Manuel Neto, os últimos desenvolvimentos no que toca à implementação dos projectos nesta empresa, indiciam uma melhoria na qualidade tanto da Internet como de outros serviços. Outra situação que o preocupa, é a taxa cobrada pelos serviços, mesmo quando esses registam avaria ou quebra no sinal alheia ao cliente,, pelo que espera a resolução tão logo quanto possível. António Manuel Neto aguarda melhorias, particularmente na Internet dadas as facilidades de contactos comerciais com outros operadores comerciais que esse serviço permite, tanto dentro como fora do país, na procura de novidades dos produtos e fazendo encomendas, tendo resposta quase imediata. Eduardo Graciano, gerente comercial da Katessa Kumbi, também no Kwanza Sul, tem o serviço da Angola Telecom desde o ano Segundo este cliente, as Tecnologias de Informação e Comunicação no Kwanza Sul, apesar de não estarem no nível desejado, suprem as necessidades básicas. Hoje em dia, vemos a expansão de vários serviços como as redes sociais, pois, antigamente, para acessar a uma notícia era difícil. Praticamente, tudo chegava ao nosso conhecimento sempre com atrasos, no que era através do jornal ou verbalmente. Louva o esforço dos dirigentes em Angola por essa evolução e pelo grande investimento que nos traz em tempo real o que acontece em qualquer ponto do mundo. Uma retumbante vitória do Povo Angolano, é como Eduardo Graciano classifica o eminente lançamento do satélite de comunicações, pois, na sua óptica, com o actual ritmo de crescimento económico, depender somente de terceiros em telecomunicações fica muito complicado. O satélite vai ajudar muito no desenvolvimento do nosso país. No que toca à Angola Telecom, Eduardo Graciano considera que precisa melhorar. Ajuda nas comunicações, mas são notórias algumas deficiências, principalmente no que toca ao serviço de dados. Necessitamos da Internet em dia, já que essa facilidade permite ter os relatórios e os salários do pessoal sempre em dia. Segundo ele, a telefonia não tem causado grandes problemas, sendo uma mais-valia o provável regresso da Angola Telecom à telefonia móvel como operador. 22

23 Alargado tempo de recarga dos cartões Eco A Direcção de Marketing e Suporte as Vendas, fez alteração do período de validade dos cartões de recarga Eco comercializados pela Angola Telecom, dando mais tempo de utilização para a validação do período de recarga. A medida visou essencialmente ajustar o constrangimento para o cliente em relação ao tempo de recarga que era reduzido, conduzindo o bloqueio do telefone caso o mesmo não efectuasse duas recargas de 125 UTT s no mês. Desta forma, a empresa reanima o consumidor face a agressividade constante que o mercado da telefonia vive actualmente. Novos cartões Eco Novos cartões Eco, para a recarga dos telefones da Angola Telecom, poderão ser colocados no mercado ainda este ano, avançou o Director de Marketing e Suporte às Vendas, Bartolomeu Pereira. Abordado pelo T, Bartolomeu Pereira frisou que o projecto já mereceu a anuência superior e os constrangimentos de natureza administrativa estão a ser ultrapassados, devendo a comercialização dos novos cartões Eco, acontecer brevemente. Para já, a novidade é a introdução de novas imagens que retratam aspectos culturais do nosso país, devendo as unidades manterem-se ou seja, de 68, 125, 250, 500 e 750 UTT s. Referindo-se ao impacto que se registou nas vendas do cartão Eco após o alargamento do tempo de utilização das recargas, o Director de Marketing e Suporte às Vendas, disse que é prematuro aferir o impacto na medida que esta acção não foi complementada com um anúncio publicitário direccionado para os clientes. Por outro, a medida visa fundamentalmente criar algum conforto ao cliente face a concorrência que já dispunha de janelas de carregamento dilatadas e não propriamente incrementar vendas. Portanto, se tanto, criar alguma fidelização. Todavia iremos avaliar em pelo menos três meses de vendas o incremento que se registou. Os cartões Eco, são comercializados nas lojas da Angola Telecom a nível nacional e também nos agentes autorizados. 23

