ESTÁGIO CURRICULAR I e II

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR I e II"

Transcrição

1 DAINA PEREIRA DE SOUZA ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROJETO FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL: IMPLEMENTAÇÃO DE NOVAS FUNCIONALIDADES NO SOFTWARE FUSION CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL NOVEMBRO DE 2010

2 ii DAINA PEREIRA DE SOUZA ESTÁGIO CURRICULAR I e II PROJETO FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL: IMPLEMENTAÇÃO DE NOVAS FUNCIONALIDADES NO SOFTWARE FUSION EMPRESA: NEOMIND SETOR: COMÉRCIO E SERVIÇOS SUPERVISOR: FARLEY NIEHUES ORIENTADOR: VALMOR ADAMI JUNIOR CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL NOVEMBRO DE 2010

3 iii APROVADO EM.../.../... Professor Valmor Adami Jr. Mestre em Engenharia Elétrica Professor Orientador Professor Nazareno de Oliveira Pacheco Mestre em Engenharia Elétrica Professor Roberto Silvio Ubertino Rosso Jr. Doutor em Engenharia Mecânica e de Manufatura Supervisor da Neomind Farley Niehues

4 iv Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Neomind Solutions Informática LTDA CGC/MF: / Endereço: Rua Expedicionário Holz, 351 Bairro: América CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: Farley Niehues Cargo: Gerente de Desenvolvimento ESTAGIÁRIO Nome :Daina Pereira de Souza Matrícula: Endereço:R. Major Navarro Lins, 1087 Bairro: Anita Garibaldi CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de : Tecnologia em Sistemas de Informação Título do Estágio: Projeto Fundação Banco do Brasil: Implementação de novas Funcionalidades no Software Fusion Período: 30/08/2010 a 22/10/2010 Carga horária: 240h AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO I e II PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor Orientador: Valmor Adami Jr. CONCEITO FINAL DO ESTÁGIO I e II Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA ETG I (Média do Processo) NOTA ETG II (Média do Processo) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

5 v Nome do Estagiário : Daina Pereira de Souza QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Pontos QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Neomind Representada pelo Supervisor: Farley Niehues CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

6 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL ATIVIDADES PERÍODO (20 horas) Conhecer o sistema ECM bem como as regras de negócio do cliente. Analisar o funcionamento da integração do sistema com outros sistemas. Corrigir falhas detectadas a partir dos testes realizados. Preparar a documentação para testes do sistema SGP, realização de testes visando verificar a consistência dos documentos. Apresentar uma interface customizada, com as consistências corretas, para uso do cliente. Customizar processos de comunicado entre cliente e entre sistemas Testes e Ajustes P R P R P R P R P R P R P R

7 A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento Platão

8 8 A Deus, pois só Ele é digno de toda honra, glória e louvor Aos meus pais José Carlos de Souza e Cleílma Alves Pereira de Souza

9 9 AGRADECIMENTOS Muitas pessoas e empresas tornaram-se merecedoras do nosso reconhecimento, pelo muito que colaboraram para a realização deste trabalho, dentre elas destacam-se: Neomind Solutions Ltda. A equipe e ao supervisor Farley Niehues. Ao professor Valmor Adami Jr.

10 10 SUMÁRIO SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS RESUMO INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral Específicos Justificativa ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A EMPRESA HISTÓRICO PRINCIPAIS PRODUTOS PRINCIPAIS CLIENTES CONSIDERAÇÕES GERAIS DESENVOLVIMENTO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ECM ENTERPRISE CONTENT MANAGEMENT GERENCIAMENTO DO CONTEÚDO EMPRESARIAL SGP SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS TECNOLOGIAS JAVA EE - JAVA ENTERPRISE EDITION JAVASERVER PAGES (JSP) SERVLET ATIVIDADES DESENVOLVIDAS O PROJETO FBB TESTES TESTES E DOCUMENTAÇÃO DESENVOLVIMENTO CUSTOMIZAÇÕES DE INTERFACE CHECKLISTS VALIDAÇÕES DE REMANEJAMENTO CAMPO DE PROJETOS TELA DE ACOMPANHAMENTO DO PROJETO DESENVOLVIMENTO CUSTOMIZAÇÕES DE PROCESSOS E COMUNICAÇÃO FICHA DE AUTORIZAÇÃO DE PAGAMENTO COMUNICAÇÃO COM WEB SERVICE CONSIDERAÇÕES FINAIS ANEXOS ANEXO A GLOSSÁRIO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... XXXIX

11 11 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Exemplo de um workflow feito utilizando o Fusion Design Figura 2 Exemplo do gerenciador de documentos Figura 3 Exemplo do Portal utilizado no projeto da FBB Figura 4 Exemplo da digitalização de documento através do Fusion Capturing Figura 5 Exemplo da visão dos gráficos das metas financeiras utilizando o BPA/BI Figura 6 Funcionamento do ECM (NEOMIND, 2010) Figura 7 Funcionamento do padrão Model-View-Controller Figura 8 Exemplo do alerta de Campo Requerido Figura 9 Exemplo do carregamento campos Nacionalidade e Naturalidade Figura 10 Validação do campo Home Page Figura 11 Filtro de pesquisa de projetos Figura 12 Tela dos Checklists Figura 13 Exemplo de validação dos campos Figura 14 Campo de projetos no portal da FBB Figura 15 Exemplo do filtro disponibilizado para o usuário selecionar o projeto Figura 16 Tela de acompanhamento do projeto Figura 17 Exemplo da Ficha de autorização de pagamento... 33

12 12 RESUMO Este relatório de estágio descreve as atividades realizadas na empresa Neomind referentes ao projeto da Fundação do Banco do Brasil. São apresentadas as quatro etapas do processo de desenvolvimento realizadas no sistema ECM Neomind Fusion Suite. São elas: a realização de testes e correções do sistema, documentação dos testes realizados para garantir a qualidade do produto, o desenvolvimento da customização do sistema para disponibilizar funções de acordo com as necessidades do cliente, e desenvolvimento processos de comunicação entre o sistema e o cliente e a integração entre os sistemas ECM Neomind Fusion Suite e Sapiens ERP. Estas atividades permitiram alcançar o objetivo de adequar o produto aos requisitos do projeto.

13 13 INTRODUÇÃO A Neomind oferece aos seus clientes soluções que proporcionam a automatização, o gerenciamento de processos e de informações para tomada de decisões. Neste contexto, o relatório abordará as customizações feitas no Neomind Fusion ECM Suite para se adequar as regras de negócio do projeto da Fundação Banco do Brasil. Este documento tem como finalidade expor o trabalho desenvolvido pela acadêmica Daina Pereira de Souza na empresa Neomind OBJETIVOS Geral Realizar melhorias, fazer modelagens e desenvolver processos para o projeto de customização do produto Neomind Fusion ECM Suite para a Fundação do Banco do Brasil. Com o objetivo de acrescentar novas funcionalidades no produto para o mercado Específicos Realizar testes nos processos do sistema ECM (Enterprise Content Manager) Neomind orientado às regras de negócio do SGP (Sistema de Gerenciamento de Projetos). Analisar o funcionamento da integração do sistema com o ERP Sapiens da empresa Senior. Corrigir falhas no SGP detectadas a partir dos testes realizados. Preparar roteiro para testes. Realização de testes visando a geração e consistência dos documentos

14 14 Criar regras de interface que permitem programar a disponibilidade de determinados campos de um checklist específico para determinados tipos de projetos em tempo real. Criar classes de negócio, onde seja possível validar os dados do processo de remanejamento de cronograma físico e financeiro das entidades beneficiadas pela FBB Desenvolver classes de negócio, que valide os dados do pedido de adiantamento de recursos. Criar um layout específico para o painel do portal do parceiro estratégico da FBB permitindo o acesso a todas as informações referentes ao andamento de um projeto para um parceiro estratégico. Reestruturação do portal do usuário criando campos com dados específicos. Desenvolvimento de uma ficha de autorização de pagamento, que será enviado anexo para o cliente. Desenvolver uma classe que fará a comunicação dos dados do pedido com o ERP para gerar uma nota fiscal. Desenvolvimento de chamada de web service para geração de título de adiantamento. Realizar testes e ajustes nos itens desenvolvidos Justificativa Muito raramente os pacotes de software cobrem todas as necessidades de um negócio. Considerando a importância de se desenvolver serviços que satisfaçam as exatas especificações de cada cliente, surgiu a necessidade de se trabalhar nas etapas de testes e desenvolvimento de funções adicionais do produto.

15 ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO Este relatório está dividido em quatro capítulos. O primeiro capítulo apresenta o foco do relatório, e introduz os principais assuntos que serão abordados. O segundo capítulo apresenta informações sobre a empresa onde o estágio foi realizado, mostrando um breve histórico da empresa, seus principais produtos e clientes. O terceiro capítulo destina-se à apresentação dos estudos teóricos necessários para o desenvolvimento das atividades descritas no quarto capítulo. E por fim, são apresentadas as considerações finais.

16 16 2. A EMPRESA 2.1. HISTÓRICO A Neomind Solutions foi criada em 2006 a partir da iniciativa de seus sócios que tinham o objetivo de implantar no mercado uma solução inovadora da área de ECM (Enterprise Content Management - Gerenciamento de conteúdo empresarial) para isso foi desenvolvido o Neomind Fusion ECM Suite que apresenta diversas soluções para gerenciar documentos, registros, automatizar processos, capturar e armazenar as informações com segurança, proporcionar o gerenciamento de projetos e digitalizar documentos, sempre em vista de auxiliar o planejamento estratégico do cliente com tecnologia de qualidade e segurança PRINCIPAIS PRODUTOS A Neomind oferece seu produto Neomind Fusion ECM Suite que é disponibilizado em diversos módulos que abrangem áreas específicas de acordo com a necessidade do cliente. Os principais módulos são: Fusion Workflow/BPM: É um produto que permite gerenciar processos de negócio com a criação, simulação e otimização de fluxos de trabalho através de uma interface simples e organizada, conforme apresentado na Figura 1, que disponibiliza a implementação de exigências de processos que de forma automática documenta as atividades, segue regras de negócio, integra pessoas, documentos e outros sistemas, controlando e executando as atividades conforme o papel de cada usuário.

17 17 Figura 1 Exemplo de um workflow feito utilizando o Fusion Design Fusion GED: É um gerenciador eletrônico de documentos que proporciona agilidade em transformar papel em informação digital (NEOMIND, 2010), a integração de documentos, planilhas, relatórios, mídias e outros. Esse conteúdo é acessível à web possui fluxo de criação, editoração, versão e revisão, modelados de acordo com o negócio, contempla um mecanismo de pesquisa avançado através de palavras-chave, números, assuntos, vistos na Figura 2. Figura 2 Exemplo do gerenciador de documentos

18 18 Fusion Portal: É um portal que conecta todas as informações necessárias para uma organização, possibilita a gerencia de intranet e extranets corporativas, centraliza as aplicações para aumentar a produtividade, reduzir tempo de busca de informação e automatizar processos, implementa funções Single-Sign-On (SSO). A Figura 3 ilustra o Fusion Portal. Figura 3 Exemplo do Portal utilizado no projeto da FBB Fusion Capturing: É o módulo de digitalização de informações que utiliza a arquitetura e tecnologia da linha Ascent, desenvolvido pela Kofax (NEOMIND, 2010), a qual permite que haja um reconhecimento textual e os dados coletados podem ser inseridos diretamente no sistema de gerenciamento, conforme a Figura 4. O Fusion Capturing suporta vários padrões para disponibilizar as informações, como por exemplo, pdf, XML, possui um controle de qualidade do conteúdo, permite retirar as impurezas das imagens, é um sistema que possui inteligência artificial que reconhece os campos e faz a extração dos dados desses campos. Figura 4 Exemplo da digitalização de documento através do Fusion Capturing

19 19 Fusion BPA/BI: É um facilitador na tomada de decisões, através de uma interface bem elaborada permite visualizar os resultados, fazer análise de desempenho, fazer projeções de cenários, tudo isso nos níveis operacional, tático e estratégico, ilustrado na Figura 5. Com o uso de um Datawarehouse, Extração, Transformação e Carga (ETL), disponibiliza análise de tendências para a organização. Utiliza os recursos de Drill-Down, Drill-Up, Drill-Through e Slice and Dice. \ Figura 5 Exemplo da visão dos gráficos das metas financeiras utilizando o BPA/BI 2.3. PRINCIPAIS CLIENTES Os principais clientes da Neomind Solutions são: AMAE - Agência Municipal de Regulação dos Serviços de Água e Esgotos de Joinville/SC, AkzoNobel, Companhia Águas de Joinville, EMS, Procuradoria Geral do Município (PGM) do Rio de Janeiro, Termotécnica, Grupo Casvig, Golden Cross e Fundação Banco do Brasil.

20 CONSIDERAÇÕES GERAIS Atualmente a Neomind Solutions possui 18 colaboradores distribuídos nas áreas de desenvolvimento, serviços, suporte e outras áreas administrativas. Apesar de ser uma empresa nova no mercado já vem conquistando seu espaço distribuindo seu produto no sul, sudeste e centro-oeste do país.

21 21 3. DESENVOLVIMENTO Este capítulo apresenta os conceitos teóricos e as tecnologias que foram explorados durante o desenvolvimento das atividades do estágio. 3.1 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Será apresentada a seguir a fundamentação teórica que durante a realização das atividades descritas nesse relatório de estágio foram feitas com a meta de agregar conhecimento ECM ENTERPRISE CONTENT MANAGEMENT GERENCIAMENTO DO CONTEÚDO EMPRESARIAL Segundo Mario Salles (2010) a maioria das empresas busca tecnologias obter maior lucro e um diferencial competitivo. Portanto, procuram usar tecnologias que possam estruturar e automatizar seus processos internos. Porém, esses sistemas tradicionais não conseguem suprir todas as necessidades as empresas que trabalham com documentos, relatórios e rotinas manuais. Salles ainda alerta que por mais completo e atual que seja um sistema, ele perde sua função se uma pessoa interrompe sua tarefa, por exemplo, para utilizar um arquivo em papel, procurar um documento, tirar uma cópia e enviá-lo por malote ou fax. Entretanto, é evidente que as empresas utilizam documentos em papel de forma intensiva, apesar de poder obter esses documentos em sistemas, se utilizam do papel para formalizar processos e eventos, para controle, auditorias e gerenciamento. As empresas têm esse costume, apesar desse tipo de utilização ocupar espaço físico nos departamentos, requerer tempo para recuperar os documentos em arquivos, envolver pessoas para controlar o envio, recebimento e devolução da documentação. Em Feijó (2006), Patrícia Boaski, coordenadora do setor de contestação tributária do escritório de advocacia paulista Velloza, Girotto e Lindenbojm fala da utilização e benefícios de uma das funções que um ECM possui que é o GED Gerenciador

22 22 Eletrônico de Documentos. Segundo Feijó (2006), Patrícia diz que O desperdício não era só de espaço, mas também de produtividade, diz ela, se referindo a uma sala de 50 metros quadrados que ganhou em seu escritório, após a adquirir o GED, e descartar quase 2 milhões de folhas impressas, além de ter agilidade e precisão no gerenciamento de arquivos, aumentando em praticamente 100% sua produtividade. Percebendo todo esse cenário a Neomind desenvolveu a solução Neomind Fusion ECM Suíte. O ECM que de acordo com AIIM (2010), é a estratégia, métodos e ferramentas usadas para capturar, gerenciar, armazenar, preservar e fornecer conteúdo e documentos relacionados aos processos da organização. As ferramentas e estratégias de ECM permitem o gerenciamento de uma informação da organização aonde quer que ela exista. Essa automatização dos documentos é um passo importante para as empresas obterem aumentos de controle e padronização, redução de custos, melhoria no atendimento aos clientes e fornecedores, obtendo um diferencial competitivo. A Figura 6 demonstra o fluxo do funcionamento do ECM, ilustrando o como é feita a entrada, o processamento e a saída das informações. Figura 6 Funcionamento do ECM (NEOMIND, 2010) SGP SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS Um dos conceitos importante de ressaltar, devido sua ampla utilização durante o estágio, é o SGP, que conforme o Instituto de Gerenciamento de Projetos (2004) é o conjunto de ferramentas, técnicas, metodologias, recursos e procedimentos usados para

23 23 gerenciar um projeto. Pode ser formal ou informal e ajuda o gerente de projetos a conduzir um projeto ao seu término de modo eficaz. O seu conteúdo pode variar dependendo da área gerenciada e a complexidade do projeto e por isso o sistema é adaptado com customizações para se adequar às influências impostas pela organização. 3.2 TECNOLOGIAS De acordo com FRANÇA (2010) existe uma arquitetura de código que é bastante utilizada em sistemas orientados a objetos. Trata-se do padrão MVC siglas de Model- View-Controller, onde as classes que manipulam os dados (o modelo), ficam separadas da inteligência da aplicação (controller), e da interface de usuário (view). É uma forma de melhor organizar o código para facilitar o trabalho da equipe de desenvolvimento e foi adotado nas atividades do estágio. Em Java EE, as classes de Modelo são chamadas de Beans. As classes de Controller são os Servlets. As Views são as JSP (Java Server Pages). Pode-se fazer uma certa analogia com o modelo 3 camadas. Temos uma parte para cuidar da persistência de dados (Beans), uma para cuidar das regras de negócio (Servlets) e uma para cuidar da apresentação (JSP). Essas três tecnologias serão apresentadas a seguir. Para ilustrar o funcionamento do padrão MVC segue a Figura 7, baseada na (ORACLE CORPORATION, 2010). Figura 7 Funcionamento do padrão Model-View-Controller

24 JAVA EE - JAVA ENTERPRISE EDITION É uma plataforma Java que possui bibliotecas e um grupo de especificações para APIs (Application Programming Interface - Interface de Programação de Aplicações), que permitem a implementação de um software, é uma arquitetura de computação distribuída e define o padrão para desenvolvimento e implantação de aplicações baseadas em componentes multicamadas (MUKHAR, 2006) JAVASERVER PAGES (JSP) Segundo BRUNNER (2003) o JSP é uma tecnologia Java que permite desenvolver uma aplicação web dinâmica independente da plataforma. A tecnologia JSP é dirigida pela tecnologia Servler, porque uma página JSP deve ser traduzida em uma Servlet antes que possa ser processada por um servidor web. De acordo com o artigo da ORACLE CORPORATION (2010) É possível de se estender a linguagem JSP utilizando uma biblioteca de tag Java isso facilita o desenvolvimento de aplicações poderosas pra web isso com uma menor quantidade de código. A utilização de tags permite que se encapsule a lógica que gera o conteúdo da página. Qualquer e toda a formatação (HTML ou XML) são passadas diretamente para a página de resposta. Essa separação da lógica da página permite que um projeto reutilize componentes, tornando mais rápido e fácil a construção de aplicações baseadas na web SERVLET De acordo com BRUNNER (2003) a servlet é uma classe Java que estende a funcionalidade de um servidor para um processo dinâmico de solicitações de entrada e respostas adequadas. Essa classe instalada e configurada em um servidor que implementa um Servlet Container trata requisições recebidas de um cliente web e pode capturar os parâmetros desta requisição e efetuar um processamento inerente a uma classe Java, e devolver uma página HTML.

25 25 4. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Neste capítulo apresentam-se os detalhes, explicações técnicas e o resultado das atividades desenvolvidas durante o período de estágio 4.1 O PROJETO FBB A Fundação do Banco do Brasil é uma financiadora de projetos que buscam soluções para os problemas sociais. (NEOMIND, 2010). Para a Fundação do Banco do Brasil foi desenvolvido um sistema de gerenciamento de projetos (SGP) utilizando as funcionalidade do Fusion ECM. O SGP é um sistema web que irá abranger a intranet e a internet, as funcionalidades do sistema são diferenciadas conforme a função do usuário. O sistema foi criado para facilitar o gerenciamento, agilizar a burocracia e otimizar a troca de documentos. O SGP acompanha desde o cadastramento de uma entidade que será beneficiada pela FBB até todo o processo de planejamento, análise e disponibilização da verba para o projeto da entidade. Existem funções diferenciadas, como os papeis de administradores do sistema que realizam as operações de gerenciamento, acompanhamento dos projetos e cadastramento de usuários e dos fluxos, tendo assim uma visão geral de todo o sistema. Os papeis de gerente, assessores que são colaboradores da FBB especializados responsáveis pela liberação de propostas, análises e alterações dos projetos, conferencia de dados, aprovação dos projetos. Existe também o papel da entidade que é a beneficiada pelo projeto, tem funções importantes como o cadastramento de dados, que contém a primeira proposta mostrando os objetivos do projeto, o orçamento planejado, as atividades a serem realizados dentro de um cronograma e de forma detalhada quais os itens que serão utilizados, a partir desse cadastro todos os demais fluxos de análise e aprovação do projeto se baseiam para deferir ou não o financiamento do projeto para a entidade. Outro papel é o de parceiro estratégico do projeto, o qual tem como função disponibilizar o financiamento do projeto juntamente com a FBB, esse parceiro recebe do SGP um acompanhamento detalhado dos dados dos projetos que participa, tendo acesso as informações do projeto, da entidade, dos dados dos cronogramas atuais e dos cronogramas que sofreram algum ajuste durante o processo de proposta e análise. A

26 26 FBB sendo uma fundação que representa o Banco do Brasil tem suas agências como participantes responsáveis por colher as assinaturas das entidades, e transferir o financiamento para entidade e fazer o acompanhamento dos projetos, tudo isso através do portal customizado. 4.2 TESTES Como primeira atividade do estágio foi proposta a realização de testes, com o intuito de gerar conhecimento sobre o sistema, compreender as regras de negócio e detectar eventuais falhas. Após o período de ambientação com os fluxos do sistema, outras rotinas de testes foram realizadas agora com foco na análise da integração do sistema com o ERP. As rotinas foram feitas examinando a coerência dos dados entre as aplicações. Tendo sido realizados os testes, algumas modificações e correções foram solicitadas, tais como: a) Criação de mensagens de alerta em campos obrigatórios não preenchidos. Conforme mostrado na Figura 8. Figura 8 Exemplo do alerta de Campo Requerido b) Correção na frame carregada para determinado usuários, foi criado uma condição para que fosse carregada a tela correta. c) No formulário de cadastramento de dirigentes de uma entidade foi criado um filtro para esconder o campo de Naturalidade caso o campo Nacionalidade tivesse selecionada a opção 'Estrangeiro', como pode ser visto na Figura 9.

27 27 Figura 9 Exemplo do carregamento campos Nacionalidade e Naturalidade d) Validação de um campo, utilizando o código javascript: ((http https)(\:\/\/ \:\\\\) www\.)([a-za-z0-9])+(\.([a-za-z0-9])+)+(:([0-9])+)? Este código valida com que o campo permita somente seu preenchimento com um endereço de home page válido, por exemplo ou podendo constatar o resultado na Figura 10. Figura 10 Validação do campo Home Page e) Corrigir filtro que não apresentava corretamente as opções de auto completar o campo da proposta, disponibilizando essas opções conforme a Figura 11. Figura 11 Filtro de pesquisa de projetos

28 TESTES e DOCUMENTAÇÃO Antes da liberação do produto para o cliente, e como parte do processo de desenvolvimento de software, ocorreram testes no sistema, para garantir a qualidade da entrega do produto. Conforme SOUZA (2008) ressalta em seu, é importante que haja um planejamento da execução dos testes, registrando o passo a passo que deverá ser seguido, e registrar todas as ocorrências em um teste, sendo elas positivas ou não. Por isso, no decorrer dos testes foram registrados os procedimentos necessários para realização de uma tarefa no sistema, sendo detalhada as particularidades do sistema. Parte desse documento pode ser observada no ANEXO A, o qual apresenta as relações entre as atividades, processos e os responsáveis por esses processos. Foram pesquisadas ferramentas de rotinas de testes automatizados, o plugin 1 Selenium foi utilizado na simulação de preenchimento de campos nos formulários, porém não se obteve o resultado esperado nos testes devido a incompatibilidade do plugin com aplicativos utilizados no sistema. 4.4 DESENVOLVIMENTO CUSTOMIZAÇÕES DE INTERFACE Neste capítulo serão apresentadas as interfaces customizadas para o sistema CHECKLISTS Uma das rotinas do sistema de gerenciamento de projetos permite que o usuário realize uma análise do conteúdo do projeto, para esse gerenciamento existe uma série de checklists que são preenchidos. Foram criadas regras de interface para dar mais coerência ao checklist, sendo possível que somente os campos necessários fossem carregados em tela e em tempo real, conforme a Figura Plugin é um programa que é adicionado ao navegador, disponibilizando uma nova funcionalidade.

29 29 Figura 12 Tela dos Checklists VALIDAÇÕES DE REMANEJAMENTO Utilizando o Eclipse, que é um ambiente integrado de desenvolvimento e a linguagem de programação Orientada a Objeto Java, foi desenvolvida uma classe para permitir a consistência dos dados conforme as regras de negócio no processo de remanejamento, que é um processo onde os valores e/ou quantidade dos itens das atividades são remanejadas para outros itens, porém mantendo o mesmo valor total dos recursos, nessa classe são validadas: a data de início e fim do projeto, o preenchimento de todos os campos obrigatórios, e a coerência nos valores que sofreram remanejamento conforme quantidade, valor unitário e natureza das despesas. Essas validações possuíam métodos que exibiam mensagens ao usuário para orientá-lo a concluir a tarefa da forma adequada, conforme a Figura 13.

30 30 Figura 13 Exemplo de validação dos campos CAMPO DE PROJETOS Em um arquivo JavaServer Pages (JSP) responsável por carregar a tela principal do portal, foi acrescentado um campo de projetos de fundamental importância para facilitar o gerenciamento do usuário. Através de um filtro são disponibilizados somente os projetos que tem ligação com o usuário atual do sistema, como pode ser visto nas Figuras 14 e 15. A criação desse filtro funcionou da seguinte forma: através de uma consulta SQL no banco de dados, o código do usuário corrente do portal é relacionado com o código do usuário do projeto e se a proposta do projeto foi aprovada então esse projeto fica visível no campo. Para esse campo também foi desenvolvida uma função de auto completar, conforme o usuário digita os dados do projeto são disponibilizados os projetos que contêm a informação digitada. Figura 14 Campo de projetos no portal da FBB

31 31 Figura 15 Exemplo do filtro disponibilizado para o usuário selecionar o projeto TELA DE ACOMPANHAMENTO DO PROJETO Foi desenvolvida uma tela, conforme a Figura 16, que reúne conforme a seleção de um projeto, todas as suas informações relevantes e também da entidade que realiza o projeto, do cronograma proposto pela entidade, cronograma analisado pelos gerentes e assessores da FBB, e do cronograma que é o atual do projeto. Para os dois primeiros cronogramas os dados foram carregados a partir de consultas SQL do banco local, já no último caso por haver a necessidade de obter os dados mais atuais, foi utilizada servlet devido sua funcionalidade de um servidor para um processo dinâmico de solicitações de entrada e respostas adequadas, conforme descrito no item , essa servlet envia requisições a classe que se comunica com o web service que então retorna os dados que estão armazenados no Sapiens ERP, permitindo assim obter os dados mais recentes, visto que esse acompanhamento é feito em paralelo com outras atividades do sistema. Durante essa atividade ajustes foram necessários devido a um erro que ocorreu a partir da criação de um formulário que herdava campos de outro formulário. Por resultado da herança o produto Fusion não permitia que tais consultas fossem realizadas. Essa dificuldade foi solucionada criando nesse formulário os campos que antes eram herdados do formulário pai.

32 32 Figura 16 Tela de acompanhamento do projeto 4.5 DESENVOLVIMENTO CUSTOMIZAÇÕES DE PROCESSOS E COMUNICAÇÃO Neste capítulo serão apresentadas as customizações feitas nos processos de comunicação entre o cliente e entre sistemas FICHA DE AUTORIZAÇÃO DE PAGAMENTO Como forma de permitir o processo de liberação de recursos, onde a beneficiária solicita que a FBB libere recursos (dinheiro) alocados no projeto para o pagamento de um fornecedor, foi desenvolvida uma ficha de autorização de pagamento (FAP), esse documento é alimentado de dados de formulários. Utilizando o framework ireport é possível reproduzir dinamicamente um documento mostrado na Figura 17, que gera um XML que é compilado gerando um.jasper que é interpretado por uma classe em Java, que permite enviar parâmetros e popular o documento. Depois de criado o documento, é

33 33 através de um JSP específico que um recebe o anexo do documento que foi gerado, no formato pdf e o envia para o usuário determinado. Figura 17 Exemplo da Ficha de autorização de pagamento COMUNICAÇÃO COM WEB SERVICE Após a criação de um formulário, que possui a função de cadastrar várias informações referentes aos fornecedores, foi desenvolvida uma classe para transmitir esses dados para o ERP utilizado pela Fundação do Banco do Brasil, o Sapiens, através da chamada de um web service. Essa comunicação só é possível, pois o web service possui uma interface que suporta interações diretas com outras aplicações de software utilizando mensagens baseadas em XML via protocolos baseados na Internet (W3C, 2007). O web service possui uma WSDL Web Services Descriptions Languagem que nada mais é que um serviço que trás os métodos do web service. Utilizando esses métodos disponibilizados e uma classe específica para controlar esses parâmetros foi possível repassar os dados para o ERP. Para essa classe foi utilizado o objeto Collection do Java, que permitiu agrupar listas com dados do fornecedor, e passar esses parâmetros para o web service que verifica se o fornecedor já possui cadastro, e se não possuir efetua seu cadastramento. Permitindo assim cumprir a especificação do processo.

ESTÁGIO CURRICULAR I PROJETO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DO SOFTWARE FUSION ECM SUITE

ESTÁGIO CURRICULAR I PROJETO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DO SOFTWARE FUSION ECM SUITE LUCAS GUSTAVO AMARAL FERNANDES ESTÁGIO CURRICULAR I PROJETO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DO SOFTWARE FUSION ECM SUITE EMPRESA: NEOMIND SOLUTIONS INFORMÁTICA LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: REINALDO

Leia mais

Tecnologia gerando valor para a sua clínica.

Tecnologia gerando valor para a sua clínica. Aumente a eficiência de seu negócio O sclínica é a ferramenta ideal para a gestão de clínicas de diagnóstico. Desenvolvido a partir das necessidades específicas deste mercado, oferece uma interface inteligente,

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS Emanuel M. Godoy 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil godoymanel@gmail.com,

Leia mais

Soluções de Tecnologia da Informação

Soluções de Tecnologia da Informação Soluções de Tecnologia da Informação Software Corporativo ERP ProdelExpress Diante da nossa ampla experiência como fornecedor de tecnologia, a PRODEL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO oferece aos seus clientes

Leia mais

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20 Guia de utilização Índice Introdução... 3 O que é o sistema BlueTalk... 3 Quem vai utilizar?... 3 A utilização do BlueTalk pelo estagiário do Programa Acessa Escola... 5 A arquitetura do sistema BlueTalk...

Leia mais

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Amarildo Aparecido Ferreira Junior 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil aapfjr@gmail.com

Leia mais

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua

PATRONAGE - ADMINISTRAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS FAPEMA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO Rua 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 1 COMO ACESSAR O PATRONAGE... 4 2 INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO... 5 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS... 8 3.1 Execução do projeto... 8 3.2 Autorização de recursos (remanejamento de recurso,

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

Sociedade do Conhecimento

Sociedade do Conhecimento Gerenciamento (Gestão) Eletrônico de Documentos GED Introdução Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED Sociedade do Conhecimento Nunca se produziu tanto documento e se precisou de tanta velocidade

Leia mais

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA.

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. SISTEMA AUTOMÁTICO DE BILHETAGEM ELETRÔNICA MANUAL DO VTWEB CLIENT CADASTROS /PEDIDOS E PROCEDIMENTOS Resumo Esse manual tem como o seu objetivo principal a orientação de uso do

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Enterprise Content Management [ECM] Impulsionando o Poder da Informação

Enterprise Content Management [ECM] Impulsionando o Poder da Informação Enterprise Content Management [ECM] Impulsionando o Poder da Informação O SoftExpert ECM Suite provê as tecnologias utilizadas para criar, capturar, gerenciar, armazenar, preservar e distribuir todos os

Leia mais

Manual do Módulo SAC

Manual do Módulo SAC 1 Manual do Módulo SAC Índice ÍNDICE 1 OBJETIVO 4 INICIO 4 SAC 7 ASSOCIADO 9 COBRANÇA 10 CUSTO MÉDICO 10 ATENDIMENTOS 11 GUIAS 12 CREDENCIADO 13 LIVRETO 14 BUSCA POR RECURSO 15 CORPO CLÍNICO 16 MENU ARQUIVO

Leia mais

Índice. Brasil Profissionalizado SIMEC/DTI/MEC 2

Índice. Brasil Profissionalizado SIMEC/DTI/MEC 2 Índice 1. Prefácio... 2 2. Requisitos Mínimos... 3 3. Como acessar o SIMEC... 4 4. Solicitando cadastro... 5 5. A Estrutura do Módulo... 7 6. Instruções Gerais... 8 6.1. Diagnóstico/BRASIL PROFISSIONALIZADO...9

Leia mais

O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital

O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital Tipos de GED: Document imaging Document management Document Imaging / Document Management O Gerenciamento de Documentos Analógico/Digital Mundo analógico Criação Revisão Processamento Arquivo Mundo digital

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

MANUAL SCCARD. Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19

MANUAL SCCARD. Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19 Rev.00 Aprovação: 16/08/2010 Página 1 de 19 UNIMED BLUMENAU COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO SCCard Sistema de Autorização On-Line O SCCard é a interface web do sistema de autorização da Unimed Blumenau

Leia mais

Aplicações de GED. Aplicações de GED. Document imaging. Document imaging

Aplicações de GED. Aplicações de GED. Document imaging. Document imaging Aplicações de GED Processamento, arquivamento e recuperação de documentos (Document Imaging) Gerenciamento de documentos (Document Management) Sistema de Gerenciamento de documentos técnicos (engineering

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 3 2. ESCOPO DO SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO 3

1. INTRODUÇÃO 3 2. ESCOPO DO SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO 3 2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. ESCOPO DO SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO 3 2.1. OBJETIVO DOS SERVIÇOS DE CUSTOMIZAÇÕES 3 2.2. NÃO SE COMPREENDE COMO SERVIÇOS DE CUSTOMIZAÇÕES 3 2.3. RESPONSABILIDADE SOBRE ARTEFATOS

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE BRUNO PEREIRA DAMASCENO ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE EMPRESA: OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE SETOR: DESENVOLVIMENTO

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC Felipe Moreira Decol Claro 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipe4258@hotmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp) SUMÁRIO 1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)... 3 2 REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA... 4 3 ACESSO AO SISTEMA (ATORES: TRANSPES/ CLIENTE)... 5 4 PRIMEIROS PASSOS (CADASTROS)... 7 4.1 Cadastros de

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Gestão inteligente de documentos eletrônicos

Gestão inteligente de documentos eletrônicos Gestão inteligente de documentos eletrônicos MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS VISÃO EMPRESAS - USUÁRIOS (OVERVIEW) No ELDOC, o perfil de EMPRESA refere-se aos usuários com papel operacional. São

Leia mais

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Projeto SIGA-EPT Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Versão setembro/2010 Requisição de Almoxarifado Introdução Requisição é uma solicitação feita

Leia mais

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Gerência de Configuração

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

CSF Designer Intuition SOLUÇÕES DE OUTPUT FIS

CSF Designer Intuition SOLUÇÕES DE OUTPUT FIS SOLUÇÕES DE OUTPUT FIS O CSF Designer Intuition TM da FIS ajuda organizações que lidam com o cliente a criar, de forma instantânea e interativa, documentos comerciais respeitando as regulações vigentes,

Leia mais

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores

Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores Gestão eletrônica do cadastro de corretora de valores 1. INTRODUÇÃO As corretoras de valores devem armazenar todos os documentos cadastrais de seus clientes para ter acesso a esse material quando necessário.

Leia mais

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People.

Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. Business Process Management [BPM] Get Control. Empower People. O SoftExpert BPM Suite é uma suíte abrangente de módulos e componentes perfeitamente integrados, projetados para gerenciar todo o ciclo de

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais

Versão 1 Mkt Salvador 17.10.12

Versão 1 Mkt Salvador 17.10.12 Versão 1 Mkt Salvador 17.10.12 NÓS CUIDAMOS DOS PROCESSOS. VOCÊ CUIDA DOS NEGÓCIOS. NÓS CUIDAMOS DOS PROCESSOS. Mais de 10 anos de atuação. Empresa mais premiada do setor. Consolidada e com experiência

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web

MANUAL OPERACIONAL. PTU Web MANUAL OPERACIONAL PTU Web Versão 8.0 24/08/2011 ÍNDICE Índice... 2 PTU Web... 4 O que é o PTU Web?... 4 Como acessar o PTU Web?... 4 Listagem de arquivos enviados e recebidos... 5 Unimeds disponíveis

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI PERFIL TÉCNICO Versão 2.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PREFEITURA DE GUARULHOS SP 1 Objetivo: Esse manual tem como objetivo principal instruir os

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Departamento de Administração Gabinete do Vice-Reitor

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Departamento de Administração Gabinete do Vice-Reitor UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Administração Gabinete do Vice-Reitor Tendo em vista a necessidade de modernização dos sistemas corporativos e as dificuldades de implementar manutenções preventivas,

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos O gerenciamento de informações é crucial para o sucesso de qualquer organização.

