Dados Agronómicos. 0,185kg (grão) 0,03 /kg (palha)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dados Agronómicos. 0,185kg (grão) 0,03 /kg (palha)"

Transcrição

1 Dados Agronómicos Cultura Produtividade Preço de venda Milho grão de regadio kg/ha 9 a kg palha 1/1,7 palha 0,185kg (grão) 0,03 /kg (palha) Custos de Produção Taxa Região 70% 4% Évora Milho Grão Regadio kg/ha 0,17 /kg 70% 4% Ribatejo e Oeste Milho Grão Regadio kg/ha 0,08 /kg 80% 2% Lisboa Milho grão de sequeiro kg/ha 9 a kg palha 1/1,7 palha Milho Forragem a kg/ha kg/ha kg/ha (MV) Aveia x Vícia (60% x 40%) kg/ha (MS) Forragem 0,85 UF/kg (MS) 0,05 /kg 60% 4% Arraiolos Aveia x Ervilhaca 4.500kg/ha 0,12 /kg 50% 4% Sintra Pastagem em Sequeiro 4.000kg/ha (MS) Pastagem em regadio 8830kg/ha Forragem Sequeiro 8.000kg/ha (MS) Forragem Regadio a kg/ha (MS) Morango a kg/ha 3,00 a 12 /kg 85% 4% Odemira Tomate kg/ha Tomate Regadio kg/ha 0,08 /kg Tomate kg/ha 0,20 /kg 60% 4% Algarve Tomate Regadio Indústria kg/ha 0,09 /kg 90% 4% Ribatejo e Oeste Girassol Sequeiro 500 a 900kg/ha 900 a 1.500kg/ha (solos húmidos) 0,20 /kg

2 Girassol sequeiro 800kg/ha 0,26 /kg 100% 4% Beja Girassol Regadio a 3.000kg/ha 1.800kg/ha (média) 0,20kg/ha Tabaco a 2.500kg/ha Trigo mole de Sequeiro a 3.000kg/ha (grão) 3.000kg (palha fardos de 25kg) 0,20 /kg (grão) 1,5 /fardo (50kg palha) 65% 2% 1/1 a 1/1,5 0,03 /kg Trigo mole sequeiro 3.000kg/ha: grão 0,15 /kg 2.500kg/ha: palha 0,07 /kg 65% 3% Beja Cevada de Sequeiro 4.000kg/ha (sequeiro) 0,19 /kg Cevada Forrageira Cevada Regadio (Malte) 1.000kg/ha 6.50UF/ha 6.000kg/ha 0,15 /kg 20% 2% Ferreira do Cevada sequeiro (Malte) 3.500kg/ha Trigo duro de Sequeiro a 3.000kg/ha (grão) 3.000kg (palha) 1/1 a 1/1,5 Trigo duro de regadio 3.200kg/ha 0,20 /kg Centeio de sequeiro 3.000kg/ha Centeio de Sequeiro 2.500kg/ha (grão) 0,15 /kg 125fardos/ha 2,30 /fardo 45% 2% Trás-os-Montes Batata kg/ha 0,20 /kg 65% Batata kg/ha 0,15 /kg 85% 3% Batata kg/ha 0,12 /kg Batata kg/ha 0,20 /kg 70% 2% Lisboa 5.500kg/ha (batata) 0,20 /ha Batata + Azevém de Regadio 39fardos/ha (feno) 6 /fardo 60% 4% Évora 3.300kg/ha (verde) 0,05 /kg 8000kg/ha (batata) 0,20 /kg 60% 5%

3 80fardos/ha (feno) 6 /fardo 8000kg/ha (verde) 0,05 /kg 5.000kg/ha (batata) 0,20 /kg 70% kg/ha (azevém) 0,06 /kg 50% 4% Sintra kg/ha (batata) 0,15 /kg 85% 8.000kg/ha (azevém) 0,04 /kg 45% 3% Trás-os-Montes Batata + Azevém kg/ha (verde) 0,07 /kg 55% 2.700kg/ha (feno) 0,12 /kg 60% kg/ha (batata) 0,22 /kg 4% Minho Aveia 3.000kg/ha Relação palha/grão: 1/2 Arroz 6.000kg/ha Triticale 4.000kg/ha Relação palha grão: 1/1,5 Grão-de-bico a 3.500kg/ha Grão-de-Bico 750kg/ha 0,40 /kg 65% 3% Beja Beterrabaa sacarina Regadio a kg/ha Beterraba sacarina regadio kg/ha 0,05 /kg Beterraba Sacarina Regadio kg/ha 0,064 /kg 80% 4% Ribatejo e Oeste Beterraba sacarina Sequeiro a kg/ha Colza a 3.000kg/ha (grão) 0,20 /kg Soja a 4.000kg/ha (grão) Sorgo 7.000kg/ha (grão) a kg MS (Forragem Regadio) Sorgo Silagem kg/ha Pimento kg/ha 0,18 /kg

4 Melão kg/ha 0,20 /kg Cebola kg/ha 0,20 /kg Maçã kg/ha 0,50 /kg Pêra kg/ha 0,51 /kg Pêra-Rocha kg/ha 0,35 /kg 60% 4% Ribatejo e Oeste Pomar de Pomoídeas kg/ha 0,03 /kg 63% Sintra Pêssego 8.000kg/ha 0,64 /kg Ameixa 9.000kg/ha 0,55 /kg Uva de mesa kg/ha 0,30 /kg kg/ha MV Azevém 6 /fardo Feno (50 fardos/ha) (Pastagem melhorada) 0,05 /kg Verde (6.000kg/ha) 50% 4% Évora Azevém Regadio kg/ha 0,06 /kg 50% 4% Sintra Azevém Sequeiro Feno (80 fardos/ha) 6 /fardo 40% 4% Verde (5000kg/ha) 0,05 /kg VQPRD kg/ha /ha 65% 4% Évora Vinha 5.500kg/ha (uva) x 0,73 = 4.015l/ha (vinho) 0,90 /l 65% 4% Trás-os-Montes VQPRD 5.000kg/ha (uva) x 0,73 = 1,30 /l 65% 4% Trás-os-Montes Vinha de Benefício 1ª 3.650l/ha 5.000kg/ha (uva) x 0,73 = 3.650l/ha 2.400l (Vinho do Porto) 1250l/ha (VQPRD) 2,80 /l 1,30 /l 70% 4% Trás-os-Montes Vinha de Benefíciio 2ª 90% da 1ª Trás-os-Montes Vinha de Benefício 3ª 75% da 1ª Trás-os-Montes Framboesa kg/ha 4 /kg Coimbra

5 Mirtillo kg/ha Açores Kiwi kg/ha = 50 kg/planta Açores Amora kg/ha = 3,1 kg/planta Açores Alface kg/ha 0,50 /kg 85% 5% Ribatejo e Oeste Alface kg/ha 0,25 /kg 81% 4% Sintra Couve Lombardo kg/ha 0,25 /kg 80% 4% Ribatejo e Oeste Couve Lombardo kg/ha 0,20 /kg 75% Couve Lombardo kg/ha 0,15 /kg 81% 4% Sintra Feijão Verde kg/ha 1 /kg 81% 4% Sintra Fava Sequeiro 9.000kg/ha 0,25 /kg 50% kg/ha 0,2 /kg 80% Couve + Azevém 8.000kg/ha 0,04 /ha 40% 3% Trás-os-Montes

6 Benfeitorias Item Especificações Preço Região Cerca Charca 1,5 /m 3 Évora Sebes Construção habitacional ou Industrial 225 a 425 /m 2 25 /m 2 a 150 /m 2 Anexos e outras construções precárias 50 /m 2 a 10 /m 2 Habitação degradada com terreno 200 /m 2 Habitação em ruínas com terrreno 50 /m 2 Rede ovelheira com paus de madeira tratados 1,5 a 3,5 /m 2 5 /m 2 Arame farpado e paus de madeira 1,5 a 3,5 /m 2 tratados Muro de alvenaria simples 30 7m 2 Muro de pedra solta Muro de pedra aparelhada 7,5 a 12,5 /m 2 25 /m 2 10 a 17,5 /m 2

7 Muro em pedra cimentada 40 /m 2 Muros em tijolo e blocos de cimento 20 a 30 /m 2 Poço em pedra 25 a 30 /m 2 Poço em manilhas/tijolo 75 /m 3 Presas 20 a 25 /m 2 Poço revestido a pedra 100 /m 3 Estruturas de latadas 10 /m 2 Pavimento em latejas de pedra 10 /m 2 Tanque em alvenaria 75 /m 2 Fossa séptica 100 /m 3 Furo 50 /m

8 Árvores Dispersas e Florestais Espécie Porte Densidade Produtividade Preço Custos Taxa Região Olival Intensivo Grande 200/ha kg/ha 0,65 /kg 70% 3% Olival Intensivo 6.000kg/ha azeitona 900kg azeite 3 /kg azeite 70% 4% Olival Intensivo 3.000kg/ha azeitona 0,60 /kg 65% 3% Trás-os- Montes Olival super kg/ha azeitona 2,85 /kg azeite 70% 4% intensivo 1.800kg/azeite Olival Tradicional 100/ha 2.000kg/ha Olival Tradicional 6.000kg/ha 0,30 /kg 60% 4% kg/ha /ha 60% 4% Évora Olival semiintensivo Olival Tradicional 400kg/ha 2,70 /kg 70% 3% Trás-os- Montes Olival Tradicional 3500kg/ha (azeitona) 3,50 /kg (azeite) 60% 4% Abrantes Olival Intensivo 5.250kg/ha (azeitona) 3,25 /kg (azeite) 60% 4% Abrantes Eucaliptal kg/ha 0,05 /kg 10% 3% Lisboa Eucaliptal de alto 675m 1.500/ha /ha (1º corte) fuste 608m 3 /ha (2º corte) 32,5 /m 3 30% 3% Eucaliptal de 1ª 28,500kg/ha 998 /ha 25% 5% Grande 60 /árvore Eucalipto Médio 30 /árvore Pequeno 10 /árvore Eucalipto (1,25 Dap) Eucalipto (1,10 Dap) 80 /árvore 60 /árvore

9 Oliveira Oliveira Figueira Prunóideas e Pomóideas (Pessegueiro, Macieiras, Pereiras, Marmeleiros e Ameixoeiras) Grande 25kg/ano 0,65 /kg 60 /árvore 70% 7% Médio 50 /árvore Pequeno 40 /árvore 30 a 80 /árvore Grande 50 /árvore Médio 35 /árvore Pequeno 25 /árvore Grande 50 /árvore Médio 35 /árvore Pequeno 25 /árvore Montado + Pastagem Montado Sobreiro Muito grande (1m de Dap) Grande (50 a 60cm Dap) Médio 100/ha anos (cortiça) 1.200kg/ha (erva) anos Cortiça: (90kg) Lenha: 150kg 388,90 /ha 0,05 /kg /ha pastagem 175 /árvore 18 0,02 /kg 100 /árvore 140 /árvore 80 /árvore 75 /árvore 90 /árvore 42% 4% Évora 25% 4% Abrantes 50% 5%

10 Azinheira Árvores ornamentais (Cedros e Pinheiros) Árvores ornamentais Pequeno Grande (40 a 50cm de Dap) Médio (6 a 7m de altura e 1,15 de PAP) Lenha: 600kg Bolota: 30kg 50 /árvore 60 /árvore 40 /árvore 25 /árvore 0,02 /kg (lenha) 0,06 /kg(bolota) 75 /árvore 50 /árvore 45 /árvore 50% 8% Évora Pequeno 35 /árvore Grande 75 /árvore Médio 50 /árvore Pequeno 40 /árvore 45 /árvore Grande 60 /árvore Freixo Médio 30 /árvore Pequeno 10 /árvore Choupo 35 /árvore Algarve Amendoeira 50 /árvore Algarve Amendoal 500kg/ha 4 /kg 65% 3% Trás-os- Montes Alfarrobeira 50 /árvore Algarve kg a Alfarrobeira 0,30 /kg 60% kg/ha Romanzeira 15 /árvore

11 Pinhal de 1º 17,5m 3 /ha madeira 35 /m 3 25% 5% Pinhal de 2º 10m 3 /ha madeira 35 /m 3 25% 5% Mato Pinheiro Manso Pinhal Manso Pinheiro Manso (para plantar) pinhas/ha 500m 3 /ha 15/20cm de altura 0,26 /ha 20 a 100 /árvore 0,30 /pinha 25 /m 3 35,00 /unidade Abrantes Pinheiro Bravo 10 a 45 /árvore Nespereira 30 /árvore Limoeiro 80 /árvore Laranjeira de 80 /árvore grande porte Laranjeira de médio 60 /árvore porte Laranjal 1ª kg/ha 0,25 /kg 60% 4% Diospiros kg/ha 1,0 /kg 60% 4% Medronheiro 7 a 9kg/planta = 1,5 a 2L aguardente 7,5 a 20 /L 56% 3%

12 Animais Espécie Preço Subsídio Produtividade Preço Custos Taxa Região Ovinos 150 /animal 35%

Quadro - Colheitas seguráveis e períodos de cobertura seguro horizontal

Quadro - Colheitas seguráveis e períodos de cobertura seguro horizontal Quadro Colheitas seguráveis e períodos de cobertura seguro horizontal ABACATE ABÓBORA AGRIÃO AIPO ALFACE ALFARROBA ALGODÃO Geada e ALHO ALHO FRANCES ALPERCE plena floração ALPISTA emborrachamento AMEIXA

Leia mais

C ARTA C IRCULAR N.º 01/2004

C ARTA C IRCULAR N.º 01/2004 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO C ARTA C IRCULAR N.º /2004 DATA DE EMISSÃO: 30-11-2004 : 30-11-2004 Assunto: Âmbito: Linha de Crédito de Curto Prazo - Agricultura, Silvicultura e Pecuária Continente Os agricultores

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários

VI Congresso Brasileiro de Algodão. Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários VI Congresso Brasileiro de Algodão Seguro Agrícola como Alternativa para redução dos Riscos Agropecuários Segmentação do Mercado Segurador Brasileiro Danos SEGUROS Pessoas PREVI- DÊNCIA CAPITA- LIZAÇÃO

Leia mais

CONSELHO DIRETIVO. Seca Linha de Crédito de Apoio à Alimentação Animal e Setor Agrícola Continente

CONSELHO DIRETIVO. Seca Linha de Crédito de Apoio à Alimentação Animal e Setor Agrícola Continente CONSELHO DIRETIVO C ARTA-CIRCULAR CLASSIFICAÇÃO- DATA DE EMISSÃO: 02-10-2012 ENTRADA EM VIGOR: 03-10-2012 Âmbito: Continente O Decreto-Lei n.º 101/2012, de 11 de Maio, criou uma linha de crédito com juros

Leia mais

Seguros Agrícolas O Sistema Português

Seguros Agrícolas O Sistema Português Seguros Agrícolas O Sistema Português Por Pedro Santos Toda a actividade agrícola está sujeita a variadíssimos riscos, sendo os provocados pelas condições meteorológicas os mais imprevisíveis e menos controláveis.

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

Culturas alternativas e plantas para fins energéticos. Manuel Patanita Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Beja

Culturas alternativas e plantas para fins energéticos. Manuel Patanita Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Beja Culturas alternativas e plantas para fins energéticos Manuel Patanita Escola Superior Agrária Instituto Politécnico de Beja SUMÁRIO Energias renováveis Energia da biomassa Culturas energéticas Bioetanol

Leia mais

Capítulo 12. Sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens

Capítulo 12. Sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens Capítulo 12 Sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens Notas. 1. Consideram-se sementes oleaginosas, na acepção da posição 12.07,

Leia mais

Janeiro: Planta-se: Colhe-se: -Alfaces; -Favas; -Ervilhas; -Rabanetes; -Cenoura; -Repolho; -Brócolo; -Couve-flor; -etc.

Janeiro: Planta-se: Colhe-se: -Alfaces; -Favas; -Ervilhas; -Rabanetes; -Cenoura; -Repolho; -Brócolo; -Couve-flor; -etc. Almanaque 2014 Janeiro: Planta-se: -Alfaces; -Favas; -Ervilhas; -Rabanetes; -Cenoura; -Repolho; -Brócolo; -Couve-flor; Colhe-se: -Espinafres; -Tangerinas; -Maçãs; -Peras; -Kiwis; -Laranjas; -Tangerinas;

Leia mais

Aves SUÍNOS CAVALOS OVINOS E CAPRINOS

Aves SUÍNOS CAVALOS OVINOS E CAPRINOS Aves AVIDIACO ESPECIAL: Alimento Natural completo para: Frangos, Galinhas, Patos, Perus, etc. Administrar como alimento único a aves desde os 30 dias de idade, até ao abate ou em postura. AVIDIACO NORMAL:

Leia mais

Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal SIPOV. Helena Pan Rugeri Engª Agrº Fiscal Federal Agropecuário

Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal SIPOV. Helena Pan Rugeri Engª Agrº Fiscal Federal Agropecuário Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal SIPOV Helena Pan Rugeri Engª Agrº Fiscal Federal Agropecuário DEFESA AGROPECUÁRIA Áreas de atuação: 1 - INSUMOS: sementes, fertilizantes, agrotóxicos,

Leia mais

CATÁLOGO SEMENTES SEMENTES MAISADOUR MILHO: FAO 200: BEBOP FAO 500: MAS 56 E FAO 300: MAS 33A F AO 600: MAS 58 M MAS 66 C

CATÁLOGO SEMENTES SEMENTES MAISADOUR MILHO: FAO 200: BEBOP FAO 500: MAS 56 E FAO 300: MAS 33A F AO 600: MAS 58 M MAS 66 C SEMENTES ERVA DO SUDÃO HAYKING FERTIFENO I (ACIDOS) SORGO HIBRIDO ROCKET FERTIREG 1 - PRADO PERM. REGADIO SPEEDMIX AC AZEVÉM ANUAL VALLIVERT SPEEDMIX NEUTRO AVEX I - ÁCIDOS TRITIMIX AVEX III - (NEUTROS)

Leia mais

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Histórico do Seguro Agrícola no Brasil 1878 - Congresso Agrícola do Recife; Lei n 2.168, de 11 de janeiro de 1954, estabelece normas para a instituição do seguro agrário

Leia mais

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO

AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO AJUSTE E FIXAÇÃO DE ÍNDICES DE RENDIMENTO QUE INFORMAM O CONCEITO DE PRODUTIVIDADE Março 2005 APLICAÇÃO DOS ÍNDICES Função Social da Propriedade exige níveis satisfatórios de produtividade Vistoria do

Leia mais

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Lei 12.593/12 institui o PPA 2012-2015 Programa 2028 Defesa Agropecuária Objetivo 0570 Assegurar a qualidade dos

Leia mais

2ºAno Turma B. Maio de Pesquisa elaborada pelos alunos nas aulas de Cidadania, ao longo do 2º período, em colaboração com as suas famílias.

2ºAno Turma B. Maio de Pesquisa elaborada pelos alunos nas aulas de Cidadania, ao longo do 2º período, em colaboração com as suas famílias. SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DAS LAJES DO PICO 2ºAno Turma B Pesquisa elaborada pelos alunos nas aulas de Cidadania, ao longo

Leia mais

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015

CAMARA SETORIAL DA BORRACHA CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 CAMARA SETORIAL DA BORRACHA A CARLOS ALFREDO B GUEDES BRASILIA JULHO 2015 LEGISLAÇÃO Decreto nº 68.678, de 25 de maio de 1971 cria a Comissão Especial de Planejamento, Controle e Avaliação das Estatísticas

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento - SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL

Estado do Paraná Secretaria da Agricultura e do Abastecimento - SEAB Departamento de Economia Rural - DERAL - SEAB Apresentação Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Câmara Setorial de Seguros Brasília - DF Junho de 2013 Programa de Subvenção ao Prêmio de Base Legal Lei Estadual 16.166/2009

Leia mais

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização Seguro Rural Desafios para a sua Operacionalização GESTÃO DE RISCO RURAL Riscos Rurais: - Climatológicos; Incêndio; Vida animal; Propriedades; Equipamentos; Armazenagem; Transporte; e, Preço. Seguro Rural

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos I Proagro Mais II Seguro Privado. Coberturas: - Variações Climáticas - Preços - Índices III Cobertura Complementar

Leia mais

Individual - SC Proposta

Individual - SC Proposta Proposta SEGURO NOVO ALTERAÇÃO (PREENCHER APENAS OS DADOS A ALTERAR) N.º APÓLICE N.º COTAÇÃO TOMADOR DO SEGURO / PROPONENTE PARTICULAR / EMPRESÁRIO EMPRESA N.º BENEFICIÁRIO IFAP É OU FOI CLIENTE DA CA

Leia mais

FRUTAS HORTÍCOLAS FLORES DIAGNÓSTICO SECTORIAL

FRUTAS HORTÍCOLAS FLORES DIAGNÓSTICO SECTORIAL FRUTAS HORTÍCOLAS FLORES DIAGNÓSTICO SECTORIAL 2007 DOCUMENTO COORDENADO PELO GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICAS MADRP Fevereiro 2007 2 Índice Geral 1. Caracterização do Sector... 12 1.1. Importância

Leia mais

Boas perspetivas em quantidade e qualidade para a campanha vinícola Produção de cereais de Outono/Inverno aquém das expectativas

Boas perspetivas em quantidade e qualidade para a campanha vinícola Produção de cereais de Outono/Inverno aquém das expectativas PREVISÕES AGRÍCOLAS 31 de julho 2015 19 de agosto de 2015 Boas perspetivas em quantidade e qualidade para a campanha vinícola Produção de cereais de Outono/Inverno aquém das expectativas As previsões agrícolas,

Leia mais

CULTURAS ARVENSES ARVENSES REGIME DE APOIO AOS PRODUTORES DE CULTURAS

CULTURAS ARVENSES ARVENSES REGIME DE APOIO AOS PRODUTORES DE CULTURAS CULTURAS ARVENSES REGIME DE APOIO AOS PRODUTORES DE CULTURAS ARVENSES 1º DISPOSIÇÕES GERAIS I - BENEFICIÁRIOS 1 - Podem beneficiar do Regime de Apoio aos Produtores de Culturas Arvenses, doravante designado

Leia mais

Trabalho realizado pelos alunos do 3.º ano de escolaridade. Ilustrações - As aves e os peixes do Sapal de Corroios

Trabalho realizado pelos alunos do 3.º ano de escolaridade. Ilustrações - As aves e os peixes do Sapal de Corroios Trabalho realizado pelos alunos do 3.º ano de escolaridade Ilustrações - As aves e os peixes do Sapal de Corroios Coordenadora Professora Fernanda Franco (Pintura sobre azulejo sobre as tradições de Corroios

Leia mais

PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL 2006

PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL 2006 PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL 2006 Programa de ao Prêmio do Seguro Rural - PSR 2006 Subvenções Pagas por culturas/modalidades de seguro Total 21.779 100,0 1.560.349 100,0 2.869.325.774

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO

Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO Tabela de produtos esquema de rebate 7 (Janeiro 2013) COD PRODUTO CONSIDERAR RELATORIO 90001 AVICULTURA INTEGRADA 0.10 1 90002 SUINOCULTURA INTEGRADA 0.10 1 3500 ALHO 0.30 2 11500 CEBOLA 0.30 2 21219 QUEIJOS

Leia mais

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais.

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. PA2 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. Abacaxi 8 7 6 5 4 3 2 1 199 1995 2 25 21 A produção nacional de abacaxi que vinha crescendo até 22 sofreu uma inflexão, voltou a subir

Leia mais

LISTA NACIONAL DE CULTURAS MAIORES

LISTA NACIONAL DE CULTURAS MAIORES LISTA NACIONAL DE CULTURAS MAIORES MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO MAR, DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO DIREÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E VETERINÁRIA LISTA NACIONAL DE CULTURAS MAIORES LISBOA 2012

Leia mais

Integração Lavoura-Pecuária-ILP

Integração Lavoura-Pecuária-ILP Integração Lavoura-Pecuária-ILP Evolução da Produção e da Área Plantada de Grãos - Brasil 144,1 149,0 131,8 135,1 123,2 119,1 114,7 122,5 PRODUÇÃO (milhões de t) +157,3% = 4,8% aa 100,3 96,8 68,4 68,3

Leia mais

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins)

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) 1.1 Sobre o Projeto Contratante: ABPM- Associação Brasileira de Produtores de Maçãs Objetivo: Desenvolvimento de um projeto de Análise

Leia mais

ANEXO AO REQUERIMENTO DO PEDIDO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PESQUISA / CAPTAÇÃO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

ANEXO AO REQUERIMENTO DO PEDIDO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PESQUISA / CAPTAÇÃO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ANEXO AO REQUERIMENTO DO PEDIDO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PESQUISA / CAPTAÇÃO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS I. IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social identificação fiscal nº, residência/sede

Leia mais

O HERBICIDA PARAQUATE

O HERBICIDA PARAQUATE O HERBICIDA PARAQUATE Girabis Envangelista Ramos Brasília/DF, 04 de novembro de 2015 HISTÓRICO E USO Primeiro registro:1962 na Inglaterra (ICI) Nos Estados Unidos da América: 1964 No Brasil: década de

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) Feriado Feriado Barquinha de minipão francês integral com mussarela e orégano Suco de manga Mamão com granola Soft roll

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

VPP vpp VPP Vpp Vpp vpp vpp

VPP vpp VPP Vpp Vpp vpp vpp VPP vpp VPP Vpp Vpp vpp vpp VALORES DE PRODUÇÃO PADRÃO 2007 QUINQUÉNIO [2005 2009] Gabinete de Planeamento e Politicas, Dezembro de 2011 ÍNDICE Introdução... 2 1. Princípios básicos e definições da tipologia...

Leia mais

EMENTA BERÇÁRIO E + 1 ANO 07 A 11 DE NOVEMBRO

EMENTA BERÇÁRIO E + 1 ANO 07 A 11 DE NOVEMBRO EMENTA 07 A 11 DE NOVEMBRO 11h15 Sopa de introdução Sopa de abóbora com couve coração Farinha de pau de frango Ovos mexidos com espinafres e batata areada com salada de tomate e pepino 1,3 Papa láctea

Leia mais

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida.

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. Aves SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. SOL PINTEIROS: Pintos desde o 1º dia até 3 semanas de vida. COELHOS SOL A 115: Frangos desde as 4 semanas de vida até ao abate. SOL A 120: Galinhas

Leia mais

24 de junho de 2014 Rossio a Sul do Tejo - Abrantes

24 de junho de 2014 Rossio a Sul do Tejo - Abrantes Agricultura Presente, Agricultura Presente, um Projeto com Futuro um Projecto com Futuro 24 de junho de 2014 Rossio a Sul do Tejo - Abrantes Paula Guerra 1 SUMÁRIO BREVE CARACTERIZAÇÃO DA REGIÃO CAUSAS

Leia mais

ANEXO AO REQUERIMENTO DO PEDIDO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PESQUISA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DO DOMÍNIO PÚBLICO

ANEXO AO REQUERIMENTO DO PEDIDO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PESQUISA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DO DOMÍNIO PÚBLICO ANEXO AO REQUERIMENTO DO PEDIDO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS PESQUISA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS DO DOMÍNIO PÚBLICO I. IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social identificação fiscal nº, residência/sede

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016.

Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016. Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº DE DE DE 2016. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Organização das Cooperativas Brasileiras OCB Gerência de Apoio ao Desenvolvimento em Mercados GEMERC 1. INTRODUÇÃO O agronegócio brasileiro representa

Leia mais

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Desenvolvimento de novas moléculas Registro

Leia mais

Atividades produtivas nacionais

Atividades produtivas nacionais Atividades produtivas nacionais Atividades produtivas O trabalho que cada um desenvolve na sua profissão é muito importante, pois contribui não só para a riqueza do país, mas também para o seu bem-estar.

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

TABELA DE ph DOS ALIMENTOS

TABELA DE ph DOS ALIMENTOS TABELA DE ph DOS ALIMENTOS Esta tabela não representa o ph real dos alimentos (antes de serem consumidos), representa sim algo mais importante, que é a sua capacidade de produzir "resíduos" mais ou menos

Leia mais

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS

PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS PLANTIO DIRETO NA REGIÃO CENTRO SUL DO PARANÁ: SITUAÇÃO ATUAL, PROBLEMAS E PERSPECTIVAS Lutécia Beatriz Canalli Eng. Agr., MSc Solos, Dra em Agronomia - Produção Vegetal Sistemas de produção sustentáveis

Leia mais

CARTA AGRÍCOLA DO ANO DE 2007/200 /2008 OBRA DE REGA DA CAMPINA DE IDANHA. Albufeira Marechal Carmona ELEMENTOS ESTATÍSTICOS REFERENTES A 2008

CARTA AGRÍCOLA DO ANO DE 2007/200 /2008 OBRA DE REGA DA CAMPINA DE IDANHA. Albufeira Marechal Carmona ELEMENTOS ESTATÍSTICOS REFERENTES A 2008 OBRA DE REGA DA CAMPINA DE IDANHA Albufeira Marechal Carmona CARTA AGRÍCOLA DO ANO DE 2007/200 /2008 ELEMENTOS ESTATÍSTICOS REFERENTES A 2008 1 - RESUMO TOTAL DE ÁREA BENEFICIADA (a) ÁREA DE REGA NO PERÍMETRO

Leia mais

Situação da Agricultura em Portugal

Situação da Agricultura em Portugal COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DE AGRICULTURA Direcção G. Análises económicas e avaliação G.1. Análises e concepção de conjunto Documento de trabalho DG AGRI Situação da Agricultura em Portugal PREFÁCIO

Leia mais

INSTALAÇÃO DAS CULTURAS III

INSTALAÇÃO DAS CULTURAS III AGRICULTURA GERAL I INSTALAÇÃO DAS CULTURAS III Sementeiras, (trans)plantações Textos dedicados a docência exclusivamente para circulação interna dos alunos das licenciaturas da FCUP. Sementeiras e (trans)plantações

Leia mais

Anuário Agrícola de Alqueva 2016

Anuário Agrícola de Alqueva 2016 Anuário Agrícola de Alqueva 2016 Direção de Economia da Água e Promoção do Regadio Departamento de Planeamento e Economia da Água Beja, fevereiro de 2017 Avisos legais Declaração de exoneração de responsabilidade

Leia mais

Nabos do Norte CONSOCIAÇÕES ENTRE PLANTAS HORTÍCOLAS

Nabos do Norte CONSOCIAÇÕES ENTRE PLANTAS HORTÍCOLAS Nabos do Norte CONSOCIAÇÕES ENTRE PLANTAS HORTÍCOLAS Consociação favorável entre plantas hortícolas consiste em cultivar dentro do mesmo canteiro diferentes espécies de plantas (culturas) que se complementam

Leia mais

Estudo de quantificação do total de resíduos agrícolas e vegetais em cada distrito principalmente centro/norte, de cada biomassa proveniente de podas

Estudo de quantificação do total de resíduos agrícolas e vegetais em cada distrito principalmente centro/norte, de cada biomassa proveniente de podas Estudo de quantificação do total de resíduos agrícolas e vegetais em cada distrito principalmente centro/norte, de cada biomassa proveniente de podas Projeto n.º 34001 Ibero Massa Florestal, Lda Fevereiro

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS

DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS - 2012 (AO ABRIGO DA LEI Nº 2/2004, DE 15 DE JANEIRO, COM A NOVA REDACÇÃO DADA PELA LEI Nº 51/2005, DE 30 DE AGOSTO)

Leia mais

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO

Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO Amadora Sintra ALIMENTAÇÃO no 1º ano de vida INÍCIO DA DIVERSIFICAÇÃO A diversificação pode ser iniciada após os 4 meses. Substituir uma refeição de leite por: Papa sem glúten ou caldo de legumes (antes

Leia mais

Ementa 07 a 13 Mar 2016

Ementa 07 a 13 Mar 2016 Ementa 07 a 13 Mar 2016 Segunda - 07Mar 08Mar 09Mar Curguete e cenoura Empadão (batata) de peixe. Alface, cenoura e couve-rouxa Empadão (batata) de peixe. Alface, cenoura e couve-rouxa + Pão de mistura

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 02 DE 11 DE OUTUBRO DE 2006 Estabelece valores de referência para outorga de uso de recursos hídricos em corpos de água de domínio do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

Sugestão de Cardápio da Dieta Detox para 1 Semana

Sugestão de Cardápio da Dieta Detox para 1 Semana Sugestão de Cardápio da Dieta Detox para 1 Semana Preparamos essa versão em PDF do cardápio completo da Dieta Detox para uma semana, assim você poderá imprimir e ter todo o cardápio em suas mãos, facilitando

Leia mais

Almanaque da Agricultura 2014

Almanaque da Agricultura 2014 Almanaque da Agricultura 2014 Cultura de milho nas vizinhanças da Escola Ana Couto Ana Soares Helena Ferreira Joana Ferreira Agrupamento de Escolas Trigal de Santa Maria Janeiro O que se deve semear: Semear

Leia mais

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEGURO RURAL NO BRASIL: PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SOCORRO PÚBLICO - ASPECTOS NEGATIVOS Elevado custo político Baixa eficiência econômica Elevado

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes com

Leia mais

Cardápio de Novembro 2015

Cardápio de Novembro 2015 03/nov 04/nov 05/nov 06/nov Biscoito passatempo sem recheio Maçã / thompson Suco de caju Biscoito de polvilho Suco de goiaba Biscoito leite e mel Maçã / Suco de tangerina Biscoito mini gergelim Banana

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 jan/fev 2015 26 janeiro 27 janeiro 28 janeiro 29 janeiro Bisnaga com patê de atum. Ameixa. Suco. Pão francês integral com manteiga. Banana com aveia. Leite com chocolate. Pão de mandioquinha

Leia mais

CENTROS DE RECOLHA VALORFITO

CENTROS DE RECOLHA VALORFITO CENTROS DE RECOLHA VALORFITO AGRO-AMARES, LDA R. Nossa Sra. de Fátima nº 2 4720-015 AMARES Tel.: 253 991 758 ALMEIDA SILVA & FILHOS, LDA Av. do Cruzeiro nº 26 4720-472 AMARES Tel.: 253 361 466 AMARZOO,

Leia mais

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro

Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Culturas anuais para produção de volumoso em áreas de sequeiro Henrique Antunes de Souza Fernando Lisboa Guedes Equipe: Roberto Cláudio Fernandes Franco Pompeu Leandro Oliveira Silva Rafael Gonçalves Tonucci

Leia mais

SISTEMAS REPRODUTIVOS DE PLANTAS CULTIVADAS

SISTEMAS REPRODUTIVOS DE PLANTAS CULTIVADAS SISTEMAS REPRODUTIVOS DE PLANTAS CULTIVADAS 4 I. INTRODUÇÃO O conhecimento do sistema reprodutivo das espécies a serem melhoradas é de fundamental importância para o melhorista. O tipo de reprodução é

Leia mais

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026

Rua Roque Petrella,1146 Brooklin-São Paulo SP CEP.04581-051-Telefone (11) 5533.1026 PRIMEIRO DIA Somente Frutas Suco de frutas + 1 fruta Ex. suco de laranja com morango + 1{ mamão papaia DA MANHÃ 1 copo 250 ml Suco de melão + 1 fruta (ex. 1 ameixa ) Ex. Folhas de rúcula a vontade + 4

Leia mais

A FRUTICULTURA NO PRODER. Alguns Indicadores

A FRUTICULTURA NO PRODER. Alguns Indicadores A FRUTICULTURA NO PRODER Alguns Indicadores NOTA DE ABERTURA Este documento tem como objetivo a divulgação de um conjunto de indicadores relativos ao setor da fruticultura no âmbito do Programa de Desenvolvimento

Leia mais

Sementes. Forrageiras. nature SEEDS

Sementes. Forrageiras. nature SEEDS Sementes Forrageiras nature SEEDS GRAMÍNEAS AZEVÉM ANUAL (Lolium multiflorum) Gramíneas Espécie anual ou bianual de excelente qualidade forrageira e palatabilidade. De muito rápida implantação e grande

Leia mais

Apresentação AGRIANUAL 2015

Apresentação AGRIANUAL 2015 Apresentação Em anos de eleições, os empresários costumam ficar apreensivos quanto às posições dos candidatos em relação ao segmento em que operam. Mas quem está no agronegócio não precisa ter grandes

Leia mais

Beterraba e C e n o u r a. macarrão, couve lombarda e cenoura)

Beterraba e C e n o u r a. macarrão, couve lombarda e cenoura) SEGUNDA 02-01-2012 S O P A» Sopa de Legumes 105,4 3,1 16,6 2,4» Bife de Frango Grelhado Com Esparguete e salada de Alface, Beterraba e C e n o u r a 31,9 3,0 0,9 0,3 S O B R E M E S A» Fruta da É p o c

Leia mais

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas Seminário de Avaliação de Impacto sobre as Adaptações da Agricultura Dakar, 26 a 29 de abril de 2011 Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas KLEBER SANTOS Brasília, 27 de abril de 2011

Leia mais

Menu Semanal - Berçário e 1 ano 28/8 a 1 de Setembro

Menu Semanal - Berçário e 1 ano 28/8 a 1 de Setembro 28/8 a 1 de Setembro Sopa de Introdução /1º Grupo Espinafres Massada de peixe (pescada) com cenoura ao natural Massada de peixe (pescada, abrótea e maruca) com cenoura e feijão-verde ao natural Pão com

Leia mais

IRRIGAÇÃO ENG 115. TABELA 1. Profundidade efetiva do sistema radicular (Z) de algumas culturas no estágio de máximo desenvolvimento vegetativo.

IRRIGAÇÃO ENG 115. TABELA 1. Profundidade efetiva do sistema radicular (Z) de algumas culturas no estágio de máximo desenvolvimento vegetativo. IRRIGAÇÃO ENG 115 TABELA 1. Profundidade efetiva do sistema radicular (Z) de algumas culturas no estágio de máximo desenvolvimento vegetativo. CULTURA Z (cm) CULTURA Z (cm) Abacate 60-90 Laranja 60 Abacaxi

Leia mais

Menu Semanal - Berçário e 1 ano 2 a 6 de Outubro

Menu Semanal - Berçário e 1 ano 2 a 6 de Outubro 2 a 6 de Outubro 11h15 Sopa de Introdução /1º Grupo Sopa de couve-flor com grão-de-bico Açorda de peixe (pescada) Arroz de pescada com cenoura Papa láctea Pão com queijo e banana Meio pão com composta

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2011

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2011 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2011 Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 747 CEP 80.510-040 Curitiba PR - Fone (41) 3221-7504 Internet: http://www.claspar.pr.gov.br e.mail: claspar@claspar.pr.gov.br APRESENTAÇÃO

Leia mais

EMENTA Mês: outubro/2014

EMENTA Mês: outubro/2014 EMENTA Mês: outubro/2014 1ª semana 1 - Quarta - Feira Sopa: Couve (couve, cebola, abóbora, nabo, cenoura, courgette, batata) Prato: Salada russa de peixe Salada: Alface e tomate 2 - Quinta - Feira Sopa:

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CL N o - 96 Brasília - DF, terça-feira, 21 de maio de 2013. Sumário PÁGINA Atos do Poder Executivo... 1 Presidência da República... 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento...

Leia mais

EMENTA DE 20 A 24 DE ABRIL DE 2015

EMENTA DE 20 A 24 DE ABRIL DE 2015 20 de abril de 2015 21 de abril de 2015 22 de abril de 2015 23 de abril de 2015 24 de abril de 2015 EMENTA DE 20 A 24 DE ABRIL DE 2015 Sopa de espinafres Empadão de atum com arroz Salada de alface verde,

Leia mais

As maravilhosas delícias da nossa cozinha ficam ainda melhor com você.

As maravilhosas delícias da nossa cozinha ficam ainda melhor com você. As maravilhosas delícias da nossa cozinha ficam ainda melhor com você. LANCHES R$ R$ c/fritas Xis Salada... (Pão, hambúrguer, presunto, ovo, queijo, maionese, milho, ervilha, tomate e alface) Xis Acebolado...

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006

Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006 Estudo Para Subsidiar a Proposta de Resolução de Santa Catarina ao CONAMA relativa à Lei 11.428 / 2006 1 - Introdução e Objetivos O presente estudo foi elaborado pela EPAGRI/CIRAM com base na proposta

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL P. M. DE SAO JOSE DO HORTENCIO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL P. M. DE SAO JOSE DO HORTENCIO Licitação:PREGÃO PRESENCIAL Nro:6/2015 01a Via Pagina:1 Fornecedor: Data:07/07/2015 Endereço: Bairro: CNPJ: IE: Municipio: CEP: Telefone: Fax: 1 1,00 UN LOTE 01 - PÃES E PERECÍVEIS 2 1050,00 UN PÃO FRANCÊS

Leia mais

A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses

A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses Início da Diversificação A diversificação não deve ser iniciada antes dos 4 meses nem depois dos 6 meses Substituir uma refeição de leite por: Papa sem glúten ou sopa de legumes (antes dos 6 meses) Papa

Leia mais

Cantina Hora do Lanche CARDÁPIO NOVEMBRO 2015

Cantina Hora do Lanche CARDÁPIO NOVEMBRO 2015 Cantina Hora do Lanche CARDÁPIO NOVEMBRO 2015 1 a SEMANA: 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 de Presunto e queijo Pão de Forma c/ queijo e tomate Manga picada Bolo de chocolate recheado Bolacha Salgada Salada

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 JULHO DE 30/07/2015 A 31/07/2015 2º Feira 3º Feira 4º Feira 5º Feira 30/07/2015 31/07/2015 Lanche da manhã Maçã Banana Arroz, Feijão Preto, Espaguete, carne coxinha da asa moída, molho de Almoço assada,

Leia mais

Comer sopa faz crescer e dá força para vencer!

Comer sopa faz crescer e dá força para vencer! Legumes (Batata, abóbora, alho Francês, cenoura e nabo) Jardineira (carnes de porco, frango e vaca estufadas, ervilhas e cenoura) 337 33 18 14 3 Fruta da época (maçã, pêra, laranja) Alface / Beterraba

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Castro Daire Almanaque 2014 Realizado pelos alunos Clube Eco - Escolas

Agrupamento de Escolas de Castro Daire Almanaque 2014 Realizado pelos alunos Clube Eco - Escolas Agrupamento de Escolas de Castro Daire Vira a página e fica a conhecer-nos melhor! Almanaque 2014 Realizado pelos alunos Clube Eco - Escolas 1 de Janeiro - Dia de Ano Novo 6 de Janeiro - Dia dos Reis

Leia mais

seg 27/02/2017 ter 28/02/2017 qua 01/03/2017 qui 02/03/2017 sex 03/03/2017 sáb 04/03/2017 dom 05/03/2017

seg 27/02/2017 ter 28/02/2017 qua 01/03/2017 qui 02/03/2017 sex 03/03/2017 sáb 04/03/2017 dom 05/03/2017 seg 27/02/2017 ter 28/02/2017 qua 01/03/2017 qui 02/03/2017 sex 03/03/2017 sáb 04/03/2017 dom 05/03/2017 ARROZ BRANCO ARROZ BRANCO FEIJAO FEIJAO BIFE NA CHAPA SOBRECOXA ASSADA MASSA ESPAGUETE NA POLENTA

Leia mais

DSTAR. Divisão de Diversificação da Atividade Agrícola, Formação e Associativismo. Norma orientadora nº13/2013

DSTAR. Divisão de Diversificação da Atividade Agrícola, Formação e Associativismo. Norma orientadora nº13/2013 DSTAR Divisão de Diversificação da Atividade Agrícola, Formação e Associativismo Norma orientadora nº13/2013 Assunto: Criação de cursos de formação em Proteção Integrada, Produção Integrada e Agricultura

Leia mais

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde.

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde. Nutrição O alimento como aliado da sua saúde. alimentação saúdavel Alimentação saúdavel e cuidados nutricionais são importantes em todas as fases da vida e devem ser tratados com distinção em cada período.

Leia mais

Acidez do solo e calagem. Prof. Dr. Gustavo Brunetto DS-UFSM brunetto.gustavo@gmail.com

Acidez do solo e calagem. Prof. Dr. Gustavo Brunetto DS-UFSM brunetto.gustavo@gmail.com Acidez do solo e calagem Prof. Dr. Gustavo Brunetto DS-UFSM brunetto.gustavo@gmail.com Aula 2: Parte 1 - Acidez do Solo Acidez do solo. Significado da acidez do solo - Efeito direto e indireto. Tipos de

Leia mais

Sanduíches. de pão folha. Tapioca ecrepe Doce. Tapioca, Crepe e Omelete. Tradicionais. pão francês. Lanches

Sanduíches. de pão folha. Tapioca ecrepe Doce. Tapioca, Crepe e Omelete. Tradicionais. pão francês. Lanches Cardápio Tapioca, Crepe e Omelete Tapioca ecrepe Doce Tradicional - Presunto, queijo e tomate picado { R$15 } Pizza - Queijo, tomate picado e orégano { R$ 15 } Frango - Frango, pasta de ricota ou catupiry

Leia mais

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - IPARDES CURITIBA Setembro 2015 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ CARLOS ALBERTO RICHA - Governador SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL SILVIO MAGALHÃES BARROS - Secretário INSTITUTO PARANAENSE DE

Leia mais

O que é uma empresa rural?

O que é uma empresa rural? Contabilidade Rural Prof. João Marcelo O que é uma empresa rural? É aquela que explora a capacidade produtiva do solo por meio do cultivo da terra, da criação de animais e da transformação de determinados

Leia mais

LANCHES. Xis Salada... (Pão, hambúrguer, presunto, ovo, queijo, maionese, milho, ervilha, tomate e alface)

LANCHES. Xis Salada... (Pão, hambúrguer, presunto, ovo, queijo, maionese, milho, ervilha, tomate e alface) LANCHES R$ R$ c/fritas Xis Salada... (Pão, hambúrguer, presunto, ovo, queijo, maionese, milho, ervilha, tomate e alface) Xis Acebolado... (Pão, hambúrguer acebolado, presunto, ovo, queijo, maionese, milho,

Leia mais