24 Revista bimestral da Angola Telecom TVCABO expõe produtos na Angola Telecom A TVCABO Angola expôs de 28 a 30 de Setembro, no hall do refeitório da sede da Angola Telecom uma gama de serviços e produtos, com possibilidade de venda e instalação imediata na casa dos interessados. Segundo apurou o T, junto de fonte autorizada, os trabalhadores da Angola Telecom interessados nos serviços, durante os dias da promoção, puderam beneficiar de Kit completo, pagando apenas a subscrição. A TVCABO, marca pioneira na distribuição de dados e conteúdos por cabo no continente africano, tem em Angola igual participação de capital da Angola Telecom e do Grupo Visabeira, disponibilizando, simultaneamente, televisão e Internet de banda larga, e outros serviços interactivos, multimédia e complementares, com sinal inteiramente digital. A TVCABO iniciou a construção da sua rede em Angola em 2002 e a comercialização de serviços em Do centro de Luanda se expande para a periferia e também já é notória a sua presença noutras cidades do país como é o caso de Benguela e Lobito, com uma rede totalmente construída em fibra óptica. 24

25 Seguro para doenças profissionais e acidentes de trabalho É voz corrente em quase todas as empresas senão mesmo em todas, a institucionalização dos serviços de segurança higiene e saúde no trabalho. A Angola Telecom, tem na sua estrutura orgânica os Serviços de Segurança Higiene e Saúde no Trabalho, adstritos à Direcção de Recursos Humanos que de forma incessante trabalha para este fim. Nesta senda, está também a institucionalização do seguro de acidentes de trabalho e doenças profissionais. Segundo o responsável pelos serviços de segurança higiene e saúde no trabalho, Sr Eduardo Domingos de Sousa, o Decreto nº 31/94 de 5 de Agosto plasmado no Diário da Republica, estabelece no ponto 2 do artigo 18º, a obrigatoriedade de criação e organização de Serviços de Segurança Higiene e Saúde nas Empresas, em conformidade com a Convenção nº 161 da Organização Internacional do Trabalho (O.I.T.) de Estes serviços definem-se como instrumento através do qual a Administração da Empresa assume a responsabilidade pela prevenção dos acidentes de trabalho e doenças profissionais. Interrogado se na Angola Telecom existem casos de acidentes de trabalho ou doenças profissionais, Eduardo Domingos de Sousa, adiantou que em qualquer ramo de actividade existem casos, alguns identificados e outros não, e a Angola Telecom não é uma excepção. Quando isso ocorre, a empresa tem prestado todo o tipo de auxílio que a Lei prevê, nomeadamente: Assumpção das despesas de assistência médica e medicamentosa aos acidentados e aos doentes, quando devidamente reconhecidos. Salvaguarda dos salários e outros adicionais aos colaboradores nestas condições. Acompanhamento moral e material até à reabilitação total. Indemnizações aos colaboradores quando não se cumpre com o estipulado no contrato. A nossa fonte, disse também que todo o valor gasto pela empresa para estes casos, a seguradora reembolsa desde que se cumpra com as modalidades constantes no contrato (participação do acidente no prazo de 72 horas). No que tange às doenças sexualmente transmissíveis, Eduardo Domingos de Sousa, referiu que a vida humana tem um valor jurídico que deve ser salvaguardado, porquanto, o rendimento de qualquer actividade produtiva depende do factor homem. Nestas circunstâncias, frisou que as doenças sexualmente transmissíveis e em particular o HIV/SIDA é hoje um dos grandes problemas que afecta as nações, governos, sociedades e empresas. Toda a atenção deve estar virada ao combate a este flagelo que ameaça a humanidade. A Angola Telecom não está alheia a esta situação, e é assim que através da ONG ACOSIT (Acção Contra Tuberculose) foram formados 26 Activistas que têm servido de multiplicadores de informação, educação e comunicação do HIV/SIDA, enfatizou Eduardo Domingos de Sousa. A Distribuição de preservativos e outro material de propaganda é um dos meios para apoiar e prevenir os nossos colaboradores e para casos diagnosticados existe o processo de assistência médica e medicamentosa nos centros hospitalares, disse a fonte dot. Falando da relação entre a empresa e o MA- PESS, a fonte do T salientou que actualmente existem doenças que se adquirem por contagio (material cortante, agulhas e outros meios), o HIV/SIDA é uma destas, e o MAPESS aconselha a intensificação de campanhas de sensibilização sobre as doenças profissionais e as doenças sexualmente transmissíveis. Eduardo Domingos de Sousa, considerou que a prevenção dos acidentes e doenças profissionais nos locais de trabalho constitui uma preocupação do Estado, tendente a proteger a segurança e a saúde dos trabalhadores e que a eficaz execução desta tarefa exige necessariamente a participação combinada dos empregadores e trabalhadores, visando a satisfação dos seus interesses e da economia no seu conjunto, daí a razão da relação MAPESS e Empresa. O nosso entrevistado referiu, por outro lado, que o Centro Nacional de Sangue do Ministério da Saúde, muito recentemente, solicitou à Administração da Angola Telecom um apoio de sangue denominado Dar Sangue é Salvar Vidas. O Resultado da Campanha foi de 37 colaboradores, que de forma voluntaria doaram o seu sangue, gesto aplaudido pela equipa de médicos que aguardava no local. 25

PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por:

PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por: PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por: Manuel Alfredo Resende de Oliveira (Engenheiro Civil Instituto Superior Técnico) Valério

Leia mais

ORGANOGRAMA DO SISTEMA EDUCATIVO - ANGOLA (reforma educativa - fase de transição. ão) 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª

ORGANOGRAMA DO SISTEMA EDUCATIVO - ANGOLA (reforma educativa - fase de transição. ão) 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª Prosseguimento de estudos 12ª 11ª 10ª 12ª 11ª 10ª 9ª 8ª 7ª 9ª 8ª 7ª 6ª 5ª 4ª 3ª 2ª 1ª 9ª Classe (Transição) Mercado de trabalho Formação Média-Técnica Mercado de trabalho Ensino Ensino Secundário (1º Ciclo)

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

REDES. Boletim Informativo da Angola Telecom Número 30 Ano 3 Janeiro de 2011. Director de Marketing visita areas ligadas ao atendimento

REDES. Boletim Informativo da Angola Telecom Número 30 Ano 3 Janeiro de 2011. Director de Marketing visita areas ligadas ao atendimento REDES 1 Janeiro de 2011 Boletim Informativo da Angola Telecom Número 30 Ano 3 Janeiro de 2011 DESTAQUES Realizado 13º Conselho de Direcção Director de Marketing visita areas ligadas ao atendimento Testada

Leia mais

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva

Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Painel Temático 2: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável Sala G4 10H45 12H15 Moderadora: Cristina Gomes Ferreira Relatora: Elizabeth Silva Apresentação dos seguintes projectos: 1) Câmara de Lobos.

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores Newsletter Janeiro 2011 Campanha Colaboradores Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro Principais Vantagens para Associados A Vodafone oferece condições especiais

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação REPÚBLICA DE ANGOLA Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação Intervenção de Sua Excelência Licínio Tavares Ribeiro, Ministro dos Correios e Telecomunicações ANGOLA (Genebra, 12 de Dezembro de 2003)

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 145 29 de Julho de 2008 5106-(19)

Diário da República, 1.ª série N.º 145 29 de Julho de 2008 5106-(19) Diário da República, 1.ª série N.º 145 29 de Julho de 2008 5106-(19) Portaria n.º 701-E/2008 de 29 de Julho O Código dos Contratos Públicos consagra a obrigação das entidades adjudicantes de contratos

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA. Preâmbulo

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA. Preâmbulo REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA Preâmbulo O voluntariado é definido como um conjunto de acções e interesses sociais e comunitários, realizadas de forma desinteressada no âmbito

Leia mais

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS Projecto do PNUD financiado pela Cooperação Espanhola Ministério da Hotelaria e Turismo República de Angola Angola PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO PNUD / CNUCED "GESTÃO DE PROJECTOS

Leia mais

Entrevista à Coordenadora Nacional do PAR Programa de Apoio à Reconstrução Por Pedro Cardoso (Jornalista), 2004

Entrevista à Coordenadora Nacional do PAR Programa de Apoio à Reconstrução Por Pedro Cardoso (Jornalista), 2004 Entrevista à Coordenadora Nacional do PAR Programa de Apoio à Reconstrução Por Pedro Cardoso (Jornalista), 2004 Podíamos estar muito mais longe do que estamos, revela a Coordenadora Nacional do PAR em

Leia mais

Empreendedorismo: Experiências de Angola

Empreendedorismo: Experiências de Angola Empreendedorismo: Experiências de Angola Globalização Resulta Redução do emprego formal Esbarra Visão Empreendedora Exige Necessidade de mudança Mecanismos de Incentivo ao Empreendedorismo Programas do

Leia mais

Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal

Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal 1 Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal 1. A Câmara Municipal de Almeida tem, nos termos da lei e dos estatutos, autonomia administrativa, financeira e

Leia mais

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 Adão Augusto, Consultor 12-02-2015 1. Contextualização. Os projectos sociais fazem parte de um sistema complexo de relações que envolvem

Leia mais

aware ANGOLAN DESK DIREITO DO TRABALHO Outubro 2010 N.1

aware ANGOLAN DESK DIREITO DO TRABALHO Outubro 2010 N.1 ANGOLAN DESK DIREITO DO TRABALHO Outubro 2010 N.1 Seminário: As Relações entre Portugal e Angola: O Investimento Angolano em Portugal 17 de Novembro de 2010, no Auditório da Abreu Advogados Reserve na

Leia mais

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio

Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público. Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Secretaria de Estado do Sector Empresarial Público Decreto-Lei nº 7/07 de 2 de Maio Tendo em conta a história económica do nosso País após a independência, a propriedade pública ainda ocupa um lugar muito

Leia mais

SISTEMA DE PROTECÇÃO SOCIAL EM ANGOLA

SISTEMA DE PROTECÇÃO SOCIAL EM ANGOLA SISTEMA DE PROTECÇÃO SOCIAL EM ANGOLA I- CONTEXTO 1- A assistência social é uma abordagem que visa proteger os grupos mais vulneráveis tendo em conta critérios rigorosos para uma pessoa se habilitar a

Leia mais

CEBE. Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO

CEBE. Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO CEBE Cooperativa de Ensino de Benfica, Crl REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE Introdução 3 Pag 1 Regime de funcionamento 4 1.1 Horário 5 1.2 Acesso, circulação e saída da CEBE 6 2 Estrutura Pedagógica e Administrativa

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

COMISSÃO. 1. Introdução

COMISSÃO. 1. Introdução COMISSÃO Convite à apresentação de candidaturas para a constituição de uma lista de peritos encarregados de avaliar as propostas recebidas no âmbito do programa eten, projectos de interesse comum no domínio

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Simplificação nas PMEs

Simplificação nas PMEs Simplificação nas PMEs Aproveitamento das Novas Tecnologias DGITA Portal Declarações Electrónicas Dezembro 2007 Simplificação nas PMEs - Aproveitamento das Novas Tecnologias 1 Agenda O que é a DGITA? Estratégia