Leia mais

Manual do Usuário Sistema APR Web. Aprovação de Projeto Elétrico e Análise de Carga na Rede via Web

Manual do Usuário Sistema APR Web. Aprovação de Projeto Elétrico e Análise de Carga na Rede via Web Manual do Usuário Sistema APR Web Aprovação de Projeto Elétrico e Análise de Carga na Rede via Web Belo Horizonte Março de 2015 SUMÁRIO APR Web 1 Introdução... 5 2 Objetivo... 5 3 Acessar o sistema APR

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento

Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento Sistema de Controle de Solicitação de Desenvolvimento Introdução O presente documento descreverá de forma objetiva as principais operações para abertura e consulta de uma solicitação ao Setor de Desenvolvimento

Leia mais

Gestão inteligente de documentos eletrônicos

Gestão inteligente de documentos eletrônicos Gestão inteligente de documentos eletrônicos MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS VISÃO EMPRESAS - USUÁRIOS (OVERVIEW) No ELDOC, o perfil de EMPRESA refere-se aos usuários com papel operacional. São

Leia mais

Introdução ao ERP Microsiga Protheus da Totvs

Introdução ao ERP Microsiga Protheus da Totvs Por Edilberto Souza Introdução ao ERP Microsiga Protheus da Totvs Agenda Introdução a alguns conceitos de ERP; Noções sobre o mercado de ERP; Arquitetura do Microsiga Protheus; Visão geral do ambiente

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

Manual do Usuário Sistema APR Web. Aprovação de Projeto Elétrico e Análise de Carga na Rede via Web

Manual do Usuário Sistema APR Web. Aprovação de Projeto Elétrico e Análise de Carga na Rede via Web Manual do Usuário Sistema APR Web Aprovação de Projeto Elétrico e Análise de Carga na Rede via Web Belo Horizonte Novembro de 2015 SUMÁRIO APR Web 1 Introdução... 5 2 Objetivo... 5 3 Acessar o sistema

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO VOLTADAS PARA WEB

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO VOLTADAS PARA WEB REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO VOLTADAS PARA WEB 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Reuso. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior

Reuso. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Reuso Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Reutilização de Software Na maioria das áreas de engenharia de software, sistemas são desenvolvidos

Leia mais

Curso - Área Administrativa do Escritório Virtual

Curso - Área Administrativa do Escritório Virtual Curso - Área Administrativa do Escritório Virtual MÓDULOS: ESCRITÓRIO (Cadastro; Departamentos; Usuários; Grupos; Clientes; Objetivos) e AGENDA (Mensagens; Tarefas). 23/10/2009 Contato com o suporte: Tel.:11-3857-9007

Leia mais

Tecnologias de GED Simone de Abreu

Tecnologias de GED Simone de Abreu Tecnologias de GED Simone de Abreu A rapidez na localização da informação contida no documento é hoje a prioridade das empresas e organizações, já que 95% das informações relevantes para o processo de

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial...

1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3. 3. Configurações... 6. 4. Relacionamento... 8. 5. Folha de Pagamento esocial... 1. Plataforma Sage... 2 2. Primeiro Acesso... 3 1.1. Conhecendo a Plataforma... 4 1.2. Seleção da Empresa de Trabalho... 4 1.3. Sair do Sistema... 5 1.4. Retornar a tela principal... 5 3. Configurações...

Leia mais

MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição

MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição MANUAL DA PLATAFORMA RESUMO DAS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA PLATAFORMA MOODLE, UTILIZADA NO WEBCURSO DA EETAD 1ª edição Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus Campinas SP Brasil MANUAL DA PLATAFORMA

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1

2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1 2013 GVDASA Sistemas Release Notes GVcollege 3.6.7 1 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual da GVDASA Sistemas e toda a informação nele contida é confidencial. Nenhuma parte deste

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper

Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Forefront Server Security Management Console: Gerenciamento Simplificado da Segurança para Mensagens e Colaboração White Paper Outubro de 2007 Resumo Este white paper explica a função do Forefront Server

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Sumário Visão geral Bilhetagem Eletrônica... 3 1 TDMax Web Commerce... 4 1.1 Requisitos e orientações gerais... 4 2 Acesso... 5 2.1 Como realizar um cadastro usuário

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

Consultório Online. Manual de Utilização do Módulo Operacional. índice. Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4

Consultório Online. Manual de Utilização do Módulo Operacional. índice. Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 índice Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3 Passo 3: Recursos disponíveis 4 Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 Pesquisa de histórico

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01)

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Submissão de Relatórios Científicos Sumário Introdução... 2 Elaboração do Relatório Científico... 3 Submissão do Relatório Científico... 14 Operação

Leia mais

Sistema Eletrônico de Editoração de RevistasSEER

Sistema Eletrônico de Editoração de RevistasSEER Sistema Eletrônico de Editoração de RevistasSEER O SEER foi traduzido e customizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) baseado no software desenvolvido pelo Public

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012

SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012 SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012 Caro Gestor, Este manual de operação tem por objetivo instruí-lo sobre

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE INTRODUÇÃO O portal do Afrafep Saúde é um sistema WEB integrado ao sistema HEALTH*Tools. O site consiste em uma área onde os Usuários e a Rede Credenciada,

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais