Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL"

Transcrição

1 A/ Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A cobertura de eleições presidenciais na imprensa e na televisão ( ) Edições Colibri Instituto Politécnico de Lisboa

2 ÍNDICE Introdução Um percurso pessoal e profissional Porquê estudar a cobertura de eleições? Sobre os objectivos e a estrutura da dissertação 28 PARTE I Capítulo I - Questões teóricas sobre o estudo dos media e do jornalismo Os caminhos da investigação O "programa" de Lazarsfeld e Merton O estudo qualitativo da imprensa Abordagens alternativas: os Estudos Culturais 46 Capítulo II - Dilemas analíticos no estudo das notícias A perspectiva da economia política A perspectiva organizacional A perspectiva cultural A procura de um novo paradigma 66 Capítulo Hl - Jornalismo e jornalistas Dois modelos de jornalismo Limites de uma oposição Campo jornalístico Campo jornalístico e campo económico A questão da legitimidade do j ornalismo e dos j ornalistas O jornalismo mudou 83 Capítulo IV - Jornalismo e política A dimensão política do jornalismo 87

3 Estrela Serrano 2. A literatura sobre a cobertura de campanhas eleitorais Personalização das campanhas Negativismo Um jornalismo mais agressivo Partidarismo Uma cobertura interpretativa Estratégia e "jogo" Sondagens O discurso dos candidatos A cobertura na televisão Efeitos da cobertura baseada no "jogo" e na estratégia 105 PARTE II Capítulo V - Objectivos da investigação e estratégias metodológicas Desenho da análise Questões metodológicas Fontes impressas e audiovisuais 114 Capítulo VI - Para uma análise multidimensional do caso português Factores contextuais: o 25 de Abril e os media Factores históricos: uma ditadura retrógada Factores culturais: uma imprensa amordaçada Factores económicos: o regime de propriedade da imprensa Os media no desencadear da revolução As movimentações na imprensa, na rádio e na televisão O "Verão quente" de 1975 : Os "casos" República e Renascença Regresso dos "velhos" títulos e surgimento de novos Agência de notícias Imprensa local Rádio e televisão Breve balanço dos primeiros anos 145 Capítulo VII - Quadro normativo dos media no pós-25 de Abril A primeira lei de imprensa O acesso à profissão de jornalista 153

4 Jornalismo Político em Portugal primeiro código deontológico Entidades reguladoras 158 Capítulo VIU-O jornalismo no pós-revolução Imprensa Televisão Transformações na propriedade dos media fim do monopólio estatal da televisão A nova paisagem audiovisual Principais grupos media Lusomundo (Portugal Telecom-PT/Controlinveste) Impresa Cofina Media Capital Impala Grupo Estado Igreja católica Um mercado exíguo Segmentação geográfica e perfil da audiência Imprensa Televisão 200 Capítulo IX - Principais tendências do jornalismo nos anos 80, 90 e início de Orientação para o mercado Tendências inovadoras Novos desafios Televisão: do jornalismo militante ao jornalismo de mercado Imprensa especializada 215 Capítulo X - Poder político, poder económico e autonomia dos jornalistas Jornalistas e políticos em portugal O "caso Marcelo/TVI" e a liberdade de expressão Jornalistas: uma margem estreita de autonomia A pressão da publicidade 241

5 10 Estrela Serrano PARTE III Capítulo XI - Eleições presidenciais em Portugal As campanhas eleitorais vistas por jornalistas e políticos As primeiras eleições do Portugal democrático Os media e o ciclo eleitoral de A primeira eleição presidencial do novo regime democrático A eleição de 1980: recandidatura de Eanes divide PS A eleição de o fim das candidaturas militares e a divisão da esquerda A eleição de 1991: "coabitação tranquila" A eleição de 1996: a "teoria dos ovos e dos cestos" A eleição de 2001: sob o signo da abstenção 270 Capítulo XJJ - estudo de caso: imprensa e televisão Objectivos e corpus O Diário de Notícias Razões de uma escolha História e perfil do Diário de Notícias Inventário e definição das categorias analíticas Atributos formais Valorização gráfica Assinatura Discurso è género A questão dos géneros Estilo: narração e descrição versus análise e interpretação Alternativas de análise Enquadramento Tom Tema principal (story lead) Protagonista principal Citação: a voz dos candidatos Proveniência das peças Títulos 305 Capítulo XJJI - Padrões jornalísticos na cobertura das campanhas presidenciais no Diário de Notícias Apresentação e discussão dos dados 309

