REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS"

Transcrição

1 Junho/2016. REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Versão: 01 Revisada: Compliance Aprovação: Mario Celso Coutinho de Souza Dias Presidente 30/06/2016

2 Em atendimento ao disposto no art. 19 da ICVM 558, que dispõe sobre o exercício profissional de administração de carteiras de valores mobiliários, a seguir estão descritas as diretrizes estabelecidas pela SENSO para o atendimento às normas vigentes, que foram extraídas da Política de Gerenciamento do Sistema de Controles Internos e complementadas com as aplicáveis à Gestão de Recursos. 1 APRESENTAÇÃO O Banco Central do Brasil através da Resolução nº 2.554, editada em 24 de setembro de 1998 e, posteriormente, alterada pela Resolução nº 3.056, de 19 de dezembro de 2002, determinou que as instituições financeiras e demais instituições autorizadas por ele a funcionar implantem e implementem controles internos efetivos voltados para as suas atividades, seus sistemas de informações financeiras, operacionais e gerenciais, assim como, para o cumprimento das normas legais e regulamentares aplicáveis. Nesse cenário, a Política de Gerenciamento do Sistema de Controles Internos da SENSO foi criado com o objetivo de consolidar e formalizar o compromisso com as melhores práticas de governança corporativa, gestão de capital, riscos e de prevenção e combate aos crimes de lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo e demais ilícitos, pautando suas operações, negócios e prestação de serviços nos princípios éticos, na transparência e no respeito aos clientes. A presente política consolida as regras, procedimentos e descrição dos controles internos planejados e implementados para auxiliar a SENSO na consecução dos objetivos e metas traçados pela administração da Corretora e na prestação de serviços com qualidade, tendo sido planejados para assegurar a conformidade à regulamentação vigente, serem efetivos e consistentes com a natureza complexidade e risco das operações, produtos e serviços prestados. 2 DEFINIÇÕES BÁSICAS E FINALIDADE DOS CONTROLES INTERNOS A SENSO adotará a definição de controles internos do COSO (The Comitee of Sponsoring Organizations Comitê das Organizações Patrocinadoras é uma entidade sem fins lucrativos, dedicada à melhoria dos relatórios financeiros através da ética, efetividade dos controles internos e governança corporativa): Controle Interno é um processo, desenvolvido para garantir, com razoável certeza, que sejam atingidos os objetivos da empresa, nas seguintes categorias:

3 Eficiência e efetividade operacional ( objetivos de desempenho ou estratégia ): esta categoria está relacionada com os objetivos básicos da entidade, inclusive com os objetivos e metas de desempenho e rentabilidade, bem como da segurança e qualidade dos ativos; Confiança nos registros contábeis / financeiros ( objetivos de informação ): todas as transações devem ser registradas, todos os registros devem refletir transações reais, consignadas pelos valores e enquadramentos corretos; Conformidade ( objetivos de conformidade ) com leis e normativos aplicáveis à entidade e sua área de atuação. 3 OBJETIVO O Sistema de Controles Internos é um elemento fundamental para a SENSO e contempla políticas institucionais, normas e controles internos para as operações, negócios e atividades que possam expor a Corretora a riscos, que garantam além do registro adequado, o controle eficiente, o monitoramento permanente e o fornecimento de informações gerenciais tempestivas; a eficiência e efetividade operacional, a confiabilidade nos registros contábeis e financeiros e a conformidade com as normas externas, emanadas dos órgãos reguladores e fiscalizadores, bem como, com as internas, emanadas da administração. O Sistema de Controles Internos foi planejado para: ser acessível a todos os Diretores, funcionários e colaboradores; assegurar que cada elemento da estrutura organizacional conheça sua função no processo de controle e suas respectivas atribuições e responsabilidades; evitar o conflito de interesses, através da prática da segregação das atividades e funções; identificar, avaliar e monitorar fatores internos e externos que possam afetar adversamente a consecução dos objetivos e metas traçados pela SENSO; assegurar aos funcionários, através de canais de comunicação, o acesso a confiáveis, tempestivas e compreensíveis informações que sejam relevantes para a execução de suas tarefas e responsabilidades; permitir a avaliação continua da exposição aos diversos riscos associados às atividades, operações e aos negócios da SENSO, estabelecendo controles de prevenção e combate aos crimes de lavagem de dinheiro, financiamento ao terrorismo e demais ilícitos;

4 prever normas e procedimentos que garantam a continuidade dos negócios da SENSO em situações adversas decorrentes de riscos operacional, liquidez, de crédito e de mercado; prever normas e procedimentos que garantam a segurança e confidencialidade das informações próprias e de clientes, quer sejam físicas ou armazenadas em meio digital; prever testes periódicos de segurança para os sistemas de informações, especialmente os armazenados em meio digital; e ser periodicamente revisado e atualizado. 4 APLICAÇÃO O Sistema de Controles Internos é parte integrante das atividades desenvolvidas pela SENSO e, aplica-se aos diversos níveis hierárquicos e de negócios da Corretora, à gestão de capital, riscos e à prevenção e combate aos crimes de lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo, auxiliando na identificação, avaliação e monitoramento de fatores internos e externos que possam vir a afetar adversamente o alcance dos objetivos e metas traçados pela alta administração. 5 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL A SENSO formalizou a sua estrutura organizacional registrando as áreas que a compõem, os respectivos níveis hierárquicos e a descrição das suas atribuições e responsabilidades para todos os níveis de negócios da Corretora. 6 RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES NO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS 6.1 Diretoria Tem por responsabilidades: planejamento, implantação e a implementação de uma estrutura de controles internos efetiva mediante a definição de atividades de controle para todos os níveis de negócios da instituição, para as suas atividades, seus sistemas de informações financeiras, operacionais e gerenciais e; para o cumprimento das normas legais e regulamentares aplicáveis; prevendo ainda meios de identificar

5 e avaliar fatores internos e externos que possam afetar adversamente a realização dos objetivos e metas traçados pela Corretora; estabelecer objetivos e procedimentos pertinentes a esse sistema de controle, garantindo acesso a todos os colaboradores as disposições, de forma a assegurar o conhecimento da respectiva função, atribuições e responsabilidades nesse processo; garantir e verificar de forma sistemática a adoção e a aderência às políticas institucionais, normas e procedimentos emanados do Sistema de Controles Internos; incentivar e disseminar a prática de uma cultura de controles internos junto aos funcionários e colaboradores da Corretora, bem como, promover elevados padrões éticos e de conduta profissional; implementar a atividade de Auditoria Interna; e adotar medidas corretivas e de fortalecimento do sistema de controles internos, quer sejam detectadas através do monitoramento e relatos de funcionários, colaboradores e pela Área de Compliance sobre o Sistema de Controles Internos, quer sejam decorrentes de recomendações e não conformidades relatadas pela Auditoria Interna. 6.2 Área de Compliance zelar pela aderência às políticas institucionais, normas e diretrizes internas da SENSO, atuando permanentemente em prol da disseminação de uma cultura de controles, das melhores práticas de governança, gestão de capital, riscos e de prevenção e combate aos crimes de lavagem de dinheiro, financiamento ao terrorismo e demais ilícitos. auxiliar à Administração no fortalecimento e na antecipação e planejamento de mudanças requeridas no sistema de controles internos. 6.3 Auditoria Interna É responsável por: estabelecer em conjunto com a Diretoria Executiva um plano de acompanhamento sistemático das atividades desenvolvidas, de forma a que se possa avaliar se os objetivos e metas da SENSO estão sendo alcançados, se os

6 limites estabelecidos e as leis e regulamentos; quer sejam internos, emanados da Diretoria Executiva; quer sejam externos, emanados dos órgãos reguladores e fiscalizadores, aplicáveis a instituição estão sendo cumpridos; executar o Plano de Auditoria Interna da SENSO, produzindo relatórios no mínimo semestralmente, acompanhando de forma sistemática as diretrizes traçadas nesse plano; recomendar eventuais melhorias e fortalecimento ao Sistema de Controles Internos e de Gerenciamento de Risco, em função das conclusões dos exames realizados. 6.4 Demais Departamentos São responsáveis por zelar pela conformidade às políticas e normas internas da Corretora, atuando permanentemente em prol da disseminação de uma cultura de controles internos e gestão de capital e riscos. 7 POLÍTICAS, NORMAS E CONTROLES INTERNOS GESTÃO DE RECURSOS 7.1 SEGREGAÇÃO DE FUNÇÕES A SENSO tem como uma de suas diretrizes de conduta dos negócios a prática da segregação de funções. Tal iniciativa visa minimizar os riscos operacionais a que estamos expostos. A SENSO aplica a segregação de funções evitando que atividades possam gerar conflitos de interesse e evitar a ocorrência de condutas não éticas e riscos operacionais de correntes, tais como: fraudes; favorecimentos a terceiros; utilização de informações privilegiadas em benefício próprio e de terceiros; não respeitar o sigilo das operações da carteira própria e de clientes; ocultar falhas operacionais e administrativas; e burlar limites operacionais, política de riscos e política de investimentos. Sendo que: Políticas e diretrizes institucionais: não devem ser definidas por colaboradores ou departamento responsáveis pela sua implantação, sendo atribuição exclusiva da Diretoria.

7 Administração de recursos de terceiros: devem ser executadas por colaboradores e departamentos distintos da administração dos recursos próprios. Gestão de recursos de terceiros: não deve ser executada pelos mesmos colaboradores que fazem a gestão de recursos próprios. Controles e input das informações das operações: a instrução da operação não deve ser executada pelos mesmos colaboradores que são responsáveis pela liquidação e registro da operação. Análise cadastral e aprovação de limites: deve ser realizada por departamento independente. Monitoramento do Risco institucional: atribuição da Área de Compliance. Prevenção e Combate ao Crime de Lavagem de Dinheiro e Financiamento ao Terrorismo: quando ocorrência de suspeita, deve ser analisado pelo Compliance e deliberado pela Diretoria. Pagamentos e recebimentos: para liquidar as operações a área deve seguir conforme a instrução recebida. Conferências e conciliações: não devem ser executadas pelos mesmos funcionários e colaboradores responsáveis pelos registros e liquidações das operações. Auditoria Interna: deve ser executada com total autonomia e independência sobre as demais atividades da SENSO, se reportando diretamente à Diretoria. 7.1 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS consolida as regras, procedimentos e descrição dos controles internos planejados e implementados para auxiliar a SENSO na consecução dos objetivos e metas traçados pela administração da Corretora e na prestação de serviços com qualidade, tendo sido planejados para assegurar a conformidade à regulamentação vigente, serem efetivos e consistentes com a natureza complexidade e risco das operações, produtos e serviços prestados. 7.2 PRINCÍPIOS ÉTICOS E REGRAS DE CONDUTA fornecem diretrizes básicas e orientações sobre os princípios éticos e regras de conduta a serem estritamente seguidos e respeitados por todos os diretores, funcionários, agentes autônomos de investimentos e de negócios e demais

