Esclarecimentos aos questionamentos sobre a consulta pública do projeto GRP Minas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Esclarecimentos aos questionamentos sobre a consulta pública do projeto GRP Minas"

Transcrição

1 Esclarecimentos aos questionamentos sobre a consulta pública do projeto GRP Minas 1. Produtos. a. Não foram encontradas referencias aos artefatos de fábrica de software que devem ser entregues, somente referencias aos artefatos de gestão de projetos.quais artefatos de fabrica de software devem ser entregues na solução? R - Os artefatos de fábrica de software se encontram no Anexo II Processo de Desenvolvimento de Software, no Grupo Engenharia de Software. 2. Prazos: a. acreditamos que os primeiros resultados podem ser obtidos nos meses 9/10 a partir do início do projeto (dezembro de 2012 ou janeiro de 2013). Assim, sugerimos que seja avaliada a possibilidade de ajustar os prazos, de acordo com as datas sugeridas. R - Os prazos indicados correspondem a restrições desta Administração e não devem ser alterados. 3. Subcontratação: a. As empresas prestadoras de serviços de tecnologia da informação, normalmente não possuem dentro de seu quadro fixo de funcionários perfis com expertise suficiente nas áreas de planejamento, orçamento, contabilidade e finanças públicas. Considerando esta interpretação, consideramos que seria muito importante avaliar a possibilidade de permitir subcontratação para estes perfis. R - Conforme o item 3 Disposições Gerais, na página 9: Esta exigência não abrange recursos cujas responsabilidades sejam de consultores especialistas, contratados para assuntos específicos que se tornarem necessários durante o processo de desenvolvimento, desde que com a devida autorização da CONTRATANTE 4. Revisão da modelagem de processos de negócios para fins de implementação na ferramenta BPMS: a. Entendemos que a CONTRATADA receberá da CONTRATANTE, o mapeamento e desenho de todos os processos que compõem o alcance do sistema a ser desenvolvido, com um nível de detalhe suficiente para realizar sua implementação dentro da plataforma BPMS. Está correto nosso entendimento?

2 R - Está correto o entendimento. O exemplo do nível de detalhamento que será entregue para a CONTRATADA encontra-se no anexo IX - Modelagem_de_processos_Exemplo. Toda e qualquer necessidade e esforço para implementação dos processos na ferramenta BPMS será feita pela CONTRATADA. b. Caso a CONTRATADA considere e justifique que o detalhe dos processos disponibilizados não é suficiente para realizar a implementação, de quem será a responsabilidade de complementar até o nível de detalhe necessário? Da CONTRATADA ou da CONTRATANTE? Caso a responsabilidade recaia sobre a CONTRATADA este esforço extra será considerado como mudança de escopo, impactando assim no planejamento e orçamento? R - Todos os detalhamentos necessários relativos à adequação e implementação dos processos na ferramenta BPMS, no nível de detalhe que esta exigir, são de responsabilidade da CONTRATADA, conforme o item Assim, os esforços previstos nesta etapa não serão considerados como mudança de escopo. O nível de detalhamento dos processos é similar ao anexo IX Modelagem_de_processos_Exemplo. Quaisquer alterações e/ou revisões nos desenhos de processo serão feitas pela CONTRATANTE. c. No item do Termo de Referência é dito que a responsabilidade pelo desenho do processo é da CONTRATANTE, cabendo à CONTRATADA a criação do desenho físico na ferramenta BPMS definida e adotada no projeto. Assim, entendemos que: 9.1. Cabe à CONTRATADA indicar as adequações necessárias para a compatibilização dos processos com a Ferramenta BPMS, devendo a CONTRATANTE executar a análise crítica das adequações propostas e implementá-las, isto é, efetuar a revisão dos processos em si. R - Quaisquer alterações e/ou revisões nos desenhos de processo serão feitas pela CONTRATANTE. Porém toda e qualquer necessidade e esforço para implementação dos processos na ferramenta BPMS será feita pela CONTRATADA. d. A CONTRATANTE entregará os processos já em notação BPMS. R - A CONTRATANTE entregará os processos já em notação BPMN, na ferramenta Bizagi, para importação para a ferramenta BPMS. A

3 atividade de importação e adequações para a ferramenta BPMS é de responsabilidade da CONTRATADA. 5. Treinamento de usuários multiplicadores: a. Entendemos que todo o material gerado para realizar a capacitação presencial de usuários multiplicadores deverá ser disponibilizado através de uma plataforma de e-learning. Está correto nosso entendimento? R - Não está correto o entendimento. Conforme o item 5.3.7, existem outros tipos de material de treinamento: O Treinamento deverá considerar a diversidade de perfis, localização geográfica de usuários e quantidade de envolvidos, o que resultará em mais de um tipo de treinamento a ser adotado, ou seja: formação presencial de multiplicadores, e-learning e material para autoestudo. b. Sobre o treinamento de usuários multiplicadores (item 5.3.7), é dito que o Treinamento deverá considerar a diversidade de perfis, localização geográfica de usuários e quantidade de envolvidos, o que resultará em mais de um tipo de treinamento a ser adotado, ou seja: formação presencial de multiplicadores, e-learning e material para autoestudo. Em relação a este item, apresentamos os seguiuntes questionamentos: 6.1. A CONTRATANTE possui ferramenta de e-learning que possa ser usada no projeto? Caso possua, pedimos a indicação de nome e versão do produto. R Essa ferramenta será indicada na versão final do Edital Caso não possua, entendemos que a modalidade e-learning pode fazer uso de materiais gerados por ferramentas comuns de escritório (ex: MS Office), devendo esses materiais ser disponibilizados nos canais web já utilizados pela CONTRATANTE (ex: intranet). R A ferramenta de e-learning será indicada na versão final do Edital. 6. Local de trabalho. a. Todos os membros da equipe de trabalho devem executar suas tarefas na cidade de Belo Horizonte. Esta condição vale tanto para a equipe de gestão, como para a equipe de análise e desenvolvimento. Está correto nosso entendimento? R - O entendimento está parcialmente correto. As equipes gerencial e técnica deverão atuar nas dependências da CONTRATANTE, no entanto está prevista a possibilidade da CONTRATADA possuir uma equipe técnica complementar em local de sua escolha, conforme o item 14. Essa exigência baseia-se na necessidade de absorção tecnológica

4 do projeto pelos profissionais da PRODEMGE. Porém será possível estabelecer o tamanho das equipes local e externa (caso haja) durante a elaboração do plano do projeto após a assinatura do contrato. b. Não será possível, portanto, utilizar como apoio e complemento às tarefas de desenvolvimento serviços que podem ser realizados em fábrica de software instalada e localizada no Estado de Minas Gerais, mesmo considerando que esta alternativa de apoio geraria um ganho financeiro para a CONTRATANTE. Está correto nosso entendimento? R - O entendimento está incorreto. Será possível a utilização desta estrutura, porém apenas para uma equipe complementar. c. No item 14 do Termo de Referência, é dito que os serviços e produtos objetos da presente Termo de Referência serão prestados e desenvolvidos preferencialmente nas dependências da CONTRATANTE, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo de Almeida Neves ou em local definido por esta na cidade de Belo Horizonte, em dias úteis, durante o horário normal da jornada de trabalho, que compreende o período de 8:00 às 18:00 horas. Consideramos que é necessário, de fato, que parte da equipe esteja no cliente: consultores responsáveis pelo desenho funcional e técnico, equipe de gestão da mudança. Porém, o mesmo não é válido em relação à equipe de desenvolvimento de sistemas, pois não há necessidade que ela tenha contato direto com os usuários finais, técnicos da Prodemge, etc. Na verdade, em iniciativas dessa natureza, cabe aos consultores funcionais e técnicos estabelecerem a ponte entre os requisitos do cliente e o desenvolvimento em si, que pode ser feito remotamente. Além de não haver razão técnica que justifique a alocação em Belo Horizonte, a possibilidade de uso de fábricas de software fora da cidade trará mais economia à contratação, pois muitas empresas já possuem centros de desenvolvimento estruturados, preparados e disponíveis para atender projetos dessa natureza. Tais centros contam com processos já consolidados de trabalho remoto, operando com níveis de serviço pré-acordados com o cliente. Montar uma nova equipe de desenvolvedores em Belo Horizonte implica um custo alto para os fornecedores, que terá impacto direto sobre a precificação desse objeto. Pelos motivos aqui expostos, sugerimos que a obrigatoriedade de atuação em Belo Horizonte se restrinja à gestão do projeto, equipes de desenho funcional e técnico e equipe de gestão da mudança, podendo a equipe de desenvolvedores ser alocada em outra localidade, no Brasil ou no exterior.

5 R Vide resposta da letra a deste tópico. 7. Métrica a. Possibilidade de equivalência entre horas e pontos de função, com o objetivo de permitir a demonstração da capacidade técnica de empresas cujas referências estejam medidas em horas. R - Essa questão será avaliada. b. Em relação aos quantitativos solicitados para cada atestado, sugerimos que, além de pontos de função, a comprovação também possa ser feita em horas, já que diversos contratantes fazem suas estimativas com essa unidade de medida. R Essa questão será avaliada 8. Certificados a. Para ampliar competitividade sugerimos a inclusão da tecnologia SOA, tecnologia citada no Termo de Referência como integrante do processo de desenvolvimento do GRP. R - Essa questão será avaliada. b. Entendemos que um fornecedor com garantias deveria demonstrar capacidade de gestão em pontos de função em um único projeto. R - Entendemos que esta é uma exigência muito restritiva que poderia prejudicar a concorrência. c. Entendemos que o Termo de Referencia em questão, para contratação dos serviços do projeto, sem que se saiba qual a solução tecnologia a ser adotada, apresenta requisitos técnicos e funcionais que são tratados de formas diferentes de acordo com as diferentes soluções de BPMS do mercado. As soluções de mercado que preenchem os requisitos técnicos e funcionais daquele pregão limitam-se a um ou dois fornecedores que o atendem integralmente, e conhecidamente as ferramentas de maior custo. Diante da análise do supra citado pregão, e de posse da analise do Termo de Referencia em questão, nosso entendimento é que a Administração deveria reeditar o Termo de Referencia, após analisar as características da ferramenta escolhida no Pregão nº

6 , e envia-lo novamente para consulta publica, como faz agora R - O processo de definição das ferramentas ainda não está finalizado, em virtude do andamento das licitações. Na versão final do Edital constarão as ferramentas definidas. Será cobrada da empresa a experiência com tecnologia BPMS, mas não necessariamente com a ferramenta vencedora do pregão citado. d. Ressaltamos também que a exigência em caracter obrigatório e eliminatório de certificações de CMMI nível 3 ou similar, no nosso entendimento, é fator gerador de razões para impugnação do edital. Tendo em vista que, das empresas conhecidamente interessadas em participar dessa concorrência e que podem fornecer comprovação de capacidade técnica atestada pelo mercado, na sua quase totalidade, não possuem esse nível de certificação. Com essa exigência, mantida dessa forma, sugere-se facilmente características de direcionamento, fato que fere os preceitos previstos na lei de licitações. R - Conforme consulta em Junho de 2011, existe mais de 40 empresas certificadas em CMMI nível 3 ou MPS.BR nível C no Brasil, sem contar os níveis superiores, além de aceitarmos certificados similares. Devido ao porte e importância do projeto, a Administração Pública deve se cercar de um nível mínimo de qualidade para a execução dos serviços contratados. Em razão disso, a exigência do nível de maturidade no processo de desenvolvimento de software. e. O veto com relação a participação de consórcios, (pratica extremamente utilizada pelas entidades da Administração Publicas, quando se trata de projetos da grande escala e grande investimento como esse), ajuda a fortalecer essas características. R Existem várias empresas capazes de realizar todo o escopo do projeto sem necessidade de formação de consórcios. Devido ao porte e importância do projeto, a Administração Pública identificou que a gestão deste por uma única empresa é essencial devido as suas características. f. De acordo com o Termo de Referência, a qualificação técnica a ser exigida dos fornecedores compreenderá a apresentação de certificação CMMI nível 3 ou superior, ou certificação MPS.BR nível C ou superior, ou certificação similar e no mesmo nível destas. De fato, as certificações CMMI e MPS.BR atestam a qualidade dos processos de software do fornecedor. Porém, consideramos que o nível exigido das certificações não é compatível com o projeto a ser licitado, em função de sua complexidade e volume de pontos de função dimensionados para o desenvolvimento. Dessa forma, sugerimos que seja solicitado CMMI nível 5 e o nível análogo do MPS.BR.

7 Sobre esse item, é importante ressaltar que já existem mais de 10 empresas certificacadas CMMI nível 5. Portanto, a adoção desse critério de qualificação técnica não traz nenhum tipo de restrição à competitividade. R Como queremos garantir uma maior competitividade, bem como a qualidade do processo de software da contratada, estamos exigindo o nível 3 do CMMI ou nível C do MPS.BR ou outra certificação similar. g. Além da certificação quanto à qualidade dos processos de software das empresas, julgamos ser importante atestar a qualidade de gestão de serviços de TI e segurança. Para tanto, sugerimos que sejam exigidos os seguintes certificados: NBR-ISO IEC 20000: gestão de serviços de TI; ISO 9000: gestão de qualidade; NBR ISO IEC ou BS : segurança da informação. R Essa questão será avaliada. h. Em relação aos atestados de capacidade técnica, é solicitada a apresentação de atestados comprovando experiência em: Projetos de desenvolvimento de software, com utilização de suíte de Desenvolvimento padronizada para a Solução GRP Minas, devendo comprovar um somatório de, no mínimo, pontos de função efetivamente realizados e implantados; Projetos de desenvolvimento de software de porte compatível ao objeto e utilizando as práticas padronizadas para o Projeto GRP Minas, devendo comprovar um somatório de, no mínimo, pontos de função efetivamente realizados e implantados; Gostaríamos de solicitar que seja esclarecida a diferença entre suíte de desenvolvimento padronizada e práticas padronizadas. O primeiro termo diz respeito aos sistemas e o segundo à metodologia a ser utilizada? R Correto, sendo a suíte de desenvolvimento relacionada a Software Development Life Cicle (SDLC) Se assim for, solicitamos que sejam indicados o conjunto mínimo de itens da suíte de desenvolvimento que devem ser apresentados no atestado para que ele seja considerado válido. R Essa questão será avaliada i. Ainda em relação aos atestados, é solicitada a comprovação de experiência em projetos de desenvolvimento de software na área de planejamento, orçamento, contabilidade e finanças, para empresas do

8 setor público ou privado. Para esse item esse item, julgamos importante analisar se os fornecedores têm experiência com a implantação de escopo semelhante, isto é, sistemas ERP, abrangendo módulos de planejamento, orçamento,contabilidade, finanças e rotinas administrativas (ex: viagens) para empresas da administração direta ou indireta. R Essa questão será avaliada. j. Além dos atestados voltados ao core do objeto, consideramos relevante que também sejam exigidas comprovações de experiências nos seguintes temas: i. Gestão de projetos, dado que o item 6.1 do TR afirma que O PLANO DE PROJETO deverá ser elaborado pela CONTRATADA, baseado no PMBOK-2004 do PMI Project ii. Desenho, construção, testes e implantação de integrações entre sistemas transacionais (item do Termo de Referência). iii. Desenho, especificação, construção, testes, transformação e carregamento de dados para sistemas transacionais (item do Termo de Referência) iv. Acompanhamento de implantações de novos processos, sistemas e rotinas, envolvendo desenvolvimento e implantação de planos de comunicação e de treinamento (item do Termo de Referência). Considerando-se o tempo previsto para o projeto, a empresa deveria possuir, para todos os domínios apresentados, três anos de experiência comprovada, no mínimo. R Entendemos que o item i já está contemplado no segundo atestado do item 15 do TR, e as demais atividades já estão contempladas no CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Entendemos também que o tamanho dos sistemas exigidos nos atestados já comprovaria a experiência necessária para a execução do projeto. k. Por fim, de forma a analisar experiências semelhantes em complexidade, sugerimos que os atestados sejam de clientes com faturamento bruto anual igual ou superior a R$ 500 milhões R A Administração Pública não pode exigir tal atestado. 9. Profissionais a. Perfil nº 8 Líder de Testes Experiência no uso do processo de desenvolvimento de software da CONTRATADA, abrangendo todo o Ciclo de Desenvolvimento de Sistemas. Qualificação. Este profissional deverá possuir um das seguintes certificações. Sun Certified Java Programmer; ou

9 Oracle Certified Professional Java Programmer; ou Oracle Certified Master Developer, Entendemos que a experiência descrita para o perfil líder de testes limita-se a conhecimento em desenvolvimento de sistemas, abrangendo todo o Ciclo de Desenvolvimento de Sistemas. Está correto nosso entendimento? As Certificações exigidas para o perfil profissional não condiz às certificações existentes para a área de testes de softwares e sim para Desenvolvimento de Sistemas. Diante do exposto, solicitamos a substituições das certificações descritas no item acima para certificações utilizadas na área de Qualidade de Testes conforme descritas abaixo: CMST - Certified Manager of Software Testing; ou CSQA - Certified Software Quality Analyst; ou CMSQ - Certified Manager of Software Quality; ou CTAL - Certified Tester, Full Advanced Level; ou CBTS - Certificação Brasileira de Teste de Software. R - Essa questão será avaliada. b. Entendemos que a experiência exigida dos profissionais da contratada será analisada com base em seu Curriculum Vitae, exigindo a certificação da veracidade das informações por parte do profissional e que esta análise será realizada posteriormente ao certame licitatório e, como etapa prévia ao início do projeto. Está correto nosso entendimento? R - Está correto o seu entendimento. A comprovação dos perfis exigidos será realizada na assinatura do contrato. c. Solicitamos informarem o prazo para apresentação dos perfis profissionais exigidos no Termo de Referência, após a assinatura do contrato. R - A comprovação dos perfis exigidos será realizada na assinatura do contrato. Mas a alocação da equipe será realizada de acordo com o plano de projeto acordado entre as partes. d. Em relação à qualificação técnica dos profissionais da CONTRATADA, o Termo de Referência indica que as habilitações dos referidos profissionais serão avaliadas quando do início da efetiva prestação dos serviços.

10 Ocorre que, em função das características desse processo licitatório, especialmente no que diz respeito ao risco operacional que eventual insucesso impõe sobre a CONTRATANTE, consideramos relevante que a experiência dos profissionais seja critério de qualificação técnica dentro do processo licitatório, como proposto para a qualificação técnica da proponente. R - A comprovação dos perfis exigidos será realizada na assinatura do contrato. 10. Direitos sobre o Software a. O item 4 do Termo de Referência indica que uma vez concluídos e entregues todos os módulos previstos para a Etapa 1, a CONTRATADA irá adquirir o direito de livremente evoluir, modificar e customizar os módulos objeto deste Termo de Referência desenvolvidos em parceria com a CONTRATANTE, para comercialização, da forma que lhe convier, em qualquer outro Estado ou Município do País, excetuandoseas licenças de software proprietários utilizados na solução. Por sua vez, no item é dito que "o processo de desenvolvimento assim implantado e parametrizado na suíte de desenvolvimento (SDLC) da Solução GRP Minas passará a ser de uso livre e irrestrito da CONTRATANTE, da PRODEMGE, da SEF ou de qualquer outro órgão público para o qual os retrocitados tenham interesse em repassar, sem qualquer ônus adicional, devendo a CONTRATADA abdicar de todo e qualquer direito sobre este, não cabendo, portanto nenhuma exigência de exclusividade ou direitos de comercialização por parte da CONTRATADA". Pela análise das duas colocações, entendemos que: A CONTRATADA terá, de fato, o direito de livremente evoluir, modificar, customizar e comercializar os módulos objeto deste Termo de Referência. R - Está correto o seu entendimento. A CONTRATANTE poderá utilizar o software livremente (evoluir, modificar, customizar) somente no âmbito do Governo de Minas Gerais e não será permitida sua comercialização em quaisquer outras regiões do Brasil ou exterior. Favor confirmar os entendimentos apresentados.

11 R - Está correto o seu entendimento. Considerando a troca da expressão Governo de Minas Gerais para ESTADO de Minas Gerais. 11. Parâmetros de Precificação a. No Termo de Referência, é apresentada uma demanda estimada de pontos de função, mas não é dito se está prevista demanda mínima de consumo de PF. Entendemos que, se o governo explicitar essa demanda mínima no edital, ele irá diminuir o risco das empresas, o que reduz o preço final do processo. Em outras palavras, consideramos apropriado, para as duas partes, que a demanda mínima seja apresentada. Dado que se trata de um novo sistema, e não de manutenção de aplicativos existentes, assumimos que a demanda real não deva ser muito distinta do que foi estimado pelo governo e, assim, julgamos razoável que sejam definidos 80% de pontos de função como demanda garantida. R - Pelo texto abaixo, pode-se considerar uma demanda mínima de 75%: As variações encontradas e formalmente aceitas pelas partes através dos Termos de Aceite, serão objeto de contabilização e acerto final a ser realizado ao término do projeto, que deverá considerar os seguintes critérios: Caso haja variação de até 5% a mais ou a menos, entre a contagem estimada e a contagem efetiva dos Pontos de Função, a contabilização será homologada, não cabendo às partes qualquer redução ou acréscimo de valores a serem remunerados. Caso haja variação acima de 5%, limitado a 25%, a mais ou a menos, a contagem efetiva dos Pontos de Função será homologada, cabendo às partes a redução ou acréscimo dos valores correspondentes. b. Além da demanda mínima, outro item que consideramos relevante para precificação é a identificação sobre como serão tratados os pontos de função que ultrapassem o valor estimado pelo governo, para cada módulo a ser desenvolvido. A fim de facilitar a gestão de demandas do projeto, tendo em vista as incertezas naturais à estimativa de um projeto dessa grandeza, sugerimos que seja criado um banco de pontos de

12 função adicionais, que possa ser utilizado nesses casos, bem como em demandas de desenvolvimento que não sejam previstas originalmente. R A previsão quantitativa de pontos de função por módulo é apenas uma estimativa, a contratação é baseada no total de pontos de função estimado para a Etapa 1 do projeto. O pagamento se dará em cima dos pontos de função efetivamente realizados e aceitos durante o processo de desenvolvimento. O banco de pontos de função já está previsto. c. No item 24.1 do Termo de Referência, é dito que as variações encontradas e formalmente aceitas pelas partes através dos Termos de Aceite, serão objeto de contabilização e acerto final a ser realizado ao término do projeto. Considerando-se a extensão significativa do projeto e o fato de a CONTRATADA já ter que incorrer nos custos dos pontos de função adicionais no momento em que surgir a demanda, solicitamos que o acerto seja realizado ao término de cada módulo integrante do projeto. R Esta questão será avaliada. d. De acordo com o Termo de Referência, a CONTRATADA será responsável pela parametrização e incorporação da ferramenta definida para Gestão de Identidade e Acessos, pela parametrização e incorporação da solução de ECM e Portal e pela parametrização e incorporação das ferramentas definidas para BPMS, BRMS, ESB e BAM. Ocorre que, no documento, não é indicado como essas atividades serão precificadas, isto é, se devem ser incorporadas ao valor do ponto de função cheio ou se devem ser cotadas à parte, como foi feito, por exemplo, para as atividades de treinamento técnico e mentoring. R Estes não são serviços adicionais. Estas ferramentas compõem a solução tecnológica. Portanto essas atividades devem ser incorporadas ao valor do ponto de função cheio. e. Independente da forma de cotação, pedimos que sejam fornecidas mais informações sobre os sistemas (nome e versão dos produtos), de forma que os fornecedores possam estipular um valor mais preciso para as atividades demandadas no Termo de Referência. R - O processo de definição das ferramentas ainda não está finalizado em virtude do andamento das licitações. Na versão final do Edital constarão o nome e a versão das ferramentas definidas. 12. Sobre o barramento de integração:

13 a. Entendemos que toda solução tecnológica será provida pela CONTRATANTE (infraestrutura hardware e software). Está correto o entendimento? Quem será o responsável pela implementação deste barramento? R A instalação e configuração do barramento de integração serão de responsabilidade da PRODEMGE. A implementação dos serviços relativos ao projeto GRP no barramento será de responsabilidade da CONTRATADA. 13. Escopo de atuação a. No item 5.3.9, fica claro que, em relação à integração do GRP com sistemas legados, a CONTRATANTE e a PRODEMGE se responsabilizarão pelas alterações, adequações e construções afetas ao legado, enquanto a CONTRATADA se responsabilizará pelas construções e adequações afetas aos desenvolvimentos dos módulos contratados. Qual das partes será responsável pelo desenvolvimento do conector entre o legado e o GRP? Por desenvolvimento, entenda-se especificação funcional, especificação técnica, construção e testes. R - O que for afeto ao legado, será responsabilidade da CONTRATANTE e da PRODEMGE. O que for afeto à nova solução será responsabilidade da CONTRATADA. b. Pedimos que seja esclarecido a que se referem as Fases I, II e III mencionadas no item 12 do Termo de Referência, Material Disponível. R - Ver Anexo I Informações sobre o Projeto GRP Minas c. Sobre a participação dos profissionais da PRODEMGE (item 4), entendemos que terão papel fundamental em todo o processo de concepção e governança da solução, mas que em nenhum hipótese eles poderão ser aproveitados para execução de artefatos a ser gerados em qualquer parte do ciclo de desenvolvimento. Desta forma, a cotação de ponto de função cheio somente pode conter esforço da CONTRATADA. Está Correto entendimento? R Está correto o entendimento. d. Solicitamos detalhamento sobre a possibilidade de utilização de biometria como forma de acesso. Em caso de utilização, entendemos que a CONTRATANTE irá disponibilizar todos os conectores

14 necessários e irá configurar toda camada de integração (middleware). Está correto o entendimento? Não há previsão de uso de biometria na Etapa 1 do Projeto GRP. e. Entendemos que a CONTRATANTE fornecerá, a qualquer momento, toda documentação atualizada de todos os sistemas legados envolvidos no projeto. Está correto entendimento? Não está correto, A CONTRATANTE e a PRODEMGE disponibilizarão todas as documentações disponíveis referentes aos sistemas legados e acesso aos mesmos em ambiente de desenvolvimento, após a assinatura do contrato. Estas documentações não são completas e não há garantia de estarem atualizadas completamente. 14. Modalidade Licitatória a. Tendo em vista as características do objeto a ser licitado, apresentadas no Termo de Referência, acreditamos que a modalidade de licitação baseada apenas em avaliação de preço da solução final não é a mais recomendada para o projeto. Ocorre que, em serviços de natureza predominantemente intelectual como o caso do objeto do presente certame, não se pode dispensar o tipo técnica e preço. R Esta questão será avaliada.

Ref: Edital da Concorrência nº. 01/2009. termos do edital, pelas razões a seguir: 1º PEDIDO DE ESCLARECIMENTO:

Ref: Edital da Concorrência nº. 01/2009. termos do edital, pelas razões a seguir: 1º PEDIDO DE ESCLARECIMENTO: Ref: Edital da Concorrência nº. 01/2009 Empresa interessada no certame solicitou PEDIDO DE ESCLLARECI IMENTTO,, aos termos do edital, pelas razões a seguir: 1º PEDIDO DE ESCLARECIMENTO: 1) Com relação

Leia mais

GRP MINAS ETAPA 1 Termo de Referência para Contratação de empresa para prestação de serviços de desenvolvimento de software

GRP MINAS ETAPA 1 Termo de Referência para Contratação de empresa para prestação de serviços de desenvolvimento de software GRP MINAS ETAPA 1 Termo de Referência para Contratação de empresa para prestação de serviços de desenvolvimento de software OUTUBRO/2011 Versão 1.0 GRP MINAS ETAPA 1 Termo de Referência 1 CONTEÚDO 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA Referência: CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 - BNDES Data: / / Licitante: CNPJ:

Leia mais

SECRETARIA DA FAZENDA SUPERVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E TECNOLOGIA

SECRETARIA DA FAZENDA SUPERVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E TECNOLOGIA LICITAÇÃO PÚBLICA INTERNACIONAL - LPI N 0 001/CELIC/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N 0 0122073-14.00/12-0 RESPOSTAS DO CONTRATANTE Respostas aos questionamentos enviados pela empresa STEFANINI ASSESSORIA

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº. 004/2014. Respostas às Dúvidas e Sugestões

AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº. 004/2014. Respostas às Dúvidas e Sugestões AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº. 004/2014 Respostas às Dúvidas e Sugestões Referência: Considerações apresentadas pela empresa xxx 1) Questões do Lote 01: 1.1 - Dúvidas 1.1.1 - Haja vista a lista apresentada no Catálogo

Leia mais

Consulta Pública Contratação de Serviços de TI STI - Superintendência de Tecnologia da Informação

Consulta Pública Contratação de Serviços de TI STI - Superintendência de Tecnologia da Informação Consulta Pública Contratação de Serviços de TI STI - Superintendência de Tecnologia da Informação Diretoria de Soluções Tecnológicas Superintendência de Tecnologia da Informação Objeto Objeto: Prestação

Leia mais

SEÇÃO V SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01. Especificação de Perfis Profissionais

SEÇÃO V SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01. Especificação de Perfis Profissionais SEÇÃO V SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 Especificação de Perfis Profissionais SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 1 CONTEÚDO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. EQUIPE GERENCIAL E

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Nº 02430/2008 Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD CONCORRÊNCIA PÚBLICA INTERNACIONAL Contratação de empresa especializada em tecnologia da informação para o desenvolvimento de Sistema Nacional de

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

MONTREAL / RIO DE JANEIRO

MONTREAL / RIO DE JANEIRO QUESTIONAMENTOS CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 001/14 MONTREAL / RIO DE JANEIRO 1 Quanto às certificações solicitadas nos itens 2.3, 2.4, e 2.5 da página 136 do Edital, perguntamos: Dado que a Norma ABNT NBR

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS COORDENADORIA SETORIAL DE GESTÃO DA INFORMÁTICA E INFORMAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS COORDENADORIA SETORIAL DE GESTÃO DA INFORMÁTICA E INFORMAÇÃO RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS DA UNITECH 1) No item 5.2 dos critérios de qualidade, entendemos que não será aceita declaração, desacompanhada do certificado de qualidade. É correto o nosso entendimento?

Leia mais

PREGÃO Nº 28/2010 PERGUNTAS E RESPOSTAS

PREGÃO Nº 28/2010 PERGUNTAS E RESPOSTAS Pergunta 1 Qual o valor estimado para a contratação? PREGÃO Nº 28/2010 PERGUNTAS E RESPOSTAS Resposta 1 O valor estimado consta do respectivo processo licitatório, que poderá ser consultado no endereço

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

Comissão Especial de Licitação Concorrência nº 397/2010 Verificador Independente RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011

Comissão Especial de Licitação Concorrência nº 397/2010 Verificador Independente RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011 RESPOSTA AOS QUESTIONAMENTOS REALIZADOS EM 08/02/2011 EDITAL DE LICITAÇÃO 1. É dito no item 9.6.3 que os atestados de capacitação técnica a que se refere o item 9.6.1 (I a III) deverão ser fornecidos por

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 016/2008 Anexo II 1 DO OBJETO 1.1 - Prestação de serviços de suporte técnico assistido

Leia mais

ERRATA Nº. 01 CONVITE 18/2008. A Comissão Permanente de Licitação informa alteração no referente Convite:

ERRATA Nº. 01 CONVITE 18/2008. A Comissão Permanente de Licitação informa alteração no referente Convite: 01/07/2008 ERRATA Nº. 01 CONVITE 18/2008 A Comissão Permanente de Licitação informa alteração no referente Convite: A data de abertura foi transferida para o dia 18/07/2008, às 14 horas; o prazo para realização

Leia mais

Pregão Eletrônico 51/12 1. SOFTWARE ONE: Questionamento 1 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 2 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 3 - Duvida: RESPOSTA

Pregão Eletrônico 51/12 1. SOFTWARE ONE: Questionamento 1 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 2 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 3 - Duvida: RESPOSTA Disponibilizamos, para o conhecimento das interessadas, a resposta da área técnica deste TRT, acerca dos questionamentos aos termos do Edital do Pregão Eletrônico 51/12, formulados pelas seguintes empresas:

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Ofício nº 077/2005/CPL/SAA/SE/MEC Brasília, 04 de maio de 2005. Aos interessados REFERÊNCIA: Concorrência

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL EDITAL 239/2009/DNIT 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS

PREGÃO PRESENCIAL EDITAL 239/2009/DNIT 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS PREGÃO PRESENCIAL EDITAL 239/2009/DNIT 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS 1ª PERGUNTA: Pelo que entendemos no edital o sistema será implantado em cada unidade do DNIT, com banco de dados descentralizados

Leia mais

------------------------------------------

------------------------------------------ Respostas aos questionamentos: EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 16/2010 9. DA HABILITAÇÃO e 15. DO PRAZO DE ENTREGA, RECEBIMENTO E DAS ESPECIFICAÇÕES DOS MATERIAIS/SERVIÇOS Subitens: 9.4.2 e 15.1 No subitem

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Questão: Entendemos que apenas um atestado atende as duas solicitações. Está correto nosso entendimento?

Questão: Entendemos que apenas um atestado atende as duas solicitações. Está correto nosso entendimento? ILMA. SRA. PREGOEIRA DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE RECURSOS LOGÍSTICOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2009

Leia mais

ESCLARECIMENTO nº 01

ESCLARECIMENTO nº 01 ESCLARECIMENTO nº 01 PROCESSO Nº 149/2010 PREGÃO PRESENCIAL Nº 004/2010 Segue esclarecimento formulado por licitante e a respectiva resposta, com base na informação prestada pela área gestora (DETIN):

Leia mais

Nº Questionamento na íntegra Resposta

Nº Questionamento na íntegra Resposta Ref.: LPI 001/2014 - Fábrica de Software Respostas aos questionamentos Nº Questionamento na íntegra Resposta 1 No Edital em questão, no item 6.1 d Não serão aceitas joint venture, Seção VIII - Condições

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento Referência: Pregão Eletrônico n. 45/2014 Data: 06/3/2015 Objeto: Registro de Preços para fornecimento de equipamentos, componentes de solução de rede local, incluindo instalação

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP SERVIÇOS DE CONSULTORIA EIXO TEMÁCO: GOVERNANÇA DE Implantação de Metodologia de Elaborar e implantar uma metodologia de gerenciamento de projetos no órgão solicitante, com a finalidade de inserir as melhores

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS Esclarecimento I PERGUNTA 1: PREGÃO ELETRÔNICO Nº 2013/023 ESCLARECIMENTOS 7.5.3. documentação técnica do fabricante dos componentes cotados, incluindo partes de manuais e catálogos, que comprovem o atendimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA Parecer.DIN 115/07 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA PROCESSO: ELC 07/00634860 UNIDADE GESTORA: RESPONSÁVEL: ASSUNTO: CELESC DISTRIBUIÇÃO S.A. EDUARDO PINHO MOREIRA Contratação de empresa

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para executar serviços de manutenção evolutiva, corretiva, adaptativa e normativa

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS

CATÁLOGO DE SERVIÇOS Partner MASTER RESELLER CATÁLOGO DE SERVIÇOS SUPORTE TÉCNICO in1.com.br Explore Mundo! seu Conteúdo 1 - Objetivo 2 - Serviços prestados por meio do contrato de manutenção e suporte anual 2.1 - Primeira

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

Diretrizes Propostas para Aplicação da APF em Programa Envolvendo Tecnologias Recentes Tais como Barramento, BPMS e Portal

Diretrizes Propostas para Aplicação da APF em Programa Envolvendo Tecnologias Recentes Tais como Barramento, BPMS e Portal Diretrizes Propostas para Aplicação da APF em Programa Envolvendo Tecnologias Recentes Tais como Barramento, BPMS e Portal Ricardo Gaspar, CFPS (21) 2172-8078 ricardo.gaspar@bndes.gov.br 29 de Novembro

Leia mais

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE Proposta Técnica Desenvolvimento de software CONTEÚDO Resumo Executivo...3 1.1 Duração e Datas Especiais... 3 1.2 Fatores Críticos de Sucesso... 3 A Hi Level...3 Solução Proposta...4 1.3 Escopo... 4 1.4

Leia mais

Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD

Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD Diretrizes Complementares para Aplicação da Análise de Pontos de Função no PAD Ricardo Gaspar (21) 2172-8078 ricardo.gaspar@bndes.gov.br 10 de Junho de 2013 Agenda Contextualização Diretrizes de Contagem

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE DO LICENCIAMENTO ATLASSIAN JIRA Outubro de 2013 1 1 OBJETO Prestação de Serviço de Manutenção da licença

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS 1. Dúvidas Gerais Pergunta: Os processos e metodologias de avaliação de riscos do Banco estão definidos e implantados?

Leia mais

CONCORRÊNCIA Nº 06/2015 PERGUNTAS E RESPOSTAS

CONCORRÊNCIA Nº 06/2015 PERGUNTAS E RESPOSTAS CONCORRÊNCIA Nº 06/2015 PERGUNTAS E RESPOSTAS Pergunta 1: Com relação a qualificação econômico-financeira, o item 3.8.3.2 requer um capital social integralizado não inferior a R$ 800.000,00. Esse valor

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL 05/2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL 05/2014 PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL 05/2014 Atualizado em 10/11/2014 Esta nota tem o objetivo de esclarecer as instituições que pretendam apresentar propostas de projetos ao Edital 05/2014. 1. No que se refere

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 2 Referência: Pregão Eletrônico n. 61/2008 Data: 17/12/2008 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de solução informatizada e integrada para o acompanhamento

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES Prezado Senhor, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Item 1.1.2 - Onde podemos encontrar os procedimentos,

Leia mais

ANEXO III DO EDITAL FAO 001/2008 CRITÉRIOS E PARÂMETROS DE PONTUAÇÃO TÉCNICA

ANEXO III DO EDITAL FAO 001/2008 CRITÉRIOS E PARÂMETROS DE PONTUAÇÃO TÉCNICA ANEXO III DO EDITAL FAO 001/2008 CRITÉRIOS E PARÂMETROS DE PONTUAÇÃO TÉCNICA 1. FATOR DESEMPENHO A nota técnica deste quesito será atribuída à licitante que possuir melhor desempenho na prestação de serviços

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 052/2010 Data: 19/11/2010 Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de atendimento remoto e presencial a usuários de tecnologia

Leia mais

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas Gerenciamento do Tráfego de Internet Edital de Licitação PREGÃO PRESENCIAL Nº 34/2010 Processo SAP nº 4180/2010 Perguntas e Respostas Página 1 /15 Pergunta n o 1: Os dispositivos de filtro de conteúdo

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN O que é o GVN Parceiro: O GVN Parceiro é uma modalidade de parceria de negócios criada pelo Grupo Vila Nova para ampliar sua capilaridade de oferta e garantir que

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP/MS DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE EQUIPAMENTOS MÉDICOS E TECNOLOGIAS PARA A SAÚDE INOVA SAÚDE EQUIPAMENTOS MÉDICOS - 02/2013 Modelo de Plano

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

.Desenvolvimento de Sistemas

.Desenvolvimento de Sistemas .Quem Somos A BS é uma empresa brasileira e referência em soluções inovadoras, flexíveis e customizadas em tecnologia da informação, consultoria e outsourcing. A BS oferece soluções inteligentes proporcionando

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Título do Projeto Fortalecimento do Controle de Precursores Químicos

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Título do Projeto Fortalecimento do Controle de Precursores Químicos Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD TERMO DE REFERÊNCIA 1. Título do Projeto Fortalecimento do Controle de Precursores Químicos 2. Número do Projeto UNODC/AD/BRA/98/D33 3. Objetivo Contratação

Leia mais

Esclarecimento: As versões dos navegadores a serem utilizadas pelo PSIM estão descrito no item 2.4.1.12 do projeto básico.

Esclarecimento: As versões dos navegadores a serem utilizadas pelo PSIM estão descrito no item 2.4.1.12 do projeto básico. 1 Dúvida: Por favor, nos explique alguns casos tipicos de uso para o monitoramento central? Esclarecimento: Recepção e tratamento de eventos provenientes da central de alarme, validação de ocorrências

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa.

Termo de Referência. Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. Termo de Referência Aquisição de Solução de Gerenciamento de Impressão para plataforma baixa. CGAD/COAR - Gerenciamento de Impressão Plataforma Baixa / RQ DSAO nº xxx/2009 1/8 Termo de Referência Aquisição

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 30/2009 BNDES ANEXO IX MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS

PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 30/2009 BNDES ANEXO IX MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 30/2009 BNDES ANEXO IX MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE PERTENCER AO QUADRO DE PARCEIROS OU DISTRIBUIDORES DO FABRICANTE DO APLICATIVO Licitante: CNPJ:

Leia mais

Serviço HP IMC EAD Implementation

Serviço HP IMC EAD Implementation Serviço HP IMC EAD Implementation Dados técnicos O serviço HP IMC EAD Implementation tem o objetivo de fornecer a personalização do módulo Endpoint Admission Defense de acordo com as necessidades do Cliente

Leia mais

Fundada em 2005, a Cedro tem como objetivo transformar o mundo através de pessoas e tecnologias, com atuação global e sustentável.

Fundada em 2005, a Cedro tem como objetivo transformar o mundo através de pessoas e tecnologias, com atuação global e sustentável. Resumo Executivo Fundada em 2005, a Cedro tem como objetivo transformar o mundo através de pessoas e tecnologias, com atuação global e sustentável. Hoje a Cedro conta com mais de 100 Cedrenses (como são

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO

CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015. Objeto: TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO CONSULTA PÚBLICA Nº 002/2015 TI SECURE WEB GATEWAY, SERVIÇO DE INSTALAÇÃO E TREINAMENTO ESCLARECIMENTOS AOS QUESTIONAMENTOS APRESENTADOS PELAS EMPRESAS INTERESSADAS País: BRASIL Nome do Projeto: PLANO

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux.

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Ata de Registro de Preços para Subscrição de Software Sistema Operacional da Plataforma Linux. DIT/GIS TR ARP Licenças de Software Sistema Operacional Linux.doc 1/ 6 TERMO DE

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TERMO DE REFERÊNCIA Anexo I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DISTRIBUIÇÃO, LICENCIAMENTO, ATUALIZAÇÃO E TREINAMENTO DE PRODUTOS MICROSOFT. 1 1 - OBJETO Registro de Preços para contratação

Leia mais

TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR

TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL TERCEIRA ATA DE DIVULGAÇÃO DE RESPOSTAS AOS QUESTIONAMENTOS FORMULADOS POR EMPRESA INTERESSADA NA CONCORRÊNCIA Nº 1/2014 DA SAC/PR Objeto da Concorrência

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 01/2014

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 01/2014 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 01/2014 Objeto: Contratação de empresa para prestação de serviços para desenvolvimento de projeto, sustentação, serviço e documentação de sistemas de informação, na modalidade Fábrica

Leia mais

ANEXO V CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO

ANEXO V CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC Nº 008/2008 1 1- PLANILHA DE PONTUAÇÃO TÉCNICA FATOR QUALIDADE ANEXO V CRITÉRIOS DE PONTUAÇÃO Item Descrição Peso 2 1.1 A licitante será pontuada pela comprovação de parceria com

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 03/2010 - BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: FATORES DE PONTUAÇÃO TÉCNICA

CONCORRÊNCIA AA Nº 03/2010 - BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: FATORES DE PONTUAÇÃO TÉCNICA CONCORRÊNCIA AA Nº 03/2010 - BNDES ANEXO III PROJETO BÁSICO: FATORES DE PONTUAÇÃO TÉCNICA 1. INTRODUÇÃO Em virtude da intelectualidade manifesta dos serviços a serem licitados será adotado o tipo de licitação

Leia mais

Modelo de Parceria. GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento

Modelo de Parceria. GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento Modelo de Parceria GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento Modelo Proposto Fábrica Código Fonte (correção / Evolução) Documentação, casos de uso e testes Treinamento / Capacitação ao

Leia mais

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido

2.2 - Prestação de Serviços de Suporte Técnico Assistido Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 010/2011 1 DO OBJETO 1.1 - Contratação de empresa para o fornecimento de licenças de uso de software SAP, BusinessObjects Enterprise - BOE, com manutenção

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 235/2013

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 235/2013 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 235/2013 NOME DA INSTITUIÇÃO: Stefanini Consultoria e Assessoria em Informática S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO:

Leia mais

RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME.

RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME. RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME. Brasília, 10 de fevereiro de 2010. Pregão n 062/2009 Lote 1: Lote 2: Operação, Gerenciamento de Redes, Servidores, Storage & Archive,

Leia mais

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006

ISO/IEC 20000:2005. Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 ISO/IEC 20000:2005 Introdução da Norma ISO/IEC 20000 no Mercado Brasileiro Versão 1.1, 15.09.2006 André Jacobucci andre.jacobucci@ilumna.com +55 11 5087 8829 www.ilumna.com Objetivos desta Apresentação

Leia mais

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Referência: Processo n.º 0.00.002.001198/2014-32 Edital do Pregão Eletrônico nº 43/2014 Contratação de serviços técnicos continuados de operação do sistema de automação, remanejamento e instalação de equipamentos

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO. EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 001/2012 SGG/Gabinete do Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo

NOTA DE ESCLARECIMENTO. EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 001/2012 SGG/Gabinete do Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo NOTA DE ESCLARECIMENTO EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 001/2012 SGG/Gabinete do Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo 1. Tendo em vista as características do projeto objeto desta licitação e

Leia mais

www.mpl.com.br C o n t a b i l i d a d e C o n t a s a P a g a r C o n t a s a R e c e b e r O r ç a m e n t o

www.mpl.com.br C o n t a b i l i d a d e C o n t a s a P a g a r C o n t a s a R e c e b e r O r ç a m e n t o A MPL Corporate Software, em parceria com a Oracle e a Amazon WebServices(AWS),lançouasolução ERPOracleInTheCloud,uma implantação SaaS (Software as a Service) do JD Edwards EnterpriseOne. A solução compreende

Leia mais

Por meio deste, aditamos o seguinte: ( 01 ) Ficam retiradas do Edital as seguintes exigências:

Por meio deste, aditamos o seguinte: ( 01 ) Ficam retiradas do Edital as seguintes exigências: Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 12/08117 Objeto Data 19/12/2012 ADM. CENTRAL - Aquisição de appliance de Data Warehouse e licença de uso de uma solução de ETL, licença de uso de uma solução de BI

Leia mais

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26.

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26. 1 Dúvida: Diretoria de Apoio aos Negócios e Operações Referente aos itens: item 1.3.3.3., item 2.24, item 2.24.2. Entendemos que todos os PROPONENTES deveriam ofertar apenas toners originais do fabricante

Leia mais

Projeto Básico para Contratação de empresa para prestação de serviço especializado de desenvolvimento de sistemas

Projeto Básico para Contratação de empresa para prestação de serviço especializado de desenvolvimento de sistemas ANEXO I SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 Projeto Básico para Contratação de empresa para prestação de serviço especializado de desenvolvimento de sistemas SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

Leia mais

ANEXO 09 PERFIS PROFISSIONAIS MÍNIMOS

ANEXO 09 PERFIS PROFISSIONAIS MÍNIMOS ANEXO 09 PERFIS PROFISSIONAIS MÍNIMOS As qualificações técnicas exigidas para os profissionais que executarão os serviços contratados deverão ser comprovados por meio dos diplomas, certificados, registros

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO... 2 2. JUSTIFICATIVA... 2 3. OBJETIVO GERAL... 3 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 5 DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA... 4 6 PRODUTOS E SERVIÇOS... 4 6.1 RELATÓRIO DE SITUAÇÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

Compras de Software do Governo. eduardo.santos@planejamento.gov.br www.softwarepublico.gov.br

Compras de Software do Governo. eduardo.santos@planejamento.gov.br www.softwarepublico.gov.br Compras de Software do Governo eduardo.santos@planejamento.gov.br www.softwarepublico.gov.br Modelos de Negócios O que você vende? Qual é o modelo de negócios da sua empresa? Quanto você está faturando?

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação Gestão da Tecnologia da Informação A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores

Leia mais

CONTRATO DE CONCESSÃO [ ]/2013 EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL [ ]/2013

CONTRATO DE CONCESSÃO [ ]/2013 EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL [ ]/2013 CONTRATO DE CONCESSÃO [ ]/2013 EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL [ ]/2013 CONCESSÃO ADMINISTRATIVA PARA DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO, OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E GERENCIAMENTO DA SOLUÇÃO GRP DO MUNICÍPIO

Leia mais

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14:

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Questionamento 1: 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMCAS No que diz respeito ao subitem 2.1.2, temos a seguinte

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

PREGÃO N. 2014/47 ESCLARECIMENTOS. Tendo em vista as perguntas realizadas por empresas participantes da licitação, informamos:

PREGÃO N. 2014/47 ESCLARECIMENTOS. Tendo em vista as perguntas realizadas por empresas participantes da licitação, informamos: PREGÃO N. 2014/47 ESCLARECIMENTOS Tendo em vista as perguntas realizadas por empresas participantes da licitação, informamos: 1) No item 10.3.2 Documentação De Qualificação Econômico-Financeira, não é

Leia mais

- CGRL/LICITACAO. Prezado licitante;

- CGRL/LICITACAO. Prezado licitante; - CGRL/LICITACAO De: - CGRL/LICITACAO Enviado em: sexta-feira, 20 de janeiro de 2012 15:11 Para: 'Paula Daniela França' Assunto: ENC: MDIC - PE402011 - Solicitação de Esclarecimento - Edital - Item 15

Leia mais

Hospedagem Virtualizada

Hospedagem Virtualizada Conheça também Desenvolvimento de sistemas Soluções de Segurança Soluções com o DNA da Administração Pública Há 43 anos no mercado, a Prodesp tem um profundo conhecimento da administração pública e também

Leia mais

www.mpl.com.br ERPOracleInTheCloud.

www.mpl.com.br ERPOracleInTheCloud. A MPL Corporate Software, em parceria com a Oracle e a Amazon WebServices(AWS),lançouasolução ERPOracleInTheCloud,uma implantação SaaS (Software as a Service) do JD Edwards EnterpriseOne. A solução compreende

Leia mais

Termo de Referência. Prestação de Serviços de Treinamento na área de Gerenciamento de Projetos

Termo de Referência. Prestação de Serviços de Treinamento na área de Gerenciamento de Projetos Termo de Referência Prestação de Serviços de Treinamento na área de Gerenciamento de Projetos Maio/2012 Índice 1. OBJETO... 3 2. ESCOPO... 3 3. PRAZO... 7 4. LOCAL DE TREINAMENTO... 7 5. HORÁRIO DE TREINAMENTO...

Leia mais

4º Seminário REDEPRO. Julho 2006

4º Seminário REDEPRO. Julho 2006 4º Seminário REDEPRO Julho 2006 Um modelo para a gestão da contratação de serviços A terceirização na Área Pública A partir do Decreto Lei 200/67 está prevista a contratação de serviços na Área Pública

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO 1.1. O objetivo deste Termo de Referência é disponibilizar aos interessados em atender a solicitação de propostas da PPP ESPLANADA SUSTENTÁVEL

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Varejo e-commerce A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic

Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic CUSTOMER SUCCESS STORY Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Companhia: Globalweb Outsourcing Empregados: 600 EMPRESA A Globalweb

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08

CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08 CONSULTA PÚBLICA AA 01/2014 BNDES QUESTIONAMENTO 08 Questionamento 08.1: 1) Considerando que o item 13.1.11. do Anexo I dispõe sobre a possibilidade de fiscalização nos serviços executados. (i) A proponente

Leia mais

PERGUNTA: [...] 1. Entendemos que a abrangência do trabalho deve considerar os seguintes órgãos do MEC:

PERGUNTA: [...] 1. Entendemos que a abrangência do trabalho deve considerar os seguintes órgãos do MEC: ESCLARECIMENTO II AOS INTERESSADOS. Brasília, 24 de outubro de 2008. REFERÊNCIA: PREGÃO 45/2008 Proc. nº: 23000.011534/2008-22 ASSUNTO: Respostas aos Questionamentos. Prezados Senhores interessados, Em

Leia mais

Edital Porto de Imbituba S.A.

Edital Porto de Imbituba S.A. Edital Porto de Imbituba S.A. Análise do Anexo I Termo de Referência Itens: 2.3.1.2 - Identificar as parametrizações necessárias para atender as especificidades da CONTRATANTE, observado o escopo da contratação;

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA/PLANILHA DE AVALIAÇÃO (com Alteração 01)

PROPOSTA TÉCNICA/PLANILHA DE AVALIAÇÃO (com Alteração 01) CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC Nº 001/2010 ANEXO II 1 PROPOSTA TÉCNICA/PLANILHA DE AVALIAÇÃO (com Alteração 01) I - Atestados, certidões e comprovantes I.1 Todos os documentos, atestados e certificados deverão

Leia mais