6 Jornalismo Político em Portugal Intensidade da cobertura Localização das peças no jornal Extensão das peças Assinatura das peças: do anonimato à personalização Valorização gráfica: da fotografia à infografia Géneros jornalísticos: dos géneros "tradicionais" aos "novos" géneros A "agenda" dos candidatos: um género entre a notícia e o "anúncio" Tempos de antena "Notas à margem" - os "fait-divers" da campanha Frases, "notas" e passatempos O género "entrevista" Estudos, dossiês, retratos e perfis O crescimento do género Opinião Tipo e estilo das peças Temas da campanha As sondagens como tema noticioso "jogo" como enquadramento predominante tom da cobertura jornalística Instância enunciativa: a voz os candidatos Protagonistas Proveniência das peças Títulos Análise conotativa dos títulos 366 Capítulo XIV - a cobertura das campanhas na televisão O jornalismo televisivo como género específico Objectivos da pesquisa sobre a televisão e delimitação do universo de análise Estratégia metodológica Elementos contextuais das campanhas de 1991, 1996 e Análise quantitativa: apresentação e discussão dos dados Extensão da cobertura Protagonistas Níveis de mediação Temas, enquadramentos, géneros e estilos 390

7 12 Estrela Serrano Última eleição presidencial em regime de monopólio o surgimento de novos géneros e a irrupção do "directo" uma cobertura pouco estruturada Da neutralidade ao negativismo: o tom das campanhas 401 Capítulo XV - Análise comparada da campanha eleitoral de 2001: RTP1, SIC e TVI 409 Capítulo XVI -r Análise qualitativa da cobertura televisiva As imagens visuais O valor da imagem O genérico O apresentador imagens com fraco valor informativo As personagens Localização espacial e temporal Imagens sem valor informativo Uma socialização profissional eficaz As lógicas específicas do jornalismo televisivo A sedução do público como forma de legitimação do jornalismo televisivo Recurso ao humor Procura de uma narrativa lógica e coerente O senso comum O "directo" como valorização do instante A interacção com o público Uma linguagem simplificada O quadro em que decorre a acção A personalização dos factos O conflito como tema 464 Capítulo XVJJ - Conclusões e reflexões finais Sobre modelos analíticos O sentido das mudanças No Diário de Notícias Regimes de propriedade e modelos de reportar Principais tendências 471

8 Jornalismo Político em Portugal Na informação televisiva Principais tendências Do conflito como motor da cobertura jornalística Da personalização das campanhas Dar a palavra ao público Subalternização do valor informativo da imagem Uma concepção do jornalismo e da política Televisão pública versus televisão comercial Sobre o campo jornalístico Epílogo 484 Referências bibliográficas 487 Fontes jurídicas e regulamentares 507 Artigos de imprensa 509 Sítios na internet 511 Programas de televisão 513 Anexo 1 515

Do Jornalismo aos Media

Do Jornalismo aos Media Do Jornalismo aos Media Estudos sobre a realidade portuguesa Rogério Santos Universidade Católica Editora Índice Introdução 7 Parte I Elementos para a história dos media em Portugal Jornalismo português

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

EXAMES ÉPOCA DE RECURSO

EXAMES ÉPOCA DE RECURSO EXAMES ÉPOCA DE RECURSO 2.º SEMESTRE ANO LETIVO 2014/2015 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EXAMES ÉPOCA DE RECURSO 2.º, 4.º e 6.º SEMESTRES 2014/2015 LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA Comunicação

Leia mais

EXAMES ÉPOCA ESPECIAL

EXAMES ÉPOCA ESPECIAL EXAMES ÉPOCA ESPECIAL ANO LETIVO 2014/2015 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EXAMES ÉPOCA ESPECIAL 2014/2015 LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA 4º Semestre 1º Semestre Teorias da Comunicação

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL-PUBLICIDADE E PROPAGANDA (Currículo iniciado em 2009)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL-PUBLICIDADE E PROPAGANDA (Currículo iniciado em 2009) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL-PUBLICIDADE E PROPAGANDA (Currículo iniciado em 2009) ARTE E ESTÉTICA EM COMUNICAÇÃO/PP (1958) C/H 68 Investigação da natureza, história e estilos

Leia mais

ÍNDICE. B. Marcello Caetano e Imprensa: relações de proximidade

ÍNDICE. B. Marcello Caetano e Imprensa: relações de proximidade ÍNDICE Índice de quadros Índice de figuras Agradecimentos Resumo/Abstract Introdução A. Encruzilhadas do Marcelismo B. Marcello Caetano e Imprensa: relações de proximidade C. Eleições de 1969: esperanças

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

Colóquio Internacional Corrupção, Mídia e Novas Tecnologias Brasil e Portugal em Perspectiva Comparada

Colóquio Internacional Corrupção, Mídia e Novas Tecnologias Brasil e Portugal em Perspectiva Comparada Colóquio Internacional Corrupção, Mídia e Novas Tecnologias Brasil e Portugal em Perspectiva Comparada Belo Horizonte, UFMG 30 e 31 de outubro de 2012 1 Contextos da corrupção política em Portugal Universidade

