AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M"

Transcrição

1 AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M Versão 1.2

2 Controle de Versão Versão Controle Data Razões para alteração Responsável /06/2012 Criação do Documento Lucas /08/2012 Ajustes no texto Flademir /10/2012 Ajustes no texto Vagner AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 2 de 27

3 Índice 1. Introdução Objetivo do Documento e Escopo Estrutura da solução Responsabilidades do Seguro Solução AT&M para averbação de CTe Utilizando o AverbaCTe Instalação Configuração Estrutura Operação Alertas por Removendo Alterando o Intervalo de Excução Averbando Manualmente Consultando as Averbações Execuções Consultando CTe averbados Consultando CTe com erro Principais erros e ações Automatizar Processos com AverbaCte Como Automatizar Automação do envio de CTe para Averbar Automação da Resposta Tabela de Códigos de Erro...26 AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 3 de 27

4 Envolvidos de TI na elaboração do Documento de Visão Nome Vagner Toledo Sandra Mara Paiva Lucas Aguiar AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 4 de 27

5 1. Introdução 1.1. Objetivo do Documento e Escopo Apresentar o software AT&M AverbaCte para averbação eletrônica de seguros de transportes utilizando o CTe. Se sua área de informática desejar fazer uma integração completa entre seu sistema emissor de CTe e os processos de averbação, a AT&M disponibiliza um conjunto de WebServices que provêem agilidade, segurança, protocolo e controle total sobre os documentos averbados. Contate a AT&M. 2. Estrutura da solução A solução de averbação eletrônica da AT&M se baseia na estrutura de EDI, homologada na grande maioria das seguradoras e é líder no mercado segurador com mais de 16 anos de experiência e comprovada eficiência e segurança. O AverbaCTe foi desenvolvido para agilizar e simplificar o uso da estrutura de serviços na Web, WebService, construída pela AT&M, que proporcionam a integração completa entre o sistema da transportadora e o sistema de averbação AT&M. Fazendo com que o processo de averbação seja automatizado, on-line, ágil, seguro, sem intervenção humana e sob total controle do cliente. O AverbaCte foi projetado para ser utilizado de várias formas, por exemplo: 1- Transportadora, cuja área de informática, deseje integrar seus sistemas utilizando diretamente o webservice, mas, não tem como fazê-lo no curto prazo ou não tem previsão. Neste caso utiliza-se o AverbaCTe enquanto o processo é desenvolvido. 2- Transportadora, cuja área de informática vai automatizar os processos, mas, se utilizará do AverbaCte como o módulo de comunicação entre seus sistemas e a AT&M. Independente do caso, utilizando o AverbaCte, o segurado começa a averbar os conhecimentos eletrônicos já. De uma forma simples, rápida e segura, e pode, caso deseje, ir aumentando o nível de integração com seus sistemas de forma gradual, controlada e sob demanda. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 5 de 27

6 2.1. A AT&M disponibiliza na web uma interface moderna e intuitiva com muitos recursos para o cliente gerenciar os conhecimentos averbados pelo AverbaCte. Segue os principais recursos : Visual moderno e arrojado; Nome e telefone do corretor na página inicial; Compatibilidade com os demais browsers além do Internet Explorer, tais como: Mozilla, FireFox, Google Chrome, Ophera e outros; Averbação OnLine por meio de outros sistemas operacionais: Linux, Tablet(Android), Ipod e todos que executarem os borwsers listados acima; Possibilita a digitação do conhecimento; Localização de documentos ágil e rápida por: número, série, filial, data de embarque ou data de emissão; Vários relatórios com exportação para PDF e Excel; Relatórios Analíticos: Geral, Origem/Destino, Urbano, Série, Filial e Motorista; Relatórios Resumos: Urbano/Origem/Destino, Data de Embarque e Filial; Relatório com todos os dados em Excel; Gráficos Estatísticos podendo ser exportados para PDF, PNG, JPEG e SVG; Gráficos: Valor Transportado por Origem/Destino, Transportes realizados por Origem/Destino, Valor por Veículo, Transportes por Veículo, Valor averbado por Filial e Documentos Averbados por Filial; Criação e Deleção de novos usuários pelo segurado. Entre em contato com a AT&M para obter seu login para o site: 3. Responsabilidades do Seguro A averbação dos documentos antes do embarque é um importante processo para a cobertura em caso de sinistro. Todos os CTe s emitidos pelo segurado no período de vigência da apólice devem ser averbados (comunicados) para a seguradora. A partir do momento que o segurado averba os documentos de transportes, está garantindo a cobertura pelo seguro em caso de sinistro, conforme as cláusulas constantes em sua apólice. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 6 de 27

7 Deve-se atentar aos limites de cobertura por viagem, também chamada de concentração de risco, que poderá ocasionar a não cobertura em caso de acidente, roubo, furto ou demais ocorrências definidas na sua apólice de seguro. É de responsabilidade do segurado, controlar estes limites por viagem ao montar a carga que será transportada num mesmo veículo. Consulte sempre o seu corretor de seguros em caso de dúvidas referentes às coberturas e limites existentes no seu seguro contratado. 4. Solução AT&M para averbação de CTe A solução de averbação eletrônica de documentos eletrônicos da AT&M, foi criado baseado na experiência da AT&M em prover solução para as Seguradoras e Corretores na averbação de transportes nacional, sendo pioneiro na aplicação de EDI para o setor e líder de mercado. Trazendo solução, segurança, praticidade e transparência no relacionamento entre Seguradora, corretor e segurado. Vislumbrando todo o problema e responsabilidades expostos no capítulo 3 (vide capitulo 3), a AT&M criou um processo totalmente automatizado e seguro para que os documentos eletrônicos sejam averbados de forma rápida e tranqüila. Para tanto foi desenvolvido uma solução baseada em WebService onde o sistema da transportadora, após, gerar o CTe e registrar na secretaria da fazenda do seu estado, averba o mesmo no servidor AT&M. Todo o processo é seguro e controlado por XML de retorno informando o protocolo de averbação do CTe ou o motivo da recusa. Tudo online e em tempo real. De posse do XML de retorno o sistema da transportadora dá baixa no CTe averbado, gerando controles que podem ser consultados ou gerados relatórios no próprio sistema da transportadora. A transportadora também poderá realizar consultas, relatórios, estatísticas, gráficos, convertendo em excell ou pdf de todos os documentos averbados diretamente no site de averbação eletrônica da AT&M: AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 7 de 27

8 5. Utilizando o AverbaCTe 5.1. Instalação Após ter em mãos o executável de instalação do sistema, baixado de nosso site ou enviado por pelo suporte técnico da AT&M, basta seguir os passos: 1. Crie uma pasta nova onde será instalado o sistema. Exemplo: C:/AT&M/AVERBA; 2. Execute o arquivo do sistema: AverbaDOCe.exe; 3. Após executar o sistema na pasta configurada sua instalação estará concluída Configuração Para utilizar o sistema deve-se configurá-lo com os dados de acesso do cliente fornecidos pela AT&M. Execute o AverbaDOCe.exe, na primeira execução do sistema aparecerá a seguinte tela: Preencher as informações com os dados de login informados pela AT&M: Usuário e senha: login fornecido pela AT&M. Caixa Postal: código de 8 dígitos, caixa postal fornecida pela AT&M. CNPJ: CNPJ do segurado. Intervalo: Informar, em minutos, o intervalo em que o AverbaCTe vai se conectar ao servidor AT&M e averbar os CTe s. Em seguida clicar em gravar. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 8 de 27

9 Também é possível acessar a tela de configuração dos dados do cliente acessando a opção de menu: Sistema Dados do Cliente. ATENÇÃO: Só faça alterações nestes dados caso seja orientado pelo suporte técnico da AT&M. A alteração indevida destas informações de cadastro do cliente na AT&M, fará com que o sistema não mais consiga fazer as averbações. Estes dados de login são os mesmos de acesso ao site: Estrutura O AverbaCTe baseia seu funcionamento em estrutura de pastas. Os CTe s que vão ser averbados, o retorno dos CTe s aceitos e os recusados estão distribuídos em pastas específicas do sistema. São elas: Averbar: Copiar para esta pasta o XML protocolado no SeFaz do CTe que será averbado. XMLAv: O protocolo gerado pela averbação do CTe é gravado nesta pasta. XMLErro: Caso ocorra recusa na averbação do CTe, o retorno do erro é gravado nesta pasta Operação Com o sistema instalado e configurado deve-se ativar o AverbaCTe. Para isto execute o arquivo: AverbaDOCe.exe. Ao abrir a tela principal do sistema basta escolher a opção sistema do menu e em seguida a opção minimizar no tray. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 9 de 27

10 Desta forma o AverbaCTe ficará ativado na barra de tarefas do Windows e a cada X minutos (vide capítulo 5.2) averbará os CTe s existentes na pasta Averbar. Sistema ativado e na barra de tarefas do Windows. Com o sistema ativado, basta ir gravando os CTe s que vão sendo emitidos, e aceitos no SeFaz, na pasta Averbar que automaticamente serão averbados. Veja como receber alerta por no capítulo: Alertas por . Veja o capítulo Automação para saber como agilizar o seu dia a dia Alertas por Quando ocorre um erro na averbação de um conhecimento seja este erro ocasionado pelo sistema, rede, internet ou parâmetros da apólice de seguro é muito importante que você seja avisado o mais rápido possível, para tomar as ações necessárias para que ocorra a averbação. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 10 de 27

11 Pensando nesta necessidade o AverbaCte tem um cadastro de s que serão acionados quando ocorrer algum destes erros. Proceda da seguinte forma para realizar o cadastro: Acesse o menu principal do sistema, se estiver minimizado na barra de tarefas do Windows basta um click com o mouse para acessar. Escolha a opção: Sistema e Alerta por , e você terá esta tela de cadastro: Agora é só digitar um e clicar em Adicionar. O cadastrado passa para a janela abaixo de s cadastrados: AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 11 de 27

12 5.6. Removendo Para remover um cadastrado, proceda da seguinte forma: Acesse o menu principal do sistema, se estiver minimizado na barra de tarefas do Windows basta um click com o mouse para acessar. Escolha a opção: Sistema e Alerta por , e você terá esta tela de cadastro: Dê um click com o mouse sobre o que deseja remover da lista de s cadastrados. O mesmo aparecerá no campo: Endereço de . Agora, click no botão Remover e o mesmo será removido. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 12 de 27

13 5.7. Alterando o Intervalo de Excução A cada X minutos o sistema lê os CTe s da pasta Averbar e conecta-se ao servidor AT&M e averba o conhecimento. Este ciclo é controlado pelo intervalo de execução cadastrado no AverbaCte. Para alterar este intervalo ou consultar o intervalo cadastrado acesse a tela principal do sistema e entre na opção de menu: Averba e Automatizado. Em seguida a seguinte tela será apresentada: Para alterar o intervalo e Execução basta digitar o novo valor em minutos. ATENÇÃO: Não é aconselhável intervalos muito grandes, 15 ou 20 minutos, pois, acarretará um tempo excessivo entre a gravação do CTe na pasta Averbar e a sua efetiva averbação. Sugerimos intervalos abaixo dos 5 minutos Averbando Manualmente É um recurso adicional que na prática deve ser utilizado em casos isolados. Proporciona a possibilidade de averbar um CTe que não esteja na pasta Averbar e que o cliente não consiga copiar para pasta de averbação do sistema AverbaCte. Para acessar este recurso acionar a opção de menu: Averbação e Averbar Manualmente. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 13 de 27

14 A tela a seguira será apresentada: Escolha o CTe que quer averbar com um duplo click, imediatamente será averbado. Ocorrendo qualquer erro uma mensagem do sistema será exibida. ATENÇÃO: O XMLs será apagado após ser averbado com sucesso. Caso não tenha uma cópia do XML não averbar pelo método manual, copiar para pasta AVERBAR. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 14 de 27

15 6. Consultando as Averbações 6.1. Execuções Cada vez que o sistema encontra CTe na pasta Averbar registra a data e hora de execução, assim como, quantos CTe s haviam e quantos foram averbado e quantos foram recusados. É um controle rápido e objetivo, onde, se pode visualizar os conhecimentos não averbados e o motivo. Para consultar as execuções realizadas e os resultados, acesse a opção do menu: Averbação e Execuções. A seguinte tela será apresentada. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 15 de 27

16 Cada linha apresenta a data e hora da execução, o total de documentos na pasta Averba no momento da execução, quantidade de documentos averbados e a quantidade de documentos com erro Consultando CTe averbados. A consulta dos documentos averbados divide-se em duas interfaces: 1. Local 2. Web 1. Consulta local O AverbaCte disponibiliza apenas uma consulta rápida com a informação dos conhecimentos averbados: número, série, filial, protocolo, data e hora da averbação. Para acessar esta consulta basta dar um duplo click na coluna Docs Averbados na linha que desejar consultar: Apresentará a tela a seguir: AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 16 de 27

17 2. Consulta Web Um conjunto de recursos de consultas e relatórios dos documentos averbados estão disponíveis na web no link Utilize as informações existentes na configuração do AverbaCte para acessar sua conta na web. (vide 5.2 Configuração) Relatórios em PDF e Excel, Gráficos estatísticos dos transportes são alguns dos recursos disponibilizados. Qualquer dúvida na utilização do site contatar nosso suporte técnico: (19) Consultando CTe com erro. CTe s com erro são conhecimentos que por motivo de sistema, rede, dados de acesso do cliente incorretos, vigência ou parâmetros de limites as apólice não foram averbados. Erros como: link de internet inativo, rede, erro de login ou acesso fazem com que numa próxima execução seja feita uma nova tentativa de averbar os CTe s existentes na pasta Averbar. Os demais erros, removem o CTe da pasta averba obrigando que sejam novamente gravados na pasta averba. Para acessar a consulta de CTe com erro proceda da seguinte forma: Acesse o menu principal a opção: Averbação e Execuções : AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 17 de 27

18 A seguinte tela será apresentada. Cada linha apresenta a data e hora da execução, o total de documentos na pasta Averbar no momento da execução, quantidade de documentos averbados e a quantidade de documentos com erro. Para acessar esta consulta basta dar um duplo click na coluna Docs com Erro na linha que desejar consultar: AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 18 de 27

19 E a tela a seguir será apresentada: com os dados do documento recusado: número, série, filial e descrição do erro. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 19 de 27

20 6.4. Principais erros e ações A seguir listamos os erros mais comuns e suas possíveis soluções: Código Descrição Ação sugerida 001 Documento já cadastrado Verifique o número, série e CNPJ emissor do CTe. Consulte na web o documento já cadastrado. (www.averba.com.br) 004 Valor da IS maior que o limite permitido Valor do CTe excede o limite contratado. Contate seu corretor de seguros. 027 Apólice não localizada ou vencida para o ramo: CNPJ Emissor do documento não autorizado a averbar. Apólice não localizada. Contate seu corretor de seguros, e informe o ramo apresentado no erro. CNPJ emissor do CTe difere do cadastrado pela seguradora/corretor na AT&M. Contate seu corretor de seguros. 900 Usuário do Webserver não informado Verifique as informações de configuração, cap.5.2, em caso de dúvida contate a AT&M. 901 Senha do Webserver não informado Verifique as informações de configuração, cap.5.2, em caso de dúvida contate a AT&M. 902 CodATM do Webserver não encontrado Verifique as informações de configuração, cap.5.2, em caso de dúvida contate a AT&M. 903 Acesso do Webserver não autorizado Verifique as informações de configuração, cap.5.2, em caso de dúvida contate a AT&M. 908 CTe não localizado na base de dados Você tentou cancelar um CTe que não está averbado. Proceda a averbação do mesmo e depois informe o cancelamento. 912 XML inválido para utilização neste webserver Erro no formato do XML ou não é um XML válido ou protocolado no Sefaz. AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 20 de 27

21 7. Automatizar Processos com AverbaCte 7.1. Como Automatizar Nos capítulos anteriores foi explicado como o sistema funciona, neste, estaremos mostrando dicas e formas de automatizar os processos por meio do AverbaCte. Está automação se dá por meio do desenvolvimento de rotinas no sistema do cliente que integra a geração do CTe para averbar e a leitura do retorno de sucesso ou erro na averbação. Desta forma criando uma interface no sistema do cliente onde o usuário controlará todo o processo sem ser necessário manusear o AverbaCte. Você pode utilizar o AverbaCte para realizar vários níveis de automação, desde a gravação do CTe na pasta Averbar diretamente do seu sistema até a leitura dos protocolos retornados pela AT&M dando baixa nos CTe s já averbados no seu banco de dados Automação do envio de CTe para Averbar Como alternativa à gravação manual de CTe s na pasta Averbar, podemos sugerir: 1. No sistema da transportadora criar uma rotina que localiza todos os CTe s já protocolados no SeFaz e que não foram averbados e grava o XML na pasta Averbar. Esta rotina pode ser executada por um timer ou pela ação do usuário clicando num botão. Sugestão: a) Crie um parâmetro no seu sistema onde estará gravado o local da pasta de instalação do AverbaCte, exemplo: C:/AT&M/AverbaCte. Sabendo onde está instalado o sistema é fácil localizar as pastas b) Crie um parâmetro com a data inicio da averbação, este parâmetro é importante para que apenas os CTe s com data superior sejam selecionados para averbar. Caso este parâmetro não exista corre-se o risco de selecionar CTe s de meses passados e gerar uma quantidade enorme de CTe na pasta Averba. 2. A mesma rotina que submete o CTe no SeFaz para obter a autorização de uso, em caso de sucesso, grava o XML protocolado na pasta Averbar. Desta forma todo o CTe logo após o registro no Sefaz já é averbado. Sugestão: a) Além das sugestões anteriores, deve-se prever um forma do usuário realizar uma nova tentativa de averbação do CTe, caso ocorra erro e o sistema não esteja com a automação de repostas implementados. (vide cap. Automação da Resposta) AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 21 de 27

22 7.3. Automação da Resposta Estando a automação do envio implementado, pode-se fazer a automação dos XML de retorno, fazendo com que seja dada a baixa automática no banco de dados do cliente ou registrar o erro e solicitar a ação por parte do usuário. Integrando a Baixa do CTe Averbado Todos os CTe averbados, ou seja, aceitos pelo processo de averbação segundo os parâmetros contratados no seguro, estão na pasta: XMLAv. Mesmo os XMLs de cancelamentos obedecem aos mesmos processos descritos neste documento. Por meio da manipulação dos arquivos existentes nesta pasta podem-se obter as seguintes informações: - Número do CTe - Série - Filial - Protocolo - Data/Hora do protocolo O sistema do cliente lendo estas informações pode dar baixa no CTe como averbado. Tem duas formas do sistema do cliente ler estes dados: 1-Pelo nome do arquivo O nome do arquivo é formatado de maneira a ser possível localizar estas informações. O layout do nome do arquivo é o seguinte: Informação Tamanho Exemplo Número do Cte Serie Filial Protocolo MNJGGG1111K1GIN Data 8 YYYYMMDD Hora 4 HHMM AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 22 de 27

23 IMPORTANTE: Foi utilizado zeros para completar o tamanho dos campos no nome, desta forma: - No caso do protocolo deve ser desconsiderados os zeros a direita, no nosso exemplo o protocolo é: 91082MNJGGG1111K1GIN e não deve ser utilizado: 91082MNJGGG1111K1GIN ; - Na informação do Número/Serie desprezar os zeros a esquerda. Após ler e registrar a baixa no banco de dados, o arquivo deve ser apagado para que não seja lido sempre que o processo for executado. 2-Pelo conteúdo do arquivo O conteúdo do arquivo é o XML de retorno do servidor AT&M que tem o seguinte layout: XML de Retorno CTe Averbado: <?xml version="1.0" encoding="iso "?> <MSGS> <AVERBADO> <NUMDOC></NUMDOC> <SERIEDOC></SERIEDOC> <FILIALDOC></FILIALDOC> <LINHAARQ></LINHAARQ> <PROTOCOLO> <DATA></DATA> <HORA></HORA> <PROTOCOLONUMERO></PROTOCOLONUMERO> </ PROTOCOLO > </ AVERBADO > </ MSGS > Campo Descrição Tipo NumDoc Número do Documento String (9) SerieDoc Serie do documento String (5) FilialDoc Filial de emissão do documento String (5) LinhaArq Não utilizado para CTe String(3) Protocolo Nó do XML AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 23 de 27

24 Data Data de Averbação do documento Date (DD-MM-YYYY) Hora Hora da Averbação do Documento Hora (HH:MM:SS) Após ler o conteúdo do arquivo e registrar a baixa no banco de dados, o arquivo deve ser apagado para que não seja lido sempre que o processo for executado. Integrando o Retorno de Erro Conforme exposto no capítulo Consultando CTe com erro, o AverbaCte retorna o erro que houve ao tentar averbar o conhecimento. Para registrar no banco de dados do cliente os erros retornados deve-se desenvolver rotina que obtenha as informações de erro para cada CTe. Todos os CTe recusados, ou seja, não averbados pelo processo de averbação segundo os parâmetros contratados no seguro, estão na pasta: XMLEr. Por meio da manipulação dos arquivos existentes nesta pasta podem-se obter as seguintes informações: - Número do CTe - Série - Filial - Código do Erro - Data/Hora O sistema do cliente lendo estas informações pode registrar no banco o erro informado pelo processo de averbação e solicitar ação do usuário. Tem duas formas do sistema do cliente ler estes dados: 1-Pelo nome do arquivo O nome do arquivo é formatado de maneira a ser possível localizar estas informações. O layout do nome do arquivo é o seguinte: Informação Tamanho Exemplo Número do Cte Serie Filial Código do erro AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 24 de 27

25 Data 8 YYYYMMDD Hora 4 HHMM IMPORTANTE: Foi utilizado zeros para completar o tamanho dos campos no nome, desta forma: - Na informação do Número/Serie/Código desprezar os zeros a esquerda. - Nestes arquivos ficam registrados apenas o código de erro, para obter a descrição do erro relativo ao código recebido veja o capítulo: Tabela de códigos de Erros deste documento. Após ler e registrar o erro no banco de dados, o arquivo deve ser apagado para que não seja lido sempre que o processo for executado. 2-Pelo conteúdo do arquivo O conteúdo do arquivo é o XML de retorno do servidor AT&M que tem o seguinte layout: <?xml version="1.0" encoding="iso "?> <MSGS> <ERRO> <NUMDOC>7788</NUMDOC> <SERIEDOC>1</SERIEDOC> <FILIALDOC></FILIALDOC> <LINHAARQ>NF</LINHAARQ> <ERRODETALHE> <CODIGO></CODIGO> <VALORENVIADO></VALORENVIADO> <VALORESPERADO></VALORESPERADO> <LIMITE></LIMITE> <DESCCOMPLETA></DESCCOMPLETA> </ERRODETALHE> <ERRODETALHE> <CODIGO></CODIGO> <VALORENVIADO></VALORENVIADO> <VALORESPERADO></VALORESPERADO> <LIMITE></LIMITE> AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 25 de 27

26 <DESCCOMPLETA></DESCCOMPLETA> </ERRODETALHE> </ERRO> </MSGS> Campo Descrição Tipo NumDoc Número do Documento String (9) SerieDoc Serie do documento String (5) FilialDoc Filial de emissão do documento String (5) LinhaArq Não utilizado para CTe String (3) ErroDetalhe Nó do XML Ocorre n vezes Codigo Código do erro (vide capítulo 5.3) String(3) ValorEnviado Em determinados erros exibe o valor enviado String(15) ValorEsperado Em determinados erros exibe o(s) valor(es) esperado(s) String(50) Limite Em determinado erro apresenta o limite (R$) do seguro contratado String(50) DescCompleta Descrição que complementa a descrição do código do erro String(200) Após ler e registrar o erro no banco de dados, o arquivo deve ser apagado para que não seja lido sempre que o processo for executado Tabela de Códigos de Erro Para receber a lista de códigos de erros a fim de criar uma referência entre o código e a descrição tem disponibilizado duas formas: Por url, pode-se fazer o download do arquivo XML no seguinte link : ou pelo uso de um WebService mostrado na seqüência. Desta forma sempre que acionado gera um XML de retorno com a lista de código de erro e descrição. Como sugestão de automação, pode ser acionado sempre que um código de erro recebido não for localizado na lista já recebida anteriormente e armazenada no sistema do integrador. WSDL: webserver.averba.com.br Nome: listaerros XML de Retorno: AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 26 de 27

27 <?xml version="1.0" encoding="iso "?> <lista> <erro> <codigo>001</codigo> <descricao>documento já Cadastrado</descricao> </erro> <erro> <codigo>002</codigo> <descricao>erro na inclusão do documento</descricao> </erro> </lista> Campo Descrição Tipo Erro Nó do XML Ocorre n vezes Código Código do erro String (3) Descrição Descrição do erro String (200) AT&M Processos automatizados de EDI (19) ou (11) Página 27 de 27

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

MANUAL DO PROGRAMA CSPSNet

MANUAL DO PROGRAMA CSPSNet MANUAL DO PROGRAMA CSPSNet Qualquer dúvida entre em contato: (33)32795093 01 USUÁRIO/CSPSNet O sistema CSPSNet está configurado para funcionar corretamente nos seguintes browsers: Internet Explorer 8.0,

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

Manual para acesso ao Web Site Documentos e Faturas

Manual para acesso ao Web Site Documentos e Faturas Manual para acesso ao Web Site Documentos e Faturas Introdução: O presente manual tem por finalidade instruir os clientes na utilização do site para consultas, rastreabilidade de cargas e verificação de

Leia mais

Processo de Envio de email

Processo de Envio de email Processo de Envio de email Introdução O envio de documentos de forma eletrônica vem sendo muito utilizado, assim o envio de arquivos, relatórios, avisos, informações é realizado via e-mail. O sistema disponibiliza

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 09 de julho de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 Manual do Usuário Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 1. CONFIGURAÇÕES E ORIENTAÇÕES PARA ACESSO... 4 2 GUIAS... 11 2.1 DIGITANDO AS GUIAS... 11 2.2 SALVANDO GUIAS... 12 2.3 FINALIZANDO UMA GUIA... 13

Leia mais

Manual para Utilização Site DVA Express. Versão 2.0 para Parceiros.

Manual para Utilização Site DVA Express. Versão 2.0 para Parceiros. Manual para Utilização Site DVA Express Versão 2.0 para Parceiros. Introdução O presente manual tem por finalidade instruir os parceiros e representantes na utilização do site para consultas, rastreabilidade

Leia mais

e-nota E Módulo de Entrega da Nota

e-nota E Módulo de Entrega da Nota Página1 e-nota E Módulo de Entrega da Nota Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota E... 03 2. O que é XML... 04 3. Acesso e-nota E... 05 4. Gerenciamento

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta

Leia mais

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota G... 03 2. O que é XML... 04 3. Acesso e-nota G... 05

Leia mais

e-nota C Consulta de Nota Fiscal eletrônica

e-nota C Consulta de Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota C Consulta de Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por Informática Educativa Página2 Índice Nota Fiscal eletrônica... 03 Safeweb e-nota C... 04 Documentos eletrônicos... 08

Leia mais

MANUAL DO PVP SUMÁRIO

MANUAL DO PVP SUMÁRIO Manual PVP - Professores SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 6 2 ACESSANDO O PVP... 8 3 TELA PRINCIPAL... 10 3.1 USUÁRIO... 10 3.2 INICIAL/PARAR... 10 3.3 RELATÓRIO... 10 3.4 INSTITUIÇÕES... 11 3.5 CONFIGURAR... 11

Leia mais

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas 2014 V.1.0 SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Contas Médicas SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Módulos CONTAS MÉDICAS Capa

Leia mais

1998-2012 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2012 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Geração e transmissão de NF-e Após preencher os dados da nota fiscal, se não houver alguma informação faltando, o sistema sugere a geração do arquivo texto necessário

Leia mais

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit

Presskit Guia Rápido. Release 2.0. Presskit Presskit Guia Rápido Release 2.0 Presskit 06/07/2009 Sumário 1 Login 2 Login e Senha...................................... 2 Esqueci minha senha.................................. 2 Fale Com o Suporte...................................

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

Manual de Operaça o XML-SPC

Manual de Operaça o XML-SPC Manual de Operaça o XML-SPC Versão 2.1 Sumário Envio de Documentos Emitidos... 2 Envio de Documentos Recebidos... 2 Acesso ao XML-SPC... 3 Visualização de Documentos... 4 Enviados e Recebidos... 5 Status

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

VALIDADOR DE ARQUIVOS SICREDI (VAS) Cobrança e Convênios

VALIDADOR DE ARQUIVOS SICREDI (VAS) Cobrança e Convênios VALIDADOR DE ARQUIVOS SICREDI (VAS) Cobrança e Convênios Atrelada ao processo: Validação de layout dos arquivos de convênios/cobrança de um novo convênio/cedente Classificação da informação: uso interno

Leia mais

Índice. 1. Introdução... 02. 2. Objetivo... 02. 3. Clonagem do Sistema... 03. 4. Configuração dos Campos... 06

Índice. 1. Introdução... 02. 2. Objetivo... 02. 3. Clonagem do Sistema... 03. 4. Configuração dos Campos... 06 Índice 1. Introdução... 02 2. Objetivo... 02 3. Clonagem do Sistema... 03 4. Configuração dos Campos... 06 5. Realização de Testes na Versão 2.0... 07 6. Realização de Testes em ambiente de Produção...

Leia mais

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse

Leia mais

MÓDULO CLIENTE 1. O QUE PODE SER FEITO PELO SITE: 3 2. APRESENTAÇÃO DO SITE 4

MÓDULO CLIENTE 1. O QUE PODE SER FEITO PELO SITE: 3 2. APRESENTAÇÃO DO SITE 4 MÓDULO CLIENTE Conteúdo 1. O QUE PODE SER FEITO PELO SITE: 3 2. APRESENTAÇÃO DO SITE 4 2.2 HOME 4 2.3 A VALECARD 5 2.4 PRODUTOS 6 2.5 REDE CREDENCIADA 7 2.6 ROTA 9 2.7 CONTATO 9 3. EMPRESAS 11 3.1. ACESSO

Leia mais

BAIXA E INSTALAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL

BAIXA E INSTALAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL BAIXA E INSTALAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL A1 Sumário Orientações Iniciais... 3 1. Mozilla Firefox... 4 2. Acessando o sistema... 4 3. Baixando e Instalando um certificado Tipo A1... 5 4. Backup do certificado

Leia mais

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é MDF-e?... 03 2. Safeweb e-nota MDF-e... 04 3. Acesso e-nota

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR UPLOAD DE ARQUIVO TISS

MANUAL DO PRESTADOR UPLOAD DE ARQUIVO TISS MANUAL DO PRESTADOR UPLOAD DE ARQUIVO TISS 1 Sumário Introdução... 3 Funcionalidades... 3 Requisitos Necessários... 3 Acesso ao Upload de Arquivo TISS... 3 Upload de Arquivo TISS... 5 Erros mais frequentes

Leia mais

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica

e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Página1 e-nota G Módulo de Guarda da Nota Fiscal eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. Safeweb e-nota G... 03 2. O que é NF-e?... 04 3. O que é CT-e?... 05

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Emissão de MDF-e. Figura 1: Acesso à tela de cadastro de filiais

Emissão de MDF-e. Figura 1: Acesso à tela de cadastro de filiais Emissão de MDF-e Introdução O sistema TTransp traz aos seus clientes a possibilidade de Emissão de Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e). Neste documento são apresentadas as configurações

Leia mais

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Instalação da Aplicação Java...2 Instalação do Emissor...5 Instalação do Framework...7 Instalação das DLL s URL, SCHEMAS, CADEIA DE CERTIFICADO

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA 1 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA ANO 2012 2 Sumário 1 Nota Fiscal de Serviços eletrônica - NFS-e... 3 1.1 Considerações Iniciais... 3 1.2 Legislação... 3 1.3 Definição...

Leia mais

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com.

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com. Sumário Principais Características...5 Configuração necessária para instalação...6 Conteúdo do CD de Instalação...7 Instruções para Instalação...8 Solicitação da Chave de Acesso...22 Funcionamento em Rede...26

Leia mais

Manual do SISC Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Perfil Gestor Estadual Abril/2014 Versão 1.

Manual do SISC Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Perfil Gestor Estadual Abril/2014 Versão 1. Manual do SISC Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Perfil Gestor Estadual Abril/2014 Versão 1.0 SUMÁRIO Manual do SISC... 3 1. Finalidade do SISC... 3 2. Requisitos

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Principais Perguntas e Respostas

Principais Perguntas e Respostas Principais Perguntas e Respostas Por que ocorre erro de duplicidade ao enviar a Nota Fiscal ou Conhecimento de Frete? Este erro ocorre pois não obteve o arquivo XML autenticado pela Secretaria da Fazenda

Leia mais

MANUAL COTAÇAO WEB MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email]

MANUAL COTAÇAO WEB MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL COTAÇAO WEB [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais Autor: Equipe

Leia mais

Coordenação de Automação Fiscal 1

Coordenação de Automação Fiscal 1 Coordenação de Automação Fiscal 1 Procedimento para baixar arquivo de CNPJ via FTP. Para obter o arquivo de CNPJ do servidor de FTP da Secretaria da Fazenda de Goiás é necessário realizar autenticação

Leia mais

Procedimentos para realizar download do arquivo de CNPJ

Procedimentos para realizar download do arquivo de CNPJ SECRETARIA DA FAZENDA DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DA RECEITA ESTADUAL GEAF - GERÊNCIA DE ARRECADAÇÃO E FISCALIZAÇÃO COAF - COORDENAÇÃO DE AUTOMAÇÃO FISCAL Procedimentos para realizar download do arquivo

Leia mais

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Produto : RM NUCLEUS - 11.52.61 Processo Subprocesso : Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e : Integração com o TSS / TopConnect / CT-e Data

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 2. Tela Inicial... 2 3. Abrindo uma nova Solicitação... 3 4. Acompanhando as solicitações abertas... 4 5. Exibindo Detalhes da Solicitação... 6 6.

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

Manual Integra S_Line

Manual Integra S_Line 1 Introdução O é uma ferramenta que permite a transmissão Eletrônica de Resultado de Exames, possibilitando aos Prestadores de Serviços (Rede Credenciada), integrarem seus sistemas com os das Operadoras

Leia mais

manual Sistema de Gestão de Contribuições

manual Sistema de Gestão de Contribuições manual Sistema de Gestão de Contribuições Conteúdo 1. Login 4 2. Home 5 3. Informações básicas 3.1. Menus 6 3.2. Números e status 7 3.3. Ações 8 4. Ambientes da ferramenta 4.1. Sindicato 13 4.2. Empresas

Leia mais

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4.

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. 1 Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. Interface do sistema... 4 1.4.1. Janela Principal... 4 1.5.

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Motor Periférico Versão 8.0 1. Apresentação... 3 2. Instalação do Java... 3 2.1 Download e Instalação... 3 2.2 Verificar Instalação... 3 3. Download do Motor Periférico...

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

Tutorial para envio de comunicados e SMS

Tutorial para envio de comunicados e SMS Tutorial para envio de comunicados e SMS Conteúdo 1. Enviando comunicado para os alunos... 1 2. Verificando a situação do envio dos e-mails para os alunos... 5 3. Enviando comunicado para colaboradores

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS IMPORTAÇÃO DE ARQUIVOS XML VIA WEB RECIFE - 2015 1 ÍNDICE 1. ACESSANDO O PORTAL TISS... 3 2. USUÁRIO E SENHA... 5 2.1. Usuário... 5 2.2. Senha... 5 2.3. Alteração de Senha...

Leia mais

Módulo NF-e. Manual de Utilização

Módulo NF-e. Manual de Utilização Módulo NF-e Manual de Utilização 1 Conteúdo Passo-a-passo para emissão de NF-e... 3 1. Obtendo seu Certificado Digital... 3 2. Registrando-se na Secretaria da Fazenda para Homologação (testes)... 4 3.

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil.

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. De acordo com as leis de Copyright, nenhuma parte desta publicação ou do software pode ser copiada,

Leia mais

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174 Versão Liberada A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível. A atualização da versão

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão

Leia mais

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 Manual desenvolvido pela OASyS Informática, baseado na versão 2.0 da Nota Fiscal Eletrônica do SEFAZ. 1 Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Título

Leia mais

Averbação eletrônica

Averbação eletrônica Averbação eletrônica Introdução A averbação dos documentos antes do transporte é de fundamental importância para a cobertura de possíveis sinistros. Observar a transmissão e autorização da averbação antes

Leia mais

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 ACESSANDO O PRONAVTECH... 4 Primeiro Acesso... 5 Demais Acessos... 6 Esqueci Minha Senha... 7 Esqueci o usuário principal... 7 ÁREA DE TRABALHO DO PRONAVTECH...

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gerenciador de NFe Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário da Apostila Informações Básicas Primeira Utilização: Os Módulos do Gerenciador de NFe: Como funciona o Sistema? Diagrama

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

Corregedoria-Geral de Justiça. Serviço Notarial e de Registro. Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO

Corregedoria-Geral de Justiça. Serviço Notarial e de Registro. Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO Corregedoria-Geral de Justiça Serviço Notarial e de Registro Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO Atualizado em 29/04/2015 CONTEÚDO APRESENTAÇÃO... 4 CAPÍTULO 1 DOWNLOAD DO SISNOR CARTÓRIO... 5 CAPÍTULO 2

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: ADMINISTRATIVO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 08/01/2013 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO ELETRÔNICAS PREFEITURA DE JUIZ DE FORA COMPLEMENTO AO SUPORTE A ATENDIMENTO NÍVEL 1 1.0 Autor: Juiz de Fora, Fevereiro 2015. PÁGINA 1 DE 38 SUMÁRIO 1REQUISITOS MÍNIMOS CONFIGURAÇÕES

Leia mais

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização TRANSMISSOR ECF Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista Manual de Utilização 1. Histórico de alterações Data Versão Alteração 04/12/2012 1 Criação do documento 28/02/2013 2 Revisão 2. Proposta

Leia mais

Manual de utilização do STA Web

Manual de utilização do STA Web Sistema de Transferência de Arquivos Manual de utilização do STA Web Versão 1.1.7 Sumário 1 Introdução... 3 2 Segurança... 3 2.1 Autorização de uso... 3 2.2 Acesso em homologação... 3 2.3 Tráfego seguro...

Leia mais

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas Manual de Registro de Saída Procedimentos e Especificações Técnicas Versão 1.0 Dezembro 2010 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO GERAL... 3 2 INTRODUÇÃO AO MÓDULO REGISTRO DE SAÍDA - SIARE... 3 2.1 SEGURANÇA... 4 2.2

Leia mais

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz 15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL GETEC 01 2/13 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para utilizar o Webmail da Secretaria de

Leia mais

Tron Auditor MANUAL DO USUÁRIO

Tron Auditor MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO Sumário 1. TRON AUDITOR... 3 1.1. OBJETIVO...3 1.1.1. Validações... 3 1.1.2. Cruzamentos... 3 1.2. ACESSO...4 1.3. CARREGAR ARQUIVOS...6 1.4. ARQUIVOS ENVIADOS...10 1.5. RELATÓRIOS DE

Leia mais

Restart Informática Ltda. Equipe de Suporte [E-CAFI] Manual da equipe de Suporte. Proibida a reprodução e distribuição não autorizada.

Restart Informática Ltda. Equipe de Suporte [E-CAFI] Manual da equipe de Suporte. Proibida a reprodução e distribuição não autorizada. 2012 Restart Informática Ltda. Equipe de Suporte [E-CAFI] Manual da equipe de Suporte. Proibida a reprodução e distribuição não autorizada. Sumário Instalando o ecafi... 2 Instalando o Serviço de E-mail...

Leia mais

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014)

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014) Versão 1.15 Portal StarTISS Portal de Digitação e Envio do Faturamento Manual de Utilização Versão 1.15 (Agosto/2014) Conteúdo 1. CONTATOS... 1 2. REQUISITOS NECESSÁRIOS... 1 3. ACESSANDO O PORTAL STARTISS...

Leia mais

2.0.0.X. Storage Client. TecnoSpeed. Tecnologia da Informação. Manual do Storage Client

2.0.0.X. Storage Client. TecnoSpeed. Tecnologia da Informação. Manual do Storage Client 2.0.0.X TecnoSpeed Tecnologia da Informação Storage Client Manual do Storage Client 1 Conteúdo 1. Apresentação... 3 1.1. Apresentação do Produto... 3 1.2. Sobre este Manual... 3 2. Sobre o Storage Client...

Leia mais

Manual de Utilização do Assistente do Certificado Digital Serasa Experian. Manual do Produto

Manual de Utilização do Assistente do Certificado Digital Serasa Experian. Manual do Produto Manual de Utilização do Assistente do Certificado Digital Serasa Experian Manual do Produto Índice Introdução - Assistente do Certificado Digital Serasa Experian 3 1. Verificação de Ambiente 4 2. Instalação

Leia mais

Manual do Prestador. Autorizador Web

Manual do Prestador. Autorizador Web Manual do Prestador Autorizador Web Instruções Gerais Quando houver a realização de consultas que os beneficiários estiverem sem o cartão de identificação, ou quando este cartão não for reconhecido na

Leia mais

Pagamento - Fornecedor

Pagamento - Fornecedor Pagamento - Fornecedor MT-212-00137 - 1 Última Atualização 30/08/2014 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: Carregar Documentos Fiscais Verificar o status de envio dos documentos

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Análise de Dados do Financeiro

Análise de Dados do Financeiro Análise de Dados do Financeiro Introdução Para reunir em um só local as informações de contas a pagar e receber cadastradas e/ou geradas no sistema TTransp existe a interface de análise de dados do financeiro.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE SUPORTE Versão 1.0 24/01/2012 1

Leia mais

Manual Operacional Linx Datasync Franchising

Manual Operacional Linx Datasync Franchising Linx Datasync Franchising Linx Datasync Franchising Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser reproduzida por qualquer forma ou meio gráfico, eletrônico, ou mecânico, incluindo

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Manual de Administração Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 04/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

Recepção CT-e com TMS 4.01 Datasul. Inovação D&L Joinville Outubro/2013

Recepção CT-e com TMS 4.01 Datasul. Inovação D&L Joinville Outubro/2013 Inovação D&L Joinville Outubro/2013 Índice Introdução Conhecimentos de transporte eletrônico. Escopo do projeto. Modelo de integração Totvs Colaboração. Delimitar o Processo de Importações do CT-e. Identificar

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais