N 11 - JUL/AGO/SET FIOS QUE LIBERTAM. Homens e mulheres que cumprem pena no Brasil vão tecendo a própria liberdade por meio do trabalho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "N 11 - JUL/AGO/SET - 2011 FIOS QUE LIBERTAM. Homens e mulheres que cumprem pena no Brasil vão tecendo a própria liberdade por meio do trabalho"

Transcrição

1 N 11 - JUL/AGO/SET FIOS QUE LIBERTAM Homens e mulheres que cumprem pena no Brasil vão tecendo a própria liberdade por meio do trabalho

2

3 EDITORIAL EXPEDIENTE PRESIDENTA DA REPÚBLICA Dilma Rousseff MINISTRO DO TRABALHO E EMPREGO Carlos Lupi SECRETÁRIO-EXECUTIVO Paulo Roberto Pinto SECRETÁRIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO Vera Albuquerque SECRETÁRIO NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA Paul Singer SECRETÁRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO Carlo Simi SECRETÁRIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO Zilmara David Alencar ASSESSOR ESPECIAL DO MINISTRO Max Monjardim CHEFE DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Arthur Rosa ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Alice Drummond, Allexandre Silva, Cléia Martins, Deine Suruagy, Edvaldo Santos, Lyvia Justino, Marilei Birck, Maristela Leitão, Renato Alves (foto), Sandro Guidalli, Silmara Cossolino EDIÇÃO Sandro Guidalli (8863/DF) Publicação da Assessoria de Comunicação Social do Ministério do Trabalho e Emprego Esplanada dos Ministérios, Bloco F, 5º Andar, Sala 523, CEP , Brasília-DF Telefone (61) EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Artecontexto IMPRESSÃO: Gráfica Brasil Tempo de boas colheitas É difícil comentar as matérias de uma revista quando elas são tantas e tão boas. É como passear numa feira em meio ao perfume das frutas. Queremos senti-las todas sem perder nenhuma delas de vista. A missão de quem precisa resumir o conteúdo de uma edição para o leitor torna-se, portanto, um tanto temerosa. Se falamos de uma e deixamos de abordar a outra, corremos o risco de sermos injustos. Afinal, o time de repórteres da Revista Trabalho tem prestado um serviço de qualidade indiscutível a um público cada vez mais ansioso por boa informação. O trabalho de todos merece menção. Aliás, reflexo desse trabalho tem sido o aumento do número de missivistas que nos dão a honra de receber seus elogios à revista através do A todos aproveito aqui para agradecer o carinho. A presente edição da Revista Trabalho, a terceira deste ano de 2011, traz cinco reportagens de fôlego: a repórter Lyvia Justino foi ao Espírito Santo conhecer como funciona o programa Começar de Novo, feito pelo Conselho Nacional de Justiça e que está mudando a vida de sentenciados em todo o país por meio do trabalho. A reportagem, que é capa de nossa revista, entrevistou juízes, autoridades, diretores de presídio e muitos desses trabalhadores que nos revelam de que maneira o projeto despeja luz sobre seus futuros. Em Pernambuco, o experiente jornalista Edvaldo Santos nos conta o que é e como funciona o Comércio Justo. Especialista em Economia Solidária, desta vez Valdo amplia nossos conhecimentos sobre uma prática cujos princípios estão no distante século 18 mas bem vivos no Brasil. Um sistema que, nas palavras do repórter, coloca a dignidade humana acima dos mercados. Ainda no Nordeste, no estado vizinho da Paraíba, o editor Sandro Guidalli foi ver de perto o que se passa em Patos, município do sertão onde o poder público e a auditoria fiscal do Trabalho são parceiros numa iniciativa que visa fazer diminuir o número de acidentes de trabalho na Construção Civil. Lá foram criadas novas regras para as emissões de alvará para novos empreendimentos verticais que podem servir de exemplo para outras cidades da região e, por que não, do país inteiro. Em outro extremo do país, na bela e Santa Catarina, a repórter, alagoana, diga-se de passagem, Deine Suruagy, foi conhecer a rotina dos meteorologistas. Com esta reportagem, inauguramos uma série que irá explorar os meandros das profissões menos conhecidas dos brasileiros. Em Florianópolis, e em Brasília também, Deine apurou os detalhes da meteorologia e de quem a faz descobrindo pessoas apaixonadas pela profissão. Finalmente, a repórter Maristela Leitão levantou aspectos daquilo que o ministro Lupi qualificou como a segunda Lei Áurea do país: a aprovação, pela OIT, em junho, da Convenção sobre as Trabalhadoras e os Trabalhadores Domésticos, um novo paradigma que dá igualdade de direitos a estes trabalhadores em relação aos demais profissionais que atuam sob o regime celetista. Este é o resumo da Revista Trabalho que o leitor tem em mãos. Espero que todos a aproveitem ao máximo. MAX MONJARDIM Assessor Especial do Ministro jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 3

4 SUMÁRIO Fotos: Renato Alves 34 LEGISLAÇÃO Apontado pelo ministro Lupi como uma espécie de nova Lei Áurea, o advento da Convenção sobre as Trabalhadoras e os Trabalhadores Domésticos é um importante passo para a regulamentação da profissão de empregada doméstica em todo o mundo. Saiba quais os efeitos que isso poderá ter no Brasil e a reação de empregadores e trabalhadores 05 CIDADANIA Fomos checar o cotidiano de sentenciados que estão dando a volta por cima dentro da penitenciária. Como? Através do trabalho e do aprendizado de um novo ofício CONSTRUÇÃO CIVIL 15Um município da Paraíba está dando o mais novo exemplo na luta para acabar com choques elétricos e quedas dos canteiros de obras do país. Agora, para construir em Patos, será preciso garantir proteção aos operários AGENDA MINISTERIAL 40Saiba o que foi notícia a partir da agenda do ministro Carlos Lupi nos últimos três meses MERCADO DE TRABALHO 45Eles vivem de olho no que ocorre nos céus. Mas, ao contrário dos astrônomos, escrevem para nos informar das condições climáticas e se vai ser possível salvar a lavoura ou arriscar uma praia no final de semana. Veja como é o trabalho dos meteorologistas e os desafios da profissão na reportagem especial sobre profissões COMÉRCIO JUSTO 24Você sabe o que é Comércio Justo? Para responder a questão, a Revista Trabalho foi conhecer no Recife (PE) o trabalho desenvolvido por uma entidade cujo objetivo é promover a comercialização de produtos feitos por grupos associativos solidários com foco em princípios surgidos no século 18 TRABALHO ESTRANGEIRO 52A inserção dos refugiados e solicitantes de refúgio no mercado de trabalho brasileiro pode ficar mais simples. A iniciativa é de uma entidade especializada, a EMDOC e tem o apoio da Caritas SP e do Alto Comissariado da ONU SEMANA DO TRABALHADOR 56Uma semana especial para os trabalhadores brasileiros em Boston Fale com a gente Esplanada dos Ministérios, Bloco F, 5º Andar, Sala 523, Brasília-DF CEP: Telefone (61) Sugestões, críticas e pedidos por exemplares através do Participe você também! 4 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

5 CIDADANIA A liberdade começa agora Detentos de todo país estão sendo ressocializados através de ocupações dentro dos presídios. Ter uma chance de estarem inseridos no mercado de trabalho enquanto ainda estão presos é, para muitos, o melhor caminho para não retornar ao crime Ângelo Roncalli, secretário de Justiça do Espírito Santo Fotos: Renato Alves Lyvia Justino, no Espírito Santo O trabalho como forma de reinserção dos presos. Essa é a proposta do Programa Começar de Novo criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em Por meio dele, é feita a sensibilização de órgãos públicos e da sociedade civil para que presos e egressos do sistema carcerário tenham uma oportunidade de trabalho e participem de cursos de capacitação profissional. O intuito do programa é promover a cidadania e consequentemente reduzir a reincidência. Até o início de setembro deste ano, haviam sido preenchidas mais de vagas no portal do programa e estavam disponíveis mais de propostas de emprego. De acordo com o juiz titular da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Luis Martius Júnior, o trabalho é essencial para a ressocialização dos presos. Estou há doze anos em vara criminal e eu só acredito em inserção social através do trabalho e através do estudo. Não existe forma de se manter uma pessoa encarcerada durante anos no ócio improdutivo dos presídios e querer que essa pessoa saia melhor do que ela entrou. Isso não existe. Só existe melhoria, só existe possibilidade de ressocialização através do trabalho e do estudo, afirma. A Vara de Execução Penais (VEP) do Distrito Federal realiza projetos para jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 5

6 CIDADANIA 6 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

7 Marcelo de Araújo Gouveia, diretor da Penitenciária de semi-aberto de Vila Velha inserção de presidiários e egressos no mercado de trabalho desde a criação da vara, na década de 90. O Programa Começar de Novo veio agregar, veio ser mais uma alternativa a esse programa de ressocialização que a gente já tinha e que já empregou quase dois mil presos e egressos do sistema penitenciário. Passou a ter uma divulgação maior, nós conseguimos alcançar um número maior de empregadores e conseguimos desenvolver um pouco mais esse projeto de ressocialização e de reinserção que é tão importante para que a execução penal cumpra sua finalidade, que é também a de propiciar um reingresso social mais seguro, evitando com isso a reincidência, explica o juiz. Atualmente, mais de mil presos do DF estão realizando alguma atividade laboral, externa ou internamente. Somente em 2011, foram cadastradas 250 novas empresas nesta Unidade Federativa, em ramos como a Construção Civil, órgãos públicos, Serviços, Comércio, entre outros. No Espírito Santo, a Secretaria de Estado de Justiça (SEJUS/ES) também desenvolve um programa de inserção de detentos no mercado de trabalho anterior ao Começar de Novo. Em agosto, o estado tinha presos trabalhando e 175 empresas conveniadas que oferecem vagas de trabalho aos detentos. Entre as atividades exercidas pelos internos estão produção de bancos de couro, confecção de blocos de concreto, produção de mudas de eucalipto, construção civil, costura de bolas, serviços gerais, finalização e acabamento de confecção, artesanatos diversos, produção de marmitex, entre outros. De acordo com o secretário de Justiça do Espírito Santo, Ângelo Roncalli, o trabalho é fundamental para que o detento se sinta produtivo. Tem uma música do Gonzaguinha que diz que o homem que não trabalha não tem honra. Eu acho que isso é muito apropriado para o sistema prisional. O trabalho é fundamental para que a pessoa se sinta útil. Se a gente não conseguir incluir essa pessoa que sai da prisão no mercado de trabalho certamente ela vai voltar ao crime, por falta de opção. Ela vai precisar se sustentar, ela precisa dar uma satisfação a sua família do ponto de vista financeiro. E ela não tendo CIDADANIA essa possibilidade, acaba retornando ao crime. Esse é um grande desafio que nós temos, enfatiza. O diretor da Penitenciária de Semi-aberto de Vila Velha (ES), Marcelo de Araújo Gouveia, ressalta que o trabalho, junto com a educação, é um dos maiores instrumentos da ressocialização do preso. Primeiro porque muitos dos que estão presos aqui, por terem sido presos muito jovens, talvez nem tenham sido trabalhadores em algum lugar, não se sentem produtivos, não se sentem aptos para aquela missão. O que nós fazemos aqui é tentar dar a ele primeiro uma consciência de que é possível ele ser alguém na sociedade. Quando ele chega aqui ele se descobre alguém. Ele se descobre possível de produzir algo novo, de construir algo produtivo realmente na sociedade em que ele está inserido. O trabalho tem um peso muito forte na ressocialização do preso. Uma nova chance Para os presos, ter um emprego vai além de ter uma ocupação e estar inserido no mercado de trabalho. É também uma nova chance para começar a reconstruir a vida. O interno Sidnei Roberto de Freitas Neves, que é instrutor da fábrica da Tozzato montada dentro da Penitenciária de Semi-aberto de Vila Velha (ES), não quer perder a oportunidade conquistada. Antes de ser preso eu trabalhava, mas às vezes era difícil conseguir uma vaga. Depois de reeducando vi novamente a oportunidade de trabalho. Essa empresa tem confiado em nós, que somos internos. Temos nos dedicado e vemos que é bem possível um resultado para aquelas pessoas que estão interessadas em refazer sua vida trabalhando. O trabalho está me dando a oportunidade de poder viver novamente, de ajudar meus filhos e minha família, de sair daqui depois de cabeça erguida e ter uma oportunidade melhor. De trabalhar e construir uma vida numa boa, sem mexer com essas coisas erradas. Graças a sua dedicação, Sidnei, que estava trabalhando externamente, conseguiu uma vaga de instrutor para treinar os novos funcionários jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 7

8 CIDADANIA Juliane Dias Borges, interna que trabalha numa confecção montada dentro da Penitenciária Feminina de Cariacica Sidnei Roberto de Freitas Neves, instrutor da fábrica da Tozzato montada dentro da penitenciária em Vila Velha da Tozzato dentro da Penitenciária. Eu estou como instrutor, ensinando aquilo que eu aprendi pros outros internos que estão interessados em se recuperar. Isso é produtivo para nós. O tempo que no caso nós cumpríamos no regime trancado, hoje a gente consegue trabalhar. Quando sair, eu quero poder continuar crescendo porque eu tenho visto que tem dado certo. Eu estou começando a entrar no ramo, então a minha chance aqui eu espero que seja grande. Eu vou continuar mostrando meu interesse, que eu quero mudar de vida, planeja. A interna Juliane Dias Borges, que trabalha em uma confecção montada dentro da Penitenciária Feminina de Cariacica (ES), conta que o trabalho mudou seu dia a dia. Antes a minha rotina era meio ociosa. Hoje ela começa às 6 horas da manhã e só termina realmente quando eu vou dormir. Estou estudando na parte da manhã e à tarde eu trabalho. Está sendo muito bom trabalhar porque eu nunca me imaginei costureira e hoje eu sou e faço bem aquilo que eu me proponho a fazer. Isso me ajuda profissionalmente e também me ajuda financeiramente. Foi uma oportunidade ótima que o presídio me deu. As minhas expectativas para quando sair daqui são as melhores possíveis. Para ela, essa é a melhor oportunidade profissional que já teve. Antes de vir para cá eu trabalhava em boates fazendo drinques, já trabalhei num estabelecimento na rodoviária de Vitória, só que a melhor oportunidade está sendo essa. Lá fora o meu trabalho não era muito reconhecido. E hoje, aqui, é. Pretendo conseguir uma oportunidade de emprego nessa área quando sair daqui, comenta. Trabalhando externamente na fábrica da Tozzato, Vandes Aragão Santos diz que o trabalho só ajudou a melhorar seu jeito de viver. Os erros que eu cometi já não vou cometer mais. Há oito meses eu trabalho na empresa e está sendo uma experiência ótima. Meu patrão já me deu a oportunidade de, depois que eu sair da cadeia, com alvará, permanecer na empresa. Eu agradeço muito por essa oportunidade. Com certeza com o trabalho é mais fácil eu me inserir e não voltar para o crime. Esse é o primeiro passo de todo interno. Trabalhando, ressocializando e tendo um crédito de confiança com a sociedade. 8 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

9 CIDADANIA Vandes Aragão Santos, empregado da Tozzato Um trabalho que reflete no comportamento Uma unanimidade entre os diretores de presídios, empresários e gerentes das empresas é que o trabalho influência no comportamento dos detentos, colaborando para um melhor desempenho nas atividades e, até mesmo, no relacionamento familiar. A diretora da Penitenciária Feminina de Cariacica, Mônica Tamanini, afirma que por meio do trabalho é possível resgatar valores. Com o trabalho a gente consegue resgatar vários valores e a responsabilidade que muitas vezes não foi adquirida porque a maioria das detentas não estava no mercado de trabalho antes da prisão. Hoje, nesse espaço, elas conseguem cumprir com as obrigações, com os horários e fazer sua atividade com perfeição. A gente consegue absorver e acompanhar alguns casos positivos de presas que saem daqui e são absorvidas pelas empresas para continuar o trabalho externamente. Para Marcelo de Araújo Gouveia, diretor da Penitenciária de Semi-aberto de Vila Velha (ES), o regime semi-aberto, que permite ao preso trabalhar externamente, é uma esperança para ele. Ele chega realmente acreditando que a vida dele vai melhorar. Aqui é a etapa final do preso. Quando ele chega ao presídio semi-aberto a tendência dele é ficar um ano, dois no máximo, dependendo da quantidade de pena, para ir embora. Isso vai fazer com que ele comece a se inserir de novo na sociedade. Ao ter convívio com os próprios servidores da unidade, identificando que tem pessoas, naquele momento, hierarquicamente superiores. Depois com a relação de trabalho, relação de educação. Isso vai fazer com que ele comece a entender todos os processos para voltar para a sociedade melhor. E é isso que a gente quer proporcionar desde que ele também queira melhorar. Quando ele chega aqui, até o convívio com a família melhora, exemplifica. O encarregado de produção da Tozzato, Darli Antônio da Silva, destaca que os presos têm uma garra maior porque têm um objetivo lá na frente. Hoje na empresa nós temos três ex-internos, que foram absorvidos pela empresa. Se saindo bem no trabalho eles têm essa perspectiva. Quanto mais eles se empenharem, fizerem bem feito, eles têm a possibilidade de irem trabalhar na rua e logo, tendo o alvará, tem a possibilidade de ser absorvido pela empresa. jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 9

10 CIDADANIA Mônica Tamanini, diretora da penitenciária feminina de Cariacica Darli Antônio da Silva (à direita), encarregado de produção da Tozzato Fazendo parte da Copa do Mundo Fazendo parte da Copa do Mundo Um Termo de Cooperação Técnica firmado em 2010 entre o CNJ, Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, o Ministério Um Termo de Cooperação Técnica firmado em 2010 entre o CNJ, dos Esportes e os estados e municípios que sediarão os jogos da Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, o Ministério competição, dos Esportes estabelece e os estados que e os municípios editais de que licitação sediarão incluam os jogos a obrigatoriedade competição, das estabelece empresas que contratarem os editais de detentos licitação e incluam egressos a para obri- da as gatoriedade obras. Em das obras empresas e serviços contratarem com mais detentos 20 funcionários, e egressos para pelo as menos obras. Em 5% obras das vagas e serviços devem com ser mais destinadas 20 funcionários, a detentos, pelo egressos menos do 5% sistema das vagas carcerário, devem ser cumpridores destinadas a detentos, medidas egressos alternativas do sistema e adolescentes carcerário, cumpridores em conflito de com medidas a lei. alternativas e adolescentes em conflito com a lei. As obras do estádio em Brasília já contam com dez detentos As obras do estádio em Brasília já contam com dez detentos empregados. Em Cuiabá, oito presos estão trabalhando na construção empregados. Em Cuiabá, oito presos estão trabalhando na construção do Estádio Arena Pantanal. Em Minas Gerais já são do Estádio Arena Pantanal. Em Minas Gerais já são 28 detentos 28 detentos em atividade na obra. A expectativa é de que até em atividade na obra. A expectativa é de que até a metade de a 2012 metade cerca de de cerca dos de dois 200 mil dos trabalhadores dois mil trabalhadores do canteiro do de canteiro obras em de Minas obras venham em Minas de venham penitenciárias de penitenciárias do estado, do em estado, cumprimento cumprimento da Lei Estadual da Lei , Estadual de , janeiro de deste janeiro ano, deste que ano, prevê em que aproveitamento prevê aproveitamento de até 10% de de até dos 10% detentos dos detentos em obras em e serviços obras e contratados serviços contratados pelo Governo. pelo Governo. Na Bahia, detentos começaram, em em março de de 2011, 2011, um um curso curso de de capacitação capacitação em em Construção Construção Civil. Civil. Após Após a a conclusão, conclusão, irão irão trabalhar nas obras do Arena Fonte Nova, estádio-sede dos jogos trabalhar nas obras do Arena Fonte Nova, estádio-sede dos jogos da Copa em Salvador. da Copa em Salvador. Benefícios De acordo com o artigo 126 da Lei de Execuções Penais (LEP), o condenado que cumpre a pena em regime fechado ou semi-aberto poderá remir, por trabalho ou por estudo, parte do tempo de execução da pena. De acordo com a lei, a cada três dias de trabalho será remido um dia de pena; e a cada 12 horas de frequência escolar (atividade de ensino fundamental, médio, inclusive profissionalizante, ou superior, ou ainda de requalificação profissional) também será remido um dia. O legislador foi muito sábio quando estabeleceu a remissão de pena pelo trabalho, o sistema progressivo de cumprimento de pena. Ele pensou nessa possibilidade dessa transformação desse indivíduo pelo trabalho, pela educação, pela formação profissional. Isso tem um significado muito importante, enfatiza Roncalli, secretário de Justiça do Espírito Santo. Para Marcelo Gouveia, a remissão de pena é boa para todas as partes. O preso que trabalha de manhã nas empresas internas e estuda à tarde, ele tem uma boa remissão. Isso diminui o tempo dele aqui na cadeia e isso vai reduzir gastos para o estado. Se ele já está em processo de ressocialização, já é uma pessoa apta para convívio externo, é interessante para o estado que ele saia da penitenciária mais cedo, é interessante para a sociedade e para o próprio preso, que está retornando melhor para o convívio social. 10 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

11 CIDADANIA O trabalho do preso, conforme artigo 28, parágrafo 2º da Lei de Execução Penal, não está sujeito ao regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). No entanto, as Regras Mínimas da Organização das Nações Unidas (ONU) estabelecem a necessidade de providências para indenizar os presos pelo acidente do trabalho ou em enfermidades profissionais em condições similares àquelas que a lei dispõe para o trabalhador livre (74.2). A legislação brasileira protege essa orientação ao incluir, entre os direitos do preso, os da Previdência Social (artigos. 39 do Código Penal e 41 da LEP). Entre os atrativos para as empresas que oferecem oportunidades aos detentos, estão a isenção de tributos e um regime de trabalho diferenciado apenados dos regimes fechado e semi-aberto não podem ser contratados pela CLT. O convênio beneficia as três partes envolvidas: reeducando, estado e empresa. O estado, por meio do trabalho, acaba com o ócio do preso. O preso é beneficiado com a remissão de pena, a remuneração e a previsão de uma nova profissão. A empresa é beneficiada pela redução de impostos. Não há vínculo empregatício, logo ela não tem mais nada além do salário do presidiário para pagar, comenta Darli, encarregado de produção da Tozzato. No Espírito Santo, os internos que atuam nas frentes de trabalho recebem, além do benefício de remissão de pena, ao menos um salário mínimo por mês. Conforme determinado pelo Programa de Pagamento ao Trabalhador Preso, uma parte do salário vai diretamente para uma poupança, em nome do interno, outra parte vai para família e a terceira, para o preso. O dinheiro da poupança só pode ser retirado quando a pessoa é beneficiada com a liberdade. Mão na massa Outra iniciativa encontrada no Espírito Santo foi a qualificação e inserção de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no mercado de trabalho. O Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Espírito Santo (Sindipães), em parceria com a Associação Capixaba de Desenvolvimento e Inclusão Social (Acadis) entidade que faz a gestão do Centro Socioeducativo de Luiz Carlos Azevedo de Almeida, vice-presidente do Sindipães Atendimento ao Adolescente em Conflito com a Lei (CSE), do Instituto de Atendimento Sócio-Educativo do Espírito Santo (Iases) está promovendo cursos de capacitação no setor. O vice-presidente do Sindipães, Luiz Carlos Azevedo de Almeida, explica que, após a conclusão dos cursos, essas jovens são inseridos nas padarias. Depois que termina o curso de padeiro ou confeiteiro esse profissional é inserido em nossas lojas. São empresas que acolhem esses profissionais, que dão oportunidade para eles mostrarem o que eles aprenderam no curso e a valorização de cada um. Nós estamos procurando abrir espaço nas nossas empresas para que esses jovens possam se reconstituir como novas pessoas e realmente poderem ser inseridas no mercado, de realmente poderem sobreviver nesse novo mercado. O processo todo, desde a ressocialização até a inserção no mercado, funciona da seguinte forma: antes de serem encaminhados para as padarias, os adolescentes passam por uma capacitação, com parte teórica e prática, totalizando 120 horas. Durante todo o curso, é desenvolvido também um trabalho de monitoramento com psicólogos e assistentes sociais para ajudar no bom desenvolvimento das relações sociais e profissionais dos jovens. Nós estamos procurando abrir espaço nas nossas empresas para que esses jovens possam se reconstituir como novas pessoas e poderem ser inseridas no mercado, de realmente poderem sobreviver nesse novo mercado Luiz Carlos Azevedo de Almeida, VP do Sindipães jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 11

12 CIDADANIA Com quase um ano, a parceria já vem gerando resultados, com aproximadamente 16 padarias participando do projeto. Desde que começamos esse projeto já inserimos no mercado mais de 50 jovens. Desses, mais de 30 conseguiram se consolidar e se transformar em bons profissionais, que as próprias empresas estão absorvendo não pela questão de investir no projeto, mas pela eficiência dessas pessoas. Estão sendo profissionais bem aproveitados nas empresas, conta Almeida. Além de atender ao objetivo principal da iniciativa, que é promover a ressocialização desses adolescentes, contribuindo para sua inclusão no mercado de trabalho, este trabalho, segundo destaca o vice-presidente do Sindipães é uma forma de suprir a carência de mão de obra do mercado. A gente também enxergou uma oportunidade. O setor, como todas as grandes e as pequenas empresas no Brasil, tem uma dificuldade de mão de obra qualificada. Com essa oportunidade que surgiu, de ter um espaço para preparar o jovem, nós abraçamos o projeto para, também, ter mão de obra de boa qualidade para inserir nas nossas empresas. Erildo Nepomuceno Pina, padeiro prático vencedor do concurso de melhor padeiro O proprietário da Elaborato Paneteria, Samuel Nogarol, investiu no projeto contratando os adolescentes e já teve um de seus funcionários premiado como melhor padeiro em um concurso estadual realizado pelo Sindipães. Eles vieram para cá bastante motivados e deram continuidade ao que eles tinham começado a aprender. Sempre foi gratificante. E agora, ter um ganhador de um concurso de padeiro entre eles faz com que a gente seja visto melhor pelos colegas deles. Isso cria uma imagem boa da padaria perante o mercado de trabalho e motiva ainda mais a participação desses adolescentes. Erildo Nepomuceno Pina, o padeiro prático vencedor do concurso, está na padaria de Samuel há apenas cinco meses. Para mim, no começo, foi um pouco difícil porque eu não sabia nada de culinária, nem de padaria. Mas com o tempo eu fui pegando o gosto. Ganhar um concurso de melhor padeiro com apenas cinco meses de trabalho para mim foi bastante gratificante. Eu nunca imaginei que fosse ganhar de padeiros mais experientes. Eu estou muito feliz por conta disso, comemora. Com apenas 18 anos, Erildo já planeja ter seu próprio negócio. Esse foi meu primeiro emprego. Foi muito bom. Hoje eu tenho minha renda própria. Dá para cuidar do meu filho e cuidar muito bem da minha família. No futuro eu quero montar a minha padaria e trabalhar para mim mesmo. Qualificação profissional e educação O Começar de Novo, além de oferecer oportunidade de trabalho aos presos, também busca a qualificação profissional. A Sejus/ ES, por exemplo, realiza seu trabalho de ressocialização pautado no tripé trabalho, qualificação profissional e educação. O objetivo é aumentar a escolaridade do preso, qualificá-lo profissionalmente e inseri-lo no mercado de trabalho ainda na condição de preso. Samuel Nogarol, proprietário da Elaborato Paneteria Os cursos profissionalizantes oferecidos nas penitenciárias capixabas são voltados para os arranjos produtivos locais para facilitar a inserção dos internos no mercado de trabalho após o cumprimento da pena. Os cursos também contam com disciplinas de empreendedorismo, com o objetivo de despertar uma postura profissional que garanta a permanência destas pessoas no mercado competitivo. 12 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

13 CIDADANIA Durante o ano de 2010, 535 internos participaram de cursos profissionalizantes de informática, costura industrial, confeiteiro, panificação, manicure, cabeleireiro, eletricista básico, bombeiro hidrosanitário, gesseiro, entre outros. Além disso, são oferecidas dentro de 24 unidades prisionais do estado aulas para que os presos possam dar continuidade aos estudos. O programa educacional Portas Abertas para a Educação foi instituído em 2005, com o intuito de proporcionar à população carcerária capixaba a garantia do direito à educação, à inclusão e à continuidade dos estudos no âmbito da Educação Básica regular para jovens e adultos. Atualmente, presos estão estudando. O programa educacional é desenvolvido em parceria entre as secretarias de Estado da Justiça (Sejus) e da Educação (Sedu), que cede os professores que atuam no sistema prisional. No primeiro semestre de 2011 foram cerca de 130 profissionais. Funcionam, hoje, turmas desde a alfabetização até o Ensino Médio, na modalidade Educação para Jovens e Adultos (EJA). Roncalli lembra que a Lei de Execuções Penais prevê que o trabalho tem que ser produtivo e educativo. Educativo no sentido da qualificação profissional. O que é produtivo seria o trabalho adquirido a partir da sua qualificação profissional como um processo de transformação dessa pessoa. Então ele é fundamental. O tempo de cumprimento de pena de uma pessoa na prisão, entre seis a oito anos, em média, é um tempo mais que suficiente para que ela possa, por exemplo, elevar seu nível de escolaridade. E com isso também adquirir uma profissão, que uma parcela significativa da nossa população carcerária não tem. Esse tempo deve servir para essa preparação. Planseq O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em parceria com o CNJ, lançou um Plano Setorial de Qualificação (Planseq) inédito na área de Construção Civil voltado para população carcerária. Serão qualificados 760 detentos de 16 penitenciárias localizadas em Gessi Coelho França Júnior, empregado 14 municípios mineiros - Alfenas, Andradas, Betim, Contagem, Curvelo, Governador Valadares, Ipaba, Juiz de Fora, Ribeirão das Neves, São João Del Rei, São Joaquim de Bicas, Sete Lagoas, Três Corações, Uberlândia. O valor total do Plano está previsto em R$ ,00, sendo disponibilizados pelo MTE o montante de R$ ,80, provenientes do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Serão oferecidos cursos de pedreiro, carpinteiro, ajudante de eletricista, gesseiro, armador, montador de estruturas, borracheiro, apontador, entre outros. Os cursos serão ministrados dentro das unidades prisionais e, no término, pelo menos 30% dos detentos devem ser inseridos no mercado de trabalho. Os presos serão encaminhados a processos de seleção para preenchimento de vagas em empresas filiadas ao Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) e ao Sindicato da Construção Pesada de Minas Gerais (Sicepot-MG), parceiros do Programa Começar de Novo, do CNJ. Desde 2006, o ministério também disponibiliza recursos do FAT para a execução de Planos Territoriais de Qualificação (Planteq) tendo como público trabalhadores apenados ou egressos do sistema penal. Os convênios são celebrados com estados e municípios com mais de 200 mil habitantes e, entre 2006 e 2009, já foram capacitados mais de presidiários e egressos, com recursos da ordem de R$ ,57. De acordo com o Departamento de Qualificação, o ministério tem interesse em implantar o Planseq destinado a presidiários em outros estados do país. Apoio também aos egressos O Programa Começar de Novo também insere no mercado de trabalho os egressos do sistema penitenciário (cuja pena já foi extinta há mais de um ano). As empresas disponibilizam vagas pelo Portal de Oportunidades do CNJ e a Seção Psicossocial da Vara de Execuções Penais consulta as vagas oferecidas e procede à análise desta, considerando, entre outros fatores, a tipologia do crime cometido e o grau de capacitação exigido pelo ofertante. A Sejus/ES criou, em agosto de 2010, o um sistema de cadastramento voltado especificamente para o egresso, o Sicate - Sistema de Cadastramento e Acom- jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 13

14 CIDADANIA panhamento ao Trabalhador Egresso. O objetivo é formar um banco de dados para oferecer oportunidades de trabalho e cursos profissionalizantes aos egressos do sistema prisional. Por meio de parcerias com empresas e instituições de ensino, a Secretaria está oferecendo também cursos profissionalizantes aos cadastrados. Gessi Coelho França Júnior, empregado da Tozzato, já saiu da penitenciária sendo efetivado na empresa. O trabalho foi muito bom para mim. Eu era interno e já sai empregado. A oportunidade de ser efetivado na empresa ajuda muito. Comecei na empresa há um ano e quatro meses e há sete fui efetivado. É uma oportunidade de um novo começo, com certeza. Quem também teve a carteira assinada pela empresa assim que conquistou a liberdade foi Anderson Silva Gomes. Estou há mais de um mês com a carteira assinada pela empresa. A possibilidade de sair da penitenciária com um emprego me ajudou bastante porque se eu fosse sair da cadeia sem um trabalho teria dificuldade para arrumar emprego por causa do preconceito. Eu comecei a trabalhar em novembro de 2010, ainda quando estava preso. O trabalho me ajudou bastante. Antigamente eu só pensava em fazer coisas que não me favoreciam em nada e esse emprego que surgiu está me ajudando bastante para me ressocializar novamente. Só penso em crescer. Reconhecimento público das empresas A Sejus/ES lançou, em outubro de 2010, o selo Ressocialização pelo Trabalho para contemplar empresas capixabas que absorvem mão de obra de detentos. Em junho deste ano, 26 empresas receberam o selo. Além do reconhecimento público, as empresas que atenderam aos requisitos do decreto que criou o selo podem usar o símbolo em seus produtos e peças publicitárias, demonstrando sua atuação social e contribuição para a reinserção de detentos e egressos do sistema penitenciário no mercado de trabalho. De acordo com o secretário de Justiça, Ângelo Roncalli, a ideia do selo é justamente promover o reconhecimento público das empresas que tem mão de obra de presos e egressos. O selo visa justamente isso. Reconhecer o trabalho daquelas empresas que dão oportunidade aos presos e aos egressos com o trabalho. É uma forma de dizer para a empresa: você tem uma responsabilidade social e o trabalho que você está fazendo está sendo reconhecido. E também de atrair novos parceiros, novas empresas, porque, ao tomarem conhecimento desse reconhecimento público, elas também querem ser inseridas nesse processo. O selo vai ser concedido anualmente às empresas. Um dos requisitos para o seu recebimento e sua manutenção é ter empregado, nos seis meses anteriores, cinco presos condenados no regime semi-aberto (trabalho externo) ou dez presos que trabalhem internamente, no mínimo. Assista a versão em video desta reportagem no Youtube. No campo de pesquisa, digite: Revista Trabalho oportunidade para recomeçar. O trabalho me ajudou bastante. Antigamente eu só pensava em fazer coisas que não me favoreciam em nada e esse emprego que surgiu está me ajudando bastante para me ressocializar novamente. Só penso em crescer Anderson Silva Anderson Silva Gomes, carteira assinada pelo segundo mês 14 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

15 CONSTRUÇÃO CIVIL Um choque na cultura do improviso Fotos: divulgação Prefeitura de Patos Gambiarra elétrica O Brasil precisa prestar atenção ao que está acontecendo em Patos, no interior da Paraíba. Lá, o poder público e a auditoria fiscal do Trabalho uniram-se num projeto cuja finalidade é fazer despencar a ocorrência de acidentes de trabalho na Construção Civil jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 15

16 CONSTRUÇÃO CIVIL Sandro Guidalli em Patos (PB) Em 2009, o auditor fiscal do Trabalho, Carlos Alberto Pontes, poderia ter se tornado o mais odiado dos homens na cidade de Patos, o quarto maior município da Paraíba, com uma população estimada em mais de 120 mil habitantes. Na ocasião, por apresentarem problemas de segurança, Pontes embargou dez obras na cidade (que vive acelerado processo de verticalização) mas ao invés do desconforto que suas ações poderiam gerar, o que ouviu dos agentes públicos foi um pedido de ajuda para solucionar a insegurança nos canteiros pela raiz. Daí a criação de um decreto que torna mais rigoroso o processo de liberação de alvarás de construção na cidade. Agora, os empreendedores precisam apresentar um projeto de engenharia de segurança do trabalho condizente com o projeto da obra para poder obter a licença. São equipamentos de proteção coletiva que podem ser usados em outros empreendimentos e que diminuem os riscos de queda e de choques elétricos, principais causas de óbitos em obras no país. Em outras palavras, isso pode ser o fim das gambiarras. Nós esperamos que a cultura do improviso que produz essas mortes seja abandonada em Patos e que o exemplo do município sirva para cidades como João Pessoa e Campina Grande. Quando a engenharia de segurança do Trabalho passa a fazer parte da rotina das obras, estamos querendo dizer que isso significará menos mortes, mais segurança, mais economia. Todo mundo ganha com isso, resume Pontes. Ele participou em agosto de um encontro que reuniu mais de 200 pessoas na cidade em que o decreto e o problema da falta de segurança nos canteiros foram amplamente abordados. Pontes continuará fiscalizando a cidade. Mas espera que nos próximos anos deixe de constatar os problemas que hoje vê. É uma cultura que precisa ser alterada e isso leva tempo, diz ele, com esperança de ver uma nova realidade daqui pra frente. O desafio está apenas começando. 16 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

17 CONSTRUÇÃO CIVIL Escadas de mão feitas de restos de peças de madeira, instaladas em locais inadequados, sobre tábuas soltas no vão dos elevadores jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 17

18 CONSTRUÇÃO CIVIL Guincho foguete com gambiarra elétrica, instalado sem proteção contra quedas para o seu operador No Brasil, são três as principais causas de acidentes em obras. Os choques elétricos, a queda e o soterramento. Menos choques Em seis anos, o número de mortes por choques elétricos no canteiros de obras em João Pessoa (PB) foi grandemente reduzido por um programa elaborado e executado pelo Comitê Permanente Regional (CPR) na Paraíba e intitulado Programa de Redução de Acidentes Elétricos na Indústria da Construção, o PRAE. Seu grande trunfo: a mudança de mentalidade dos empresários que perceberam a economia de custos quanto trocaram a cultura do improviso pela cultura do projeto de engenharia de segurança do Trabalho. Segundo a auditora fiscal do Trabalho em João Pessoa, Soraia di Cavalcanti Pinheiro, uma das coordenadoras do PRAE, de 2005 a 2011 ocorreram dois óbitos por choque elétrico, um em 2008 e outro em Antes, a cada dez acidentes na cidade, seis tinham como motivo o choque elétrico. O acidente de 2010 foi um lapso do funcionário da concessionária responsável por liberar a energia para o canteiro. Ele não se baseou no projeto elétrico para o canteiro e sim no projeto da edificação, relata Soraia. Ela destaca, porém, que o programa obteve êxito porque soube conduzir a uma mudança de mentalidade. Os empresários passaram a se interessar pelo projeto. Eles ainda achavam na época que o custo era alto para se fazer o projeto de engenharia de segurança. Com o tempo, uma das empresas fez um modelo de projeto e com quadros 18 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

19 CONSTRUÇÃO CIVIL A auditora fiscal Soraia di Cavalcanti expõe a experiência com o programa que reduziu acidentes elétricos durante encontro em Patos O auditor Carlos Alberto Pontes durante sua explanação no auditório do Cerest Uma plateia maiúscula móveis. As construções vão aumentando e a energia vai subindo e eles fizeram um modelo e a empresa verificou que com as instalações projetadas eles as aproveitariam em outras obras, com custo diluído. Eles começaram a entender que aquilo não era só gasto. As gabiarras eram jogadas fora e com esse projeto não, havia o reaproveitamento de tudo. No Brasil, são três as principais causas de acidentes em obras. Os choques elétricos, a queda e o soterramento. Soraia acredita que o que houve em João Pessoa no âmbito elétrico pode vir a acontecer no âmbito da insegurança coletiva no trabalho em altura. É algo que pode ocorrer no médio e longo prazo. É uma mudança de mentalidade, de cultura e isso demora. O importante é começar a fazer, diz ela. Helio Lopes, da Fundacentro, modera o debate em Patos jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho 19

20 CONSTRUÇÃO CIVIL 20 jul/ago/set de 2011 Revista Trabalho

Um choque na cultura do improviso: relato de ação interinstitucional e estruturante no combate aos acidentes elétricos em obras de João Pessoa (PB)

Um choque na cultura do improviso: relato de ação interinstitucional e estruturante no combate aos acidentes elétricos em obras de João Pessoa (PB) Comitê Permanente Regional Sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção da Paraíba Um choque na cultura do improviso: relato de ação interinstitucional e estruturante no combate

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

Egressos e mercado de trabalho. Sonora Édio Araújo : 00:26/00:45

Egressos e mercado de trabalho. Sonora Édio Araújo : 00:26/00:45 Egressos e mercado de trabalho Imagens externas de presídios no Rio de Janeiro. Imagem Édio Araújo Cooperativa eu quero Liberdade. Gráfico e imagens de apoio. Imagem Maíra Fernandes Presidente do conselho

Leia mais

+informado. Ele estudou e conseguiu um bom emprego. 2 O diploma que abre portas Amanco ao seu lado. 4 Capa: a Amanco mudou a minha vida

+informado. Ele estudou e conseguiu um bom emprego. 2 O diploma que abre portas Amanco ao seu lado. 4 Capa: a Amanco mudou a minha vida +informado Ano VII - nº 4 - Dezembro de 2013 Ele estudou e conseguiu um bom emprego... E, HOJE, É INSTRUTOR DO SENAI Guilherme Moreira fez o curso de Instalador Hidráulico Amanco... Conheça uma história

Leia mais

Políticas Publicas de Ressocialização

Políticas Publicas de Ressocialização Primeiro Encontro Mato Grossense de Conselhos da Comunidade Políticas Publicas de Ressocialização ão Rosangela Peixoto Santa Rita 26 de junho de 2008. O Brasil já tem mais de 423 mil presos em seus cárceres;

Leia mais

O que é o Ação Integrada?

O que é o Ação Integrada? O que é o Ação Integrada? Resultado de uma articulação entre a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/MT), o Ministério Público do Trabalho (MPT/MT), a Fundação Uniselva da Universidade

Leia mais

CERCA DE 76% DOS CONDENADOS NO BRASIL ESTÃO OCIOSOS NA PRISÃO, APONTA ESTUDO. Do UOL Notícias Em São Paulo

CERCA DE 76% DOS CONDENADOS NO BRASIL ESTÃO OCIOSOS NA PRISÃO, APONTA ESTUDO. Do UOL Notícias Em São Paulo CERCA DE 76% DOS CONDENADOS NO BRASIL ESTÃO OCIOSOS NA PRISÃO, APONTA ESTUDO Ana Sachs* 20/09/2009-07h00 Do UOL Notícias Em São Paulo Ainda que seja uma exigência da lei de Execuções Penais, o trabalho

Leia mais

Realização. Estados Vizinhos Convidados

Realização. Estados Vizinhos Convidados Relatório-síntese do III Seminário de Articulação Nacional e Construção de Diretrizes para a Educação no Sistema Penitenciário Regional Sul Centro Administrativo Porto Alegre - RS 6 e 7 de março de 2006

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 4.230, DE 2004 (Apensados os Projetos de Lei n os. 6.254, de 2005, 269, de 2007) Acrescenta parágrafo único ao art. 126 da

Leia mais

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. Saí da prisão volto coleção Conversas #26 - setembro 2015 - e estou ou não desempregado, para o crime? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS, da

Leia mais

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL CANDIDATOS A PREFEITOS E PREFEITAS MUNICIPAIS Pleito Eleitoral 2012 PROPOSTAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A PROMOÇÃO

Leia mais

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação Pronatec Aprendiz Orientações para Implementação Edição de 2015 Apresentação O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) representa um passo importante para a consolidação da educação

Leia mais

2007 PRODOC BRA 05/028 MDS/PNUD

2007 PRODOC BRA 05/028 MDS/PNUD Instrumento de Solicitação de Manifestação de Interesse- Qualificação de Parceiros para a Implementação de Projetos de Inclusão Produtiva 2007 PRODOC BRA 05/028 MDS/PNUD 1. OBJETO DO INSTRUMENTO CONVOCATÓRIO

Leia mais

A Política e a Atividade de Microcrédito como Instrumentos de Geração de Trabalho e Renda e Inclusão Produtiva

A Política e a Atividade de Microcrédito como Instrumentos de Geração de Trabalho e Renda e Inclusão Produtiva Projeto de Pesquisa - Microcrédito Produtivo Orientado: Inovações de Tecnologia Social e Aperfeiçoamento de Política A Política e a Atividade de Microcrédito como Instrumentos de Geração de Trabalho e

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Estabelece a forma de organização e regulamenta o funcionamento das unidades administrativas da Secretaria de Trabalho e Geração

Leia mais

Apoio: BIT Company Franchising Rua Fidêncio Ramos, 223 conj. 131 13º andar Vila Olimpia

Apoio: BIT Company Franchising Rua Fidêncio Ramos, 223 conj. 131 13º andar Vila Olimpia Nome da empresa: BIT Company Data de fundação: Julho de 1993 Número de funcionários: 49 funcionários Localização (cidade e estado em que estão sede e franquias): Sede em São Paulo, com franquias em todo

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS JOÃO DANILO BATISTA DE OLIVEIRA E CARLOS ALEXANDRE ANDRADE DOS SANTOS (depoimento)

Leia mais

Isabella Camarço Gomes Aluna do Curso de Bacharelado em Moda, Design e Estilismo UFPI

Isabella Camarço Gomes Aluna do Curso de Bacharelado em Moda, Design e Estilismo UFPI Isabella Camarço Gomes Aluna do Curso de Bacharelado em Moda, Design e Estilismo UFPI Iara Mesquita da Silva Braga Prof. Msc. Do Curso de Bacharelado em Moda, Design e Estilismo - UFPI ATIVIDADES DA CADEIA

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES AUTOR(ES): MARIANA TOLEDO ALVES TEIXEIRA

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES AUTOR(ES): MARIANA TOLEDO ALVES TEIXEIRA TÍTULO: "DIÁRIO" DE UM EX - DETENTO : AS DIFICULDADES E PRECONCEITOS ENCONTRADOS, NO DIA A DIA,PARA RESSOCIALIZAÇÃO DO EX - PRESIDIÁRIO NEGRO NO BRASIL. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE LEI nº, de de (Projeto de Lei nº 00/04, do Executivo) Institui o Programa Oportunidade Solidária, estabelece princípios fundamentais e objetivos da Política de Fomento à Economia Popular Solidária do Município

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

Informativo Fundos Solidários nº 13

Informativo Fundos Solidários nº 13 Informativo Fundos Solidários nº 13 Em dezembro de 2014, em Recife, Pernambuco, foi realizado o 2º seminário de Educação Popular e Economia Solidária. Na ocasião, discutiu-se sobre temas relevantes para

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

V Plenária Nacional de Economia Solidária

V Plenária Nacional de Economia Solidária V Plenária Nacional de Economia Solidária Relatório para Plenárias Locais e Estadual de Economia Solidária Escreva abaixo de cada tópico. Nome da Atividade V Plenária de Economia Solidária do Estado da

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República

27/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista exclusiva concedida por escrito pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para o jornal Metro, edição São Paulo e edição ABC Publicada em 27 de novembro de 2009 Jornalista: Muitos

Leia mais

PODE SER CLASSIFICADA EM TRÊS GRANDES SEGMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA MONTAGENS INDUSTRIAIS E EXTRAÇÃO MINERAL MILHÕES

PODE SER CLASSIFICADA EM TRÊS GRANDES SEGMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA MONTAGENS INDUSTRIAIS E EXTRAÇÃO MINERAL MILHÕES A CONSTRUÇÃO CIVIL PODE SER CLASSIFICADA EM TRÊS GRANDES SEGMENTOS CONSTRUÇÃO PESADA MONTAGENS INDUSTRIAIS E EXTRAÇÃO MINERAL EDIFICAÇÕES INDUSTRIAIS, COMERCIAIS E RESIDENCIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL É UM DOS

Leia mais

ANO XXIII 27/07/2015. Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING. Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG

ANO XXIII 27/07/2015. Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING. Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG ANO XXIII 153 27/07/2015 Superintendência de Comunicação Integrada CLIPPING Nesta edição: Clipping Geral Infância e Juventude Meio Ambiente Procon-MG o tempo - mg - p. 03 e 04-27.07.2015 2 cont... o tempo

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

BrazilFoundation abre edital para de projetos e negócios sociais

BrazilFoundation abre edital para de projetos e negócios sociais Financiamento e apoio técnico BrazilFoundation abre edital para de projetos e negócios sociais Estão abertas inscrições online até 30 de novembro para o edital bianual da BrazilFoundation que selecionará

Leia mais

Promovendo o autodesenvolvimento para as pessoas viverem melhor

Promovendo o autodesenvolvimento para as pessoas viverem melhor Promovendo o autodesenvolvimento para as pessoas viverem melhor para as pessoas Promover o autodesenvolvimento viverem melhor é a missão do Instituto Walmart www.iwm.org.br O Instituto Walmart é uma organização

Leia mais

Lanches ser hoje uma referência gastronômica em Londrina.

Lanches ser hoje uma referência gastronômica em Londrina. EntreVISTA Fotos: Divulgação/Shutterstock O grande empreendedor encara os desafios Entre esperar o livro pronto e escrevê-lo, o comerciante Arnaldo Tsuruda preferiu seguir pela segunda opção. A história

Leia mais

Projeto ViraVida oferece alternativas para jovens e adolescentes em situação de exploração sexual

Projeto ViraVida oferece alternativas para jovens e adolescentes em situação de exploração sexual Projeto ViraVida oferece alternativas para jovens e adolescentes em situação de exploração sexual Desde 2008, o Conselho Nacional do SESI, em parceria com o empresariado, promove a inserção desse público

Leia mais

PROJETO DESENVOLVIMENTO DO COOPERATIVISMO E ASSOCIATIVISMO EM COMUNIDADES DE BAIXA RENDA

PROJETO DESENVOLVIMENTO DO COOPERATIVISMO E ASSOCIATIVISMO EM COMUNIDADES DE BAIXA RENDA INSTITUTO BRASILEIRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO, EDUCACIONAL E ASSOCIATIVO INSTITUTO BRASILEIRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO, EDUCACIONAL E ASSOCIATIVO PROJETO DESENVOLVIMENTO DO COOPERATIVISMO E

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

TRABALHO COMO DIREITO

TRABALHO COMO DIREITO Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 419 CEP: 05403-000 São Paulo SP Brasil TRABALHO COMO DIREITO () 04/12/2013 1 O direito ao trabalho no campo da Saúde Mental: desafio para a Reforma Psiquiátrica brasileira

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia em comemoração ao Dia Internacional da Mulher Palácio do Planalto, 12 de março de 2003 Minha cara ministra Emília Fernandes, Minha cara companheira Benedita da

Leia mais

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará

ações de cidadania ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará ações de cidadania Onde o sol nasce ONG estimula o protagonismo de jovens para que eles atuem transformando a realidade de região castigada pela seca no Ceará O triste cenário já é um velho conhecido por

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Carta Pedagógica da Rede de Educação Cidadã- Acre. Rio Branco (AC), Maio a Julho de 2013

Carta Pedagógica da Rede de Educação Cidadã- Acre. Rio Branco (AC), Maio a Julho de 2013 Carta Pedagógica da Rede de Educação Cidadã- Acre Rio Branco (AC), Maio a Julho de 2013 Companheiras e companheiros de caminhada, nossas sinceras saudações. Há aqueles que lutam um dia; e por isso são

Leia mais

Categoria Franqueador Pleno

Categoria Franqueador Pleno PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2013 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Dados da empresa Razão Social: MOLDURA MINUTO FRANCHISING LTDA Nome fantasia: MOLDURA MINUTO Data de

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSPEÇÃO

FORMULÁRIO DE INSPEÇÃO FORMULÁRIO DE INSPEÇÃO COMARCA: I Quanto ao Centro de Reintegração Social da APAC Feminina Nome: Endereço: Bairro: CEP: - Telefone: E-mail: Vagas: recuperandas Lotação atual: recuperandas Responsável:

Leia mais

InfoReggae - Edição 32 Inclusão Digital 11 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior

InfoReggae - Edição 32 Inclusão Digital 11 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO Diversos problemas levaram à situação atual O problema sempre foi tratado com uma série de OUs Natureza ou policial ou social Responsabilidade ou

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania 1) RECURSOS DO IGD-M PERGUNTA: Sobre os recursos do IGD-M referentes a dezembro de 2011, mas que só foram creditados na conta em janeiro de 2012, o gestor pode gastar esse recurso normalmente ou terá que

Leia mais

A importância de um plano de aposentadoria complementar

A importância de um plano de aposentadoria complementar INFORMATIVO É a melhor maneira de planejar a sua aposentadoria; Poupança com 100% de rentabilidade - Parte Patrocinadora; Rentabilidade totalmente revertida ao participante Datusprev sem fins lucrativos;

Leia mais

AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL Nos últimos anos, a construção civil brasileira decolou. Com a Copa do Mundo e as Olímpiadas, estádios e equipamentos

Leia mais

Como Ganhar R$ 625,00 por Mês com Hotmart

Como Ganhar R$ 625,00 por Mês com Hotmart Como Ganhar R$ 625,00 por Mês com Hotmart Ah algum tempo venho estudando e me dedicando a atividade de blogueiros famosos no cenário internacional como Darren Rowse, Silvio Fortunato, Pat Flynn, entre

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RECURSOS HUMANOS O PROGRAMA O Programa Municipal de Voluntariado

Leia mais

José Carlos de Oliveira Lima recebe homenagem especial da Fundação Vanzolini por sua atuação em prol da construção sustentável

José Carlos de Oliveira Lima recebe homenagem especial da Fundação Vanzolini por sua atuação em prol da construção sustentável José Carlos de Oliveira Lima recebe homenagem especial da Fundação Vanzolini por sua atuação em prol da construção sustentável Placa de reconhecimento foi entregue ao engenheiro durante a Conferência Aqua,

Leia mais

PREFÁCIO. DILMA ROUSSEFF Presidenta da República Federativa do Brasil. Prezada leitora, estimado leitor,

PREFÁCIO. DILMA ROUSSEFF Presidenta da República Federativa do Brasil. Prezada leitora, estimado leitor, PREFÁCIO DILMA ROUSSEFF Presidenta da República Federativa do Brasil Prezada leitora, estimado leitor, Ao longo dos séculos, a pobreza foi um fenômeno cercado de interesses e de preconceitos. Houve momentos

Leia mais

LEI Nº 3978, de 27 de dezembro de 2005

LEI Nº 3978, de 27 de dezembro de 2005 Carregando a Lei. Aguarde, Por Favor. LEI Nº 3978, de 27 de dezembro de 2005 INSTITUI PROGRAMA OSASCO SOLIDÁRIA, ESTABELECE PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS E OBJETIVOS DA POLÍTICA DE FOMENTO À ECONOMIA POPULAR

Leia mais

Como é ser aprovado no vestibular de uma Universidade Pública, em que sabemos da alta concorrência entre os candidatos que disputam uma vaga?

Como é ser aprovado no vestibular de uma Universidade Pública, em que sabemos da alta concorrência entre os candidatos que disputam uma vaga? Abdias Aires 2º Ano EM Arthur Marques 2º Ano EM Luiz Gabriel 3º Ano EM Como é ser aprovado no vestibular de uma Universidade Pública, em que sabemos da alta concorrência entre os candidatos que disputam

Leia mais

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA Prestação de Serviço de Configuração de Portal de Cidade VISÃO GERAL PESM Projeto Eu Sou de Minas tem a satisfação de enviar esta proposta de serviços

Leia mais

ENCONTRO REGIONAL DOS CPRs - REGIÃO SUL Em 16 MAR 2011 Florianópolis

ENCONTRO REGIONAL DOS CPRs - REGIÃO SUL Em 16 MAR 2011 Florianópolis Página: 1 de 6 ENCONTRO REGIONAL DOS CPRs - REGIÃO SUL Em 16 MAR 2011 Florianópolis RELATÓRIO FINAL PAUTA DA MANHÃ Na abertura dos trabalhos, a Sra. Izelda Teresinha Oro Coordenadora do CPR-SC e representante

Leia mais

Marcha Global contra o Trabalho Infantil Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil na Agricultura Washington DC, EUA 28-30 julho, 2012

Marcha Global contra o Trabalho Infantil Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil na Agricultura Washington DC, EUA 28-30 julho, 2012 Marcha Global contra o Trabalho Infantil Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil na Agricultura Washington DC, EUA 28-30 julho, 2012 MARCO DE AÇÃO A Conferência Internacional sobre Trabalho Infantil

Leia mais

Segunda-feira, 22 de abril de 2013

Segunda-feira, 22 de abril de 2013 Segunda-feira, 22 de abril de 2013 22/04/2013 07h00 - Atualizado em 22/04/2013 07h00 Empresários dão dicas de como empreender após a aposentadoria Professora aposentada montou empresa de reforma de calçadas.

Leia mais

Prezado DOADOR. Júlio Cézar Busato Presidente da Aiba

Prezado DOADOR. Júlio Cézar Busato Presidente da Aiba PROJETOS SOCIAIS Prezado DOADOR Júlio Cézar Busato Presidente da Aiba Há sete anos, o Fundo para o Desenvolvimento Sustentável do Oeste da Bahia - Fundesis, vem transformando a região onde vivemos com

Leia mais

PESQUISA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

PESQUISA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PESQUISA DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL FICHA TÉCNICA Instituição executora: Fundação Euclides da Cunha / Núcleo de Pesquisas, Informações e Políticas Públicas

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

Relatório da Plenária Estadual de Economia Solidária

Relatório da Plenária Estadual de Economia Solidária Relatório da Plenária Estadual de Economia Solidária Nome da Atividade V Plenária Estadual de Economia Solidária de Goiás Data 28 a 30 de agosto de 2012 Local Rua 70, 661- Setor Central -Sede da CUT Goiás

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CUMPRIMENTO DE ASPECTOS DA NR-18 EM CANTEIROS DE OBRAS NA CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS E REGIÃO

AVALIAÇÃO DO CUMPRIMENTO DE ASPECTOS DA NR-18 EM CANTEIROS DE OBRAS NA CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS E REGIÃO AVALIAÇÃO DO CUMPRIMENTO DE ASPECTOS DA NR-18 EM CANTEIROS DE OBRAS NA CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS E REGIÃO SANTANA, Diego da Silva 1 ; PAES, Filipe Pereira 2 ; SANTANA, Valquiria Melo de 3, CERQUEIRA, Milena

Leia mais

20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil

20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil VEÍCULO: BLOG DO JAIR SAMPAIO DATA: 20.10.15 20/10/2015 Por Jair Sampaio Pelo segundo ano consecutivo, Senac RN é uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil Instituição vinculada ao Sistema

Leia mais

Mudanças no jornalismo exigem novas formas de organização da profissão: por um conselho profissional de todos os jornalistas 1

Mudanças no jornalismo exigem novas formas de organização da profissão: por um conselho profissional de todos os jornalistas 1 1 Mudanças no jornalismo exigem novas formas de organização da profissão: por um conselho profissional de todos os jornalistas 1 O ano de 2013 entrará para a história do jornalismo brasileiro como um divisor

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos

Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O DIÁLOGO SOCIAL NO BRASIL: O MODELO SINDICAL BRASILEIRO E A REFORMA SINDICAL Zilmara Davi de Alencar * Em recente balanço feito nas negociações tidas em 2009, constatamos

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos / / Fique ligado Notícias / Especiais Promenino Fundação Telefônica 10/12/2012 Os desafios da fiscalização do trabalho infantil Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 70 A ONG brasileira está em crise? 06 de fevereiro de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Conversão da MPv nº 411-07 Presidência da Dispõe sobre o Programa Nacional de Inclusão de Jovens - Projovem, instituído pela Lei n o 11.129, de 30 de junho de 2005; altera a Lei n o 10.836, de 9 de janeiro

Leia mais

Primeira ação do Núcleo

Primeira ação do Núcleo Novo Núcleo RENAPI No dia 29 de maio, o diretor da ABDI, Clayton Campanhola, e o presidente da Federação das Indústrias de Rondônia (FIERO), Denis Roberto Baú, assinaram o termo de cooperação que oficializou

Leia mais

Escolas comunicadoras

Escolas comunicadoras Comunicação e Cultura Local de atuação: Ceará, Pernambuco, Pará e Bahia Data de fundação: 1996 Escolas comunicadoras No Ceará, quase quinhentas mil crianças da rede pública estudam em escolas que unem

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

EAD EM PROL DAS NORMAS REGULAMENTADORAS

EAD EM PROL DAS NORMAS REGULAMENTADORAS EAD EM PROL DAS NORMAS EAD EM PROL DAS NORMAS Ensino a distância une forças com as empresas para diminuir acidentes de trabalho e evitar penalidades para as organizações São 36 as normas regulamentadoras

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Objetivo: Nosso negócio:

Objetivo: Nosso negócio: Informações sobre o Programa Nome do Programa Bob s Melhor Idade Início do Programa: 20 de Abril de 2003 Setor responsável: Responsabilidade Social Contato: Vinitius Fernandes Cargo: Coordenador de Responsabilidade

Leia mais

A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO

A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO José Carlos Batista - Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE-ES RESUMO: a mulher teve e tem uma grande participação na construção do direito do

Leia mais

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros!

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! Consórcio Imobiliário na prática Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! 1 Sobre a empresa A A+ Consórcios iniciou suas atividades com o objetivo de gerir

Leia mais

Atividades. Caro professor, cara professora,

Atividades. Caro professor, cara professora, Atividades Caro professor, cara professora, Apresentamos mais uma nova proposta de atividade sobre alguns dos temas abordados pelo programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil*. Ela inaugura a

Leia mais

24/04/2007. Presidência da República Secretaria de Comunicação Social Discurso do Presidente da República

24/04/2007. Presidência da República Secretaria de Comunicação Social Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura dos atos normativos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) Palácio do Planalto, 24 de abril de 2007 Excelentíssimo senador Renan Calheiros,

Leia mais

SONDAGEM DE VENDAS DIA DAS CRIANÇAS

SONDAGEM DE VENDAS DIA DAS CRIANÇAS SONDAGEM DE VENDAS DIA DAS CRIANÇAS OUTUBRO/2013 FECOMERCIO/TO Hugo de Carvalho Presidente Anselmo da Silva Moraes Vice Presidente Silmara Lustosa Ribeiro Superintendente INSTITUTO FECOMÉRCIO/TO Hugo de

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A educação é um dos pilares da sociedade e no nosso emprego não é diferente. Um povo culto está mais preparado para criar, planejar e executar os projetos para

Leia mais

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada

Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Terça-feira, 11 de março de 2014 Seis mulheres e o único desejo: um futuro diferente Entrevistadas denunciam desigualdade velada Nádia Junqueira Goiânia - Dalila tem 15 anos, estuda o 2º ano no Colégio

Leia mais

II SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO GERENCIAL. Palestrante: Luisa Rocha Cabral

II SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO GERENCIAL. Palestrante: Luisa Rocha Cabral 1 II SEMINÁRIO SOBRE GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO DESAFIOS DO DESENVOLVIMENTO GERENCIAL Palestrante: Luisa Rocha Cabral Graduada em Administração Pública pela Escola de Governo Professor Paulo Neves

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca ASSINATURA DO SEGURO-DESEMPREGO E

Leia mais

Manual da Aprendizagem

Manual da Aprendizagem Manual da Aprendizagem Preparado pelo Centro Social Betesda (CSB) INTRODUÇÃO Aprendizagem é uma ação promovida para incentivar a aplicação prática da Lei 10.097, que regulariza o trabalho de adolescentes

Leia mais

III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM

III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM Faça parte desse abraço A Fundação Solidariedade ponto focal do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento,braço social do Sistema Correio de Comunicação, é uma Associação

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS CAS Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social CASEMP

COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS CAS Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social CASEMP COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS CAS Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social CASEMP AUDIÊNCIA PÚBLICA Assunto: Os direitos da mulher no Sistema de Seguridade Social Data: 27/04/2010

Leia mais

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE PETROBRAS - REGAP Contagem 19 de outubro de 2011 Iniciativas de Qualificação - PROMINP PROMINP O PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo e

Leia mais

Revista Lumiere Setembro/2007 Empresas do futuro

Revista Lumiere Setembro/2007 Empresas do futuro Revista Lumiere Setembro/2007 Empresas do futuro Se hoje investir em responsabilidade socioambiental é uma opção, em breve será praticamente obrigatório para se manter no mercado. Especialistas da indústria

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Roberto Gerab. Aposta na baixa

Roberto Gerab. Aposta na baixa Roberto Gerab Aposta na baixa Em um momento em que grandes incorporadoras se mostram reticentes quanto à atuação na baixa renda, incorporadora Kallas cria nova empresa para crescer no segmento Edição 145

Leia mais