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 MESTRADO: EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Estudos Organizacionais e Sociedade e Marketing e Cadeias

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE: RESOLUÇÃO Nº /00-CEPE 1 Fixa o Currículo Pleno do Curso de Comunicação Social, Habilitações em Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. O,

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A partir de meados do século xx a actividade de planeamento passou a estar intimamente relacionada com o modelo racional. Uma das propostas que distinguia este do anterior paradigma era a integração

Leia mais

Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE CATEGORIAS

Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE CATEGORIAS Sistemas de categorias 15 ANEXO II SISTEMAS DE Sistemas de categorias 16 Sistemas de categorias 17 ÍNDICE 1. Introdução 2.Dimensão estratégica do conceito imagem interna de marca corporativa 2.1. Significados

Leia mais

CURRICULUM SIMPLIFICADO

CURRICULUM SIMPLIFICADO Turno: MAT_COM - Comunicação Manhã Regime: Semestral Prazo Máximo: 14 Série: 1-1º SEMESTRE 4HJ176 EPISTEMOLOGIA EM COMUNICAÇÃO 2.0 36 0 36 4JN171 GÊNEROS E CONCEITOS DO JORNALISMO I 2.0 36 0 36 4HJ178

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda Diretrizes Curriculares ENADE 2012 Curso de: Publicidade e Propaganda MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA MEC Nº207 DE 22 DE JUNHO DE

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2006

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2006 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2006 Redação final do Projeto de Lei da Câmara nº 79, de 2004 (nº 708, de 2003, na Casa de origem). A Comissão Diretora apresenta a redação final do Projeto de Lei da Câmara

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CINEMA E AUDIOVISUAL Missão O Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar um profissional humanista, com perfil técnico e artístico

Leia mais

Telefones: 41.91135521 e-mails: doacir.q@grupouninter.com.br

Telefones: 41.91135521 e-mails: doacir.q@grupouninter.com.br IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: Meios de Comunicação e Política Pesquisador responsável: Prof. Doutor Doacir Gonçalves de Quadros Contatos: Telefones: 41.91135521 e-mails: doacir.q@grupouninter.com.br

Leia mais

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos QUADRO CURSO D PUBLICIDAD PROPAGANDA QUADRO ANTRIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGNT NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos DISCIPLINA A DISCIPLINA B CÓDIGO DISCIPLINA - 2008 C/H CUR -SO DISCIPLINA C/H CÓDIGO

Leia mais

EXAMES ÉPOCA ESPECIAL

EXAMES ÉPOCA ESPECIAL EAMES ÉPOCA ESPECIAL ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EAMES ÉPOCA ESPECIAL 2015/2016 LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA NOTA // Só serão admitidos em eame os alunos inscritos.

Leia mais

A 376394. PORTUGAL: As Relações Ibéricas no Âmbito da Globalização e Liberalização dos Mercados

A 376394. PORTUGAL: As Relações Ibéricas no Âmbito da Globalização e Liberalização dos Mercados A 376394 PORTUGAL: As Relações Ibéricas no Âmbito da Globalização e Liberalização dos Mercados ÍNDICE NOTA DE ENQUADRAMENTO 9 PREFÁCIO 11 INTRODUÇÃO A A escolha do tema 17 B - Objectivos e metodologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 65, DE 11 DE MAIO DE 2012 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 257ª Reunião Extraordinária, realizada em 11 de maio de 2012, e considerando

Leia mais

NOTA À 2ª EDIÇÃO... VII PREFÁCIO... IX. No Renascimento de uma Nova Era... IX PREÂMBULO... XIII. Organização do livro... xiii. Destinatários...

NOTA À 2ª EDIÇÃO... VII PREFÁCIO... IX. No Renascimento de uma Nova Era... IX PREÂMBULO... XIII. Organização do livro... xiii. Destinatários... NOTA À 2ª EDIÇÃO... VII PREFÁCIO... IX No Renascimento de uma Nova Era... IX Índice PREÂMBULO... XIII Organização do livro... xiii Destinatários... xiv Utilização do livro... xiv Agradecimentos... xiv

Leia mais

Género e Empreendedorismo Imigrante Brasileiro em Portugal que impactos na integração e nas relações transnacionais?

Género e Empreendedorismo Imigrante Brasileiro em Portugal que impactos na integração e nas relações transnacionais? Género e Empreendedorismo Imigrante Brasileiro em Portugal que impactos na integração e nas relações transnacionais? Suelda de Albuquerque Ferreira Beatriz Padilla Jorge Malheiros 1º Seminário de Estudos

Leia mais

EXAMES ÉPOCA NORMAL 2.º SEMESTRE ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO

EXAMES ÉPOCA NORMAL 2.º SEMESTRE ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EAMES ÉPOCA NORMAL 2.º SEMESTRE ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EAMES ÉPOCA NORMAL 2.º, 4.º e 6.º SEMESTRES 2015/2016 LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA NOTA // Os alunos

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE MATRIZ CURRICULAR 2016.1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 49/15, 2015 de 7 de outubro de 2015. SUMÁRIO 2 1ª FASE... 4 01 DESENHO DE MODA I... 4 02 HISTÓRIA: ARTE E INDUMENTÁRIA...

Leia mais

11ÍIJIIIII Linga A/902799

11ÍIJIIIII Linga A/902799 Linga-Bibliothek 11ÍIJIIIII Linga A/902799 REDE GLOBO 40 ANOS DE PODER E HEGEMONIA Valério Cruz Brittos César Ricardo Siqueira Bolano (orgs.) PAULUS {locíl Sumário APRESENTAÇÃO 11 PARTE I PLANO GERAL 17

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 136, DE 24 DE JUNHO DE 2009

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 136, DE 24 DE JUNHO DE 2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 136, DE 24 DE JUNHO DE 2009 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO MESTRADO: A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Organizações e Estratégia e Empreendedorismo e Mercado

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

ARQUIVO MÁRIO SOARES

ARQUIVO MÁRIO SOARES ARQUIVO MÁRIO SOARES PASTA N.º 2367,003 Imagem n.º: 2 Informar para Vencer - Partido Socialista/CTE N.º ou Ref.ª: 1, Ano 80 Data: 0/0/0 Descrição: Contém os seguintes artigos: Os Preços Sobem: Eis a Mudança

Leia mais

EXAMES ÉPOCA NORMAL 1.º SEMESTRE ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO

EXAMES ÉPOCA NORMAL 1.º SEMESTRE ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO EXAMES ÉPOCA NORMAL 1.º SEMESTRE ANO LETIVO 2015/2016 LICENCIATURAS MESTRADOS PÓS-GRADUAÇÃO LICENCIATURA // AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA Teorias da Comunicação Análise Social Audiovisual e Fundamentos de Marketing

Leia mais

ANEXO 01. CURSO: Tecnólogo em Segurança Pública e Social UFF

ANEXO 01. CURSO: Tecnólogo em Segurança Pública e Social UFF ANEXO 01 CURSO: Tecnólogo em e Social UFF SELEÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES DISCIPLINAS / FUNÇÕES - PROGRAMAS / ATIVIDADES - PERFIS DOS CANDIDATOS - NÚMEROS DE VAGAS DISCIPLINA/FUNÇÃO PROGRAMA/ATIVIDADES

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no art. 19, XX, da Lei Complementar nº 85, de 27 de dezembro de 1999, Considerando

Leia mais

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Sumário Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Capítulo I CIÊNCIA, CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA... 37 1. Conceito de ciência e tipos

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR Referência: 2015 Curso: Bacharelado em Relações Internacionais DURAÇÃO IDEAL: 08 SEMESTRES 1 o semestre Aula Trabalho Semestral Anual DFD0125 Instituições de Direito EAE0110 Fundamentos

Leia mais

21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014

21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014 21022 Diário da República, 2.ª série N.º 155 13 de agosto de 2014 Despacho n.º 10553/2014 Ao abrigo do disposto nos artigos 75.º e 76.º do Decreto -Lei pelo Decreto -Lei n.º 107/2008, de 25 de junho, pelo

Leia mais

Aplicação. Análise multidimensional da exposição da marca da empresa ou entidade na mídia.

Aplicação. Análise multidimensional da exposição da marca da empresa ou entidade na mídia. Aplicação A pesquisa de Observatório 3D é a análise multidimensional da exposição da marca da empresa ou instituição na mídia. Indicadores calculados a partir da análise da exposição da marca, por tipo

Leia mais

Ano letivo de 2012-2013. Curso de 2º ciclo em Comunicação e Jornalismo. Diretor Prof. Doutor Carlos Camponez

Ano letivo de 2012-2013. Curso de 2º ciclo em Comunicação e Jornalismo. Diretor Prof. Doutor Carlos Camponez Ano letivo de 2012-2013 Curso de 2º ciclo em Comunicação e Jornalismo Diretor Prof. Doutor Carlos Camponez Objetivos e estrutura curricular / Caracterização do ciclo de estudos O 2.º Ciclo procura responder

Leia mais

^Portugal a Votos As Eleições Legislativas de 2002

^Portugal a Votos As Eleições Legislativas de 2002 A 383158 ^Portugal a Votos As Eleições Legislativas de 2002 Organização: André Freire Marina Costa Lobo Pedro Magalhães Imprensa de Ciências Sociais índice Agradecimentos 23 Introdução 25 Capítulo 1 As

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS CURSO DE JORNALISMO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS 1 1 ÁREAS TEMÁTICAS Respeitada a disponibilidade de carga horária dos professores orientadores e a escolha dos alunos,

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA OLHAR PARA VER OBJECTIVOS O desafio passa por analisar o meio construído segundo as suas

Leia mais

Módulo I. DISCIPLINA Estado, Direito e Cidadania, em perspectiva comparada. DISCIPLINA Introdução aos Estudos sobre Segurança Pública

Módulo I. DISCIPLINA Estado, Direito e Cidadania, em perspectiva comparada. DISCIPLINA Introdução aos Estudos sobre Segurança Pública Módulo I Estado, Direito e Cidadania, em perspectiva comparada Ementa: Liberalismo, individualismo e cidadania na Europa Ocidental dos séculos XVII- XIX. Mecanismos de repressão e de controle da emergente

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo. Ênfase. Disciplina 0003015A - Jornalismo Impresso I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo. Ênfase. Disciplina 0003015A - Jornalismo Impresso I Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo Ênfase Identificação Disciplina 0003015A - Jornalismo Impresso I Docente(s) Angelo Sottovia Aranha Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

NOVO MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE JORNALISMO ADAPTADA À RESOLUÇÃO 001/2013 - CNE

NOVO MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE JORNALISMO ADAPTADA À RESOLUÇÃO 001/2013 - CNE NOVO MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE JORNALISMO ADAPTADA À RESOLUÇÃO 001/2013 - CNE 1º Período TEORIA DA COMUNICAÇÃO I Conceitos de comunicação e de comunicação social. Contexto histórico do surgimento da

Leia mais

Federação Nacional de Karate - Portugal. Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos

Federação Nacional de Karate - Portugal. Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos Federação Nacional de Karate - Portugal Fórum de Formadores 2013 Pedro M. Santos Índice Fórum de Formadores 2013 Introdução Diferentes influências e realidades Pessoal qualificado e Especializado em Serviços

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Almanaque IBOPE Pesquisa: Demografia Hábitos de lazer

Nome do programa, pesquisa ou produto: Almanaque IBOPE Pesquisa: Demografia Hábitos de lazer 1 Data de elaboração da ficha: Abr 2007 IBOPE - Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística Dados da organização Nome: IBOPE - Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística Endereço:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ALGARVE FACULDADE DE ECONOMIA FACILITADORES E INIBIDORES DA DECISÃO DE PARTICIPAÇÃO EM VIAGENS DE LAZER O CASO DO SOTAVENTO ALGARVIO

UNIVERSIDADE DO ALGARVE FACULDADE DE ECONOMIA FACILITADORES E INIBIDORES DA DECISÃO DE PARTICIPAÇÃO EM VIAGENS DE LAZER O CASO DO SOTAVENTO ALGARVIO UNIVERSIDADE DO ALGARVE FACULDADE DE ECONOMIA FACILITADORES E INIBIDORES DA DECISÃO DE PARTICIPAÇÃO EM VIAGENS DE LAZER O CASO DO SOTAVENTO ALGARVIO Dissertação para a Obtenção do Grau de Mestre em Gestão

Leia mais

Universidade Federal Fluminense IACS - Instituto de Arte e Comunicação Social Departamento de Comunicação Social Curso de Publicidade e Propaganda

Universidade Federal Fluminense IACS - Instituto de Arte e Comunicação Social Departamento de Comunicação Social Curso de Publicidade e Propaganda Universidade Federal Fluminense IACS - Instituto de Arte e Comunicação Social Departamento de Comunicação Social Curso de Publicidade e Propaganda Disciplinas Optativas Publicidade Carga horária total

Leia mais

Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria

Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria. Natureza - Obrigatoria 1 de 8 01 CAH297 - OFICINA DE TEXTOS I - Ativa desde: 18/01/2008 CAH299 - TEORIAS DA COMUNICAÇÃO - Ativa desde: 18/01/2008 CAH789 - INTRODUÇÃO À TEORIA SOCIAL - Ativa desde: 09/05/2013 CAH790 - FUNDAMENTOS

Leia mais

COMISSÃO DE INSCRIÇÃO

COMISSÃO DE INSCRIÇÃO COMISSÃO DE INSCRIÇÃO JURI DE EXAME PROVA DE EXAME Artigo 13.º do Regulamento de Inscrição e Exame ANO 2007 2º Grupo de Matérias DATA PROGRAMAS DETALHADOS DOS MÓDULOS QUE INTEGRAM O EXAME DO 2º GRUPO DE

Leia mais

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia E.E. Frontino Guimarães Sala 5 2ª Sessão Professor(es) Apresentador(es): Meire Pereira de França Roseli Fernandes Euquério Lima Realização: Foco Desenvolvimento da

Leia mais

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 Tv's_25_Janeiro_2016 Revista de Imprensa 1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 2. Conversa com Marisa Matias, RTP 2 - Página 2, 25-01-2016

Leia mais

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing.

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing. Comunicação social Comunicação social A Comunicação Social é um campo de conhecimento académico que estuda a comunicação humana e as questões que envolvem a interação entre os sujeitos em sociedade. Os

Leia mais

ADITIVO EDITAL 005/2011 PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES. Artigo 1º - Lança este aditivo para informar novas vagas no corpo docente.

ADITIVO EDITAL 005/2011 PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES. Artigo 1º - Lança este aditivo para informar novas vagas no corpo docente. Credenciada pela Portaria n.º 2.135 de 22/12/00. D.O.U. 28/12/00 249 E Mantenedora: Fasul Ensino Superior ltda. ADITIVO EDITAL 005/2011 PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES O Diretor da Faculdade Sul Brasil

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO -

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - A estrutura a seguir foi desenvolvida com base no escopo da disciplina de Planejamento Estratégico de Comunicação,

Leia mais

Comentários ao Documento Proposta do PPM Açores Actos Eleitorais

Comentários ao Documento Proposta do PPM Açores Actos Eleitorais Comentários ao Documento Proposta do PPM Açores Actos Eleitorais Junho 2015 Este documento divulga a posição da ARIC e a resposta à solicitação da Comissão de Assuntos Parlamentares, Ambiente e Trabalho

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores MÓDULOS CARGA HORÁRIA Acolhimento 1 O formador face aos sistemas e contextos de formação 8 Factores e processos de aprendizagem 6 Comunicação e Animação de Grupos

Leia mais

Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13

Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13 Portaria Inep nº 190 de 12 de julho de 2011 Publicada no Diário Oficial de 13 de julho de 2011, Seção 1, pág. 13 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Entrevista sobre o Programa Kulto

Entrevista sobre o Programa Kulto Entrevista sobre o Programa Kulto Ficha de Identificação Nome: Rute Gil Empresa: Estado do Sítio Cargo/Função: Produtora e Guionista Programa: Kulto Questões 1. Qualidade - Na sua opinião, o que pode ser

Leia mais

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 Junho de 2010 2 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 O objetivo geral deste estudo foi investigar as percepções gerais

Leia mais

Capítulo I Introdução à gestão da manutenção Capítulo II Terminologia, definições e conceitos

Capítulo I Introdução à gestão da manutenção Capítulo II Terminologia, definições e conceitos Prefácio XIII Nota do Autor XV Capítulo I Introdução à gestão da manutenção 1 1.1. A manutenção 2 1.2. A gestão 4 1.3. Gestão da manutenção 5 1.4. Custos de manutenção 7 1.5. Software de gestão da manutenção

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estratégico Formar um quadro conceptual abrangente no domínio do marketing. Compreender o conceito

Leia mais

Bússola Eleitoral Portugal

Bússola Eleitoral Portugal Bússola Eleitoral Portugal Descubra o seu posicionamento no panorama político português nas eleições legislativas de 2009 Associe-se a www.bussolaeleitoral.pt 1 kieskompas: Bússola Eleitoral www.bussolaeleitoral.pt

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360 PRIMEIRO SEMESTRE Teórica Fundamentos da Comunicação e do Jornalismo Comunicação em Língua Portuguesa I Teoria da Comunicação Sociologia da Comunicação Introdução à Economia Fundamentos Epistemológicos

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 1-CEPE/UNICENTRO, DE 27 DE JANEIRO DE 2014. Aprova o Curso de Especialização em MBA em Gestão Estratégica de Negócios, modalidade regular, a ser ministrado no Campus de Irati, da UNICENTRO.

Leia mais

Sistema de Gerenciamento da Informação. Mais informação, mais conteúdo, em menos tempo. Mais negócios, mais sucesso profissional.

Sistema de Gerenciamento da Informação. Mais informação, mais conteúdo, em menos tempo. Mais negócios, mais sucesso profissional. Sistema de Gerenciamento da Informação Mais informação, mais conteúdo, em menos tempo. Mais negócios, mais sucesso profissional. O tempo sumiu-1 8 horas dormir; 8 horas trabalhar; 1,5 hora no trânsito;

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 17/06/2015 17:31. Centro de Ciências Humanas e da Comunicação

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 17/06/2015 17:31. Centro de Ciências Humanas e da Comunicação 7/6/5 7: Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Curso: 85 Jornalismo (Matutino) Currículo: / COM..- Teorias da Comunicação I Ementa: Conceituação e objetivo da Comunicação Social. História da comunicação.

Leia mais

CALENDÁRIO DE EXAMES DA ÉPOCA NORMAL. Ano Letivo 2014/2015-2º SEMESTRE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

CALENDÁRIO DE EXAMES DA ÉPOCA NORMAL. Ano Letivo 2014/2015-2º SEMESTRE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO 1º ANO Cultura Literária 19.06 10h00 2.21 Métodos e Técnicas de Investigação 15.06 14h30 2.26 Língua Estrangeira II Inglês 18.06 10h00 94 Língua Estrangeira II Francês 18.06 10h00

Leia mais

Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL

Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL ÍNDICE Pensamento Social...2 Movimentos Sociais e Serviço Social...2 Fundamentos do Serviço Social I...2 Leitura e Interpretação de Textos...3 Metodologia Científica...3

Leia mais

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A transparência, tônico infalível da cidadania, outorga confiabilidade e, por conseguinte, maior respeito. Por sua vez, a população, melhor informada,

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES SOCIEDADE PORTUGUESA DE ONCOLOGIA 2010

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES SOCIEDADE PORTUGUESA DE ONCOLOGIA 2010 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES SOCIEDADE PORTUGUESA DE ONCOLOGIA 2010 2010 RESUMO: este documento apresenta o relatório de actividades da Sociedade Portuguesa de Oncologia no ano de 2010 Índice 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA ESTUDOS DE Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA A EMPRESA O Grupo Marktest tem consolidado ao longo dos últimos 26 anos uma forte posição nas áreas dos Estudos de Mercado, da informação e na área

Leia mais

Análise de Conteúdo à Comunicação Editorial. 4ºTrimestre de 2012

Análise de Conteúdo à Comunicação Editorial. 4ºTrimestre de 2012 Análise de Conteúdo à Comunicação Editorial 4ºTrimestre de 2012 Introdução A análise de performance da comunicação permite avaliar a eficácia das ações de comunicação e relações públicas através da medição

Leia mais

Estrutura da Prova. Classificação Final

Estrutura da Prova. Classificação Final Estrutura da Prova 1. A Prova (P) é constituída por duas componentes: a) Cultura Geral e Expressão Escrita (CG) - esta parte (escrita) da prova é comum a todos os candidatos e vale 30% da classificação

Leia mais

Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM

Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM Anexo I Ementário das Modalidades conforme Categorias DA EXPOCOM JORNALISMO JO 01 Agência Jr. de Jornalismo (conjunto/ série) Modalidade voltada a agências de jornalismo experimentais, criadas, desenvolvidas

Leia mais

Sumário. Parte I As exigências básicas das provas discursivas

Sumário. Parte I As exigências básicas das provas discursivas Sumário Prefácio à 2 a edição, revista e atualizada Apresentação XVII XXI Parte I As exigências básicas das provas discursivas Introdução 2 I. Itens mais gerais estipulados pelas bancas 2 II. Dois editais

Leia mais

AS TIRAS DA MAFALDA: CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA NA LINGUAGEM DE QUADRINHOS

AS TIRAS DA MAFALDA: CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA NA LINGUAGEM DE QUADRINHOS AS TIRAS DA MAFALDA: CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA NA LINGUAGEM DE QUADRINHOS Anderson Iury Nunes BARROS andersoniury@yahoo.com.br Instituto de Estudos Sócio-Ambientais IESA/UFG Bolsista Prolicen Camila Porto

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2009 Acrescenta o art. 220-A à Constituição Federal, para dispor sobre a exigência do diploma de curso superior de comunicação social, habilitação jornalismo, para

Leia mais

Prefácio 11 Introdução 13

Prefácio 11 Introdução 13 Sumário Prefácio 11 Introdução 13 1. Contextualização: Internet, redes sociais sob a ótica da responsabilidade jurídica e o Marco Civil da Internet 17 1.1 A regulamentação jurídica da internet 19 1.1.1

Leia mais

ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tema 1: A Terra: estudos e representações UNIDADE DIDÁCTICA: 1- Da paisagem aos mapas. A descrição da paisagem;

ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tema 1: A Terra: estudos e representações UNIDADE DIDÁCTICA: 1- Da paisagem aos mapas. A descrição da paisagem; ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA 2007/2008 ANO GEOGRAFIA 7.º GERAIS Tema 1: A Terra: estudos e representações Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos

Leia mais

Pretendemos aqui analisar as melhores peças publicitárias concebidas e produzidas para o meio rádio.

Pretendemos aqui analisar as melhores peças publicitárias concebidas e produzidas para o meio rádio. Televisão Acção Especial / Brand Entertainment Nesta categoria pretendemos premiar as acções comerciais que, extravasando o âmbito do spot convencional, utilizam de forma criativa o meio televisão e também

Leia mais

Ao meu pai Pela infinidade de palavras que ficaram por dizer. Pelos versos que recitavas, feliz e que ficaram por escrever.

Ao meu pai Pela infinidade de palavras que ficaram por dizer. Pelos versos que recitavas, feliz e que ficaram por escrever. Ao meu pai Pela infinidade de palavras que ficaram por dizer Pelos versos que recitavas, feliz e que ficaram por escrever. V À hora de deitar: - Oh mãe porque é que chegaste tão tarde? Quando acabares

Leia mais

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Metodologia da Investigaça

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL EMENTA: A ação profissional do Serviço Social na atualidade, o espaço sócioocupacional e o reconhecimento dos elementos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CÓD. CURSO CURSO 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL HAB: JORNALISMO CÓD. DISC. DISCIPLINA ETAPA CH SEM CH TOTAL SEM/ANO 121.3508.9 ASSESSORIA DE IMPRENSA 5ª 02 30 2º / 2009 PROFESSOR ANA LUÍSA

Leia mais

AEOP Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa

AEOP Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa Relatório de Clipping & Actividades_AEOP 2015 Indíce 1. Introdução 2. Mensagens-chave 3. Resumo de resultados 4. Atividade desenvolvidas 5. 8ª Reunião da AEOP Análise Qualitativa Análise Quantitativa 6.

Leia mais

Pesquisa ação. Prof. Andreia Maria Pedro Salgado. andreia@feg.unesp.br

Pesquisa ação. Prof. Andreia Maria Pedro Salgado. andreia@feg.unesp.br Pesquisa ação 1 Prof. Andreia Maria Pedro Salgado andreia@feg.unesp.br A pesquisa ação é um tipo de pesquisa social com base empírica que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou

Leia mais

Fundação LIGA. Instituição academicamente adscrita à. Universidade Fernando Pessoa

Fundação LIGA. Instituição academicamente adscrita à. Universidade Fernando Pessoa Pós-Graduação Consultoria em Acessibilidades Fundação LIGA Instituição academicamente adscrita à Universidade Fernando Pessoa Objectivos A presente pós-graduação tem como objectivo a identificação das

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Comunicação Social Rádio e TV, Bacharelado

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Comunicação Social Rádio e TV, Bacharelado Credenciada pela Portaria nº 590 de 18/05/2011 Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Comunicação Social Rádio e TV, Bacharelado DOS FUNDAMENTOS, OBJETIVOS E CONTEÚDOS Art. 1º. Os Trabalhos

Leia mais

Pesquisa Eleitoral Novembro / 2003 ANEP

Pesquisa Eleitoral Novembro / 2003 ANEP Pesquisa Eleitoral INFLUÊNCIA DA PESQUISA ELEITORAL NA SOCIEDADE Franceschini Análises de Mercado Pesquisa, Imprensa e Política Visão do Político Visão do Jornalista Visão do Técnico de Pesquisa Atuação

Leia mais

Ementas das disciplinas do Curso de Comunicação Social Resolução 58/04, de 15/06/2004

Ementas das disciplinas do Curso de Comunicação Social Resolução 58/04, de 15/06/2004 Ementas das disciplinas do Curso de Comunicação Social Resolução 58/04, de 15/06/2004 HT011 Teoria da Comunicação I 2 02 Não tem Introdução á teoria da Comunicação. O surgimento da sociedade de massa e

Leia mais

Os tempos mudaram. Campanha de valorização

Os tempos mudaram. Campanha de valorização Campanha de valorização Os tempos mudaram Terceira fase da Campanha de Valorização do Marketing Direto enfatiza a revolução nas formas de conquistar o público e a proximidade da disciplina com as novas

Leia mais

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: História. 1. Introdução. 3º Ciclo do Ensino Básico. Ano letivo de 2011/12

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: História. 1. Introdução. 3º Ciclo do Ensino Básico. Ano letivo de 2011/12 Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: História 3º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Reserva Extrativista Chico Mendes MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE Reserva Extrativista Chico Mendes Termo de Referência nº 2013.0930.00022-3 1 - Identificação Contratação de Serviço de

Leia mais

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA LUÍS REIS TORGAL SUB Hamburg A/522454 ESTADOS NOVOS ESTADO NOVO Ensaios de História Política e Cultural [ 2. a E D I Ç Ã O R E V I S T A ] I u IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2 0 0 9 ' C O I M B R

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Médio Etec: PROFESSOR MARIO ANTONIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Área de conhecimento: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: GEOGRAFIA

Leia mais

Investigação experimental

Investigação experimental Investigação experimental Aproximação positivista Experiências laboratoriais: identificação de relações exactas entre as variáveis escolhidas num ambiente controlado (laboratório) através do uso de técnicas

Leia mais