PROJETO DE ANÁLISE ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO DE ANÁLISE ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE INFORMÁTICA CIN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA DISCIPLINA PRINCÍPIOS E TÉCNICAS DA ANÁLISE ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL PROJETO DE ANÁLISE ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL Equipe: Ítalo Marinho E. de Barros, Maria Silva Ito e Patrícia Vieira da S. Barros Professora: Dra. Renata Maria Cardoso Rodrigues de Souza

2 1. Justificativa A demanda crescente dos consumidores por serviços de vídeo móvel é um dos principais impulsionadores da evolução de novas soluções multimídia sem fio, exigindo a exploração de novas formas para otimizar futuras redes sem fio para serviços de vídeo, além de fornecer maior capacidade e qualidade de experiência (QoE). Uma dessas soluções fundamentais é o Adaptive streaming, o qual foi recentemente difundido como uma forma de difusão de entrega de vídeo de internet e está previsto para ser implantado de forma mais ampla ao longo dos próximos anos. 2. Fundamentação Teórica Adaptive streaming é um método cada vez mais promissor de entrega de vídeos para usuários finais, permitindo melhorias na qualidade e eficiência da largura de banda da rede. A tecnologia visa otimizar e adaptar as configurações de vídeo ao longo do tempo, a fim de oferecer a melhor qualidade de vídeo possível para o usuário a qualquer momento. A maior parte da ampla adoção esperada de transmissão adaptável será impulsionada por novos desenvolvimentos sobre a infra-estrutura da Web existente, baseada no protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), e este tipo de transmissão é conhecido aqui como HTTP Adaptive streaming (HAS). 3. Objetivo da Pesquisa Estudar o comportamento do tráfego de uma adaptive streaming, fazendo uma análise do comportamento dos dados trafegados em diferentes situações dentro de uma mesma rede. 4. Especificação da Amostra Para essa pesquisa, foram utilizados três computadores (laptops) conectados em uma mesma rede para a coleta de dados: o primeiro permaneceu gerando tráfego cruzado, o segundo trabalhou recebendo o tráfego e o terceiro garantiu o acesso ao Netflix. Com o ambiente funcionando, se deu o processo de coleta em si, para isso foi escolhida uma animação da Galinha Pintadinha com duração de cinco minutos. O vídeo foi assistido cinco vezes, sendo uma sem interferência e as outras com interferências de 21600kbps, 32400kbps, 43200kbps e 64800kbps. Conforme o vídeo passava, capturava-se os pacotes com um software denominado Wireshark [4], cujo um dos recursos é a de captura de dados e informações detalhadas. A métrica que foi avaliada nesse trabalho foi a de taxa de transmissão. Além disso, a modelagem dos dados foi realizada com a ajuda da ferramenta de estatística R [2], que fornece uma linguagem e um ambiente para cálculos estatísticos e representações gráficas. Um teste estatístico utilizado para demonstrar os resultados da pesquisa foi o método da máxima verossimilhança, visto que esse método permite a estimação de parâmetros de uma dada distribuição. Para verificar a qualidade da estimação, foi utilizado o cálculo da medida de discrepância. O segundo teste utilizado foi o teste t de Student emparelhado, para averiguar se a média da taxa de transmissão diminui com o aumento da interferência. 2

3 5. Análise Exploratória Seguem os gráficos (histogramas e ECDF) de bitrate das capturas realizadas, com interferências de 64800kbps (bit_rate_4), 43200kbps (bit_rate_3), 32400kbps (bit_rate_2), 21600kbps (bit_rate_1) e sem interferência (bit_rate_0).como se pode ver, quanto maior a interferência aumenta a proximidade da pdf observada com a distribuição normal.

4 6. Metodologia (Formulação das Hipóteses) A fim de analisar se o conjunto de dados se encaixa bem na distribuição com os parâmetros estimados, um gráfico quantil-quantil (QQ Plot) foi realizado. Nesta parcela, os quartis correspondentes de distribuições empíricos e analíticos são representados graficamente um contra o outro, de modo que os desvios podem ser facilmente identificados. Também foi utilizado o método de Estimação da Máxima Verossimilhança (MLE), como também o método da medida de discrepância Lambda-Square ( 2 ), visto que este estabelece que quanto menor o valor da medida de discrepância, melhor o modelo. De acordo com [3], tradicionalmente os testes de ajustes, como a Chi-Square ( 2 ) e Kolmogorov-Smirnov (Ks), costumam falhar com modelos analíticos para o tráfego de Internet, porque eles são tendenciosos para grandes conjuntos de dados. O mesmo ocorre quando os dados apresentam uma significativa auto-correlação [2].

5 7. Análise dos Resultados Para se traçar um perfil de adaptive streaming, estudou-se a bit rate da captura com maior interferência, isto é, bit_rate_4. Para fins de simplificação, os dados apresentados são de bit_rate_4/ Ao se observar a pdf da mesma, pode-se ver a semelhança desta com a distribuição lognormal. Portanto, usou-se essa como base do cálculo de máxima verossimilhança. Os parâmetros encontrados foram: meanlog: sdlog: A lognormal ajustada e o Qplot obtidos foram respectivamente: A seguir foi realizado o cálculo da medida de discrepância, obtendo-se, o que nos permite a conclusão de que, apesar da leve discrepância na cauda observada no Qqplot, o ajuste foi bem realizado. Para testar a hipótese de que a média da taxa de transmissão diminui conforme o aumento da interferência realizou-se o teste t emparelhado, com nível de confiança de 5%. A hipótese H0 de que a média de taxa de transmissão do vídeo sem interferência é maior que a média de taxa de transmissão do vídeo com interferência de 64800kbps e a hipótese H1 de que a média de taxa de transmissão do vídeo sem interferência é maior que a média de taxa de transmissão do vídeo com interferência de 64800kbps. A realização do teste nos levou à rejeição de H0, o que significa que há forte 2 1,5 evidência de que 0 4, confirmando a suspeita inicial. 2

6 8. Referencias [1] Borella, M.S. Source Models of Network Game Traffic. Computer Communications, Volume 23, Number 4, 15 February 2000, pp (8). [2] L.J. Glesser, D.S. Moore, "The effect of dependence on chi-squared and. empiric distribution tests of fit". The Annals of Statistics, 11: , [3] R Development Core Team (2008). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. ISBN , URL [4] Wireshark packet analyzer.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Mestrado em Ciência da Computação CENTRO DE INFORMÁTICA Análise comparativa entre os diferentes tipos De protocolos para transmissão de dados Grupo: Professora: Disciplina:

Leia mais

PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE EM INFRA-ESTRUTURAS SUPORTADAS POR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE REDE DE COMUNICAÇÃO DE DADOS

PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE EM INFRA-ESTRUTURAS SUPORTADAS POR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE REDE DE COMUNICAÇÃO DE DADOS PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE EM INFRA-ESTRUTURAS SUPORTADAS POR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE REDE DE COMUNICAÇÃO DE DADOS Roosevelt Belchior Lima Neste artigo será apresentada uma proposta de acompanhamento

Leia mais

de Piracicaba-SP: uma abordagem comparativa por meio de modelos probabilísticos

de Piracicaba-SP: uma abordagem comparativa por meio de modelos probabilísticos Descrição da precipitação pluviométrica no munícipio de Piracicaba-SP: uma abordagem comparativa por meio de modelos probabilísticos Idemauro Antonio Rodrigues de Lara 1 Renata Alcarde 2 Sônia Maria De

Leia mais

Modelagem do total de passageiros transportados no aeroporto internacional de Belém: Um estudo preliminar

Modelagem do total de passageiros transportados no aeroporto internacional de Belém: Um estudo preliminar Modelagem do total de passageiros transportados no aeroporto internacional de Belém: Um estudo preliminar Núbia da Silva Batista ¹ Cássio Pinho dos Reis ² Flávia Ferreira Batista ² 3 Introdução Inaugurado

Leia mais

MONITORAMENTO DE REDES. Prof. José Augusto Suruagy Monteiro suruagy@cin.ufpe.br

MONITORAMENTO DE REDES. Prof. José Augusto Suruagy Monteiro suruagy@cin.ufpe.br MONITORAMENTO DE REDES Prof. José Augusto Suruagy Monteiro suruagy@cin.ufpe.br 2 Preâmbulo O que é medição? 3 Realizar medições consiste em ajustar parâmetros de um modelo de modo que ele (ao menos aproximadamente)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ENTRE PRESENÇA DE CÂNCER DE ESÔFAGO COMPARADA COM HÁBITO DE FUMAR E IDADE EM INDIVÍDUOS DA DINAMARCA

ASSOCIAÇÃO ENTRE PRESENÇA DE CÂNCER DE ESÔFAGO COMPARADA COM HÁBITO DE FUMAR E IDADE EM INDIVÍDUOS DA DINAMARCA ASSOCIAÇÃO ENTRE PRESENÇA DE CÂNCER DE ESÔFAGO COMPARADA COM HÁBITO DE FUMAR E IDADE EM INDIVÍDUOS DA DINAMARCA Bárbara Camboim Lopes de FIGUEIRÊDO 1, Gustavo Henrique ESTEVES 2 1 Departamento de Estatística

Leia mais

Métodos estatísticos aplicados em saúde pública

Métodos estatísticos aplicados em saúde pública Orientador: Ricardo S. Ehlers Universidade Federal do Paraná October 23, 2007 Introdução Degradação do meio ambiente e os problemas sócio-culturais afetam o cenário epidemiológico. Epidemias de dengue,

Leia mais

Jones Bunilha Radtke. Tarefas:

Jones Bunilha Radtke. Tarefas: Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas Tecnólogo em Redes de Computadores Qualidade de Serviços de Rede Prof. Eduardo Monks Camada de Transporte Parte 2 Jones Bunilha Radtke Tarefas: 1.1) O algoritmo Slow

Leia mais

Análise bioestatística em fumantes dinamarqueses associado

Análise bioestatística em fumantes dinamarqueses associado Análise bioestatística em fumantes dinamarqueses associado à câncer de esôfago Bárbara Camboim Lopes de Figueirêdo 1 Gustavo Henrique Esteves 2 1 Introdução A Bioestatística surgiu em 1894 quando Karl

Leia mais

Avaliação de Desempenho em Sistemas de Computação e Comunicação

Avaliação de Desempenho em Sistemas de Computação e Comunicação Avaliação de Desempenho em Sistemas de Computação e Comunicação Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM UFES Objetivos

Leia mais

Ajuste do modelo logístico ao número de alunos ingressos nos cursos superiores do IFSEMG - Câmpus Rio Pomba

Ajuste do modelo logístico ao número de alunos ingressos nos cursos superiores do IFSEMG - Câmpus Rio Pomba Ajuste do modelo logístico ao número de alunos ingressos nos cursos superiores do IFSEMG - Câmpus Rio Pomba Diánis Ferreira Irias 1 2 Marcos Coutinho Mota 1 2 Flávio Bittencourt 1 2 1 Introdução Os institutos

Leia mais

Estudo dos fatores que influenciam no tempo até o transplante renal nos pacientes em tratamento de Hemodiálise

Estudo dos fatores que influenciam no tempo até o transplante renal nos pacientes em tratamento de Hemodiálise Estudo dos fatores que influenciam no tempo até o transplante renal nos pacientes em tratamento de Hemodiálise Carolina Ferreira Barroso 1 Graziela Dutra Rocha Gouvêa 2 1. Introdução A análise de sobrevivência

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Pós-Graduação em Ciência da Computação. Estatística Aplicada Prof a Renata Souza

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Pós-Graduação em Ciência da Computação. Estatística Aplicada Prof a Renata Souza Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Pós-Graduação em Ciência da Computação Estatística Aplicada Prof a Renata Souza Modelagem do tráfego de um ambiente virtual - Estudo de caso: Second

Leia mais

Uma Introdução a Engenharia de Software e Sistemas

Uma Introdução a Engenharia de Software e Sistemas Uma Introdução a Engenharia de Software e Sistemas Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco Engenharia da Computação Kiev Gama kiev@cin.ufpe.br Slides originais elaborados por Ian Sommerville

Leia mais

MODIFICAÇÃO DO TESTE DE NORMALIDADE DE SHAPIRO-WILK MULTIVARIADO DO SOFTWARE ESTATÍSTICO R

MODIFICAÇÃO DO TESTE DE NORMALIDADE DE SHAPIRO-WILK MULTIVARIADO DO SOFTWARE ESTATÍSTICO R MODIFICAÇÃO DO TESTE DE NORMALIDADE DE SHAPIRO-WILK MULTIVARIADO DO SOFTWARE ESTATÍSTICO R Roberta Bessa Veloso 1, Daniel Furtado Ferreira 2, Eric Batista Ferreira 3 INTRODUÇÃO A inferência estatística

Leia mais

Modelos mistos na análise de dados longitudinais de um experimento para armazenamento de banana

Modelos mistos na análise de dados longitudinais de um experimento para armazenamento de banana Modelos mistos na análise de dados longitudinais de um experimento para armazenamento de banana Simone Silmara Werner Gurgel do Amaral Sara Regina Kulzer 2 Marcus Vinícius Silva Gurgel do Amaral Sílvia

Leia mais

Análise Bayesiana do Sistema de Cotas da UFBA

Análise Bayesiana do Sistema de Cotas da UFBA Análise Bayesiana do Sistema de Cotas da UFBA Lilia Carolina C. da Costa Universidade Federal da Bahia Marina Silva Paez Universidade Federal do Rio de Janeiro Antonio Guimarães, Nadya Araujo Guimarães

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA SISTEMAS

Leia mais

3 Qualidade de serviço na Internet

3 Qualidade de serviço na Internet 3 Qualidade de serviço na Internet 25 3 Qualidade de serviço na Internet Além do aumento do tráfego gerado nos ambientes corporativos e na Internet, está havendo uma mudança nas características das aplicações

Leia mais

Alegre-ES, CEP.: 29.500-000, Caixa Postal 16, edreis@cca.ufes.br

Alegre-ES, CEP.: 29.500-000, Caixa Postal 16, edreis@cca.ufes.br ANÁLISE ESTATÍSTICA PARA DETERMINAÇÃO DA NA BACIA DO RIO SÃO MATEUS-ES Eduardo Morgan Uliana 1, Camila Aparecida da Silva Martins 1, José Geraldo Ferreira da Silva 2, Edvaldo Fialho dos Reis 3 1 Universidade

Leia mais

Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação

Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação Prof. Simão Sirineo Toscani Projeto de Simulação Revisão de conceitos básicos Processo de simulação Etapas de projeto Cuidados nos projetos de simulação

Leia mais

AJUSTE DO MODELO DE COX A DADOS DE CÂNCER DE MAMA

AJUSTE DO MODELO DE COX A DADOS DE CÂNCER DE MAMA AJUSTE DO MODELO DE COX A DADOS DE CÂNCER DE MAMA Luciene Resende Gonçalves 1, Verônica kataoka 2, Mário Javier Ferrua Vivanco 3, Thelma Sáfadi 4 INTRODUÇÃO O câncer de mama é o tipo de câncer que se manifesta

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Introdução Redes

Leia mais

NetBook: uma ferramenta para avaliação de desempenho de sistemas de comunicação

NetBook: uma ferramenta para avaliação de desempenho de sistemas de comunicação NetBook: uma ferramenta para avaliação de desempenho de sistemas de comunicação Marcilia Andrade Campos 1, Erick Lopes Silva 1, Diogo de Carvalho Pedrosa 1, Jorge Luiz de Castro e Silva 1, Janine Aguiar

Leia mais

Streaming na pratica Shoutcast Flumotion

Streaming na pratica Shoutcast Flumotion Streaming na pratica Shoutcast Flumotion Felipe Santos dos Santos 1 1 Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas(FATEC) Rua Gonçalves Chaves, 602 Centro CEP: 96.015-560 Pelotas RS Brasil Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

Tecnologia para o Ensino de Tecnologia

Tecnologia para o Ensino de Tecnologia FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Uma experiência no programa de pós-graduação da FEEC/UNICAMP Ivan Luiz Marques Ricarte Depto. Engenharia de Computação

Leia mais

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo.

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 1 TEMA Assunto: Redes de computadores. Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 2 PROBLEMA Problema: Qual a importância de criar uma rede estruturada em instituições

Leia mais

Pós-graduação em Ciência da Computação Princípios e Técnicas da Análise Estatística Experimental

Pós-graduação em Ciência da Computação Princípios e Técnicas da Análise Estatística Experimental Pós-graduação em Ciência da Computação Princípios e Técnicas da Análise Estatística Experimental Análise de Performabilidade de aplicação I/O Bound em um Cluster de Sistemas Operacionais baseado em Containers

Leia mais

ANÁLISE DA PROVA DE PORTUGUÊS PARA O CURSO DE AGRONOMIA ATRAVÉS DA TEORIA DA RESPOSTA AO ITEM

ANÁLISE DA PROVA DE PORTUGUÊS PARA O CURSO DE AGRONOMIA ATRAVÉS DA TEORIA DA RESPOSTA AO ITEM ANÁLISE DA PROVA DE PORTUGUÊS PARA O CURSO DE AGRONOMIA ATRAVÉS DA TEORIA DA RESPOSTA AO ITEM Fabrícia de Matos Oliveira 1, Eric Batista Ferreira 2, Marcelo Silva de Oliveira 3 INTRODUÇÃO Na área educacional,

Leia mais

ESTUDO SOBRE A EVASÃO E O TEMPO ATÉ A FORMATURA DOS ALUNOS DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UFPR

ESTUDO SOBRE A EVASÃO E O TEMPO ATÉ A FORMATURA DOS ALUNOS DO CURSO DE ESTATÍSTICA DA UFPR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA Bruno Rosevics Estevão Batista do Prado ESTUDO SOBRE A EVASÃO E O TEMPO ATÉ A FORMATURA DOS ALUNOS