Leia mais

PT Wi-Fi: Internet em Movimento

PT Wi-Fi: Internet em Movimento PT Wi-Fi: Internet em Movimento Clipping de Media (05 a 09 de Dezembro de 2003) Meio: Diário Económico Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 6 Meio: Jornal de Negócios Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 8

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar. A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na

Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar. A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na info Gondomar Newsletter N.º14 Julho 2012 Semestral Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na revista

Leia mais

Projeto Twendela kumwe 1

Projeto Twendela kumwe 1 Avaliação Intercalar Ano 1 Janeiro 2011 - Janeiro 2012 Projeto Twendela kumwe 1 - Capacitação Institucional da Cáritas de Angola - SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INTERCALAR - ANO 1 [01 DE JANEIRO

Leia mais

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008

O e-gov em Portugal. Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O e-gov em Portugal Fórum Vale do Minho Digital Melgaço 30 de Setembro de 2008 O Plano Tecnológico é uma estratégia de mudança da base competitiva através do conhecimento, tecnologia e inovação 2 Conhecimento

Leia mais

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Um bom plano de divulgação deverá assegurar que todos os envolvidos estão a par do que está a ser proposto e do que irá acontecer

Leia mais

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHCMensagens SMS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso: ganhe

Leia mais

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA. Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA. Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111 CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111 Por: António Prata, Director do Departamento de Informação e Relações Internacionais Objectivos

Leia mais

DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA

DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA DOCUMENTO DE CONSULTA PÚBLICA N.º 8/2010 Projecto de Orientação Técnica relativa ao desenvolvimento dos sistemas de gestão de riscos e de controlo interno das entidades gestoras de fundos de pensões 31

Leia mais

e.mail: anip.caf@multitel.co.ao República de Angola

e.mail: anip.caf@multitel.co.ao República de Angola República de Angola 1 FORUM DE NEGOCIOS ANGOLA - ARGENTINA Córdoba, 20 de Mayo de 2010 santprata@hotmail.com 2 Slide 2/2 Quadro Legal sobre o Investimento Garantias ao Investidor Incentivos ao Investimento

Leia mais

Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho,

Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, Convocada em Genebra pelo Conselho de Administração

Leia mais

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março

Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março Decreto-Lei n.º 56/2006, de 15 de Março EXPLORAÇÃO DE JOGOS SOCIAIS (DISTRIBUIÇÃO DOS RESULTADOS LÍQUIDOS) (LOTARIAS - TOTOBOLA TOTOLOTO TOTOGOLO LOTO 2 JOKER - EUROMILHÕES) A afectação das receitas dos

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA

CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA PARTE I - MISSÃO, VALORES, VISÃO E LINHAS DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA DO COMISSARIADO DA AUDITORIA O Comissariado da Auditoria (CA) funciona como órgão independente na

Leia mais

República de Angola Ministério das Finanças Gabinete de Apoio Técnico Linha de Crédito/Eximbank da China

República de Angola Ministério das Finanças Gabinete de Apoio Técnico Linha de Crédito/Eximbank da China República de Angola Ministério das Finanças Gabinete de Apoio Técnico Linha de Crédito/Eximbank da China COBERTURA DE RISCO DE CRÉDITO À EXPORTAÇÃO DE ORIGEM PORTUGUESA COSEC RELATÓRIO DAS ACTIVIDADES

Leia mais

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro)

Portaria n.º 605/99, de 5 de Agosto Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) Regulamento do Sistema Nacional de Farmacovigilância (Revogado pela Decreto-Lei n.º 242/2002, de 5 de Novembro) O sistema de avaliação e autorização de introdução no mercado de medicamentos, que tem vindo

Leia mais

A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC

A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC A ÁREA DE PRÁTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL, MARKETING E TMT DA ABBC ABBC A actuação da ABBC assenta na independência, no profissionalismo e na competência técnica dos seus advogados e colaboradores,

Leia mais

APOGOM. Compromissos da indústria alimentar sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde

APOGOM. Compromissos da indústria alimentar sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde APOGOM Compromissos da indústria alimentar sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde É hoje amplamente reconhecido que o aumento significativo de certas doenças não transmissíveis (tais como as doenças

Leia mais

Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas

Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas Este guia foi produzido como parte da Campanha de Consciencialização Pan-Europeia sobre RSE, uma iniciativa da Comissão Europeia, Directoria

Leia mais

APDSI assinala o Dia Mundial das Telecomunicações e da SI dedicado à Banda Larga

APDSI assinala o Dia Mundial das Telecomunicações e da SI dedicado à Banda Larga APDSI assinala o Dia Mundial das Telecomunicações e da SI dedicado à Banda Larga Lisboa, - A APDSI associou-se mais uma vez às comemorações do Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Estratégia da Comissão Nacional de Tecnologias de Informação Decreto nº. 6/02 de 4 de Abril Considerando que as tecnologias de informação constituem um elemento fundamental

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Genebra -Maio 2012. Página 1/11

Genebra -Maio 2012. Página 1/11 O desempenho de Angola no Sector das Tecnologias de Informação e Comunicação no âmbito das recomendações da Cimeira Mundial da Sociedade de Informação. Genebra -Maio 2012 Página 1/11 Índice Sumário Executivo...3

Leia mais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais 12054/02/PT WP 69 Parecer 1/2003 sobre o armazenamento dos dados de tráfego para efeitos de facturação Adoptado em 29 de Janeiro de 2003 O Grupo de Trabalho

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e o Bem-Estar Conferência de alto nível da ue JUNTOS PELA SAÚDE MENTAL E PELO BEM-ESTAR Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Slovensko predsedstvo EU 2008 Slovenian Presidency

Leia mais

MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO

MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO Sofia Vale Agosto de 2015 Foi publicada recentemente a nova Lei do Investimento Privado 1 (doravante A Nova LIP ), que contém

Leia mais

5. Esquema do processo de candidatura

5. Esquema do processo de candidatura Projecto e colecção de perguntas e respostas sobre o Exame Unificado de Acesso (disciplinas de Língua e Matemática) das quatro instituições do ensino superiorde Macau I Contexto Cada instituição do ensino

Leia mais

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho SHST O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Todos os trabalhadores têm direito à prestação de trabalho em condições de segurança, higiene e saúde, competindo ao empregador assegurar

Leia mais

A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3

A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3 1 / 1 A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3 ... os recursos petrolíferos devem ser alocados à constituição de reservas financeiras do Estado que possam ser utilizadas, de forma igualitária e equitativa,

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

PONTNews Solução Comercial de e-marketing

PONTNews Solução Comercial de e-marketing PONTNews Solução Comercial de e-marketing Dossier de Produto DP010.03 02/01/2009 A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais, cuja principal actividade é implementação de Sistemas de Informação

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

Ética A GUARDIAN disponibiliza o presente Código de Conduta a todos os colaboradores, Clientes, Fornecedores e Parceiros.

Ética A GUARDIAN disponibiliza o presente Código de Conduta a todos os colaboradores, Clientes, Fornecedores e Parceiros. Âmbito de aplicação O presente Código de Conduta aplica-se a toda a estrutura GUARDIAN Sociedade de Mediação de Seguros, Lda., seguidamente designada por GUARDIAN, sem prejuízo das disposições legais ou

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

Promovendo a Transparência no Financiamento Político na SADC

Promovendo a Transparência no Financiamento Político na SADC Promovendo a Transparência no Financiamento Político na SADC Setembro de 2010 Este document apresenta um resumo das principais conclusões e recomendações de um estudo sobre financiamento político na região

Leia mais

Seminário internacional sobre A supervisão eficiente e o desenvolvimento do mercado de capitais. Discurso de abertura

