2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina Buriti Agosto de 2018

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina Buriti Agosto de 2018"

Transcrição

1 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Usina Buriti Agosto de 2018

2 2ª Reunião de Fornecedores Apresentação Abertura Luiz Alberto Zavanella Produção e Produtividade Safra 18/19 Luiz Alberto Zavanella Acompanhamento de Mercado Sérgio Luiz Selegato Plantio Sistema MEIOSI Marcelo Valente Experiência com MEIOSI Antônio Sergio Cury Considerações finais Sérgio Luiz Selegato

3 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Produção e Produtividade Safra 18/19

4 2ª Reunião de Fornecedores Produção e Produtividade da Safra 18/19 SAFRA 2018 PREVISÃO PARCIAL INÍCIO 02/abr 02/abr FIM 10/nov 28/out DIAS TOTAIS DIAS EFETIVOS EFICIÊNCIA (%) 84,79 88,23

5 2ª Reunião de Fornecedores Produção e Produtividade da Safra 18/19 SAFRA 2018 BURITI - Inicial BURITI - Atual DIFERENÇA % MOAGEM TOTAL (t) ,98 CANA PRÓPRIA (t) ,42 CANA FORNECEDOR (t) ,43

6 2ª Reunião de Fornecedores Produção e Produtividade da Safra 18/19 SAFRA 2018 TON % Moagem Total % Moagem Parcial % Propria Parcial % Fornecedores Parcial % * Moagem Acumulada até 10/08/2018.

7 2ª Reunião Produtividade de Fornecedores Agrícola Safra 17/18 Produção e Produtividade da Safra 18/19 Próprio + Fornecedor >PRÓPRIO + FORNECEDOR SAFRA PERÍODO 01/04/ /08/2018 ESTÁGIO TCH - ESTIMADO TCH - ESTIMADO TCH - REAL % ESTIMADO PERÍODO vs REAL 1M 118,6 118,9 115,4-3,0% 2 95,1 93,3 93,6 0,3% 3 79,9 81,3 79,3-2,4% 4 71,2 72,3 67,7-6,4% 5 67,9 67,3 66,8-0,7% >5 72,8 73,2 72,6-0,7% TOTAL 82,9 88,1 86,3-2,0% Geral ÁREA TOTAL ÁREA COLHIDA % ÁREA COLHIDA , ,84 57%

8 2ª Reunião Produtividade de Fornecedores Agrícola Safra 17/18 Produção e Produtividade da Safra 18/19 Cana Própria >PRÓPRIO SAFRA PERÍODO 01/04/ /08/2018 ESTÁGIO TCH - ESTIMADO TCH - ESTIMADO TCH - REAL % ESTIMADO PERÍODO vs REAL 1M 112,5 112,7 110,9-1,6% 2 93,3 93,2 92,9-0,3% 3 77,6 77,1 74,3-3,6% 4 68,8 68,3 60,3-11,8% 5 65,6 61,7 60,5-1,8% >5 69,2 67,3 59,5-11,6% TOTAL 78,9 83,9 80,8-3,7% Geral ÁREA TOTAL ÁREA COLHIDA % ÁREA COLHIDA , ,03 52%

9 2ª Reunião de Fornecedores Produção e Produtividade Agrícola da Safra Safra 18/1917/18 Cana Fornecedor >FORNECEDOR SAFRA PERÍODO 01/04/ /08/2018 ESTÁGIO TCH - ESTIMADO TCH - ESTIMADO TCH - REAL % ESTIMADO PERÍODO vs REAL 1M 125,5 126,4 120,8-4,5% 2 97,8 93,6 94,9 1,4% 3 84,9 85,5 84,3-1,3% 4 76,6 79,1 80,2 1,4% 5 73,5 77,4 78,1 1,0% >5 76,2 77,4 82,2 6,2% TOTAL 89,1 93,4 93,4 0,0% Geral ÁREA TOTAL ÁREA COLHIDA % ÁREA COLHIDA , ,81 63%

10 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Comparativo produtividade 2017 vs 2018

11 Reunião com Fornecedores Produtividade Produtividade Agrícola Safra Agrícola 18/19Safra 17/18 Próprio + Fornecedor ESTÁGIO TCH SAFRA 2017 TCH SAFRA 2018 % 2017 vs M 117,5 115,4-2,1% 2 95,7 93,6-2,1% 3 86,4 79,3-7,1% 4 74,1 67,7-6,5% 5 70,0 66,8-3,2% >5 76,1 72,6-3,5% TOTAL 86,6 82,6-4,1%

12 Reunião com Fornecedores Produtividade Produtividade Agrícola Safra Agrícola 18/19Safra 17/18 Cana Própria ESTÁGIO TCH SAFRA 2017 TCH SAFRA 2018 % 2017 vs M 113,6 110,9-2,6% 2 90,0 92,9 2,9% 3 80,0 74,3-5,7% 4 67,8 60,3-7,5% 5 64,1 60,5-3,6% >5 67,0 59,5-7,5% TOTAL 80,4 76,4-4,0%

13 Reunião com Fornecedores Produtividade Agrícola Safra 18/19 Produtividade Agrícola Safra 17/18 Cana Fornecedor ESTÁGIO TCH SAFRA 2017 TCH SAFRA 2018 % 2017 vs M 120,8 120,8-0,1% 2 104,6 94,9-9,7% 3 98,6 84,3-14,2% 4 87,6 80,2-7,4% 5 80,7 78,1-2,6% >5 81,1 82,2 1,1% TOTAL 95,6 90,1-5,5%

14 2ª Reunião de Fornecedores Comparativo produtividade 2017 vs 2018 Balanço Hídrico: 2017 Inicio do déficit Junho. Saldo (Exc. Deficit) = 223mm. v Jan a julho de Chuvas de verão = 605,7 mm Inicio do déficit Março. Saldo (Exc. Deficit) = -17 mm. v Jan a julho de Chuvas de verão 583,5 mm. Canavial de 2º semestre com condições climáticas piores que 2017.

15 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Acompanhamento de Mercado

16 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Centro-Sul posição acumulada até 01/08/2018 Etanol anidro ² Produtos Cana-de-açúcar ¹ Açúcar ¹ Etanol hidratado ² Etanol total ² ATR ¹ ATR/ tonelada de cana ³ Mix (%) Centro-Sul 2017/ / ,52% ,31% ,28% ,27% ,28% ,04% 127,97 134,67 5,24% açúcar 48,45% 36,52% etanol 51,55% 63,48% Var. (%) Litros etanol/ tonelada de cana 38,63 50,33 30,30% Kg açúcar/ tonelada de cana 59,08 46,86-20,68% Fonte: UNICA. Nota: ¹ - mil toneladas; ² - milhões de litros; ³ - kg de ATR/ tonelada de cana; exclui produção de etanol de milho no cálculo do ATR

17 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Evolução da moagem acumulada no Centro-Sul Milhões de toneladas Ritmo de moagem segue acelerado em relação à safra 2017/2018 devido ao clima seco observado desde o início dessa safra, que permitiu a aceleração do ritmo de colheita com a melhora na qualidade da matéria-prima. 200 Mas essa condição climática deve 2017/18 promover a redução na /19 produtividade da cana colhida nos próximos meses, diminuindo a oferta 0 1ª Abr 2ª Abr 1ª Mai 2ª Mai 1ª Jun 2ª Jun 1ª Jul 2ª Jul 1ª Ago 2ª Ago 1ª Set 2ª Set 1ª Out 2ª Out 1ª Nov 2ª Nov 1ª Dez 2ª Dez 1ª Jan 2ª Jan 1ª Fev 2ª Fev 1ª Mar 2ª Mar para processamento.

18 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Principais fatores com impactos sobre a moagem na safra 2018/2019 Precipitação Geada Renovação Tratos Ampliação Cana bisada

19 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Região Centro-Sul: taxa de renovação Área de plantio em relação à área total cultivada Valores em % Fonte: Censo CTC.

20 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Região Centro-Sul: taxa de renovação Variação do plantio mensal (hectares) amostra CTC (230 unidades) dez/2016 a jun/2017 dez/2017 a jun/2018 Var (%) +2% Plantio acumulado de (hectares) ,1% +7% +14% +10% -19% -34% Fonte: CTC.

21 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Região Centro-Sul: precipitação nas regiões canavieiras Milímetros Média histórica (10 últimos anos) Mais de 100 dias com chuvas abaixo da média histórica Fonte: Benchmarking CTC.

22 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Número de dias sem chuva Número de dias consecutivos sem chuva acima de 20mm em 26/05/2018 São Paulo foi o Estado mais afetado pelo tempo seco. Regiões como de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto estão a mais de 100 dias sem registro de chuvas consecutivas e intensas

23 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Região Centro-Sul: produtividade agrícola Valores em toneladas de cana-de-açúcar por hectare Acumulado de abril a julho (mas considerando valor preliminar de jul/2018) 82,0 80,5 Acumulado de abril a junho? Fonte: Benchmarking CTC.

24 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Região Centro-Sul: produtividade agrícola média anual Valores em toneladas de cana-de-açúcar por hectare Fonte: Benchmarking CTC.

25 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Preço médio da cana-de-açúcar e produtos Acumulado até julho de cada safra Valores nominais médios do Estado de São Paulo (abril julho) Fonte: Consecana-SP.

26 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Receita da agroindústria Estado de São Paulo Faturamento médio nominal das unidades do Estado de São Paulo Safra R$/tonelada R$/hectare 2011/ ,1 22,2% ,28% 70,1* 2012/ ,8-8,0% ,94% 77,7* 2013/ ,7-5,7% ,85% 83,1* 2014/ ,9 +7,2% ,59% 73,2* 2015/ ,9 +12,1% ,9% 84,2* 2016/ ,4 +23,4% ,6% 78,1* 2017/ ,8-11,7% ,7% 76,4* Fonte: Consecana-SP. *Produtividade agrícola (toneladas de cana-de-açúcar por hectare) CTC. Nota: considerou-se a qualidade média da cana-de-açúcar registrada em cada safra e, para a safra atual utilizou-se o ATR produto final do Estado de São Paulo

27 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Mercado de açúcar

28 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Mercado mundial de açúcar Produção, consumo e razão entre estoque e consumo GLOBAIS Retorno do quadro superavitário no mercado global a partir Câmbio elevado 2018: 3,70 R$/US$ 2019: 3,60 R$/US$ Fonte: LMC. Nota: * - preliminar; e estimativa. *Boletim FOCUS (03/08/2018)

29 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Projeção do preço futuro do açúcar Preço açúcar no mercado internacional (c US$/ lbs) Excesso de oferta mundial decorrentes de produções na Índia, Tailândia e Paquistão Fonte: Nybot.

30 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Preço do açúcar VHP 2017/18 x 2018/19 Preço mensal do açúcar VHP recebido pelos produtores do Estado de SP Fonte: CONSECANA-SP. Elaboração: UNICA. Nota: preços sem frete e sem imposto; preços em destaque referentes à média da safra, calculados segundo ponderação pela curva de comercialização do Consecana.

31 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Mix de produção de ETANOL na safra 2018/2019 no Centro-Sul % acumulado de cana-de-açúcar destinada à produção de etanol Fatores externos influenciaram diretamente na mudança do mix das usinas: Alta na cotação do petróleo Queda no preço do açúcar Fonte: UNICA.

32 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Mercado de etanol

33 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado R$/litro (gasolina pura) Nova política de preços da gasolina alinhada aos preços externos Preço de faturamento líquido na refinaria Nova política de preços da gasolina pela Petrobrás Preço da gasolina no mercado internacional Fonte: ANP. Elaboração: UNICA.

34 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Preço do etanol HIDRATADO carburante 2017/18 x 2018/19 Preço mensal do etanol hidratado carburante recebido pelos produtores do Estado de São Paulo Fonte: CONSECANA-SP. Elaboração: UNICA. Nota: preços sem frete e sem imposto; preços em destaque referentes à média da safra, calculados segundo ponderação pela curva de comercialização do Consecana.

35 2ª Reunião de Fornecedores Acompanhamento de Mercado Mercado de etanol se mantém aquecido Vendas quinzenais de etanol hidratado carburante pelas unidades produtoras do Centro-Sul Fonte: UNICA.

36 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Plantio Sistema MEIOSI

37 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Introdução v O que é? v Vantagens v Simulação fornecedor Conta Econômica v Sequencia de Operações v Pontos de Atenção Manejo

38 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI O que é? v Meiosi foi criada como uma solução logística para transporte de cana, afim de reduzir custos com transporte de muda de uma área para outra ( Prof. Barcellos, 1984). v SIGLA Método Interrotacional Ocorrendo Simultaneamente (M.E.I.O.S.I). v O objetivo da MEIOSI é a antecipação do plantio da muda na área que será realizada o plantio, reduzindo o gasto com cana para muda e transporte.

39 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Vantagens v Maior faturamento Economia de muda, consequentemente aumento da oferta de cana; v Menor custo por hectare no plantio de cana Redução do gasto no transporte. v Viabilidade uso de M.P.B. Sanidade e qualidade do canavial. v Desdobra manual - Legislação trabalhista

40 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Vantagens v Desdobra manual Legislação trabalhista (sem trabalho em altura, menor desgaste físico, sem instrumento de corte).

41 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Simulação fornecedor Conta Econômica

42 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Conta Econômica v Premissas: Área total: hectares; % de reforma = 15% CATEGORIA DE CORTE ÁREA (ha) % Reforma 225 ha 15%

43 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Conta Econômica v Sistemas convencionais ATUAL ATUAL Área de Plantio Produtividade da "muda" Consumo de "muda" Toneladas utilizadas Área de olhadura Plantio Convencional Manual 225 ha 80 ton/ha 11 ton/ha ton 30,9 ha Taxa de Multiplicação - Origem 7 v Sistema atual: Baixa taxa de multiplicação; Maior área utilizada para muda.

44 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Conta Econômica MEIOSI Área de Plantio Produtividade da Muda - Origem MEIOSI - Desdobra Manual 225 ha 50 ton/ha Taxa de Multiplicação - Desdobra 10 Área de plantio - L.M. Consumo de efetivo - L.M. Toneladas utilizadas Área de Muda 20,5 ha 11 ton/ha 225 ton 4,5 ha Taxa de Multiplicação Origem 50

45 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Conta Econômica ATUAL Área de olhadura Plantio Convencional - Manual 30,9 ha MEIOSI Área de olhadura MEIOSI - Desdobra Manual 4,5 ha DIFERENÇA GANHO DE ÁREA P/MOAGEM 26,4 ha

46 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Conta Econômica SIMULAÇÃO DIFERENÇA - GANHO DE ÁREA P/MOAGEM Produtividade Estimada - 1º Corte Produção Adicional 26,4 ha 110 ton/ha ton Vatr 0,5901 ATR 135 Kg/ton R$/tonelada 80 Valor da produção extra R$

47 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Custos v Sistemas convencionais ATUAL TIPOS PLANTIO MANUAL CONSUMO Ton/ha 11 ton/ha Vatr 0,5901 ATR - Kg/ton 135Kg/ton CUSTO - R$/ha 876 R$/ha v Sistemas MEIOSI TIPOS MEIOSE MANUAL CONSUMO Ton/ha 1,00 ton/ha Vatr 0,5901 ATR - Kg/ton 135Kg/ton CUSTO - R$/ha 80 R$/ha REDUÇÃO DO CUSTO DA MUDA -797 R$/ha

48 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Sequência de Operações

49 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Sequência de Operações PLANTIO MECÂNICO TAXA DE MULTIPLICAÇÃO ORIGEM 1:4 TAXA DE MULTIPLICAÇÃO INSTALAÇÃO 1:4 SEQUENCIA DE OPERAÇÕES PLANTIO abr/18 mai/18 jun/18 jul/18 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 PLANTIO DO VIVEIRO DE ORIGEM COLHEITA - SAFRA (Pl. reforma) 56 ha PREPARO DE SOLO PLANTIO DA LINHA MÃE. PLANTIO DE CULTURA INTERCALAR COLHEITA DA CULTURA INTERCALAR PLANTIO DE CANA 225 ha

50 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Sequência de Operações MEIOSI MECÂNICA TAXA DE MULTIPLICAÇÃO ORIGEM 1:20 TAXA DE MULTIPLICAÇÃO INSTALAÇÃO 1:4 SEQUENCIA DE OPERAÇÕES PLANTIO PLANTIO DO VIVEIRO DE ORIGEM COLHEITA - SAFRA (Pl. reforma) 11 ha abr/18 mai/18 jun/18 jul/18 ago/18 set/18 out/18 nov/18 dez/18 jan/19 fev/19 mar/19 abr/19 PREPARO DE SOLO PLANTIO DA LINHA MÃE. 45 ha 15/set PLANTIO DE CULTURA INTERCALAR COLHEITA DA CULTURA INTERCALAR PLANTIO DE CANA 225 ha

51 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Pontos de atenção

52 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 1) PLANEJAMENTO 2) PROJETO SULCAÇÃO 3) RESERVA DE MUDA 4) FORMA DE PLANTIO MECÂNICA OU MANUAL 5) LINHA MÃE MANEJO 1) Adubação reforçada 2) Inseticida Broca e SPH 3) Fungicidas e Bioestimulantes 4) Irrigação 5) Pré-colheita 6) CUIDADOS CULTURA INTERCALAR

53 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 1) Planejamento v Seleção das áreas de reforma definição; v Programação antecipada da colheita da área; v Planejar a conservação de solo a ser realizada: Terraço embutido; Terraço base larga. v Reserva de muda para plantio da Linha-mãe escolha varietal: Época de plantio do viveiro Cronograma; Compra de M.P.B. v Sulcação de plantio com Piloto Automático.

54 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 2) Projeto de Sulcação v Estudo da área Implantação Mapeamento Vant ou terrestre; Definição da taxa de desdobra de instalação; Simulação das linhas de sulcação Aumento do comprimento médio e redução do números de linhas; Definição da reserva de muda; Utilização no PILOTO AUTOMÁTICO Plantio. A Pedra Agroindustrial disponibiliza o serviço de mapeamento e Projeto de Sulcação

55 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 1) Projeto de Sulcação Lenheiro

56 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 2) Projeto de Sulcação Mata Capivari

57 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 2) Projeto de Sulcação Vista Linda

58 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 3) Reserva de Muda MEIOSI Desdobra Manual Taxa: 1:10 Área Total 48,43 ha Plantio L.M 4,40 ha Pulmão: 15% 0,66 ha L.M + Pulmão 5,06 ha v Recomendação 15% dos hectares plantados de linha-mãe: Desdobra manual Recomendado Desdobra mecânica Obrigatório

59 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 4) Forma de Plantio Desdobra Manual DESDOBRA MANUAL - CORRETO TAXA DE MULTIPLICAÇÃO - INSTALAÇÃO - 1:10 (EXEMPLO) DESDOBRA MANUAL - ERRADO TAXA DE MULTIPLICAÇÃO - INSTALAÇÃO - 1:10 (EXEMPLO) L.M L.M 5 linhas = 7,5 metros 10 linhas = 15 metros Maior rendimento de plantio = Menor custo

60 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 4) Forma de Plantio Desdobra Manual

61 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 4) Forma de Plantio Desdobra Manual

62 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 4) Linha Mãe Manejo v Adubação SULCO DE PLANTIO N P K LINHA MÃE DESDOBRA 40 Kg/ha 200 Kg/ha 0 Kg/ha 35 Kg/ha 160 Kg/ha 0 Kg/ha ADUBAÇÃO DE COBERTURA N P K DAP - LINHA MÃE 55 Kg/ha Kg/ha DAP - DESDOBRA 45 Kg/ha Kg/ha Sulco de Plantio MAP 390 Kg / ha Oxido de Cálcio e Magnésio 100 Kg / ha Cobertura (UR) 375 Kg / ha

63 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Inseticida 1) Pragas de Solo Sphenophorus levis Redução do período de POUSIO; Manter população baixa ao longo do ciclo; Utilizar em 100 %: Fipronil 0,250 Kg / ha 2) Broca da Cana Diatrea sacharalis Altos índices podem danificar gemas; Utilizar em 100%: Altacor 0,300 Kg / ha

64 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Fungicida e Bioestimulantes 1) Fungicida Podridão abacaxi Plantio de Inverno; Maior taxa de germinação e enraizamento; Utilizar em 100 %: 2) Bioestimulantes Comet 0,5 Lt / ha Em testes; Aumento da velocidade de brotação; Garantia de stand de plantio.

65 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Irrigação 1) Plantio Tolete 7 a 8 litros / metro / lâmina de irrigação; 1ª Irrigação Logo após o plantio; 2ª Irrigação 5 dias após a 1ª; 3ª Irrigação Monitoramento a cada 3 dias Realizar de acordo com a necessidade.

66 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Irrigação 1) Plantio M.P.B. 7 a 8 litros / metro / lâmina de irrigação; Pré Plantio Lâmina antes do o plantio; 1ª Irrigação Lágo após o plantio; 2ª Irrigação 1 dias após a primeira (1ª); 3º Irrigação 2 dias após a segunda (2ª); 4ª Irrigação 3 dias após a terceira (3ª); 5º Lâmina Monitoramento a cada 3 dias Realizar de acordo com a necessidade.

67 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Irrigação

68 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Pré-colheita Levantamento de campo Objetivo: Gatilho para desdobra Contagem: Perfilhos por metro; Gemas totais; Gemas danificadas; Altura da cana. Início do levantamento 5 meses após o plantio da linha mãe 1 ponto por hectare de linha mãe / TALHÃO.

69 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Pré-colheita PRÉ-COLHEITA MEIOSI SEÇÃO FAZENDINHA ÁREA 14 DATA DE PLANTIO 15/07/2018 TALHÃO 1 DATA DA AMOSTRAGEM 12/12/2018 TIPO DE DESDOBRA MANUAL IDADE 5 meses PONTOS TOTAIS: 14 VARIEDADE CTC4 DADOS DE CAMPO Nº Amostra Talhão Plantas/metro Altura média Gemas totais Gemas danificada 1 1 7,9 1, ,8 1, ,5 1, ,9 1, ,5 1, ,3 1, ,3 1, ,9 1, ,7 1, ,9 1, ,9 1, ,9 1, ,9 1, ,9 1, MÉDIA: 8,5 1,21 8,5 0,5

70 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Pré-colheita Metodologia Pontos/ha 1 Tamanho do ponto 10 metros Calculadora da desdobra ENTRADA DE DADOS INFORMAÇÕES DO LEVANTAMENTO Quantidades de gemas viáveis Desdobra manual 10 Gm viáveis / metro Gema total/metro 72,5 % de gema viável 94% Taxa de desdobra 1:10 Potencial de gema/metro 7 Gm viáveis / metro Potencial de desdobra 1: gemas v. / mtr

71 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Sobra muda

72 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 5) Linha Mãe Manejo v Sobra muda

73 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 6) Cultura Intercalar 1) Opções de uso: Soja; Amendoin; Crotalaria ocroleuca; Crotalaria juncea; Braquiaria ruziziensis. 2) Cuidados: Espaço de segurança 2 metros de cada lado da Linha-Mãe; Uso de herbicida.

74 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 6) Cultura Intercalar

75 2ª Reunião de Fornecedores MEIOSI Pontos de atenção 6) Cultura Intercalar

76 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Experiência com MEIOSI Antônio Sergio Cury

77 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Considerações finais

78 OBRIGADO!

3ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina Ipê Novembro de 2018

3ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina Ipê Novembro de 2018 3ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Usina Ipê Novembro de 2018 3ª Reunião de Fornecedores Apresentação Abertura Sérgio Luiz Selegato Palestra Manejo do 3º Eixo Variedades e Manejo de Colheita Daniel Nunes da Silva

Leia mais

2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina Buriti Agosto de 2017

2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina Buriti Agosto de 2017 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Usina Buriti Agosto de 2017 Apresentação Abertura Luiz Alberto Zavanella Moagem e Término da Safra Luiz Alberto Zavanella Acompanhamento de Mercado Sergio Luiz Selegato Potencial

Leia mais

Avaliação safra 2016/2017 e perspectivas safra 2017/2018

Avaliação safra 2016/2017 e perspectivas safra 2017/2018 26 de maio de 2017 Avaliação safra 2016/2017 e perspectivas safra 2017/2018 Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial ROTEIRO I. Avaliação da safra 2016/2017 Moagem e produção Mercados de etanol

Leia mais

Perspectivas para a safra 2018/2019 e RenovaBio

Perspectivas para a safra 2018/2019 e RenovaBio 21 de junho de 2018 Perspectivas para a safra 2018/2019 e RenovaBio Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial ROTEIRO I. Considerações sobre a safra 2017/2018 Moagem e produção Preços II. Perspectivas

Leia mais

Perspectivas sobre a safra 2018/2019 e RenovaBio

Perspectivas sobre a safra 2018/2019 e RenovaBio 24 de maio de 2017 Perspectivas sobre a safra 2018/2019 e RenovaBio Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial ROTEIRO I. Considerações sobre a safra 2017/2018 Moagem e produção Preços II. Perspectivas

Leia mais

Avaliação da safra 2015/2016 e perspectivas para a safra 2016/2017

Avaliação da safra 2015/2016 e perspectivas para a safra 2016/2017 16 de junho de 2016 Avaliação da safra 2015/2016 e perspectivas para a safra 2016/2017 Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial ROTEIRO I. Considerações sobre a safra 2015/2016 Moagem e produção

Leia mais

Avaliação safra 2016/2017 e perspectivas safra 2017/2018

Avaliação safra 2016/2017 e perspectivas safra 2017/2018 26 de maio de 2017 Avaliação safra 2016/2017 e perspectivas safra 2017/2018 Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial ROTEIRO I. Avaliação da safra 2015/2016 Moagem e produção Mercados de etanol

Leia mais

Avaliação da safra 2016/2017 e perspectivas para a safra 2017/2018

Avaliação da safra 2016/2017 e perspectivas para a safra 2017/2018 Nova Independência/SP, 18 de maio de 2017 REUNIÃO DE FORNECEDORES Pedra Agroindustrial S/A Usina Ipê Avaliação da safra 2016/2017 e perspectivas para a safra 2017/2018 Prof. Ms Antonio Cesar Salibe* *Com

Leia mais

Expectativas para a safra 2017/18 e as perspectivas para o setor nos próximos anos

Expectativas para a safra 2017/18 e as perspectivas para o setor nos próximos anos 15º Seminário sobre Produtividade & Redução de Custos Expectativas para a safra 2017/18 e as perspectivas para o setor nos próximos anos Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial 1 - SAFRA

Leia mais

21 de maio de Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2015/2016

21 de maio de Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2015/2016 21 de maio de 2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2015/2016 ROTEIRO I. Dados finais da safra 2014/2015 na região Centro-Sul Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e faturamento

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA

COLETIVA DE IMPRENSA COLETIVA DE IMPRENSA 17 de dezembro de 2013 Considerações sobre os dados Informações disponíveis a partir do sistema de benchmarking do CTC: Amostra contempla apenas cana própria Representatividade da

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA

COLETIVA DE IMPRENSA COLETIVA DE IMPRENSA 17 de dezembro de 2013 Considerações sobre os dados Informações disponíveis a partir do sistema de benchmarking do CTC: Amostra contempla apenas cana própria Representatividade da

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2014/15*

PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2014/15* USINA IPÊ PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A REUNIÃO ANUAL COM FORNECEDORES PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2014/15* Prof. Ms Antonio Cesar Salibe * Informações de Luciano Rodrigues, Gerente de Economia - Unica Nova Independência/SP,

Leia mais

Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013

Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013 Coletiva de Imprensa REVISÃO DE SAFRA 2012/2013 São Paulo, 20 de setembro de 2012 ROTEIRO I. Metodologia e fonte de dados II. Aspectos climáticos e condições agrícolas III. Evolução da safra da região

Leia mais

CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2013/2014

CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2013/2014 Palestra anual para os fornecedores de cana Usina da Pedra CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2013/2014 Luciano Rodrigues Gerente Economia e Estatística - UNICA Serrana, 20 de junho de 2013 ROTEIRO I.

Leia mais

DESEMPENHO E DESTAQUES VARIETAIS NA PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A. Eng. Agr. Sergio M. Selegato

DESEMPENHO E DESTAQUES VARIETAIS NA PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A. Eng. Agr. Sergio M. Selegato DESEMPENHO E DESTAQUES VARIETAIS NA PEDRA AGROINDUSTRIAL S/A Eng. Agr. Sergio M. Selegato Localização - Unidades Climático II Média Anual: 1.594,6 mm Climático III Média Anual: 1.315,2 mm Climático II

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2012/2013

PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2012/2013 Perspectivas do Setor Sucroenergético MBF AGRIBUSINESS PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2012/2013 Luciano Rodrigues Gerente de Economia e Análise Setorial da UNICA Sertãozinho, 24 de maio de 2012 2000/01 2001/02

Leia mais

Avaliação da safra 2017/2018 Perspectivas para a safra 2018/2019 RenovaBio uma nova realidade

Avaliação da safra 2017/2018 Perspectivas para a safra 2018/2019 RenovaBio uma nova realidade Nova Independência/SP, 17 de maio de 2018 REUNIÃO DE FORNECEDORES Pedra Agroindustrial S/A Usina Ipê Avaliação da safra 2017/2018 Perspectivas para a safra 2018/2019 RenovaBio uma nova realidade Prof.

Leia mais

Relatório final da safra 2015/2016. Região Centro-Sul

Relatório final da safra 2015/2016. Região Centro-Sul Relatório final da safra 2015/2016 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2015/2016 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2014/2015 Cana-de-açúcar ¹ Açúcar ¹ Etanol anidro ² ATR ¹ Produtos

Leia mais

Relat ório final da safra 2016/2017. Região Centro-Sul

Relat ório final da safra 2016/2017. Região Centro-Sul Relat ório final da safra 2016/2017 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2016/2017 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2015/2016 Cana-de-açúcar ¹ Açúcar ¹ Etanol anidro ² ATR ¹ Produtos

Leia mais

Relat ório final da safra 2017/2018. Região Centro-Sul

Relat ório final da safra 2017/2018. Região Centro-Sul Relat ório final da safra 2017/2018 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2017/2018 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2016/2017 Cana-de-açúcar ¹ Açúcar ¹ Etanol anidro ² Etanol

Leia mais

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul Relatório final da safra 2013/2014 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2013/2014 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2012/2013 Produtos Safra 2012/2013 2013/2014 Var. (%) Cana-de-açúcar

Leia mais

EXPECTATIVA DA SAFRA 2018/19

EXPECTATIVA DA SAFRA 2018/19 EQUIPE CANAPLAN 1ª REUNIÃO CANAPLAN 2018 EXPECTATIVA DA SAFRA 2018/19 Ribeirão Preto, 25/04/18 Agronegócio Canavieiro, Brasil Últimos 8 Anos, Pós-Crise Global À Sombra da Estagnação SAFRA C/SUL (milhão

Leia mais

Panorama da Safra e Perspectivas. Dezembro/18

Panorama da Safra e Perspectivas. Dezembro/18 Panorama da Safra e Perspectivas Dezembro/18 Agenda Contexto histórico e Indicadores Safra 2018/19 Perspectivas Safra 2019/20 Tendências e soluções para o aumento de produtividade Contexto histórico e

Leia mais

2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina da Pedra Agosto de 2017

2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES. Usina da Pedra Agosto de 2017 2ª REUNIÃO DE FORNECEDORES Usina da Pedra Agosto de 2017 Apresentação Abertura Sérgio Luiz Selegato Acompanhamento de Mercado Sérgio Luiz Selegato Moagem e Término da Safra Hebert Trawitzki Potencial de

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 01/09/2018

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 01/09/2018 Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 01/09/2018 Quebra agrícola e novo recorde de venda de hidratado marcam a 2ª quinzena de agosto São Paulo, 12 de setembro de 2018 A moagem

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 São Paulo, 23 de abril de 2014 ROTEIRO I. Safra 2013/2014 na região Centro-Sul: dados finais Condições climáticas e agronômicas Moagem e produção Mercados

Leia mais

Reunião XXXXXX. Reunião de Fornecedores. Unidade XXXX. Unidade Buriti

Reunião XXXXXX. Reunião de Fornecedores. Unidade XXXX. Unidade Buriti Reunião XXXXXX Reunião de Fornecedores Unidade XXXX Unidade Buriti 21.11.2016 Apresentação Abertura Luiz Alberto Zavanella Melhoria da produtividade agrícola Sérgio Medeiros Selegato Planejamento de safra

Leia mais

A SAFRA CANAVIEIRA DE 2012 E AS TENDÊNCIAS DE MERCADO DE AÇUCAR E ETANOL. Eng. Agr. Dib Nunes Grupo IDEA

A SAFRA CANAVIEIRA DE 2012 E AS TENDÊNCIAS DE MERCADO DE AÇUCAR E ETANOL. Eng. Agr. Dib Nunes Grupo IDEA A SAFRA CANAVIEIRA DE 2012 E AS TENDÊNCIAS DE MERCADO DE AÇUCAR E ETANOL Eng. Agr. Dib Nunes Grupo IDEA JUNHO 2012 Evolução da produção brasileira de CANA nos últimos 60 anos Ano Toneladas (milhões) Década

Leia mais

REUNIÃO DE FORNECEDORES. UNIDADE Ipê 2012

REUNIÃO DE FORNECEDORES. UNIDADE Ipê 2012 REUNIÃO DE FORNECEDORES UNIDADE Ipê 2012 VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR Fatores de Produtividade MANEJO AGRÍCOLA VARIEDADE PRODUTIVIDADE SOLO (Amb. Prod.) CLIMA TIPO DE PLANTIO TIPO DE COLHEITA MATURAÇÃO

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO

PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO PERSPECTIVAS PARA PRÓXIMA SAFRA E OS POSSÍVEIS REFLEXOS SOBRE O SETOR SUCROENERGETICO Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar 4 de dezembro de 2013 Considerações

Leia mais

Avaliação de desempenho e recomendações das variedades de cana no Grupo Guarani

Avaliação de desempenho e recomendações das variedades de cana no Grupo Guarani Avaliação de desempenho e recomendações das variedades de cana no Grupo Guarani José Olavo Bueno Vendramini Gerente Técnico Corporativo Agenda Grupo Guarani Avaliação de Performance Varietal para Tomada

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 01/11/2017 Vendas de hidratado avançam no Centro-Sul O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul

Leia mais

Estimativas e Desempenho de Variedades. Eng. Agr. Jose Carlos Salata

Estimativas e Desempenho de Variedades. Eng. Agr. Jose Carlos Salata Estimativas e Desempenho de Variedades Eng. Agr. Jose Carlos Salata Estimativa de Cana Identificando o Canavial Banco de Dados das Áreas (Própria/Fornecedor) Fazenda Lote Talhão Área Estágio Variedade

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 01/04/2019

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 01/04/2019 Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 01/04/2019 Safra encerrada no Centro-Sul atinge 573,07 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, com produção recorde de etanol São Paulo,

Leia mais

Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13

Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13 Panorama do setor sucroenergético para a safra atual e perspectivas para 2012/13 Vanessa Nardy Agribusiness Research & Knowledge Center Pricewaterhouse Coopers Situação do setor sucroenergético no Brasil

Leia mais

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Levantamento dos níveis de impurezas nas últimas safras Luiz Antonio Dias Paes 12 de Maio de 2011 Dados Gerais da Safra 10/11 Impurezas Evolução Indicadores Impurezas

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 16/09/2018

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 16/09/2018 Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/09/2018 Moagem atinge 38,51 milhões de toneladas e venda de hidratado segue aquecida na primeira quinzena de setembro São Paulo, 25

Leia mais

UNIDADE BURITI Reunião com Fornecedores 12/06/2013

UNIDADE BURITI Reunião com Fornecedores 12/06/2013 UNIDADE BURITI Reunião com Fornecedores 12/06/2013 Programação Abertura Luiz Roberto Kaysel Cruz Estimativas de Moagem para safra 2013 Luiz Alberto Zavanella Aspectos Ambientais da produção de cana Sérgio

Leia mais

MOAGEM DE CANA CHEGA A 17 MILHÕES DE TONELADAS NA PRIMEIRA QUINZENA DE ABRIL

MOAGEM DE CANA CHEGA A 17 MILHÕES DE TONELADAS NA PRIMEIRA QUINZENA DE ABRIL Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XIX 01/maio/2017 n. 673 MOAGEM DE CANA CHEGA A 17 MILHÕES DE TONELADAS NA PRIMEIRA QUINZENA DE ABRIL A quarta semana de abril foi marcada pela atualização

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 São Paulo, 29 de abril de 2013 ROTEIRO I. Safra 2012/2013 na região Centro-Sul: dados finais Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 9º Seminário sobre Redução de Custos na Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 24 de Novembro de 2010 Modelo

Leia mais

Reunião XXXXXX. Reunião de Fornecedores. Unidade XXXX. Unidade Pedra

Reunião XXXXXX. Reunião de Fornecedores. Unidade XXXX. Unidade Pedra Reunião XXXXXX Reunião de Fornecedores Unidade XXXX Unidade Pedra 10.11.2016 Apresentação Abertura Hebert Trawitzki Melhoria da produtividade agrícola Sérgio Medeiros Selegato / Rafael Ascoli Planejamento

Leia mais

REUNIÃO. SAFRA 2016/2017 Unidade Pedra 16/06/2016

REUNIÃO. SAFRA 2016/2017 Unidade Pedra 16/06/2016 REUNIÃO FORNECEDORES SAFRA 2016/2017 Unidade Pedra 16/06/2016 Apresentação Abertura Sergio Luiz Selegato Planejamento de safra 2016/2017- Hebert Trawitzki Extranet Canal com o Fornecedor - Hebert Trawitzki

Leia mais

Análise da Safra 2015/16. Agosto/15

Análise da Safra 2015/16. Agosto/15 Análise da Safra 2015/16 Agosto/15 Evolução da produtividade média Evolução da produtividade mensal Média do Centro Sul em toneladas de cana por hectare (TCH) Por conta do regime de chuvas mais favorável,

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 11º Seminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 28 de Novembro de

Leia mais

GRUPO DE IRRIGAÇÃO EM CANA-DE-AÇÚCAR. Uso de Irrigação na Usina Jalles Machado. Patrick Francino Campos Gestor de Irrigação

GRUPO DE IRRIGAÇÃO EM CANA-DE-AÇÚCAR. Uso de Irrigação na Usina Jalles Machado. Patrick Francino Campos Gestor de Irrigação GRUPO DE IRRIGAÇÃO EM CANA-DE-AÇÚCAR Uso de Irrigação na Usina Jalles Machado Patrick Francino Campos Gestor de Irrigação 1 2 Localização 3 HISTÓRICO DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMETRICA (mm) 180 dias 190 dias

Leia mais

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 27 de abril de 2016 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 ROTEIRO I. Considerações sobre a atual situação do setor sucroenergético II. Bioeletricidade III. Condições climáticas e agronômicas

Leia mais

ESTIMATIVA DA SAFRA 2009/2010

ESTIMATIVA DA SAFRA 2009/2010 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2009/2010 Marcos Sawaya Jank Antonio de Padua Rodrigues São Paulo, SP 29 de abril de 2009 ROTEIRO Dados finais Safra 2008/2009 Moagem de cana Produção de açúcar

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/11/2016 Informações adicionais Safra 2016/2017 1ª quinzena de novembro A moagem pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiu

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar 85 86 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DÉFICIT NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇÚCAR, AUMENTO DA DEMANDA E QUEDA NOS ESTOQUES MANTERÃO TENDÊNCIA DE PREÇOS ALTOS A perspectiva é de

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 1/05/2018 Com produção recorde na 2ª quinzena de abril, etanol hidratado segue mais competitivo São Paulo, 10 de maio de 2018 A moagem

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 12ºSeminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 04 de Dezembro de 2013

Leia mais

Instalação da cana-de-açúcar

Instalação da cana-de-açúcar Instalação da cana-de-açúcar SUMÁRIO Há poucas opções de variedades apesar de que o melhoramento genético tem garantido estabilidade na produção e nos resultados econômicos: todos programas de melhoramento

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 01/07/2018 Crescimento nas vendas de etanol e queda na produção de açúcar marcam a segunda quinzena de junho São Paulo, 11 de julho de

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/05/2018 Com novo recorde, vendas de etanol hidratado seguem como destaque da safra de cana-de-açúcar no Centro-Sul São Paulo, 24 de

Leia mais

COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO RIBEIRÃO PRETO - SP

COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO RIBEIRÃO PRETO - SP COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO RIBEIRÃO PRETO - SP 17 DE JULHO DE 2012 CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE O clima semiárido está presente no Brasil nas regiões Nordeste e Sudeste.

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 10º Seminário sobre Redução de Custos na Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 30 de Novembro de 2011 Modelo

Leia mais

GUIA PARA GESTÃO RESPONSÁVEL DE VARIEDADE DE CANA GENETICAMENTE MODIFICADA.

GUIA PARA GESTÃO RESPONSÁVEL DE VARIEDADE DE CANA GENETICAMENTE MODIFICADA. GUIA PARA GESTÃO RESPONSÁVEL DE VARIEDADE DE CANA GENETICAMENTE MODIFICADA. Você acaba de adquirir um produto com a melhor tecnologia para o controle de broca disponível no mercado. 10/2017 Esse produto

Leia mais

Workshop Estratégico CTBE: RenovaBio Modelagem Econômica

Workshop Estratégico CTBE: RenovaBio Modelagem Econômica Workshop Estratégico CTBE: RenovaBio Modelagem Econômica Campinas 29/09/2017 SETEMBRO 2017 Tratamento da informação Tratamento da informação 339 Unidades em Operação Cana-de-açúcar Setembro 2017 Mapa da

Leia mais

PERSPECTIVAS DE MERCADO AÇÚCAR & ETANOL ABRIL,

PERSPECTIVAS DE MERCADO AÇÚCAR & ETANOL ABRIL, PERSPECTIVAS DE MERCADO AÇÚCAR & ETANOL ABRIL, 2013 PANORAMA MUNDIAL Açúcar & Etanol CICLOS SAFRA HEMISFÉRIOS NORTE E SUL CICLO 2013/14 ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR Hem. NORTE ENTRESSAFRA

Leia mais

REUNIÃO. SAFRA 2016/2017 Unidade Buriti 08/06/2016

REUNIÃO. SAFRA 2016/2017 Unidade Buriti 08/06/2016 REUNIÃO FORNECEDORES SAFRA 2016/2017 Unidade Buriti 08/06/2016 Apresentação Abertura Sergio Luiz Selegato Planejamento de safra 2016/2017- Luiz Alberto Zavanella Produtividade Agrícola - Luiz Alberto Zavanella

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA

COLETIVA DE IMPRENSA COLETIVA DE IMPRENSA São Paulo, 20 de dezembro de 2012 ROTEIRO I. Oferta de cana-de-açúcar na região Centro-Sul: condições agrícolas e climáticas II. Moagem e produção de açúcar e etanol na região Centro-Sul

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COM FOCO EM ALTA PRODUTIVIDADE

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COM FOCO EM ALTA PRODUTIVIDADE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COM FOCO EM ALTA PRODUTIVIDADE Gustavo V. Gomes USINA AÇUCAREIRA GUAÍRA Gustavo V. Gomes & USINA AÇUCAREIRA GUAÍRA Gaspar H. &Korndörfer UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Gaspar

Leia mais

BROCA GIGANTE. Como controlar esta praga? Telchin licus licus (Lepidoptera, Castniidae) José de Souza Santos Consultor

BROCA GIGANTE. Como controlar esta praga? Telchin licus licus (Lepidoptera, Castniidae) José de Souza Santos Consultor BROCA GIGANTE Telchin licus licus (Lepidoptera, Castniidae) Como controlar esta praga? José de Souza Santos Consultor IMPORTÂNCIA ECONÔMICA CONSIDERADA UMA DAS MAIS IMPORTANTES PRAGAS DA CANA NO NORDESTE

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T18 10 de Agosto, 2017

Teleconferência de Resultados 1T18 10 de Agosto, 2017 Teleconferência de Resultados 10 de Agosto, 2017 DISCLAIMER Esta apresentação, e quaisquer materiais distribuídos em relação à mesma, poderão incluir determinados números, resultados, declarações, convicções

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO

PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO 2014-2015 10 DE OUTUBRO DE 2014 Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC CENÁRIO AGRÍCOLA PRODUÇÃO GLOBAL DE GRÃOS SAFRA 2014/15

Leia mais

Teleconferência de Resultados Safra 16/17 2 de junho, 2017

Teleconferência de Resultados Safra 16/17 2 de junho, 2017 Teleconferência de Resultados Safra 16/17 2 de junho, 2017 DISCLAIMER Esta apresentação, e quaisquer materiais distribuídos em relação à mesma, poderão incluir determinados números, resultados, declarações,

Leia mais

Projeto PREVCLIMACANA: uso do banco de dados e da modelagem matemática associada às imagens de satélite visando a estimativa de safra

Projeto PREVCLIMACANA: uso do banco de dados e da modelagem matemática associada às imagens de satélite visando a estimativa de safra Projeto PREVCLIMACANA: uso do banco de dados e da modelagem matemática associada às imagens de satélite visando a estimativa de safra Agosto/2015 MAXIMILIANO SALLES SCARPARI Centro de Cana/IAC INTRODUÇÃO

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 15º Seminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 30 de Novembro de

Leia mais

AGRICULTURA. Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

AGRICULTURA. Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AGRICULTURA Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Algodão Embora não tenha alcançado recorde, as 3 últimas safras globais seguiram em recuperação

Leia mais

2017/18 quase 2018/19. A cana, o clima, o tempo e. o hipopótamo

2017/18 quase 2018/19. A cana, o clima, o tempo e. o hipopótamo 2017/18 quase 2018/19 A cana, o clima, o tempo e. o hipopótamo 2017/18 safra ruim? Foi mesmo ruim? Aos curiosos. SAFRA CANAVIEIRA: DATAFOLHA Se a área total é praticamente a mesma e o canavial envelheceu,

Leia mais

Produtividade de 3 (três) dígitos Caso Unidade Otávio Lage Grupo Jalles Machado. Edgar Alves Gerente Agrícola

Produtividade de 3 (três) dígitos Caso Unidade Otávio Lage Grupo Jalles Machado. Edgar Alves Gerente Agrícola Produtividade de 3 (três) dígitos Caso Unidade Otávio Lage Grupo Jalles Machado Edgar Alves Gerente Agrícola Setembro, 2014 1 Grupo Otávio Lage: Negócios e Estrutura Acionária Cana-de-açúcar 50,9% Jalles

Leia mais

Seminário de Desenvolvimento Sustentável: Panorama do Setor Sucroenergético

Seminário de Desenvolvimento Sustentável: Panorama do Setor Sucroenergético Seminário de Desenvolvimento Sustentável: Panorama do Setor Sucroenergético Agosto de 2017 SINDAÇÚCAR/PI Regiões de produção de cana no Brasil Uso da terra no Brasil Fonte: USP Fonte: USP Uso da terra

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 1/03/2018 Vendas de hidratado permanecem aquecidas em fevereiro São Paulo, 09 de março de 2018 Na 2ª metade de fevereiro de 2018, a moagem

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 16/01/2019

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul. Posição até 16/01/2019 Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/01/2019 Moagem no Centro-Sul acumula 562,7 milhões de toneladas na primeira quinzena de janeiro São Paulo, 24 de janeiro de 2019 volume

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 15/09/2017 Com moagem de 45,44 milhões de toneladas, primeira quinzena de setembro mantém mix mais alcooleiro O volume de cana-de-açúcar

Leia mais

REUNIÃO. SAFRA 2016/2017 Unidade Ipê 23/06/2016

REUNIÃO. SAFRA 2016/2017 Unidade Ipê 23/06/2016 REUNIÃO FORNECEDORES SAFRA 2016/2017 Unidade Ipê 23/06/2016 Apresentação Abertura - Sergio Luiz Selegato Planejamento de safra 2016/2017- Sérgio Luiz dos Santos Extranet Canal com o Fornecedor João Vitor

Leia mais

SETOR SUCROENERGÉTICO BRASILEIRO

SETOR SUCROENERGÉTICO BRASILEIRO 10 de abril de 2017 SETOR SUCROENERGÉTICO BRASILEIRO Ambiente regulatório, evolução recente e perspectivas Luciano Rodrigues Gerente Economia e Análise Setorial ROTEIRO 1. Evolução recente 2. Considerações

Leia mais

III ENCONTRO DE USUÁRIOS DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR RAPHAEL ALVAREZ. POSICIONAMENTO DAS VARIEDADES X SANIDADE VEGETAL

III ENCONTRO DE USUÁRIOS DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR RAPHAEL ALVAREZ. POSICIONAMENTO DAS VARIEDADES X SANIDADE VEGETAL III ENCONTRO DE USUÁRIOS DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR RAPHAEL ALVAREZ. POSICIONAMENTO DAS VARIEDADES X SANIDADE VEGETAL 22/10/2015 A AFOCAPI Fundada e Inaugurada em 05/10/1947-68 Anos Objetivo: Estruturar

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/03/2017 Informações adicionais Safra 2016/2017 1ª quinzena de março A quantidade processada de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras

Leia mais

MONITORAMENTO E CONTROLE DO BICUDO DA CANA-DE-AÇÚCAR, Sphenophorus levis.

MONITORAMENTO E CONTROLE DO BICUDO DA CANA-DE-AÇÚCAR, Sphenophorus levis. MONITORAMENTO E CONTROLE DO BICUDO DA CANA-DE-AÇÚCAR, Sphenophorus levis. Eng.Agrº. Luiz Carlos de Almeida Eng.Agrº. Luís Gustavo de Almeida almeida.entomologia@hotmail.com Especialista em Tecnologia Agroindustrial

Leia mais

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul

Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Acompanhamento quinzenal da safra na região Centro-Sul Posição até 16/10/2017 Moagem na 1ª quinzena de outubro atinge 32,41 milhões de toneladas de cana, com queda na produção de açúcar e maior oferta

Leia mais

RESULTADOS PRÁTICOS DE CONTROLE DE BROCA COM AUXÍLIO DA INTELIGÊNCIA DIGITAL. José Carlos Rufato DTM Syngenta

RESULTADOS PRÁTICOS DE CONTROLE DE BROCA COM AUXÍLIO DA INTELIGÊNCIA DIGITAL. José Carlos Rufato DTM Syngenta RESULTADOS PRÁTICOS DE CONTROLE DE BROCA COM AUXÍLIO DA INTELIGÊNCIA DIGITAL José Carlos Rufato DTM Syngenta Utiliza o conhecimento escondido no banco de dados de cada usina em prol do Manejo Integrado

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL JUNHO DE 2017

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL JUNHO DE 2017 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

UNIDADES PEDRA E IBIRÁ Reunião com Fornecedores 20/06/2013

UNIDADES PEDRA E IBIRÁ Reunião com Fornecedores 20/06/2013 UNIDADES PEDRA E IBIRÁ Reunião com Fornecedores 20/06/2013 Programação Abertura Luiz Roberto Kaysel Cruz Estimativas de Moagem para safra 2013 Hebert Trawitzki Aspectos Ambientais da produção de cana Sérgio

Leia mais

Safra 2008/2009 Tendências e Desafios do Setor Sucroenergético

Safra 2008/2009 Tendências e Desafios do Setor Sucroenergético XIX Seminário ABMR&A Safra 2008/2009 Tendências e Desafios do Setor Sucroenergético Luciano Rodrigues Assessor Econômico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) São Paulo 01 de outubro de 2008

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T16

Teleconferência de Resultados 2T16 Teleconferência de Resultados 2T16 1 2 Destaques Receita Líquida de R$100,0 milhões no 6M16. Lucro Líquido de R$45,8 milhões no 6M16. EBITDA Ajustado de R$18,3 milhões no 6M16. Fornecimento de 1,0 milhão

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2017/18 DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL

PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2017/18 DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL SHUTTERSTOCK CONTEÚDO ESPECIAL 1ª REUNIÃO CANAPLAN 2017 PERSPECTIVAS PARA A SAFRA 2017/18 DE CANA-DE-AÇÚCAR NA REGIÃO CENTRO-SUL Equipe Canaplan: Luiz Carlos Corrêa Carvalho, Fernando Carvalho, Nilceu

Leia mais

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

AGRICULTURA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AGRICULTURA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA AGRICULTURA o o Algodão Embora não tenha alcançado recorde, as 3 últimas safras globais seguiram em recuperação

Leia mais

MANEJO VARIETAL ADECOAGRO 2015

MANEJO VARIETAL ADECOAGRO 2015 MANEJO VARIETAL ADECOAGRO 2015 História 2002 Entra no mercado Agropecuário na Argentina; 2004 Adquiri terras no Uruguai; 2005 Inicio das atividades no Brasil, compra de Fazendas na Bahia; 2006 Entrada

Leia mais

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T Safra 15/16 12 de fevereiro de 2016

Teleconferência de Resultados 3T Safra 15/16 12 de fevereiro de 2016 Teleconferência de Resultados 3T Safra 15/16 12 de fevereiro de 2016 DISCLAIMER Esta apresentação, e quaisquer materiais distribuídos em relação à mesma, poderão incluir determinados números, resultados,

Leia mais

Reforma X Condução. Eng. Florestal Simone Takahashi International Paper do Brasil Ltda

Reforma X Condução. Eng. Florestal Simone Takahashi International Paper do Brasil Ltda Reforma X Condução Eng. Florestal Simone Takahashi International Paper do Brasil Ltda III Reunião de Integração e Atualização Técnica em Floresta Plantada 16 de Setembro de 2008 Evolução do Plantio Anual

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS Segue abaixo uma breve explicação sobre os dados agropecuários analisados neste Boletim. Pesquisa, acompanhamento e avaliação de safras O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em conjunto

Leia mais

Expectativa de receita potencial para a safra 2017/18

Expectativa de receita potencial para a safra 2017/18 twitter.com/sistemacna facebook.com/sistemacna instagram.com/sistemacna www.cnabrasil.org.br www.canaldoprodutor.tv.br 7ª Edição - Setembro de 07 Expectativa de receita potencial para a safra 07/8 Desde

Leia mais

Agro Pastoril Paschoal Campanelli

Agro Pastoril Paschoal Campanelli Agro Pastoril Paschoal Campanelli Área Total aprox. 16.000 ha 9.200 hectares - Cana 2.500 hectares Milho 5.000 hectares Pasto p/ recria 55.000 bois confinados / ano 25.000 bois recria / ano Tripé de sustentação

Leia mais