ANEXO III CATÁLOGO DE DESCRIÇÃO DE CARGOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO III CATÁLOGO DE DESCRIÇÃO DE CARGOS"

Transcrição

1 ANEXO III CATÁLOGO DE S Tndo m vista a ncssidad do Plano d Cargos, Carriras Salários - PCCS prvr os cargos xistnts dntro do CREA- TO, aprsnta st Catálogo d Dscrição d Cargos quais srão as atribuiçõs qu srão dsnvolvidas por cada um dos mprgados vinculados a st Conslho d Fiscalização Profissional, obsrvando smpr a lgislação prtinnt o rspctivo PCC S. 1. Dos Grupos Ocupacionais Os cargos a sguir dscritos srão divididos m dois Grupos Ocupacionais, quais sjam, Grupo I Grupo II, sndo qu o primiro nglobará os mprgos d carrira; a) Formação Suprior; b) Técnicos ou Administrativos; c) Apoio Opracional. O sgundo, Grupo Ocupacional II, nglobará os cargos d livr nomação xonração, podndo sr divido m: a) Emprgos m Comissão; b) Funçõs Gratificadas. Tratando da alína a do Grupo Ocupacional II, st podrá sr divido ainda m: a) Assssor Nívl I; b) Assssor Nívl II. Sgu abaixo as dscriçõs das atribuiçõs d cada cargo, sndo dividido m Quadro d Carrira Grupo Ocupacional I Quadro d Livr Nomação Exonração Grupo Ocupacional II. 1

2 Grupo Ocupacional I: Apoio Opracional Quadro d Carrira Nom do Cargo: Auxiliar Administrativo Escolaridad: Nívl Fundamntal Rgistro Profissional: Não - Prstar apoio à ára d atuação m assuntos d naturza administrativa, xcutando tarfas m sua ára d trabalho; - Atndr ao público xtrno por tlfon, -mail ou pssoalmnt, prstando informaçõs, ncaminhando ou xcutando atividads, assgurando a solução dos problmas; - Mantr contatos tlfônicos, por mail corrspondências com outros CREA s CONFEA; - Auxiliar no rcbimnto xam d corrspondências, procssos documntos m gral, ncaminhando as rspctivas áras para anális dcisão; - Auxiliar na rdação ncaminhamnto d ofícios, mmorandos dmais xpdints d rotina; - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos, assgurando sua rápida localização; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos 2

3 Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 3

4 Grupo Ocupacional I: Apoio Opracional Quadro d Carrira Nom do Cargo: Auxiliar d Srviços Grais Escolaridad: Nívl Fundamntal Rgistro Profissional: Não - Lavar limpar quipamntos, utnsílios local d trabalho das atividads ants ou após, na forma dtrminada plo chf imdiato; - Prparar distribuir lanchs, rfiçõs bbidas m gral, quando solicitado; - Prstar atndimnto à Prsidência as runiõs d Dirtoria, Plnário, Câmaras outras, quando solicitado; - Mantr a ára da copa sus quipamntos d forma limpa organizada; - Zlar plos gênros alimntícios ingrdints, controlando quantidad, qualidad utilização; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração 4

5 Capacidad d anális crítica Conformidad 5

6 Grupo Ocupacional I: Apoio Opracional Quadro d Carrira Nom do Cargo: Auxiliar d Manutnção Escolaridad: Nívl Fundamntal Rgistro Profissional: Não - Excutar trabalhos grais d alvnaria, hidráulica, carpintaria, rfrigração, ltricidad, pintura jardinagm, ao nívl d sua comptência; - Excutar srviços grais d limpza consrvação d máquinas, quipamntos instalaçõs do CREATO; - Carrgar /ou dscarrgar matriais, frramntas quipamntos ncssários à xcução dos srviços; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 6

7 Grupo Ocupacional I: Apoio Opracional Quadro d Carrira Nom do Cargo: Tlfonista Escolaridad: Nívl Fundamntal Rgistro Profissional: Não - Atndr a chamadas tlfônicas oprar m troncos ou ramais; - Eftuar ligaçõs tlfônicas intrnas xtrnas; - Controlar auxiliar as ligaçõs d tlfons automáticos; - Rcbr transmitir tlgramas por tlfon; - Mantr rgistro d ligaçõs a longa distância; - Prstar informaçõs grais rlacionados com os srviços do CREA-TO; - Vrificar os dfitos nos ramais msas providnciar su rparo; - Zlar pla limpza consrvação da msa tlfônica do local d trabalho; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA-TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Normas procdimntos intrnos Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica 7

8 Conformidad 8

9 Grupo Ocupacional I: Apoio Opracional Quadro d Carrira Nom do Cargo: Agnt d Portaria Escolaridad: Nívl Fundamntal Rgistro Profissional: Não - Zlar pla sgurança, guarda prdial matrial das instalaçõs do CREA- TO; - Rondar as dpndências do Conslho, vrificando irrgularidads; - Acionar os órgãos d sgurança /ou mprsas contratadas nos casos d ação contra o patrimônio do CREA- TO; - Apontar rgistrar às ocorrências m livro próprio; - Conduzir para fora das instalaçõs pssoas m dsacordo com as normas intrnas do CREA- TO; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 9

10 Grupo Ocupacional I: Apoio opracional Quadro d carrira Nom do Cargo: Motorista Escolaridad: Formação Ensino Médio Rgistro Profissional: - Dirigir vículos d uso do CREA, transportando passagiros cargas, inclusiv m viagns intrstaduais, quando dtrminado; - Ralizar srviços xtrnos divrsos, como ntrgas à forncdors, colta d rfiçõs ou matriais, compras ou ir à bancos, quando solicitado; - Entrgar protocolar corrspondências /ou documntos m gral m outros órgãos ou mprsas; - Prnchr os controls formulários dos srviços prcusso ralizados com o vículo, a fim d prstar contas das dspsas ftuadas; - Vrificar diariamnt os nívis d ólo, água, batria, a quantidad d combustívl, prssão dos pnus, frios, sinalização rparos ncssários a srm fitos, ants d iniciar a movimntação do viculo, visando assgurar a prfita condição d uso; - Eftuar trocas simpls d pças, acssórios quipamntos d vículos; - Zlar pla limpza, funcionamnto consrvação dos vículos; - Fiscalizar lavagm, lubrificação abastcimnto dos vículos; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do Cra-TO, qu stá sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Cumprir as normas xigências dos programas d Saúd Sgurança do Trabalho; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos 10

11 Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 11

12 Grupo Ocupacional I: Técnico ou Administrativo Quadro d Carrira Nom do Cargo: Agnt Administrativo Escolaridad: Ensino médio complto Rgistro Profissional: Não - Assistir à chfia imdiata m assuntos d naturza administrativa /ou técnica xcutando, controlando acompanhando o dsnvolvimnto das tarfas m sua ára d trabalho; - Vrificar, montar rgistrar procssos /ou documntos, obsrvando sua numração, protocolo documntos m gral, visando sua organização corência; - Organizar, classificar, catalogar os documntos, conform procdimntos stablcidos plo CREA- TO, assgurando sua rápida localização; - Promovr as atividads ncssárias à guarda consrvação d documntos, bm como a rcupração informação dos msmos; - Ralizar fiscalizar o mpréstimo d documntos /ou procssos, visando a guarda d toda a documntação do CREA- TO; - Atndr ao público intrno xtrno por tlfon, -mail ou pssoalmnt, prstando informaçõs, orintaçõs /ou localizando documntos, assgurando a solução dos problmas; - Eftuar lvantamntos, xams, conciliaçõs, cálculos, rlatórios, mapas quadros dmonstrativos das atividads dsnvolvidas pla ára d atuação; - Ralizar studos prliminars /ou complmntars, mitindo informaçõs vrificando sua consistência, visando assgurar os rsultados; - Mantr contatos tlfônicos, por mail corrspondências com outros CREA'S CONFEA; - Rcbr xaminar corrspondências, procssos documntos m gral, ncaminhando as rspctivas áras para anális dcisão; - Rdigir ncaminhar ofícios, mmorandos dmais xpdints; - Auxiliar no planjamnto control das atividads da ára d atuação; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO; - Solicitar matriais /ou insumos, oprar quipamntos d áudio vído, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Participar d quips multidisciplinars, comissõs ou grupos d trabalho, visando alcançar os mlhors rsultados tanto m qualidad quanto m produtividad; - Cumprir as normas xigências dos programas d Saúd Sgurança do Trabalho; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. 12

13 Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 13

14 Grupo Ocupacional I: Técnico ou Administrativo Quadro d Carrira Nom do Cargo: Agnt d Fiscalização Escolaridad: Ensino Médio com curso Técnico Profissionalizant do Sistma CONFEA Rgistro Profissional: CREA CNH Catgoria a b - Ralizar visitas d fiscalização às obras, mprsas, órgãos públicos propridads rurais localizadas no Tocantins, d conformidad com o Programa d Fiscalização; - Lavrar autos d infração, psquisar ART's outros documntos d acordo com a lgislação do sistma; - Vistoriar, idntificar, narrar sugrir solução, mitindo parcrs, rlatórios, laudos técnicos lvantamntos d acordo com a lgislação do sistma dmais dlibraçõs visando o cumprimnto do objtivo institucional; - Atndr as diligências, laborando mitindo rlatórios das visitas ralizadas; - Atndr mprsas, profissionais público xtrno, prstando informaçõs solucionando problmas rotiniros; - Vrificar, montar rgistrar procssos /ou documntos, obsrvando sua numração, protocolo documntos m gral, visando sua organização corência; - Auxiliar no planjamnto control das atividads da ára d atuação; - Rdigir mitir informaçõs, ofícios, mmorandos, rlatórios dmais xpdints; - Ministrar trinamntos aos novos agnts d fiscalização ou quando houvr mudança nos procdimntos d fiscalização; - Assistir às divrsas áras do CREA m assuntos d naturza técnica, xcutando, controlando acompanhando o dsnvolvimnto das tarfas m sua ára d trabalho; - Prstar apoio técnico nas análiss d procssos ncaminhados às Câmaras Espcializadas, Prsidência, Plnário, Dirtoria público xtrno, visando sclarcr dúvidas orintar com bas na lgislação do sistma, atos normativos dmais dlibraçõs; - Encaminhar procssos qu sjam da comptência das Câmaras Espcializadas ou Comissõs, mitindo laudos /ou parcrs; - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos, assgurando sua rápida localização; - Oprar quipamntos d imagm, áudio vído; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. 14

15 Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 15

16 Grupo Ocupacional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Analista Técnico Institucional Escolaridad: Ensino Suprior Complto Rgistro Profissional: CREA - Prstar consultoria técnica às Câmaras Espcializadas, Prsidência, Plnário, Dirtoria público xtrno, visando sclarcr dúvidas orintar com bas na lgislação do sistma, atos normativos dmais dlibraçõs; - Analisar librar procssos ncaminhados plas áras, mitindo parcrs /ou laudos d acordo com a lgislação do sistma dmais dlibraçõs; - Acompanhar Conslhiros Prsidência m outros vntos fora do CREA- TO; - Assistir às divrsas áras do CREA m assuntos d naturza técnica, xcutando, controlando acompanhando o dsnvolvimnto das tarfas m sua ára d trabalho; - Prstar apoio técnico nas análiss d procssos ncaminhados às Câmaras Espcializadas, Prsidência, Plnário, Dirtoria público xtrno, visando sclarcr dúvidas orintar com bas na lgislação do sistma, atos normativos dmais dlibraçõs; - Encaminhar procssos qu sjam da comptência das Câmaras Espcializadas ou Comissõs, mitindo laudos /ou parcrs; - Ralizar visitas d fiscalização às obras, mprsas, órgãos públicos propridads rurais localizadas no Tocantins, d conformidad com o Programa d Fiscalização; - Vistoriar, idntificar, narrar sugrir solução, mitindo parcrs, rlatórios, laudos técnicos lvantamntos d acordo com a lgislação do sistma dmais dlibraçõs visando o cumprimnto do objtivo institucional; - Atndr as diligências, laborando mitindo rlatórios; - Atndr mprsas, profissionais público xtrno, prstando informaçõs solucionando problmas rotiniros; - Vrificar, montar rgistrar procssos /ou documntos, obsrvando sua numração, protocolo documntos m gral, visando sua organização corência; - Auxiliar no planjamnto control das atividads da ára d atuação; - Rdigir mitir informaçõs, ofícios, mmorandos, rlatórios dmais xpdints; - Ministrar trinamntos aos novos agnts d fiscalização ou quando houvr mudança nos procdimntos d fiscalização; - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos, assgurando sua rápida localização; - Oprar quipamntos d imagm, áudio vído; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; 16

17 - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Formação m ára fim do cargo Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 17

18 Grupo Ocupacional I: Técnico ou Administrativo Quadro d carrira Nom do Cargo: Técnico m Informática Escolaridad: Formação Ensino Técnico Rgistro Profissional: - Dsnvolvr, dtalhs tstar programas d computador, ftuando sua codificação, documntação prparação para procssamnto m computador; - Atuar, m conjunto com Analista d Sistmas, a fim d stablcr as fass spcificaçõs dos sistmas d procssamnto d dados; - Prstar suport técnico opracional aos usuários dos sistmas d informaçõs do parqu computacional do CREA- TO; - Prstar suport na administração d ambint informatizado, ofrcndo suport técnico trinamnto ao clint; - Prstar apoio na administração dos sits da intrant intrnt do CREA- TO; Controlar o apoio na administração dos sits da intrant outros sistmas computadorizados d acsso rmoto, bm como garantir a intgridad dos dados da rd; - Ralizar a instalação manutnção priódica d quipamntos, programas d rds locais; -Controlar o stoqu d pças d rposição d quipamntos; - Eftuar, diariamnt, cópias d sgurança backup, das informaçõs cadastradas ou atualizadas durant o xpdint; - Rdigir ncaminhar oficios, mmorandos dmais xpdints; - Organizar, controlar mantr, arquivados a documntação dos sistmas, assgurando sua rápida localização; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA, qu stá sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Participar d quips multidisciplinars, comissõs ou grupos d trabalho, visando alcançar os mlhors rsultados tanto m qualidad quanto m produtividad; - Cumprir as normas xigências dos programas d Saúd Sgurança do Trabalho; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar 18

19 Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Formação na ára fim do cargo Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 19

20 Grupo Ocupacional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Advogado Escolaridad: Bacharl m Dirito Rgistro Profissional: OAB - Assistir juridicamnt o Prsidnt, Dirtoria, Conslhiros, Comissõs, Câmaras Espcializadas todos os outras divisõs do CREA- TO, tanto m procssos administrativos quanto açõs originadas da atuação profissional; - Assssorar outros órgãos m assunto d carátr jurídico, intrprtando txtos lgais, mitindo parcrs, laborando minutas xcutando srviços jurídicos administrativos; - Emitir parcrs patrocinar dfsas m procssos dcorrnts da ação fiscalizadora do CREA- TO, bm como m procssos ou xpdints originários da administração intrna; - Rdigir contratos, convênios, acordos ditais a fim d oficializar lgalizar ngociaçõs; - Conhcr, acompanhar aplicar os rgulamntos administrativos documntos lgais qu intrfiram na atuação do CREA- TO; - Elaborar informaçõs sobr Mandado d Sgurança, bm como su acompanhamnto judicial; - Ralizar dfsas m juízo d todos os procssos m qu o CREA- TO for autor, réu, assistnt ou opont, inclusiv os d naturza trabalhista; - Intrpor rcursos acompanhando-os até o final do julgamnto; - Analisar procssos d cobrança, amigávis ou judiciais, mitindo parcr promovndo a cobrança da Dívida Ativa, quando s fizr ncssário; - Participar das sssõs do Plnário, Dirtoria, Câmaras Espcializadas ou Comissõs, quando solicitado; - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos assgurando sua rápida localização; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO, qu stá sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos msmos; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior; - Excutar outras atividads dsignadas plos supriors hirárquicos imdiatos ou m conjunto com a Suprintndência. 20

21 Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 21

22 Grupo Ocupacional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Administrador Escolaridad: Bacharl m Administração Rgistro Profissional: Conslho d Administração - Dfinir traçar o futuro da CREA- TO, principalmnt, suas mtas, como srão alcançadas quais são sus propósitos sus objtivos, ou como frramnta qu as pssoas as organizaçõs usam para administrar suas rlaçõs com o futuro; - Dsmpnhar o papl da administração no dsmpnho da organização; - Ralizar sistmatização da gstão organizacional; - Traçar o planjamnto stratégico, tático opracional; - Ralizar atividads rlacionadas com suprvisão, programação, coordnação ou xcução spcializada, m grau d maior complxidad, rfrnts a studos, psquisas, análiss projtos a rspito d administração d pssoal, matrial, orçamnto, organização métodos; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO, qu stá sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos msmos; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior; - Excutar outras atividads dsignadas plos supriors hirárquicos imdiatos ou m conjunto com a Suprintndência. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia 22

23 Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 23

24 Grupo Ocupacional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Analista d Sistmas Escolaridad: Ensino Suprior Complto Rgistro Profissional: Não - Ralizar lvantamntos junto aos usuários, objtivando idntificar ncssidads, analisando propondo a implantação d novos sistmas computadorizados; - Dsnvolvr, dtalhar tstar novos sistmas informatizados, ftuando sua codificação prparação para procssamnto m computador; - Elaborar a documntação dos sistmas conform mtodologia atual d documntação d sistmas; - Implantar os sistmas dsnvolvidos, orintando os trabalhos d programação digitação; - Analisar propor altraçõs nos sistmas m opração, visando mlhoria m su dsmpnho; - Estruturar, mantr administrar os bancos d dados com as informaçõs gradas nos trabalhos ralizados; - Ralizar a programação, planjando tapas açõs para avaliar orintar os tsts do sistma; - Prparar struturas rotinas codificadas, ncssárias para o procdimnto d dados; - Administrar ambint informatizado, prstando suport técnico trinamnto ao clint; rápida localização; - Oprar quipamntos d imagm, áudio vído; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do CREA- TO qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos, a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma 24

25 Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Formação m ára fim do cargo Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 25

26 Grupo Opracional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Contador Escolaridad: Bacharl m Contabilidad Rgistro Profissional: Conslho d Contabilidad -- Planjar, coordnar controlar o dsmpnho das atividads Contábis Financiras do Cra-TO; - Assinar rsponsabilizar tcnicamnt plos balanços, balancts dmais dmonstraçõs contábis; - Prstar assistência m assuntos d naturza contábil, financira, tributaria orçamntaria - Coordnar a laboração dos balanços, balancts, prstaçõs d contas orçamntos; - Elaborar coordnar os sistmas d control Contábil, financiro Patrimonial do Cra-TO; - Eftuar lvantamntos, xams, conciliaçõs, cálculos, rlatórios, mapas quadros dmonstrativos dos trabalhos dsnvolvidos pla ára d atuação; - Acompanhar prstar assistência à quip d Auditoria;Atndr ao publico intiro por tlfon, -mail ou pssoalmnt, prstando informaçõs orintaçõs, ncaminhando ou xcutando atividads, assgurando a solução dos problmas; - Rdigir mitir parcrs, laudos, informaçõs, oficios, mmorandos, rlatórios técnicos dmais xpdints; - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos assgurando sua rápida localização;zlar pla guarda, consrvação, manutnção control d patrimônio do Cra-TO, qu stá sob sua rsponsabilidad, assgurando-o bom funcionamnto dos msmos;solicitar matriais /ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Ministrar cursos /ou palstras d acordo com sua ára d atuação;participar d quips multidisciplinars, comissõs ou grupos d trabalhos, visando alcançar os mlhors rsultados tanto m qualidad quanto m produtividad; - Cumprir as normas xigências dos programas d saúd Sgurança do Trabalho Dsnvolvr outras atividad d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia 26

27 Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 27

28 Grupo Opracional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Engnhiro Escolaridad: Bacharl m Engnharia Rgistro Profissional: CREA -- Prstar consultoria técnica às Câmaras Espcializadas, Prsidência, Plnário, Dirtoria público xtrno, visando sclarcr dúvidas orintar com bas na Lgislação do Sistma, Atos Normativos dmais dlibraçõs; - Analisar librar procssos ncaminhados plas áras, mitindo parcrs /ou laudos d acordo com a Lgislação do sistma dmais dlibraçõs; - Encaminhar procssos qu sjam d comptência das câmaras Espcializadas ou comissõs, mitindo laudos /ou parcrs; - Acompanhar Assssorar Conslhiros Prsidência m outros vntos fora do Cra; - Ralizar visitas d fiscalização às obras, mprsas, Órgãos públicos propridads rurais localizadas no Tocantins, d conformidad com programa d Fiscalização; - Ralizar coltas d dados, prnchndo os formulários comptnts, por ocasião das visitas ralizadas, ncaminhando à chfia imdiata, dntro do prazo stablcido; - Lavrar Autos d infração, psquisar ART's outros documntos d acordo com a lgislação do Sistma; - Vistoriar, idntificar, narrar sugrir solução, mitindo parcrs, rlatórios, laudos, técnicos, prícias, avaliaçõs arbitramnto d acordo com a Lgislação do Sistma dmais dlibraçõs, visando o cumprimnto do objtivo institucional; - Participar do programa d Fiscalização Prvntiva Intgrada, junto a outros órgãos comptnts; - Atndr as diligências, laborando mitindo rlatórios das visitas ralizadas; - Vrificar, montar rgistrar procssos /ou documntos, obsrvando sua numração, protocolo documnto m gral, visando sua organização corência; - Ministra trinamntos aos novos agnts d fiscalização ou quando houvr mudanças nos procdimntos d fiscalização; - Elaborar xcutar projtos, obras srviços técnicos, d intrss do Cra-TO; - Atndr ao publico intrno xtrno por tlfon, -mail ou pssoalmnt, prstando informaçõs orintaçõs, assgurando a solução dos problmas; - Elaborar studos lvantamntos d dados rlativos às atividads técnicas dos profissionais mprsas, com bas na Lgislação do Sistma, lis ou m outros órgãos, mitindo informaçõs vrificando sua consistência, visando assgurar os rsultados; - Rdigir mitir, parcrs, laudos, informaçõs, oficios, mmorandos, rlatórios técnicos dmais xpdints; - Eftuar lvantamntos, xams, rlatórios, mapas quadros dmonstrativos das atividads dsnvolvidas pla ára d atuação; - Planjar controlar as atividads da ára d atuação; 28

29 - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos, assgurando sua rápida localização; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do Cra-TO, qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços; - Ministrar cursos /ou palstras d acordo com sua ára d atuação; - Participar d quips multidisciplinars, comissõs ou grupos d trabalho; - - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 29

30 Grupo Opracional I: Formação Suprior Quadro d Carrira Nom do Cargo: Engnhiro Agrônomo Escolaridad: Bacharl m Engnharia Rgistro Profissional: CREA Prstar consultoria técnica às Câmaras Espcializadas, Prsidência, Plnário, Dirtoria público xtrno, visando sclarcr dúvidas orintar com bas na Lgislação do Sistma, Atos Normativos dmais dlibraçõs; - Analisar librar procssos ncaminhados plas áras, mitindo parcrs /ou laudos d acordo com a Lgislação do do Sistma dmais dlibraçõs; - Encaminhar procssos qu sjam da comptência das Câmaras Espcializadas ou Comissõs, mitindo laudos /ou parcrs; - Acompanhar a Assssorar Conslhiros Prsidência m outros vntos fora do Cra; - Ralizar visitas d fiscalização às obras, mprsas, órgãos públicos propridads rurais localizadas no Tocantins, d conformidad com Programa d Fiscalização; - Ralizar coltas d dados, prnchndo os formulários comptnts, por ocasião das visitas ralizadas, ncaminhando à chfia imdiata, dntro do prazo stablcido; - Lavrar autos d infração, psquisar ART's outros documntos d acordo com a Lgislação do Sistma; - Vistoriar, idntificar, narrar sugrir solução, mitindo parcrs, rlatórios, laudos técnicos, prícias, avaliaçõs, visando-o cumprimnto do objtivo institucional; - Participar do programa d Fiscalização Prvntiva intgrada, junto a outros órgãos comptnts; - Atndr as diligências, laborando mitindo rlatórios das visitas ralizadas; - Vrificar, montar rgistrar procssos /ou documntos, obsrvando sua numração, protocolo documnto m gral, visando sua organização corência; - Ministrar trinamnto aos novos agnts d fiscalização ou quando houvr mudança nos procdimntos d fiscalização; - Elaborar xcutar projtos, obras srviços técnicos, d intrss do Cra-TO; - Atndr ao publico intrno xtrno por tlfon, -mail ou pssoalmnt, prstando informaçõs orintaçõs, assgurando a solução dos problmas; - Elaborar studos lvantamntos d dados rlativos às atividads técnicas dos profissionais mprsas, com bas na Lgislação do Sistma, Lis ou m outros órgãos, mitindo informaçõs vrificando sua consistência, visando assgurar os rsultados; - Rdigir mitir parcrs, laudos, informaçõs, oficios, mmorandos, rlatórios técnicos dmais xpdints; - Eftuar lvantamntos, xams, rlatórios, mapas quadros dmonstrativos das atividads dsnvolvidas pla ára d atuação; - Planjar controlar as atividads d ára d atuação - Organizar, controlar mantr arquivados os documntos, assgurando sua rápida 30

31 localização; - Zlar pla guarda, consrvação, manutnção control do patrimônio do Cra-TO, qu sta sob sua rsponsabilidad, assgurando o bom funcionamnto dos msmos; - Solicitar matriais /ou insumos a fim d assgurar o bom funcionamnto dos srviços - Ministrar cursos /ou palstras d acordo com sua ára d atuação; - Participar d quips multidisciplinars, comissõs ou grupos d trabalho, visando alcançar os mlhors rsultados tanto m qualidad quanto m produtividad; - Cumprir as normas xigências dos programas d Saúd Sgurança no Trabalho; - - Dsnvolvr outras atividads d nívl complxidad smlhants, a critério do suprior. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 31

32 Grupo Ocupacional II: Emprgo m Comissão Assssor Nívl I Quadro d livr nomação xonração Nom do Cargo: Suprintndnt Escolaridad: Ensino Suprior Rgistro Profissional: Abrto - Administrar grnciar os rcursos (humanos, matriais financiros) ncssários para o funcionamnto da strutura auxiliar, smpr m consonância com as politicas dirtrizs da Prsidência Dirtoria do CREA- TO, sndo rsponsávl pla ficiência qualidad dos srviços prstados as unidads administrativas hirarquicamnt supriors da strutura básica strutura d suport; - Dsmpnhar a função d gstor da strutura auxiliar; - Auxiliar a Prsidência na administração do CREA- TO; - Grnciar a strutura auxiliar; - Assssorar a Dirtoria na laboração do rgulamnto da strutura auxiliar; - Rsponsabilizar-s pla rgularidad, ficiência qualidad dos srviços técnicos administrativos prstados a órgãos da strutura básica da strutura d suport; - Elaborar propor à Dirtoria o plano d trabalho da strutura auxiliar; - Excutar o plano d trabalho da strutura auxiliar dntro do orçamnto dos limits stablcidos pla Dirtoria; - Encaminhar à Comissão d Orçamnto Tomada d Contas os rlatórios contábis financiros, orçamntários administrativos, postriormnt, à Dirtoria; - Rsponsabilizar-s pla administração do patrimônio do CREA- TO, disciplinando sua utilização zlando pla suas guarda; - Planjar, organizar xrcr o control avaliação dos objtivos rsultados das atividads das quips rlacionadas às atividads fim as atividads mio m consonância com os propósitos da Dirtoria; - Adotar atos dntro do limit d suas atribuiçõs rgulamntadors do funcionamnto da strutura auxiliar; - Emissão d orintaçõs ou propostas d instrumntos administrativos, submtndo-os a aprovação hirárquica suprior, d forma a auxiliar as atividads da Suprintndência das divisõs administrativas; - Excutar outras atividads dsignadas plo suprior hirárquico imdiato. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização 32

33 Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 33

34 Grupo Ocupacional II: Emprgo m Comissão - Assssor Nívl I Quadro d livr nomação xonração Nom do Cargo: Chf d Gabint Escolaridad: Abrto Rgistro Profissional: Abrto - Rcbr, organizar classificar os xpdints xtrnos, procssos administrativos assuntos das divisõs administrativas para anális dspacho com a Prsidência /ou mmbros da Dirtoria; - Rcbr profissionais, rprsntants d mprsas, autoridads oficiais d órgãos públicos fdrais, staduais municipais, unidads d nsino, ntidads d class, conslhiros, insptors outros, para tratar d assunto ligados à Prsidência, Dirtoria ou d intrss do CREA- TO; - Rprsntar smpr qu dsignado pla Prsidência o CREA- TO junto as autoridads oficiais d órgãos públicos, unidads d nsino, ntidads d class, unidads do sistma CONFEA/CREA s outros; - Rcbr, confrir, rvisar auxiliar nos xpdints rlacionados à corrspondência oficial da Prsidência /ou Dirtoria; - Auxiliar a Prsidência Dirtoria na laboração dos rlatórios d trabalhos na forma m atnção ao disposto no rgimnto intrno; - Suport a Dirtoria ao Plnário nas atividads rlacionadas à laboração d pautas, atas, calndário d runiõs, convocaçõs d conslhiros, lista d prsnça, organização d arquivos d documntos, corrspondências, rlatórios, parcrs, atos administrativos, dntr outros, inrnts às açõs dmandadas pla Prsidência, Dirtoria do Plnário; - Participar intrativamnt das atividads rlacionadas à Scrtaria da Prsidência; - Emissão d propostas d orintaçõs ou d instrumntos administrativos qu auxilim nas atividads do Gabint da Prsidência, submtndo-os ao su suprior hirárquico imdiato; - Elaboração d corrspondência oficial comrcial da Prsidência da Dirtoria, inclusiv, dcisõs d Dirtoria do Plnário; - Dar suport apoio nos vntos promovidos /ou patrocinados plo CREA- TO, tais como: congrssos, confrências, sminários, simpósios outros; - Control acompanhamnto do trâmit distribuição d procssos m anális ou analisados plos Conslhiros para julgamnto m sssõs plnárias; - Organização control d agndas d runiõs, visitas, viagns, rquisiçõs d diárias passagns da Prsidência, Dirtoria, Conslhiros, Insptors convidados spciais, quando a srviço do Conslho comunicando aos stors administrativos corrspondnts, bm como, agndar os contatos da Prsidência da Dirtoria; - Excutar outras atividads dsignadas pla Prsidência. 34

35 Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 35

36 Grupo Ocupacional II: Emprgo m Comissão - Assssor Nívl I Quadro d livr nomação xonração Nom do Cargo: Assssor Jurídico Escolaridad: Ensino Suprior m Dirito Rgistro Profissional: OAB - Orintação assssoramnto m assuntos intrnos d intrss jurídico da Prsidência, Dirtoria Colgiado, com anális missão d parcr m documntos, ainda, rprsntar o CREA- TO nas dmandas tanto d ordm administrativa quanto ordm judicial m qu o Conslho figur no polo passivo ou ativo; - Assssorar a Prsidência, Dirtoria, Plnário, Câmaras Espcializadas, Comissõs /ou Grupos d Trabalho através da anális, instrução missão d informaçõs m procssos consultas formuladas, tanto no âmbito jurídico como administrativo; - Participar nas runiõs do Plnário, Dirtoria, Câmaras, Comissõs /ou grupos d trabalho, dntr outros vntos, quando rquisitado, com a finalidad d assssorar, orintar ou sclarcr sobr assuntos d ordm jurídica lgal à Prsidência, Dirtoria dmais Conslhiros; - Assssorar auxiliar as unidads opracionais rlacionadas à atividad fim do CREA- TO, na formação d procssos d forma a consubstanciar instruçõs m futuras dmandas na justiça; - Rprsntação dfsa do CREA- TO m todas as dmandas d procssos d intrss, tanto na sfra judicial quanto no âmbito administrativo; - Assssoramnto técnico m assuntos intrnos d intrss jurídico das divrsas unidads do CREA- TO, com anális missão d parcr m documntos como: dição d portarias, instruçõs, propostas d atos, convênios, contratos, acordos, ajusts, procssos d compras outros; - Eftivar a cobrança judicial d ativos financiros apurados m procssos administrativos no cadastro rgistro, na fiscalização, na administração outro d naturza procssual; - Emissão d orintaçõs ou propostas d instrumntos administrativos qu auxilim as atividads Assssoria Jurídica, submtndo-os a aprciação do su suprior hirárquico imdiato; - Excutar outras atividads dsignadas plos supriors imdiatos ou m conjunto com a suprintndência. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização 36

37 Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 37

38 Quadro d livr nomação xonração Grupo Ocupacional II: Emprgo m comissão Assssor Nívl I Nom do Cargo: Controlador Escolaridad: Ensino Suprior m Administração/Contabilidad/Economia (não ncssariamnt os três) Rgistro Profissional: Conslho d Administração/Conslho d Contabilidad/Conslho d Economia (não ncssariamnt os três) - Exrcr a plna fiscalização contábil, financira, orçamntária, opracional patrimonial d todas as unidads do CREA- TO quanto à lgalidad, lgitimidad, conomicidad, aplicação d subvnçõs rnúncia d rcitas; - vrificar a xatidão a rgularidad das contas a boa xcução do orçamnto, adotando mdidas ncssárias ao su fil cumprimnto; - Ralizar auditoria xrcr o control intrno a conformidad dos atos financiros orçamntários do CREA- TO com a lgalidad orçamntária do msmo; - No xrcício do control intrno dos atos da administração, dtrminar as providências xigidas para o xrcício do control xtrno do CREA- TO com o auxílio da auditoria do CONFEA; - Avaliar o cumprimnto das mtas prvistas, acompanhando fiscalizando a xcução orçamntária; - Avaliar os rsultados, quanto à ficácia à ficiência, da gstão orçamntária, financira, patrimonial fiscal, nas unidads, bm como da aplicação das subvnçõs dos rcursos públicos, por ntidads convniadas; - Exrcr o control das opraçõs d crédito garantias, bm como dos diritos havrs do CREA- TO; - Fiscalizar o cumprimnto do disposto na Li Complmntar nº. 101, d 04 d maio d 2000, quando aplicávl; - Examinar as fass d xcução da dspsa, inclusiv vrificando a rgularidad das licitaçõs contratos, sob os aspctos da lgalidad, lgitimidad, conomicidad razoabilidad, inclusiv solicitando parcrs quando julgar ncssários; - Orintar suprvisionar tcnicamnt as atividads d fiscalização financira; - Expdir parcrs concrnnts à fiscalização financira à auditoria dos rcursos do CREA- TO; Procdr ao xam prévio nos procssos originários dos atos d gstão orçamntária, financira patrimonial das unidads do CREA- TO nos d aplicação d rcursos públicos nas ntidads convniadas; - Promovr a apuração d dnúncias formais, rlativas a irrgularidads ou ilgalidads praticadas, m rlação aos atos financiros orçamntários, m qualqur unidad do CREA- TO; 38

39 - Propor à Prsidência a aplicação das sançõs cabívis, conform a lgislação vignt, aos gstors inadimplnts; - Sistmatizar informaçõs com o fim d stablcr a rlação custo/bnfício para auxiliar o procsso dcisório do CREA- TO; - Implmntar o uso d frramntas da tcnologia da informação como instrumnto d control social do Conslho; - Tomar mdidas qu confiram transparência intgral aos atos da gstão do CREA- TO; - Criar comissõs para o fil cumprimnto das suas atribuiçõs; - Procdr o control financiro dos rcursos orçamntários prvistos na sua unidad, bm como à gstão d pssoas rcursos matriais xistnts, m consonância com a lgislação; - Vlar para qu sjam rvistos ou suspnsos tmporariamnt os contratos d prstação d srviços trcirizados, assim considrados aquls xcutados por uma contratada, pssoa jurídica ou física spcializada, para o contratant CREA- TO, caso a contratada tnha pndências fiscais ou jurídicas; - Exrcr outras atividads corrlatas. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 39

40 Quadro d livr nomação xonração Grupo Ocupacional II: Emprgo m comissão Assssor Nívl I Nom do Cargo: Assssor das Câmaras Escolaridad: Ensino Suprior Rgistro Profissional: Em su rspctivo conslho d fiscalização - Ralizar psquisas, studos, trabalhos técnicos, suport apoio às atividads do Plnário, Câmaras, comissõs /ou grupos d trabalho, unidads do CREA- TO, bm com, o assssoramnto dirto à Prsidência, Dirtoria Conslhiros, na anális /ou instrução orintação para rlatos m procssos, qur na origm dos pdidos d rgistros d profissionais mprsas, como também nos d origm dos procdimntos d fiscalização do xrcício d atividads profissionais d ngnharia, arquittura ou agronomia, d forma a consistir agilizar a tomada d dcisõs nas instâncias dlibrativas xcutivas; - Assssorar a Prsidência, Dirtoria, Plnário, Câmaras Espcializadas, comissõs grupos d trabalho, participando das runiõs quando rquisitado, bm como procdr anális técnica, instrução missão d parcr m procssos divrsos (rgistro d profissionais mprsas, d fiscalização, autuaçõs, consultas, rcupração d acrvo técnico outros); - Instrumntar cooprar na laboração d programas conjuntos com as divisõs administrativas do CREA- TO, principalmnt nas atividads d divulgação da lgislação, cursos, vntos, matérias, técnicas outros; - Assssorar cooprar smpr qu ncssário nos procdimntos das unidads opracionais rlacionadas à atividad-fim, m spcial com a Divisão d Cadastro Rgistro, bm como nos procdimntos opracionais tanto da Grncia d Fiscalização como o da Grncia d Rgistro na laboração d plano d fiscalização na instrução d procssos, ainda, no atndimnto ao público, insptorias scritórios d rprsntação na orintaçõs rlativas à documntação, protocolização d xpdints, instrução formação d procssos; - Procdr, quando solicitado por suprior hirárquico, intrcâmbio com as instituiçõs d nsino, órgãos govrnamntais (fdrais, staduais municipais), autarquias, fundaçõs outros no sntido d divulgar a lgislação do sistma CONFEA/CREA's, vislumbrando, inclusiv, a possibilidad d formação d convênios com objtivos spcíficos ao cumprimnto da lgislação valorização profissional; - Ralizar no qu coubr, psquisa prstação d informaçõs scritas d naturza técnica, opracional d acordo com a lgislação, bm como studos para a aprciação das câmaras comissõs sobr procssos d difrnts modalidads profissionais mprsas, inclusiv d dfsa m procssos d fiscalização, pdidos d rgistros ou ainda, consultas formuladas plos intrssados; 40

41 - Aprsntar com bas m studos d sua iniciativa, propostas d normas técnicas nas áras m qu houvr indfinição ou qu haja ncssidad d dtalhamnto ficácia nos procdimntos administrativos, tais como: laboração d manuais d fiscalização outros d cunho tático, trinamntos técnicos administrativos; - Emissão d propostas d orintaçõs ou d instrumntos administrativos qu auxilim nas atividads do su suprior hirárquico imdiato; - Excutar outras atividads dsignadas plos supriors hirárquicos imdiatos ou m conjunto com a Suprintndência. Lis Rgulamntos Lis do sistma CONFEA Rgulamntos do xrcício da profissão Atos Normativos Constituição Fdral CLT Lgislação vignt Normas procdimntos intrnos Procdimntos d atndimntos ao público Rgimnto Intrno do CREA- TO Técnico Técnica d arquivo d documntos Informática Windows Intrant Intrnt Pacot Offic ou smlhant Tomada d dcisão Criatividad Ngociação/Grnciar Conflitos/Emprnddorismo/Estrat égia Visão do sistma Compromtimnto/Rsponsabilidad Auto-dsnvolvimnto/Ralização Pssoal Rlacionamnto intrpssoal/empatia Comunicação/Assrtividad Equilíbrio mocional Flxibilidad Snso d prioridad/prazos Prsistência/Ddicação Dtalhs/Concntração Capacidad d anális crítica Conformidad 41

MUNICÍPIO DE SANTIAGO DO CACÉM MAPA DE PESSOAL - 2013 ANEXO I Caracterização do posto de trabalho. Página 1 de 77

MUNICÍPIO DE SANTIAGO DO CACÉM MAPA DE PESSOAL - 2013 ANEXO I Caracterização do posto de trabalho. Página 1 de 77 MAPA DE PESSOAL - 203 Caractrização do posto d trabalho Gabint d Apoio à Prsidência. Carrira - Assistnt Técnico Contúdo funcional Dscrição da função GAP - AT0 Funçõs d naturza xcutiva, d aplicação d métodos

Leia mais

14 ISSN 1677-7042. Nº 96, quarta-feira, 21 de maio de 2008. ANEXO Portaria MEC n o - 608, DE 20 DE MAIO DE 2008. PORTARIA N o - .

14 ISSN 1677-7042. Nº 96, quarta-feira, 21 de maio de 2008. ANEXO Portaria MEC n o - 608, DE 20 DE MAIO DE 2008. PORTARIA N o - . 4 ISSN 677-7042 Nº 96, quarta-fira, 2 d maio d 2008 608, DE 20 DE MAIO DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso d suas atribuiçõs lgais tndo m vista o disposto na Portaria MP n o 450,

Leia mais

Anexo 2 Projetos identificados no Plano de Desenvolvimento Institucional

Anexo 2 Projetos identificados no Plano de Desenvolvimento Institucional Plano Dirtor d Tcnologia da Informação 2012-2013 88 Anxo 2 Projtos idntificados no Plano d Dsnvolvimnto Institucional Cód Projto/Programa (Ncssidad) 1 Espaço Cinma I II Equipar salas com datashow, room

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pgógica (4) (5) Mtas Rorganizar a distribuição dos discnts. Elaborar uma Política d contratação gstão d pssoal Rvisar o Projto Pgógico. Rstruturar

Leia mais

Ministério da Saúde GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 270, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

Ministério da Saúde GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 270, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 38 ISSN 677-7042 Nº 43, quarta-fira, 5 d março d 204. Ministério da Prvidência Social CÂMARA DE RECURSOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PAUTA DE JULGAMENTO A SER REALIZADA EM 9 DE MARÇO DE 204 Pauta d Julgamnto

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA - SEDE

SEÇÃO JUDICIÁRIA - SEDE RJ-BIE-2011/00060 Publicação Diária - Data: 31/03/2011 SEÇÃO JUDICIÁRIA - SEDE PORTARIA Nº RJ-PGD-2011/00012 d 28 d março d 2011 PORTARIAS PGD O JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FORO E CORREGEDOR PERMANENTE DOS

Leia mais

comprovados, assim o determinarem, a realização de qualquer etapa do Processo Produtivo Básico poderá ser suspensa temporariamente

comprovados, assim o determinarem, a realização de qualquer etapa do Processo Produtivo Básico poderá ser suspensa temporariamente 86 ISSN 677-7042 Nº 93, quinta-fira, 6 d maio d 203 CLÁUSULA SÉTIMA - DO FORO 7. Evntuais controvérsias ntr as parts, rlativas ao prsnt Trmo d Doação, dvrão sr submtidas à Câmara d Conciliação Arbitragm

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO E AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTENDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTENDA 0 - NCARGOS SPCIAIS - PPA 2014 / 2017 PAGAMNTO D AMORTIZACAO, JUROS OUTROS NCARGOS DCORRNTS D MPRSTIMOS FINANCIAMNTOS DA DIVIDA PUBLICA OUTROS NCARGOS SPCIAIS QU CONSTITUM OBRIGAÇÕS NA ADMINISTRACAO PUBLICA

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01 1 APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Rsponsávl plo Procsso Validação Função Nom Razão para a nova vrsão Coord. CTCO José Pirs dos Ris Não - vrsão inicial Pró-Prsidnt para a Qualidad João Lal Aprovação Prsidnt IPBja

Leia mais

Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQPS - Ciclo 2005. Encontro da Qualidade e Produtividade em Software RECIFE

Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQPS - Ciclo 2005. Encontro da Qualidade e Produtividade em Software RECIFE Programa Brasiliro da Qualida Produtivida m Softwar PBQPS - Ciclo 2005 Encontro da Qualida Produtivida m Softwar RECIFE Data: 26 27 stmbro 2005 Local: Hotl Villa Rica Promoção: Ministério da Ciência Tcnologia

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000038 - ENGENHARIA CIVIL Nivl: Suprior Ara Profissional: 0007 - CONSTRUCAO CIVIL Ara Atuacao: 0049 - PROJ.SANEAMENTO/CONSTR.CIVIL

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROFESSOR/A, TUTOR/A E INSTRUTOR/A DA ESCOLA DE CONSELHOS EDITAL Nº 10 DE 04 DE AGOSTO DE 2015

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROFESSOR/A, TUTOR/A E INSTRUTOR/A DA ESCOLA DE CONSELHOS EDITAL Nº 10 DE 04 DE AGOSTO DE 2015 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROFESSOR/A, TUTOR/A E INSTRUTOR/A DA ESCOLA DE CONSELHOS EDITAL Nº 10 DE 04 DE AGOSTO DE 2015 A Fundação Univrsidad do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnt da Rpública Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planjamnto, Orçamnto Gstão Paulo Brnardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnt Eduardo Prira Nuns Dirtor-Excutivo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano d Trabalho Docnt 2014 Ensino Técnico Etc Etc: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 0136 Município: TUPÃ Ára d conhcimnto: INFRAESTRUTURA Componnt Curricular: PLANEJAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL - PCC

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS DE CURSOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS ESTRANGEIROS DE ENSINO, PELO INSITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA- IFB. 1. DA ABERTURA 1.1

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL Nº 14/2011 PRAC SELEÇÃO PÚBLICA A Pró-Ritoria Acadêmica da Univrsidad Católica d Plotas torna pública a abrtura d SELEÇÃO DOCENTE, como sgu:

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG SUMÁRIO PARTE I BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 - NOÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

INTRODUÇÃO. Âmbito. Competências e Atribuições

INTRODUÇÃO. Âmbito. Competências e Atribuições INTRODUÇÃO Âmbito O IGESPAR, I.P. Instituto d Gstão do Património Arquitctónico Arquológico é um Instituto Público da administração indircta do Estado, dotado d autonomia administrativa financira, criado

Leia mais

ÁREAS DE INTERVENÇÂO E OPERACIONALIZAÇÃO

ÁREAS DE INTERVENÇÂO E OPERACIONALIZAÇÃO RESULTADOS Avaliação Intrna da Escola PROJETO DE MELHORIA DA ESCOLA ÁREAS DE INTERVENÇÂO E OPERACIONALIZAÇÃO Articulação ntr o Quadro d Rfrência da IGEC o Procsso d Autoavaliação da Escola Do mí nio s

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Dspacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União d 17/07/2003 (*) Portaria/MEC nº 1.883, publicada no Diário Oficial da União d 17/07/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Atos do Poder Legislativo

Atos do Poder Legislativo LEI LEI ISSN 677-7042 Ano CXLII N o - 92 Brasília - DF, sgunda-fira, 6 d maio d 2005. Sumário PÁGINA Atos do Podr Judiciário... Atos do Podr Lgislativo... Atos do Podr Excutivo...

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO

PROGRAMA DE PREVENÇÃO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - 2014 - CENTRO DE CONTROLE DE ZOONOSES ÍNDICE 1) Introdução 03 2) Objtivo 03 3) Idntificação do stablcimnto 05 4) Atividads do stablcimnto 09 5) Caractrísticas

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais

EDITAL N.º 001/2015 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE OFICINEIROS 2015 SECRETARIA MUNICIPAL DE JUSTIÇA SOCIAL E SEGURANÇA

EDITAL N.º 001/2015 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE OFICINEIROS 2015 SECRETARIA MUNICIPAL DE JUSTIÇA SOCIAL E SEGURANÇA EDITAL N.º 001/2015 EDITAL PARA CONTRATAÇÃO DE OFICINEIROS 2015 SECRETARIA MUNICIPAL DE JUSTIÇA SOCIAL E SEGURANÇA PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA 1. Disposiçõs Grais A Protção Social Espcial

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO

PROGRAMA DE PREVENÇÃO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - 2013 - CENTRO DE CONTROLE DE ZOONOSES 1 ÍNDICE 1) Introdução 03 2) Objtivo 03 3) Idntificação do Establcimnto 05 4) Atividads do Establcimnto 08 5) Caractrísticas

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia de Informação e Comunicação. Versão 0.1 PDTIC MINISTÉRIO DA DEFESA COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012/2015

Plano Diretor de Tecnologia de Informação e Comunicação. Versão 0.1 PDTIC MINISTÉRIO DA DEFESA COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012/2015 Plano Dirtor d Tcnologia d Informação Comunicação Vrsão 0.1 PDTIC MINISTÉRIO DA DEFESA COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012/2015 Brasília, 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA Ministro d Estado da Dfsa Clso Luiz

Leia mais

Informativo de Cursos 2º semestre de 2012 Santos Cubatão Bertioga

Informativo de Cursos 2º semestre de 2012 Santos Cubatão Bertioga Informativo d s 2º smstr d 2012 Automação Automobilística Caldiraria Construção Civil Rstauração Dsnho Eltroltrônica Logística Manutnção Mcânica Mtalmcânica Mtalurgia Rfrigração Climatização Tcnologia

Leia mais

Conselho Federal de Enfermagem

Conselho Federal de Enfermagem Conslho Fdral d Enfrmagm Planjamnto Estratégico para o Conslho Fdral d Enfrmagm Assssoria d Planjamnto Gstão do Cofn Brasília 2015 1 Assssoria d Planjamnto Gstão Planjamnto Estratégico para o Conslho Fdral

Leia mais

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho S is tm a d G s tã o da Qua lida d S gura n ça do T ra ba lho G s tã o da Qua lida d I n t r n a ti o n a l O r g a n i za ti o n fo r S ta n d a r d i za ti o n (I S O ) Organização Normalização. Intrnacional

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

Informativo de Cursos 1º semestre de 2013

Informativo de Cursos 1º semestre de 2013 Informativo d s 1º smstr d 2013 Escolas SENAI - - Automação Automobilística Caldiraria Construção Civil Rstauração Dsnho Eltroltrônica Logística Manutnção Mcânica Mtalmcânica Mtalurgia Rfrigração Climatização

Leia mais

Planificação das Actividades Eixo I PROPORCIONAR AOS IDOSOS MELHOR QUALIDADE DE VIDA INCLUINDO MEDIDAS DE COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL

Planificação das Actividades Eixo I PROPORCIONAR AOS IDOSOS MELHOR QUALIDADE DE VIDA INCLUINDO MEDIDAS DE COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL PLANO DE ACÇÃO O Plano acção é um documnto anual ond s idntificam os projctos intrvnçõs prvistas para cada ano, dvidamnt nquadradas nas stratégias dfinidas m Plano d Dsnvolvimnto Social. No sgundo PDS,

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO POR BENEFICIÁRIOS DE PRESTAÇÕES DE DESEMPREGO A prnchr plo IEFP, I.

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2013. DOE 29.11.2013, p.51, Municipalidads DOEL-TCEES 29.11.2013 Edição nº 62, p. 1 Dispõ sobr a composição a forma d nvio das tomadas prstaçõs d contas

Leia mais

Gestão de Riscos Abordagem Prática. Igor Rocha Ferreira MSc., PMP, CRMA, CoBIT

Gestão de Riscos Abordagem Prática. Igor Rocha Ferreira MSc., PMP, CRMA, CoBIT Gstão d Riscos Abordagm Prática Igor Rocha Frrira MSc., PMP, CRMA, CoBIT Agnda Brv Histórico da Gstão d Riscos As Organizaçõs, sus Sgmntos Procssos Maturidad d Gstão d Riscos Transição para a Gstão Intgrada

Leia mais

ANEXO II VAGAS 1.1 VAGAS PARA PROFESSORES DE CURSOS FIC PRONATEC MULHERES MIL CAMPUS URUAÇU RUA FORMOSA, SN QD. 28/29 - SETOR SANTANA;

ANEXO II VAGAS 1.1 VAGAS PARA PROFESSORES DE CURSOS FIC PRONATEC MULHERES MIL CAMPUS URUAÇU RUA FORMOSA, SN QD. 28/29 - SETOR SANTANA; APLICADOR DE REVESTIMENTO CERÂMICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL

Leia mais

A Implantação da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais do Brasil (INDE)

A Implantação da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais do Brasil (INDE) A Implantação da Infrastrutura Nacional d Dados Espaciais do Brasil (INDE) GEO SUMMIT LATIN AMERICA 2009 23 Julho 2009 São Paulo - SP 1 Tmário I - Infrastruturas d Dados Espaciais: Concitos II - Açõs da

Leia mais

Estado da arte do software de mineração e o impacto nas melhores práticas de planejamento de lavra

Estado da arte do software de mineração e o impacto nas melhores práticas de planejamento de lavra Estado da art do softwar d minração o impacto nas mlhors práticas d planjamnto d lavra Prof. Dr. Giorgio d Tomi Profssor Associado, Dpto. Engnharia d Minas d Ptrólo da EPUSP Dirtor d Opraçõs, Dvx Tcnologia

Leia mais

ANEXO II DESCRIÇÃO SINTÉTICA DAS ATRIBUIÇÕES

ANEXO II DESCRIÇÃO SINTÉTICA DAS ATRIBUIÇÕES ANEXO I DEMONSTRATIVO DOS CARGOS, REQUISITOS, JORNADA DE TRABALHO, VENCIMENTOS E NÚMERO DE VAGAS 1. NÍVEL SUPERIOR CÓD CARGO REQUISITOS 301 Assistnt Social 302 Enfrmiro 303 Farmacêutico/Bioquímico 304

Leia mais

Empresa Elétrica Bragantina S.A

Empresa Elétrica Bragantina S.A Emprsa Elétrica Bragantina S.A Programa Anual d Psquisa Dsnvolvimnto - P&D Ciclo 2006-2007 COMUNICADO 002/2007 A Emprsa Elétrica Bragantina S.A, concssionária d srviço público d distribuição d nrgia létrica,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014 EDITAL DE PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES E DE RETIFICAÇÃO O Município d Duartina, Estado d São Paulo, no uso d suas atribuiçõs lgais, torna público o Edital d Prorrogação das Inscriçõs,

Leia mais

Princípios do Equador

Princípios do Equador RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DO BRASIL Princípios do Equador NOVEMBRO DE DE 2006 2006 Histórico 1995 PROTOCOLO VERDE 1998 SELO IBASE 2003 CONCEITO E CARTA DE PRINCÍPIOS DE RSA PACTO GLOBAL

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

A FALHA NÃO É UMA OPÇÃO

A FALHA NÃO É UMA OPÇÃO FLH NÃO É UM OPÇÃO José Wagnr Braidotti Junior (1) Rsumo prssão por mlhors indicadors d produtividad, disponibilidad confiabilidad nas organizaçõs tm aumntado a cada ano, tornando os divrsos procssos d

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: Topografia Básica e Planimetria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 PLANO DE ENSINO CURSO: Agronomia MODALIDADE: Prsncial DISCIPLINA: Topografia Básica Planimtria CÓDIGO: AG-43 TURMA: 2013 ANO/SEMESTRE/ANO: 2014/4º FASE/SÉRIE: 4º sm. CARGA HORÁRIA: 04 horas (smanal) /

Leia mais

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015 Aprsntação Institucional Estratégia Março 2015 História História A Dot.Lib é uma mprsa brasilira dicada à dissminação da informação cintífica através do acsso onlin a livros digitais, priódicos ltrônicos

Leia mais

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Ants da MP nº 665/14 Art. 2o-B. Em carátr xcpcional plo prazo d sis mss, os trabalhadors qu stjam m situação d dsmprgo involuntário plo príodo comprndido ntr doz dzoito mss, inintrruptos, qu já tnham sido

Leia mais

Protocolo n.º 11/001894

Protocolo n.º 11/001894 O SESI/PR Srviço Social da Indústria, adiant dsignado simplsmnt SESI/PR, com sd na Rua Cândido d Abru, nº. 200, nsta Capital, torna público o prsnt rgulamnto d crdnciamnto para laboração do documnto bas

Leia mais

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO CRONOGRAMA ÍNDICE FASES DATAS APURAMENTOS LOCAL 4 alunos por scola 1. Introdução...2 1ª fas Escolas 2ª fas Distrital Até 11 d Janiro 1 ou 2 d Fvriro 2 do sxo fminino

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 ÍNDICE

PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 ÍNDICE ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 I. ENQUADRAMENTO..4 II. VISÃO, MISSÃO, VALORES E POLÍTICA DA QUALIDADE..5 III. MODELO ORGANIZACIONAL...10 IV. DIAGNÓSTICO EXTERNO.12 V. DIAGNÓSTICO INTERNO..14 VI.

Leia mais

TERMOS ADITIVOS AOS CONTRATOS FIRMADOS EM 2012

TERMOS ADITIVOS AOS CONTRATOS FIRMADOS EM 2012 TRMOS ADITIVOS AOS CONTRATOS FIRMADOS M 2012 ORDM CRONOLÓGICA PRIMIRO TRMO ADITIVO Nº DO CONTRATO 08/2012 PRSTAÇÃO D SRVIÇOS D DSNVOLVIMNTO IMPLANTAÇÃO D PROGRAMAS PRVNTIVOS OBJTO DO CONTRATO OCUPACIONAIS

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL PORTARIA Nº 3642, DE 4 DE AGOSTO DE 2015. Voto Anxo O DIRETOR-GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL, no uso suas atribuiçõs rgimntais, acordo com

Leia mais

Confirmação dos dados cadastrais + Alerta de Documentos + Confirmação do telefone

Confirmação dos dados cadastrais + Alerta de Documentos + Confirmação do telefone Tabla d Prços C PRODUTO Dscritivo Insumos Consultas d Balcão Consulta com imprssão d xtrato simplificado d rgistros, com composição idêntica à Dclaração Consumidor SóChqu Confirm PJ Confirmação dos dados

Leia mais

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores.

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores. Est Plano d Curso podrá sofrr altraçõs a critério do profssor / ou da Coordnação. PLANO DE CURSO 2011 DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Excução civil, tutlas d urgência procdimntos spciais. PROFESSOR:

Leia mais

A Estranha Arquitetura Política para aprovar o PL 4302/98 que trai os interesses dos Trabalhadores

A Estranha Arquitetura Política para aprovar o PL 4302/98 que trai os interesses dos Trabalhadores - Grência Rgional do Trabalho Emprgo d Santos - Rconhcido pla Portaria Nº 556-MTE-DRTSP d 11 d Dzmbro d 2003 1 A Estranha Arquittura Política para aprovar o PL 4302/98 qu trai os intrsss dos Trabalhadors

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR de ORIGEM: Pedagogia Licenciatura Compartilhada Noturno Estrutura Curricular 1 (Parecer CONSUNI-CONSEPE n 2.

ESTRUTURA CURRICULAR de ORIGEM: Pedagogia Licenciatura Compartilhada Noturno Estrutura Curricular 1 (Parecer CONSUNI-CONSEPE n 2. Conslho Univrsitário - CONSUNI Câmara d Ensino Curso d Graduação m Pdagogia da UNIPLAC Quadro d Equivalência para Fins d Aprovitamnto d Estudos ntr duas Estruturas Curriculars Disciplinars ESTRUTURA CURRICULAR

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Curso Profissional d Técnico d Markting Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL MARKETING 2º Ano Comptências Grais Colaborar na laboração ralização d studos d mrcado, bm

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD A Pró-Ritoria d Graduação Educação Profissional (PROGRAD)

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

Gestão de Saúde Empresarial

Gestão de Saúde Empresarial Gstão Saú Emprsarial Uma parcria indispnsávl para a sua tranquilida As soluçõs m Gstão Saú Emprsarial do Imtp foram criadas sob mdida para garantir a saú do su capital humano. Imtp tornou-s rfrência m

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

EDITAL/NÚCLEO EAD Nº 03/2011

EDITAL/NÚCLEO EAD Nº 03/2011 Estado d Goiás Scrtaria d Ciência Tcnologia Gabint d Gstão d Capacitação Formação Tcnológica Cntro d d Anápolis Cntro d Sbastião d Siquira EDITAL/NÚCLEO EAD Nº 03/20 Procsso Sltivo d Profssor Formador

Leia mais

Anexo I - Quadro de vagas

Anexo I - Quadro de vagas Anxo I - Quadro d vagas Escolaridad: Nívl Médio. Taxa d Inscrição: R$ 50,00 Código Nom Pré-rquisitos Sínts das atividads AGFIS Agnt d Fiscalização AGTRI Agnt d Tributos AGVSA OPCOM DESEN TOPOG Agnt Vigilância

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 542/GDGCA.GP, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2004

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 542/GDGCA.GP, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2004 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 542/GDGCA.GP, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2004 Aprova o Plano d Classificação d Documntação Administrativa do Tribunal Suprior do Trabalho. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais d Contas Sistma d Informação do Técnico Oficial d Contas IAS 24 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 24 Divulgaçõs d Parts Rlacionadas ÍNDICE Parágrafos Objctivo

Leia mais

PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA

PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA I Aos quinz dias d mês d maio d 2014, ntr Autoridad Para

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Edital n.º 1005

PROCESSO SELETIVO Edital n.º 1005 PROCESSO SELETIVO Edital n.º 1005 A ITAIPU Binacional, no uso d suas atribuiçõs lgais, mdiant as condiçõs stipuladas nst Edital m sus Anxos. Torna Público A abrtura d inscriçõs para a ralização do Procsso

Leia mais

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis.

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. 18/05/12 Anvisa - Lgislação - Portarias Lgislação Para vrificar a atualização dsta norma, como rvogaçõs ou altraçõs, acss o Visalgis. Portaria n º 27, d 13 d janiro d 1998 A Scrtária d Vigilância Sanitária,

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnta da Rpública Dilma Roussff Ministra do Planjamnto, Orçamnto Gstão Miriam Blchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnta Wasmália Bivar Dirtor-Excutivo Nuno Duart da Costa

Leia mais

EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da UNIP

EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da UNIP E D I T A L A b r t u r a i n s c O Programa r d Pós-Graduação m Engnharia d Produção, m nívl d Mstrado Doutorado, i comunica a abrtura d inscriçõs para a slção d candidatos, para o prnchimnto ç d vagas

Leia mais

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo

2015-2016. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo 2015-2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º Ciclo Stmbro 2015 Est documnto prtnd dar a conhcr a todos os intrvnints no procsso ducativo os critérios d avaliação, rsptivas prcntagns, a qu os alunos do Agrupamnto

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO e

DIREITO FINANCEIRO e DIREITO FINANCEIRO Fábio Fort d Andrad Dirtor do Dpto. d Administração Financira Prfitura Municipal d Campinas Scrtaria Municipal d Finanças Julho d 2012 História Concito Atividad Financira do Estado ROTEIRO

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Curso Profissional d Técnico d Markting Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL MARKETING 3º Ano Comptências Grais Colaborar na laboração ralização d studos d mrcado, bm

Leia mais

Ministério da Justiça

Ministério da Justiça Nº 193, quinta-fira, 8 d outubro d 2015 1 ISSN 1677-7042 31 I - fatos rlacionados às atividads das socidads sguradoras d capitalização; ntidads abrtas d prvidência complmntar; socidads cooprativas, nas

Leia mais

com efeitos financeiros a contar da competência julho/2004. JORGE SOLLA O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

com efeitos financeiros a contar da competência julho/2004. JORGE SOLLA O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, RESOLUÇÃO-RE PORTARIA PORTARIA PORTARIA Nº 135, quinta-fira, 15 d julho d 2004 1 81 FABRICANTE : OLYMPUS LATIN AMERICA CO. - ESTADOS UNIDOS BML-1Q.A/B;

Leia mais

Plano de Estudo 5º ano - ANUAL

Plano de Estudo 5º ano - ANUAL Plano d Estudo 5º ano - ANUAL Disciplina: Ciências Naturais Unidad Tmática Contúdos 1 Importância das rochas do solo na manutnção dvida. Por qu razão xist vida na Trra? Qu ambint xistm na Trra? Ond xist

Leia mais

Prefeito Tatu e vereadores vão a São Paulo em busca de Cursos Profissionalizantes para Maracaí

Prefeito Tatu e vereadores vão a São Paulo em busca de Cursos Profissionalizantes para Maracaí 01 Prfito Tatu vradors vão a São Paulo m busca d Cursos Profissionalizants para Maracaí Ontm (06/03) o prfito Eduardo Corra Sotana (Tatu), o Dputado Estadual Mauro Bragato, os vradors Edivaldo Rodrigus

Leia mais

Indeferir o Requerimento de Anistia post mortem de MA- NOEL SOARES NASCIMENTO, filho de JUSTINA SOARES DO N A S C I M E N TO. JOSÉ EDUARDO CARDOZO

Indeferir o Requerimento de Anistia post mortem de MA- NOEL SOARES NASCIMENTO, filho de JUSTINA SOARES DO N A S C I M E N TO. JOSÉ EDUARDO CARDOZO Nº 138, quarta-fira, 22 d julho d 2015 1 ISSN 1677-7042 25 N o - Município 1 Alvorada 2 Bagé 3 Barra do Guarita 4 Barra do Quaraí 5 Cachoira do Sul 6 Cachoirinha 7 Crro Grand 8 Esprança do Sul 9 Estio

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Nº 155, sxta-fira, 14 d agosto d 2015 1 ISSN 1677-7042 13 c) Cartira d idntidad d strangiro ou Visto d Prmanência xpdido pla Polícia Fdral dntro da validad (cópia d) Atstado d Saúd Ocupacional (ASO), mitido

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS 48 ISSN 1677-7069 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL EXTRATO DE CONTRATO Nº 195/2013 - UASG 154054 Nº Procsso: 23104006021201307. PREGÃO SRP Nº 124/2013. Contratant: FUNDACAO UNIVER- SIDADE

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

HIGE5A Inl ~E-242. ... *e. ', -,,, ' '',,' e * DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR COORDENADORIA DE PROJETOS ESPECIAIS - CPE GOVERNO

HIGE5A Inl ~E-242. ... *e. ', -,,, ' '',,' e * DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR COORDENADORIA DE PROJETOS ESPECIAIS - CPE GOVERNO w Public Disclosur Authorizd S GOVERNO * DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR COORDENADORIA DE PROJETOS ESPECIAIS - CPE Public Disclosur Authorizd Public Disclosur Authorizd Public Disclosur Authorizd

Leia mais