8 colaboradores, independentemente do nível hierárquico e do tipo de vínculo mantido com a corretora. 7.3 POLÍTICA DE PREVENÇÃO AOS CRIMES DE LAVAGEM DE DINHEIRO, COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO E ANTICORRUPÇÃO objetiva fornecer orientação e diretrizes sobre o programa de compliance que deve ser seguido à risca por todos os colaboradores da Corretora no que toca à prevenção e combate aos crimes de lavagem de dinheiro, combate ao financiamento do terrorismo e anticorrupção. Não será considerada qualquer assertiva do desconhecimento desta política, bem como não serão consideradas quaisquer justificativas que resultem no seu descumprimento. Diante do explanado, qualquer dúvida, esclarecimento ou aconselhamento faz-se necessária a imediata consulta a área de Compliance e ao Comitê de Prevenção a Lavagem de Dinheiro, Combate ao Financiamento do Terrorismo e Anticorrupção CPLD/CFT/Anticorrupção. Qualquer colaborador tem a obrigação de reportar imediatamente à Área de Compliance e ao CPLD/CFT/Anticorrupção qualquer ato suspeito, ilícito, ou que viole os preceitos aqui estabelecidos e a legislação aplicável. 7.4 POLÍTICA DE SUITABILITY tem como objetivo estabelecer a metodologia da SENSO CCVM S/A, para a verificação da adequação dos produtos, serviços e operações ao perfil do investidor, considerando seus objetivos de investimentos, sua situação financeira e seu grau de conhecimento e experiência necessários para compreender os riscos relacionados aos investimentos. 7.5 POLÍTICA DE TREINAMENTO A Política de Treinamento baseia-se nos princípios de compromisso com a ética, transparência, respeito nas relações e desenvolvimento profissional com seus funcionários e colaboradores, tendo sido planejada para promover o desenvolvimento profissional de funcionários e colaboradores e a melhoria contínua de sua capacitação, para melhor desenvolver suas atividades e atingir os objetivos e metas da SENSO. 7.6 POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. A política e as normas de segurança da informação têm como objetivo direcionar um programa de proteção dos ativos de informação, tais como: base de dados, documentos, arquivos e outros.

9 Essa diretriz permite estabelecer os procedimentos operacionais, as instruções das atividades e os padrões de segurança, constituindo um programa consistente de segurança da informação. 7.7 PLANO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS Define os procedimentos necessários para garantir a continuidade dos negócios da SENSO, caso algum evento de contingência impossibilite a utilização do ambiente de produção. 7.8 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CADASTRO Define as diretrizes e normas internas a serem seguidas pelos funcionários e colaboradores da SENSO na captação, aceitação e manutenção de clientes. 7.9 POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS PELOS ADMINISTRADORES Objetiva evitar qualquer tipo de conflito de interesse entre a gestão de recursos de terceiros e recursos próprios da Corretora POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS Estabelecer o critério a ser observado no rateio de compra e venda de valores mobiliários para a carteira de clientes POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS Tem como objetivo definir os parâmetros a serem utilizados para o monitoramento, mensuração e ajustes contínuos dos riscos à gestão das carteiras de valores mobiliários pela SENSO.

POLIÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

POLIÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS Junho/2016. POLIÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS Versão: 01 Revisada: Compliance Aprovação: Mario Celso Coutinho de Souza Dias Presidente 30/06/2016 1 APRESENTAÇÃO O Banco Central

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE

MANUAL DE COMPLIANCE MQ.04 rev.00 Pagina 1 MANUAL DE COMPLIANCE MQ.04 rev.00 Pagina 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DEFINIÇÕES BÁSICAS E OBJETIVO DOS CONTROLES NOS PROCESSOS INTERNOS... 4 3. RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE

MANUAL DE COMPLIANCE \ MANUAL DE COMPLIANCE MANUAL DE COMPLIANCE Versão 2016.1 Editada em Junho de 2016 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. DEFINIÇÕES BÁSICAS E OBJETIVO DOS CONTROLES INTERNOS... 1 3. RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A 1 1. SUMÁRIO Em atendimento a Instrução CVM nº 558, o Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A. (doravante denominado simplesmente

Leia mais

Política Controles Internos

Política Controles Internos Política Controles 1. Objetivo Esta política estabelece diretrizes e responsabilidades para a implementação e manutenção do Sistema de Controles integrado ao Gerenciamento de Risco Operacional aplicável

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos Indice 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO ALVO E VIGÊNCIA... 3 3. REGULAMENTAÇÕES APLICÁVEIS... 3 4. DIRETRIZES... 3 4.1. FINALIDADE... 3 4.2. AMBIENTE DE CONTROLE... 3 4.3. AVALIAÇÃO

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos JURISDIÇÃO GEOGRÁFICA AND BAH BRA ESP USA ISR LUX MEX MON PAN SUI URU X A informação contida neste documento é de uso interno e propriedade do Grupo Andbank sendo proibida

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO, INTEGRIDADE, RISCOS E CONTROLES INTERNOS MGI MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE GESTÃO, INTEGRIDADE, RISCOS E CONTROLES INTERNOS MGI MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE GESTÃO, INTEGRIDADE, RISCOS E CONTROLES INTERNOS MGI MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. DEFINIÇÕES... 4 4. FUNDAMENTAÇÃO... 5 5. REVISÃO DESTA

Leia mais

Dispõe sobre a implantação e implementação de sistema de controles internos.