Seminário internacional sobre A supervisão eficiente e o desenvolvimento do mercado de capitais. Discurso de abertura Seminário internacional sobre A supervisão eficiente e o desenvolvimento do mercado de capitais Discurso de abertura Em representação do Banco de Cabo Verde, apraz-me proceder à abertura deste seminário

Leia mais

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação Regulamento Julho de 2008 CAPÍTULO I Natureza, Missão, Atribuições e Constituição Artigo 1º Natureza O Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre Voluntariado

Perguntas Frequentes sobre Voluntariado Perguntas Frequentes sobre Voluntariado Juntos podemos fazer da solidariedade um compromisso Índice 1. O que é o Voluntariado? 3 2. Que organizações podem ser promotoras do Voluntariado? 3 3. O que é ser

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Auditoria do Tribunal de Contas à Direcção Geral do Tesouro no âmbito da Contabilidade do Tesouro de 2000 (Relatório n.º 18/2002 2ª Secção) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Adoptada pelos Ministros da Saúde e Ministros do Ambiente na Segunda Conferência Interministerial sobre Saúde e

Leia mais

ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010

ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010 ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010 Por forma a melhor esclarecer os membros da OA quanto à posição e actuação da Ordem, nos últimos dois

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 4 Ratificar a decisão de início de procedimento e de escolha do procedimento prévio à contratação, bem como todos os actos procedimentais subsequentes

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros DECRETO nº.../07 de... de... Considerando que as aplicações pacíficas de energia atómica assumem cada vez mais um papel significativo no desenvolvimento

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA REALIZAÇÃO DE UMA FORMAÇÃO SOBRE DIREITOS HUMANOS E GÉNERO NO KUITO, PROVINCIA DO BIÉ, ANGOLA

TERMOS DE REFERÊNCIA REALIZAÇÃO DE UMA FORMAÇÃO SOBRE DIREITOS HUMANOS E GÉNERO NO KUITO, PROVINCIA DO BIÉ, ANGOLA TERMOS DE REFERÊNCIA REALIZAÇÃO DE UMA FORMAÇÃO SOBRE DIREITOS HUMANOS E GÉNERO NO KUITO, PROVINCIA DO BIÉ, ANGOLA Convénio 10-CO1-005: Fortalecimento dos serviços públicos de saúde nas zonas de intervenção

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social PROGRAMA DE REFORMA ADMINISTRATIVA PREA

REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social PROGRAMA DE REFORMA ADMINISTRATIVA PREA REPÚBLICA DE ANGOLA Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social PROGRAMA DE REFORMA ADMINISTRATIVA PREA INTRODUÇÃO No quadro das tarefas de implementação do Programa de Reforma Administrativa

Leia mais

Ministério da Comunicação Social

Ministério da Comunicação Social Ministério da Comunicação Social ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTERIO DA COMUNICAÇÃO SOCIAL Missão 1. Ministério da Comunicação Social é o órgão do Governo encarregue de organizar e controlar a execução da

Leia mais

Desafios da Regulação Regional

Desafios da Regulação Regional Desafios da Regulação Regional A perspectiva da Movicel no contexto da implementação da nova rede G/ U Carlos Brito Data: 14 de Abril de 2011 Agenda 01. A Movicel no contexto das Telecomunicações Móveis

Leia mais

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Fevereiro de 2012 Índice 1. Resumo das actividades... 1 2. Balanço e aperfeiçoamento... 6 3. Perspectivas para os trabalhos

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XVII Ruído. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XVII Ruído. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVII Ruído um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa autorização

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

Cimeira do Fórum Índia África

Cimeira do Fórum Índia África REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Presidência da República Cimeira do Fórum Índia África Intervenção de Sua Excelência Senhor José Mário Vaz Presidente da República Nova Delhi, 29 de Outubro de 2015 Excelência,

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Ministério do Comércio

Ministério do Comércio Ministério do Comércio DECRETO EXECUTIVO Nº / DE DE O Governo da República de Angola e a Assembleia Nacional aprovaram o quadro jurídico legal, que define um conjunto de iniciativas e acções de alcance

Leia mais

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária

Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Abril de 2008 Bashen Agro Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária 1 Bashen Agro Um projecto Consultoria e sistemas de gestão AgroPecuária Parceria FZ AGROGESTÃO Consultoria em Meio Rural, Lda Av.

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO LIVRO

ORGANIZAÇÃO DO LIVRO Prefácio A performance dos serviços públicos constitui um tema que interessa a todos os cidadãos em qualquer país. A eficiência, a quantidade e a qualidade dos bens e serviços produzidos pelos organismos

Leia mais

1. PERGUNTAS FREQUENTES 1.1. INFORMAÇÕES GERAIS

1. PERGUNTAS FREQUENTES 1.1. INFORMAÇÕES GERAIS 1. PERGUNTAS FREQUENTES 1.1. INFORMAÇÕES GERAIS - Quem explora o site Pixel4Winner.com? - Onde está sedeada a sociedade anónima? - Posso ter confiança no site Pixel4Winner.com? - A participação a uma lotaria

Leia mais

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE Projecto IMCHE/2/CP2 1 ALIANÇA ESTRATÉGICA DA SAÚDE E AMBIENTE PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE LIBREVILLE

Leia mais

B. O mercado de seguros de doença

B. O mercado de seguros de doença B. O mercado de seguros de doença 1. Tipos de coberturas associadas ao risco de doença Os seguros de doença e algumas coberturas específicas de outros riscos com eles intimamente relacionados têm vindo

Leia mais

Sumário. Separata 00 000 21 Janeiro 2011

Sumário. Separata 00 000 21 Janeiro 2011 Separata 00 000 21 Janeiro 2011 Sumário EDITAL 11/2011 - SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO DIRECTOR MUNICIPAL DA GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL NO DIRECTOR DE DEPARTAMENTO DE GESTÃO FINANCEIRA (DGF), NA

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO Maputo, Abril de 2014 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO... 3 II. TEMAS APRESENTADOS...

Leia mais

PHC Workflow. Informatize de forma eficaz todos os circuitos e processos de trabalho usados na sua empresa

PHC Workflow. Informatize de forma eficaz todos os circuitos e processos de trabalho usados na sua empresa PHCWorkflow DESCRITIVO O PHC Workflow permite que o conjunto de acções a executar, sigam uma ordem pré- -definida de acordo com as normas da empresa, aumentando a agilidade e produtividade dos colaboradores.

Leia mais

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho

3. Caracterização e cadastro do Movimento Associativo do concelho De : DCED/DICUL Carlos Anjos Proc. Nº Para : ANA JOSÉ CARVALHO, CHEFE DA DICUL Assunto : PROPOSTA DE PLANO DE ACTIVIDADES DO GRUPO DE TRABALHO PARA O MOVIMENTO ASSOCIATIVO - 2011 Para os efeitos tidos

Leia mais

UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTODA WORLD WIDE WEB FOUNDATION "DIREITOS DAS MULHERES ONLINE" Por: Alsácia Atanásio. Coordenadora do Projecto

UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTODA WORLD WIDE WEB FOUNDATION DIREITOS DAS MULHERES ONLINE Por: Alsácia Atanásio. Coordenadora do Projecto UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTODA WORLD WIDE WEB FOUNDATION "DIREITOS DAS MULHERES ONLINE" Por: Alsácia Atanásio Coordenadora do Projecto SIITRI, Moçambique Ò o UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTO DA WORLD

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

Plataforma de Compras Electrónicas. Sessão de Apresentação do Projecto

Plataforma de Compras Electrónicas. Sessão de Apresentação do Projecto Plataforma de Compras Electrónicas Sessão de Apresentação do Projecto 16 de Abril de 2007 Dr.ª Rosário Fernandes Estatísticas do Projecto (Fevereiro e Março de 2007) Utilizadores Orgânicas Fornecedores

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais