Fenômeno Religioso. Pontos de partida ao Fenômeno Religioso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fenômeno Religioso. Pontos de partida ao Fenômeno Religioso"

Transcrição

1 Fenômeno Religioso Joachim Andrade Plenitude por toda parte. Da plenitude origina-se plenitude. Quando a plenitude se origina da plenitude, a plenitude permanece. Om Paz. paz. paz. (Invocação precedendo o lsa Upanishad) Pontos de partida ao Fenômeno Religioso James Frazer Natureza é Regular Magia se baseia na confiança a do homem poder controlar a natureza. Religião é reconhecimento da impotência humana.

2 Experiência da Morte Malinowski Surgimento da religião está na sacralização da morte. Morte traz crise na vida dos indivíduos duos Duas atitudes: Preservar o morto por causa da ligação afetiva Romper a ligação afetiva com o morto por causa decomposição. Emile Durkheim A religião é um todo formado de partes, portanto sós pode ser definido em relação às s partes que o formam. Os fenômenos elementares produzem o sistema de união, formando o todo. Os fenômenos religiosos ordenam-se naturalmente em duas categorias fundamentais: crenças e ritos, as primeiras sendo representações e as segundas sendo os modos de determinada ação. Todos os tipos de crenças têm um caráter comum de classificação das coisas ideais ou reais, que os homens apresentam em dois gêneros opostos usando os termos sagrado e profano. As coisas sagradas são aquelas que os interditos protegem e isolam; as coisas profanas aquelas às s quais esses interditos se aplicam e que devem permanecer à distância das primeiras. Essa divisão parte da compreensão do mundo em dois domínios: um tudo o que é sagrado e um tudo o que é profano.

3 Causa da diversidade Contexto geográfico do planeta que se encontra com cinco regiões diferentes Terra FértilF Deserto Montanhas Florestas Litoral Modo de viver Povo se fixa no lugar, pouca mobilidade, pois terra oferece tudo Terra FértilF

4 Modo de viver O sustento é oferecido pelas estepes. Criação de gado e rebanho. Algumas árvores frutíferas. feras. Montanha Modo de sustento: Pesca - Vida arriscada. Litoral

5 Floresta Modo de viver Frutas das árvores e caça. a. Vivencia grupal. Modo de viver Nada cresce, portanto o povo sempre em movimento em busca do algo melhor. Deserto

6 Pluralidade étnicas Uma abordagem islâmica que narra sobre a diversidade das etnias humanas que se encontra em seguinte forma: Contudo os árabes dizem que o anjo Gabriel, enviado pelo Senhor à terra para levar a argila necessária para a confecção do homem, não levou quantidade suficiente. O senhor então enviou o anjo Miguel, mas também m este não levou argila suficiente do planeta Terra. Então, o senhor enviou um terceiro anjo o anjo da morte que levou finalmente a argila necessária para poder modelar o homem. Deus tinha pois três espécies de argila, trazida por três anjos diferentes, por isso os homens não podiam ser parecidos. Uns eram de argila negra, outros de argila vermelha e outros de argila clara como o caulino de que é feita a porcelana. Mas não háh só diferença de cor. As qualidades não são as mesmas. HáH argila salgada da beira mar, a argila fértil, f a argila amarga e a argila doce. E assim uma humanidade variada saiu das diferentes matérias primas. Mas o homem saiu das mãos do mesmo Escultor e foi criado a partir da mesma imagem. Problemas de classificações Na opinião do professor Frank Usarski, em época de globalização, a questão da origem das religiões e, com isso, a dicotomização entre religiões ocidentais e religiões orientais é cada vez menos relevante. As classificações utilizadas para compreender melhor o conteúdo de cada tradição, o seu contexto e a aplicação do conteúdo.

7 Religiões antigas Totemismo, Politeísmo, Animismo, Magismo. Essas religiões não tem nada escrito, enfatizam a tradição oral. É Proibido que algo esteja escrito. Religiões do extremo oriente Hinduísmo l500 a.c Budismo a.c. Jainismo a.c. Taoísmo a.c. Confucionismo a.c. Xintoísmo Pré-hist história Parsis (Zoroastrianismo)---- l000 a.c. Sikhismo l510 d.c.

8 Religiões do deserto Judaísmo smo l250 a. C. Cristianismo ---- l a 50 d.c Islã d.c Todas têm uma origem comum. Um Deus monoteísta, que cria e governa o mundo. Seu surgimento encontra-se na região árida que influenciou na construção de sua crença Religiões de origem Africana Religiões Africanas Religiões afro-brasileiras: Umbanda e Candomblé

9 Atitudes Filosóficas Perfect Liberty (Tokuharu Miki) Japão Zen Budismo, Seicho-No No-Iê - fonte Budismo. Yôga, Ananda Marga, Hare Krishna, Commune do Osho Rajneesh, Sai Baba, Sociedade Teosófica - Fonte Hinduísmo Movimentos pentecostais, Igreja Messiânica Cristianismo Rosa Cruz, Maçonaria, Nova Era, etc Pontos universais do Fenômeno Religioso Dois fatores - a experiência do conflito - a experiência da solidão A experiência da solidão me faz relacionar. Para que as relações sejam harmônicas estabelecem-se se as regras. O desejo criado pelas sensações leva o ser humano para quebrar as regras. Exemplo seria a experiência no Jardim do Êden.

10 Experiência do conflito A experiência da dualidade, representa a partir das duas posições das serpentes. Vertical e Horizontal Regras e quebra das regras. Solidão A A fenomenologia, considera a solidão como base fundamental da existência humana, direciona sua atenção numa forma analítica para os processos dos quais os indivíduos duos superam ou transcendem sua solidão no mundo e vêm a partilhar sua experiência com os outros (Kapferer,1986,p.188). A solidão também m pode ser interpretada como ausência do outro. Procuro o outro para preencher minha experiência da ausência. Percebemos aqui mais uma faceta do diálogo: uma forma para sair da solidão. Para isso, a cultura coloca a disposição do indivíduo duo diversos mecanismos: amizades, relações, casamentos, e outros métodos. Na esfera religiosa, também m podemos aplicar essa definição do diálogo como oposto à solidão. O indivíduo duo experimenta a ausência da divindade, e preenche essa ausência com oração, ritos ou outros meios.

11 Duas imagens de Deus Deus Infinito: portanto não podemos falar nada sobre Ele. Deus vazio: portanto podemos falar muita coisa sobre Ele. Os múltiplos m nomes que atribuímos a Ele Alá,, Javé.. Brahma, Pai, Olorum etc,devido a essa imagem. Todo nosso conhecimento, oração, rituais e sacramentos giram ao redor dessa segunda imagem. Prática do Diálogo Ponte filosófica fica e histórica limitação histórica e ao mesmo tempo possibilidade de ter uma única realidade em todas nelas. Ponte místicom stico-religiosa o Divino se faz presente na experiência mística m de todas as religiões. Ponta da prática da ética- material de construção está em todas as religiões.

ENSINO RELIGIOSO. Símbolos Religiosos

ENSINO RELIGIOSO. Símbolos Religiosos SÍMBOLOS RELIGIOSOS Símbolos são imagens que identificam ou representam algo, como também comunicam de maneira resumida e única, ideias, conceitos, mensagens, avisos, e muito mais. Se analisarmos o nosso

Leia mais

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO A Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão 2 A Habilidades: Identificas as diferenças e semelhanças entre as religiões

Leia mais

A missão no contexto asiático

A missão no contexto asiático A missão no contexto asiático Pe. Joachim Andrade SVD Introdução O continente asiático é tão grande e tão diverso é muito difícil dar uma visão clara e contextual da missão dentro de poucos minutos. Além

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO EMENTA DAS DISCIPLINAS

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO EMENTA DAS DISCIPLINAS CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO EMENTA DAS DISCIPLINAS PRODUÇÃO E RECEPÇÃO DE TEXTOS Lingüística Textual : Recepção e Produção de Textos Visão Sistemática e Particular. Gêneros e Estruturas

Leia mais

Cultura Religiosa. Prof. Ismar Dias de Matos. Belo Horizonte, 09 de outubro de 2007

Cultura Religiosa. Prof. Ismar Dias de Matos. Belo Horizonte, 09 de outubro de 2007 Cultura Religiosa Prof. Ismar Dias de Matos Belo Horizonte, 09 de outubro de 2007 Ano 2007 no calendário cristão - ocidental, mas... Ano 5768 para os judeus. Ano 1428 para os muçulmanos. RELIGIÃO: OBJETO

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 8º ANO 18 A, B

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 8º ANO 18 A, B EDUCAÇÃO RELIGIOSA 8º ANO 18 A, B CONTEÚDOS DO EXAME Autoconhecimento. Relacionamento, amor, formação da identidade e afetividade. Sexualidade na perspectiva religiosa. Campanha da Fraternidade 2015 Práticas

Leia mais

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / 6º ANO TRADIÇÕES RELIGIOSAS TEXTOS SAGRADOS Se as religiões estão para humanizar

Leia mais

Religiosidade Africana

Religiosidade Africana UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRPPG MECM CONHECIMENTO E DIVERSIDADE CULTURAL Religiosidade Africana Douglas Aires GOIÂNIA, 2012 Religião Africana O africano tem a religião como um modo de vida que é caracterizada,

Leia mais

Aula 7.1 Conteúdo: Textos Sagrados: orais e escritos O que são os textos sagrados? O texto sagrado nas tradições religiosas ENSINO RELIGIOSO

Aula 7.1 Conteúdo: Textos Sagrados: orais e escritos O que são os textos sagrados? O texto sagrado nas tradições religiosas ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 7.1 Conteúdo: Textos Sagrados: orais e escritos O que são os textos sagrados? O texto sagrado nas tradições religiosas 2 CONTEÚDO E HABILIDADES

Leia mais

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Planificação do 7º Ano - Educação Moral e Religiosa Católica Unidades Temáticas Conteúdos Competências Específicas Instrumentos de Avaliação UL1- AS ORIGENS

Leia mais

GRUPOS DE RELIGIÃO E RELIGIÕES

GRUPOS DE RELIGIÃO E RELIGIÕES GRUPOS DE RELIGIÃO E RELIGIÕES 00 SEM RELIGIÃO 000 Sem religião 001 Agnóstico 002 Ateu 11 CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA 110 Católica Apostólica Romana 111 Católica Carismática; Católica Pentecostal 112 Católica

Leia mais

PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO

PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO Apresentação da Disciplina O Ensino Religioso busca a valorização do pluralismo e a diversidade cultural. Sendo assim ele faz parte dos patrimônios

Leia mais

Diversidade Cultural

Diversidade Cultural Diversidade Cultural As grandes Civilizações: - Da África Negra; - Ocidental; - Chinesa; - Japonesa; - Hindu; - Eslava; - Ibero-Americana; - Islâmica. As Civilizações apresentam: - Factores de identidade

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO

PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 6ºs Anos PROFESSOR: André

Leia mais

Roteiro 2 AS RELIGIÕES NÃO CRISTÃS (1)

Roteiro 2 AS RELIGIÕES NÃO CRISTÃS (1) FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo I Antecedentes do Cristianismo Roteiro 2 AS RELIGIÕES NÃO CRISTÃS (1) OBJETIVOS 1. Identificar,

Leia mais

Para conhecer melhor. as religiões

Para conhecer melhor. as religiões Patrick Banon Para conhecer melhor as religiões Ilustrações Olivier Marbœuf Tradução Álvaro Lorencini Copyright 2008 by Actes Sud Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de

Leia mais

ASSINTEC Associação Inter-Religiosa de Educação

ASSINTEC Associação Inter-Religiosa de Educação ASSINTEC Associação Inter-Religiosa de Educação RESENHA DA CARTILHA: DIVERSIDADE RELIGIOSA E DIREITOS HUMANOS A cartilha enfoca o fato do Estado Brasileiro ser laico, isto é significa que ele não possui

Leia mais

Budismo: uma religião sem Deus

Budismo: uma religião sem Deus Budismo: uma religião sem Deus O budismo é uma das religiões que não reconhece a idéia ia de Deus, mas suas práticas carregam uma profunda espiritualidade. A doutrina budista ultrapassa o campo da filosofia

Leia mais

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA

Nº 8 - Mar/15. PRESTA atenção RELIGIÃO BÍBLIA SAGRADA SAGRADA Nº 8 - Mar/15 PRESTA atenção RELIGIÃO! BÍBLIA Apresentação Esta nova edição da Coleção Presta Atenção! vai tratar de um assunto muito importante: Religião. A fé é uma questão muito pessoal e cada

Leia mais

Disciplina ENSINO RELIGIOSO Ano Letivo 2015 Carga Horária 2 Turma 6º B Regime Anual Curso Ensino Fundamental Anos Finais Bimestre 1º

Disciplina ENSINO RELIGIOSO Ano Letivo 2015 Carga Horária 2 Turma 6º B Regime Anual Curso Ensino Fundamental Anos Finais Bimestre 1º PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) Curso Ensino Fundamental Anos Finais Bimestre 1º * Respeito à diversidade religiosa * Declaração universal dos direitos Humanos e Constituição brasileira: respeito à liberdade

Leia mais

Religião e Vivência Religiosa

Religião e Vivência Religiosa Religião e Vivência Religiosa Sérgio Biagi Gregório SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Conceito de Religião. 3. Ciência, Filosofia e Religião. 4. Religiões Históricas. 5. O Cristianismo. 6. A Religião como Sistema.

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 6 o ano 4 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Observe a imagem e responda às questões 1 e 2. REPRODUÇÃO 1. Cite dois elementos presentes na imagem que representam a Igreja católica.

Leia mais

Leia o texto: 1- A partir do texto acima e, das discussões nossas em aula, marque a alternativa que expressa à finalidade dos textos sagrados:

Leia o texto: 1- A partir do texto acima e, das discussões nossas em aula, marque a alternativa que expressa à finalidade dos textos sagrados: SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS SÉRIE/ANO:7º

Leia mais

5910224 Evolução dos Conceitos da Física FFCLRP USP Prof. Antônio C. Roque - Origem

5910224 Evolução dos Conceitos da Física FFCLRP USP Prof. Antônio C. Roque - Origem A Origem do Pensamento Científico O ser humano levou milhões de anos para evoluir até o estado atual. Essa evolução levou ao aparecimento de capacidades artísticas, religiosas e científicas na mente humana,

Leia mais

COLÉGIO MARISTA S.LUÍS ENSINO RELIGIOSO PROF.:Francisco Ferreira. Evolução histórica das reflexões sobre a Felicidade

COLÉGIO MARISTA S.LUÍS ENSINO RELIGIOSO PROF.:Francisco Ferreira. Evolução histórica das reflexões sobre a Felicidade COLÉGIO MARISTA S.LUÍS ENSINO RELIGIOSO PROF.:Francisco Ferreira Evolução histórica das reflexões sobre a Felicidade O Bem Pessoal e o Comunitário O que é o Bem? Bem é a qualidade de excelência ética que

Leia mais

Lista de exercícios para pra final de História. 5ª série

Lista de exercícios para pra final de História. 5ª série Lista de exer PROVÍNCIA BRASILEIRA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO COLÉGIO VICENTINO SÃO JOSÉ Rua Pe. José Joaquim Goral, 182 Abranches Curitiba Fone (041) 3355-2200

Leia mais

O projeto será aplicado em turmas da 3ª série do ensino fundamental, na faixa etária entre 8 e 9 anos.

O projeto será aplicado em turmas da 3ª série do ensino fundamental, na faixa etária entre 8 e 9 anos. 1 TEMA Símbolos religiosos lembranças de uma história 2 SÉRIE 3ª série ou 1ª etapa do ciclo II 3 ALUNO Simone do Rocio Sueke simonesueke@yahoo.com.br 4 OBJETIVOS Perceber a existência de diferentes símbolos

Leia mais

Arte Africana. 7º Ano 4º Bimestre Artes Professor Juventino

Arte Africana. 7º Ano 4º Bimestre Artes Professor Juventino Arte Africana 7º Ano 4º Bimestre Artes Professor Juventino África O Brasil é um país mestiço, nossa cultura é composta de uma mistura de etnias. Parte relevante de nossa raiz cultural é o povo africano,

Leia mais

INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS

INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS 1 Não interessa responder se a religião é ou não verdadeira; Analisa a religião como fenômeno social. Enfoque da Sociologia 2 Encontrada em todas as sociedades Única que não se

Leia mais

Tipo de atividade: Passeio/visita e redação. Objetivo: Conhecer alguns centros e templos religiosos existentes no bairro/cidade e desenvolver

Tipo de atividade: Passeio/visita e redação. Objetivo: Conhecer alguns centros e templos religiosos existentes no bairro/cidade e desenvolver A série Sagrado é composta por programas que, através de um recorte históricocultural, destacam diferentes pontos de vista das tradições religiosas. Dez representantes religiosos respondem aos questionamentos

Leia mais

Universidade Federal do Acre UFAC Centro de Filosofia e Ciências Humanas CFCH.

Universidade Federal do Acre UFAC Centro de Filosofia e Ciências Humanas CFCH. Universidade Federal do Acre UFAC Centro de Filosofia e Ciências Humanas CFCH. Colóquio Religiões e Campos simbólicos na Amazônia Período de realização 25 a 28 de agosto de 2014. Grupos de trabalhos. GT

Leia mais

Religião. Dias, cap. 16 Giddens, pags. 425-453

Religião. Dias, cap. 16 Giddens, pags. 425-453 Religião Dias, cap. 16 Giddens, pags. 425-453 O que não é religião: 1. Uma prática monoteísta. A maioria das religiões envolvem várias divindades. 2. Uma explicação para a história do mundo 3. Uma prática

Leia mais

A Unicidade. Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso

A Unicidade. Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso ISLÃ A Unicidade Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso 1. Dize: Ele é Deus, o Único! 2. Deus! O Absoluto! 3. Jamais gerou ou foi gerado! 4. E ninguém é comparável a Ele! Pilares do Islã Testemunho

Leia mais

Palestra Virtual. Tema: Espiritismo e Espiritualismo. Palestrante: Altivo Pamphiro. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.

Palestra Virtual. Tema: Espiritismo e Espiritualismo. Palestrante: Altivo Pamphiro. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org. Palestra Virtual Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Espiritismo e Espiritualismo Palestrante: Altivo Pamphiro Rio de Janeiro 01/08/2003 Organizadores da Palestra: Moderador:

Leia mais

ORIENTAÇÕES CURRICULARES PARA O ENSINO RELIGIOSO DAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE ENSINO

ORIENTAÇÕES CURRICULARES PARA O ENSINO RELIGIOSO DAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE ENSINO 1 Governo do Estado do Piauí Secretaria Estadual de Educação e Cultura - SEDUC 4ª Diretoria Regional de Educação - 4ª DRE Coordenação de Ensino e Aprendizagem Técnica de Ensino Religioso da 4ª DRE: Loise

Leia mais

ENSINO RELIGIOSO. 2 - As vivências da criança na natureza: cuidado e respeito. 3 - A riqueza dos relacionamentos: semelhanças e diferenças.

ENSINO RELIGIOSO. 2 - As vivências da criança na natureza: cuidado e respeito. 3 - A riqueza dos relacionamentos: semelhanças e diferenças. EDUCAÇÃO INFANTIL CRECHE: 1, 2, 3 ANOS Eixo temático Objetivos de aprendizagem Conteúdo 1 - O corpo cria, faz, escolhe, partilha, celebra. Temas 1.1 - Sou importante, tenho um nome. 1.2 - Minhas mãos fazem

Leia mais

Religiões Do Mundo: A Música Em Crenças E Rituais 1

Religiões Do Mundo: A Música Em Crenças E Rituais 1 Religiões Do Mundo: A Música Em Crenças E Rituais 1 Suanny Lopes Costa 2, Fabrício Queiroz 3, Suzana Cunha Lopes 4, Diolene Machado 5, Lucila Vilar 6, Adelaide Oliveira 7. Universidade Federal do Pará,

Leia mais

Conteúdo: Habilidades: A religião na visão dos autores clássicos da Sociologia

Conteúdo: Habilidades: A religião na visão dos autores clássicos da Sociologia Conteúdo: A religião na visão dos autores clássicos da Sociologia Habilidades: Reconhecer a religião como uma instituição social e objeto de estudo das Ciências Sociais; Conhecimento Teológico A religião

Leia mais

ORIENTE MÉDIO CAPÍTULO 10 GRUPO 07

ORIENTE MÉDIO CAPÍTULO 10 GRUPO 07 ORIENTE MÉDIO CAPÍTULO 10 GRUPO 07 LOCALIZAÇÃO Compreende a região que se estende do Mar Vermelho e Canal de Suez, no Egito, até o Afeganistão, a leste. Também fazem parte do Oriente Médio a Ilha de Chipre,

Leia mais

N.º de aulas (tempos letivos) 13 10 9. Apresentação/Avaliação diagnóstica 1 - - Instrumentos de avaliação 1 1 1. Desenvolvimento Programático

N.º de aulas (tempos letivos) 13 10 9. Apresentação/Avaliação diagnóstica 1 - - Instrumentos de avaliação 1 1 1. Desenvolvimento Programático Escola Secundária com 3.º CEB Poeta Al Berto Código 403192 720-902 - Sines Ano letivo: 2014/201 Departamento: Ciências Humanas e Sociais Grupo disciplinar: 290 Disciplina: Educação Moral Religiosa Católica

Leia mais

Introdução. A Religião Islamismo

Introdução. A Religião Islamismo Introdução A Religião Islamismo A palavra religião vem do latim: religio. A religião é um vínculo, onde o mundo profano e o mundo sagrado são as partes vinculadas. Esse vínculo, na religião judaica, aparece

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. Capítulo 26: Todos os itens O campo da Sociologia. Capítulo 26: Item 5 Senso Crítico e senso comum.

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. Capítulo 26: Todos os itens O campo da Sociologia. Capítulo 26: Item 5 Senso Crítico e senso comum. 1º ano A Filosofia e suas origens na Grécia Clássica: mito e logos, o pensamento filosófico -Quais as rupturas e continuidades entre mito e Filosofia? -Há algum tipo de raciocínio no mito? -Os mitos ainda

Leia mais

Educação Moral e Religiosa Católica Gestão e Planificação: Ano Lectivo 2015/16

Educação Moral e Religiosa Católica Gestão e Planificação: Ano Lectivo 2015/16 METAS CURRICULARES 3º Ciclo do Ensino Básico DOMÍNIOS RELIGIÃO E EXPERIÊNCIA RELIGIOSA METAS A. Compreender o que são o fenómeno religioso e a experiência religiosa. B. Construir uma chave de leitura religiosa

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 309 DE 2011 VOTO EM SEPARADO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 309 DE 2011 VOTO EM SEPARADO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 309 DE 2011 Altera o art. 33 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino religioso nas redes públicas de ensino

Leia mais

PROJETO DE LEITURA SUGESTÕES DE ATIVIDADES

PROJETO DE LEITURA SUGESTÕES DE ATIVIDADES PROJETO DE LEITURA URASHIMA TARO LÚCIA HIRATSUKA PARTE 1 PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: ATIVAÇÃO DO CONHECIMENTO PRÉVIO Atividade 1 SUGESTÕES DE ATIVIDADES Cada povo tem suas narrativas

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS ENSINO RELIGIOSO

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS ENSINO RELIGIOSO PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS DO ENSINO RELIGIOSO Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso Resumo: Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso constituem-se num marco histórico

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO ÁREA DO CONHECIMENTO Educação Estudos da Religião. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Ciências da Religião. AMPARO LEGAL

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2014

PLANEJAMENTO ANUAL 2014 PLANEJAMENTO ANUAL 2014 Disciplina: ENSINO RELIGIOSO Período: Anual Professor: MARIA LÚCIA DA SILVA Série e segmento: 6º ANO 1º TRIMESTRE 2º TRIMESTRE 3º TRIMESTRE * Trabalhar a formação cidadã do aluno

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO General Carneiro 2010 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO. O Ensino Religioso existiu num primeiro

Leia mais

A NOVA ERA NEW AGE. Bruno Glaab

A NOVA ERA NEW AGE. Bruno Glaab A NOVA ERA NEW AGE A Nova Era (New Age) é uma mistura de crenças filosóficas e religiosas orientais: espiritualistas, animistas, teológicas, etc. Quer criar uma nova moral integrada no cosmos. Na realidade,

Leia mais

Hinduísmo Joachim Andrade 1

Hinduísmo Joachim Andrade 1 Hinduísmo Joachim Andrade 1 Hinduísmo Religioso e Cultural O que é o Hinduísmo? Segundo a visão que tem de si o hinduismo não possui origem: é o caminho eterno que segue as regras e exigências básicas

Leia mais

A Antiguidade Oriental Hebreus

A Antiguidade Oriental Hebreus A Antiguidade Oriental Hebreus (Monoteísmo e judaísmo) Mar Mediterrâneo Delta do Nilo Egito NASA Photo EBibleTeacher.com Península nsula do Sinai Mt. Sinai Mar Vermelho Canaã Tradicional Rota do Êxodo

Leia mais

CRISTO REDENTOR RJ IMAGEM DE UM BRASIL CRISTÃO CADA VEZ MENOS CATÓLICO

CRISTO REDENTOR RJ IMAGEM DE UM BRASIL CRISTÃO CADA VEZ MENOS CATÓLICO CRISTO REDENTOR RJ IMAGEM DE UM BRASIL CRISTÃO CADA VEZ MENOS CATÓLICO BÍBLIA SAGRADA IMAGEM DE UM BRASIL CRISTÃO CADA VEZ MAIS EVANGÉLICO 10.1 - CIÊNCIAS DA RELIGIÃO NO BRASIL A maioria dos programas

Leia mais

A IDENTIDADE BUDISTA EM DIÁLOGO COM A DIVERSIDADE RELIGIOSA

A IDENTIDADE BUDISTA EM DIÁLOGO COM A DIVERSIDADE RELIGIOSA 191 USARSKI, Frank. O budismo e as outras: encontros e desencontros entre as grandes religiões mundiais. Aparecida-SP: Editora Idéias e Letras, 2009, 304pp. A IDENTIDADE BUDISTA EM DIÁLOGO COM A DIVERSIDADE

Leia mais

Numerologia. 0- Zero Representa o círculo o símbolo do universo, o infinito, o início e o fim.

Numerologia. 0- Zero Representa o círculo o símbolo do universo, o infinito, o início e o fim. Numerologia Números- Nume ou Númen, s. m. (latim númen) Divindade, poder celestial. Cada um dos deuses do paganismo, Gênio. Inspiração. Nume tutelar espírito protetor. Na astronomia já se fazia referencia

Leia mais

Igreja Messiânica Mundial e suas dissidências: a Religião de Mokiti Okada no Brasil.

Igreja Messiânica Mundial e suas dissidências: a Religião de Mokiti Okada no Brasil. Igreja Messiânica Mundial e suas dissidências: a Religião de Mokiti Okada no Brasil. Hiranclair Rosa Gonçalves Doutor em Ciências Sociais pela PUC-SP Resumo Esse artigo diz respeito à religião de Mokiti

Leia mais

História. Povos da China e da Índia

História. Povos da China e da Índia História Primeiro ano do ensino médio Escola José de Anchieta Povos da China e da Índia Reno Schmidt maio 2015 schmidt.reno@gmail.com renoschmidt.wordpress.com Onde estamos? Hebreus, Fenícios e Persas

Leia mais

Sumário. Agradecimentos... 7 Introdução... 15 SOCIOLOGIA. 2.3.4.1. Primeiro momento da alienação... 43 2.3.4.2. Segundo momento da alienação...

Sumário. Agradecimentos... 7 Introdução... 15 SOCIOLOGIA. 2.3.4.1. Primeiro momento da alienação... 43 2.3.4.2. Segundo momento da alienação... Cód. barras: STJ00095025 (2013) Sumário Agradecimentos... 7 Introdução....................... 15 Parte I SOCIOLOGIA 1. Origens da Sociologia... 27 1.1. As origens históricas e conceituais da Sociologia...

Leia mais

A CROMOTERAPIA NA UMBANDA

A CROMOTERAPIA NA UMBANDA A CROMOTERAPIA NA UMBANDA I. INTRODUÇÃO A utilização da cor em qualquer religião, ou melhor, em qualquer processo mágico remonta aos tempos mais antigos. A luz é uma vibração energética, da mesma forma

Leia mais

COTIDIANO QUILOMBOLA EM MITUAÇU

COTIDIANO QUILOMBOLA EM MITUAÇU COTIDIANO QUILOMBOLA EM MITUAÇU Felipe Agenor de Oliveira Cantalice Universidade Estadual da Paraíba/CH Orientador: Prof. Dr. Waldeci Ferreira Chagas Neste trabalho analisamos o cotidiano dos moradores

Leia mais

O relacionamento amoroso em «ARRET»

O relacionamento amoroso em «ARRET» O relacionamento amoroso em «ARRET» ARRET - O Diário da Viagem (2009) de J. A. Dal Col J. A. Dal Col ganhou motivação e inspiração para escrever a sua visão utópica do mundo (ARRET nome do nosso planeta

Leia mais

História Geral. 3ª Edição - 2007

História Geral. 3ª Edição - 2007 História Geral 3ª Edição - 2007 Os Hebreus Localizado a leste da Mesopotâmia, constituía de um vasto planalto desértico rodeado de montanhas, entre a Mesopotâmia e a Índia. O Império Persa constituiu um

Leia mais

Planificação Anual Departamento CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

Planificação Anual Departamento CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Ano 7º Ano letivo 2013 / 201 Disciplina EMRC Turmas A, B, C, D, E, F, G, H, I, J Professores:

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ ENSINO RELIGIOSO

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ ENSINO RELIGIOSO CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ ENSINO RELIGIOSO 1. IDENTIDADE DO COMPONENTE CURRICULAR O Ensino Religioso deve buscar

Leia mais

ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Acolhimento. .Leitura de textos a teoria científica e a teoria teológica. . Leitura em voz alta

ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Acolhimento. .Leitura de textos a teoria científica e a teoria teológica. . Leitura em voz alta ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº 1 de Abrantes ESCOLA: Escola D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: E.M.R.C. ANO: 7.º ANO LETIVO 2013/2014 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS DE APRENDIZAGEM (Registo global

Leia mais

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder...

1º ano. 1) Relações de Trabalho, Relações de Poder... Liberdade, propriedade e exploração. A revolução agrícola e as relações comerciais. Capítulo 1: Item 5 Relações de trabalho nas sociedades indígenas brasileiras e americanas. Escravidão e servidão. Divisão

Leia mais

MISTIFICAÇÃO CARICATA DAS RELIGIÕES DE RAIZ AFRICANA NO QUADRO A GALINHA PRETA PINTADINHA DO PROGRAMA TÁ NO AR: A TV NA TV DA REDE GLOBO

MISTIFICAÇÃO CARICATA DAS RELIGIÕES DE RAIZ AFRICANA NO QUADRO A GALINHA PRETA PINTADINHA DO PROGRAMA TÁ NO AR: A TV NA TV DA REDE GLOBO MISTIFICAÇÃO CARICATA DAS RELIGIÕES DE RAIZ AFRICANA NO QUADRO A GALINHA PRETA PINTADINHA DO PROGRAMA TÁ NO AR: A TV NA TV DA REDE GLOBO José Wanderley Pereira Segundo UERN (wanderley.segundo@hotmail.com)

Leia mais

MITO. De MÝEIN se fez a palavra MÝSTES, iniciado nos mistérios, de onde derivou MYSTÉRION, doutrina secreta, arcano, culto secreto.

MITO. De MÝEIN se fez a palavra MÝSTES, iniciado nos mistérios, de onde derivou MYSTÉRION, doutrina secreta, arcano, culto secreto. MITO Mito vem do Grego MYTHÓS, que tinha um grande número de significados dentro de uma idéia básica: discurso, mensagem palavra, assunto, invenção, lenda, relato imaginário. Modernamente está fixada nestes

Leia mais

TOTEMISMO Ronaldo Almeida Lidório Artigo

TOTEMISMO Ronaldo Almeida Lidório Artigo TOTEMISMO Ronaldo Almeida Lidório Artigo Revista Antropos Volume 2, Ano 1, Maio de 2008 ISSN 1982-1050 Introdução e conceito Neste artigo tenciono abordar o totemismo como conceito social e suas variadas

Leia mais

AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA UMBANDA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS¹. NASCIMENTO, Taiane Flores do²; SACCOL, Paloma Tavares³; BEZZI, Meri Lourdes 4

AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA UMBANDA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS¹. NASCIMENTO, Taiane Flores do²; SACCOL, Paloma Tavares³; BEZZI, Meri Lourdes 4 AS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA UMBANDA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA RS¹ NASCIMENTO, Taiane Flores do²; SACCOL, Paloma Tavares³; BEZZI, Meri Lourdes 4 1 Trabalho de Pesquisa NERA/CCNE/UFSM 2 Acadêmica do

Leia mais

E Deus viu que tudo era bom

E Deus viu que tudo era bom E Deus viu que tudo era bom Nunca pensei que fosse assim O Livro do Gênesis é o livro mais fascinante da Bíblia e o mais complicado. Foi escrito milhares de anos depois dos fatos que ele narra. Foram vários

Leia mais

Por favor, preencha os nomes e telefones das pessoas que você ama.

Por favor, preencha os nomes e telefones das pessoas que você ama. Nome Completo: Número RG: Nasc.: / / Idade: Endereço: Bairro: Telefone Casa: Celular: Trabalho: Estado Civil: [ ] Casado [ ] Solteiro [ ] Viúvo [ ] Divorciado [ ] Amasiado Sexo: [ ]Masculino [ ] Feminino

Leia mais

Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano

Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano Professor Sebastião Abiceu Colégio Marista São José Montes Claros MG 6º ano A Bíblia, na parte denominada Antigo Testamento (Torá), é o principal documento da história dos hebreus. Foi escrita ao longo

Leia mais

UMA OFERENDA A YEMANJÁ: A RELIGIOSIDADE PRESENTE NA FESTA DE 1º DE JANEIRO NAS PRAIAS CARIOCAS. PALITOT, Fernanda Souto Maior (UERJ/NEPEC)

UMA OFERENDA A YEMANJÁ: A RELIGIOSIDADE PRESENTE NA FESTA DE 1º DE JANEIRO NAS PRAIAS CARIOCAS. PALITOT, Fernanda Souto Maior (UERJ/NEPEC) UMA OFERENDA A YEMANJÁ: A RELIGIOSIDADE PRESENTE NA FESTA DE 1º DE JANEIRO NAS PRAIAS CARIOCAS. PALITOT, Fernanda Souto Maior (UERJ/NEPEC) A pesquisa, em fase inicial, faz parte de um estudo maior sobre

Leia mais

CRIACIONISMO E EVOLUCIONISMO

CRIACIONISMO E EVOLUCIONISMO CRIACIONISMO E EVOLUCIONISMO INTRODUÇÃO Síntese sobre a Teoria da Evolução Química. Criacionismo (fundamentado na fé e na religião). É a primeira explicação para perguntas sobre a origem do Universo, da

Leia mais

Diálogo. a diversidade um espaço privilegiado no Ensino Religioso

Diálogo. a diversidade um espaço privilegiado no Ensino Religioso Diálogo inter-religioso a diversidade um espaço privilegiado no Ensino Religioso Arte de calar Calar sobre sua própria pessoa é Humildade... Calar sobre os defeitos dos outros é Caridade... Calar quando

Leia mais

Diálogo Inter-religioso

Diálogo Inter-religioso Diálogo Inter-religioso Apresentação Este material foi desenvolvido de forma que pudéssemos conhecer um pouco de cada uma das três principais religiões monoteístas. Como estas culturas são muito amplas,

Leia mais

TRABALHO DO PIA EM ENSINO RELIGIOSO 2013 / 2

TRABALHO DO PIA EM ENSINO RELIGIOSO 2013 / 2 SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS SÉRIE/ANO:6º

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA SOCIOLOGIA. Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA SOCIOLOGIA. Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo Conteúdo: Conflitos religiosos no mundo Habilidades: Reconhecer que a religião muitas vezes esconde razões políticas, econômicas e sociais de inúmeros conflitos no mundo contemporâneo; Reconhecer que a

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 3º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 7º Ano

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 3º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 7º Ano Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas 3º Ciclo ENSINO BÁSICO Planificação Anual de EMRC 7º Ano 1 1º Periodo Unidade Letiva 1 - As origens Competências chave 1 2 3 4 5 6 7 8 Metas Curriculares

Leia mais

satyanātha bio Natyam Sadhaka, Hinduism Today o monastério

satyanātha bio Natyam Sadhaka, Hinduism Today o monastério satyanātha bio Satyanātha é um místico nascido no Brasil. Viveu por quase sete anos recluso em um dos mais sagrados monastérios indianos do mundo, o Kauai Aadheenam, um lugar de paz aos pés de um vulcão

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Educação Moral e Religiosa Católica. Ano Letivo 2015/2016 3º Ciclo 7º Ano

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação Educação Moral e Religiosa Católica. Ano Letivo 2015/2016 3º Ciclo 7º Ano Unidade Letiva: 1 - As Origens Período: 1º 1. Questionar a origem, o destino e o sentido do universo e do ser humano. As origens na perspetiva científica L. Estabelecer um diálogo entre a cultura e a fé.

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL IRMÃ DULCE SILVANA MARIA DE LARA ENSINO RELIGIOSO

ESCOLA MUNICIPAL IRMÃ DULCE SILVANA MARIA DE LARA ENSINO RELIGIOSO ESCOLA MUNICIPAL IRMÃ DULCE SILVANA MARIA DE LARA ENSINO RELIGIOSO O MEIO AMBIENTE É SAGRADO Há quem passe pelo bosque e só veja lenha para a fogueira." Leão Tolstoi SÃO JOSÉ DOS PINHAIS 2012 ESTE PROJETO

Leia mais

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (ENSINO RELIGIOSO) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí)

RASCUNHO Nº DE INSCRIÇÃO. PROVA ESCRITA OBJETIVA CARGO: PROFESSOR CLASSE SL (ENSINO RELIGIOSO) DATA: 20/01/2013 HORÁRIO: 9h às 12h (horário do Piauí) NÚCLEO DE CONCURSOS E PROMOÇÃO DE EVENTOS NUCEPE PROCESSO SELETIVO SEDUC/PI - 2012 FOLHA DE ANOTAÇÃO DO GABARITO - ATENÇÃO: Esta parte somente deverá ser destacada pelo fiscal da sala, após o término da

Leia mais

Unidade II Civilização Greco Romana e seu legado. Aula 8.1 Conteúdo: A influência do Islamismo na formação dos Árabes.

Unidade II Civilização Greco Romana e seu legado. Aula 8.1 Conteúdo: A influência do Islamismo na formação dos Árabes. Unidade II Civilização Greco Romana e seu legado. Aula 8.1 Conteúdo: A influência do Islamismo na formação dos Árabes. Habilidade: Conhecer a construção da identidade árabe através da consolidação histórica

Leia mais

Aulas 6 e 7. A Antiguidade Oriental

Aulas 6 e 7. A Antiguidade Oriental Aulas 6 e 7 A Antiguidade Oriental Hebreus (Monoteísmo e judaísmo) III- I- Local: Economia: região da agricultura, Palestina pastoreio ( Canaã (rio ou Jordão) terra prometida ). e comércio Atualmente:

Leia mais

PARE E PENSE. Por Moises Daniele Abelama. Primeira edição. 2012 Editora Perse

PARE E PENSE. Por Moises Daniele Abelama. Primeira edição. 2012 Editora Perse PARE E PENSE Por Moises Daniele Abelama Primeira edição 2012 Editora Perse 1 Jesus foi, é e sempre será! Antes de começar estes pensamentos aqui descritos quero informar ao leitor que muito do que aqui

Leia mais

Educação Moral e Religiosa Católica. O Islamismo. Colégio do Amor de Deus

Educação Moral e Religiosa Católica. O Islamismo. Colégio do Amor de Deus Educação Moral e Religiosa Católica O Colégio do Amor de Deus Educação moral e Religiosa Católica 00 estrutura Colégio do Amor de Deus 00 estrutura 00 estrutura 01 definição 02 génese 03 estudo história

Leia mais

PIBID - História e(m) imagens HISTÓRIA UFPR

PIBID - História e(m) imagens HISTÓRIA UFPR Oficina i de Quadrinhos e Cinema PIBID - História e(m) imagens HISTÓRIA UFPR Uso de Histórias em Quadrinhos (HQs) em Sala de Aula Diferentes gêneros e formatos para se escrever e publicar uma HQ; As temáticas

Leia mais

ENSINO RELIGIOSO: A TOLERÂNCIA E A INTOLERÂNCIA NA SALA DE AULA

ENSINO RELIGIOSO: A TOLERÂNCIA E A INTOLERÂNCIA NA SALA DE AULA ENSINO RELIGIOSO: A TOLERÂNCIA E A INTOLERÂNCIA NA SALA DE AULA 1. Introdução Paula Martins Xavier Faculdade de História, Direito e Serviço Social UNESP/Campus Franca paulaxavier86@yahoo.com.br Gustavo

Leia mais

Acompanhamento Espiritual e Religioso em Cuidados Paliativos

Acompanhamento Espiritual e Religioso em Cuidados Paliativos Seminário O sabor do dióspiro Acompanhamento Espiritual e Religioso em Cuidados Paliativos Fátima, Domus Carmeli - 26 a 28 Novembro 2013 O Sabor do Dióspiro: o dióspiro é um fruto belo, do outono, que

Leia mais

Bilhões de estrelas no Universo. Imensidão de mundos.

Bilhões de estrelas no Universo. Imensidão de mundos. ROGER BOTTINI PARANHOS Bilhões de estrelas no Universo. Imensidão de mundos. "Há muitas moradas na casa de meu Pai" Jesus. www.ramatislajeado.org.br 1 Ciclos de evolução planetária. Nós, espíritos imortais,

Leia mais

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas

3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 3º BIMESTRE 2ª Avaliação Área de Ciências Humanas Aula 148 Revisão e avaliação de Humanas 2 Tipos de vegetação Vegetação é caracterizada como o conjunto de plantas de uma determinada região. Em razão da

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

História Geral. 3ª Edição - 2007

História Geral. 3ª Edição - 2007 História Geral 3ª Edição - 2007 Arábia Pré Islâmica Os Muçulmanos (Religião Islâmica) Caaba Página de um Alcorão do século XIX. O texto sagrado do islamismo, composto de 114 suratas ou capítulos contém

Leia mais

CARTA DA TERRA PARA CRIANÇAS

CARTA DA TERRA PARA CRIANÇAS 1 CARTA DA TERRA A Carta da Terra é uma declaração de princípios fundamentais para a construção de uma sociedade que seja justa, sustentável e pacífica. Ela diz o que devemos fazer para cuidar do mundo:

Leia mais

Tipos de Conhecimento

Tipos de Conhecimento Conhecer = incorporação de um conceito novo ou original sobre algo (fato ou fenômeno) CONHECIMENTO surge: de experiências acumuladas na vida cotidiana; de relacionamento interpessoais; de outros instrumentos

Leia mais

INDIVIDUALISMO ÉMILE DURKHEIM. * Os fatos sociais são regras jurídicas, morais e sistemas financeiros.

INDIVIDUALISMO ÉMILE DURKHEIM. * Os fatos sociais são regras jurídicas, morais e sistemas financeiros. INDIVIDUALISMO ÉMILE DURKHEIM Fato Social - Exterioridade (o fato social é exterior ao indivíduo). - Coercitividade. - Generalidade (o fato social é geral). * Os fatos sociais são regras jurídicas, morais

Leia mais