Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração. Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil"

Transcrição

1 Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores e Decoração Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte MG - Brasil Área de Interesse: Meio de divulgação via Internet Site na Web Projeto de Extensão Professora Responsável: Cecília Amélia Santos Franco M.Sc. Professora Colaboradora: Rosamônica Fonseca Lamounier M.Sc. Titulo do Projeto: Núcleo de Informação e Divulgação - Site Fundação Metodista na Internet Projeto de extensão elaborado como requisito para o processo de seleção de professor tempo integral (TI) do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Belo Horizonte/MG Belo Horizonte, dezembro de

2 Índice 1. JUSTIFICATIVAS INTRODUÇÃO METODOLOGIA PREVISÃO DE RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS ORÇAMENTO CRONOGRAMA SUGESTÕES PARA O FUTURO CONSIDERAÇÕES FINAIS BIBLIOGRAFIA CURRICULUM RESUMIDO Experiência profissional Experiência didática Idiomas

3 Núcleo de Informação e Divulgação - Site Fundação Metodista na Internet Cecília Amélia Santos Franco Justificativas Este trabalho insere-se em um projeto de extensão que tem por objetivo promover os trabalhos realizados pela FUNDAÇÃO METODISTA DE AÇÃO SOCIAL E CULTURAL e criar um meio de divulgação das ações tomadas por todos os projetos de extensão dos diversos cursos do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix. Como as ações sociais precisam de parcerias, o material publicitário e de registro poderá ser usado na apresentação para captação de novos recursos e parcerias. O registro fotográfico, filmes e textos, dos eventos funcionam como uma carta de apresentação para captação de novos parceiros nas empresas, nos órgãos assistenciais, nas prefeituras e para a divulgação em jornais e revistas, para que estas ações sejam publicadas e conhecidas por pessoas externas aos projetos. É objetivo também do presente projeto a criação de um site na Internet. Poderão ser criadas, ainda, peças publicitárias como cartilhas, pop-cards para divulgação de produtos ou ações (exemplo, uma campanha de vacinação promovida pela enfermagem). No final, poderemos produzir uma cartilha de cada projeto, para que sirva de material para captação de novas parcerias. No mundo cada vez mais globalizado e informatizado, trazer a tecnologia para perto das comunidades mais carentes, é uma forma de inserção social, visto que a comunidade pode se tornar visível para um grande público, através do acesso à tecnologia da informação via Internet. Com a divulgação dos trabalhos e ações realizadas pela comunidade, pode-se expandir o campo de ação da mesma, gerando mais recursos uma vez que o trabalho poderá atingir um maior número de contribuintes e voluntários por se tornarem cientes das medidas e metas dos membros das comunidades. Palavras-chave: internet, site, www, web, webdesign, divulgação, publicidade, publicações. 3

4 2. Introdução Um belo trabalho pode ser expandido se ele for conhecido por muitos. Neste sentido, propomos usar um meio eficiente de divulgar as ações sociais realizadas pela Fundação Metodista junto às comunidades em que ela atua. Poderemos inserir digitalmente estas comunidades, através da maior visibilidade com a divulgação de suas ações e metas, para que elas se tornem conhecidas pelo nosso meio universitário, que poderá agir a partir da tomada de consciência e conhecimento do que está sendo realizado, bem como atingir um público maior ampliando as possibilidades de parcerias. O computador como veículo de comunicação via Internet passa a ser uma extensão do processo de participação, uma vez que trabalhos podem ser divulgados e passados para outras comunidades, numa troca de experiências. Este trabalho tem por objetivo agir como um meio de propaganda eficiente e sem custos, para divulgar e expor trabalhos realizados pela Fundação Metodista, valorizando o artesanato, as feiras e bazares e os acontecimentos cotidianos das comunidades assistidas pelos projetos da fundação. O presente projeto de extensão tem também o objetivo de poder oferecer suporte a todo e qualquer projeto de pesquisa e de extensão que entrará em andamento a partir de 2007 no Centro Universitário metodista Izabela Hendrix, inclusive fora das áreas de arquitetura e urbanismo e de design. 3. Metodologia Propomos que o professor coordenador deste projeto, que é qualificado na área de informática, mestre em arquitetura e atuante na área de design gráfico, fique responsável pela execução e manutenção do site, e criação das peças publicitárias, juntamente com o professor colaborador do projeto. Dois alunos bolsistas ficarão responsáveis por manter o material de conteúdo atualizado, participando das ações no sentido de coletar conteúdos fotográficos, entrevistar participantes, e fazer um elo entre os projetos de extensão dos diferentes cursos do Izabela Hendrix, visando uma integração entre as áreas para que ações conjuntas possam potencializar os projetos. 4

5 4. Previsão de recursos materiais e humanos Funcionamento e Equipamentos: Como se trata da execução de um site na Internet e a produção de material para a divulgação dos projetos cotidianos e de extensão junto à Fundação Metodista, poderemos usar os recursos de software e de hardware (computadores) do laboratório de computação gráfica do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, para o trabalho dos alunos bolsistas. Para a fase de elaboração e manutenção do site, propomos a utilização do mesmo computador disponibilizado para o professor tempo integral responsável por este projeto, que ficará responsável pela fase inicial de criação do site, juntamente com o professor colaborador. Esta unidade CAD será composta por um computador PC Pentium 3 de 2 GHz, 512 Mb de memória Ram, 80 Gb de disco rígido e monitor de 17 polegadas, e os seguintes software(s) deverão ser instalados: Windows XP, AutoCAD 2007, Photoshop CS 8, Microsoft Office 2003, SketchUp 5 e CorelDRAW X3, Macromedia Dreamweavwe 6, Macromedia Flash 6. O computador deverá estar preparado para acessar a Internet. Reforço que este computador já se encontra disponibilizado para a professora que poderá vir a coordenar este projeto, no caso dele ser selecionado, e, portanto, não requer novo investimento nesta fase inicial. Dois alunos bolsistas trabalharão no projeto, e sugerimos que eles compartilhem a infra-estrutura existente, podendo utilizar equipamentos do laboratório de informática 1 do prédio 4, sala Propomos ainda que os alunos envolvidos neste projeto de extensão poderão contabilizar esta carga horária para a disciplina de Estágio Supervisionado. A equipe de trabalho deverá contar com uma professora responsável, Cecília Amélia Santos Franco, M.Sc., com carga horária de 12 horas de dedicação semanal, uma professora colaboradora, Rosamônica Fonseca Lamounier, M.Sc., com dedicação de 8 horas semanais, e dois alunos bolsistas com dedicação de 20 horas semanais. 5. Orçamento Como iremos utilizar inicialmente equipamentos existentes para o coordenador e colaborador e alunos, o investimento seria nas horas de dedicação da equipe. 5

6 6. Cronograma Tabela 1: cronograma de trabalhos Meses Visitas ao Centro para registros fotográficos e montagem da situação existente x Elaboração do site x Acompanhamento de outros projetos x x x x x x x x x x Registro de resultados e ajustes x x x x x x x x x x Elaboração das cartilhas para cada projeto de extensão dos demais cursos do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix x x 7. Sugestões para o futuro Este centro de informação que começa como um projeto de extensão específico junto à da Fundação Metodista poderá ser expandido como um Núcleo de Informação do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, para a divulgação dos nossos projetos científicos, de pesquisas, monografias, exposições, palestras e seminários, que muitas vezes acontecem e sua divulgação fica restrita ao curso ou às pessoas diretamente envolvidas. Dentro da proposta deste Núcleo de Informação, poderemos ter no futuro uma revista ou jornal com publicações da instituição. Neste sentido acredita-se na melhoria constante das atividades de Educação através do fluxo das informações, tornando as atividades do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix mais visíveis para a comunidade de Belo Horizonte. O Núcleo de Informação do Centro Universitário metodista Izabela Hendrix funcionaria como uma central de informações, publicações e divulgação de assuntos ligados ao cotidiano dos cursos. Seria constituído por um aluno de graduação com bolsa de monitoria sob a supervisão de um membro do corpo docente do curso. Este núcleo poderia ser sediado nos curso de arquitetura e urbanismo e de design, uma vez que a coordenação será única a partir de 2007 e o presente projeto de extensão contaria com professores TI alocados em ambos os cursos. 6

7 O objetivo do núcleo seria divulgar os acontecimentos dos cursos, promover a integração de todos os períodos por meio da informação, disseminar entre o corpo docente e discente o hábito de publicar trabalhos, projetos, monografias, teses e viagens de estudo. Dar suporte na divulgação e comunicação visual de exposições dentro e fora da instituição. Promover a criação de um jornal e uma revista dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e de Design. 8. Considerações Finais A necessidade de manter a circulação de informações tanto dentro quanto fora da instituição vai muito além deste projeto de extensão. O fluxo da informação dentro de um Centro Universitário é fundamental para a divulgação de ações e projetos que acontecem muitas vezes sem o conhecimento da grande maioria dos docentes e discentes. 9. Bibliografia MACROMEDIA, FLASH 5, ActionScript Reference Guide, Macromedia Inc., MACROMEDIA, FLASH 5, Using Flash, Macromedia Inc., MACROMEDIA, DREAMWEAVER 6, Using Dreamweaver, Macromedia Inc.,

8 10. Curriculum Resumido (Profa. Coordenadora do projeto de extensão: Cecília Amélia Santos Franco) Minha trajetória é uma mescla de trabalhos na área de projeto com a atuação acadêmica. Isto a meu ver traz para a sala de aula experiências relevantes de trabalhos profissionais atuais e aquilo que o mercado de trabalho espera do arquiteto e designer. O contato com fornecedores e clientes nos traz uma visão realista das expectativas e relacionamentos com o mercado, e das novas exigências tecnológicas que vêm se tornando indispensáveis para nossa atuação junto a profissionais das áreas de projetos complementares. Este é o caso da informatização cada vez maior tanto na utilização de softwares de projeto como de automação na obra e na edificação. Tenho tido experiência de lecionar em cursos diversos em várias instituições, inclusive fora do Brasil, como nos cursos de Engenharia Civil, Engenharia de Minas, Engenharia Arquitetônica, Arquitetura e Urbanismo e Design de Ambientes, o que me dá uma visão mais ampla de alunos de áreas diferentes e centros universitários diversos, enriquecendo minha experiência dentro de sala. Quando lecionei por três semestres na Universidade do Texas, nos Estados Unidos, tive uma experiência muito enriquecedora sob a perspectiva de um ensino mais voltado para a pesquisa e trabalhos em equipe Experiência profissional 07/ Presente Arquiteta Autônoma Atuação: Projetos de arquitetura 11/ /2003 Arquiteta: PRECON Industrial S/A BH/MG Atuação: Projetos de paginação de painéis arquitetônicos e estruturas pré-fabricadas e orçamento 03/ /2002 Empresa: Sistema de Comunicação Ltda. Projetos: Publicitários e de Comunicação Visual. 08/ /1998 Empresa: Pró-Informática - Cidade Nova BH/MG Diretora: Administração dos cursos de informática e gerenciamento da unidade 08/ /2000 Empresa: Construtora Caparaó S.A. BH/MG Arquiteta: Consultoria e coordenação e treinamento para implantação da computação gráfica no setor de projetos 05/ /1994 Empresa: PI Architects & Engineers, INC. - Austin, Estados Unidos Arquiteta: Desenvolvimento de projetos de Arquitetura, utilizando modelagem 3D e maquetes eletrônicas 01/ /1991 Empresa: Consol Engenharia S.A. BH/MG 8

9 Projetos: Serviços de aprovação de loteamentos junto à Prefeitura de BH 08/ /1990 Empresa: Montreal Informática Ltda. BH/MG Atuação: Controle e gerenciamento de fitoteca Experiência didática 08/ Presente Professora Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Cursos de Arquitetura e Urbanismo, Curso de Design de Ambientes, Curso de Especialização e Urbanismo, Curso de Especilaização em Design e Cultura Disciplinas de Informática I e Informática II 03/ /2000 Professora Assistente Substituta na UFMG Escola de Engenharia Civil - Disciplinas de Desenho Projetivo e Desenho CAD 08/ /2000 Professora Assistente I - PUCMINAS / Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Escola de Arquitetura - Curso de Programação de Computadores Aplicada à Arquitetura 03/ /1995 Professora Assistente Substituta na UFMG Escola de Engenharia de Minas - Disciplinas de Desenho e Desenho de Mapa de Minas 01/ /1994 Professora Assistente na Universidade do Texas, USA Architectural Engineering Disciplinas de Estúdio de Projeto 1 e Desenho Auxiliado por Computador da Escola de Engenharia Arquitetônica, Estados Unidos 10/ Presente Professora do CADTEC - Centro de Apoio, Desenvolvimento Tecnológico e Ensino da Computação Gráfica - Universidade Federal de Minas Gerais UFMG Disciplinas de AutoCAD básico e avançado Idiomas Inglês e Português 9

Responsabilidade INTERSERVICE. Um conceito voltado para Organizações Não-Governamentais Prospecto Interservice 1

Responsabilidade INTERSERVICE. Um conceito voltado para Organizações Não-Governamentais Prospecto Interservice 1 INTERSERVICE C O N S U LTO R I A & T R E I N A M E N TO LT DA. Responsabilidade Um conceito voltado para Organizações Não-Governamentais Prospecto Interservice 1 Sumário A missão da Interservice Projeto

Leia mais

Responsabilidade. Social. Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1

Responsabilidade. Social. Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1 Responsabilidade Social Um conceito voltado para o crescimento da Igreja. Prospecto Interservice 1 Sumário A missão da Interservice Responsabilidade Social Projeto Visão Cursos Livres Profissionalizantes

Leia mais

A missão da Interservice

A missão da Interservice A missão da Interservice A Interservice Consultoria e Treinamento, têm suas competências orientadas para viabilizar projetos sociais e empresariais, voltados para: - Educação Profissionalizante - Consultoria

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Parceria. A nova forma de agregar valor à sua organização. Prospecto Interservice 1

Parceria. A nova forma de agregar valor à sua organização. Prospecto Interservice 1 Parceria A nova forma de agregar valor à sua organização Prospecto Interservice 1 Sumário A missão da Interservice A Interservice entende sua escola Informática Interativa Inteligente Cursos Livres Profissionalizantes

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 CASU

Mostra de Projetos 2011 CASU Mostra de Projetos 2011 CASU Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina. Contato:

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGIMENTO INTERNO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA - AGEX CAPÍTULO I NOÇÕES INTRODUTÓRIAS

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGIMENTO INTERNO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA - AGEX CAPÍTULO I NOÇÕES INTRODUTÓRIAS FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGIMENTO INTERNO DA AGÊNCIA EXPERIMENTAL DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA - AGEX Aprovado no CONSEPE na 30ª sessão realizada em 16 de abril de 2012 e homologado na 140ª sessão

Leia mais

Disciplina: Projeto Integrador 3 noite

Disciplina: Projeto Integrador 3 noite Anexo Docente 1 PROJETO DE MONITORIA Centro Universitário SENAC: Curso: Curso Tecnológico em Produção Multimidia Disciplina: Projeto Integrador 3 noite Código: Professor Responsável: Nelson Urssi Período

Leia mais

INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE JOVENS PROVINDOS DE PROJETO SOCIAL. Nelson Miguel Betzek 1 (Coordenador da Ação de Extensão)

INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE JOVENS PROVINDOS DE PROJETO SOCIAL. Nelson Miguel Betzek 1 (Coordenador da Ação de Extensão) INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO DE JOVENS PROVINDOS DE PROJETO SOCIAL Área Temática: Educação Nelson Miguel Betzek 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Nelson Miguel Betzek, Vanderlei Roberto Marques 2,

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019 Agosto-2014 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares

Regulamento das Atividades Complementares Regulamento das Atividades Complementares Curso de Design de Moda FACULDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE - FAPEPE I. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O presente regulamento tem por finalidade normatizar as Atividades

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações Universidade Estácio de Sá Informática e Telecomunicações A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos:

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos: [AUBR-83] BIM na Prática: Implementação de Revit em Escritórios de Arquitetura e Engenharia Paulo Henrique Giungi Galvão Revenda TECGRAF Consultor técnico Revit da Revenda TECGRAF AUBR-83 Dicas e Truques

Leia mais

VAGA DE EMPREGO. Formação Acadêmica: Desejável Ensino Superior (em Andamento). Local: Prado BH/MG

VAGA DE EMPREGO. Formação Acadêmica: Desejável Ensino Superior (em Andamento). Local: Prado BH/MG VAGA DE EMPREGO SUBGERENTE DE SUPERMERCADO Formação Acadêmica: Desejável Ensino Superior (em Andamento). Local: Prado BH/MG Principais Atividades: Gestão dos funcionários; Controle geral das equipes de

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas

Área de Conhecimento. Laboratórios de informática Descrição e equipamentos. Informática, Pesquisas Descrição da infraestrutura física destinada aos cursos, incluindo laboratórios, equipamentos instalados, infraestrutura de informática e redes de informação. Relação de laboratórios, oficinas e espaços

Leia mais

Sexo: Masculino Data de Nascimento: 21.10.1981

Sexo: Masculino Data de Nascimento: 21.10.1981 Curriculum Vitae Renato Melo Arquiteto DADOS PESSOAIS Nome: Renato Amorim Soares de Melo Sexo: Masculino Data de Nascimento: 21.10.1981 Estado civil: Solteiro Endereço: Avenida Prudente de Morais, 287

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

sérgio luís mendes apresentação aguila.com.br

sérgio luís mendes apresentação aguila.com.br sérgio luís mendes 11 9-9868-5574 sergio@aguila.com.br são bernardo do campo - sp www.aguila.com.br facebook.com/sg.aguila @sg_aguila apresentação Atuando no mercado publicitário desde 1995, minha experiência

Leia mais

CURRICULUM VITAE: Zelito Rodrigues

CURRICULUM VITAE: Zelito Rodrigues CURRICULUM VITAE: Zelito Rodrigues DADOS PESSOAIS: Joselito Rodrigues Silveira End.: Guará I -. Escolaridade: Superior em Design Gráfico, no Centro Universitário IESB (cursando). Estado civil: Casado.

Leia mais

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho 732 horas Escola Superior de Tecnologia e Educação de Rio Claro ASSER Rio Claro Objetivos do curso: Formar profissionais das áreas de Engenharia e

Leia mais

Projeto Integrador. Faculdade Senac

Projeto Integrador. Faculdade Senac Projeto Integrador Faculdade Senac Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás adota o Projeto Integrador nos cursos da área de Tecnologia da Informação com o intuito de possibilitar ao aluno criação de um produto

Leia mais

1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA

1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA 1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE VIRTUALIZAÇÃO DE COMPUTADORES DE MESA INTRODUÇÃO O curso de engenharia florestal possui 4395 horas de aulas em disciplinas obrigatórias e

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES O Parecer do CNE/CES nº 492/2001, assim define as atividades complementares:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística

Leia mais

Vagas de Estágio. CLINICA NEFROLOGICA DE MINAS GERAIS Endereço: Avenida do Contorno, 10574 - Barro Preto - Belo Horizonte/MG - 30.

Vagas de Estágio. CLINICA NEFROLOGICA DE MINAS GERAIS Endereço: Avenida do Contorno, 10574 - Barro Preto - Belo Horizonte/MG - 30. Vagas de Estágio CLINICA NEFROLOGICA DE MINAS GERAIS Endereço: Avenida do Contorno, 10574 - Barro Preto - Belo Horizonte/MG - 30.110-140 Título: Acadêmico de Enfermagem Área de Atuação: Hemodiálise Divulgação:

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO UNICEP

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO UNICEP 2 Centro Universitário Central Paulista REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO UNICEP Considerando que as Diretrizes Curriculares do Ministério da Educação entendem

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Apresentação do case sobre Educação Previdenciária da Forluz. José Ribeiro Pena Neto Diretor de Seguridade e Gestão

Apresentação do case sobre Educação Previdenciária da Forluz. José Ribeiro Pena Neto Diretor de Seguridade e Gestão Apresentação do case sobre Educação Previdenciária da Forluz José Ribeiro Pena Neto Diretor de Seguridade e Gestão Objetivos Principal: orientar os participantes, ampliando o conhecimento deles sobre orçamento

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO FEAR -Faculdade de Engenharia e Arquitetura FEAR CAMPUS Fig.1 Mapa Campus I (Adaptado pela autora) Fonte: WebSite www.upf.com.br FEAR ENSINO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UPF, iniciou suas atividades

Leia mais

1 - Dos componentes da metodologia do Curso de Pedagogia a Distância CEAD/UAB

1 - Dos componentes da metodologia do Curso de Pedagogia a Distância CEAD/UAB RESOLUÇÃO INTERNA CEAD Nº 001/2013-CONCENTRO (ALTERADA RES.05/2014) Sistema de Educação a Distância Do CEAD para a oferta do Curso de Pedagogia a Distância/UAB Dispõe sobre a metodologia do Curso de Pedagogia

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PROGRAMA DE ESTUDOS E AÇÕES PARA O SEMIÁRIDO MUSEU INTERATIVO DO SEMIÁRIDO MISA_PEASA_UFCG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PROGRAMA DE ESTUDOS E AÇÕES PARA O SEMIÁRIDO MUSEU INTERATIVO DO SEMIÁRIDO MISA_PEASA_UFCG UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PROGRAMA DE ESTUDOS E AÇÕES PARA O SEMIÁRIDO MUSEU INTERATIVO DO SEMIÁRIDO MISA_PEASA_UFCG PROGRAMA DE ESTÁGIO DE EXTENSÃO TECNOLÓGICA PARA ALUNOS DE GRADUAÇÃO Carga

Leia mais

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Resumo O projeto tem como objetivo principal promover a inclusão digital dos softwares

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

PDI GERAL DO CEFET/RJ

PDI GERAL DO CEFET/RJ PDI GERAL DO CEFET/RJ Princípios que devem nortear o estabelecimento de políticas e ações no CEFET/RJ e que devem constar do PDI: Institucionalidade/identidade de UT (estabelecimento de um modelo diferenciado

Leia mais

Projeto de Patrocínio. Curitiba - PR. 7 Fórum de Tecnologia em Software Livre

Projeto de Patrocínio. Curitiba - PR. 7 Fórum de Tecnologia em Software Livre Projeto de Patrocínio Curitiba - PR 2015 2014 VI FÓRUM TECNO SOFTW LIVRE VI Fó Te So Liv 16 a 18 de setembro de 2015 Curitiba PR Brasil Sumário 1 Apresentação...1 2 Local, data e site...1 3 Público alvo...1

Leia mais

Identificação. PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1. Modalidade: Com solicitação de bolsas e/ou recursos (Em continuidade)

Identificação. PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1. Modalidade: Com solicitação de bolsas e/ou recursos (Em continuidade) PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1 Modalidade: Trâmite Atual: Com solicitação de bolsas e/ou recursos (Em continuidade) Manifestação da CPEU Identificação Projeto Institucionalizado a quem

Leia mais

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE - Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE - Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba RESOLUÇÃO Nº 07 DE 20/09/2004 Estabelece normas para a realização das Atividas Complementares nos cursos graduação do CESVALE. Art. 1 - Define como Ativida Complementar toda e qualquer ativida não prevista

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACIPLAC PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACIPLAC PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACIPLAC PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA A FACIPLAC compreende a importância do desenvolvimento da Iniciação Científica em uma faculdade de ensino superior como alicerce na construção

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e da moralidade, com que se pratica do

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015.

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO Ji-Paraná RO, 15. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

NIESC/VR NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA

NIESC/VR NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA NIESC/VR NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA MISSÃO DA UNIDADE O NIESC/VR é o órgão destinado à coleta, sistematização e interpretação de dados organizacionais e sociais, de modo a fornecer às

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES

CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES Com a crescente produção de conhecimento e ampliação das possibilidades de atuação profissional, o curso proporciona atividades extra curriculares

Leia mais

Projeto Edificar - Arquitetando Sonhos. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Projeto Edificar - Arquitetando Sonhos. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Projeto Edificar - Arquitetando Sonhos Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Instituto Filadélfia de Londrina

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

24 Sugestões para Melhoria da Qualidade dos Cursos

24 Sugestões para Melhoria da Qualidade dos Cursos 4 Sugestões para Melhoria da Qualidade dos Cursos Administração Aulas mais dinâmicas, bem preparadas, motivadoras e voltadas para o mercado de trabalho 5 Mais e melhores aulas práticas 4 Melhorar e adequar

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1- O QUE É UMA LIGA ACADÊMICA? As Ligas Acadêmicas são entidades sem fins lucrativos. As Ligas Acadêmicas

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS LEGAL ENGLISH 1º SEMESTRE DE 2015 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944 com o objetivo de preparar profissionais bem qualificados para a administração

Leia mais

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP PROJETO A inserção das Famílias no CAMP APRESENTAÇÃO O CAMP-Gna é uma entidade filantrópica sediada em Goiânia, no Setor Central, onde funciona ininterruptamente há 36 anos. Desde 01 de julho de 1973,

Leia mais

O artigo a seguir deve ser referenciado como:

O artigo a seguir deve ser referenciado como: O artigo a seguir deve ser referenciado como: Carvalho, José Oscar F. de (2000). A Utilização de Técnicas de Educação a Distância Mediada por Computador como Apoio às Aulas Presenciais: Um Estudo de Caso.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

JUSTIÇA PARA O SÉCULO 21 PROTOCOLO DE INTENÇÕES

JUSTIÇA PARA O SÉCULO 21 PROTOCOLO DE INTENÇÕES JUSTIÇA PARA O SÉCULO 21 PROTOCOLO DE INTENÇÕES A 3ª Vara do Juizado Regional da Infância e da Juventude de Porto Alegre, a Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul AJURIS, o Conselho Municipal dos Direitos

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM. Belo Horizonte

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM. Belo Horizonte MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEME MENTARES CURSO DE ENFERMAGEM Belo Horizonte 2013 ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 FINALIDADE... 3 3 DEVERES DO COORDENADOR EM RELAÇÃO AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES... 4 4 DEVERES

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACERES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º As Atividades Complementares são componentes curriculares obrigatórios

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA

REGULAMENTO GERAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA REGULAMENTO GERAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA 2014 São Luís de Montes Belos Goiás Faculdade Montes Belos Curso de Engenharia Agronômica São Luis de Montes Belos - Goiás

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura OEI/TOR/MEC/DTI nº 003/2009 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004

Leia mais

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular LICENCIATURA EM HISTÓRIA fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em Administração

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1.1. TÍTULO: Viagens de Estudos e Visitas Técnicas Internacionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E COMUNICAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE DESIGN DE MODA 1. Atividades Complementares Atividades Complementares são atividades desenvolvidas

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA 2013 ATIVIDADES COMPLEMENTARES O que são? São práticas acadêmicas de múltiplos formatos, obrigatórias, que podem ser realizadas dentro ou fora

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO

Leia mais

VANTAGENS E DIFERENCIAIS

VANTAGENS E DIFERENCIAIS A Treinar é uma escola com tradição na área de cursos de Informática, Tecnologia, Desenvolvimento Profissional e Educação à Distância. Oferece cursos do nível básico ao avançado, visando à formação completa

Leia mais

Márcia Drumond Sardinha

Márcia Drumond Sardinha Universidade Federal do Amazonas - UFAM Centro de Desenvolvimento Energético Amazônico - CDEAM Implantação do Sistema de Gestão para Eficientização Energética na Universidade Federal do Amazonas Márcia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica de nível médio de técnico em administração

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica de nível médio de técnico em administração Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEc de Ribeirão Pires Código: 141 Município: Ribeirão Pires/Mauá Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PROJETO NOVAS FRONTEIRAS DECLARAÇÃO DE TRABALHO TREINAMENTO STATEMENT OF WORK Preparado por Nelson Azevedo Membro do Time Versão 1 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 28/11/2010 Propósito

Leia mais

Roque Vinícius Designer

Roque Vinícius Designer Roque Vinícius Designer Nome: Roque Vinícius Nascimento de Almeida Data de Nascimento: 13/03/1974 Naturalidade: Rio de Janeiro / RJ Cidade: São Paulo / SP Telefone: (11) 97242-8738 Site: www.roquevinicius.com.br

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Análise e

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Catálogo decursos. metodologiaadvance.com.br MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET

Catálogo decursos. metodologiaadvance.com.br MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET Catálogo decursos Ensino de qualidade para todos 2016 MAIS DE 50 OPÇÕES DE CURSOS! VEJA ABAIXO ALGUNS DELES: @ PROFISSÕES DO SUPERMECADO DESENVOLVIMENTO DE SITES PARA INTERNET DESENHO MECÂNICO / ARQUITETURA

Leia mais

Proposta Comercial. ITS Inovação Tecnologia Soluções. Responsável Rafael Fernandes de Aquino. Cliente: Faculdade de Engenharia Civil

Proposta Comercial. ITS Inovação Tecnologia Soluções. Responsável Rafael Fernandes de Aquino. Cliente: Faculdade de Engenharia Civil Proposta Comercial ITS Inovação Tecnologia Soluções Responsável Rafael Fernandes de Aquino Cliente: Faculdade de Engenharia Civil Projeto: WebSite Institucional Contato Comercial: E-mail: rafael@its-servicos.com

Leia mais

FACULDADE TRÊS PONTAS FATEPS RECONHECIDA PELA PORTARIA DO MEC Nº 68/14

FACULDADE TRÊS PONTAS FATEPS RECONHECIDA PELA PORTARIA DO MEC Nº 68/14 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DAS ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS. O presente regulamento, aprovado pela resolução CONSUP 05/2014, estabelece as normas atinentes ao cumprimento

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO

PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO U N I R I O UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REITORA MALVINA TUTTMAN PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (COMSO) Fernanda Soares Coordenadora Gabriel Melo Assistente

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação - CPA

Comissão Própria de Avaliação - CPA AVALIAÇÃO DO CEFET-RJ PELOS DISCENTES -2010/2 A avaliação das Instituições de Educação Superior tem caráter formativo e visa o aperfeiçoamento dos agentes da comunidade acadêmica e da Instituição como

Leia mais

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES 2º SEMESTRE 2014 EXTENSÃO. A Extensão tem se constituído em importante atividade desenvolvida pelo UNIARAXÁ.

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES 2º SEMESTRE 2014 EXTENSÃO. A Extensão tem se constituído em importante atividade desenvolvida pelo UNIARAXÁ. CALENDÁRIO DE ATIVIDADES 2º SEMESTRE 2014 EXTENSÃO A Extensão tem se constituído em importante atividade desenvolvida pelo UNIARAXÁ. Articula o saber popular e as práticas sociais das comunidades com o

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO I FÓRUM DE DEBATES SOBRE QUALIFICAÇÃO E REQUALlFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SECRETARIADO

RELATÓRIO FINAL DO I FÓRUM DE DEBATES SOBRE QUALIFICAÇÃO E REQUALlFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SECRETARIADO RELATÓRIO FINAL DO I FÓRUM DE DEBATES SOBRE QUALIFICAÇÃO E REQUALlFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SECRETARIADO Realizado em 29 de agosto de 2002, em Recife/PE, durante o XIII Congresso Nacional de Secretariado.

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Curso de Engenharia de Produção NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Curso de Engenharia de Produção NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Viçosa, Minas Gerais 2014 1 INTRODUÇÃO As atividades complementares, inseridas no projeto pedagógico, têm por finalidade proporcionar

Leia mais

REGULAMENTO SINDUSCON PREMIUM ETAPA LITORAL NORTE 2013. 1ª edição

REGULAMENTO SINDUSCON PREMIUM ETAPA LITORAL NORTE 2013. 1ª edição REGULAMENTO SINDUSCON PREMIUM ETAPA LITORAL NORTE 2013 1ª edição 1 DA INSTITUIÇÃO DA PREMIAÇÃO 1.1 O Sinduscon Premium Etapa Litoral Norte 1ª edição instituído pelo SINDUSCON RS, Sindicato das Indústrias

Leia mais

Curso Técnico em Informática. Projetos TI 2015. Abertas as inscrições para o programa TI Júnior 2015.1. Informações e inscrições: www.cetepfeira.

Curso Técnico em Informática. Projetos TI 2015. Abertas as inscrições para o programa TI Júnior 2015.1. Informações e inscrições: www.cetepfeira. Curso Técnico em Informática Projetos TI 2015 Abertas as inscrições para o programa TI Júnior 2015.1 Informações e inscrições: www.cetepfeira.net Pensando na capacitação e formação do estudante para atender

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata

PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão. Quadriênio 2016-2019. Candidata PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIOESTE - Campus de Francisco Beltrão Quadriênio 2016-2019 Candidata Franciele Ani Caovilla Follador Slogan: CCS em ação! 1 INTRODUÇÃO Em 1991,

Leia mais