Marcos Chuva ÉPOCA Golden League Zurique C. Nac. Juvenis Luso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marcos Chuva ÉPOCA 2010-2011. Golden League Zurique - 2011. C. Nac. Juvenis Luso - 2006"

Transcrição

1 Marcos Chuva ÉPOCA Golden League Zurique C. Nac. Juvenis Luso

2 Marcos Chuva Resultados mais significativos Nível Nacional Campeão Nacional do Triatlo Técnico em 2004 e 2006; Vencedor dos 110 barreiras no O. Jovem em 2006; Campeão Nacional de Juvenis de 110 barreiras e S. Comprimento em 2006; Campeão Nacional de Juniores de S. Comprimento e 110 barreiras em 2008; Campeão Nacional Absoluto de S. Comprimento em 2008, 2009 e 2011;

3 Marcos Chuva Resultados mais significativos Nível Internacional 9 Medalhas nos Jogos da FISEC entre 2004 e 2006; Vencedor do Salto em Comprimento na Bauhaus Junioren Gala na Alemanha em Junho de 2008; 12º Classificado nos Campeonatos do Mundo de Juniores no S. Comprimento em 2008; Semi finalista nos 110 barreiras nos Campeonatos do Mundo de Juniores em 2008; 8º Classificado no Campeonato da Europa de Sub 23 em 2009; Medalha de Ouro nos Jogos da Lusofonia no S. Comprimento em 2009.

4 Marcos Chuva Junho de 2010: Recorde pessoal (7,96) 2º Classificado Taça das Nações; - Mínimos para Barcelona; - Lesão grave no campeonato nacional de Sub 23 (26/06)! (apenas identificada em Outubro).

5 Marcos Chuva SETEMBRO 2010 Definição dos objetivos da época: Campeonato da Europa de Sub 23; Participação na Super Liga da Europa das Nações; Mínimos para os Campeonatos do Mundo.

6 Marcos Chuva - Trabalho muito condicionado com acentuadas limitações físicas entre 07 de Set. e 10 de Outubro. - Baixa médica entre 12 de Outubro e 27 de Dezembro! ( Reforço partes débeis e força específica muitas vezes na presença do fisioterapeuta). - Reformulação de toda época: Focalização dos objectivos no verão. - Escolha criteriosa das competições; - Procura da estabilidade técnica no Vôo ; - Reforço do trabalho na melhoria do RITMO e da VELOCIDADE.

7 JANEIRO 2011 (APÓS ALTA MÉDICA) AUMENTO DO VOLUME DE TREINO: - De treinos diários de 2 h a 2,30 h (Segunda a Sábado); - Treinos bi-diários (3x semana): Manhã 1 h a 2 h (Segunda, Quarta e sexta) Tarde - 2 h a 2,30 h ( Segunda a Sábado).

8 CORREÇÃO DOS OBJETIVOS DE INVERNO Tentativa de participar no Campeonato da Europa de Pista Coberta. Proporcionar maior motivação (face à ausência por lesão em Barcelona). Recolha de experiências fundamentais no processo de crescimento do Marcos.

9 INVERNO MICROCICLO Período Fundamental (5 semanas) Dia Manhã Tarde 2ª Reforço partes débeis Trabalho técnico Trabalho força máxima Multissaltos (areia) 3ª 4ª 5ª 6ª Sáb Reforço partes débeis Trabalho técnico Reforço partes débeis Trabalho técnico Fart-lek; Corridas até 300m. Reforço na areia Trabalho técnico (saltos com corrida média) Corrida dificultada Multilançamentos Trabalho força máxima Corridas progressivas até 300 m Trabalho técnico (saltos com corrida média) Multissaltos (areia) Multilançamentos Trabalho força máxima Pilates

10 Período Especial / Competitivo (5 semanas) Dia Manhã Tarde 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª Sáb Trabalho força Rápida / explosiva Trabalho força Rápida / explosiva (Quando não há competição) Trabalho técnico / saltos facilitados com caixa de 10. Corridas progressivas até 150 m INVERNO Microciclo Trabalho força Rápida / explosiva Saltos com corrida média / completa Trabalho técnico Corrida dificultada Multilançamentos Trabalho técnico / saltos facilitados com caixa de 10. Corridas progressivas até 150 m Corridas dificultadas. Multilançamentos Trabalho técnico (corridas com ritmos variados e de balanço); Pilates

11 Microciclo 2 ª f Período Fundamental + Fundamental Intensivo (6 semanas) Mar. - Maio Reforço partes débeis; Corridas com ritmos variados com barreiras; Trabalho de Força máxima; Multissaltos; Corridas progressivas até 250 m; 3ª f Trabalho técnico; Multilançamentos; 4ª f Trabalho de amplitude e frequência Multissaltos dificultados com caixas; Multilançamentos; 5ª f Trabalho de Força máxima; Corridas Progressivas até 200 m; 6ª f Corridas dificultadas com trenó; Reforço partes débeis; S Treino técnico Saltos facilitados com caixa de 10 com corridas até 11 passos; Multilançamentos. Treino técnico (corridas com ritmos variados) Treino de Pilates. D Descanso Descanso

12 Microciclo 2 ª f Corridas com ritmos variados; Reforço parte débeis; P. Preparação Especial ( 3 semanas ) Força especial e explosiva; Multissaltos; 3ª f 4ª f Corridas facilitadas; Reforço partes débeis; Saltos com corrida média com caixa de 10 cm; Multilançamentos; Força especial e explosiva; Multilançamentos; Pliometria com caixa; 5ª f Ritmos variados com barreiras; Multissaltos; 6ª f Corridas com ritmos variados com barreiras; S Técnica de corrida; Força especial e explosiva; Corridas progressivas. Treino Técnico; Pilates D Descanso Descanso

13 Microciclo 2 ª f 3ª f 4ª f Reforço partes débeis; P. Pré competitivo ( 3 semanas ) Técnica de corrida no corredor de balanço; Força Rápida e Explosiva; Multilançamentos; Multissaltos; Corridas até 100 m; Técnica de corrida; Saltos com corrida completa; Pliometria. 5ª f Corridas com trenó; Força Rápida e Explosiva; 6ª f Saltos facilitados com corrida média; Multilançamentos; Pilates; S Força Rápida e Explosiva; Multissaltos; Reforço parte débeis. D Descanso Descanso

14 Microciclo 2 ª f 3ª f 4ª f P. competitivo ( 6 semanas ) + (6 semanas) Multilançamentos; Força Rápida e Explosiva; Multissaltos; Corridas até 100 m; Técnica de corrida; Corridas médias com chamadas facilitadas; Força geral; 5ª f Corridas de balanço completas sem chamada; Força Rápida e Explosiva; 6ª f Saltos facilitados com corrida média; Pilates; S Corridas com trenó; Multissaltos Reforço parte débeis. D Descanso Descanso

15 Marcos Chuva Testes 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 IH 2,95 3,00 3,02 3,05 3,10 3,30 Triplos 8,85 8,90 9,15 9,20-9,50 Dto 9,00 9, ,45 Esqo 8,65 8, ,35 Pentas 15,10 15,40 16,10 15,95-16,50 Dto 13,85 15,60 16,02 15,95-16,65 Esqo 13,30-15,60 15,25-16,35 Decas 29,80 31,50 33,05 34,60-34,85 Dto 28,75 31,05 33, Esqo 27,35 30,25 32,

16 Marcos Chuva Testes Pentas (6) 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 20,00 20,80 21,05-21,50 Dto (6) - 19, Esqo (6) - 18, Decas (6) 33,90 (4) 36,55 39,55 - Dto (6) Esqo (6) Multil. Dorsal 14,15 (6) 16,00 (6) 17,65(5) Frontal 13,78 (6) 15,25 (6)- 16,00(5) Veloc Veloc. (5+5) 17,74 (6) 17,89 (6) 20,10 (5) 15,74 (6) 16,28 (6)- 18,00 (5) 14,88(7) 20,17(5) 13,62(7) 16,65(7) 5,20 (40) ,40(7)- 19,03(5) 14,10(7)- 15,87(5)

17 EVOLUÇÃO DAS MARCAS ,15 5,53 6,43 7,12 7,45 7,80 7,76 8,16C/V 7,96 8,34 Inic. Inic. Juv. Juv. Jun. Jun. Sub 23 Sub 23 SUb 23

18 Agradecimento Equipa de Treinadores do Sector de Saltos da FPA Departamento Médico da FPA e do SLB Todo o Departamento Técnico da FPA Escola Salesiana de Manique

19 AGRADECIMENTO ESPECIAL Robert Zotko

UMA ESCOLA DE MARCHA EM RIO MAIOR? Jorge Miguel Treinador

UMA ESCOLA DE MARCHA EM RIO MAIOR? Jorge Miguel Treinador UMA ESCOLA DE MARCHA EM RIO MAIOR? Jorge Miguel Treinador A MINHA FILOSOFIA DE TREINADOR Estar sempre motivado Motivar os atletas e dar-lhes objectivos realistas Procurar condições de treino e estabilidade

Leia mais

Associação de Atletismo de Braga

Associação de Atletismo de Braga Hora Inicio Associação de Atletismo de Prova sábado, 5 de Junho de 2010 15:30 400 Metros Marcha SEN F Serie 15:30 400 Metros Marcha SEN M Serie 15:30 Salto em Altura JUV a SEN F Final + (1,00-1,05-1,10

Leia mais

TRIPLO SALTO VELOCIDADE FORÇA OUTRAS VELOCIDADE EXECUÇAO (MOV. ACÍCLICO) FORÇA RESISTÊNCIA HIPERTROFIA CAPACIDADE DE ACELERAÇÃO EQUILÍBRIO

TRIPLO SALTO VELOCIDADE FORÇA OUTRAS VELOCIDADE EXECUÇAO (MOV. ACÍCLICO) FORÇA RESISTÊNCIA HIPERTROFIA CAPACIDADE DE ACELERAÇÃO EQUILÍBRIO TRIPLO SALTO O TRIPLO SALTO É UMA DISCIPLINA TÉCNICA MUITO COMPLEXA QUE OBRIGA A UM GRANDE APERFEIÇOAMENTO EM VÁRIAS VERTENTES, VISTO O SEU DESENVOLVIMENTO DEPENDER DE UMA COMBINAÇÃO DE VÁRIAS HABILIDADES

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA ÉPOCA 2012/2013

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA ÉPOCA 2012/2013 ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL ÉPOCA 2012/2013 (Versão de 30.11.2012) Outubro 2012 06 10º Camp. Mundo Meia Maratona Bulgária

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS. Época de 2013

CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS. Época de 2013 CRITÉRIOS DE SELECÇÃO PARA COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS Época de 2013 Federação Portuguesa de Atletismo, Março 2013 39º CAMPEONATO MUNDO DE CORTA MATO Bydgoszcz, Polónia 24 Março MASCULINOS FEMININOS Seniores

Leia mais

Período de Preparação Período de Competição Período de Transição

Período de Preparação Período de Competição Período de Transição PERIODIZAÇÃO Desde que a chamada "Ciência do Esporte" passou a sistematizar e metodizar o Treinamento Desportivo, a periodização passou a ser a única forma de se organizar todo o trabalho realizado durante

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE LEIRIA

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE LEIRIA ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE LEIRIA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL ÉPOCA 2009-2010 (versão de 01 Junho 2010) Outubro 2009 3/4/5 Curso de Treinadores Nível 1

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2013/2014

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2013/2014 ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL Calendário ÉPOCA 2013/2014 (Versão de 11.06.2014) Outubro 2013 19 Night Run Lisboa 2013 16

Leia mais

CAMPEONATOS REGIONAIS DE INICIADOS E JUNIORES

CAMPEONATOS REGIONAIS DE INICIADOS E JUNIORES ASSOCIAÇÃO DE ATLETISO DE ÉVORA Bairro da Cruz da Picada lote 5 R/C Dtº - 7000-772 ÉVORA Telefone / Fax 266708425 e-mail: ass.atletismo.evora@sapo.pt / http:/www.atletismo-evora.pt CAPEONATOS REGIONAIS

Leia mais

PLANEAMENTO ANUAL I MACROCÍCLO

PLANEAMENTO ANUAL I MACROCÍCLO 1º 2º 3º 4º 5º 6º PLANEAMENTO ANUAL I MACROCÍCLO PERÍODO INTRODUTÓRIO DAS PARTES DÉBEIS ADAPTAÇÃO FUNCIONAL PERÍODO FUNDAMENTAL APURAMENTO TÉCNICO PREPARAÇÃO FUNCIONAL FORÇA FORÇA MÁXIMA DINÂMICA POTÊNCIA

Leia mais

Associação de Atletismo de Aveiro Calendário Oficial Época 2015/2016

Associação de Atletismo de Aveiro Calendário Oficial Época 2015/2016 Associação de Atletismo de Aveiro Calendário Oficial Época 2015/2016 Última versão de calendário 2015/2016 data 26/11/2015 Mês: Outubro/2015 04 Eleições legislativas 10 11 17 18 Corrida Cidade de Aveiro

Leia mais

A PLANIFICAÇÃO DO TREINO DA FORÇA NOS DESPORTOS COLECTIVOS por Sebastião Mota

A PLANIFICAÇÃO DO TREINO DA FORÇA NOS DESPORTOS COLECTIVOS por Sebastião Mota A PLANIFICAÇÃO DO TREINO DA FORÇA NOS DESPORTOS COLECTIVOS por Sebastião Mota INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado segundo uma adaptação da obra de Gilles Cometti, que nos propõe uma matriz inovadora

Leia mais

Centro de Alto Rendimento de Atletismo Regulamento

Centro de Alto Rendimento de Atletismo Regulamento Centro de Alto Rendimento de Atletismo Regulamento O Centro de Alto Rendimento de Atletismo é um espaço vocacionado para o treino de Atletas de Alto Rendimento que ambicionam competir em Campeonatos da

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE LISBOA Proposta de Calendário 2014/20 ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE LISBOA Data Competições Nacionais Competições Regionais Competições Internacionais Outubro 5 Maratona de Lisboa (Campeonato de Portugal) 11 Corrida

Leia mais

A, B Preto, Branco etc.

A, B Preto, Branco etc. 1 2 Qualidade a desenvolver Velocidade Reacção Velocidade máxima Conteúdos e métodos a utilizar Jogos de reacção (Barra do lenço, A e B) com distâncias entre 10 e 15 metros Jogos e repetições curtas Distâncias

Leia mais

Plano de treino C: Correr 40 minutos sem pausas

Plano de treino C: Correr 40 minutos sem pausas Plano de treino C: Correr 40 minutos sem pausas Público-alvo: Iniciantes e pessoas de vi sedentária Seu perfil de corredor: Você corre muito esporadicamente ou não corre, o que se nota na sua forma física.

Leia mais

Colunista da Revista W Run e colaborador das Revistas The Finisher e Revista O2

Colunista da Revista W Run e colaborador das Revistas The Finisher e Revista O2 CURRÍCULO HELENO FORTES RIBEIRO CREF:004375-GMG Diretor Técnico e Idealizador da HF Treinamento Esportivo Pós-Graduado em Treinamento Esportivo (lato sensu) UGF 2006 Graduado em Educação Física (Bacharel

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO Programa Euro-Sénior

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO Programa Euro-Sénior Depois da Final da Taça do Mundo em 2008 a FPPM volta a receber a elite mundial da modalidade com a organização do Campeonato da Europa de Seniores 2016, o maior evento internacional jamais realizado em

Leia mais

PLANEAMENTO DO TREINO: DA FORMAÇÃO AO ALTO RENDIMENTO

PLANEAMENTO DO TREINO: DA FORMAÇÃO AO ALTO RENDIMENTO PLANEAMENTO DO TREINO: DA FORMAÇÃO AO ALTO RENDIMENTO António Vasconcelos Raposo Treinador de Mérito de Natação Pura Desportiva Formador da Solidariedade Olímpica Internacional Formador FINA Formador da

Leia mais

CALENDÁRIO da Associação de Atletismo da Guarda CALENDÁRIO da Federação Portuguesa de Atletismo ÉPOCA 2013/2014

CALENDÁRIO da Associação de Atletismo da Guarda CALENDÁRIO da Federação Portuguesa de Atletismo ÉPOCA 2013/2014 CALENDÁRIO da Associação de Atletismo da CALENDÁRIO da Federação Portuguesa de Atletismo CALENDÁRIO do Agrupamento das Beiras ÉPOCA 2013/2014 OUTUBRO/2013 12 Sábado Mini Maratona de Trancoso Trancoso 19

Leia mais

ATLETISMO. Alyne Rayane

ATLETISMO. Alyne Rayane ATLETISMO Alyne Rayane O QUE É ATLETISMO? O atletismo é um conjunto de esportes constituído por três modalidades: corrida, lançamentos e saltos. ATLETISMO QUANDO SURGIU? Atletismo tempo dos ancestrais;

Leia mais

Associação de Atletismo de Braga

Associação de Atletismo de Braga 0 Março 0 0 Campeonato Lançamentos Longos 0 Taça Lançamentos Juvenis 09 Campeonato Mundo Pista Coberta 0 Campeonato Mundo Pista Coberta 0 Camp. Nac. Corta Mato Curto, DE. Veteranos e Univer Campeonato

Leia mais

Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico

Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico Pedro Felner 2012 Aspectos Decisivos para o Desenvolvimento de uma Técnica Eficiente FLUIDEZ NO MOVIMENTO Aproveitamento do Peso da Raquete:

Leia mais

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direcção Técnica Nacional Sector juvenil Versão de 29 de Maio de 2008 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS RELACIONADAS COM OS ESCALÕES DO ATLETISMO JUVENIL A. Disposições

Leia mais

Associação de Andebol da Ilha de Santa Maria

Associação de Andebol da Ilha de Santa Maria COMUNICADO OFICIAL Nº 36 ÉPOCA 2014/2015 Distribuição: Clubes, Associações, FPA, DRD, CMVP e Comunicação Social. 1 DIRECÇÃO 1.1 - Todos os clubes devem regularizar as inscrições dos seus atletas, técnicos

Leia mais

Corrida de Barreiras. José Carvalho. Federação Portuguesa de Atletismo

Corrida de Barreiras. José Carvalho. Federação Portuguesa de Atletismo Corrida de Barreiras José Carvalho F P A Federação Portuguesa de Atletismo CORRIDAS DE BARREIRAS José Carvalho Objectivo Ser capaz de realizar uma corrida com barreiras - ritmada em velocidade máxima.

Leia mais

FESTA HOMENAGEM REGO LAMELA

FESTA HOMENAGEM REGO LAMELA Nome : JOAQUIM REGO LAMELA Natural do Lugar de Medros Barcelinhos Barcelos Data de nascimento : 28 de Outubro de 1957 Iniciou a carreira de árbitro em 1977, com 19 anos de idade, sem antecedentes na modalidade.

Leia mais

Associação de Andebol da Ilha de Santa Maria

Associação de Andebol da Ilha de Santa Maria COMUNICADO OFICIAL Nº 32 ÉPOCA 2014/2015 Distribuição: Clubes, Associações, FPA, DRD, CMVP e Comunicação Social. 1 DIRECÇÃO 1.1 - Todos os clubes devem regularizar as inscrições dos seus atletas, técnicos

Leia mais

DESPORTISTAS GALARDOADOS

DESPORTISTAS GALARDOADOS Associação Juvenil 31 de Janeiro LUÍS REIS ÉNIO ALVES LURIO ALVES RICARDO FLORES 14 anos 20 anos Associação Mirandelense de Artes Orientais MIGUEL TAVEIRA SANDRA DIAS CRISTINA NOVO JOSÉ SILVA 42 anos 29

Leia mais

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO DIVISÃO DE DESPORTO E JUVENTUDE NÚCLEO DE DESPORTO AVENTURA Versão 10/3/2014 1 INTRODUÇÂO O Ciclismo nas suas diversas variantes e como modalidade desportiva torna-se

Leia mais

Associação de Atletismo de Braga

Associação de Atletismo de Braga sábado, 30 de Maio de 2015 Hora Inicio Prova Obs: 15:30 100 M Barreiras-0.76 Ini a Juv F Eliminatória 0,76m - (13,00 / 8,50 / 10,50) Eliminatória ou Final Direta 15:30 Triplo Salto Ini a Juv M Final Tábua

Leia mais

DESPORTO ESCOLAR ATLETISMO CURSO DE JUIZES DE ESCOLA

DESPORTO ESCOLAR ATLETISMO CURSO DE JUIZES DE ESCOLA DESPORTO ESCOLAR ATLETISMO CURSO DE JUIZES DE ESCOLA DESPORTO ESCOLAR CURSO DE JUIZES DE ESCOLA ATLETISMO O ATLETISMO É COMPOSTO POR PROVAS DE PISTA, ESTRADA E CORTA- MATO AS PROVAS DE PISTA ESTÃO DIVIDIDAS

Leia mais

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior

ATLETISMO. Osvaldo Tadeu da Silva Junior ATLETISMO Osvaldo Tadeu da Silva Junior OBJETIVO DA DISCIPLINA Conhecer, compreender e analisar os processos de ensino aprendizagem e treinamento das corridas; Conhecer, compreender e analisar os processos

Leia mais

Associação de Futebol do Porto

Associação de Futebol do Porto Associação de Futebol do Porto RUA ANTÓNIO PINTO MACHADO, 96-106 4100-068 PORTO COMUNICADO OFICIAL Circular n.º 233 = 2014/= Para o conhecimento e orientação dos Clubes Filiados, SAD s, SDUQ S, Árbitros,

Leia mais

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA A. Homologação de Recordes de Portugal 1. GENERALIDADES Para que uma marca possa ser

Leia mais

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS Versão de 22/01/2018 Época 2017/2018 Novembro 4 5 Grande Prémio das Castanhas em Atletismo Sarzedo Corta-Mato Torres Vedras 11 12 Corta-Mato de Barcelos 17 IV Encontro Desporto

Leia mais

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS Versão de 01/02/2018 Época 2017/2018 Novembro 4 5 Grande Prémio das Castanhas em Atletismo Sarzedo Corta-Mato Torres Vedras 11 12 Corta-Mato de Barcelos 17 IV Encontro Desporto

Leia mais

Crescimento e Desenvolvimento de Atletas Jovens nas Distâncias de Fundo e Meio Fundo: Fases Sensíveis

Crescimento e Desenvolvimento de Atletas Jovens nas Distâncias de Fundo e Meio Fundo: Fases Sensíveis Curso Internacional de Meio Fundo e Fundo Asunción, PAR, 6 e 7/06/2015 Crescimento e Desenvolvimento de Atletas Jovens nas Distâncias de Fundo e Meio Fundo: Fases Sensíveis Prof. Dr. Ricardo D Angelo Aspectos

Leia mais

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS CALENDÁRIO PROVISÓRIO DE PROVAS Versão de 20/06/2018 Época 2017/2018 Novembro 4 5 Grande Prémio das Castanhas em Atletismo Sarzedo Corta-Mato Torres Vedras 11 12 Corta-Mato de Barcelos 17 IV Encontro Desporto

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO - ABRIL 2012

BOLETIM INFORMATIVO - ABRIL 2012 BOLETIM INFORMATIVO - ABRIL 2012 ATLETAS COM MÍNIMOS (À DATA DE 30 ABRIL 2012) MEDIA TRAINING RELAÇÃO DOS ATLETAS COM A COMUNICAÇÃO SOCIAL No âmbito do II Encontro da Missão Olímpica promovido pelo COP

Leia mais

PLANEAMENTO PARA O MUNDIAL EM DAEGU 2011 ------------------------- INÊS HENRIQUES

PLANEAMENTO PARA O MUNDIAL EM DAEGU 2011 ------------------------- INÊS HENRIQUES PLANEAMENTO PARA O MUNDIAL EM DAEGU 2011 ------------------------- INÊS HENRIQUES Jorge Miguel - Treinador PLANEAMENTO PARA O MUNDIAL EM DAEGU PLANEAMENTO PARA: UM ANO DE TREINO (ÉPOCA) UM PERÍODO DE TREINO

Leia mais

CIRCUITO TREINO * O fator especificador do circuito será a qualidade física visada e o desporto considerado.

CIRCUITO TREINO * O fator especificador do circuito será a qualidade física visada e o desporto considerado. CIRCUITO TREINO * O CT é um método polivalente adequado a realizar tanto a preparação cardiopulmonar como a neuromuscular. É, por isto, largamente empregado no treinamento desportivo pela economia de tempo

Leia mais

Enquadramento... 1. Objetivos... 1. Alunos... 1. Professores estagiários... 1. Recursos... 1. Humanos... 1. Temporais... 2. Espaciais...

Enquadramento... 1. Objetivos... 1. Alunos... 1. Professores estagiários... 1. Recursos... 1. Humanos... 1. Temporais... 2. Espaciais... i Índice Enquadramento... 1 Objetivos... 1 Alunos... 1 Professores estagiários... 1 Recursos... 1 Humanos... 1 Temporais... 2 Espaciais... 2 Materiais... 2 Procedimentos de planeamento e organização...

Leia mais

GINÁSTICA DE TRAMPOLINS

GINÁSTICA DE TRAMPOLINS GINÁSTICA DE TRAMPOLINS SELEÇÕES NACIONAIS E ALTO RENDIMENTO 2013-2016 PROCESSO DE SELEÇÃO CAMPEONATO DA EUROPA 2014 e CAMPEONATO DO MUNDO 2014 Duplo Mini Trampolim Tumbling Trampolim Individual PROCESSO

Leia mais

ADIF - Associação Desportos da Ilha do Faial Calendário Desportivo - Atletismo Epoca 2012/2013 Out_2012

ADIF - Associação Desportos da Ilha do Faial Calendário Desportivo - Atletismo Epoca 2012/2013 Out_2012 Out_2012 1 S 2 T 3 Q 4 Q 5 S 6 S Reunião DTRS Nacionais FPA 20º Camp. Mundo M.-Maratona Bulgária 7 D 8 S 9 T 10 Q 11 Q 12 S 13 S Reunião DTRS Regionais Faial 14 D 15 S 16 T 17 Q 18 Q 19 S 20 S 21 D 22

Leia mais

O Planeamento o Treino de Rui Silva

O Planeamento o Treino de Rui Silva O Planeamento o Treino de Rui Silva Professor Bernardo Manuel Licenciado em Educação Física Mestre em Ciências do Desporto na área do treino de alto rendimento Professor Auxiliar Convidado FMH Treinador

Leia mais

Um sonho, uma iden/dade, uma forma de vida

Um sonho, uma iden/dade, uma forma de vida Segurança e Lazer Um sonho, uma iden/dade, uma forma de vida Competição seniores femininas Formação para alta competição juniores femininas Formação juvenis, cadetes, iniciadas e infantis Colégio Sagrado

Leia mais

O TREINO DE RASHID RAMZI,

O TREINO DE RASHID RAMZI, O TREINO DE RASHID RAMZI, apresentado pelo seu treinador KHALID BOULAMI (por Carlos Silva ( cablos@iol.pt ) tradução e interpretação da informação apresentada nas XII Jornadas Técnicas da Escuela Nacional

Leia mais

Federação Académica do Desporto Universitário Utilidade Pública Desportiva Fundada a 2 de Março de 1990

Federação Académica do Desporto Universitário Utilidade Pública Desportiva Fundada a 2 de Março de 1990 11º Campeonato Mundial Universitário Taekwondo 29 de Junho a 4 de Julho de 2010 Vigo, Espanha Sumário: 1. RESUMO DIA 1 2. PERFIL DOS ATLETAS 3. ENTREVISTA: TIAGO FRANCISCO 1. RESUMO DIA 1 O dia começou

Leia mais

Associação de Atletismo de Braga

Associação de Atletismo de Braga 0 Abril 0 0 º G. P. Atletismo da JUNI 0/ Guimarães Final Projeto Mega Final Projeto Mega Campeonato Mundial Universitário Corta Mato Grande Prémio Marcha Rio Maior Torneio Atleta Completo AAB + Provas

Leia mais

Mês: Novembro/2014. Mês: Dezembro/2014

Mês: Novembro/2014. Mês: Dezembro/2014 Associação de Atletismo de Aveiro Calendário Oficial 2014/2015 CALENDÁRIO OFICIAL Mês: Outubro/2014 05 26ª Meia maratona Cidade de Ovar Maratona de Lisboa-Campeonato de Portugal 11 XIX Grande Prémio 11

Leia mais

VII MEETING INTERNACIONAL DE LEIRIA

VII MEETING INTERNACIONAL DE LEIRIA VII MEETING INTERNACIONAL DE LEIRIA PROGRAMA HORÁRIO E REGULAMENTO Hora Limite Confirmação Câmara de Chamada Entrada na Pista hora Disciplina Sexo 14:30 14:55 15:05 15:30 Lançamento do Dardo Masculino

Leia mais

MATEMÁTICA ANO: 2013 IFPB QUESTÃO 01

MATEMÁTICA ANO: 2013 IFPB QUESTÃO 01 MATEMÁTICA ANO: 2013 IFPB QUESTÃO 01 Os Jogos Olímpicos foram criados pelos gregos por volta de 2500 a.c. e foram retomados por iniciativa do Barão de Coubertin no final do século XIX. Em 1960, foram disputados

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2016/2017 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES XXXIII Masculino e Feminino R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 Emitido em 15/02/06 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL Instituição de Utilidade Pública Pessoa Colectiva n.º 512019673 Fundada em 26.03.86 Filiada na Federação Portuguesa Atletismo RUA PINTOR DOMINGOS REBELO N.º 4 TELEFONE

Leia mais

melhor do ano treinador

melhor do ano treinador treinador Anselmo Calais Feminino Vice-campeão Europeu Universitário Gabriel Oliveira Masculino Campeão Europeu Universitário Luís Carvalho Pio Rugby 7s Feminino Vice-campeão Europeu Universitário Marco

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2015/2016 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não REGULAMENTO DO TORNEIO INTER-REGIONAL DE SEVENS FEMININO 2014/2015 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino

CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE JUVENIS INTERSELEÇÕES LV Masculino e XLIII Feminino Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE JUVENIS têm por propósito básico a integração nacional,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2014/2015

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2014/2015 ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL Calendário ÉPOCA 2014/2015 Novembro 2014 02 Corta Mato Abertura Joaquim Gama Parque Verde

Leia mais

14 a 17 de Julho de 2011

14 a 17 de Julho de 2011 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO F P A o portal do atletismo português 14 a 17 de Julho de 2011 Departamento de Comunicação e Marketing Federação Portuguesa de Atletismo comunicacao@fpatletismo.pt e CARLA

Leia mais

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2014/2015

MARCAS DE QUALIFICAÇÃO NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2014/2015 NAS COMPETIÇÕES NACIONAIS ÉPOCA 2014/2015 Condições de aceitação de marcas de qualificação: A. O prazo de obtenção de marcas de qualificação nas competições que o exijam é compreendido entre o dia 16 de

Leia mais

CAMPEONATO REGIONAL DE ABSOLUTOS E JUVENIS

CAMPEONATO REGIONAL DE ABSOLUTOS E JUVENIS CAMPEONATO REGIONAL DE ABSOLUTOS E JUVENIS COMPLEXO DESPORTIVO DAS LARANJEIRAS 14 E 15 DE JULHO DE 2018 ÍNDICE NOTA DE ABERTURA REUNIÃO TÉCNICA CONSTITUIÇÃO DAS COMITIVAS PROGRAMA HORÁRIO REGULAMENTO DA

Leia mais

THIBAUT JUNQUEIRA CICLO JÚNIOR. Júnior

THIBAUT JUNQUEIRA CICLO JÚNIOR. Júnior THIBAUT JUNQUEIRA CICLO JÚNIOR Projecto do Ciclo Júnior 2009 2011 CICLO JÚNIOR Nesta Apresentação 1. Perfil do Atleta 2. Finalidades e Objectivos 3. Estratégias 4. Planeamento 5. Conteúdos 6. Considerações

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SETÚBAL ------------------------------- REGULAMENTOS APROVADOS PARA A ÉPOCA 2011/2012 -------------------------------- CONVÍVIO BENJAMINS A TROFÉU REGIONAL DE BENJAMINS B CAMPEONATO

Leia mais

Circuito de Atletismo em Pavilhão Games and Fun

Circuito de Atletismo em Pavilhão Games and Fun 2014 Circuito de Atletismo em Pavilhão Games and Fun Departamento Técnico Associação de Atletismo do Porto Introdução O Circuito de Torneios de Atletismo em Pavilhão tem como propósito o combate dos modelos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol Secundário Andebol Conhecer o objectivo e campo do jogo; Conhecer as seguintes regras do jogo: duração do jogo, constituição das equipas, golo, lançamento de saída, guarda-redes, área de baliza, violação

Leia mais

ACESSOS 1/6. . Campo de Regatas 2000 metros. F e d e r a ç ã o P o r t u g u e s a d e C a n o a g e m É p o c a 2 0 1 4

ACESSOS 1/6. . Campo de Regatas 2000 metros. F e d e r a ç ã o P o r t u g u e s a d e C a n o a g e m É p o c a 2 0 1 4 ACESSOS A competição realiza-se na Barragem da Aguieira, nas instalações do Montebelo Aguieira Resort. A melhor forma de chegar ao local é através da A1, cortando para Coimbra (IP3), no sentido contrário

Leia mais

Hyundai Motorsport participa no Rali da Suécia com três carros

Hyundai Motorsport participa no Rali da Suécia com três carros Hyundai Motorsport participa no Rali da Suécia com três carros A Hyundai Motorsport vai disputar o rali da Suécia, segunda prova do campeonato do Mundo de Ralis FIA (WRC) de 2015, com três Hyundai i20

Leia mais

MANUAL DO TREINADOR NÍVEL I LANÇAMENTO DO PESO

MANUAL DO TREINADOR NÍVEL I LANÇAMENTO DO PESO LANÇAMENTO DO PESO REGRAS DO LANÇAMENTO DO PESO Local da Competição A prova do lançamento do peso disputa-se num local específico da pista de atletismo, que deverá ter um círculo de lançamentos com 2,135

Leia mais

Jornadas Técnicas de Marcha Atlética

Jornadas Técnicas de Marcha Atlética Jornadas Técnicas de Marcha Atlética Leiria 12 de Novembro 2011 Júnior 47.36,15 Esperança 1h31.02 3ª no Europeu 4ª no Europeu 1h36.13 - Início na modalidade Janeiro de 1996-1ª e 2ª Época Desportiva (Infantil)

Leia mais

Desenvolvimento da criança e o Desporto

Desenvolvimento da criança e o Desporto Desenvolvimento da criança e o Desporto Desenvolvimento da criança e o Desporto DESPORTO ENSINO TREINO CRIANÇAS E JOVENS I - O QUÊ? II - QUANDO? III - COMO? Desenvolvimento da criança e o Desporto I Capacidades

Leia mais

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 CURRICULUM VITAE Chefe do Departamento e Preparação Física do Minas Tênis Clube desde 1978 Preparador

Leia mais

XXVII JOGOS ESCOLARES MUNICIPAIS JEMs 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO

XXVII JOGOS ESCOLARES MUNICIPAIS JEMs 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO Art. 1º - As competições serão regidas pelas Regras Oficiais da Federação Internacional de Atletismo Amador e da Confederação Brasileira de Atletismo em tudo que não

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO F P A FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO 2012 PlanodeActividadeseOrçamento2012 Índice DirecçãoTécnicaNacional Organograma SectordeVelocidadeeEstafetas SectordeMeio fundoefundo SectordeBarreiras SectordeSaltos

Leia mais

MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR

MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR MEDIDAS DA FORÇA E RESISTÊNCIA MUSCULAR Revisando conceitos... Músculo-esquelética Força Resistência Flexibilidade Motora Agilidade Equilíbrio Potência Velocidade Revisando conceitos... Isométricas (estática)

Leia mais

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05.

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05. Índice: A Proposta da IAAF 03 Campeonato para 3-5 anos de idade 03 Formato da Competição 04 Organização da Competição 05 Resultados 06 Arbitragem necessária para o Evento 07 Preparação do Equipamento Necessário

Leia mais

Plano a Longo Prazo. Como Preparar um Atleta para atingir a Elite Mundial

Plano a Longo Prazo. Como Preparar um Atleta para atingir a Elite Mundial Plano a Longo Prazo Como Preparar um Atleta para atingir a Elite Mundial Elaborado para ser apresentado como elemento de avaliação da candidatura ao título de especialista no âmbito da unidade curricular:

Leia mais

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL

CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 1 INDICE Competição Pág. CAMPEONATO DE ESTRADA DO FAIAL 3 TAÇA ADIF VEL/BARR E TAÇA ADIF SALTOS 4 1ª PROVA OBSERVAÇÃO INVERNO ADIF + TORNEIO DE BENJAMINS 6 CAMPEONATO CORTA-MATO DO FAIAL 1ª 7 TORNEIO DE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2014/2015

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2014/2015 ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ALTETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL Calendário ÉPOCA 2014/2015 Novembro 2014 02 Corta Mato Abertura Joaquim Gama Parque Verde

Leia mais

Federação Académica do Desporto Universitário Utilidade Pública Desportiva Fundada a 2 de Março de 1990

Federação Académica do Desporto Universitário Utilidade Pública Desportiva Fundada a 2 de Março de 1990 10º Campeonato Mundial Universitário Triatlo 30 de Maio de 2010 Valência, Espanha Sumário: 1. DIA 1 - RESUMO 2. DIA 2 E DIA 3 - AGENDA 3. PERFIS DOS ATLETAS 1. DIA 1: RESUMO A Selecção Nacional Universitária

Leia mais

Corrida com Barreiras

Corrida com Barreiras 1 Corrida com Barreiras Mário Paiva (*) e Sara Fernandes (**) Esta corrida de velocidade associa a aptidão de percorrer determinada distância o mais rápido possível à capacidade de transpor obstáculos

Leia mais

PLANO DE ALTO RENDIMENTO AGUAS ABERTAS 2015

PLANO DE ALTO RENDIMENTO AGUAS ABERTAS 2015 PLANO DE ALTO RENDIMENTO AGUAS ABERTAS 2015 Índice 1. INTRODUÇÃO... 5 2. REGIME DE ALTO RENDIMENTO... 6 2.1. CRITÉRIOS DE ACESSO... 6 2.2. REGISTO DOS PRATICANTES... 6 2.3. INSCRIÇÃO DOS PRATICANTES...

Leia mais

Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura

Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura Neste artigo vou mostrar o principal tipo de exercício para acelerar a queima de gordura sem se matar durante horas na academia. Vou mostrar e explicar

Leia mais

Outubro 2015. Novembro 2015. Dezembro 2016

Outubro 2015. Novembro 2015. Dezembro 2016 3 Corrida das Vindimas TVedras CMTV 11 5ª Corrida do SCP Lisboa Clube-SCP 16 Reunião de Calendário da AAL Lisboa AAL 17 GP das Palhagueiras Palhagueiras CMTV 18 24 Rock n Roll Maratona de Lisboa EDP /

Leia mais

III Seminário de Treino de Atletismo

III Seminário de Treino de Atletismo Lisboa 26 de Novembro 2011 - Mundial de Daegu 2011 Lisboa 26 de Novembro 2011 - Mundial de Daegu 2011 Planeamento da Época 2010/2011 Dupla Periodização Maio Taça da Europa de Marcha (Olhão) Agosto Campeonato

Leia mais

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011 PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES Leiria, 12 de Novembro de 2011 Índice Objectivos do Treino -Gerais - Específicos - Prioritários Meios de Treino - Exemplos Objectivos do Treino GERAIS Gosto pelo

Leia mais

Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas

Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas sports Com o surgimento de novas tecnologias, além da sofisticação e aprimoramento de métodos de comunicação já existentes, afloram a cada dia novas alternativas, tornando mais dinâmicas as possibilidades

Leia mais

Mínimos de Acesso a Provas Internacionais ANO DE 2013

Mínimos de Acesso a Provas Internacionais ANO DE 2013 Mínimos de Acesso a Provas Internacionais ANO DE 2013 NOTA INTRODUTÓRIA O novo ciclo olímpico 2013-2016 arranca sob a égide duma conjuntura económica e financeira extremamente adversa não obstante os votos

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CANOAGEM Kayak-Polo

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CANOAGEM Kayak-Polo Plano Geral Semanal Treinador: Orlando Silva 14 / 01 /2008 a 27 /01 /2008 Época: 07/08 Atletas: Séniores Macrociclo:1 Mesociclo:4 Microciclo: 3-4 TOTAL T: 2h10` T: 2h10` T: 1h40` T: 2h00` T: 2h00` T: 2h10`

Leia mais

ANDEBOL BASQUETEBOL BOCCIA XADREZ

ANDEBOL BASQUETEBOL BOCCIA XADREZ CAMPEONATOS REGIONAIS DESPORTO ESCOLAR 2014 ANDEBOL BASQUETEBOL BOCCIA XADREZ DOCUMENTO ORIENTADOR Índice 1. Organização. 3 2. Comissão Organizadora. 3 3. Apoios... 3 4. Contactos Úteis.. 3 5. Modalidades...

Leia mais

I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015

I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015 Sábado, 24 de Outubro de 2015 Distância Sprint: 5kms Corrida / 16 kms BTT / 2.5 kms Corrida Distância S.Sprint: 2.5kms Corrida / 8 kms BTT

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DO PERFIL FÍSICO DOS ÁRBITROS DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PLANEJAMENTO ANUAL DO PERFIL FÍSICO DOS ÁRBITROS DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANEJAMENTO ANUAL DO PERFIL FÍSICO DOS ÁRBITROS DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROFESSOR PAULO BARROSO CREF 06081 G/RJ PREPARADOR FÍSICO DOS ÁRBITROS FFERJ PROFESSOR DA SECRETARIA MUNICIPAL DE

Leia mais

CAMPEONATOS REGIONAIS ABSOLUTOS VERÃO

CAMPEONATOS REGIONAIS ABSOLUTOS VERÃO REGULAMENTO 2. PARTICIPAÇÃO 1.1. A participação neste campeonato é reservada aos atletas e clubes filiados na AARAM ou no INATEL e com a sua situação regularizada. 1.2. Todos os clubes filiados na AARAM

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DO NADADOR DO AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO

PLANO DE CARREIRA DO NADADOR DO AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO PLANO DE CARREIRA DO NADADOR DO AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO PLANO DE CARREIRA DO NADADOR AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO Introdução O Aminata Évora Clube de Natação, sendo um clube dedicado a várias

Leia mais

NORMAS DE ATUAÇÃO ADMINISTRATIVA ÉPOCA 2015-2016

NORMAS DE ATUAÇÃO ADMINISTRATIVA ÉPOCA 2015-2016 CONTEÚDOS 1. Filiações a. Formulários b. Escalões c. Inscrições Iniciais d. Renovações e. Transferências f. Taxas de Filiação g. Contratos Plurianuais 2. Atletas Estrangeiros 3. Filiações de Atletas Portugueses

Leia mais

Quem será o campeão? Dinâmica 2. Professor. 9º Ano 4º Bimestre. DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO DINÂMICA. Tratamento da Informação.

Quem será o campeão? Dinâmica 2. Professor. 9º Ano 4º Bimestre. DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO DINÂMICA. Tratamento da Informação. Reforço escolar M ate mática Quem será o campeão? Dinâmica 2 9º Ano 4º Bimestre DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO Professor Matemática Ensino Fundamental 9º DINÂMICA Quem será o campeão? Tratamento da Informação.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ATLETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2015/2016

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ATLETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL. Calendário ÉPOCA 2015/2016 ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE ATLETISMO DE COIMBRA CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES DISTRITAL/BEIRAS NACIONAL/ INTERNACIONAL Calendário ÉPOCA 2015/2016 Outubro 2015 11 Meia Maratona Coimbra Coimbra 25 Corrida Pedro

Leia mais

" FUTSAL FEMININO É PAIXÃO VEM JOGAR COM O CRCQL"

 FUTSAL FEMININO É PAIXÃO VEM JOGAR COM O CRCQL O Centro Recreativo e Cultural da Quinta dos Lombos e a sua secção de Futsal Feminino têm como política apostar na formação. Essa aposta tem dado os seus frutos: 1) Equipa Sénior Feminina Vice-Campeã Distrital

Leia mais