Considerações Iniciais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Considerações Iniciais"

Transcrição

1 1. Introdução Este documento tem por objetivo explicar o Portal Nacional do Setor Calçadista para a Otimização Logística. Do portal passamos para o detalhamento do funcionamento do aplicativo cliente disponibilizado para ser instalado nas empresas participantes. Será explicado como irá ocorrer a integração logística entre as empresas compradoras e as fornecedoras do setor. Esclarecemos aos leitores deste documento, em vista da complexidade do projeto, de que os conceitos e especificações contidas aqui podem sofrer ajustes que venham a ser demandados a partir do aprofundamento das discussões e experiências durante a fase de implantação.

2 Considerações Iniciais O portal da integração logística do setor calçadista, desde a compra do insumo até a entrega do produto final ao varejo, está sendo desenvolvido pelos departamentos comercial, suprimentos, produção, qualidade, logística e tecnologia da informação das indústrias, fornecedores e prestadores de serviços do setor. O desenvolvimento deste projeto surgiu da necessidade de se popularizar o acesso às especificações logísticas compiladas pelo GOL* em conjunto com a GS1**. Em reunião realizada na ACI-NH, na data de 18/06/2009, foi reativado o Comitê de Tecnologia com a finalidade de executar a desenvolvimento e implementação de um portal e de um programa cliente para que qualquer empresa do setor calçadista consiga utilizar as especificações logísticas definidas pelo grupo. Ocorreram reuniões com as entidades representativas do setor que resultaram na aprovação para a implantação do projeto a nível nacional. Salientamos que junto com as especificações de software estão sendo aqui alinhados os processos que devem ser utilizados pelo setor para o pleno sucesso na implantação deste projeto. O projeto prevê, assim como todo o trabalho do GOL até aqui realizado, o acesso gratuito à solução proposta. 1.1 Objetivos do Projeto O Projeto de integração logística do setor calçadista tem como objetivo a implantação de um modelo nacional para o setor, com a adoção de um programa de computador e um portal de comunicação visando a aceleração da cadeia produtiva, organização interna das empresas e a conseqüente redução de custos. A integração logística passa pelos três pilares fomentados pelo GOL: -identificação padronizada dos produtos e das unidades logísticas (código de barras); -processos certificados para a montagem, despacho, transporte, recebimento, armazenamento, movimentação e consumo das unidades logísticas e dos produtos nela contidos; -troca eletrônica de documentos entre as empresas (EDI). O sucesso passa obrigatoriamente pela implantação conjunta destes três pilares, tendo como conseqüência natural a organização interna das empresas e a possibilidade de uma plena integração na cadeia coureiro-calçadista. * GOL: Grupo de Otimização Logística - ** GS1: Entidade internacional coordenadora de padrões para identificação de produtos e troca eletrônica de informações (EDI) -

3 1.2 Conceito O portal funcionará como elo entre o servidor nacional do setor e o aplicativo cliente (programa) instalado nas empresas. O portal não será acessado de forma direta pelas empresas. O único acesso necessário ao portal será para baixar o aplicativo cliente. As empresas irão instalar o programa em seus computadores/servidores e configurar o acesso ao servidor nacional. A empresa compradora irá habilitar a comunicação com a empresa fornecedora. Toda a troca de informações será validada pelo programa cliente antes de ser submetida ao portal. O portal armazenará o protocolo das comunicações realizadas entre as partes e o catálogo de produtos das empresas. O programa cliente contém suporte à digitação de dados, geração e troca de mensagens e impressão das etiquetas logísticas para aquelas empresas que não possuem sistema informatizado. As empresas que possuem sistema informatizado e que não dominam a geração do EDI no padrão proposto pelo GOL utilizarão o programa cliente para o MAPEAMENTO das informações e a geração e troca de mensagens. As empresas que já têm desenvolvido o EDI no padrão fomentado pelo GOL utilizarão o programa para administrar a troca de mensagens com o servidor nacional. Importante: a partir do portal nacional disponibilizamos um único aplicativo cliente, e o uso deste programa dependerá do grau de informatização das empresas participantes. Cada empresa participante configura o uso de acordo com a sua necessidade. A empresa pode começar com uma configuração menos integrada, com cadastramento local na própria ferramenta, e à medida que for evoluindo passar para uma solução mais integrada com os seus sistemas de informação. 1.3 Modelo Operacional De maneira simplificada podemos descrever o processo de integração logística do setor calçadista através do portal nacional da seguinte forma: - a empresa fornecedora monta um catálogo/lista de preços dos seus produtos e o transmite para a empresa compradora; - a empresa compradora gera a ordem de compra baseado nos códigos do catálogo recebido, e a transmite para a empresa fornecedora; - a empresa fornecedora recebe e valida a ordem de compra; - aceita, a empresa fornecedora produz a ordem de compra identificando seus produtos e suas unidades logísticas com o sistema de numeração GS1; - a empresa fornecedora monta o despacho da mercadoria obedecendo ao cruzamento das informações da leitura das unidades logísticas versus a ordem de compra; - atingida a quantidade exigida ou aceita entre as partes é gerado a ordem de despacho pelo fornecedor, que servirá de base para a emissão da nota fiscal; - emitido o documento fiscal, o fornecedor envia as mensagens da nota fiscal e da ordem de despacho ao comprador; -o comprador recebe e processa as mensagens do fornecedor, preparando-se para o recebimento físico das mercadorias; -o comprador, ao receber a mercadoria, faz a leitura das unidades logísticas e cruza esta informação com os documentos eletrônicos recebidos anteriormente; -validadas as informações entre o virtual (EDI) e o mundo físico (mercadoria recebida) fecha-se o ciclo, caso contrário é gerado o relatório de não conformidade e este encaminhado ao departamento comercial que tomará as devidas providências.