Leia mais

Avaliação de Desempenho de Fluxo Multimídia em Redes Definidas por Software (SDN)

Avaliação de Desempenho de Fluxo Multimídia em Redes Definidas por Software (SDN) Modeling of Distributed and Concurrent Systems - MoDCS Avaliação de Desempenho de Fluxo Multimídia em Redes Definidas por Software (SDN) JACKSON NUNES DA SILVA Orientador: Prof. Eduardo Tavares Abril de

Leia mais

AULA 04. CONTEÚDO PREVISTO: Criação de protocolos para servidores de jogos multijogadores massivos

AULA 04. CONTEÚDO PREVISTO: Criação de protocolos para servidores de jogos multijogadores massivos AULA 04 CONTEÚDO PREVISTO: Criação de protocolos para servidores de jogos multijogadores massivos COMPETÊNCIAS E HABILIDADES TRABALHADAS: Projetar a estrutura de servidor para jogos multijogadores Over

Leia mais

Avaliação Independente da Ferramenta Avaliador de Economia com Colaboração por Áudio e na Web da Siemens Enterprise Communications

Avaliação Independente da Ferramenta Avaliador de Economia com Colaboração por Áudio e na Web da Siemens Enterprise Communications Avaliação Independente da Ferramenta Avaliador de Economia com Colaboração por Áudio e na Web da Siemens Enterprise Communications 09 de março de 2011 Mainstay Partners LLC 901 Mariners Island Blvd Suite

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Introdução/Resumo Executivo

Introdução/Resumo Executivo Introdução/Resumo Executivo O aumento de disponibilidade de banda-larga tem proporcionado um aumento na utilização de aplicações com requisitos de tempo-real, tais como a Voz sobre IP (VoIP) ou Streaming

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Anéis Ópticos em Backbone www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Em 1980 foi formado o grupo de trabalho ANSI X3T9.5 com a finalidade de desenvolver

Leia mais

GT Computação Colaborativa (P2P)

GT Computação Colaborativa (P2P) GT Computação Colaborativa (P2P) Djamel Sadok Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto de estruturação do grupo de trabalho GT Computação Colaborativa (P2P), responsável pelo

Leia mais

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AMBIENTAIS E DE TECNOLOGIAS CEATEC PUC-CAMPINAS ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

Introdução à Simulação

Introdução à Simulação Introdução à Simulação O que é simulação? Wikipedia: Simulação é a imitação de alguma coisa real ou processo. O ato de simular algo geralmente consiste em representar certas características e/ou comportamentos

Leia mais

ESTUDO DO TEMPO ATÉ APOSENTADORIA DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UFLA VIA MODELO DE COX

ESTUDO DO TEMPO ATÉ APOSENTADORIA DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UFLA VIA MODELO DE COX ESTUDO DO TEMPO ATÉ APOSENTADORIA DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UFLA VIA MODELO DE COX Patrícia de Siqueira Ramos 1, Mário Javier Ferrua Vivanco 2 INTRODUÇÃO O servidor técnico-administrativo

Leia mais

Wireshark. Captura de Protocolos da camada de aplicação. Maicon de Vargas Pereira

Wireshark. Captura de Protocolos da camada de aplicação. Maicon de Vargas Pereira Wireshark Captura de Protocolos da camada de aplicação Maicon de Vargas Pereira Camada de Aplicação Introdução HTTP (Hypertext Transfer Protocol) 2 Introdução Camada de Aplicação Suporta os protocolos

Leia mais

5 Análise dos Resultados Seguro de Vida

5 Análise dos Resultados Seguro de Vida Capítulo 5 Análise dos Resultados - Seguro de Vida 5 Análise dos Resultados Seguro de Vida Este capítulo tem como objetivo a análise dos resultados obtidos através da modelagem dos dados de uma seguradora.

Leia mais

Um modelo de TRI para dados do vestibular 2011.2 da Universidade Federal de Uberlândia

Um modelo de TRI para dados do vestibular 2011.2 da Universidade Federal de Uberlândia Um modelo de TRI para dados do vestibular 20.2 da Universidade Federal de Uberlândia Luana Amâncio Terra 2 José Waldemar da Silva 2 Lúcio Borges de Araújo 2 Maria Imaculada de Sousa Silva 2 Introdução

Leia mais

DESEMPENHO DE REDES. Fundamentos de desempenho e otimização de redes. Prof. Ulisses Cotta Cavalca <ulisses.cotta@gmail.com>

DESEMPENHO DE REDES. Fundamentos de desempenho e otimização de redes. Prof. Ulisses Cotta Cavalca <ulisses.cotta@gmail.com> DESEMPENHO DE REDES Fundamentos de desempenho e otimização de redes Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 Sumário 1. Introdução 2. Gerência de redes 3. Fundamentos

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e

Leia mais

Avaliação de Desempenho e Consumo Energético de Streaming de Vídeo Auto Adaptativo em Dispositivos Móveis

Avaliação de Desempenho e Consumo Energético de Streaming de Vídeo Auto Adaptativo em Dispositivos Móveis Avaliação de Desempenho e Consumo Energético de Streaming de Vídeo Auto Adaptativo em Dispositivos Móveis Charles Bezerra Moreira cbm3@cin.ufpe.br Orientador: Eduardo Tavares eagt@cin.ufpe.br Agenda Introdução

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

A distribuição Weibull-Poisson

A distribuição Weibull-Poisson A distribuição Weibull-Poisson Estela Maris P. Bereta - DEs/UFSCar Francisco Louzada-Neto - DEs/UFSCar Maria Aparecida de Paiva Franco - DEs/UFSCar Resumo Neste trabalho é proposta uma distribuição de

Leia mais

Um Agente de Software Orientado à Monitoração de Traços de Protocolos

Um Agente de Software Orientado à Monitoração de Traços de Protocolos Um Agente de Software Orientado à Monitoração de Traços de Protocolos Ricardo Nabinger Sanchez Ciência da Computação - bolsista renovado Pibic/CNPq Luciano Paschoal Gaspary Orientador Universidade do Vale

Leia mais

Avaliação de Desempenho e Consumo Energético de Streaming de Vídeo Auto Adaptativo em Dispositivos Móveis

Avaliação de Desempenho e Consumo Energético de Streaming de Vídeo Auto Adaptativo em Dispositivos Móveis Avaliação de Desempenho e Consumo Energético de Streaming de Vídeo Auto Adaptativo em Dispositivos Móveis Charles Bezerra Moreira cbm3@cin.ufpe.br Orientador: Eduardo Tavares eagt@cin.ufpe.br Agenda Introdução

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Agenda Introdução Exemplos de Sistemas Distribuídos Compartilhamento de Recursos e a Web Principais Desafios para a Implementação

Leia mais

O Impacto dos Aceleradores Expand no Consumo de Banda do Citrix Metraframe

O Impacto dos Aceleradores Expand no Consumo de Banda do Citrix Metraframe O Impacto dos Aceleradores Expand no Consumo de Banda do Citrix Metraframe Teste de Desempenho Expand Networks, abril de 24 O líder atual de mercado em sistemas de computação baseados em servidores é a

Leia mais

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo Introdução à Computação Móvel Carlos Maurício Seródio Figueiredo Sumário Visão da Computação Móvel Oportunidades de Pesquisa Alguns Interesses de Pesquisas Futuras Visão da Computação Móvel O que é Computação

Leia mais

Comunicações de Dados

Comunicações de Dados IPCA Instituto Politécnico do Cávado e do Ave Escola Superior de Tecnologia Comunicações de Dados Apresentação da Aplicação: Grupo 2 Adélio Miranda Carlos Pereira Luís Barreto Estrutura da apresentação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

19 a 23 de Outubro de 29 ESTUDO DO COEFICIENTE b DA FUNÇÃO DO 2º GRAU UMA ABORDAGEM GRÁFICA Danilo Alves Pereira EVANGELISTA 1 ; Flávio BITTENCOURT 2 1 Aluno do curso Técnico em Informática e bolsista

Leia mais

Metodologia para Análise de Tráfego de Gerenciamento SNMP

Metodologia para Análise de Tráfego de Gerenciamento SNMP Metodologia para Análise de Tráfego de Gerenciamento SNMP Ewerton Monteiro Salvador Grupo de Redes de Computadores Instituto de Informática - UFRGS 26/06/2006 Grupo de Redes de Computadores 1 Agenda Introdução

Leia mais

Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação

Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação Simulação Computacional de Sistemas, ou simplesmente Simulação Utilização de métodos matemáticos & estatísticos em programas computacionais visando imitar o comportamento de algum processo do mundo real.

Leia mais

Como medir a velocidade da Internet?

Como medir a velocidade da Internet? Link Original: http://www.techtudo.com.br/artigos/noticia/2012/05/como-medir-velocidade-da-suainternet.html Como medir a velocidade da Internet? Pedro Pisa Para o TechTudo O Velocímetro TechTudo é uma

Leia mais

PLANOS DE INTERNET 3G SOB A ÓTICA DA MODELAGEM MATEMÁTICA

PLANOS DE INTERNET 3G SOB A ÓTICA DA MODELAGEM MATEMÁTICA PLANOS DE INTERNET 3G SOB A ÓTICA DA MODELAGEM MATEMÁTICA Carine Girardi Manfio Universidade Federal de Santa Maria carinemanfio@hotmail.com Cristiane Hahn Universidade Federal de Santa Maria crisfgh@yahoo.com.br

Leia mais

TRANSMITINDO CONHECIMENTO ON-LINE

TRANSMITINDO CONHECIMENTO ON-LINE TRANSMITINDO CONHECIMENTO ON-LINE POR MEIO WEB-RÁDIO E WEB-TV 1 BORGES, Caio C. A.; DEUS JÚNIOR, Getúlio A. de; CASTRO, Marcelo S. Escola de Engenharia Elétrica e de Computação, Universidade Federal de

Leia mais

Data de entrega: 07.abr.2015 Entregar exercício impresso Será descontado 2 pontos para cada dia de atraso

Data de entrega: 07.abr.2015 Entregar exercício impresso Será descontado 2 pontos para cada dia de atraso FACULDADE PITÁGORAS Curso Superior em Tecnologia: Redes de Computadores DESEMPENHO DE REDES Prof. Ulisses Cotta Cavalca EXERCÍCIOS Métricas e variáveis de redes Data de entrega:

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel BGAN Transmissão global de voz e dados em banda larga Banda larga para um planeta móvel Broadband Global Area Network (BGAN) O firm das distâncias O serviço da Rede Global de Banda Larga da Inmarsat (BGAN)

Leia mais

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos Desde Junho do ano 2000, trabalhamos muito e buscamos crescer, em nossa sede e em capital. Mas todo nosso crescimento só foi e é possível porque nunca deixamos de lado o desenvolvimento, o crescimento

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - QoS e Engenharia de Tráfego www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Em oposição ao paradigma best-effort (melhor esforço) da Internet, está crescendo

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco Universidade Federal de Pernambuco Graduação em Engenharia da Computação Centro de Informática A Influência do Pacing do QUIC em Sistemas DASH Aluno: Amintas Coelho Miranda Dutra [acmd@cin.ufpe.br] Orientador:

Leia mais

WEBRADIO Oficina de webradio

WEBRADIO Oficina de webradio Oficina de webradio 08 e 09 de junho de 2010 Semana de Comunicação - UNEB Conceição do Coité BA COMO FAZER? Existem duas formas mais conhecidas pra fazer isso, a transmissão síncrona e a assíncrona. PRECISAMOS...

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS TESTES DE ADERÊNCIA À NORMALIDADE KOLMOGOROV- SMIRNOV, ANDERSON-DARLING, CRAMER VON MISES E SHAPIRO-WILK POR SIMULAÇÃO

COMPARAÇÃO DOS TESTES DE ADERÊNCIA À NORMALIDADE KOLMOGOROV- SMIRNOV, ANDERSON-DARLING, CRAMER VON MISES E SHAPIRO-WILK POR SIMULAÇÃO COMPARAÇÃO DOS TESTES DE ADERÊNCIA À NORMALIDADE KOLMOGOROV SMIRNOV, ANDERSONDARLING, CRAMER VON MISES E SHAPIROWILK POR SIMULAÇÃO Vanessa Bielefeldt Leotti, Universidade Federal do Rio Grande do Sul,

Leia mais

Unidade Curricular Redes I Prof. Eduardo Maroñas Monks Roteiro de Laboratório Ethernet/Auto-negociação/Largura de Banda

Unidade Curricular Redes I Prof. Eduardo Maroñas Monks Roteiro de Laboratório Ethernet/Auto-negociação/Largura de Banda Unidade Curricular Redes I Prof. Eduardo Maroñas Monks Roteiro de Laboratório Ethernet/Auto-negociação/Largura de Banda Objetivos: Analisar o mecanismo de auto-negociação de conexão Ethernet. Analisar

Leia mais

ANÁLISE DE TRÁFEGO EM REDES MUNI-WI

ANÁLISE DE TRÁFEGO EM REDES MUNI-WI Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM ANÁLISE DE TRÁFEGO EM REDES MUNI-WI Aluno: Luís Alberto Moreira Matricula:

Leia mais

SOBREVIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE DE FÍGADO EM UM CENTRO MÉDICO DE CURITIBA

SOBREVIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE DE FÍGADO EM UM CENTRO MÉDICO DE CURITIBA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA CURSO DE ESTATÍSTICA Sheila Aparecida Matias Vanessa Mazurek SOBREVIDA DE PACIENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE DE FÍGADO

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

Avaliação da rede de computadores do Hospital Ibiapaba S/A através de monitoramento com o Software Lan Explorer

Avaliação da rede de computadores do Hospital Ibiapaba S/A através de monitoramento com o Software Lan Explorer Avaliação da rede de computadores do Hospital Ibiapaba S/A através de monitoramento com o Software Lan Explorer Rafael Armond Duque Estrada Galego, Prof. M. Sc. Luís Augusto Mattos Mendes (Orientador)

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Quando se projeta um sistema cuja utilização é destinada a ser feita em ambientes do mundo real, projeções devem ser feitas para que o sistema possa

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Sobre os autores Marjorie Roberta dos Santos Rosa Estudante de graduação do curso de Bacharelado em Informática Biomédica da Universidade Federal do Paraná

Leia mais

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Gabriel Ramos Guerreiro - DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza - DEs, UFSCar 1 3 Francisco Louzada-Neto - DEs, UFSCar 1 4 1. INTRODUÇÃO Segundo Cavalcanti

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 09 FACULDADE CAMÕES PORTARIA 4.059 PROGRAMA DE ADAPTAÇÃO DE DISCIPLINAS AO AMBIENTE ON-LINE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL DOCENTE: ANTONIO SIEMSEN MUNHOZ, MSC. ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: FEVEREIRO DE 2007. Internet,

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Previsão de vendas de materiais de construção civil na elaboração de planejamento estratégico

Previsão de vendas de materiais de construção civil na elaboração de planejamento estratégico Previsão de vendas de materiais de construção civil na elaboração de planejamento estratégico Natália da Silva Martins 1 2 Paulo Justiniano Ribeiro Junior 3 1 Introdução Atualmente, com a estabilização

Leia mais

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 A LEGO Education tem o prazer de trazer até você a edição para tablet do Software LEGO MINDSTORMS Education EV3 - um jeito divertido

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

Caso de sucesso. Impacto no Negócio. A Empresa

Caso de sucesso. Impacto no Negócio. A Empresa Escola disponibiliza acesso wireless de qualidade para alunos, funcionários e visitantes, e contribui para um aprendizado cada vez mais dinâmico. Com o objetivo de aperfeiçoar a iniciativa BYOD (Bring

Leia mais

Análise e Sumarização de dados do Kernel versão 3.12.2 e dados de logs da Copa de 98

Análise e Sumarização de dados do Kernel versão 3.12.2 e dados de logs da Copa de 98 Análise e Sumarização de dados do Kernel versão 3.12.2 e dados de logs da Copa de 98 Lucas Gonçalves Abreu 1, Mateus Gabriel Dias 1 1 Graduando em Ciência da Computação - Departamento de Computação Universidade

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes 1. Necessidades de Gerenciamento Por menor e mais simples que seja uma rede de computadores, precisa ser gerenciada, a fim de garantir, aos seus usuários,

Leia mais

Nota Técnica LIMC 2015/01

Nota Técnica LIMC 2015/01 Nota Técnica LIMC 2015/01 Estudo dos resultados do ENEM: o desempenho global dos estudantes concluintes na prova de Ciências da Natureza nos exames de 2009 a 2012 Marta Feijó Barroso UFRJ Instituto de

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes SOBRE A AUTORA Estudante de graduação do curso de Bacharelado em Informática Biomédica da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente participa do grupo

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e PING: Segmentação Interconexão Segurança Meios de acesso Organização e intercâmbio de informações

Leia mais

STUDY ABOUT INFLUENCE ON ACADEMIC PERFORMANCE OF STUDENTS USERS OF SOCIAL NETWORKS

STUDY ABOUT INFLUENCE ON ACADEMIC PERFORMANCE OF STUDENTS USERS OF SOCIAL NETWORKS STUDY ABOUT INFLUENCE ON ACADEMIC PERFORMANCE OF STUDENTS USERS OF SOCIAL NETWORKS Elton Rabelo (Instituto de Ensino Superior e Pesquisa INESP, MG, Brasil) - eltonneolandia@yahoo.com.br Thiago Magela Rodrigues

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais