REDUÇÃO DA DEMANDA DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDUÇÃO DA DEMANDA DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA"

Transcrição

1 RESUMO REDUÇÃO DA DEMANDA DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Tereza Klimontovics de Jesus 1 Orientador: Vilmondes Rocha O artigo é resultado de pesquisa que teve como objetivo investigar os motivos pelos quais alunos da terceira série do Ensino Médio não pretendem candidatar-se ao Curso de Licenciatura em Matemática. A pesquisa foi realizada em uma escola da rede pública de ensino da cidade de Ceilândia, no Distrito Federal e a amostra contou com 140 participantes. Utilizou-se um questionário para a coleta de dados e os resultados indicam forte resistência à matrícula em curso de Matemática a despeito da percepção, por parte dos alunos, que há mercado de trabalho e os salários da função são competitivos. Palavras chaves: Licenciatura, Matemática, Vestibular. 1. INTRODUÇÃO Atualmente, de acordo com os dados do INEP 2, percebe-se que o ingresso de alunos nas universidades e faculdades para o curso de Licenciatura em Matemática é uma escolha de poucos. Além disso, os poucos que optam por esse curso, logo se vêem desmotivados a continuarem seu curso. O número de alunos que se inscrevem no curso de Licenciatura em Matemática, vem diminuindo a cada ano. A sociedade, por valorizar cursos com maior status social, impulsiona os novos universitários a escolherem cursos que em muitos casos não são de sua preferência. Uma grande conseqüência disto é a formação de profissionais frustrados e sem qualquer perspectiva. Uma das hipóteses pela falta de profissionais relaciona-se ao fato de que a remuneração oferecida pelo mercado é insuficiente para a sustentação dos professores, levando-os a trabalharem mais de um período. Sendo assim, de acordo com Floriani (2002), os licenciados são levados a buscar outras áreas que lhes proporcionem uma renda mensal mais atrativa. Para elaboração deste trabalho, foi realizada uma pesquisa de campo, com a finalidade de encontrar os motivos pelos quais os estudantes que estão se preparando para entrar em uma instituição superior não querem optar pelo curso de Licenciatura em Matemática. A coleta de dados foi feita a partir de um questionário composto de 18 questões de múltipla escolha, nas quais os alunos deveriam marcar a afirmativa que mais se adequasse a sua perspectiva de escolha para um curso superior, e suas expectativas em relação ao curso de Licenciatura em Matemática. 1 Licencianda em Matemática da Universidade Católica de Brasília. 2 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-INEP: Disponível em

2 A presente pesquisa tem por finalidade subsidiar as gestões acadêmicas com informações que possam minimizar o problema da pequena procura pelo curso de Licenciatura em Matemática, bem como o alto índice de desistência dos alunos que ingressam. Ainda assim, por meio dos dados relatados, é possível nortear uma nova pesquisa mais precisa e objetiva, que identifique alternativas que propiciem uma melhor visão do profissional da educação da realidade em geral. 2. ANTECEDENTES HISTÓRICOS No século XIX o ensino de Matemática tinha pouco enfoque, as escolas da época davam maior ênfase ao artesanato, leitura, arte e música. Somente no final do século para o início do século XX houve uma maior motivação para as pesquisas Matemáticas (D Ambrosio, 1986). Somente em meados dos anos 60 do século passado, foram publicados artigos Matemáticos em boas revistas internacionais. Nestes 40 anos houve uma consolidação dos grupos de pesquisas colocando a Matemática brasileira a ocupar internacionalmente lugar de prestígio na América Latina 3. Por volta de 1800, pouco antes da vinda de D. João VI para o Brasil já existia o interesse de brasileiros pela Matemática superior, onde as reflexões sobre a Metaphysica de cálculo infinitesimal de Carnot, a teoria das funções analyttica de Lagrange publicadas em Lisboa, foram traduzidas por Manuel Jacinto Nogueira da Gama. O ensino da Matemática no Brasil inicia-se concretamente logo após a chegada da família real, tendo em vista a preocupação do ensino da realeza. Em 1810 foi criado o curso de Matemática real da Academia Militar no Rio de Janeiro, o primeiro no país (Castro, 1992). Em 1876 foi criado a Escola de Ouro Preto, pelo Visconde do Rio Branco, onde foi incluso o primeiro curso de Matemática superior e criada a escola Politécnica de São Paulo. E em 1934 criados o curso de Matemática da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo-USP. Os primeiros difusores do ensino superior em Matemática no país foram as escolas de Engenharia, as Escolas do Exército e da Marinha em A época quase todos os professores de Álgebra Superior, Cálculo, Geometria Analítica e Descritiva eram engenheiros, oficiais do Exército, da Marinha, ou alunos dos últimos anos de Engenharia. (Clóvis, 2005). Em 1935 foi criada a Escola de Ciências da Universidade do Distrito Federal no Rio de Janeiro tendo como diretor Roberto Marinho Azevedo, que convida Lélio Gama para ensinar Análise, e foi extinta em E em 1939 foi criada a Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil. Em 1946 foi criado o curso de análise moderna na USP. Em 1952 foi criado no Rio de Janeiro o Instituto de Matemática Pura e Aplicada IMPA; centro de pós-graduação e pesquisa. Em 1962 foi criado o primeiro curso de Lógica Matemática pelo Instituto Tecnológico da 3 Instituto de Matemática Aplicada:

3 Aeronáutica - ITA e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, criado também o primeiro curso de Metodologia Matemática (Castro, op. cit.). Em 1969, foi criado a Sociedade Brasileira de Matemática-SBM e, em 1987, a sociedade Brasileira de Educação Matemática. Dos anos anteriores para os atuais, o crescimento dos cursos de Matemática tem sido grande. O número de cursos de Licenciatura em Matemática aumenta a cada dia nas diversas faculdades e universidades do país, com objetivo de preparar profissionais docentes para atuarem no ensino da Matemática, nos níveis Fundamental e Médio 4. A dedicação pela Matemática ganha força a cada dia, mas tem caído a procura pelo curso de Licenciatura em Matemática. A cada ano que passa há uma queda do número de professores nas escolas públicas. Em 2003 o déficit era de 254 mil principalmente docentes em Matemática, Física e Química (Klingl, 2003). Acredita-se que a queda da procura pelo curso de Matemática deve-se ao fato dela ser considerada entre todas as disciplinas a mais complicada e de difícil aprendizado, e tem sido ensinada de maneira tradicional e distanciada da realidade do aluno. A aversão pela Matemática é fruto decorrente de fatores psicológicos e intelectuais, efeitos este causadores da baixa auto-estima e fraco desempenho do aluno (Dal Vesco, 2002). Escolher um curso superior depende da sociedade em que a pessoa está inserida. A herança cultural é uma das grandes influenciadoras, o lar é o primeiro a impulsionar nas escolhas vocacionais, começando pela escola até chegar à aptidão profissional (Floriani, op. cit). Os cursos de Medicina e Engenharia levam os que o escolhem a um maior status social, porém quando o pré-universitário não consegue ingressar nestes cursos, busca os cursos de licenciatura. Os principais parâmetros de escolha do curso de Licenciatura em Matemática e outras licenciaturas é principalmente a vocação para o ensino, ou simplesmente por sobrevivência ou mesmo por influência familiar. Ao optar por um curso superior os alunos pré-universitários colocam os cursos de licenciaturas no último lugar das escolhas, reduzindo assim a procura por esse curso. A desvalorização da licenciatura imposta pelo sistema capitalista e cultural em que os prévestibulandos estão inseridos leva-os a acreditar que o diploma ao qual vão receber no final do curso pouco importa. Porém, o mais importante é ter melhor posição social, levando-os a escolher curso que não querem ou não gostam. 3. DADOS DO INEP Com intuito de verificar a velocidade da expansão e oferta de vagas oferecidas para o curso de Licenciatura em Matemática nos vestibulares do Brasil no período de 2000 a 2004, foram levantados dados junto ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais-INEP. Todas as informações estão disponíveis no sítio do órgão 5. 4 Brasil, Parâmetros Curriculares Nacionais: Disponível em 5 Dados sítio do INEP:

4 A análise dos dados disponíveis na tabela 1 permite concluir que no período de 2000 a 2004 houve crescimento considerável no número de vagas oferecidas pelo curso, que passaram de para , ou seja, um acréscimo de 21,5%. O mesmo ocorre com o número de candidatos inscritos nos vestibulares de todo país, que cresceu de para , acréscimo de 18%. No entanto, houve diminuição relativa quanto ao número de alunos que ingressaram no curso de Licenciatura em Matemática no mesmo período, ou seja, o aumento foi de para , o que representa 11%. Verifica-se ainda que em 2000, havia 327 cursos presenciais e matriculados neste ano e em 2004 tinha 466 do curso e matriculados correspondendo a 42,5% e 32,8% respectivamente. Concluíram o curso em 2000, dos que ingressaram em 1997 e em 2004 concluíram dos que ingressaram em 2000, isto corresponde que apenas 30,8% concluíram o curso de Licenciatura em Matemática em No Distrito Federal, no curso de Licenciatura em Matemática o número de vagas oferecidas era de 134 e se manteve estável até Crescendo para149 em 2004, acréscimo de 11,2%. Para os que se inscreveram no vestibular passou de 1050 para 863, decréscimo de 17,8%. Das 134 vagas oferecidas em 2000, 132 pessoas ingressaram no curso, significando praticamente não haver concorrência. De 2000 para 2004 houve aumento de vagas correspondente a 11,2%, mas das 149 vagas ofertadas em 2004 somente 95 foram ocupadas o que corresponde a uma queda de 28% dos ingressantes. No DF existiam dois cursos e 339 matriculados em 2000, aumentando para três cursos e 389 os matriculados em 2004 correspondendo a 50% e 12,68% o aumento respectivamente. Dos alunos que ingressaram em 97, 11 (onze) deles concluíram o curso de Licenciatura em Matemática em E dos 132 que ingressaram em 2000, 59 concluíram o curso de Licenciatura em Matemática, corresponde dizer que dos que ingressaram a 4 anos atrás apenas 44,7% conseguiram concluir o curso. Tabela-1: Dados do curso de Licenciatura em Matemática Anos Nº. vagas Nº. inscritos Nº.ingressantes Nº. cursos Nº. matriculados Nº. concluintes Brasil DF Fonte: INEP 6 6 Dados obtidos no sítio do INEP: http:

5 4. ANÁLISE DE DADOS O questionário foi aplicado a 140 (cento e quarenta) alunos da terceira série do Ensino Médio da rede pública de ensino, da cidade satélite de Ceilândia no Distrito Federal, com o objetivo de entender as razões pelas quais os estudantes que irão ingressar em uma instituição superior, hesitam em escolher o curso de Licenciatura em Matemática. Neste questionário havia 18 (dezoitos) questões de múltipla escolha, em algumas delas os estudantes tinha que enumera-las, sendo 1(um) o mais importante e quanto maior o número menor a importância. A amostra escolhida foram alunos da terceira série do Ensino Médio por serem aqueles que estão mais próximos de ingressarem em uma instituição superior. Após a análise das respostas 7, foi possível perceber, de maneira geral, que os estudantes concluintes do Ensino Médio têm objetivo de fazer uma graduação, por se depararem com o mercado de trabalho cada vez mais exigente e concorrido. Em decorrência disto, pensam em ir além da graduação. A tabela 2 mostra predominância do sexo feminino na amostra pesquisada, que a grande maioria deles é de solteiros e que mais de 2/3 destes tem idade entre 16 e 19 anos. Tabela-2: Sexo, idade e estado civil Nº. Estudantes % masculino 55 39,3 Sexo feminino 85 60,7 Solteiro (a) ,1 E.civil Casado (a) 08 5,7 Mora c/ companheiro (a) 03 2,2 Menos de 16 anos 01 0, anos 26 18, anos Idade anos 31 22, anos 10 7, anos 10 7, anos 02 1,4 Mais de 23 anos 11 7,8 A tabela 3 apresenta os resultados obtidos da questão que investigou o que os entrevistados levavam em conta no momento em que iriam escolher uma universidade ou faculdade. Para isso foram estabelecidos seis quesitos que deveriam ser enumerados de um a seis, sendo um o mais importante e seis o menos importante. 7 Os dados obtidos são apresentados nas tabelas com as freqüências absolutas. Para a análise foi considerada a forma decimal.

6 Tabela-3: Motivos que se deve levar em conta na hora de se escolher uma instituição 1º 2º 3º 4º 5º 6º Boa avaliação do MEC Mensalidade mais baixa Tem o curso de preferência Tradição da faculdade Indicação de amigos Proximidade da residência Observa-se que 45,7% dos estudantes acham importante avaliação do Ministério da Educação-MEC, 23,6% baixas mensalidades, 20% ter o curso pretendido, 7,9% ter tradição e 1,4% ser próximo à residência e indicação de amigos. São inúmeras as razões que levam os estudantes a optarem por determinada instituição. A maioria deles deu maior importância para a avaliação do MEC, pois esta visa realizar e reconhecer ou até mesmo renovar o reconhecimento dos cursos de graduação, sendo medida necessária para emissão do diploma. Vale informar que os respondentes são alunos de classe média baixa que têm dificuldades em pagar mensalidades altas existentes em algumas instituições, por isso privilegiam as baixas mensalidades. A necessidade de se ter o curso pretendido na instituição escolhida dá credibilidade à própria instituição, pois quando os estudantes fazem o curso que gostam, estudam com maior prazer e recomendam a instituição a outras pessoas. A tradição da faculdade é um item importantíssimo, pois ter tradição é estar no mercado há anos. Isto é buscar inovação e qualificação para os cursos existente em cada faculdade e universidade. Se a instituição tem nome no mercado, é porque oferece formação de qualidade. (Alfinito, 2002). Quanto a ser próximo à residência sugere a agilidade em chegar a instituição ou mesmo em casa no percurso de volta, fato que é bastante relevante para os alunos. A indicação de amigo, também foi um dos motivos alegados pelos alunos, mas em menor escala. Essa idéia veio contrariando as hipóteses iniciais, pois se acreditava que ela teria maior escolha pelos alunos, visto que quando alguém indica uma instituição, é porque ele a conhece bem ou já estudou nela. Quando perguntado quanto a escolha da instituição para buscar seu curso superior somente 38,6% já escolheu a instituição para se candidatar. Destes 81,9% afirmam ter nesta instituição o curso pretendido e somente 5,5% não encontrou na instituição escolhida o curso de sua pretensão e o restante não responderam nada. Talvez a maioria dos estudantes não tenha escolhido a instituição por não saber qual o curso que querem fazer, sendo eles de escolas públicas e renda baixa os

7 alunos podem estar com dificuldades para conhecer as instituições ou mesmo não estão preparados suficientemente para se candidatar a alguma delas. No entanto, ter o curso pretendido significa ter real interesse pela área que escolheram e poder assim desenvolver melhor sua vocação. A tabela 4 é resultado obtido dos motivos que se devem levar em conta para obter por um curso superior (graduação). Tabela 4: Os motivos que se deve levar em conta, para se obter um curso superior graduação 1º 2º 3º 4º 5º 6º Crescer profissionalmente Para ter uma melhor posição social Para melhorar as condições financeiras Para ter mais prestígio Porque a sociedade exige Porque a família exige Cerca de 57,8% dos estudantes estão certos de dar grau elevado para o crescimento profissional, seguido de posição social com 14,3% deles, 13,6% quer melhorar as condições financeiras, 10% quer ter mais prestígio, 2,9% acredita que a sociedade exige e 1,4% a família exige. Obter uma graduação deixou de ser algo que apenas a classe alta pode alcançar. A sociedade que o país encontra-se hoje é muito exigente. Obter um curso superior passou a ser exigência fundamental na hora de concorrer a uma vaga no mercado de trabalho. A maioria dos entrevistados deseja obter crescimento profissional voltado para o mercado de trabalho, mas buscando uma maior ascensão social ou manutenção de sua posição social, convergindo assim para melhorar as condições financeiras seguida de prestígio. Sendo pouco relevante a exigência da sociedade e da família. Quando perguntado ao aluno se a graduação era suficiente para ingressar no mercado de trabalho apenas 7,8 % respondeu que a graduação é suficiente, pois segundo eles terão maior facilidade ao ingressar no mercado de trabalho. Atingindo um nível social que apenas 10% da população possuem, acreditando assim, que o diploma abre portas para a mudança exigida por este mercado. Que não se interessa pela capacidade profissional do cidadão. Quase todos os estudantes, ou seja, 91,4% deles acredita que ter graduação não é suficiente para entrar no mercado de trabalho, pois há pessoas que terminam o curso superior e não consegue integrar-se ao mercado. O conhecimento adquirido e a inovações são coisas que capacitam e facilitam a entrada neste mercado, cada vez mais exigente e competitivo. Ser responsável, profissional, competente, criativo, compromissado, ter força de vontade, ser persistência, ter disciplina e ética são fatores considerados importante pelos entrevistados para se ter bom desempenho profissional.

8 Tendo em vista que as empresas não estão mais em busca de pessoas que possuam apenas o Ensino Médio, a maioria dos estudantes acredita que se especializar e se capacitar é quesito importante ao terminar um curso superior, com isso melhorar a vida social. Os entrevistados são conscientes de seu papel perante a sociedade, preocupados desde o Ensino Médio com as dificuldades que irão enfrentar no futuro. Ao perguntar aos entrevistados quais os motivos que se devem levar em conta na hora de escolher um curso superior, 67% dos entrevistados acredita que é importante ter o curso pretendido na instituição superior, 12% acha que é a boa avaliação do MEC, 11% se a têm aos salários dos profissionais formados, 6% porque os preços das mensalidades são acessíveis e 4% por falta de opção. Ao optar por um curso superior é importante para os estudantes que se tenha o curso pretendido na instituição, pois eles acreditam que ter prazer naquilo que faz é o primeiro passo para ser um profissional de sucesso. No entanto, a avaliação do MEC, ficou em segundo lugar para ele, mas entende-se que há grande importância nesta avaliação, seguidos de ter bons salários e com mensalidades mais baixas terão oportunidades de fazer o curso pretendido. A maioria não se disporia a um curso superior por falta de opção. Ao ser questionado aos entrevistados, qual seria a intenção em cursar Matemática, caso a instituição pretendida não ofereça o curso preferido, 33,6% faria o curso de Licenciatura em Matemática e 66,4% não faria o curso. Mais da metade dos estudantes não faria o curso de Matemática, porém isso não significa haver aversão a ela, apesar da Matemática ser considerada a disciplina que mais gera aversão entre os alunos (Carmo, 2000). O fato aversivo é fruto da complexidade da matéria que se desenvolvem de forma abstrata, fatores este causadores da baixa auto-estima e fraco desempenho do aluno dos primeiros aos últimos anos de estudo, comprometendo a escolha pelo curso de Licenciatura em Matemática. Quanto à opção dos estudantes pelas licenciaturas, 57% faria um curso de licenciatura e 43% não escolheria licenciatura para graduar-se. Os principais parâmetros de escolha para o curso de Licenciatura em Matemática ou qualquer outra licenciatura é principalmente a vocação (Campbell, op. cit) para o ensino, ou simplesmente por sobrevivência. A vocação atualmente é o principal fator de escolha dos cursos de licenciatura. Ao decidir-se por outros cursos, os alunos pré-universitários colocam os cursos de licenciaturas em último plano, reduzindo assim a procura por este curso. Dos 57% que declararam sim para curso licenciatura, 23,7% dos estudantes faria Educação Física, 21,25% Letras, 11,25% Biologia, 7,5% fariam Matemática e

9 História, 6,5% fariam Física, Geografia e Filosofia, 3,75% fariam sociologia, 1,4% fariam Inglês e Química e somente 0,7% faria Artes. Quando perguntado qual seria dos cursos acima que não fariam em nenhuma hipótese 57,14% dos entrevistados não faria Matemática, 50% não faria Física e 48,57% não se candidataria a Química. Os cursos de licenciatura que mais foram aceitos pelos estudantes são: Letras e Educação Física. No entanto, os cursos de exatas são os menos preferidos entre os alunos. Dos cursos de exatas, o de Matemática encontra-se em última escolha, isto é, ela não é a mais preferida dos cursos. Mais da metade dos alunos não a optaria de jeito nenhum, por eles considerarem a Matemática como a disciplina a mais complicada e de difícil aprendizado e, além disto, tem sido ensinada de maneira tradicionalista. Pediu-se então que os entrevistados escrevessem uma palavra que representasse seu sentimento em relação à Matemática, percebem-se assim aqueles que gostam ou simpatizam com a Matemática, as palavras mais citadas nas respostas foram alegria, conhecimento, essencial, boa, desafio, fundamental, fácil, habilidade, paixão, divertida, amor, simpatia, ótima, intelectualidade, conquista, persistência, dedicação, esforço, interessante e importante. Alguns alunos não concordam e nem discordam da Matemática dando-lhe palavras como problema, necessária, razoável, complexa, considerável, exatidão, lógica, mundo, atenção, capacidade, concentração, solução, evolução e aprender. E outros estudantes aplicaram palavras que demonstravam sua aversão pela Matemática são elas: complicadas, dificuldade, obrigação, terrível, ódio, raiva, impaciência, horror, ruim, terrorismo, encrenca, embaraçosa, péssima, pavor, detestável e indignação. Quando perguntado aos alunos sobre a pouca concorrência para o vestibular de Matemática, 17,85% se candidatariam, 35% talvez se candidatassem e 47,15% não se candidatariam. Os cursos de Matemática oferecidos pelas diversas faculdades e universidades do país estão cada vez menos concorridos como já foi visto nos dados disponibilizados pelo INEP. Candidatar-se ao curso de Licenciatura em Matemática exige afinidade com a matéria. Os que se candidatariam provavelmente são os que gostam de Matemática e não teriam dificuldade alguma em candidatar-se ao curso. Os que talvez se candidatassem são os que encontram afinidade com a ela, mas não suficiente para fazê-la, pois não encontram nos ensinamentos anteriores conhecimento hábil para estudá-la com profundidade. Os que não se candidatam ao curso são os que não têm nenhuma afinidade com a Matemática.

10 Ao questionar com os estudantes, o que eles achavam do mercado de trabalho para o formado em Matemática, 63,57% acredita que o mercado de trabalho é amplo e 35,7% acha que é este mercado é pequeno. O formado em Matemática tem vasto mercado de trabalho. Julgar-se que há vagas para estes profissionais em escolas públicas e particulares, cursos preparatórios para concursos e vestibulares. E há também empresas que contratam esses profissionais para o departamento financeiro, estatístico dentre outros. Por isso, é preciso desmistificar que a profissão de educador é um sacerdócio, com grande valor social, mas sem valorização. Diante desta situação foi perguntado aos entrevistados como eles viam os salários dos professores de Matemática, logo 43,57% acham que são bons, 42,85% falam que são razoáveis, 5% cotaram como muito bom, 4,3% acreditam que os salários são ruins, 3,5% vêem os salários dos professores excelentes. A maioria dos estudantes acredita que os salários dos professores de Matemática são bons ou razoáveis e poucos deles acreditam que estes salários são ruins, apesar dos próprios professores relatarem seus salários ruins, motivo este que desvaloriza a profissão. Desta forma, os baixos salários deixam de ser a principal hipótese do desinteresse pelo curso de Matemática. No entanto, não é descartada. Para se ter status social maior, os entrevistados preferem outros cursos que oferecem salários equivalentes ao dobro do que ganha um educador. Quando perguntado aos estudantes quais os fatores que influenciava na decisão da futura profissão. A identidade profissional foi o fator que mais influenciou na hora de decidir por uma profissão com 61,42% dos estudantes; facilidade de obter emprego esteve entres eles com 32,14%, estímulo financeiro indicou o percentual de 23,57%, as informações gerais, revistas, jornais ou TV influenciam 21,42%, o trabalho coopera na decisão de cerca de 20% destes, os pais contribuem com 10,71% das escolhas, a escola/professores com 8,56% e os amigos com 3,57%. Os estudantes encontram na identificação profissional o fator que mais influencia no momento de se escolher uma profissão, em seguida facilidade de se encontrar emprego acrescido do estímulo financeiro. As informações gerais predominam para uma pequena maioria, as quais indicam o marketing das instituições. O trabalho, porém, somente influência àqueles que devem seguir carreira na empresa em que trabalham. Os pais, a escola ou professores e amigos inspiram uma pequena maioria, pois hoje os pais não exigem que o filho siga sua profissão.

11 A vivência do aluno e a postura do professor com a Matemática influência no conhecimento daqueles que a utilizam, pois os professores se valem dos mesmos métodos de ensino e técnicas tradicionais, o modo de dar aulas é sempre o mesmo, levando os alunos a criar em si uma aversão pela Matemática, dificultando a apropriação do conhecimento (Dal Vesco, op. Cit.). 5. Tabela de dados Tabela-5: Motivos que se deve levar em conta, na hora de se escolher um curso superior 1º 2º 3º 4º 5º Porque é o curso de sua preferência Porque o curso tem boa avaliação do MEC Porque os salários do profissional formado são bons Porque o curso tem preço accessível Falta de opção Tabela -6: opção pelas licenciaturas 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º E.física Letras Biologia Matemática Historia Física Geografia Filosofia Sociologia Inglês Química Artes Tabela -7: Os que não fariam Matemática de jeito nenhum Não faria o curso % E.física Letras Biologia 68 48,6 Matemática 58 41,4 Historia 51 36,4 Física 36 25,7 Geografia Filosofia 29 20,7 Sociologia Inglês Química 23 16,4 Artes 19 13,6 Tabela-7: Os salários dos professores de Matemática excelentes Muitos bons bons razoáveis Ruins Nº. de alunos % 3, ,57 42,86 4,28

12 Tabela-8: Questões sim, não e talvez Questões sim % Não % talvez % Você já escolheu a instituição onde vai prestar vestibular 54 38, , Caso a resposta tenha sido sim, a instituição de sua escolha tem o curso de sua preferência? 44 81, , Em sua opinião, para ingressar no mercado de trabalho, apenas a graduação é suficiente. 11 7, , Se a Instituição que você escolheu para estudar não tivesse o curso de sua preferência, e só tivesse o curso de Licenciatura em Matemática você o faria? 47 33, , Se não houvesse muitas opções de curso na instituição que você escolheu você optaria por um 80 57, , curso de licenciatura? Você acha que há um amplo mercado de trabalho para o formado em Matemática 89 63, , Sabendo que há pouca concorrência para o curso de Matemática, você se candidataria ao curso , , Tabela-9: Fatores que influenciam na decisão da futura profissão Nº. de estudantes % Os pais 15 10,71 A escola/professor 12 8,57 Os amigos 05 3,57 Informações gerais, revista, jornais ou TV ,43 O trabalho 24 17,14 Estimulo Financeiro 33 23,57 Facilidade de emprego 45 32,14 Identificação profissional 86 61,42 7. Considerações finais Os dados revelados por esta pesquisa refletem a realidade dos alunos que não se interessam pelo curso de Licenciatura em Matemática. Diante do que foi analisado pôde-se concluir, que há uma grande queda na procura pelo curso de Licenciatura em Matemática, visto que a Matemática é considerada entre todas as disciplinas a mais difícil e complicada. Pôde-se ainda concluir que existem três categorias de sentimentos relacionados à Matemática. O que a Matemática agrada e os que se atraem, mas não se interessam e aqueles que não gostam dela. Os que a Matemática agrada são alunos que despertam bastante afinidade pela matéria e não encontram nenhuma dificuldade em candidatar-se ao curso de Licenciatura em Matemática. Os que se atraem são estudantes que se deparam com as dificuldades ao aprender Matemática,

13 mas não às levam em conta, pois é a falta de conhecimento anterior que os desmotivam a candidatar-se ao curso. Os que não gostam de Matemática são exatamente aqueles que têm aversão por ela e não se disporiam ao curso em hipótese alguma. Para aumentar a procura pelo curso de Licenciatura em Matemática, propõe-se, que as faculdades e universidades tomem para si a responsabilidade de subsidiar meios que possam submeter aqueles alunos que se sentem atraídos por Matemática, mas não se interessam pelo curso haja vista que as instituições podem contribuir realizando marketing do curso, proporcionando aos estudantes conhecer o mercado de trabalho e perspectivas salariais. 8. Referências bibliográficas ALFINITO, Solange. O que pesa na escolha da faculdade. Tese de mestrado-universidade de Brasília disponível em:< fttp: //www.universa.com.br>. Acesso em 12 de out Brasil, Parâmetros Curriculares Nacionais. Disponível em: <fttp: //www.mec.gov.br>. Acesso em: 05 agost CAMPBELL, Selma Inês. Valorização do magistério. ABC Educatio. São Paulo, n 47, p CARMO, João dos Santos. Conhecimentos de Estudantes de Licenciatura em Matemática Acerca do Conceito de Número. Programa de pós-graduação em educação-universidade federal de são Carlos Disponível em<http://www.ufmt/revista/artigo/rev18/carmo.htm>.acesso em: 18 agos CASTRO, F.M. de Oliveira; A matemática no Brasil. Campinas, SP: ed. UNICAMP, D ABROSIO, Ubiratan: Da realidade a ação. Reflexão sobre a educação e matemática. 5. ed.são Paulo. Summus editorial, DAL VESCO, Álida Argenta. Alfabetização matemática e as fontes de estresse no estudante. RS. ed.upf, 2002 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Disponível em: <www.inep.gov.br> acesso em 13 de outubro de 2005, 18h45min. FLORIANI, Jose Valdir. Professor e Pesquisador: Exemplificação apoiada na matemática. ed.2. FURB, Blumenau, KLINGL, Érika; E o professor sumiu... Correio Brasiliense, Brasília-DF, agosto de SILVA, Pereira Clóvis. A Historia da Matemática no Brasil. Disponível em: <www.accefyn.org.com>/plubliacard/clovespdt/intro. a matemática no Brasil> acesso em 20 de setembro de 2006, 18h30min. Panorama dos recursos humanos em matemática no Brasil: Premier crescer. Sociedade Brasileira de matemática e Instituto de matemática pura e aplicada. Disponível em: <http://www.sbm.org.br/files/panmat.pdf.htm>. Acesso em 20 de out

PROFISSÃO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO SOBRE O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA UEPB MONTEIRO PB.

PROFISSÃO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO SOBRE O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA UEPB MONTEIRO PB. PROFISSÃO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO SOBRE O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA UEPB MONTEIRO PB. Cícero Félix da Silva Universidade Estadual da Paraíba Campus Monteiro cicero.bv_2007@hotmail.com

Leia mais

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações.

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações. 24 CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE Profª Ms Angela Maria Venturini Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro/ISERJ RESUMO O Curso Normal Superior (CNS) do Instituto Superior de Educação

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 ALUNOS DA LICENCIATURA QUE NÃO QUEREM SER PROFESSORES TRAÇOS DO PERFIL DOS ESTUDANTES DO CURSO DE MATEMÁTICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI Marcilia Bruna dos Reis Teixeira Universidade Federal

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br

A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar www.proenem.com.br INSTRUÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP Alunos apontam melhorias na graduação Aumenta grau de formação dos professores e estudantes mostram que cursos possibilitam

Leia mais

DA UNIVERSIDADE AO TRABALHO DOCENTE OU DO MUNDO FICCIONAL AO REAL: EXPECTATIVAS DE FUTUROS PROFISSIONAIS DOCENTES

DA UNIVERSIDADE AO TRABALHO DOCENTE OU DO MUNDO FICCIONAL AO REAL: EXPECTATIVAS DE FUTUROS PROFISSIONAIS DOCENTES DA UNIVERSIDADE AO TRABALHO DOCENTE OU DO MUNDO FICCIONAL AO REAL: EXPECTATIVAS DE FUTUROS PROFISSIONAIS DOCENTES Karem Nacostielle EUFRÁSIO Campus Jataí karemnacostielle@gmail.com Sílvio Ribeiro DA SILVA

Leia mais

Graduação, a escolha entre licenciatura e bacharelado.

Graduação, a escolha entre licenciatura e bacharelado. Graduação, a escolha entre licenciatura e bacharelado. Vanessa Ferreira da Silveira Professora Orientadora Ileizi Fiorelli Silva Resumo: Neste texto pretendo discutir a separação entre Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

POR QUE FAZER ENGENHARIA FÍSICA NO BRASIL? QUEM ESTÁ CURSANDO ENGENHARIA FÍSICA NA UFSCAR?

POR QUE FAZER ENGENHARIA FÍSICA NO BRASIL? QUEM ESTÁ CURSANDO ENGENHARIA FÍSICA NA UFSCAR? POR QUE FAZER ENGENHARIA FÍSICA NO BRASIL? QUEM ESTÁ CURSANDO ENGENHARIA FÍSICA NA UFSCAR? Póvoa, J. M, Ducinei Garcia Departamento de Física - Universidade Federal de São Carlos Via Washington Luiz, Km

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO Joaquim Mourato (Presidente do CCISP e do IP de Portalegre) XX Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros Centro de Congressos da Alfândega do Porto 18.10.2014 SUMÁRIO

Leia mais

O FUTURO PROFISSIONAL DOS TÉCNICOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ

O FUTURO PROFISSIONAL DOS TÉCNICOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ O FUTURO PROFISSIONAL DOS TÉCNICOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ Caroline Estercio 1 ; Valéria Machado 2 ; Roberta Raquel 3 RESUMO O presente trabalho tem como objetivo identificar o

Leia mais

PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú

PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú Fernando Deodato Crispim Junior 1 ; Matheus dos Santos Modesti 2 ; Nadia Rocha Veriguine 3 RESUMO O trabalho aborda a temática da

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

Casalechi, V. L. 1,2, Sonnewend, D.. 1,2, Oliveira, J. L. 1,2 Dejuste, M. T. 2

Casalechi, V. L. 1,2, Sonnewend, D.. 1,2, Oliveira, J. L. 1,2 Dejuste, M. T. 2 A MOTIVAÇÃO PARA O INGRESSO DA CARREIRA DE CIRURGIÃO DENTISTA E A PERSPECTIVA DO MERCADO ODONTOLÓGICO ENTRE ACADÊMICOS DE 1º E 5º ANO DA UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA Casalechi, V. L. 1,2, Sonnewend,

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito CARIACICA-ES ABRIL DE 2011 FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Pesquisa direcionada a alunos egressos dos cursos

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DE 2009

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DE 2009 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DE 2009 Brasília DF 2010 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 PROCESSO DE COLETA

Leia mais

Enquete. Dia dos Professores

Enquete. Dia dos Professores Enquete Dia dos Professores No dia 15 de outubro será comemorado o dia do professor. Muito se fala que a profissão, apesar de muito importante, perdeu seu glamour e prestígio, sendo incapaz de atrair a

Leia mais

A formação do licenciado em matemática

A formação do licenciado em matemática A formação do licenciado em matemática VIANA,P.A. Sobral Matemática Universidade Estadual Vale do Acaraú 6 de agosto de 2011 paty.alvi@hotmail.com pré-prints da Sobral Matemática no.2011-02 Editor Tarcisio

Leia mais

FORMAÇÃO MATEMÁTICA EM CURSOS DE PEDAGOGIA EM DOIS TEMPOS: UM ESTUDO

FORMAÇÃO MATEMÁTICA EM CURSOS DE PEDAGOGIA EM DOIS TEMPOS: UM ESTUDO FORMAÇÃO MATEMÁTICA EM CURSOS DE PEDAGOGIA EM DOIS TEMPOS: UM ESTUDO Thiago Tavares Borchardt Universidade Federal de Pelotas thiago tb@hotmail.com Márcia Souza da Fonseca Universidade Federal de Pelotas

Leia mais

Curso de Graduação em Administração

Curso de Graduação em Administração Curso de Graduação em Administração O curso de Administração da ESPM forma excelentes profissionais há mais de uma década. Iniciado em 1990, formou sua primeira turma em 1994, quando o curso tinha cinco

Leia mais

Por que a docência não atrai

Por que a docência não atrai Leia, com atenção, o texto abaixo (TextoI). Por que a docência não atrai Baixos salários, desvalorização social e más condições de trabalho. De acordo com os resultados do estudo da Fundação Victor Civita,

Leia mais

Tecnológicos Corpo docente Atendimento especial Licenciaturas Educação a distância Graduações mais procuradas -

Tecnológicos Corpo docente Atendimento especial Licenciaturas Educação a distância Graduações mais procuradas - Matrículas no ensino superior crescem 3,8% Texto-síntese do portal no INEP (http://portal.inep.gov.br/visualizar/-/asset_publisher/6ahj/content/matriculas-no-ensino-superior-crescem-3-8? redirect=http%3a%2f%2fportal.inep.gov.br%2f)

Leia mais

O estudante de Pedagogia deve gostar muito de ler e possuir boa capacidade de concentração porque receberá muitos textos teóricos para estudar.

O estudante de Pedagogia deve gostar muito de ler e possuir boa capacidade de concentração porque receberá muitos textos teóricos para estudar. PEDAGOGIA Você já deve ter ouvido alguém falar que o nível educacional de um povo é muito importante para o seu desenvolvimento e que a educação faz muita diferença na vida das pessoas, não é mesmo? Por

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Resumo ISSN 2316-7785 PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Stephanie Abé abe.stephanie1@gmail.com Ana Caroline Pierini karolpierini@gmail.com Luana Kuister Xavier

Leia mais

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG Juliana Diniz Gutierres FURG Stephany Sieczka Ely FURG Maria Renata Alonso Mota FURG Suzane da Rocha Vieira FURG Resumo: Esse estudo apresenta parte dos

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ.

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. Alessandra da Costa Marques; Najara Siva; Lúcia Maria Assunção

Leia mais

RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010

RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010 RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010 UBERLÂNDIA, MG JANEIRO, 2011 1 Este relatório aqui apresentado foi elaborado pela Comissão Própria de Avaliação da Faculdade

Leia mais

FORMULÁRIO PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS QUESTÕES ABERTAS

FORMULÁRIO PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS QUESTÕES ABERTAS 1 FORMULÁRIO PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS ABERTAS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇAO INSTITUCIONAL CPA FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE CONGONHAS Responderam a este primeiro grupo de questões abertas

Leia mais

Um estudo sobre as características dos acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da UNIOESTE

Um estudo sobre as características dos acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da UNIOESTE Um estudo sobre as características dos acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da UNIOESTE Udo Strassburg (Docente da UNIOESTE), udo@udostrassburg.com.br, rua Rodrigues Alves, 1197, Jardim Maria Luiza,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A educação é um dos pilares da sociedade e no nosso emprego não é diferente. Um povo culto está mais preparado para criar, planejar e executar os projetos para

Leia mais

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto?

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto? A EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA E O FUTURO Arnaldo Niskier 1 - Qual a relação existente entre as transformações do mundo educacional e profissional e a educação à distância? A educação à distância pressupõe uma

Leia mais

VESTIBULAR: Uma escolha profissional que interliga a família e a escola

VESTIBULAR: Uma escolha profissional que interliga a família e a escola VESTIBULAR: Uma escolha profissional que interliga a família e a escola Caroline Pilar 1 Simone Medianeira Franzin 2 Resumo: A escolha profissional dos alunos no final do Ensino Médio tem sido pensada

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

difusão de idéias EDUCAÇÃO INFANTIL SEGMENTO QUE DEVE SER VALORIZADO

difusão de idéias EDUCAÇÃO INFANTIL SEGMENTO QUE DEVE SER VALORIZADO Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias outubro/2007 página 1 EDUCAÇÃO INFANTIL SEGMENTO QUE DEVE SER VALORIZADO Moysés Kuhlmann :A educação da criança pequena também deve ser pensada na perspectiva de

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2013

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2013 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Censo da Educação Superior 2013 Quadro Resumo- Estatísticas gerais da Educação Superior, por Categoria Administrativa-

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO Resultados do ENADE 2012 e do Censo da Educação Superior 2013 dos Cursos de Bacharelado em Administração e dos Cursos Superiores de Tecnologia em determinadas áreas da Administração Bahia Janeiro de 2015

Leia mais

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Revista Eletrônica de Educação de Alagoas - REDUC ISSN 2317-1170 V. 01, N. 02 (2013) A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Patrícia

Leia mais

Prepare-se para Faculdade. Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios

Prepare-se para Faculdade. Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios Prepare-se para Faculdade Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios Sucesso $$$ sonho habilidade Passos para Faculdade 1- Conhecer você mesmo. 2- Características da faculdade.

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior

A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior Janaína Batista da Silva Larissa Horrara de Almeida Leonardo Lopes Liliana Oliveira Palhares da Silva Luciana

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: DIFICULDADES, ANSEIOS E SUGESTÕES DOS ALUNOS.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: DIFICULDADES, ANSEIOS E SUGESTÕES DOS ALUNOS. N 430 - OLIVEIRA Eloiza da Silva Gomes de, ENCARNAÇÃO Aline Pereira da, SANTOS Lázaro ACESSO AO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: DIFICULDADES, ANSEIOS E SUGESTÕES DOS ALUNOS. O Vestibular se reveste de grande

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais

Opinião N15 ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DOS COTISTAS DOS CURSOS DE MEDICINA E DIREITO NO BRASIL

Opinião N15 ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DOS COTISTAS DOS CURSOS DE MEDICINA E DIREITO NO BRASIL Opinião N15 ANÁLISE DO DESEMPENHO ACADÊMICO DOS COTISTAS DOS CURSOS DE MEDICINA E DIREITO NO BRASIL MÁRCIA MARQUES DE CARVALHO 1 E GRAZIELE DOS SANTOS CERQUEIRA 2 As políticas de ação afirmativa no acesso

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO: O QUE PENSAM PROFESSORES, ALUNOS E REPRESENTANTES DO COMÉRCIO DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA

MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO: O QUE PENSAM PROFESSORES, ALUNOS E REPRESENTANTES DO COMÉRCIO DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO: O QUE PENSAM PROFESSORES, ALUNOS E REPRESENTANTES DO COMÉRCIO DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA José Roberto da silva Almeida, Arno Bayer jrsa12@hotmail.com,

Leia mais

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1 Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 Ana Luiza Araujo COSTA anaepietro26@gmail.com Maria Simone

Leia mais

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho Pesquisa Semesp A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho 2008 Ensino superior é um forte alavancador da carreira profissional A terceira Pesquisa Semesp sobre a formação acadêmica dos profissionais

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010

RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010 Autoria: Prof. Dr. Introdução Entre os dias 08 e 10 de dezembro de 2010 ocorreu na sede da Etec-Cepam a primeira edição do curso de

Leia mais

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL Perspectiva das Entidades Empregadoras Julho 2011 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento e Qualidade

Leia mais

OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS

OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS EDITORIAL Bem vindos à nossa pesquisa. No Brasil desde 2000, a Michael Page foi a primeira consultoria internacional de recrutamento

Leia mais

IBTA Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada Conectado em você.

IBTA Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada Conectado em você. Manual do Candidato Graduação 3º Trimestre de 2014 IBTA Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada Conectado em você. IBTA Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada foi fundado em 2001, com o objetivo

Leia mais

CURSO: Matemática. Missão

CURSO: Matemática. Missão CURSO: Matemática Missão O Curso de Licenciatura em Matemática tem por missão a formação de docentes com um novo perfil fundamentado na conexão de dois eixos, pedagógico e matemático, permeado pelos recursos

Leia mais

Metodologia Para a realização desse trabalho foi analisado o Documento orientador

Metodologia Para a realização desse trabalho foi analisado o Documento orientador FORMAÇÃO CONTINUADA: UMA ANÁLISE DA APLICAÇÃO DO SISMÉDIO NA ESCOLA PROFESSOR JOSÉ SOARES DE CARVALHO- GUARABIRA-PB Gyslâynne Mary dos Santos Hermenegildo Rodrigues EEEFM Professor José Soares de Carvalho

Leia mais

PROPOSTA PARA INCENTIVO À FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS NO BRASIL

PROPOSTA PARA INCENTIVO À FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS NO BRASIL PROPOSTA PARA INCENTIVO À FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS NO BRASIL Roberto Leal Lobo e Silva Filho O Brasil vem se projetando internacionalmente e seu desenvolvimento o incluiu na sigla do grupo conhecido como

Leia mais

Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes)

Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) Perguntas frequentes 1. ENADE 1.1. Qual a legislação pertinente ao ENADE? Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) Portaria Normativa

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

QUERO SER PROFESSOR UNIVERSITÁRIO: o interesse de licenciados em Educação Física

QUERO SER PROFESSOR UNIVERSITÁRIO: o interesse de licenciados em Educação Física QUERO SER PROFESSOR UNIVERSITÁRIO: o interesse de licenciados em Educação Física Susana Schneid Scherer 1 - IFSUL-RS Carmem Lucia Lascano Pinto - IFSUL- RS Resumo: Partindo da premissa de que a profissão

Leia mais

PERFIL SÓCIOECONÔMICO DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DA UEPB

PERFIL SÓCIOECONÔMICO DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DA UEPB PERFIL SÓCIOECONÔMICO DOS ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DA UEPB Deomário Ferreira do NASCIMENTO JÚNIOR 1, Maria Betania Hermenegildo dos SANTOS 1, Thiago Pereira da SILVA 1, Yuri José dos

Leia mais

definido, cujas características são condições para a expressão prática da actividade profissional (GIMENO SACRISTAN, 1995, p. 66).

definido, cujas características são condições para a expressão prática da actividade profissional (GIMENO SACRISTAN, 1995, p. 66). A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES PROFISSIONAIS DE ESTUDANTES DE PEDAGOGIA Rita de Cássia de Alcântara Braúna UFV/MG - rbrauna@ufv.br Agência Financiadora: FAPEMIG e CNPq Introdução Pesquisas na área da formação

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA 0 EDUCAÇÃO BÁSICA Brasileiros reconhecem que baixa qualidade da educação prejudica o país A maior parte dos brasileiros reconhece que uma educação de baixa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Janeiro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Janeiro de 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2009 Janeiro de 2011 PRINCIPAIS RESULTADOS - CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR GRADUAÇÃO

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

RAZÕES QUE DESMOTIVAM E MOTIVAM NA APRENDIZAGEM EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE PELOTAS

RAZÕES QUE DESMOTIVAM E MOTIVAM NA APRENDIZAGEM EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE PELOTAS RAZÕES QUE DESMOTIVAM E MOTIVAM NA APRENDIZAGEM EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE PELOTAS Roberta A. dos Santos 1* (IC), Karen.L. Cruz 1 (IC) Verno Krüger 2 (PQ) beta x@hotmail.com 1-

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA Zuleide Demetrio Minatti 1 Nilson Thomé 2 UNIPLAC. Resumo: Na atualidade observa-se o crescimento da demanda por cursos

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EM EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE MÉDIO PORTE NO BRASIL. Elisabete Maria de Freitas Arquiteta

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 22

Transcrição de Entrevista n º 22 Transcrição de Entrevista n º 22 E Entrevistador E22 Entrevistado 22 Sexo Masculino Idade 50 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante

Leia mais

Palavras-chave: Transição acadêmico-profissional; formação em Psicologia; mercado de trabalho.

Palavras-chave: Transição acadêmico-profissional; formação em Psicologia; mercado de trabalho. 1 FORMAÇÃO, INSERÇÃO E ATUAÇÃO PROFISSIONAL NA PERSPECTIVA DOS EGRESSOS DE UM CURSO DE PSICOLOGIA. BOBATO, Sueli Terezinha, Mestre em Psicologia pela UFSC, Docente do Curso de Psicologia na Universidade

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

CURSO PRÉ-VESTIBULAR UNE-TODOS: CONTRIBUINDO PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO *

CURSO PRÉ-VESTIBULAR UNE-TODOS: CONTRIBUINDO PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO * CURSO PRÉ-VESTIBULAR UNE-TODOS: CONTRIBUINDO PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO * COSTA, Marcia de Souza 1, PAES, Maria Helena Rodrigues 2 ; Palavras-chave: Pré-vestibular

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 1. Taxas de resposta RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 21% 29% 79% 71% Responderam Não responderam Responderam Não responderam Gráfico nº 1 - Frequência percentual de respostas dos novos alunos

Leia mais

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO Cícero Félix da Silva; Izailma Nunes de Lima; Ricardo Bandeira de Souza; Manoela

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms.

PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms. FUNDAÇÃO UNIVERSITARIA FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms. Autores: Prof. Paulo Alexandre Oliveira Acad.

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO ISSN 2316-7785 PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO RESUMO Karen Rodrigues Copello Universidade Federal de Santa Maria karen_keruso@hotmail.com Debora Silvana Soares Universidade

Leia mais

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS?

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS? A Pós-Graduação da PUCRS é a porta de entrada para um novo momento da sua vida profissional e acadêmica. Você pode ampliar habilidades, fomentar ideias e adquirir conhecimento com experiências inovadoras

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE ALMEIDA 1, Leonardo Rodrigues de SOUSA 2, Raniere Lima Menezes de PEREIRA

Leia mais

O mercado de trabalho e o ensino EAD

O mercado de trabalho e o ensino EAD O mercado de trabalho e o ensino EAD Caio Álvares e Souza Filipe Ribeiro Navarro Josemir Virginio dos Santos Junior Resumo O ensino EaD cresce no Brasil de acordo com o Censo do Ensino Superior 2010 do

Leia mais

CURSOS DE PROGRESSÃO LINEAR (C P L)

CURSOS DE PROGRESSÃO LINEAR (C P L) CURSOS DE PROGRESSÃO LINEAR (C P L) (VESTIBULAR EM DUAS FASES) São aqueles tradicionalmente oferecidos pela UFBA, acrescidos de 26 novas opções de curso, das quais 18 no noturno, nas modalidades Licenciatura,

Leia mais

EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA

EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA ISSN 2177-9139 EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA. Caroline Conrado Pereira 1 caroline_conrado@ymail.com Centro Universitário Franciscano, Rua Silva Jardim, 1175 Santa

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

estão em evidência hoje?

estão em evidência hoje? estão em evidência hoje? delas. Muito antes de entender quem eram e como pensavam as mulheres, percebemos que era fundamental identificar as diferenças comportamentais entre homens e mulheres. Afinal,

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

ANEXO II - QUESTIONÁRIO SOCIOCULTURAL

ANEXO II - QUESTIONÁRIO SOCIOCULTURAL ANEXO II - QUESTIONÁRIO SOCIOCULTURAL Processo Seletivo Faculdade AMEC Trabuco 2005.1 Este questionário, que compõe o material de inscrição, tem o objetivo exclusivo de coletar dados socioculturais dos

Leia mais

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil O valor da educação Um aprendizado para a vida Relatório do Brasil A pesquisa O valor da educação é uma pesquisa do consumidor independente sobre tendências globais de educação realizada para o HSBC. O

Leia mais

REFLEXÕES ACERCA DA INCLUSÃO DOS SURDOS NO MERCADO DE TRABALHO

REFLEXÕES ACERCA DA INCLUSÃO DOS SURDOS NO MERCADO DE TRABALHO REFLEXÕES ACERCA DA INCLUSÃO DOS SURDOS NO MERCADO DE TRABALHO Maria Solange de Sousa Lacerda Universidade Federal de Campina Grande soldepombal@hotmail.com Josilene Martins Urtiga Silva Universidade Federal

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI Kássia Hellem Tavares da Silva (*), Lorrane de Castro Miranda, Israel

Leia mais