MANUAL DE ABREVIATURAS, SIGLAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS DAS FORÇAS ARMADAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE ABREVIATURAS, SIGLAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS DAS FORÇAS ARMADAS"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA DEFESA MD33-M-02 MANUAL DE ABREVIATURAS, SIGLAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS DAS FORÇAS ARMADAS 2008

2

3 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR DE DEFESA MANUAL DE ABREVIATURAS, SIGLAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS DAS FORÇAS ARMADAS 3 a Edição 2008

4

5 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 513/EMD/MD, DE 26 DE MARÇO DE Aprova o Manual de Abreviaturas, Siglas, Símbolos e Convenções Cartográficas das Forças Armadas MD33-M-02 (3 a Edição/ 2008). O MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA, no uso da atribuição que lhe é conferida pelo inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal de 1988, e em conformidade com o disposto nos incisos III, VI, IX e XIX do art. 1 o do Anexo I ao Decreto n o 6.223, de 4 de outubro de 2007, resolve: Art. 1 o Aprovar o MANUAL DE ABREVIATURAS, SIGLAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS DAS FORÇAS ARMADAS MD33-M-02 (3 a Edição/2008) anexo a esta Portaria. Art. 2 o Esta Portaria Normativa entra em vigor na data da publicação. Art. 3 o Fica revogada a Portaria n o 0052/MD, de 24 de janeiro de 2001, publicada no DOU n o 19-E, de 26 de janeiro de 2001, que aprovou o Manual de Abreviaturas, Siglas, Símbolos e Convenções Cartográficas das Forças Armadas MD33-M-02 (2 a Edição/2001). (Publicado no D.O.U, em 27 de março de 2008.)

6

7 REGISTRO DE MODIFICAÇÕES NÚMERO DE ORDEM ATO DE APROVAÇÃO PÁGINAS AFETADAS DATA RUBRICA DO RESPONSÁVEL

8

9 SUMÁRIO CAPÍTULO I - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Finalidade Referências CAPÍTULO II - INTRODUÇÃO Substituição Aplicação Atualização CAPÍTULO III - ABREVIATURAS E SIGLAS Regras Gerais Datas e Horas Pontos Cardeais e Coordenadas Geográficas Os Estados e o Distrito Federal Alfabeto Fonético Internacional Unidades de Medida Seções de Estado-Maior e seus Chefes Postos e Graduações CAPÍTULO IV - CODIFICAÇÃO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Z

10 CAPÍTULO V - DECODIFICAÇÃO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES Números e Símbolos A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Z CAPÍTULO VI - SÍMBOLOS MILITARES Generalidades Representação de Forças Amigas Representação de Forças Inimigas Símbolos Diversos Símbolos Navais para Plotagens CAPÍTULO VII - CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS Introdução Classificação das Rodovias e Localidades Símbolos Cartográficos

11 LISTA DE DISTRIBUIÇÃO INTERNA ÓRGÃOS EXEMPLARES GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA 1 CHEFIA DO ESTADO-MAIOR DE DEFESA 1 VICE-CHEFIA DO ESTADO-MAIOR DE DEFESA 1 SECRETARIA DE POLÍTICA, ESTRATÉGIA E ASSUNTOS INTERNACIONAIS 1 SECRETARIA DE ENSINO, LOGÍSTICA, MOBILIZAÇÃO, CIÊNCIA E 1 TECNOLOGIA SUBCHEFIA DE COMANDO E CONTROLE DO EMD 1 SUBCHEFIA DE INTELIGÊNCIA DO EMD 1 SUBCHEFIA DE OPERAÇÕES DO EMD Exemplar Mestre 1 SUBCHEFIA DE LOGÍSTICA DO EMD 1 ASSESSORIA DE DOUTRINA E LEGISLAÇÃO Cópia do Exemplar Mestre 1 SUBTOTAL 10 EXTERNA ÓRGÃOS EXEMPLARES COMANDO DA MARINHA 1 COMANDO DO EXÉRCITO 1 COMANDO DA AERONÁUTICA 1 CHEFIA DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA 1 CHEFIA DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO 1 CHEFIA DO ESTADO-MAIOR DA AERONÁUTICA 1 COMANDO DE OPERAÇÕES NAVAIS 1 COMANDO DE OPERAÇÕES TERRESTRES 1 COMANDO-GERAL DE OPERAÇÕES AÉREAS 1 ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA 1 ESCOLA DE GUERRA NAVAL 1 ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO 1 ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DA AERONÁUTICA 1 SUBTOTAL 13 TOTAL 23

12

13 CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 Finalidade Este Manual tem por finalidade a adoção de abreviaturas, siglas, símbolos e convenções cartográficas no âmbito do Ministério da Defesa, a fim de simplificar a escrita de documentos, no nível administrativo e no âmbito operacional, que, pela natureza e destinação militar, possam ser assim redigidos. 1.2 Referências Os documentos consultados para a elaboração deste Manual foram: a) Decreto Reservado n o 8, de 17 de janeiro de 1980, alterado pela Portaria Reservada n o 005/VICEMFA, de 16 de janeiro de 1996 (aprova a Diretriz para o Estabelecimento da Estrutura Militar de Guerra FA-E-02/80); b) Portaria Normativa n o 215/MD, de 27 de março de 2001 (dispõe sobre a Política para o Sistema Militar de Comando e Controle MD31-P-01); c) Portaria Normativa n o 146/MD, de 30 de março de 2001, alterada pela Portaria Normativa n o 559/MD, de 6 de Novembro de 2001 (aprova e manda pôr em execução o Manual de Comunicações para Operações Combinadas MD31-M-01); d) Portaria Normativa n o 308/MD, de 09 de maio de 2001 (dispõe sobre a organização e atribuições do Comando Combinado MD33-M-03); e) Portaria Normativa n o 435/MD, de 19 de julho de 2001(dispõe sobre o Manual de Logística para Operação Combinadas MD34-M-01); f) Portaria Normativa n o 445/MD, de 27 de julho de 2001 (dispõe sobre o Manual de Processo de Planejamento de Comando para Operações Combinadas MD33-M-05); g) Portaria Normativa n o 614/MD, de 24 de outubro de 2002 (dispõe sobre a Doutrina de Logística Militar MD42-M-02); h) Portaria Normativa n o 333/MD, de 24 de março de 2004 (dispõe sobre a Política de Guerra Eletrônica de Defesa MD32-P-01); i) Portaria Normativa n o 447/MD, de 26 de abril de 2004 (aprova e manda pôr em execução a Política de Sensoriamento de Defesa); j) Portaria Normativa n o 447/MD, de 5 de abril de 2005 (aprova e manda pôr em execução a Política de Meteorologia de Defesa); k) Portaria n o 998/SPEAI/MD, de 24 de agosto de 2005 (aprova e manda pôr em execução a Sistemática de Planejamento Estratégico Militar MD51-M-01); l) Portaria Normativa n o 400/SPEAI/MD, 21 de setembro de 2005 (aprova e manda pôr em execução a Política Militar de Defesa MD51-P-02); m) Portaria Normativa n o 452/EMD/MD, de 27 de outubro de 2005 (aprova e manda pôr em execução, em caráter experimental, a Estrutura Militar de Defesa (EttaMiD) MD35-D-01); n) Portaria Normativa n o 1.359/MD, de 12 de dezembro de 2005 (aprova e manda pôr em execução a Política de Comunicação Social de Defesa); 11/334

14 o) Portaria Normativa n o 537/MD, de 21 de dezembro de 2005 (aprova e manda pôr em execução a Doutrina e Inteligência de Defesa MD52-N-01); p) Portaria Normativa n o 161/MD, de 24 de abril de 2006 (dispõe sobre o Programa de Desenvolvimento e de Implementação do Sistema Militar de Comando e Controle (PDI-SISMC²) MD31-M-06); q) Portaria Normativa n o 578/SPEAI/MD, de 27 de dezembro de 2006 (dispõe sobre a Estratégia Militar de Defesa MD51-M-03); r) Portaria Normativa n o 1888/MD, de 29 de dezembro de 2006 (aprova, em caráter experimental, a Doutrina Militar de Comando e Controle MD31-D-03); s) Portaria Normativa n o 586/MD, de 29 de dezembro de 2006 (aprova, em caráter experimental, o Manual de Procedimentos de Comando e Controle para Operações Combinadas MD31-M-04); t) Portaria Normativa n o 113/SPEAI/MD, de 1 o de fevereiro de 2007 (dispõe sobre a Doutrina Militar de Defesa MD51-M-04); u) Portaria n o 196/EMD/MD, de 22 de fevereiro de 2007 (aprova o Glossário das Forças Armadas MD35-G-01); v) Portaria Normativa n o 481/MD, de 5 de abril de 2007(dispõe sobre o Manual de Operações de Paz MD34-M-02); w) Instrução Normativa n o 002/EMD, de 19 de dezembro de 2003 (aprova e manda pôr em execução o Manual para a Confecção de Publicações Padronizadas do Estado-Maior de Defesa MD33-M-06); x) Manual de Campanha C20-1, Glossário de Termos e Expressões para uso no Exército, 3 a edição, 2003; y) Manual de Abreviaturas, Siglas e Símbolos da Aeronáutica MCA 10-3, de 22 de abril de 2003; z) Manual MCA 10-4, Glossário da Aeronáutica, de 2 de fevereiro de 2001; e aa) Manual EMA-320B, Glossário de Vocábulos e Expressões Básicas de uso na Marinha, /334

15 CAPÍTULO II INTRODUÇÃO 2.1 Substituição Este Manual substitui o Manual de Abreviaturas, Siglas, Símbolos e Convenções Cartográficas das Forças Armadas MD33-M-02, 2 a Edição/2001, aprovado em 24 de janeiro de Aplicação Este Manual será de utilização obrigatória no âmbito do Ministério da Defesa. 2.3 Atualização Com o objetivo de aperfeiçoar o Manual, solicita-se aos usuários a elaboração de sugestões para modificações, correções ou inclusões de abreviaturas, siglas, símbolos e convenções cartográficas As sugestões recebidas serão analisadas, visando à inclusão, por meio de modificação, na próxima edição deste Manual As propostas de alterações poderão ser enviadas para o Estado-Maior de Defesa, no seguinte endereço: MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR DE DEFESA ASSESSORIA DE DOUTRINA E LEGISLAÇÃO Esplanada dos Ministérios Bloco Q Sala 527 Brasília DF CEP /334

16 INTENCIONALMENTE EM BRANCO 14/334

17 CAPÍTULO III ABREVIATURAS E SIGLAS 3.1 Regras Gerais As abreviaturas e siglas constantes deste Manual deverão ser usadas na redação militar comum às Forças Armadas e entre estas e o Ministério da Defesa (MD), de modo a obter-se rapidez e facilidade de comunicação As palavras não contempladas na lista de abreviaturas deste Manual serão escritas por extenso, salvo quando puderem ser expressas pela combinação de abreviaturas previstas. Exemplo: Pelotão de Suprimento...Pel + Sup = Pel Sup As siglas não incluídas neste Manual deverão ser precedidas pelo seu significado por extenso, na primeira vez que forem empregadas em texto escrito. Exemplo: Missão das Nações Unidas em Moçambique (ONUMOZ) As siglas e abreviaturas serão usadas sem pontuação, sem acentuação, sinais diacríticos e não admitirão plural. Exemplo: fuzil automático leve, fuzis automáticos leves...um FAL, n FAL A abreviatura de uma expressão é formada pelo conjunto de abreviaturas das palavras que a constituem, separadas por um espaço. Exemplos: Esquadrão de Minagem e Varredura...Esqd Min Var Informação Militar...Info Mil A flexão de gênero e número de um substantivo e, também, a flexão de tempo e modo de conjugação verbal, não alteram as abreviaturas e siglas. Exemplos: um FAL, dois FAL Infiltrar, infiltrando, infiltrarei...infl Um oficial, duas oficiais...um Of, duas Of Quando não especificado, as abreviaturas dos tempos dos verbos serão as mesmas que as dos substantivos, adjetivos e advérbios correspondentes. Exemplo: abastecer e abastecido têm a mesma abreviatura de abastecimento (Abst) As abreviaturas de grupos de palavras, conforme apresentadas neste Manual, deverão ser empregadas como tais. Não poderão ser fracionadas, uma vez que as frações podem resultar diferentes das abreviaturas das palavras isoladas que lhes dão origem As palavras que têm, à direita, a inicial maiúscula entre parênteses, poderão, quando em conjunto, ser abreviadas por essa inicial. 15/334

18 As abreviaturas simbolizadas por uma única letra somente poderão ser utilizadas quando "em conjunto" com outras abreviaturas Nos casos previstos nos Itens e , deverá ser inserido um espaço horizontal entre as abreviaturas formadas por uma única letra e as abreviaturas subseqüentes, compostas por combinação de letras maiúsculas e minúsculas. Exemplo: BI Pqdt (Batalhão de Infantaria Pára-quedista) As abreviaturas ou grupos de abreviaturas, quando utilizados em mensagens típicas dos diversos canais de comunicações, serão redigidas em letras maiúsculas, na sua totalidade. Exemplo: RAD NR 001 DE 02 FEV 05 PT As abreviaturas de palavras formadas por prefixos (anti, contra, extra, infra, semi, ultra, sub e outros) cuja grafia exija ou não o emprego de hífen, serão formadas pela associação das abreviaturas do prefixo considerado e do vocábulo que o acompanha, separadas por um espaço horizontal. Exemplo: Antiaéreo...A Ae Contra-ataque...C Atq As siglas são formadas pela associação das letras iniciais maiúsculas de cada palavra componente da expressão que representam. Normalmente, as iniciais dos conectivos serão suprimidas e não haverá espaço horizontal entre as letras. Exemplo: Escola de Guerra Naval...EGN Algumas siglas e abreviaturas representam a expressão original em idioma estrangeiro e não observam as regras gerais deste manual, sendo adotadas por favorecerem o relacionamento internacional. Nesses casos, serão apresentadas as expressões em português, seguidas dos correspondentes significados em idioma estrangeiro, em itálico, entre parênteses. Exemplo: Busca e Resgate (Search and Rescue)...SAR Em virtude da dinâmica inerente à própria evolução das Forças Armadas, termos, expressões, abreviaturas e símbolos apresentados neste Manual poderão ficar em desuso, assim sendo poderá haver necessidade de, periodicamente, serem acrescentados novos símbolos, abreviaturas e siglas, na medida em que o tempo os for consagrando ou os torne necessários As siglas e abreviaturas duplicadas (duplicidade de simbologia) serão mantidas por serem consagradas nas Forças Armadas, nesse caso, o texto direcionará o significado identificador da sigla Não figuram nesta edição as abreviaturas de grupos de palavras resultantes da associação de abreviaturas de palavras isoladas, salvo quando formadas pela junção de letras isoladas com outras abreviaturas ou forem decorrentes de acrônimos estrangeiros. Exemplo: Não figura - Altura de Arrebentamento...Altu Arbt Figura - Posto de Coleta...P Col 16/334

19 3.2 Datas e Horas Os dias do mês inferiores a 10 serão sempre escritos com um dígito, o primeiro dia, em ordinal. Exemplo: 1 o, 2, Os dias da semana, somente para completar a designação de datas, serão assim abreviados: 2 a feira...seg 3 a feira...ter 4 a feira...qua 5 a feira...qui 6 a feira...sex Sábado...sab Domingo...dom Os meses são indicados por extenso ou em algarismos arábicos ou abreviados por meio das três primeiras letras, minúsculas ou maiúsculas, excetuando-se o mês de maio, que é escrito sempre por extenso. Exemplo: 12 de abril de 1972; 12 abr 1972; 12 ABR 1972; Os anos correspondentes ao século presente serão representados pelos algarismos das dezenas e unidades. Àqueles correspondentes aos séculos passados ou futuros serão representados pelos quatro algarismos As datas serão escritas na seguinte ordem: dia, mês, ano e dia da semana (quando necessário), inserindo-se um espaço horizontal entre as partes. Exemplo: 24 de setembro de 1961; 24 set dom As horas serão representadas por quatro algarismos, nos quais os dois primeiros indicarão a hora e os dois últimos os minutos, seguidos da letra, em maiúsculo, indicativa do fuso horário. Exemplo: 1515R significa, quinze horas e quinze minutos no fuso ROMEO. 0900Z significa nove horas no fuso horário de GREENWICH As designações de datas com horas (grupos data-hora ou GDH) serão escritas da seguinte maneira: a) P Set horas da tarde, no fuso horário PAPA (de Brasília), em 1 o de setembro de 1999 (século passado); b) Z Abr horas e trinta minutos, no fuso ZULU, em 11 de abril de 1957(século passado); c) Dez horas, fuso horário local, em 15 de dezembro de 2001 (século atual) Quando a data referir-se a um dia genérico D, a designação será realizada de forma peculiar, conforme o exemplo abaixo: Exemplo: D+2/ Letras indicadoras dos fusos horários (Se a letra for escrita por extenso, usa-se letras maiúsculas). 17/334

20 A B C D E F G H J K L M - fuso Z mais 1 hora - fuso Z mais 2 horas - fuso Z mais 3 horas - fuso Z mais 4 horas - fuso Z mais 5 horas - fuso Z mais 6 horas - fuso Z mais 7 horas - fuso Z mais 8 horas - fuso Z mais 9 horas - fuso Z mais 10 horas - fuso Z mais 11 horas - fuso Z mais 12 horas Z Fuso de GREENWICH N O P Q R S T U V W X Y - fuso Z menos 1 hora - fuso Z menos 2 horas - fuso Z menos 3 horas - fuso Z menos 4 horas - fuso Z menos 5 horas - fuso Z menos 6 horas - fuso Z menos 7 horas - fuso Z menos 8 horas - fuso Z menos 9 horas - fuso Z menos 10 horas - fuso Z menos 11 horas - fuso Z menos 12 horas 3.3 Pontos Cardeais e Coordenadas Geográficas Os pontos cardeais e as coordenadas geográficas serão abreviados da seguinte maneira: Norte...N Nor-Nordeste... NNE Sul...S Les-Nordeste... ENE Este ou Leste...E Les-Sueste...ESE Oeste...O ou W Sul-Sueste... SSE Nordeste...NE Sul-Sudoeste... SSO ou SSW Noroeste...NO ou NW Oes-Sudoeste... OSO ou WSW Sudeste ou Sueste...SE Oes-Noroeste... ONO ou WNW Sudoeste...SO ou SW Nor-Noroeste... NNO ou NNW As coordenadas geográficas usarão as abreviaturas Lat para Latitude e Long para Longitude e serão representadas da seguinte maneira: a) Latitude a abreviatura Lat seguida de quatro algarismos (os dois primeiros referindo-se ao número de graus e os dois últimos ao de minutos) e da letra que designa o hemisfério em que se encontra o ponto geográfico. Exemplos: Lat 2345S Lat 4533N b) Longitude a abreviatura Long seguida de cinco algarismos (os três primeiros referindo-se ao número de graus e os dois últimos ao de minutos) e da letra que indica se o ponto geográfico se encontra a Leste ou a Oeste do meridiano de Greenwich. Exemplos: Long 04630E Long 14315W 3.4 Os Estados e o Distrito Federal Esses serão abreviados da seguinte maneira: Acre... AC Espírito Santo... ES Alagoas... AL Goiás... GO Amapá... AP Maranhão... MA Amazonas... AM Mato Grosso... MT Bahia... BA Mato Grosso do Sul... MS 18/334

21 Ceará... CE Minas Gerais... MG Distrito Federal... DF Rio Grande do Sul... RS Pará... PA Rondônia... RO Paraíba... PB Roraima... RR Pernambuco... PE Santa Catarina... SC Piauí... PI São Paulo... SP Rio de Janeiro... RJ Sergipe... SE Rio Grande do Norte... RN Tocantins... TO 3.5 Alfabeto Fonético Internacional A...Alfa H...Hotel O...Oscar V...Victor B...Bravo I...Índia P...Papa W... Whiskey C...Charlie J...Juliet Q...Quebec X... X-Ray D... Delta K...Kilo R...Romeo Y...Yankee E...Echo L...Lima S...Sierra Z...Zulu F...Foxtrot M...Mike T...Tango G...Golf N...November U...Uniform 3.6 Unidades de Medida De tempo Dia... d Minuto...min Hora... h Segundo... s Lineares Metro... m Milha náutica... MN Decímetro...dm Milha terrestre... mite Centímetro... cm Jarda (yard)... yd ou jd Milímetro... mm Pé (foot)... ft ou pé Quilômetro... km Polegada (inch)... in ou pol Milha...mi De superfície Metro quadrado...m² Are...a Quilômetro quadrado...km² Hectare...ha De volume Metro cúbico...m³ Galão...gal Centímetro cúbico...cm³ Barril... brl Litro...l ou L De massa ou peso Grama... g Tonelada... t Quilograma...kg Libra... lb 19/334

22 3.6.6 Angulares Grau sexagesimal...º Minuto sexagesimal De velocidade Metro por segundo... m/s Quilômetro por hora.... km/h Milha terrestre por hora...mite/h Elétricas Ampere... A Decibel... db De freqüência Hertz... Hz Quilohertz... KHz Outras Graus Celsius... ºC Graus Farenheint... ºF Caloria... cal Cavalo-vapor... cv Quilograma por segundo... kg/s Segundo sexagesimal... Milha náutica por hora (knot)...kt ou nó Mach... M Ohm... Ω Volt...V Megahertz... MHz Gigahertz... GHz Metro cúbico por segundo... m³/s Newton... N Radiano... rad Rotação por minuto... rpm Watt... W De Temperaturas Kelvin Unidade de temperatura absoluta em graus centígrados... k Termos empregados na Informática Unidade Bit Byte (8 b) Quilobyte Megabyte Gigabyte Terabyte Quilobit por segundo Quilobyte por segundo Páginas por minuto Dots per inch Pontos por polegada Caracter per inch Caracteres por polegada b B kb MB GB TB kbps kbps ppm dpi ppp cpi cpp Símbolo 20/334

23 3.7 Seções de Estado-Maior e seus Chefes Nos Comandos e Chefias, privativas de Oficial-General FORÇAS SEÇÕES 1 a 2 a 3 a 4 a 5 a n COMANDO COMBINADO D-1 D-2 D-3 D-4 D-5 D-n M A R I N H A FORÇAS NAVAIS E AERONAVAIS FORÇA DE FUZILEIROS DA ESQUADRA M-10 M-20 M-30 M-40 M-50 M-n F-1 F-2 F-3 F-4 F-5 F-n FORÇAS DE FN G-1 G-2 G-3 G-4 G-5 G-n EXÉRCITO E-1 E-2 E-3 E-4 E-5 E-n AERONÁUTICA AS-1 AS-2 AS-3 AS-4 AS-5 AS-n Nos Comandos e nas Chefias, não privativas de Oficial-General FORÇAS SEÇÕES 1ª 2ª 3ª 4ª n M A R I N H A FORÇAS NAVAIS E AERONAVAIS FORÇAS E UNIDADES DE FUZILEIROS NAVAIS M-10 M-20 M-30 M-40 M-n S-1 S-2 S-3 S-4 S-n EXÉRCITO S-1 S-2 S-3 S-4 S-n AERONÁUTICA A-1 A-2 A-3 A-4 A-n 21/334

24 3.8 Postos e Graduações Postos a) Marinha Almirante...Alte Almirante-de-Esquadra...Alte Esq ou AE Vice-Almirante...V Alte ou VA Contra-Almirante...C Alte ou CA Capitão-de-Mar-e-Guerra...CMG Capitão-de-Mar-e-Guerra Intendente...CMG(IM) b) Exército Marechal... Mar General-de-Exército... Gen Ex General-de-Divisão... Gen Div General-de-Brigada... Gen Bda Coronel... Cel Tenente-Coronel...Ten Cel ou TC c) Aeronáutica Marechal-do-Ar... Mar Ar Tenente-Brigadeiro-do-Ar... Ten Brig Ar Major-Brigadeiro... Maj Brig Brigadeiro... Brig Coronel... Cel Tenente-Coronel... Ten Cel Capitão-de-Fragata... CF Capitão-de-Corveta... CC Capitão-Tenente... CT 1 o Tenente...1 o Ten ou 1T 2 o Tenente...2 o Ten ou 2T Guarda-Marinha...GM Major... Maj Capitão... Cap 1 o Tenente...1 o Ten 2 o Tenente...2 o Ten Aspirante-a-Oficial... Asp Major... Maj Capitão... Cap 1 o Tenente... 1 o Ten 2 o Tenente... 2 o Ten Aspirante... Asp Graduações a) Marinha Aspirante... Asp Suboficial... SO Primeiro-Sargento... 1 o SG Segundo-Sargento... 2 o SG b) Exército Cadete...Cad Subtenente...S Ten Primeiro-Sargento...1 o Sgt Segundo-Sargento...2 o Sgt Terceiro-Sargento...3 o Sgt Terceiro-Sargento... 3 o SG Cabo... CB Soldado(CFN)... SD Marinheiro... MN Cabo...Cb Soldado...Sd Taifeiro-mor...TM Taifeiro-de-primeira-classe...T1 Taifeiro-de-segunda-classe...T2 c) Aeronáutica Cadete...Cad Suboficial...SO Primeiro-Sargento...1S Segundo-Sargento...2S Terceiro-Sargento...3S Cabo...Cb Soldado-de-Primeira-Classe...S1 Taifeiro-Mor...TM Taifeiro-de-Primeira-Classe...T1 Taifeiro-de-Segunda-Classe...T2 22/334

25 3.8.3 Para identificar o pessoal de cada uma das Forças, quando houver coincidência na denominação do posto ou da graduação, será utilizada, após a respectiva abreviatura, aquela indicadora da Força, entre parênteses. Exemplo: Cel (FAB) João da Silva; Cel (EB) Antônio de Souza; 1 o Ten (MB) Alberto Santos; CB (MB) Paulo Gonzaga Para os militares de carreira, quando na Reserva Remunerada, acrescenta-se R/1 (EB e FAB) ou "(RM1)" (MB), após o posto ou graduação. Em caso de Reserva Não-Remunerada, acrescenta-se "R/2". Exemplo: Alte Esq (RM1); CMG (RM1-FN); Gen Ex R/1; Ten Brig Ar R/1; CMG (RM1); Cel (EB) R/1; Cel (FAB) R/1; Ten Cel Av Rfm; 1 o SG (RM1); 1 o Sgt R/1; 1S R/1. 23/334

26 INTENCIONALMENTE EM BRANCO 24/334

27 CAPÍTULO IV CODIFICAÇÃO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES 4.1 A À Disposição A partir de A postos A ser determinado Abastecimento, Abastecer, Abastecedor (A) Abater, Abate, Abatedor Abatis Abono, Abonar, Abonador, Abonável Abordar, Abordagem, Abordável Abortar, Aborto Abortiva Abreviar, Abreviatura, Abreviador Abrigo, Abrigar, Abrigador Abrir, Abertura, Abridor Absoluto Acampamento, Acampar Acantonamento, Acantonar Ação (A) Acessar, Acessibilidade, Acessível, Acesso (A) Acesso Múltiplo por Divisão do Tempo (Time Division Multiple Access) Acessório Acidente, Acidental, Acidentar Acionar, Acionador, Acionamento, Acionável Acolher, Acolhimento, Acolhedor Acompanhar, Acompanhamento, Acompanhante Acordo, Acordar, Acorde Acrescentar, Acréscimo Acumulador, Acumular, Acúmulo, Acumulativo, Acumulável Acusar, Acusação, Acusador, Acusável Adaptar, Adaptação, Adaptador, Adaptativo, Adaptável Adendo Adequação, Adequar, Adequável Adestramento, Adestrar, Adestrador, Adestrável Adiamento, Adiar, Adiavel Adiantamento, Adiantar, Adiantável Adicional de Tempo de Serviço A Dispo APD AP ASD Abst Aba Abts Abo Abrd Abt Abtv Abrev Abg Ab Abs Acamp Acant Aç Aces TDMA Acs Acdt Acn Aclh Acomp Acd Acresc Acu Acs Adp Ado Adeqd Adst Adia Adnt Adc TS 25/334

28 Adicional, Adicionar, Adicionável Adido Aditamento, Aditar, Aditável Adjunto Administração, Administrativo, Administrável, Administrar (A) Admissão, Admissível Admitir Adquirir Adversário, Adverso Advocacia-Geral da União Aéreo (A) Aeroclube Aeródromo (A) Aeroespacial Aerofotogrametria, Aerofotogramétrico Aeromédica Aeromóvel Aeronáutica Aeronaval (A) Aeronave Aeronave Indisponível por Falta de Peças Aeronave Não Completamente Equipada Aeronave Não-Tripulada Aeronave no Solo (Aircraft on Ground) Aeronavegabilidade, Aeronavegante Aeroporto Aerotática (A) Aeroterrestre Aerotransportado, Aerotransporte, Aerotransportável Aerovia (Airway) Afastamento, Afastar, Afastador Aferir, Aferição, Aferidor Afetar, Afetivo, Afetividade Afirmar, Afirmativo, Afirmação, Afirmador Agência (A), Agenciador, Agenciar Agência da Capitania dos Portos Agência de Inteligência Agente (A) Agente de Controle Interno Agente de Segurança de Vôo Agitação, Agitar, Agitador, Agitável Agraciar, Agraciador Agravamento, Agravar Agregação, Agregar, Agregador Agressor, Agressão, Agredir Adc Adi Adt Adj Adm Adms Admt Adq Adv AGU Ae Aecl Adrm Aepc Afg Aem Amv Aer Aernav Anv AIFP ANCE ANT AOG Anvg Aprt Aetat Aet Aetrnp Awy Afs Afr Aft Afi Age ACP AI Agt ACI ASV Agit Agrc Agrv Agg Agr 26/334

29 Agrupamento Agrupar Água (A) Aguardar Ajudante de Alocador de Armas Ajudante de Chefe Controlador Ajudante de Controlador de Circulação Aérea Operacional Ajudante de Controlador de Interceptação Ajudante de Operador de Disponibilidade de Meios Ajudante de Supervisor de Defesa Aeroespacial Ajudante de Supervisor de Defesa Aeroespacial Passiva Ajudante de Supervisor de Região de Defesa Aeroespacial Ajudante, Ajudar, Ajudância Ajustar, Ajustagem, Ajuste, Ajustador, Ajustável Alarme Aéreo Antecipado (Airborne Early Warning) Alarme da Defesa Aeroespacial Alarme de Defesa Aeroespacial Passiva Alarme, Alarmar, Alarmante Alça Alcançar, Alcance, Alcançável Alcance Visual da Pista (Runway Visual Range) Álcool, Alcoolizar Além do Alcance Visual (Beyond Visual Range) Alerta, Alertar Aliado Alienação, Alienar, Alienável, Alienador Alijamento, Alijar, Alijável Alimentar, Alimento, Alimentação, Alimentador, Alimentício Alistar, Alistamento, Alistador, Alistável Almanaque Almoço, Almoçar Almoxarife, Almoxarifado Alocador de Armas Alocar, Alocador Alojamento Alta Autoridade de Defesa Aeroespacial Alta Freqüência (High Frequency) Alta, Alto (A) Alteração de Proa Alteração, Alterar, Alterador, Alterável Alternativa (o), Alternar, Alternador Altimetria Altitude Altitude Mínima de Setor Alto Explosivo Agpt Agp Agu Agd Aj AA Aj CC Aj CCAO Aj CI Aj ODM Aj SDA Aj SDAP Aj SRDA Aj Ajust AEW Alm D Aepc Alm D Aepc Pas Alm A (somente em conjunto) Alc RVR Alcl BVR Alr Ald Aln Alj Almt Alist Almq Almo Almx Aloc A Aloc Aljt AADA HF Al A P Alt Altn Altm Alti AMS AE 27/334

30 Alto Guardado Alto-Baixo-Baixo-Alto Alto-cúmulo Alto-estrato (Alto-stratus) Altura Altura de Lançamento Aluno Alvo Alvo Auxiliar Amarela Amarrar, Amarração, Amarrador Amazônia Ambiente, Ambientar, Ambiental Ambulância (A) Ambulatório Ameaça, Ameaçar, Ameaçador Amiga Ampliação, Amplitude, Ampliar, Ampliador, Ampliável Amplitude Modulada Analisar, Analisável, Análise, Analista (A) Ancoragem, Ancorar, Ancoradouro Andamento Anexar, Anexo Anfíbio (A) Angular, Ângulo (A) Ângulo de Ataque Ângulo de Vigilância Animal Aniversário, Aniversariar, Aniversariante Antagonismo, Antagonizar, Antagonista Antecedência, Anteceder, Antecedente Antecipar, Antecipável Antena Anterior, Anteriormente, Anterioridade Anti Antiaéreo Anticarro Anticorpo Antigo, Antiguidade Antimecanizado Antipessoal Anti-submarino Anti-superfície Anulação, Anular, Anulador, Anulável Anúncio, Anunciador, Anunciar, Anunciável A Gd ABBA AC AS Altu Altu L Alu A (somente em conjunto) AA Am Amr Amz Ambi Amb Ambt Amç Amg Ampl AM Anl Anc And An Anf Ang A At AV Ani Aniv Atgn Atcd Atcp Ant Antr A (somente em conjunto) A Ae AC A Crp Antg A Mec Ap AS A Spf Anul Anc 28/334

31 Apêndice Aperfeiçoamento, Aperfeiçoar (A), Aperfeiçoador, Aperfeiçoável Aplicação, Aplicar, Aplicador, Aplicável Apoio Cerrado Previsto a Horário Apoio de Fogo Naval Apoio Mútuo Apoio Pesado Apoio por Tarefa Apoio, Apoiar, Apoiado (A) Apoiante, Apoiador Apontar, Apontável, Apontador Após iniciado o deslocamento a pé Após iniciado o deslocamento motorizado Aposentar, Aposentador, Aposentadoria Apossar-se Apostila, Apostilado, Apostilar Apreciação, Apreciar, Apreciador, Apreciável Apreender, Apreensão, Apreensível, Apreendedor Aprendiz-Marinheiro Apresentação, Apresentar, Apresentável, Apresentador Aprestamento, Aprestar, Aprestável, Aprestador Aprofundamento, Aprofundar, Aprrofundável, Aprofundador Apronto, Aprontar Apropriação, Apropriar, Apropriador Aprovação, Aprovar, Aprovável, Aprovador Aproveitamento, Aproveitar, Aprovetitável, Aproveitador Aprovisionamento, Aprovisionador, Aprovisionar Aproximação Controlada do Solo ou de Terra (Ground Control Approach) Aproximar, Aproximação (A) Aptidão Apurar, Apuração, Apurador Aquático Aquisição Ar/Ar Ar/Superfície Arbitrar, Arbitragem, Árbitro, Arbitral Área Área a proteger Área de Apoio de Fogo Área de Apoio de Praia Área de Apoio de Serviços ao Combate Área de Apoio de Zona de Desembarque Área de Combate Área de Controle (Control Area) Apd Aperf Apl ACPH AFN Ap M Ap P Ap T Ap Apt AIDP AIDM Apst Aps Aptl Aprec Apre AM Apres Apr Aprf Aprn Aprp Aprov Apvt Aprv GCA Aprx Aptd Apur Aq Aqs A/A A/S Arb A (somente em conjunto) AaP A Ap F A Ap P A Ap Sv Cmb A Ap Z Dbq A Cmb A Ct ou CTA 29/334

32 Área de Controle de Caça Área de Controle Terminal (Terminal Area) Área de Coordenação de Fogos Área de Defesa Interna Área de Defesa Territorial Área de Desembarque Área de Desembarque Ribeirinho Área de Fogo Livre Área de Fogo Proibido Área de Minagem Defensiva Área de Operações Área de Operações Combinadas Área de Operações de Guerra Irregular Área de Perigo Torpédico Área de Resistência Área de Responsabilidade Área de Reunião de Evacuados Área de Risco ao Tráfego Marítimo Área de Segurança do Porto Área de Segurança Nacional Área de Trens Área de Trens de Unidade Área do Objetivo Anfíbio Área Geral de Desembarque Área Liberada Área Marítima Brasileira Área Marítima de Operações Área Marítima do Atlântico Sul Área Operacional Continental (ou do continente) Área Operacional de Guerra Irregular Área Operacional Extracontinental Área Ribeirinha Área Terrestre de Defesa do Porto Área Vital Área Vital de Porto Áreas Operacionais de Forças Especiais Arma Arma Automática Arma de Proa Arma Nuclear Armadilha, Armado Armamento Armazém, Armazenamento, Armazenar, Armazenador Arquiteto, Arquitetura, Arquitetar Arquivar, Arquivo, Arquivista AC Ca TMA ACF ADI ADT A Dbq A Dbq Rib AFL AFP AMD A Op A Op C AOGI APT A Rst ARP ARE ARTM ASP ASN AT ATU AOA AG Dbq A Lib AM Bra AM Op AMAS AOC AOGI AOEC A Rib ATDP Avi AVP AOFESP A (somente em conjunto) A Au Ar P AN Armd Armt Armz Arqt Arq 30/334

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL COMANDANTE DO EXÉRCITO ÓRGÃOS DE ASSESSORAMENTO DO COMANDANTE Gabinete do Comandante do Exército Secretaria-Geral do Exército Centro de Inteligência do Exército Centro de Comunicação Social do Exército

Leia mais

Quadros de Lotação de Pessoal Militar (QLPM) ou em outro documento legal semelhante. X Cargos que Independem de QM são cargos que podem ser ocupados

Quadros de Lotação de Pessoal Militar (QLPM) ou em outro documento legal semelhante. X Cargos que Independem de QM são cargos que podem ser ocupados PORTARIA Nº 785, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1998 Aprova as Instruções Gerais para a Qualificação Militar das Praças (IG 10-01) O MINISTRO DE ESTADO DO EXÉRCITO, de acordo com o que dispõe o art. 8º da Lei nº

Leia mais

Anexo L (MODELOS DE DOCUMENTOS REFERENTES AO PREPARO) à Diretriz de Preparação Específica de Tropa para Missão de Paz

Anexo L (MODELOS DE DOCUMENTOS REFERENTES AO PREPARO) à Diretriz de Preparação Específica de Tropa para Missão de Paz MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO DE OPERAÇÕES TERRESTRES Anexo L (MODELOS DE DOCUMENTOS REFERENTES AO PREPARO) à Diretriz de Preparação Específica de Tropa para Missão de Paz RELAÇÃO DOS

Leia mais

Centro de Treinamento de Combate Sul. Santa Maria / RS Brasil.

Centro de Treinamento de Combate Sul. Santa Maria / RS Brasil. Centro de Treinamento de Combate Sul Santa Maria / RS Brasil. OBJETIVO Apresentar aos participantes do de Demandas Logísticas da Guarnição de Santa Maria/RS o projeto do Centro de Treinamento de Combate

Leia mais

Doutrina e Estratégia Militar. Ações de Caráter Sigiloso. Emprego da Força Terrestre em Operações. Logística de Material de Aviação

Doutrina e Estratégia Militar. Ações de Caráter Sigiloso. Emprego da Força Terrestre em Operações. Logística de Material de Aviação Programa 0620 Preparo e Emprego da Força Terrestre Ações Orçamentárias Número de Ações 16 24490000 Doutrina e Estratégia Militar Produto: Evento realizado Unidade de Medida: unidade UO: 52121 Comando do

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe

A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe A MODERNIZAÇÃO DO COMANDO E CONTROLE DA AAAe Cap João André França da Silva 1 RESUMO O presente trabalho visa apresentar alguns aspectos relacionados a modernização da artilharia antiaérea. Esta modernização

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA MEDIDAS DE COORDENAÇÃO DO ESPAÇO AÉREO NAS OPERAÇÕES CONJUNTAS

MINISTÉRIO DA DEFESA MEDIDAS DE COORDENAÇÃO DO ESPAÇO AÉREO NAS OPERAÇÕES CONJUNTAS MINISTÉRIO DA DEFESA MD33-M-13 MEDIDAS DE COORDENAÇÃO DO ESPAÇO AÉREO NAS OPERAÇÕES CONJUNTAS 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS MEDIDAS DE COORDENAÇÃO DO ESPAÇO AÉREO

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS PARA A LOGÍSTICA MILITAR TERRESTRE

A INFLUÊNCIA DA DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS PARA A LOGÍSTICA MILITAR TERRESTRE MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS CHEFIA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS A INFLUÊNCIA DA DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS PARA A LOGÍSTICA MILITAR TERRESTRE 27 Ago 2012 APRESENTAR OS

Leia mais

1. Relatório de Informações Doutrinárias Operacionais RIDOP / COTER 2. Experimentações Doutrinárias 2015 3. Sistema de Lições Aprendidas/COTER 4.

1. Relatório de Informações Doutrinárias Operacionais RIDOP / COTER 2. Experimentações Doutrinárias 2015 3. Sistema de Lições Aprendidas/COTER 4. 1. Relatório de Informações Doutrinárias Operacionais RIDOP / COTER 2. Experimentações Doutrinárias 2015 3. Sistema de Lições Aprendidas/COTER 4. Desafios Doutrinários 5. Portal do Preparo Divisão de Acompanhamento

Leia mais

Substituição da Bandeira Nacional

Substituição da Bandeira Nacional Informativo Eletrônico do Comando Militar do Planalto 1º a 15 de fevereiro - 2013 - ano IV - edição 64 C M Substituição da Bandeira Nacional P Profissionalismo e Entusiasmo CMP Notícias - nº 64-1º a 15

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006

CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006 CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP PAPPE SUBVENÇÃO 02/2006 SELEÇÃO E CREDENCIAMENTO DE PARCEIROS PARA OPERAÇÃO DESCENTRALIZADA DO PROGRAMA DE APOIO À PESQUISA EM EMPRESAS NA MODALIDADE SUBVENÇÃO A MICRO E PEQUENAS

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

ABREVIATURAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS

ABREVIATURAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS C 21-30 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO Manual de Campanha ABREVIATURAS, SÍMBOLOS E CONVENÇÕES CARTOGRÁFICAS 4ª Edição 2002 C 21-30 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO

Leia mais

POLÍTICA DE SENSORIAMENTO REMOTO DE DEFESA

POLÍTICA DE SENSORIAMENTO REMOTO DE DEFESA MINISTÉRIO DA DEFESA MD32-P-02 POLÍTICA DE SENSORIAMENTO REMOTO DE DEFESA 2006 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR DE DEFESA POLÍTICA DE SENSORIAMENTO REMOTO DE DEFESA 1 a Edição 2006 MINISTÉRIO DA DEFESA

Leia mais

Quartel em Mossoró/RN, 25 de julho de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 136. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte:

Quartel em Mossoró/RN, 25 de julho de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 136. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte: ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR COMANDO DE POLICIAMENTO REGIONAL - I 2º BATALHÃO DE POLÍCIA

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA APOIO DE FOGO EM OPERAÇÕES CONJUNTAS

MINISTÉRIO DA DEFESA APOIO DE FOGO EM OPERAÇÕES CONJUNTAS MINISTÉRIO DA DEFESA MD33-M-11 APOIO DE FOGO EM OPERAÇÕES CONJUNTAS 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS APOIO DE FOGO EM OPERAÇÕES CONJUNTAS 1 a Edição 2013 MINISTÉRIO

Leia mais

GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS

GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS MINISTÉRIO DA DEFESA MD35-G-01 GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS 2007 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR DE DEFESA GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS 4 a Edição 2007 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

CFOR INFANTARIA COMBATE E SERVIÇO EM CAMPANHA II INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 75 HORAS PLANO DE DISCIPLINA

CFOR INFANTARIA COMBATE E SERVIÇO EM CAMPANHA II INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 75 HORAS PLANO DE DISCIPLINA CPOR / NPOR CFOR INFANTARIA ELABORADO EM 013 COMBATE E SERVIÇO EM CAMPANHA II INSTRUÇÕES PECULIARES CARGA HORÁRIA: 75 HORAS PLANO DE DISCIPLINA Aprovado pelo BI/DESMil nº 081, de 4 de outubro de 013. 1.

Leia mais

GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS

GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS MINISTÉRIO DA DEFESA MD35-G-01 GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS 2007 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR DE DEFESA GLOSSÁRIO DAS FORÇAS ARMADAS 4 a Edição 2007 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA

Leia mais

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Rio de Janeiro, em 06 de outubro

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

Comemoração do Dia da Infantaria

Comemoração do Dia da Infantaria Informativo Eletrônico do Comando Militar do Planalto 1º a 15 de junho - 2012 - ano III - edição 48 C M P Comemoração do Dia da Infantaria Profissionalismo e Entusiasmo CMP Notícias - nº 48-1º a 15 junho

Leia mais

Índice da apresentação

Índice da apresentação Cenário da reparação de veículos 2013 Índice da apresentação 1. Indicadores 2. Ameaças e oportunidades 3. Cenário futuro Indicadores Total 5.565 Municípios NORTE 449 Amazonas 62 Pará 143 Rondônia 52 Acre

Leia mais

RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014.

RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014. RESOLUÇÃO STJ N. 1 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2014. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL SOLUÇÕES JÁ DISPONÍVEIS APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DESENVOLVENDO SOLUÇÕES INOVADORAS DE TI PARA O MONITORAMENTO, OPERAÇÃO E GESTÃO DE PROCESSOS, AGREGANDO PRODUTIVIDADE E QUALIDADE ÀS ATIVIDADES DOS NOSSOS CLIENTES. 01 Gerenciamento

Leia mais

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Subordinação: Finalidade: ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR - ADMINISTRAÇÃO DIRETA AO PREFEITO

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança Metodologia Seleção

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01 Anexo I - Plano de Classificação de Documentos Secretaria de Estado de Segurança - SESEG Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - PMERJ 33 - Competência: Exercer a polícia ostensiva e a preservação

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012 POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS Lei 12.334/2010 Carlos Motta Nunes Dam World Conference Maceió, outubro de 2012 Características da barragem para enquadramento na Lei 12.334/10 I - altura do

Leia mais

A Guerra Eletrônica no Mundo

A Guerra Eletrônica no Mundo O ENSINO DE GUERRA ELETRÔNICA NO CIGE Perspectivas para o futuro Pedro Eduardo de Sousa Dias, Cap Com Ch Sec Psq do CIS Flávio Oliveira da Silva Netto, Cap Com Instr CIGE A Guerra Eletrônica no Mundo Nos

Leia mais

INFORMATIVO DOZE DE OURO

INFORMATIVO DOZE DE OURO INFORMATIVO DOZE DE OURO ABRIL 2013/24 EDITORIAL O IDO do início de abril destaca algumas das atividades que conferem ao Btl o conhecido reconhecimento no âmbito da 4ª RM: Capacitação dos Quadros para

Leia mais

INÍCIO DA PREPARAÇÃO DO BRABATT 2/14 BRABATT 2/14 REALIZA O EPCOEM NO CCOPAB

INÍCIO DA PREPARAÇÃO DO BRABATT 2/14 BRABATT 2/14 REALIZA O EPCOEM NO CCOPAB Pelotas, RS, 8 de janeiro de 2011 Edição Especial INÍCIO DA PREPARAÇÃO DO BRABATT 2/14 Brasília - DF. No período de 5 a 9 de julho de 2010 ocorreu, no Ministério da Defesa, o estágio para comandantes e

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Brasília, 06/03/2014 Contextualização Em 2008, a Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua apontou que 76,15% da população

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

O QUADRO TÉCNICO DE PRAÇAS DA ARMADA (QTPA)

O QUADRO TÉCNICO DE PRAÇAS DA ARMADA (QTPA) O QUADRO TÉCNICO DE PRAÇAS DA ARMADA (QTPA) 1 - O CORPO DE PRAÇAS DA ARMADA Os militares da Marinha do Brasil (MB) estão organizados em graus hierárquicos de Oficiais e de Praças. As Praças são ordenadas,

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR NAS FORÇAS ARMADAS

SEGURANÇA ALIMENTAR NAS FORÇAS ARMADAS SEGURANÇA ALIMENTAR NAS FORÇAS ARMADAS A atuação do QCO na implantação do PROGRAMA DE AUDITORIA E SEGURANÇA ALIMENTAR - PASA do Exército Brasileiro. 01Out15 MINISTÉRIO DA DEFESA EMCFA SEC GERAL CHOC CAE

Leia mais

BRABAT 1/16 embarca para a Missão de Paz

BRABAT 1/16 embarca para a Missão de Paz Informativo Eletrônico do Comando Militar do Planalto 16 a 31 de março - 2012 - ano III - edição 43 C M BRABAT 1/16 embarca para a Missão de Paz P P r o f i s s i o n a l i s m o e E n t u s i a s m o

Leia mais

REGULAMENTO OFERTA PAIS 2013 - OI INTERNET MÓVEL SEM FIDELIZAÇÃO

REGULAMENTO OFERTA PAIS 2013 - OI INTERNET MÓVEL SEM FIDELIZAÇÃO TNL PCS S.A., sociedade com sede na Rua Jangadeiros, n.º 48, cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, inscrita no CNPJ sob o nº. 04.164.616/0001-59, doravante denominada simplesmente Oi, autorizatária

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 08/09/2015 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ Atualizado em 08/09/2015 RESOLUÇÃO STJ/GP N. 3 DE 5 DE FEVEREIRO DE 2015. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do

Leia mais

Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde - SIOPS: Instrumentos Legais

Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde - SIOPS: Instrumentos Legais Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde - SIOPS: Instrumentos Legais I Seminário Estadual do SIOPS João Pessoa / PB 07 de maio de 2014 O que é o SIOPS? Sistema de informação que coleta,

Leia mais

LEI Nº 6.456, DE 20 DE JANEIRO DE 2004.

LEI Nº 6.456, DE 20 DE JANEIRO DE 2004. LEI Nº 6.456, DE 20 DE JANEIRO DE 2004. FIXA O SUBSÍDIO DOS MEMBROS DA POLÍCIA MILITAR E DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS, DEFINE AS VERBAS DE CARÁTER INDENIZATÓRIO, OS CARGOS E FUNÇÕES

Leia mais

SISTEMAS DE GERENCIAMENTO LOGÍSTICO NAS OPERAÇÕES DE ADESTRAMENTO CONJUNTO

SISTEMAS DE GERENCIAMENTO LOGÍSTICO NAS OPERAÇÕES DE ADESTRAMENTO CONJUNTO SISTEMAS DE GERENCIAMENTO LOGÍSTICO NAS OPERAÇÕES DE ADESTRAMENTO CONJUNTO OBJETIVOS - Conhecer as peculiaridades do SISMC², que devem condicionar o desenvolvimento do futuro Sistema Logístico de Defesa;

Leia mais

Boletim do Exército Nº 28/2006. Brasília - DF, 14 de julho de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 28/2006. Brasília - DF, 14 de julho de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 28/2006 Brasília - DF, 14 de julho de 2006. BOLETIM DO EXÉRCITO N º 28/2006 Brasília - DF, 14 de julho de 2006.

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

Representatividade. Representamos 100% das Federações existentes de fato e de direito no Brasil, que são:

Representatividade. Representamos 100% das Federações existentes de fato e de direito no Brasil, que são: Representatividade Representamos 100% das Federações existentes de fato e de direito no Brasil, que são: FITV Federação Interestadual dos Vigilantes FEVASC Federação dos Vigilantes de Santa Catarina FEV

Leia mais

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO)

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO) PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO) Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL Decreto Lei n.º 142/2015 de 31 de julho O Decreto Lei n.º 296/2009, de 14 de outubro, procedeu à alteração da estrutura do regime remuneratório aplicável aos militares dos

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19).

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). PORTARIA Nº 483, DE 20 DE SETEMBRO DE 2001. Aprova as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso da competência que lhe é conferida

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1.247/MD, DE 2 DE SETEMBRO DE 2008 Disciplina a ocupação de cargos e funções militares, a concessão da Gratificação de Exercício em Cargo

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-9 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS PARA AERONAVE PRESIDENCIAL 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO

Leia mais

TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL

TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL TRANSPORTE ESCOLAR PROGRAMAS DE APOIO DO GOVERNO FEDERAL PAULO DE SENA MARTINS Consultor Legislativo da Área XV Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia MAIO/2008 Paulo de Sena Martins 2 2008

Leia mais

DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS. 1 o VOLUME

DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS. 1 o VOLUME MINISTÉRIO DA DEFESA MD30-M-01 DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS 1 o VOLUME 2011 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS DOUTRINA DE OPERAÇÕES CONJUNTAS 1 o VOLUME 1 a Edição 2011

Leia mais

Art. 1º Distribuir as vagas referentes aos cursos e estágios em órgãos do Ministério da Defesa e nas demais Forças, a serem realizados no ano de 2012.

Art. 1º Distribuir as vagas referentes aos cursos e estágios em órgãos do Ministério da Defesa e nas demais Forças, a serem realizados no ano de 2012. PORTARIA Nº 017-DGP, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2012. Distribui as vagas para os cursos e estágios em Órgãos do Ministério da Defesa e nas demais Forças (PCEF), a serem realizados em 2012. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL

Leia mais

Viatura Blindada Especial Lançadora de Pontes Leopard 1 BR

Viatura Blindada Especial Lançadora de Pontes Leopard 1 BR Viatura Blindada Especial Lançadora de Pontes Leopard 1 BR VBE L Pnt lançando a ponte Fonte: o autor Por Ígor Berta O Exército Brasileiro adquiriu como Carro de Combate as viaturas da família Leopard.

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/bdi/ats/12/ato_cotepe_icms_009_2012.php

http://www.econeteditora.com.br/bdi/ats/12/ato_cotepe_icms_009_2012.php Página 1 de 6 ATO COTEPE/ICMS Nº 009, DE 13 DE MARÇO DE 2012 (DOU de 22.03.2012) Estabelece a disciplina relativa à utilização pelo contribuinte do Sistema de Autenticação e Transmissão de Cupom Fiscal

Leia mais

Em voo com 10 helicópteros, Esquadrão Poti forma novos líderes de esquadrão

Em voo com 10 helicópteros, Esquadrão Poti forma novos líderes de esquadrão Em voo com 10 helicópteros, Esquadrão Poti forma novos líderes de esquadrão Com a formação, os pilotos estão aptos a comandar um voo conjunto entre 8 e 16 helicópteros O Esquadrão Poti (2º/8º GAV), sediado

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO CURSO DE AUTOAVALIAÇÃO NA MODALIDADE DE ENSINO A DISTÂNCIA

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO CURSO DE AUTOAVALIAÇÃO NA MODALIDADE DE ENSINO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO ORDEM DE SERVIÇO N o 21 - SI.2 / 2ªSCh, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2011. CURSO DE AUTOAVALIAÇÃO NA MODALIDADE DE ENSINO A DISTÂNCIA 1. FINALIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952) PORTARIA N o 036-DMB, DE 09 DE DEZEMBRO DE 1999 Aprova as normas que regulam o comércio de armas e munições.

Leia mais

Cash Management Folha de Pagamento

Cash Management Folha de Pagamento Cash Management Folha de Pagamento Layout de Arquivo Padrão CNAB 240 Padrão 240 Folha de Pagamento Versão Atualizada Composição do Arquivo Header do arquivo (registro tipo 0) Header do lote (registro tipo

Leia mais

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Observatório das MPEs SEBRAE-SP Março/2008 1 Características da pesquisa Objetivos: Identificar o grau de conhecimento e a opinião dos

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

Entrevista com o CC Dos Anjos, Comandante do Esquadrão HU-4

Entrevista com o CC Dos Anjos, Comandante do Esquadrão HU-4 Entrevista com o CC Dos Anjos, Comandante do Esquadrão HU-4 O Capitão-de-Corveta Alexsander Moreira dos Anjos é natural da cidade do Rio de Janeiro e ingressou na Marinha do Brasil em 1995, através do

Leia mais

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Designação de Aerovias ROTAS CONTINENTAIS: São aerovias traçadas sobre o continente ligando pontos e/ou auxílios de

Leia mais

PORTARIA Nº 021 - D LOG, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2005. (Publicado BE 50, 16.12.05)

PORTARIA Nº 021 - D LOG, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2005. (Publicado BE 50, 16.12.05) PORTARIA Nº 021 - D LOG, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicado BE 50, 16.12.05) Aprova as Normas Reguladoras da Aquisição, Registro, Cadastro e Transferência de Propriedade de Armas de Uso Restrito, por

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DF LEI Nº 12.086, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2009.

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DF LEI Nº 12.086, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2009. CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DF LEI Nº 12.086, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2009. Dispõe sobre os militares da Polícia Militar do Distrito Federal e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal. Professor:

Leia mais

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência)

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Desenvolvido a partir de 2009: integra as bases de dados dos Sistemas de registros de aplicadas doses (SI-API), Eventos adversos (SI-EAPV), usuários de imunobiológicos

Leia mais

Boletim do Exército N 18/2006. Brasília - DF, 5 de maio de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército N 18/2006. Brasília - DF, 5 de maio de 2006. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO N 18/2006 Brasília - DF, 5 de maio de 2006. BOLETIM DO EXÉRCITO N 18/2006 Brasília - DF, 5 de maio de 2006. ÍNDICE

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Receita Federal do Brasil Ricardo Rezende Barbosa nfe@sefaz.pi.gov.br 06 de dezembro de 2007 Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica Luiz Antonio Baptista

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

LISTA DE ENDEREÇO E TELEFONES DAS CAPELANIAS MILITARES

LISTA DE ENDEREÇO E TELEFONES DAS CAPELANIAS MILITARES MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL (Diretoria Geral do Pessoal/1860) DEPARTAMENTO BARÃO DE SURUHY LISTA DE ENDEREÇO E TELEFONES DAS CAPELANIAS MILITARES Nome: Arquidiocese

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA INSTRUÇÕES PARA O LEVANTAMENTO DE SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS APLICÁVEIS ÀS OPERAÇÕES CONJUNTAS

MINISTÉRIO DA DEFESA INSTRUÇÕES PARA O LEVANTAMENTO DE SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS APLICÁVEIS ÀS OPERAÇÕES CONJUNTAS MINISTÉRIO DA DEFESA MD42-I-01 INSTRUÇÕES PARA O LEVANTAMENTO DE SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS APLICÁVEIS ÀS OPERAÇÕES CONJUNTAS 2015 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS INSTRUÇÕES PARA

Leia mais

AVISO CONAB/DIRAB/SUARM/GEMOV Nº 403//2009

AVISO CONAB/DIRAB/SUARM/GEMOV Nº 403//2009 Companhia Nacional de Abastecimento - Conab Diretoria de Operações e Abastecimento - Dirab Superintendência de Armazenagem e Movimentação de Estoques - Suarm Gerência de Movimentação de Estoques - Gemov

Leia mais

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice Objetivo, metodologia e amostra... 03 Perfil dos Respondentes... 04 Principais constatações sobre os hábitos de consumo

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA SEGURANÇA DCA 205-6

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA SEGURANÇA DCA 205-6 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA SEGURANÇA DCA 205-6 PROCEDIMENTOS PARA OS ÓRGÃOS DO COMAER REFERENTES A SEGURANÇA DA AVIAÇÃO CIVIL CONTRA ATOS DE INTERFERÊNCIA ILÍCITA 2011 MINISTÉRIO DA DEFESA

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMO / 9ª DE - 9ª RM 4ª BRIGADA DE CAVALARIA MECANIZADA (4ª DC/1949) BRIGADA GUAICURUS

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMO / 9ª DE - 9ª RM 4ª BRIGADA DE CAVALARIA MECANIZADA (4ª DC/1949) BRIGADA GUAICURUS MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CMO / 9ª DE - 9ª RM 4ª BRIGADA DE CAVALARIA MECANIZADA (4ª DC/1949) BRIGADA GUAICURUS TOMADA DE CONTAS ANUAL DE 2005 RELATÓRIO DE GESTÃO 1. APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

Leia mais

CISPED 2013. Álvaro Bahia. Coord Técnico Sistema NF-e. Coordenação Técnica

CISPED 2013. Álvaro Bahia. Coord Técnico Sistema NF-e. Coordenação Técnica CISPED 2013 Álvaro Bahia Coord Técnico Sistema NF-e Coordenação Técnica Tema de Nossa Palestra! Projeto A Terceira Geração da NF-e O Que há de novo por vir? Projeto Visão da Diretoria e Controladores das

Leia mais

DOUTRINA DE INTELIGÊNCIA OPERACIONAL PARA OPERAÇÕES COMBINADAS

DOUTRINA DE INTELIGÊNCIA OPERACIONAL PARA OPERAÇÕES COMBINADAS MINISTÉRIO DA DEFESA DOUTRINA DE INTELIGÊNCIA OPERACIONAL PARA OPERAÇÕES COMBINADAS Desclassificado de acordo com o Art. 24 da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011 2006 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR

Leia mais

ANEXO B RELAÇÃO DE OM

ANEXO B RELAÇÃO DE OM DEPARTAMENTO DECEx Departamento de Educação e Cultura do Exército Diretoria de Especialização e Extensão Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército Escola de Educação Física do Exército Escola

Leia mais

PROPOSTA DE CURSO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

PROPOSTA DE CURSO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROPOSTA DE CURSO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Título: Curso de Tripulante Operacional CTO / 2013 2. Unidade Promotora: Núcleo de Operações e Transporte Aéreo/ NOTAer, da Secretaria da Casa Militar 3. Nível

Leia mais

Ranking nacional mostra PI em 6º com mais pessoas flagradas dirigindo sem CNH

Ranking nacional mostra PI em 6º com mais pessoas flagradas dirigindo sem CNH Levantamento divulgado pela Polícia Rodoviária Federal aponta um novo dado preocupante relacionado ao tráfego de veículos em BRs. De acordo com o Departamento Nacional da PRF, somente nos feriados prolongados

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

MARINHA DO BRASIL COMANDO DO CONTROLE NAVAL DO TRÁFEGO MARÍTIMO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO

MARINHA DO BRASIL COMANDO DO CONTROLE NAVAL DO TRÁFEGO MARÍTIMO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO MARINHA DO BRASIL COMANDO DO CONTROLE NAVAL DO TRÁFEGO MARÍTIMO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO Sumário Introdução Missão Visão Valores Apresentação do serviço prestado Público-alvo Tipos de Mensagens Legislação

Leia mais

Processo eletrônico na visão do advogado, aspectos relevantes da Lei do Processo Eletrônico Lei nº 11.419/2006 Juiz Federal Sérgio Tejada Garcia

Processo eletrônico na visão do advogado, aspectos relevantes da Lei do Processo Eletrônico Lei nº 11.419/2006 Juiz Federal Sérgio Tejada Garcia edoc 2015 PORTO ALEGRE 09 e 10 de JUNHO/2015 Processo eletrônico na visão do advogado, aspectos relevantes da Lei do Processo Eletrônico Lei nº 11.419/2006 Juiz Federal Sérgio Tejada Garcia TOTAL DE PROCESSOS

Leia mais

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

PROJETO DE LEI CRIAÇÃO DO QOPMA

PROJETO DE LEI CRIAÇÃO DO QOPMA PROJETO DE LEI CRIAÇÃO DO QOPMA QUADRO DE OFICIAL POLICIAL MILITAR DE ADMINISTRAÇÃO (Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Administração Policial Militar) SÚMULA: A fim de dar continuidade na carreira

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DIVULGAÇÃO ELETRÔNICADE 028/2013 UNICAFES/DENACOOP-MAPA

COTAÇÃO PRÉVIA DIVULGAÇÃO ELETRÔNICADE 028/2013 UNICAFES/DENACOOP-MAPA COTAÇÃO PRÉVIA DIVULGAÇÃO ELETRÔNICADE 028/2013 UNICAFES/DENACOOP-MAPA A UNIÃO NACIONAL DE COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDÁRIA (Unicafes), inscrita no CNPJ sob o n. 07.738.836/0001-37

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais