COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo"

Transcrição

1 COPA Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo José Roberto Bernasconi Presidente Sinaenco São Paulo SP/Agosto/

2 Um histórico Os dois principais estádios paulistanos não foram indutores do desenvolvimento, mas fatores de atração de público que ajudaram na ocupação do entorno. Os estádios do Pacaembu e Morumbi, implantados no meio do mato acabaram cercados por casas e prédios. Quando foram instalados, ocuparam vazios urbanos. O Pacaembu foi colocado pela City Improvement para promover o loteamento. O Morumbi fez parte do loteamento promovido pela família de Adhemar de Barros. SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 2

3 Estádios fora da cidade Nos anos 20 a cidade de São Paulo acabava na Santa Cecília. Higienópolis era um loteamento novo, concorrendo com Campos Elíseos; Ficava na parte alta; O Pacaembu ocupava as duas encostas do vale do Ribeirão Pacaembu; O Ribeirão foi canalizado e construída a Avenida Pacaembu. A City começou o loteamento ainda nos anos 10, dentro do conceito da Cidade-Jardim (garden city). A City aproveitou um buraco de fundo de vale para colocar o estádio, chamando a atenção para a área, Mas o fez doando a área e passando o encargo para a Prefeitura. Um estádio para futebol sempre chama atenção da mídia e tornou o Pacaembu, um bairro conhecido. Inaugurado em 1940, logo contribuiu para a venda total dos lotes e sua ocupação com mansões. SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 3

4 O Morumbi, no interior O Rio Pinheiros demarcava o limite da cidade. Além-rio já era interior. A família de Adhemar de Barros (ex-governador do Estado) promoveu, junto com outros empreendedores, o loteamento de imensas áreas além rio e, praticamente, no final de um vale, destinou a área reservada para lazer exigida pelas leis de loteamento para o São Paulo F.C. construir um moderno estádio de futebol. O SPFC repassou o Canindé para a Portuguesa dos Desportos e construiu um estádio que veio a receber o nome do seu então presidente: Cícero Pompeu de Toledo. SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 4

5 SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e da da Engenharia 5

6 Os estádios no meio do caminho Com a canalização do córrego e a construção da Avenida Pacaembu, o estádio ficou no meio de um dos acessos dos Jardins e arredores para a Marginal. Por outro lado, com a construção da Avenida Giovanni Gronchi pelo espigão, houve uma intensa ocupação imobiliária verticalizada, iniciada pelo Portal do Morumbi, descendo pela Vila Andrade, gerando intensos congestionamentos na referida Avenida e transformando Praça Roberto Gomes Pedrosa num ponto de estrangulamento. a SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 6

7 Acesso à Marginal Tietê SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 7

8 Morumbi, no meio do caminho SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 8

9 Público e visibilidade O estádio do Morumbi, atraía nos dias de jogos grandes públicos, mas não foram esses o que vieram a ocupar imobiliariamente as áreas do entorno. O papel imobiliário do estádio é dar visibilidade à área onde está localizada. Eram fatores positivos e negativos: Positivos pela visibilidade; Negativos pelo transtornos nos dias de jogos. SINAENCO Sindicato da Arquitetura e da Engenharia 9

10 Urbanização e reurbanização Um novo grande estádio para a Copa 2014 poderá promover a urbanização ou reurbanização. No Pacaembu, uma área inteiramente tomada por casas, as possibilidades de reurbanização são limitadas. O loteamento inicial, voltado para ser estritamente residencial, teve áreas transformadas em Z2, com ampla verticalização. A transformação das principais vias em corredores de trânsito acabou por promover a mudança do uso das residências em estabelecimentos comerciais. A remodelação do Estádio do Pacaembu, irá consolidar as mudanças já ocorridas no uso e ocupação do entorno. Caberia mudar o zoneamento e favorecer a verticalização. SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 10

11 Pacaembu e seu entorno SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 11

12 Reurbanização do Morumbi A reurbanização do entorno do Estádio do Morumbi é difícil por já estar fortemente tomado, com imóveis relativamente novos e de alto padrão. Poderá, no entanto, ser considerada uma área mais extensa, o que envolveria em parte a Favela de Paraisópolis e, de outra, a Operação Urbana Vila Sônia. Um projeto de reurbanização deveria abranger essa área mais ampla. A principal mudança estaria na verticalização, com a possibilidade de uso misto do solo. SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 12

13 SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e da da Engenharia 13

14 Estacionamento Uma das questões críticas do estádio do Morumbi é a falta de estacionamentos. O projeto de reforma do estádio prevê um edifício de estacionamento, parte aérea e parte subterrânea, em frente à Praça Roberto Gomes Pedrosa, com vagas. Será um estacionamento público e não do clube. Uma solução é o estacionamento na estação Morumbi-São Paulo, funcionando como conexão com o Metrô e servindo, nos dias de jogos, a uma distância aproximada de 1,5 km. O projeto atual da estação não prevê o estacionamento. Outra possibilidade seria um estacionamento acoplado à estação Vila Sônia, do Metrô. SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 14

15 Praça Roberto Gomes Pedrosa SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 15

16 Pirituba O eventual estádio em Pirituba, anexo ao novo espaço destinado a sediar Feiras e Exposições, terá um impacto duvidoso no entorno. Do ponto de vista macro metropolitano a área está num vetor menos problemático do ponto de vista ambiental, ainda que vizinho a áreas de proteção dos mananciais. É ainda uma das regiões de maior aceleração de crescimento A região, servida por duas rodovias de primeira classe, seria propícia para o desenvolvimento de uma urbanização ordenada. SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 16

17 Pirituba SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 17

18 As ilhas SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 18

19 SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 19

20 Área provável da arena SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 20

21 Estação Vila Clarice (CPTM) Est.V.Clarice-CPTM Local previsto para a Arena SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 21

22 Área dormitório A questão é que esse crescimento é da população de baixa renda, de tal forma que a área prevista para a Feira e Estádio seria uma ilha, sediando um equipamento mundial, cercado por um mar de pobreza. A área de Feira, destinada a eventos nacionais e internacionais, deverá ser complementada por serviços locais e regionais, dentro da área, porém com um impacto limitado no entorno. Esse entorno funciona como área dormitório da capital, suprido pela linha da CPTM. Os empreendimentos ofereceriam trabalho local aos moradores. A oferta de mais empregos acabará por atrair mais pessoas para a área. SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da Arquitetura da Arquitetura e da e Engenharia da Engenharia 22

23 Zona Leste O Corinthians tem, pelo menos, dois projetos para a Zona Leste: Itaquera, com o grupo Advento; Guarulhos, com os Banco Banif e BVA, Construtoras Hotchief e EIT e Price Coopers Waterhouse O projeto Itaquera está junto à estação do metrô e ocupará um grande vazio. Mas, igualmente cercado pela pobreza. O projeto Guarulhos está em área industrial, na continuação da Rodovia Fernão Dias, em área usualmente congestionada. SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 23

24 Maior desequilíbrio entre moradia e trabalho A Zona Leste do Município de São Paulo é o que apresenta maior desequilíbrio entre a moradia e a oferta de trabalho. Esse desequilíbrio leva milhares de trabalhadores a se movimentarem em direção ao centro da cidade, para obtenção da sua fonte de renda. Vários planos e programas para desenvolver atividades econômicas na região, tem sido insuficientes. SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 24

25 Itaquera SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 25

26 Itaquera SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 26

27 Itaquera SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 27

28 Maquete SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 28

29 Polo Institucional de Itaquera SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 29

30 Corinthians - Guarulhos SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 30

31 Guarulhos área industrial SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 31

32 Corinthians área Guarulhos SINAENCO SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura Arquitetura e da e da Engenharia Engenharia 32

33 Corinthians - Guarulhos A área de Guarulhos é uma área industrial na sequência da Rodovia Fernão Dias, logo após a Via Dutra na direção da Zona Leste de São Paulo. É uma área com muitas indústrias e ainda terrenos vagos. A reurbanização da área implicaria na substituição das indústrias por ocupação residencial verticalizada. Não é atendida por transporte de massa. SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 33

34 Em Conclusão: A alternativa Pirituba encontra sinergia com um vetor de forte expansão urbana, podendo acentuá-lo. A alternativa Itaquera pode consolidar o adensamento na região, facilitada pela presença forte dos serviços de transporte de massa. A alternativa Guarulhos pode promover adensamento na ocupação do solo urbano, mas terá que encontrar solução adequada de acessibilidade e de operação, com restrições físicas fortes. SINAENCO Sindicato Sindicato da da Arquitetura e da e da Engenharia 34

35 Muito Obrigado. SINAENCO Sindicato da da Arquitetura e e da da Engenharia 35

Urban View. Urban Reports. Fielzão e seu impacto na zona Leste

Urban View. Urban Reports. Fielzão e seu impacto na zona Leste Urban View Urban Reports Fielzão e seu impacto na zona Leste Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão ESPN Itaquera acordou com caminhões e tratores

Leia mais

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA LOCALIZAÇÃO E CONTEXTO Jundiaí Campinas Rio de Janeiro Sorocaba Guarulhos OUC AB Congonhas CPTM E METRÔ: REDE EXISTENTE E PLANEJADA OUC AB SISTEMA VIÁRIO ESTRUTURAL

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Butantã: a bola da vez na corrida imobiliária paulistana

Urban View. Urban Reports. Butantã: a bola da vez na corrida imobiliária paulistana Urban View Urban Reports Butantã: a bola da vez na corrida imobiliária paulistana coluna Minha cidade, meu jeito de morar e de investir programa Falando em Dinheiro Rádio Estadão ESPN Butantã: a bola da

Leia mais

COPA. Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL. Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC. 29 de Outubro 2009

COPA. Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL. Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC. 29 de Outubro 2009 COPA Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC 29 de Outubro 2009 1 SINAENCO Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva

Leia mais

Portaria de acesso social, vista interna. Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. Portaria de serviços, vista interna Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009.

Portaria de acesso social, vista interna. Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. Portaria de serviços, vista interna Fonte: SAMPAIO, 10/out/2009. CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE O Condomínio Ilhas do Sul abrange uma área total de 30.178m² e tem 118.000m² de área construída. O acesso se faz

Leia mais

G1 - Apreensivos, moradores temem perder a tranquilidade com Piritubã...

G1 - Apreensivos, moradores temem perder a tranquilidade com Piritubã... 1 de 5 18/6/2010 08:26 18/06/2010 06h47 - Atualizado em 18/06/2010 06h47 Apreensivos, moradores temem perder a tranquilidade com Piritubão Terreno de mais de 5 milhões de m² abriga ampla área verde. Área

Leia mais

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Marcia Heloisa P. S. Buccolo, consultora jurídica de Edgard Leite Advogados

Leia mais

Novo Plano Diretor de SP 2014. Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário

Novo Plano Diretor de SP 2014. Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário Novo Plano Diretor de SP 2014 Novas diretrizes e consequências para o mercado imobiliário 1 Eixos de Estruturação de Transformação Urbana (4 x) O que é o Eixo? São áreas próximas à infraestrutura de transporte

Leia mais

Em ritmo chinês A arquiteta Mariana Gerotto, de 26 anos, mudou-se para a Vila Andrade, na Zona Sul, em 2000, mas só recentemente descobriu ser esse o nome do bairro. Apesar de ele estar gravado nas placas

Leia mais

Cidade de São Paulo. 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011

Cidade de São Paulo. 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011 Cidade de São Paulo 3ª CLÍNICA INTEGRADA ENTRE USO DO SOLO E TRANSPORTES Rio, out/2011 LOCALIZAÇÃO POPULAÇÃO (Censo 2010) RMSP...19.683.975 habitantes Município de São Paulo...11.253.563 habitantes Estatuto

Leia mais

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico

Oportunidades criadas pelo Plano Diretor Estratégico A CRIAÇÃO DE TERRITÓRIOS DE OPORTUNIDADE JUNTO AO SISTEMA METRO-FERROVIÁRIO: EM PROL DE UMA PARCERIA MAIS EFETIVA NOS PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO URBANA NO ENTORNO DAS ESTAÇÕES. ABSTRACT Ao longo dos trinta

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

Copa do Mundo 2014: ações da Prefeitura de São Paulo. 12ª Câmara Temática de Transparência Copa 2014

Copa do Mundo 2014: ações da Prefeitura de São Paulo. 12ª Câmara Temática de Transparência Copa 2014 : ações da Prefeitura de São Paulo 12ª Câmara Temática de Transparência Copa 2014 Copa em São Paulo: a gestão municipal SPCOPA: Comitê Integrado de Gestão Governamental Especial para a Copa do Mundo de

Leia mais

limites definidos por barreiras físicas significativas como linha da TRENSURB, Av. Farrapos, Av.

limites definidos por barreiras físicas significativas como linha da TRENSURB, Av. Farrapos, Av. ÁREA 3-3 Limites e potencialidades limites definidos por barreiras físicas significativas como linha da TRENSURB, Av. Farrapos, Av. dos Estados e a free-way/ RS- 290. espaço adequado para novas atividades

Leia mais

Segurança e lazer são o destaque da publicidade deste imóvel. Fonte: Informe Publicitário distribuído em via pública

Segurança e lazer são o destaque da publicidade deste imóvel. Fonte: Informe Publicitário distribuído em via pública Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO A área de lazer cada vez mais assume posição de destaque nos informes publicitários do mercado imobiliário residencial. O programa dos condomínios residenciais

Leia mais

os projetos de urbanização de favelas 221

os projetos de urbanização de favelas 221 5.15 Favela Jardim Floresta. Vielas e padrão de construção existente. 5.16 Favela Jardim Floresta. Plano geral de urbanização e paisagismo. 5.17 Favela Jardim Floresta. Seção transversal. 5.18 Favela Jardim

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Dezembro 2010 EMPREENDIMENTOS DE USO MISTO Profa.Dra.Eliane Monetti Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva Empreendimentos de uso misto

Leia mais

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em

O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em O Tangará é um pássaro característico da região sudeste paulista que tem seu nome derivado de duas palavras da língua tupi que significam andar em volta. Por isso, é considerado um verdadeiro acrobata.

Leia mais

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano L E I T U R A E I N T E R P R E T A Ç Ã O D A S I T U A Ç Ã O U R B A N A Mapa 09 de PiracicabaOcupação do Solo Urbano P L A N O D E A Ç Ã O P A R A R E A B I L I T A Ç Ã O U R B A N A D A Á R E A C E

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Higienópolis: como o metrô de gente diferenciada influencia no mercado imobiliário

Urban View. Urban Reports. Higienópolis: como o metrô de gente diferenciada influencia no mercado imobiliário Urban View Urban Reports Higienópolis: como o metrô de gente diferenciada influencia no mercado imobiliário Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão

Leia mais

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1 Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão da Cidade de São Paulo Volume 1 Entenda quais são os Instrumentos de Planejamento e Gestão Urbana que serão revistos Revisão Participativa

Leia mais

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A.

Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Luiz Augusto Pereira de Almeida Sobloco Construtora S.A. Será que nós podemos viver melhor nas cidades? Com mais tempo para nossas famílias; com menos stress, com menos doenças e mais saúde; com mais produtividade;

Leia mais

GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO. (Secopa São Paulo)

GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO. (Secopa São Paulo) GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO (Secopa São Paulo) O maior evento mundial Copa do Mundo Fifa Transmissão para todos os países e territórios do mundo, inclusive a Antártida e o Círculo Polar Ártico; Primeiro

Leia mais

Mobilidade urbana, infra-estrutura e a Copa de 2014

Mobilidade urbana, infra-estrutura e a Copa de 2014 Mobilidade urbana, infra-estrutura e a Copa de 2014 Oportunidades para a arquitetura e a engenharia 8º Encontro da Arquitetura e da Engenharia Consultiva de São Paulo Sinaenco/sp 26 de agosto de 2008 Jurandir

Leia mais

Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO

Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO Vista da Rua Schilling, no ano de 1981 Fonte : Júnior Manuel Lobo Fonte:Vila Hamburguesa sub-distrito da Lapa município da capital de São Paulo Vila

Leia mais

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA Ana Lia Ferreira Mendes de Carvalho liafmc@yahoo.com.br Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor

A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor DÉCADA DE 90 1990 - Criação do FUMAPIS Fundo Municipal de Apoio a Habitacão de Interesse Social que exerce, na prática, o papel de Conselho Municipal

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

Copa do Mundo de 2014: Impactos e legado (Região. Prof. Dr. Gerardo Silva, UFABC, 03-12-2012

Copa do Mundo de 2014: Impactos e legado (Região. Prof. Dr. Gerardo Silva, UFABC, 03-12-2012 Copa do Mundo de 2014: Impactos e legado (Região Sudeste) Prof. Dr. Gerardo Silva, UFABC, 03-12-2012 Questões gerais A Copa do Mundo do Futebol já está ai e é muito pouco o que pode ser mudado A questão

Leia mais

Baixada Santista: imóveis de 2 e 3 dormitórios lideram lançamentos

Baixada Santista: imóveis de 2 e 3 dormitórios lideram lançamentos Baixada Santista: imóveis de 2 e 3 dormitórios lideram lançamentos A Região Metropolitana da Baixada Santista tem uma extensão territorial de 2.422 km² e é a terceira maior do Estado em termos populacionais,

Leia mais

Organização do Espaço na Cidade de São Paulo

Organização do Espaço na Cidade de São Paulo Organização do Espaço na Cidade de São Paulo A Copa do Mundo e o Desenvolvimento da Zona Leste Arq. Alberto Fasanaro Lauletta Setembro / 2011 Histórico da Expansão Urbana Até 1929 LEGENDA São Paulo Região

Leia mais

MARÇO DE 2010 JORGE WILHEIM PLANOS URBANÍSTICOS

MARÇO DE 2010 JORGE WILHEIM PLANOS URBANÍSTICOS MARÇO DE 2010 QUADRO HABITACIONAL DAS METRÓ- POLES PAULISTAS São Paulo. Cliente: Emplasa - Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano SA 2009 Consultoria compreendendo a compartimentação espacial georeferenciada

Leia mais

PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas

PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas LEI Nº 15.525, DE 9 DE JANEIRO DE 2012 (Projeto de Lei nº 470/11, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Institui o Projeto Estratégico

Leia mais

Caio Luiz de Carvalho Presidente

Caio Luiz de Carvalho Presidente Caio Luiz de Carvalho Presidente Os desafios do Brasil Deixar de ser espectador e se tornar ator do processo. Todos os brasileiros. Profissionais ou espectadores, envolvidos diretamente ou não. Muitas

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Ivo Szterling, Arquiteto Urbanista Diretor de Urbanismo da Cipasa Desenvolvimento

Leia mais

Zoneamento da Cidade de São Paulo. Zoneamento Cidade de São Paulo. Características das Zonas de Uso

Zoneamento da Cidade de São Paulo. Zoneamento Cidade de São Paulo. Características das Zonas de Uso Zoneamento da Cidade de São Paulo Zoneamento Cidade de São Paulo Características das Zonas de Uso 1 Histórico A Legislação relativa a zoneamento reunia algumas dezenas de atos, decretos- leis, leis e decretos,

Leia mais

A Criação de Espaços Particulares. Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos

A Criação de Espaços Particulares. Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos A Criação de Espaços Particulares dos jardins aos espaços condominiais Condomínios horizontais: das vilas aos condomínios suburbanos Sílvio Soares MACEDO PAISAGISMO BRASILEIRO (São Paulo, 2012) EDUSP e

Leia mais

Núcleo São Paulo: Coordenação: Clarissa Gagliardi (USP) e Mônica Carvalho (PUC SP) Equipe: alunos dos cursos de graduação e pós-graduação da PUC SP e

Núcleo São Paulo: Coordenação: Clarissa Gagliardi (USP) e Mônica Carvalho (PUC SP) Equipe: alunos dos cursos de graduação e pós-graduação da PUC SP e Núcleo São Paulo: Coordenação: Clarissa Gagliardi (USP) e Mônica Carvalho (PUC SP) Equipe: alunos dos cursos de graduação e pós-graduação da PUC SP e USP e consultores da FGV e Universidade Cruzeiro do

Leia mais

Sepetiba: Portal do Atlântico Sul

Sepetiba: Portal do Atlântico Sul Sepetiba: Portal do Atlântico Sul Painel 3: Perspectivas de médio prazo Intervenção urbana e uso do solo Introdução O tema proposto leva às seguintes questões: Modernização dos portos e cidade Gestão ambiental

Leia mais

Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários. Rodrigo Bicalho

Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários. Rodrigo Bicalho Plano Diretor Estratégico de São Paulo e Reflexos nos Negócios Imobiliários Rodrigo Bicalho Objetivos do Plano Aproximar local de residência e trabalho Concentrar o adensamento nos eixos de transporte

Leia mais

A cidade vai parar na (i)mobilidade urbana?

A cidade vai parar na (i)mobilidade urbana? A cidade vai parar na (i)mobilidade urbana? IDELT Dr. Joaquim Lopes da Silva Junior Maio/2012 prioridade para o transporte coletivo Corredores de ônibus metropolitanos REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Leia mais

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75%

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% VILA LEOPOLDINA 1 CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% Fonte: DNA Paulistano Datafolha 2009. 2 Características Fonte: GeoSecovi

Leia mais

APRESENTAÇÃO SMT Copa 2014 - São Paulo

APRESENTAÇÃO SMT Copa 2014 - São Paulo APRESENTAÇÃO SMT Copa 2014 - São Paulo A cidade de São Paulo em números 11 milhões de habitantes 6ª maior cidade do mundo 145 milhões de m² de área verde 1 Feira/Exposição a cada 3 dias (US$ 1,2 bilhão

Leia mais

ZL VÓRTICE A ZONA LESTE DE SÃO PAULO SITUAÇÕES CRÍTICAS

ZL VÓRTICE A ZONA LESTE DE SÃO PAULO SITUAÇÕES CRÍTICAS ZL VÓRTICE A ZONA LESTE DE SÃO PAULO SITUAÇÕES CRÍTICAS ZL Vórtice é um projeto de investigação e práticas urbanas experimentais. Reúne pesquisadores, arquitetos, engenheiros e artistas, junto com as comunidades

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 TM GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 SOLUÇÕES ENCAMINHADAS Constituição do COMITÊ PAULISTA (Grupo Executivo

Leia mais

José Elias, 141. Conceito:

José Elias, 141. Conceito: Conceito: menu No meio do jardim tem um escritório. Na beira da janela, uma floreira. Na alma,inspiração. Nasce no ponto mais valorizado do Alto da Lapa o único projeto comercial que leva o verde para

Leia mais

Unidades de apartamentos

Unidades de apartamentos Unidades de apartamentos Os apartamentos são de 141,92 m² e de 178,38m². As plantas podem sofrer variações devido à opção pelo número de dormitórios, sendo que um dormitório pode se integrar à sala ou

Leia mais

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros.

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Data: 05/12/2008 -Local: Instituto Pólis MORADIA É CENTRAL

Leia mais

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 -

Investimento Global (R$ mi) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2 - Anexo A - Mobilidade Urbana Empreendimento (obra, projeto e desapropriação) 1 Belo Horizonte BRT: Antônio Carlos / Pedro I 726,4 382,3-344,2-2 Belo Horizonte Corredor Pedro II e Obras Complementares nos

Leia mais

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA Brasil, 2007 PIB R$ 1,8 trilhão Alfabetização 88,6% Expec. de Vida 71,7 anos PIB per capita US$ 8.402 Fonte: ONU e IBGE Brasil, 2015 PIB R$ 2,1 trilhões Alfabetização

Leia mais

2.3 A segregação social e a segregação espacial

2.3 A segregação social e a segregação espacial CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE 2.3 A segregação social e a segregação espacial Villaça (1998:142) comenta que há segregações das mais variadas

Leia mais

XXI ENCONTRO TÉCNICO AESABESP A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE ORGANIZADA NA PROMOÇÃO DO SANEAMENTO AMBIENTAL

XXI ENCONTRO TÉCNICO AESABESP A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE ORGANIZADA NA PROMOÇÃO DO SANEAMENTO AMBIENTAL XXI ENCONTRO TÉCNICO AESABESP A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE ORGANIZADA NA PROMOÇÃO DO SANEAMENTO AMBIENTAL SOLUÇÕES ENCAMINHADAS Convênio GESP e PMSP e Criação do GT PAULISTA (Grupo Executivo de Secretários

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOQUEIRÃO 18/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL SECOVI-SP VICE- PRESIDÊNCIA DE INCORPORAÇÃO E TERRENOS URBANOS 18-04-2013

ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL SECOVI-SP VICE- PRESIDÊNCIA DE INCORPORAÇÃO E TERRENOS URBANOS 18-04-2013 ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL SECOVI-SP VICE- PRESIDÊNCIA DE INCORPORAÇÃO E TERRENOS URBANOS 18-04-2013 ZEIS-ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL década de 1980 surgimento de movimentos sociais

Leia mais

Etapas do PLHIS PROPOSTAS

Etapas do PLHIS PROPOSTAS Plano Local de Habitação de Interesse Social de Boituva Seminário de Homologação do PLHIS de Boituva 25 de Fevereiro de 2010 Etapas do PLHIS etapa 1 etapa 2 etapa 3 METODOLOGIA DIAGNÓSTICO PROPOSTAS Princípios

Leia mais

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS De acordo com o Plano Diretor as ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS são porções do território destinadas, prioritariamente, à recuperação urbanística, à regularização

Leia mais

IMPORTÂNCIA E IMPACTO DO PROGRAMA PASSEIO LIVRE PARA A CIDADE DE SÃO PAULO. JOSÉ RENATO SOIBELMANN MELHEM Arquiteto e Urbanista

IMPORTÂNCIA E IMPACTO DO PROGRAMA PASSEIO LIVRE PARA A CIDADE DE SÃO PAULO. JOSÉ RENATO SOIBELMANN MELHEM Arquiteto e Urbanista IMPORTÂNCIA E IMPACTO DO PROGRAMA PASSEIO LIVRE PARA A CIDADE DE SÃO PAULO JOSÉ RENATO SOIBELMANN MELHEM Arquiteto e Urbanista Mobilidade social Envolve a integração de todos sistemas de circulação: 1.

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Recife. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Recife. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Recife Dezembro de 2012 Recife: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição dos investimentos por

Leia mais

Imóveis: o que os paulistanos buscam na hora da compra

Imóveis: o que os paulistanos buscam na hora da compra 13/10/2010 Imóveis: o que os paulistanos buscam na hora da compra Pesquisa revela quanto gastam os novos proprietários De mudança para fugir do trânsito: Moro no Morumbi e todos os dias tenho de enfrentar

Leia mais

A mudança do Plano Diretor de São Paulo e a visão urbana da indústria imobiliária RICARDO YAZBEK SECOVI-SP 29-08-2013

A mudança do Plano Diretor de São Paulo e a visão urbana da indústria imobiliária RICARDO YAZBEK SECOVI-SP 29-08-2013 A mudança do Plano Diretor de São Paulo e a visão urbana da indústria imobiliária RICARDO YAZBEK SECOVI-SP 29-08-2013 afunção da indústria imobiliária no contexto do desenvolvimento urbano 2 produção de

Leia mais

PROJETO MACIÇO DO MORRO DA CRUZ

PROJETO MACIÇO DO MORRO DA CRUZ Objetivos Gerais: PROJETO MACIÇO DO MORRO DA CRUZ Melhorar as condições de vida dos moradores do MACIÇO DO MORRO DA CRUZ, a partir de investimentos em infra-estrutura e serviços sociais. Objetivos Específicos:

Leia mais

Déficit habitacional é a principal preocupação da política urbana

Déficit habitacional é a principal preocupação da política urbana Página 1 de 5 Busca Déficit habitacional é a principal preocupação da política urbana O Estatuto da Cidade prevê a criação de planos pilotos para o desenvolvimento de cidades e municípios. Para tornar

Leia mais

Título III Do Uso e Ocupação do Solo

Título III Do Uso e Ocupação do Solo Título III Do Uso e Ocupação do Solo RETORNAR Capítulo I Das Macrozonas Seção I Da Macrozona de Estruturação e Qualificação Urbana Art. 26 A Subprefeitura da Mooca encontra-se integralmente contida na

Leia mais

Urbanismo infraestrutural Mutações na Zona Leste de São Paulo. Nelson Brissac

Urbanismo infraestrutural Mutações na Zona Leste de São Paulo. Nelson Brissac Urbanismo infraestrutural Mutações na Zona Leste de São Paulo Nelson Brissac Nos limites da cidade, os processos urbanos envolvem grandes obras de infraestrutura metropolitana, moradia precária e necessidade

Leia mais

Operações Urbanas e o Desenvolvimento da Zona Leste. Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano

Operações Urbanas e o Desenvolvimento da Zona Leste. Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Operações Urbanas e o Desenvolvimento da Zona Leste Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Agosto / 2011 Desenvolvimento Urbano Sustentável - Desafios Desenvolvimento da Zona

Leia mais

Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana

Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana Desafios para Melhoria da Mobilidade Urbana O Desafio da CET 7,2 milhões de veículos registrados 12 milhões de habitantes 7,3 milhões de viagens a pé 156 mil viagens de bicicleta 15 milhões de viagens

Leia mais

6. VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA

6. VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA 6. VALORIZAÇÃO IMOBILIÁRIA 6.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Este estudo visa avaliar a valorização imobiliária do solo urbano decorrente da urbanização do promovida pelo poder público municipal e da implantação

Leia mais

Projeto Nova Luz Visão e Diretrizes Urbanísticas

Projeto Nova Luz Visão e Diretrizes Urbanísticas SP-URBANISMO Projeto Nova Luz Visão e Diretrizes Urbanísticas Novembro 2010 ANTECEDENTES Determinação da Administração desde 2005 de transformar e desenvolver a área Ações multisetoriais: saúde, social,

Leia mais

PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. Plano da sessão

PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. Plano da sessão plano estratégico del desenvolvimento económico local PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL ECONÓMICO LOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA Equipa técnica: Assessor: João Pedro Guimarães Colaboradores:

Leia mais

Ponte Rasa. zona Leste

Ponte Rasa. zona Leste zona Leste Ponte Rasa Um dos distritos mais tradicionais da Zona Leste, tem vida relativamente pacata, com pouca verticalização em comparação aos vizinhos Penha e Itaquera, onde a população aumenta. A

Leia mais

Grupo WTB Experiência e solidez

Grupo WTB Experiência e solidez Grupo WTB Experiência e solidez Fundado em 1999, o Grupo WTB teve um crescimento sustentado e prosperou ao longo dos anos. Hoje, sua marca está presente em vários empreendimentos de sucesso, contando com

Leia mais

Plano Regional Estratégico da Subprefeitura Campo Limpo

Plano Regional Estratégico da Subprefeitura Campo Limpo Plano Regional Estratégico da Subprefeitura Campo Limpo RETORNAR Sumário Título I Das Políticas Públicas Regionais Capítulo I Dos Objetivos e Diretrizes de Desenvolvimento Urbano e Ambiental da Região

Leia mais

As categorias de uso para residências eram previstas na Lei nº7.805, com as seguintes definições e características básicas 20 :

As categorias de uso para residências eram previstas na Lei nº7.805, com as seguintes definições e características básicas 20 : A mudança de tipologia de empreendimentos de apartamentos residenciais pode ter tomado esse formato através da Categoria de uso R3 (conjunto residencial) e por uma alteração na relação entre a área total

Leia mais

A BRASIL BROKERS SP NOVOS NEGÓCIOS E CORPORATE IMÓVEIS LANÇAMENTOS E PRONTOS 30 MUNICÍPIOS EM OPERAÇÃO 2700 PROFISSIONAIS DE VENDAS

A BRASIL BROKERS SP NOVOS NEGÓCIOS E CORPORATE IMÓVEIS LANÇAMENTOS E PRONTOS 30 MUNICÍPIOS EM OPERAÇÃO 2700 PROFISSIONAIS DE VENDAS A BRASIL BROKERS SP NOVOS NEGÓCIOS E CORPORATE Estudo de viabilidade imobiliária para desenvolvimento de empreendimentos e captação de terrenos, inteligência de mercado para análise de novas áreas e pesquisa

Leia mais

Check List Básico Onde construir seu próximo Data Center" Condições Essênciais

Check List Básico Onde construir seu próximo Data Center Condições Essênciais Check List Básico Onde construir seu próximo Data Center" Condições Essênciais PRINCIPAIS LIGAÇÕES - ACESSO Principais vias de acesso: Rodovias Anhanguera, Bandeirantes, Dom Pedro, Campinas Mogi Mirim

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: São Paulo. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: São Paulo. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: São Paulo Setembro/2013 São Paulo: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Os Centros Urbanos do Século XXI

Urban View. Urban Reports. Os Centros Urbanos do Século XXI Urban View Urban Reports Os Centros Urbanos do Século XXI Os centros urbanos do século XXI Hoje 19,4 milhões de pessoas vivem na região metropolitana de São Paulo. A quinta maior aglomeração humana do

Leia mais

Adensamento do tecido urbano e drenagem de águas pluviais Arquiteto Prof. Nestor Goulart Reis

Adensamento do tecido urbano e drenagem de águas pluviais Arquiteto Prof. Nestor Goulart Reis Adensamento do tecido urbano e drenagem de Arquiteto Prof. Nestor Goulart Reis Enchentes, no campo, são problemas naturais. Em áreas urbanas, são problemas sociais Nosso primeiro objetivo: origem dos problemas.

Leia mais

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS

INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Secretaria Municipal de Urbanismo INSTRUMENTOS DO PLANO DIRETOR CARTILHA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO LUOS Lei de Uso e Ocupação do Solo: Introdução Estamos construindo uma cidade cada vez melhor A Lei

Leia mais

Oeste www.policeneto.com.br

Oeste www.policeneto.com.br zona Oeste Jaguaré Distrito segue vocação industrial, mas ganha novo status com a verticalização e a migração de empresas em busca de terrenos espaçosos Saiba mais sobre os Bairros Vivos de SP em: www.policeneto.com.br

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014 Os contratos novos de aluguéis de casas e de apartamentos na capital paulista subiram em média 0,6% em novembro relativamente

Leia mais

Sul www.policeneto.com.br

Sul www.policeneto.com.br zona Sul Cursino Famoso por abrigar o Zoológico e o Zoo Safári, o distrito da Zona Sul sofre hoje com congestionamentos e com o excesso de terrenos irregulares Saiba mais sobre os Bairros Vivos de SP em:

Leia mais

Adensamento em áreas vazias em São Paulo

Adensamento em áreas vazias em São Paulo Ad e n s a me n t oe má r e a sv a z i a se ms ã op a u l o. Adensamento em áreas vazias em São Paulo O potencial imobiliário de São Paulo está bastante limitado devido ao crescimento rápido e desordenado

Leia mais

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA Secretaria de 1 Produtivo 1. Ampliar a oferta de infraestrutura adequada para promover a segurança no consumo de gêneros alimentícios em mercados municipais 1. Oferecer espaços adequados para comercialização

Leia mais

MonteCarmo Shopping. Uma grande oportunidade de negócio esperando por você

MonteCarmo Shopping. Uma grande oportunidade de negócio esperando por você MonteCarmo Shopping Uma grande oportunidade de negócio esperando por você Localização privilegiada, identidade com o público local, arquitetura diferenciada e exclusivo conceito lifestyle, que integra

Leia mais

São Mateus. zona Leste

São Mateus. zona Leste zona Leste conquistou o direito à cidadania graças à luta de seus moradores. Atualmente é um distrito em ascensão pela proximidade das obras da Operação Urbana Rio Verde-Jacu e da Arena Corinthians Saiba

Leia mais

GERAL. Porto Olímpico

GERAL. Porto Olímpico Porto Olímpico projeto O Porto Maravilha e o Porto Olímpico N Porto Olímpico aprox. 145.000m2 de área Porto Maravilha aprox. 5.000.000m2 de área aprox. 100.000m2 aprox. 45.000m2 Porquê o Porto? Porquê

Leia mais

RODRIGO GARCIA Secretário de Estado da Habitação

RODRIGO GARCIA Secretário de Estado da Habitação RODRIGO GARCIA Secretário de Estado da Habitação Caracterização do modelo OBJETIVOS INCLUSÃO SOCIAL Diversidade REQUALIFICAÇÃO DO ESPAÇO URBANO APROXIMAÇÃO DA MORADIA DOS LOCAIS DE OFERTA DE EMPREGO PÚBLICO-ALVO

Leia mais

RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014

RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014 RECOMENDAÇÃO GT/HIS Nº 02, de 26 de novembro de 2014 Inquérito Civil Público nº 1.22.000.002106/2010-13 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por intermédio do Grupo de Trabalho Intercameral Habitação de Interesse,

Leia mais

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO SOCIAL EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP UMA VISÃO AMBIENTAL

ANÁLISE DE EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO SOCIAL EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP UMA VISÃO AMBIENTAL ANÁLISE DE EMPREENDIMENTOS DE HABITAÇÃO SOCIAL EM PRESIDENTE PRUDENTE-SP UMA VISÃO AMBIENTAL Sibila Corral de Arêa Leão Honda Arquiteta e Urbanista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestre e Doutora

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira O Brasil é um país com mais de 190 milhões de habitantes. A cada 100 pessoas que vivem no Brasil, 84 moram nas cidades e 16 no campo. A população urbana brasileira teve seu maior

Leia mais

Configuração e tipologias

Configuração e tipologias OsE s p a ç o sp ú b l i c o ses u ai n f l u ê n c i an ame l h o r i ad aq u a l i d a d ed ev i d a O que são Espaços Públicos? P O espaço público é considerado como aquele que, dentro do território

Leia mais

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002 Núcleo de Gestão do Porto Digital Plano Bi-anual 2001-2002 Identidade Missão A estruturação e gestão sustentável de um ambiente de negócios capaz de criar e consolidar empreendimentos de classe mundial

Leia mais

O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba

O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba Curitiba SÃO PAULO População: 1.828.092 hab. Taxa de crescimento pop. 2000-2009: 1,71% 2008-2009:

Leia mais

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO

PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO PARQUE TECNOLÓGICO DE RIBEIRÃO PRETO SUMÁRIO EXECUTIVO O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é um empreendimento imobiliário e tecnológico com características especificamente projetadas, incluindo serviços

Leia mais

o poder econômico da região de Barueri.

o poder econômico da região de Barueri. Você vai conhecer de perto o principal polo de compras, alimentação, serviços e entretenimento da região de Barueri. A exemplo da cidade, que vive um dos mais fortes ciclos de desenvolvimento do país,

Leia mais

ESTUDOS SOBRE MORFOLOGIA URBANA E POPULAÇÃO REGIÃO NORTE DA RMC BACIA DO RIBEIRÃO ANHUMAS

ESTUDOS SOBRE MORFOLOGIA URBANA E POPULAÇÃO REGIÃO NORTE DA RMC BACIA DO RIBEIRÃO ANHUMAS ESTUDOS SOBRE MORFOLOGIA URBANA E POPULAÇÃO REGIÃO NORTE DA RMC BACIA DO RIBEIRÃO ANHUMAS Paula Aleksa Bianchi Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Centro de Ciências Exatas, Ambientais e de Tecnologias

Leia mais

Operação do trânsito no entorno do estádio da Arena de São Paulo na Copa do Mundo de 2014.

Operação do trânsito no entorno do estádio da Arena de São Paulo na Copa do Mundo de 2014. Operação do trânsito no entorno do estádio da Arena de São Paulo na Copa do Mundo de 2014. Rosana da Penha Taveira Fontes CET - Companhia de Engenharia de Tráfego (São Paulo/SP) Rua Américo Salvador Novelli,

Leia mais

VILA MADALENA COL. SANTA CLARA PROF. MARCOS 2014

VILA MADALENA COL. SANTA CLARA PROF. MARCOS 2014 VILA MADALENA COL. SANTA CLARA PROF. MARCOS 2014 ORGANIZAÇÃO DA APRESENTAÇÃO I. CONTEÚDOS ATITUDINAIS II. CONTEÚDOS PROCEDIMENTAIS III. CONTEÚDOS CONCEITUAIS 1. AS TRANSFORMAÇÕES DA VILA MADALENA Da vila

Leia mais

Vila Curuçá. zona Leste

Vila Curuçá. zona Leste zona Leste Vila Curuçá Localizado no extremo Leste da capital, Vila Curuçá é um distrito predominantemente residencial. Apesar de ter recebido equipamentos culturais e de lazer nos últimos anos, precisa

Leia mais