EQUIPE SISTÊMICA PRONATEC IFMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EQUIPE SISTÊMICA PRONATEC IFMA"

Transcrição

1

2 MANUAL DE PROCEDIMENTOS PONTUAIS PRONATEC IFMA PROMOÇÃO E ELABORAÇÃO: EQUIPE SISTÊMICA PRONATEC IFMA Marco Antônio Goiabeira Torreão GESTOR INSTITUCIONAL PRONATEC Francisco Albuquerque COORDENADOR GERAL PRONATEC Mauro Santos COORDENADOR ADJUNTO DE ORÇAMENTO E FINANÇAS Márcio Geldo Silva Neves COORDENADOR ADJUNTO DE CONTABILIDADE

3 APRESENTAÇÃO O PRONATEC é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, a ser executado pela União, com a finalidade de ampliar a ofertas de vagas da Educação Profissional e Tecnológica, por meio de subprogramas, projetos e ações de assistência técnica e financeira. Este programa possui orçamento específico para custeamento dos cursos oferecido, tal orçamento origina-se do somatório das Bolsas Formações de todos os cursos pactuados, por esse motivo e com o intuito de facilitar o gerenciamento da execução do orçamento e a gestão administrativa de tais recursos, a Equipe Sistêmica do IFMA elaborou o MANUAL DE PROCEDIMENTOS PONTUAIS PRONATEC IFMA. A iniciativa de criação desse manual se deu por observação que há várias formas de gerir o orçamento no IFMA, porém o PRONATEC além de ter um orçamento muito grande e complexo ele possui algumas peculiaridades que mereceriam certas padronizações, objetivando minimizações de problemas com auditorias e para facilidade na Prestação de Contas. O foco desse manual é facilitar os trabalhos daqueles que irão trabalhar no PRONATEC na parte Administrativa, Orçamentária e Financeira. Nós queremos que tais servidores façam suas atividades de forma segura e com a certeza que estão contribuindo com o bom andamento do programa, pois é esse nosso papel. O governo federal nos deu através do PRONATEC a oportunidade de aproximar a capacitação de mão de obra com as vagas no mercado de trabalho que as empresas tanto almejam, se nós conseguirmos esse feito, nós estaremos ajudando o aumento da qualidade de vida dos maranhenses com mais conhecimentos e mais empregos. Portando, esperamos que esse manual ajude de forma efetiva nos trabalhos daqueles que executa administrativamente o PRONATEC e que facilite as consolidações de dados para que possamos dar resultados concretos a sociedade como um todo. Se mesmo assim você não conseguir entender nada do gerenciamento do PRONATEC, não se preocupe: A vida é polêmica! Mãos a obra.

4 GUIA PARA PESQUISA 1 INTRODUÇÃO 05 2 INFORMAÇÕES BÁSICAS 06 3 PLANEJAMENTO PRONATEC IFMA: PACTUAÇÃO EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA PRONATEC 14 5 PRESTAÇÃO DE CONTAS PRONATEC 23 6 DÚVIDAS FREQUÊNTE 26 APÊNDICES 28

5 1. INTRODUÇÃO Este manual foi criado pela Equipe Sistêmica do PRONATEC IFMA e tem como principal objetivo ser um manual de consulta para os Coordenadores Gerais, Coordenadores Adjuntos, e todos aquelas pessoas que participam das áreas Administrativas do PRONATEC. O nome MANUAL DE PROCEDIMENTOS PONTUAIS PRONATEC IFMA, tem esse nome porque sua metodologia foi elaborada a partir de temas e questionamentos pontuais durante a execução do PRONATEC nos anos de 2011 e Este Manual possui 06 (seis) capítulos, expostos de forma didática e objetiva para que o funcionário possa compreender e aplicar em seu dia a dia as orientações e recomendações aqui presentes. Agora vamos ver a estrutura desse manual: A introdução foi criada para mostrar como foi criado o manual e como funciona sua estrutura. O capítulo 02 é o onde será expostos as Informações Iniciais e alguns conceitos básicos para se possa entender melhor o Programa. O capítulo 03 é onde será mostrado como deve ser o Planejamento do PRONATEC IFMA, neste capítulo será mostrado também os mecanismos criados pela Equipe Sistêmica que facilitará o Planejamento e sua execução. O capítulo 04 é o momento de demonstrar como será a execução Orçamentária e Financeira do PRONATEC, é neste capítulo que iremos ver como se faz um processo para pagamento de Auxilio ao Estudante, Bolsas aos Profissionais do PRONATEC entre outras informações importantes para aquisição de bens e serviços para atender o programa. É no capítulo 05 que iremos ver como deve ser a Prestação de Contas do PRONATEC e iremos os componentes do Processo de Prestação de Contas além de outros conceitos de documentos hábeis. O capítulo 06 foi estruturado com perguntas e respostas. Esses questionamentos foram extraídos de perguntas feitas pelos diretores, coordenadores e outros funcionários que participaram do PRONATEC. Os questionamentos foram respondidos pela Equipe com base em instruções do MEC e rotinas já executadas diariamente. O MANUAL DE PROCEDIMENTOS PONTUAIS PRONATEC IFMA, tem esse nome, pois almeja responder questões pontuais da área Administrativa do PRONATEC e sua estrutura foi dividida de forma objetiva. Esperamos que ajude aqueles que pretendem fazer a Gestão eficaz do PRONATEC. Este manual deve ser lido por todos em reuniões exclusivamente para esse fim, evitando assim várias interpretações. 5

6 2. INFORMAÇÕES BÁSICAS O Instituto Federal do Maranhão IFMA faz parte da Rede credenciada para oferecer curso Técnico Concomitantes, de média duração e cursos FIC (Formação Inicial e Continuada), de curta duração. Para tal fim a PROEXT criou a Equipe Sistêmica que fica localizada na Reitoria deste Instituto e tem como principal objetivo dá consultoria aos campi no que se refere às atividades do PRONATEC. O recurso da Equipe Sistêmica é extraído do orçamento de cursos. 2.1 Conceitos Importantes Bolsa Formação: É um recurso extraído da expressão: Carga Horária do Curso x (vezes) Número de Vagas da Turma x (vezes) R$ 9,00 (nove reais) e que tem por objetivo ampliar a oferta de Educação Profissional para estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos, e para trabalhadores, utilizando as Redes Públicas de Ensino e o Sistema S permitindo a oferta de vagas em cursos técnicos e de Formação Inicial e Continuada (FIC), também conhecidos como cursos de qualificação para trabalhadores, estudantes e pessoas em vulnerabilidade social, esses cursos presenciais serão realizados pela Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, por escolas estaduais de EPT e por unidades de serviços nacionais de aprendizagem como o SENAC e o SENAI. Há dois tipos de Bolsa-Formação: a Estudante e a Trabalhador. Na Bolsa- Formação Estudante, cursos técnicos com a partir de 800 horas serão destinados a alunos das redes públicas de ensino médio. Já a Bolsa-Formação Trabalhador, oferecerá cursos de qualificação a pessoas em vulnerabilidade social e trabalhadores de diferentes perfis. Pactuação: É um acordo firmado entre o ofertante e o FNDE, onde o ofertante irá executar cursos seja FIC ou Concomitantes durante determinado período. Repactuação: É a alteração de algumas informações no acordo firmado na Pactuação, como por exemplo; uma alteração no nome do curso a ser ofertado. Demandante: É a instituição que tem interesse direto na ministração das aulas, uma vez que o público alvo entre os alunos faz parte do seu objetivo institucional, como por exemplo: A SEDUC, os CRAS, a AERONÁTICA entre outros. Os demandantes são os responsáveis pela capitação e inscrições dos alunos. Ofertante: São instituições de ensino profissionalizantes, como por exemplo, o IFMA, SENAC, SENAI etc. Os ofertantes são os responsáveis pela execução pedagógica, administrativa e orçamentária dos cursos. 6

7 Cursos Técnicos Concomitantes: São cursos técnicos com prazo entre 1 a 2 anos e deve ser feito inicialmente o PROJETO DE CURSOS e posteriormente a Planilha de Planejamento onde tal planilha deve refletir financeiramente este PROJETO. Terminado estes trabalhos deve ser enviando o PROJETO para a PROEN ou a PROEXT e a planilha para o conforme quadro 01. FIC: São cursos de curta duração entre 1 a 5 meses e deve ser feito inicialmente o PLANO DE CURSOS e posteriormente a Planilha de Planejamento onde tal planilha deve refletir financeiramente este PLANO. Terminado este trabalho: o PLANO, deve ser encaminhado a PROEXT e a planilha para o conforme quadro 01, abaixo. 2.2 Recursos PRONATEC As Naturezas de Despesas são códigos que determinam a destinação do gasto, no caso do PRONATEC pode ser: Auxílio Financeiro a Estudantes: Despesas orçamentárias com ajuda financeira concedida pelo Estado a estudantes comprovadamente carentes, e concessão de auxílio para o desenvolvimento de estudos e pesquisas de natureza científica, realizadas por pessoas físicas na condição de estudante, observado o disposto no art. 26 da Lei Complementar no 101/ Material de Consumo: Despesas orçamentárias com álcool automotivo; gasolina automotiva; diesel automotivo; lubrificantes automotivos; combustível e lubrificantes de aviação; gás engarrafado; outros combustíveis e lubrificantes; material biológico, farmacológico e laboratorial; animais para estudo, corte ou abate; alimentos para animais; material de coudelaria ou de uso zootécnico; sementes e mudas de plantas; gêneros de alimentação; material de construção para reparos em imóveis; material de manobra e patrulhamento; material de proteção, segurança, socorro e sobrevivência; material de expediente; material de cama e mesa, copa e cozinha, e produtos de higienização; material gráfico e de processamento de dados; aquisição de disquete; pen-drive; material para esportes e diversões; material para fotografia e filmagem; material para instalação elétrica e eletrônica; material para manutenção, reposição e aplicação; material odontológico, hospitalar e ambulatorial; material químico; material para telecomunicações; vestuário, uniformes, fardamento, tecidos e aviamentos; material de acondicionamento e embalagem; suprimento de proteção ao voo; suprimento de aviação; sobressalentes de máquinas e motores de navios e esquadra; explosivos e munições; bandeiras, flâmulas e insígnias e outros materiais de uso não duradouro Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Física: Despesas orçamentárias decorrentes de serviços prestados por pessoa física pagos diretamente a esta e não enquadrados nos elementos de despesa específicos, tais 7

8 como: remuneração de serviços de natureza eventual, prestado por pessoa física sem vínculo empregatício; estagiários, monitores diretamente contratados; gratificação por encargo de curso ou de concurso; diárias a colaboradores eventuais; locação de imóveis; salário de internos nas penitenciárias; e outras despesas pagas diretamente à pessoa física Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica: Despesas orçamentárias decorrentes da prestação de serviços por pessoas jurídicas para órgãos públicos, tais como: assinaturas de jornais e periódicos; tarifas de energia elétrica, gás, água e esgoto; serviços de comunicação (telefone, telex, correios etc.); fretes e carretos; locação de imóveis (inclusive despesas de condomínio e tributos à conta do locatário, quando previstos no contrato de locação); locação de equipamentos e materiais permanentes; software; conservação e adaptação de bens imóveis; seguros em geral (exceto os decorrentes de obrigação patronal); serviços de asseio e higiene; serviços de divulgação, impressão, encadernação e emolduramento; serviços funerários; despesas com congressos, simpósios, conferências ou exposições; vale-refeição; auxílio-creche (exclusive a indenização a servidor); habilitação de telefonia fixa e móvel celular; e outros congêneres, bem como os encargos resultantes do pagamento com atraso de obrigações não tributárias Obrigações Tributárias e Contributivas: Despesas orçamentárias decorrentes do pagamento de tributos e contribuições sociais e econômicas (Imposto de Renda, ICMS, IPVA, IPTU, Taxa de Limpeza Pública, COFINS, PIS/PASEP etc.), exceto as incidentes sobre a folha de salários, classificadas como obrigações patronais, bem como os encargos resultantes do pagamento com atraso das obrigações de que trata este elemento de despesa. Observação importante: O uso dessa rubrica deverá ocorrer quando acontecer contratação de serviços de pessoas físicas ( ) Outros Auxílios Financeiros a Pessoas Físicas: Despesas orçamentárias com a concessão de auxílio financeiro diretamente a pessoas físicas, sob as mais diversas modalidades, tais como ajuda ou apoio financeiro e subsídio ou complementação na aquisição de bens, não classificados explícita ou implicitamente em outros elementos de despesa, observado o disposto no art. 26 da Lei Complementar no 101/2000. Além disso, vale ressaltar que os recursos destinados ao Bolsa-Formação não contempla dentre outras despesas aquelas relacionadas a: Despesa de Capital, pagamento de diárias ou outras que sejam incompatíveis com o estabelecido na Lei nº /11, na Portaria nº 1.569/11 e na Resolução FNDE nº 72/11. Tais rubricas incompatíveis podem ser exemplificadas, mas não se restringem as seguintes: Diárias Civil Passagens Auxílio Financeiros a Pesquisadores Obras e instalações Equipamentos e material permanente 8

9 3. PLANEJAMENTO PRONATEC IFMA: PACTUAÇÃO 2013 Este é o momento de iniciarmos o planejamento das Pactuação que serão oferecidas por este IFMA para Lembrando que poderemos oferecer cursos FIC (Formação Inicial e Continuada) e CONCOMITANTES ( Cursos Técnicos). Cada campus pode fazer sua própria equipe para execução dos cursos, porém abaixo vai algumas orientações para o bom andamento dos trabalhos. 3.1 Calendário PRONATEC 2013 Para o aumento da qualidade de qualquer Planejamento e de suma importância nós sabermos QUANDO as atividades irão ocorrer, neste sentido é importante que cada campus elabore um calendário próprio para o PRONATEC onde a referencia deve ser o quadro abaixo: PRAZO 08/11/2012 E 09/11/ /10/2012 A 30/11/ /10/2012 A 30/10/ /01/2013 A 31/01/ /12/2012 A 15/01/ /02/2013 A 01/03/ /02/2013 A 01/03/ /01/2012 E 31/01/2012 ATIVIDADES/LOCAL Encontro com Diretos no Encontro de Planejamento do IFMA, será discutida alguns aspectos do PRONATEC. Local: Buriticupu. MA Entrega da Planilha Planejamento da Pactuação dos cursos. Local de entrega: ou Elaboração dos projetos do cursos FIC e CONCOMINTANTE Local de entrega: PROEN ou PROEXT Entrega da Prestação de Contas da Pactuação Local: PROPLAD e ou Elaboração e Termo da Pactuação 2013; Local: FNDE Envio de Crédito Orçamentário para os campi. Local: SIAFI. Início das turmas da Pactuação Local: CAMPI IFMA. Encontro dos Coordenadores Gerais e Adjuntos para Debates e da Execução Pedagógica no Programa em 2012 e Quinzenal Pagamento de Auxilio Financeiro aos Estudantes; Local: Crédito financeiro aos alunos 01 ao 5º dia Pagamento dos Bolsistas do mês anterior; útil Local Crédito financeiro aos bolsistas 07/11/2012 Encontro dos Coordenadores Gerais e Adjuntos para Debates e da E Execução Pedagógica e Administrativa do Programa em 2013 e 08/11/2012 Planejamento para pactuações Quadro 01 Calendário PRONATEC 2012/2013 9

10 3.2 Recomendações de Estrutura de Gestão PRONATEC O IFMA na condição de ofertante tem como sua principal função no PRONATEC oferecer um trabalho pedagógico de qualidade aos alunos. Partindo dessa primícia, a função de SUPERVISÃO, ORIENTAÇÃO, DOCÊNCIA e GESTÃO ESCOLAR (Especializações de Pedagogas e Pedagogos) que a estrutura gerencial deve ser formada. Não podemos deixar de lado as funções administrativas, como Compras, Pagamentos e Matrículas, uma vez que tais funções são de grande falia para a execução dos cursos. Como falamos acima as funções de Supervisão, Orientação, Docência e Gestão de Ensino não podem faltar no momento de elaborar o Planejamento da Equipe. Então, recomendamos que se haja pelo menos um curso no campus; planejar um Professor, Orientador. No caso específico do supervisor entendemos que esse pode variar proporcionalmente a cada dois cursos completos. Se não vejamos, imagine que um campus pactue apenas um curso, neste caso não recomendamos um supervisor uma vez que o Orientador pode fazer essa função acumulando com a sua e sempre com a ajuda do Coordenador Geral. Ver figura 01 abaixo: Quadro 02 Estrutura para 01 Curso Observe que essa é a estrutura mais simples e veja que nesta estrutura não possui um supervisor, porém recomendamos que o orientador juntamente com o Coordenador Geral faça essa função. Observe também que não fizemos a distinção entre FIC e Concomitante, não foi feita essa distinção porque entendemos que a única diferença está no número de semana dos bolsistas Coordenador Geral, Apoios e o orientador, pois o professor perceberá de acordo com a carga horária do curso. 10

11 No entanto, imagine que o campus tenha dois cursos pactuados, neste caso orientamos que se planeje um Supervisor para os dois cursos, veja a Figura 02 abaixo: Quadro 03 Estrutura para 02 cursos Vamos ver agora o caso que o campus tenha três cursos, orientamos que se planeje um Supervisor e um apoio SISTEC, porém neste momento é importante se colocar mais um apoio para compras. Quadro 04 - Estrutura para 03 cursos Essa estrutura pode ser alterada em relação ao Supervisor que pode ser posto em seu lugar um Coordenador Adjunto Pedagógico e também na parte administrativa que pode ser estruturada da melhor forma que possa atender as áreas mais precárias no campus. Lembre ainda que essa estrutura pode ser feita envolvendo cursos FIC e Concomitantes, porém observe que o número de semanas será com base na maior 11

12 carga horária, com exceção feia ao processor e o orientador do curso FIC que será de acordo com o seu curso. No caso que o campus tenha quatro cursos pactuados, orientamos que se Planeje um Coordenador Adjunto Pedagógico e dois Supervisores e um apoio SISTEC. Quadro 05 - Estrutura para 04 cursos No caso que o campus tenha cinco cursos pactuados, orientamos que se conserve essa estrutura, isto é, um Coordenador Adjunto Pedagógico e dois Supervisores e um apoio SISTEC. No caso que o campus tenha seis cursos pactuados, orientamos que se Planejem um Coordenador Adjunto Pedagógico e três Supervisores e um apoio SISTEC. E assim sucessivamente, lembrando que a ideia é que se tenha para cada dois cursos um supervisor. O Coordenador Geral, terá um para cada campus e será financiado pela reitoria, portando, se o campus tiver pelo menos um curso terá um Coordenador Geral. O Coordenador Adjunto Administrativo será um bolsista puro sangue que fará as atividades gerais, recomendamos que seja um Técnico Administrativo. Os demais apoios serão de acordo com o total de cursos Pactuados e conforme os organogramas acima. Lembrando que mesmo que os servidores não pertencerem a estrutura administrativa ou pedagógica do PRONATEC, estes são obrigados a executarem atividades no PRONATEC, SOB PENA DE RESPONDER PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR (PAD). As pessoas são que porventura participarem como bolsistas do PRONATEC IFMA são apenas referências dentro do processo. 12

13 Outra informação que não pode ser desconsiderada, é que as bolsas não podem trazer desestabilidade no sistema de Cargos e Funções do Governo Federal, uma vez que na maioria dos casos as CDs e FGs são para execução de várias atividades dentro do IFMA e as bolsas do PRONATEC em princípio, é para apenas uma. 3.3 Parâmetros para o Cálculo de Valores O preenchimento da Planilha de Planejamento PRONATEC deverá observar o valor igual ou menor que o número de horas-aluno pactuadas, considerado o valor de R$ 9,00 (estamos aguardando a Resolução FNDE que pode alterar esse valor) por hora-aula. Vale ressaltar, que o total pactuado representa um limite máximo, sendo que o campus deve apresentar números menores na planilha caso avaliem que não seja viável a realização total das vagas pactuadas. Total de vagas a serem ofertadas Considerando o total de vagas disponibilizado por turma; Total de horas-aluno a serem ofertadas Para cada curso pactuado multiplicar o número de vagas pelo número de horas-aula. Total a ser descentralizado Número equivalente ao total de horas-aluno multiplicado pelo valor da hora-aluno no dia de submissão do termo no SAPENET. No exemplo a seguir, apresentamos uma proposta de cursos de campus considerando os parâmetros citados: Curso Vagas Horas Valor do Curso Administrador de Banco de Dados ,00 Administrador de Redes ,00 Técnico em Agropecuária ,00 Técnico em Informática ,00 TOTAL CAMPUS ,00 Quadro 06 - Exemplo de cálculo de número de horas-aluno Como observamos o valor do curso é a multiplicação das VagasxHorasx9,00, o trabalho do coordenador é apenas dividir esse valor do curso por Natureza de Despesas (339018; ; ; e Planilha Planejamento PRONATEC: O Resultado do Planejamento Para que a utilização dos recursos seja feita de forma planejada e ordenada a Equipe Sistêmica da Reitoria criou a Planilha Modelo para Elaboração do Planejamento do Orçamento PRONATEC

14 É bom lembrar no momento de elaborar o planejamento de tais cursos, que RECURSOS serão necessário para executar os cursos, verifique se tais recursos já existem ou não no campus, pois tais recursos serão imprescindíveis no momento da efetivação do PRONATEC. Para facilitar essa tarefa (o Planejamento) pelos coordenadores de cursos foi elaborada a Planilha de Planejamento PRONATEC, conforme Quadro 07. Lembre-se: Cada curso terá sua própria planilha, use a ferramenta SALVA COMO para cada curso e observe as cores da Planilha e só ALTERE OS CAMPOS EM VERDE! Além disse não esqueça que para enviar a Planilha a Bolsa Formação tem que ser igual ao Total do Curso. Quadro 07 Planilha de Planejamento Recursos esses são: Humanos: Coordenadores, Supervisores, Orientadores, Professores, Apoio e Auxiliares; Material: Prédios, Salas, Material Didático e/ou Pedagógico etc; Financeiros: O orçamento que será necessário para atender despesas está nas ND: , ; ; ; e ; 14

15 4. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA PRONATEC O PRONATEC é uma ação do IFMA e por consequência a execução orçamentária e financeira deve ser executada no SETOR orçamentário e financeiro do campus. Isto, implica dizer que, se não há bolsistas na execução financeira, no setor de compras, na contabilidade ou qualquer outro setor, o pessoal desses setores tem a obrigação de fazer. As compras e licitações também devem ser feitas pelo campus e os valores das despesas feitas pelo PRONATEC são contabilizados juntamente com as demais para todos os efeitos, porém a Prestação de Contas é separada como outros convênios, isto quer dizer que os limites legais das dispensas, tomadas de preços e demais modalidades de licitações, devem levar em consideração as despesas do campus somadas com as despesas do PRONATEC. 4.1 Empenho Auxilio a Estudante Para facilitar o pagamento e a prestação de contas dos gastos com auxilio a estudante do PRONATEC foi criado os procedimentos acerca de empenhos e pagamento de Auxilio Financeiro a estudante. É sempre bom lembrar que o processo de empenho é separado do processo de pagamento. O processo de empenho tem o objetivo de mostrar a origem da despesa, bem como a base de cálculo dos valores estimados para gastos com alunos, para isso, vejamos os documentos que devem compor o processo de Empenho das despesas com Auxilio Financeiro a estudantes: 1) Memorando Padrão, cada coordenação do PRONATEC deve ter uma sequência de Memorando própria: 2) Análise da Demanda deve mostrar de forma clara como se originou o valor a ser empenhado. Quando o pagamento dos gastos com alimentação ser dado de forma pecuniária essa informação deverá constar nesta Análise. Lembrando que a princípio devem ser empenhados apenas os valores com transporte; 3) Relação de Cursos Pactuados cada campus deve separar os seus cursos e colocar anexo ao processo, CADA CAMPUS SELECIONARÁ APENAS SEUS CURSOS e excluirá as linhas dos restantes, quando essa informação vier da reitoria ; 4) Disponibilidade Orçamentária, essa disponibilidade deve vir após a análise da demanda, as informações de PTRES, UGR e PI, são obrigatoriamente as mesas da NC de envio, não permitida, no entanto, o detalhamento da despesa. Lembre-se o PRONATEC IFMA possui uma UG própria que deve constar na NE. 5) NC Nota de Créditos, imprimir a tela do SIAFI e destacar (com marcador de texto) a linha da conta ; 15

16 6) Autorização da Despesa, esse documento constitui um despacho do Diretor Geral autorizando o empenho, se preferir a própria assinatura do empenho serve como autorização de despesa, neste caso essa autorização será apenas o despacho do Diretor Geral para que seja feito o empenho; 7) Nota de Empenho, assinado pelo Gestor Financeiro e Ordenador de Despesa; Outras Informações: O processo de empenho deve ser protocolado e deve está numerado; Não podemos fazer o detalhamento das despesas, isto é, o Orçamento do PRONATEC deve ser empenhado como está no crédito disponível (conta: ), portanto, não devemos fazer o DETAORC ; O tipo de empenho deve ser ESTIMATIVO, a Modalidade é NÃO SE APLICA a Natureza de Despesa é , o subitem é XX e a UG deve ser: ; Os processos de pagamento devem ser anexados neste processo de empenho e a numeração deve ser a deste. Quando o processo de pagamento for Protocolado desconsidera-se a sua numeração. Quando esse processo ultrapassar a página 200 deve-se criar outro volume. Este processo deve ficar no setor de CONTABILIDADE em caixas identificadas com o nome de NÃO SE APLICA PRONATEC 201X (ano da pactuação) para futuras prestações de contas e conformidades. 4.2 Instruções para Pagamento de Auxilio ao Estudante Senhores, o que iremos conversar agora será os procedimentos para pagamento da assistência aos Alunos; é de fundamental importância entender que esse pagamento é o conjunto de variáveis que envolvem circunstâncias legais e institucionais além da necessidade da região e principalmente, a do aluno. Por esse motivo pedimos que leia essas instruções com muita atenção. O primeiro aspecto que devemos entender é que cada ano (2011, 2012 e possivelmente 2013) o valor para pagamento por dia para o aluno estar alterando (por exemplo: 2011 o valor era: 8,50; em 2012 o valor era: 9,00 e 2013 possivelmente será: 10,00). Em 2011 e 2012 esta equipe utilizou esse critério para cálculo do ressarcimento ao aluno. Porém no Planejamento de 2013 os campi deve colocar a média do transporte e alimentação da sua região. Às turmas da pactuação 2012 e 2013 pretendemos fornecer o Auxílio Alimentação do PRONATEC de forma direta isto é, garantindo para os alunos o lanche. Para que isso seja possível pedimos que a coordenação do PRONATEC dos campi nos envie via com cópia para a relação de turmas, com as quantidades de alunos, o local e o horário que ocorrerá às turmas para que possamos providenciar essa logística. 16

17 Solicitamos ainda que esse seja com no mínimo uma semana de antecedência do inicio da turma. Já sabemos que para as pactuações 2012 e 2013, pretendemos fornecer o auxilio transporte de forma indireta, isto é, creditando na conta ou no CPF do aluno o valor do transporte aprovado pelo aluno no momento da matrícula multiplicado pelo número de dias úteis do perído que o aluno estudou. Cálculo feito automaticamente pela Relação de Alunos. Nota 01: Para os campi Maracanã, Monte Castelo e Centro Histórico o valor deve ser preferencialmente 4,20. Agora vamos para as documentações que devem compor um processo de Pagamento de Assistência ao Aluno PRONATEC: Primeiramente, é importante que já exista um processo que originou um empenho para Assistência os Alunos PRONATEC (processo original) ver item ) Memorando Padrão: É de conhecimento de todos que a Coordenação do PRONATEC dos campi deve ter uma sequência de memorando própria. Então, este memorando deve ser dessa sequência e protocolado. Neste memorando deve está claro as turmas e as competência fazendo correlação coma Relação de Alunos conforme abaixo. Esse memorando deve ser feito pela Coordenação Geral do Campi ver apêndice 02. 2) Justificativa de Pagamento: É um documento elaborado pela coordenação da turma explicando o motivo que não foram garantidas ao aluno de forma direta o auxilio transporte e/ou auxilio alimentação. 3) Relação de Alunos: Esta relação de alunos é uma planilha padronizada por essa equipe sistêmica que está formatada para facilitar o pagamento das assistências aos alunos tal planilha é obrigatória para todos os campi. Essa relação deve ser feita pela Coordenação da turma. Conforme segue; Quadro 08 Relação de Alunos 17

18 a) COMPETÊNCIA: É o intervalo em dias que será pago a Assistência ao aluno, é importante colocar essa competência sempre dentro do mesmo mês; sempre de no máximo 15 dias e colocar a data de início e data de fim: Exemplo: 02/07/2012 a 13/07/2012. b) CURSO: Neste campo deve ser colocado o curso, com está pactuado. É importante lembrar que todo curso deve ter uma Relação de Alunos; c) DIAS ÚTEIS: É o número de dias úteis da competência em questão. No Exemplo (de 02 a 13 de julho de 2012) a quantidade de dias úteis será: 10. d) NOME DO ALUNO: Colocar o nome completo do aluno; e) CPF: Esse dado é obrigatório, f) DADOS BANCÁRIOS: Preencher somente se o aluno estiver conta bancário, se não a possuir, deixar em branco. Neste caso o aluno receberá a Assistência na boca do caixa com o seu CPF (uma OBP ); g) FALTAS: Após analisado o Diário de Classe o Coordenador Geral ou quem ele dê essa competência saberá quantas faltas que o aluno obteve naquela competência; h) VALOR TRANSPORTE: Neste campo será incluído o valor do auxílio transporte por dia. Como já foi dito o valor desse auxílio será de R$ 4,20 para os campi situados em São Luís e para os demais campi o valor será conforme aprovado no momento da matrícula; i) VALOR ALIMENTAÇÃO: Aqui é o local onde será colocado o valor do Auxílio Alimentação por dia. Neste caso o Coordenador Geral ou quem ele dê essa competência deve observar duas coisas: (1) Se essa turma for procedente da pactuação 2011 ou 2012; neste caso o valor será de R$ 3,80 ou 4,80 para os campi do município de São Luís, e de R$ 3,00 ou 4,00 para os demais campi. Se a turma é da pactuação 2013 o valor será conforme matrícula, não pode ser maior que o planejado. j) VALOR A RECEBER: Essa informação será calculada automaticamente, se os dados anteriores forem colocados corretamente, não colocando nos campos: DIAS ÚTEIS, FALTAS, TRANSPORTE E ALIMENTAÇÃO dados tipo texto. 4) Diários de Classe: Na verdade o que irá para esse processo é apenas a cópia do Diário de Classe (ou documento equivalente utilizado no campus) daquela competência. 5) Despachos: Depois de protocolado, o diretor geral do campus despacha para os DGP e esse para o setor financeiro para o pagamento. 6) NS (RP), LC e OB: Telas geradas pela SIAFI ou Novo CPR durante e após a apropriação e o pagamento. 7) Liquidação Contábil da Despesa: É um Despacho do contador do Campus antes do Pagamento. 18

19 Outras informações: O processo de pagamento de assistência ao Aluno deve ser apensado ao processo original (processo de empenho) e a numeração deve prevalecer a do processo original; Como se trata de uma ajuda de custo o aluno que faltar a aula não fará jus a esse valor; Os processos de pagamento devem ser anexados neste processo de empenho e a numeração deve ser a deste. Quando o processo de pagamento for Protocolado desconsidera-se a sua numeração. Quando esse processo ultrapassar a página 200 deve-se criar outro volume. 4.3 Empenho da Bolsa aos Profissionais Para facilitar o pagamento e a prestação de contas dos gastos com bolsistas criamos procedimentos para os executores dos campi não terem dúvidas no momento de empenhar os valores aos Profissionais Bolsistas PRONATEC. O processo de empenho tem o objetivo de mostrar a origem da despesa, bem como a base de cálculo dos valores estimados para gastos com Bolsistas Profissionais, para isso, vejamos os documentos que devem compor o processo de Empenho das despesas com Bolsas aos Profissionais: 1) Memorando Padrão, cada coordenação do PRONATEC deve ter uma sequência de Memorando própria e deve seguir o modelo criado pela Equipe Sistêmica; 2) Análise da Demanda deve mostrar de forma clara como se originou o valor a ser empenhado. Não há necessidade de esperar sair o edital ou a portaria para fazer os empenhos, a Análise da Demanda pode se entendida como uma estimativa de gasto. 3) Disponibilidade Orçamentária, essa disponibilidade está anexo e deve vir após a análise da demanda, as informações de PTRES, UGR e PI, são obrigatoriamente as mesmas da NC de envio, não permitida, no entanto, o detalhamento da despesa; 4) Autorização das Despesas, esse documento constitui um despacho do Diretor Geral autorizando o empenho, se preferir a própria assinatura do empenho serve como autorização de despesa, neste caso essa autorização será apenas o despacho do Diretor Geral para que seja feito o empenho; 5) Nota de Empenho, assinado pelo Gestor Financeiro e Ordenador de Despesa; 19

20 Outras Informações: O tipo de empenho deve ser ESTIMATIVO, a Modalidade é NÃO SE APLICA e a Natureza de Despesa é , o Subitem 01 e a UG deve ser: ; Os processos de pagamento devem ser anexados neste processo de empenho e a numeração deve ser a deste. Quando o processo de pagamento for Protocolado desconsidera-se a sua numeração. Quando esse processo ultrapassar a página 200 deve-se criar outro volume. Este processo deve ficar no setor de CONTABILIDADE em caixas identificadas com o nome de NÃO SE APLICA PRONATEC 201X (ano da pactuação) para futuras prestações de contas e conformidades. 4.4 Instruções para Pagamento da Bolsa Profissional Senhores, o pagamento da bolsa aos Profissionais do PRONATEC consiste no débito na conta do Bolsista tomando por base os valores constantes no art. 15º da Resolução FNDE N.º 04 DE 16/03/2012 multiplicado pelo número de horas executado no mês de referência. Neste sentido o processo desse pagamento deve comprovar todos essas informações através de documentos hábeis conforme abaixo: É importante lembrar que os pagamentos de bolsistas devem ser feitos mensalmente em apenas um processo por Campi e até o 5ª dia útil do mês subsequente à atividade executada. Nos casos que o(s) bolsista(s) não conseguir (em) entregar os documentos necessários para os seu pagamento (Frequência, Diário de Classe, etc) recomendamos que essas horas trabalhadas sejam consolidadas e pagas no mês posterior. É importante que já exista um processo que originou um empenho para pagamento de Bolsas Profissionais (processo original) Veja como se faz o processo original consultando o item 4.3: 1) Memorando Padrão: É de conhecimento de todos que a Coordenação do PRONATEC dos campi deve ter uma sequência de memorando própria. Então, este memorando deve ser dessa sequência e protocolado conforme modelo elaborado pela Equipe Sistêmcia. Neste memorando deve está claro a COMPENTÊNCIA fazendo correlação coma Relação de Bolsistas conforme abaixo. Esse memorando deve ser feito pela Coordenação Geral do campi. 2) Relação de Bolsistas: Esta relação de Bolsistas é uma planilha Sistematizada e padronizada pela equipe sistêmica e está formatada para facilitar o pagamento dos Bolsistas Profissionais: 20

Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC

Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC Orientações para Trâmites dos Projetos com recursos da UDESC 1. Introdução Serão considerados projetos com recursos da UDESC para fins destas orientações aqueles que integram: 1.1 Programa de Apoio à Pesquisa

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A DESCENTRALIZAÇÃO DE RECURSOS DA BOLSA FORMAÇÃO NO ÂMBITO DA REDE FEDERAL

ORIENTAÇÕES PARA A DESCENTRALIZAÇÃO DE RECURSOS DA BOLSA FORMAÇÃO NO ÂMBITO DA REDE FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ORIENTAÇÕES PARA A DESCENTRALIZAÇÃO DE RECURSOS DA BOLSA FORMAÇÃO NO ÂMBITO DA REDE FEDERAL Março de 2012 SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

Questões Orçamentárias da Bolsa- Formação/Pronatec - Rede Federal

Questões Orçamentárias da Bolsa- Formação/Pronatec - Rede Federal Questões Orçamentárias da Bolsa- Formação/Pronatec - Rede Federal Ministério da Educação, 2012 Apresentação Este documento tem como objetivo orientar os Institutos Federais, as Escolas Vinculadas às Universidades

Leia mais

1 - DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR 1.1 - DISPOSIÇÕES INICIAIS

1 - DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR 1.1 - DISPOSIÇÕES INICIAIS 1 - DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE AUXÍLIO FINANCEIRO A PESQUISADOR 1.1 - DISPOSIÇÕES INICIAIS Todo beneficiário de auxílio financeiro a pesquisador concedido pelo IFAM está obrigado a prestar contas, conforme

Leia mais

CONTER. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia CNPJ: 03.635.323/0001-40. Página:1/5

CONTER. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia CNPJ: 03.635.323/0001-40. Página:1/5 Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia CNPJ: 03.635.323/0001-40 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 6.780.80 2.392.725,12 2.392.725,12 4.388.074,88 VENCIMENTOS E VANTAGENS

Leia mais

Perguntas e respostas sobre o Pronatec

Perguntas e respostas sobre o Pronatec Perguntas e respostas sobre o Pronatec 1 O que é o Pronatec? Pronatec é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. Foi criado em 26 de outubro de 2011 por meio da Lei 12.513. Seu funcionamento

Leia mais

Comparativo da Despesa Empenhada

Comparativo da Despesa Empenhada Conselho Federal de Psicologia CNPJ: 00.393.272/0001-07 Comparativo da Empenhada Período: 01/01/2014 a 31/12/2014 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 22.971.460,84 6.546.770,91 6.2.2.1.1.01 - CRÉDITO

Leia mais

Comparativo da Despesa Liquidada. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto. Materiais Elétricos e de Telefonia

Comparativo da Despesa Liquidada. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto. Materiais Elétricos e de Telefonia Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Sergipe CNPJ: 14.817.219/0001-92 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.148.289,97 885.632,24 DESPESA CORRENTE 948.289,97 685.632,24 PESSOAL

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Pará CNPJ: 14.974.293/0001-12 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 922.380,03 665.569,81 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE 541.961,33 188.309,60

Leia mais

GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Brasília 14 de agosto de 2014 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E EXECUÇÃO FINANCEIRA Ocorrem concomitantemente; e Estão intrinsecamente relacionadas uma à outra. A despesa não poderá

Leia mais

Organograma do Pronatec/CEDAF 2014

Organograma do Pronatec/CEDAF 2014 Organograma do Pronatec/CEDAF 2014 Supervisor Financeiro Coordenação Geral Apoio Administrativo Supervisor de TI Apoio Financeiro Orientador Pedagógico Apoio Administrativo Avaliação dos Cursos Coordenação

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET LEGISLAÇÃO Lei nº11.180/2005 O professor tutor, de acordo com o 1º do art. 12 da Lei n o 11.180/2005, receberá semestralmente um montante de recursos equivalente

Leia mais

COREN/BA. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Enfermagem da Bahia CNPJ: 15.679.277/0001-60. Página:1/5

COREN/BA. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Enfermagem da Bahia CNPJ: 15.679.277/0001-60. Página:1/5 Conselho Regional de Enfermagem da Bahia CNPJ: 15.679.277/0001-60 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 15.929.386,19 14.609.228,50 14.609.228,50 1.320.157,69 6.2.2.1.1.31

Leia mais

Comparativo da Despesa Empenhada

Comparativo da Despesa Empenhada Conselho Federal de Psicologia CNPJ: 00.393.272/0001-07 Comparativo da Empenhada Período: 01/01/2013 a 31/12/2013 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 23.529.630,47 354.627,97 6.2.2.1.1.01 - CRÉDITO

Leia mais

EDITAL Nº 193, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015

EDITAL Nº 193, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO Avenida Professor Mário Werneck, nº

Leia mais

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013)

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1. Conceito Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1.1 Adiantamento consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho gravado

Leia mais

ANEXO ELEMENTOS DE RECEITA E DESPESA E CONCEITUAÇÃO. A classificação das Receitas obedecerá ao seguinte esquema:

ANEXO ELEMENTOS DE RECEITA E DESPESA E CONCEITUAÇÃO. A classificação das Receitas obedecerá ao seguinte esquema: ANEXO ELEMENTOS DE RECEITA E DESPESA E CONCEITUAÇÃO 1. RECEITAS 1.1 CLASSIFICAÇÃO DAS RECEITAS A classificação das Receitas obedecerá ao seguinte esquema: a) RECEITAS CORRENTES: Receitas Tributárias Receitas

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Ano do Exercício: 2014 CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA 4ª REGIAO AVENIDA AMAZONAS, 298-15º ANDAR BELO HORIZONTE-MG Telefone: (31) 3207-5000 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Período: 01/10/2014

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Ano do Exercício: 2014 CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA 4ª REGIAO AVENIDA AMAZONAS, 298-15º ANDAR BELO HORIZONTE-MG Telefone: (31) 3207-5000 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Período: 01/06/2014

Leia mais

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20.

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.425.208,00 2.742.999,95 2.742.999,95 3.682.208,05 CRÉDITO

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga

Comparativo da Despesa Paga Conselho Regional de Medicina Veterinária de MS CN: 03.981.172/0001-81 Comparativo da Paga Período: 01/01/2014 a 31/12/2014 CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 4.933.457,03 2.276.488,44 DESPESAS CORRENTES 3.390.110,50

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 72 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 72 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO CD/FNDE Nº 72 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2011 Altera a Resolução CD/FNDE nº 62, de 11 de novembro de 2011.

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 46/2015 E REABERTURA DE INSCRIÇÕES

RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 46/2015 E REABERTURA DE INSCRIÇÕES PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE BOLSISTAS DO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRONATEC, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA IF FARROUPILHA RETIFICAÇÃO

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Ano do Exercício: 2013 CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA 4A REGIAO AVENIDA AMAZONAS, 298-15º ANDAR BELO HORIZONTE-MG Telefone: (31) 3207-5000 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Período: 01/01/2013

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 325, DE 27 DE AGOSTO DE 2001

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 325, DE 27 DE AGOSTO DE 2001 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 325, DE 27 DE AGOSTO DE 2001 (DOU de 28.08.2001) Altera os Anexos I, II e III da Portaria Interministerial no 163, de 4 de maio de 2001, que dispõe sobre normas gerais de consolidação

Leia mais

CRP/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76. Página:1/5

CRP/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76. Página:1/5 Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 10.218.906,43 571.837,92 3.904.353,83 6.314.552,60 6.2.2.1.1.01

Leia mais

CRF/PR. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68. Página:1/6. Funções.

CRF/PR. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68. Página:1/6. Funções. Conselho Regional de Farmácia do Paraná CNPJ: 76.693.886/0001-68 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 14.028.00 12.940.689,80 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 13.375.00 1.082.192,20 1.082.192,20

Leia mais

CRM/SC. Comparativo da Despesa Liquidada CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SANTA CATARINA CNPJ: 79.831.566/0001-15. Página:1/5 OU FUNÇÃO

CRM/SC. Comparativo da Despesa Liquidada CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SANTA CATARINA CNPJ: 79.831.566/0001-15. Página:1/5 OU FUNÇÃO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SANTA CATARINA CNPJ: 79.831.566/0001-15 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 15.170.00 1.795.345,62 3.134.978,61 12.035.021,39 PESSOAL

Leia mais

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada

Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMOVEIS - 4ª REGIÃO RUA CARIJOS 244 10º ANDAR EDIFICIO WALMAP BELO HORIZONTE-MG Telefone: (31) 3271-6044 Comparativo da Despesa Autorizada/Realizada Ano do : 2014 : 01/01/2014

Leia mais

Comparativo de Despesas Abril/2015

Comparativo de Despesas Abril/2015 Click to edit Master text styles Second level Third level Fourth level» Fifth level Comparativo de s Abril/2015 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil CNPJ: 14.702.767/0001-77 Comparativo da Liquidada

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.819.026,06 1.569.128,55 DESPESA CORRENTE 1.082.835,00 832.937,49

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação de Natal - 13º Salário. Material de Limpeza e Produtos de Higiene. Material de Áudio, Vídeo e Foto Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.819.026,06 102.069,64 491.340,38 1.327.685,68 DESPESA CORRENTE

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 04, DE 03 DE JULHODE 2015.

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 04, DE 03 DE JULHODE 2015. EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 04, DE 03 DE JULHODE 2015. O Diretor Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus Imperatriz - MA, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

CFQ. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA CNPJ: 33.839.275/0001-72. Página:1/6. Evite imprimir. Colabore com o meio ambiente.

CFQ. Comparativo da Despesa Paga CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA CNPJ: 33.839.275/0001-72. Página:1/6. Evite imprimir. Colabore com o meio ambiente. CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA CNPJ: 33.839.275/0001-72 Comparativo da Paga 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 18.718.78 3.991.255,30 3.991.255,30 14.727.524,70 6.2.2.1.1.31 - PESSOAL E ENCARGOS

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE.

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE. GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS FINANCEIROS REPASSADOS PELO CREA-RS ÀS ENTIDADES DE CLASSE. Gerência de Contabilidade Março/2014 APRESENTAÇÃO A finalidade deste guia é orientar

Leia mais

Calendário de Compras de 2015 da UNIPAMPA

Calendário de Compras de 2015 da UNIPAMPA FL. nº Orientação Complementar 09 Calendário de Compras de 2015 da UNIPAMPA CONSIDERANDO: 1) O grande volume de itens já adquiridos nos últimos anos e os Pedidos de Compras de 2014 que ainda estão em processamento

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa 17

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 025/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as atribuições e designações dos procedimentos

Leia mais

Rua Otaviano Catilho Mendes, 355, São Borja - RS Fone/FAX: (55) 34310500

Rua Otaviano Catilho Mendes, 355, São Borja - RS Fone/FAX: (55) 34310500 PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE BOLSISTAS DO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRONATEC, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA IF FARROUPILHA EDITAL

Leia mais

CRM/PE. Comparativo da Despesa Liquidada. Conselho Regional de Medicina / PE CNPJ: 09.790.999/0001-94. Página:1/5

CRM/PE. Comparativo da Despesa Liquidada. Conselho Regional de Medicina / PE CNPJ: 09.790.999/0001-94. Página:1/5 Conselho Regional de Medicina / PE CNPJ: 09.790.999/0001-94 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 10.058.608,00 1.802.123,32 1.802.123,32 8.256.484,68 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO Página: 1 RELAÇÃO DE CONTAS CADASTRADAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO Página: 1 RELAÇÃO DE CONTAS CADASTRADAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO Página: 1 1000000000 RECEITAS CORRENTES 1300000000 RECEITA PATRIMONIAL 1310000000 Receitas Imobiliárias 1311000000 Aluguéis 1312000000 Arrendamentos 1315000000

Leia mais

CRM/PE. Comparativo da Despesa Liquidada. Conselho Regional de Medicina / PE CNPJ: 09.790.999/0001-94. Página:1/5

CRM/PE. Comparativo da Despesa Liquidada. Conselho Regional de Medicina / PE CNPJ: 09.790.999/0001-94. Página:1/5 Conselho Regional de Medicina / PE CNPJ: 09.790.999/0001-94 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL - DESPESAS CORRENTES 10.058.608,00 743.489,20 2.545.612,52 7.512.995,48 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

Leia mais

FORMATO RELATÓRIOS DEMONSTRATIVOS

FORMATO RELATÓRIOS DEMONSTRATIVOS INSTRUÇÕES PARA A EXECUÇÃO FINANCEIRA/PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS TRANSFERIDOS PELO MINISTÉRIO/ORGANISMOS INTERNACIONAL REFERENTE AOS CONTRATOS DE FINANCIAMENTO DE ATIVIDADES FORMATO RELATÓRIOS DEMONSTRATIVOS

Leia mais

Comparativo da Despesa Empenhada 6.2.2.1.1.01.03.08 - JUROS E ENCARGOS DE MORA. 6.2.2.1.1.01.03.08.001 - Juros e Encargos de Obrigações Tributárias

Comparativo da Despesa Empenhada 6.2.2.1.1.01.03.08 - JUROS E ENCARGOS DE MORA. 6.2.2.1.1.01.03.08.001 - Juros e Encargos de Obrigações Tributárias Conselho Regional de Psicologia 7ª Região - CRPRS CNPJ: 03.230.787/0001-76 Comparativo da Empenhada 6.2.2.1.1 - CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 9.203.231,79 2.660.301,37 6.2.2.1.1.01 - CRÉDITO DISPONÍVEL

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE CURSO E OFERTA DE TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE CURSO E OFERTA DE TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE CURSO E OFERTA DE TURMA DE ESPECIALIZAÇÃO (Conforme a Resolução 42/03-COUN, de 05 de novembro de 2003 e suas alterações). I. PROCEDIMENTO PARA CRIAÇÃO DE NOVO CURSO: A. ABERTURA

Leia mais

Demonstrativo da Execução Orçamentária - GERAL (no Mês / até o Mês) - OPÇÃO 01. Recebido

Demonstrativo da Execução Orçamentária - GERAL (no Mês / até o Mês) - OPÇÃO 01. Recebido GOVERNO DE ESTADO DO AAZONAS Demonstrativo da Execução Orçamentária - GERAL (no ês / até o ês) - OPÇÃO 01 ADINISTRAÇÃO FINANCEIRA INTEGRADA Unidade Gestora: 011304 - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AAZONAS Unidade

Leia mais

CRF/PB. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39. Página:1/6

CRF/PB. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39. Página:1/6 Conselho Regional de Farmácia da Paraíba CNPJ: 08.338.774/0001-39 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 4.500.00 3.539.976,99 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES 3.533.00 955.295,01 955.295,01

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

IF SERTÃO-PE PRONATEC 2015

IF SERTÃO-PE PRONATEC 2015 CONSIDERAÇÕES Em cumprimento ao Regulamento Interno do Pronatec / IFSERTÃO-PE, a partir de 2015 ocorrerá a descentralizados de recursos financeiros, além de outras ações, definindo assim os Campi como

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 45, DE 06 DE AGOSTO DE 2013

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 45, DE 06 DE AGOSTO DE 2013 . O Diretor Pró-Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus AÇAILÂNDIA, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas no período de 06 a 15 de agosto

Leia mais

Comparativo da Despesa Liquidada. Gratificação por Tempo de Serviço JUROS E ENCARGOS DE EMPRESTIMOS POR ANTECIPACAO DE RECEITA ORCAMENTARIA

Comparativo da Despesa Liquidada. Gratificação por Tempo de Serviço JUROS E ENCARGOS DE EMPRESTIMOS POR ANTECIPACAO DE RECEITA ORCAMENTARIA Conselho Regional de Psicologia / ES CNPJ: 06.964.242/0001-81 Comparativo da Liquidada CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 1.687.048,66 1.151.487,32 1.151.487,32 535.561,34 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE

Leia mais

Rua Otaviano Catilho Mendes, 355, São Borja - RS Fone/FAX: (55) 34310500

Rua Otaviano Catilho Mendes, 355, São Borja - RS Fone/FAX: (55) 34310500 PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE BOLSISTAS DO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRONATEC, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA IF FARROUPILHA EDITAL

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Campus Sapucaia do Sul

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Campus Sapucaia do Sul Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Campus Sapucaia do Sul EDITAL n 39/ 2014 - SELEÇÃO EXTERNA TEMPORÁRIA DE PROFESSORES O Instituto Federal Sul-rio-grandense

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - PARAIBA Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2012

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - PARAIBA Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2012 COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2012 Pág. : 1 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 2.600.000,00 238.142,92 1.067.781,32 41,07 1.532.218,68 6.2.1.1 CONTRIBUIÇÕES 2.172.925,79 205.317,79

Leia mais

Conformidade dos Registros de Gestão GENOC/DCOG

Conformidade dos Registros de Gestão GENOC/DCOG Conformidade dos Registros de Gestão GENOC/DCOG 1 O que é Conformidade? 2 Motivação 1. Diagnóstico de ausência de documentação suporte nas UGs e ausência de assinaturas nas Notas de Empenho e Ordens Bancárias

Leia mais

PLANO DE CONTAS UNIFICADO DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA.

PLANO DE CONTAS UNIFICADO DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA. PLANO DE CONTAS UNIFICADO DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA. DEMONSTRATIVO ANALÍTICO DA RECEITA EXERCÍCIO BASE 1000.00.00 1200.00.00 1210.00.00 1210.40.00 1210.40.10

Leia mais

4.1.5 RECEITAS PATRIMONIAIS

4.1.5 RECEITAS PATRIMONIAIS 1 ORÇAMENTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2012 DEMONSTRATIVO ANALÍTICO DA RECEITA CATEGORIA ECONÔMICA CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO DOTAÇÃO 4 RECEITAS 8.859.280,00 4.1 RECEITAS CORRENTES

Leia mais

CHAMADA INTERNA DE EXTENSÃO 004/2013 SELEÇÃO DE SERVIDORES BOLSISTAS PARA O PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRONATEC

CHAMADA INTERNA DE EXTENSÃO 004/2013 SELEÇÃO DE SERVIDORES BOLSISTAS PARA O PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRONATEC CHAMADA INTERNA DE EXTENSÃO 004/2013 SELEÇÃO DE SERVIDORES BOLSISTAS PARA O PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO PRONATEC O Pró-Reitor de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO IFMA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO IFMA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS EDITAL N 03, DE 07 DE MARÇO DE 2012. SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE SERVIDORES PARA ATUAREM NO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TECNICO E EMPREGO - PRONATEC A Diretora Pró-Tempore do Instituto Federal de

Leia mais

Orçamento da Ordem dos Advogados do Brasil Secção do Ceará. Exercício 2010. Demonstrativo Analítico da Receita

Orçamento da Ordem dos Advogados do Brasil Secção do Ceará. Exercício 2010. Demonstrativo Analítico da Receita CEARA Orçamento da Ordem dos Advogados do Brasil Secção do Ceará Exercício 2010 Demonstrativo Analítico da Receita CATEGORIA ECONÔMICA CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO DOTAÇÃO (R$) 4 RECEITAS 8.727.000,00 4.1 RECEITAS

Leia mais

Orientações básicas para a Prestaçã o de Contas de Convênios

Orientações básicas para a Prestaçã o de Contas de Convênios A elaboração da prestação de contas é sempre responsabilidade do gestor que está em exercício na data definida para sua apresentação, quer ele tenha assinado ou não o termo de convênio. Para a prestação

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL N 10, DE 30 DE JANEIRO DE 2013.

EDITAL INSTITUCIONAL N 10, DE 30 DE JANEIRO DE 2013. EDITAL INSTITUCIONAL N 10, DE 30 DE JANEIRO DE 2013. SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE SERVIDORES ATIVOS E INATIVOS DO IFMA PARA ATUAREM COMO PROFESSORES NOS CURSOS DO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO

Leia mais

1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CAMPUS SÃO LUÍS CENTRO HISTÓRICO SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE SERVIDORES ATIVOS E INATIVOS DO IFMA PARA ATUAREM NO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - O Diretor

Leia mais

Instrumento de Avaliação

Instrumento de Avaliação Monitoramento e Avaliação do Bolsa-Formação 2012 - Instrumento_de_Avaliação - # 42 Instrumento de Avaliação {{>toc}} I - Contextualização da Unidade Ofertante a. Nome da mantenedora; b. Base legal da mantenedora

Leia mais

CRF/PE. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71. Página:1/6

CRF/PE. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71. Página:1/6 Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco CNPJ: 09.822.982/0001-71 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.366.25 1.102.995,57 2.609.238,49 3.757.011,51 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESAS CORRENTES

Leia mais

ELEMENTOS DE DESPESA

ELEMENTOS DE DESPESA ELEMENTOS DE DESPESA Tem por finalidade identificar o desdobramento da despesa com auxílios, diárias, pessoal, material de consumo, serviços de terceiros (prestados por pessoas físicas e/ou pessoas jurídicas),

Leia mais

EDITAL Nº 224, DE 24 DE SETEMBRO DE 2013

EDITAL Nº 224, DE 24 DE SETEMBRO DE 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº 224, DE 24 DE SETEMBRO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 20, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 20, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 20, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre a realização dos Estágios destinados a estudantes regularmente matriculados na Universidade Federal do Pampa e sobre os Estágios realizados no âmbito

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DOS MUNICÍPIOS DMU Rua Bulcão Viana, 90, Centro Florianópolis Santa Catarina. Fone: (048) 3221-3764 Fax: (048) 3221-3730. Home-page:

Leia mais

6,37 0,01 6,36 551.959,49 2.074.160,73 1.471.280,76 1.154.839,46 51.738,32 22.836,64 11.427,71 40.329,39 111129900000 OUTROS BANCOS CONTA MOVIMENTO

6,37 0,01 6,36 551.959,49 2.074.160,73 1.471.280,76 1.154.839,46 51.738,32 22.836,64 11.427,71 40.329,39 111129900000 OUTROS BANCOS CONTA MOVIMENTO 111110100000 CAIXA 6,37 0,01 6,36 111120200000 BANCO DO BRASIL S/A 551.959,49 2.074.160,73 1.471.280,76 1.154.839,46 111120300000 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL 51.738,32 22.836,64 11.427,71 40.329,39 111129900000

Leia mais

MANUAIS DCCAc/PROPLAN Nº 4: TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS DA CONTA ÚNICA DA UFPE PARA A FUNDAÇÃO DE APOIO ATRAVÉS DE CONVÊNIO (SICONV)

MANUAIS DCCAc/PROPLAN Nº 4: TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS DA CONTA ÚNICA DA UFPE PARA A FUNDAÇÃO DE APOIO ATRAVÉS DE CONVÊNIO (SICONV) MANUAIS DCCAc/PROPLAN Nº 4: TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS DA CONTA ÚNICA DA UFPE PARA A FUNDAÇÃO DE APOIO ATRAVÉS DE CONVÊNIO (SICONV) I. Informações Iniciais I.I Este manual abrange os projetos financiados

Leia mais

ESTADO DE RORAIMA GOVERNADOR DO ESTADO JOSÉ DE ANCHIETA JÚNIOR VICE-GOVERNADOR DO ESTADO FRANCISCO DE ASSIS ROGRIGUES

ESTADO DE RORAIMA GOVERNADOR DO ESTADO JOSÉ DE ANCHIETA JÚNIOR VICE-GOVERNADOR DO ESTADO FRANCISCO DE ASSIS ROGRIGUES ESTADO DE RORAIMA GOVERNADOR DO ESTADO JOSÉ DE ANCHIETA JÚNIOR VICE-GOVERNADOR DO ESTADO FRANCISCO DE ASSIS ROGRIGUES CONTROLADORIA GERAL DO ESTADO DE RORAIMA Controladora Geral MARIA PERPÉTUA S. G. MAGALHÃES

Leia mais

PAGAMENTOS (SIAFI) 1 APRESENTAÇÃO

PAGAMENTOS (SIAFI) 1 APRESENTAÇÃO PAGAMENTOS (SIAFI) 1 APRESENTAÇÃO 1.1 O subsistema Contas a Pagar e a Receber (CPR) do Sistema Integrado de Administração Financeira (SIAFI) que permite o gerenciamento de compromissos de pagamento e recebimento,

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 84, DE 23 DE JULHO DE

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 84, DE 23 DE JULHO DE O Diretor Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus São Luís Centro Histórico, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas no período de 24/07/2014

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO Nº 05, DE 08 DE MARÇO DE 2012.

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO Nº 05, DE 08 DE MARÇO DE 2012. SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE SERVIDORES ATIVOS E INATIVOS DO IFMA PARA ATUAREM COMO PROFESSORES NOS CURSOS DO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC O Diretor Pró-Tempore do Instituto

Leia mais

Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada... 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 5.300.000,00 364.180,63 2.350.309,73 44,35 2.949.

Conta Descrição Fixada + Alterações...Realizada... 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 5.300.000,00 364.180,63 2.350.309,73 44,35 2.949. COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2013 Pág. : 1 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 5.300.000,00 364.180,63 2.350.309,73 44,35 2.949.690,27 6.2.1.1 CONTRIBUIÇÕES 4.370.000,00 324.736,22

Leia mais

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1º PASSO: Recebimento do e-mail de aprovação do projeto. 2º PASSO: Preenchimento e assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro e do Cadastro de Portador, que

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS - PARCIAL OU FINAL

PRESTAÇÃO DE CONTAS - PARCIAL OU FINAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico Tel. : (061)214-8806 ou 225-3353

Leia mais

COORDENADORIA DE EXTENSÃO. Edital Nº 015/2013

COORDENADORIA DE EXTENSÃO. Edital Nº 015/2013 COORDENADORIA DE EXTENSÃO Edital Nº 015/2013 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTA, NA MODALIDADE DOCENTE PARA O CURSO DE ESPANHOL APLICADO AO TURISMO PARA ATUAR NO PROGRAMA NACIONAL

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE EM PERNAMBUCO Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2013

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE EM PERNAMBUCO Sistema de Contabilidade COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2013 COMPARATIVO DA RECEITA ORÇADA COM A REALIZADA RECEITA - Março - 2013 Pág. : 1 6.2.1 RECEITAS CORRENTES 6.075.000,00 385.244,45 3.028.821,45 49,86 3.046.178,55 6.2.1.1 CONTRIBUIÇÕES 4.949.000,00 295.008,08

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS PRESTAÇÃO DE CONTAS TEXTO 2 PRESTAÇÃO DE CONTAS E SUAS ESPECIFICIDADES INTRODUÇÃO Tomando como base a definição do Tesouro Nacional que designa a Prestação Contas como: Demonstrativo organizado pelo próprio

Leia mais

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação, Pagamento, Ingresso de Recursos e Relatórios

Portal dos Convênios - Siconv. Execução - Licitação, Contrato, Documento de Liquidação, Pagamento, Ingresso de Recursos e Relatórios MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - Siconv Execução - Licitação, Contrato,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO RIO DE JANEIRO CRA/RJ

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO RIO DE JANEIRO CRA/RJ RECEITAS 1 - O Orçamento do Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro para o exercício financeiro de 2013, estima a receita em R$ 16.122.900,00 e fixa sua despesa em igual importância. 2 - A

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 004, de 02 de setembro de 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 004, de 02 de setembro de 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 004, de 02 de setembro de 2013. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PRÓREITORIA DE ADMINISTRAÇÃO PROAD Disciplina no âmbito da UDESC os procedimentos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO COLÉGIO AGRÍCOLA DOM AGOSTINHO IKAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO COLÉGIO AGRÍCOLA DOM AGOSTINHO IKAS COLÉGIO AGRÍCOLA DOM AGOSTINHO IKAS EDITAL DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA CODAI/UFRPE/PRONATEC Nº 012/2015 SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA FORMAÇÃO DE QUADRO DE RESERVA DE BOLSISTAS PARA A FUNÇÃO DE PROFESSOR DO PROGRAMA

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PÁG: 001 CAMARA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS

ESTADO DE GOIÁS PÁG: 001 CAMARA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS ESTADO DE GOIÁS PÁG: 001 1 1 CAMARA MUNICIPAL 01 LEGISLATIVA 031 AÇÃO LEGISLATIVA 0101 SUPORTE ADMINISTRATIVO 1.001 CONST. NOVO PREDIO DA CAMARA MUNICIPAL 0001 4.4.90.51 00 OBRAS E INSTALAÇÕES 1.000.000,00

Leia mais

Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: Emissão: Hora: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010

Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: Emissão: Hora: DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010 Empresa: ASAS DE SOCORRO Folha: CNPJ: 01.052.752/0001-69 Número livro: CONSOLIDADO Emissão: Hora: 0001 0041 01/11/2012 11:40:01 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO EM 31/12/2010 Descrição Receita Operacional

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO Nº 011/2014 CTT/UFPI

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO Nº 011/2014 CTT/UFPI SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ COLÉGIO TÉCNICO DE TERESINA EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO Nº 0/204 CTT/UFPI Teresina (PI), 06 de outubro de 204. SERVIÇO

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 50, DE 27 DE AGOSTO DE

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 50, DE 27 DE AGOSTO DE O Diretor Geral Pró-Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus São Luís Centro Histórico, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas no período

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS - DSG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS - DSG Of. n 1216/2008 Dicomp/DSG Belo Horizonte, 01 de outubro de 2008 Aos Dirigentes das Unidades Acadêmicas e Órgãos Administrativos UFMG Assunto: Procedimentos para importação - detalhamento Senhor Dirigente.

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPEP MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPEP MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROPEP MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 1 APRESENTAÇÃO As presentes instruções têm por finalidade estabelecer critérios

Leia mais

RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 06/2011

RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 06/2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 06/2011 Disciplina o relacionamento entre a Universidade Federal de Goiás e as Fundações de Apoio à UFG. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

MANUAL FINANCEIRO TÍTULO: VIAGEM AO EXTERIOR 037.007.002.007

MANUAL FINANCEIRO TÍTULO: VIAGEM AO EXTERIOR 037.007.002.007 a MANUAL FINANCEIRO SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Referências 4. Condições gerais 5. Rotina 6. Responsabilidades 7. Anexos A, C e E (normativos) 8. Anexos B, D e F (informativos) 1. OBJETIVO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

ELETRICISTA INSTALADOR PREDIAL DE BAIXA TENSÃO

ELETRICISTA INSTALADOR PREDIAL DE BAIXA TENSÃO O Diretor Geral Pró-Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus Pinheiro, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas nos dias 15, 16, 17, 23, 24

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO

GABINETE DO MINISTRO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.007, DE 9 DE OUTUBRO DE 2013. Altera a Portaria MEC nº 168, de 07 de março de 2013, que dispõe sobre a oferta da Bolsa-Formação no âmbito do Programa Nacional de Acesso

Leia mais

Fábio Sarinho Controlador Geral do Município

Fábio Sarinho Controlador Geral do Município Resolução Interadministrativa nº. 001, de 18 janeiro de 2013. A SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS SEMPLA e a CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO - CGM, no uso das atribuições que,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 Dispõe sobre alterações na Regulamentação de apoio à pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de

Leia mais