PORTUGAL AS PRINCIPAIS LIGAÇÕES RODOVIÁRIAS NO CONTEXTO EUROPEU

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTUGAL AS PRINCIPAIS LIGAÇÕES RODOVIÁRIAS NO CONTEXTO EUROPEU"

Transcrição

1 PORTUGAL AS PRINCIPAIS LIGAÇÕES RODOVIÁRIAS NO CONTEXTO EUROPEU João Carvalho Santiago de Chile, 28 a 31 de outubro de 2014 Reunião DIRCAIBEA

2 Portugal na Europa Localização periférica Charneira entre o continente Europeu e o Oceano Atlântico Posicionamento geoestratégico nos fluxos internacionais de mercadorias e passageiros Alguns dados sobre Portugal: Área: km2 (Ilhas: km2) População: 10,5 Milhões (Ilhas: 0,5 Milhões)

3 Setor Rodoviário em Portugal Modelo de Organização e Financiamento Estado Concedente AMT IMT, IP Plano Rodoviário Nacional Contratualização Rede Rodoviária Nacional Concessionada (100%) Estradas de Portugal, SA Concessões com portagem Sub-Concessões 3

4 Setor Rodoviário em Portugal Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) Missão: Assegurar uma regulação orientada para a cidadania, na perspetiva transgeracional, de desenvolvimento sustentável. Funções: Regulação económica; Supervisão; Defesa da concorrência. Caraterísticas: Autonomia administrativa, financeira e de gestão; Independência orgânica, funcional e técnica Poderes de regulação, supervisão, fiscalização e sancionatórios. Instituto da Mobilidade e dos Transportes, IP (IMT,IP) Missão: Satisfazer as necessidades de mobilidade de pessoas e bens. Funções: Regulamentação técnica; Planeamento; Coordenação; Licenciamento; Fiscalização; Gestão de contratos de concessão; Caraterísticas: Administração indireta do Estado; Autonomia administrativa e financeira.

5 Plano Rodoviário Nacional (PRN 2000) PRN 2000: km Extensão total prevista Rede Fundamental % realização IP % IC % EN % ER % Rede Complementar Estradas Regionais Extensão em exploração km Densidade: 0,16 km/km2 1,43 km/103 hab PRN IP IC EN ER

6 Rede Nacional de Autoestradas (RNA) Extensão km 20% da Rede Rodoviária Nacional Evolução da RNA (Km) AE até

7 Acessibilidade da população aos nós de autoestradas Tempo de acesso ao nó de AE mais próximo População (min) (%) % % % % %

8 Rede Transeuropeia de Transportes Componente Rodoviária Composta por autoestradas e estradas de alta qualidade, sendo completada por ligações novas ou renovadas; Garante aos utentes um nível e serviço, conforto e segurança elevado, homogéneo e constante. Fonte:

9 Rede Transeuropeia de Transportes Componente Rodoviária Rede Principal (Core Network): corresponde aos eixos e nós estratégicos para o transporte no mercado interno e entre a UE, os seus vizinhos e outras regiões; Rede Global (Comprehensive Network): assegura a acessibilidade, alimenta a Rede Principal e contribui para a coesão interna da União Europeia e para a materialização do mercado interno. Fonte:

10 Rede Transeuropeia de Transportes Componente Rodoviária Extensão em serviço 2700 km Autoestradas 75% Concretização superior a 90% Rede Principal 900 km Rede Principal - mais de 90% são autoestradas

11 Isócronas aos Principais Portos Percurso Duração* (min) Porto de Aveiro Fronteira de Vilar Formoso 127 Porto de Aveiro Fronteira de Valença 123 Porto de Aveiro Fronteira de V.V. da Raia 150 Porto de Leixões Fronteira de Valença 78 Porto de Leixões Fronteira de V.V. da Raia 107 Porto de Leixões Fronteira de Vilar Formoso 154 Porto de Lisboa Fronteira do Caia 146 Porto de Setúbal Fronteira do Caia 125 Porto de Sines Fronteira de V.V. de Ficalho 156 Porto de Sines Fronteira de Monte Francisco 171 Porto de Sines Fronteira do Caia 173 * Duração da viagem em veículo pesado

12 Qualidade da Rede Rodoviária Ranking Mundial 6,6 6,5 6,4 6,3 6,2 6,1 6 5,9 5,8 Ranking Europeu Emiratos Portugal Árabes Unidos Áustria França Holanda Singapura 6,3 6,2 6,1 6 5,9 5,8 5,7 Portugal Fonte: World Economic Forúm The Global Competitiveness Report Áustria França Holanda Suiça Espanha

13 Empresas Portuguesas na América Latina Know-how das Empresas Portuguesas no setor rodoviário Internacionalização Principais Mercados África América Latina

14 Empresas Portuguesas na América Latina Na América Latina destacam-se dois grandes grupos portugueses:(1) Mota-Engil com contratos no Brasil, México e Perú; Teixeira Duarte com contratos no Brasil e na Venezuela. Para além destas exercem atividade 54 empresas portuguesas de engenharia, das quais 42 envolvem atividade no Brasil e 28 têm registo de atividades nos outros países.(2) fonte: (1) Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas (2) Associação Portuguesa de Projetistas e Consultores

15 MUITO OBRIGADO João Carvalho

Oferta de Infraestruturas Rodoviárias. Conferência sobre Multimodalidade na Área Metropolitana do Porto

Oferta de Infraestruturas Rodoviárias. Conferência sobre Multimodalidade na Área Metropolitana do Porto Oferta de Infraestruturas Rodoviárias Conferência sobre Multimodalidade na Área Metropolitana do Porto José Serrano Gordo Vice Presidente da EP-Estradas de Portugal, SA Hotel Tiara Porto ISEL, 14 de Novembro

Leia mais

Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas. Horizonte 2014-2020

Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas. Horizonte 2014-2020 Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas Horizonte 2014-2020 Consensualização de Prioridades O Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado apresentou o seu relatório

Leia mais

Uma rede que nos une

Uma rede que nos une Uma rede que nos une Uma rede que nos une O IMTT - Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P. é um organismo da Administração Central, dotado de autonomia administrativa e financeira,

Leia mais

Discurso do Encontro Ministerial sobre Infraestruturas entre China e PLP

Discurso do Encontro Ministerial sobre Infraestruturas entre China e PLP Discurso do Encontro Ministerial sobre Infraestruturas entre China e PLP Senhores Ministros, É com grande satisfação que venho ouvir as políticas de investimento internacional, a nível das infraestruturas,

Leia mais

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO INTERMODAL 9 DE NOVEMBRO DE 2015

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO INTERMODAL 9 DE NOVEMBRO DE 2015 NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ENQUADRAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO DA REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES E DO MECANISMO INTERLIGAR A EUROPA JOSÉ VALLE / CEETVC ORIENTAÇÕES BASE DO PROGRAMA DA CEETVC PARA O

Leia mais

Fernando Nunes da Silva Professor de Urbanismo e Transportes no IST. Câmara Municipal de Sines Maio 2008. 2008 - Prof. Fernando Nunes da Silva

Fernando Nunes da Silva Professor de Urbanismo e Transportes no IST. Câmara Municipal de Sines Maio 2008. 2008 - Prof. Fernando Nunes da Silva Fernando Nunes da Silva Professor de Urbanismo e Transportes no IST Câmara Municipal de Sines Maio 2008 PDM de Sines Sistema de Transportes e Acessibilidades DESENVOLVIMENTO REGIONAL / NACIONAL População

Leia mais

O Projecto de Alta Velocidade em Portugal. Lisboa, 17 de Novembro de 2008

O Projecto de Alta Velocidade em Portugal. Lisboa, 17 de Novembro de 2008 O Projecto de Alta Velocidade em Portugal Lisboa, 17 de Novembro de 2008 Sinopse Histórica Sinopse Histórica Dez/2000 Criação da RAVE Jan/2001 Criação do AVEP Jun/2002 Início dos Estudos de Viabilidade

Leia mais

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE Enquadramento Comunitário e Nacional Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes, rumo a um sistema de transportes

Leia mais

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE Rodoviária Ferroviária De Aeroportos De Portos De Energia Uma distribuição desigual Uma rede melhorada Segura

Leia mais

Mobilidade e Transportes

Mobilidade e Transportes Sistema de mobilidade e transportes no Município do Seixal MODO FERROVIÁRIO REDE CONVENCIONAL - 15,8 km eixo ferroviário norte/sul transportes de passageiros ramal da siderurgia nacional transporte de

Leia mais

Importância geoestratégica de Portugal

Importância geoestratégica de Portugal GRANDE REPORTAGEM CLUBE EUROPEU AEVILELA Importância geoestratégica de Portugal PORTO DE SINES Porta ideal de entrada num conjunto de mercados CIDADE DA HORTA Telegraph Construction and Maintenance Company

Leia mais

Parceria Público-Privada em Portugal O caso das estradas sem portagem (SCUTs) Rio de Janeiro. 13/Novembro/2003 1

Parceria Público-Privada em Portugal O caso das estradas sem portagem (SCUTs) Rio de Janeiro. 13/Novembro/2003 1 Parceria Público-Privada em Portugal O caso das estradas sem portagem (SCUTs) Rio de Janeiro 13/Novembro/2003 1 A Conjuntura Crescimento económico do país Construção de estradas Aceleração do ritmo de

Leia mais

REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR ATLÂNTICO

REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR ATLÂNTICO REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES E CORREDOR ATLÂNTICO 2015-06-18 José Cruz Técnico Superior Enquadramento Regulamento (UE) Nº 1315/2013, do Parlamento Europeu e do Conselho de 11 de dezembro de 2013,

Leia mais

Enquadramento legal para a contratualização e concessão de serviços de transporte Panorama Nacional

Enquadramento legal para a contratualização e concessão de serviços de transporte Panorama Nacional Enquadramento legal para a contratualização e concessão de serviços de transporte Panorama Nacional Workshop CONTRATUALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE: COMPETÊNCIAS, MODELOS DE CONCESSÃO E EXEMPLOS Almada,

Leia mais

I Jornadas Galiza-Norte de Portugal Deficiência Motora e Inclusão Social Caminha, 6.Maio.2005

I Jornadas Galiza-Norte de Portugal Deficiência Motora e Inclusão Social Caminha, 6.Maio.2005 I Jornadas Galiza-Norte de Portugal Deficiência Motora e Inclusão Social Caminha, 6.Maio.2005 Nuno Miguel Ferreira CCDR-N, Comunidade de Trabalho Galiza-Norte de Portugal Localização Geográfica Galiza

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

Em Crise Profunda no Mercado Interno. Em Expansão Acelerada nos Mercados Externos

Em Crise Profunda no Mercado Interno. Em Expansão Acelerada nos Mercados Externos 2ª JORNADAS DA ESPECIALIZAÇÃO EM DIREÇÃO E GESTÃO DA CONSTRUÇÃO ENGENHARIA CIVIL OS NOVOS DESAFIOS O PAPEL DA CONSTRUÇÃO NO FUTURO Índice: Onde Estamos Europa 2020 e Crescimento da Construção em Portugal

Leia mais

A opção por um modo de transporte é fortemente condicionada pelo seu custo.

A opção por um modo de transporte é fortemente condicionada pelo seu custo. CONCEITOS BÁSICOS: MODO DE TRANSPORTE Tipo de veículo utilizado para a deslocação de pessoas e mercadorias. DISTÂNCIAS RELATIVA Distância entre dois lugares, em função de factores sujeitos a variação,

Leia mais

LOGÍSTICA EM PORTUGAL

LOGÍSTICA EM PORTUGAL LOGÍSTICA EM PORTUGAL 1 LOGÍSTICA EM PORTUGAL SUMÁRIO EXECUTIVO LOGÍSTICA EM PORTUGAL 2 LOGÍSTICA EM PORTUGAL INTRODUÇÃO CONTEXTO ATUAL 4 OBJETIVO 5 PRESSUPOSTOS ORIENTADORES 6 LOGÍSTICA EM PORTUGAL CONTEXTO

Leia mais

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA 09 DE NOVEMBRO DE 2015/ CARLOS MATIAS RAMOS

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA 09 DE NOVEMBRO DE 2015/ CARLOS MATIAS RAMOS OE, 9 de novembro de 2015 Temas a abordar A Estratégia Europeia Objectivos da UE Objetivos da UE: Redução das emissões de GEE até 2050 em 80 a 95% dos valores de1990 Modos de transporte. Eficiência energética

Leia mais

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Novas Oportunidades para o Financiamento de Investimento Público e Empresarial no âmbito do QREN --- Sines 11 de Março de 2008 A Agenda Operacional para a Valorização do Território é uma estratégia de

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA A PLATAFORMA LOGÍSTICA DO POCEIRÃO

MUNICÍPIO DE PALMELA A PLATAFORMA LOGÍSTICA DO POCEIRÃO A EUROACE E A LIGAÇÃO FERROVIÁRIA DE MERCADORIAS SINES CAIA MADRID PARIS MUNICÍPIO DE PALMELA A ATAFORMA LOGÍSTICA DO POCEIRÃO INTERMODALIDADE E A LOGÍSTICA NO CORREDOR SINES/SETÚBAL/LISBOA; CAIA; MADRID

Leia mais

Índice PORTUGAL - BREVE CARATERIZAÇÃO A CIP ATIVIDADE ASSOCIADOS ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS

Índice PORTUGAL - BREVE CARATERIZAÇÃO A CIP ATIVIDADE ASSOCIADOS ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS Índice PORTUGAL - BREVE CARATERIZAÇÃO A CIP ATIVIDADE ASSOCIADOS ORGANIZAÇÃO E CONTACTOS Portugal Breve caraterização Portugal Caraterização geral Inserido na União Europeia desde 1986, Portugal é o país

Leia mais

A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças

A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças Margarida Roxo mroxo@imt-ip.pt Águeda, Seminário Os novos desafios dos Transportes e Mobilidade e a Mobilidade Suave

Leia mais

MOBILIDADE DE MERCADORIAS - RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA)

MOBILIDADE DE MERCADORIAS - RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA) MOBILIDADE DE MERCADORIAS - RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA) Vigo, 1 de março de 2012 José António de Barros Presidente de AEP 0 Alguns dados sobre o sector europeu dos transportes Representa

Leia mais

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA 2 PROGRAMA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA A Portugal Ventures, Caixa Capital e Mota-Engil Industria e Inovação celebraram um acordo para a concretização de um Programa, designado

Leia mais

A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças

A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças A nova governação do serviço público de transportes de passageiros principais mudanças Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 2º Workshop Vila Real 19 de novembro de 2014 Agenda O quadro legal -

Leia mais

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão A Cidade Logística Plataforma Logística do Poceirão Póvoa de Santa Iria, 03 de Dezembro 2009 1 1. Apresentação Integrado na rede de plataformas nacionais definida pelo Portugal Logístico será desenvolvido

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

PERSPECTIVAS DAS CONCESSÕES RODOVIÁRIAS NA AMÉRICA LATINA: OS CASOS DO CHILE, COLÔMBIA E PERU

PERSPECTIVAS DAS CONCESSÕES RODOVIÁRIAS NA AMÉRICA LATINA: OS CASOS DO CHILE, COLÔMBIA E PERU PERSPECTIVAS DAS CONCESSÕES RODOVIÁRIAS NA AMÉRICA LATINA: OS CASOS DO CHILE, COLÔMBIA E PERU S E T E M B R O 2 0 1 5 9 o Congresso Brasileiro de Rodovias & Concessões 9 o Exposição Internacional de Produtos

Leia mais

Que políticas de transportes

Que políticas de transportes Que políticas de transportes 8º ciclo de seminários - Transportes e negócios J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa) Professor Universitário e Consultor Aeroportos

Leia mais

Casa da América Latina. Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.E.M.

Casa da América Latina. Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.E.M. Casa da América Latina Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.E.M. 2013.04.18 Lisboa, Portugal A Cidade de Lisboa A Cidade de Lisboa População : 500.000 habitantes; 2 milhões

Leia mais

ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil

ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil Sistema Ferroviário: Estagnação ou Desenvolvimento? Alberto Castanho Ribeiro Porto, 21 de Maio de 2011 Estrutura 1. Evolução do Caminho de Ferro 2. Desafios

Leia mais

O Projecto de Alta Velocidade e o Desenvolvimento Regional

O Projecto de Alta Velocidade e o Desenvolvimento Regional O Projecto de Alta Velocidade e o Desenvolvimento Regional Ordem dos Engenheiros, FEUP, 30 de Junho de 2008 Mário Rui Silva Faculdade de Economia do Porto 1. Os Pressupostos da Análise Caracterização do

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL

ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.12.2013 COM(2013) 913 final ANNEX 1 ANEXO UM CONCEITO PARA OS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL da COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ

Leia mais

ORDEM DOS ECONOMISTAS 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS. Carlos Correia da Fonseca, Ordem dos Economistas, Out 2011 1

ORDEM DOS ECONOMISTAS 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS. Carlos Correia da Fonseca, Ordem dos Economistas, Out 2011 1 ORDEM DOS ECONOMISTAS 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS Carlos Correia da Fonseca, Ordem dos Economistas, Out 2011 1 Tema da comunicação: Transportes, economia de transportes, políticas de transportes

Leia mais

Editor: Instituto da Mobilidade e dos Transportes, IP (IMT, IP) Av. das Forças Armadas, 40. Direção de Planeamento (DPL): Isabel da Silveira Botelho

Editor: Instituto da Mobilidade e dos Transportes, IP (IMT, IP) Av. das Forças Armadas, 40. Direção de Planeamento (DPL): Isabel da Silveira Botelho FICHA TÉCNICA Título: Relatório de Monitorização da Rede Rodoviária Nacional - - 2012 e 2013 Editor: Instituto da Mobilidade e dos Transportes, IP (IMT, IP) Av. das Forças Armadas, 40 1649-022 LISBOA Tel.:

Leia mais

Segurança nos transportes Rodoviários

Segurança nos transportes Rodoviários TÍTULO DA APRESENTAÇÃO Segurança nos transportes Rodoviários TÍTULO DA APRESENTAÇÃO MISSÃO Promoção da melhoria das condições de trabalho MISSÃO da ACT A FUNÇÃO INSPECÇÃO DO TRABALHO TÍTULO DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

A Plataforma Logística de Leixões. uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado

A Plataforma Logística de Leixões. uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado A Plataforma Logística de Leixões uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado Junho de 2008 O TERRITÓRIO - A fachada Atlântica O TERRITÓRIO - O Norte e o Centro de Portugal Valença Chaves

Leia mais

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA 2 PROGRAMA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA A Mota-Engil Indústria e Inovação e a Caixa Capital celebraram um acordo para a concretização de um Programa, designado Internacionalizar

Leia mais

O Futuro do Transporte de Mercadorias

O Futuro do Transporte de Mercadorias O Futuro do Transporte de Mercadorias A diminuição dos custos de transacção na economia portuguesa é fundamental para o aumento de nossa competitividade. Tal diminuição joga-se fundamentalmente no transporte

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

I FÓRUM IBÉRICO DE LOGÍSTICA

I FÓRUM IBÉRICO DE LOGÍSTICA I FÓRUM IBÉRICO DE LOGÍSTICA Cada vez mais, o transporte de mercadorias com a deslocalização dos centros de produção para longe dos centros de consumo, assume um carácter transnacional, da mesma forma,

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Quem somos TIS A TIS tem como missão a geração de valor na área da mobilidade e transportes para os seus clientes e acionistas, baseado em soluções sustentáveis do ponto de vista

Leia mais

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo LISBOA DE GEOGRAFIA VARIÁVEL... Perspectiva administrativa: Área Metropolitana de

Leia mais

População estrangeira em Portugal modera crescimento

População estrangeira em Portugal modera crescimento As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto População estrangeira em Portugal modera crescimento Em 2002, a população estrangeira com a situação regularizada, estatuto de residente

Leia mais

19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA

19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA 19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA 534 Conclusões da Discussão Pública A Discussão Pública B Análise Preliminar à Alocação de Fundos Comunitários A Discussão Pública Discussão Pública Metodologia

Leia mais

O novo paradigma de rede ferroviária nacional Plano de Investimentos 2014-2020

O novo paradigma de rede ferroviária nacional Plano de Investimentos 2014-2020 O novo paradigma de rede ferroviária nacional Plano de Investimentos 2014-2020 Seminário T&N Transporte Ferroviário Hotel Crowne Plaza Porto 01 de outubro de 2015 Carlos Correia Diretor do Departamento

Leia mais

Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª. Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais. Exposição de motivos

Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª. Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais. Exposição de motivos Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais Exposição de motivos Os portos comerciais do sistema portuário nacional têm

Leia mais

APOIO ESPECIALIZADO ÀS EMPRESAS DO SETOR DO TURISMO UMA NOVA PERSPETIVA UMA NOVA ABORDAGEM

APOIO ESPECIALIZADO ÀS EMPRESAS DO SETOR DO TURISMO UMA NOVA PERSPETIVA UMA NOVA ABORDAGEM DO SETOR DO TURISMO UMA NOVA PERSPETIVA UMA NOVA ABORDAGEM PORQUÊ A CRIAÇÃO DESTA EQUIPA? Necessidade de prestar ao empresário expertise em todas as vertentes da cadeia de valor Melhor adequação dos projetos/produtos

Leia mais

A Evolução das Acessibilidades em Portugal e as suas Repercussões na Organização do Território

A Evolução das Acessibilidades em Portugal e as suas Repercussões na Organização do Território A Evolução das Acessibilidades em Portugal e as suas Repercussões na Organização do Território João FIGUEIRA DE SOUSA e-geo Centro de Estudos de Geografia e Planeamento Regional j.fsousa@fcsh.unl.pt André

Leia mais

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Implantação do Programa Visa Waiver 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Chegadas internacionais Brasil XAmérica Latina Turistas internacionais (milhões)

Leia mais

REDE DE MERCADORIAS E ALTA VELOCIDADE

REDE DE MERCADORIAS E ALTA VELOCIDADE REDE DE MERCADORIAS E ALTA VELOCIDADE Com a criação da CEE, as trocas comerciais entre membros sofreram enormes aumentos de tráfego, tendo as empresas a oportunidade de aceder a um mercado muito mais vasto.

Leia mais

ACESSIBILIDADES E LOGÍSTICA NA REGIÃO DO NORTE 3 DE SETEMBRO DE 2013 PORTO

ACESSIBILIDADES E LOGÍSTICA NA REGIÃO DO NORTE 3 DE SETEMBRO DE 2013 PORTO ACESSIBILIDADES E LOGÍSTICA NA REGIÃO DO NORTE 3 DE SETEMBRO DE 2013 PORTO Estratégia Europa 2020: Prioridades, Iniciativas e Metas Prioridades Crescimento inteligente: Desenvolver uma economia baseada

Leia mais

Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido

Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido MEMO/08/79 Bruxelas, 8 de Fevereiro de 2008 Cooperação Territorial Transnacional: Irlanda - Espanha - França - Portugal - Reino Unido 1. O Programa Operacional de Cooperação Transnacional Espaço Atlântico

Leia mais

Projecto Engenharia 2020 - Tecnologia e Inovação. Grupo de Trabalho Cidades Inteligentes

Projecto Engenharia 2020 - Tecnologia e Inovação. Grupo de Trabalho Cidades Inteligentes Projecto Engenharia 2020 - Tecnologia e Inovação Grupo de Trabalho Cidades Inteligentes Proposta de funcionamento e objectivos do Grupo Trabalho Oportunidades Projectos e propostas LNEC 30 Maio 2013 Grupos

Leia mais

A FERROVIA E A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS

A FERROVIA E A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS ADFERSIT 2011 A FERROVIA E A COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS Eng.º António de Melo Pires Diretor Geral da Volkswagen Autoeuropa 21 de junho de 2011 1 Agenda 1. O papel dos transportes na competitividade das

Leia mais

Plano Estratégico de Transportes. Linhas orientadoras- Horizonte 2011-2015

Plano Estratégico de Transportes. Linhas orientadoras- Horizonte 2011-2015 Plano Estratégico de Transportes Linhas orientadoras- Horizonte 2011-2015 Princípios Orientadores Cumprir os compromissos Portugal tem de cumprir os compromissos assumidos. Quer externamente no âmbito

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO 21-4-2015 UNIÃO EUROPEIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Fundos Europeus Estruturais e de Investimento Índice A. Madeira 14-20 Instrumentos de Apoio ao tecido empresarial.

Leia mais

ALGARVE. CONJUNTURA Mobilidade e Transportes. 2º Trimestre de 2013 ÍNDICE. - Transporte aéreo. - Transporte fluvial / marítimo

ALGARVE. CONJUNTURA Mobilidade e Transportes. 2º Trimestre de 2013 ÍNDICE. - Transporte aéreo. - Transporte fluvial / marítimo ÍNDICE - Transporte aéreo - Transporte fluvial / marítimo - Transporte ferroviário - Transporte rodoviário Tráfegos Médios Diários Transporte colectivo de passageiros Informação reportada a 3 de Junho

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira)

PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira) PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira) Comissão Arco Atlântico Eduardo Borges Pires, Director de Estudos e Estratégia Sines, 11 de Março de 2011 Procura Transporte

Leia mais

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades.

A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. 1. As cidades A maioria da população mundial, europeia e nacional vive hoje em cidades. Na União Europeia, mais de 2/3 da população vive em áreas urbanas e 67% do Produto Interno Bruto (PIB) europeu é

Leia mais

A intermodalidade e o transporte marítimo

A intermodalidade e o transporte marítimo Ana Paula Vitorino Secretária de Estado dos Transportes A intermodalidade e o transporte marítimo 27 A dinâmica da política de transportes, global e europeia, e a posição geoestratégica de Portugal justificam

Leia mais

CONFERÊNCIA FERROVIA, LOGÍSTICA E COMPETITIVIDADE NO CENÁRIO PÓS TGV

CONFERÊNCIA FERROVIA, LOGÍSTICA E COMPETITIVIDADE NO CENÁRIO PÓS TGV CONFERÊNCIA FERROVIA, LOGÍSTICA E COMPETITIVIDADE NO CENÁRIO PÓS TGV 15 de maio de 2012 Luís Cabral da Silva 1 1 A energia de que necessitamos (mas não temos) 2 Vantagens energética, económica e ambiental

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Exposição de motivos Existiam 216 milhões de passageiros de carros na UE a 25 em 2004, tendo o número

Leia mais

Os desafios de competitividade dos portos portugueses J. Augusto Felício. Florianópolis Brasil

Os desafios de competitividade dos portos portugueses J. Augusto Felício. Florianópolis Brasil Os desafios de competitividade dos portos portugueses J. Augusto Felício Florianópolis Brasil Florianópolis Brasil 2 a 4 de Dezembro de 2015 Os desafios de competitividade dos portos portugueses Os desafios

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NACIONAIS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE SUSTENTÁVEL (FUNDO COESÃO)

REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NACIONAIS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE SUSTENTÁVEL (FUNDO COESÃO) CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO I REDES E EQUIPAMENTOS ESTRUTURANTES NACIONAIS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE SUSTENTÁVEL (FUNDO COESÃO) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO REDES E EQUIPAMENTOS

Leia mais

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR Jorge Jacob Agenda: 1 Sinistralidade Rodoviária um flagelo mundial 2 Organização Mundial MACRO 3 WHO The Decade of Action for Road Safety 4 OCDE/ITF - IRTAD 5 UE/Comissão Europeia 6 Portugal: 6.1 Situação

Leia mais

Projeto Healthy n Portugal. O Turismo de Saúde e Bem-Estar associa-se, assim, a novos tipos de valências, com crescente demanda nos nossos dias.

Projeto Healthy n Portugal. O Turismo de Saúde e Bem-Estar associa-se, assim, a novos tipos de valências, com crescente demanda nos nossos dias. INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO FERREIRA DE BARROS, NA SESSÃO DE LANÇAMENTO DO PROJETO HEALTHY N PORTUGAL, SOB O TEMA «EXPANSÃO DO MERCADO DOS CUIDADOS

Leia mais

Seminario de Difusión do Anuario Estatístico Galicia Norte de Portugal 2010. A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal

Seminario de Difusión do Anuario Estatístico Galicia Norte de Portugal 2010. A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal Eduardo Pereira (CCDRN) Santiago de Compostela 13 de Dezembro de 2010 Galicia Norte de Portugal: uma grande região europeia transfronteiriça

Leia mais

ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL, SA

ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL, SA ANA AEROPORTOS DE PORTUGAL, SA 8º CICLO DE SEMINÁRIOS TRANSPORTES & NEGÓCIOS O PAPEL DO SISTEMA AEROPORTUÁRIO NAS SOLUÇÕES LOGÍSTICAS Outubro 2006 Preâmbulo Atendendo ao modelo económico de desenvolvimento

Leia mais

Novo Regime Jurídico do serviço público de transporte de passageiros

Novo Regime Jurídico do serviço público de transporte de passageiros Novo Regime Jurídico do serviço público de transporte de passageiros Isabel Seabra icseabra@imt-ip.pt Braga, 2 de Outubro de 2014 Seminário Mobilidade, Comunidade Intermunicipal do Cávado Agenda O quadro

Leia mais

Madeira: Global Solutions for Wise Investments

Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments O Centro Internacional de Negócios da Madeira Lisboa, 20 de Abril de 2010 Índice 1. Fundamentos do CINM 2.

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas.

A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas. I. O Promotor A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas. A Conceito Original pretende pois afirmar-se

Leia mais

O futuro do sector ferroviário nacional

O futuro do sector ferroviário nacional O futuro do sector ferroviário nacional \\ O papel do modo ferroviário no sistema integrado de transportes VÍTOR MARTINS DA SILVA Vice-presidente vsilva@adfersit.pt \\ Seminário Fernave: Transporte: uma

Leia mais

Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa

Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa QUIDGEST Q-DAY: INOVAÇÃO CONTRA A CRISE Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa André Magrinho TAGUSPARK: 09 de Setembro 2009 SUMÁRIO 1. Globalização

Leia mais

O Concelho de Beja. Localização

O Concelho de Beja. Localização O Concelho de Beja Localização Beja, capital de distrito, situa-se na região do Baixo Alentejo, no coração da vasta planície alentejana. É sede de um dos maiores concelhos de Portugal, com cerca de 1150

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 Lisboa, 26 de Novembro 2009 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 2. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 3. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO 4. DOUTORAMENTO EM MEIO EMPRESARIAL 5. OPEN

Leia mais

Como universalizar o acesso à internet e incluir a população de baixa renda. 41º Encontro Tele.Síntese 2015 10.06.2015

Como universalizar o acesso à internet e incluir a população de baixa renda. 41º Encontro Tele.Síntese 2015 10.06.2015 Como universalizar o acesso à internet e incluir a população de baixa renda 41º Encontro Tele.Síntese 2015 10.06.2015 Telefonica acredita que a universalização da Internet precisa de soluções que abrangem

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes 1 Pressupostos e condicionantes Estratégia de Mobilidade nacional para o transporte de passageiros e de mercadorias:

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal 2014-2020 Braga, 15 de janeiro 2014 Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P. TURISMO Importância económica

Leia mais

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello

Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Elaboração: Maurício Tadeu Barros Morais Workshop Seguros de Pessoas: Desafios e Oportunidades Sincor-MG - 10dez2012 Hélio Marcelino Loreno João Paulo Moreira de Mello Agenda 1. Mercado Brasileiro principais

Leia mais

A roda: a maior invenção tecnológica

A roda: a maior invenção tecnológica A roda: a maior invenção tecnológica A roda parece ter sido inventada, há cerca de 6000 anos, na Mesopotâmia. Foi uma invenção de importância extraordinária, não só porque promoveu uma revolução no campo

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Declaração de Praia 6.º Encontro das Associações Profissionais de Engenheiros Civis dos Países de Língua Oficial Portuguesa e Castelhana

Declaração de Praia 6.º Encontro das Associações Profissionais de Engenheiros Civis dos Países de Língua Oficial Portuguesa e Castelhana CONSELHO DAS ASSOCIAÇÕES PROFISSIONAIS DE ENGENHEIROS CIVIS DOS PAÍSES DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA E CASTELHANA Declaração de Praia 6.º Encontro das Associações Profissionais de Engenheiros Civis dos

Leia mais

Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo. Sérgio Barbi - ABF

Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo. Sérgio Barbi - ABF Seminário GVcev Franquias: Modelo de Negócio para o Varejo Sérgio Barbi - ABF Histórico do Franchising no Brasil 1960 Yázigi abre a primeira franquia no Brasil; Na década seguinte, o McDonald s abre o

Leia mais

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe

Iniciativa PE2020. A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos. António Manzoni/Vilar Filipe Iniciativa PE2020 A Engenharia como fator de competitividade Projetos colaborativos António Manzoni/Vilar Filipe Novembro 2013 Projeto Engenharia 2020 Preocupações macroeconómicas Papel da engenharia na

Leia mais