4 1.4 Cenários para a implantação do programa disponibilizado pelo portal nacional de acordo com o grau de informatização de cada empresa: Empresas que já tenham o EDI desenvolvido no padrão GOL: Baixar o programa do portal; Instalar o programa no computador ou servidor; Cadastrar a empresa; Configurar a conexão; Ativar a empresa através da primeira comunicação com o portal; Configurar o sistema da empresa para escrever e ler nos discos e pastas que o programa instalado utiliza para transmissão e recepção das mensagens; Enviar mensagens de teste utilizando como destinatário a empresa modelo; Havendo sucesso nos testes o portal habilitará a empresa para comunicação; Habilitada, se indústria, cadastrar os fornecedores com os quais vai comunicar; Habilitada, se fornecedor, cadastrar os clientes com os quais vai comunicar; Habilitada, colocar em produção Empresas que tenham sistema informatizado e que não possuem o EDI desenvolvido no padrão do GOL Baixar o programa do portal; Instalar o programa no computador ou servidor; Cadastrar a empresa; Configurar a conexão; Ativar a empresa através da primeira comunicação com o portal; Realizar o MAPEAMENTO indicando a origem e o DEPARA das informações entre os sistemas existentes na empresa e o programa disponibilizado pelo portal; Enviar mensagens de teste utilizando como destinatário a empresa modelo; Havendo sucesso nos testes o portal habilitará a empresa para comunicação; Habilitada, se indústria, cadastrar os fornecedores com os quais vai comunicar; Habilitada, se fornecedor, cadastrar os clientes com os quais vai comunicar; Habilitada, colocar em produção Empresas que não tenham sistema informatizado Baixar o programa do portal; Instalar o programa no computador ou servidor; Cadastrar a empresa; Configurar a conexão; Ativar a empresa através da primeira comunicação com o portal; Cadastrar os produtos da empresa; Enviar mensagens de teste utilizando como destinatário a empresa modelo; Havendo sucesso nos testes o portal habilitará a empresa para comunicação; Habilitada, se indústria, cadastrar os fornecedores com os quais vai comunicar; Habilitada, se fornecedor, cadastrar os clientes com os quais vai comunicar; Habilitada, colocar em produção; Utilizar o programa na impressão, separação da mercadoria para a expedição e na troca de mensagens.

5 As empresas poderão realizar qualquer combinação destes cenários, lembrando que todas as etapas e troca de mensagens são validadas pelo portal. Qualquer tentativa de comunicação com o portal por outro meio que não seja o programa cliente será rejeitada. 1.5 Pré-Requisitos mínimos para a implantação da solução: - PC Compatível; - Impressora para a impressão das etiquetas de códigos de barras; - Leitor de código de barras para montar o despacho da mercadoria na expedição; - Conexão de banda larga à internet; - Ser associado GS1 Brasil; - Ser associado de qualquer uma das entidades oficiais do setor calçadista, seja da indústria, dos fornecedores ou dos prestadores de serviço; Este é o requisito mínimo considerando uma pequena empresa. A quantidade de equipamentos é diretamente proporcional ao tamanho da empresa e da sua logística. Reforçamos que o programa e os processos aqui documentados são gratuitos. A qualidade da impressão da etiqueta deve ser submetida ao laboratório da GS1 e só colocada em produção com o seu respectivo laudo de aprovação. 1.6 Mensagens cobertas pelo projeto: CONTRL Controle sobre o fluxo das mensagens; PARTIN Cadastro das empresas; PRICAT Catálogo/Lista de preços dos produtos; ORDERS Pedido de compra; ORDCHG Alteração de pedido de compra; ORDRSP Resposta ao pedido de compra ou a solicitação de alteração; DESADV Aviso de despacho com a informação logística sobre o carregamento; INVOIC Nota fiscal. Prevê integração com a NF-e para as empresas emissoras; IFCSUM Consolidação da carga; IFTSTA Ocorrências de entrega; REMADV Consolidação de faturas; COMDIS Contestação comercial. As mensagens seguem a norma EDIFACT/EANCOM baseada na ISO Como se trata de intercâmbio de informações entre computadores com a utilização de um programa cliente instalado nas empresas não se entra no mérito da utilização de outras formas de troca de informação, como o XML, por exemplo, que é mais fácil para a leitura humana, mas que trafega uma quantidade maior de bytes pela rede. O programa cliente e o portal é que farão a comunicação entre si, abstraindo do usuário a complexidade das mensagens. Dependendo da configuração utilizada pela empresa no item 2.4 o programa instalado irá gerenciar as mensagens a partir da digitação feita diretamente no programa, ou executará o mapeamento e a troca de mensagens ou ainda irá somente gerenciar a troca das mensagens entre a empresa e o portal nacional.

6 1.7 Identificação dos produtos e das unidades logísticas dentro do projeto. Item chave para a ligação entre o mundo físico e o mundo virtual (mensagens descritas no item 2.6). A identificação dos produtos e das unidades logísticas contém, além da informação humana legível, a representação das informações chaves em códigos de barras. O padrão adotado pelo setor calçadista segue o sistema de numeração GS1. As empresas devem ser associadas GS1. As empresas fabricantes são responsáveis pela correta atribuição dos códigos GTIN (Global Trade Item Number) aos seus produtos, e pela correta serialização das suas unidades logísticas (SSCC:Serial Shipping Container Code). A utilização do programa cliente disponibilizado pelo portal garante a correta administração destes números, tanto dos produtos quanto das unidades logísticas, evitando duplicidades ou uso incorreto das licenças fornecidas pela GS1. O sistema de numeração adotado para o setor calçadista dá pleno suporte à adoção de etiquetas de RFID no futuro, garantindo a atualização tecnológica da solução proposta. A adoção desta identificação padronizada dá garantia de que não tenhamos a necessidade de reetiquetar produtos e unidades logísticas em nenhum elo da cadeia, resultando na maximização da eficiência nos processos internos das empresas. Houve cuidado e trabalho efetivo para que a identificação desenvolvida para o setor calçadista respeitasse plenamente as características do setor, em especial as questões da grade de tamanhos e cores. Lembramos dos supermercados e da agilidade alcançada pelo simples fato de que os produtos vendidos ao consumidor são identificados com código de barras pelos fabricantes, e não dentro dos estabelecimentos comerciais. O processo adotado no varejo, encarado como algo para GRANDES empresas aqui no Brasil em 1981, está popularizado e hoje beneficia pequenas e grandes. 1.8 Processos logísticos contemplados pelo projeto. Através das boas práticas envolvendo a produção, separação, despacho, recebimento e movimentação das mercadorias garantimos a correta amarração entre as unidades logísticas lidas pelo leitor de código de barras e as mensagens eletrônicas trocadas entre as empresas. O programa cliente disponibilizado pelo portal auxiliará as empresas na leitura das unidades logísticas e na montagem ou conferencia das mensagens eletrônicas. Tanto do lado do despacho quanto do lado do recebimento das mercadorias os processos fomentados neste projeto levam a um incremento na velocidade da movimentação física e na sua precisão. Rastreabilidade e controle efetivo sobre obsolescências (validade dos químicos, por exemplo) também fazem parte dos pontos positivos conquistados na adoção de processos logísticos padronizados e integrados. 2.0 Conclusão O portal nacional e o programa cliente para uso nas empresas foi projetado para garantir a integridade e a uniformidade nas questões logísticas do setor, economizando dinheiro pelo fato de contemplar as melhores práticas conhecidas nas transações entre compradores e fornecedores, evitando padrões proprietários, onde cada empresa cria seu padrão de identificação e de troca eletrônica de informações (EDI). Procurou-se neste projeto contemplar todos os tamanhos de empresas, desde a pequena, sem nenhum grau de informatização, muito comum no meio calçadista, passando pela média, com algum grau de tecnologia da informação, até a grande, que possui sistemas complexos de informação para a sua gestão. O conceito é simples: padronizar e disponibilizar um ponto de acesso comum para que haja plena integração no setor

7 calçadista. Com a inclusão digital e as tecnologias de computação atualmente disponíveis temos plena consciência da viabilidade deste projeto. Atualmente são 13 indústrias âncoras (Azaléia, Bibi, Bottero, Daiby, Dilly, Grendene, Klin, Paquetá,Piccadilly, Via Marte, Via Uno, West Coast e Wirth) e 55 fornecedores participantes. As especificações sobre a integração, padronização e logística foram construídas ao longo de 8 anos de trabalho coordenados pela GS1 Brasil com o apoio da ABICALÇADOS, ACI-NH e ASSINTECAL. O desafio agora, para popularizar e organizar o cluster inteiro, é a construção de um software que possa ser acessado por todos, e que contemple as especificações do Grupo de Otimização Logística. Que possa conversar com qualquer ERP do mercado. O setor calçadista têm a característica de trabalhar com uma variedade enorme de tipos e tamanhos de empresas, e a disponibilização de uma ferramenta visa buscar a integração e a qualificação do setor. Formato resumido para o desenvolvimento: PORTAL DO CLUSTER CALÇADISTA BRASIL Portal: Popularizar o EDI entre fornecedores e compradores da indústria calçadista; Manter dados sobre GLNs, GTINs e o DEPARA, evitando falhas cadastrais entre as partes. Importante: Não manteremos dados armazenados sobre preços negociados entre as partes, somente dados sobre classificação e composição dos produtos negociados; Manter cabeçalho das mensagens trocadas e garantir a integridade e o atendimento às regras do padrão GOL antes de efetuar a troca entre as empresas participantes;

8 Manter LOG sobre as mensagens trocadas entre as partes; Alertar as partes sobre mensagens não lidas dentro de um intervalo de tempo préacordado; Permitir o download e atualização, quando ocorrer, do aplicativo cliente = Interface única para todos os envolvidos (fornecedores e indústrias); Prover a aceleração e a exatidão logística entre as empresas participantes; Prover integração com todos os ERP existentes. Aplicativo cliente: 1)Simples troca de mensagens para quem já possui EDI Mercantil desenvolvido; 2)Mapeamento/Tradução e controle sobre a troca de mensagens para quem possui sistema informatizado mas não contempla o layout do Grupo de Otimização Logística; 3)Cadastros, impressão de etiquetas, leitura dos códigos de barra. Geração e troca de mensagens para aquelas empresas que não possuírem sistemas informatizado. Importante: Trata-se de um único aplicativo cliente, utilizado de acordo com o grau de informatização da empresa participante. Arquitetura de comunicação Toda a comunicação se dá pela aplicação instalada nas pontas (cliente). Não há necessidade de acesso direto à pagina do Portal Nacional. O portal nacional manterá estatísticas gerais sobre a troca de arquivos e também permitirá aos participantes do sistema que façam pesquisas sobre as mensagens postadas, mas só isso, uma vez que cadastros e demais processos só existem dentro das empresas participantes. As mensagens carregam segurança e validação em si. Mensagens que não tenham passado pelo aplicativo cliente serão automaticamente rejeitadas pelo portal. A comunicação será assíncrona: A troca de informações não é concluída na mesma conexão. A aplicação cliente e o servidor nacional trocam arquivos de controle que funcionam como recibos eletrônicos e que colocam as solicitações na fila em ambos os lados. O aplicativo cliente deverá realizar uma nova conexão para consultar o resultado da solicitação postada no servidor nacional. Desenvolvimento: 1)Cloud Computing; 2)Java; 3)Web Services. Aplicativo cliente multi-plataforma; Definições, análises e regras de negócio já realizadas. Documentos e fluxos definidos pelo Grupo de Otimização Logística (GOL); A encomenda é para programação/codificação do trabalho existente; O prazo requisitado é de 6 meses para este trabalho de codificação; Há um comitê técnico dentro do GOL que trabalhará em conjunto com a equipe de programação contratada; Os testes serão de responsabilidade das empresas piloto participantes (tanto indústrias, quanto fornecedores) do GOL. Teremos variedade de ambientes operacionais, softwares de gestão, infra-estrutura e tamanho de empresas envolvidas. Teste em ambiente real; Os fontes ficarão sob guarda da entidade ABICALÇADOS;

9 Os envolvidos no desenvolvimento assinam termo de confidencialidade; O aplicativo cliente DESENVOLVIDO não será comercializado; O download será gratuito, já a ativação dependerá de um participante associado. Modelo operacional: itens 1.3 e 1.4 deste DOC. A aplicação irá contemplar os 3 pilares do Grupo de Otimização Logística: 1)Identificação = cadastramento das empresas, produtos e etiquetas; 2)Processos = certificação da separação e expedição correta dos produtos; 3)EDI = troca eletrônica de mensagens e integração com os sistemas internos. Se a sua empresa ou instituição trabalha na modalidade de fábrica de software, dominar as tecnologias descritas acima e estiver interessada em participar da tomada de preços para a codificação: 1)Faça a inscrição pelo site do GOL; 2)Aguarde confirmação/convocação para a reunião do detalhamento técnico. GOL: GS1 Brasil: Aceleradores:

Integração TOTVS Colaboração 2.0 Recepção NFS-e - Datasul

Integração TOTVS Colaboração 2.0 Recepção NFS-e - Datasul Integração TOTVS Colaboração 2.0 Recepção NFS-e - Datasul Setembro/2014 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Objetivos do projeto TOTVS Colaboração 2.0... 3 3. Sistemas Envolvidos... 3 4.

Leia mais

Via MARTE. Reunião com os Fornecedores 27/07/2011. Auditório da Via Marte

Via MARTE. Reunião com os Fornecedores 27/07/2011. Auditório da Via Marte Via MARTE Reunião com os Fornecedores NF-e e integração Logística 27/07/2011 Auditório da Via Marte NF-e Documentação = Manuais e Legislação em: http://www.nfe.fazenda.gov.br Responsabilidades; Versão

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: Certificado Digital e Nota

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

5 passos para. implementação. do código de barras IDENTIFIQUE CAPTURE COMPARTILHE

5 passos para. implementação. do código de barras IDENTIFIQUE CAPTURE COMPARTILHE 5 passos para implementação do código de barras IDENTIFIQUE CAPTURE COMPARTILHE O que é o código de Barras? Os números de identificação de um produto podem ser representados por meio de um código, possibilitando

Leia mais

EDI ELETRONIC DATA INTERCHANGE

EDI ELETRONIC DATA INTERCHANGE EDI ELETRONIC DATA INTERCHANGE Definição Intercâmbio eletrônico de mensagens de negócio através de computadores, entre parceiros comerciais. As informações são, normalmente, organizadas dentro de arquivos

Leia mais

Manual de Integração. TOTVS Colaboração

Manual de Integração. TOTVS Colaboração Sumário TOTVS COLABORAÇÃO... 3 1.1 Introdução... 3 1.2 Pré-Requisitos... 3 1.3 Transação Recepção NF-e Entrada (Fornecedores)... 4 2 TOTVS COLABORAÇÃO 1.1 Introdução Visão Geral A oferta, compreende toda

Leia mais

MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA

MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA MARKANTY INFORMÁTICA Sistemas para Automação Comercial Gestão Empresarial e Fábrica de Software (Específicos) Princípios de nossos Profissionais:

Leia mais

Introdução. Benefícios para todos

Introdução. Benefícios para todos Introdução Esta cartilha tem a finalidade de guiar as empresas na implantação da Nota Fiscal Eletrônica e demonstrar as facilidades e vantagens do sistema para o contribuinte e para a sociedade A Nota

Leia mais

Autorização de uso do MDF-e implicará em registro posterior dos eventos, nos documentos fiscais eletrônicos nele relacionados.

Autorização de uso do MDF-e implicará em registro posterior dos eventos, nos documentos fiscais eletrônicos nele relacionados. MDF-e - Nota Técnica 2015.001 Produto : Datasul, MFT (Faturamento), TOTVS 12 Projeto : PCREQ-3414 Data da : 23/02/2015 Data da revisão : 23/02/2015 criação Banco(s) de País(es) : Brasil : Todos Dados Implementada

Leia mais

IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI)

IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) 1. Funcionamento do EDI 2. EDI tradicional X WEB EDI 3. EDI Tradicional 4. WEB EDI Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) EDI: Electronic Data Interchange Troca

Leia mais

EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML

EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML Tecnologia da Administração O que veremos? EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML Sintaxe Edifact (ONU) EDI For Administration

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica NF-e - Considerações 3,6 bilhões de notas fiscais armazenadas só em SP 26000 campos de futebol 27 voltas ao redor do mundo Podem representar um custo de até 5% no faturamento das

Leia mais

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce

Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Facilitando Negócios Conectando softwares com Magento Plataforma de E-Commerce Integração de Dados Plataforma Hub Magento E-Commerce Este documento

Leia mais

Manual de Integração

Manual de Integração Manual de Integração Versão 3.10 Conteúdo 1 Obtendo e Instalando o Emissor... 4 1.1 Obtendo o instalador... 4 1.2 Instalando o JAVA e o Framework.NET 2.0... 4 1.3 Instalando o Emissor... 5 2 Padrões de

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Orientação Contribuinte NF e (versão de testes) 1 Objetivos do Projeto: O Projeto NF-e teve como objetivo a implantação de um modelo nacional de documento fiscal eletrônico visando

Leia mais

Vinicius Pimentel de Freitas. Julho de 2010

Vinicius Pimentel de Freitas. Julho de 2010 Nota Fiscal Eletrônica no Rio Grande do Sul Vinicius Pimentel de Freitas Julho de 2010 SPED ECD EFD NF-e CT-e MC-e NFS-e... Contextualizando: Documentos Fiscais Eletrônicos no Brasil Comunicações e Energia

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE

ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE Guilherme Bertoldo Anastácio 1 Raphael Ribeiro Gomide 2 Maria Renata Silva Furtado 3 RESUMO Na

Leia mais

Boletim Técnico. O sistema é atualizado logo após a aplicação do pacote de atualizações (Patch) deste boletim.

Boletim Técnico. O sistema é atualizado logo após a aplicação do pacote de atualizações (Patch) deste boletim. Boletim Técnico Produto : EMS2 / Datasul 11 Chamado : Data da criação : 09/05/2013 Data da revisão : 09/05/2013 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos A Nota Técnica 2012/002 foi publicada em março

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Brasil Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Nota Fiscal Eletrônica A Nota Fiscal Eletrônica já é uma realidade e uma tecnologia conhecida. Mas o projeto é contínuo, sempre com novidades. Uma delas é a maximização

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning. www.cloudgest.com.br

ERP Enterprise Resource Planning. www.cloudgest.com.br O que é? CloudGest é um ERP inovador baseado na web e oferecido em modalidade SaaS (Software as a Service) às pequenas e médias empresas brasileiras. Com o CloudGest é possível administrar de modo perfeitamente

Leia mais

O Frente de Caixa é um programa do sistema Ideia - PME para realizar suas vendas no caixa (PDV/CHECKOUT) e a impressão de cupom fiscal.

O Frente de Caixa é um programa do sistema Ideia - PME para realizar suas vendas no caixa (PDV/CHECKOUT) e a impressão de cupom fiscal. FRENTE DE CAIXA (Ideia ECF) O que é? O Frente de Caixa é um programa do sistema Ideia - PME para realizar suas vendas no caixa (PDV/CHECKOUT) e a impressão de cupom fiscal. Tela com visual clean Mais agilidade

Leia mais

Manual de Credenciamento para Emissão do CT-e

Manual de Credenciamento para Emissão do CT-e Manual de Credenciamento para Emissão do CT-e Versão 1.0 Outubro/2009 Manaus/AM Sumário Apresentação... 2 Conceitos Básicos... 3 Requisitos... 5 Credenciamento... 6 Fase de Homologação... 7 o Fase de Testes...

Leia mais

CT-e. Solução Eletrônica de Documentos Fiscais. Estados NF-e Gov. CT-e Gov. Consulte. Prefeituras. Datacenter DC NF-e CT-e. Empresas NF-e CT-e NFS-e

CT-e. Solução Eletrônica de Documentos Fiscais. Estados NF-e Gov. CT-e Gov. Consulte. Prefeituras. Datacenter DC NF-e CT-e. Empresas NF-e CT-e NFS-e Solução Eletrônica de Documentos Fiscais Estados NF-e Gov. CT-e Gov. Consulte Início 2004 Início 2007 Prefeituras NFS-e Local e DC Local Temos OEM Em Desenvolvimento Maior performance Lote de 50 NF-e Processadas

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL - SISTEMA EMISSOR DE NF-e 2.0

PROPOSTA COMERCIAL - SISTEMA EMISSOR DE NF-e 2.0 PROPOSTA COMERCIAL - SISTEMA EMISSOR DE NF-e 2.0 Caro cliente, O MakerPlanet.COM é uma empresa especializada na prestação de serviços para desenvolvedores na plataforma Maker, nosso objetivo auxiliá-lo

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e

NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e Informações Gerais 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica NF-e? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência

Leia mais

Conceito de NF-e. Conexão NF-e

Conceito de NF-e. Conexão NF-e WHITE PAPER Sumário Conceito de NF-e... 3 Conexão NF-e... 3 Validador de Arquivos da Nota de Entrada... 4 Importador da Nota de Entrada Para o ERP E M S... 5 Manifesto do Destinatário Eletrônico (MD-e)...

