Apresentação Wintek.Center Programa das Ações de Formação Básico de Refrigeração e Climatização... 6

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação Wintek.Center... 4. Programa das Ações de Formação... 3. Básico de Refrigeração e Climatização... 6"

Transcrição

1

2

3 ÍNDICE Apresentação Wintek.Center... 4 Programa das Ações de Formação... 3 Básico de Refrigeração e Climatização... 6 Automação, Controlo e Instrumentação... 7 Electricidade de Sistemas de Refrigeração e Climatização... 8 Manuseamento de Gases Fluorados com Efeito de Estufa Categoria I... 9 Técnico de Instalação e Manutenção para Potências Inferiores a 100KW Térmicos Técnico de Instalação e Manutenção para Potências Superiores a 100KW Térmicos Planificação das Ações de Formação Condições de Inscrições

4 Apresentação Wintek.Center O Wintek.Center surgiu como sendo uma marca registada (nº registo 26125) para representar a Formação Profissional da empresa Vidaltec. Nesta fase de crise em que o país se encontra a travessar, com diversas dificuldades sentidas pelas empresas e indivíduos, a Vidaltec expandiu a sua área de atuação através da criação de um Centro de Formação Profissional de forma a poder partilhar todo o seu Know-how técnico e especializado adquirido ao longo dos anos. A atividade formativa dinamizada pelo Wintek.Center passa essencialmente por uma formação adequada à realidade, atualizada e focalizada nas componentes científicas e tecnológicas, de forma a responder às exigências legais nacionais relativas ao perfil dos profissionais/empresas que desempenham funções direcionadas às Industrias da Energia, Climatização, Refrigeração e Automação. Através da certificação obtida pela DGERT Direção Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (nº de certificação: C1241), o Wintek.Center foi reconhecido como sendo uma entidade com a capacidade de intervir no âmbito da formação, nas seguintes áreas de Educação e Formação: Metalurgia e metalomecânica; Eletricidade e energia; Eletrónica e automação. Com o intuito de responder às necessidades sentidas pela sociedade, o Wintek.Center assume a oferta formativa de duas configurações distintas: Formação à Medida: consiste em responder aos pedidos de formação de entidades clientes, concebendo projetos formativos de forma ajustada e à medida de cada entidade cliente; Formação por Calendário: consiste na estruturação de um Plano Formativo, no qual constam cursos nas mais variadas áreas, dirigidos aos colaboradores de entidades e a participantes externos individuais. 4

5 Programa das Ações de Formação

6 Básico de Refrigeração e Climatização Duração: 130T+70P 200H Objetivos Gerais: Formar profissionais e aperfeiçoar as competências de profissionais atuais para executar operações com qualidade durante a montagem, operação e manutenção de sistemas de refrigeração e de climatização. Objetivos Específicos: Formar profissionais com competências em termodinâmica básica aos sistemas de refrigeração e de climatização, eletricidade e circuitos elétricos, bombas de calor, ventilação e aquecimento, fluidos frigorígenos e soldadura oxiacetilénica. Destinatários: Profissionais e quadros técnicos com pouca ou nenhuma formação na área, preferencialmente com o 9ºano de escolaridade, que pretendam aprofundar conhecimentos sobre o funcionamento e manutenção de equipamentos de refrigeração e de climatização. Conteúdo Programático: Termodinâmica Básica associada aos sistemas de refrigeração e de climatização; Ferramentas e materiais; Eletricidade básica e circuitos elétricos; Dispositivos de comando e de controlo de sistemas; Componentes dos circuitos de refrigeração e de climatização; Sistemas de ventilação e de aquecimento; Fluidos; Soldadura oxiacetilénica; Bombas de calor; Manutenção; Higiene e segurança no trabalho; Avaliação formativa. Certificação: No final da ação de formação os formando que reuniram as condições favoráveis recebem o Certificado de Formação Profissional. 6

7 Automação, Controlo e Instrumentação Duração: 20T+10P 30H Objetivos Gerais: Aperfeiçoar as competências de profissionais para executar trabalhos de qualidade na área da automação e instrumentação. Objetivos Específicos: Formar profissionais com competências em controlo de processos industriais, manuseamento de controladoras e identificação, montagem e operação de atuadores e de sensores de temperatura, pressão e caudal. Destinatários: Profissionais e quadros técnicos com pouca ou nenhuma formação na área, preferencialmente com o 9ºano de escolaridade, que pretendam aprofundar conhecimentos sobre automação e controlo de processos industriais e de instrumentação. Conteúdo Programático: Controlo de processos industriais; Variáveis dinâmicas; Elementos do controlo de processos; Processamento analógico e processamento digital; Controladores programáveis; Conversão de sinal; Atuadores; Automatismo; Controladores; Sensores de temperatura, pressão e caudal; Avaliação formativa Certificação: No final da ação de formação os formando que reuniram as condições favoráveis recebem o Certificado de Formação Profissional. 7

8 Eletricidade de Sistemas de Refrigeração e Climatização Duração: 10T+20P - 30H Objetivos Gerais: Aperfeiçoar as competências de profissionais para executar operações com qualidade durante a montagem e manutenção de sistemas elétricos de equipamentos de refrigeração e de climatização. Objetivos Específicos: Aperfeiçoar as competências de profissionais em corrente continua, corrente alternada, motores elétricos, dispositivos de comando e de proteção de sistemas e compreensão de esquemas elétricos. Destinatários: Profissionais que pretendam aprofundar os conhecimentos teóricos e melhorar as competências práticas nestas áreas, com vista a executar trabalhos de manutenção com mais qualidade. Conteúdo Programático: Formas de corrente elétrica; Produção de corrente alternada; Motores elétricos de corrente alternada; Dispositivos de comando e proteção; Coordenação dos dispositivos de proteção; Seleção de contactores; Arranque de motores; Esquemas elétricos; Simbologia; Avaliação formativa. Certificação: No final da ação de formação os formando que reuniram as condições favoráveis recebem o Certificado de Formação Profissional. 8

9 Manuseamento de Gases Fluorados com Efeito de Estufa Categoria I Duração: 30T+30P 60H Objetivos Gerais: Aperfeiçoar as competências de profissionais atuais para executar operações com qualidade durante a montagem, operação e manutenção de sistemas de refrigeração e de climatização (principalmente no manuseamento de fluidos fluorados com efeito de estufa). Objetivos Específicos: Formar profissionais com competências no conhecimento da legislação aplicável ao manuseamento de fluidos fluorados com efeito de estufa, termodinâmica básica aplicada aos sistemas de refrigeração e de climatização, componentes dos sistemas, ligação de componentes e deteção de fugas, e diagnóstico e deteção de avarias em sistemas frigoríficos. Destinatários: Profissionais que executam ações de montagem, intervenção e manutenção de instalações de refrigeração e de climatização que contém mais de 3KG de gases fluorados com efeito de estufa. Os candidatos devem cumprir as Habilitações Literárias previstas pela lei: Escolaridade Âmbito 4º classe Para os nascidos até 31/12/ ano de escolaridade Para os nascidos a partir de 01/01/1967 até 31/12/ ano de escolaridade Para os inscritos no 1ºano do ensino básico no ano lectivo de 1987/1988 e seguintes 12 ano de escolaridade Para os inscritos no 1º, 2º ciclo (do 1º ao 6ºano) ou 7ºano do ensino básico no ano lectivo de 2009/2010 e seguintes. 9

10 Conteúdo Programático: Conteúdo Programático Legislação aplicável e Ambiente: Efeito de estufa e consequências; Conceitos fundamentais e termodinâmica básica; Componentes dos sistemas, identificação, instalação, regulação e verificação dos sistemas Objectivos Específicos Reconhecer a importância do conhecimento da legislação ambiental referente aos fluidos frigorígenos fluorados; Reconhecer a nomenclatura e as principais características dos fluidos frigorígenos; Executar as principais operações de retrofits de fluidos; Descrever a importância da lubrificação nos sistemas frigoríficos, tipos e características de óleos de lubrificação; Efetuar operações de recolha, vácuo e carga de fluido frigorígenos de instalações frigoríficas, sem emissões de fluidos. Reconhecer a importância da compreensão dos estados da matéria e da noção de temperatura, e a importância da noção de calor e dos tipos de transmissão de calor; Reconhecer a importância da noção de pressão, unidades associadas e tipos de manómetros; Compreender o funcionamento das bombas de vácuo, e perceber as principais propriedades termodinâmicas na refrigeração e climatização, bem como compreender a utilidade do Diagrama de Mollier; Marcar no Diagrama de Mollier alguns estados termodinâmicos de fluidos frigoríficos; Efetuar testes de funcionamento de pressostatos e visualização dos componentes internos de sensores. Reconhecer e perceber o funcionamento dos principais componentes dos sistemas frigoríficos: compressores, condensadores, dispositivos expansores, evaporadores, elementos de controlo e de segurança; Identificar, instalar e regular componentes de sistemas frigóricos; Verificar o funcionamento de sistemas frigóricos. 10

11 Ligação de componentes e deteção de fugas Diagnóstico e deteção de avarias em sistemas frigoríficos Reconhecer a importância da brasagem e natureza da chama e a ação de capilaridade, folga, união e limpeza de tubos e operações de brasagem com diversos tipos de tubos; Perceber as falhas comuns e os procedimentos de segurança na utilização dos postos de soldadura; Aplicar os métodos diretos e indiretos para a deteção de fugas de fluidos frigorígenos, bem como a metodologia para efetuar testes de hermeticidade e de resistência a instalações frigoríficas; Demonstrar e executar os procedimentos de Utilizar com segurança os postos de soldadura, e o equipamento de proteção individual; Executar soldadura por brasagem em sistemas reais; Executar curvaturas de tubos em cobre; Executar testes de hermeticidade e de resistência de instalações com recurso a azoto desidratado, em sistemas reais; Descrever as avarias típicas dos sistemas frigoríficos. Descrever a importância da deteção e diagnóstico de avarias sintomas e causas de avarias; Descrever a importância da compreensão do bom funcionamento termodinâmico dos sistemas frigoríficos; Efetuar o diagnóstico de avarias em compressores; Efetuar o diagnóstico elétrico de diversos componentes; Efetuar o diagnóstico de funcionamento de sistemas frigoríficos; Certificação: No final da ação de formação os formando que reuniram as condições favoráveis recebem o Certificado de Formação Profissional. 11

12 Técnico de Instalação e Manutenção para Potências Inferiores a 100KW Térmicos Duração:40T+30P 70H Objetivos Gerais: Curso de apoio à credenciação, para aperfeiçoar as competências de profissionais atuais, com vista à execução de operações com qualidade durante a montagem, operação e manutenção de sistemas de refrigeração e de climatização, com menos de 100KW térmicos. Objetivos Específicos: Formar profissionais com competências em termodinâmica básica aplicada aos sistemas de refrigeração e de climatização, dispositivos de controlo de caudal, eletricidade e circuitos elétricos, bombas de calor, ventilação e aquecimento, fluidos frigorígenos e soldadura oxiacetilénica. Destinatários: Profissionais de refrigeração e climatização que tenham eplo menos 5 anos de experiencia como eletromecânico de refrigeração e climatização, ou; Profissionais que tenham frequentado com aproveitamento o curso de técnico de refrigeração e climatização, homologado pelo IEFP, acrescido de 2 anos de experiência profissional na área. Conteúdo Programático: Termodinâmica associada aos sistemas de refrigeração e de climatização; Sistemas de refrigeração e de climatização; Dispositivos de controlo de caudal; Fluidos e Difusão; Eletricidade básica e máquinas elétricas; Soldadura; Aquecimento e bombas; Manutenção de sistemas; Higiene e segurança no trabalho; Avaliação formativa. Certificação: No final da ação de formação os formando que reuniram as condições favoráveis recebem o Certificado de Formação Profissional 12

13 Técnico de Instalação e Manutenção para Potências Superiores a 100KW Térmicos Duração: 50T+30P 80H Objetivos Gerais: Curso de apoia à credenciação, para aperfeiçoar as competências de profissionais atuais, com vista à execução de operações com qualidade durante a montagem, operação e manutenção de sistemas de refrigeração e de climatização, com mais de 100KW térmicos. Objetivos Específicos: Formar profissionais com competências em termodinâmica básica aplicada aos sistemas de refrigeração e de climatização, eletricidade e circuitos elétricos, bombas de calor, ventilação e aquecimento, fluidos frigorígenos e soldadura oxiacetilénica. Destinatários: Profissionais de refrigeração e climatização que tenham pelo menos 7 anos de experiência como eletromecânico de refrigeração e climatização, ou; Profissionais que tenham frequentado com aproveitamento o curso de técnico de refrigeração e climatização, homologado pelo IEFP, acrescido de 5 anos de experiência profissional na área; Profissionais que adicionalmente, tenham frequentado com aproveitamento, o curso de Especialização em Qualidade do Ar Interior. Conteúdo Programático: Termodinâmica associada aos sistemas de refrigeração e de climatização; Sistemas de refrigeração e de climatização, Fluidos; Eletricidade básica e máquinas elétricas; Soldadura; Aquecimento e bombas; Manutenção de sistemas; Higiene e segurança no trabalho; Avaliação formativa. Certificação: No final da ação de formação os formando que reuniram as condições favoráveis recebem o Certificado de Formação Profissional. 13

14 Planificação das Ações de Formação 14

15 Planificação das Ações de Formação Designação da Ação Duração Regime Data Início Data Final Pós-Laboral 6 de Maio 2 de Setembro 7 de Agosto 3 de Dezembro Básico de Refrigeração e Climatização 200H Sábados 4 de Maio 7 de Setembro 19 de Outubro 22 de Fevereiro de 2014 Automação, Controlo e Instrumentação 30H Pós-Laboral Sábados 15 de Abril 11 de Setembro 20 de Abril 14 de Setembro 8 de Maio 2 de Outubro 11 de Maio 5 de Outubro Eletricidade de Sistemas de Refrigeração e Climatização 30H Pós-Laboral Sábados 6 de Maio 7 de Outubro 4 de Maio 5 de Outubro 27 de Maio 28 de Outubro 25 de Maio 26 de Outubro Pós-Laboral 3 de Maio 2 de Setembro 19 de Junho 16 de Outubro Manuseamento de Gases Fluorados Com Efeito de Estufa Categoria I 60H Sábados 4 de Maio 1 de Junho 7 de Setembro 15 de Junho 13 de Julho 19 de Outubro 2 de Novembro 14 de Dezembro 15

16 Designação da Ação Duração Regime Data Início Data Final Técnico de Instalação e Pós-Laboral 1 de Abril 1 de Julho 24 de Maio 31 de Julho Manutenção para Potências Inferiores a 70H 6 de Abril 1 de Junho 100KW Térmicos Sábados 7 de Setembro 2 de Novembro 2 de Novembro 28 de Dezembro Técnico de Instalação e Pós-Laboral 6 de Maio 2 de Dezembro 8 de Julho 16 de Janeiro de 2014 Manutenção para Potências Superiores a 100KW Térmicos 80H Sábados 4 de Maio 5 de Outubro 7 de Dezembro 6 de Julho 7 de Dezembro 8 de Fevereiro de 2014 Horários: Pós-Laboral - Segunda a Sexta-Feira das 19 Horas às 22 Horas ou; Segunda, Quarta e Sexta-Feira das 19Horas às 22 Horas. Sábados das 9.00Horas às 18.30Horas com uma pausa de almoço entre as Horas às Horas Para mais informações consulte os nossos cursos em: 16

17 Condições de Inscrições Todos os interessados em participar nas ações de formação dinamizadas pelo Wintek.Center podem efetuar a inscrição nas ações de formação, preenchendo a ficha de inscrição que está presente no site do Wintek.Center, ou presencialmente nas instalações do Centro. Os formandos serão sempre selecionados de acordo com o perfil de enquadramento definido para cada curso, caracterizado no respetivo programa do mesmo, sendo que, de modo geral, a seleção dos formandos é efetuada tendo em conta a experiência profissional, afinidade entre a área de trabalho e os conteúdos da formação, implicações para o desenvolvimento da carreira e data de inscrição A inscrição nas ações de formação só serão confirmadas após o pagamento do valor de inscrição referente à ação pretendida, que poderá ser realizado presencialmente, no atendimento geral do Wintek.Center ou através de transferência bancária ou cheque. O nº de participantes por ação é limitado, pelo que as inscrições serão aceites por ordem de entrada e segundo os pré-requisitos necessários para cada ação. A realização dos cursos encontra-se condicionada a um número mínimo de inscrições, pelo que o Wintek.Center reserva-se no direito de cancelar ou adiar a realização das ações de formação, caso o número de participantes inscritos seja insuficiente, havendo nesse caso devolução do valor da inscrição na totalidade, sempre que os participantes demonstrem interesse em não aguardar pelo início do curso. Para mais informações consulte o Regulamento de Formação em: 17

18 Coordenação de Formação: Telm: Telf Rua Major João Luís de Moura, Edif.AA Famões Park Famões

Os titulares da categoria II podem executar as seguintes atividades: Os titulares da categoria III podem executar a seguinte atividade:

Os titulares da categoria II podem executar as seguintes atividades: Os titulares da categoria III podem executar a seguinte atividade: 1. Introdução 1.1 Este regulamento complementa o Regulamento Geral do OCP e tem como objetivo descrever o funcionamento do esquema de certificação de pessoas nas várias categorias para detecção de fugas,

Leia mais

- Enquadramento Legal Abordagem genérica das questões associadas à QAI; Enquadramento Legal.

- Enquadramento Legal Abordagem genérica das questões associadas à QAI; Enquadramento Legal. Cursos de atualização profissional para revalidação da credenciação técnica (nº 6, art. 22º DL79/2006 de 4 Abril) Referenciais mínimos aprovados pela Comissão Tripartida Revalidação da Credenciação a TIM

Leia mais

Índice. Centros de Formação Vulcano 03 Programa de Formação 04 Cursos: Esquentadores e Termoacumuladores. Aquecimento Central e A.Q.S.

Índice. Centros de Formação Vulcano 03 Programa de Formação 04 Cursos: Esquentadores e Termoacumuladores. Aquecimento Central e A.Q.S. PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2013 Índice ENTRADA DO CENTRO DE FORMAÇÃO - AVEIRO Centros de Formação Vulcano 03 Programa de Formação 04 Cursos: Esquentadores e Termoacumuladores E1 Águas Quentes Sanitárias 04

Leia mais

Mudanças profissionais e mercado de trabalho. Escolher uma profissão/mudar de atividade. Debater os direitos e deveres dos cidadãos

Mudanças profissionais e mercado de trabalho. Escolher uma profissão/mudar de atividade. Debater os direitos e deveres dos cidadãos Duração: 775 horas Duração: 400 horas Viver em português Comunicar em língua Inglesa* Mundo atual Desenvolvimento social e pessoal TIC Matemática e realidade Física e Química 6651 Portugal e a Europa 6652

Leia mais

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ALIMENTOS SENAI RR SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS Catálogo de Cursos 1. TÍTULO ALINHAMENTO E BALANCEAMENTO DE RODAS Preparar profissionais para identificar os ângulos

Leia mais

Esquema de Certificação Técnicos de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização

Esquema de Certificação Técnicos de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização Esquema de Certificação Técnicos de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização 1. Introdução 1.1. O presente documento, descreve os requisitos particulares referentes à certificação de técnicos

Leia mais

ACADEMIA ADENE REGULAMENTO DE EXAMES PARA TÉCNICOS DO SCE TIM-II. Regulamento Exames TIM-II 1 / 9 Versão 1.0

ACADEMIA ADENE REGULAMENTO DE EXAMES PARA TÉCNICOS DO SCE TIM-II. Regulamento Exames TIM-II 1 / 9 Versão 1.0 ACADEMIA ADENE REGULAMENTO DE EXAMES PARA TÉCNICOS DO SCE TIM-II Regulamento Exames TIM-II 1 / 9 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 3 3. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS... 3 4. CONDIÇÕES E MÉTODOS DE

Leia mais

ACADEMIA ADENE REGULAMENTO DE EXAMES PARA TÉCNICOS DO SCE TIM-III

ACADEMIA ADENE REGULAMENTO DE EXAMES PARA TÉCNICOS DO SCE TIM-III ACADEMIA ADENE REGULAMENTO DE EXAMES PARA TÉCNICOS DO SCE TIM-III Regulamento Exames TIM-II 1 / 11 Índice 1. OBJETIVO... 4 2. DESTINATÁRIOS E REQUISITOS PARA O RECONHECIMENTO... 4 3. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS...

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

2ª Edição Abril de 2013

2ª Edição Abril de 2013 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CERTIF SERVIÇO DE INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA DE EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO, AR CONDICIONADO E BOMBAS DE CALOR QUE CONTENHAM GASES FLUORADOS COM EFEITO DE ESTUFA

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT Conteúdo Artigo 1º... 3 OBJECTIVO... 3 Artigo 2º... 3 CONCEITO DE ENCONTRO DE SABEDORIA... 3 Artigo 3º... 3 ÂMBITO

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação Técnica Serviços de instalação e manutenção/assistência técnica de Secção A: equipamentos fixos de refrigeração, ar condicionado e bombas de calor que contenham gases fluorados com efeito

Leia mais

1. Qual a legislação que se aplica em matéria de gases fluorados com efeito de estufa na Região?

1. Qual a legislação que se aplica em matéria de gases fluorados com efeito de estufa na Região? Perguntas Frequentes Gases com Efeito de Estufa 1. Qual a legislação que se aplica em matéria de gases fluorados com efeito de estufa na Região? O Decreto-Lei nº 56/2011, de 21 de abril, que assegura a

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS) -

Leia mais

DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS

DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS DIRECÇÃO-GERAL DE GEOLOGIA E ENERGIA PERFIL PROFISSIONAL DE TÉCNICO INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES TÉRMICOS CÓDIGO - ERG-OO4 ÁREA DE ACTIVIDADE ENERGIA OBJECTIVO GLOBAL - Programar, organizar, coordenar

Leia mais

Unidades, Grandezas e Propriedades

Unidades, Grandezas e Propriedades 1 Refrigeração I Bases e Fundamentos Unidades, Grandezas e Propriedades Capítulo I Figura I.4 Equivalência entre as Escalas de Temperaturas Onde a cor é fundamental 2 Figura I.9 Diagrama Temperatura Entalpia

Leia mais

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014.

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014. CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA O Curso Técnico de Nível Médio em Eletrotécnica, Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais são organizados em 3 módulos de 400 horas. Ao final do curso, 400 horas

Leia mais

Avaliação de desempenho

Avaliação de desempenho de 1.) Introdução A gestão e avaliação do desempenho é uma das ferramentas fundamentais da gestão de recursos humanos e a base para se reter, desenvolver e potenciar o talento em qualquer organização.

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Formação

Regulamento do Núcleo de Formação Regulamento do Núcleo de Formação 2013 1.Nota Introdutória Qualquer processo de formação com qualidade exige medidas e instrumentos de normalização e controlo, que permitam garantir desempenhos de excelência

Leia mais

A8 FICHA CURRICULAR DO TÉCNICO

A8 FICHA CURRICULAR DO TÉCNICO A preencher pelos Serviços da Empresa: A8 FICHA CURRICULAR DO TÉCNICO 1. IDENTIFICAÇÃO NIF Nome Nacionalidade Documento N.º (ver Tabela A) Morada (rua, avenida, etc., n.º e andar) Postal - Localidade Telefone

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DIDÁTICAS, INTEGRANDO ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA (PUC-RIO) E CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA DO CEFET-RJ

DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DIDÁTICAS, INTEGRANDO ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA (PUC-RIO) E CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA DO CEFET-RJ DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DIDÁTICAS, INTEGRANDO ESTUDANTES DE ENGENHARIA MECÂNICA (PUC-RIO) E CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO AUTOMOTIVA DO CEFET-RJ Alunos: Felipe Portes Lanes (PUC-Rio), Viviane Helena da

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL -

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO-2010

PLANO DE FORMAÇÃO-2010 PLANO DE FORMAÇÃO-2010 - Associação Vicentina- Formação Modular Certificada (Destinatários: Activos com o 9ºano) Inglês- Iniciação e Aperfeiçoamento TIC s (Iniciação e Aperfeiçoamento) Português para Estrangeiros

Leia mais

CURSO RH SELECIONAR COM SUCESSO

CURSO RH SELECIONAR COM SUCESSO CURSO RH SELECIONAR COM SUCESSO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy RH

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

A7 - RELAÇÃO NOMINAL PESSOAL TÉCNICO

A7 - RELAÇÃO NOMINAL PESSOAL TÉCNICO A preencher pelos Serviços Código da Empresa: A7 - RELAÇÃO NOMINAL PESSOAL TÉCNICO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PESSOA SINGULAR OU PESSOA COLETIVA NIF Firma ou Denominação Social 2. RELAÇÃO NOMINAL 2.1 Inicial

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO SGS ACADEMY LOCAL: LISBOA, PORTO E FUNCHAL GRUPO SGS PORTUGAL O Grupo SGS Société Générale de Surveillance S.A é a maior

Leia mais

Catálogo de Formação. Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua Empresa

Catálogo de Formação. Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua Empresa Catálogo de Formação Estabelecemos Parcerias orientadas para a criação de valor, baseado no desenvolvimento do Capital Humano da sua 1. Apresentação 2. Plano de formação 2.1 Condutores/manobradores de

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA - Formação Interempresa (formação externa) -

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA - Formação Interempresa (formação externa) - REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA - Formação Interempresa (formação externa) - CAPÍTULO I ENQUADRAMENTO 1. O presente Regulamento é aplicável às Acções de Formação promovidas pela SIPRP

Leia mais

CURSO MICROSOFT OUTLOOK

CURSO MICROSOFT OUTLOOK CURSO MICROSOFT OUTLOOK ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy Microsoft

Leia mais

Avaliação de desempenho

Avaliação de desempenho de 1.) Introdução A gestão e avaliação do desempenho é uma das ferramentas fundamentais da gestão de recursos humanos e a base para se reter, desenvolver e potenciar o talento em qualquer organização.

Leia mais

Referencial do Curso de Técnico de Equipamento e Sistemas de Segurança Contra- Incêndios (Extintores e SADI) 1. MÓDULOS:

Referencial do Curso de Técnico de Equipamento e Sistemas de Segurança Contra- Incêndios (Extintores e SADI) 1. MÓDULOS: Referencial do Curso Técnico de Equipamento e Sistemas de Segurança Contra-Incêndios (Extintores e SADI) [2011] 1. MÓDULOS: Unidade 1 - Introdução e enquadramento da actividade de Técnico de Equipamento

Leia mais

Curso de Secretariado Clínico

Curso de Secretariado Clínico EDITAL Curso de Secretariado Clínico Edição 2015/2017 A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) anuncia a abertura do Curso de Secretariado Clínico,

Leia mais

Serviços Tecno Consultores em Formação. Serviços Tecnológicos MAPFRE Consultores em Engenharia e Formação

Serviços Tecno Consultores em Formação. Serviços Tecnológicos MAPFRE Consultores em Engenharia e Formação Serviços Tecno Consultores em Formação Consultores em Engenharia e Formação Plano de Formação 2014 Índice Curso Intensivo sobre Segurança no Trabalho para atualização de CAP s 4 Curso Intensivo sobre Segurança

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÕES

EDITAL DE INSCRIÇÕES EDITAL DE INSCRIÇÕES De acordo com o Contrato, firmado entre a Prefeitura Municipal de Cajati e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial SENAI, que estabelece parceria para a implementação de cursos

Leia mais

DL 35/2008 Regulação Operações com ODS (*) QUAIS OS LIMITES DE MANUSEAMENTO?

DL 35/2008 Regulação Operações com ODS (*) QUAIS OS LIMITES DE MANUSEAMENTO? » DL 35/2008 Regulação Operações com ODS (*) Técnicos Qualificados no Manuseamento de Fluidos Frigorigéneos que afectam a camada de ozono (CFC-HCFC): QUAIS OS LIMITES DE MANUSEAMENTO? Técnicos do grupo

Leia mais

Características Unidades Exteriores (Condições Eurovent)

Características Unidades Exteriores (Condições Eurovent) LG SINGLE A (1 ) UNIDADE EXTERIOR As unidades exteriores referenciadas UUxxWH marca LG, são unidades bomba de calor (Modo Reversível) de expansão directa a operar com o fluído frigorigénio R410A. A unidade

Leia mais

Gestão de Crises na Indústria Alimentar

Gestão de Crises na Indústria Alimentar Gestão de Crises na Indústria Alimentar de 1.) Introdução Crise significa lidar com uma situação, muitas vezes, inesperada que pode representar uma ameaça não só para o negócio como para os colaboradores

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

FORMAÇÃO - LEIRILIS. Calendário e Programas

FORMAÇÃO - LEIRILIS. Calendário e Programas FORMAÇÃO - LEIRILIS Calendário e Programas O Plano de Formação da Leirilis e os cursos que integram o programa, garantem à oficina os conhecimentos técnicos e práticos necessários para dominar o diagnóstico

Leia mais

Informações gerais. Formação Inicial de Instrutores de Condução

Informações gerais. Formação Inicial de Instrutores de Condução Informações gerais Formação Inicial de Instrutores de Condução Condições de Acesso 12º Ano completo, equivalente ou superior 2 anos de Carta de Condução Não possuir doença contagiosa ou deficiência física

Leia mais

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar VIESMANN VITOSOLIC Controlador para sistemas de energia solar Nº de referência e preços: ver lista de preços VITOSOLIC 100 Controlador electrónico por diferença de temperatura Para sistemas com produção

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS Eng. Eduardo Linzmayer RESUMO Avaliação e levantamento das emissões de fluidos nos sistemas de refrigeração; Importância

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99

RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 RESOLUÇÃO CONSEPE 47/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MODALIDADE MECÂNICA, COM ÊNFASE EM AUTOMOBILÍSTICA, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino,

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA 1840 Diário da República, 1.ª série N.º 50 12 de março de 2014 Artigo 33.º Contribuição das empresas de seguros 1 A adesão ao mecanismo de compensação de sinistralidade é efetuada para a totalidade dos

Leia mais

Campo de Férias - FUBI

Campo de Férias - FUBI Campo de Férias - FUBI Regulamento Interno O presente regulamento dos campos de férias FUBI, pretende definir os direitos, deveres e regras a observar por todas as pessoas que envolvem as atividades, para

Leia mais

Política de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Política de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. Políticas de Gestão do

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: MECÂNICO DE AR CONDICIONADO AUTOMOTIVO - PRONATEC 200 horas ÁREA: AUTOMOTIVA MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CT PALMAS Plano de Curso

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Faculdade de Engenharia Licenciatura Engenharia e Gestão Industrial Unidade Curricular Instalações e Serviços Industriais Semestre: 5 Nº ECTS: 6,0 Regente José

Leia mais

EXAME TEÓRICO. EXAME TIPO e resolução. 1:30:00 início do exame. 0:00:00 fim do exame. Junho 2015 FORMAÇÃO AVANÇADA. marcador de questões a rever

EXAME TEÓRICO. EXAME TIPO e resolução. 1:30:00 início do exame. 0:00:00 fim do exame. Junho 2015 FORMAÇÃO AVANÇADA. marcador de questões a rever EXAME TIPO e resolução 1:30:00 início do exame 0:00:00 fim do exame marcador de questões a rever marcador de questões a rever, assinalado a verde, número de questões já respondidas Pág 1/21 1:28:10 1 /

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA Março de 2015 4ª Edição Índice 1 O DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO... 3 1.1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA... 3 1.2. ESTRUTURA... 3 2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

Processos de produzir calor utilizando a energia eléctrica:

Processos de produzir calor utilizando a energia eléctrica: A V A C Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Aquecimento eléctrico Processos de produzir calor utilizando a energia eléctrica: Aquecimento por resistência eléctrica. Aquecimento por indução electromagnética.

Leia mais

MICROSOFT EXCEL AVANÇADO

MICROSOFT EXCEL AVANÇADO CURSO MICROSOFT EXCEL AVANÇADO MACROS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Instalador de Refrigeração e Climatização Doméstica

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Instalador de Refrigeração e Climatização Doméstica MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Programa de Treinamentos 2014

Programa de Treinamentos 2014 Programa de Treinamentos 2014 Introdução A Bosch Rexroth tem compromisso com a qualidade de seus treinamentos. Baseado nesse compromisso, a Divisão Service - Didática da Bosch Rexroth desenvolveu uma série

Leia mais

CURSO FINANÇAS PARA NÃO FINANCEIROS

CURSO FINANÇAS PARA NÃO FINANCEIROS CURSO FINANÇAS PARA NÃO FINANCEIROS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy

Leia mais

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Saída Profissional: Operador CAD Certificação ao nível do 9º Ano / Nível II Laboral Bem-Vindo/a à FLAG! A FLAG é uma

Leia mais

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS

PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS PROJETOS DEMONSTRATIVOS DE CONTENÇÃO DE VAZAMENTOS DE HCFCs EM SUPERMERCADOS EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE 1. CONTEXTO Na 64ª Reunião do Comitê Executivo do Fundo Multilateral para Implementação

Leia mais

EDITAL N.º: 003/2015/RM

EDITAL N.º: 003/2015/RM EDITAL N.º: 003/2015/RM A COORDENAÇÃO DO PROJETO RONDON LOCAL DIREITOS HUMANOS, no uso de suas atribuições legais e de acordo com as disposições da legislação em vigor, faz saber que estarão abertas as

Leia mais

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression TM Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression Ar condicionado Central VRF Perfil do Produto A linha de produtos Impression é um novo conceito de condicionador de ar inteligente VRF

Leia mais

CURSO COMO FAZER UM BUSINESS PLAN?

CURSO COMO FAZER UM BUSINESS PLAN? CURSO COMO FAZER UM BUSINESS PLAN? ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy

Leia mais

OFERTA FORMATIVA- CFPM. Anualmente o CFPM desenvolve os seguintes cursos de formação:

OFERTA FORMATIVA- CFPM. Anualmente o CFPM desenvolve os seguintes cursos de formação: OFERTA FORMATIVA- CFPM Anualmente o CFPM desenvolve os seguintes cursos de formação: FORMAÇÃO INICIAL: AUTOMAÇÃO E MANUTENÇÃO ELECTROMECÂNICA Duração: 1200 Horas É o profissional que está apto a desenvolver

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

MÊS DA ENERGIA - AÇORES

MÊS DA ENERGIA - AÇORES MÊS DA ENERGIA - AÇORES SEMINÁRIO Eficiência Energética Credenciação de Técnicos no âmbito do SCE Fernando Brito Ponta Delgada 6 de Maio de 2008 1 1 COMISSÃO TRIPARTIDA CTAQAI DIRECÇÃO GERAL DE ENERGIA

Leia mais

Guia de declaração para equipamentos de AVAC&R. (Aplicação dos DL 230/2004 e 132/2010)

Guia de declaração para equipamentos de AVAC&R. (Aplicação dos DL 230/2004 e 132/2010) (Aplicação dos DL 230/2004 e 132/2010) ÍNDICE 1 Objectivo... 3 2 Porquê esta legislação?... 3 3 Quem está abrangido?... 3 4 Quais os equipamentos abrangidos?... 3 5 Dúvidas frequentes... 5 5.1 Equipamentos

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA Das

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2009 Previsional

PLANO DE FORMAÇÃO 2009 Previsional Instituto do Emprego e Profissional, I.P. Profissional de SISTEMA DE FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA APRENDIZAGEM SAÍDA HABILITAÇÕES/ CONDIÇÕES DE ACESSO ENERGIA TÉCNICO DE SISTEMAS ENERGÉTICOS TÉCNICO DE ENERGIA

Leia mais

Ficha de Inscrição Cursos de Formação 2016

Ficha de Inscrição Cursos de Formação 2016 PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2016 Ficha de Inscrição Cursos de Formação 2016 Para que a proposta de inscrição nos Cursos de Formação da Vulcano seja válida, é obrigatório o preenchimento de todos os campos de

Leia mais

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA Pág.: 1/10 HISTÓRICO DO DOCUMENTO / EMISSÃO Data Ver. Objeto da Revisão Elab. / Verif. (Função / Nome / Assinatura(*)) C. Técnicocientífica/ S. Iglésias Aprovação (Função / Nome / Assinatura(*)) Diretora/

Leia mais

Cli l m i ati t z i ação Soluções Eficientes

Cli l m i ati t z i ação Soluções Eficientes Climatização Soluções Eficientes Indíce 1 Energias Renováveis Aerotermia, Energia Solar 2 Eficiência Energética Tecnologias, Regulamento 3 Bombas de Calor Soluções 4 Ar condicionado Gamas, Sistemas 1 Energias

Leia mais

Gestão de Crises na Indústria Alimentar

Gestão de Crises na Indústria Alimentar Gestão de Crises na Indústria Alimentar de 1.) Introdução Crise significa lidar com uma situação, muitas vezes, inesperada que pode representar uma ameaça não só para o negócio como para os colaboradores

Leia mais

Índice. Aquecimento e Climatização Bombas de Calor Pedra Natural Biomassa Recuperadores Calor Biomassa - Pellets

Índice. Aquecimento e Climatização Bombas de Calor Pedra Natural Biomassa Recuperadores Calor Biomassa - Pellets Climatização 1 Índice e Climatização Bombas de Calor Pedra Natural Biomassa Recuperadores Calor Biomassa - Pellets 3 5 6 7 2 Bomba de calor Central A bomba de calor tem como finalidade produzir água a

Leia mais

CURSO DESENVOLVER A RELAÇÃO COM O CLIENTE

CURSO DESENVOLVER A RELAÇÃO COM O CLIENTE CURSO DESENVOLVER A RELAÇÃO COM O CLIENTE ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris

Leia mais

Aplicações Informáticas de Gestão

Aplicações Informáticas de Gestão 1. Denominação do curso de especialização tecnológica: Aplicações Informáticas de Gestão 2. Perfil profissional que visa preparar: Técnico (a) Especialista em Aplicações Informáticas de Gestão É o profissional

Leia mais

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL Ano letivo de 2015/2016 João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), torna público a

Leia mais

Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância Monitoramento de Transformadores de Potência Gerenciamento de Dados para o Monitoramento e Avaliação da Condição Operativa de Transformadores Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Leia mais

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares.

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares. Guia para Especificações técnicas para Ar Comprimido Industrial em EdifíciosHospitalares ET 08/2010 V. 2013 ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ACSS ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos

Leia mais

CURSO LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS

CURSO LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS CURSO LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy

Leia mais

CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção e do Curso de Engenharia Civil, da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições e em cumprimento ao Art. 5 o do Regulamento de Monitoria,

Leia mais

Sistemas Solar Fotovoltaicos (Projectista)

Sistemas Solar Fotovoltaicos (Projectista) Sistemas Solar Fotovoltaicos (Projectista) DATAS A definir (assim que seja atingido o número mínimo de inscrições) HORÁRIO Pós-Laboral, à 2ª e 4ª, das 19h00 às 23h00 ou Sábado, das 9h00 às 13h00 e das

Leia mais

AR CONDICIONADO SOLAR

AR CONDICIONADO SOLAR ISO 9001 : 2008 Engenharia do Ar Condicionado De 08/04/2013 a 12/04/2013 Capítulo Especial sobre AR CONDICIONADO SOLAR Local: Hotel Windsor Guanabara Av. Presidente Vargas, 392 Centro Rio de Janeiro RJ

Leia mais

Pós-Graduação em Segurança de Máquinas

Pós-Graduação em Segurança de Máquinas Pós-Graduação em Segurança de Máquinas Área de Formação Segurança Objectivo - Reconhecer quais as obrigações legais na aquisição, alteração e uso de equipamentos; - Reconhecer quais os referenciais normativos

Leia mais

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica Roberto Lamberts Oficina 09 junho de 2010 1 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Publicação: junho de 2009. EDIFÍCIOS ETIQUETADOS CETRAGUA

Leia mais

Programa de Treinamentos 2015

Programa de Treinamentos 2015 Programa de Treinamentos 2015 Introdução A Bosch Rexroth tem compromisso com a qualidade de seus treinamentos. Baseado nesse compromisso, a área de Didática da Bosch Rexroth desenvolveu uma série de cursos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: Técnico de Instalações Elétricas DISCIPLINA: Práticas Oficinais N.º TOTAL DE MÓDULOS: 5 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 N.º 1 18 Higiene e Segurança no Trabalho Organização

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO. Regulamento

CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO. Regulamento CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICO ÍNDICE PREÂMBULO... 3 Procedimentos Técnico-Pedagógicos... 4 1.1. Destinatários e condições de acesso... 4 1.2. Organização dos cursos de formação... 4 1.3. Componentes de

Leia mais

8. Número de vagas Número mínimo de formandos para a viabilização do curso: 12 Número máximo de formandos para a viabilização do curso: 30

8. Número de vagas Número mínimo de formandos para a viabilização do curso: 12 Número máximo de formandos para a viabilização do curso: 30 EDITAL Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Fisioterapia na Saúde da Mulher 3ª Edição 2016 A Escola Superior de Tecnologia da Saúde

Leia mais

Plano de Curso Eletrônica de Máquinas

Plano de Curso Eletrônica de Máquinas PLANO DE CURSO MSOBRFDETM08 PAG1 Plano de Curso Eletrônica de Máquinas Justificativa do curso As máquinas e equipamentos modernos tem recebido tecnologias cada vez mais modernas e sofisticadas, utilizam

Leia mais

Fundamentos de Automação. Pneumática 01/06/2015. Pneumática. Pneumática. Pneumática. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Fundamentos de Automação. Pneumática 01/06/2015. Pneumática. Pneumática. Pneumática. Considerações Iniciais CURSO DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Considerações Iniciais "PNEUMÁTICA

Leia mais

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO GL-T540 Painel de Controle MANUAL PARA OPERADOR Maio 2005 Rev. BI Versão Software: 1.1 SUMMARIO 1) INTRODUÇÃO... 03 1.1) Introdução... 03 1.2) Painel de Controle...

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Dep. Engeharia Mecânica Escola Politécnica Universidade de São Paulo Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Escola Politécnica

Leia mais

PROCESSO N 998/07 PROTOCOLO N.º 9.113.967-7 PARECER N.º 342/07 APROVADO EM 13/06/07

PROCESSO N 998/07 PROTOCOLO N.º 9.113.967-7 PARECER N.º 342/07 APROVADO EM 13/06/07 PROTOCOLO N.º 9.113.967-7 PARECER N.º 342/07 APROVADO EM 13/06/07 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL MUNICÍPIO: CURITIBA ASSUNTO: Pedido de Renovação do Reconhecimento do Curso

Leia mais

MECÂNICO(A) DE APARELHOS DE GÁS

MECÂNICO(A) DE APARELHOS DE GÁS PERFIL PROFISSIONAL MECÂNICO(A) DE APARELHOS DE GÁS ÁREA DE ACTIVIDADE - ENERGIA OBJECTIVO GLOBAL - Executar a instalação, a conversão e a reparação de aparelhos de queima de gás e executar soldaduras

Leia mais

MDV4+ R. Máximo conforto em sistema VRF com refrigeração e aquecimento simultâneos para grandes aplicações. VRF com recuperação de calor.

MDV4+ R. Máximo conforto em sistema VRF com refrigeração e aquecimento simultâneos para grandes aplicações. VRF com recuperação de calor. MDV4+ R VRF com recuperação de calor Máximo conforto em sistema VRF com refrigeração e aquecimento simultâneos para grandes aplicações. Um produto VENTILADOR DC A velocidade do motor se ajusta rapidamente

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

O programa assenta em três eixos determinantes:

O programa assenta em três eixos determinantes: São vários os estudos europeus que apontam para um défice crescente de recursos especializados nas tecnologias de informação. Só em Portugal, estima-se que estejam atualmente em falta 3.900 profissionais

Leia mais