Dispõe sobre a implantação e implementação de sistema de controles internos. Dispõe sobre a implantação e implementação de sistema de controles internos. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31.12.64, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL,

Leia mais

CB.POL a. 1 / 7

CB.POL a. 1 / 7 CB.POL-.01 4 a. 1 / 7 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO Esta política estabelece diretrizes e responsabilidades para a implementação e manutenção do Sistema de Controles Internos integrado ao Gerenciamento de

Leia mais

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento.

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento. Histórico de Revisões Versão: 01 Data de Revisão: Histórico: Elaboração do Documento. Índice I. Objetivo... 1 II. Abrangência... 1 III. Documentação Complementar... 1 IV. Conceitos e Siglas... 2 V. Responsabilidades...

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS JUNHO / 2016 SUMÁRIO POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... Erro! Indicador não definido. 1.1. Objetivo...1 1.2. Abrangência...2 1.3. Princípios...2 1.4. Diretrizes...2 1.5. Responsabilidades...3

Leia mais

POLÍTICA CONTROLES INTERNOS E CONFORMIDADE SICOOB COCRED COOPERATIVA DE CRÉDITO

POLÍTICA CONTROLES INTERNOS E CONFORMIDADE SICOOB COCRED COOPERATIVA DE CRÉDITO 1 POLÍTICA CONTROLES INTERNOS E CONFORMIDADE SICOOB COCRED COOPERATIVA DE CRÉDITO 1. APRESENTAÇÃO Esta Política estabelece diretrizes de monitoramento do Sistema de Controles Internos e Conformidade da

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos Julho de 2017 ÍNDICE POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 2 (A) Objetivo... 2 (B) Abrangência... 2 (C) Princípios Gerais... 2 (D) Diretrizes...

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos Junho de 2016 ÍNDICE POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 2 (A) Objetivo... 2 (B) Abrangência... 2 (C) Princípios Gerais... 2 (D) Diretrizes...

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Capítulo 1 Objetivo do documento A Política de Conformidade (Compliance) da cooperativa estabelece princípios e diretrizes de conduta corporativa, para que todos os dirigentes, empregados

Leia mais

POLÍTICA DE CONFORMIDADE

POLÍTICA DE CONFORMIDADE Sumário 1. OBJETIVO... 1 2. ABRANGÊNCIA... 1 3. DEFINIÇÕES... 1 3.1 Conformidade... 1 3.2 Estrutura Normativa Interna... 1 3.3 Programa de Integridade... 1 4. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES... 1 4.1 Princípios

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos JUNHO DE 2016 Este documento, ou qualquer parte dele, não pode ser reproduzido, armazenado ou transmitido, em qualquer formato ou por quaisquer meios, sejam eletrônicos ou

Leia mais

Política de Controles Interno

Política de Controles Interno Política de Controles Interno 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. PRINCÍPIOS... 2 4. RESPONSABILIDADES... 3 5. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 4 6. SEGREGAÇÃO DAS ATIVIDADES... 5 7. DISPOSIÇÕES

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. KAPITALO CICLO GESTORA DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. KAPITALO CICLO GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. KAPITALO CICLO GESTORA DE RECURSOS LTDA. Julho de 2017 Sumário POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 3 1.1. Objetivo... 3 1.2. Abrangência... 3 1.3.

Leia mais

RESOLUÇÃO N Parágrafo 2º São de responsabilidade da diretoria da instituição:

RESOLUÇÃO N Parágrafo 2º São de responsabilidade da diretoria da instituição: RESOLUÇÃO N 2554 Dispõe sobre a implantação e implemenação de sistema de controles internos. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31.12.64, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS CONVEST CONSULTORIA DE INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS CONVEST CONSULTORIA DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS CONVEST CONSULTORIA DE INVESTIMENTOS LTDA. - 1 - Sumário 1. Objetivo... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. Diretrizes... 4 4. Responsabilidades... 4 5. Disposições Gerais...

Leia mais

DOCUMENTO DE USO INTERNO 1

DOCUMENTO DE USO INTERNO 1 Política Data da última atualização Controles Internos 30.11.2017 Área Responsável Versão Compliance 07 1. Objetivo Estabelecer as diretrizes relacionadas aos controles internos, bem como a estrutura de

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 PRINCÍPIOS... 3 4 REFERÊNCIAS... 4 5 CONCEITOS... 4 6 PRERROGATIVAS... 4 7 DIRETRIZES... 5 8 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Políticas Corporativas

Políticas Corporativas 1 IDENTIFICAÇÃO Título: Restrições para Uso: POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Acesso Controle Livre Reservado Confidencial Controlada Não Controlada Em Revisão 2 - RESPONSÁVEIS Etapa Área Responsável Cargo

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Atualizado em 30 de Março de 2017 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 1. Manuais e políticas internas... 3 2. Segurança da Informação... 3 3. Programa de Treinamento... 4 4. Investimentos Pessoais...

Leia mais

Manual de Conformidade

Manual de Conformidade Manual de Conformidade Divisão de Conformidade BB Gestão de Recursos DTVM S.A. SUMÁRIO Introdução... 2 Definições... 3 1. Capítulo 1 - Segregação na Administração de Recursos de Terceiros... 4 2. Capítulo

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. 1. Objetivo Esta política tem por objetivo estabelecer regras, procedimentos e descrição dos controles a serem observados para

Leia mais

Política de Controles Internos BM&FBOVESPA. Página 1

Política de Controles Internos BM&FBOVESPA. Página 1 BM&FBOVESPA Página 1 Última revisão: abril de 2014 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. PRINCÍPIOS... 3 4. DIRETRIZES... 3 5. PRERROGATIVAS DE CONTROLES INTERNOS... 4 6. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Manual de Compliance Lavoro Asset

Manual de Compliance Lavoro Asset Manual de Compliance Lavoro Asset SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 1. COMITÊ DE COMPLIANCE... 4 5. ESCOPO E ATRIBUIÇÕES... 4 5.1 CONTROLE... 4 5.2 VERIFICAÇÃO... 5 6. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Manual de Controles Internos e Compliance

Manual de Controles Internos e Compliance Página 1 de 5 Versão vigente: fevereiro/2019 Versão anterior: outubro/2018 1. Objetivo Este ( Manual ) visa estabelecer as diretrizes que garantam, por meio de Controles Internos adequados, o permanente

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS JUNHO/2017 SUMÁRIO Objetivo... 3 Abrangência... 3 Princípios... 3 Diretrizes... 4 Responsabilidades... 4 Disposições Gerais... 6 Vigência e Atualização... 6 2 Objetivo Esta

Leia mais

UNITY CAPITAL GESTORA DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS FEVEREIRO / 2019 VERSÃO 2.0

UNITY CAPITAL GESTORA DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS FEVEREIRO / 2019 VERSÃO 2.0 UNITY CAPITAL GESTORA DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS FEVEREIRO / 2019 VERSÃO 2.0 SUMÁRIO 1.1 Objetivo e Abrangência... 3 2.1 Princípios Norteadores... 4 3.1 Diretrizes... 4 4.1 Responsabilidades...

Leia mais

Polı tica de Compliance

Polı tica de Compliance + Versão: I Data da Publicação: 08/04/2016 Data da Vigência: Publicação Última revisão: janeiro 2018 Polı tica de Compliance 1. Objetivo: A Política objetiva formalizar os procedimentos para gerenciamento

Leia mais

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO A Vida Tratada Com Respeito

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO A Vida Tratada Com Respeito FOLHA DE CONTROLE Título Política de Conformidade e Integridade Número de versão 1 Status Lançamento Autoria Superintendência de Controles Internos e Gestão de Riscos - SUCIR Pré-aprovação Diretoria Colegiada

Leia mais

Polı tica de Compliance

Polı tica de Compliance + Versão: I Data da Publicação: 08/04/2016 Data da Vigência: Publicação Polı tica de Compliance 1. Objetivo: A Política objetiva formalizar os procedimentos para gerenciamento do Risco de Compliance. 2.

Leia mais

ADAMCAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

ADAMCAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS ADAMCAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Data de Aprovação: 27.12.2017 Versão: 1.2 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Abrangência... 3 3. Princípios Norteadores... 3 4. Diretrizes...

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos Objetivo Formalizar o Sistema de Controles Internos da JOURNEY CAPITAL, garantindo o cumprimento da regulamentação sobre o exercício profissional de administração de carteiras

Leia mais

BM&FBOVESPA. Política de Controles Internos. Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo. Última Revisão: março de 2013.

BM&FBOVESPA. Política de Controles Internos. Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo. Última Revisão: março de 2013. BM&FBOVESPA Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo Página 1 Última Revisão: março de 2013 Uso interno Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. REFERÊNCIA... 3 4. CONCEITOS...

Leia mais

POLÍTICA CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA CONTROLES INTERNOS Pág.: 1 / 6 CONTROLES INTERNOS REVISÃO PÁGINAS ÁREA Nº DATA ALTERADAS RESPONSÁVEL DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO 01 22/03/17 - Criação 02 07/08/18 - Revisão Periódica 03 18/04/19 - Revisão para atendimento à ICVM

Leia mais

Política de Conformidade (Compliance)

Política de Conformidade (Compliance) Política de Conformidade (Compliance) Versão 1.0 Elaborado em outubro de 2017 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE COMPLIANCE... 3 3. DIRETRIZES... 3 4. ATRIBUIÇÕES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS... 4 4.1

Leia mais

ÍNDICE 1. OBJETIVO ABRANGÊNCIA DEFINIÇÕES GESTÃO DE RISCOS ETAPAS DA GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS...

ÍNDICE 1. OBJETIVO ABRANGÊNCIA DEFINIÇÕES GESTÃO DE RISCOS ETAPAS DA GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS... GESTÃO DE RISCOS Folha 1/10 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DEFINIÇÕES... 2 4. GESTÃO DE RISCOS... 3 5. ETAPAS DA GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS... 4 5.1. Identificação dos Riscos:...

Leia mais

Política de Conformidade (Compliance) do Sistema CECRED

Política de Conformidade (Compliance) do Sistema CECRED Aprovado por: Conselho de Administração Data aprovação reunião: 23/ SUMÁRIO Capítulo 1 Objetivo do documento... 2 Capítulo 2 Responsabilidades... 3 Capítulo 3 Glossário / Definições... 8 Capítulo 4 Regras...

Leia mais

POLÍTICA PLD-FT POLÍTICA REVISÃO PÁGINAS ÁREA DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO /09/15 - Compliance Criação da Política 02 06/06/16 - Compliance

POLÍTICA PLD-FT POLÍTICA REVISÃO PÁGINAS ÁREA DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO /09/15 - Compliance Criação da Política 02 06/06/16 - Compliance Pág.: 1 / 5 POLÍTICA REVISÃO PÁGINAS ÁREA Nº DATA ALTERADAS RESPONSÁVEL DESCRIÇÃO DA ALTERAÇÃO 01 21/09/15 - Compliance Criação da Política 02 06/06/16 - Compliance Aprimoramento do monitoramento de operações

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.588, DE 29 DE JUNHO DE 2017 CAPÍTULO I DO OBJETO E DO ÂMBITO DE APLICAÇÃO

RESOLUÇÃO Nº 4.588, DE 29 DE JUNHO DE 2017 CAPÍTULO I DO OBJETO E DO ÂMBITO DE APLICAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 4.588, DE 29 DE JUNHO DE 2017 Dispõe sobre a atividade de auditoria interna nas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. O Banco

Leia mais

DE REGRAS, PROCEDIMENTOS

DE REGRAS, PROCEDIMENTOS MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS I Objetivo O objetivo deste documento é descrever as regras, procedimentos e controles internos para os processos realizados

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS JUNHO DE 2016 Sumário POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 3 1 Objetivo... 3 2 Abrangência... 3 3 Princípios Norteadores... 3 4 Diretrizes... 4 5 Responsabilidades... 4 6 Endereço

Leia mais

1. OBJETIVO APLICAÇÃO REFERÊNCIA DIRETRIZES... 3

1. OBJETIVO APLICAÇÃO REFERÊNCIA DIRETRIZES... 3 DE COMPLIANCE Este documento é válido para as seguintes empresas BS2: ADIQ, Asset, Banco, DTVM e Tech Elaboração THAIZA CAROLINA BATISTA LOPES CANÇADO Superintendência de Compliance Aprovação JULIANA PENTAGNA

Leia mais

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017 Resumo Descreve os componentes do SCI Sistema de Controles Internos da Riviera Investimentos e estabelece as responsabilidades e procedimentos para a sua gestão. Sumário 1. Objetivo...2 2. Público-alvo...2

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA

POLÍTICA CORPORATIVA POLÍTICA CORPORATIVA POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL CÓDIGO: MINV-P-003 VERSÃO: 04 EMISSÃO: 03/2011 ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 10/2017 INDICE OBJETIVO... 2 ALCANCE... 2 VIGÊNCIA... 2 ÁREA GESTORA... 2 ÁREAS INTERVENIENTES...

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Atualização Junho de 2016 Índice POLITICA DE CONTROLES INTERNOS... 3 Objetivo... 3 Abrangência... 3 Princípios Norteadores... 3 Diretrizes... 4 Responsabilidades... 4 Vigência

Leia mais

MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS 1. Objetivo A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESCOPO... 3 3 APLICABILIDADE...

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS ASPECTOS RELEVANTES DE CONTROLES INTERNOS DO SEMESTRE FINDO EM 30 de JUNHO de 2016

DESCRIÇÃO DOS ASPECTOS RELEVANTES DE CONTROLES INTERNOS DO SEMESTRE FINDO EM 30 de JUNHO de 2016 DESCRIÇÃO DOS ASPECTOS RELEVANTES DE CONTROLES INTERNOS DO SEMESTRE FINDO EM 30 de JUNHO de 2016 As descrições neste anexo foram elaboradas diretamente e sob a responsabilidade da administração da TURISCAM

Leia mais

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO A Vida Tratada Com Respeito

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO A Vida Tratada Com Respeito FOLHA DE CONTROLE Título Política de Controles Internos Número de versão 1 Status Lançamento Autoria Superintendência de Controles Internos e Gestão de Riscos - SUCIR Pré-aprovação Diretoria Colegiada

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles

Manual de Regras, Procedimentos e Controles 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO 2. VIGÊNCIA / SUBSTITUIÇÃO / ALTERAÇÃO Este manual contém os conceitos e a descrição da Estrutura, Regras, Procedimentos, Controles Internos e Gerenciamento de Risco adotados

Leia mais

Orientações para elaboração do Descritivo Sobre Aspectos Relevantes de Controles Internos - Circular Bacen 3.467/09

Orientações para elaboração do Descritivo Sobre Aspectos Relevantes de Controles Internos - Circular Bacen 3.467/09 Políticas e procedimentos a respeito da segregação de atividades, de modo a evitar conflitos de interesse e acúmulo de funções incompatíveis. Evidências de que a cooperativa mapeou as principais atividades

Leia mais

FRANKLIN TEMPLETON INVESTIMENTOS (BRASIL) MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS 1 12/06/2018

FRANKLIN TEMPLETON INVESTIMENTOS (BRASIL) MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS 1 12/06/2018 MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Junho, 2018 1 MANUAL DE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS 1 12/06/2018 Apresentação e objetivo deste documento A Franklin Templeton Investimentos

Leia mais

POLÍTICA DE CONFORMIDADE CORPORATIVA DA TRANSPETRO

POLÍTICA DE CONFORMIDADE CORPORATIVA DA TRANSPETRO POLÍTICA DE CONFORMIDADE CORPORATIVA DA TRANSPETRO SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO E ABRANGÊNCIA 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES 3.1. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS SUMÁRIO

POLÍTICA DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS SUMÁRIO POLÍTICA DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS SUMÁRIO I - Objetivo... 2 II - Público Alvo... 2 III - Responsabilidades dos Envolvidos... 2 3.1. Responsabilidades da Administração... 2 3.2. Responsabilidades

Leia mais

MANUAL DE INTEGRIDADE

MANUAL DE INTEGRIDADE MANUAL DE Controle de alterações Revisão Data Local da Revisão Descrição 1 - Emissão inicial Lista de Distribuição Diretoria Executiva Diretoria de Integridade Diretores das áreas Gestores de Integridade

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Auctus Capital Gestão de Recursos Ltda. Março de 2018 Versão 1.0 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCÍPIOS NORTEADORES... 3 DIRETRIZES... 3 RESPONSABILIDADES... 4 DISPOSIÇÕES GERAIS...

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos - ICVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos - ICVM 558 Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos - ICVM 558 Objetivo Descrever as regras, procedimentos e controles internos para os processos dedicados à atividade de administração de carteira de

Leia mais

MANUAL DE REGRAS, PRODECIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE REGRAS, PRODECIMENTOS E CONTROLES INTERNOS MANUAL DE REGRAS, PRODECIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Versão: Setembro 2018 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Princípios Gerais... 3 3. O Comitê de Risco & Compliance... 4 4. Regras, Procedimentos, Políticas,

Leia mais

Manual de Ética e Compliance

Manual de Ética e Compliance Manual de Ética e Compliance Histórico O Grupo Sifra possui 25 anos de experiência no mercado de crédito corporativo, atuando com antecipação de recebíveis e atividades correlatas. Para tanto, o grupo

Leia mais

AR BANK ASSET MANUAL DE GESTÃO DE RISCO

AR BANK ASSET MANUAL DE GESTÃO DE RISCO Comitê Executivo Manual de Gestão de Risco 30/04/2018 1/8 ASSET Management MANUAL DE GESTÃO DE RISCO Manual MN _ GR 01 Comitê Executivo Manual de Gestão de Risco 30/04/2018 2/8 Resumo Descritivo O Manual

Leia mais

SOCIOAMBIENTAL CODIGO POL-0001

SOCIOAMBIENTAL CODIGO POL-0001 SOCIOAMBIENTAL 2/8 SUMÁRIO PARTE I - IDENTIFICAÇÃO 3 1. OBJETIVO 3 2. ABRANGÊNCIA 3 3. ALÇADA DE APROVAÇÃO 3 4. RESUMO DA REVISÃO 3 5. GLOSSÁRIO 3 PARTE II CONTEÚDO 5 1. INTRODUÇÃO 5 2. DIRETRIZES 5 3/8

Leia mais

Manual de regras, procedimentos e controles internos ICVM 558/15

Manual de regras, procedimentos e controles internos ICVM 558/15 Manual de regras, procedimentos e controles internos ICVM 558/15 Atualizado em Maio de 2019 Sumário 1. Introdução... 3 2. Relatório Anual de Controles Internos... 3 3. Publicação de Informações Obrigatórias...

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental de Responsabilidade Socioambiental IB Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários Ltda Página 1 Sumário 1. Introdução... 2 2. Objetivo... 2 3. Abrangência... 2 4. Princípios... 2 4.1 Transparência...

Leia mais

Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONFORMIDADE E RISCOS DA COPASA MG

Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONFORMIDADE E RISCOS DA COPASA MG Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONFORMIDADE E DA COPASA MG Sumário Da Finalidade... 3 Da Estrutura... 3 Das Competências... 4 Do Orçamento Próprio... 5

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

Política de. Compliance, Controles Internos e. Prevenção à Lavagem de Dinheiro

Política de. Compliance, Controles Internos e. Prevenção à Lavagem de Dinheiro Política de Compliance, Controles Internos e Prevenção à Lavagem de Dinheiro Documento confidencial - Circulação restrita Compliance e Controles Internos Outubro / 2012 31/12/2015 02 2 ÍNDICE ASSUNTO PAG

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE DA ATLANTIS INVESTIMENTOS LTDA. ("Sociedade")

MANUAL DE COMPLIANCE DA ATLANTIS INVESTIMENTOS LTDA. (Sociedade) MANUAL DE COMPLIANCE DA ATLANTIS INVESTIMENTOS LTDA. ("Sociedade") Versão Março/20 16 1. Compliance é uma atividade adotada pelo mercado financeiro internacional, que com preceitos éticos, e sempre em

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Junho de 2013

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Junho de 2013 POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Junho de 2013 Elaboração: Gerencia de Riscos Revisão: Compliance Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA... 3 2. DEFINIÇÕES...

Leia mais

Política de Compliance Corporativo da Lojas Renner S.A.

Política de Compliance Corporativo da Lojas Renner S.A. Política de Compliance Corporativo da Lojas Renner S.A. SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 3 3 PREMISSAS... 3 4 MISSÃO... 4 5 ATUAÇÃO... 4 6 DIRETRIZES - RESPONSABILIDADE POR ÁREA, CARGOS

Leia mais

Risco de Liquidez. Um Investimentos S/A CTVM. Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14. Resolução nº 4090/12

Risco de Liquidez. Um Investimentos S/A CTVM. Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14. Resolução nº 4090/12 Risco de Liquidez Resolução nº 4090/12 Fev/2010 Atualização Set/ 13 Atualização Fev/14 Um Investimentos S/A CTVM Objetivo Estabelecer as diretrizes para o gerenciamento dos riscos de liquidez a assegurar

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS ARIA CAPITAL ASSET ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. JUNHO / 2016

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS ARIA CAPITAL ASSET ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. JUNHO / 2016 POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS DA ARIA CAPITAL ASSET ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA. JUNHO / 2016 O presente código é de propriedade da Aria Capital Asset, sendo proibida sua reprodução, total ou parcial,

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE COMPLIANCE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS MANUAL DE COMPLIANCE REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS PETRA ASSET GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA PETRA CAPITAL GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA Publicação 30/06/2016 - versão 003 Propriedade das Gestoras

Leia mais

Dispõe sobre a política de conformidade (compliance) das administradoras de consórcio e das instituições de pagamento.

Dispõe sobre a política de conformidade (compliance) das administradoras de consórcio e das instituições de pagamento. CIRCULAR BACEN Nº 3.865, DE 07.12.2017 Dispõe sobre a política de conformidade (compliance) das administradoras de consórcio e das instituições de pagamento. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil,

Leia mais

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: COMPLIANCE JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. POLÍTICAS... 2 4. COMPETÊNCIAS...

Leia mais

MANUAL DE REGRAS, PRODECIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE REGRAS, PRODECIMENTOS E CONTROLES INTERNOS MANUAL DE REGRAS, PRODECIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Versão: Setembro 2017 1. Introdução Este Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos ( Manual ) foi elaborado com o intuito de garantir, por

Leia mais

Política Estrutura de Gerenciamento de Capital Agosto 2017

Política Estrutura de Gerenciamento de Capital Agosto 2017 Estrutura de Agosto 2017 Data de Criação: Janeiro 2014 Data de Revisão: 29/8/2017 Versão: 3/2017 Página 1 de 8 1 Conteúdo 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO-ALVO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 3 4. DEFINIÇÕES...

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance 1 Objetivo O objetivo desta Política é estabelecer diretrizes e procedimentos que assegurem o cumprimento das normas de Compliance definidas pelo Grupo VEOLIA e, que essas normas

Leia mais

#pública BB SEGURIDADE Política de Gerenciamento de Riscos, Controles Internos e Conformidade

#pública BB SEGURIDADE Política de Gerenciamento de Riscos, Controles Internos e Conformidade 1 Área Responsável 1.1 Superintendência de Riscos e Controles. 2 Abrangência 2.1 Esta política orienta o comportamento da BB Seguridade e suas sociedades controladas. Espera-se que as empresas coligadas

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA INSTITUCIONAL DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA INSTITUCIONAL DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS 1. INTRODUÇÃO A Política Institucional do Sistema de Controles Internos do Conglomerado Mercantil do Brasil baseia-se nas diretrizes do Conselho

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO GESTÃO INTEGRADA DE RISCO OPERACIONAL, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE Objetivo Este documento

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES 11/08/2017 INFORMAÇÃO INTERNA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS ELABORADO PARA O CUMPRIMENTO DO ARTIGO 14, INCISO III DA ICVM 558.

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS ELABORADO PARA O CUMPRIMENTO DO ARTIGO 14, INCISO III DA ICVM 558. POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS ELABORADO PARA O CUMPRIMENTO DO ARTIGO 14, INCISO III DA ICVM 558. INTRODUÇÃO A Milestones adota políticas e processos de Compliance e controles internos de acordo com as

Leia mais

SP v1 POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

SP v1 POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS 1 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Responsabilidade... 3 3. Referência... 3 4. Definições... 3 5. Papéis e Responsabilidades... 4 6. Documentação de Controles Internos...5 7. Auto

Leia mais

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. LEGISLAÇÃO... 3 3. ABRAGÊNCIA... 4 4. DEFINIÇÕES... 4 4.1... 4 4.2 CONFORMIDADE... 5 4.3 INTEGRIDADE... 5 5. DIRETRIZES GERAIS... 5 6. RESPONSABILIDADES... 6 6.1 ADMINISTRAÇÃO/DIRETORIA...

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Maio/2018 1. Apresentação da Política A tem como objetivo assegurar a adequação, o fortalecimento e o funcionamento eficiente do Sistema de Controles Internos da TAESA e suas subsidiárias

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos Introdução Esta política tem por objetivo estabelecer regras, procedimentos e descrição dos controles internos a serem observados para o fortalecimento e funcionamento dos

Leia mais

Política Estrutura de Gerenciamento de Capital Abril 2016

Política Estrutura de Gerenciamento de Capital Abril 2016 Estrutura de Abril 2016 Data de Criação: Janeiro 2014 Data de Revisão: 28/4/2016 Versão: 2/2016 Página 1 de 7 1 Conteúdo 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO-ALVO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 3 4. DEFINIÇÕES...

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS ASPECTOS RELEVANTES DE CONTROLES INTERNOS DO SEMESTRE FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014

DESCRIÇÃO DOS ASPECTOS RELEVANTES DE CONTROLES INTERNOS DO SEMESTRE FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 DESCRIÇÃO DOS ASPECTOS RELEVANTES DE CONTROLES INTERNOS DO SEMESTRE FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 As descrições neste anexo foram elaboradas diretamente e sob a responsabilidade da administração da TURISCAM

Leia mais