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Otimização Logística

Otimização Logística Otimização Logística Ivair Kautzmann Otimização logística com efetiva redução de custos pela precisão, aceleração e integração nos processos de venda, produção, estoque, separação e despacho das mercadorias

Leia mais

Guia de Codificação para Livros

Guia de Codificação para Livros Guia de Codificação para Livros 1. Introdução A GS1 e as Agências Internacionais do ISBN e ISSN elaboraram diretrizes para ajudar os editores na compreensão das funcionalidades do Sistema GS1 para o setor

Leia mais

Conheça o Sistema Piloto Technologies.:

Conheça o Sistema Piloto Technologies.: Conheça o Sistema Piloto Technologies.: Para atender a legislação da NF-e definida pelas Secretarias de Fazendas dos Estados, apresentamos a solução da PILOTO TECHNOLOGIES, que atende de forma completa

Leia mais

NOTA FISCAL PAULISTA

NOTA FISCAL PAULISTA NOTA FISCAL PAULISTA RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio e varejo.

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA 1. Comprei mercadoria com NF-e denegada. Qual o procedimento para regularizar essa situação? Resposta: Preliminarmente, temos que esclarecer o que é uma NF-e Denegada:, A Denegação

Leia mais

Reunião com Empresas Desenvolvedoras de Software

Reunião com Empresas Desenvolvedoras de Software PROJETO SAT-CF-e Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal Eletrônico Sefaz SP / Deat IV / Documentos Digitais Reunião com Empresas Desenvolvedoras de Software 30/05/2012 Agenda Abertura O projeto

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

w3f ArqNFe GESTÃO E ARMAZENAMENTO DE DOCUMENTOS XML

w3f ArqNFe GESTÃO E ARMAZENAMENTO DE DOCUMENTOS XML ArqNFe GESTÃO E ARMAZENAMENTO DE DOCUMENTOS XML O ARQNFE TUDO QUE VOCÊ PRECISA ESTÁ AQUI. SIMPLES, SEGURO, RÁPIDO E FÁCIL. O ArqNFe é uma moderna e eficiente solução com excelente relação custo/benefício

Leia mais

Adicionais. Grupo Acert - 1

Adicionais. Grupo Acert - 1 MÓDULOS Adicionais Grupo Acert - 1 ÍNDICE 1 - ESTOQUE 1.1- Balanço de Estoque 03 2 - FATURAMENTO/FINANCEIRO 2.1- Pagamento Eletrônico (Fornecedores) 2.2- Plug-in Cheque Custódia 06 07 3 - FISCAL e CONTÁBIL

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

Palestrante: Thiago de Carvalho Moura

Palestrante: Thiago de Carvalho Moura Palestrante: Thiago de Carvalho Moura Última modificação: 24/02/2015 SAT-CFe 1º a emitir o cupom fiscal do SAT no interior do estado de São Paulo 2 O que é o SAT- CF-e? É um documento fiscal de existência

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Versão 1.4 Agosto/2008 Manaus/AM Sumário Apresentação... 2 Requisitos... 3 Credenciamento... 4 Fase de Homologação... 5 o Fase de Testes... 5 o Fase de Emissão

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 Padrões do Sistema GS1 Habilitando a visibilidade da cadeia de valor. Identificação

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica NOTA FISCAL ELETRÔNICA

Nota Fiscal Eletrônica NOTA FISCAL ELETRÔNICA Nota Fiscal Eletrônica NOTA FISCAL ELETRÔNICA Sistema Tributário Brasileiro (1967) Obrigações acessórias em excesso, muitas vezes redundantes Verificação Fiscal complexa e trabalhosa Altos custos com emissão,

Leia mais

Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado

Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado 2014 Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado SOLUÇÃO SGI Sistema de Gestão Integrado (ERP), é um sistema WEB voltado para empresas que necessitam controlar e realizar a gestão de seus principais

Leia mais

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174 Versão Liberada A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível. A atualização da versão

Leia mais

Elaborado por Marcos Matos Revisado por C. Douglas de Souza e Carina Gonçalves Aprovado por Paulo Bernardi

Elaborado por Marcos Matos Revisado por C. Douglas de Souza e Carina Gonçalves Aprovado por Paulo Bernardi Elaborado por Marcos Matos Revisado por C. Douglas de Souza e Carina Gonçalves Aprovado por Paulo Bernardi Sumário INTRODUÇÃO... 3 1.1. SOBRE O GUIA... 3 2. PRÉ-REQUISITO... 3 2.1. PREMISSAS DE FUNCIONAMENTO...

Leia mais

Manual para Emissão e Utilização do Aplicativo SEFAZ de NF-e

Manual para Emissão e Utilização do Aplicativo SEFAZ de NF-e Manual para Emissão e Utilização do Aplicativo SEFAZ de NF-e INTRODUÇÃO: Este documento visa explicar, de forma detalhada e simplificada, a utilização do sistema de emissão de documentos fiscais (modelo

Leia mais

Web Service - NFS-e. Definição das especificações e critérios técnicos necessários para utilização do WebService. FREIRE INFORMÁTICA Versão 2.

Web Service - NFS-e. Definição das especificações e critérios técnicos necessários para utilização do WebService. FREIRE INFORMÁTICA Versão 2. 2014 Web Service - NFS-e Definição das especificações e critérios técnicos necessários para utilização do WebService Este manual tem como objetivo orientar os usuários, sobre os procedimentos relativos

Leia mais

Portal de Fornecedores Não-Revenda

Portal de Fornecedores Não-Revenda Portal de Fornecedores Não-Revenda Introdução ao Portal e Requisitos Técnicos Consulte nesta orientação os processos iniciais para cadastro e acesso ao Portal de Fornecedores Não Revenda assim como os

Leia mais

Integração Sigajuri x RM

Integração Sigajuri x RM Integração Sigajuri x RM Abril/2015 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Sistemas Envolvidos... 3 3. Integração... 3 4. Escopo... 6 5. Pré-requisitos instalação/implantação/utilização...

Leia mais

Mostrar área de trabalho.scf. Manual do Produto EDI.

Mostrar área de trabalho.scf. Manual do Produto EDI. Mostrar área de trabalho.scf Manual do Produto EDI. ÍNDICE MANUAL DO PRODUTO EDI....3 1. O QUE É O EDI?...3 1.1. VANTAGENS... 3 1.2. FUNCIONAMENTO... 3 1.3. CONFIGURAÇÃO NECESSÁRIA... 3 2. UTILIZANDO O

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. NF-e e NFS-e

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. NF-e e NFS-e Bloco Comercial NF-e e NFS-e Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos NF-e e NFS-e, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

Cartilha CT-e Conhecimento de Transporte Eletrônico

Cartilha CT-e Conhecimento de Transporte Eletrônico Cartilha CT-e Conhecimento de Transporte Eletrônico Introdução Esta cartilha tem o objetivo de orientar o contribuinte a implantar o sistema de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) em sua empresa

Leia mais

A melhor ferramenta para criar e gerenciar Nota Fiscal Eletrônica

A melhor ferramenta para criar e gerenciar Nota Fiscal Eletrônica A melhor ferramenta para criar e gerenciar Nota Fiscal Eletrônica Gestor NFe Características Tecnologia Diferenciais Como Instalar e Licenciar Custos Contatos Características O objetivo do Gestor NFe é

Leia mais

Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Hábil Empresarial 2014 by Ltda (0xx46) 3225-6234 I Hábil Empresarial NFC-e Índice 1 Cap. I Introdução 1 O que é... o Hábil NFC-e

Leia mais

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial.

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial. O QUE É A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-E? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

VVS Sistemas (21)3405-9500

VVS Sistemas (21)3405-9500 Índice Assunto Página Apresentação... 2 Funcionamento do Módulo... 3 Instalação do Módulo... 4 Configurações no C-Plus NF-e... 9 Acessando os arquivos... 11 Apresentação Apresentamos o módulo C-Plus NF-e

Leia mais

GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2

GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2 Quem é a GS1 Como gerar seu Código de Barras Produtos e Soluções GS1 GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 1 GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2 Quem é a GS1 GS1 Brasil A GS1 Brasil Associação Brasileira

Leia mais

Obrigatoriedade do código de Barras nos Produtos

Obrigatoriedade do código de Barras nos Produtos Código: PT-130517 Módulo: PRODUTOS Data: 17/05/2013 Revisão: 17/05/2013 Assunto: Obrigatoriedade do código de Barras nos Produtos GTIN - "Global Trade Item Number" Número Global de Item Comercial na Nota

Leia mais

Manual do e-dimed 4.0

Manual do e-dimed 4.0 Manual do e-dimed 4.0 Instalação e Configuração - Módulo Cliente Após a instalação do e-dimed ser efetuada, clique no atalho criado no desktop do computador. Será exibida a janela abaixo: A instalação

Leia mais

Integração TOTVS Colaboração 2.0 Recepção NF-e - Datasul

Integração TOTVS Colaboração 2.0 Recepção NF-e - Datasul Integração TOTVS Colaboração 2.0 Recepção NF-e - Datasul Setembro/2014 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Objetivos do projeto TOTVS Colaboração 2.0... 3 3. Sistemas Envolvidos... 3 4.

Leia mais

Manual de Integração E-Commerce CiaShop x SIGALOJA

Manual de Integração E-Commerce CiaShop x SIGALOJA Manual de Integração E-Commerce CiaShop x SIGALOJA Janeiro/2015 Sumário Título do documento 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Sistemas Envolvidos... 3 3. Integração... 3 4. Escopo... 4 5. Pré-requisitos

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito Federal e o

Leia mais

O Instituto Véritas, tem como presidente, Marcelo Bastos, Secretário Parlamentar, ex-vereador, Consultor especial para projetos governamentais,

O Instituto Véritas, tem como presidente, Marcelo Bastos, Secretário Parlamentar, ex-vereador, Consultor especial para projetos governamentais, O Instituto Véritas, tem como presidente, Marcelo Bastos, Secretário Parlamentar, ex-vereador, Consultor especial para projetos governamentais, analista de Políticas Públicas e Sociais, organizador de

Leia mais

VANTAGENS DA NFC-e PARA O CONTRIBUINTE

VANTAGENS DA NFC-e PARA O CONTRIBUINTE Divulgação INTRODUÇÃO A NFC-e é um documento eletrônico (arquivo de computador) que substituirá as notas fiscais de venda a consumidor, modelo 2 e o cupom fiscal emitido por ECF com grandes vantagens para

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota G... 03 2. O que é NF-e?... 04 3. O que é CT-e?... 05

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Instalação do certificado digital Para cada empresa certificadora existe um manual de instalação. Antes de emitir o certificado no cliente, leia atentamente as instruções do manual.

Leia mais

Conteúdo. Revisado em 3/13/2010 às 9:45 PM 1 www.dzyon.com

Conteúdo. Revisado em 3/13/2010 às 9:45 PM 1 www.dzyon.com Conteúdo Introdução...3 Objetivos...3 Sobre o Manual...3 Padronização da Interface/Ícones...4 1.0 Visão Geral...5 1.1 Acesso ao Sistema...5 1.2 Sequência de Processos...5 1.3 Informações Gerais sobre Transmissão...6

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

Perguntas mais Frequentes do SAT-CF-e

Perguntas mais Frequentes do SAT-CF-e Perguntas mais Frequentes do SAT-CF-e (Atualizado em 06/11/2012) CONCEITOS P: O que é o projeto SAT-CF-e? O projeto SAT-CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos) tem por objetivo

Leia mais

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7)

Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Solução Planner para Nota Fiscal Eletrônica (P/NF-e 3.7) Introdução Desde abril de 2008 a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) se tornou obrigatória para diversos setores da economia nacional. A cada 6 meses,

Leia mais

Prof. Daniel J. Melo Brasil

Prof. Daniel J. Melo Brasil EDI Definição EDI é um acrônimo para Intercâmbio Eletrônico de Dados EDI refere-se a troca de estruturada de dados entre as organizações por meio eletrônico. EDI pode ser utilizado para a comunicação de

Leia mais

Ao Salvar a Nota Fiscal, um dos botões que se tornam ativos é o que comanda a rotina de Emissão da NFe Nota fiscal Eletrônica:

Ao Salvar a Nota Fiscal, um dos botões que se tornam ativos é o que comanda a rotina de Emissão da NFe Nota fiscal Eletrônica: Rotinas para Nota Fiscal Eletrônica Considerações... Ao Salvar a Nota Fiscal, um dos botões que se tornam ativos é o que comanda a rotina de Emissão da NFe Nota fiscal Eletrônica: Clicando neste surge

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Especialista em Gestão de Documentos Fiscais eletrônicos

Especialista em Gestão de Documentos Fiscais eletrônicos Especialista em Gestão de Documentos Fiscais eletrônicos Especialista A G2KA atua desde 2008 na Gestão de NF-e, acompanhou todos os períodos de obrigatoriedade e evolução dos projetos de CT-e e NFS-e.

Leia mais

Manual de código de Barras

Manual de código de Barras 1. VISÃO GERAL 1.1 MODITIVAÇÃO: O código de barras é uma forma de representar a numeração, que viabiliza a captura automática dos dados por meio de leitura óptica nas operações automatizadas (EAN Brasil,

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e)

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e) Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e) Nota Fiscal Eletrônica (NF-e/NFS-e) é um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar, para fins fiscais,

Leia mais

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3 Brasil EPC Código Eletrônico de Produto Volume 3 A implementação do código eletrônico de produto (EPC) e da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), promete importantes benefícios aos consumidores

Leia mais

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e

Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Manual de Credenciamento para Emissão de NF-e Versão 1.6 Abril/2011 Manaus/AM Sumário Apresentação... 2 Requisitos... 3 Credenciamento... 4 Fase de Homologação... 5 o Fase de Testes... 5 o Fase de Emissão

Leia mais

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é MDF-e?... 03 2. Safeweb e-nota MDF-e... 04 3. Acesso e-nota

Leia mais

1. Reordenação da aba Fiscal 1. 2. Consulta simplificada de itens vendidos por NCM, CFOP e Alíquotas 2. 3. Parametrização de NCM 4

1. Reordenação da aba Fiscal 1. 2. Consulta simplificada de itens vendidos por NCM, CFOP e Alíquotas 2. 3. Parametrização de NCM 4 CADASTROS FISCAIS 1. Reordenação da aba Fiscal 1 2. Consulta simplificada de itens vendidos por NCM, CFOP e Alíquotas 2 3. Parametrização de NCM 4 4. Faturamento de pedidos entregues no endereço do revendedor

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Secretaria de Estado da Fazenda Guia prático para emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Para dar mais agilidade e segurança à administração tributária, os Estados brasileiros, o Distrito

Leia mais

LOGISMATER QUEM SOMOS?

LOGISMATER QUEM SOMOS? CADASTRE E CONTROLE DE FORMA PADRONIZADA LOGISMATER QUEM SOMOS? Empresa voltada para soluções práticas na Área de Materiais. Possui um quadro de colaboradores com larga experiência em alinhamento de processos

Leia mais

A implantação da Nota Fiscal Eletrônica NF-e e seus Benefícios à empresa e a sociedade.

A implantação da Nota Fiscal Eletrônica NF-e e seus Benefícios à empresa e a sociedade. A implantação da Nota Fiscal Eletrônica NF-e e seus Benefícios à empresa e a sociedade. Cristiane Mamede Gislene Medrado Hapoliana Batista Lindemberg Ruiz Centro Universitário Candido Rondon Unirondon

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

MANUAL PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS PARA EMISSÃO DE NF-e

MANUAL PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS PARA EMISSÃO DE NF-e MANUAL PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTOS PARA EMISSÃO DE NF-e Este documento tem por objetivo orientar a etapa de Credenciamento para emissão de Nota Fiscal eletrônica (NF-e) por contribuintes paranaenses.

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Procedimentos de Configuração no CalcExpress....2 Procedimentos de Configuração no Emissor de Nota Fiscal Eletrônica...3 Gerando Arquivo

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

, diferente é gerar praticidade, desenvolvendo soluções

, diferente é gerar praticidade, desenvolvendo soluções , diferente é gerar praticidade, desenvolvendo soluções A UniSolution atua na área de consultoria e desenvolvimento de sistemas desde 1995, atendendo clientes do segmento industria, comércio e prestadores

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

M D F -e CONSIDERAÇÕES INICIAIS

M D F -e CONSIDERAÇÕES INICIAIS M D F -e CONSIDERAÇÕES INICIAIS Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) é o documento emitido e armazenado eletronicamente, de existência apenas digital, para vincular os documentos fiscais

Leia mais